ESTÁGIO: TREINANDO E DESENVOLVENDO HABILIDADES - UM RELATO DA EXPERIÊNCIA NA BIBLIOTECA SESI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO: TREINANDO E DESENVOLVENDO HABILIDADES - UM RELATO DA EXPERIÊNCIA NA BIBLIOTECA SESI"

Transcrição

1 Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - ESTÁGIO: TREINANDO E DESENVOLVENDO HABILIDADES - UM RELATO DA EXPERIÊNCIA NA BIBLIOTECA SESI Diana Carla Mendonça 1 Jéssica Lavor 2 RESUMO Apresenta um relatório desenvolvido após a experiência de estágio na biblioteca do Serviço Social da Indústria- SESI, núcleo Barra do Ceará. Aborda o estágio como um componente primordial na formação dos futuros profissionais, o qual pode ser visto como um espaço de estudos e de práticas sociais no campo profissional, e têm como objetivo possibilitar ao estudante um primeiro contato com as práticas profissionais a fim de que possa compreender as relações de trabalho, e adquirir as competências necessárias para exercer o que foi aprendido no decorrer da vida acadêmica. Traz ainda um pequeno histórico da instituição e das atividades desenvolvidas, tanto na biblioteca fixa, quanto na biblioteca itinerante do trabalhador. Palavras-chave: Relatório de estágio. Práticas profissionais. Biblioteca SESI 1 INTRODUÇÃO Considera-se Estágio as atividades de aprendizagem profissional, social e cultural proporcionadas ao estudante através da participação em situações reais de trabalho dado por uma instituição ou organização, sob a responsabilidade da escola a que pertence. É a oportunidade para que os estudantes coloquem em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, 1 Graduanda em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC) 2 Graduanda em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC)

2 de maneira que possam vivenciar no dia a dia a teoria, absorvendo melhor os conhecimentos, podendo refletir e confirmar sobre a sua escolha. O Estágio é uma importante fase da vida acadêmica dos alunos universitários, pois em alguns casos, é o primeiro contato do aluno numa organização, participando da vivência profissional da instituição e contribuindo para o crescimento profissional do mesmo. Nele, o estagiário poderá vivenciar experiências de resolução de problemas, avaliar e sugerir mudanças nas organizações, implantar sistemas de custos, informações e etc., aprofundar conhecimentos em sua área de interesses entre outros e estará participando de um processo de aprendizagem. O estágio como atividade essencialmente pedagógica deve ser capaz de estimular o conhecimento crítico da realidade social e sensibilizar o aluno para o atendimento de necessidades sociais balizadas por valores éticos que devem orientar sua prática profissional. Enquanto disciplina curricular tem o objetivo definido no projeto do curso e visa possibilitar uma primeira aproximação com a prática profissional, a compreensão das relações de trabalho e a articulação de competências necessárias para o exercício das funções preconizadas no curso. (FUGINO, 2011, P.41). Diante desse desafio de aprendizagem, conhecimento e competência numa instituição, é que o estagiário desenvolve uma postura profissional para a passagem da vida estudantil para o mercado de trabalho. como: Segundo Pimenta (2003), o estágio extracurricular deve ser definido (...) um processo de aprendizagem através do exercício e aplicação de práticas no ambiente de atuação profissional. Teria como objetivo desenvolver e treinar habilidades específicas. Seria uma estratégia de formação pessoal, de interesse do indivíduo. Sendo assim, espera-se poder estar preparado para este desafio e contribuir para o próprio desenvolvimento profissional e para a instituição, no caso, a Biblioteca do Serviço Social da Indústria SESI Núcleo Barra do Ceará, na qual o estágio foi realizado.

3 2 CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO O Serviço Social da Indústria é uma entidade de direito privado, nos termos da lei civil, estruturada em base federativa para prestar assistência social aos trabalhadores industriais e de atividades semelhantes em todo país. Inaugurado em 1948, o SESI exerce papel fundamental no desenvolvimento social brasileiro, colaborando com a melhoria da qualidade de vida do trabalhador da indústria, seus familiares e comunidade em geral por meio de seus serviços nos campos de educação, saúde, lazer e esporte, cultura, alimentação e outros, estando composta por aproximadamente 51 centros em todo o país. Segundo o site do SESI, alguns dos seus objetivos são: a) Utilizar os recursos educativos e assistenciais existentes, tanto públicos, como particulares. b) Promover quaisquer modalidades de cursos e atividades especializadas de serviço social. c) Organizar os serviços sociais adequados às necessidades e possibilidades locais, regionais e nacionais. d) Realizar, direta ou indiretamente, no interesse do desenvolvimento econômico-social do país, estudos e pesquisas sobre as circunstâncias vivenciais dos seus usuários, sobre a eficiência da produção individual e coletiva, sobre aspectos ligados à vida do trabalhador e sobre as condições socioeconômicas das comunidades. e) Servi-se dos recursos audiovisuais e instrumentos de formação da opinião pública, para interpretar e realizar a sua obra educativa e divulgar os princípios, métodos e técnicas de serviço social. O SESI - Núcleo Barra localiza-se na Av. Francisco Sá, nº 6623, Barra do Ceará, em Fortaleza, e sua biblioteca está localizada no mesmo endereço. A Biblioteca têm por objetivos:

4 a) Incentivar o sentido de complementaridade entre biblioteca e sala de aula. b) Valorizar a pesquisa. c) Criar o prazer de leitura entre os jovens e trabalhadores da indústria. d) Aproximar professor, aluno e trabalhador, a biblioteca. e) Estimular na integração do trabalhador com a comunidade e sociedade. f) Aproximar o trabalhador da indústria com a biblioteca e seus projetos. Seu acervo está constituído de livros, periódicos (revistas e jornais), CD- ROOM, VHS, catálogos, todos voltados para os seus alunos, trabalhadores industriais, funcionários e comunitários. Dentre os serviços oferecidos pela Biblioteca, destacam-se: Empréstimo Domiciliar: é oferecido aos alunos do SENAI e SESI, professores, trabalhadores industriais, seus dependentes e funcionários, a leitura dos materiais fora da biblioteca, com data de devolução, podendo ser renovado. Os usuários podem levar um livro de cada vez, salvo os professores que podem levar mais, por um período de sete dias. Só pode ser efetuado o empréstimo depois de se fazer o cadastro na biblioteca. Para efetuar o cadastro são precisos uma foto 3x4, carteira do SESI e comprovante de residência. Consulta Local: feita na própria biblioteca, o usuário poderá fazer suas pesquisas, ler os materiais e solicitar ajuda dos bibliotecários. Os comunitários utilizam esse serviço, não podendo fazer empréstimos. Seção de Periódicos: é destinada a consulta local, podendo só ser emprestada para professores e funcionários. É composta pelos periódicos: Veja, Época, Super Interessante, Marie Claire, Nova Escola e etc. Biblioteca Itinerante: é destinado aos trabalhadores das empresas parceiras do SESI e realizada na própria empresa. É composta por um acervo próprio destinado exclusivamente ao empréstimo para os

5 trabalhadores da indústria, no qual possam usufruir do acervo sem precisar vir a biblioteca. Foi idealizado a partir de um serviço oferecido na década de 1970 que chama-se caixa-estante onde os trabalhadores das indústrias tinham contato com os livros e recebiam incentivo de leitura. Em 2006 esse serviço passou por uma reestruturação, tornou-se um serviço agregado a educação do trabalhador, e a partir daí passou a se chamar 'Biblioteca Itinerante do Trabalhador'. O acervo é trocado a cada três meses na empresa, o empréstimo é realizado mediante a apresentação do nome e número da matricula do trabalhador, tendo 15 dias para a devolução, podendo ser renovado por mais 2 semanas, é realizado geralmente no horário de umas das refeições, almoço ou janta (noite e madrugada) onde o professor faz apresentação do curso Leitura: um caminho a construir. 3 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS a) Participação no processo de seleção de novos colaboradores: A biblioteca entrou com o processo de contratação de funcionários. Junto com a responsável, foi definido o perfil exigido do candidato e a colaboração no processo de criação da prova de conhecimentos específicos. b) Planejamento e implantação de bibliotecas itinerantes em novas indústrias: O SESI está implantando novas unidades de bibliotecas itinerantes nas empresas. Com isso, fez-se um levantamento da quantidade e do perfil dos trabalhadores e definido o número de contêineres para a empresa. A partir disso, foi preparado o material necessário, agendando a data de implantação e designando a equipe responsável para o local. c) Acompanhamento da circulação dos contêineres da biblioteca itinerante nas empresas: Foi realizadas visitas as empresas parceiras para monitorar os formulários de circulação de contêineres, de empréstimos e de consultas, além de controlar o acervo dos rodízios, solicitando à empresa os livros pendentes e extraviados. Realizou-se

6 também um treinamento para o monitor da empresa quanto aos procedimentos da Biblioteca. d) Processamento técnico: Registro, classificação, elaboração de etiquetas. e) Seleção dos livros de acordo com o perfil da empresa. f) Elaboração da lista do material que irá ficar na empresa, incluindo o título e registro dos livros g) Conferência do material com o representante da empresa h) Registro das informações necessárias a cada atendimento ao usuário do serviço i) Acompanhar o desenvolvimento dos cursos de educação continuada das empresas: Junto ao professor que realiza o curso, foram disponibilizados a ele os instrumentos necessários para a realização do curso, como textos, livros e data show. j) Participar da elaboração de novos cursos de educação continuada para a Biblioteca Itinerante: Participar do planejamento de novos cursos de incentivo à leitura, objetivando o enriquecimento do capital cultural do trabalhador da indústria. k) Elaboração de estatística mensal de empréstimos. 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS Foi de grande aprendizado o período em que se esteve exercendo as atividades da área de Biblioteconomia, pois se puderam comparar tudo o que se aprendeu numa sala de aula com a prática.

7 4.1 Dia a dia A maioria das atividades descritas acima foram desenvolvidas, só não a participação na elaboração de novos cursos, pois foi acordado que não iria se definir nenhum curso novo agora, só no próximo ano. A biblioteca tem grandes e interessantes projetos e todas as atividades foram de grande aprendizado, mas o que mais chamou a atenção foi a implantação de novas Bibliotecas Itinerantes nas empresas, pois convive-se diretamente com as necessidades e as exigências dos trabalhadores, e o trabalho para atendê-los. E também, a implantação da Unidade SESI Indústria do Conhecimento, pois foi definido praticamente tudo o que seria realizado e utilizado nessa unidade, desde a organização das estantes, até as atividades a serem desenvolvidas nela. Além que, antes de terminar o estágio, já estava em processo de implantação uma nova Unidade de Indústria do Conhecimento, na empresa Vulcabrás, e pôde-se notar o quanto é importante um planejamento de todas as ações a serem desenvolvidas. Com isso, vivenciou-se diretamente com a parte administrativa da Biblioteconomia nessas duas atividades. A dificuldade encontrada foi a de poder colocar em prática o que se aprendeu na teoria, pois o que se vivencia numa sala de aula, é completamente diferente do que se vê no dia a dia. Foi de grande ajuda a contribuição da bibliotecária, que orientou e ensinou sobre todas as atividades administrativas realizadas. Foi de grande proveito essa experiência vivida na Biblioteca do SESI, todos lá foram bastante receptivos e sempre solícitos em ajudar. O que se aprendeu será de grande valia para o futuro, após a formação. 4.2 Aprendizado O estágio extracurricular exercido na Biblioteca do SESI da Barra foi de grande importância para perceber como é trabalhar diretamente com a parte administrativa da Biblioteca, aprendendo como é estruturada uma biblioteca e

8 os projetos que podem conter nela. Sendo de grande importância esse primeiro contato com as práticas profissionais, além de adquirir habilidades necessárias para o dia a dia do trabalho. Observou-se que são primordiais algumas qualidades para tornar-se um bom estagiário, tais como: assiduidade, ser comunicativo, está atualizado, ser ético, pontual, organização. É importante destacar que o grupo ou empresa ao qual pertence irá sem dúvida esperar algo de você durante o período em que estiver servindo a instituição, pois seu proceder pode afetar diretamente ao bom funcionamento do local. Destaca-se aqui o dinamismo, a facilidade no relacionamento com as pessoas, o bom desempenho no curso de graduação, a agilidade para resolver problemas, a busca de soluções, etc. Questões essas que irão influenciar, no presente e no futuro profissional. O estágio, através da prática, fortalece a teoria aprendida na faculdade, tudo o que se viu dentro de sala de aula, terá que ser exercido também na biblioteca. Assim, o que se aprendeu ao longo do período do estágio será utilizado para desafios e oportunidades futuras, principalmente no exercício profissional.

9 5 REFERÊNCIAS FUGINO, Asa; VASCONCELOS, Michele de Oliveira. Estágios: reflexões sobre a ação didático pedagógica na formação do profissional da informação. CRB-8 Digital, São Paulo, v. 4, n. 1, p , abr Disponível em: <http://revista.crb8.org.br/index.php/crb8digital>. Acesso em: 10/02/2012 PIMENTA, Selma Garrido. Estágio, trabalho e educação. In: Relatório do II Encontro Nacional Estágios, Ensino Superior e Mercado de Trabalho: Perspectivas para o Futuro, São Paulo, de Abril, ROQUE, Sônia Iraina da Silva; OHIRA, Maria Lourdes Blatt. O Estágio curricular em Biblioteconomia. Revista Sociedade e Informação, João Pessoa, v. 10, n. 2, Serviço Social da Indústria - SESI. Histórico. Disponível em: acessado em: 15/06/2011 Serviço Social da Indústria SESI. Projeto biblioteca itinerante do trabalhador. Fortaleza: SESI DR, SILVA, Jarcelma Clícia Alves da.; SILVA, Alzira Karla Araújo da. O estágio na Biblioteconomia: competências, habilidades e perfil requeridos pelo mercado.revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, v.13, n.2, p , jul./dez., UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. Projeto Político Pedagógico do Curso de Biblioteconomia. Fortaleza, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. Formulário de Ação de Extensão: Biblioteca Comunitária do Benfica. Fortaleza: Pró-Reitoria de Extensão, 2008.

REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO OBIGATÓRIO CURRICULAR NA BIBLIOTECA SETORIAL DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIAS, CONTÁBEIS E SECRETARIADO

REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO OBIGATÓRIO CURRICULAR NA BIBLIOTECA SETORIAL DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIAS, CONTÁBEIS E SECRETARIADO XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO

Leia mais

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 A PRÁTICA DO ESTÁGIO

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA

REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA Página 1 de 11 1. CONCEITO / FINALIDADE : A monitoria consiste na atividade de apoio aos alunos das disciplinas de oferta regular do currículo as quais os coordenadores de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular do Curso de Administração

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA CREDENCIAMENTO: Decreto Publicado em 05/08/2004 RECREDENCIAMENTO: Decreto Publicado em 15/12/2006

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA CREDENCIAMENTO: Decreto Publicado em 05/08/2004 RECREDENCIAMENTO: Decreto Publicado em 15/12/2006 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG (Ato de Aprovação: Resolução do Reitor Nº 47/2010 de 30/04/2010) Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO

REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO 1. Apresentação Na Faculdade do Sudeste Goiano a biblioteca tem sido alvo de constante atenção, seu

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS Dispõe sobre os estágios realizados pelos discentes do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - IFMG, em cumprimento da Lei nº 11.788, de 25 de setembro

Leia mais

MOC 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA

MOC 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA EIXO Macroação ATIVIDADES Compor a equipe técnica com experiências no trabalho de desenvolvimento de comunidade. Identificar

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 A Direção de Ensino do câmpus Curitiba, compreendendo todas as suas seções, com a finalidade

Leia mais

Apresentação. Prezado aluno,

Apresentação. Prezado aluno, A Faculdade São Judas Tadeu tem como missão promover a emancipação do indivíduo através da educação, compreendida pelo desenvolvimento do conhecimento, atitudes e valores e respeito à dignidade humana.

Leia mais

MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE

MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE 1 MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE Olinda PE Agosto / 2014 2 Introdução As atividades complementares representam um conjunto de atividades extracurriculares que

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DO CURSO DE PEDAGOGIA IFC - CAMPUS CAMBORIÚ. Título I LABORATÓRIO DE ENSINO. Capítulo I Princípios e Diretrizes

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DO CURSO DE PEDAGOGIA IFC - CAMPUS CAMBORIÚ. Título I LABORATÓRIO DE ENSINO. Capítulo I Princípios e Diretrizes REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DO CURSO DE PEDAGOGIA IFC - CAMPUS CAMBORIÚ Título I LABORATÓRIO DE ENSINO Capítulo I Princípios e Diretrizes O laboratório de ensino do curso de Licenciatura em Pedagogia

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

1 Projeto Biblioteca Vitrine Perfil de Biblioteca Parceira Nome da Escola Nome da Biblioteca e CRB Endereço com CEP Cidade, UF (DDD) Telefone e E-mail Telefone E-mail Responsável pela biblioteca Horários

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamento das Atividades Complementares dos Cursos de Graduação da Faculdade Barretos Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade definir normas e critérios para a seleção

Leia mais

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012 Regulamento Interno Introdução A Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas é parte integrante do processo educativo

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. 2º Semestre de 2012

SERVIÇO SOCIAL MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. 2º Semestre de 2012 SERVIÇO SOCIAL MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2º Semestre de 2012 COORDENAÇÃO GERAL Diretor Geral Prof. Adalberto Miranda Distassi Coordenadoria Geral de Estágios Prof. Ricardo Constante Martins Coordenador

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB. Relatório Biblioteca Penha Shopping

Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB. Relatório Biblioteca Penha Shopping Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB Relatório Biblioteca Penha Shopping 2015 SUMÁRIO 1 SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS - SIBi... 02 2 NÚCLEO DE COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS - NCB... 02 3 UNIDADE

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS, BACHARELADO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013

ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013 ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013 1.1 Organização Institucional Q1 Cumprimento da missão da

Leia mais

Rodovia Washigton Luis km 173,3, s/n, Chácara Lusa Centro CEP: 13501600 - Rio Claro SP Inscr. Estadual: Isento CNPJ nº 05.143.

Rodovia Washigton Luis km 173,3, s/n, Chácara Lusa Centro CEP: 13501600 - Rio Claro SP Inscr. Estadual: Isento CNPJ nº 05.143. SUMÁRIO CAPÍTULO I: CONSTITUIÇÃO, FINALIDADES E COMPETÊNCIAS... 2 CAPÍTULO II: DO CADASTRO DE USUÁRIOS... 3 CAPÍTULO III: DA CONSULTA AO ACERVO... 4 CAPÍTULO IV: DOS EMPRÉSTIMOS... 5 CAPÍTULO V: DO ATRASO

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO BAIXO SÃO FRANCISCO DR. RAIMUNDO MARINHO FACULDADE RAIMUNDO MARINHO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Seção I Da Biblioteca Art.

Leia mais

INSTRUÇÃO N 2, DE 26 DE MARÇO DE 2007. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais,

INSTRUÇÃO N 2, DE 26 DE MARÇO DE 2007. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais, INSTRUÇÃO N 2, DE 26 DE MARÇO DE 2007 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais, APROVA: REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ECOLÓGICA INFANTIL MARIA DINORAH CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 MANUAL DO USUÁRIO Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 Rio de Janeiro INPI/CEDIN 2014 BIBLIOTECA DO INPI Vinculada ao Centro de Disseminação da Informação Tecnológica (CEDIN),

Leia mais

Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO

Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO Jaboatão dos Guararapes / PE PAG.1 Tecnologia da Informação na Faculdade Guararapes A Faculdade Guararapes através do Setor de Tecnologia da Informação

Leia mais

Consulta Pública ESTRATÉGIAS

Consulta Pública ESTRATÉGIAS Plano Municipal de Educação PME Secretaria Municipal de Educação São Francisco do Sul Fórum Municipal de Educação Consulta Pública META 3: Universalizar, até 2016, o atendimento escolar para toda a população

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO BIBLIOTECA. Socioambiental & Sustentabilidade

GUIA DO USUÁRIO BIBLIOTECA. Socioambiental & Sustentabilidade GUIA DO USUÁRIO BIBLIOTECA Socioambiental & Sustentabilidade APRESENTAÇÃO A Biblioteca Nossa Senhora das Mercês Itpac Porto do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos ITPAC-PORTO proporciona suporte

Leia mais

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA: EDUCAÇÃO FÍSICA (Portaria de Reconhecimento nº 428 de 28 de julho de 2014) E PEDAGOGIA (Portaria de Reconhecimento nº 286 de 21 de dezembro de 2012) ORIENTAÇÕES

Leia mais

FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Faculdade PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃOEM GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL PROCESSO DE SELEÇÃO DE TUTORES CHAMADA PÚBLICA N 5/2014. 1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

CESMAR- CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE MARILIA CNPJ: 07.064.432/0001-05 FACULDADE DE SÃO CARLOS

CESMAR- CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE MARILIA CNPJ: 07.064.432/0001-05 FACULDADE DE SÃO CARLOS CESMAR- CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE MARILIA CNPJ: 07.064.432/0001-05 FACULDADE DE SÃO CARLOS REGULAMENTO BIBLIOTECA SÃO CARLOS/SP - 2013 FACULDADE DE SÃO CARLOS Mantida pela CESMAR Centro de Ensino Superior

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de Gestão do

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CURSO DE PSICOLOGIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CURSO DE PSICOLOGIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CURSO DE PSICOLOGIA LABORATÓRIO DE PSICOLOGIA E PROCESSOS CLÍNICOS JATAÍ 2014 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CURSO DE PSICOLOGIA

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

CAPÍTULO II DA DURAÇÃO E DA CARGA HORÁRIA

CAPÍTULO II DA DURAÇÃO E DA CARGA HORÁRIA POLO UFRJ - XERÉM COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SUPORTE ACADÊMICO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1 o. As Atividades Complementares são componentes

Leia mais

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL CURSO: GESTÃO AMBIENTAL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais capazes de propor, planejar, gerenciar e executar ações

Leia mais

EDITAL PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ALUNOS A PÓS-GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL

EDITAL PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ALUNOS A PÓS-GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL EDITAL PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ALUNOS A PÓS-GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL 2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO... 3 3. PRÉ-REQUISITOS... 4 4. INSCRIÇÃO... 4 5.

Leia mais

Anexo I Tabela das Atividades Complementares do curso de Licenciatura em Química do IF Goiano Câmpus Ceres. Acadêmico: Data: Grupo de atividades

Anexo I Tabela das Atividades Complementares do curso de Licenciatura em Química do IF Goiano Câmpus Ceres. Acadêmico: Data: Grupo de atividades Anexo I Tabela das Atividades Complementares do curso de Licenciatura em Química do IF Goiano Câmpus Ceres. Acadêmico: Data: Grupo de atividades ATIVIDADES DE ENSINO ATIVIDADES DE PESQUISA ATIVIDADES DE

Leia mais

Regulamento Institucional do Serviço de Apoio Psicopedagógico SAPP

Regulamento Institucional do Serviço de Apoio Psicopedagógico SAPP Regulamento Institucional do Serviço de Apoio Psicopedagógico SAPP Regulamento Institucional do Serviço de Apoio Psicopedagógico SAPP Art. 1 - Do serviço de apoio Psicopedagógico - SAPP O serviço de apoio

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ELABORAÇÃO DE MATERIAL, TUTORIA E AMBIENTES VIRTUAIS Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento

Leia mais

COLÉGIO J. OLIVEIRA PROJETO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

COLÉGIO J. OLIVEIRA PROJETO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS COLÉGIO J. OLIVEIRA PROJETO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS 01. JUSTIFICATIVA: Entendemos que a Educação de Jovens e Adultos foi concebida para resgatar aqueles que por vários motivos tenham

Leia mais

SUPERVISÃO ACADÊMICA: UMA PROPOSTA POLÍTICA DE DESAFIOS E QUALIDADE NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL

SUPERVISÃO ACADÊMICA: UMA PROPOSTA POLÍTICA DE DESAFIOS E QUALIDADE NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL SUPERVISÃO ACADÊMICA: UMA PROPOSTA POLÍTICA DE DESAFIOS E QUALIDADE NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL Lourdes Passaura* RESUMO: Este artigo relata a experiência de um trabalho efetuado por meio do projeto de supervisão

Leia mais

ASSITÊNCIA ESTUDANTIL

ASSITÊNCIA ESTUDANTIL ASSITÊNCIA ESTUDANTIL Apoio ao Acadêmico A Assistência Estudantil da FAMEC tem a missão de apoiar o acadêmico na busca de soluções e oportunidades que contribuam para sua permanência na faculdade e conclusão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA ASSESSORIA PARA DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO Biblioteca Universitária

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA ASSESSORIA PARA DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO Biblioteca Universitária Regulamento de Empréstimo entre Bibliotecas Art. 1º O presente documento contém as disposições básicas que regulamentam o serviço de Empréstimo entre Bibliotecas na Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O estágio

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º As Atividades Complementares são componentes curriculares obrigatórios

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO)

CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO) CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO) O Curso de Graduação em Turismo da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga foi reformulado no ano de 2008, tendo a proposta de adaptação do seu

Leia mais

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando:

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando: Resolução Nº. 024/2010/CONSEPE/ Regulamento de Estágio Supervisionado O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, credenciada pela Portaria MEC

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de Gestão do

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Nome da Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Responsável pelo preenchimento das informações: HELIANE

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR ÁREA DO CONHECIMENTO Educação. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Docência do Ensino Superior. AMPARO LEGAL E PORTARIA

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

Universidade Estatual do Sudoeste da Bahia UESB. Pró-Reitoria de Graduação

Universidade Estatual do Sudoeste da Bahia UESB. Pró-Reitoria de Graduação Universidade Estatual do Sudoeste da Bahia UESB Pró-Reitoria de Graduação ESTRUTURA PROGRAD A Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD) é um órgão assessor da Reitoria responsável pelo Ensino de Graduação. Atualmente

Leia mais

Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com

Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com disciplinas ministradas em português e inglês, e uma metodologia

Leia mais

EDITAL Nº 01/2014. Seleção Pública de Profissional de Educação Física para Academia de Ginástica do Centro Administrativo Fernando Ferrari

EDITAL Nº 01/2014. Seleção Pública de Profissional de Educação Física para Academia de Ginástica do Centro Administrativo Fernando Ferrari ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE EDITAL Nº 01/2014 Seleção Pública de Profissional de Educação Física para Academia de Ginástica do Centro Administrativo Fernando Ferrari 1.DA NATUREZA DAS

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Lajeado 4811 Administração LFE em Administração

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3 1 DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS Maio/2005 216-TC-C3 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET / Desenv. de Softwares & UNISUAM/LAPEAD - antoniosalles@gmail.com

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online ENSINO DE QUÍMICA Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação na

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia PASSO A PASSO PARA ATIVIDADES PRÁTICAS COMPLEMENTARES São atividades obrigatórias

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de Gestão do

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de

Leia mais

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista:

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: A metodista é credenciada pelo MEC para o oferecimento de cursos a distância? Sim. A Universidade Metodista de São Paulo recebeu o credenciamento do

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você.

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Educação a Distância Anhembi Morumbi Agora você pode estudar em uma universidade internacional

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

www.queroserprofessor.

www.queroserprofessor. www.queroserprofessor. Documento Revisado em março de 2011 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. O QUE É A MONITORIA? 3. OBJETIVOS DA MONITORIA 4. CONDIÇÕES PARA PARTICIPAR DA MONITORIA 5. INSCRIÇÃO 6. ATRIBUIÇÕES

Leia mais

Escola Superior de Ciências Sociais ESCS

Escola Superior de Ciências Sociais ESCS Escola Superior de Ciências Sociais ESCS Manual do Estágio Supervisionado Curso de Graduação - Licenciatura em História MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Conforme legislação em

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM COMUNICAÇÃO E MARKETING Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Este regulamento, elaborado pela Coordenação do Curso de Ciências Econômicas da Universidade Metodista de São Paulo, tem por objetivo regulamentar o desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM BANCO DE DADOS

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM BANCO DE DADOS REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM BANCO DE DADOS 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de Gestão do Porto

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para

Leia mais

Título: Monitoria: Recurso de integração teórico - prática

Título: Monitoria: Recurso de integração teórico - prática Título: Monitoria: Recurso de integração teórico - prática Caracterização do problema: o laboratório de praticas integradas busca proporcionar aos acadêmicos de medicina da UNIDERP um ambiente que favoreça

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano Reitoria

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano Reitoria Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano Reitoria INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO DE RECONHECIMENTO DE SABERES PARA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS O Grupo Territórios, Educação Integral

Leia mais

TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE

TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO AUTOR(ES): THAIS

Leia mais

3.1. Os alunos estarão automaticamente cadastrados como usuários após a efetivação da matrícula e a confecção da carteira de estudante.

3.1. Os alunos estarão automaticamente cadastrados como usuários após a efetivação da matrícula e a confecção da carteira de estudante. 1. A Biblioteca A Biblioteca é um órgão suplementar do UNIPINHAL, que tem como objetivo dar suporte informacional aos professores, alunos e funcionários, podendo ser utilizada pelo público em geral. 2.

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDUCAÇÃO AMBIENTAL Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação na

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA Coronel Fabriciano 2012 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVOS 1 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 2 4. ATRIBUIÇÕES 2 5. LOCAIS DE ESTÁGIO E AGENTES DE INTEGRAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições:

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: Professor-autor é aquele que possui pleno domínio da área

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, SEQUENCIAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB 1. INTRODUÇÃO O Sistema de Bibliotecas da UCB possui um acervo com mais de 200.000 volumes possibilitando o acesso dos usuários aos livros, sistemas de consulta,

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROGRAMAS DE SAÚDE DA FAMÍLIA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROGRAMAS DE SAÚDE DA FAMÍLIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROGRAMAS DE SAÚDE DA FAMÍLIA ÁREA DO CONHECIMENTO Saúde. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão de Programas de Saúde da Família.

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL ÁREA DO CONHECIMENTO Educação. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Orientação Educacional. AMPARO LEGAL E PORTARIA DO MEC

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÁGIO 2013

PROGRAMA DE ESTÁGIO 2013 PROGRAMA DE ESTÁGIO 2013 Estamos em busca de jovens talentos! Cavalcante Ramos Advogados através do seu programa de estágio tem como objetivo proporcionar ao estagiário o conhecimento das rotinas forenses

Leia mais