Relatório de Sustentabilidade. Modelo Continente SGPS, SA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Sustentabilidade. Modelo Continente SGPS, SA"

Transcrição

1 Relatório de Sustentabilidade 2006 Modelo Continente SGPS, SA

2

3 Índice Relatório de Sustentabilidade de Mensagem do CEO...04 Valores e Princípios...06 Perfil da Empresa...08 Retalho Alimentar Retalho Especializado Suporte aos Negócios Inovação Governação...18 Estrutura e Composição dos Orgãos Sociais e da Equipa de Gestão Gestão de Risco Gestão da Remuneração Relações com Stakeholders...22 Relações com Clientes Relações com Colaboradores Relações com Fornecedores Relações com a Comunidade Relações com Accionistas Criação de Valor...32 Desempenho Económico Partilha de Valor Impactes Económicos e Sociais Indirectos Protecção do Ambiente...36 Política e Compromissos Organização, Responsabilidade e Competências Instalações Certificação Ambiental Produtos Alterações Climáticas e Redução da Camada de Ozono Energia Gases de Refrigeração Resíduos Água e Efluentes Líquidos Transporte e Logística Monitorização de Desempenho Ambiental Comunicação/Sensibilização Ambiental Valorização de Capital Humano da Empresa...48 Políticas de Recursos Humanos Caracterização dos Colaboradores Recrutamento Formação de Aperfeiçoamento e Desenvolvimento Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho Comunicação Interna Clima e Cultura Envolvimento com a Comunidade...54 Missão Sorriso Programa de Apoio às Escolas Acções de Entretenimento e Animação e Dinamização Cultural Apoio a Instituições Qualidade e Segurança Alimentar...62 Indicadores de Desempenho...64 Glossário...68

4 Relatório de Sustentabilidade de 2006 A Modelo Continente SGPS, SA, enquanto líder da actividade retalhista em Portugal, reconhece a responsabilidade das suas acções e consequentes impactes que estas podem induzir nos seus diferentes stakeholders. Não obstante este reconhecimento ter, desde sempre, norteado as suas estratégias, políticas e práticas, entendeu-se importante publicar este primeiro Relatório de Sustentabilidade, como meio privilegiado para comunicar todas as actividades desenvolvidas pela Modelo Continente neste âmbito, e divulgar indicadores de desempenho nas vertentes económica, ambiental e social, relativos a Tratando-se este, do primeiro Relatório de Sustentabilidade da Modelo Continente, nele é também abordado o percurso da empresa neste domínio. A Modelo Continente elaborou o presente Relatório tendo em consideração as linhas de orientação da Global Reporting Initiative. Mensagem do Chief Executive Officer Oano de 2006 caracterizou-se na Modelo Continente, pela concretização de um ambicioso plano de expansão orgânica da empresa, consolidando a sua condição de líder do mercado retalhista em Portugal. Com a abertura de 87 novas lojas distribuídas pelos três formatos de base alimentar e pelas insígnias de base não alimentar, a Modelo Continente reforçou a cobertura do território nacional disponibilizando assim os seus serviços a um cada vez maior número de clientes. Desde a inauguração da primeira loja em 1985 e, considerando algumas das actuais magnitudes da Empresa, como sejam volume de negócios de milhões de Euros, 480 lojas (entre hipermercados, supermercados e nove insígnias de retalho de base não alimentar), 205 mil artigos em comercialização, fornecedores e 2,4 milhões de clientes por semana, servidos por colaboradores decorreu, de facto, um período de intenso crescimento e de constante e atempada mudança na nossa actividade. Como até agora, a Modelo Continente continuará apostada no desenvolvimento sustentado das suas actividades como retalhista, no respeito por um conjunto de elevados critérios de Ética, no relacionamento com os seus diferentes stakeholders e manifestando uma forte sensibilidade e aderência aos princípios de responsabilidade social corporativa. Destacando cinco aspectos em particular, onde se manifesta a nossa política e prática, em termos de responsabilidade social e desenvolvimento sustentável, referencio: 4 Relatório de Sustentabilidade 06

5 Nuno Jordão Chief Executive Officer da Modelo Continente, SGPS Relações de Confiança - Sustentabilidade na geração e partilha de riqueza. - Eco-eficiência no desenvolvimento da nossa actividade, decorrente de uma generalizada sensibilização dos colaboradores ao tema da protecção do Ambiente. - Procura constante das melhores práticas em termos de política de Recursos Humanos, designadamente no tocante à Formação contínua, Saúde e Segurança no Trabalho, para a globalidade dos colaboradores da Empresa. - Enraizamento no tecido social onde estamos inseridos, através de uma intensa participação em iniciativas de solidariedade social de que as campanhas como Missão Sorriso, Pilhas de Livros e Computadores para as Escolas são apenas exemplos. - Proactividade no desenvolvimento do grau de informação dos nossos clientes, enquanto consumidores, através de acções neste domínio nas escolas, nos pontos de venda e na produção de material informativo disponibilizado em publicações próprias e no nosso site. É com orgulho, satisfação e também com o sentimento de que iremos poder fazer mais e melhor no futuro, que verificamos que este posicionamento da Empresa em termos de Sustentabilidade, tem permitido dar importantes contributos ao desenvolvimento social e económico das comunidades onde a Modelo Continente instalou a sua actividade. Convicto de que esta forma de actuar tem estado na base da obtenção de verdadeiras relações de confiança com todos aqueles com quem nos relacionamos, aqui manifesto aos nossos clientes, fornecedores, autoridades, accionistas e colaboradores, o meu reconhecimento pela colaboração recebida. Relatório de Sustentabilidade 06 5

6 Valores e Princípios A Modelo Continente é a empresa líder do Retalho em Portugal, operando um portfólio alargado de formatos de base alimentar e não alimentar. Ao longo dos seus mais de 20 anos de actividade, sempre pautou os seus padrões de conduta por um quadro de Valores e Princípios, que enquadraram o caminho de sucesso percorrido. Neste quadro de referência a Modelo Continente, enquanto empresa do Grupo Sonae (fundador do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) e do BCSD Portugal), tem desenvolvido iniciativas e incorporado práticas no sentido da construção de um modelo de desenvolvimento sustentável, fundado em pilares de consciência ambiental e social. ÉTICA Qualquer organização necessita de valores duradouros, de princípios de conduta e de linguagem comum que promovam o alinhamento interno e o enquadramento do relacionamento externo e institucional. A Modelo Continente construiu uma cultura forte, competitiva e sustentável, moldada num quadro estável e coerente de Valores e Princípios que abarcam as dimensões comportamental, económica, social e ambiental. Estes Valores e Princípios constituem-se fundamentalmente em: 6 Relatório de Sustentabilidade 06

7 Ética na Governaç.ão > Governação responsável e atenta, com uma Liderança baseada no Rigor e Transparência. Capacidade e Desenvolvimento dos Colaboradores > Valorização de competências e promoção do desempenho, sustentados num encorajamento e apoio ao desenvolvimento pessoal e profissional Honestidade, Confiança e Respeito > Valores fundamentais que asseguram o compromisso da equipa de gestores e de todos os colaboradores em geral com o desenvolvimento da Empresa, num ambiente de trabalho adequado e sem qualquer tipo de discriminação. Inovação > Factor distintivo e diferenciador da marca, dos processos e dos serviços. Parceria com Fornecedores > Desenvolvimento de relações de parceria com fornecedores baseadas em princípios de colaboração e partilha de objectivos dirigidos à satisfação dos consumidores. Consciência Ambiental e Abertura à Comunidade > Melhoria contínua do desempenho ambiental dos seus produtos, processos e actividades e abertura à comunidade envolvente de cada uma das suas unidades e à sociedade em geral. Independência Face ao Poder Político > Autonomia em relação à Administração Central e Local, às organizações e partidos políticos, sem prejudicar uma atitude de cooperação aberta, diligente e responsável. Estes são os valores e princípios que a Modelo Continente tenta traduzir no relacionamento com os seus stakeholders. Aos colaboradores, simultaneamente destinatários e agentes a quem incumbe a responsabilidade de defender e aplicar estes princípios na sua actividade quotidiana estes princípios, é assegurada a ampla difusão deste quadro de valores de referência desde o primeiro momento em que integram a Organização. Relatório de Sustentabilidade 06 7

8 Perfil da Empresa A Modelo Continente é o principal operador no mercado de retalho português, sendo líder no mercado de base alimentar e uma referência nos mercados de base não alimentar onde actua. O contributo da Modelo Continente para a modernização do mercado de retalho é hoje incontornável, após ter iniciado uma verdadeira revolução nos hábitos de consumo e no panorama comercial português com a implementação do primeiro hipermercado Continente, em A inauguração daquela unidade comercial pôs cobro a um longo período de estagnação do sector retalhista português, cristalizado em modelos de gestão tradicionais. Alguns Indicadores horas F Relatório de Sustentabilidade 06

9 Duas décadas foram suficientes para aproximar os hábitos de consumo nacionais dos padrões europeus, consumando um processo de desenvolvimento do sector retalhista que o transformou, no quadro da economia portuguesa, num dos sectores mais competitivos e exemplares no que respeita à implementação das melhores práticas internacionais. Foi também este o percurso da Modelo Continente. Neste período, foi possível consolidar uma relação de satisfação e confiança com o cliente, em re-invenção permanente, que catapultou as marcas da Modelo Continente para uma posição cimeira nos índices de reconhecimento dos consumidores. Neste período, foi igualmente possível implementar um modelo de gestão que conduziu a Organização no sentido da inovação, da modernização tecnológica e da eficiência operacional, equiparando-a aos melhores exemplos e práticas internacionais. Hoje, a Modelo Continente centra a sua estratégia na consolidação da posição de liderança no mercado português, suportada num conjunto de competências que a qualifica para um quadro concorrencial à escala global, à luz do qual formata os seus desafios de futuro. No domínio do retalho de base alimentar, a Modelo Continente opera através das cadeias Continente - hipermercados de grande dimensão vocacionados para a abordagem aos mercados das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto e, bem assim, das cidades de maior dimensão Modelo - hipermercados de média dimensão vocacionados para a abordagem dos mercados dos principais centros urbanos regionais e da cadeia de supermercados Modelo Bonjour - especializada numa oferta de conveniência e proximidade, nas regiões metropolitanas de Lisboa e do Porto. Ao longo da última década, a Modelo Continente assumiu uma estratégia de diversificação do seu portfólio de negócios, apostando em vários formatos de retalho especializado: Worten (electrodomésticos e electrónica de consumo), Modalfa (vestuário), Sport Zone (equipamento e vestuário desportivo), Vobis (equipamento informático), Maxmat (construção, bricolage e jardim), Zippy (vestuário de bebé e criança), STAR (agências de viagens), Área Saúde (parafarmácias novo conceito recém lançado ao abrigo da nova lei que liberaliza a venda de medicamentos não sujeitos a receita médica) e Worten Mobile (telecomunicações móveis). O crescimento da actividade para estas novas áreas de negócio tem vindo a ser feito privilegiando a utilização de recursos internos e potenciando a rentabilização de sinergias operacionais. A Modelo Continente não descarta, porém, o desenvolvimento de parcerias com outros operadores de reconhecida competência. São esses, designadamente, o caso da insígnia Maxmat, uma frutífera e já longa joint-venture celebrado com o grupo irlandês CRH, ou o caso do acordo de franquia celebrado com o parceiro local Insco Insular de Hipermercados, SA, para a exploração da insígnia Modelo na Região Autónoma dos Açores. Relatório de Sustentabilidade 06 9

10 Abertura de lojas da Modelo Continente em 2006 A 31 de Dezembro de 2006, para o conjunto de todas as suas insígnias, a Modelo Continente detinha em funcionamento 480 lojas que disponibilizavam uma área de venda consolidada de m2. O volume de negócios consolidado da Modelo Continente, ao longo do exercício de 2006, totalizou milhões de Euros. Este valor representou um crescimento de 13% face ao ano precedente no mercado português. Este foi um ano de forte crescimento orgânico, tendo sido inauguradas 87 novas unidades comerciais, num total de 45 mil novos metros quadrados, a que se juntam 60 lojas da insígnia STAR adquiridas no início do ano. Os próximos exercícios continuarão a ser caracterizados por um forte esforço de crescimento e modernização, num plano de desenvolvimento estratégico que prevê o investimento de 400 milhões de Euros até Açores Madeira Retalho Alimentar Hipermercado Hipermercado Supermercado Retalho não Alimentar Electrodomésticos e electrónica de consumo Vestuário Equipamento e vestuário desportivo Vestuário de bebé e criança Equipamento Informático Construção, bricolage e jardim Telecomunicações móveis Parafarmácia Agência de Viagens 10 Relatório de Sustentabilidade 06

11 Retalho Alimentar Continente: 19 lojas com m 2 A marca Continente é a grande referência no sector do retalho e da distribuição moderna em Portugal. É uma marca com forte implantação nacional, que revolucionou o mercado com a abertura do 1º hipermercado Continente em 1985 afirmando-se desde logo como líder nos preços baixos e na variedade, valores que se mantêm desde essa data. A insígnia Continente tem sabido manter e consolidar uma posição de liderança, evidenciando, ao longo de mais de 20 anos, uma grande capacidade de adoptar as mudanças entretanto verificadas no sector. Na base desta performance, está a aposta numa política de constante inovação, acompanhando e estimulando as necessidades de mudança dos seus clientes, da sociedade e do país. Inúmeros prémios e distinções, nacionais e internacionais, recebidos ao longo dos anos atestam os bons resultados deste esforço. Segundo o estudo europeu Marcas de Confiança, nas suas quatro edições consecutivas (2003/4/5/6), a insígnia Continente foi considerada a cadeia de hipermercados em que os portugueses mais confiam. Também o Continente On-line foi distinguido com o prémio Melhor loja online Nacional nos Prémios Leitor 2006 da PCGuia. Ao nível de comunicação, a insígnia Continente tem adquirido uma posição de destaque, revelando ser a marca mais recordada ao longo dos anos. A um posicionamento de preços muito competitivo, a insígnia Continente alia a variedade, o atendimento e os serviços prestados a um cariz fortemente promocional, para enformar uma oferta value-for-money de grande apetência e notoriedade. O site Continente On-line, lançado em 2000, é hoje líder de comércio electrónico na área do retalho. Relatório de Sustentabilidade 06 11

12 Encontrando-se formatada no sentido de servir preferencialmente os mercados afectos aos principais centros urbanos regionais, a cadeia Modelo possui uma rede de hipermercados de média dimensão ( m 2 ) dispersa pela totalidade do território do continente e marca uma posição de destaque nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores. A sua localização obedece a critérios de proximidade ao cliente e constitui, sem dúvida, uma vantagem competitiva e um factor de preferência. Modelo: 80 lojas com m 2 Esta proximidade física e humana na relação com o cliente constitui um traço fundamental na estrutura da identidade e filosofia da marca Modelo, desde logo evidenciada pela localização, dimensão e formato das lojas. Estas, mais pequenas que os grandes hipermercados, asseguram o compromisso ideal entre os imperativos de variedade e baixo preço e os critérios de proximidade e conveniência. A capacidade de renovação e forte criatividade, associadas a uma grande eficácia no atendimento, elevaram a cadeia Modelo a uma posição de destaque entre os operadores de retalho alimentar, especialmente daqueles vocacionados para a abordagem dos mercados regionais afectos aos núcleos urbanos de média dimensão. A insígnia Modelo Bonjour afirma a sua qualidade através de supermercados com cerca de 800 m 2, localizados nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto. Enquanto insígnia de conveniência e proximidade, especialmente vocacionada para as compras mais frequentes do dia-a-dia, a Modelo Bonjour sublinha a sua vertente alimentar e procura localizações inseridas em zonas habitacionais. Modelo Bonjour: 25 lojas com m 2 A marca privilegia a qualidade dos produtos frescos e o ambiente cuidado e agradável das suas lojas, sem descurar nunca uma política de preços baixos. 12 Relatório de Sustentabilidade 06

13 Retalho Especializado A Worten é a maior cadeia de comercialização de electrodomésticos e de electrónica de consumo no mercado português e uma referência na área do retalho especializado. Em Portugal, a Worten desempenhou um papel pioneiro neste segmento do retalho especializado, sendo a primeira cadeia a assumir um projecto de âmbito nacional. Contando com uma ampla gama de produtos, zonas de entretenimento e auditórios de experimentação, a insígnia oferece uma selecção tecnológica inovadora e um conjunto de serviços especializados. A Worten está presente nas principais regiões do país, com uma rede de lojas situadas maioritariamente junto dos hipermercados Continente e Modelo, com formatos A Worten Mobile veio ampliar a gama de oferta da insígnia Worten no segmento das telecomunicações móveis. Este passo permitiu reforçar o posicionamento de especialista junto dos consumidores, factor de competitividade num segmento onde proliferam os operadores focalizados e tecnicamente evoluídos. A Worten Mobile centra a sua oferta comercial na qualidade dos serviços prestados, designadamente na vertente do diagnóstico de necessidades do cliente e do aconselhamento das soluções mais eficientes, graças a uma equipa de colaboradores com formação e experiência. Worten: 87 lojas com m 2 Worten Mobile: 11 lojas com 414 m 2 diferenciados de forma a lidar com a heterogeneidade dos mercados locais: as Worten Megastore, unidades de maior dimensão vocacionadas para os mercados das regiões metropolitanas de Lisboa e do Porto e para as principais cidades capitais de distrito e as Worten Superstore, unidades de média dimensão, especialmente vocacionadas para a exploração dos mercados afectos aos centros urbanos regionais. A Worten conta ainda com o site um serviço transaccional online que disponibiliza uma vasta gama de produtos. A Vobis, cadeia especializada na comercialização de equipamento informático e respectivos acessórios, tornou as novas tecnologias mais acessíveis a todos os portugueses, com lojas integradas em centros comerciais. Com uma presença junto dos principais mercados nacionais, uma gama completa e oferecendo as soluções tecnologicamente mais avançadas, uma equipa de profissionais especializados e garantia de serviço altamente qualificado, a Vobis é reconhecida como a principal cadeia de informática portuguesa. O site complementa o serviço disponível ao cliente com compras online. Vobis: 21 lojas com m 2 Relatório de Sustentabilidade 06 13

14 A Sport Zone - cadeia de lojas de desporto - tem como objectivo a promoção e fomento da prática de desporto em Portugal, através da comercialização de uma larga gama de produtos a preços competitivos e da criação de uma forte relação com a comunidade, que permita desenvolver e melhorar as condições para a prática desportiva. Modalfa: 70 lojas com m 2 A Modalfa tem como proposta de valor ser a cadeia de vestuário e acessórios de moda para toda a família, com maior presença nos mercados urbanos regionais onde faculta às populações locais o acesso às mais recentes tendências da moda. A expansão da insígnia Modalfa acompanhou o crescimento da cadeia Modelo e está implantada em todo o país. Face ao crescimento registado nos últimos anos e acompanhando a crescente sofisticação e exigência dos seus clientes, a Modalfa tem vindo a investir na sua imagem, aproximando ainda mais a marca do seu público e afirmando um novo estilo, mais moderno, actual e versátil, sempre fiel ao estatuto de loja para toda a família. Este esforço culminou recentemente no lançamento de uma nova linha gráfica para todos os suportes comunicacionais da insígnia. A par da nova identidade visual da Modalfa foi lançado o site institucional, onde os valores da marca são comunicados através de uma linguagem apelativa. Zippy Kidstore: 11 lojas com m 2 A Sport Zone está equipada com tudo para o desporto: o sportswear e o equipamento para todas as modalidades e todas as grandes marcas. São mais de artigos pertencentes a 300 marcas diferentes. Paralelamente à sua vertente comercial, a marca tem por missão divulgar o desporto e incentivar a prática desportiva, mantendo fortes relações com a comunidade. Sport Zone: 48 lojas com m 2 A Zippy Kidstore é uma insígnia de roupa e acessórios, com um design moderno e materiais confortáveis, inteiramente dedicada às crianças dos 0 aos 8 anos. A cadeia foi lançada pela Modelo Continente em 2004, com a inauguração da primeira loja no Gaiashopping, distinguindo-se pela animação e colorido da imagem, bem como pela vasta gama de artigos para bebé e criança, puericultura e artigos pré-mamã. Lançada há apenas 2 anos, a insígnia completou já com sucesso uma primeira fase de teste e afinação do conceito de negócio e iniciou, em 2006, um processo de expansão que, até final de 2007, deverá assegurar a abertura de pontos de venda nos principais centros comerciais nacionais e facultar à Zippy Kidstore a cobertura adequada do mercado português. 14 Relatório de Sustentabilidade 06

15 A insígnia Maxmat actua no domínio da distribuição e comercialização de materiais de construção, bricolage e jardim, visando alcançar os segmentos de mercado tradicionalmente designados por RMI (Repair, Maintenace and Improvement Reparação, Manutenção e Melhoria) e do DIY (Do It Yourself - Faça você mesmo), onde elege como clientes alvo preferenciais as pequenas empresas de construção civil, os profissionais liberais do sector e os grandes utilizadores particulares. Este projecto resulta de uma parceria celebrada entre a Modelo Continente e o grupo irlandês CRH em A cadeia privilegia espaços com cerca de m 2 de área de venda e oferece uma gama de mais de produtos que posiciona junto dos clientes através da assinatura Soluções Profissionais. Área Saúde: 26 lojas com m 2 Em 2005, passou a ser permitida a comercialização de medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM) em outros estabelecimentos que não farmácias. Este novo quadro legal facultou à Modelo Continente o lançamento de uma insígnia especializada no domínio da higiene, beleza e cuidados de saúde, denominada Área Saúde. Na verdade, a Modelo Continente foi pioneira, inaugurando o primeiro espaço de saúde em Portugal inserido numa cadeia de hipermercados. Maxmat: 21 lojas com m 2 A STAR é uma das empresas com maior expressão no negócio das agências de viagens e turismo em Portugal. Através de equipas especializadas nas diferentes vertentes comerciais do negócio - viagens de lazer, viagens de negócios, incoming e congressos e incentivos - a STAR disponibiliza um serviço completo, adequado e de elevada qualidade a todos quantos gostam de viajar sem fronteiras. Estas lojas proporcionam um ambiente acolhedor e organizado onde o consumidor encontra, a preços muito competitivos e disponível em horário alargado, uma gama variada e completa de produtos de qualidade que, para além dos referidos MNSRM, abrange as categorias de produtos de emagrecimento, de tratamento capilar, de puericultura, protectores solares e, bem assim, produtos de aromaterapia, fitoterapia e homeopatia. Ao cliente são ainda disponibilizados diferentes serviços como, entre outros, aconselhamento nutricional e dermocosmético e medição do peso e da tensão arterial. A empresa possui dois modernos Business Travel Centres, dedicados exclusivamente a empresas, e mais de 60 balcões de atendimento de norte a sul do País, a maioria dos quais localizados nos maiores centros comerciais portugueses e junto aos hipermercados da cadeia Continente. Star: 61 lojas com m 2 Relatório de Sustentabilidade 06 15

16 > Suporte aos Negócios Logística A Modelo Continente reconhece na operação logística uma das competências mais importantes e diferenciadoras da cadeia de valor do negócio. Nesse pressuposto, a Modelo Continente foi um dos primeiros operadores portugueses a abraçar um modelo de logística centralizada, onde as entregas de fornecedores são recolhidas num entreposto central, em vez de junto de cada ponto de venda. Este modelo cedo provou as suas vantagens em termos de optimização da cadeia de abastecimento, via incremento da produtividade e da eficiência dos processos, da melhoria dos níveis de serviço às lojas, do controlo de qualidade e da segurança alimentar. Vantagens que, por se repercutirem a montante da cadeia de valor, justificaram a fácil adesão dos fornecedores ao modelo. Não menos relevante é o impacte ambiental desta opção de centralização, que racionaliza as rotas de transporte e minimiza sobremaneira o tráfego de veículos no acesso às diferentes lojas, muitas vezes localizadas em zonas sensíveis da malha rodoviária ou de cariz predominantemente residencial. Hoje a Modelo Continente opera 10 entrepostos com a área coberta da ordem de m 2, por onde são movimentados cerca de 86 por cento dos produtos vendidos pelas diferentes insígnias. Centros de fabrico: O modelo de crescimento e desenvolvimento abraçado pela Modelo Continente não se limitou a promover a diversificação da oferta comercial, suportada na qualidade da plataforma logística disponível. Para além disso, num movimento induzido por objectivos de criação de valor para o cliente e de busca de patamares mais elevados no âmbito da qualidade e segurança alimentares, a Empresa apostou na integração vertical, a montante, da fileira de alguns produtos perecíveis considerados estratégicos. Foi essa a opção adoptada no caso da carne, do peixe e da pastelaria seca. Actualmente, a Modelo Continente explora 3 unidades industriais, a saber: Centro de Processamento de Carnes (CPC) unidade industrial, localizada em Santarém, cuja actividade engloba os processos centralizados de recepção, desmancha, fatiamento e embalagem de carnes. Centro de Distribuição de Pescado (CDP) unidade industrial, localizada em Santarém, responsável pela recepção, controlo, embalagem e expedição de peixe fresco e bacalhau salgado seco. Centro de Fabrico de Pastelaria Seca (CFP) - unidade industrial, localizada em Ermesinde, responsável pela fabricação de padaria e pastelaria. Estrutura Central O modelo organizacional implementado pela Modelo Continente combina uma lógica de centralização de todas as funções de suporte ao negócio com uma opção de descentralização e especialização das vertentes operacional e comercial das diferentes insígnias. Centro de Processamento de Carnes 16 Relatório de Sustentabilidade 06

17 Inovação O mercado de retalho português é, em todos os seus segmentos, um mercado exposto a elevados índices de intensidade concorrencial, onde marcam presença alguns dos principais operadores internacionais. Neste contexto, a geração de vantagens competitivas sustentáveis pressupôs sempre a prossecução de estratégias de diferenciação, no âmbito das quais a inovação desempenha um papel fundamental. O trajecto percorrido pela Modelo Continente, que a conduziu a uma posição de liderança no mercado retalhista português, é indissociável de uma permanente atitude de inovação, aliada à procura incessante da melhoria. Na verdade, este foi o posicionamento adoptado ao longo de vinte anos de actividade na exploração de novos negócios, na procura de novos mercados e de novos canais e, bem assim, no desenvolvimento, adaptação e implementação de novas tecnologias. Dos diferentes projectos inovadores lançados pela Modelo Continente resultaram efeitos profundos e duradouros, seja pela sua contribuição para a evolução dos hábitos de consumo dos portugueses seja pelo estímulo à modernização do sector retalhista nacional e, bem assim, de todos os sectores produtivos a montante. Só em 2006, a Modelo Continente investiu mais de 15 milhões de euros em projectos de inovação. > impulso dado a muitas iniciativas originais e envolventes no domínio da Responsabilidade Social, as quais registaram uma adesão surpreendente a nível nacional, como são exemplo, entre outras, as campanhas Missão Sorriso, Pilhas de Livros ou Computadores para as Escolas ; > concepção e desenvolvimento do projecto de nova geração de centros comerciais Modelo, onde se materializam novas soluções ao nível das acessibilidades e ergonomia das instalações, da eficiência energética e da sustentabilidade ambiental, das tecnologias de apoio aos processos chave do negócio, tendo como enquadramento o objectivo último de promover a qualidade do ambiente loja e o bem estar dos clientes. Em 2006 a Modelo Continente foi distinguida com o primeiro prémio relativo a Innovation and Excellence in BPM & Workflow Implementation patrocinado pela Workflow Management Coalition. > Em 2006, a Modelo Continente investiu mais de 15 milhões de euros em projectos de inovação. De entre os vários projectos de inovação desenvolvidos mais recentemente, impõe-se uma referência especial aos seguintes: > introdução de caixas de Self-Service nas lojas da insígnia Continente, tecnologia que faculta a prestação de um serviço com valor efectivo para o cliente, num dos processos de negócio que para este maior sensibilidade assume: o do acto de pagamento e da respectiva celeridade; Caixa Self-Service Relatório de Sustentabilidade 06 17

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005.

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. Cooperação empresarial, uma estratégia para o sucesso Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. É reconhecida a fraca predisposição

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira Inclusão Financeira Inclusão Financeira Ao longo da última década, Angola tem dado importantes passos na construção dos pilares que hoje sustentam o caminho do desenvolvimento económico, melhoria das

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

Identificação da empresa

Identificação da empresa Identificação da empresa ANA Aeroportos de Portugal, S.A. Missão, Visão e Valores Missão da ANA A ANA - Aeroportos de Portugal, SA tem como missão gerir de forma eficiente as infraestruturas aeroportuárias

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA A Inspira, uma joint-venture formalizada em 2006 entre o grupo Blandy, com sede na Madeira e larga experiência

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

Breve Apresentação do Negócio

Breve Apresentação do Negócio CELEIRO-DIETA Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Celeiro Dieta N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos 25 Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010 Facturação

Leia mais

Banco Popular, Espanha

Banco Popular, Espanha Banco Popular, Espanha Tecnologia avançada de automação do posto de caixa para melhorar a eficiência e beneficiar a saúde e segurança dos funcionários O recirculador de notas Vertera contribuiu para impulsionar

Leia mais

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial.

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. POWERING BUSINESS QUEM SOMOS A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. Desde 1987 que desenvolvemos um trabalho

Leia mais

WePeopleValueYourPeople

WePeopleValueYourPeople WePeopleValueYourPeople e info@peoplevalue.com.pt w www.peoplevalue.com.pt Actualizado em 2010Jan14 quem somos? Somos a consultora sua parceira focada nas Pessoas e na sua valorização. Através da especialização

Leia mais

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho A Segurança não é negociável Na Nestlé, acreditamos que o sucesso sustentável apenas poderá ser alcançado através dos seus Colaboradores. Nenhum

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

Qualidade e Inovação. CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo

Qualidade e Inovação. CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo Curso de Arte e Multimédia/Design 2º Semestre 1º Ciclo Ano lectivo 2007/2008 Docente: José Carlos Marques Discentes: Ana Pedro nº 2068207/ Encarnação

Leia mais

Política de Responsabilidade Social

Política de Responsabilidade Social Política de Responsabilidade Social e Programa 2015 I. ENQUADRAMENTO A criação da Fábrica do Chocolate materializa por si só o sentido de responsabilidade social da empresa e das pessoas envolvidas na

Leia mais

A Carta da Qualidade da Habitação Cooperativa (Carta) é um

A Carta da Qualidade da Habitação Cooperativa (Carta) é um CARTA DA QUALIDADE DA HABITAÇÃO COOPERATIVA Carta da Qualidade da Habitação Cooperativa A Carta da Qualidade da Habitação Cooperativa (Carta) é um instrumento de promoção, afirmação e divulgação, junto

Leia mais

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial 2 PRIMAVERA BSS Qpoint Rumo à Excelência Empresarial Numa era em que a competitividade entre as organizações é decisiva para o sucesso empresarial, a aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance

Leia mais

Apresentação. www.slog.pt

Apresentação. www.slog.pt Apresentação Quem Somos A S-LOG, Serviços e Logística, S.A., é uma empresa do Grupo Entreposto vocacionada para a prestação de serviços de logística nas suas várias componentes. A nossa actividade desenvolveu-se

Leia mais

Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado. Business Case

Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado. Business Case Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado Business Case 2013 AGENDA ENQUADRAMENTO COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL CLARA, RIGOROSA E TRANSPARENTE COM O MERCADO ENQUADRAMENTO Na economia

Leia mais

A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC

A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC ABBC A actuação da ABBC assenta na independência, no profissionalismo e na competência técnica dos seus advogados e colaboradores,

Leia mais

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT TURISMO: TENDÊNCIAS E SOLUÇÕES Exmos. Senhores Conferencistas, Antes de

Leia mais

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE SANTARÉM - R EVOLUÇÃO ADMINISTRATIVA A Autarquia de Santarém, em parceria com a PT Prime, desenvolveu um sistema de soluções integradas e inter-operantes que lhe possibilitaram operacionalizar

Leia mais

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto Estratégia Empresarial Capítulo 4 Missão e Objectivos João Pedro Couto ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Pensamento Estratégico Análise do Meio Envolvente Análise da Empresa Análise Estratégica Missão, Objectivos

Leia mais

Fundo de Garantia Automóvel. Fundo de Garantia Automóvel

Fundo de Garantia Automóvel. Fundo de Garantia Automóvel INSTITUTO DE SEGUROS DE PORTUGAL Rigor e Transparência Rigor e Transparência COSTUMAMOS DIZER NO FGA QUE O UTENTE, AINDA QUE NÃO TENHA RAZÃO, É A RAZÃO DA NOSSA EXISTÊNCIA E DIZEMOS TAMBÉM QUE UM PROCESSO

Leia mais

SONAE MUDAR PARA CONTINUAR A CRESCER

SONAE MUDAR PARA CONTINUAR A CRESCER SONAE MUDAR PARA CONTINUAR A CRESCER 1. ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS CORPORATIVAS 1. ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS CORPORATIVAS 2. NOVA ORGANIZAÇÃO DO PORTEFÓLIO 3. NOVA ORGANIZAÇÃO DE GESTÃO 1. ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS

Leia mais

ANF. Associação Nacional de Farmácias

ANF. Associação Nacional de Farmácias ANF Associação Nacional de Farmácias Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Associação Nacional de Farmácias N.º Colaboradores 150 N.º de Estabelecimentos 3 Dispersão

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

Escolas de Pentatlo Moderno

Escolas de Pentatlo Moderno Escolas de Pentatlo Moderno ÍNDICE O que é o franchising PENTAKID? 3 Serviços PENTAKID 5 Marketing 6 Recursos Humanos 7 Financiamento 8 Processo de aquisição 9 Ficha técnica 10 Carta de resposta 11 2 O

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

MEDI T FINANCE CONTABILIDADE CONSULTORIA

MEDI T FINANCE CONTABILIDADE CONSULTORIA AMedi T Finance é a mais recente aposta do Grupo Medi T. É uma organização multidisciplinar que presta serviços profissionais nasáreas da Assessoria Financeira, Contabilidade, Auditoria e Consultoria.

Leia mais

Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional

Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional 1024036 - PROFIFORMA, GABINETE DE CONSULTADORIA E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, LDA Missão É missão do CQEP Profiforma: -

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

Regulamento. Preâmbulo

Regulamento. Preâmbulo Regulamento Preâmbulo As Empresas e os Empreendedores são a espinha dorsal de qualquer economia, em termos de inovação, de criação de emprego, de distribuição de riqueza e de coesão económica e social

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO Objetivo Artigo 1.º 1. Este regulamento tem como objetivo estabelecer condições e normas para a obtenção

Leia mais

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos,

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos, REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------- MINISTÉRIO DA ENERGIA GABINETE DO MINISTRO INTERVENÇÃO DE S.EXA SALVADOR NAMBURETE, MINISTRO DA ENERGIA, POR OCASIÃO DA INAUGURAÇÃO DA FÁBRICA DE CONTADORES DA ELECTRO-SUL

Leia mais

SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA

SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA O primeiro requisito para venda de uma empresa, total ou parcialmente, é apresentá-la de forma atraente,

Leia mais

Gestão e tecnologia para PME s

Gestão e tecnologia para PME s www.sage.pt Gestão e tecnologia para PME s Sage Porto Sage Lisboa Sage Portugal A longa experiência que temos vindo a acumular no desenvolvimento de soluções integradas de software de gestão para as pequenas

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO CONSIDERANDO QUE: PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO A simplificação administrativa e a administração electrónica são hoje reconhecidas como instrumentos fundamentais para a melhoria da competitividade e da

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008 Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I Fev. 2008 Medeiros genda 1. Áreas de negócio Martifer; 2. Martifer Energia Equipamentos para energia S.A.; 3. Certificações Obtidas 4. Porquê IDI? 5. Objectivo

Leia mais

w w w. y e l l o w s c i r e. p t

w w w. y e l l o w s c i r e. p t consultoria e soluções informáticas w w w. y e l l o w s c i r e. p t A YellowScire iniciou a sua atividade em Janeiro de 2003, é uma empresa de consultoria de gestão e de desenvolvimento em tecnologias

Leia mais

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC PHCMensagens SMS DESCRITIVO O módulo PHC Mensagens SMS permite o envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo, sem ser necessário criar e enviar uma a uma. Comunique com mais sucesso: ganhe

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Marcos N. Lessa. Global Document Outsourcing Director

Marcos N. Lessa. Global Document Outsourcing Director Marcos N. Lessa Global Document Outsourcing Director Managed Print Services: Serviço de valor acrescentado Managed Print Services (MPS) é um serviço que envolve a gestão de todos os equipamentos de impressão,

Leia mais

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria PROGRAMA Qualidade Produto Marca Própria - Distribuição Princípios da Qualidade/ ISO 9001 Certificação/Processo de Certificação

Leia mais

Apresentação ecoinside

Apresentação ecoinside Documento compatível com caracteres ecofont - reduzindo o consumo do seu tinteiro em mais de 20%. Mais informações e download gratuito em www.ecofont.com Apresentação ecoinside Eco-Empreendedorismo: Ideias

Leia mais

SOCIAL PAULO AZEVEDO CEO SONAE 16 MARÇO 2011

SOCIAL PAULO AZEVEDO CEO SONAE 16 MARÇO 2011 INVESTIMENTO SOCIAL PAULO AZEVEDO CEO SONAE 16 MARÇO 2011 Investimento Social Clientes 268M de descontos em cartão/talão Produtos de marca Continente ~25% mais baratos que produto líder Comunidade 10,4M

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

ILIMITADOS THE MARKETING COMPANY

ILIMITADOS THE MARKETING COMPANY ILIMITADOS THE MARKETING COMPANY _ CURRICULUM Composta por uma equipa multidisciplinar, dinâmica e sólida, Sobre Nós A ilimitados - the marketing company é uma empresa de serviços na área do Marketing,

Leia mais

6 de Maio de 2009 Anabela Lagorse Pontes

6 de Maio de 2009 Anabela Lagorse Pontes Códigos de Conduta e Ética 6 de Maio de 2009 Anabela Lagorse Pontes Códigos de Conduta e de Ética ETICA COMPROMISSO CONDUTA EMPRESAS PROFISSIONAL PRINCÍPIOS INDEPENDÊNCIA DEVERES CLIENTES EXIGÊNCIAS PÚBLICO

Leia mais

PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DE SI/TI

PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DE SI/TI (1) PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DE SI/TI Docente: Turma: T15 Grupo 5 Mestre António Cardão Pito João Curinha; Rui Pratas; Susana Rosa; Tomás Cruz Tópicos (2) Planeamento Estratégico de SI/TI Evolução dos SI

Leia mais

Governo societário de Sistemas de Informação

Governo societário de Sistemas de Informação Governo societário de Sistemas de Proposta de princípios e recomendações para o governo societário de Sistemas de «Governo do Sistema de : O conjunto de práticas relativas à tomada de decisões políticas

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos

Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos 27 LEADERSHIP AGENDA a inovação na gestão do relacionamento compensa Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos A participação activa dos cidadãos é vital para a promoção

Leia mais

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que:

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que: C 297/6 Resolução do Conselho e dos Representantes Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, relativa à realização dos objectivos comuns em matéria de participação e informação dos jovens para

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino. Cerimónia de Abertura do WTPF-09

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino. Cerimónia de Abertura do WTPF-09 INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng. Mário Lino Cerimónia de Abertura do WTPF-09 Centro de Congressos de Lisboa, 22 de Abril de 2009 (vale a versão

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS

BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS APLICAÇÃO DA METODOLOGIA BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS -1- AGENDA Quem somos Modelo de Gestão Gestão por Objectivos - BSC Conclusões e Resultados -2- AGENDA Quem somos -3- O QUE FAZEMOS

Leia mais

Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas

Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas Este guia foi produzido como parte da Campanha de Consciencialização Pan-Europeia sobre RSE, uma iniciativa da Comissão Europeia, Directoria

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A.

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A. 1 Reunir várias entidades do sector óptico nacional e discutir o futuro do sector bem como os temas cruciais para os empresários e intervenientes da área foram os objectivos do evento Visão de Futuro 2010,

Leia mais

A excelência é o nosso objectivo. E o seu?

A excelência é o nosso objectivo. E o seu? A excelência é o nosso objectivo. E o seu? Quem somos A experiência ao serviço do seu negócio A actuar no mercado desde 1977, a Petrochem Produtos Químicos de Portugal especializou-se no fabrico de soluções

Leia mais

POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA POLÍTICA DE ÉTICA A Política de Ética do CPCBeja está reflectida no Código de Conduta e Ética e integra os seguintes Princípios e Orientações: - Direitos e Dignidade

Leia mais

Luis Natal Marques, Gebalis EEM

Luis Natal Marques, Gebalis EEM Luis Natal Marques, Gebalis EEM TÓPICOS I. Porquê Responsabilidade Social (RS)? II. As Empresas de Serviços de Interesse Geral (SIGs) III. Mais valias da Responsabilidade Social nas Empresas de Serviço

Leia mais

ACEP lança Comissão Especializada Business to Consumer

ACEP lança Comissão Especializada Business to Consumer COMUNICADO DE IMPRENSA Com o objectivo de promover e potencializar o Comércio Electrónico em Portugal ACEP lança Comissão Especializada Business to Consumer. Comissão B2C visa a promoção e divulgação do

Leia mais

Avaliação de Investimentos Logísticos e. Outsourcing Logístico

Avaliação de Investimentos Logísticos e. Outsourcing Logístico APLOG Centro do Conhecimento Logístico Avaliação de Investimentos Logísticos e Outsourcing Logístico Guilherme Loureiro Cadeia de Abastecimento- Integração dos processos de gestão Operador Logístico vs

Leia mais

Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP

Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP 12 de Outubro 2005 Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP Neves de Carvalho EDP Energias de Portugal SA Existe globalmente uma crise de credibilidade nas instituições que

Leia mais

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas Conceito As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas PÁG 02 Actualmente, face à crescente necessidade de integração dos processos de negócio, as empresas enfrentam o desafio de inovar e expandir

Leia mais

apresentação corporativa

apresentação corporativa apresentação corporativa 2 Índice 1. Apresentação da BBS a) A empresa b) Evolução c) Valores d) Missão e Visão 2. Áreas de Negócio a) Estrutura de Serviços b) Accounting/Tax/Reporting c) Management & Consulting

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

XI Mestrado em Gestão do Desporto

XI Mestrado em Gestão do Desporto 2 7 Recursos Humanos XI Mestrado em Gestão do Desporto Gestão das Organizações Desportivas Módulo de Gestão de Recursos Rui Claudino FEVEREIRO, 28 2 8 INDÍCE DOCUMENTO ORIENTADOR Âmbito Objectivos Organização

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão da Qualidade na Formação

Manual do Sistema de Gestão da Qualidade na Formação NATURA-ITP, L.da Manual do Sistema de Gestão da Qualidade na Formação Elaborado por Revisto por Aprovado por GT - MSGQF - 01 Coordenador pedagógico Director Formação 17 de Julho de 2014 Código do Documento:

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Inovar para Ganhar Paulo Nordeste Portugal tem apresentado nos últimos anos casos de sucesso em inovação; como novos produtos, serviços e modelos de

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

A Gestão da experiência do consumidor é essencial

A Gestão da experiência do consumidor é essencial A Gestão da experiência do consumidor é essencial Sempre que um cliente interage com a sua empresa, independentemente do canal escolhido para efetuar esse contacto, é seu dever garantir uma experiência

Leia mais

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique Consolidar o Futuro Abreu Advogados Ferreira Rocha & Associados 2012 PORTUGAL

Leia mais

Índice Descrição Valor

Índice Descrição Valor 504448064 Índice Descrição Valor 1 Missão, Objectivos e Princípios Gerais de Actuação 11 Cumprir a missão e os objectivos que lhes tenham sido determinados de forma económica, financeira, social e ambientalmente

Leia mais

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE 3. Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete 65 66 3.1 Objectivos e Princípios Orientadores O sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete, adiante designado

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Desde Janeiro 2006 Responsável pela Unidade de Negócios da Lisboagás para Lisboa e Amadora.

CURRICULUM VITAE. Desde Janeiro 2006 Responsável pela Unidade de Negócios da Lisboagás para Lisboa e Amadora. CURRICULUM VITAE Nome: Nuno Miguel de Campos Matos Vaz Neto Morada: Rua João de Oliveira Miguens, 5-5º C Código Postal e Localidade: 1350-187 Lisboa Nacionalidade: Portuguesa Telefone: +351917765911 E-mail:

Leia mais

10ª Semana da Responsabilidade Social. Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis

10ª Semana da Responsabilidade Social. Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis 10ª Semana da Responsabilidade Social Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis Enquadramento geral No mundo de hoje todas as sociedades têm ambições

Leia mais

FrontWave Engenharia e Consultadoria, S.A.

FrontWave Engenharia e Consultadoria, S.A. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa é uma empresa criada em 2001 como spin-off do Instituto Superior Técnico (IST). Desenvolve tecnologias e metodologias de inovação para rentabilizar

Leia mais

PUB. Interface. Banca &Seguros

PUB. Interface. Banca &Seguros Interface Banca &Seguros PUB DOSSIER Marketing Bancário: focos em tempo de crise RADAR Sistema financeiro no triângulo estratégico DOSSIER Tecnologias de informação e gestão de fraude Tendências Mobilidade

Leia mais