CAPACITAÇÃO CONCILIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAPACITAÇÃO CONCILIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL"

Transcrição

1 CAPACITAÇÃO CONCILIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL

2 Identificação do curso Empresa: Centro de Mediadores Instituto de Ensino. Titulo do curso: Capacitação em Conciliação Judicial Modalidade: Presencial. Pré-requisito: Ser graduado ou estudante a partir do 4º semestre de qualquer curso de nível superior reconhecido pelo MEC. Investimento: R$ 2.300,00. Formas de pagamento: Cartão de crédito (12x sem juros), boleto, débito e transferência bancária (10% de desconto). Total da carga horária: 100h. Vagas por curso: 32. Número de Instrutores: 4 Cronograma curso I Fase Encontros Carga horária Local TEÓRICA 03/03/2018 (13H ÀS 19H) 04/03/2018 (09 ÀS 18H) 10/03/2018(13H ÀS 19H) 11/03/2018 (09 ÀS 18H) 17/03/2018(13H ÀS 19H) 18/03/2018 (09 ÀS 18H) ESTÁGIO Definido no decorrer da fase teórica. Sendo o inicio do estágio a partir de 01/05/2018, com duração média de 2 meses (sendo 2 vezes por semana (dia útil), 4 horas por encontro. 40h 60h Taguatinga A definir conforme disponibilidade do NUPEMEC TJDFT. Ementa Desenvolvimento de Competências. Conciliação Judicial. Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania CEJUSC. Objetivo Geral Capacitar agentes em Competências da Conciliação Judicial para atuarem nos Centros Judiciários de Solução de Conflitos, a serem

3 implantados como parte do estabelecimento de uma Política Pública Nacional em Resolução Adequada de Conflitos criada pela resolução 125/2010 do Conselho Nacional de Justiça. Objetivos específicos I Fazer a introdução sobre os diferentes meios não adversariais de solução de conflitos, com noções básicas sobre o conflito e a comunicação, disciplina normativa sobre o tema, experiências nacionais e internacionais, assegurando a compreensão dos objetivos da política pública de tratamento adequado de conflitos. II - habilitar os facilitadores na utilização de técnicas autocompositivas de solução de conflitos, com enfoque na negociação e conciliação, trazendo padrões de comportamento ético e posturas exigidas no relacionamento com partes e diferentes profissionais envolvidos nos centros. Habilidades requeridas e comportamento esperado Desenvolvimento das competências necessárias à atuação institucional do conciliador judicial, com ética e respeito à todos os agentes envolvidos na lide. Identificação de conflitos. Comunicação prospectiva. Negociação facilitadora. Domínio de técnicas autocompositivas. Empoderamento das partes. Composição. Grade de ensino MÓDULOS Módulo I Introdução Unidade 1 - Panorama histórico dos métodos consensuais de solução de conflitos. Unidade 2 - A política judiciária nacional de tratamento adequado de conflitos. Tópico 2.1 A Resolução 125/10 do Conselho Nacional de Justiça e a nova ordenação jurídica brasileira.

4 Tópico CEJUSC - Aspectos da Pacificação e da Cidadania Módulo II O novo paradigma em resolução de disputas Unidade 3 - Cultura da paz e métodos de solução de conflitos Tópico Os métodos autocompositivos de resolução de conflitos (mediação, conciliação e negociação) Tópico Políticas públicas em resolução adequada de disputa - Resolução 125 Unidade 4 - Teoria da comunicação/teoria dos jogos Tópico Fundamentação teórica sobre papel do autocompositor. Tópico O Teorema do Equilíbrio de Nash e sua aplicabilidade no planejamento de sistemas de resolução de conflito. Tópico A teoria autocompositiva cooperação ou competição Tópico Fundamentos da negociação Negociação baseada em interesses e negociação posicional Barganha distributiva e negociação integrativa Unidade 5 - Moderna teoria do conflito Tópico Percepção, Reação e Procedimentos de Resolução de Disputas Tópico Processos Construtivos

5 e Destrutivos de Resolução de Disputas Espirais de Conflito Tópico Resultados da apropriada abordagem do Conflito Módulo III Resolução de disputas baseadas em competências Unidade 6 Breve contextualização das relações sociais na pós-modernidade Tópico A era dos direitos e a judicialização das relações sociais; o conceito de outridade. Tópico O conflito como luta por reconhecimento Unidade 7 Conciliação Tópico 7.1 Conceito Tópico Diferenças entre conciliação e mediação; amplitude do problema e estratégias do conciliador; Tópico Etapas da conciliação. Unidade 8 O processo de conciliação. Tópico A formação do conciliador; qualidade de um programa de conciliação. Tópico As atitudes do conciliador. Tópico Panorama do processo de conciliação; Etapas da conciliação. Unidade 9 A fase inicial da conciliação

6 Tópico Declaração de abertura e a colocação das regras com vistas a adesão ao processo de conciliação. Tópico a escuta e a comunicação na conciliação. Tópico Reunião de informações; as perguntas abertas. Unidade 10 O desenvolvimento da mediação Tópico Organização dos debates. Tópico Resumo positivo e prospectivo Tópico Ferramentas para provocar mudanças. Tópico Resolução de questões. Tópico O termo de acordo; Encerramento da mediação. Módulo IV Contexto e aplicação da Mediação Unidade 11 - Áreas de utilização da conciliação/mediação Unidade 12 - Interdisciplinaridade da conciliação Módulo V A ética na conciliação/mediação. Unidade 13 - O papel do conciliador e sua relação com os envolvidos na conciliação. Tópico Ética de

7 conciliadores. Tópico Os princípios norteadores da conduta do conciliador. Tópico Os limites da confidencialidade Módulo VI - Simulações Módulo VII Estágio Supervisionado Exercícios simulados. Sessões reais de estágio supervisionado. BIBLIOGRAFIA Bibliografia básica CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ). Manual de Mediação Judicial. Bibliografia complementar CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ). Resolução nº 125. Dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. Estratégia de ensino e metodologia O desenvolvimento do conteúdo programático ocorrerá por meio das seguintes atividades: Aulas expositivas; Diálogo interativo; Dinâmicas de grupo; Entrevistas em dupla; Debates em grupo; Técnicas de simulação de casos; Feedback de avaliadores; Exercícios para fixação; Estágio supervisionado; Relatórios práticos; Formulários de avaliação.

8 Da fundamentação legal Ao implementar a Política Judiciária Nacional, o Conselho Nacional de Justiça observou a necessidade de se disciplinar as práticas de mediação e conciliação, medidas auxiliares à Justiça, para que a instrumentalização garantisse a sua eficácia. Para tanto, editou no ano de 2010 a Resolução de nº 125, que dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário. Conforme o art. 2º da referida Resolução: Na implementação da política Judiciária Nacional, com vista à boa qualidade dos serviços e à disseminação da cultura de pacificação social, serão observados:... II - adequada formação e treinamento de servidores, conciliadores e mediadores; A formação e treinamento adequados passam a ser exigência para a habilitação do futuro conciliador/ mediador. Ainda conforme esta resolução, o seu art. 12, 3º diz que: 3º Os cursos de capacitação, treinamento e aperfeiçoamento de mediadores e conciliadores deverão observar as diretrizes curriculares estabelecidas pelo CNJ (Anexo I) e deverão ser compostos necessariamente de estágio supervisionado. Somente deverão ser certificados mediadores e conciliadores que tiverem concluído o respectivo estágio supervisionado. Como exposto, o estágio supervisionado passa a ser item de observância obrigatória na certificação do conciliador/mediador. Da aprovação e certificação O aluno deverá obter 100% de presença no Curso teórico-prático de 40 horas e desenvolver os exercícios com média mínima de 70%, para que siga para próxima fase mediante declaração. No estágio supervisionado após a entrega dos relatórios referentes a todas as sessões que o aluno participou, após o processo de avaliação atestando a aptidão do aluno e cumprido o número mínimo de 60h, será emitido certificado de conclusão de curso capacitação em conciliação judicial, que é o necessário para o

9 cadastramento como Conciliador junto ao Tribunal de Justiça ou até mesmo ao CNJ. Após experiência de atendimento em conciliação ou mediação por 2 anos, tendo ao menos 21 anos e comprovando a conclusão em ensino superior, o aluno também poderá se inscrever no curso de capacitação de instrutores. Da reprovação Será reprovado o aluno que não comparecer a qualquer um dos encontros teóricos de forma não justificada ou por período superior a 2 encontros, mesmo que justificado. Será reprovado na fase do estágio supervisionado o aluno que não comparecer em pelo menos 90% das autosupervisões e 100% das supervisões, obtendo pelo menos 70% de aprovação nas avaliações do supervisor. Será reprovado o aluno com comportamento impróprio para exercer a função de conciliador. Hipóteses de reagendamento Caso o aluno tenha indisponibilidade justificada de realizar o curso, deverá informar com antecedência de 15 dias antes do inicio, para que possa migrar para próxima turma. Caso o aluno tenha até 1 (uma) falta justificada na fase teórica, poderá repor a matéria digitalmente. Caso o aluno tenha até 3 (três) faltas justificadas ou não na fase do estágio supervisionado, o aluno pagará o equivalente a R$ 200,00 por encontro de reposição.

10 Estágio Supervisionado Nesta fase do curso, o aluno aprenderá a aplicar, em casos reais, o aprendizado teórico adquirido. Ele observará e atuará em sessões de conciliação acompanhado por 1 (um) supervisor habilitado e indicado pelo Centro de Mediadores Instituto de ensino, junto ao NUPEMEC (Núcleo Permanente de Mediação e Conciliação). No decorrer dessas sessões o aluno desempenhará as seguintes funções: a) Observação. b) co-conciliação. c) conciliação. É durante o estágio que o aluno consolida o conhecimento, por meio da prática reiterada no exercício da conciliação, fundamental para que desenvolva o seu potencial criativo e comunicativo - habilidades essenciais ao processo de construção do acordo. Neste período, o supervisionado será constantemente avaliado, de forma que o processo de avaliação se reverta em sucessivas metas de autodesenvolvimento. O objetivo é que o estágio potencialize as habilidades autocompositivas do aluno de forma progressiva, atuando como um processo de coaching que o leve a excelência nesse ofício. Ao final do processo (composto pelo acompanhamento de 15 encontros de conciliação, perfazendo um total de 60 horas), é esperado que o supervisionado se encontre apto a exercer o papel de conciliador. Caso seja necessário, o supervisor indicará a permanência do aluno no estágio para que desempenhe sessões extras, de forma a aperfeiçoar a sua capacitação.

11 Somente após a conclusão desta etapa, o aluno receberá o certificado de conclusão do curso que o habilitará a conciliar perante o Poder Judiciário. Documentação exigida Documento de identificação com foto. Certificado de ensino superior a mais de 2 anos. Comprovante de residência. LINK DA MATRICULA

CAPACITAÇÃO MEDIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL

CAPACITAÇÃO MEDIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL CAPACITAÇÃO MEDIAÇÃO JUDICIAL PRESENCIAL Identificação do curso Empresa: Centro de Mediadores Instituto de Ensino. Titulo do curso: Capacitação em Mediação Judicial. Modalidade: Presencial. Pré-requisito:

Leia mais

CURSO BÁSICO DE MEDIAÇÃO PARA MAGISTRADOS APOSENTADOS 15 a 19 de agosto de 2016

CURSO BÁSICO DE MEDIAÇÃO PARA MAGISTRADOS APOSENTADOS 15 a 19 de agosto de 2016 CURSO BÁSICO DE MEDIAÇÃO PARA MAGISTRADOS APOSENTADOS 15 a 19 de agosto de 2016 Local: Auditório da AMB (SCN Qd. 02 Bl. D Torre B Sala 1302, Centro Empresarial Liberty Mall, Brasília/DF) Instrutores: Eutália

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES CURSO DE CAPACITAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES Descrição Curso de formação de Conciliadores e Mediadores Judiciais conforme Resolução 125/2010 e Emenda 1/2013 do CNJ Conselho Nacional de Justiça, Lei

Leia mais

CURSO DE MEDIAÇÃO JUDICIAL TURMA 01 - OBSERVATÓRIO DA PACIFICAÇÃO SOCIAL/UFBA EDITAL DE SELEÇÃO I. DO NÚMERO DE VAGAS

CURSO DE MEDIAÇÃO JUDICIAL TURMA 01 - OBSERVATÓRIO DA PACIFICAÇÃO SOCIAL/UFBA EDITAL DE SELEÇÃO I. DO NÚMERO DE VAGAS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec-BA) UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE DIREITO Observatório da Pacificação Social

Leia mais

CURSO DE MEDIAÇÃO JUDICIAL TURMA 03 OBSERVATÓRIO DA PACIFICAÇÃO SOCIAL/UFBA EDITAL DE SELEÇÃO

CURSO DE MEDIAÇÃO JUDICIAL TURMA 03 OBSERVATÓRIO DA PACIFICAÇÃO SOCIAL/UFBA EDITAL DE SELEÇÃO CURSO DE MEDIAÇÃO JUDICIAL TURMA 03 OBSERVATÓRIO DA PACIFICAÇÃO SOCIAL/UFBA EDITAL DE SELEÇÃO O Tribunal de Justiça do Estado da Bahia promove, com a supervisão do Conselho Nacional de Justiça, em parceria

Leia mais

Curso de Capacitação em Conciliação e Mediação (Resolução 125/2010) CNJ

Curso de Capacitação em Conciliação e Mediação (Resolução 125/2010) CNJ Curso de Capacitação em Conciliação e Mediação (Resolução 125/2010) CNJ 40 horas I A QUEM SE DESTINA 1 Profissionais formados, em quaisquer segmentos do mercado, a exemplo de advogados, médicos, empresários,

Leia mais

CURSO DE MEDIAÇÃO JUDICIAL TURMA 04 OBSERVATÓRIO DA PACIFICAÇÃO SOCIAL/UFBA EDITAL DE SELEÇÃO

CURSO DE MEDIAÇÃO JUDICIAL TURMA 04 OBSERVATÓRIO DA PACIFICAÇÃO SOCIAL/UFBA EDITAL DE SELEÇÃO CURSO DE MEDIAÇÃO JUDICIAL TURMA 04 OBSERVATÓRIO DA PACIFICAÇÃO SOCIAL/UFBA EDITAL DE SELEÇÃO O Tribunal de Justiça do Estado da promove, com a supervisão do Conselho Nacional de Justiça, em parceria com

Leia mais

Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores. Resolução 125/2010 do CNJ

Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores. Resolução 125/2010 do CNJ Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores Resolução 125/2010 do CNJ Objetivos do Curso Transmitir informações teóricas gerais sobre a conciliação e a mediação, bem como vivência prática para aquisição

Leia mais

Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores. Resolução 125/2010 do CNJ

Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores. Resolução 125/2010 do CNJ Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores Resolução 125/2010 do CNJ Objetivos do Curso Transmitir informações teóricas gerais sobre a conciliação e a mediação, bem como vivência prática para aquisição

Leia mais

Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores. Resolução 125/2010 do CNJ

Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores. Resolução 125/2010 do CNJ Curso de Capacitação de Mediadores e Conciliadores Resolução 125/2010 do CNJ INFORMAÇÕES OBJETIVOS DO CURSO TRANSMITIR INFORMAÇÕES TEÓRICAS GERAIS SOBRE A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO, BEM COMO VIVÊNCIA PRÁTICA

Leia mais

e) Moderna Teoria do Conflito. Conceito e estrutura. Aspectos objetivos e subjetivos.

e) Moderna Teoria do Conflito. Conceito e estrutura. Aspectos objetivos e subjetivos. Centro Mediar e Conciliar Treinamento e Gestão Ltda CNPJ: 22.860.538/0001-09 PROGRAMA Fundamentação 40 horas Ref.: Resolução 6/2016 ENFAM a) Panorama histórico dos métodos consensuais de solução de conflitos.

Leia mais

Curso de Aperfeiçoamento para fins de Promoção por Merecimento - Administração Judiciária (Semipresencial) Público-alvo: magistrados catarinenses

Curso de Aperfeiçoamento para fins de Promoção por Merecimento - Administração Judiciária (Semipresencial) Público-alvo: magistrados catarinenses Capacitação em Competências de Mediação Judicial Joinville Público-alvo: servidores e voluntários/conveniados que atuam nas varas cíveis, juizados especiais e nos serviços não adversariais implantados

Leia mais

Grade Curricular INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL

Grade Curricular INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL Grade Curricular O que o discente de engenharia precisa fazer para concluir o curso? Estágio ENADE Atividades complementares Integralização das disciplinas TCC Integralização

Leia mais

FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS NORMAS GERAIS PARA AS DISCIPLINAS CCO-304 E CCO-306 ESTÁGIO SUPERVISIONADO I E ESTÁGIO SUPERVISIONADO II EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS (FCJP)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS (FCJP) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS (FCJP) Considerando a Resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE)/ Câmara de Educação Superior

Leia mais

CAPACITAÇÃO TEÓRICA E PRÁTICA EM MEDIAÇÃO DE CONFLITOS OAB/RJ 2017

CAPACITAÇÃO TEÓRICA E PRÁTICA EM MEDIAÇÃO DE CONFLITOS OAB/RJ 2017 CAPACITAÇÃO TEÓRICA E PRÁTICA EM MEDIAÇÃO DE CONFLITOS OAB/RJ 2017 Objetivos: (i) ampliar habilidades para escolha do método mais adequado a cada situação de conflito; (ii) capacitar mediadores de conflitos

Leia mais

Nauraima da Rocha Martins

Nauraima da Rocha Martins ADVOGADA, MEMBRO DA CÂMARA DE CONCILIAÇÃO, MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM - OAB/SP. TUTORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL PELO MJ/ UNB/ ENAM, INSTRUTORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL CNJ, SUPERVISORA EM MEDIAÇÃO JUDICIAL CNJ, SUPERVISORA

Leia mais

EDITAL Nº 03/2017 SELEÇÃO DE CHEFE DO 5º CEJUSC DE ANÁPOLIS

EDITAL Nº 03/2017 SELEÇÃO DE CHEFE DO 5º CEJUSC DE ANÁPOLIS 1/5 EDITAL Nº 03/2017 SELEÇÃO DE CHEFE DO 5º CEJUSC DE ANÁPOLIS Fabiane Fries, diretora da Faculdade do Instituto Brasil de Ciência e Tecnologia Ltda. (FIBRA), no uso de suas atribuições legais frente

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Programa de Estágio Supervisionado Obrigatório Curso de Licenciatura em Educação Física Ingressantes

Leia mais

EDITAL Nº 02/2016 SELEÇÃO DE COORDENADOR CEJUSC. O presente edital visa à seleção de 01 (um) Coordenador, para atuação no quadro do 5º CEJUSC;

EDITAL Nº 02/2016 SELEÇÃO DE COORDENADOR CEJUSC. O presente edital visa à seleção de 01 (um) Coordenador, para atuação no quadro do 5º CEJUSC; EDITAL Nº 02/2016 SELEÇÃO DE COORDENADOR CEJUSC A Professora Mestre Fabiane Fries, Diretora do Instituto Brasil de Ciência e Tecnologia Ltda, no uso de suas atribuições legais e, tendo em vista a implantação

Leia mais

EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ

EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ A Coordenação do Núcleo de Prática Jurídica, no uso de suas atribuições regimentais, torna pública a regulamentação da VALIDAÇÃO do ESTÁGIO SUPERVISIONADO, para o ano letivo de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 36/2002, DE 13 DE JUNHO DE 2002

RESOLUÇÃO Nº 36/2002, DE 13 DE JUNHO DE 2002 RESOLUÇÃO Nº 36/2002, DE 13 DE JUNHO DE 2002 Altera o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia - Habilitação Formação do Psicólogo, na forma do Anexo. O REITOR DA UNIVERSIDADE REGIONAL

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO EMPRESARIAL 1º Semestre de 2018

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO EMPRESARIAL 1º Semestre de 2018 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO EMPRESARIAL 1º Semestre de 2018 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 1 MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENGENHARIA ELÉTRICA 2 Este manual tem como objetivo orientar e auxiliar o aluno na compreensão das atividades, normas e diretrizes a serem observadas na realização

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 1 MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO BETIM MG 2 Este manual tem como objetivo orientar e auxiliar o aluno na compreensão das atividades, normas e diretrizes

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispõe sobre estágio de prática docente para os alunos do Mestrado em Direito e Instituições do Sistema de Justiça. Art. 1º O Estágio de Prática Docente (EPD) tem por objetivo aperfeiçoar

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES (400 horas) Elaborado por: Profa. Me. Andréia Ayres Gabardo da Rosa Profa. Me. Karine Alves Gonçalves Mota PALMAS 2015 As atividades complementares

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento dispõe sobre as normas e procedimentos a serem observados

Leia mais

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS Dispõe sobre a oferta de atividades de Monitoria no curso de graduação da Faculdade Processus e dá outras providências.

Leia mais

CURSO DE NR- 10 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA EIXO PROFISSIONAL: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS

CURSO DE NR- 10 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA EIXO PROFISSIONAL: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS ITAJAÍ CURSO DE NR- 10 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA EIXO PROFISSIONAL: CONTROLE

Leia mais

NORMAS. Etapa de Preparação Pedagógica (EPP) Etapa de Estágio Supervisionado em Docência (EESD)

NORMAS. Etapa de Preparação Pedagógica (EPP) Etapa de Estágio Supervisionado em Docência (EESD) Edital FDRP - PAE 48/2016 A Comissão Coordenadora do PAE (CCPAE) e a Comissão de Pós-Graduação da FDRP/USP tornam pública a abertura de inscrições para a Etapa de Estágio Supervisionado em Docência (EESD)

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DA INDÚSTRIA IEL

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DA INDÚSTRIA IEL REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DA INDÚSTRIA IEL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 As Atividades Complementares são componentes da

Leia mais

Regulamento N. 3, de 13 de março de

Regulamento N. 3, de 13 de março de UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CAMPUS DE RIO PARANAÍBA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Regulamento N. 3, de 13 de março de 2013 1. Este documento regulamenta as normas para a elaboração do trabalho

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2014. A CÂMARA DE ENSINO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias e

RESOLUÇÃO Nº 02/2014. A CÂMARA DE ENSINO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias e RESOLUÇÃO Nº 02/2014 Estabelece normas e prazos para elaboração, reformulação e avaliação dos Projetos Pedagógicos dos Cursos de Graduação da Univasf. A DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL. Seção Judiciária do Estado do Acre.

JUSTIÇA FEDERAL. Seção Judiciária do Estado do Acre. JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado do Acre. EDITAL N O2/2O16. O Juiz Federal Coordenador do Centro Judiciário de Conciliação da Seção Judiciária do Estado do Acre, Dr. Herley da Luz Brasil, no

Leia mais

Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação

Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação Corpo Docente Juízes, Mediadores, Negociadores, Psicólogos e Profissionais de Comunicação Janda Thibes Mediação, Técnicas e Ambiente da Mediação Advogada, Membro da Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA Dispõe sobre o Estágio Supervisionado do Curso de Fonoaudiologia do Centro Universitário do Cerrado-Patrocínio - UNICERP. Capítulo I - Das

Leia mais

Faculdade de Direito Santo Agostinho FADISA MANUAL ACADÊMICO 2017/2. Estágio Supervisionado I 7 Período

Faculdade de Direito Santo Agostinho FADISA MANUAL ACADÊMICO 2017/2. Estágio Supervisionado I 7 Período Faculdade de Direito Santo Agostinho FADISA MANUAL ACADÊMICO 2017/2 Estágio Supervisionado I 7 Período Rua Gentil Dias Soares, 302 - Cândida Câmera, Montes Claros MG. Tel. 3690-1305 / npj@fasa.edu.br Orientações

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES COM ÊNFASE EM MEDIAÇÃO

PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES COM ÊNFASE EM MEDIAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES COM ÊNFASE EM MEDIAÇÃO OBJETIVOS: Preparar o profissional da área cível para atuar num mercado cada vez mais competitivo, com plena compreensão das questões

Leia mais

REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO

REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO PORTO ALEGRE 2014 SUMÁRIO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 CAPÍTULO

Leia mais

1. Apresentação A segurança no âmbito da administração pública tem se configurado como uma área estratégica, requerendo investimentos na qualidade e

1. Apresentação A segurança no âmbito da administração pública tem se configurado como uma área estratégica, requerendo investimentos na qualidade e Execução e Fiscalização de Contratos de Vigilância no Serviço Público Modalidade a Distância 1. Apresentação A segurança no âmbito da administração pública tem se configurado como uma área estratégica,

Leia mais

Edital nª 01/2017. PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTA PARA PÓS-GRADUAÇÃO (Lato Sensu): EM NUTRIÇÃO CLÍNICA

Edital nª 01/2017. PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTA PARA PÓS-GRADUAÇÃO (Lato Sensu): EM NUTRIÇÃO CLÍNICA Edital nª 01/2017 PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTA PARA Edital do processo seletivo simplificado para ingresso junto à Pós-Graduação: em Nutrição Clínica (especialização teórica e prática), na cidade de Porto

Leia mais

XI CONGRESSO ESTADUAL DE MAGISTRADOS Montevideo Uruguai Setembro/2015

XI CONGRESSO ESTADUAL DE MAGISTRADOS Montevideo Uruguai Setembro/2015 XI CONGRESSO ESTADUAL DE MAGISTRADOS Montevideo Uruguai Setembro/2015 PROPONENTES: Genacéia da Silva Alberton, Desembargadora Coordenadora do Núcleo de Estudos de Mediação da Escola Superior da Magistratura

Leia mais

EDITAL N.º 1, de 30 de junho de SELEÇÃO PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES PARA AUTAR NO 1º CEJUSC TIMON 2017

EDITAL N.º 1, de 30 de junho de SELEÇÃO PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES PARA AUTAR NO 1º CEJUSC TIMON 2017 EDT-1CJSCCTIMON - 12017 Código de validação: 7AB90F67A4 EDITAL N.º 1, de 30 de junho de 2017. SELEÇÃO PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE CONCILIADORES E MEDIADORES PARA AUTAR NO 1º CEJUSC TIMON 2017 Em cumprimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO REITORIA. Avenida Vitória,1729 Jucutuquara Vitória ES. Tel:(27)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO REITORIA. Avenida Vitória,1729 Jucutuquara Vitória ES. Tel:(27) DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS PLANO DE TREINAMENTO Curso: Cursos de Desenvolvimento de Servidores : Contratações públicas prática Módulo IV (Novo SICAF Sistema

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO Capítulo I: Da Natureza e dos objetivos: Artigo 1º - O presente regulamento disciplina o aproveitamento de 360 horas do Estágio Supervisionado

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1 MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA BETIM MG (ANEXO I - PPC) 2 Este manual tem como objetivo orientar e auxiliar o aluno na compreensão das atividades, normas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

CEJUSC 125/ , - FAMAZ,

CEJUSC 125/ , - FAMAZ, EDITAL DE ABERTURA Nº 02/2015 CEJUSC-FAMAZ/TJPA - PROCESSO SELETIVO PARA COMPOSIÇÃO DO BANCO DE MEDIADORES/CONCILIADORES JUDICIAIS VOLUNTÁRIOS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ A Excelentíssima

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS DE MATRÍCULA NOS ESTÁGIOS DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA PARA O 2º SEMESTRE DE 2017

NORMAS ESPECÍFICAS DE MATRÍCULA NOS ESTÁGIOS DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA PARA O 2º SEMESTRE DE 2017 NORMAS ESPECÍFICAS DE MATRÍCULA NOS ESTÁGIOS DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA PARA O 2º SEMESTRE DE 2017 1. Matrícula no Estágio e inscrição nos projetos 1.1. O estágio obrigatório de Prática Jurídica do

Leia mais

REGULAMENTO DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU A melhor Escola de Negócios do Centro-Oeste Informações: 0800 62 1080 www.alfa.br/posgraduacao 2016 REGULAMENTO DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES (Ingresso até 2014/2 200 horas) Elaborado por: Profa. Me. Andréia Ayres Gabardo da Rosa Profa. Me. Karine Alves Gonçalves Mota PALMAS 2015 As atividades

Leia mais

Pós Graduação em Estudos Avançados em Direito Contratual

Pós Graduação em Estudos Avançados em Direito Contratual Pós Graduação em Estudos Avançados em Direito Contratual APRESENTAÇÃO DO CURSO O curso possui total de 420 h, divididas em diferentes áreas do Direito Contratual, complementadas com metodologia para trabalho

Leia mais

Pinheiros UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA 1º SEMESTRE DE 2018

Pinheiros UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA 1º SEMESTRE DE 2018 1 UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA 1º SEMESTRE DE 2018 EDITAL DE INSCRIÇÃO A Coordenação do Curso de Medicina da Universidade

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2º Semestre de 2017

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2º Semestre de 2017 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2º Semestre de 2017 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 1º Semestre de 2018

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 1º Semestre de 2018 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 1º Semestre de 2018 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição e matrícula

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O Curso de Educação Física - Licenciatura - objetiva a formação pedagógica, ao contemplar uma visão geral da educação e dos processos formativos dos educandos. Adequar-se-á

Leia mais

E D I T A L Nº 03/2017

E D I T A L Nº 03/2017 E D I T A L Nº 03/2017 INSCRIÇÕES E MATRÍCULAS PARA OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU, EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO, NA MODALIDADE PRESENCIAL, EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL EMPRESARIAL, E EM DIREITO

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES

CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES 1. Apresentação: O Programa de Certificação de Formadores busca preparar profissionais da área da educação para se desenvolverem como formadores de professores, coordenadores

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ADVOCACIA DO PIAUÍ OAB PIAUÍ E INSTITUTO CAMILO FILHO

ESCOLA SUPERIOR DE ADVOCACIA DO PIAUÍ OAB PIAUÍ E INSTITUTO CAMILO FILHO ESCOLA SUPERIOR DE ADVOCACIA DO PIAUÍ OAB PIAUÍ E INSTITUTO CAMILO FILHO A Diretoria Geral do Instituto Camilo Filho - ICF e a Diretoria Geral da Escola Superior de Advocacia do Piauí ESA PIAUÍ, no uso

Leia mais

I ao III FONACOM Fórum Nacional de Conciliação e Mediação

I ao III FONACOM Fórum Nacional de Conciliação e Mediação I ao III FONACOM Fórum Nacional de Conciliação e Mediação Enunciado nº1 O contato interinstitucional é necessário para a efetividade da solução consensual dos conflitos, e deverá ser realizado preferencialmente

Leia mais

EDITAL PIBIC O PROGRAMA CONFERE

EDITAL PIBIC O PROGRAMA CONFERE EDITAL PIBIC 2018 O Instituto de Ensino Superior Múltiplo IESM, através da Coordenação de Pesquisa e Extensão torna pública a abertura das inscrições para o seu Programa de Iniciação Científica e convoca

Leia mais

ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO - FBV A EDITAL Nº 17. Recife,2017

ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO - FBV A EDITAL Nº 17. Recife,2017 ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO - FBV.1A EDITAL Nº 17 Recife, Sumário Edital nº 15 - Admissão de alunos para os cursos de Pós-Graduação A Faculdade Boa Viagem (FBV/Devry), estabelecimento de ensino

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO DO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE ALAGOAS IESA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO DO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE ALAGOAS IESA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO DO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE ALAGOAS IESA Dispõe sobre a estruturação e operacionalização do Núcleo de Prática

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ REGULAMENTO DO ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA DO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ DA UNESP

Leia mais

JULIANA MARIA POLLONI BARROS DOS SANTOS

JULIANA MARIA POLLONI BARROS DOS SANTOS JULIANA MARIA POLLONI BARROS DOS SANTOS Doutora em Serviço Social pela Universidade Estadual Paulista UNESP (2013). Tese de Doutorado Mediação familiar: diálogo interdisciplinar. Mestre em Direito pela

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1. Os estágios curriculares do Curso de Graduação em Psicologia do Centro Universitário Redentor são considerados como

Leia mais

1.7 O cronograma do curso será disponibilizado no endereço eletrônico https://unbeducacaopobreza.wordpress.com/

1.7 O cronograma do curso será disponibilizado no endereço eletrônico https://unbeducacaopobreza.wordpress.com/ EDITAL EPDS/UNB N. 01/2017, DE 13 DE OUTUBRO DE 2017 PARA PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM EDUCAÇÃO, POBREZA E DESIGUALDADE SOCIAL, MODALIDADE SEMIPRESENCIAL. O Coordenador

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório está organizado em duas etapas, uma no sétimo e outra

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES. (Mínimo de 400 horas) GRUPO I - Atividades de pesquisa, produção científica e acadêmicas

ATIVIDADES COMPLEMENTARES. (Mínimo de 400 horas) GRUPO I - Atividades de pesquisa, produção científica e acadêmicas Núcleo de Prática Jurídica do Centro Universitário Autônomo do Brasil UniBrasil PORTARIA 03/2017 ANEXO I ATIVIDADES COMPLEMENTARES Horas ( de 400 horas) GRUPO I - Atividades de pesquisa, produção científica

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL N 07/CTGC DE 13 DE JULHO DE 2017

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL N 07/CTGC DE 13 DE JULHO DE 2017 EDITAL N 07/CTGC DE 13 DE JULHO DE 2017 CHAMADA PÚBLICA PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS EM CURSOS DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA NA MODALIDADE PRESENCIAL 2017/2 O DIRETOR GERAL DO CAMPUS TAGUATINGA CENTRO,

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

Pós-graduação em Mediação Presencial (Brasília/DF)

Pós-graduação em Mediação Presencial (Brasília/DF) Pós-graduação em Mediação Presencial (Brasília/DF) Certificação da pós-graduação em parceria com a OBJETIVO GERAL Formar um pleno mediador, com capacidade de atuar, supervisionar e lecionar nas mais diversas

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO MANUAL/EDITAL DO (A) CANDIDATO (A) EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DE RONDÔNIA 2º SEMESTRE/2016 APRESENTAÇÃO PREZADO CANDIDATO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente

Plano de Trabalho Docente Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente - 2017 Plano de Curso no. 206 aprovado pela Portaria Cetec 733, de 10-9-2015, publicada no Diário Oficial de 11-9-2015 Poder Executivo

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO A EDITAL Nº 01. Teresina, 2013

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO A EDITAL Nº 01. Teresina, 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2014.1A EDITAL Nº 01 Teresina, 2013 Edital nº 1 - Admissão de alunos para os cursos de Pós-Graduação A FACID DeVry, estabelecimento de ensino

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL - UniBrasil.

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL - UniBrasil. REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL - UniBrasil. Considerando a Resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE)/ Câmara de Educação Superior (CES), nº

Leia mais

13/10/2017 Publicação do edital 13/10 a 17/12/2017 Período de inscrições. Divulgação do resultado final. Período para interposição de recursos

13/10/2017 Publicação do edital 13/10 a 17/12/2017 Período de inscrições. Divulgação do resultado final. Período para interposição de recursos PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM EDUCAÇÃO, POBREZA E DESIGUALDADE SOCIAL, MODALIDADE SEMIPRESENCIAL PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES O Coordenador do Curso de Aperfeiçoamento em

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES

CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES 1. Apresentação: O Programa de Certificação de Formadores busca preparar profissionais da área da educação para se desenvolverem como formadores de professores, coordenadores

Leia mais

Curso de formação de mediadores de conflitos a habilitar para a prestação de serviços de mediação pública no âmbito dos julgados de paz.

Curso de formação de mediadores de conflitos a habilitar para a prestação de serviços de mediação pública no âmbito dos julgados de paz. Curso de formação de mediadores de conflitos a habilitar para a prestação de serviços de mediação pública no âmbito dos julgados de paz. 1. Objectivo: Esta formação de Mediação no âmbito dos julgados de

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE CONCILIADORES

EDITAL DE SELEÇÃO DE CONCILIADORES EDITAL DE SELEÇÃO DE CONCILIADORES O Juiz Federal ARTHUR NAPOLEÃO TEIXEIRA FILHO, Diretor da Subseção Judiciária de Petrolina/PE e Coordenador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania de

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância)

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância) FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL DIREÇÃO ACADÊMICA REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância) CACOAL 2015 CAPÍTULO I DO CONCEITO, FINALIDADE

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular CAPITULO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR E SUAS FINALIDADES Art. 1º Este regulamento tem por finalidade orientar a operacionalização do Estágio Curricular

Leia mais

SELEÇÃO DE DOCENTE Nº 11/2016 CAMPUS TAQUARAL. Ref.:Seleção Externa de Docente, para disciplinas da área específica, no Curso de Enfermagem

SELEÇÃO DE DOCENTE Nº 11/2016 CAMPUS TAQUARAL. Ref.:Seleção Externa de Docente, para disciplinas da área específica, no Curso de Enfermagem SELEÇÃO DE DOCENTE Nº 11/2016 CAMPUS TAQUARAL Ref.:Seleção Externa de Docente, para disciplinas da área específica, no Curso de Enfermagem O Diretor da Faculdade de Ciências da Saúde Prof. Dr. Olney Leite

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º O Projeto Pedagógico do Curso Turismo da UFPR prevê a realização de estágio nas modalidades de obrigatório

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE PÓS GRADUAÇÃO - PROPP FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FAED DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - Os Cursos da FELM mantém estágios curriculares supervisionados que se constituem

Leia mais

LUCIANA DE FIGUEIREDO SILVA MEIRELLES

LUCIANA DE FIGUEIREDO SILVA MEIRELLES LUCIANA DE FIGUEIREDO SILVA MEIRELLES Formação Psicóloga formada pela Faculdade de Filosofia Letras e Ciências São Marcos SP - CRP 10845. Especialização em Psicoterapia Clínica pelo Instituto Sedes Sapientiae

Leia mais

Capítulo I - Da caracterização. Capítulo II - Do objetivo

Capítulo I - Da caracterização. Capítulo II - Do objetivo REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO Capítulo I - Da caracterização Art. 1º. O Estágio Curricular Obrigatório Supervisionado (ECOS) é atividade individual obrigatória do Currículo

Leia mais

DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DO ESTADO DO MARANHÃO FACEM REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais

SOLUÇÃO DE CONFLITOS: CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM7

SOLUÇÃO DE CONFLITOS: CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM7 SOLUÇÃO DE CONFLITOS: CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM7 MÉTODOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS LEI DE ARBITRAGEM LEI DE MEDIAÇÃO O NOVO CPC A RESOLUÇÃO 125/2010-CNJ MICROSSISTEMA A RESOLUÇÃO 125/10-CNJ, O NOVO CÓDIGO

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA EAD 1º Semestre de 2018

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA EAD 1º Semestre de 2018 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA EAD 1º Semestre de 2018 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS

RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS CAPÍTULO I DO ESTÁGIO PROFISSINAL OBRIGATÓRIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Profissional Obrigatório, previsto

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2017

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2017 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2017 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para

Leia mais

FACULDADE FRUTAL - FAF REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE NUTRIÇÃO

FACULDADE FRUTAL - FAF REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE NUTRIÇÃO FACULDADE FRUTAL - FAF REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO /MG 2015 SOCIEDADE FRUTALENSE DE ENSINO SUPERIOR LTDA CNPJ: 06.054.269/0001-37 FACULDADE FRUTAL FAF ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL

Leia mais

CHAMADA Nº 01/2017 CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS / IFBA INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA IFBA Processo nº: /

CHAMADA Nº 01/2017 CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS / IFBA INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA IFBA Processo nº: / CHAMADA Nº 01/2017 CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS / IFBA INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA IFBA Processo nº: 23279.016586/2016-35 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia IFBA, por meio

Leia mais

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO Escola SENAI Anchieta Sumário Página 01 Prática Profissional / Estágio 03 02 Da carga horária da Prática Profissional / Estágio

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2015.1 INSTRUÇÕES ESPECIAIS A Coordenação do Curso de Direito do IESP, com intuito de esclarecer e facilitar o cumprimento da disciplina Estágio Supervisionado, apresenta as seguintes

Leia mais