CLIPAGEM VEÍCULOS DE PRIMEIRO FOCO TELEVISÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CLIPAGEM VEÍCULOS DE PRIMEIRO FOCO TELEVISÃO"

Transcrição

1 CLIPAGEM VEÍCULOS DE PRIMEIRO FOCO TELEVISÃO Veículo: Rede Vida Programa Vida Melhor Data: 10/03/2011 A emissora não disponibilizou clipping ao declarar que seria exibido no Youtube, o que não aconteceu até o momento. 1

2 REVISTA Veículo: Revista Malu Data: 03/03/2011 2

3 3

4 JORNAL Veículo: Valor Econômico Data: 15/03/2011 4

5 Veículo: Extra Data: 17/03/2011 5

6 Veículo: Diário do Comércio SP Data: 21/03/2011 6

7 SITE Veículo: Vila Mulher Data: 02/03/2011 7

8 8

9 Veículo: eband Data: 03/03/2011 9

10 Veículo: Band Sorriso Data: 04/03/2011 Imposto de Renda: confira dúvida de internauta sobre inventário Começou no dia 1º de março e vai até 29 de abril o prazo para entrega da declaração do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) Veja abaixo as respostas da especialista Dora Ramos, que atua no mercado contábil-administrativo há mais de vinte anos e é fundadora e diretora responsável pela Fharos Assessoria Empresarial. 1) Meu sogro e sogra morreram em Fiz a declaração de espólio. Tenho que fazer outra, agora que ficou pronto o inventário? Sim, você tem que fazer a declaração de final de inventário, a de encerramento. Nessa declaração, devem constar os bens que estavam no espólio e que foram divididos entre os herdeiros. 2) Minha filha, na declaração anterior, era minha dependente e tinha um carro em seu nome. Em 2010, ela teve rendimentos e por isso não será mais minha dependente. Como faço para dar baixa na minha declaração (o documento já estava no nome dela), terei alguma despesa por isso? Não haverá despesas nesta ação. Você já deveria ter escrito na declaração anterior que o carro estava no nome da sua filha, enquanto sua dependente. Agora, na declaração de 2011, o contribuinte deve colocar na declaração para onde foi este bem que anteriormente declarava, dizer que está informado na declaração do titular, sua filha, que já não é mais sua dependente. 3) No inventário há os valores divididos entre os herdeiros. Como lanço? Onde lanço? Você deve lançar na declaração que determinado bem está no inventário, dividido entre herdeiros. Por exemplo: se uma casa foi dividida entre quatro pessoas, o contribuinte precisa informar que se trata de 25% de uma casa, conforme inventário. É necessário escrever da maneira como consta neste documento. 4) Havia no inventário dois veículos que foram vendidos e comprados um para um dos herdeiros. Como isso é lançado? Deve ser feita a baixa deste bem, de acordo com o inventário, ou seja, da maneira como estiver escrito lá. Para dar uma resposta concreta, deve-se ler o que está escrito neste documento e para lançar da mesma forma. 5) Como consigo uma cartilha para preenchimento da declaração de IR? Na própria declaração, no item ajuda. 1 0

11 Veículo: eband Data: 11/03/

12 Veículo: Ministério do Planejamento Data: 15/03/2011 Todo ano, o fantasma do imposto de renda (IR) assombra os investidores. São regras e mais regras para o aplicador levar em conta dependendo da natureza de suas aplicações. O investimento em ações é um dos campeões de dúvidas entre os investidores. Não por acaso, muitas corretoras passaram a oferecer ferramentas que auxiliam os investidores de home broker - sistema de negociação de ações via internet - a acertar as contas com o Fisco. O assunto ganhou ainda mais importância depois que a Receita Federal apertou o controle do IR da pessoa física, e a fiscalização recai cada vez mais sobre quem aplica em bolsa. O Leão receberá as declarações até o dia 29 de abril. Quem não recolhe o imposto achando que a Receita não vai notar acaba se dando mal, diz Roberto Justo, sócio do escritório Choaib Paiva e Justo Advogados. Essa é uma confusão comum porque a corretora é obrigada a recolher na fonte o equivalente a 0,005% sobre o valor de cada venda de ações. Mas esse tributo é uma espécie de dedo-duro, cujo objetivo é somente informar a Receita que o investidor vendeu ações e pode ter obtido lucro, explica o advogado. A apuração e o pagamento do imposto de renda com ações devem ser feitos pelo próprio aplicador. Todo investidor que vende ações com valor total superior a R$ 20 mil no mês e tem lucro precisa pagar 15% de imposto de renda sobre os ganhos. A apuração do imposto é mensal e vence no último dia útil do mês seguinte ao da venda das ações. Se o total vendido no mês não superar R$ 20 mil, não há imposto, lembra Meire Poza, especialista em imposto de renda no mercado financeiro e sócia da Arbor Contábil. Mas é comum também o investidor fazer alguma confusão com esse valor de R$ 20 mil. Isso porque a isenção não é de R$ 20 mil por operação, e sim deve levar em conta a soma de todas as vendas realizadas no mês. Se o total superar em R$ 1 que seja o limite, o investidor tem de pagar 15% sobre todos os ganhos líquidos, já descontadas eventuais perdas naquele mês ou em meses anteriores. E o imposto não é só sobre o que ultrapassar R$ 20 mil, é sobre o valor total, ressalta Meire. Mas como pagar o imposto? Julio Linuesa Perez, conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP), explica que o investidor deve preencher um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), com o código Para saber quanto ele terá de pagar de tributo, é necessário calcular o custo total de aquisição de um papel (valor investido mais as taxas de corretagem). Além disso, 1 2

13 deve-se levar em conta a taxa cobrada pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), de 0,0345% por operação. Por exemplo: um investidor comprou mil ações a R$ 20 cada. As despesas com corretagem e custódia foram de R$ 320. Isso quer dizer que esse aplicador, no total, desembolsou R$ ,00. Depois, os papéis atingiram a cotação de R$ 25 e ele então os vendeu, recebendo R$ 25 mil. As despesas com a venda somaram R$ 420, o que quer dizer que, após as taxas, ele recebeu R$ ,00. O lucro líquido da operação ficou, portanto, em R$ O imposto de 15% a ser recolhido é sobre esse ganho, o que dá R$ 639,00, dos quais deve ser deduzido ainda o imposto dedo-duro, de 0,005% sobre o valor de venda (os R$ 25 mil), ou R$ 1,25. O imposto será, portanto, de R$ 637,75. Chegado, enfim, o momento de preencher a declaração anual do IR, o investidor deve informar mês a mês o ganho de todas as operações na seção "Renda Variável". Se, no entanto, o valor vendido em ações não ultrapassar R$ 20 mil por mês, o investidor declara no IR só o ganho, na ficha "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis", no item "Outros". As ações mantidas em carteira devem ser informadas na seção "Bens e Direitos" no programa do Leão. E isso deve ser feito empresa por empresa, papel por papel, separadamente, pelo valor de compra, sem atualização de preços, na coluna "descrição". Os resultados mensais deverão constar no "Anexo de renda variável". Mesmo que o investidor tenha comprado as ações no ano passado, mas não as tenha vendido, ele precisa declarar as operações, lembra Meire, da Arbor. Linuesa Perez, do CRC-SP, esclarece que os dividendos devem ser declarados na linha 5 da ficha de "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis". É importante que o investidor não erre o número do CNPJ da empresa que pagou os dividendos, pois pode fazer com que o contribuinte caia na malha fina. Já os juros sobre capital próprio devem entrar em "Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva". Já as operações de compra e venda no mesmo dia ("day trade") têm tributação diferente. Elas pagam 20% sobre os ganhos e mais 1% na fonte. Esse 1%, no entanto, também pode ser deduzido pelo investidor na hora de pagar o tributo sobre o ganho de capital. O investidor deve ficar atento também à tributação dos fundos de índices negociados em bolsa, os chamados ETFs (Exchange Traded Funds). Havia uma dúvida se essas aplicações, como o PIBB, seriam tratadas como ações, e portanto isentas até R$ 20 mil, ou como fundos de ações, com pagamento de 15% sobre qualquer ganho. No ano passado, a Instrução Normativa da Receita, de 5 de abril, colocou um ponto final nessa dúvida ao considerar essas aplicações como fundos de investimento em ações. Nesse caso, cabe ao investidor preencher um Darf e pagar o imposto de 15%, seja qual for o valor, lembra Linuesa, da CRC-SP. Em caso de erro no preenchimento, o contribuinte pode fazer uma nova declaração. O prazo também é até dia 29 de abril. Nesse caso, a primeira declaração será desconsiderada e novo documento deverá apresentar todas as informações corretamente, diz Dora Ramos, fundadora e diretora responsável pela Fharos Assessoria Empresarial. "Portanto, faça a declaração com antecedência para ainda haver tempo de reparação de eventual erro." 1 3

14 Veículo: IG Carreiras Data: 16/03/

15 1 5

16 1 6

17 Veículo: Extra online Data: 17/03/

18 1 8

19 Veículo: Revista Contábil online Data: 17/03/2011 Aplicador em ações deve ter cuidado na declaração Receita apertou o certo aos ganhos de pessoas físicas em bolsa e deve usar mais o imposto retido na fonte para detectar sonegadores. Todo ano, o fantasma do imposto de renda (IR) assombra os investidores. São regras e mais regras para o aplicador levar em conta dependendo da natureza de suas aplicações. O investimento em ações é um dos campeões de dúvidas entre os investidores. Não por acaso, muitas corretoras passaram a oferecer ferramentas que auxiliam os investidores de home broker - sistema de negociação de ações via internet - a acertar as contas com o Fisco. O assunto ganhou ainda mais importância depois que a Receita Federal apertou o controle do IR da pessoa física, e a fiscalização recai cada vez mais sobre quem aplica em bolsa. O Leão receberá as declarações até o dia 29 de abril. Quem não recolhe o imposto achando que a Receita não vai notar acaba se dando mal, diz Roberto Justo, sócio do escritório Choaib Paiva e Justo Advogados. Essa é uma confusão comum porque a corretora é obrigada a recolher na fonte o equivalente a 0,005% sobre o valor de cada venda de ações. Mas esse tributo é uma espécie de dedo-duro, cujo objetivo é somente informar a Receita que o investidor vendeu ações e pode ter obtido lucro, explica o advogado. A apuração e o pagamento do imposto de renda com ações devem ser feitos pelo próprio aplicador. Todo investidor que vende ações com valor total superior a R$ 20 mil no mês e tem lucro precisa pagar 15% de imposto de renda sobre os ganhos. A apuração do imposto é mensal e vence no último dia útil do mês seguinte ao da venda das ações. Se o total vendido no mês não superar R$ 20 mil, não há imposto, lembra Meire Poza, especialista em imposto de renda no mercado financeiro e sócia da Arbor Contábil. Mas é comum também o investidor fazer alguma confusão com esse valor de R$ 20 mil. Isso porque a isenção não é de R$ 20 mil por operação, e sim deve levar em conta a soma de todas as vendas realizadas no mês. Se o total superar em R$ 1 que seja o limite, o investidor tem de pagar 15% sobre todos os ganhos líquidos, já descontadas eventuais perdas naquele mês ou em meses anteriores. E o imposto não é só sobre o que ultrapassar R$ 20 mil, é sobre o valor total, ressalta Meire. Mas como pagar o imposto? Julio Linuesa Perez, conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP), explica que o investidor deve preencher um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), com o código Para saber quanto ele terá de pagar de tributo, é necessário calcular o custo total de aquisição de um papel (valor investido mais as taxas de corretagem). Além disso, deve-se levar em conta a taxa cobrada pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), de 0,0345% por operação. Por exemplo: um investidor comprou mil ações a R$ 20 cada. As despesas com corretagem e custódia foram de R$ 320. Isso quer dizer que esse aplicador, no total, desembolsou R$ ,00. Depois, os papéis atingiram a cotação de R$ 25 e ele então os vendeu, recebendo R$ 25 mil. As despesas com a venda somaram R$ 420, o que quer dizer que, após as taxas, 1 9

20 ele recebeu R$ ,00. O lucro líquido da operação ficou, portanto, em R$ O imposto de 15% a ser recolhido é sobre esse ganho, o que dá R$ 639,00, dos quais deve ser deduzido ainda o imposto dedo-duro, de 0,005% sobre o valor de venda (os R$ 25 mil), ou R$ 1,25. O imposto será, portanto, de R$ 637,75. Chegado, enfim, o momento de preencher a declaração anual do IR, o investidor deve informar mês a mês o ganho de todas as operações na seção "Renda Variável". Se, no entanto, o valor vendido em ações não ultrapassar R$ 20 mil por mês, o investidor declara no IR só o ganho, na ficha "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis", no item "Outros". As ações mantidas em carteira devem ser informadas na seção "Bens e Direitos" no programa do Leão. E isso deve ser feito empresa por empresa, papel por papel, separadamente, pelo valor de compra, sem atualização de preços, na coluna "descrição". Os resultados mensais deverão constar no "Anexo de renda variável". Mesmo que o investidor tenha comprado as ações no ano passado, mas não as tenha vendido, ele precisa declarar as operações, lembra Meire, da Arbor. Linuesa Perez, do CRC-SP, esclarece que os dividendos devem ser declarados na linha 5 da ficha de "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis". É importante que o investidor não erre o número do CNPJ da empresa que pagou os dividendos, pois pode fazer com que o contribuinte caia na malha fina. Já os juros sobre capital próprio devem entrar em "Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva". Já as operações de compra e venda no mesmo dia ("day trade") têm tributação diferente. Elas pagam 20% sobre os ganhos e mais 1% na fonte. Esse 1%, no entanto, também pode ser deduzido pelo investidor na hora de pagar o tributo sobre o ganho de capital. O investidor deve ficar atento também à tributação dos fundos de índices negociados em bolsa, os chamados ETFs (Exchange Traded Funds). Havia uma dúvida se essas aplicações, como o PIBB, seriam tratadas como ações, e portanto isentas até R$ 20 mil, ou como fundos de ações, com pagamento de 15% sobre qualquer ganho. No ano passado, a Instrução Normativa da Receita, de 5 de abril, colocou um ponto final nessa dúvida ao considerar essas aplicações como fundos de investimento em ações. Nesse caso, cabe ao investidor preencher um Darf e pagar o imposto de 15%, seja qual for o valor, lembra Linuesa, da CRC-SP. Em caso de erro no preenchimento, o contribuinte pode fazer uma nova declaração. O prazo também é até dia 29 de abril. Nesse caso, a primeira declaração será desconsiderada e novo documento deverá apresentar todas as informações corretamente, diz Dora Ramos, fundadora e diretora responsável pela Fharos Assessoria Empresarial. "Portanto, faça a declaração com antecedência para ainda haver tempo de reparação de eventual erro." 2 0

21 Veículo: JC net Data: 20/03/

22 2 2

23 Veículo: Diário do Comércio online Data: 21/03/

24 2 4

25 Veículo: SENAC Data: 21/03/

26 Veículo: Sortimentos Data: 01/03/2011 VEÍCULOS DE SEGUNDO FOCO SITE 2 6

27 2 7

28 Veículo: Sinfazerj Data: 01/03/2011 Como obter uma restituição maior no Imposto de Renda Começa nesta terça-feira o período para declaração do imposto de renda, que se estenderá até 29 de abril. Serão recebidas as declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2011, ano-base Uma das novidades deste ano é que o Leão será 100% digital, já que o formulário de papel foi extinto e só serão aceitas declarações em formato eletrônico (a Receita Federal disponibiliza em seu site os programas para declaração e envio a partir desta terça-feira, às 8h. Mas, se declarar o IR é motivo de dor de cabeça para muita gente, a recompensa pode vir depois. Preenchendo todos os dados corretamente, é possível obter uma restituição maior e mais rápida. Uma das dicas é em relação às despesas médicas, categoria em que não há limite para dedução. Segundo especialistas, vale incluir gastos com mensalidades de planos de saúde, exames e consultas, desde que todas elas estejam devidamente comprovadas por meio de recibos. Pensão De acordo com a tributarista Sueli Angarita, pensões alimentícias podem ser declaradas no CPF do filho, tanto por parte de quem paga quanto de quem recebe. Dessa forma, o valor da restituição pode crescer. Para as despesas com educação, podem ser deduzidos até R$ 2.830,84 por pessoa. Podem entrar na declaração gastos desde a educação infantil até a pós-graduação, mas cursos complementares, como os de idiomas, ficam de fora. A contadora Dora Ramos, diretora da Fharos Assessoria Empresarial, dá a dica para quem vai declarar o IR pelo computador pela primeira vez. Baixe o programa o quanto antes para ir se acostumando aconselha. 2 8

29 Veículo: CTI Data: 01/03/2011 Como obter uma restituição maior no Imposto de Renda Faltam dois dias para o contribuinte poder começar a acertar as contas com a Receita Federal. A partir de 1 de março e até 29 de abril, serão recebidas as declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2011, ano-base Uma das novidades deste ano é que o Leão será 100% digital, já que o formulário de papel foi extinto e só serão aceitas declarações em formato eletrônico. Se declarar o IR é motivo de dor de cabeça para muita gente, a recompensa pode vir depois. Preenchendo todos os dados corretamente, é possível obter uma restituição maior e mais rápida. Uma das dicas é em relação às despesas médicas, categoria em que não há limite para dedução. Segundo especialistas, vale incluir gastos com mensalidades de planos de saúde, exames e consultas, desde que todas elas estejam devidamente comprovadas por meio de recibos. Pensão De acordo com a tributarista Sueli Angarita, pensões alimentícias podem ser declaradas no CPF do filho, tanto por parte de quem paga quanto de quem recebe. Dessa forma, o valor da restituição pode crescer. Para as despesas com educação, podem ser deduzidos até R$ 2.830,84 por pessoa. Podem entrar na declaração gastos desde a educação infantil até a pós-graduação, mas cursos complementares, como os de idiomas, ficam de fora. A contadora Dora Ramos, diretora da Fharos Assessoria Empresarial, dá a dica para quem vai declarar o IR pelo computador pela primeira vez. Baixe o programa o quanto antes para ir se acostumando aconselha. 2 9

30 DICAS PARA... AGILIZAR A DECLARAÇÃO E A RESTITUIÇÃO - Faça uma lista do que aconteceu no ano passado que possa interessar ao Imposto de Renda: você vendeu ou comprou um carro ou uma casa? Recebeu herança? Fez algum trabalho remunerado como autônomo? Essas são algumas das informações que têm de estar na declaração - Em seguida, separe todos os documentos necessários, como informes de rendimento e comprovantes de despesas com saúde e educação - Para quem nunca fez a declaração em papel, a dica é baixar o programa o quanto antes, para ter tempo de se familiarizar. Se for necessário, procure ajuda especializada - Quem quer receber a restituição logo deve enviar a declaração nos primeiros dias. Mas vale lembrar que pessoas acima de 60 anos têm prioridade NÃO CAIR NA MALHA FINA - Todos os rendimentos devem ser informados, mesmo os de valor baixo - Se for incluir dependentes na declaração, é preciso informar os gastos e a renda deles, se for o caso. Apenas quem não tem rendimentos ou tem rendimentos abaixo do limite de isenção (R$ ,25) pode ser incluído como dependente - Use a declaração do ano passado como referência, para lembrar o que foi declarado na oportunidade e conferir se nada ficou de fora do formulário deste ano - Filhos de pais separados somente podem entrar como dependentes de quem tiver a guarda judicial da criança - Gastos com honorários de advogados devem ser informados no campo "Pagamentos e doações". Com isso, evita-se a contradição entre o valor recebido em uma ação gnaha na Justiça, de onde são pagos os honorários, e a quantia efetivamente recebida pelo contribuinte - Se o filho declarar em separado, não poderá entrar na declaração do responsável TER UMA RESTITUIÇÃO MAIOR - Vale a pena fazer a declaração completa. Ao final do preenchimento, o sistema informa se você terá imposto a pagar ou a receber, tanto no formato completo quanto no simplificado. Aí, basta escolher a opção mais vantajosa - Despesas médicas (mensalidades de planos de saúde, exames e consultas), devem estar devidamente comprovadas por meio de recibos. Não há valor máximo de dedução nessa categoria 3 0

31 - O limite para gastos com educação é de R$ 2.830,84 por pessoa. Podem ser incluídas mensalidades desde a educação infantil até a pós-graduação, mas cursos complementares, como os de idiomas, ficam de fora - Pensões alimentícias pagas por força de decisão judicial devem ser declaradas no CPF do filho, tanto por quem paga quanto por quem recebe - Informe também gastos com obras em casa, incluindo custos com material e mão de obra. Com isso, em caso de venda do bem, o imposto a pagar será menor, pois vai incidir sobre a diferença entre o valor atualizado e o da venda Fonte: Extra Online Djalma Oliveira 3 1

32 Veículo: O Conterrâneo Data: 02/03/

33 Veículo: Hoje Notícias Data: 03/03/2011 Imposto de Renda: confira dúvida de internauta sobre inventário Da Redação Começou no dia 1º de março e vai até 29 de abril o prazo para entrega da declaração do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) Veja abaixo as respostas da especialista Dora Ramos, que atua no mercado contábil-administrativo há mais de vinte anos e é fundadora e diretora responsável pela Fharos Assessoria Empresarial. Envie sua dúvida sobre o Imposto de Renda

34 Veículo: Guia do Imposto de Renda Data: 11/03/

35 Veículo: Copel Data: 15/03/2011 Aplicador em ações deve ter cuidado na declaração VALOR ECONÔMICO (SP) INVESTIMENTOS 15/3/2011 PASTA ECONOMIA / POLÍTICA BR Regis Filho/ValorMeire, da Arbor Contábil: "Investidores em ações fazem muita confusão com isenção das operações até R$ 20 mil"todo ano, o fantasma do imposto de renda (IR) assombra os investidores. São regras e mais regras para o aplicador levar em conta dependendo da natureza de suas aplicações. O investimento em ações é um dos campeões de dúvidas entre os investidores. Não por acaso, muitas corretoras passaram a oferecer ferramentas que auxiliam os investidores de home broker - sistema de negociação de ações via internet - a acertar as contas com o Fisco. O assunto ganhou ainda mais importância depois que a Receita Federal apertou o controle do IR da pessoa física, e a fiscalização recai cada vez mais sobre quem aplica em bolsa. O Leão receberá as declarações até o dia 29 de abril. Quem não recolhe o imposto achando que a Receita não vai notar acaba se dando mal, diz Roberto Justo, sócio do escritório Choaib Paiva e Justo Advogados. Essa é uma confusão comum porque a corretora é obrigada a recolher na fonte o equivalente a 0,005% sobre o valor de cada venda de ações. Mas esse tributo é uma espécie de dedo-duro, cujo objetivo é somente informar a Receita que o investidor vendeu ações e pode ter obtido lucro, explica o advogado. A apuração e o pagamento do imposto de renda com ações devem ser feitos pelo próprio aplicador. Todo investidor que vende ações com valor total superior a R$ 20 mil no mês e tem lucro precisa pagar 15% de imposto de renda sobre os ganhos. A apuração do imposto é mensal e vence no último dia útil do mês seguinte ao da venda das ações. Se o total vendido no mês não superar R$ 20 mil, não há imposto, lembra Meire Poza, especialista em imposto de renda no mercado financeiro e sócia da Arbor Contábil. Mas é comum também o investidor fazer alguma confusão com esse valor de R$ 20 mil. Isso porque a isenção não é de R$ 20 mil por operação, e sim deve levar em conta a soma de todas as vendas realizadas no mês. Se o total superar em R$ 1 que seja o limite, o investidor tem de pagar 15% sobre todos os ganhos líquidos, já descontadas eventuais perdas naquele mês ou em meses anteriores. E o imposto não é só sobre o que ultrapassar R$ 20 mil, é sobre o valor total, ressalta Meire. Mas como pagar o imposto? Julio Linuesa Perez, conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP), explica que o investidor deve preencher um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), com o código Para saber quanto ele terá de pagar de tributo, é necessário calcular o custo total de aquisição de um papel (valor investido mais as taxas de corretagem). Além disso, deve-se levar em conta a taxa cobrada pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), de 0,0345% por operação. Por exemplo: um investidor comprou mil ações a R$ 20 cada. As despesas com corretagem e custódia foram de R$ 320. Isso quer dizer que esse aplicador, no total, desembolsou R$ ,00. Depois, os papéis atingiram a cotação de R$ 25 e ele então 3 5

36 os vendeu, recebendo R$ 25 mil. As despesas com a venda somaram R$ 420, o que quer dizer que, após as taxas, ele recebeu R$ ,00. O lucro líquido da operação ficou, portanto, em R$ O imposto de 15% a ser recolhido é sobre esse ganho, o que dá R$ 639,00, dos quais deve ser deduzido ainda o imposto dedo-duro, de 0,005% sobre o valor de venda (os R$ 25 mil), ou R$ 1,25. O imposto será, portanto, de R$ 637,75. Chegado, enfim, o momento de preencher a declaração anual do IR, o investidor deve informar mês a mês o ganho de todas as operações na seção "Renda Variável". Se, no entanto, o valor vendido em ações não ultrapassar R$ 20 mil por mês, o investidor declara no IR só o ganho, na ficha "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis", no item "Outros". As ações mantidas em carteira devem ser informadas na seção "Bens e Direitos" no programa do Leão. E isso deve ser feito empresa por empresa, papel por papel, separadamente, pelo valor de compra, sem atualização de preços, na coluna "descrição". Os resultados mensais deverão constar no "Anexo de renda variável". Mesmo que o investidor tenha comprado as ações no ano passado, mas não as tenha vendido, ele precisa declarar as operações, lembra Meire, da Arbor. Linuesa Perez, do CRC-SP, esclarece que os dividendos devem ser declarados na linha 5 da ficha de "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis". É importante que o investidor não erre o número do CNPJ da empresa que pagou os dividendos, pois pode fazer com que o contribuinte caia na malha fina. Já os juros sobre capital próprio devem entrar em "Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva". Já as operações de compra e venda no mesmo dia ("day trade") têm tributação diferente. Elas pagam 20% sobre os ganhos e mais 1% na fonte. Esse 1%, no entanto, também pode ser deduzido pelo investidor na hora de pagar o tributo sobre o ganho de capital. O investidor deve ficar atento também à tributação dos fundos de índices negociados em bolsa, os chamados ETFs (Exchange Traded Funds). Havia uma dúvida se essas aplicações, como o PIBB, seriam tratadas como ações, e portanto isentas até R$ 20 mil, ou como fundos de ações, com pagamento de 15% sobre qualquer ganho. No ano passado, a Instrução Normativa da Receita, de 5 de abril, colocou um ponto final nessa dúvida ao considerar essas aplicações como fundos de investimento em ações. Nesse caso, cabe ao investidor preencher um Darf e pagar o imposto de 15%, seja qual for o valor, lembra Linuesa, da CRC-SP. Em caso de erro no preenchimento, o contribuinte pode fazer uma nova declaração. O prazo também é até dia 29 de abril. Nesse caso, a primeira declaração será desconsiderada e novo documento deverá apresentar todas as informações corretamente, diz Dora Ramos, fundadora e diretora responsável pela Fharos Assessoria Empresarial. "Portanto, faça a declaração com antecedência para ainda haver tempo de reparação de eventual erro." 3 6

37 Veículo: Portal do Contabilista Data: 15/03/2011 Aplicador em ações deve ter cuidado na declaração Receita apertou o certo aos ganhos de pessoas físicas em bolsa e deve usar mais o imposto retido na fonte para detectar sonegadores. Todo ano, o fantasma do imposto de renda (IR) assombra os investidores. São regras e mais regras para o aplicador levar em conta dependendo da natureza de suas aplicações. O investimento em ações é um dos campeões de dúvidas entre os investidores. Não por acaso, muitas corretoras passaram a oferecer ferramentas que auxiliam os investidores de home broker - sistema de negociação de ações via internet - a acertar as contas com o Fisco. O assunto ganhou ainda mais importância depois que a Receita Federal apertou o controle do IR da pessoa física, e a fiscalização recai cada vez mais sobre quem aplica em bolsa. O Leão receberá as declarações até o dia 29 de abril. Quem não recolhe o imposto achando que a Receita não vai notar acaba se dando mal, diz Roberto Justo, sócio do escritório Choaib Paiva e Justo Advogados. Essa é uma confusão comum porque a corretora é obrigada a recolher na fonte o equivalente a 0,005% sobre o valor de cada venda de ações. Mas esse tributo é uma espécie de dedo-duro, cujo objetivo é somente informar a Receita que o investidor vendeu ações e pode ter obtido lucro, explica o advogado. A apuração e o pagamento do imposto de renda com ações devem ser feitos pelo próprio aplicador. Todo investidor que vende ações com valor total superior a R$ 20 mil no mês e tem lucro precisa pagar 15% de imposto de renda sobre os ganhos. A apuração do imposto é mensal e vence no último dia útil do mês seguinte ao da venda das ações. Se o total vendido no mês não superar R$ 20 mil, não há imposto, lembra Meire Poza, especialista em imposto de renda no mercado financeiro e sócia da Arbor Contábil. Mas é comum também o investidor fazer alguma confusão com esse valor de R$ 20 mil. Isso porque a isenção não é de R$ 20 mil por operação, e sim deve levar em conta a soma de todas as vendas realizadas no mês. Se o total superar em R$ 1 que seja o limite, o investidor tem de pagar 15% sobre todos os ganhos líquidos, já descontadas eventuais perdas naquele mês ou em meses anteriores. E o imposto não é só sobre o que ultrapassar R$ 20 mil, é sobre o valor total, ressalta Meire. Mas como pagar o imposto? Julio Linuesa Perez, conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP), explica que o investidor deve preencher um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), com o código Para saber quanto ele terá de pagar de tributo, é necessário calcular o custo total de aquisição de um papel (valor investido mais as taxas de corretagem). Além disso, deve-se levar em conta a taxa cobrada pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), de 0,0345% por operação. 3 7

38 Por exemplo: um investidor comprou mil ações a R$ 20 cada. As despesas com corretagem e custódia foram de R$ 320. Isso quer dizer que esse aplicador, no total, desembolsou R$ ,00. Depois, os papéis atingiram a cotação de R$ 25 e ele então os vendeu, recebendo R$ 25 mil. As despesas com a venda somaram R$ 420, o que quer dizer que, após as taxas, ele recebeu R$ ,00. O lucro líquido da operação ficou, portanto, em R$ O imposto de 15% a ser recolhido é sobre esse ganho, o que dá R$ 639,00, dos quais deve ser deduzido ainda o imposto dedo-duro, de 0,005% sobre o valor de venda (os R$ 25 mil), ou R$ 1,25. O imposto será, portanto, de R$ 637,75. Chegado, enfim, o momento de preencher a declaração anual do IR, o investidor deve informar mês a mês o ganho de todas as operações na seção "Renda Variável". Se, no entanto, o valor vendido em ações não ultrapassar R$ 20 mil por mês, o investidor declara no IR só o ganho, na ficha "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis", no item "Outros". As ações mantidas em carteira devem ser informadas na seção "Bens e Direitos" no programa do Leão. E isso deve ser feito empresa por empresa, papel por papel, separadamente, pelo valor de compra, sem atualização de preços, na coluna "descrição". Os resultados mensais deverão constar no "Anexo de renda variável". Mesmo que o investidor tenha comprado as ações no ano passado, mas não as tenha vendido, ele precisa declarar as operações, lembra Meire, da Arbor. Linuesa Perez, do CRC-SP, esclarece que os dividendos devem ser declarados na linha 5 da ficha de "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis". É importante que o investidor não erre o número do CNPJ da empresa que pagou os dividendos, pois pode fazer com que o contribuinte caia na malha fina. Já os juros sobre capital próprio devem entrar em "Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva". Já as operações de compra e venda no mesmo dia ("day trade") têm tributação diferente. Elas pagam 20% sobre os ganhos e mais 1% na fonte. Esse 1%, no entanto, também pode ser deduzido pelo investidor na hora de pagar o tributo sobre o ganho de capital. O investidor deve ficar atento também à tributação dos fundos de índices negociados em bolsa, os chamados ETFs (Exchange Traded Funds). Havia uma dúvida se essas aplicações, como o PIBB, seriam tratadas como ações, e portanto isentas até R$ 20 mil, ou como fundos de ações, com pagamento de 15% sobre qualquer ganho. No ano passado, a Instrução Normativa da Receita, de 5 de abril, colocou um ponto final nessa dúvida ao considerar essas aplicações como fundos de investimento em ações. Nesse caso, cabe ao investidor preencher um Darf e pagar o imposto de 15%, seja qual for o valor, lembra Linuesa, da CRC-SP. Em caso de erro no preenchimento, o contribuinte pode fazer uma nova declaração. O prazo também é até dia 29 de abril. Nesse caso, a primeira declaração será desconsiderada e novo documento deverá apresentar todas as informações corretamente, diz Dora Ramos, fundadora e diretora responsável pela Fharos Assessoria Empresarial. "Portanto, faça a declaração com antecedência para ainda haver tempo de reparação de eventual erro." Valor Econômico 3 8

39 Veículo: Corecon - ES Data: 15/03/2011 Aplicador em ações deve ter cuidado na declaração Ter, 15 de Março de :18 São regras e mais regras para o aplicador levar em conta dependendo da natureza de suas aplicações. O investimento em ações é um dos campeões de dúvidas entre os investidores. Não por acaso, muitas corretoras passaram a oferecer ferramentas que auxiliam os investidores de home broker - sistema de negociação de ações via internet - a acertar as contas com o Fisco. O assunto ganhou ainda mais importância depois que a Receita Federal apertou o controle do IR da pessoa física, e a fiscalização recai cada vez mais sobre quem aplica em bolsa. O Leão receberá as declarações até o dia 29 de abril. Quem não recolhe o imposto achando que a Receita não vai notar acaba se dando mal, diz Roberto Justo, sócio do escritório Choaib Paiva e Justo Advogados. Essa é uma confusão comum porque a corretora é obrigada a recolher na fonte o equivalente a 0,005% sobre o valor de cada venda de ações. Mas esse tributo é uma espécie de dedo-duro, cujo objetivo é somente informar a Receita que o investidor vendeu ações e pode ter obtido lucro, explica o advogado. A apuração e o pagamento do imposto de renda com ações devem ser feitos pelo próprio aplicador. Todo investidor que vende ações com valor total superior a R$ 20 mil no mês e tem lucro precisa pagar 15% de imposto de renda sobre os ganhos. A apuração do imposto é mensal e vence no último dia útil do mês seguinte ao da venda das ações. Se o total vendido no mês não superar R$ 20 mil, não há imposto, lembra Meire Poza, especialista em imposto de renda no mercado financeiro e sócia da Arbor Contábil. Mas é comum também o investidor fazer alguma confusão com esse valor de R$ 20 mil. Isso porque a isenção não é de R$ 20 mil por operação, e sim deve levar em conta a soma de todas as vendas realizadas no mês. Se o total superar em R$ 1 que seja o limite, o investidor tem de pagar 15% sobre todos os ganhos líquidos, já descontadas eventuais perdas naquele mês ou em meses anteriores. E o imposto não é só sobre o que ultrapassar R$ 20 mil, é sobre o valor total, ressalta Meire. Mas como pagar o imposto? Julio Linuesa Perez, conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP), explica que o investidor deve preencher um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), com o código Para saber quanto ele terá de pagar de tributo, é necessário calcular o custo total de aquisição de um papel (valor investido mais as taxas de corretagem). Além disso, deve-se levar em conta a taxa cobrada pela Companhia Brasileira de Liquidação e 3 9

40 Custódia (CBLC), de 0,0345% por operação. Por exemplo: um investidor comprou mil ações a R$ 20 cada. As despesas com corretagem e custódia foram de R$ 320. Isso quer dizer que esse aplicador, no total, desembolsou R$ ,00. Depois, os papéis atingiram a cotação de R$ 25 e ele então os vendeu, recebendo R$ 25 mil. As despesas com a venda somaram R$ 420, o que quer dizer que, após as taxas, ele recebeu R$ ,00. O lucro líquido da operação ficou, portanto, em R$ O imposto de 15% a ser recolhido é sobre esse ganho, o que dá R$ 639,00, dos quais deve ser deduzido ainda o imposto dedo-duro, de 0,005% sobre o valor de venda (os R$ 25 mil), ou R$ 1,25. O imposto será, portanto, de R$ 637,75. Chegado, enfim, o momento de preencher a declaração anual do IR, o investidor deve informar mês a mês o ganho de todas as operações na seção "Renda Variável". Se, no entanto, o valor vendido em ações não ultrapassar R$ 20 mil por mês, o investidor declara no IR só o ganho, na ficha "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis", no item "Outros". As ações mantidas em carteira devem ser informadas na seção "Bens e Direitos" no programa do Leão. E isso deve ser feito empresa por empresa, papel por papel, separadamente, pelo valor de compra, sem atualização de preços, na coluna "descrição". Os resultados mensais deverão constar no "Anexo de renda variável". Mesmo que o investidor tenha comprado as ações no ano passado, mas não as tenha vendido, ele precisa declarar as operações, lembra Meire, da Arbor. Linuesa Perez, do CRC-SP, esclarece que os dividendos devem ser declarados na linha 5 da ficha de "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis". É importante que o investidor não erre o número do CNPJ da empresa que pagou os dividendos, pois pode fazer com que o contribuinte caia na malha fina. Já os juros sobre capital próprio devem entrar em "Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva". Já as operações de compra e venda no mesmo dia ("day trade") têm tributação diferente. Elas pagam 20% sobre os ganhos e mais 1% na fonte. Esse 1%, no entanto, também pode ser deduzido pelo investidor na hora de pagar o tributo sobre o ganho de capital. O investidor deve ficar atento também à tributação dos fundos de índices negociados em bolsa, os chamados ETFs (Exchange Traded Funds). Havia uma dúvida se essas aplicações, como o PIBB, seriam tratadas como ações, e portanto isentas até R$ 20 mil, ou como fundos de ações, com pagamento de 15% sobre qualquer ganho. No ano passado, a Instrução Normativa da Receita, de 5 de abril, colocou um ponto final nessa dúvida ao considerar essas aplicações como fundos de investimento em ações. Nesse caso, cabe ao investidor preencher um Darf e pagar o imposto de 15%, seja qual for o valor, lembra Linuesa, da CRC-SP. Em caso de erro no preenchimento, o contribuinte pode fazer uma nova declaração. O prazo também é até dia 29 de abril. Nesse caso, a primeira declaração será desconsiderada e novo documento deverá apresentar todas as informações corretamente, diz Dora Ramos, fundadora e diretora responsável pela Fharos Assessoria Empresarial. "Portanto, faça a declaração com antecedência para ainda haver tempo de reparação de eventual erro." 4 0

41 Veículo: InCorporativa Data: 16/03/

42 Veículo: NCST Data: 16/03/2011 Trabalhar na empresa da família exige cuidados especiais Ser empregado na empresa da família pode ter suas vantagens, mas há um lado que pode ser negativo. A arquiteta Sueli Aparecida Ramos, de 36 anos, gerente administrativa da empresa da sua irmã, a Fharos Assessoria Empresarial, companhia da área contábil, trabalhista e fiscal, conta que a principal desvantagem é a visão que as outras pessoas têm dela e dos outros cinco irmãos que também trabalham na companhia. Elas acham que você não está trabalhando. Não veem você como um profissional respeitado. Acham que está ali apenas porque é da família. Danilo Saicali, economista e sócio-fundador da Scripta Consultores, consultoria para empresas de controle familiar, afirma que em toda companhia deve haver uma definição das regras para que o parente exerça a função. Se não houver essas regras, as desvantagens podem ser muito grandes. Se a pessoa não tiver passado por uma seleção e foi escolhida apenas pelo grau de parentesco, é como se ela não estivesse legitimada. Os outros funcionários podem não aprovar e dificultar seu trabalho. Principal desafio para quem trabalha na empresa da família é ser respeitado pela competência * Atuar em empresas familiares requer flexibilidade profissional Luiz Arrobas, sócio da 2GET, empresa de recrutamento, ressalta que a principal dificuldade enfrentada é a pessoa conseguir ser respeitada pela sua competência técnica e não apenas pelo sobrenome. Muitas vezes, o profissional tem que se provar mais do que os outros funcionários. Ele sempre é visto como alguém que está lá pelo vínculo e não pela qualificação. A grande maioria das pessoas que trabalha em empresas da família não passa por um processo seletivo. Isso pode ser o principal agravante. A equipe tem receio, gera desconfiança. Por isso, o profissional tem que ter habilidade para se relacionar e conseguir mostrar que não está lá apenas por ser parente, diz Arrobas. Cobranças Apesar de ter se formado em arquitetura, Sueli nunca trabalhou na área. Trabalhei durante 13 anos no Bradesco, também na área administrativa. Quando saí de lá, quatro meses depois, minha irmã estava precisando de alguém no financeiro e me chamou. Não participei de nenhum processo de seleção. Saicali analisa que o parente sempre terá a marca de que é membro da família. Por isso, será muito mais complicado se provar qualificado para o cargo em que está. Sempre haverá aquela dúvida se ele está na empresa porque é competente ou porque é da família. Na opinião de Sueli, as pessoas sempre vão achar isso, mas que não é o que realmente acontece. Sou tratada como uma funcionária. A minha responsabilidade, na verdade, é até maior. Você acaba sendo mais cobrada, tem que dar mais resultado. Segundo Airton Embacher, diretor e fundador da empresa de recursos humanos Carreira Fashion, a rejeição sempre vai existir. O grupo sempre vai pensar que qualquer informação 4 2

43 está sendo levada ao dono. Causa uma grande desconfiança na equipe. Por outro lado, a pessoa acaba tendo mais acesso dentro da companhia. O profissional nessa situação tem um livre trânsito na empresa. Consegue informações mais rapidamente. Tem as portas abertas em todas as áreas, afirma Arrobas. O importante é aproveitar a oportunidade. O funcionário que tem uma relação de parentesco deve entender que isso não o isenta de mostrar competência e fazer seu trabalho como qualquer outro empregado. O profissional que souber aproveitar a chance pode se dar muito bem. Ele faz parte do grupo e por isso tem muita confiança da diretoria. Mas tem que saber que um parente pode ser muito mais cobrado do que um funcionário normal, para até servir como exemplo, afirma Embacher. Os primeiros anos são os mais difíceis. É nesse momento que o profissional deve mostrar sua base técnica. Mas o fundamental é ser humilde. Para Arrobas, se a pessoa entra na empresa querendo aprender com os pares, muitas vezes ela consegue, no médio e longo prazo, firmar sua posição sem desconfiança e problemas com a equipe. Apesar de essa situação oferecer uma confiança maior, na opinião de Embacher, existe um inconveniente para o dono. Fica mais difícil cobrar, e até mesmo demitir alguém que é da família. Além disso, Emacher destaca que há também a frustração. Um emprego sempre cria expectativas para quem contrata e quem é contratado. Quando a empresa é da família, isso pode ser pior, porque pode atingir o relacionamento. Comodidade Pela facilidade de conseguir um emprego em uma empresa da família, algumas vezes o profissional acaba aceitando o cargo pela comodidade. Entretanto, segundo Arrobas, é preciso certo cuidado. Para Luiz Arrobas, a principal dificuldade é a pessoa ser respeitada por sua competência e não pelo sobrenome Geralmente as companhias familiares estão em um processo de profissionalização. Por não ser herdeiro direto, se a empresa passa por alguma transição, por exemplo, a venda de ações, de um dia para o outro ele pode perder a segurança que tinha. Sueli afirma que não foi trabalhar na empresa de sua irmã simplesmente por ser mais cômodo, mas sim porque essa já era sua área. Ela precisava de alguém e eu tinha saído do meu trabalho. Relação com a família Por estar na empresa da sua família, a relação pode ser afetada. O profissional tem uma maior liberdade, mas também enfrenta os desafios de como lidar com os parentes fora da companhia. Tem que tentar ser o mais prático possível e resolver tudo dentro da empresa, com fatos e argumentos que justifiquem suas ações. Levar isso para o ambiente familiar torna tudo mais complicado, aconselha Arrobas. Segundo Saicali, é preciso saber separar bem os dois ambientes. O profissional deve prevalecer sempre. É comum levar os problemas para o convívio familiar, principalmente quando não há o desempenho esperado. As queixas acabam sendo feitas para os mais próximos. A relação familiar é algo que acaba mudando com isso. Muitas vezes, estamos em um ambiente familiar e falamos de trabalho. Não tem como. Mas eu acho que a nossa relação dela e dos outros cinco irmãos que também trabalham juntos ficou melhor. Ficamos mais próximos e agora nos enxergamos também como profissionais, avalia Sueli. 4 3

44 Veículo: Studio Fiscal Data: 16/03/2011 Aplicador em ações deve ter cuidado na declaração Todo ano, o fantasma do imposto de renda (IR) assombra os investidores. São regras e mais regras para o aplicador levar em conta dependendo da natureza de suas aplicações. O investimento em ações é um dos campeões de dúvidas entre os investidores. Não por acaso, muitas corretoras passaram a oferecer ferramentas que auxiliam os investidores de home broker sistema de negociação de ações via internet a acertar as contas com o Fisco. O assunto ganhou ainda mais importância depois que a Receita Federal apertou o controle do IR da pessoa física, e a fiscalização recai cada vez mais sobre quem aplica em bolsa. O Leão receberá as declarações até o dia 29 de abril. Quem não recolhe o imposto achando que a Receita não vai notar acaba se dando mal, diz Roberto Justo, sócio do escritório Choaib Paiva e Justo Advogados. Essa é uma confusão comum porque a corretora é obrigada a recolher na fonte o equivalente a 0,005% sobre o valor de cada venda de ações. Mas esse tributo é uma espécie de dedo-duro, cujo objetivo é somente informar a Receita que o investidor vendeu ações e pode ter obtido lucro, explica o advogado. A apuração e o pagamento do imposto de renda com ações devem ser feitas pelo próprio aplicador. Todo o investidor que vende ações com valor total superior a R$ 20 mil no mês e tem lucro precisa pagar 15% de imposto de renda sobre ganhos. A apuração do imposto é mensal e vence no último dia útil do mês seguinte ao da venda das ações. Se o total vendido no mês não superar a R$ 20 mil, não há imposto, lembra Meire Poza, especialista em imposto de renda no mercado financeiro e sócia da Arbor Contábil. Mas é comum também o investidor fazer alguma confusão com esse valor de R$ 20 mil. Isso porque a isenção não é de R$ 20 mil por operação, e sim deve levar em conta a soma de todas as vendas realizadas no mês. Se o total superar em R$ 1 que seja o limite, o investidor tem de pagar 15% sobre todos os ganhos líquidos, já descontadas eventuais perdas naquele mês ou em meses anteriores. E o imposto não é só sobre o que ultrapassar R$ 20 mil, é sobre o valor total, ressalta Meire. Mas como pagar o imposto? Julio Linuesa Perez, conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP), explica que o investidor deve preencher um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), com o código Para saber quanto ele terá de pagar de tributo, é necessário calcular o custo total 4 4

45 de aquisição de um papel (valor investido mais as taxas de corretagem). Além disso, deve-se levar em conta a taxa cobrada pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), DE 0,0345% por operação. Por exemplo: um investidor comprou mil ações a R$ 20 cada. As despesas com corretagem e custódia foram de R$ 320. Isso quer dizer que esse aplicador, no total, desembolsou R$ ,00. Depois, os papéis atingiram a cotação de R$ 25 e ele então os vendeu, recebendo R$ 25 mil. As despesas com a venda somaram R$ 420, o que quer dizer que, após as taxas, ele recebeu R$ ,00. O lucro líquido da operação ficou, portanto, em R$ O imposto de 15% a ser recolhido é sobre esse ganho, o que dá R$ 639,00, dos quais deve ser deduzido ainda o imposto dedo-duro de 0,005% sobre o valor de venda (os R$ 25 mil), ou de R$ 1,25. O imposto será, portanto, de R$ 637,75. Chegando, enfim, o momento de preencher a declaração anual do IR, o investidor deve informar mês a mês o anho de todas as operações na seção Renda Variável. Se, no entanto, o valor vendido em ações não ultrapassar R$ 20 mil por mês, o investidor declara no IR só o ganho, na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis, no item Outros. As ações mantidas em carteiras devem ser informadas na seção Bens e Direitos no programa do Leão. E isso devem ser feito empresa por empresa, papel por papel, separadamente, pelo valor de compra, sem atualização de preços, na coluna descrição. Os resultados mensais deverão constar no Anexo de renda variável. Mesmo que o investidor tenha comprado as ações no ano passado, mas não as tenha vendido, ele precisa declaras as operações, lemvra Meire, da Arbor. Linesa Perez, do CRC-SP, esclarece que os dividendos devem ser declarados na linha 5 da ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis. É importante que o investidor não erre o número do CNPJ da empresa que pagou os dividendos, pois pode fazer com que o contribuinte caia na malha fina. Já os juros sobre capital próprio devem entrar em Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva. Já as operações de compra e venda no mesmo dia ( day trade ) têm tributação diferente. Elas pagam 20% sobre os ganhos e mais 1% na fonte. Esse 1%, no entanto, também pode ser deduzido pelo investidor na hora de pagar o tributo sobre o ganho de capital. O investidor deve ficar atento também á tributação dos fundos de índices negociados em bolsa, os chamados ETFs (Exchange Traded Funds). Havia uma dúvida se essas aplicações, como o PIBB, seriam tratadas como ações, e portanto isentas até R$ 20 mil, ou como fundos de ações, com pagamento de 15% sobre qualquer ganho. No ano passado, a Instrução Normativa da Receita, de 5 de abril, colocou fundos de investimento em ações. Nesse caso, cabe ao investidor preencher um Darf e pagar o imposto de 15%, seja qual for o valor, lembra Linuesa, da CRC-SP. Em caso de erro no preenchimento, o contribuinte pode fazer uma nova declaração. O prazo também é até dia 29 de abril. Nesse caso, a primeira declaração será desconsiderada e novo documento deverá apresentar todas as informações corretamente, diz Dora Ramos, fundadora e diretora responsável pela Fharos Assessoria Empresarial. Portanto, faça a declaração com antecedência para ainda haver tempo de reparação de eventual erro. 4 5

46 Veículo: Sindicato net Data: 17/03/

47 4 7

48 Veículo: ATAC Data: 17/03/2011 DECLARAÇÃO CORRETA DE IMÓVEL NO IMPOSTO DE RENDA EVITA MALHA FINA Para evitar cair na malha fina, o melhor que se tem a fazer é uma declaração de Imposto de Renda correta e com todos os detalhes possíveis. Foi com este intuito que a Receita Federal incluiu algumas novidades na declaração de 2011 (ano-base 2010) no quesito aluguel de imóveis. Este ano, os contribuintes podem informar o valor pago ao corretor pela administração dos bens locados, que tem um código específico (ADM 71). Além disso, agora é possível informar o CNPJ da empresa em caso de recebimento de aluguel de uma pessoa jurídica (empresa). Nos anos anteriores, somente era possível incluir o CPF de pessoas físicas. De acordo com a diretora da Fharos Associação Empresarial, Dora Ramos, as duas medidas ajudarão a diminuir as discrepâncias na declaração. Isso porque, antes, o contribuinte afirmava ter recebido um aluguel de R$ 800, por exemplo, mas o inquilino declarava ter pago mil reais. Os R$ 200 destinados ao corretor ficavam fora da declaração, o que gerava divergência entre os valores informados pelo proprietário e pelo inquilino. No caso de compra e venda, na declaração de Bens e Direitos não há novidades este ano, mas, para evitar problemas, deve-se ficar atento: O valor pago pelo imóvel não deve ser atualizado anualmente. Basta importar a declaração dos anos anteriores e, se o bem não estiver quitado, informar apenas o que foi pago no ano explicou Dora. Outra questão que resulta em problemas na hora de declarar o IR é a remuneração do síndico. Muitas vezes, o pagamento é feito na forma de isenção da cota condominial. Mas o valor total deve ser declarado em Outras Receitas. Para os casos em que há remuneração de fato ou a isenção ultrapassa os R$ 6 mil anuais, a declaração do benefício deve ser feita no campo Declaração do Imposto Retido na Fonte (DIRF). Saiba como fazer: Compra O imóvel deve ser declarado no campo Bens e Direitos do formulário do Imposto de Renda. Se o imóvel tiver sido lançado em anos anteriores, basta importar a declaração antiga. Caso seja novo, acrescente os detalhes referentes ao bem, como endereço, metragem etc. Na declaração do gasto, somente coloque o que foi pago no ano-calendário de FGTS Caso o FGTS tenha sido usado para pagar o bem, o valor deve ser lançado na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis e deduzido do valor da ficha de Bens e Direitos. 4 8

49 Venda O valor da venda de um imóvel deve ser computado em um programa específico para Ganhos de Capital. É preciso informar o valor da venda, o comprador e a data da transação. No programa haverá um campo pedindo o valor do bem na declaração antiga e será calculado o ganho efetivo. Após o cálculo, importe o resultado para a declaração. Caso o montante tenha sido utilizado para comprar um outro imóvel residencial em até 180 dias, o contribuinte está isento de pagar imposto pela transação. Reformas Qualquer benfeitoria no imóvel deve ser lançada no campo Bens e Direitos com o código 17. A reforma deve ser descrita, citando o bem em questão, e comprovada com recibos e notas fiscais. Aluguéis O aluguel recebido deve ser computado no campo Rendimentos tributáveis Recebidos de Pessoa Física ou Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica. Os gastos com corretores ou administradores entram na ficha Pagamentos e Doações Efetuados, no código

50 Veículo: Oficina de Investimentos Data: 17/03/2011 Declaração correta de imóvel no Imposto de Renda evita malha fina Leave a comment» Para evitar cair na malha fina, o melhor que se tem a fazer é uma declaração de Imposto de Renda correta e com todos os detalhes possíveis. Foi com este intuito que a Receita Federal incluiu algumas novidades na declaração de 2011 (ano-base 2010) no quesito aluguel de imóveis. Este ano, os contribuintes podem informar o valor pago ao corretor pela administração dos bens locados, que tem um código específico (ADM 71). Além disso, agora é possível informar o CNPJ da empresa em caso de recebimento de aluguel de uma pessoa jurídica (empresa). Nos anos anteriores, somente era possível incluir o CPF de pessoas físicas. De acordo com a diretora da Fharos Associação Empresarial, Dora Ramos, as duas medidas ajudarão a diminuir as discrepâncias na declaração. Isso porque, antes, o contribuinte afirmava ter recebido um aluguel de R$ 800, por exemplo, mas o inquilino declarava ter pago mil reais. Os R$ 200 destinados ao corretor ficavam fora da declaração, o que gerava divergência entre os valores informados pelo proprietário e pelo inquilino. No caso de compra e venda, na declaração de Bens e Direitos não há novidades este ano, mas, para evitar problemas, deve-se ficar atento: O valor pago pelo imóvel não deve ser atualizado anualmente. Basta importar a declaração dos anos anteriores e, se o bem não estiver quitado, informar apenas o que foi pago no ano explicou Dora. Outra questão que resulta em problemas na hora de declarar o IR é a remuneração do síndico. Muitas vezes, o pagamento é feito na forma de isenção da cota condominial. Mas o valor total deve ser declarado em Outras Receitas. Para os casos em que há remuneração de fato ou a isenção ultrapassa os R$ 6 mil anuais, a declaração do benefício deve ser feita no campo Declaração do Imposto Retido na Fonte (DIRF). 5 0

51 Saiba como fazer: Compra O imóvel deve ser declarado no campo Bens e Direitos do formulário do Imposto de Renda. Se o imóvel tiver sido lançado em anos anteriores, basta importar a declaração antiga. Caso seja novo, acrescente os detalhes referentes ao bem, como endereço, metragem etc. Na declaração do gasto, somente coloque o que foi pago no anocalendário de FGTS Caso o FGTS tenha sido usado para pagar o bem, o valor deve ser lançado na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis e deduzido do valor da ficha de Bens e Direitos. Venda O valor da venda de um imóvel deve ser computado em um programa específico para Ganhos de Capital. É preciso informar o valor da venda, o comprador e a data da transação. No programa haverá um campo pedindo o valor do bem na declaração antiga e será calculado o ganho efetivo. Após o cálculo, importe o resultado para a declaração. Caso o montante tenha sido utilizado para comprar um outro imóvel residencial em até 180 dias, o contribuinte está isento de pagar imposto pela transação. Reformas Qualquer benfeitoria no imóvel deve ser lançada no campo Bens e Direitos com o código 17. A reforma deve ser descrita, citando o bem em questão, e comprovada com recibos e notas fiscais. Aluguéis O aluguel recebido deve ser computado no campo Rendimentos tributáveis Recebidos de Pessoa Física ou Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica. Os gastos com corretores ou administradores entram na ficha Pagamentos e Doações Efetuados, no código 071. Fonte: Extra/O Globo 5 1

52 Veículo: Clip Imobiliário Data: 17/03/2011 Declaração correta de imóvel no Imposto de Renda evita malha fina Para evitar cair na malha fina, o melhor que se tem a fazer é uma declaração de Imposto de Renda correta e com todos os detalhes possíveis. Foi com este intuito que a Receita Federal incluiu algumas novidades na declaração de 2011 (ano-base 2010) no quesito aluguel de imóveis. Este ano, os contribuintes podem informar o valor pago ao corretor pela administração dos bens locados, que tem um código específico (ADM 71). Além disso, agora é possível informar o CNPJ da empresa em caso de recebimento de aluguel de uma pessoa jurídica (empresa). Nos anos anteriores, somente era possível incluir o CPF de pessoas físicas. De acordo com a diretora da Fharos Associação Empresarial, Dora Ramos, as duas medidas ajudarão a diminuir as discrepâncias na declaração. Isso porque, antes, o contribuinte afirmava ter recebido um aluguel de R$ 800, por exemplo, mas o inquilino declarava ter pago mil reais. Os R$ 200 destinados ao corretor ficavam fora da declaração, o que gerava divergência entre os valores informados pelo proprietário e pelo inquilino. No caso de compra e venda, na declaração de "Bens e Direitos" não há novidades este ano, mas, para evitar problemas, deve-se ficar atento: O valor pago pelo imóvel não deve ser atualizado anualmente. Basta importar a declaração dos anos anteriores e, se o bem não estiver quitado, informar apenas o que foi pago no ano explicou Dora. Outra questão que resulta em problemas na hora de declarar o IR é a remuneração do síndico. Muitas vezes, o "pagamento" é feito na forma de isenção da cota condominial. Mas o valor total deve ser declarado em "Outras Receitas". Para os casos em que há remuneração de fato ou a isenção ultrapassa os R$ 6 mil anuais, a declaração do benefício deve ser feita no campo "Declaração do Imposto Retido na Fonte (DIRF)". Saiba como fazer: Compra 5 2

53 O imóvel deve ser declarado no campo "Bens e Direitos" do formulário do Imposto de Renda. Se o imóvel tiver sido lançado em anos anteriores, basta importar a declaração antiga. Caso seja novo, acrescente os detalhes referentes ao bem, como endereço, metragem etc. Na declaração do gasto, somente coloque o que foi pago no anocalendário de FGTS Caso o FGTS tenha sido usado para pagar o bem, o valor deve ser lançado na ficha "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis" e deduzido do valor da ficha de "Bens e Direitos". Venda O valor da venda de um imóvel deve ser computado em um programa específico para "Ganhos de Capital". É preciso informar o valor da venda, o comprador e a data da transação. No programa haverá um campo pedindo o valor do bem na declaração antiga e será calculado o ganho efetivo. Após o cálculo, importe o resultado para a declaração. Caso o montante tenha sido utilizado para comprar um outro imóvel residencial em até 180 dias, o contribuinte está isento de pagar imposto pela transação. Reformas Qualquer benfeitoria no imóvel deve ser lançada no campo "Bens e Direitos" com o código 17. A reforma deve ser descrita, citando o bem em questão, e comprovada com recibos e notas fiscais. Aluguéis O aluguel recebido deve ser computado no campo "Rendimentos tributáveis Recebidos de Pessoa Física ou Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica". Os gastos com corretores ou administradores entram na ficha "Pagamentos e Doações Efetuados", no código

54 Veículo: Imóveis 10 Data: 17/03/

Tributação. Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda

Tributação. Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda Tributação Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda Índice Quem recolhe o Imposto? 3 Prazo para Recolhimento 3 Como calcular o Imposto 3 Imposto de Renda

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 ANO BASE 2013

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 ANO BASE 2013 Organização Contábil CARIVAN Ltda. DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 ANO BASE 2013 Advocacia Dr. Carlos Manuel de Jesus Dias PERGUNTAS E RESPOSTAS Pessoa física tem idade mínima para ser contribuinte

Leia mais

Física. Pessoa IMPOSTO DE RENDA. c o n t a b i l i z e. É hora de acertar as contas com o Leão

Física. Pessoa IMPOSTO DE RENDA. c o n t a b i l i z e. É hora de acertar as contas com o Leão IMPOSTO DE RENDA Distribuição Gratuita Pessoa Física É hora de acertar as contas com o Leão CONTRATE UM PROFISSIONAL E EVITE PROBLEMAS Entre em contato conosco 47 3028-1483 contabilize@contabilizesc.com.br

Leia mais

Perguntas Frequentes - Tributação

Perguntas Frequentes - Tributação 1. Tributação do Ganho de Capital Perguntas Frequentes - Tributação 1.1 - Como é feita a tributação dos ganhos obtidos com a alienação de ações? A tributação é feita em bases mensais, ou seja: o ganho

Leia mais

Especial Imposto de Renda 2015

Especial Imposto de Renda 2015 Especial Imposto de Renda 2015 01. Durante o ano de 2014 contribuí para a Previdência Social como autônoma. Como devo fazer para deduzir esses valores? Qual campo preencher? Se pedirem CNPJ, qual devo

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física 2015

Imposto de Renda Pessoa Física 2015 Imposto de Renda Pessoa Física 2015 1 IRPF É um imposto federal brasileiro que incide sobre todas as pessoas que tenham obtido um ganho acima de um determinado valor mínimo. Anualmente este contribuinte

Leia mais

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil Guia de Declaração IR 2014 Investimentos Março de 2014 Brasil Guia de Declaração IR 2014 - Investimentos O prazo de entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 tem início no dia 6 de março e o

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA

ORIENTAÇÕES SOBRE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA Distribuição Gratuita ORIENTAÇÕES SOBRE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA -2- Apresentação Esta cartilha traz orientações básicas aos contribuintes que entregam a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS Palestra Imposto de Renda: "entenda as novas regras para os profissionais da Odontologia" Abril/2015 Palestra Imposto de Renda 2015 A Receita Federal do Brasil RFB para o exercício

Leia mais

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos BRASIL Guia de Declaração IR 2014- Investimentos O dia 30/04/2014 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 e com o objetivo de

Leia mais

Guia Declaração Imposto de Renda 2013. Investimentos. Março de 2013. Brasil

Guia Declaração Imposto de Renda 2013. Investimentos. Março de 2013. Brasil Guia Declaração Imposto de Renda 2013 Investimentos Março de 2013 Brasil Guia de Declaração IR 2013 -Investimentos 2 O dia 30/04/2013 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2013

Leia mais

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND Investimento para quem busca a possibilidade de melhores retornos, através de uma carteira diversificada e com menor custo. Confira porque os fundos de índices são a nova opção

Leia mais

GUIA PRÁTICO SAIBA COMO DECLARAR O IMPOSTO DE RENDA 2014

GUIA PRÁTICO SAIBA COMO DECLARAR O IMPOSTO DE RENDA 2014 GUIA PRÁTICO SAIBA COMO DECLARAR O IMPOSTO DE RENDA 2014 GUIA PRÁTICO PARA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 1. INTRODUÇÃO Este material foi desenvolvido com o objetivo de auxiliar nossos clientes no

Leia mais

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil 1 Guia Declaração Imposto de Renda 2012 Investimentos Março de 2012 Brasil Guia de Declaração IR 2012 - Investimentos 2 O dia 30/04/2012 é ultimo dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda

Leia mais

IRPF 2014 CARTILHA IR 2014

IRPF 2014 CARTILHA IR 2014 IRPF 2014 CARTILHA IR 2014 A MAPFRE Previdência desenvolveu para os participantes de plano de previdência complementar PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), FGB Tradicional (Fundo Gerador de Benefício)

Leia mais

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI CLIPPING Mídias de Primeiro Foco Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI Cliente: Fharos Data: 10/09/08 Veículo: Executivos Financeiros 2 3 Cliente: Fharos Data: 12/09/08 Veículo: Canal Executivo 4

Leia mais

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2 Guia de Declaração de IRPF 2011 Ano-calendário 2010 Previdência IR 2010 Prev e Cp_v2 Quem é obrigado a declarar? Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente

Leia mais

IRRF/ 2014. Instalar o programa da Receita Federal. WWW.receita.fazenda.gov.br. Nova. Após abrir declaração (importação/nova)

IRRF/ 2014. Instalar o programa da Receita Federal. WWW.receita.fazenda.gov.br. Nova. Após abrir declaração (importação/nova) IRRF/ 2014 Instalar o programa da Receita Federal WWW.receita.fazenda.gov.br Nova Tenho Anterior Após abrir declaração (importação/nova) Durante a importação o programa 2013 traz também os pagamentos efetuados.

Leia mais

IRPF 2012 Cartilha IR 2012

IRPF 2012 Cartilha IR 2012 IRPF 2012 Cartilha IR 2012 A MAPFRE Previdência desenvolveu para os participantes de plano de previdência complementar PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), FGB Tradicional (Fundo Gerador de Benefício)

Leia mais

SEM CRISE QUEM ESTÁ OBRIGADO A DECLARAR

SEM CRISE QUEM ESTÁ OBRIGADO A DECLARAR SEM CRISE Se você não é contador e, portanto, não ganha dinheiro para declarar o Imposto de Renda, é provável que você torça o nariz para as letrinhas "IR". Também não seria nenhuma surpresa saber que

Leia mais

CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009

CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009 CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009 Passo 1 - Tipo de declaração Nesta tela, o contribuinte escolhe se deseja fazer a declaração de ajuste anual, para prestar conta sobre seus rendimentos e despesas

Leia mais

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 13/2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015. IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2014 Prezado cliente, No dia 03 de fevereiro de 2015 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

MANUAL DE APURAÇÃO E DEMONSTRAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NO MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA. Tributação no Mercado de Renda Variável

MANUAL DE APURAÇÃO E DEMONSTRAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NO MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA. Tributação no Mercado de Renda Variável MANUAL DE APURAÇÃO E DEMONSTRAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NO MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA Tributação no Mercado de Renda Variável São Paulo, 05 de janeiro de 2015 Prezado (a) Investidor (a),

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015 DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015 Regulamento para a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, PESSOA FÍSICA, exercício de 2015, ano-calendário de 2014. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA

Leia mais

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

Imposto de Renda: como declarar seus

Imposto de Renda: como declarar seus Imposto de Renda: como declarar seus rendimentos Saiba como se preparar e declarar o IR para não ter problemas no futuro. 1 Imposto de Renda: como declarar seus rendimentos Saiba como se preparar e declarar

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA DE 2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS

IMPOSTO DE RENDA DE 2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS IMPOSTO DE RENDA DE 2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS 1) Gostaria de saber se posso abater o gasto feito com os pagamentos efetuados a Previdência Privada (BRASILPREV) que fiz em nome de meus filhos. Resp. A

Leia mais

Objetivo. Conteúdo. Imposto de Renda Pessoa Física. Rendimentos recebidos acumuladamente Palestra TRT 6ª Região

Objetivo. Conteúdo. Imposto de Renda Pessoa Física. Rendimentos recebidos acumuladamente Palestra TRT 6ª Região Imposto de Renda Pessoa Física Rendimentos recebidos acumuladamente Palestra TRT 6ª Região Alexandre de Moraes Rego AFRFB DRF Recife Objetivo Divulgação da nova sistemática de tributação do Imposto de

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa.

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa. 1 Aprenda com o SAGAZ Primeiros passos para investir na Bolsa. Está pensando em investir em ações e não sabe por onde começar? Fique tranqüilo, você está no lugar certo. Aqui você terá a melhor orientação

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 298, de 12 de fevereiro de 2003

Instrução Normativa SRF nº 298, de 12 de fevereiro de 2003 Instrução Normativa SRF nº 298, de 12 de fevereiro de 2003 Aprova o formulário Resumo de Apuração de Ganhos - Renda Variável, para o exercício de 2004, ano-calendário de 2003. O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL,

Leia mais

Atenção no preenchimento das fichas evita a malha fina

Atenção no preenchimento das fichas evita a malha fina Página 1 de 5 Economia EMPREENDER PME PÓS E CARREIRA IMÓVEIS AUTOMÓVEIS + mais TECNOLOGIA FINANÇAS PESSOAIS COLUNISTAS Imposto de Renda CUIDADOS Atenção no preenchimento das fichas evita a malha fina Rendimentos

Leia mais

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo SONHOS AÇÕES Planejando suas conquistas passo a passo Todo mundo tem um sonho, que pode ser uma viagem, a compra do primeiro imóvel, tranquilidade na aposentadoria ou garantir os estudos dos filhos, por

Leia mais

DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE?

DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE? 1. O que são os FUNDOS DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE? São recursos públicos mantidos em contas bancárias específicas. Essas contas têm a finalidade de receber repasses orçamentários e depósitos

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS IR? COFINS?? INSS? PIS SUMÁRIO 1 Introdução 3 2 Planejamento 5 3 Simples Nacional com a inclusão de novas categorias desde 01-2015 8 4 Lucro

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA. Conceitos

PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA. Conceitos PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA Conceitos De acordo com a Portaria Normativa do Ministério da Educação de n 18, de 11 de outubro de 2012, que

Leia mais

Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES

Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2013: consulte as informações em seu Informe de Rendimentos Fator (IRF), Ano Calendário de 2012. Elaboramos este

Leia mais

Boas-vindas. Esperamos que este material facilite sua vida na hora de acertar as contas com o Leão. Boa declaração!

Boas-vindas. Esperamos que este material facilite sua vida na hora de acertar as contas com o Leão. Boa declaração! Boas-vindas A Magnetis e a ContaAzul uniram seus conhecimentos para criar este manual de declaração do Imposto de Renda. Começamos com os primeiros passos sobre seus rendimentos e depois detalhamos como

Leia mais

INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> INTRODUÇAO... OBRIGATORIEDADE... NOVAS REGRAS... DESPESAS DEDUTIVEIS... DECLARAÇÃO DE BENS E DÍVIDAS... DOENÇA GRAVE... PRAZO

Leia mais

Declaração do Imposto de Renda 2015

Declaração do Imposto de Renda 2015 Declaração do Imposto de Renda 2015 Índice Download do programa e telas iniciais Iden ficação do contribuinte Dependentes Alimentandos Rendimentos Imposto pago/re do (e imposto no exterior) Pagamentos

Leia mais

UNIOESTE CCET Colegiado de Matemática XXV Semana Acadêmica da Matemática 15 a 19 de Agosto de 2011

UNIOESTE CCET Colegiado de Matemática XXV Semana Acadêmica da Matemática 15 a 19 de Agosto de 2011 UNIOESTE CCET Colegiado de Matemática XXV Semana Acadêmica da Matemática 15 a 19 de Agosto de 2011 Entendendo as mordidas do leão como funciona o cálculo do imposto de renda Profa. Raquel Lehrer Todos

Leia mais

SAFRAS & CIFRAS. IMPOSTO DE RENDA 2014, 20 questões que o produtor rural precisa saber!

SAFRAS & CIFRAS. IMPOSTO DE RENDA 2014, 20 questões que o produtor rural precisa saber! SAFRAS & CIFRAS IMPOSTO DE RENDA 2014, 20 questões que o produtor rural precisa saber! * Enio B. Paiva *Lizandra Blaas * Ana Paiva Em clima de imposto de renda, alguns profissionais da Safras & Cifras

Leia mais

1 IRPF - Entrega A partir do dia 06 de março tem início o período de entrega da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física. É importante ficar atento principalmente se você for obrigado

Leia mais

O QUE É IRPF? Imposto Sobre a Renda Pessoa Física

O QUE É IRPF? Imposto Sobre a Renda Pessoa Física O QUE É IRPF? Imposto Sobre a Renda Pessoa Física O QUE É DAA? É a Declaração de Imposto de Renda Anual Denominada - Declaração de Ajuste Anual ÓRGÃOS REGULADORES Receita Federal do Brasil Procuradoria

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA

IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IMPOSTO l ELEMENTOS DO IMPOSTO: INCIDÊNCIA FATO GERADOR PERÍODO DE APURAÇÃO BASE DE CÁLCULO ALÍQUOTA INCIDÊNCIA l IRPF - É o imposto que incide sobre o produto

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI -

LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI - LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI - Os candidatos pré-selecionados devem entrar em contato com o SAE (Serviço de Assistência ao Estudante) para agendar a entrevista. Telefone: 35-3299-3044 Segue abaixo a relação

Leia mais

CHEGOU A HORA DE ACERTARMOS AS CONTAS COM O LEÃO.

CHEGOU A HORA DE ACERTARMOS AS CONTAS COM O LEÃO. Porto Alegre, 17 de fevereiro de 2012 Sr. Cliente: CHEGOU A HORA DE ACERTARMOS AS CONTAS COM O LEÃO. No período de 01 de março até 30 de abril de 2012, a RFB estará recepcionando as Declarações do Imposto

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1 UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Ciências Econômicas Mercado de Capitais Tributações Relatórios Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br 4.2 Mercado de Capitais 4.3.1 Conceitos

Leia mais

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40. Vitória/ES, 23 de fevereiro de 2013. ORIENTAÇÕES PARA DECLARAÇÃO DO IRPF 2013 A partir do dia 1º março a Receita Federal começa a receber a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física.

Leia mais

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros!

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! Consórcio Imobiliário na prática Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! 1 Sobre a empresa A A+ Consórcios iniciou suas atividades com o objetivo de gerir

Leia mais

Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente.

Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente. Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente. A possibilidade de diversificar o investimento e se tornar sócio dos maiores empreendimentos imobiliários do Brasil. Este material tem o objetivo

Leia mais

Posso colocar meu pai, que é aposentado e possui rendimento superior a R$ 19 mil, como meu dependente de Imposto de Renda?

Posso colocar meu pai, que é aposentado e possui rendimento superior a R$ 19 mil, como meu dependente de Imposto de Renda? Sou prestador de serviço, condutor escolar, e tenho em torno de oitenta clientes pessoas físicas. Recebo igualmente deles, a cada mês, o valor pelo serviço prestado. Terei de declarar o recebimento de

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR Muito embora não seja uma novidade, já que a maioria das pessoas estejam obrigadas a entregar a Declaração de Imposto de Renda, trazemos aqui alguns

Leia mais

CALCULADORA DE IR F E R R AM E N TA C A L C U L A D O R A D E I R

CALCULADORA DE IR F E R R AM E N TA C A L C U L A D O R A D E I R F E R R AM E N TA C A L C U L A D O R A D E I R R E S U M O 2 PASSO A PASSO PASSO 1 PASSO 2 PASSO 3 PENDÊNCIA A REGULARIZAR? NÃO Acessar Menu Relatórios AÇÃO Integrar o Saldo Inicial da posição em custódia.

Leia mais

IRPF IR2013. Chegou a hora de declarar o. Especial

IRPF IR2013. Chegou a hora de declarar o. Especial Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Bradesco Vida e Previdência Março de 2013 Especial IRPF 2013 Chegou a hora de declarar o IR2013 >> Fique por dentro >> Onde informar

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

Boletim de Relacionamento Previdência. Imposto de Renda Sul América Previdência

Boletim de Relacionamento Previdência. Imposto de Renda Sul América Previdência Boletim de Relacionamento Previdência Imposto de Renda Sul América Previdência Prezado Participante, Desenvolvemos um guia para que você, que possui um Plano de Previdência PGBL ou Tradicional ou um Plano

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES. 3. Como é acompanhada a evolução do processo de apoio?

DÚVIDAS FREQUENTES. 3. Como é acompanhada a evolução do processo de apoio? DÚVIDAS FREQUENTES 1. O que é o Programa Amigo de Valor? R: O Amigo de Valor pretende fortalecer programas de atendimento à criança e ao adolecente em situação de vulnerabilidade, e, em alguns casos, às

Leia mais

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R 8 DICAS ESSENCIAIS PARA ESCOLHER SUA CORRETORA W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R Aviso Importante O autor não tem nenhum vínculo com as pessoas, instituições financeiras e produtos, citados, utilizando-os

Leia mais

ESPECIAL. Chegou a hora de declarar. E o que mudou para esse ano? Fique por dentro. Prazos e multas. As novidades de 2014. Tire suas dúvidas.

ESPECIAL. Chegou a hora de declarar. E o que mudou para esse ano? Fique por dentro. Prazos e multas. As novidades de 2014. Tire suas dúvidas. Chegou a hora de declarar. E o que mudou para esse ano? de 0 Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Vida e. Março de 0 de 0 Foi dada a largada para o acerto de contas

Leia mais

CARTILHA IRPF 2016 Orientações gerais

CARTILHA IRPF 2016 Orientações gerais CARTILHA IRPF 2016 Orientações gerais ÍNDICE 1 Obrigatoriedade de entrega 4 2 Formas e prazo de entrega 5 3 Multa por atraso na entrega 8 4 Utilizando seu Informe de Rendimentos Financeiros BRADESCO 8

Leia mais

Organização Hilário Corrêa Assessoria Empresarial e Contabilidade

Organização Hilário Corrêa Assessoria Empresarial e Contabilidade Desde o dia 02/03/2015 iniciamos o período de entrega da declaração de imposto de renda pessoa física de 2015 com base nos fatos ocorridos no ano de 2014, a declaração poderá ser transmitida até o dia

Leia mais

BM&FBOVESPA A Bolsa é pra você!

BM&FBOVESPA A Bolsa é pra você! BM&FBOVESPA A Bolsa é pra você! Como Investir na Bolsa Nesta seção você descobrirá como investir na Bolsa. Os tópicos desta seção trazem, de maneira direta e sucinta, cada etapa pela qual você passará

Leia mais

Incentivo Fiscal Imposto de Renda sobre Pessoa Física IMPOSTO DE RENDA

Incentivo Fiscal Imposto de Renda sobre Pessoa Física IMPOSTO DE RENDA Incentivo Fiscal Imposto de Renda sobre Pessoa Física IMPOSTO DE RENDA O Imposto de Renda sobre Pessoa Física - IRPF é um tributo federal obrigatório a todos os trabalhadores brasileiros que obtiveram

Leia mais

Holding. Aspectos Tributários

Holding. Aspectos Tributários Holding Aspectos Tributários Holding Holding Pura O Objeto da Holding Pura é basicamente a participação no capital de outras sociedades. Dessa forma, a fonte de receitas desta serão os dividendos das empresas

Leia mais

Programa de Voluntariado da Classe Contábil

Programa de Voluntariado da Classe Contábil Programa de Voluntariado da Classe Contábil O Programa de Voluntariado da Classe Contábil compõe o plano de metas estratégicas do Conselho Federal de Contabilidade CFC e contempla parte da sua missão de

Leia mais

Fique atento! Chegou a hora de declarar o. Especial. Não descuide do prazo de entrega e confira como declarar seus planos de previdência.

Fique atento! Chegou a hora de declarar o. Especial. Não descuide do prazo de entrega e confira como declarar seus planos de previdência. Especial IRPF 2011 Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Bradesco Vida e Previdência - Março de 2011 Chegou a hora de declarar o IRPF2011 Fique atento! Não descuide do

Leia mais

Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer

Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer Informativo Abril/2015 edição 20 Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer detalhes para evitar a malha fina. A declaração de imóveis no Imposto de Renda requer uma

Leia mais

Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar

Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar Os fundos de previdência privada, sejam fechados ou abertos, têm características próprias e vantagens tributárias em relação aos investimentos

Leia mais

Imposto de Renda 2012 MANUAL DE INFORMAÇÕES

Imposto de Renda 2012 MANUAL DE INFORMAÇÕES Imposto de Renda 2012 MANUAL DE INFORMAÇÕES Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2012: consulte as informações em seu Informe de Rendimentos Fator (IRF), Ano Calendário de 2011. Elaboramos este

Leia mais

CARTILHA Previdência. Complementar REGIMES TRIBUTÁRIOS

CARTILHA Previdência. Complementar REGIMES TRIBUTÁRIOS CARTILHA Previdência Complementar REGIMES TRIBUTÁRIOS Índice 1. Os planos de Previdência Complementar e os Regimes Tributários... Pág. 3 2. Tratamento tributário básico... Pág. 4 3. Características próprias

Leia mais

MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2015 PLANOS DE PREVIDÊNCIA PORTO SEGURO

MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2015 PLANOS DE PREVIDÊNCIA PORTO SEGURO MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2015 PLANOS DE PREVIDÊNCIA PORTO SEGURO MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2015 PLANOS DE PREVIDÊNCIA PORTO SEGURO O Manual

Leia mais

GUIA IRPF Orientações Gerais

GUIA IRPF Orientações Gerais 2013 GUIA IRPF Orientações Gerais Imposto de Renda 2013 ÍNDICE 1 Obrigatoriedade de entrega 5 2 Formas de entrega 6 3 Multa por atraso na entrega 6 4 Utilizando seu Informe de Rendimentos Financeiros BRADESCO

Leia mais

Legalização de Empresa (Plano Platinum) MEI (Micro Empreendedor Individual) Plano Platinum. Contabilidade (Plano Silver) Valor com desconto

Legalização de Empresa (Plano Platinum) MEI (Micro Empreendedor Individual) Plano Platinum. Contabilidade (Plano Silver) Valor com desconto Descrição Prazo Valor Integral Valor com desconto Legalização de Empresa (Plano Platinum) Até 30 dias corridos 1.200 850,00 Abertura Completa de sua empresa: Contrato Social, CNPJ, Alvará, Inscrição Estadual).

Leia mais

IRPF-2011 MALHA FINA E CUIDADOS ESPECIAIS

IRPF-2011 MALHA FINA E CUIDADOS ESPECIAIS IRPF-2011 MALHA FINA E CUIDADOS ESPECIAIS Instrutora: Andréa Teixeira Nicolini BLOCOS PROGRAMA 1. Regras Gerais Declaração de Ajuste Anual 2011. 2. Deduções Permitidas IRPF 2011. 3. Deduções Parte II.

Leia mais

a d en e R d sto o p e Im 20 d eclaração Cartilha D 1

a d en e R d sto o p e Im 20 d eclaração Cartilha D 1 ÍNDICE 1. Obrigatoriedades... 3 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2014... 4 2.1 Formas de entrega... 4 2.2 Prazo de entrega... 4 2.3 Multa pelo atraso na entrega da declaração... 4 3. Modelos de

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO TRIBUTAÇÃO As informações apresentadas abaixo constituem um resumo das principais considerações fiscais da legislação brasileira que afetam o Fundo e seus investidores e não têm o propósito de ser uma

Leia mais

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa.

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa. MERCADO À VISTA OPERAÇÃO À VISTA É a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações. Quando há a realização do negócio, o comprador realiza o pagamento e o vendedor entrega as ações objeto da transação,

Leia mais

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2014

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2014 EI, VOCÊ AÍ! Regularize a situação da sua empresa com as dicas do Sebrae-SP e aproveite todos os benefícios da formalização. Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual

Leia mais

Rendimentos Tributáveis de Pessoa Jurídica Recebidos Acumuladamente TITULAR

Rendimentos Tributáveis de Pessoa Jurídica Recebidos Acumuladamente TITULAR Rendimentos Acumuladamente TITULAR Veja também... Os rendimentos recebidos acumuladamente, pelo titular da declaração, decorrentes de aposentadoria, pensão, transferência para a reserva remunerada ou reforma,

Leia mais

Indique o Banrisul - banco 041 - para crédito da restituição do Imposto de Renda e aproveite as vantagens que só cliente Banrisul tem.

Indique o Banrisul - banco 041 - para crédito da restituição do Imposto de Renda e aproveite as vantagens que só cliente Banrisul tem. Guia IR 2012 No Banrisul, o leão não assusta. Indique o Banrisul - banco 041 - para crédito da restituição do Imposto de Renda e aproveite as vantagens que só cliente Banrisul tem. O Banrisul antecipa

Leia mais

BOTE FÉ NO FUTURO. Colabore com o FECRIANÇA. Sua doação deduzida do imposto de renda.

BOTE FÉ NO FUTURO. Colabore com o FECRIANÇA. Sua doação deduzida do imposto de renda. BOTE FÉ NO FUTURO Colabore com o FECRIANÇA. Sua doação deduzida do imposto de renda. O Fecriança convida você a colaborar para a construção de um futuro de paz e justiça social. Destine parte do seu Imposto

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA.

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples

Leia mais

Para investir em ações, você precisa ser cadastrado em uma Corretora de Valores, Distribuidora ou em um Banco.

Para investir em ações, você precisa ser cadastrado em uma Corretora de Valores, Distribuidora ou em um Banco. PERGUNTAS FREQUENTES 1. Como investir no mercado de renda variável (ações)? 2. Como é feita a transferência de recursos? 3. Qual a diferença de ações ON (Ordinária) e PN (Preferencial)? 4. Quais são os

Leia mais

CLIPAGEM VEÍCULOS DE PRIMEIRO FOCO. Veículo: Diário da Manhã - GO Data: 23/05/2009 JORNAL

CLIPAGEM VEÍCULOS DE PRIMEIRO FOCO. Veículo: Diário da Manhã - GO Data: 23/05/2009 JORNAL CLIPAGEM VEÍCULOS DE PRIMEIRO FOCO Veículo: Diário da Manhã - GO Data: 23/05/2009 JORNAL 1 Veículo: A Gazeta - MT Data: 25/05/2009 2 Veículo: Jornal da Paraíba Data: 27/05/2009 3 SITE Veículo: Empreendedor

Leia mais

Informativo Março/2015 edição 19. A partir do dia 02 de março do corrente ano, os

Informativo Março/2015 edição 19. A partir do dia 02 de março do corrente ano, os Informativo Março/2015 edição 19 DIRPF2015 A partir do dia 02 de março do corrente ano, os contribuintes poderão entregar suas declarações do Imposto de Renda 2015, até o dia 30 de abril de 2015. É importante

Leia mais

Marcos Puglisi de Assumpção 10. PLANOS DE PREVIDÊNCIA

Marcos Puglisi de Assumpção 10. PLANOS DE PREVIDÊNCIA Marcos Puglisi de Assumpção 10. 2010 Uma das maiores preocupações de um indivíduo é como ele vai passar o final de sua vida quando a fase de acumulação de capital cessar. É preciso fazer, o quanto antes,

Leia mais

CARTILHA. Previdência. Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO. www.sulamericaonline.com.br

CARTILHA. Previdência. Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO. www.sulamericaonline.com.br CARTILHA Previdência Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO www.sulamericaonline.com.br Índice 1. Os Planos de Previdência Complementar e o Novo Regime Tributário 4 2. Tratamento Tributário Básico 5 3. Características

Leia mais

Finança Pessoal. Artigo Clube de Investimento Versão completa em PDF Versão 1.0 www.financapessoal.com.br

Finança Pessoal. Artigo Clube de Investimento Versão completa em PDF Versão 1.0 www.financapessoal.com.br Bem-vindo aos artigos do Finança Pessoal. Nesse primeiro artigo vamos esclarecer as informações sobre os Clubes de Investimentos e vamos fazer um passo-a-passo de como montar um clube. Esse artigo é uma

Leia mais

IRPF 2012. Principais Novidades. Março 2013. Elaborado por: Wagner Mendes. O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

IRPF 2012. Principais Novidades. Março 2013. Elaborado por: Wagner Mendes. O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

É possível colaborar financeiramente com os projetos do Instituto Brasil Solidário* doando parte do imposto de renda.

É possível colaborar financeiramente com os projetos do Instituto Brasil Solidário* doando parte do imposto de renda. Pessoa Física III Encontro Nacional Brasil Solidário É possível colaborar financeiramente com os projetos do Instituto Brasil Solidário* doando parte do imposto de renda. Existe um benefício fiscal que

Leia mais

Prezado empreendedor,

Prezado empreendedor, Prezado empreendedor, Caderno do Empreendedor Este é o Caderno do Empreendedor, criado para facilitar o dia-a-dia da sua empresa. Com ele você poderá controlar melhor suas despesas, saber quanto está vendendo

Leia mais

DJAZIL. Informativo. Organize pagamentos e a Declaração do IRPF. Inicie seu ano com o planejamento tributário

DJAZIL. Informativo. Organize pagamentos e a Declaração do IRPF. Inicie seu ano com o planejamento tributário Informativo DJAZIL Informativo Djazil Nº150 Ano XIII JANEIRO/FEVEREIRO 2014 Data para pagamento do IPTU é alterada para março Adesão ao Simples Nacional deverá ter novo teto Página 3 Página 2 Inicie seu

Leia mais

Cape contabilidade LUCRO REAL

Cape contabilidade LUCRO REAL 1. CONCEITO LUCRO REAL No regime do lucro real o Imposto de Renda devido pela pessoa jurídica é calculado sobre o valor do lucro líquido contábil ajustado pelas adições, exclusões e compensações prescritas

Leia mais

Imposto sobre a Renda. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Imposto sobre a Renda. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Imposto sobre a Renda Objetivos O presente curso tem por objetivo apresentar um estudo sobre o Imposto sobre a Renda, características, conceito, competência, fato gerador, sujeito ativo e passivo, base

Leia mais

Índice. 1. DIRF 2015 Ano-base 2014... 3. 1.1. O que é a DIRF... 3. 1.2. Prazo de Entrega... 3. 1.3. Quem será gerado no arquivo pelo sistema:...

Índice. 1. DIRF 2015 Ano-base 2014... 3. 1.1. O que é a DIRF... 3. 1.2. Prazo de Entrega... 3. 1.3. Quem será gerado no arquivo pelo sistema:... Índice 1. DIRF 2015 Ano-base 2014... 3 1.1. O que é a DIRF... 3 1.2. Prazo de Entrega... 3 1.3. Quem será gerado no arquivo pelo sistema:... 4 2. Geração da DIRF... 5 2.1. Geração Individual (por empresa)...

Leia mais

SAFRAS & CIFRAS NOVIDADES DA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2013

SAFRAS & CIFRAS NOVIDADES DA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2013 NOVIDADES DA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2013 *Ana Paiva * Jacqueline Abreu *Mariana Roza O contribuinte, ao baixar o programa para preencher a sua Declaração de Imposto de Renda Pessoa

Leia mais