A questão da natalidade nos países da União Européia: desafios e alternativas em discussão 1.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A questão da natalidade nos países da União Européia: desafios e alternativas em discussão 1."

Transcrição

1 Universidade do Vale do Itajaí Curso de Relações Internacionais LARI Laboratório de Análise de Relações Internacionais Região de Monitoramento: União Europeia LARI Fact Sheet Abril/Maio de 2011 A questão da natalidade nos países da União Européia: desafios e alternativas em discussão Objeto de análise: Questão da natalidade nos países da União Europeia 2. Informações de referência 2.1 Palavras-chave Demografia: taxa de natalidade, envelhecimento e migrações; União Europeia.! " # $ %&

2 2.2 Cronologia A partir de 1992 Imigração superior ao crescimento vegetativo natural na União Europeia. "'(()))& * & ( (+,-./ ///*/ / / / A partir 1997 Crescimento da participação feminina no mercado do trabalho nos países membros da UE. Em 10 anos cresceu de 51% para 58% entre mulheres de 15 a 64 anos. ("'(()))&)0)&()((, ,,&" A taxa total de fertilidade media baixou para cerca de 1,5 filhos por mulher. ("'((&(%(5 6(* (( 78&" 4 A partir de Segundo estatísticas do Eurostat, a União Européia pode apresentar crescimento negativo em alguns anos ligado ao envelhecimento da geração baby-boom explosão da natalidade que ocorreu após a Segunda Guerra Mundial Países como Alemanha, Itália, Romênia, Portugal, Hungria, Bulgária, Estônia, Letônia e Lituânia registram mais mortes do que nascimentos. 10/2008 Proposta pela Comissão Européia sobre direito das mulheres terem licença de maternidade mais longa e em condições mais favoráveis. 01/2009 Pesquisa aponta que três quartos dos Europeus vivem em países com taxa de natalidade média abaixo de 1,5 filho por mulher. 02/2010 União Européia quer incentivar a taxa de natalidade ao ampliar a licença de maternidade para 20 semanas Portugal apresenta a segunda menor taxa de natalidade da União Européia, apesar do crescimento da taxa de natalidade na União Européia.

3 2011 Taxa de Natalidade da França é segunda maior da Europa com media de 2 filhos por mulher Imigração é o motor do crescimento 3. Contextualização De um lado, o envelhecimento da população Européia em consequência da grande diminuição da taxa de natalidade. De outro, o controle das migrações. Este é o grande paradoxo em que se encontra a União Européia na questão demográfica. É desta forma que o problema da natalidade vem assumindo uma importância bastante significativa no continente. Dados estatísticos apontam que a partir de 1922 a imigração foi maior que o crescimento vegetativo na maioria dos países da União Européia. Uma das causas desse problema é a preocupação das mulheres com a carreira profissional, adiando a construção familiar, pessoas mais jovens procuram dedicar mais tempo para seus estudos e depois passam a se preocupar com a carreira. Por isto, outro importante fator determinante para a diminuição da taxa de natalidade é a inserção da mulher no mercado de trabalho, isso se dá devido à incompatibilidade entre família e carreira. Segundo um estudo de análise demográfica, todos os países europeus apresentam taxa de natalidade tão baixa que se tornam incapazes de manter seu nível populacional. Atualmente três quartos dos europeus vivem em países com taxa de natalidade média abaixo de 1,5 filho por mulher, sendo assim, em 2009 nenhum país conseguiu atingir o nível de substituição da média de 2,1 filhos por mulher. Provavelmente, por isto o Parlamento Europeu aprovou o aumento da licença maternidade para cinco meses com salário integral para incentivar o aumento da natalidade na União Européia. Os pais também serão beneficiados com a nova lei com no mínimo duas semanas de férias remuneradas. Cerca de um terço dos 27 paises membros da união européia, inclusive Reino Unido, Alemanha, França e Áustria se posicionariam contra a nova lei que propõe a licença maternidade mínima de 20 semanas com salário integral, pois já declaravam planos para resistir à determinação. De acordo com o texto, atualmente a licença maternidade se encontra de tal maneira: Na maioria dos Estados-membros da União Europeia, a licença-maternidade varia entre 16 e 20 semanas. Alemanha e Malta, por exemplo, adotam o

4 afastamento de 14 semanas, período mínimo até então estipulado pela UE. Com 16 semanas de licença-maternidade, França, Holanda e Áustria estão na média, enquanto Eslováquia e a República Tcheca são os países com as licenças mais longas, constituídas de 28 semanas. Com a taxa de natalidade abaixo do nível de reposição é a imigração que tem sido o grande motor do crescimento populacional na maioria dos estados-membros da União Européia. Entre 2004 e 2008 entraram cerca de 3 a 4 milhões de imigrantes por ano na UE-27 Em 2010, um estudo que dividia a população por nacionalidade mostrou que existiam 32,4 milhões de estrangeiros a viver na UE-27, o que correspondia a 6,5% da população total. Destes, 12,3 milhões eram cidadãos da União Europeia a viver noutro Estadomembro e 20,1 milhões eram cidadãos que não pertenciam à UE. Em 2010, registou-se na Alemanha o maior numero de cidadãos estrangeiros, 7,1 milhões de pessoas, seguida da Espanha, com 5,7 milhões, e do Reino Unido, com 4,4 milhões. Entre os países membros da UE-27, a percentagem mais alta de cidadãos estrangeiros na população é a de Luxemburgo (43% da população total), seguida da Letónia (17%), da Estónia e de Chipre (ambas com 16%), da Espanha (12%) e da Áustria (11%). A população europeia está envelhecendo cada vez mais, porém a natalidade começou a crescer na união devido à preocupação com problemas futuros, porém Portugal é um dos países que não acompanha esse fenômeno. Enquanto a população envelhece, o país não se preocupa em aumentar a natalidade e o número de nascimentos não consegue acompanhar o nível de envelhecimento da população. É importante ressaltar que a União Europeia depende de um grande fluxo de migrações para conseguir manter sua economia estabilizada, sabendo-se que a população está envelhecendo, os imigrantes significam mão-de-obra para o mercado de trabalho europeu. Países como a Espanha, Alemanha, Áustria e Bélgica têm aproximadamente 10% da sua população composta de imigrantes e grande parte deles possui metade de seu crescimento demográfico decorrente da imigração. É aí que se encontra o grande paradoxo. Embora haja essa grande necessidade, o continente se organiza para controlar as imigrações e há grande nível de xenofobia. Os próprios europeus apontam que o único fator positivo das imigrações é caso da escassez de mão-de-obra que precisa ser combatida no momento. Por fim, pode-se perceber que a União Européia sofre de questão que amplia a instabilidade em sua economia, podendo produzir uma crise devido aos sérios problemas na sua situação demográfica. Um grande desafio nesta questão vem sendo o controle das imigrações realizado pela maioria dos países da União Européia. Embora alguns destes países tenha uma opinião positiva sobre o problema, ao adotar argumentos como o de que imigrantes favorecem a criação de empregos e o aumento da renda per capita e o consumo no país. Outros usam

5 argumentos xenofóbicos. Muitas alternativas para o incentivo no aumento da natalidade já foram colocadas em prática, como por exemplo, modificações na licença maternidade, com benefícios para ambos genitores, mas a situação de insuficiência de crianças para manter o tamanho da população ainda perdura. 4. Cenários esta parte ainda precisa ser concluida Otimista e mais provável: Pessimista e menos provável: 5. Referências SITE RFI em Português. Taxa de Natalidade na França é a segunda maior da Europa. Acessado em 14/04/ h10. SITE EURONEWS em Português. UE quer incentivar taxa de natalidade. Acessado em 14/04/ h15 SITE SRZD SIDNEYREZENDE. Imigração supera cada vez mais natalidade na UE. Acessado em 14/04/ h20 SITE ESQUERDA.NET. Portugal tem segunda menor taxa de Natalidade da UE. Acessado em 14/04/ h00

6 SITE DW WORLD.DE DEUTSCHE WELLE. Todos os países Europeus têm taxas de natalidade insuficientes. Acessado em 14/04/ h15 SITE EUROPA.EU. Comissão permite a milhões de pessoas melhorar o equilíbrio entre vida profissional e privada graças ao prolongamento da licença de maternidade em condições mais favoráveis. In. language=pt&guilanguage=en Acessado em 14/04/ h21 "'(()))&&( &9:;11, ;.33 <;1=21 > ;

A formação da União Europeia

A formação da União Europeia A formação da União Europeia A EUROPA DOS 28 Como tudo começou? 1926: 1º congresso da União Pan- Europeia em Viena (Áustria) 24 países aprovaram um manifesto para uma organização federativa na Europa O

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=168982 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA 3º TRIMESTRE DE 2005 NOTA: O presente documento constitui

Leia mais

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE Durante muito tempo os países da Europa andaram em guerra. A segunda Guerra Mundial destruiu grande parte do Continente Europeu. Para evitar futuras guerras, seria

Leia mais

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI Tratado de Lisboa A Europa rumo ao século XXI O Tratado de Lisboa Índice 1. Contextualização 1.1. Porquê um novo Tratado? 1.2. Como surgiu o Tratado de Lisboa? 2. O que mudará com o Tratado de Lisboa?

Leia mais

1. 2. 3. 4. PASSO A PASSO. Links para saber mais. A União Europeia. Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012?

1. 2. 3. 4. PASSO A PASSO. Links para saber mais. A União Europeia. Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012? junho 2012 PASSO A PASSO 1. 2. 3. 4. A União Europeia Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012? Ano Europeu 2012: curiosidades iniciativas quiz Links para saber mais 1. A União Europeia 27 Estados-Membros

Leia mais

9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE 9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade I Tempo, espaço, fontes históricas e representações cartográficas. 2

Leia mais

DIREITO COMUNITÁRIO. Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2

DIREITO COMUNITÁRIO. Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2 DIREITO COMUNITÁRIO Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2 As revisões dos tratados fundadores 07/02/1992: Assinatura do Tratado sobre a União Européia,, em Maastricht; 20/10/1997:

Leia mais

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013 Paridades de Poder de Compra 2013 11 de dezembro de 2014 Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013 O

Leia mais

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS EM POUCAS PALAVRAS OS PRIMEIROS PASSOS DATA/LOCAL DE ASSINATURA E ENTRADA EM VIGOR PRINCIPAIS MENSAGENS QUIZ 10 PERGUNTAS E RESPOSTAS OS PRIMEIROS PASSOS No século XX depois das Guerras No século XX, depois

Leia mais

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações).

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações). Estatísticas do Comércio Internacional 214 7 de julho de 215 Resultados preliminares do Comércio Internacional em 214: em termos nominais, as exportações aumentaram 1,8% e as importações aumentaram 3,2%

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Cartão Europeu de Seguro de Doença Nº: 20/DSPCS DATA: 18/05/04 Para: Todos os serviços dependentes do Ministério da Saúde Contacto

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427 NOTA de: para: Assunto: Presidência Grupo de Avaliação de Schengen Projecto de decisão do

Leia mais

MINIGUIA DA EUROPA 2011 Comunicar com os Europeus Línguas Na Europa fala-se muitas línguas, cujas principais famílias são a germânica, a românica, a eslava, a báltica e a céltica. As instituições da União

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Enquadramento Enquadramento A importância da Internacionalização na vertente das exportações

Leia mais

imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português

imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português Nuno Gonçalves Ana Paula Africano Resumo: Palavras-chave Códigos JEL Abstract: Keywords model. JEL Codes 41 estudos

Leia mais

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido PROGRAMA ERASMUS+ AÇÃO 1 MOBILIDADE INDIVIDUAL PARA FINS DE APRENDIZAGEM ENSINO SUPERIOR 2015 TABELA DE BOLSAS DE MOBILIDADE ESTUDANTES PARA ESTUDOS E ESTÁGIOS TABELA 1 De Portugal Continental para: Valor

Leia mais

Carga fiscal passou de 32,4% do PIB em 2012 para 34,9% em 2013

Carga fiscal passou de 32,4% do PIB em 2012 para 34,9% em 2013 Estatísticas das Receitas Fiscais 1995-2013 15 de maio de 2014 Carga fiscal passou de 32,4% do PIB em 2012 para 34,9% em 2013 Em 2013, a carga fiscal aumentou 8,1%, após a diminuição observada em 2012,

Leia mais

PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais nas eleições europeias de 2009

PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais nas eleições europeias de 2009 Direção-Geral da Comunicação Unidade do Acompanhamento da Opinião Pública Bruxelas, 13 de novembro de 2012 PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais

Leia mais

Informação diagnóstico

Informação diagnóstico Informação diagnóstico O declínio demográfico da cidade de Lisboa e a periferização da área metropolitana Evolução Comparada das Populações de Portugal, da Área Metropolitana de Lisboa e do Concelho de

Leia mais

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos Geografia Econômica Mundial Aula 4 Prof. Me. Diogo Labiak Neves Organização da Aula Tipologias de blocos econômicos Exemplos de blocos econômicos Algumas características básicas Blocos Econômicos Contextualização

Leia mais

Observatório Pedagógico. Objectivos: Políticas Redistributivas e Desigualdade em Portugal. Carlos Farinha Rodrigues DESIGUALDADE ECONÓMICA EM PORTUGAL

Observatório Pedagógico. Objectivos: Políticas Redistributivas e Desigualdade em Portugal. Carlos Farinha Rodrigues DESIGUALDADE ECONÓMICA EM PORTUGAL Observatório Pedagógico Políticas Redistributivas e Desigualdade em Portugal Carlos Farinha Rodrigues ISEG / Universidade Técnica de Lisboa Objectivos: 21 22 23 24 25 26 29 21 22 23 24 25 26 29 "shares"

Leia mais

ANEXOS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO. relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós»

ANEXOS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO. relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós» COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 28.5.2014 COM(2014) 355 final ANNEXES 1 to 5 ANEXOS à COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós» PT PT ANEXO I: ASPETOS PROCESSUAIS DA INICIATIVA

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09-2015

Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09-2015 EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

MÓDULO V B C D E PÓS-EURO

MÓDULO V B C D E PÓS-EURO O PÓS-EURO A B C D E MÓDULO V O Euro face às s principais moedas internacionais Pacto de Estabilidade e Crescimento O Tratado de Amesterdão O Tratado de Nice Reforçar e Reformar as Políticas da União na

Leia mais

CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV

CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV DOCUMENTO 3 DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS TITULARES DOS CARTÕES EUROPEUS DE SEGURO DE DOENÇA OU DE DOCUMENTOS EQUIVALENTES NA SEQUÊNCIA DAS ALTERAÇÕES DO PONTO I DA ALÍNEA A)

Leia mais

Maria João da Cruz Nogueira

Maria João da Cruz Nogueira Maria João da Cruz Nogueira Trabalho elaborado para a Oficina de Formação: A Educação Sexual em Meio Escolar: metodologias de abordagem/intervenção Formadoras: Cândida Ramoa, Isabel Leitão Matosinhos Fevereiro

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL Changing lives. Opening minds. Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL ERASMUS + Uma porta aberta para a Europa : O novo programa

Leia mais

EUROBARÓMETRO. Número de entrevistas: 28.050. Número de entrevistas: 1.016. Metodologia: Entrevistas diretas pessoais DESTAQUES DO PAÍS

EUROBARÓMETRO. Número de entrevistas: 28.050. Número de entrevistas: 1.016. Metodologia: Entrevistas diretas pessoais DESTAQUES DO PAÍS DESTAQUES DO PAÍS Mais de nove em cada dez inquiridos em Portugal dizem que ajudar as pessoas nos países em vias de desenvolvimento é importante (93%). Esta é a terceira maior proporção após a Suécia (97%)

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO. sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO. sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30.6.2015 COM(2015) 314 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos PT PT RELATÓRIO

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

Em 2007, por cada indivíduo nascido em Portugal, foram criadas 1,6 empresas

Em 2007, por cada indivíduo nascido em Portugal, foram criadas 1,6 empresas Em 2007, por cada indivíduo nascido em Portugal, foram criadas 1,6 empresas O Instituto Nacional de Estatística apresentou os primeiros resultados 1 sobre o empreendedorismo em Portugal para o período

Leia mais

Formação Inicial de Professores na União Europeia. Florbela Lages Antunes Rodrigues Instituto Politécnico da Guarda

Formação Inicial de Professores na União Europeia. Florbela Lages Antunes Rodrigues Instituto Politécnico da Guarda Formação Inicial de Professores na União Europeia Florbela Lages Antunes Rodrigues Instituto Politécnico da Guarda 1999 - O Processo de Bolonha Um Espaço Europeu de Ensino Superior (EEES) globalmente harmonizado

Leia mais

A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior

A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior O SNESup e o Núcleo de Estudantes de Sociologia da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra realizaram mais um debate integrado

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio Econômico Departamento de Economia e Relações Internacionais Florianópolis.

Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio Econômico Departamento de Economia e Relações Internacionais Florianópolis. Universidade Federal de Santa Catarina Centro Sócio Econômico Departamento de Economia e Relações Internacionais Florianópolis Novembro 2014 Análise do Coeficiente de Gini e do Índice de Desenvolvimento

Leia mais

Impostos com relevância ambiental em 2013 representaram 7,7% do total das receitas de impostos e contribuições sociais

Impostos com relevância ambiental em 2013 representaram 7,7% do total das receitas de impostos e contribuições sociais Impostos e taxas com relevância ambiental 2013 31 de outubro de 2014 Impostos com relevância ambiental em 2013 representaram 7,7% do total das receitas de impostos e contribuições sociais O valor dos Impostos

Leia mais

Participação Social das Pessoas com Deficiência Inclusão e Acessibilidade Digital

Participação Social das Pessoas com Deficiência Inclusão e Acessibilidade Digital Participação Social das Pessoas com Deficiência Inclusão e Acessibilidade Digital U. Lusófona, 11 Jul 2009 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento Ministério da Ciência, Tecnologia

Leia mais

Luis Magalhães Presidente da UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento, IP Portugal

Luis Magalhães Presidente da UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento, IP Portugal Computadores e Internet nas Escolas em Portugal IV Encontro sobre os Objectivos do Milénio da ONU e as TIC, dedicado às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), Inovação e Conhecimento FIL, Parque

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09-2015

Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09-2015 EUR / Kg Peso Vivo CONJUNTURA SEMANAL - AVES Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA 1950 9 de Maio Robert Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, profere um importante discurso em que avança propostas inspiradas nas ideias de Jean Monnet.

Leia mais

2º e 3º Ciclos Ensino Profissional

2º e 3º Ciclos Ensino Profissional 2º e 3º Ciclos Ensino Profissional Índice 1. A União Europeia O caminho da UE 2. Os Anos Europeus 3. 2010 Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social (AECPES) 4. 2010 AECPES. Pobreza e Exclusão

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

CUIDADOS DE SAÚDE PARA PENSIONISTAS DE UM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA, ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU OU DA SUÍÇA QUE VENHAM RESIDIR PARA PORTUGAL

CUIDADOS DE SAÚDE PARA PENSIONISTAS DE UM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA, ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU OU DA SUÍÇA QUE VENHAM RESIDIR PARA PORTUGAL CUIDADOS DE SAÚDE PARA PENSIONISTAS DE UM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA, ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU OU DA SUÍÇA QUE VENHAM RESIDIR PARA PORTUGAL abril 2015 Ficha Técnica Autor Direção-Geral da Segurança

Leia mais

Preçário dos Cartões Telefónicos PT

Preçário dos Cartões Telefónicos PT Preçário dos Cartões Telefónicos PT Cartão Telefónico PT 5 e (Continente)... 2 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma dos Açores)... 6 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma da Madeira)... 10 Cartão

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é uma entidade privada, sem fins lucrativos, criada em 1972. Desvinculado da administração pública

Leia mais

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos ESTE ANO VOU CONHECER NOVAS PESSOAS ESTE ANO VOU ALARGAR CONHECIMENTOS ESTE ANO VOU FALAR OUTRA LÍNGUA ESTE ANO VOU ADQUIRIR NOVAS COMPETÊNCIAS ESTE ANO VOU VIAJAR ESTE ANO VOU SER ERASMUS Guia do Estudante

Leia mais

2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar

2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar 2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar Nome: N.º: Classificação: Ass.Professor: GRUPO I Este grupo é constituído

Leia mais

Sociedade de Geografia de Lisboa

Sociedade de Geografia de Lisboa Sociedade de Geografia de Lisboa Tema A internacionalização das empresas portuguesas para os Países da Europa Central e Oriental (PECO) Autor Rui Paulo Almas Data Lisboa, 25 de Junho de 2012 1 A internacionalização

Leia mais

Geografia 03 Tabata Sato

Geografia 03 Tabata Sato Geografia 03 Tabata Sato IDH Varia de 0 a 1, quanto mais se aproxima de 1 maior o IDH de um país. Blocos Econômicos Economia Globalizada Processo de Regionalização Tendência à formação de blocos econômicos

Leia mais

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/17 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pedido de

Leia mais

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR Jorge Jacob Agenda: 1 Sinistralidade Rodoviária um flagelo mundial 2 Organização Mundial MACRO 3 WHO The Decade of Action for Road Safety 4 OCDE/ITF - IRTAD 5 UE/Comissão Europeia 6 Portugal: 6.1 Situação

Leia mais

A solução. para os seus problemas. na Europa. ec.europa.eu/solvit

A solução. para os seus problemas. na Europa. ec.europa.eu/solvit A solução para os seus problemas na Europa ec.europa.eu/solvit CONHEÇA OS SEUS DIREITOS Viver, trabalhar ou viajar em qualquer país da UE é um direito fundamental dos cidadãos europeus. As empresas também

Leia mais

Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 27-Abr-2015

Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 27-Abr-2015 Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS O Preçário completo da Agência de Câmbios Central, Lda., contém o Folheto de e Despesas (que incorpora

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística divulgou A Península Ibérica em Números - 2007

Instituto Nacional de Estatística divulgou A Península Ibérica em Números - 2007 'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 21/12 Economia 20/12 Demografia Instituto Nacional de Estatística divulgou A Península Ibérica em Números - 2007 http://www.ine.pt/portal/page/portal/portal_ine/publicacoes?publicacoespub_boui=10584451&publicacoesm

Leia mais

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Fórum novo millenium Nuno Mangas Covilhã, 22 Setembro 2011 Índice 1 Contextualização 2 Os CET em Portugal 3 Considerações Finais 2 Contextualização

Leia mais

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2014 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 23 6 44

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2014 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 23 6 44 Quadro Número de empresas de seguros a operar em Portugal 24 Vida Não Vida Mistas Total Em regime de estabelecimento 2 46 2 78 Empresas de seguros de direito português 5 23 6 44 Empresas de seguros 5 2

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU CONSTITUIÇÃO:

PARLAMENTO EUROPEU CONSTITUIÇÃO: CONSTITUIÇÃO: PARLAMENTO EUROPEU É a instituição parlamentar da União Europeia. Eleito por um período de 5 anos por sufrágio universal directo pelos cidadãos dos estados-membros Presidente do Parlamento

Leia mais

CENTRO EUROPEU DO CONSUMIDOR - PORTUGAL EUROPEAN CONSUMER CENTRE

CENTRO EUROPEU DO CONSUMIDOR - PORTUGAL EUROPEAN CONSUMER CENTRE ECC-Net: Travel App Uma nova aplicação para telemóveis destinada aos consumidores europeus que se deslocam ao estrangeiro. Um projeto conjunto da Rede de Centros Europeus do Consumidor Nome da app: ECC-Net:

Leia mais

É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu!

É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu! F É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu! 1 QUEM PODE VOTAR A 25 DE MAIO DE 2014? Para poder participar nesta eleição na qualidade

Leia mais

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir IP/08/1831 Bruxelas, 28 de Novembro de 2008 Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir De acordo com um relatório publicado hoje pela Comissão Europeia,

Leia mais

Aula 7. O espaço Schengen e a livre circulação de pessoas na UE

Aula 7. O espaço Schengen e a livre circulação de pessoas na UE Aula 7 O espaço Schengen e a livre circulação de pessoas na UE O O Ano Europeu do Diálogo Intercultural (AEDI) 2008 reconhece a grande diversidade cultural da Europa como um benefício único. Fronteira

Leia mais

3. EDUCAÇÃO. O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º).

3. EDUCAÇÃO. O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º). 3. EDUCAÇÃO Quadro legal O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º). A Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei n.º 46/86, de 14 de

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Destaques do Education at a Glance 2014 Diretor de Estatísticas Educacionais Carlos Eduardo Moreno Sampaio

Leia mais

NOTA INFORMATIVA SINGLE EURO PAYMENTS AREA. 1. O que é a SEPA?

NOTA INFORMATIVA SINGLE EURO PAYMENTS AREA. 1. O que é a SEPA? 1 NOTA INFORMATIVA 1. O que é a SEPA? Para harmonização dos sistemas de pagamento no espaço europeu no sentido de impulsionar o mercado único, foi criada uma Área Única de Pagamentos em Euro (denominada

Leia mais

Conta Satélite da Saúde 2010-2012Pe

Conta Satélite da Saúde 2010-2012Pe Conta Satélite da Saúde 21-212Pe 21 de junho de 213 Em 212 a despesa corrente em saúde voltou a diminuir Em 212, a despesa corrente em saúde voltou a diminuir significativamente (-5,5), após ter registado

Leia mais

EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO

EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO Standard Eurobarometer European Commission EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO 2007 RELATÓRIO NACIONAL Standard Eurobarometer 68 / Autumn 2007 TNS Opinion & Social SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

SEPA - Single Euro Payments Area

SEPA - Single Euro Payments Area SEPA - Single Euro Payments Area Área Única de Pagamentos em euros APOIO PRINCIPAL: APOIO PRINCIPAL: Contexto O que é? Um espaço em que consumidores, empresas e outros agentes económicos poderão efectuar

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º

Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º Apresentação: Esta ficha atende a dois objetivos principais: 1. Oferecer os conteúdos básicos a respeito dos objetivos

Leia mais

Fusões e cisões transfronteiras

Fusões e cisões transfronteiras Fusões e cisões transfronteiras Fusões e cisões transfronteiras Consulta organizada pela Comissão Europeia (DG MARKT) INTRODUÇÃO Observações preliminares O presente questionário tem por objetivo recolher

Leia mais

O TRABALHO TEMPORÁRIO NÃO É UMA FORMA DE TRABALHO PRECÁRIA Razões para lutar contra 10 equívocos sobre o Trabalho Temporário

O TRABALHO TEMPORÁRIO NÃO É UMA FORMA DE TRABALHO PRECÁRIA Razões para lutar contra 10 equívocos sobre o Trabalho Temporário O TRABALHO TEMPORÁRIO NÃO É UMA FORMA DE TRABALHO PRECÁRIA Razões para lutar contra 10 equívocos sobre o Trabalho Temporário Equívoco 1: O Trabalho Temporário não proporciona segurança no trabalho Em muitos

Leia mais

Serviço de Assistência Tutelar Serviço de Tutelas

Serviço de Assistência Tutelar Serviço de Tutelas Portugees - Portugais Serviço de Assistência Tutelar Serviço de Tutelas Como podemos ajudar-te? À tua chegada à Bélgica Tens menos de 18 anos e chegaste à Bélgica sem o teu pai ou a tua mãe? Estás a procurar

Leia mais

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 31 de Março de 2005 (OR. en) AA 23/2/05 REV 2 TRATADO DE ADESÃO: ACTA FINAL PROJECTO DE ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS

Leia mais

Retrato de Portugal alguns indicadores

Retrato de Portugal alguns indicadores Retrato de Portugal alguns indicadores Apresentação de Joel Felizes Resumo O Índice de Desenvolvimento Humano e o PIB A posição de Portugal vista em diversas dimensões Comparação a nível mundial e da UE

Leia mais

gabinete de estratégia e estudos

gabinete de estratégia e estudos Gabinete de Estratégia e Estudos Síntese Estatística gabinete de estratégia e estudos INVESTIMENTO DIRECTO Exterior em Portugal e Portugal no Exterior Agosto de 26 Índice Tratamento e análise dos dados

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2008/C 115/01) 9.5.2008 PT Jornal Oficial da

Leia mais

A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão

A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão IP/08/836 Bruxelas, 3 de Junho de 2008 A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão A Comissão Europeia acelerou hoje os seus esforços para promover a utilização na

Leia mais

Ano Europeu da Criatividade e Inovação

Ano Europeu da Criatividade e Inovação Ano Europeu da Criatividade e Inovação Imaginar criar inovar Índice A União Europeia O caminho da UE O Ano Europeu Criatividade e Inovação. Porquê? Criatividade e Inovação. Importância Criatividade e Inovação.

Leia mais

III SINGEP II S2IS UNINOVE

III SINGEP II S2IS UNINOVE III SINGEP II S2IS UNINOVE Painel Temático: Tendências em Inovação e Projetos Maria Celeste Reis Lobo de Vasconcelos celestevasconcelos@fpl.edu.br Contexto A inovação é uma grande força para o progresso

Leia mais

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO Portugal situa-se no extremo sudoeste da Europa e é constituído por: Portugal Continental ou Peninsular (Faixa Ocidental da Península Ibérica) Parte do território

Leia mais

Embargo até 10H de 31-Maio-2012 COMUNICADO DE IMPRENSA ESPAD/2011. Lisboa, 31 de Maio de 2012

Embargo até 10H de 31-Maio-2012 COMUNICADO DE IMPRENSA ESPAD/2011. Lisboa, 31 de Maio de 2012 Embargo até 10H de 31-Maio-2012 COMUNICADO DE IMPRENSA Lisboa, 31 de Maio de 2012 O ESPAD European School Survey on Alcohol and other Drugs é um inquérito a nível europeu, que se realiza atualmente em

Leia mais

Indicadores sobre a pobreza

Indicadores sobre a pobreza Indicadores sobre a pobreza Dados Europeus e Nacionais A t u a l i z a ç ã o A g o s t o 2 0 1 2 EAPN Rede Europeia Anti-Pobreza/ Portugal Rua de Costa Cabral, 2368 4200-218 Porto Telefone 225 420 800

Leia mais

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes Este folheto explica as regras que se aplicam ao Benefício de

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA A LONGEVIDADE. Portugal 2014 PREÂMBULO

RECOMENDAÇÕES PARA A LONGEVIDADE. Portugal 2014 PREÂMBULO RECOMENDAÇÕES PARA A LONGEVIDADE Portugal 2014 PREÂMBULO A Direção da Associação Amigos da Grande Idade Inovação e Desenvolvimento, celebra em 2014 o envelhecimento populacional, como a maior conquista

Leia mais

GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL Portugal já está a atribuir os Golden Residence Permit a cidadãos não- Europeus no caso de realização de determinados

Leia mais

Previdência social. Social Welfare

Previdência social. Social Welfare Direitos trabalhistas Saúde 75 a 08 Previdência social Social Welfare 08 76 VIDA NA IRLANDA Os pagamentos se dividem em 3 categorias: 1. Contributivos: Os pagamentos do seguro social (geralmente chamados

Leia mais

Cap.12 Questões políticas e populacionais na Europa Desenvolvida

Cap.12 Questões políticas e populacionais na Europa Desenvolvida Cap.12 Questões políticas e populacionais na Europa Desenvolvida EDUCADORA: BIANCA CORREA AGOSTO DE 2015 ASPECTOS GERAIS 1 - Europa desenvolvida países com renda per capita superior a US$ 15 MIL, altamente

Leia mais

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA UNIÃO EUROPEIA ESTADOS-MEMBROS Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE Fevereiro de 2011 FICHA TÉCNICA Título Informação Estatística União Europeia/Estados-membros,

Leia mais

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES) ( ÍNDICE)

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES) ( ÍNDICE) 11.1. Cartões de crédito Designação do Redes onde o é 3. Substituição de 4. Inibição do 5. Comissão pela recuperação de valores em dívida 6. Não pagamento até à data limite Cartão Business 43,27 43,27

Leia mais

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES) ( ÍNDICE)

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES) ( ÍNDICE) 11.1. Cartões de crédito Designação do Redes onde o é 3. Substituição de 4. Inibição do 5. Comissão pela recuperação de valores em dívida 6. Não pagamento até à data limite Cartão Business Estrangeiro:

Leia mais

3º Seminário. As finanças locais, instrumento da política ambiental

3º Seminário. As finanças locais, instrumento da política ambiental 3º Seminário As finanças locais, instrumento da política ambiental Propostas da campanha nacional RFA Índice da apresentação - RFA Europeia - Exemplos e comparação com PT - RFA Nacional - Resumo seminários

Leia mais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais O Conselho Superior da Magistratura é membro de duas organizações internacionais que promovem a cooperação e concertação

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 21.1.2003 COM(2003) 26 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU PENSAR EM TERMOS DE PEQUENAS EMPRESAS NUMA EUROPA EM ALARGAMENTO COMUNICAÇÃO

Leia mais