Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01"

Transcrição

1 Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA Bancos de dados compreendem desde agendas telefônicas até sistemas computadorizados. (Sim) 2- Só podemos instalar o SQL Server Express se tivermos a permissão da Microsoft. (Não) 3- Todos os sistemas de bancos de dados são gratuitos. (Não) 2 1- Um banco de dados deve armazenar os dados de forma organizada. 2- O acesso ao banco de dados é livre e não requer a inserção de usuário e senha. (Falso) 3- Um banco de dados tem como principal função o armazenamento de dados, mas nunca sua recuperação. (Falso) 3 Pergunta - Qual o significado da sigla SGBD? 1- Sincronização de gastos para banco de dados. (Incorreta) 2- Sistema de garantia de busca e desenvolvimento.(incorreta) 3- Sistemas gerenciadores de bancos de dados. (Correta) 4- Sistema de generalização de bancos de dados. (Incorreta) 5- Software gerenciador de buscas em discos. (Incorreta) 6- Software gerenciador de bases de dados. (Incorreta) Número de Questões:4 4 Pergunta - Quais dos "SGBD"s abaixo são reais? 1- MySQL. (Correta) 2- SQLEX. (Incorreta) 3- Firebird. (Correta) 4- PostgreSQL. (Correta) 5- RefSQL. (Incorreta) 6- NovaSQL. (Incorreta) Número de questões:4

2 5 Pergunta - Para atribuirmos o nome SGBD, quais destes parâmetros são obrigatórios? 1- Definição de Dados. (Sim) 2- Agendamento. (Não) 3- Organizador automático. (Não) 4- Manipulação de dados. (Sim) 5- Segurança e Integridade de dados. (Sim) 6- Notificação dos dados. (Não) Número de questões:6 AULA 02 1 Perguntas e s: 1- Um Banco de Dados pode ser considerado uma coleção organizada de informações. (Sim) 2- Existe um único modelo de Banco de Dados. (Não) 3- Uma agenda de telefones não é um Banco de Dados. (Não) 2 Perguntas e s: 1- Modelo hierárquico possui os registros conectados uns aos outros por meio de ligações. 2- As ligações do modelo hierárquico são chamadas de links. (Falso) 3- O modelo hierárquico tem como vantagem, rapidez no acesso a informação. 3 Pergunta: Em relação ao modelo de redes é correto afirmar: Alternativas e respostas:1- O modelo em redes surgiu como uma extensão ao modelo hierárquico. 2- Modelo simples e de fácil entendimento. (Falso) 3- Um mesmo registro pode estar envolvido em várias ligações. 4- Mantém a estrutura de hierarquia do modelo anterior. (Falso) 5- Não é necessário um amplo conhecimento sobre o banco pra manipular os dados. (Falso) 6- As ligações nesse modelo são chamadas de links. Números de questões: 6

3 4 Pergunta: Em relação ao modelo relacional é correto afirmar: Alternativas e respostas: 1- Organiza seus dados em relações que chamamos de Tabela. (Sim) 2- As ligações nesse modelo são chamadas de links. (Não) 3- Possui esse nome por estar relacionada com os modelos antigos. (Não) 4- As colunas desta tabela corresponde a um Atributo, enquanto as linhas correspondem às Tuplas. (Sim) 5-É uma estrutura organizacional de fácil aplicabilidade. (Sim) 6- Permite que seus registros não sejam duplicados. (Não) Números de questões: 6 5 Pergunta: Como se chama o conceito que garante que não haja duplicidade nas informações dos registros? Alternativas e respostas: 1- Identity (Falso) 2- Datetime (Falso) 3- Chave Primária 4- Relação (Falso) 5- Varchar (Falso) 6- Tupla (Falso) Números de questões: Cada uma das linhas da tabela, formadas pelas colunas ordenadas, representa um registro ou tupla. (SIM) 2- É importante destacar que nem todas as colunas de uma linha devem possuir obrigatoriamente um registro. (SIM) 3- Todos os atributos, sem exceção, devem ser preenchidos. (Não) 7 Reflita sobre os tipos de dados e a sua definição existente a frente, depois responda: 1- int - usado para informações numéricas de até 4 bytes. Sim 2- char - usado para informações de texto de tamanho variado. Não 3- datetime - usado apenas para exibir informações apenas de data. Não 4- varchar - usado para informações de texto de tamanho fixo. Não 5- bigint - usado para informações numéricas de até 8 bytes. Sim

4 8 Pergunta: O recurso utilizado para que um registro seja incrementado automaticamente a medida que um novo é adicionado se chama: Alternativas e respostas:1- Identity 2- Datetime (Falso) 3- Chave Primária (Falso) 4- Relação (Falso) 5- Varchar (Falso) 6- Tupla (Falso) Números de questões: 6 AULA 03 1 Perguntas e s:1- O SQL é uma linguagem de definição de dados.(sim) 2- Através do SQL não podemos inserir, alterar ou remover os dados de uma tabela.(não) 3- Utilizando o SQL podemos inserir dados em uma tabela, mas não alterá-los ou exclui-los.(não) 2 Perguntas e s: 1- Uma das vantagens da utilização da linguagem SQL é a acessibilidade. 2- A linguagem SQL pode ser utilizada desde um computador pessoal até um que possua muitas informações. 3- A estrutura de comandos do SQL é feita em português.(falso) 3 Pergunta: Quando vamos criar algo novo através da linguagem SQL, utilizamos o comando: Alternativas e respostas: 1- new (Incorreto) 2- create new(incorreto) 3- create (Correto) 4- table (Incorreto) 5- database(incorreto) 6- new create (Incorreto) Números de questões: 4

5 4 Pergunta: De acordo com o que aprendemos, para verificar se as tabelas estão armazenando os dados corretamente, devemos selecionar a opção: Alternativas e respostas: 1- Refresh (Incorreto) 2- Reports (Incorreto) 3- Script Table as (Incorreto) 4- Edit Top 200 Rows (Correto) 5- Start PowerShell(Incorreto) 6- Select Top 200 Rows (Incorreto) Números de questões: 4 5 Perguntas e respostas: 1- Um atributo do tipo Decimal(6,2), pode receber um número com no máximo seis dígitos, onde dois são casas decimais. (Sim) 2- Após digitarmos os códigos, clicamos em Execute, para armazenarmos as informações no programa. (Sim) 3- O banco de dados e as tabelas que criamos não ficam armazenados no SQL Server Management Studio. (Não) AULA 04 1 O Diagrama Entidade-Relacionamento é composto por: Alternativas e s a) Chaves (Incorreta) b) Entidade (Correta) c) Ferramentas (Incorreta) d) Relacionamento (Correta) e) Atributos (Correta) f) Modelos (Incorreta) Nº alternativas 6

6 2 Selecione as alternativas que fazem parte da modelagem de dados. Alternativas e s a) Modelo Lógico (Correta) b) Modelo Conceitual (Correta) c) Modelo Padrão (Incorreta) d) Modelo Funcional (Incorreta) e) Modelo Entidade-Relacionamento (Incorreta) f) Modelo Físico (Correta) Nº alternativas 6 3 Perguntas e s 1- A modelagem de dados é uma técnica usada para especificarmos a estrutura do banco de dados.(sim) 2- A modelagem de dados é uma técnica que envolve apenas teoria, consequentemente, nenhuma prática. (Não) 3- Como o próprio nome nos diz, a modelagem de dados consiste em construir modelos. (Sim) 4 Perguntas e s 1- A análise de requisitos nada mais é que uma entrevista feita entre o usuário e o profissional de banco de dados, onde as informações sobre um projeto são abordadas. 2- É a partir das informações colhidas na análise de requisitos que o diagrama Entidade-Relacionamento é criado. 3- A análise de requisitos não é aconselhável antes da criação de um banco de dados. (Falso) 5 1- Uma entidade pode ser definida como qualquer coisa do mundo real ou abstrato.(sim) 2- Relacionamento é uma estrutura que indica uma associação entre duas ou mais entidades.(sim) 3- Uma entidade é representada por um losango (Não) 1 Perguntas e s AULA A cardinalidade corresponde ao número de ocorrências de uma entidade que estão relacionadas com as de outra entidade. (Sim) 2- Para encontrarmos a cardinalidade não precisamos relacionar duas ou mais entidades. (Não) 3- Não existe um processo para encontrarmos a cardinalidade de uma entidade, portanto podemos colocar qualquer número.(não)

7 2 Pergunta: Utilizando seus conhecimentos, indique as alternativas abaixo, que apresentam as opções corretas de como a cardinalidade mínima é representada. 1- É representada pelo 0. (Correta) 2- É representa pelo 0 e 1. (Incorreta) 3- É representada pelo 1. (Correta) 4- É representada pelo 0 e N. (Incorreta) 5- É representada pelo N. (Correta) 6- É representada somente pelo N. (Incorreta) Números de questões: 4 3 Perguntas e s 1- Quando temos o relacionamento entre três entidades, o chamamos de ternário. 2- Para existir o relacionamento ternário, é necessário que essa informação, seja fornecida, durante a análise de requisitos. 3- Em um relacionamento, só pode haver a ligação entre duas entidades. (Falso) 4 Pergunta: De acordo com o que aprendemos, de que maneira a cardinalidade máxima é representada? Alternativas e respostas 1- é representada pelo 0,1 e N. (Incorreta) 2- É representada somente pelo 0. (Incorreta) 3- É representada por 1 ou N. (Correta) 4- É presentada somente pelo 1. (Incorreta) 5- É representada somente pelo N. (Incorreta) 6- É representada pelo 0 e 1. (Incorreta) Números de questões: 4 5 Alternativas e respostas 1- A cardinalidade máxima, como seu nome sugere, indica o número máximo de ocorrências de uma entidade associada à outra. (Sim) 2- Não há diferença entre a cardinalidade máxima e mínima. (Não) 3- A cardinalidade mínima, indica o número mínimo de ocorrências de uma entidade associada à outra. (Sim) AULA 06

8 1 Perguntas e s: 1- Um atributo é a porção de informação que descreve, quantifica e qualifica uma entidade. (Sim) 2- Um atributo é a propriedade de uma entidade. (Sim) 3- Um atributo não possui relação com a entidade.(não) 2 Perguntas e s: 1- Relacionamento pode ser considerado uma propriedade de uma entidade. (Falso) 2- Entidade pode ser definida como qualquer coisa do mundo real ou abstrato. 3- Cardinalidade é o elemento que define a quantidade de ocorrências que podem estar associadas em um relacionamento. 3 Pergunta Sobre a Análise de Requisitos, podemos julgar que: Alternativas e respostas 1- É o processo onde são levantadas informações sobre os dados e suas restrições.(correto) 2- As informações recolhidas na análise de requisitos, não são suficientes para criar entidades. (Incorreto) 3- A maneira mais apropriada de aplicá-la é, em reuniões com os envolvidos ou diretamente com o proprietário.(correto) 4- É efetuada após a criação do banco de dados para verificação de erros existentes no processo. (Incorreto) 5- O resultado da análise de requisitos é um documento que contém a especificação de apenas um requisito.(incorreto) 6- É a partir da análise de requisitos que sabemos quais são as entidades que irão compor o sistema. (Correto) Números de questões 4 4 Pergunta É o elemento que define a quantidade de ocorrências que podem estar associadas em um relacionamento, estamos nos referindo a: Alternativas e respostas 1- Relacionamento.(Incorreto) 2- Entidade.(Incorreto) 3- Cardinalidade.(Correto) 4- Análise de requisitos. (Incorreto) 5- Modelo Lógico. (Incorreto) 6- Diagrama. (Incorreto) Números de questões 4

9 5 Perguntas e s 1- Para modelar um banco de dados temos três etapas essenciais. (Sim) 2- Modelar um banco de dados, consiste em fazer alterações, antes que ele seja implementado. (Não) 3- Modelagem de dados só é necessário em alguns casos. (Não) AULA 07 1 Pergunta: Podemos identificar uma Entidade-Associativa através de qual figura? Alternativas e respostas 1- Retângulo com um losango dentro. 2- Retângulo com um circulo dentro. (Falso) 3- Apenas por um Retângulo. (Falso) 4- Por um losango. (Falso) 5- Um losango com um retângulo dentro. (Falso) 6- Por um triângulo. (Falso) Números de questões 4 2 Perguntas e s 1- Dentro de uma Entidade Associativa tem 3 nomes. (Não) 2- Em uma Entidade não associativa temos 2 nomes. (Não) 3- A Relação em uma Entidade-Associativa é representada por um losango. (Sim) 3 Perguntas e s 1- Quando temos uma Generalização Parcial ela é simbolizada pela letra "p". 2- Quando na Generalização não tiver nenhuma letra significa que ela é uma Generalização Total. 3- Quando uma ocorrência da entidade genérica não precisa ser ocorrência de uma entidade especializada temos uma Generalização Total. (Falso)

10 4 Pergunta: Qual das alternativas temos uma cardinalidade um-para-muitos. Alternativas e respostas 1- (1,1) (Falso) 2- (0,1) (Falso) 3- (1,n) 4- (0,n) (Falso) 5- (1,0) (Falso) 6- (0,0) (Falso) Números de questões 4 5 Perguntas e s 1- Sempre que tivermos um relacionamento de muitos-para-muitos, teremos uma Generalização Total. (Não) 2- A Entidade é representada pela figura de um Retângulo. (Sim) 3- Ao ligarmos duas Entidades uma relação é criada automaticamente. (Sim) 1 Perguntas e s AULA Sobre as formas normais podemos dizer que existem apenas duas. (Não) 2- Para normalizar um sistema de dados é preciso seguirmos as regras das Formas Normais. (Sim) 3- Se apenas utilizarmos as formas normais, não podemos dizer que um sistema está normalizado. (Não) 2 Perguntas e s 1- A normalização corresponde a análise de atributos de uma entidade, a fim de evitar anomalias. 2- Fazendo a normalização, definimos um formato lógico para os dados, minimizando assim, o espaço utilizado por ele. 3- Quando fazemos a normalização de dados, aumentamos em até três vezes o espaço ocupado pelos dados. (Falso)

11 3 Pergunta Indique quais são as alternativas, que apresentam corretamente os tipos de anomalias que podemos encontrar em uma tabela. Alternativas e respostas 1- Anomalia de Repetição (Incorreta) 2- Anomalia de Duplicação (Incorreta) 3- Anomalia de Alteração (Correta) 4- Anomalia de Inserção (Incorreta) 5- Anomalia de Inclusão (Correta) 6- Anomalia de Exclusão(Correta) Números de questões 4 4 Pergunta De acordo com o que aprendemos sobre a Primeira Forma Normal, identifique abaixo, o que devemos observar para realizar essa normalização. Alternativas e respostas 1- Identificar a chave primária da entidade. (Correta) 2- Identificar a chave estrangeira da entidade (Incorreta) 3- Identificar o grupo repetitivo e removê-lo. (Correta) 4- Criar uma nova entidade com a chave primária da entidade anterior. (Correta) 5- Identificar o grupo repetitivo, mas não removê-lo. (Incorreta) 6- Excluir a tabela inteira, se ela possuir informações repetidas. (Incorreta) Números de questões 4 5 Perguntas e s 1- A 2FN, diz que uma tabela estará normalizada, se cumprir todas as regras da 1Fn e não conter dependências parciais. (Sim) 2- Se aplicarmos a Primeira Formal Normal em uma tabela, não poderemos aplicar a segunda e a terceira. (Não) 3- Na 3FN, temos que identificar os atributos que são dependentes de outros que não possuem a chave primária.(sim) 6 Perguntas e s 1- Se excluirmos um setor de uma tabela, temos uma anomalia de Exclusão. 2- Se excluirmos um setor de uma tabela, temos uma anomalia de Alteração. (Falso) 3- Se adicionarmos uma informação em um campo da tabela, temos a anomalia de Inclusão.

12 AULA Quando geramos o modelo lógico de um projeto, o modelo conceitual, não fica salvo no brmodelo. (Não) 2- No modelo lógico, a representação é feita através de tabelas, que anteriormente, eram as entidades. (Sim) 3- No modelo lógico, não podemos fazer configurações nas tabelas, como por exemplo, alterar o tipo de dado de um atributo. (Não) 2 1- O modelo físico depende do sistema gerenciador de dados. 2- É no modelo físico, que colocamos em prática a pesquisa e detalhamento, feito nos outros modelos. 3- Quando estamos desenvolvendo o modelo lógico no brmodelo, não conseguimos gerar o físico. (Falso) 3 De acordo com o que aprendemos em nossa aula, todos os detalhes das tabelas devem ser definidos no modelo: 1- Físico(Incorreta) 2- Conceitual (Incorreta) 3- Lógico(Correta) 4- Normal(Incorreta) 5- Representativo (Incorreta) 6- Separador(Incorreta) 4 No modelo lógico, definimos todos os detalhes das tabelas, indique abaixo as alternativas que apresentam corretamente as configurações que podemos fazer. 1- Alterar o tipo de dados (Correta) 2- Criar entidades (Incorreta) 3- Modificar a nomenclatura(correta) 4- Criar Tabelas (Incorreta) 5-Criar banco de dados(incorreta) 6- Retirar campos duplicados(correta) 5 1- Definimos restrições de atualização e exclusão de registros para campos com chave estrangeira. (Sim) 2- Mesmo definindo a restrição de exclusão como NO ACTION, conseguimos excluir registros da tabela pai. (Não) 3- Com a opção CASCADE ao excluirmos ou atualizamos um registro na tabela Pai, a tabela filho recebe essa configuração. (Sim) AULA 10

13 1 1- Criamos uma entidade associativa, quando não podemos adicionar as informações em outras entidades do projeto. (Sim) 2- Sempre que tivermos um relacionamento de um para muitos, teremos uma entidade associativa. (Não) 3- O objetivo da entidade associativa é tratar um relacionamento, como se ele fosse uma entidade. (Sim) 2 1- Com a normalização conseguimos evitar problemas, antes mesmo do sistema ser implementado. 2- Mesmo com a normalização não conseguimos encontrar e solucionar todos as anomalias de um sistema. (Falso) 3- A normalização não garante o sistema de dados íntegro e confiável. (Falso) 3 De acordo com o que aprendemos até agora, indique em qual(is) modelo(s), fazemos as configurações, como alterar o tipo de dados, definir restrições de exclusão e alteração, entre outros. 1- Físico (Incorreta) 2- Conceitual (Incorreta) 3- Lógico( Correta) 4- Conceitual e Lógico (Incorreta) 5- Lógico e Físico (Incorreta) 6- Representativo (Incorreta) 4 Informe abaixo, as alternativas que apresentam corretamente os procedimentos a serem executados na primeira forma normal. 1- Identificar a chave primária. (Correta) 2- Identificar os atributos não chave que são dependentes da chave primária. (Incorreta) 3- Identificar o grupo repetitivo e removê-lo. (Correta) 4- Identificar os atributos que são dependentes de outros não chave. (Incorreta) 5- Criar uma nova entidade com a chave primária da entidade anterior e o grupo repetitivo. (Correta) 6-Identificar os atributos dependentes de outros não chave e retirá-los da tabela.(incorreta) 5 1- Podemos definir restrições de exclusão e alterações, para campos definidos como chave estrangeira. (Sim) 2- Podemos definir restrições de exclusão e atualização para campos definidos como chave primária. (Não) 3- Ao excluirmos ou atualizarmos um registro, o banco de dados verifica se ele possui relação com os demais registros. (Sim) AULA 11

14 1 1- Com o comando INSERT inserimos dados em uma tabela. (Sim) 2- Com o comando INSERT, atualizamos os dados de uma tabela. (Não) 3- Com o comando INSERT, apagamos os dados de uma tabela. (Não) 2 1- O comando DELETE e o TRUNCATE TABLE possuem a mesma Função. 2- O comando DELETE e o TRUNCATE TABLE, ambos apagam os dados de uma tabela. 3- O comando DELETE apaga os dados e o TRUNCATE TABLE, os atualiza. (Falso) 3 De acordo com o que aprendemos, a cláusula GETDATE, é responsável por: 1- Alterar dados em uma tabela.(incorreta) 2- Apagar dados em uma tabela. (Incorreta) 3- Retorna a data atual do sistema. (Correta) 4- Inserir dados em uma tabela.(incorreta) 5- " Apelida" tabelas ou colunas, para facilitar a construção das instruções. (Incorreta) 6- Limita operações como UPDATE, DELETE e SELECT.(Incorreta) 4 Indique as alternativas, que apresentam exemplos de operadores lógicos. 1- AND. (Correta) 2- >=. (Incorreta) 3- OR. (Correta) 4- <>. (Incorreta) 5- NOT. (Correta) 6- <=. (Incorreta) 5 1- O ALIAS, funciona como um "apelido" para uma tabela ou coluna, para facilitar na construção de instruções. 2- O ALIAS é um pseudônimo, que atualiza os dados de uma tabela. (Falso) 3- O ALIAS, ajuda na construção de instruções, inserindo dados em uma tabela. (Falso) AULA Junção de Tabelas é a consulta que acessa tabelas diferentes de uma vez. (Sim) 2- Junção de Tabelas é a consulta que acessa colunas diferentes de uma vez. (Não) 3- Junção de Tabelas é a consulta que cria tabelas diferentes de uma vez. (Não) 2 1- ORDER BY funciona como um organizador de dados, pois exibe as informações em ordem alfabética, tanto crescente como decrescente. 2- Count tem como principal função a contagem de células numa tabela, retornando-nos valores inteiros de itens de um determinado campo dela. 3- O botão responsável por fazer as modificações serem refletidas no sistema é o New Querie. (Falso)

15 3 Qual o comando responsável por retornar um conjunto de resultados de registros de uma ou mais tabelas 1- ORDER BY(Incorreta) 2- COUNT (Incorreta) 3- SELECT (Correta) 4- JUNÇAO DE TABELAS (Incorreta) 5- WHERE (Incorreta) 6- GROUP BY (Incorreta) 4 Qual o comando responsável por agrupar os dados de uma consulta e mostrar o resultado do total de cada registro separadamente. 1- ORDER BY(Incorreta) 2- COUNT (Incorreta) 3- SELECT (Incorreta) 4- JUNÇAO DE TABELAS (Incorreta) 5- WHERE (Incorreta) 6- GROUP BY (Correta) 5 1- O comando WHERE é utilizado para criar filtros nas consultas, sendo praticamente usado em todo o tipo porém, seu uso não é obrigatório. 2- O comando WHERE é composto pelas verificações sobre valores de determinadas colunas e conta qualquer tipo de dado, incluindo textos, através da tabela toda ou apenas de determinadas colunas. 3- O comando WHERE tem como ponto negativo, desperdiçar informações, não possibilitanto criar queries que agreguem mais valor ao sistema. (Falso) AULA As stored procedures são conjuntos de instruções. (Sim) 2- As stored procedures não ficam salvas no banco de dados. (Não) 3- O SQL Server, já fornece algumas stored procedures, as System Stored Procedures. (Sim) 2 1- Quando adicionamos comentários dos códigos, estamos facilitando o futuro entendimento dele. 2- Para adicionar um comentários, podemos utilizar os prefixos: - - ou /*...*/. 3- Não podemos adicionar comentários nos códigos.(falso)

16 3 Pergunta - Temos duas maneiras para fazer indentação de um código, sendo uma delas, por uma determinada tecla. Indique abaixo, qual alternativa apresenta a correta. 1- Backspace (Incorreta) 2- Barra de espaço (Incorreta) 3- Tab (Correta) 4- Enter (Incorreta) 5- Delete (Incorreta) 6- Alt (Incorreta) número de questões:4 4 Pergunta - Conforme vimos em nossa aula, indique as alternativas que apresentam as instruções de uma estrutura condicional. 1- END. (Incorreta) 2- IF. (Correta) 3- BEGIN. (Incorreta) 4- ELSE. (Correta) 5- WHERE. (Incorreta) 6- AS. (Incorreta) número de questões: Para diferenciar as variáveis das colunas, utilizamos o 2- As variáveis não armazenam um tipo de dado específico. (Falso) 3- Não utilizamos variáveis para o armazenamento de dados. (Falso) AULA A cláusula INNER JOIN verifica se há dois registros iguais em duas ou mais tabelas de um banco de dados. (Sim) 2- A cláusula INNER JOIN exibe todos os valores das colunas da lista de seleção da tabela à esquerda. (Não) 3- A cláusula INNER JOIN exibe os dados relacionais da tabela que estão à direita da cláusula. (Não)

17 2 Pergunta - De acordo com o que aprendemos, utilizando a cláusula JOIN, podemos: 1- Unir as linhas de duas tabelas, para a verificação de registros. (Correta) 2- Excluir as linhas de duas tabelas. (Incorreta) 3- Utilizar os dados de uma junção, para retorná-los a um usuário. (Correta) 4- Inserir dados em duas tabelas. (Incorreta) 5- Alterar dados em duas linhas de uma tabela. (Incorreta) 6- Retornar os dados que forem iguais entre duas ou mais tabelas. (Correta) Número de questões: O LEFT JOIN, exibe os dados não relacionais encontrados à esquerda da cláusula. 2- A tabela adicionada depois da cláusula LEFT JOIN, fica posicionada à esquerda. 3- A tabela adicionada depois da cláusula LEFT JOIN, fica posicionada à direita. (Falso) 4 Pergunta - De acordo com o que aprendemos, indique a alternativa que apresenta a cláusula que retorna todos os resultados encontrados, independente se existem valores correspondentes nas tabelas usadas. 1- JOIN (Incorreta) 2- INNER JOIN (Incorreta) 3- FULL JOIN (Correta) 4- RIGHT JOIN (Incorreta) 5- LEFT JOIN (Incorreta) 6- FLUSH JOIN (Incorreta) Número de questões: A cláusula RIGHT JOIN exibe os dados não relacionais da tabela que estão à direita da cláusula. 2- A cláusula RIGHT JOIN faz o mesmo procedimento que a LEFT JOIN. (Falso) 3- A cláusula RIGHT JOIN é responsável por verificar se há registros semelhantes em mais de uma tabela. (Falso) AULA No Modelo Conceitual DER temos os elementos: Entidade, Relacionamento e Atributos. (Sim) 2- DER significa: Distribuição de Entidades e Relacionamentos. (Não) 3- Para construirmos o Modelo conceitual, a primeira coisa que devemos fazer é adicionar os Atributos. (Não)

18 2 Pergunta - No BrModelo temos como alternativas de Cardinalidades as seguintes opções: 1- (1,1). (Correta) 2- (1,n). (Correta) 3- (0,1). (Correta) 4- (0,n). (Correta) 5- (1,0). (Incorreta) 6- (n,0). (Incorreta) número de questões: As Chaves primárias são atributos indicadores, que impedem que um registro seja cadastrado mais de uma vez, controlando assim a duplicidade do registro. 2- Para criar as Chaves Primarias, utilizamos a ferramenta Atributo composto. (Falso) 3- Para criar um Modelo Lógico, basta utilizar a ferramenta Gerar Esquema Lógico no próprio BrModelo. 4 Pergunta - A ferramenta Gerar Esquema Lógico está localizada: 1- Na aba Esquema Conceitual (Correta) 2- Na aba Esquema Lógico (Incorreta) 3- Na aba Editar (Incorreta) 4- Na aba Sistema (Incorreta) 5- No painel Propriedades (Incorreta) 6- Na ferramenta Auto-relacionar (Incorreta) Número de questões: A Entidade é uma categoria de ideias as quais devem ser convertidas em informações. (Sim) 2- Relacionamento é uma estrutura que indica uma associação entre dois ou mais atributos. (Não) 3- Os Atributos podem ser considerados as propriedades de um relacionamento, ou seja, as suas principais informações. (Não) AULA O comando EXEC tem a mesma função que o EXECUTE. (Sim) 2- O comando EXEC tem a mesma função que o CREATE. (Não) 3- O comando EXEC tem como função executar um comando. (Sim)

19 2 Pergunta - Qual das teclas abaixo utilizamos para retirar a indentação de uma linha de código? 1- TAB. (Incorreta) 2- End. (Incorreta) 3- Backspace. (Correta) 4- Home. (Incorreta) 5- Barra de espaço. (Incorreta) 6- Enter. (Incorreta) Número de questões: A cláusula INNER JOIN realiza consultas com o intuito de verificar se há registros iguais em duas ou mais tabelas. 2- O INNER JOIN é um conjunto de instruções que fica salvo no banco de dados. (Falso) 3- O INNER JOIN é utilizado para inserir uma nova linha numa tabela. (Falso) 4 Pergunta: Os conjuntos de instruções que ficam salvas no banco de dados são chamadas de: 1- Inner Joins (Incorreta) 2- Stored Procedures (Correta) 3- Select From (Incorreta) 4- Procedures (Incorreta) 5- Databases (Incorreta) 6- Modelo conceitual (Incorreta) Números de questões: As Stored Procedures ficam localizadas dentro da pasta Programmability do banco. (Sim) 2- As Stored Procedures ficam localizadas dentro da pasta System Tables do banco. (Não) 3- Podemos modificar uma Stored Procedures entrando em sua pasta, clicando com o botão direito sobre ela e escolhendo a opção Modify. (Sim)

Disciplina de Banco de Dados Parte V

Disciplina de Banco de Dados Parte V Disciplina de Banco de Dados Parte V Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Modelo de Dado Relacional O Modelo Relacional O Modelo ER é independente do SGDB portanto, deve ser o primeiro modelo gerado após

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

BANCO DE DADOS. Fixação dos conteúdos Integridade Referencial Normalização Exercícios

BANCO DE DADOS. Fixação dos conteúdos Integridade Referencial Normalização Exercícios BANCO DE DADOS Fixação dos conteúdos Integridade Referencial Normalização Exercícios BANCO DE DADOS X SGBD Banco de Dados: Um "banco de dados" pode ser definido como um conjunto de "dados" devidamente

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Projeto e Implementação

Projeto e Implementação Felipe Nery Rodrigues Machado Banco de Dados Projeto e Implementação 2 Edição 4 Reimpressão São Paulo 2011 Editora Érica Ltda. 3 Projeto Sumário Capítulo 1 O Que É Projeto de Banco de Dados 15 Modelagem

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA RESUMO DE AULA CRIAÇÃO E MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Editora Carlos A. J. Oliviero Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto 1a Edição 2 Reimpressão São Paulo 2011 Érica Ltda. Noções Livrarse Preparação muitas muita Sumário

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Banco de Dados. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Banco de Dados Prof Dr Rogério Galante Negri Tradicionalmente O armazenamento dos dados utilizava arquivos individuais, sem nenhum relacionamento Cada programa utilizava seu próprio sistema de arquivo

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Prof. Marcos Francisco Pereira da Silva Especialista em Engenharia de Software Jogos Digitais - Computação Gráfica 1 Agenda Vantagens de usar a abordagem

Leia mais

Treinamento sobre SQL

Treinamento sobre SQL Treinamento sobre SQL Como Usar o SQL Os dois programas que você mais utilizara no SQL Server são: Enterprise Manager e Query Analyzer. No Enterprise Manager, você pode visualizar e fazer alterações na

Leia mais

Linguagem SQL Parte I

Linguagem SQL Parte I FIB - Centro Universitário da Bahia Banco de Dados Linguagem SQL Parte I Francisco Rodrigues Santos chicowebmail@yahoo.com.br Slides gentilmente cedidos por André Vinicius R. P. Nascimento Conteúdo A Linguagem

Leia mais

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL Criar uma base de dados (criar um banco de dados) No mysql: create database locadora; No postgresql: createdb locadora Criar

Leia mais

Aula 02 Modelagem de Dados. Banco de Dados. Aula 02 Modelagem de Dados. Superior /2011 Redes Computadores - Disciplina: Banco de Dados -

Aula 02 Modelagem de Dados. Banco de Dados. Aula 02 Modelagem de Dados. Superior /2011 Redes Computadores - Disciplina: Banco de Dados - Banco de Dados Aula 02 Modelagem de Dados Roteiro Definição Evolução Projeto de BD Abstração Esquema e Instância Definição É uma representação, normalmente gráfica, de estruturas de dados reais. Auxilia

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Apostila 3 Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 30/09/2011 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Exclusão de registros Consultas por Dados de Resumo Group by / Having Funções

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cláudio Luís V. Oliveira Janeiro de 2010 Definição "Um sistema cujo objetivo principal é gerenciar o acesso, a correta manutenção e a integridade dos

Leia mais

Linguagem SQL (Parte I)

Linguagem SQL (Parte I) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte I) Introdução

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO Tutorial SQL Fonte: http://www.devmedia.com.br/articles/viewcomp.asp?comp=2973 Para começar Os Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Relacionais (SGBDr) são o principal mecanismo de suporte ao armazenamento

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 Exercícios Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 1. A linguagem SQL apresenta uma série de comandos que permitem a definição dos dados, chamada de DDL (Data Definition Language). Assinale a alternativa

Leia mais

Gabarito - Programação C# com Visual Studio - Intermediário - 05/08/2013 AULA 01. 1 Perguntas e Respostas

Gabarito - Programação C# com Visual Studio - Intermediário - 05/08/2013 AULA 01. 1 Perguntas e Respostas Gabarito - Programação C# com Visual Studio - Intermediário - 05/08/2013 1 Perguntas e s AULA 01 1- A ferramenta responsável pelo auto incremento chama- se Identity. (Sim) 2- A ferramenta responsável pelo

Leia mais

Escrito por Sex, 14 de Outubro de 2011 23:12 - Última atualização Seg, 26 de Março de 2012 03:33

Escrito por Sex, 14 de Outubro de 2011 23:12 - Última atualização Seg, 26 de Março de 2012 03:33 Preço R$ 129.00 Compre aqui SUPER PACOTÃO 3 EM 1: 186 Vídeoaulas - 3 dvd's - 10.5 Gybabyte. 1) SQL 2) Banco de Dados (Oracle 10g, SQL Server 2005, PostgreSQL 8.2, Firebird 2.0, MySQL5.0) 3) Análise e Modelagem

Leia mais

Criação Visual de Consultas. Curso: Técnico em Informática (Integrado) Disciplina: Banco de Dados Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.

Criação Visual de Consultas. Curso: Técnico em Informática (Integrado) Disciplina: Banco de Dados Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu. Criação Visual de Consultas Curso: Técnico em Informática (Integrado) Disciplina: Banco de Dados Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.br Introdução A complexidade dos sistemas informatizados atuais

Leia mais

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures)

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) 1. Introdução Stored Procedure é um conjunto de comandos, ao qual é atribuído um nome. Este conjunto fica armazenado no Banco de Dados e pode ser chamado a

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem DML SQL Select Avançado. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem DML SQL Select Avançado. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem DML SQL Select Avançado Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: -União de tabelas em consultas; -Joins. 2 Até este momento, vimos as capacidades da SQL de completa manipulação

Leia mais

Gerenciamento de um Sistema de

Gerenciamento de um Sistema de SBD Gerenciamento de um Sistema de Banco de Dados Prof. Michel Nobre Muza ua michel.muza@ifsc.edu.br Prof. Marcos Antonio Viana Nascimento Por que é importante: Motivação Participar na organização e no

Leia mais

Sumário. Introdução... 1. 1 O Problema... 3

Sumário. Introdução... 1. 1 O Problema... 3 Sumário Introdução... 1 1 O Problema... 3 1.1 Definição do Problema... 3 1.2 A Solução... 3 1.2.1 Projeto Conceitual...4 1.2.2 Projeto Lógico... 5 1.2.3 Projeto Físico... 6 2 Criação de Bancos de Dados...

Leia mais

Integridade dos Dados

Integridade dos Dados 1 Integridade dos Dados Integridade dos Dados Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br A integridade dos dados é feita através de restrições, que são condições obrigatórias impostas pelo modelo. Restrições

Leia mais

Oficina. Praça das Três Caixas d Água Porto Velho - RO

Oficina. Praça das Três Caixas d Água Porto Velho - RO Oficina Praça das Três Caixas d Água Porto Velho - RO Oficina Ministrante: Marcel Leite Rios Apresentação Pessoal Marcel Leite Rios Prof. de Informática IFRO Graduado: Sistemas de Informação - ULBRA MBA

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Fundamentos de SQL Structured Query Language Aula2 Apresentado por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685

Leia mais

Operação de União JOIN

Operação de União JOIN Operação de União JOIN Professor Victor Sotero SGD 1 JOIN O join é uma operação de multi-tabelas Select: o nome da coluna deve ser precedido pelo nome da tabela, se mais de uma coluna na tabela especificada

Leia mais

Projeto de Banco de Dados: Empresa X

Projeto de Banco de Dados: Empresa X Projeto de Banco de Dados: Empresa X Modelo de negócio: Empresa X Competências: Analisar e aplicar o resultado da modelagem de dados; Habilidades: Implementar as estruturas modeladas usando banco de dados;

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Tarefa Orientada 19 Triggers

Tarefa Orientada 19 Triggers Tarefa Orientada 19 Triggers Objectivos: Criar triggers AFTER Criar triggers INSTEAD OF Exemplos de utilização Os triggers são um tipo especial de procedimento que são invocados, ou activados, de forma

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos.

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos. Banco de Dados O que é um Banco de Dados? Este assunto é muito vasto, tentaremos resumi-lo para atender as questões encontradas em concursos públicos. Já conhecemos o conceito de dado, ou seja, uma informação

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Banco de Dados 1 Prof. MSc Wagner Siqueira Cavalcante

Banco de Dados 1 Prof. MSc Wagner Siqueira Cavalcante Banco de Dados 1 Programação sucinta do curso:. Conceitos fundamentais de Banco de Dados.. Arquitetura dos Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados (SGBD ou DBMS).. Características típicas de um SGBD..

Leia mais

Banco de Dados Modelo Conceitual, Lógico, Físico, Entidade- Relacionamento (ER) Hélder Nunes

Banco de Dados Modelo Conceitual, Lógico, Físico, Entidade- Relacionamento (ER) Hélder Nunes Banco de Dados Modelo Conceitual, Lógico, Físico, Entidade- Relacionamento (ER) Hélder Nunes Modelos de banco de dados Modelo de banco de dados é uma descrição dos tipos de informações que estão armazenadas

Leia mais

Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos

Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Objetivos: Criar restrições para atributos, chaves primárias e estrangeiras; Explorar consultas SQL com uso de

Leia mais

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela Certamente você já ouviu falar muito sobre triggers. Mas o quê são triggers? Quando e como utilizá-las?

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS Esclarecimento Licenciamento de Uso Este documento é propriedade intelectual 2012 da NRSYSTEM COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA-ME, consiste de uma compilação de diversos materiais entre livros,

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL Banco de Dados Exercícios SQL 1 TRF (ESAF 2006) 32. Analise as seguintes afirmações relacionadas a Bancos de Dados e à linguagem SQL: I. A cláusula GROUP BY do comando SELECT é utilizada para dividir colunas

Leia mais

PROVA DE NOÇÕES DE MICROINFORMÁTICA

PROVA DE NOÇÕES DE MICROINFORMÁTICA 18 PROVA DE NOÇÕES DE MICROINFORMÁTICA AS QUESTÕES DE 41 A 60 CONSIDERAM O ESQUEMA PADRÃO DE CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL MICROSOFT WINDOWS ME E DAS FERRAMENTAS MICROSOFT WINDOWS EXPLORER, MICRO-

Leia mais

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 2 Pedreiros da Informação Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

MSc. Daniele Carvalho Oliveira

MSc. Daniele Carvalho Oliveira MSc. Daniele Carvalho Oliveira AULA 2 Administração de Banco de Dados: MSc. Daniele Oliveira 2 CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE BANCO DE DADOS Administração de Banco de Dados: MSc. Daniele Oliveira 3 Conceitos

Leia mais

BD SQL Server. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04

BD SQL Server. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04 BD SQL Server SGBD SQL Server Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Bases de Dados 2003/04 BD SQL Server Criação da Ligação ao SGBD Entrar no Microsoft SQL Server / Enterprise Manager Criar

Leia mais

Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL

Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL Oracle University Entre em contato: 0800 891 6502 Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL Duração: 5 Dias Objetivos do Curso Esta classe se aplica aos usuários do Banco de Dados Oracle8i,

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

PgAdmin. O pgadmin é um software gráfico para administração do SGBD PostgreSQL disponível para Windows e UNIX.

PgAdmin. O pgadmin é um software gráfico para administração do SGBD PostgreSQL disponível para Windows e UNIX. 1/20 PgAdmin O pgadmin é um software gráfico para administração do SGBD PostgreSQL disponível para Windows e UNIX. Site para download. Caso queira a última versão - http://www.pgadmin.org/download/ É uma

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve Banco de Dados I Introdução Fabricio Breve Introdução SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados): coleção de dados interrelacionados e um conjunto de programas para acessar esses dados Coleção de dados

Leia mais

Disciplina: Unidade III: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade III: Prof.: E-mail: Período: Encontro 08 Disciplina: Sistemas de Banco de Dados Unidade III: Modelagem Lógico de Dados Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 5º. SIG - ADM Relembrando... Necessidade de Dados Projeto

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Prof. MSc. Hugo Souza Iniciando nossas aulas sobre

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language)

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language) Básico da Linguagem SQL Definição de Esquemas em SQL SQL(Structured Query Language) Desenvolvida como a linguagem de consulta do protótipo de SGBD Sistema R (IBM, 1976). Adotada como linguagem padrão de

Leia mais

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Abordagem geral Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br Em primeiro plano, deve-se escolher com qual banco de dados iremos trabalhar. Cada banco possui suas vantagens,

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

Manual do site do Comitê do Itajaí: como inserir e atualizar

Manual do site do Comitê do Itajaí: como inserir e atualizar Manual do site do Comitê do Itajaí: como inserir e atualizar conteúdo autor: Fábio Roberto Teodoro 25 de março de 2010 Sumário 1 Definições 3 2 Interface Administrativa 4 3 Conteúdo 6 3.1 Notícias............................................

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER Gerenciando Tabelas: DDL - DATA DEFINITION LANGUAG Criando uma tabela: CREATE TABLE CLIENTES ID VARCHAR4 NOT NULL, NOME VARCHAR30 NOT NULL, PAGAMENTO DECIMAL4,2 NOT NULL;

Leia mais

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Banco de Dados II Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL Linguagem SQL Sub-linguagem DDL A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language para suas

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

DBDesigner 4. NomeFunc 1,N FUNCIONÁRIO. CargaHoraria. MatrFunc

DBDesigner 4. NomeFunc 1,N FUNCIONÁRIO. CargaHoraria. MatrFunc DBDesigner 4 O DBDesigner 4 é uma ferramenta CASE (Computer-Aided Software Engineering) voltada para a modelagem de dados dos sistemas. Para utilizá-lo é necessário, primeiramente, criar o Modelo Conceitual

Leia mais

Introdução ao SQL. Aécio Costa

Introdução ao SQL. Aécio Costa Aécio Costa A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial e possui as seguintes partes: Linguagem de definição de dados (DDL) Linguagem interativa de manipulação de dados (DML) Definição

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo V: Indexação em Banco de Dados. (Aulas 4) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo V: Indexação em Banco de Dados. (Aulas 4) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo V: Indexação em Banco de Dados (Aulas 4) Clodis Boscarioli Agenda: Indexação em SQL; Vantagens e Custo dos Índices; Indexação no PostgreSQL; Dicas Práticas. Índice em SQL Sintaxe:

Leia mais

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico Banco de Dados // 1 Banco de Dados // 2 Conceitos BásicosB Engenharia da Computação UNIVASF BANCO DE DADOS Aula 1 Introdução a Banco de Dados Campo representação informatizada de um dado real / menor unidade

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo CONCORRÊNCIA 1. Introdução Recursos exclusivos Não necessita controle Abundância de recursos compartilhados Controle necessário mas mínimo Harmonia, provavelmente não haverá conflito Recursos disputados

Leia mais

Revisão de Banco de Dados

Revisão de Banco de Dados Revisão de Banco de Dados Fabiano Baldo 1 Sistema de Processamento de Arquivos Antes da concepção dos BDs o registro das informações eram feitos através de arquivos. Desvantagens: Redundância e Inconsistência

Leia mais

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base Introdução a Informática - 1º semestre AULA 14 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Explorar as propriedades na criação de bancos de dados no LibreOffice Base; Criar e explorar tabelas; Criar e explorar

Leia mais

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais