Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos"

Transcrição

1 Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Objetivos: Criar restrições para atributos, chaves primárias e estrangeiras; Explorar consultas SQL com uso de operadores de comparação; Explorar consultas SQL com uso de operadores booleanos; Neste roteiro são explorados comandos para a realização de consultas com uso de operadores de comparação e operadores booleanos importantes para a realização de consultas mais complexas onde os dados devem ser filtrados de acordo com critérios específicos do programador. Ferramentas necessárias Navegador, Xampp,Notepad++, console Mysql, Bibliografias de livros da faculdade. Criando Restrições Em SQL, restrições podem ser definidas para as tabelas que forem criadas. Existem restrições de chave e integridade referencial, restrições sobre domínios de atributo e NULLs e restrições sobre tuplas individuais (registros) dentro de uma relação. Restrições de atributo: Como o nome indica, são restrições que podem ser aplicadas aos atributos de uma tabela. Existem algumas restrições que podem ser aplicadas como valores null (NULL), valores padrão e valores (DEFAULT) de checagem (CHECK), que são detalhados a seguir na tabela abaixo: NOT NULL DEFAULT CHECK Se um valor NULL não for permitido isto pode ser especificado através do parâmetro NOT NULL na definição de um campo. Geralmente esta propriedade é definida para campos de chave primária, mas pode ser especificado para quaisquer outros atributos cujos valores não podem ser NULL. Determina um valor padrão para um atributo. O valor padrão será incluído em qualquer registro se um valor explícito não for declarado. Utilizado para limitar valores de atributo ou domínio. Pode ser utilizado para expressar que apenas valores dentro de uma faixa x podem ser utilizados em um campo. NOME VARCHAR(30) NOT NULL CREATE TABLE Y( TPAGTO INT DEFAULT 100 CREATE TABLE Z( TPAGTO INT CHECK(TPAGTO > 0 AND TPAGTO <3) Pág 48

2 Restrições de chave e integridade referencial: são restrições que podem ser impostas para os atributos para garantir a integridade da informação que será armazenada. Existem as restrições de chave primária (primary key) e de chave segundária (foreign key), as duas propriedades são detalhadas na tabela a seguir: PRIMARY KEY FOREIGN KEY Permite especificar atributos de chave primária em uma tabela. Se o atributo chave for único a restrição pode ser incluída diretamente no atributo, caso contrário deve ser incluído ao final da declaração dos campos ou após através da alteração da tabela. Especifica a criação de uma chave estrangeira. Da mesma forma que a chave primária, esta propriedade pode ser inserida na definição da tabela ou posteriormente através do comando ALTER TABLE. ID_FUNC INT PRIMARY KEY ID_FUNC INT, PRIMARY KEY(ID_FUNC PRIMARY KEY(CAMPO1,CAMPO2,CAMPO3 CREATE TABLE Y( IDCIDADE INT NOT NULL, FOREIGN KEY(IDCIDADE) REFERENCES CIDADE(IDCIDADE) Ações de violação de integridade: uma violação ocorre quando alguma informação inserida ou atualizada em um atributo viola as regras de chave. Quando acontece uma violação de integridade, a ação padrão (default) do SGBD é a de recusar a operação. Porém é possível adicionar ações de comportamento para que sejam executadas, descritas na tabela a seguir: ON DELETE ON UPDATE SET NULL CASCADE Define opções para quando são deletados registros envolvendo chaves estrangeiras. Define opções para quando são atualizados registros envolvendo chaves estrangeiras. Opção para ON DELETE OU ON UPDATE que define que ao ser excluído ou alterado um registro que é referenciado por outras tabelas como chave estrangeira, estas são definidas como NULL. Opção para ON DELETE OU ON UPDATE que define que ao ser alterado um registro que é referenciado por outras tabelas como chave estrangeira, estas são atualizadas juntamente com o novo valor definido. ON DELETE [AÇÃO] ON UPDATE [AÇÃO] ON DELETE SET NULL ON UPDATE CASCADE Pág 49

3 Nomeando Restrições Uma restrição pode ser nomeada em sua definição com uso da palavra-chave CONSTRAINT. Nomes de restrição precisam ser exclusivos e são importantes por identificarem diferentes restrições no caso de precisarem ser excluídas ou trocadas por outras ao longo da definição do banco de dados. Nomear restrições em bancos de dados é uma tarefa opcional, porém as principais ferramentas CASE de implementação normalmente utilizam nomes em restrições. Exemplo de criação de restrição com uso de CONSTRAINT CONSTRAINT PK_FUNCIONARIO PRIMARY KEY(IDFUNCIONARIO), CONSTRAINT FK_CIDADE_FUNCIONARIO FOREIGN KEY(IDCIDADE) REFERENCES CIDADE(IDCIDADE) ON DELETE SET NULL ON UPDADTE CASCADE; Operadores de comparação A cláusula WHERE introduz um potencial maior para as buscas de informações. Permite que seja possível escolher quais linhas são restauradas de uma declaração SELECT. É utilizado para restaurar linhas que combinem uma condição, como ter um valor de coluna que combine exatamente com uma string, um número maior ou menor que um valor, ou uma string que é o prefixo de outra. A seguir são demonstrados os operadores de comparação sendo utilizados em conjunto com a cláusula WHERE. Operadores de Comparação Os operadores de comparação a serem utilizados em uma consulta SQL são os mesmos utilizados na maioria das linguagens de programação, e permitem que uma consulta possa ser executada de forma muito mais poderosa para a seleção de informações em tabelas. Os operadores de comparação são descritos a seguir: SELECT campos FROM tabela WHERE argumentos Comando Função Exemplo = < > <= >= <> igual a entre dois campos. menor que entre dois campos ou maior que entre dois campos ou maior que entre dois campos ou menor que entre dois campos ou diferente de SELECT * FROM dados WHERE nome = joão SELECT * FROM funcionario WHERE salario < 1000 SELECT * FROM cidade WHERE populacao > SELECT * FROM cidade WHERE populacao >= SELECT * FROM aluno WHERE nota >= 7 SELECT * FROM pessoa WHERE sexo <> masculino Pág 50

4 Operadores Booleanos Os operadores de condição são úteis para combinar duas ou mais condições utilizando os operadores booleanos AND, OR e NOT. Permite unir critérios de pesquisa diferentes na mesma consulta, podemos utilizar a conjunção AND e separar critérios diferentes, por exemplo. Operadores AND, OR e NOT A seguir são detalhados os operadores de combinação que podem ser utilizados em conjunto nas consultas com uso do SELECT em conjunto com a cláusula WHERE. Comando Função Exemplo AND Restringe os resultados para as linhas que possuem ambas as condições. SELECT * FROM dados WHERE nome = joão and salario > 3000 SELECT campos FROM tabela WHERE argumentos OR Restringe os resultados para as linha que atendam pelo menos uma das condições. SELECT * FROM funcionario WHERE salario < 1000 or nome >= G NOT Nega uma declaração Booleana. SELECT * FROM funcionario WHERE NOT (salario >1000 and salario < 5000) Tarefas Utilizando o script de criação disponível em crie o banco de dados em seu servidor Mysql para uso nas tarefas do roteiro. 1) Crie as chaves estrangeiras utilizando uma CONSTRAINT nomeada com o prefixo FK_TABELAORIGEM_TABELADESTINO para as seguintes tabelas a. Movimento navio; b. Navio; c. Porto; d. Porto_visitado; 2) Altere o script de criação e Insira uma restrição de atributo para o campo TIPO_NAVIO.CAPACIDADE_PESO para que não aceite valores inferiores a Insira um novo registro de tipo de navio e teste o resultado da restrição feita. 3) Insira no script de todas as tabelas criadas para a chave primária a ação de violação de integridade ON UPDATE com CASCADE e ON DELETE para SET NULL; 4) Crie uma consulta para selecionar todos os portos Localizados em Salvador; 5) Crie uma consulta para selecionar todos os tipos de navios com capacidade maior do que e casco unico; 6) Crie uma consulta para selecionar todos os navios onde o proprietário seja Sergen & Terres OU o tipo seja Graneleiro; 7) Crie uma consulta para selecionar todos os navios onde o proprietário seja Sergen & Terres E o tipo seja Graneleiro; 8) Crie uma consulta para selecionar os navios onde o proprietário seja Maritimus E o tipo seja Graneleiro OU o tipo seja Quimico. 9) Crie uma consulta que liste todos os nomes dos navios que visitaram o porto com o nome de Porto de Santos; Pág 51

5 10) Crie uma consulta que liste todos os nomes dos navios e a data de inicio onde a data de inicio seja superior a 13 de setembro de 2011; Referências Elmasri, Navathe Sistemas de banco de dados 6ª Edição; Introdução a Banco de dados, Osvaldo Kataro Tokai, disponível em Apache Friends Home page - Notepad++ Home page - Pág 52

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

AULA 6 INTEGRIDADOS DOS DADOS - CRIANDO RESTRIÇÕES

AULA 6 INTEGRIDADOS DOS DADOS - CRIANDO RESTRIÇÕES BANCO DE DADOS GERENCIAL 1 AULA 6 INTEGRIDADOS DOS DADOS - CRIANDO RESTRIÇÕES Integridade de domínio A integridade de domínio é a validade de entradas para uma coluna específica. É possível aplicar a integridade

Leia mais

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional e as Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional Conceitos do Modelo Relacional Representa o banco de dados como uma coleção de relações. Comparação

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo Comandos DDL Estudo de Caso Controle Acadêmico Simplificado Uma escola contém vários cursos, onde cada aluno possui uma matricula num determinado curso. Estes cursos, por sua vez, possuem módulos, aos

Leia mais

SQL. Definição do Esquema da Base de Dados. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

SQL. Definição do Esquema da Base de Dados. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL Definição do Esquema da Base de Dados Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL - Esquema da base de dados Definição das tabelas Definição das chaves primárias Definição

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

Roteiro 7 Comandos SQL Parte 1: Criação e manutenção de tabelas

Roteiro 7 Comandos SQL Parte 1: Criação e manutenção de tabelas Roteiro 7 Comandos SQL Parte 1: Criação e manutenção de tabelas Objetivos: Detalhar características da linguagem SQL; Explorar o uso da linguagem SQL no banco de dados Mysql; Manipular a linguagem DDL

Leia mais

Regras de Integridade. Profa. Késsia Marchi

Regras de Integridade. Profa. Késsia Marchi Regras de Integridade Restrições de Integridade Integridade refere-se a precisão ou correção de dados em um banco de dados; Restrição refere-se a impor uma condição para qualquer atualização. Antes de

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

Introdução ao SQL. Aécio Costa

Introdução ao SQL. Aécio Costa Aécio Costa A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial e possui as seguintes partes: Linguagem de definição de dados (DDL) Linguagem interativa de manipulação de dados (DML) Definição

Leia mais

Introdução em Banco de Dados

Introdução em Banco de Dados Introdução em Banco de Dados Aula08 ComandosSQL II comando ORDER BY Uma lista completa dos registros da tabela por ordem alfabética do campo NOME. comando ORDER BY... DESC Uma lista completa dos registros

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA. Banco de Dados II. Integridade. Carlos Eduardo Portela Serra de Castro

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA. Banco de Dados II. Integridade. Carlos Eduardo Portela Serra de Castro UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA Banco de Dados II Integridade Carlos Eduardo Portela Serra de Castro * Integridade Introdução Restrições de Integridade de Domínio de Relação Asserções Procedimentos-gatilho

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DDL Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Introdução Modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de padrão SQL (Structured Query Language)

Leia mais

SQL - Criação de Tabelas

SQL - Criação de Tabelas SQL - Criação de Tabelas André Restivo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto February 24, 2012 André Restivo (FEUP) SQL - Criação de Tabelas February 24, 2012 1 / 25 Sumário 1 Introdução 2 Tabelas

Leia mais

4.6. SQL - Structured Query Language

4.6. SQL - Structured Query Language 4.6. SQL - Structured Query Language SQL é um conjunto de declarações que é utilizado para acessar os dados utilizando gerenciadores de banco de dados. Nem todos os gerenciadores utilizam SQL. SQL não

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET PROJETO DE BANCO DE DADOS

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET PROJETO DE BANCO DE DADOS Exemplos de Scripts SQL (PostgreSQL) Pizzaria 1 2 Criação de BANCO DE DADOS CREATE DATABASE nome_do_banco; CREATE DATABASE pizzaria; Criação de TABELAS SOMENTE COM CHAVE PRIMÁRIA CREATE TABLE nome_da_tabela

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

SQL: Definição de tabelas, Modificações à Base de Dados

SQL: Definição de tabelas, Modificações à Base de Dados SQL: Definição de tabelas, Modificações à Base de Dados Fernando Lobo Base de Dados, Universidade do Algarve 1 / 24 Definição do esquema da base de dados O esquema da BD é composto pelas definições de

Leia mais

1. Domínio dos Atributos

1. Domínio dos Atributos Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Domínio dos Atributos Por domínio, ou tipo, pode-se entender como a maneira como determinado atributo (ou campo, se tratando

Leia mais

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents Banco de dados Linguagens de Banco de Dados II 1 Linguagem de Definição de Dados - DDL Comandos utilizados para criação do esquema de dados; Um DDL permite ao utilizador definir tabelas novas e elementos

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Capitulo 2. Prof.º Espc. Fábio Margarito Martins de Barros - Tecnologia de banco de dados

Capitulo 2. Prof.º Espc. Fábio Margarito Martins de Barros - Tecnologia de banco de dados Capitulo 2 1. MODELO LÓGICO DE BANCO DE DADOS... 2 1.1 Definição... 2 1.2 Mapeando o modelo conceitual para o modelo lógico... 2 1.2 Dicionário de dados... 3 2. MODELO FÍSICO DO BANCO DE DADOS... 4 2.1

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL Linguagem SQL Sub-linguagem DDL A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language para suas

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Triggers em PostgreSQL. Linguagem de Programação de Banco de Dados. Triggers em PostgreSQL. Triggers em PostgreSQL

Triggers em PostgreSQL. Linguagem de Programação de Banco de Dados. Triggers em PostgreSQL. Triggers em PostgreSQL Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Linguagem de Programação de Banco de Dados Triggers em PostgreSQL Todos os bancos de dados comerciais possuem uma linguagem procedural auxiliar para a

Leia mais

MODELO RELACIONAL - UFMA

MODELO RELACIONAL - UFMA MODELO RELACIONAL Universidade Federal do Maranhão - UFMA Departamento de Informática Projeto de Banco de Dados Profª.MSc Simara Rocha simararocha@gmail.com/simara@deinf.ufma.br www.deinf.ufma.br/~simara

Leia mais

Disciplina de Banco de Dados Parte V

Disciplina de Banco de Dados Parte V Disciplina de Banco de Dados Parte V Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Modelo de Dado Relacional O Modelo Relacional O Modelo ER é independente do SGDB portanto, deve ser o primeiro modelo gerado após

Leia mais

Projeto de Banco de Dados: Empresa X

Projeto de Banco de Dados: Empresa X Projeto de Banco de Dados: Empresa X Modelo de negócio: Empresa X Competências: Analisar e aplicar o resultado da modelagem de dados; Habilidades: Implementar as estruturas modeladas usando banco de dados;

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL SQL Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada; Originou-se da linguagem SEQUEL (1974); Revisada e chamada de SQL em 1976/77; Em 1986, padronizada pelo ANSI/ISO - chamada SQL-86; Em 1987

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL (86); SQL-2 (92); SQL-3 (99) e SQL:2003 não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere...

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Agenda Linguagem SQL: Introdução; Construção/Definição de tabelas. 2 Linguagem SQL SQL - Structured Query Language;

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados II

Laboratório de Banco de Dados II Laboratório de Banco de Dados II Esquema de um banco de dados relacional Em aulas anteriores, vocês implantaram um projeto físico de banco de dados com todos os seus elementos, inclusive tratando do projeto

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL- (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

CICLO DE VIDA DE UM BD

CICLO DE VIDA DE UM BD BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br CICLO DE VIDA DE UM

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Aula Prática

Structured Query Language (SQL) Aula Prática Structured Query Language (SQL) Aula Prática Linguagens de SGBD Durante o desenvolvimento do sistema R, pesquisadores da IBM desenvolveram a linguagem SEQUEL, primeira linguagem de acesso para Sistemas

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL-1 (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

SQL DDL ALTERAÇÃO DA ESTRUTURA DE TABELAS - ALTER TABLE - ALTER TABLE NOME_TABELA ADD [COLUMN] NOME_COLUNA TIPO_COLUNA RESTRIÇÕES

SQL DDL ALTERAÇÃO DA ESTRUTURA DE TABELAS - ALTER TABLE - ALTER TABLE NOME_TABELA ADD [COLUMN] NOME_COLUNA TIPO_COLUNA RESTRIÇÕES ALTERAÇÃO DA ESTRUTURA DE TABELAS - ALTER TABLE - 1. Alterar tabela a. Adicionar coluna: ADD [COLUMN] NOME_COLUNA TIPO_COLUNA RESTRIÇÕES Obs.: a palavra COLUMN, opcional no padrão SQL, não pode ser usada

Leia mais

CREATE TABLE AUTOR ( cod_autor int not null primary key, nome_autor varchar (60) )

CREATE TABLE AUTOR ( cod_autor int not null primary key, nome_autor varchar (60) ) TADS Exercício Laboratório I Analise o modelo de banco de dados abaixo: MUSICA FAIXA Codigo_Musica: INTEGER Nome_Musica: VARCHAR(60) Duracao: NUMERIC(6,2) Codigo_Musica: INTEGER (FK) Codigo_CD: INTEGER

Leia mais

Linguagem SQL. Comandos Básicos

Linguagem SQL. Comandos Básicos Linguagem SQL Comandos Básicos Caetano Traina Júnior Grupo de Bases de Dados e Imagens Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo - São Carlos caetano@icmc.sc.usp.br Comando

Leia mais

(1,n) venda. (1,1) realizacao. cliente. (0,n) (1,1) contem. produto. Laboratório de Banco de Dados Exercicios

(1,n) venda. (1,1) realizacao. cliente. (0,n) (1,1) contem. produto. Laboratório de Banco de Dados Exercicios Laboratório de Banco de Dados Exercicios Modelo conceitual segundo notação de Peter Chen cliente (1,1) realizacao (1,n) venda (0,n) produto (1,1) contem Modelo conceitual gerado pela CASE Dezign for Database

Leia mais

SQL DDL Criando Tabelas e Restrições Instituto Militar de Engenharia IME Material extraido parcialmente de notas de aula de Maria Luiza Campos e Arnaldo Vieira Comandos de Definição de Dados Aplicação

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Tarefa Orientada 19 Triggers

Tarefa Orientada 19 Triggers Tarefa Orientada 19 Triggers Objectivos: Criar triggers AFTER Criar triggers INSTEAD OF Exemplos de utilização Os triggers são um tipo especial de procedimento que são invocados, ou activados, de forma

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL Criar uma base de dados (criar um banco de dados) No mysql: create database locadora; No postgresql: createdb locadora Criar

Leia mais

Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL BANCO DE DADOS 2 SQL (CREATE TABLE, CONSTRAINTS, DELETE, UPDATE e INSERT) Prof. Edson Thizon SQL SQL ( structured query language ) é uma linguagem comercial de definição e manipulação de banco de dados

Leia mais

Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo

Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo Equipe: Felipe Cavalcante Fernando Kakimoto Marcos Corrêa Sumário 1. Mini-Mundo... 3 1.1 Entidades...

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 BASES DE DADOS I LTSI/2 Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 A Linguagem SQL As raízes da linguagem SQL remontam a 1974, altura em que a IBM desenvolvia

Leia mais

Esquema da Relação. Modelo Relacional. Instância da Relação. Exemplo. Uma base de dados é uma colecção de uma ou mais relações com nomes distintos

Esquema da Relação. Modelo Relacional. Instância da Relação. Exemplo. Uma base de dados é uma colecção de uma ou mais relações com nomes distintos Modelo Relacional Uma base de dados é uma colecção de uma ou mais relações com nomes distintos Uma relação é uma tabela com linhas e colunas Esquema da Relação Descreve as colunas da tabela Especifica

Leia mais

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Abordagem geral Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br Em primeiro plano, deve-se escolher com qual banco de dados iremos trabalhar. Cada banco possui suas vantagens,

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Helena Galhardas Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 1 Sumário Restrições de Integridade (RIs) em SQL Chave

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

SQL comando SELECT. SELECT [DISTINCT] FROM [condição] [ ; ] Paulo Damico - MDK Informática Ltda.

SQL comando SELECT. SELECT [DISTINCT] <campos> FROM <tabela> [condição] [ ; ] Paulo Damico - MDK Informática Ltda. SQL comando SELECT Uma das tarefas mais requisitadas em qualquer banco de dados é obter uma listagem de registros armazenados. Estas tarefas são executadas pelo comando SELECT Sintaxe: SELECT [DISTINCT]

Leia mais

Banco de Dados. O comando SELECT IGOR@LABRINCO.COM.BR 1

Banco de Dados. O comando SELECT IGOR@LABRINCO.COM.BR 1 Banco de Dados O comando SELECT SELECIONANDO DADOS IGOR@LABRINCO.COM.BR 1 Tô ligado nas paradas!!! Até aqui já aprendi... Criar e Usar Bancos de Dados Criar e Apagar Tabelas Inserir dados na tabela Selecionar

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Considere o diagrama relacional da Figura 1 e escreva os comandos SQL para executar os exercícios abaixo. Figure 1 Diagrama relacional.

Leia mais

Operação de União JOIN

Operação de União JOIN Operação de União JOIN Professor Victor Sotero SGD 1 JOIN O join é uma operação de multi-tabelas Select: o nome da coluna deve ser precedido pelo nome da tabela, se mais de uma coluna na tabela especificada

Leia mais

SQL. Structured Query Language

SQL. Structured Query Language SQL Structured Query Language Construções básicas Junção de Tabelas Join O uso da operação JOIN numa cláusula FROM especifica como se deseja que as tabelas sejam vinculadas. Use INNER JOIN para associar

Leia mais

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cláudio Luís V. Oliveira Janeiro de 2010 Definição "Um sistema cujo objetivo principal é gerenciar o acesso, a correta manutenção e a integridade dos

Leia mais

Roteiro. Modelo de Dados Relacional. Processo de Projeto de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I. Ementa. Posicionamento.

Roteiro. Modelo de Dados Relacional. Processo de Projeto de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I. Ementa. Posicionamento. Roteiro Modelo de Dados Relacional Posicionamento Luiz Henrique de Campos Merschmann Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto luizhenrique@iceb.ufop.br www.decom.ufop.br/luiz Introdução

Leia mais

A Linguagem SQL. Introdução a Banco de Dados DCC 011

A Linguagem SQL. Introdução a Banco de Dados DCC 011 A Linguagem SQL Introdução Originalmente proposta para o System R desenvolvido nos laboratórios da IBM na década de 70 SEQUEL (Structured English QUEry Language) Objeto de um esforço de padronização coordenado

Leia mais

Correção da 1a Prova de GBD1 2010/1. Profa. Sandra de Amo

Correção da 1a Prova de GBD1 2010/1. Profa. Sandra de Amo Correção da 1a Prova de GBD1 2010/1 Profa. Sandra de Amo 1. Você foi contratado para fazer o projeto de um banco de dados para a Auto-Escola Ideal. Seu cliente (o dono da auto-escola) deseja estocar e

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Modelagem e Projeto de Banco de Dados Especialização em Tecnologia da Informação - Ênfases Março- 2009 1 Modelo Físico Introdução

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

Correção da 1a Prova de GBD1 2009/2. Profa. Sandra de Amo

Correção da 1a Prova de GBD1 2009/2. Profa. Sandra de Amo Correção da 1a Prova de GBD1 2009/2 Profa. Sandra de Amo 1. Você foi contratado para fazer o projeto de um banco de dados para um teatro. Seu cliente (o gerente do teatro) deseja estocar informações a

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL)

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva SQL (MySql) ROTEIRO I PARTE - INTRODUÇÃO AO SQL COMANDOS E SUAS PARTES DA LINGUAGEM SQL II PARTE ADMINSTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO MYSQL PRINCIPAIS INSTRUÇÕES

Leia mais

18/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

18/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 2 Introdução à SQL 2.1 Conceitos

Leia mais

SQL Gatilhos (Triggers)

SQL Gatilhos (Triggers) SQL Gatilhos (Triggers) Laboratório de Bases de Dados Gatilho (trigger) Bloco PL/SQL que é disparado de forma automática e implícita sempre que ocorrer um evento associado a uma tabela INSERT UPDATE DELETE

Leia mais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais 1 LINGUAGEM SQL SQL Server 2008 Comandos iniciais SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação.

Leia mais

Integridade dos Dados

Integridade dos Dados 1 Integridade dos Dados Integridade dos Dados Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br A integridade dos dados é feita através de restrições, que são condições obrigatórias impostas pelo modelo. Restrições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA 2 Linguagem SQL Linguagem de definição de dados (DDL) DISCIPLINA: Banco de Dados

Leia mais

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Curso PHP Aula 08 Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Roteiro Conectividade com BD SQL + SQL Structured Query Language. Padrão para interagir com banco de dados relacionais. + Banco de dados Um banco

Leia mais

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prof. Carlos A. Heuser Novembro de 2006 Prova com consulta duas horas de duração 1 Base de dados para as questões (Esta é a mesma base de dados que foi

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação.

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação. Mecanismo usado para mais fácil e rapidamente aceder à informação existente numa base de dados. Bases de Dados de elevadas dimensões. Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de

Leia mais

Aplicações - SQL. Banco de Dados: Teoria e Prática. André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013

Aplicações - SQL. Banco de Dados: Teoria e Prática. André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013 Aplicações - SQL Banco de Dados: Teoria e Prática André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013 Picture by Steve Kelley 2008 SQL SQL Structured Query Language Originalmente:

Leia mais

SQL (Linguagem de Consulta Estruturada)

SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) M.Sc. Cristiano Mariotti mscmariotti@globo.com Introdução à SQL 1 Visão Geral Introdução Comandos de Definição de Dados Comandos de Manipulação de Dados Introdução

Leia mais

INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com

INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com PALAVRAS CHAVES: inner join, left outer join, cross join, right outer join, full outer join, junções,

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) (Structured Query Language) I DDL (Definição de Esquemas Relacionais)... 2 I.2 Domínios... 2 I.3 Criação de Tabelas... 2 I.4 Triggers... 4 II DML Linguagem para manipulação de dados... 5 II.2 Comando SELECT...

Leia mais