8400/16 mb/pbp/fc 1 DGE 2B

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "8400/16 mb/pbp/fc 1 DGE 2B"

Transcrição

1 Conselho da União Europeia Bruxelas, 12 de maio de 2016 (OR. en) 8400/16 ENER 134 ENV 254 CLIMA 37 COMPET 189 CONSOM 94 FISC 66 NOTA de: para: Assunto: Presidência Comité de Representantes Permanentes/Conselho Mensagens da Presidência sobre a configuração do mercado da eletricidade e a cooperação regional - Apresentação pela Presidência A estratégia-quadro para o desenvolvimento de uma União da Energia resiliente dotada de uma política em matéria de alterações climáticas virada para o futuro, apresentada pela Comissão em 25 de fevereiro de 2015, é um dos principais objetivos estratégicos da UE e define cinco vertentes de ação interligadas: segurança energética, solidariedade e confiança; um mercado interno da energia plenamente integrado; eficiência energética como contributo para a moderação da procura de energia; descarbonização da economia e uma União da Energia em prol da investigação, da inovação e da competitividade. Nas suas conclusões de 19 e 20 de março de 2015, o Conselho Europeu aprovou a referida estratégia-quadro que, juntamente com a aprovação das metas em matéria de clima e energia para 2030 pelo Conselho Europeu em outubro de 2014, criou um quadro para uma nova configuração dos mercados da eletricidade da União Europeia. É por demais evidente que os mercados da eletricidade estão confrontados com grandes desafios, tais como a transição para um sistema energético hipocarbónico, a integração eficiente em termos de custos das energias renováveis intermitentes, a passagem de centrais elétricas convencionais para a produção descentralizada de energias renováveis, a evolução do papel e a participação crescente dos consumidores de energia (tanto famílias como empresas) e a difícil tarefa de garantir a segurança do abastecimento a curto e a longo prazo de forma eficiente e a custos acessíveis. 8400/16 mb/pbp/fc 1 DGE 2B PT

2 Além disso, os mercados da eletricidade têm de enviar aos investidores os sinais certos, a fim de garantir que são efetuados os necessários investimentos de longo prazo e que estes são tão eficazes quanto possível em termos de custos. Os mercados devem ser acessíveis a novos operadores, recompensar as tecnologias, os produtos e os serviços inovadores e estimular a concorrência. Na sequência do acima exposto, em 15 de julho de 2015, a Comissão apresentou a sua Comunicação intitulada "Lançamento da consulta pública sobre a nova configuração do mercado da energia" (doc /15), tendo em vista adaptar as atuais regras de configuração do mercado da eletricidade aos novos desafios. Este processo consultivo constitui um primeiro passo que permitirá à Comissão debater posteriormente os resultados da consulta com os Estados-Membros e as partes interessadas. Aquela comunicação foi adotada a par da Comunicação intitulada "Um novo quadro para os consumidores de energia" (doc /15), com o objetivo de colocar os consumidores no centro do futuro sistema energético. A Comissão deverá posteriormente apresentar propostas legislativas até ao final de Para o efeito, recordando a troca de pontos de vista entre os Ministros sobre o futuro modelo do mercado da eletricidade e o papel dos mercados regionais, que teve lugar na reunião informal dos Ministros da Energia em Amesterdão, a 10 e 11 de abril de 2016, a Presidência tenciona dar orientações à Comissão para a elaboração de tais propostas legislativas. A análise das questões acima referidas foi prosseguida a nível do grupo de trabalho em 21 de abril e 3 de maio de Com base nesse debate e nas várias observações apresentadas pelas delegações, a Presidência elaborou mensagens sobre a configuração do mercado da eletricidade e a cooperação regional. Em geral, a Presidência concluiu que, como primeira prioridade, são necessárias medidas para melhorar o funcionamento do mercado e eliminar os obstáculos à flexibilidade. Embora os mecanismos de mercado possam proporcionar as melhores soluções para garantir a segurança do abastecimento, existem diferentes pontos de vista sobre o papel de mecanismos de capacidade conformes. Os Estados-Membros que ponderem implementar mecanismos de capacidade deverão ter em conta as sinergias da cooperação regional transfronteiras e evitar desincentivos ao investimento na interconexão minimizando, simultaneamente, as distorções do mercado. A fim de dar orientações no que respeita a esta prioridade de melhorar o funcionamento do mercado e eliminar os obstáculos à flexibilidade, envia-se em anexo, à atenção das delegações, um conjunto de mensagens da Presidência, que serão enviadas à Comissão para análise durante a preparação das próximas propostas legislativas sobre a nova configuração do mercado da energia. 8400/16 mb/pbp/fc 2 DGE 2B PT

3 Sem prejuízo da análise, pelo Comité de Representantes Permanentes, do texto da Presidência constante do anexo, o Conselho TTE (Energia) de 6 de junho de 2016 é convidado a acolher favoravelmente as mensagens da Presidência sobre a configuração do mercado de eletricidade e a cooperação regional. 8400/16 mb/pbp/fc 3 DGE 2B PT

4 ANEXO MENSAGENS DA PRESIDÊNCIA SOBRE A CONFIGURAÇÃO DO MERCADO DA ELETRICIDADE E A COOPERAÇÃO REGIONAL RECORDANDO: as conclusões sobre a comunicação da Comissão intitulada " Preços e custos da energia na Europa", adotadas pelo Conselho TTE (Energia) em 13 de junho de 2014, as conclusões sobre a comunicação da Comissão intitulada "Progressos na concretização do mercado interno da energia", adotadas pelo Conselho TTE (Energia) em 9 de dezembro de 2014, as conclusões sobre a implementação da "União da Energia: empoderar os consumidores e atrair investimentos no setor da energia", adotadas pelo Conselho TTE (Energia) em 8 de junho de Tendo em vista a próxima legislação sobre a configuração do mercado da eletricidade, convida-se a Comissão a ter em conta as mensagens que se seguem. 1. Dada a necessidade de um quadro regulamentar sólido e estável, é essencial implementar plenamente e fazer cumprir a legislação existente da UE, incluindo o terceiro pacote energético, e adotar e implementar atempadamente códigos de rede e orientações para a eletricidade amplamente aceites. 2. O mercado da eletricidade na Europa está a mudar; a quota-parte de fontes intermitentes está a aumentar e os mercados estão cada vez mais interligados, o que exige uma maior coordenação e cooperação entre os Estados-Membros. O reforço da cooperação regional, baseado no princípio de uma abordagem da base para o topo e no empenhamento político, constitui um passo importante para um mercado da UE mais integrado, eficaz e flexível, que irá aumentar a segurança energética, reduzir os custos da energia, estabelecer preços mais eficazes e permitir uma maior integração das fontes de energia renováveis à medida que vai prosseguindo a transição energética. A cooperação regional poderá igualmente acelerar o desenvolvimento de projetos de infraestruturas, o que é necessário para reforçar o funcionamento de mercados integrados. 8400/16 mb/pbp/fc 4 ANEXO DGE 2B PT

5 3. É essencial reforçar o funcionamento do mercado interno da energia e eliminar os obstáculos à flexibilidade. A fim de beneficiar plenamente das vantagens de um mercado interno da eletricidade, deverá ser resolvida a questão da insuficiente capacidade de transporte, tanto a nível interno como transfronteiras. São necessárias novas interconexões, na perspetiva da sincronização das redes elétricas com as redes da UE. Além disso, a capacidade de interconexão existente deverá ser utilizada em todo o seu potencial, o que pressupõe a necessidade de evitar restrições ao comércio transfronteiras de eletricidade, nomeadamente em períodos de preços elevados que reflitam a escassez do mercado, bem como a otimização da atribuição de capacidade e a gestão de congestionamentos regionais com o objetivo de fazer face aos atuais condicionalismos da rede. 4. Atendendo à necessidade de regimes de apoio às energias renováveis com uma boa relação custo/eficácia e baseados no mercado, é necessário respeitar as orientações relativas aos auxílios estatais no domínio do ambiente e da energia, visando uma maior coerência entre os regimes de apoio. As fontes de energia renováveis deverão fazer parte integrante do mercado da eletricidade, garantindo condições de concorrência equitativas para todos os intervenientes no mercado e permitindo que os produtores de energias renováveis participem plenamente no mercado, designadamente para equilibrar a sua carteira e reagir aos sinais de preço do mercado. 5. É essencial que os intervenientes no mercado recebam sinais de preço corretos. Os preços deverão refletir a escassez em termos de tempo e localização e proporcionar incentivos eficazes para gerar os necessários investimentos de longo prazo e garantir a segurança do abastecimento. 6. Um mercado europeu integrado da eletricidade pressupõe o bom funcionamento dos mercados a curto prazo e um maior nível de cooperação transfronteiras no que diz respeito aos mercados do dia seguinte, intradiário e de ajustes, sem comprometer o bom funcionamento das redes, o que melhorará a segurança do abastecimento, a custos mais baixos para o sistema e para os consumidores. 8400/16 mb/pbp/fc 5 ANEXO DGE 2B PT

6 7. Reconhecendo embora a responsabilidade dos Estados-Membros no tocante à garantia de segurança do abastecimento, a segurança do abastecimento beneficiaria de uma abordagem mais coordenada e eficiente, designadamente de um sistema regional de avaliação da adequação para além das avaliações de adequação a nível nacional e do intercâmbio regular de informações sobre a evolução das políticas. É necessário desenvolver uma metodologia comum para avaliar a adequação da produção, sendo necessário, neste contexto, proceder a uma maior harmonização dos métodos de avaliação das normas e dos indicadores de segurança do abastecimento. Além disso, é necessário desenvolver uma abordagem mais unificada de preparação para situações de crise na UE e de gestão dessas crises, tendo simultaneamente em conta as soluções regionais já existentes que funcionam de forma eficaz. 8. Os futuros mercados retalhistas da eletricidade deverão garantir o acesso em pé de igualdade a novos operadores de mercado (tais como agregadores e empresas de serviços energéticos (ESCO, Energy Service Company)) e facilitar a introdução de tecnologias, produtos e serviços inovadores, a fim de estimular a concorrência e o crescimento. É importante promover uma maior redução do consumo de energia na UE e informar e capacitar os consumidores, tanto famílias como empresas, quanto às possibilidades de participarem ativamente no mercado da energia e responderem aos sinais de preço, controlarem o seu consumo de energia e participarem em soluções de resposta à procura com uma boa relação custo-eficácia. A este respeito, é essencial proceder à instalação eficaz em termos de custos de contadores inteligentes e de sistemas de dados relevantes. Deverão ser eliminados os obstáculos que impeçam a prestação de serviços de resposta à procura. 8400/16 mb/pbp/fc 6 ANEXO DGE 2B PT

9073/15 pbp/am/jv 1 DG E2b

9073/15 pbp/am/jv 1 DG E2b Conselho da União Europeia Bruxelas, 1 de junho de 2015 (OR. en) 9073/15 ENER 185 CLIMA 56 NOTA de: para: Assunto: Comité de Representantes Permanentes (1.ª Parte) Conselho Projeto de conclusões do Conselho

Leia mais

1. Adoção da ordem do dia Aprovação dos pontos "I" do Anexo

1. Adoção da ordem do dia Aprovação dos pontos I do Anexo Conselho da União Europeia Bruxelas, 13 de fevereiro de 2017 (OR. en) 6218/17 OJ CRP1 6 ORDEM DO DIA PROVISÓRIA Assunto: 2616.ª reunião do COMITÉ DE REPRESENTANTES PERMANENTES (1.ª Parte) Data: 15 de fevereiro

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Dezembro de 2008 (11.12) (OR. fr) 16775/08 RECH 411 COMPET 551

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Dezembro de 2008 (11.12) (OR. fr) 16775/08 RECH 411 COMPET 551 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 3 de Dezembro de 2008 (11.12) (OR. fr) 16775/08 RECH 411 COMPET 551 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Conselho (Competitividade) de 1-2 de Dezembro de 2008 n.º doc. ant.:

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 10.6.2016 COM(2016) 395 final 2016/0184 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à celebração, em nome da União Europeia, do Acordo de Paris adotado no âmbito da Convenção-Quadro

Leia mais

6693/17 mc/jc 1 DGE 2A

6693/17 mc/jc 1 DGE 2A Conselho da União Europeia Bruxelas, 28 de fevereiro de 2017 (OR. en) 6693/17 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data: 28 de fevereiro de 2017 para: Delegações TRANS 82 MAR 47

Leia mais

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO Através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 52-A/2015, de 23 de julho, o Governo criou a estrutura de missão designada por Estrutura de Gestão do Instrumento Financeiro

Leia mais

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento SWD(2016) 26 final.

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento SWD(2016) 26 final. Conselho da União Europeia Bruxelas, 16 de fevereiro de 2016 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2016/0030 (COD) 6225/16 ADD 2 ENER 29 CODEC 174 IA 6 PROPOSTA de: Secretário-Geral da Comissão Europeia,

Leia mais

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030 Programa Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC2020/2030) Avaliação do âmbito de aplicação do Decreto-Lei n.º 232/2007, de 15 de junho 1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030 O Programa

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões do Conselho sobre:

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões do Conselho sobre: Conselho da União Europeia Bruxelas, 12 de dezembro de 2016 (OR. en) 15508/16 AGRI 676 AGRILEG 197 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: para: Assunto: Secretariado-Geral do Conselho Delegações O reforço da posição

Leia mais

Plano de ação para 2017 da Plataforma de Intercâmbio de Conhecimentos Comité das Regiões Europeu

Plano de ação para 2017 da Plataforma de Intercâmbio de Conhecimentos Comité das Regiões Europeu Plano de ação para 2017 da Plataforma de Intercâmbio de Conhecimentos Comité das Regiões Europeu A Plataforma de Intercâmbio de Conhecimentos é uma forma de cooperação entre o Comité das Regiões Europeu

Leia mais

Carta de Missão. Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves

Carta de Missão. Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves Carta de Missão Ministério da Economia e do Emprego Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves Diretor De de de 201. a.. de. de 201 1. Missão do organismo O Gabinete de Prevenção e

Leia mais

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020 Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC 2020) Avaliação do âmbito de aplicação do Decreto-Lei n.º 232/2007, de 15 de junho 1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020 A Estratégia

Leia mais

10434/16 mc/ap/ip 1 DG B 3A

10434/16 mc/ap/ip 1 DG B 3A Conselho da União Europeia Bruxelas, 17 de junho de 2016 (OR. en) 10434/16 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: para: Secretariado-Geral do Conselho Delegações SOC 419 EMPL 278 ECOFIN 630 SAN 271 EDUC 243 n.º

Leia mais

Política de Coesão da UE

Política de Coesão da UE da UE 2014 2020 Propostas da Comissão Europeia da União Europeia Estrutura da apresentação 1. Qual é o impacto da política de coesão da UE? 2. A que se devem as alterações propostas pela Comissão para

Leia mais

A. PROJETOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

A. PROJETOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PARTE II - CRITÉRIOS DE

Leia mais

REUNIÃO DE SEGUNDA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO DE 2016 (9h30)

REUNIÃO DE SEGUNDA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO DE 2016 (9h30) Conselho da União Europeia Bruxelas, 24 de novembro de 2016 (OR. en) 14509/16 ORDEM DO DIA PROVISÓRIA Assunto: OJ CONS 61 COMPET 593 RECH 318 ESPACE 57 MI 725 IND 244 3503.ª reunião do CONSELHO DA UNIÃO

Leia mais

COMPROMISSO PARA A MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL NO ALGARVE

COMPROMISSO PARA A MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL NO ALGARVE COMPROMISSO PARA A MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL NO ALGARVE por caminhos sem carbono» Enquadramento» Informar e agir» Entendimento de partida» Princípios» Subscritores - 3 - Enquadramento O Projeto Mobilidade

Leia mais

A harmonização regulatória do MIBEL e o novo enquadramento europeu (3º Pacote)

A harmonização regulatória do MIBEL e o novo enquadramento europeu (3º Pacote) WORKSHOP ERSE-GESEL INTEGRAÇÃO DE MERCADOS DE ENERGIA ELÉCTRICA E FORMAÇÃO DE PREÇOS A harmonização regulatória do MIBEL e o novo enquadramento europeu (3º Pacote) José Afonso 4 de Março de 2011 Índice

Leia mais

5725/17 cp/jv 1 DGD 1A

5725/17 cp/jv 1 DGD 1A Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de janeiro de 2017 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2016/0354 (NLE) 5725/17 SCH-EVAL 31 COMIX 66 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data:

Leia mais

Comissão do Desenvolvimento Regional PROJETO DE PARECER. da Comissão do Desenvolvimento Regional

Comissão do Desenvolvimento Regional PROJETO DE PARECER. da Comissão do Desenvolvimento Regional Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão do Desenvolvimento Regional 2016/0276(COD) 20.12.2016 PROJETO DE PARECER da Comissão do Desenvolvimento Regional dirigido à Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 19 de setembro de 2017 (OR. en)

Conselho da União Europeia Bruxelas, 19 de setembro de 2017 (OR. en) Conselho da União Europeia Bruxelas, 19 de setembro de 2017 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2017/0198 (NLE) 11897/17 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: RECH 285 MED 62 AGRI 444 MIGR 156

Leia mais

ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Os Ministérios das Finanças, da Economia e da Saúde, e a Indústria Farmacêutica, por intermédio

Leia mais

A Regulação do Sector Energético

A Regulação do Sector Energético A Regulação do Sector Energético Apresentação realizada na FEUC Vítor Santos 25 de Maio de 2012 Agenda 1. Dimensões estratégicas da liberalização do setor energético 2. Liberalização do sector Energético

Leia mais

Comissão dos Transportes e do Turismo PROJETO DE PARECER. da Comissão dos Transportes e do Turismo

Comissão dos Transportes e do Turismo PROJETO DE PARECER. da Comissão dos Transportes e do Turismo Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão dos Transportes e do Turismo 2016/0287(COD) 7.2.2017 PROJETO DE PARECER da Comissão dos Transportes e do Turismo dirigido à Comissão da Indústria, da Investigação

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de setembro de 2016 (OR. en)

Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de setembro de 2016 (OR. en) Conseil UE Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de setembro de 2016 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2016/0184 (NLE) 12256/16 LIMITE ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: PUBLIC CLIMA

Leia mais

As políticas e prioridades para a Eficiência Energética e para as Energias Renováveis em Portugal Isabel Soares Diretora de Serviços

As políticas e prioridades para a Eficiência Energética e para as Energias Renováveis em Portugal Isabel Soares Diretora de Serviços As políticas e prioridades para a Eficiência Energética e para as Energias Renováveis em Portugal Isabel Soares Diretora de Serviços Lisboa, 15 de julho de 2016 Ordem dos Engenheiros Oportunidades de Financiamento

Leia mais

8952/16 ap/pbp/mjb 1 DGG 3A

8952/16 ap/pbp/mjb 1 DGG 3A Conselho da União Europeia Bruxelas, 13 de 2016 (OR. en) 8952/16 COMPET 237 TELECOM 82 MI 341 IND 96 DIGIT 51 NOTA de: para: Assunto: Presidência Conselho Um Mercado Único Digital: próximas etapas para

Leia mais

I (Comunicações) CONSELHO

I (Comunicações) CONSELHO I (Comunicações) CONSELHO Resolução do Conselho e dos Representantes dos Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, sobre o reconhecimento do valor da aprendizagem não formal e informal no domínio

Leia mais

CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES. 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória.

CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES. 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória. CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória. 2 Apresentação do formulário completo. 3 Orçamento FEDER em conformidade com o que está

Leia mais

10387/17 aap/ip 1 DG C 2A

10387/17 aap/ip 1 DG C 2A Conselho da União Europeia Bruxelas, 19 de junho de 2017 (OR. en) 10387/17 COEST 142 CFSP/PESC 556 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data: 19 de junho de 2017 para: Delegações

Leia mais

Iniciativa para avaliação do potencial e impacto do hidrogénio em Portugal

Iniciativa para avaliação do potencial e impacto do hidrogénio em Portugal Iniciativa para avaliação do potencial e impacto do hidrogénio em Portugal Workshop O hidrogénio na transição para uma economia de baixo carbono: elaboração do roteiro português Lisboa, 13 de março 2017

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise

Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Assistência Técnica Aprovada em 11-05-2015, após procedimento de consulta escrita aos membros da

Leia mais

6170/17 aap/ip 1 DGC 2B

6170/17 aap/ip 1 DGC 2B Conselho da União Europeia Bruxelas, 9 de fevereiro de 2017 (OR. en) 6170/17 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: para: Secretariado-Geral do Conselho Delegações COHOM 16 CONUN 54 SOC 81 FREMP 11 n.º doc. ant.:

Leia mais

AUTORREGULAÇÃO NA CADEIA DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR

AUTORREGULAÇÃO NA CADEIA DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR AUTORREGULAÇÃO NA CADEIA DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR 27 fevereiro 2013 Agenda Trabalho desenvolvido em PT Atuação da UE e outros Estados Membros Que Futuro? Propostas de atuação 2/13 Trabalho desenvolvido

Leia mais

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO CARTA DE COMPROMISSO DA REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Considerando: Que o 5.º

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 21 de abril de 2017 (OR. en)

Conselho da União Europeia Bruxelas, 21 de abril de 2017 (OR. en) Conseil UE Conselho da União Europeia Bruxelas, 21 de abril de 2017 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2016/0374 (CNS) 8076/17 LIMITE PUBLIC FISC 76 ECOFIN 272 NOTA de: para: Secretariado-Geral do Conselho

Leia mais

União Europeia Bruxelas, 14 de novembro de 2014 (OR. en) Assegurar o respeito pelo Estado de direito na União Europeia

União Europeia Bruxelas, 14 de novembro de 2014 (OR. en) Assegurar o respeito pelo Estado de direito na União Europeia Conselho da União Europeia Bruxelas, 14 de novembro de 2014 (OR. en) 15206/14 FREMP 198 JAI 846 COHOM 152 POLGEN 156 NOTA de: para: Assunto: Presidência Conselho Assegurar o respeito pelo Estado de direito

Leia mais

7079/17 mpm/aap/fc 1 DGD 1C

7079/17 mpm/aap/fc 1 DGD 1C Conselho da União Europeia Bruxelas, 16 de março de 2017 (OR. en) 7079/17 ENFOPOL 116 JAI 225 NOTA de: para: Presidência Delegações n.º doc. ant.: 7078/17 Assunto: Projeto de decisão de execução (UE) 2017/

Leia mais

União Europeia Bruxelas, 25 de novembro de 2015 (OR. en)

União Europeia Bruxelas, 25 de novembro de 2015 (OR. en) Conselho da União Europeia Bruxelas, 25 de novembro de 2015 (OR. en) 14201/15 RECH 278 NOTA de: Comité de Representantes Permanentes (1.ª Parte) para: Conselho n.º doc. ant.: 13930/15 RECH 272 Assunto:

Leia mais

13023/1/15 REV 1 hs/ec/ml 1 DGG 2B

13023/1/15 REV 1 hs/ec/ml 1 DGG 2B Conselho da União Europeia Bruxelas, 30 de outubro de 2015 (OR. en) 13023/1/15 REV 1 NOTA PONTO "I/A" de: para: Secretariado-Geral do Conselho FIN 685 FSTR 64 FC 63 REGIO 78 SOC 585 Comité de Representantes

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS Parecer COM (2014)23 Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à exploração e à produção de hidrocarbonetos (designadamente gás xisto) na UE mediante fracturação hidráulica maciça 1 PARTE I - NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

Economia de Baixo Carbono: Oportunidade na reforma do sector da energia Maria da Graça Carvalho e Ana Pipio

Economia de Baixo Carbono: Oportunidade na reforma do sector da energia Maria da Graça Carvalho e Ana Pipio Introdução É fundamental adaptarmos o debate europeu e global sobre as alterações climáticas e a segurança energética à missão de construir uma sociedade de baixo carbono. A reforma do sector da é uma

Leia mais

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 Deliberação n.º 83 /2015 Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 A CIC Portugal 2020, na reunião ordinária de 21 de dezembro de 2015, deliberou, nos temos da alínea q) do n.º 2 do artigo 10.º do Decreto-Lei

Leia mais

Objetivos. Prioridades de temáticos. investimento

Objetivos. Prioridades de temáticos. investimento 1. Reforço da investigação, do desenvolvimento tecnológico e da inovação (objetivo I&D) n.º 1 do artigo 9.º) Todas as prioridades de ao abrigo do objetivo temático n.º 1 1.1. Investigação e inovação: Existência

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO. Documento que acompanha o

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO. Documento que acompanha o COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 10.1.2008 SEC(2008) 24 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO Documento que acompanha o Relatório do estudo de impacto das propostas destinadas a modernizar

Leia mais

5860/15 jm/arg/fc 1 DPG

5860/15 jm/arg/fc 1 DPG Conselho da União Europeia Bruxelas, 3 de fevereiro de 2015 (OR. en) 5860/15 POLGEN 9 JAI 60 PESC 120 COSI 13 COPS 26 ENFOPOL 29 COTER 22 SIRIS 11 FRONT 35 COPEN 26 DROIPEN 11 ECOFIN 64 NOTA de: para:

Leia mais

Roteiro para divulgação de Beneficiários Reais

Roteiro para divulgação de Beneficiários Reais Comité Nacional de EITI Roteiro para divulgação de Beneficiários Reais -2020 OBJETIVO GERAL De acordo com as Normas de EITI de 2016, requisito 2.5 referente a "Beneficial Ownership" (Beneficiários Reais),

Leia mais

8096/15 jnt/pbp/ms 1 DG E - 1 C

8096/15 jnt/pbp/ms 1 DG E - 1 C Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de abril de 2015 (OR. en) 8096/15 SPORT 14 EDUC 108 JEUN 32 NOTA de: para: Secretariado-Geral do Conselho Comité de Representantes Permanentes/Conselho n.º doc.

Leia mais

Modelo de Desenvolvimento, Quadro de Monitorização e Economia Azul

Modelo de Desenvolvimento, Quadro de Monitorização e Economia Azul Modelo de Desenvolvimento, Quadro de Monitorização e Economia Azul Meios de Financiamento Nacionais e Europeus e Integração das Políticas de Desenvolvimento Par$lha de Informação A promoção de um ambiente

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30.11.2015 C(2015) 8642 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 30.11.2015 que aprova o programa operacional «Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas Programa Operacional

Leia mais

Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Programa EaSI. Antonieta Ministro

Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Programa EaSI. Antonieta Ministro Programa EaSI É um instrumento de financiamento, a nível europeu, gerido diretamente pela Comissão Europeia, para apoiar o emprego, a política social e a mobilidade profissional em toda a UE Visa contribuir

Leia mais

8833/16 fmm/tmc 1 DG C 1

8833/16 fmm/tmc 1 DG C 1 Conselho da União Europeia Bruxelas, 12 de maio de 2016 (OR. en) 8833/16 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data: 12 de maio de 2016 para: Delegações n.º doc. ant.: 8577/16 Assunto:

Leia mais

LIFE 2014/2020 Subprograma Ação Climática Mitigação às Alterações Climáticas

LIFE 2014/2020 Subprograma Ação Climática Mitigação às Alterações Climáticas LIFE 2014/2020 Subprograma Ação Climática Mitigação às Alterações Climáticas Auditório do LNEC, Lisboa, 25 de janeiro de 2017 Ana Daam DCLIMA/DMMC 25/01/2017 Pacote Clima-Energia 2020 2 Política Climática

Leia mais

Resolução do Conselho de Ministros n.º 77/2015, de 10 de Setembro

Resolução do Conselho de Ministros n.º 77/2015, de 10 de Setembro Comissão Executiva da Especialização em Engenharia de Segurança ORDEM DO 16 de Dezembro, 2015 ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO 2015-2020 - Por um trabalho seguro, saudável e produtivo

Leia mais

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2015) 248 final. Anexo: COM(2015) 248 final. 9589/15 /ip 1 DGG3A

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2015) 248 final. Anexo: COM(2015) 248 final. 9589/15 /ip 1 DGG3A Conselho da União Europeia Bruxelas, 4 de junho de 2015 (OR. en) 9589/15 Dossiê interinstitucional: 2015/0124 (NLE) PROPOSTA de: ECO 69 ENT 103 MI 372 UNECE 4 Secretário-Geral da Comissão Europeia, assinado

Leia mais

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP )

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP ) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CONFERENCIA DE INVESTIDORES DO CORREDOR DE NACALA Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 8.2.204 C(204) 076 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 8.2.204 que aprova determinados elementos do programa operacional «Regional dos Açores 204-2020» do apoio do Fundo

Leia mais

n.º doc. ant.: 15485/13 EDUC 410 SOC 874 Assunto: Conclusões do Conselho sobre a liderança eficaz no ensino

n.º doc. ant.: 15485/13 EDUC 410 SOC 874 Assunto: Conclusões do Conselho sobre a liderança eficaz no ensino CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 14 de novembro de 2013 (19.11) (OR. en) 15587/13 EDUC 413 SOC 898 NOTA de: Comité de Representantes Permanentes (1.ª Parte) para: Conselho n.º doc. ant.: 15485/13 EDUC

Leia mais

Declaração de Bratislava

Declaração de Bratislava Bratislava, 16 de setembro de 2016 Declaração de Bratislava Reunimo-nos hoje em Bratislava num momento crítico para o nosso projeto europeu. A Cimeira de Bratislava de 27 Estados-Membros foi dedicada a

Leia mais

Recomendação de políticas Sustentabilidade ambiental

Recomendação de políticas Sustentabilidade ambiental Recomendação de políticas A oportunidade Considerando que os datacenters estarão entre os principais consumidores mundiais de energia elétrica até meados da próxima década, o desenvolvimento contínuo de

Leia mais

Junto se envia, à atenção das delegações, a versão desclassificada do documento referido em epígrafe.

Junto se envia, à atenção das delegações, a versão desclassificada do documento referido em epígrafe. Conselho da União Europeia Bruxelas, 22 de fevereiro de 2017 (OR. en) 6424/01 DCL 1 PROBA 7 DESCLASSIFICAÇÃO do documento: 6424/01 CONFIDENTIEL data: 22 de fevereiro de 2001 novo estatuto: Assunto: Público

Leia mais

15286/16 ADD 1 aap/scm/mjb 1 GIP 1B

15286/16 ADD 1 aap/scm/mjb 1 GIP 1B Conselho da União Europeia Bruxelas, 19 de dezembro de 2016 (OR. en) 15286/16 ADD 1 PV/CONS 65 ECOFIN 1166 PROJETO DE ATA Assunto: 3506.ª reunião do Conselho da União Europeia (Assuntos Económicos e Financeiros),

Leia mais

Projeto de Ampliação do Aproveitamento Hidroelétrico da Calheta

Projeto de Ampliação do Aproveitamento Hidroelétrico da Calheta Projeto de Ampliação do Aproveitamento Hidroelétrico da Calheta Projeto de Ampliação do Aproveitamento Hidroelétrico da Calheta Infraestrutura energética de armazenamento de energia Envolve o aumento da

Leia mais

5734/17 mam/jv 1 DGG 1A

5734/17 mam/jv 1 DGG 1A Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de janeiro de 2017 (OR. en) 5734/17 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: para: Secretariado-Geral do Conselho Delegações n.º doc. ant.: 5188/17 Assunto: ECOFIN 50 UEM 14

Leia mais

POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. 2ª Versão

POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. 2ª Versão POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS 2ª Versão Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Princípios... 4 4 Diretrizes... 5 5 Responsabilidades... 5

Leia mais

O acesso à água e saneamento como direito humano. O papel das entidades gestoras

O acesso à água e saneamento como direito humano. O papel das entidades gestoras O acesso à água e saneamento como direito humano O papel das entidades gestoras Álvaro Carvalho, David Alves Departamento de Estudos e Projetos da ERSAR ENEG 2013 Coimbra, 4 de dezembro de 2013 O acesso

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE APOIO A INFRA-ESTRUTURAS CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de

Leia mais

TEL

TEL CARTA DE MISSÃO Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia (MAOTE) Serviço/Organismo: Direção-Geral de Energia e Geologia Cargo: Diretor-Geral Período da Comissão de Serviço: 5 anos 1.

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ)

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) 1 Índice I Disposições Legais... 3 Artigo 1º - Objecto e âmbito de aplicação... 3 II Modelo Organizacional... 3 Artigo 2º - Definição

Leia mais

Programa Nacional de Juventude

Programa Nacional de Juventude Programa Nacional de Juventude O Programa Nacional de Juventude, que hoje se apresenta, tem o seu enquadramento no Programa do XVII Governo Constitucional e nas Grandes Opções do Plano, e acolhe as prioridades

Leia mais

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão IP/07/721 Bruxelas, 30 de Maio de 2007 Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão A política de coesão teve um efeito comprovado

Leia mais

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO PLANOS ESTRATÉGICOS DE DESENVOLVIMENTO URBANO AVISO DE CONCURSO Nº ALT20 06 2016 18 ALT20 16 2016 19 ALT20 43 2016 20 DOMÍNIO DA SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA

Leia mais

Resolução do Conselho de Ministros n. o 88/

Resolução do Conselho de Ministros n. o 88/ Resolução do Conselho de Ministros n. o 88/2015 01-10-2015 Assunto: Cria a Comissão de Coordenação das Políticas de Prevenção e Combate ao Branqueamento de Capitais e ao Financiamento do Terrorismo Por

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09

A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09 A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09 Sumário : 1 Entidade Reguladora do Sector Eléctrico em Angola 2 Missão do IRSE 3 Reflexos da Entidade Reguladora no Sector 4 Desafios do Regulador 5 Indicadores 6 Legislação

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 6.2.204 C(204) 00 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 6.2.204 que aprova determinados elementos do programa operacional «Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos»

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA aprovados através de processo de consulta escrita concluído a 13 de Maio de 2015 METODOLOGIA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Leia mais

Recomendação de políticas Serviços de nuvem seguros e confiáveis

Recomendação de políticas Serviços de nuvem seguros e confiáveis Recomendação de políticas Serviços de nuvem seguros e confiáveis A oportunidade Na medida em que a computação em nuvem dá origem a novas e poderosas capacidades, ela oferece o potencial de aumentar a produtividade,

Leia mais

O Pacto de Autarcas para o Clima & Energia

O Pacto de Autarcas para o Clima & Energia O Pacto de Autarcas para o Clima & Energia PT Um movimento ascendente único O Pacto de Autarcas para o Clima e Energia reúne autoridades locais e regionais que se comprometem voluntariamente com a implementação

Leia mais

Santa Casa da Misericórdia de Pombal

Santa Casa da Misericórdia de Pombal Manual de Políticas Santa Casa da Misericórdia de Pombal Índice 1. Política da Qualidade 2. Politica de Apoio Social 3. Politica de Recursos Humanos 4. Politica de Ética 5. Politica de Envolvimento Ativo

Leia mais

DIRETIVA DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

DIRETIVA DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DIRETIVA DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PRIORIDADES PARA PORTUGAL João Bernardo, DGEG Workshop QUERCUS: Eficiência Energética Desafios e Oportunidades para Portugal 6/março/2015 Principais normativos de orientação

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 18.12.2014 C(2014) 10188 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 18.12.2014 que aprova determinados elementos do «Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020» do apoio

Leia mais

A Política Agrícola Comum pós 2013

A Política Agrícola Comum pós 2013 PAC pós 2013 A Política Agrícola Comum pós 2013 Possíveis Cenários em Portugal Bruno Dimas Diretor Adjunto do GPP AGRO 2012 Auditório do Parque de Exposições de Braga 23 Março 2012 1 PAC pós 2013 I. Ponto

Leia mais

DOCUMENTO SÍNTESE UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA

DOCUMENTO SÍNTESE UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA IE13255 AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA P. O. Box 3243, Addis Ababa, ETHIOPIA Tel.: (251-11) 5182402 Fax: (251-11) 5182400 Website: www.au.int CONFERÊNCIA DA CUA/AFCAC/AFRAA DE TRANSPORTES

Leia mais

O Projecto Solvência II

O Projecto Solvência II 8.ª Reunião do Conselho Nacional do Mercado de Valores Mobiliários O Projecto Solvência II Fernando Nogueira Presidente do Instituto de Seguros de Portugal 20/12/2006 Solvência II Objectivos Incrementar

Leia mais

MIBEL ASPECTOS DE GOVERNAÇÃO E HARMONIZAÇÃO REGULATÓRIA

MIBEL ASPECTOS DE GOVERNAÇÃO E HARMONIZAÇÃO REGULATÓRIA MIBEL ASPECTOS DE GOVERNAÇÃO E HARMONIZAÇÃO REGULATÓRIA XV REUNION ANUAL IBEROAMERICANA DE REGULADORES DE LA ENERGIA Santo Domingo, República Dominicana 6-8 Abril de 2011 Hermínio Moreira AGENDA 1. Conselho

Leia mais

10312/09 VLC/aam 1 DG C III

10312/09 VLC/aam 1 DG C III CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 29 de Maio de 2009 10312/09 Dossier interinstitucional: 2009/0047 (COD) TRANS 218 MAR 89 AVIATION 89 CAB 20 RECH 177 CODEC 772 RELATÓRIO de: Presidência para COREPER

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade de Oportunidades

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade de Oportunidades PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade de Oportunidades 16 de Dezembro de 2002 PE 323.514/1-49 ALTERAÇÕES 1-49 Projecto de relatório (PE 323.514) Lissy Gröner sobre

Leia mais

O Mar no próximo QFP

O Mar no próximo QFP O Mar no próximo QFP 2014-2020 Fórum do Mar José Manuel Fernandes Deputado ao Parlamento Europeu Estratégia Europa 2020 A guia das próximas perspectivas financeiras Estratégia Europa 2020 2020 Crescimento

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 9.12.2014 C(2014) 9621 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 9.12.2014 que aprova determinados elementos do programa operacional "Inclusão Social e Emprego" para apoio do

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo CARTA DE MISSÃO Ministério da Saúde Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo Período da Comissão de Serviço: 2016-2020 1. Missão do Organismo

Leia mais

15120/1/16 ADD 8 REV 1 mjb 1 DGE 2B

15120/1/16 ADD 8 REV 1 mjb 1 DGE 2B Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de fevereiro de 2017 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2016/0382 (COD) 15120/1/16 ADD 8 REV 1 NOTA DE ENVIO de: ENER 417 CLIMA 168 CONSOM 298 TRANS 479 AGRI 650

Leia mais

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 32 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS Nos termos do Regulamento do

Leia mais

Função Principal do Cargo: Promover a paz e a segurança na Região. Áreas Principais de Resultados

Função Principal do Cargo: Promover a paz e a segurança na Região. Áreas Principais de Resultados ANÚNCIO DE VAGA O Secretariado da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) convida os cidadãos dos Estados Membros da SADC, devidamente qualificados e com experiência, a candidatarem-se para

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade dos Géneros 15.12.2016 2017/0000(INI) PROJETO DE RELATÓRIO que contém uma proposta de recomendação do Parlamento Europeu ao Conselho

Leia mais

15160/14 hs/ec/jv 1 DG G 3 C

15160/14 hs/ec/jv 1 DG G 3 C Conselho da União Europeia Bruxelas, 14 de novembro de 2014 (OR. en) 15160/14 TOUR 22 IND 321 COMPET 607 POLMAR 27 ENV 883 EMPL 150 EDUC 318 CULT 125 NOTA de: para: n.º doc. ant.: Assunto: Secretariado-Geral

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EIXO 4 ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA VERSÃO PRELIMINAR Contexto O mundo vive atualmente o desafio de seguir com seu processo de desenvolvimento socioeconômico com recursos cada vez mais escassos.

Leia mais

ÍNDICE ÍNDICE... 2 ÍNDICE DE FIGURAS... 3 MATOSINHOS... 4 COMPROMISSOS... 5 INSTALAÇÃO DE COLETORES SOLARES TÉRMICOS... 7

ÍNDICE ÍNDICE... 2 ÍNDICE DE FIGURAS... 3 MATOSINHOS... 4 COMPROMISSOS... 5 INSTALAÇÃO DE COLETORES SOLARES TÉRMICOS... 7 1 BoPS Matosinhos ÍNDICE ÍNDICE... 2 ÍNDICE DE FIGURAS... 3 MATOSINHOS... 4 COMPROMISSOS... 5 Governância... 5 Pacto de Autarcas... 5 Referências de Excelência... 6 INSTALAÇÃO DE COLETORES SOLARES TÉRMICOS...

Leia mais

Portugal 2020 Inovar na Administração Pública

Portugal 2020 Inovar na Administração Pública Portugal 2020 Inovar na Administração Pública Jaime S. Andrez Vogal da Comissão Diretiva Lisboa 29 de abril de 2015 1 Driver da Competitividade Ambiente favorável aos negócios Emprego e Valor económico

Leia mais

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Instrumentos financeiros

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Instrumentos financeiros aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Os instrumentos financeiros cofinanciados pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural são uma

Leia mais

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo

Leia mais