HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL. Prof.ª Mayara Moraes Custódio

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL. Prof.ª Mayara Moraes Custódio"

Transcrição

1 HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL Prof.ª Mayara Moraes Custódio

2 HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL A história da engenharia confunde-se com a história da própria humanidade, e está diretamente relacionada com o avanço tecnológico da sociedade.

3 ENGENHARIA ANTIGA Pré-história: idade da pedra Habitações, abrigos. Stonehenge Monumento pré-histórico, Inglaterra

4 ENGENHARIA ANTIGA Período Paleotítico: Domínio do fogo; Artefatos de caça (pedra polida); Alavanca

5 ENGENHARIA ANTIGA Idade do Bronze: Fundição dos primeiros metais: Cobre Estanho Sistemas de irrigação; Construções navais; Sistemas de saneamento subterrâneos.

6 ENGENHARIA ANTIGA Idade do Ferro: Utilização do ferro; Surgimento da escrita; Início da matemática.

7 ENGENHARIA ANTIGA Antiguidade: Construções com blocos de pedras. Palácios, câmaras funerárias e templos religiosos. Primeiro arquiteto: IMHOTEP, chanceler real. Pirâmides e Esfinge Egito Antigo Os egípcios primitivos dominavam várias técnicas interessantes, dentre as quais, as de construir barcos de junco, esculpir pedras duras, moldar o cobre, etc. Dominavam também técnicas de irrigação e domesticação de animais (criavam gado para tração e aves para subsistência).

8 ENGENHARIA ANTIGA Babilônia: Escassez de pedras. Invenção dos tijolos de barro secos ao sol. Árabes: difundiram a técnica. Jardins suspensos da Babilônia Ruínas da antiga Babilônia (Atual Iraque)

9 ENGENHARIA ANTIGA Roma: Concretos e argamassas (pozolanas) Pantheon - Roma Coliseu - Roma

10 ENGENHARIA ANTIGA As Argamassas utilizadas pelos Romanos eram constituídas essencialmente por: Cinzas vulcânicas ou pozolanas; Pó de Tijolo ou de Telha; Cal Hidratada; Areias; e Matérias orgânicas (gorduras).

11 ENGENHARIA ANTIGA Roma: Renascimento. Grandes mestres de obras. Duomo Milão (Leonardo da Vinci) Santa Maria del Fiore Florença (Brunelleschi) Basílica de São Pedro Vaticano (Michelangelo)

12 ENGENHARIA MODERNA Reconhecida a partir de 1747, quando foi fundada na França a École Nacionale de Ponts et Chaussées. Nessa escola, foram compilados e difundidos os conhecimentos que foram a raiz da revolução industrial. Destacam-se entre as contribuições da escola: A máquina a vapor do engenheiro escocês James Watt; As primeiras experiências sobre eletricidade; As grandes modificações na produção têxtil devidas à mecanização da indústria; A invenção do cimento Portland, patenteado por Joseph Aspdin em 1894, na Inglaterra. O desenvolvimento de novas técnicas construtivas e matérias...

13 MATERIAIS COMPÓSITOS Os primeiros fornos datam de cerca de anos, produzindo CAL por ustulação de pedra calcária: CaCO 3 CaO + CO 2 Hidratando o CaO com água ( apagar a cal) obtém-se um pó branco fino, que foi o primeiro AGLOMERANTE NÃO HIDRÁULICO da história: Cal Hidratada ou Apagada. CaO + H 2 O Ca(OH) 2 Reação exotérmica!

14 MATERIAIS METÁLICOS Entre e a.c. o cobre, o primeiro metal a ser aproveitado, foi aplicado inicialmente na elaboração de objetos para ornamentos, mas logo foi utilizado para fabricação de armas e ferramentas. O ferro passou a ser explorado no oriente próximo por volta de a.c. e só foi amplamente divulgado depois do ano a.c.

15 ENGENHARIA MODERNA Inglaterra: Século XIX Ferro fundido. Início do uso de metais na construção civil. Palácio de Cristal - Londres Torre Eiffel - Paris Ponte Luiz VI - Portugal

16 ASPECTOS LEGAIS - CURIOSIDADES CÓDIGO DE HAMURABI Hamurabi, rei da Babilônia ( a.c.), criador do império babilônico. Código de leis mais antigo da humanidade. Está conservado no Louvre. "OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE (artigos 196 e 200) Penas cruéis, inclusive para crimes relacionados à construção civil. 229º- Se um arquiteto constrói para alguém e não o faz solidamente e a casa que ele construiu cai e fere de morte o proprietário, esse arquiteto deverá ser morto. 230º- Se fere de morte o filho do proprietário, deverá ser morto o filho do arquiteto. 231º- Se mata um escravo do proprietário, ele deverá dar ao proprietário da casa escravo por escravo.

17 HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL O termo Engenheiro passou a ser usado na língua portuguesa no século 17 para denominar oficiais militares habilitados na construção de fortificações e armamento bélico. Batalhões de engenharia do exército: Formados com a missão de mapear, construir e proteger os territórios. Construtores eram chamados de Mestres pedreiros ou Mestres de risco.

18 HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL Até uma época não muito afastada, só havia oficialmente a engenharia militar, mas já em 1750, após testar as aplicações do cimento na construção do farol de Eddystone, o inglês John Smeaton passou a intitular-se e a ser conhecido como engenheiro civil.

19 HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL Apenas em 1824, o inglês Joseph Aspdin patenteou a fabricação do cimento, que designou por Cimento Portland (pela semelhança notada com a uma pedra muito encontrada na Ilha de Portland).

20 HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL Histórico da Engenharia no Brasil: A Academia Real Militar foi criada em 23 de abril de 1792, por ordem de D.João VI; Durante os primeiros decênios do século XIX, a Academia Real Militar só preparava pessoal para as carreiras militares, inclusive Engenharia Militar;

21 HISTÓRICO DA ENGENHARIA E REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL Ensino de Engenharia: 1811: Real Academia Militar de Artilharia, Fortificação e Desenho RJ Foi recebendo diversos nomes, modificando seu enfoque, até que por fim, em 1858, tornou-se a Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro Minas de Ouro Preto Politécnica de São Paulo (USP) Engenharia do Mackenzie College (SP) Decreto nº Regula o exercício das profissões de engenheiro, arquiteto e agrimensor.

Introdução à Engenharia

Introdução à Engenharia Introdução à Engenharia Aula 03 História da Engenharia Edgar Alberto de Brito A história da Engenharia Engenharia na Pré-História. Atividade na Antiguidade. Atividade na era Moderna e Contemporânea. Aspectos

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br Porque construir? Necessidade de se

Leia mais

CIMENTO PORTLAND. A procura por segurança e durabilidade para as edificações conduziu o homem à experimentação de diversos materiais aglomerantes.

CIMENTO PORTLAND. A procura por segurança e durabilidade para as edificações conduziu o homem à experimentação de diversos materiais aglomerantes. Histórico A procura por segurança e durabilidade para as edificações conduziu o homem à experimentação de diversos materiais aglomerantes. Os romanos chamavam e sse s materiais de " caeme ntu m", termo

Leia mais

17/04/2015 AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO REFERÊNCIAS CAL HIDRÁULICA. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia

17/04/2015 AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO REFERÊNCIAS CAL HIDRÁULICA. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil e Ambiental Laboratório de Geotecnia e Pavimentação (LAPAV) AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO Prof. Ricardo

Leia mais

ENGENHARIA Aspectos Históricos Fundamentais Autor: Aimone Camardella

ENGENHARIA Aspectos Históricos Fundamentais Autor: Aimone Camardella LIVRO ENGENHARIA Aspectos Históricos Fundamentais Autor: Aimone Camardella 1 Distribuição de Livros aos presentes APRESENTAÇÃO VERBAL Local: SBG Data: 25-09-2012 2 Anunciar: Simulação de uma aula sobre

Leia mais

Pré-história prof. Emerson Guimarães. José Adolfo S. de Campos Observatório do Valongo

Pré-história prof. Emerson Guimarães. José Adolfo S. de Campos Observatório do Valongo Pré-história prof. Emerson Guimarães José Adolfo S. de Campos Observatório do Valongo Período Paleolítico (~ 2 milhões a ~ 8000 a.c.) Vivia em cavernas Fogo, Facas Tacapes Caça Segurança Habitação Alimentação

Leia mais

AULA 4 AGLOMERANTES continuação

AULA 4 AGLOMERANTES continuação AULA 4 AGLOMERANTES continuação Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil O que tem em comum

Leia mais

A PRÉ-HISTÓRIA. Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita.

A PRÉ-HISTÓRIA. Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita. A PRÉ-HISTÓRIA Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita. PERÍODO PALEOLÍTICO OU IDADE DA PEDRA LASCADA No começo de sua trajetória, o homem usou sobretudo a pedra (além do

Leia mais

Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG

Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MESOPOTÂMIA As primeiras cidades se formaram justamente na região onde a agricultura começou a se desenvolver: no Oriente

Leia mais

CAPÍTULO 06 - MESOPOTÂMIA. A palavra Mesopotâmia vem do grego e significa entre rios.

CAPÍTULO 06 - MESOPOTÂMIA. A palavra Mesopotâmia vem do grego e significa entre rios. CAPÍTULO 06 - MESOPOTÂMIA A palavra Mesopotâmia vem do grego e significa entre rios. INTRODUÇÃO É uma faixa de terra cortada por dois grandes rios: o Tigre e o Eufrates; Fica situada entre a Europa, a

Leia mais

MÓDULO 02. Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção. arquiteto@renatopaldes.arq.br

MÓDULO 02. Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção. arquiteto@renatopaldes.arq.br MÓDULO 02 Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção arquiteto@renatopaldes.arq.br Uso da Pedra Primeiras manifestações Stonehenge 3.300 AC. Antigo Egito Encontrados blocos

Leia mais

Outra grande civilização da Antiguidade oriental, em que o Estado possui grande poder e controle sobre tudo foi a Mesopotâmia.

Outra grande civilização da Antiguidade oriental, em que o Estado possui grande poder e controle sobre tudo foi a Mesopotâmia. Mesopotâmia Antiga Outra grande civilização da Antiguidade oriental, em que o Estado possui grande poder e controle sobre tudo foi a Mesopotâmia. Diferente do Egito, a Mesopotâmia nunca se preocupou com

Leia mais

SETE MILÊNIOS EM SETE MINUTOS Sob a luneta arquitetônica

SETE MILÊNIOS EM SETE MINUTOS Sob a luneta arquitetônica SETE MILÊNIOS EM SETE MINUTOS Sob a luneta arquitetônica Prof. Marco Pádua O período conhecido como pré-história, ou seja, sem registro dos acontecimentos, situa-se a partir de 8.000 a.c. Chamado de Neolítico

Leia mais

MESOPOTÂMIA. TERRA ENTRE RIOS Prof. Ive

MESOPOTÂMIA. TERRA ENTRE RIOS Prof. Ive MESOPOTÂMIA TERRA ENTRE RIOS Prof. Ive ASPECTOS FÍSICOS Os dois rios mais importantes são o Tigre e o Eufrates. Localiza-se, predominantemente, no Crescente Fértil, onde hoje está o Iraque. Possui precárias

Leia mais

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO.

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. ENSINO FUNDAMENTAL Conteúdos do 6º Ano 1º/2º Bimestre 2015 Trabalho de Dependência Nome: N. o : Turma: Professor(a): Fernanda Data: / /2015 Unidade: Cascadura Mananciais Méier Taquara História Resultado

Leia mais

Conteúdo: Mesopotâmia: região entre rios Dois rios, muitos povos Dois grandes impérios Como viviam os mesopotâmicos Alguns aspectos culturais

Conteúdo: Mesopotâmia: região entre rios Dois rios, muitos povos Dois grandes impérios Como viviam os mesopotâmicos Alguns aspectos culturais CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA INTERATIVA I Conteúdo: Mesopotâmia: região entre rios Dois rios, muitos povos Dois grandes impérios Como viviam os mesopotâmicos Alguns aspectos culturais CONTEÚDO

Leia mais

Na Mesopotâmia: nossas raízes

Na Mesopotâmia: nossas raízes A U A UL LA Na Mesopotâmia: nossas raízes Você já leu algum horóscopo, desses que são publicados em jornais e revistas? Esse costume de consultar os astros é muito antigo e surgiu na Mesopotâmia - a chamada

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS ARTES 1º semestre / 2012 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com 1 Pré História PRÉ-HIST HISTÓRIA 2 Pré História PALEOLÍTICO (35mil anos atrás) Datam

Leia mais

CONCRETO I HISTÓRICO DO CONCRETO 01/10/2011

CONCRETO I HISTÓRICO DO CONCRETO 01/10/2011 CONCRETO I HISTÓRICO DO CONCRETO As construções tiveram origem para proporcionar abrigo para o homem; 2,5 milhões de anos: abrigos naturais Materiais utilizados: Galhos, Cipó, Pele e osso de animais, Galhos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA

A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA A IMPORTÂNCIA DAS VIAGENS NA NOSSA VIDA PARA SABERMOS VER MELHOR A VIDA PERCEBERMOS O NOSSO PAPEL NO MUNDO PARA ENTENDERMOS O PRESENTE PARA SABERMOS COMO CHEGAMOS ATÉ AQUI VINDOS

Leia mais

Renascimento. Prof. Adriano Portela

Renascimento. Prof. Adriano Portela Renascimento Prof. Adriano Portela O que é o Renascimento? Dados Início: século 14 Local: Península Itálica Se estendeu até o século 17 por toda Europa. Artistas, escritores e pensadores exprimiam em suas

Leia mais

Idade dos Metais. Mariana Antunes Vieira. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons.

Idade dos Metais. Mariana Antunes Vieira. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. Mariana Antunes Vieira Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/ A Idade

Leia mais

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA PARA O HISTORIADOR GREGO HERÓDOTO: O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO DÁDIVA = PRESENTE SIGNIFICADO = Sem as cheias do Nilo, o Egito seria um grande deserto PARA O HISTORIADOR FRANCÊS JEAN

Leia mais

ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO

ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO CONFEA, ANEXA À Engenheiro Construtor Engenheiro Civil 111-02-00 Engenheiro Civil Opção Estradas e Edificações

Leia mais

Adições Minerais ao Concreto Materiais de Construção II

Adições Minerais ao Concreto Materiais de Construção II Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Adições Minerais ao Concreto Materiais de Construção II Professora: Mayara Moraes Adições Minerais Fonseca, 2010: Aditivos químicos ASTM C125

Leia mais

Material de Revisão Da Pré-História a Roma Antiga

Material de Revisão Da Pré-História a Roma Antiga Material de Revisão Da Pré-História a Roma Antiga Prof. Marcos Machry Paleolítico (do surgimento do homem à 10.000 a.c.) Organização em tribos nômades Propriedade coletiva comunismo primitivo Economia

Leia mais

Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano

Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano A Bíblia, na parte denominada Antigo Testamento (Torá), é o principal documento da história dos hebreus. Foi escrita ao longo

Leia mais

Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil II. Dosagem de concreto. Prof.ª: Rebeca Bastos Silva

Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil II. Dosagem de concreto. Prof.ª: Rebeca Bastos Silva Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil II Dosagem de concreto Prof.ª: Rebeca Bastos Silva Histórico - Egípcios e os etruscos empregava argamassa na construção

Leia mais

Prof.: Thiago Oliveira

Prof.: Thiago Oliveira Prof.: Thiago Oliveira O Renascimento foi um conjunto de transformações (Sociais, Econômicas, Políticas, Religiosas, Científicas e Artísticas) ocorridas na Europa a partir do Séc. XI, tendo seu auge durante

Leia mais

ASSEMBLÉIA DE DEUS MADUREIRA

ASSEMBLÉIA DE DEUS MADUREIRA ASSEMBLÉIA DE DEUS MADUREIRA GEOGRAFIA Aula 1 Pr. Erivelton Rodrigues Nunes Através da Geografia Bíblica... Podemos localizar os relatos no espaço e no tempo Compreender as regiões nas quais ocorreram

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II AGLOMERANTES ACAL 1. Definição. Generalidades. Características Gerais. Classificação. 2. Aglomerantes

Leia mais

MESOPOTÂMIA, FENÍCIA, EGITO, ÍNDIA E CHINA

MESOPOTÂMIA, FENÍCIA, EGITO, ÍNDIA E CHINA MESOPOTÂMIA, FENÍCIA, EGITO, ÍNDIA E CHINA Um oásis em meio ao deserto Local em que teria ocorrido o processo de sedentarização do homem Período neolítico Formação das primeiras cidades Na Idade dos Metais

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇAO. DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland

MATERIAIS DE CONSTRUÇAO. DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland MATERIAIS DE CONSTRUÇAO DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland Cimento Portland Cimento Portland 3 Cimento Portland Aglomerante hidráulico produzido a partir da moagem do clínquer constituído por

Leia mais

CIMENTO PORTLAND: NOMENCLATURA

CIMENTO PORTLAND: NOMENCLATURA Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Prof.: Mayara Moraes CIMENTO PORTLAND: NOMENCLATURA TIPO CP XXX RR Cimento Portland Composição Classe - Resistência aos 28 dias(mpa) SIGLA Ex.:

Leia mais

BREVE HISTÓRICO DO DESENHO TÉCNICO

BREVE HISTÓRICO DO DESENHO TÉCNICO BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL EaD UAB/UFSCar BREVE HISTÓRICO DO DESENHO TÉCNICO APOSTILA DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DA UFSCar volume 1 Fevereiro de 2008 1 BREVE HISTÓRICO DO DESENHO TÉCNICO

Leia mais

CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS

CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS 25 MESOPOTÂMIA: REGIÃO ENTRE DOIS RIOS (GREGO) 1. Sumérios e Acádios (antes de 2000 a. C) - Cidades Estados - Religião politeísta cada cidade possuía um Deus principal - A terra era dos deuses - Trabalhavam

Leia mais

SEMINÁRIO CAU/CONFEA

SEMINÁRIO CAU/CONFEA SEMINÁRIO CAU/CONFEA A FORMAÇÃO DO ARQUITETO E URBANISTA arq. e urb. Gogliardo Vieira Maragno Vice-presidente da ABEA Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo Professor UFMS Universidade

Leia mais

FLORENÇA. Data do Sec. I a. C.

FLORENÇA. Data do Sec. I a. C. FLORENÇA Data do Sec. I a. C. Cópia do Sec. XIX Pianta della Catena A cidade nasce da política, da observação do que existe, dos levantamentos feitos e da meditação na realidade a cidade não nasce, vai-se

Leia mais

Educação Matemática. Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2

Educação Matemática. Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2 Educação Matemática Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2 UNIDADE I: EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO Influência Grega e Árabe no Ensino de Matemática da Idade Média PRÉ-HISTÓRIA Período que

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 6 o ano Unidade 1

Sugestões de avaliação. História 6 o ano Unidade 1 Sugestões de avaliação História 6 o ano Unidade 1 5 Nome: Data: Unidade 1 1. Existem vários modos de explicar as origens da humanidade. As imagens a seguir mostram duas formas bem distintas e conhecidas.

Leia mais

Informativo técnico SIO2

Informativo técnico SIO2 Informativo técnico SIO2 INFORMATIVO TÉCNICO Sílica Ativa ASTM C494 Active Silic é um produto decorrente do processo de fabricação do sílico metálico ou do ferro sílico, de onde é gerado o gás SiO, que

Leia mais

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas. Fundamentos do concreto armado

Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas. Fundamentos do concreto armado Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas Fundamentos do concreto armado Notas de aula da disciplina AU414 - Estruturas IV Concreto armado Prof. Msc. Luiz

Leia mais

HISTÓRIA 7 O ANO FUNDAMENTAL. PROF. ARTÊMISON MONTANHO PROF. a ISABEL SARAIVA

HISTÓRIA 7 O ANO FUNDAMENTAL. PROF. ARTÊMISON MONTANHO PROF. a ISABEL SARAIVA 7 O ANO FUNDAMENTAL PROF. ARTÊMISON MONTANHO PROF. a ISABEL SARAIVA Unidade III Cidadania e Movimentos Sociais Aula 14.2 Conteúdos Os maias Os incas 2 Habilidades Conhecer as principais características

Leia mais

Aquedutos. Instalações Prediais ECV 5644. Como estou Lecionando? Ligue: 3331-9418

Aquedutos. Instalações Prediais ECV 5644. Como estou Lecionando? Ligue: 3331-9418 Aquedutos História Os antigos romanos construíram numerosos aquedutos para fornecer água para as suas cidades e industrias. Estes aquedutos estavam entre as maiores obras de engenharia do mundo antigo,

Leia mais

Arte da Pré-História

Arte da Pré-História ALUNO(A) Nº SÉRIE: 6º. Ano TURMA: DATA: / /2013 Profª Ana Lúcia Leal - DISCIPLINA: ARTE Ficha de Aula - III Trimestre Arte da Pré-História As primeiras expressões artísticas As mais antigas figuras feitas

Leia mais

CIMENTO *Fernando Antônio da Costa Roberto

CIMENTO *Fernando Antônio da Costa Roberto *Fernando Antônio da Costa Roberto A palavra CIMENTO é originada do latim CAEMENTU, que designava na velha Roma, espécie de pedra natural de rochedos e não esquadrejada. A origem do cimento remonta a cerca

Leia mais

ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA HISTÓRIA DA ARTE. Colégio Einstein. A evolução do conhecimento. Aluno (a): 9º ano: A [ ] B [ ] Professor: Lucas Salomão

ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA HISTÓRIA DA ARTE. Colégio Einstein. A evolução do conhecimento. Aluno (a): 9º ano: A [ ] B [ ] Professor: Lucas Salomão HISTÓRIA DA ARTE Aluno (a): Professor: Lucas Salomão Data: / /2015 9º ano: A [ ] B [ ] ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA Há milhares de anos os povos antigos já se manifestavam artisticamente. Embora ainda não conhecessem

Leia mais

Objetos projetados por Leonardo Da Vinci para ser usados em guerras e, a maioria, serviria de inspiração mais tarde para nossos objetos atuais de

Objetos projetados por Leonardo Da Vinci para ser usados em guerras e, a maioria, serviria de inspiração mais tarde para nossos objetos atuais de A arte da guerra Biografia O grande Leonardo da Vinci, talvez o maior artista do Renascimento, era um personagem exercia atividade em várias áreas: pintor, arquiteto, cientista, matemático, poeta, músico

Leia mais

MATEMÁTICA PARA VENCER. Apostilas complementares APOSTILA 08: PROVA CMSM SIMULADA. Pré-Curso. www.laercio.com.br

MATEMÁTICA PARA VENCER. Apostilas complementares APOSTILA 08: PROVA CMSM SIMULADA. Pré-Curso. www.laercio.com.br MATEMÁTICA PARA VENCER Apostilas complementares APOSTILA 08: PROVA CMSM SIMULADA Pré-Curso www.laercio.com.br APOSTILA 08 Colégio Militar 6º ano PROVA CMSM SIMULADA PRÉ-CURSO COLÉGIO MILITAR DE SANTA MARIA,

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 01

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 LISTA DE EXERCÍCIOS 01 01 - (Unicamp 2014) Desde o período neolítico, os povos de distintas partes do mundo desenvolveram sistemas agrários próprios aproveitando as condições naturais de seus habitats

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - A AGLOMERANTES. Profa Lia Lorena Pimentel

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - A AGLOMERANTES. Profa Lia Lorena Pimentel MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - A AGLOMERANTES Profa Lia Lorena Pimentel Aglomerantes: Terminologia (NBR 11172) Aglomerante de origem mineral Produto com constituintes minerais que, para sua aplicação,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 Discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA,

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Aula 4. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Aula 4. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS ARTES 1º semestre / 2012 Aula 4 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com 1 ANTIGUIDADE OCIDENTAL ARTE ANTIGA: ROMANA 2 Roma Antiga Extensão máxima território

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1º PROVA SUBSTITUTIVA DE HISTÓRIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: Nota: Professor(a): Élida Valor da Prova: 65 pontos Orientações gerais: 1) Número de

Leia mais

A Administração na História

A Administração na História A Administração na História As primeiras organizações - Egito A administração é praticada desde que existem os primeiros agrupamentos humanos; Na História Antiga o exemplo melhor documentado são as pirâmides

Leia mais

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO Aula 3.2-2 1. A Anunciação é uma das obras mais conhecidas de Leonardo da Vinci. Feita por volta do ano de 1472, ela retrata uma das cenas bíblicas mais famosas de todos os tempos. Escreva nas linhas abaixo

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

A arte na Grécia. Capítulo 3

A arte na Grécia. Capítulo 3 A arte na Grécia Capítulo 3 Por volta do século X a. C, os habitantes da Grécia continental e das ilhas do mar Egeu formavam pequenas comunidades, distantes umas das outras, e falavam diversos dialetos.

Leia mais

ENGENHARIA PRINCÍPIO E PERSPECTIVAS HISTÓRICAS

ENGENHARIA PRINCÍPIO E PERSPECTIVAS HISTÓRICAS ENGENHARIA PRINCÍPIO E PERSPECTIVAS HISTÓRICAS O QUE É ENGENHARIA Engenharia é a ciência, a arte e a profissão de adquirir e de aplicar os conhecimentos matemáticos, técnicos e científicos para a criação,

Leia mais

Antiguidade Oriental I. História A Prof. Thiago

Antiguidade Oriental I. História A Prof. Thiago Antiguidade Oriental I História A Prof. Thiago Modo de Produção Asiático Sociedades ditas Hidráulicas ou de Regadio; Estado proprietário da terra (posse comunitária); Base social aldeã; Intervenção estatal

Leia mais

LAVRA A CEU ABERTO GE - 902 GEOLOGIA DE MINAS, LAVRA E TRATAMENTO DE MINÉRIOS IG/UNICAMP. Março 2006

LAVRA A CEU ABERTO GE - 902 GEOLOGIA DE MINAS, LAVRA E TRATAMENTO DE MINÉRIOS IG/UNICAMP. Março 2006 LAVRA A CEU ABERTO GE - 902 GEOLOGIA DE MINAS, LAVRA E TRATAMENTO DE MINÉRIOS IG/UNICAMP Março 2006 História da Mineração Idade da Pedra 450.000 a 4.000 AC Idade do Bronze 4.000 a 1.500 AC Idade do Ferro

Leia mais

Roma Antiga. O mais vasto império da antiguidade; Lendária fundação pelos gêmeos Rômulo e Remo, em 753 a.c.; Roma - centro político do Império;

Roma Antiga. O mais vasto império da antiguidade; Lendária fundação pelos gêmeos Rômulo e Remo, em 753 a.c.; Roma - centro político do Império; ROMA Roma Antiga O mais vasto império da antiguidade; Lendária fundação pelos gêmeos Rômulo e Remo, em 753 a.c.; Roma - centro político do Império; Sua queda, em 476, marca o início da Idade Média. O mito

Leia mais

1. CONCEITO: 2. CLASSIFICAÇÃO: AGLOMERANTES. Ativos. Inertes. Aéreos. Hidráulicos. Endurecem por secagem Ex.: argila (barro cru)

1. CONCEITO: 2. CLASSIFICAÇÃO: AGLOMERANTES. Ativos. Inertes. Aéreos. Hidráulicos. Endurecem por secagem Ex.: argila (barro cru) 1. CONCEITO: É um material ativo (pulverulento), que promove a ligação entre os grãos do material inerte (agregado). Exemplos: gesso, cal e cimento). São usados para a fabricação de: Pastas: aglomerante

Leia mais

EGITO PA P SSADO E PR P ESENT N E T

EGITO PA P SSADO E PR P ESENT N E T EGITO PASSADO E PRESENTE VOCÊ SABE ONDE ESTÁ O EGITO? ÁFRICA O EGITO É UM PAÍS DO CONTINENTE AFRICANO NO PASSADO O EGITO ERA ASSIM... ATUALMENTE, O EGITO CHAMA-SE REPÚBLICA ÁRABE DO EGITO. SUA CAPITAL

Leia mais

Engenharia e Arquitetura no século XIX

Engenharia e Arquitetura no século XIX AUH0154 História e Teorias da Arquitetura III Engenharia e Arquitetura no século XIX Camilla Bernal P. L. Mendes - 6817461 Fernanda Adams Domingos - 6816870 Fernanda Nogueira Ribeiro - 6816932 Guilherme

Leia mais

Podemos até dizer que a hipótese é bem convincente, isto é...

Podemos até dizer que a hipótese é bem convincente, isto é... Podemos até dizer que a hipótese é bem convincente, isto é... Os números romanos são fáceis de compreender mas Qual é a lógica que há por detrás dos números arábicos ou fenícios? Muito simples: Trata-se

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA

Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2013 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Série: 1ª Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

TECNOLOGIAS NO COTIDIANO: DESAFIOS À INCLUSÃO DIGITAL

TECNOLOGIAS NO COTIDIANO: DESAFIOS À INCLUSÃO DIGITAL TECNOLOGIAS NO COTIDIANO: DESAFIOS À INCLUSÃO DIGITAL O que é Tecnologia? O que é Tecnologia Educacional? Tecnologia e Tecnologia Educacional Histórico da Evolução da Tecnologia O homem foi utilizando

Leia mais

FLORENÇA JANEIRO/2013 (Florence University of The Arts)

FLORENÇA JANEIRO/2013 (Florence University of The Arts) FLORENÇA JANEIRO/2013 (Florence University of The Arts) Carga horária do curso: 45 horas + 15 horas de visitas Acomodação em quarto compartilhado Suplemento para apartamento individual 300 Transfer de

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações

Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações Edição: 5132010 Litoral Paulista, sexta-feira, 20 de agosto Página: 1 Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações w w w. u s i m i n a s.

Leia mais

VIRGÍLIO, P.; LONTRINGER, S.. Guerra Pura: a Militarização do Cotidiano. São Paulo: Brasiliense, 1984, p. 39.

VIRGÍLIO, P.; LONTRINGER, S.. Guerra Pura: a Militarização do Cotidiano. São Paulo: Brasiliense, 1984, p. 39. Velocidade é violência. O exemplo mais óbvio é o punho cerrado. Nunca o pesei mas pesa cerca de 400 gramas. Posso transformar esse punho na carícia mais delicada. Mas, se o arremessar em alta velocidade,

Leia mais

CIMENTO PORTLAND. O que é cimento Portland?

CIMENTO PORTLAND. O que é cimento Portland? CIMENTO PORTLAND O que é cimento Portland? CIMENTO PORTLAND 1. HISTÓRICO 2. PRODUTO 3. FABRICAÇÃO 4. TIPOS 5. APLICAÇÕES 6. QUALIDADE 7. ITAMBÉ HISTÓRIA DO CIMENTO MURALHA DA CHINA PANTEON COLISEU ROMANO

Leia mais

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves História da Arquitetura 2008 O Concurso O Grand Palais começou a ser construído em 1897 para abrigar a Exposição Universal de 1900, envolvendo um complexo processo

Leia mais

PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil. Disciplina Materiais de Construção Civil A

PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil. Disciplina Materiais de Construção Civil A PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil Disciplina Materiais de Construção Civil A AGLOMERANTES MINERAIS Notas de aula: Material baseado em apostilas dos professores: Ercio Thomaz, Gladis Camarini e

Leia mais

História da Arquitetura

História da Arquitetura Subdivisão da História da Arte - estudo da evolução histórica da arquitetura. Seus princípios Idéias Realizações Cronologia 1. Pré-História Arquitetura neolítica 2. Antigüidade Arquitetura egípcia Arquitetura

Leia mais

Presa. Difícil de determinar o instante em que se dá a passagem do estado líquido ao estado sólido

Presa. Difícil de determinar o instante em que se dá a passagem do estado líquido ao estado sólido LIGANTES HIDRÓFILOS CIMENTOS Propriedades físicas e mecânicas do cimento Presa Métodos de definição do início de presa: condutibilidade eléctrica viscosidade desenvolvimento de calor, etc. Difícil de determinar

Leia mais

IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Profª Drª. Andreza Kalbusch Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil - Introdução: Uso de materiais: intimamente

Leia mais

O Barroco no Brasil. Capitulo 11

O Barroco no Brasil. Capitulo 11 O Barroco no Brasil Capitulo 11 O Barroco no Brasil se desenvolveu do século XVIII ao início do século XIX, época em que na Europa esse estilo já havia sido abandonado. Um só Brasil, vários Barrocos O

Leia mais

História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano

História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / 6ºhis302r RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano Aluno(a), Seguem os conteúdos trabalhados no 2º trimestre. Como base neles você deverá iniciar seus

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE HISTÓRIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: 26/03/2011 Nota: Professora: Élida Valor da Prova: 40 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas

A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas A industrialização mudou a história do homem. O momento decisivo ocorreu no século XVIII com a proliferação

Leia mais

1 - O CRESCENTE FÉRTIL:

1 - O CRESCENTE FÉRTIL: 1 - O CRESCENTE FÉRTIL: Berço das primeiras civilizações; Atual Iraque até Egito; Grandes rios; Terras férteis. 2 EGITO E MESOPOTÂMIA: Impérios TEOCRÁTICOS de REGADIO; - Líder = Deus ou representante dele;

Leia mais

DESENHO TÉCNICO. Aula 1

DESENHO TÉCNICO. Aula 1 DESENHO TÉCNICO Aula 1 DESENHO Representação gráfica bidimensional da realidade, de uma idéia, pensamento ou emoção. Descreva este objeto: Cubo (Dado) Caneca Funil Tambor DESENHO A linguagem verbal não

Leia mais

O Mundo industrializado no século XIX

O Mundo industrializado no século XIX O Mundo industrializado no século XIX Novas fontes de energia; novos inventos técnicos: Por volta de 1870, deram-se, em alguns países, mudanças importantes na indústria. Na 2ª Revolução Industrial as indústrias

Leia mais

A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a

A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a difusão de variadas formas artísticas inspiradas no mundo

Leia mais

MARCOS HISTÓRICOS DOS DIREITOS HUMANOS

MARCOS HISTÓRICOS DOS DIREITOS HUMANOS MARCOS HISTÓRICOS DOS DIREITOS HUMANOS DIREITOS HUMANOS Os direitos humanos visam salvaguardar a dignidade de todas as pessoas, em todos os momentos e lugares e em todas as suas dimensões. DIREITOS HUMANOS

Leia mais

Renascimento Cultural

Renascimento Cultural Renascimento Cultural Séculos XIV ao XVII Prof. Dieikson de Carvalho Renascimento Cultural Contexto histórico Transição da Idade Média para Idade Moderna. Século XIV ao XVII. Resultado do Renascimento

Leia mais

Matéria prima. Fabricação de aço. Fabricação de aço

Matéria prima. Fabricação de aço. Fabricação de aço Matéria prima A fundição é usada para fabricação de componentes acabados. Também p/ produzir lingotes ou placas que serão posteriormente processados em diferentes formas, tais como: vergalhões, barras,

Leia mais

EXPANSÃO TERRITORIAL DO BRASIL

EXPANSÃO TERRITORIAL DO BRASIL EXPANSÃO TERRITORIAL DO BRASIL Foi a conquista e ocupação do interior do território, além dos limites do Tratado de Tordesilhas. Essa expansão foi responsável pela extensão territorial do Brasil de hoje.

Leia mais

A Revolução Industrial

A Revolução Industrial textos de José Manuel Russo A Revolução Industrial A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Introdução Embora o século XIX seja conhecido como o da Revolução Industrial, as suas origens centram-se nas transformações assistidas

Leia mais

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 6º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 6º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO COLÉGIO SANTO ANDRÉ EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 6º Ano - 1º TRIMESTRE PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO REFLITA A PARTIR DE ESTUDOS EM SALA DE AULA E TAREFAS DIRIGIDAS E RESPONDA ÀS SEGUINTES QUESTÕES

Leia mais

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável Juliano Moresco Silva Especialista em Tecnologia do Concreto juliano.silva@azulconcretos.com.br

Leia mais

Astronomia Fundamental

Astronomia Fundamental Astronomia Fundamental Astronomia nas culturas da Tibério B. Vale Contemporâneos dos egípcios e mesopotâmicos Provável colonização: povos mongóis vindos pelo Estreito de Bering (nordeste da Sibéria e Alasca)

Leia mais

. 03 01 05 Serradura, aparas, fitas de aplainamento, madeira, aglomerados e folheados não

. 03 01 05 Serradura, aparas, fitas de aplainamento, madeira, aglomerados e folheados não Lista de códigos - Lista Europeia de A Semural recepciona os seguintes tipos de resíduos, de acordo com os Códigos - Lista Europeia de Resíduos. Para resíduos perigosos ou outros contacte-nos pois temos

Leia mais

Arquitetura: do repertório à prática

Arquitetura: do repertório à prática Arquitetura: do repertório à prática Arquiteto: - tecton, em grego, designava um artífice ligado à construção de objetos por junção de peças; - arqui, prefixo que indica superioridade. Arquitetura: Aurélio:

Leia mais

Resumo Histórico. Introdução ao estudo das Estruturas Metálicas. Resumo Histórico. Setembro/2015. Resumo Histórico Coalbrookedale Bridge

Resumo Histórico. Introdução ao estudo das Estruturas Metálicas. Resumo Histórico. Setembro/2015. Resumo Histórico Coalbrookedale Bridge Introdução ao estudo das Estruturas Metálicas Resumo histórico e aspectos gerais Uso e aplicação de estruturas metálicas Composição do aço estrutural FTC-116 Estruturas Metálicas Eng. Wagner Queiroz Silva

Leia mais

Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação

Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação Coimbra, 29 e 30 de Março 2012 Índice Enquadramento Norma NP EN 459 Matérias primas Composição Características Produto

Leia mais