e) Moderna Teoria do Conflito. Conceito e estrutura. Aspectos objetivos e subjetivos.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "e) Moderna Teoria do Conflito. Conceito e estrutura. Aspectos objetivos e subjetivos."

Transcrição

1 Centro Mediar e Conciliar Treinamento e Gestão Ltda CNPJ: / PROGRAMA Fundamentação 40 horas Ref.: Resolução 6/2016 ENFAM a) Panorama histórico dos métodos consensuais de solução de conflitos. Deontologia do mediador. Psicologia e tratamento das pessoas com relação aos aspectos da ética, do humanismo e da espiritualidade. Legislação brasileira. Projetos de Lei. Lei dos Juizados Especiais. Resolução CNJ n. 125/2010. Novo Código de Processo Civil. Lei de Mediação. b) A Política Judiciária Nacional de tratamento adequado de conflitos. Objetivos: acesso à justiça, mudança de mentalidade, qualidade do serviço de conciliadores e mediadores. Estruturação CNJ, Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos e Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania. A audiência de conciliação e mediação do novo Código de Processo Civil. Capacitação e remuneração de conciliadores e mediadores. c) Cultura da Paz e Métodos de Solução de Conflitos. Panorama nacional e internacional. Autocomposição e Heterocomposição. Prisma (ou espectro) de processos de resolução de disputas: negociação, conciliação, mediação, arbitragem, processo judicial e processos híbridos. d) Teoria da comunicação/teoria dos jogos. Axiomas da comunicação. Comunicação verbal e não verbal. Escuta ativa. Comunicação nas pautas de interação e no estudo do inter-relacionamento humano: aspectos sociológicos e aspectos psicológicos. Premissas conceituais da autocomposição. e) Moderna Teoria do Conflito. Conceito e estrutura. Aspectos objetivos e subjetivos. f) Negociação. Conceito: integração e distribuição do valor das negociações. Técnicas básicas de negociação (a barganha de posições; a separação de pessoas de problemas; concentração em interesses; desenvolvimento de opções de ganho mútuo; critérios objetivos; melhor alternativa para acordos negociados). Técnicas intermediárias de negociação (estratégias de estabelecimento de rapport; transformação de adversários em parceiros; comunicação efetiva).

2 g) Conciliação. Conceito e filosofia. Conciliação judicial e extrajudicial. Técnicas (recontextualização, identificação das propostas implícitas, afago, escuta ativa, espelhamento, produção de opção, acondicionamento das questões e interesses das partes, teste de realidade). Finalização da conciliação. Formalização do acordo. Dados essenciais do termo de conciliação (qualificação das partes, número de identificação, natureza do conflito). Redação do acordo: requisitos mínimos e exequibilidade. Encaminhamentos e estatística. Etapas (planejamento da sessão, apresentação ou abertura, esclarecimentos ou investigação das propostas das partes, criação de opções, escolha da opção, lavratura do acordo). h) Mediação. Definição e conceitualização. Conceito e filosofia. Mediação judicial e extrajudicial, prévia e incidental; Mediação (acolhida, declaração inicial das partes, planejamento, esclarecimentos dos interesses ocultos e negociação do acordo). Técnicas ou ferramentas (comediação, recontextualização, identificação das propostas implícitas, formas de perguntas, escuta ativa, produção de opção, acondicionamento das questões e interesses das partes, teste de realidade ou reflexão). i) Áreas de utilização da conciliação/mediação. Empresarial, familiar, civil (consumerista, trabalhista, previdenciária etc.), penal e justiça restaurativa; o envolvimento com outras áreas do conhecimento. j) Interdisciplinaridade da mediação. Conceitos das diferentes áreas do conhecimento que sustentam a prática: sociologia, psicologia, antropologia e direito. k) O papel do conciliador/mediador e sua relação com os envolvidos (ou agentes) na conciliação e na mediação. Os operadores do direito (o magistrado, o promotor, o advogado, o defensor público etc.) e a conciliação/mediação. Técnicas para estimular advogados a atuarem de forma eficiente na conciliação/mediação. Contornando as dificuldades: situações de desequilíbrio, descontrole emocional, embriaguez, desrespeito. l) Ética de conciliadores e mediadores. Deontologia. O terceiro facilitador; funções, postura, atribuições, limites de atuação. Código de Ética Resolução CNJ n. 125/2010.

3 METODOLOGIA Adotamos o modelo Behaviorista Conectivista como fundamento didático de ensino: uso de reforço positivo e negativos como avaliação por participação, comportamentos, discussões em sala. Aprendizado em comunidade: o aprender colaborativamente; a formação de conexões com demais pessoas ou redes de relacionamentos como atividade essencial para a aprendizagem, com a apresentação/exposição da aula pelos professores de cada disciplina nas datas agendadas previamente. Em nossas aulas propomos não apenas debates, como a apresentação de painéis, trabalhos em grupo, exposição pelo aluno e em grupos, exposições dialogadas, desenvolvimento de pesquisas, dinâmicas de grupo, exercícios em questionários Google Forms e Poll Everywhere. Para isto nossas salas são equipadas de projetor multimídia retroprojetor, data show, TV, vídeo, aparelho de som, gravador, quadro e giz, lousa branca e flit chart) BIBLIOGRAFIA Bibliografia Básica: Manual de Mediação Judicial 6ª Edição; Mediação nos Conflitos Civis- Fernanda Tartuce, 2a. Edic. Editora Método Comunicação Não Violenta- Marshall Rosenberg- Agora Editora- ed. 2006, Desvendando os Segredos da Linguagem Não Verbal- Bárbara Pease, Ed. Sextante Conversas Difíceis - Como Argumentar sobre Questões Importantes Ed. Campus Douglas Stone, Bruce Patton, Sheila Heen ; Como Chegar ao Sim Com Você Mesmo- Ed. Sextante / Gmt, 2015, Ury, William Bibliografia Complementar: A cabeça do brasileiro. Autor: Alberto Carlos Almeida, Ed. Record- 2007; TED Talks- Como Falar em Público ESTÁGIO SUPERVISIONADO Apenas iniciará o Estágio Supervisionado o aluno que entregar o Relatório Teórico no prazo, e estar aprovado nesta fase, com a nota mínima de 7,0. Sem o qual estará eliminado para seguir no módulo prático de estágios. O Estágio Supervisionado será realizado por Docente/ Mediador com a experiência profissional e formação mínima requerida pela Resolução 6/2016 ENFAM, atualizada pela Resolução 3/2017 ENFAM. A fim de manter padrões mínimos de qualidade na fase de estágios supervisionado, serão atribuídos 30 alunos por supervisor.

4 Distribuição da Carga Horária Observador: 40 horas; Comediador: 10 horas; Mediador: 10 horas. Locais de realização dos estágios: Os Estágios serão realizados nos locais oficiais do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, quais sejam, Cejuscs- Centros Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania; Juizados Especiais Civeis e demais localidades oficiais TJSP onde ocorram sessões de mediação e conciliação. AVALIAÇÃO O aluno será avaliado pelo seguinte critérios: MÓDULO TEÓRICO: 40 HORAS 1- (1,0) ponto pela realização dos questionários semanais com 10 questões disponíveis no site do aluno 2- (0,5) ponto pela Declaração de Abertura como atividade prática em sala de aula; 3- Nota mínima de 7,0 no Relatório Teórico. Critérios: Entrega de no máximo 30 dias após o final do curso Teórico- Conter 20 páginas no mínimo com os seguintes temas : 1- Dissertar sobre políticas públicas; 2- Dissertar sobre a Legislação atual - mediação. 3- Falar sobre os métodos alternativos de conflito; 4- Breve história da Mediação no Mundo; 5- Breve história da Mediação no Brasil; 6- Escolas e Modelos de Mediação; 7- Falar sobre a teoria dos jogos (cooperação)- Nash 8- Falar sobre o Conflito; 9- Descrever o gráfico de Leonardo Riskin;10- Negociação; 11- Ambiente na mediação; 12- Partes na Mediação; 13- Quais são as técnicas usadas na mediação; 14- Quais são as etapas da mediação; 15- Descrever as 12 Ferramentas para 16- Falar sobre os princípios éticos; 17- Acordo; 18- Como tratar o advogado na mediação; 19- Estatísticas; 20- Sua Declaração de Abertura Eficaz (narrativa). 4- Frequência: Será comprovada por meio de lista de presença que deverá ser assinada a cada aula presencial. MÓDULO PRÁTICO: 60 HORAS: 5- A cada 10 horas de Estágio Prático o aluno deverá submeter seus relatórios para validação, calibragem e alinhamentos, onde serão aferidos a qualidade da aplicação dos

5 fundamentos incorporados na jornada teórica. Fundamentação e a qualidade do discurso e a aplicação das técnicas e ferramentas (caso este estagiários estivesse no lugar daquele mediador assistido). A presença em sessões de supervisão é obrigatória de 2ª a 5ª das 18h30 as 22h30 ou aos Sábados das 08h00 às 17h00 no mesmo local de realização do curso teórico- Rua Maestro Cardim, Momento em que o aluno poderá sanar as dúvidas e receber as orientações de seu supervisor de estágios. 6- Ao atingir as 60 horas de atividades práticas, desde que em conformidade com a proposta do curso e a Resolução 125/2010-CNJ, o aluno deverá encerrar sua jornada entregando 100% dos relatórios de Horas e de Observação por meio de arquivo digitalizado e fechado em extensão PDF para arquivos internos da Escola. 7- Para receber o Certificado o aluno deverá passar pela prova oral: Sustentar uma DECLARAÇÃO DE ABERTURA de no máximo 3 minutos, fazendo constar os seguintes princípios: Confidencialidade, Imparcialidade, Voluntariedade e Autonomia da Vontade, sem o qual não poderá seguir com a certificação.

CURSO BÁSICO DE MEDIAÇÃO PARA MAGISTRADOS APOSENTADOS 15 a 19 de agosto de 2016

CURSO BÁSICO DE MEDIAÇÃO PARA MAGISTRADOS APOSENTADOS 15 a 19 de agosto de 2016 CURSO BÁSICO DE MEDIAÇÃO PARA MAGISTRADOS APOSENTADOS 15 a 19 de agosto de 2016 Local: Auditório da AMB (SCN Qd. 02 Bl. D Torre B Sala 1302, Centro Empresarial Liberty Mall, Brasília/DF) Instrutores: Eutália

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES Descrição Curso de formação de Conciliadores e Mediadores Judiciais conforme Resolução 125/2010 e Emenda 1/2013 do CNJ Conselho Nacional de Justiça, Lei

Leia mais

CAPACITAÇÃO TEÓRICA E PRÁTICA EM MEDIAÇÃO DE CONFLITOS OAB/RJ 2017

CAPACITAÇÃO TEÓRICA E PRÁTICA EM MEDIAÇÃO DE CONFLITOS OAB/RJ 2017 CAPACITAÇÃO TEÓRICA E PRÁTICA EM MEDIAÇÃO DE CONFLITOS OAB/RJ 2017 Objetivos: (i) ampliar habilidades para escolha do método mais adequado a cada situação de conflito; (ii) capacitar mediadores de conflitos

Leia mais

Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores. Resolução 125/2010 do CNJ

Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores. Resolução 125/2010 do CNJ Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores Resolução 125/2010 do CNJ Objetivos do Curso Transmitir informações teóricas gerais sobre a conciliação e a mediação, bem como vivência prática para aquisição

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES CURSO DE CAPACITAÇÃO DE MEDIADOR E CONCILIADOR JUDICIAIS (ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO) Edital nº 001/2016 A SENSATUS Câmara Internacional de Conciliação Mediação e Arbitragem,

Leia mais

PARÂMETROS PARA A CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES JUDICIAIS

PARÂMETROS PARA A CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES JUDICIAIS PARÂMETROS PARA A CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES JUDICIAIS O curso de capacitação básica dos terceiros facilitadores (conciliadores e mediadores) tem por objetivo transmitir informações teóricas

Leia mais

CAPACITAÇÃO MEDIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL

CAPACITAÇÃO MEDIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL CAPACITAÇÃO MEDIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL Identificação do curso Empresa: Centro de Mediadores Instituto de Ensino. Titulo do curso: Capacitação em Mediação Judicial. Modalidade: Presencial. Pré-requisito:

Leia mais

E D I T A L N. 29/2011

E D I T A L N. 29/2011 E D I T A L N. 29/2011 CURSO DE ATUALIZAÇÃO DE SERVIDORES E FUNCIONÁRIOS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS O Presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas, Desembargador SEBASTIÃO COSTA

Leia mais

Nauraima da Rocha Martins

Nauraima da Rocha Martins ADVOGADA, MEMBRO DA CÂMARA DE CONCILIAÇÃO, MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM - OAB/SP. TUTORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL PELO MJ/ UNB/ ENAM, INSTRUTORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL CNJ, SUPERVISORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL CNJ, SUPERVISORA

Leia mais

Curso de Aperfeiçoamento para fins de Promoção por Merecimento - Administração Judiciária (Semipresencial) Público-alvo: magistrados catarinenses

Curso de Aperfeiçoamento para fins de Promoção por Merecimento - Administração Judiciária (Semipresencial) Público-alvo: magistrados catarinenses Capacitação em Competências de Mediação Judicial Joinville Público-alvo: servidores e voluntários/conveniados que atuam nas varas cíveis, juizados especiais e nos serviços não adversariais implantados

Leia mais

Visa resolver o conflito de maneira amigável, em uma conversa feita pelas partes com o objetivo de avaliar a possibilidade de um acordo.

Visa resolver o conflito de maneira amigável, em uma conversa feita pelas partes com o objetivo de avaliar a possibilidade de um acordo. CONCEITO A conciliação é um processo, na medida em que possui procedimentos estabelecidos, de forma lógica e cronológica, para se alcançar um determinado fim. Visa resolver o conflito de maneira amigável,

Leia mais

LUCIANA DE FIGUEIREDO SILVA MEIRELLES

LUCIANA DE FIGUEIREDO SILVA MEIRELLES LUCIANA DE FIGUEIREDO SILVA MEIRELLES Formação Psicóloga formada pela Faculdade de Filosofia Letras e Ciências São Marcos SP - CRP 10845. Especialização em Psicoterapia Clínica pelo Instituto Sedes Sapientiae

Leia mais

2015 MATRIZ CURRICULAR 1º

2015 MATRIZ CURRICULAR 1º MATRIZ CURRICULAR 1º Período 01 Metodologia Científica I 40H Não há 2 02 História do Direito e do Pensamento Jurídico 40H Não há 2 03 Introdução ao Estudo do Direito 60H Não há 3 04 Linguagem e Comunicação

Leia mais

Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação

Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação Janda Thibes Mediação, Técnicas e Ambiente da Mediação Advogada, Membro da Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça RESOLUÇÃO Nº 125, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. Dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

SOLUÇÃO DE CONFLITOS: CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM7

SOLUÇÃO DE CONFLITOS: CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM7 SOLUÇÃO DE CONFLITOS: CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM7 MÉTODOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS LEI DE ARBITRAGEM LEI DE MEDIAÇÃO O NOVO CPC A RESOLUÇÃO 125/2010-CNJ MICROSSISTEMA A RESOLUÇÃO 125/10-CNJ, O NOVO CÓDIGO

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS CURSO DE DIREITO CALENDÁRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1º SEMESTRE DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I 3º.

FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS CURSO DE DIREITO CALENDÁRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1º SEMESTRE DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I 3º. 20-02-16 Sábado 08:30h 02-04-16 - Sábado 08:30h ESTÁGIO SUPERVISIONADO I 3º. Período * As aulas práticas têm início às 08:30h, impreterivelmente, não sendo tolerados atrasos. A aprovação. Em caso de reprovação

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO V Código da Disciplina: JUR 279 Curso: Direito Semestre de oferta da disciplina: 7º Faculdade responsável: Direito Programa em vigência a partir

Leia mais

Instituto de Educação Superior de Boituva

Instituto de Educação Superior de Boituva CURSOS DE DIREITO MATRIZ 2016 1º PERÍODO = 0 horas aulas Leitura e Interpretação de Textos COMPL Introdução ao Estudo do Direito Sociologia Geral e Jurídica Ciência Política Direito Penal I História do

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Direito

Estrutura Curricular do Curso de Direito Estrutura Curricular do Curso de Direito 1º Período Introdução ao Direito - História do Direito Português Aplicado ao Discurso Jurídico I Ciência Política e Teoria Geral do Estado - Antropologia Jurídica

Leia mais

Curso de Formação e Capacitação de Conciliadores e Mediadores

Curso de Formação e Capacitação de Conciliadores e Mediadores Curso de Formação e Capacitação de Conciliadores e Mediadores ATIVIDADES DE ESTÁGIO 1ª Fase 30 horas de observações de sessões de mediação / conciliação. 10 horas de observação e assistência ao mediador

Leia mais

REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO

REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO PORTO ALEGRE 2014 SUMÁRIO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA Normatiza a realização dos estágios supervisionados previstos nas Matrizes Curriculares dos Cursos Superiores de Licenciatura

Leia mais

E D I T A L N. 86/2015

E D I T A L N. 86/2015 E D I T A L N. 86/2015 CURSO DE CAPACITAÇÃO EM CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO PARA OS SERVIDORES DO PODER JUDICIÁRIO DE ALAGOAS, NOS MOLDES DA RESOLUÇÃO Nº 125, COM AS ALTERAÇÕES DA EMENDA Nº 1/2013, DO CONSELHO

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS (FCJP)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS (FCJP) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS (FCJP) Considerando a Resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE)/ Câmara de Educação Superior

Leia mais

GRADE HORÁRIA 1º SEMESTRE DE 2016

GRADE HORÁRIA 1º SEMESTRE DE 2016 1º PERÍODO/SEMESTRE # TURNO Noite_ Sociologia Geral e Ciência Política e Sociologia Geral e Língua Portuguesa Língua Portuguesa Jurídica Teoria Geral do Estado Jurídica Sociologia Geral e Jurídica Ciência

Leia mais

Nauraima da Rocha Martins

Nauraima da Rocha Martins ADVOGADA, MEMBRO DA CÂMARA DE CONCILIAÇÃO, MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM - OAB/SP. TUTORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL PELO MJ/ UNB/ ENAM, INSTRUTORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL CNJ, SUPERVISORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL CNJ, SUPERVISORA

Leia mais

Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação

Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação Regina Lima e Souza CEO- Centro Mediar e Conciliar CEO do Centro Mediar & Conciliar- Cursos de Mediação. Mediadora

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Estágio Curricular Supervisionado em Educação Infantil I Código da Disciplina: EDU Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável: Pedagogia

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE DIREITO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE DIREITO CAPÍTULO III ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS Art. 50. Este Regulamento rege as atividades relativas aos estágios supervisionados do Curso de Direito.

Leia mais

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EM NEGOCIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EM NEGOCIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM ACÇÃO DE FORMAÇÃO EM NEGOCIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM OBJECTIVO GERAL DA ACÇÃO Proporcionar uma experiência e vivência prática da resolução de conflitos, desenvolvendo competências que permitam detectar,

Leia mais

Ordenações Filipinas Livro 3 T.20, 1 : E no começo da demanda dirá o Juiz a ambas as partes que, antes que façam as despesas e se sigam entre eles o

Ordenações Filipinas Livro 3 T.20, 1 : E no começo da demanda dirá o Juiz a ambas as partes que, antes que façam as despesas e se sigam entre eles o Ordenações Filipinas Livro 3 T.20, 1 : E no começo da demanda dirá o Juiz a ambas as partes que, antes que façam as despesas e se sigam entre eles o ódio e as dissensões, se devem concordar e não gastar

Leia mais

FLUXOGRAMA DO CURSO DE DIREITO º Semestre

FLUXOGRAMA DO CURSO DE DIREITO º Semestre 6 FLUXOGRAMA DO CURSO DE DIREITO 2007.1 1º Semestre Ciência Política e Teoria do Estado Filosofia - Geral e do Direito Ciências Sociais Introdução ao Estudo do Direito Português Instrumental e Produção

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO Capítulo I: Da Natureza e dos objetivos: Artigo 1º - O presente regulamento disciplina o aproveitamento de 360 horas do Estágio Supervisionado

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 160 aprovado pela portaria Cetec nº 138 de 04 / 10 /2012 Etec Professora Ermelinda Giannini Teixeira Código: 187 Município: Santana de Parnaíba

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES ÁREAS DE UTILIZAÇÃO DA MEDIAÇÃO. Dra. Ana Luiza Pretel 23 /03 / 2016

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES ÁREAS DE UTILIZAÇÃO DA MEDIAÇÃO. Dra. Ana Luiza Pretel 23 /03 / 2016 CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES ÁREAS DE UTILIZAÇÃO DA MEDIAÇÃO Dra. Ana Luiza Pretel 23 /03 / 2016 ÁREAS DE UTILIZAÇÃO DA MEDIAÇÃO 1.Esperamos alcançar o que? resolvermos a questão

Leia mais

DISCIPLINAS/ATIVIDADES OBRIGATÓRIAS

DISCIPLINAS/ATIVIDADES OBRIGATÓRIAS MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 103/2010 EMENTA: Estabelece o Currículo do Curso de Graduação em Direito - Macaé. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL E ENGENHARIA DE TRÁFEGO FAMEBLU Engenharia Civil Aula 1: Apresentação Plano de Ensino Estratégia Corporativa Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Curso: ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

CENTRO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CEDECA RIO DE JANEIRO)

CENTRO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CEDECA RIO DE JANEIRO) CENTRO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CEDECA RIO DE JANEIRO) CNPJ Nº 10.832.372/0001-38 EDITAL Nº 001 /2017 O CENTRO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CEDECA RJ, no

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DE NOTAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO (NÚCLEO DE PRÁTICAS JURÍDICAS)

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DE NOTAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO (NÚCLEO DE PRÁTICAS JURÍDICAS) REGULAMENTO DE NOTAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO (NÚCLEO DE PRÁTICAS JURÍDICAS) DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Art. 1º O Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito da FCHPE destina-se ao treinamento de

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: DEONTOLOGIA JURÍDICA Código da Disciplina: JUR268 Curso: DIREITO Semestre de oferta da disciplina: 2º Faculdade responsável: DIREITO Programa em vigência a partir de:

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO 2. EMENTA 3. OBJETIVOS 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. IDENTIFICAÇÃO 2. EMENTA 3. OBJETIVOS 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-17 PERÍODO: 3º PERÍODO CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: TEORIA GERAL DO PROCESSO NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL:

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Artigo 1º - O Estágio Supervisionado de que trata este regulamento refere-se à formação de

Leia mais

Pós-Graduação Lato Sensu Mediação e os Métodos Adequados de Solução de Conflitos- 2016

Pós-Graduação Lato Sensu Mediação e os Métodos Adequados de Solução de Conflitos- 2016 Pós-Graduação Lato Sensu Mediação e os Métodos Adequados de Solução de Conflitos- 2016 Credenciado pelo NUPEMEC Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 380 horas-aula Objetivo Promover o estudo

Leia mais

GRADE HORÁRIA 2º SEMESTRE DE 2016

GRADE HORÁRIA 2º SEMESTRE DE 2016 1º PERÍODO/SEMESTRE # TURNO Noite # SALA # Nº DE ALUNOS Sociologia e Sociologia e Jurídica Jurídica Língua Portuguesa História do Língua Portuguesa Sociologia e Jurídica Sociologia e Jurídica Língua Portuguesa

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Dispõe sobre a estruturação e operacionalização do Núcleo de Prática Jurídica e do Estágio Supervisionado no Curso de Direito da Faculdade

Leia mais

REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Os alunos do Curso de Estatística da UFPR regularmente matriculados na disciplina CE078

Leia mais

URI Câmpus de Frederico Westphalen Curso de Nutrição Período I 2017

URI Câmpus de Frederico Westphalen Curso de Nutrição Período I 2017 Citologia, Histologia e Embriologia Gera Química Orgânica I - Q Rosangela Ferigollo Binotto Sandro Rogério Giacomelli Doutora http://lattes.cnpq.br/9116384900915590 A disciplina será desenvolvida sob a

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Currículo: 0101 Documentação: jetivo: Titulação: Diplomado em: Curso reconhecido pelo Decreto Federal 033, de 07/01/196, publicado no Diário Oficial da União de 01/0/196 Decreto Criacao = 033-07/01/196

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: Escola de Engenharia Curso: Licenciatura em Química Núcleo Temático: Químico Pedagógico Disciplina: Conteúdo e Metodologia do Ensino de Química I Código da Disciplina: 06013201 Professor(es):

Leia mais

CONCILIAÇÃO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 12 e 13 de maio de 2016 ENUNCIADOS/RECOMENDAÇÕES

CONCILIAÇÃO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 12 e 13 de maio de 2016 ENUNCIADOS/RECOMENDAÇÕES CONCILIAÇÃO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 12 e 13 de maio de 2016 ENUNCIADOS/RECOMENDAÇÕES A conciliação em demandas de alta complexidade, relevância social e/ou com desdobramentos estadual e regional

Leia mais

1 - Modelo de Relatório Final de Estágio Supervisionado CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL GUAXUPÉ UNIFEG CURSO DIREITO

1 - Modelo de Relatório Final de Estágio Supervisionado CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL GUAXUPÉ UNIFEG CURSO DIREITO IN 01/2013 INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DE RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 - Modelo de Relatório Final de Estágio Supervisionado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Geografia Departamento/Setor: Geografia Disciplina: Didática para o ensino de Geografia II Código: Ano: 2012 Distribuição De

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio PLANO DE ENSINO Curso Disciplina/Carga horária Professor Responsável Licenciatura em Matemática ESTG 04- Estágio Supervisionado IV (150h.a) Nome: Marleide Coan Cardoso email:marleide@ifc-sombrio.edu.br

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispõe sobre estágio de prática docente para os alunos do Mestrado em Direito e Instituições do Sistema de Justiça. Art. 1º O Estágio de Prática Docente (EPD) tem por objetivo aperfeiçoar

Leia mais

PLANO INSTRUCIONAL I. IDENTIFICAÇÃO DO DOCENTE II. IDENTIFICAÇÃO DA AÇÃO EDUCACIONAL

PLANO INSTRUCIONAL I. IDENTIFICAÇÃO DO DOCENTE II. IDENTIFICAÇÃO DA AÇÃO EDUCACIONAL PLANO INSTRUCIONAL I. IDENTIFICAÇÃO DO DOCENTE Instrutores Vide página de inscrição II. IDENTIFICAÇÃO DA AÇÃO EDUCACIONAL Título Modalidade Carga horária Data(s) Horário Público-Alvo CURSO DE GESTÃO INTEGRADA

Leia mais

Unidade 1- Conceitos das Principais Ferramentas de análise do ambiente para Negociação:

Unidade 1- Conceitos das Principais Ferramentas de análise do ambiente para Negociação: DISCIPLINAS DO EIXO DE FORMAÇÃO ESPECIFICA DISCIPLINA: Negociação Comercial CÓDIGO:????? PERÍODO: 3º CARGA HORARIA SEMANAL: 08 horas/relógio CARGA HORÁRIA TOTAL: 160 horas/relógio COMPETÊNCIAS Capacidade

Leia mais

CÂMARA BRASILEIRA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS VAMOS CONCILIAR REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO

CÂMARA BRASILEIRA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS VAMOS CONCILIAR REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO CÂMARA BRASILEIRA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS VAMOS CONCILIAR REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO A Câmara de Conciliação e Mediação VAMOS CONCILIAR, dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para

Leia mais

Categorias/ Questões. Habilidades e Competências. Textos, filmes e outros materiais. Conteúdos/ Matéria. Semana. Tipo de aula UNIDADE I.

Categorias/ Questões. Habilidades e Competências. Textos, filmes e outros materiais. Conteúdos/ Matéria. Semana. Tipo de aula UNIDADE I. PLANO DE CURSO DISCIPLINA: RESOLUÇÃO ALTERNATIVA DE DISPUTAS (CÓD. ENEX 60133) ETAPA: 6ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS GERAIS:

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS GERAIS: PLANO DE ENSINO FACULDADE: Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais CURSO: Direito Período: 3 DEPARTAMENTO: Ano: 2016 DISCIPLINA: Teoria Geral do Processo CARGA HORÁRIA: 80 horas PRÉ-REQUISITO: não há.

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ PLANO DE ENSINO CURSO: DIREITO MODALIDADE: Presencial DISCIPLINA: ESTÁGIO IV CARGA HORÁRIA: 72h/a ANO: 2011 SEMESTRE: 2º PROFESSOR: PAOLA JULIEN O. DOS SANTOS TURMAS: 10 DIN OBJETIVOS O objetivo precípuo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: UNID. ACAD. ESP/LETRAS-HUMANAS-SOCIAIS Curso: Direito Disciplina: TEORIA GERAL DO PROCESSO Carga horária semestral: 64H/AULA. Teórica: 43hs.. Prática:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Gestão de Pessoas (optativa) Código da Disciplina: EPD029 Cursos: Engenhraria de Produção e Engenharia Mecânica

Leia mais

JULIANA MARIA POLLONI BARROS DOS SANTOS

JULIANA MARIA POLLONI BARROS DOS SANTOS JULIANA MARIA POLLONI BARROS DOS SANTOS Doutora em Serviço Social pela Universidade Estadual Paulista UNESP (2013). Tese de Doutorado Mediação familiar: diálogo interdisciplinar. Mestre em Direito pela

Leia mais

O Diretor Geral do Instituto Federal Catarinense Câmpus Rio do Sul, no uso das suas atribuições,

O Diretor Geral do Instituto Federal Catarinense Câmpus Rio do Sul, no uso das suas atribuições, INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS RIO DO SUL Nº 01/2012 Dispõe sobre as normas para elaboração, trâmite, análise e aprovação dos Planos de Ensino dos Cursos de Educação Profissional Técnica de Nível

Leia mais

REFLEXOS DO NOVO CPC NO DIREITO DE FAMÍLIA

REFLEXOS DO NOVO CPC NO DIREITO DE FAMÍLIA REFLEXOS DO NOVO CPC NO DIREITO DE FAMÍLIA FERNANDA TARTUCE Advogada orientadora do Departamento Jurídico XI de Agosto (USP); Mediadora; Mestre e Doutora em Direito Processual Civil pela USP; Professora

Leia mais

PERSONAL & PROFESSIONAL COACH Método Augusto Cury

PERSONAL & PROFESSIONAL COACH Método Augusto Cury PERSONAL & PROFESSIONAL COACH Método Augusto Cury CARGA HORÁRIA: 180 (cento e oitenta) horas TIPO DE CURSO: Presencial de 120 (cento e vinte) horas (QUALIDADE DE VIDA: GESTÃO DO ESTRESSE E DA ANSIEDADE;

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: TEORIA GERAL DO PROCESSO Código da Disciplina: JUR214 Curso: DIREITO Semestre de oferta da disciplina: 3º

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: TEORIA GERAL DO PROCESSO Código da Disciplina: JUR214 Curso: DIREITO Semestre de oferta da disciplina: 3º PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: TEORIA GERAL DO PROCESSO Código da Disciplina: JUR214 Curso: DIREITO Semestre de oferta da disciplina: 3º Faculdade responsável: DIREITO Programa em vigência a partir

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo tecnológico: AMBIENTE e SAÚDE Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

ASSISTÊNCIA JURÍDICA ITINERANTE ÀS COMUNIDADES HIPOSSUFICIENTES

ASSISTÊNCIA JURÍDICA ITINERANTE ÀS COMUNIDADES HIPOSSUFICIENTES ASSISTÊNCIA JURÍDICA ITINERANTE ÀS COMUNIDADES HIPOSSUFICIENTES PROJETO DE EXTENSÃO COMUNITÁRIA INTERDISCIPLINAR ATENDIMENTO JURÍDICO ITINERANTE ÀS COMUNIDADES HIPOSSUFICIENTE INSERINDO PRÁTICAS DE MEDIAÇÃO,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE DIREITO CURRÍCULO PLENO BACHARELADO 1 CICLO/MÓDULO A Fundamental: (Direito, Política e Economia) Ciência Política 02 0 02 40 Economia e Negócios 04 0 04 80 Fundamentos do Direito Civil 04 0 04

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

Instituto da Mediação. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Instituto da Mediação. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Instituto da Mediação Lei nº 13.140, de 26 de junho de 2015 Conflito Do Latim confictus, confligere, que significa embate, oposição, encontro, pendência. Seria o entrechoque de ideias ou de interesses,

Leia mais

Pedagogia Licenciatura S-20 - Educação e Diversidade S-20 - Filosofia Geral

Pedagogia Licenciatura S-20 - Educação e Diversidade S-20 - Filosofia Geral Página 0001 de 0004 1º Período 6387-02S-20 - Educação e Diversidade 0 40-040 0491-02S-20 - Filosofia Geral 0 40-040 PED 0845-02S-20 - História da Educação I 0 40-040 PED 0752-02S-20 - Introdução à 0 40-040

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Profª Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Sociologia Aplicada Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 2 1 - Ementa (sumário, resumo) Teorias sociológicas e seus relacionamentos

Leia mais

161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 DISCIPLINA CARGA HORÁRIA TIPO

161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 DISCIPLINA CARGA HORÁRIA TIPO PÁGINA: 1 INGRESSOS DE 20041 161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 NÚMERO MÁXIMO DE PERÍODOS 9 CARGA HORÁRIA 3640 1 132 FUNDAMENTOS ÉTICOS DE EDUCAÇÃO 30 OBRIGATORIA

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA ESTRATÉGIA DE NEGOCIAÇÃO

PROGRAMA DE DISCIPLINA ESTRATÉGIA DE NEGOCIAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CÂMPUS DE ARAGUAÍNA CURSO DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA Avenida Paraguai esq. com a rua Uxiramas, S/N, Setor CIMBA 77.824-838 Araguaína/TO (63)

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO FIL02457 - FILOSOFIA POLÍTICA I (60 h, OBR) O homem e sua ação política. A noção de polis no pensamento grego antigo e seus desdobramentos

Leia mais

Estágio Supervisionado no Ensino Médio 180 horas/aula 2014/1 Licenciatura em Matemática Michelsch João da Silva

Estágio Supervisionado no Ensino Médio 180 horas/aula 2014/1 Licenciatura em Matemática Michelsch João da Silva Disciplina: Estágio Supervisionado no Ensino Médio Carga Horária: 180 horas/aula Período: 2014/1 Curso: Licenciatura em Matemática Professor: Michelsch João da Silva michelsch.silva@caxias.ifrs.edu.br

Leia mais

Faculdade Católica Nossa Senhora das Neves PLANO DE DISCIPLINA

Faculdade Católica Nossa Senhora das Neves PLANO DE DISCIPLINA Faculdade Católica Nossa Senhora das Neves PLANO DE DISCIPLINA 1. Dados do curso/disciplina Curso: Administração Semestre: 2010.2 Disciplina: Comportamento Organizacional Carga horária: 72 horas/aula (36

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANTIDA PELA INSTITUIÇÃO PAULISTA DE ENSINO E CULTURA - IPEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA TUPÃ SP 2016 LEGISLAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

PEDAGOGIA NORMAL SUPERIOR E COMPLEMENTAÇÃO DE ESTUDOS/ MÓDULO II OFERTA ESPECIAL DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO

PEDAGOGIA NORMAL SUPERIOR E COMPLEMENTAÇÃO DE ESTUDOS/ MÓDULO II OFERTA ESPECIAL DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO DISCIPLINAS PEDAGOGIA NORMAL SUPERIOR E COMPLEMENTAÇÃO DE ESTUDOS/ MÓDULO II OFERTA ESPECIAL DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO PEDAGOGIA 2004 PEDAGOGIA 2006 PEDAGOGIA 2007 PEDAGOGIA

Leia mais

NÚCLEO TEMÁTICO I CONCEPÇÃO E METODOLOGIA DE ESTUDOS EM EaD

NÚCLEO TEMÁTICO I CONCEPÇÃO E METODOLOGIA DE ESTUDOS EM EaD UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ-UFPR SETOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA MAGISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL CURSO DE PEDAGOGIA MAGISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS

Leia mais

Curso de Mediação e Conciliação- Resolução 125/2010 CNJ

Curso de Mediação e Conciliação- Resolução 125/2010 CNJ Curso de Mediação e Conciliação- Resolução 125/2010 CNJ ÉTICA NA MEDIAÇÃO SIGNIFICADO DAS PALAVRAS ÉTICA E MORAL A palavra ética vem do Grego ethos que significa modo de ser ou caráter. Já a palavra moral

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho de Jales Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Saúde, Segurança e Trabalho Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS A HABILITAR À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MEDIAÇÃO NOS JULGADOS DE PAZ

CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS A HABILITAR À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MEDIAÇÃO NOS JULGADOS DE PAZ CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS A HABILITAR À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MEDIAÇÃO NOS JULGADOS DE PAZ 1. OBJECTIVOS Esta formação de Mediação no âmbito da MEDIAÇÃO NO ÂMBITO DOS JULGADOS DE PAZ visa dotar

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Matriz Curricular do Curso Superior de Tecnologia em

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA

ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA A2-121 ESTÁGIO OBRIGATÓRIO A atual Resolução CNE/CES n o 11, de 11 de março de 2002, do Conselho Nacional de Educação

Leia mais

MANUAL DO ALUNO CURSO DE EXTENSÃO - NOVO CPC, PRÁTICA CIVIL E RECURSAL

MANUAL DO ALUNO CURSO DE EXTENSÃO - NOVO CPC, PRÁTICA CIVIL E RECURSAL , Mantenedora: Escola Tecnológica de Curitiba Ltda. Credenciada pela Portaria do Mec nº 1.207/2016 de 26/10/2016, publicada no DOU em 28/10/2016 MANUAL DO ALUNO CURSO DE EXTENSÃO - NOVO CPC, PRÁTICA CIVIL

Leia mais

1.2 O(a) aluno(a) deverá matricular-se pessoalmente ou por meio de procuração.

1.2 O(a) aluno(a) deverá matricular-se pessoalmente ou por meio de procuração. EDITAL 033/2017/FACELI ABERTURA DE MATRÍCULAS PARA DISCIPLINAS EM REGIME DE DEPENDÊNCIA OU ADAPTAÇÃO PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACELI, PARA O SEMESTRE LETIVO 2017/1 A Diretora Acadêmica da Faceli

Leia mais

CAPACITAÇÃO PARA CONCILIADORES E MEDIADORES

CAPACITAÇÃO PARA CONCILIADORES E MEDIADORES CAPACITAÇÃO PARA CONCILIADORES E MEDIADORES 1 COMPORTAMENTO HUMANO E COMUNICAÇÃO 2 A experiência mostra que os homens são governados por aquilo que costumam ver e fazer, a ponto de, mesmo as melhorias

Leia mais

ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Este regulamento é próprio das Atividades Complementares do Curso de Direito do Centro Universitário Dinâmica das Cataratas - UDC e será regido por essas

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR REGULAMENTO INSTITUCIONAL

PROJETO INTEGRADOR REGULAMENTO INSTITUCIONAL PROJETO INTEGRADOR REGULAMENTO INSTITUCIONAL ITAPERUNA 2015 Este regulamento cria e regulamenta as normas do componente curricular Projeto Integrador da Faculdade Redentor com efeitos a partir do 2º semestre

Leia mais