Pessoas que cuidam de pessoas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pessoas que cuidam de pessoas"

Transcrição

1 Pessoas que cuidam de pessoas

2 Agenda

3 Cenário Econômico Mundial Ranking PIB ,68 8,22 5,96 3,40 2,60 2,44 2,39 2,02 2,01 1,82 Estados Unidos China Japão Alemanha França Reino Brasil Rússia Itália Unido Índia * Ranking PIB 2012 (US$ trilhões)

4 Distribuição de Riqueza e IDH Geral no Brasil Norte 5º PIB: 5% Renda: 6% População: 8% Norte *IDH Geral 0,656 0,684 Nordeste 3º PIB: 13% Renda: 18% População: 28% Nordeste *IDH Geral 0,524 0,660 Centro-oeste *IDH Geral 0,725 0,753 Centro-oeste 4º PIB: 9% Renda: 9% População: 7% Sul 2º PIB: 17% Renda: 18% População: 15% Sul *IDH Geral 0,737 0,756 Sudeste *IDH Geral 0,729 0,754 Sudeste 1º PIB: 56% Renda: 50% População: 42% Fonte: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (acessado em 31/07/2013) *IDH Calculado a partir da média aritmética simples dos indicadores de cada estado. Base: Dados do Censo de 1991, 2000 e 2010.

5 Bônus Demográfico População de mais de 200 milhões de habitantes até As projeções apontam que continuará ocorrendo um processo de envelhecimento da população e um aumento na proporção da população em idade de trabalho (10 a 65 anos). Fonte: IBGE * Projeção Tendências (relação PIA/População ou Bônus Demográfico).

6 Bônus Demográfico População em Idade Ativa (PIA) no Brasil Auge do bônus demográfico De cada 10 pessoas 7 estarão no mercado de trabalho Nos próximos anos, o consumo no Brasil será favorecido por esse fator, que é único e que não se repete. Fonte: IBGE - Projeção Tendências

7 Aumento da Classe C até ,1 milhões de pessoas entrarão na Classe C 15,2 milhões de pessoas na Classe AB Total: 67,8 milhões de pessoas terão ascensão de classe Evolução Classes Econômicas no Brasil 7,6% 11,8% 14,9% 37,6% 55,1% 60,2% 54,8% 33,2% 25,0% Fonte: CPS/FGV e IBGE Classes DE Classes C Classes AB

8 Agenda

9 Perfil do Consumidor de Seguros Pesquisa MAPFRE De Fevereiro a Junho de 2013 o IBOPE realizou um estudo, com exclusividade para a BB MAPFRE, para conhecer qual o perfil do consumidor de seguros brasileiro. Foram realizadas entrevistas com homens e mulheres, com mais de 16 anos, de todas as regiões do Brasil. Fonte: IBOPE Bus Onda Julho entrevistas Resultados exclusivos para o GRUPO MAPFRE

10 Posse de Seguros da população O seguro de vida é o mais presente no Brasil, seguido pelo seguro auto A penetração dos 3 tipos de seguros (Vida, Auto e Residencial) é bastante baixa, sendo que existe grande potencial de crescimento para todos eles Posse de seguros no Brasil, por ramo População Brasileira 16 anos ou mais (%) (Representa a população de 136 milhões de indivíduos) Vida Auto Residencial 3% 7% 9% Fonte: IBOPE Bus Onda Julho entrevistas Resultados exclusivos para o GRUPO MAPFRE

11 Segurados de Auto e Vida Características dos seguros: Quase 70% dos donos de automóveis não possui seguro 1. Tem automóvel próprio? Sim, possui Não, não possui Possui um seguro de automóvel em seu nome? Sim, possui 33 Não, não possui 67 46% dos seguros de vida foram adquiridos por iniciativa própria 3. Adquiriu o seguro de vida por iniciativa própria? Foi oferecido pela empresa Iniciativa própria Não lembra Recusa Fonte: IBOPE Bus Onda Julho entrevistas Resultados exclusivos para o GRUPO MAPFRE

12 Agenda

13 Mercado de Seguros Brasileiro Brasil 7º PIB Mundial 15º PIB no Mercado Segurador Fonte: PwC Mundial Participação relativa de seguros* x PIB Representa mais de 40% dos prêmios de seguros gerais da América do Sul e com previsões que mostram que o mercado pode chegar a US$ 160 bilhões em Mercado Segurador América do Sul 3,54% 3,07% Outros Países 40% Prêmios 60% Prêmios R$ 72,73 bilhões 2006 Brasil R$ 146,16 bilhões 2011 * Inclui seguros, previdência, capitalização e saúde.

14 Perspectivas para o mercado segurador no Mundo Forte perspectiva de crescimento dos BRIC s no mercado mundial de seguros País /2020 Prêmio US$Bi 2000 PIB US$Bi 2000 Share País Prêmio US$Bi 2010 PIB Bi 2010 Share País Prêmio US$Bi 2020* PIB US$Bi 2018* 1 EUA ,4 1 EUA ,1 1 EUA ,8 2 Japão ,8 2 Japão ,4 2 Japão ,7 3 Reino Unido ,4 3 Reino Unido ,1 3 China ,5 4 França ,9 4 França ,5 4 Reino Unido ,2 5 Alemanha ,1 5 Alemanha ,1 5 França ,1 6 Itália ,0 6 China ,6 6 Alemanha ,3 7 Coreia do Sul ,6 7 Itália ,0 7 Coreia do Sul ,4 8 Canadá ,4 8 Coreia do Sul ,3 8 Brasil ,3 9 Austrália ,8 9 Canadá ,4 9 Índia ,4 10 Espanha ,3 10 Holanda ,1 10 Itália ,2 11 Holanda ,5 11 Austrália ,2 11 Canadá ,4 12 Suíça ,2 12 Taiwan ,7 12 Austrália ,4 13 África do Sul ,3 13 Espanha ,5 13 Taiwan ,9 14 Taiwan ,1 14 Índia ,5 14 Holanda ,7 15 China ,3 15 Brasil ,8 15 Rússia ,4 Share * estimativa Fonte: Munich Re Economic Research - Insurance Market Outlook 2013

15 Projeções Seguros Curto Prazo Brasil: Em 2013 o mercado deve manter crescimento acentuado, chegando a uma média de 17% de aumento no volume de prêmios. Destaque para o crescimento, no período de 2013 a 2015, dos ramos de: Auto - 10% a.a. Pessoas 12 a 15% a.a. Habitacional e Rural - 10% a.a. em 2013 e 2014, e 20% a.a. em 2015 Fonte: Siscorp- Sist. Corporativos - com base em dados da SUSEP em Nov Projeções para o Mercado de Seguros

16 Porque Brasil: Temos 63 milhões de pessoas com menos de 18 anos. Na ESPANHA são 8 milhões.

17 Porque Brasil: Em 2012 no Japão, foram vendidas mais fraldas geriatricas que faldas para bebês.

18 CORRETOR DE SEGUROS: Importante canal de distribuição, que deve passar por transformação na maneira de atuar.

19 CORRETOR DE SEGUROS: Importante canal de distribuição, que deve passar por transformação na maneira de atuar. De vendedor passivo, irá migrar para uma postura ativa, de oferta e consultoria para todas as necessidades do cliente.

20 CORRETOR DE SEGUROS: Importante canal de distribuição, que deve passar por transformação na maneira de atuar. De vendedor passivo, irá migrar para uma postura ativa, de oferta e consultoria para todas as necessidades do cliente. Vai atuar com mais foco no que agrega valor ao cliente e à Corretora.

21 CORRETOR DE SEGUROS: Irá atuar e se relacionar mais fortemente em mídias sociais e venda por internet no site da corretora.

22 CORRETOR DE SEGUROS: Irá atuar e se relacionar mais fortemente em mídias sociais e venda por internet no site da corretora. O mix de produtos da Corretora terá equilíbrio entre Auto, Vida, Previdência, Residencial e demais produtos.

23 CORRETOR DE SEGUROS: Irá atuar e se relacionar mais fortemente em mídias sociais e venda por internet no site da corretora. O mix de produtos da Corretora terá equilíbrio entre Auto, Vida, Previdência, Residencial e demais produtos. Corretor segmentará clientes: pessoas e empresas.

24 CORRETOR DE SEGUROS: Terá concorrência de outros Canais, sobre tudo para produtos muito populares.

25 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: É o principal Canal de distribuição de produtos da Marca MAPFRE Seguros.

26 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: É o principal Canal de distribuição de produtos da Marca MAPFRE Seguros. Rede MAPFRE com 130 Sucursais em todo o território nacional, para capacitação e incentivo aos negócios dos Corretores.

27 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: É o principal Canal de distribuição de produtos da Marca MAPFRE Seguros. Rede MAPFRE com 130 Sucursais em todo o território nacional, para capacitação e incentivo aos negócios dos Corretores. 100 corretores novos se cadastram na nossa empresa mensalmente.

28 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Percebemos cada vez mais especialização para determinados segmentos: - Agro-negócio. - Licitações. - Riscos Industriais. - Aeronáutico. - Náutico. - Fiança Locatícia. - Garantias. - Outros.

29 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Entendemos que precisamos investir na Valorização da Profissão do Corretor de Seguros.

30 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Entendemos que precisamos investir na Valorização da Profissão do Corretor de Seguros. Preocupação com sucessão. Em 15 anos parte importante dos proprietários de Corretoras deixarão o mercado.

31 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Entendemos que precisamos investir na Valorização da Profissão do Corretor de Seguros. Preocupação com sucessão. Em 15 anos parte importante dos proprietários de Corretoras deixarão o mercado. Corretores sem sucessão familiar.

32 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Entendemos que precisamos investir na Valorização da Profissão do Corretor de Seguros. Preocupação com sucessão. Em 15 anos parte importante dos proprietários de Corretoras deixarão o mercado. Corretores sem sucessão familiar. Em mercado maduro leva 8 anos para uma família viver de uma carteira.

33 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Visão de Futuro Investimentos: Capacitação dos Corretores e seus colaboradores.

34 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Visão de Futuro Investimentos: Capacitação dos Corretores e seus colaboradores. Programa de sucessão familiar com Dom Cabral.

35 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Visão de Futuro Investimentos: Capacitação dos Corretores e seus colaboradores. Programa de sucessão familiar com Dom Cabral. Divulgação da profissão de Corretor de Seguros e sua importância. Gol, Tam, TV e Internet.

36 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Visão de Futuro Investimentos: Capacitação dos Corretores e seus colaboradores. Programa de sucessão familiar com Dom Cabral. Divulgação da profissão de Corretor de Seguros e sua importância. Gol, Tam, TV e Internet. Tecnologia para garantir evolução conjunta, Seguradora Corretor.

37 A MAPFRE e o Corretor de Seguros: Visão de Futuro Grupo BB MAPFRE: O CORRETOR DE SEGUROS É NOSSO PARCEIRO ESTRATÉGICO DE DISTRIBUIÇÃO.

38 Dirceu Tiegs Diretor Geral da Rede MAPFRE Pessoas que cuidam de pessoas

23/02/2010. Tarcísio José Massote de Godoy

23/02/2010. Tarcísio José Massote de Godoy 23/02/2010 Tarcísio José Massote de Godoy Agenda Grupo Segurador Brasil e Mercado Segurador Mundial Mercado de Seguros na América Latina Mercado de Seguros, Previdência e Capitalização Seguros e Previdência

Leia mais

Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello

Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello Elaboração: Maurício Tadeu Barros Morais Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello Agenda 1. Mercado Brasileiro principais

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência 1 Brasil Entre as Maiores Economias do Mundo Mercado Brasileiro de Seguros e Previdência O Mundo do Seguro e Previdência Desafios

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Fortaleza 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO INFLAÇÃO

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento APIMEC BH 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$ milhares/ano)

Leia mais

Clube Vida em Grupo CVG

Clube Vida em Grupo CVG Clube Vida em Grupo CVG Edward Lange Agosto, 2013 Agenda 1 2 3 4 Allianz SE Allianz Brasil Estratégia Vida e Saúde 1 Allianz SE Concorrentes Globais Prêmio Emitido Líquido EUR Bi Allianz 52,3 46,9 99,2

Leia mais

Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades

Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades 13 de novembro, 2013 Gabriel Portella O mercado está em constante mudança... Desenvolvimento tecnológico Mudança

Leia mais

Superintendência Executiva N/CO Manaus / AM - Agosto/2011

Superintendência Executiva N/CO Manaus / AM - Agosto/2011 Superintendência Executiva N/CO Manaus / AM - Agosto/2011 Agenda Análise de Mercado Estrutura do Mercado de Seguros Brasileiro Distribuição Geográfica Mercado Interno de Veículos e Frota Circulante Desafios

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Porto Alegre 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$

Leia mais

O Mercado Brasileiro de Seguros Gerais em Evolução: o Papel do Corretor de Seguros. Paulo Marraccini paulo.marraccini@fenseg.org.

O Mercado Brasileiro de Seguros Gerais em Evolução: o Papel do Corretor de Seguros. Paulo Marraccini paulo.marraccini@fenseg.org. O Mercado Brasileiro de Seguros Gerais em Evolução: o Papel do Corretor de Seguros Paulo Marraccini paulo.marraccini@fenseg.org.br Seguros Gerais Segmento de Danos (SUSEP) Automóvel 8 ramos Patrimonial

Leia mais

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Institucional Tokio Marine Seguradora Tokio Marine no Mundo Grupo Tokio Marine é o um dos líderes entre os grupos seguradores globais. Fundada em1879 Ativos:US$98bilhões

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Marco Antonio Rossi. FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência 1 Agenda 1. Linha do Tempo 2. Mercado Brasileiro 3. Indicadores de Desenvolvimento 4. Cenários 5. O Agregado de Oportunidades 6. Seguros

Leia mais

Crescimento Econômico. Professor Afonso Henriques Borges Ferreira

Crescimento Econômico. Professor Afonso Henriques Borges Ferreira Crescimento Econômico Professor Afonso Henriques Borges Ferreira PIB do Brasil 1947 / 2006 R$ de 1980 PIB do Brasil tendência linear Y t = Y 0 e rt ln Y t = ln Y 0 + rt 3 2 1 0-1 50 55 60 65 70 75 80 85

Leia mais

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011.

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. Brasil esteve entre os países que mais avançaram na crise Variação do PIB, em % média

Leia mais

Marco Antonio Rossi. A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios

Marco Antonio Rossi. A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios Marco Antonio Rossi A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios 1 Agenda 1. Linha do Tempo 2. Mercado Brasileiro 3. Cenários Indicadores de Desenvolvimento 4. Desafios e Oportunidades 5.

Leia mais

PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010.

PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010. PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010 Eugênio Velasques 2020 2030 2040 2050 2010 Evolução da População 300 250 200 150 5 vezes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Curso de Graduação em Administração (Presencial) Turmas 1 e 2 MACROECONOMIA Prof. Adm. Dr. José Carlos de Jesus Lopes Material

Leia mais

Megatendências e suas implicaçõesdestaques Julho de 2015

Megatendências e suas implicaçõesdestaques Julho de 2015 10Minutos Desafios de Negócios As grandes transformações que estão revolucionando o cenário global de negócios e a própria sociedade Megatendências e suas implicaçõesdestaques Julho de 2015 Destaque Nos

Leia mais

A emergência de um novo mundo no século XXI?

A emergência de um novo mundo no século XXI? A emergência de um novo mundo no século XXI? José Eustáquio Diniz Alves 1 A economia mundial deve crescer cerca de 4 vezes nos próximos 40 anos. Isto quer dizer que o Produto Interno Bruto (PIB) terá o

Leia mais

sobre as transações no setor de saúde

sobre as transações no setor de saúde 10 Minutos sobre as transações no setor de saúde Valor global de fusões e aquisições cresce e reverte tendência Destaques O valor total das transações no setor de saúde aumentou 4% em relação à segunda

Leia mais

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO Sergio Vale Economista-chefe I. Economia Internacional II. Economia Brasileira Comparação entre a Grande Depressão de 30 e a Grande Recessão de 08/09 Produção

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento

WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento Sobeet São Paulo, 26 de junho de 2013 EMBARGO 26 Junho 2013 12:00 horas Horário de Brasília 1 Recuperação

Leia mais

Apoio CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS

Apoio CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS 1 O quê vamos ver? 2 PRIMEIRA PARTE ALGUNS DADOS SOBRE O MERCADO DE SEGUROS NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE SEGUROS MUNDIAL 2008-2009

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

A IMPORTÂNCIA DO FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL A IMPORTÂNCIA DO FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O caminho para a dignidade até 2030: acabando com a pobreza, transformando todas as vidas e protegendo o planeta. O secretário-geral

Leia mais

As diretrizes de consumo no Brasil

As diretrizes de consumo no Brasil As diretrizes de consumo no Brasil A visão do consumidor Luiz Goes A GS&MD Gouvêa de Souza Consultoria Empresarial Canais de distribuição / Centrais e redes de negócios/ Controladoria e finanças / Crédito

Leia mais

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 BB Seguridade S.A. Resultado do 2º Trimestre de 2013 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 1T12

TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 1T12 TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 1T12 0 Agenda 1. Introdução e Visão Geral 2. Saúde 3. Odonto 4. Assistência 5. Resultados Financeiros Consolidados 6. Perspectivas para 2012 1 Introdução e Visão

Leia mais

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Pauta da apresentação 1º Estrutura do Setor 2º Representação Institucional do Setor 3º Arrecadação Visão por

Leia mais

Potencial Econômico dos Clientes dos Corretores de Seguros Independentes do Estado de São Paulo Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.

Potencial Econômico dos Clientes dos Corretores de Seguros Independentes do Estado de São Paulo Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com. Potencial Econômico dos Clientes dos Corretores de Seguros Independentes do Estado de São Paulo Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Julho/2005 1) Introdução O objetivo deste estudo foi avaliar

Leia mais

Samy Hazan Superintendente de Vida

Samy Hazan Superintendente de Vida Tendências e desafios no mercado de Vida & Previdência Samy Hazan Superintendente de Vida Curitiba, 20/03/07 AGENDA Perfil e Cenário atual do mercado. Etapas da evolução dos mercados de seguro. Dez tendências

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Visão Geral da Indústria BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e crescimento demográfico PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$ milhares/ano)

Leia mais

OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS

OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS José Aguiar Superintendente - Abecip Rio de Janeiro, 18 de Setembro de 2014 AGENDA: Overview Pilares do crescimento

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Pós Graduação Brasileira: Impacto e Perspectivas

Pós Graduação Brasileira: Impacto e Perspectivas Pós Graduação Brasileira: Impacto e Perspectivas Milca Severino Pereira Pró-Reitora de Pós Graduação e Pesquisa PUC Goiás Isac Almeida de Medeiros Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa Universidade Federal

Leia mais

PNE: cenários e desafios. Daniel Cara, Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação

PNE: cenários e desafios. Daniel Cara, Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação PNE: cenários e desafios Daniel Cara, Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação Padrões de mudanças socioeconômicas no Brasil: O problema é a lentidão. 325 300 275 250 225 200 175 150

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

+Gás Brasil. A energia que pode revolucionar a economia brasileira. São Paulo, 17 de Outubro de 2012

+Gás Brasil. A energia que pode revolucionar a economia brasileira. São Paulo, 17 de Outubro de 2012 +Gás Brasil A energia que pode revolucionar a economia brasileira São Paulo, 17 de Outubro de 2012 A hora do gás na agenda nacional Mudanças tecnológicas, econômicas e políticas globais e locais impõem

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco 1 Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco 2 AGENDA AVANÇO DO MERCADO SEGURADOR NOSSO CRESCIMENTO PRESENTE E FUTURO 3 4 SEGUROS E RESSEGUROS:

Leia mais

Panorama Mundial (2013)

Panorama Mundial (2013) Panorama Mundial (2013) Produção mundial alcançou US$ 444 bilhões em 2013; Mesmo com os efeitos da crise internacional, registra 85% de crescimento desde 2004, a uma taxa média de 7% ao ano; 54% da produção

Leia mais

ABINFER. Programa para a cadeia produtiva de FERRAMENTARIA

ABINFER. Programa para a cadeia produtiva de FERRAMENTARIA ABINFER Programa para a cadeia produtiva de FERRAMENTARIA O Plano de Metas foi um importante programa de industrialização e modernização levado a cabo na presidência de Juscelino Kubitschek 1956-1961.

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio AGENDA HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 07h00 Café da Manhã Restaurante Principal 08h45 Abertura Brasoftware Salão Tangará 10h00 Business Suite Salão Nobre 13h00

Leia mais

TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 2T12

TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 2T12 TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 2T12 0 Agenda 1. Introdução e Visão Geral 2. Saúde 3. Odonto 4. Assistência 5. Resultados Financeiros Consolidados 6. Perspectivas para 2012 1 Introdução e Visão

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

cargas tributárias para empresas no mundou

cargas tributárias para empresas no mundou Cliente: UHY Moreira Data: 04/10/2011 Veículo: Site Sped Contábil - Porto Alegre Seção/ Pág. : Impostos e Tributos HUhttp://spedcontabilspedfiscal.com.br/impostos-tributacao-arrecadacao/carga-tributaria-brasil-temuma-das-maiores-cargas-tributarias-para-empresas-no-mundo/U

Leia mais

O Mercado de Seguros do Século XXI 18º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros. Renato Terzi 18 de Outubro de 2013

O Mercado de Seguros do Século XXI 18º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros. Renato Terzi 18 de Outubro de 2013 O Mercado de Seguros do Século XXI 18º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros Renato Terzi 18 de Outubro de 2013 O Mercado de Seguros tem perspectivas positivas de aumentar sua penetração nas principais

Leia mais

Internacionalização de empresas: experiências internacionais selecionadas. São Paulo, 14 de junho de 2012

Internacionalização de empresas: experiências internacionais selecionadas. São Paulo, 14 de junho de 2012 experiências internacionais selecionadas São Paulo, 14 de junho de 2012 experiências internacionais selecionadas Estudo realizado em parceria com a Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais

Leia mais

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial 27/09/2011 Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial Estrutura da apresentação Perspectiva empresarial Doing Business 2011 Investimentos Estrangeiros e Comércio Exterior Complementaridade

Leia mais

PANORAMA DO CINEMA BRASILEIRO (2000-2009) Por Roberto Moreira, Débora Ivanov e Fabrício Gallinucci São Paulo, Dezembro de 2010

PANORAMA DO CINEMA BRASILEIRO (2000-2009) Por Roberto Moreira, Débora Ivanov e Fabrício Gallinucci São Paulo, Dezembro de 2010 PANORAMA DO CINEMA BRASILEIRO (2000-2009) Por Roberto Moreira, Débora Ivanov e Fabrício Gallinucci São Paulo, Dezembro de 2010 A pesquisa foi realizada a partir de banco de dados da Ancine Agência Nacional

Leia mais

BRICNNOVATION: Inovação em Mercados Emergentes

BRICNNOVATION: Inovação em Mercados Emergentes BRICNNOVATION: Inovação em Mercados Emergentes Maximiliano Selistre Carlomagno Sócio-fundador Hipótese A Os países emergentes estão ampliando sua representatividade no cenário global de inovação? Hipótese

Leia mais

As perspectivas de longo prazo do seguro de automóvel. Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Novembro/2013

As perspectivas de longo prazo do seguro de automóvel. Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Novembro/2013 As perspectivas de longo prazo do seguro de automóvel Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Novembro/2013 Sumário: 1) Alguns Números do Mercado de Seguros no Brasil 2) Oportunidades e Desafios do

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável

Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável Gilberto Hollauer Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Abril de 2015 1 Sumário Política Energética

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco 1 AGENDA AVANÇO DO MERCADO SEGURADOR NOSSO CRESCIMENTO PRESENTE E FUTURO 2 3 SEGUROS E RESSEGUROS: UM

Leia mais

Desenvolvimento Econômico, Ciência e Inovação

Desenvolvimento Econômico, Ciência e Inovação Desenvolvimento Econômico, Ciência e Inovação Rodrigo Garcia Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência,Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo www.desenvolvimento.sp.gov.br Brasil Contexto

Leia mais

Estrutura de renda no Brasil

Estrutura de renda no Brasil 1 A Classe Média 2 Renda familiar per capita (R$/mês) Estrutura de renda no Brasil 2.480 78 155 291 441 641 1.019 4% 8% 27% 15% 18% 53% 19% 19% 15% 20% 5% Porcentagem da população Fonte: Estimativas produzidas

Leia mais

O modelo atual e suas alternativas: Uma agenda de trabalho. Janeiro/2011

O modelo atual e suas alternativas: Uma agenda de trabalho. Janeiro/2011 O DESENVOLVIMENTO BRASILEIRO: O modelo atual e suas alternativas: Uma agenda de trabalho Janeiro/2011 O modelo atual (1994/2010) MAIS QUE UM MODELO DE DESENVOLVIMENTO É UM MODELO DE ESTABILIZAÇÃO ECONÔMICA

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005

Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005 Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005 O que é um produto inovador? Dois caminhos para oferecer melhores medicamentos aos

Leia mais

Indústria do Esporte. Análise de Faturamento FIFA Copa do Mundo

Indústria do Esporte. Análise de Faturamento FIFA Copa do Mundo Indústria do Esporte Análise de Faturamento FIFA Copa do Mundo Fevereiro 2013 Com a proximidade da Copa do Mundo no Brasil, a BDO RCS fez um levantamento sobre a evolução da receita da FIFA desde a sua

Leia mais

Financiamento de Veículos Posicionamento

Financiamento de Veículos Posicionamento Financiamento de Veículos Posicionamento Market Share de Produção em % Ranking Novos Financiamentos (3º Trim 14) 15,5% 1º 13,8% 14,5% 2º 2º 3º 1ºT 14 2ºT 14 3ºT 14 Pesados Autos Novos Motos Autos Usados

Leia mais

A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL

A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL Ivo Vieitas ABECS 1 Agenda Mercado de Cartões no Brasil 1. Uma Indústria Forte 2. Uma indústria Complexa 3. Nova Realidade 2 Agenda 1. Mercado de Cartões no Brasil 1. Uma

Leia mais

Entrevista CADERNOS DE SEGURO

Entrevista CADERNOS DE SEGURO Entrevista 6 Marco Antonio Rossi Presidente da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) POR Vera de Souza e Lauro Faria

Leia mais

CENÁRIO POSITIVO PARA O MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO

CENÁRIO POSITIVO PARA O MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO CENÁRIO POSITIVO PARA O MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO Evolução do mercado de seguros brasileiro, passou de pouco mais de 1% de representação no PIB para 6% em 15 anos 2 CENÁRIO POSITIVO PARA O MERCADO SEGURADOR

Leia mais

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIO GLOBAL Crescimento global de 3,4 % em 2013 O mundo retoma a média histórica de crescimento (3,4% a.a) Zona do Euro sai da recessão Os EEUU

Leia mais

Indicadores Anefac dos países do G-20

Indicadores Anefac dos países do G-20 Indicadores Anefac dos países do G-20 O Indicador Anefac dos países do G-20 é um conjunto de resultantes de indicadores da ONU publicados pelos países: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina,

Leia mais

WORLD GIVING INDEX 2014

WORLD GIVING INDEX 2014 WORLD GIVING INDEX 2014 QUEM SOMOS Fundado em 1999, organização pioneira no apoio técnico ao investidor social no Brasil e na América Latina, e tem como missão promover e estruturar o sistema de investimento

Leia mais

1. Por que o corretor de seguros deve. 2. Quais são os principais fundamentos. 3. Critérios importantes na escolha da SEGURO GARANTIA AGENDA

1. Por que o corretor de seguros deve. 2. Quais são os principais fundamentos. 3. Critérios importantes na escolha da SEGURO GARANTIA AGENDA SEGURO GARANTIA SINCOR-ES Vitória / 21set2010 AGENDA 1. Por que o corretor de seguros deve operar no segmento do Seguro Garantia? 2. Quais são os principais fundamentos técnicos do Seguro Garantia? 3.

Leia mais

Seguros Empresariais. Alexandre Vilardi

Seguros Empresariais. Alexandre Vilardi Seguros Empresariais Alexandre Vilardi Segmentação das Empresas no Brasil Introdução O mercado brasileiro é composto por mais de 5 milhões de empresas classificadas em Grandes, Médias, Pequenas e Micros,

Leia mais

Comitê Estratégico de Economia - AMCHAM São Paulo, 2 de setembro de 2010

Comitê Estratégico de Economia - AMCHAM São Paulo, 2 de setembro de 2010 Desafiosdo BNDES no ciclode investimentos em curso na economia brasileira Comitê Estratégico de Economia - AMCHAM São Paulo, 2 de setembro de 2010 Luciano Coutinho A trajetória recente da economia brasileira

Leia mais

Proteção de riscos: O ponto de vista do mercado segurador no Brasil. José Carlos de Lacerda Souza Gerente de Property & Casualty Brasil IRB Brasil RE

Proteção de riscos: O ponto de vista do mercado segurador no Brasil. José Carlos de Lacerda Souza Gerente de Property & Casualty Brasil IRB Brasil RE Proteção de riscos: O ponto de vista do mercado segurador no Brasil José Carlos de Lacerda Souza Gerente de Property & Casualty Brasil IRB Brasil RE Agenda: 1. Introdução ao mercado de seguros 2. Números

Leia mais

Inovação como diferencial para MPE S. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br

Inovação como diferencial para MPE S. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br Inovação como diferencial para MPE S O sonho dos brasileiros (2013) A proporção dos brasileiros que deseja de ter o próprio negócio (34,6%) é superior a dos que desejam fazer carreira em empresas (18,8%)

Leia mais

Automóveis nacionais e importados; Comerciais leves; Caminhões e ônibus; Motocicletas; Tratores e máquinas agrícolas; Implementos rodoviários.

Automóveis nacionais e importados; Comerciais leves; Caminhões e ônibus; Motocicletas; Tratores e máquinas agrícolas; Implementos rodoviários. Título APIMEC A FENABRAVE Fundada em 1965 Reúne 48 Associações de Marca Representam mais de 7.600 Concessionárias: 24 Escritórios Regionais. Automóveis nacionais e importados; Comerciais leves; Caminhões

Leia mais

Exercícios sobre BRICS

Exercícios sobre BRICS Exercícios sobre BRICS 1. (ENEM) O G-20 é o grupo que reúne os países do G-7, os mais industrializados do mundo (EUA, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Canadá), a União Europeia e os principais

Leia mais

Indústria química no Brasil

Indústria química no Brasil www.pwc.com.br Indústria química no Brasil Um panorama do setor Indústria química no Brasil A indústria química e petroquímica é um dos mais importantes setores da economia brasileira e está entre as

Leia mais

FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR

FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR PAINEL 1 COMO AUMENTAR A PARTICIPAÇÃO DO PAÍS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL E A COMPETITIVIDADE DOS PRODUTOS BRASILEIROS JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO São Paulo,

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base Cenário Econômico Internacional & Brasil Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda antonio.lacerda@siemens.com São Paulo, 14 de março de 2007

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do

Leia mais

2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE

2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE 2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE 30 países mais ricos do mundo (OCDE) tiveram uma queda no PIB de 0,2% no quarto trimestre de 2012. Diminuição forte do consumo na Europa vai afetar economia

Leia mais

$% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $

$% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $ "#!!"# $% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $ $, &-. & */0$ & 1 &#&2& &2# &* &##&* 889$ 1# &0 ' 1 &:1 && 8$;:$!& 𕬸 '( & '( ' $ &# 1 &1 & $ $ % P a í s Em pre s a Té c nic a R e s po nde nte s

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Novembro

Leia mais

China: a. Professor Zé Soares. potência do século XXI

China: a. Professor Zé Soares. potência do século XXI China: a Professor Zé Soares potência do século XXI China: o país do espetáculo do crescimento e os problemas atuais Desenvolvimento da nova China; Problemas atuais; Olimpíadas de Pequim; A questão do

Leia mais

Cityscape Latin America Macroeconomia Brasileira e Mundial versus Real Estate Market

Cityscape Latin America Macroeconomia Brasileira e Mundial versus Real Estate Market Cityscape Latin America Macroeconomia Brasileira e Mundial versus Real Estate Market João Crestana Presidente do Conselho Consul2vo do Secovi- SP, da Comissão Nacional da Indústria Imobiliária e do Conselho

Leia mais

Tendências de Recrutamento no Brasil. As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual

Tendências de Recrutamento no Brasil. As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual Tendências de Recrutamento no Brasil As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual Introdução Para vencer em 2015, os líderes de negócios e atração de talentos precisam

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

O papel do CFO na estratégia corporativa

O papel do CFO na estratégia corporativa O papel do CFO na estratégia corporativa Paola Sardi Madueño, Diretora de Estratégia da Monitor Deloitte Dezembro 2014 Tendências globais (1/2) Embora com pesos diferentes, existem algumas tendências globais

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA Visão geral de previdência Agenda 4Conceitos assistência, previdência, seguro 4Regimes e grandes números 4Sustentabilidade 4Previdência privada 4Saúde-Previdência 2 CONCEITOS

Leia mais

Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos

Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos Marcos Cintra Subsecretário de Ciência e Tecnologia Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia Outubro/2013 Brasil 7ª

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest SUMÁRIO PANORAMA 3 ATUAL CONTEXTO NACIONAL 3 ATUAL CONTEXTO INTERNACIONAL 6 CENÁRIO 2015 7 CONTEXTO INTERNACIONAL 7 CONTEXTO BRASIL 8 PROJEÇÕES 9 CÂMBIO 10

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Outubro

Leia mais

Seguros, Previdência e Capitalização

Seguros, Previdência e Capitalização Seguros, Previdência e Capitalização Análise das contas Patrimoniais e do Resultado Ajustado do Grupo Bradesco de Seguros, Previdência e Capitalização: Balanço Patrimonial Mar10 Dez09 Mar09 Ativo Circulante

Leia mais

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 Carlos Fadigas A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 10 % do PIB INDUSTRIAL 6 ª MAIOR Indústria Química DO MUNDO A INDÚSTRIA QUÍMICA DEVE FATURAR US$ 157 BILHÕES

Leia mais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Carlos Figueiredo Diretor Executivo Agenda Anahp Brasil: contexto geral e econômico Brasil: contexto

Leia mais

Audiência Pública sobre a Consulta Pública 31/2009. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal.

Audiência Pública sobre a Consulta Pública 31/2009. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. Audiência Pública sobre a Consulta Pública 31/2009. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. Brasília, 07 de abril de 2010. Espectro para telefonia móvel:

Leia mais

Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial

Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial 4o. Congresso Internacional de Inovação FIERGS Política Industrial em Mercados Emergentes Porto Alegre, 17 de novembro de 2011 Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial João Carlos

Leia mais