AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DE NUGGET DE CAMARÃO ADICIONADO DE ÓLEO DE CRAVO (SYZYGIUM AROMATICUM L)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DE NUGGET DE CAMARÃO ADICIONADO DE ÓLEO DE CRAVO (SYZYGIUM AROMATICUM L)"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DE NUGGET DE CAMARÃO ADICIONADO DE ÓLEO DE CRAVO (SYZYGIUM AROMATICUM L) M.S. Rodrigues 1, F. R.S. Marques 2, A. I. A. Paula 2, M.L. Nunes 2. 1-Departamento de Engenharia de Alimentos Curso Bacharelado em Engenharia de Alimentos - Universidade Federal do Ceará, - Campus do Pici CEP: Fortaleza CE Brasil, Telefone: 55 (85) Departamento de Engenharia de Alimentos Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos - Universidade Federal do Ceará - Campus do Pici CEP: Fortaleza CE Brasil, Telefone: 55 (85) RESUMO O presente trabalho objetivou desenvolver nuggets de camarão Litopenaeus vannamei, adicionado de óleo de cravo. Foram formulados três produtos: (I) adicionado de óleo de cravo (0,4%), (II) adicionado de óleo de cravo (0,8%) e (III) controle sem adição do óleo de cravo. Os produtos elaborados foram avaliados em relação aos aspectos físico-químicos e sensoriais. Nos tratamentos adicionados de óleo de cravo, a redução do teor de umidade foi mais intensa. Em relação ao sabor o T1 obteve a maior nota apresentando-se significativamente diferente dos demais tratamentos. Os provadores preferiram o sabor tradicional do nugget - controle, sem adição de óleo de cravo. Na avaliação global não houve diferenças significativas entre os 3 tratamentos. ABSTRACT This study aimed to develop Litopenaeus vannamei shrimp nuggets, added clove oil. Three products were formulated: I) added clove oil (0.4%), II) added clove oil (0.8%) and iii) control - no added the clove oil. The products were evaluated under the physicochemical aspects, and sensory. In added clove oil treatments, reducing the moisture content was more intense. Regarding the taste T1 obtained the highest score presenting significantly different from other treatments. The tasters preferred the traditional flavor of the nugget - control without addition of clove oil. In this overall assessment there were no significant differences between the 3 treatments. PALAVRAS-CHAVE: Litopenaeus vannamei, empanados, controle de qualidade. KEYWORDS: Litopenaeus vannamei, breaded. quality control. 1. INTRODUÇÃO A realidade do setor de alimentos no Brasil, com o consumidor exigindo conveniência, higiene e nutrientes, impulsiona ao desafio da obtenção de produtos competitivos. As interfaces das pesquisas nas áreas de conhecimento de piscicultura e de tecnologia do pescado se estreitaram, pois a produção de pescado cultivado, tão bem sucedida, nesta última década, depende do beneficiamento e do processamento para chegar ao consumidor na forma de produto competitivo e de maior valor agregado (GONÇALVES, 2004). O camarão (L. vannamei) como todos os produtos pesqueiros, é altamente susceptível à deterioração, fator agravado pela possibilidade de oxidação de certas substâncias do tipo amino-fenol, frequentemente oriundas do desdobramento de proteínas pela ação bacteriana, provocando a melanose ou blackspot, pela formação de melanina (SIRENO, 2010). Assim, processamentos corretos de

2 conservação in natura e transformações tecnológicas em produtos derivados adquirem grande importância. Dentre os processos de transformação tem-se o pescado pré-cozido e empanado, cujas principais vantagens são agregação de valor, conveniência de consumo e aumento da vida útil, pois a cobertura protege o produto da perda de água, queima pelo frio e rancidez. O cravo-da-índia pertence à família das mirtáceas (Myrtaceae) é conhecido, cientificamente, pelo nome de Syzygium aromaticum L. (AFFONSO, et al. 2012). Sua composição química é constituída, principalmente, por eugenol, acetato de eugenol, betacariofileno, ácido oleânico, e substâncias das classes: triterpeno, ceras vegetais, cetonas, resinas, taninos e esteróis. O eugenol apresenta efeito anti-inflamatório, cicatrizante, analgésico e é eficaz no combate e diminuição de bactérias presentes na boca. Seus efeitos medicinais compreendem o tratamento de náuseas, flatulências, indigestão, diarreia. Por suas propriedades antibactericidas é também usado como anestésico e antisséptico para o alívio de dores de dente (NASCIMENTO et al., 2000). O objetivo do estudo foi desenvolver um produto inovador - empanado tipo nugget, à base de do músculo do camarão, adicionado de óleo de cravo, em distintas concentrações e, avaliar a composição química e as características sensoriais do produto submetido à estocagem congelada a - 18ºC. 2. MATERIAL E MÉTODOS 2.1 Matéria-prima A matéria-prima para o desenvolvimento dos produtos constituiu-se do músculo de camarão L. vannamei adquiridos no comércio, enquanto o óleo de cravo foi extraído no Laboratório de Química Orgânica da Universidade Federal do Ceará Elaboração dos produtos empanados de camarão Os camarões foram triturados e a carne obtida foi previamente pasteurizada a 80ºC/ 15 min, e adicionada de condimentos, como: sal, pimenta do reino, batata cozida. A temperatura da massa não ultrapassou 14º C, durante o processamento. A Tabela 1 apresenta três formulações dos empanados: I) adicionado de óleo de cravo (0,4%); II) adicionado de óleo de cravo (0,8%) e III - controle sem adição do óleo de cravo. Tabela 1- Formulação dos nuggets de camarão COMPONENTES I (%) II (%) III controle(%) Carne de camarão Batata cozida Farinha de trigo Condimentos diversos Farinha de rosca Óleo de cravo 4,6 0,4 4,2 0,8 5,0 - controle Fonte: Próprio autor Após a formulação os ingredientes foram misturados, moldados, manualmente, empanados e submetidos a uma pré-fritura, por 3 minutos, em azeite. Após resfriamento foram acondicionados em sacos de PVC e armazenados congelados (-18 C).

3 2.3. Composição química Foram realizadas análises, em triplicata de umidade, cinzas, proteínas e lipídios na matériaprima e nas três formulações, de acordo com a metodologia de análise físico-química em alimentos aplicada pelo Instituto Adolfo Lutz (2005) Análise Sensorial Os produtos foram avaliados em função de sua aceitabilidade, por 60 julgadores não treinados, utilizando-se uma escala hedônica estruturada de 9 pontos (9 = gostei extremamente; 1 = desgostei extremamente), enquanto para a análise sensorial de atitude compra, a escala foi de 5 pontos (5 = eu certamente compraria o produto; 1 = eu certamente não compraria o produto) conforme STONE; SIDEL, (1993). Os provadores foram convidados de forma oral entre estudantes e funcionários da instituição e somente participaram dos testes após assinarem um termo de consentimento livre e esclarecido afirmando não possuir nenhum tipo de intolerância ao consumo de qualquer alimento. Os nuggets foram descongelados, sofrendo uma nova fritura por 2 minutos, sendo oferecidos aos provadores em bandejas codificadas de forma aleatória Análise Estatística Os dados da análise sensorial foram analisados estatisticamente pela ANOVA utilizado o teste de Tukey para o estudo comparativo das médias. 3. RESULTADOS E DISCUSSÃO Os dados de composição química da matéria prima e dos nuggets elaborados estão apresentados na Tabela 2. No que se refere ao teor de proteínas, os percentuais em todas as formulações foram superiores ao teor mínimo exigido pela Instrução Normativa N 6, de 15 de fevereiro de 2001, em seu Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Empanados, a qual preconiza um mínimo de 10% de proteina. Quanto aos teores de lipídios observou-se que houve uma grande absorção deste nutriente durante o processo da fritura variando inversamente proporcional ao teor de umidade. Observou-se também que nos tratamentos que foram adicionados de óleo de cravo, mesmo em baixas concentrações a redução do teor de umidade foi mais intensa. Tabela2- Composição Centesimal da matéria prima e dos os nuggets elaborados Componentes Químicos (%) Umidade Cinzas Proteína Lipídios Filé de camarão 76,92 1,39 20,46 0,24 Nuggets T1 54,41 29,30 11,97 T2 52,35 4,17 5,44 27,11 15,08 T3 (Controle) 68,49 4,5 19,12 7,88 T1 ( adição de 0,4% de óleo de cravo); T2 ( Adição de 0,8% de óleo de cravo) T3 ( Controle, sem adição de óleo de cravo). Fonte: Próprio autor.

4 Os teores de cinzas dos produtos empanados mostraram-se superiores aos dos obtidos por Kirschnik & Viegas (2007) que elaboraram nuggets de peixe - Tilápia da espécie Oreochromis niloticus a partir de sua Carne Mecanicamente Separada (CMS), cujos valores variaram no nugget de tilápia eviscerada e descabeçada (nugget I) e de carcaças obtidas a partir de resíduo de filetagem de tilápia (nugget II) de 2,50% a e 2,77%, respectivamente. Uchida et al. (2007), ao elaborar nuggets a partir de resíduos da filetagem de tilápias, encontraram um valor para umidade de 50,48%, um pouco abaixo dos valores encontrados nos nuggets de camarão. Quanto às características sensoriais (Tabela 3) observam-se as médias para cada atributo sensorial avaliado: sabor, aroma, textura e impressão global, onde a maioria dos valores situou-se acima da média 7,0 e, apenas o atributo textura apresentou-se levemente, abaixo da média para o tratamento II. Em relação ao sabor o TI obteve a maior nota apresentando-se significativamente diferente dos demais produtos. Quanto ao aroma os provadores preferiram o nugget controle, sem adição de óleo de cravo. Entretanto, na impressão global não houve diferenças significativas entre os 3 tratamentos. Tabela 3- Dados da Análise Estatística da Análise Sensorial de Nuggets de camarão Atributos Tratamentos I DP II DP III DP Sabor 7,9ª ± 0,9 7,1 b ± 0,8 7,1 b ± 1,2 Aroma 7,0 b ± 1,2 7,6ª ± 1,1 7,7ª ± 0,9 Textura 7,7ª ± 1,5 6,8 b ± 1,4 7,5 ab ± 1,3 Impressão global 7,3 a ± 1,3 7,7ª ± 0,8 7,7ª ± 1,1 Médias seguidas de letras diferentes, na mesma linha, indicam diferenças significativas com probabilidade de erro (p) menor ou igual a 5%, pelo teste estatístico de Tukey. DP= Desvio Padrão; I= Tratamento com óleo de cravo (0,4%); II: Tratamento com óleo de cravo (0,8%), III= Controle (sem óleo de cravo); Fonte: Próprio autor Todos os tratamentos apresentaram boa intenção de compra (Figura 1) havendo destaque para o tratamento 2, no ponto 1 da escala (certamente compraria). Figura 1- Gráfico de intenção de compra dos nuggets de camarão Fonte: Próprio autor

5 4. CONCLUSÃO Os nuggets apresentaram teores mais altos de proteina, cujos percentuais em todas as formulações foram superiores ao teor mínimo exigido pela Instrução Normativa N 6, de 15 de fevereiro de 2001, em seu Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Empanados, a qual preconiza um mínimo de 10% de proteina. Houve aumento no teor de lipídios durante o processo da fritura variando inversamente proporcional ao teor de umidade. Nos tratamentos adicionados de óleo de cravo, a redução do teor de umidade foi mais intensa. Em relação ao sabor o T1 obteve a maior nota apresentando-se significativamente diferente dos demais tratamentos. Os provadores preferiram o sabor tradicional do nugget - controle, sem adição de óleo de cravo. Na avaliação global não houve diferenças significativas entre os 3 tratamentos. 5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Affonso, R.S.; Rennó, M.N.; Slana, G.B.C.A.; França, T.C.C. Aspectos químicos e biológicos do óleo essencial de cravo-da-índia. Revista Virtual de Química, v.4, p , Brasil. Ministério da Saúde. Agência de Vigilância Sanitária (ANVISA). Instituto Adolfo Lutz. Métodos Físico-Químicos para Análise de Alimentos. Brasil: Ministério da Saúde, P BRASIL Ministério da Agricultura Pecuária e do Abastecimento. Instrução Normativa N 6 de 15 de fevereiro de Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Empanados- Anexo III. Disponível em: <http://e-eggis.anvisa.gov.br/leisref/public/showact.php?>. Acesso em: 03 de jun Gonçalves, A.A. Aproveitamento Integral da Tilápia no Processamento. Disponível em:http://www.gipescado.com.br/arquivos/aquaciencia2004_2.pdf. Acesso em: 18 de junho de Kirsschnik, P. G; Viegas, E. M. M. Avaliação da estabilidade de produtos obtidos de carne mecanicamente separada de tilápia nilótica (Oreochromis niloticus). Dissertação (Doutorado em Aquicultura) _ Universidade Estadual Paulista, UNESP, Nascimento, G.G.F, Locatelli J & Freitas P.C. Antibacterial activity of plant extracts and phytochemicals on antibiotic resistant bacteria. Brazilian Journal of Microbiology, p Sireno, M; Mársico, E.T; Ferreira, M.S; MONTEIRO, M.L.G; Vital, H.C; Mano, S.B. Propriedades físico-químicas, sensoriais e bacteriológicas de camarões (Litopenaeus brasiliensis) irradiados e armazenados sob refrigeração. R. bras. Ci. Vet., v. 17, n. 2, p Stone, H. S.; Sidel, J. L. Sensory Evaluation Practices. San Diego: Academic Press, p. Uchida, E.M.; Ferroli, F.; Gonçalves, L. U.; Macedo-Viegas, E. M. Produção de nuggets a partir de resíduos da filetagem da tilápia (Oreochromis spp). In: 15 Simpósio de Iniciação Científica da USP, 2007, Pirassununga. 15 Simpósio de Iniciação Científica da USP, 2007.

AVALIAÇÃO FÍSICA E SENSORIAL DE EMPANADO DE CMS DE PINTADO (Pseudoplatystoma sp) ELABORADA COM PRODUTOS FUNCIONAIS

AVALIAÇÃO FÍSICA E SENSORIAL DE EMPANADO DE CMS DE PINTADO (Pseudoplatystoma sp) ELABORADA COM PRODUTOS FUNCIONAIS AVALIAÇÃO FÍSICA E SENSORIAL DE EMPANADO DE CMS DE PINTADO (Pseudoplatystoma sp) ELABORADA COM PRODUTOS FUNCIONAIS Andressa Piccoli Chaves¹; Adriane Macedo 2 ; Janderson de Souza Leal 2 ; Maycon Roberto

Leia mais

QUEIJO TIPO MINAS FRESCAL COM COLÁGENO HIDROLISADO E ORÉGANO: TECNOLOGIA DE FABRICAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL

QUEIJO TIPO MINAS FRESCAL COM COLÁGENO HIDROLISADO E ORÉGANO: TECNOLOGIA DE FABRICAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL QUEIJO TIPO MINAS FRESCAL COM COLÁGENO HIDROLISADO E ORÉGANO: TECNOLOGIA DE FABRICAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL Clara Andrezza Crisóstomo Bezerra Costa 1 ; João Victor Laurindo dos Santos 2 ; Maria Marcela

Leia mais

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DA FARINHA DE MACAÚBA

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DA FARINHA DE MACAÚBA AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DA FARINHA DE MACAÚBA Mônica Rocha de Sousa 1 ; Thayane Sabino Nogueira 1 ; Adryze Gabrielle Dorasio de Souza 2 ; Sônia de Oliveira Duque Paciulli

Leia mais

IOGURTE PROBIÓTICO DE MORANGO SEM LACTOSE

IOGURTE PROBIÓTICO DE MORANGO SEM LACTOSE IOGURTE PROBIÓTICO DE MORANGO SEM LACTOSE L S G Lemke 1 ; B Volcato 2 ; A Mezzomo 3 ; L P Bernd 4 RESUMO O iogurte é um dos derivados lácteos mais consumidos pela população brasileira. Apesar disso, muitos

Leia mais

ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DE SUCO DE CAJU. Iwalisson Nicolau de Araújo 1 Graduando em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual da Paraíba.

ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DE SUCO DE CAJU. Iwalisson Nicolau de Araújo 1 Graduando em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual da Paraíba. ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DE SUCO DE CAJU Iwalisson Nicolau de Araújo Graduando em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual da Paraíba. Maria Janaina de Oliveira Mestranda em Engenharia em Engenharia

Leia mais

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE CHIPS DE BATATA-DOCE (IPOMOEA BATATAS) E INHAME (DIOSCOREA SPP) FRITOS EM OLEÍNA E ESTEARINA DE PALMA

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE CHIPS DE BATATA-DOCE (IPOMOEA BATATAS) E INHAME (DIOSCOREA SPP) FRITOS EM OLEÍNA E ESTEARINA DE PALMA XII Congresso Latino-Americano de Óleos e Gorduras Centro de Convenções Centro Sul Florianópolis - SC ACEITAÇÃO SENSORIAL DE CHIPS DE BATATA-DOCE (IPOMOEA BATATAS) E INHAME (DIOSCOREA SPP) FRITOS EM OLEÍNA

Leia mais

Aceitação sensorial de bebida láctea, sob diferentes concentrações de soro

Aceitação sensorial de bebida láctea, sob diferentes concentrações de soro Aceitação sensorial de bebida láctea, sob diferentes concentrações de soro Francisca Giselle da Cruz 1, João Vitor de Sá Melo², Frediano Siqueira de Oliveira², Leomar Moreira da Silva², Wictor Ályson Dias

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE VIDA DE PRATELEIRA DA FARINHA OBTIDA A PARTIR DAS CASCAS DE ABACAXI (Ananas comosus L. Merril)

DETERMINAÇÃO DE VIDA DE PRATELEIRA DA FARINHA OBTIDA A PARTIR DAS CASCAS DE ABACAXI (Ananas comosus L. Merril) DETERMINAÇÃO DE VIDA DE PRATELEIRA DA FARINHA OBTIDA A PARTIR DAS CASCAS DE ABACAXI (Ananas comosus L. Merril) Thiago Silva Novais¹; Abraham Damian Giraldo Zuniga²; ¹ Aluno do Curso de Engenharia de Alimentos;

Leia mais

Aceitabilidade da Carne de Rã Desfiada em Conserva

Aceitabilidade da Carne de Rã Desfiada em Conserva Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 109 ISSN 0103-5231 Dezembro, 2006 Rio de Janeiro, RJ Aceitabilidade da Carne de Rã Desfiada em Conserva Ângela Aparecida Lemos Furtado 1 Regina Célia

Leia mais

Desenvolvimento e análise sensorial de doce de leite utilizando farinha de banana verde (Musa spp.)

Desenvolvimento e análise sensorial de doce de leite utilizando farinha de banana verde (Musa spp.) Desenvolvimento e análise sensorial de doce de leite utilizando farinha de banana verde (Musa spp.) Laura Costa Vitoi NASCIMENTO 1 ; Tamiris do Rosário NASCIMENTO 1 ; Rafael Antônio Nunes COURA 1 ; Alessandra

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IDENTIFICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS ITAJAÍ PLANO DE ENSINO Unidade Curricular:

Leia mais

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE LINGUIÇA OVINA ADICIONADA DE ÓLEO DE GIRASSOL EM SUBSTITUIÇÃO A GORDURA ANIMAL

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE LINGUIÇA OVINA ADICIONADA DE ÓLEO DE GIRASSOL EM SUBSTITUIÇÃO A GORDURA ANIMAL ACEITAÇÃO SENSORIAL DE LINGUIÇA OVINA ADICIONADA DE ÓLEO DE GIRASSOL EM SUBSTITUIÇÃO A GORDURA ANIMAL Fernanda Fernandes Pinheiro da Costa 1, Francisco Allan Leandro de Carvalho 2, Luciana Jatobá e Silva

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LINGÜIÇA

ANEXO III REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LINGÜIÇA ANEXO III REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LINGÜIÇA 1. Alcance 1.1. Objetivo: Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade que deverá apresentar o produto cárneo denominado

Leia mais

BISCOITO SALGADO COM ADIÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE PEIXE: DESENVOLVIMENTO E ASPECTOS SENSORIAIS*

BISCOITO SALGADO COM ADIÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE PEIXE: DESENVOLVIMENTO E ASPECTOS SENSORIAIS* ISSN 0103-4235 ISSN 2179-4448 on line Alim. Nutr., Araraquara v. 23, n. 1, p. 45-50, jan./mar. 2012 BISCOITO SALGADO COM ADIÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE PEIXE: DESENVOLVIMENTO E ASPECTOS SENSORIAIS*

Leia mais

COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE EMPANADOS ELABORADOS A PARTIR DE CARNE DE CARPA HÚNGARA (CYPRINUS CARPIO L.) 1

COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE EMPANADOS ELABORADOS A PARTIR DE CARNE DE CARPA HÚNGARA (CYPRINUS CARPIO L.) 1 COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE EMPANADOS ELABORADOS A PARTIR DE CARNE DE CARPA HÚNGARA (CYPRINUS CARPIO L.) 1 Fabiana Pieniz Didonet 2, Carolina Almeida Bragato 3, Raul Vicenzi 4. 1 Estudo vinculado a pesquisa

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO Nº: 124/09 Empresa: Universidade Federal de Itajuba. Produto: Torrado e Moído.

LAUDO DE AVALIAÇÃO Nº: 124/09 Empresa: Universidade Federal de Itajuba. Produto: Torrado e Moído. Página 1 de 5 Grupo de Avaliação do Café GAC FO-055 Modelo de Laudo GAC Rev. 00 Laboratório credenciado pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo LAUDO DE AVALIAÇÃO Nº: 124/09

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE FORMULAÇÃO DE REQUEIJÃO CREMOSO COM BAIXO TEOR DE SÓDIO E DE GORDURAS

DESENVOLVIMENTO DE FORMULAÇÃO DE REQUEIJÃO CREMOSO COM BAIXO TEOR DE SÓDIO E DE GORDURAS DESENVOLVIMENTO DE FORMULAÇÃO DE REQUEIJÃO CREMOSO COM BAIXO TEOR DE SÓDIO E DE GORDURAS MYLA ALEXANDRA SIMÃO DUARTE 1,2, LEIDIANE JOSI BUDEL 3, THAIS LARA MATHEUS², LETICIA HÜBSCHER², JUCIELI WEBER 4*

Leia mais

OBTENÇÃO E UTILIZAÇÃO DE FARINHA DE FEIJÕES-CAUPI DE GRÃOS BRANCOS NA ELABORAÇÃO DE PASTEL DE FORNO

OBTENÇÃO E UTILIZAÇÃO DE FARINHA DE FEIJÕES-CAUPI DE GRÃOS BRANCOS NA ELABORAÇÃO DE PASTEL DE FORNO Área :Biofortificação e processamento OBTENÇÃO E UTILIZAÇÃO DE FARINHA DE FEIJÕES-CAUPI DE GRÃOS BRANCOS NA ELABORAÇÃO DE PASTEL DE FORNO Eliza Dorotea Pozzobon de Albuquerque Lima 1, Paloma Cyntia da

Leia mais

TECNOLOGIA DE PRODUTOS CÁRNEOS CURADOS E FERMENTADOS Tecnologia de Produção da Linguiça I PROF. DR. ESTEVÃN MARTINS DE OLIVEIRA

TECNOLOGIA DE PRODUTOS CÁRNEOS CURADOS E FERMENTADOS Tecnologia de Produção da Linguiça I PROF. DR. ESTEVÃN MARTINS DE OLIVEIRA TECNOLOGIA DE PRODUTOS CÁRNEOS CURADOS E FERMENTADOS Tecnologia de Produção da Linguiça I PROF. DR. ESTEVÃN MARTINS DE OLIVEIRA DESCRIÇÃO: REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LINGÜIÇA Entende-se

Leia mais

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE BEBIDA MISTA DE FRUTOS DO GÊNERO SPONDIAS A BASE DE ÁGUA DE COCO

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE BEBIDA MISTA DE FRUTOS DO GÊNERO SPONDIAS A BASE DE ÁGUA DE COCO ACEITAÇÃO SENSORIAL DE BEBIDA MISTA DE FRUTOS DO GÊNERO SPONDIAS A BASE DE ÁGUA DE COCO BEZERRA, J. M. 1 ; VIEIRA, M. M. S. 1 ; FERREIRA, A. S 2 ; ALVES, A. M. A. 3 ; SILVA, A. K. 3 1 Alunas do Programa

Leia mais

AVALIAÇÃO DO TEMPO DE COZIMENTO DA MASSA DE QUEIJO SOBRE A UMIDADE DE QUEIJO PRATO DURANTE A MATURAÇÃO

AVALIAÇÃO DO TEMPO DE COZIMENTO DA MASSA DE QUEIJO SOBRE A UMIDADE DE QUEIJO PRATO DURANTE A MATURAÇÃO AVALIAÇÃO DO TEMPO DE COZIMENTO DA MASSA DE QUEIJO SOBRE A UMIDADE DE QUEIJO PRATO DURANTE A MATURAÇÃO F. Dadalt 1, R.L. Padilha 2, V. Sant Anna 3 1-Área da Vida e Meio Ambiente Universidade Estadual do

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí Influência do método de castração de suínos machos na qualidade físicoquímica e sensorial da carne suína Maria Luiza Bianchetti Furtado¹; Robert Paula da Silva 2 ; Gaby Patrícia Teran Ortiz 3 (1) Estudante

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA MAPA N 22, DE 11 DE JULHO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA MAPA N 22, DE 11 DE JULHO DE 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA MAPA N 22, DE 11 DE JULHO DE 2011 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, SUBSTITUTO, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe conferem os arts.

Leia mais

VEGETAL ELABORADO À BASE DE CAJU

VEGETAL ELABORADO À BASE DE CAJU CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA Caracterização físico-química E SENSORIAL e sensorial... DE HAMBÚRGUER191 VEGETAL ELABORADO À BASE DE CAJU Physical chemical and sensory characterization of vegetal hamburger

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR

ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR Área Temática: Nutrição Renata Leia Demario Vieira (Coordenador da Ação de Extensão)

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE UMA BARRA DE CEREAL PREPARADA COM FARINHA DA CASCA DE PEQUI (CARYOCAR BRASILIENSE CAMB.)¹

ANÁLISE SENSORIAL DE UMA BARRA DE CEREAL PREPARADA COM FARINHA DA CASCA DE PEQUI (CARYOCAR BRASILIENSE CAMB.)¹ 104 Eliane de Fátima Nunes Zanelato et al. ANÁLISE SENSORIAL DE UMA BARRA DE CEREAL PREPARADA COM FARINHA DA CASCA DE PEQUI (CARYOCAR BRASILIENSE CAMB.)¹ Eliane de Fátima Nunes Zanelato², Eliene da Silva

Leia mais

PERFIL SENSORIAL DE CAFÉS TRADICIONAL E EXTRAFORTE

PERFIL SENSORIAL DE CAFÉS TRADICIONAL E EXTRAFORTE 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG PERFIL SENSORIAL DE CAFÉS TRADICIONAL E EXTRAFORTE Carla M. de MORAES 1

Leia mais

Grupo de Avaliação do Café GAC FO-055 Laudo GAC Rev. 05 Laboratório credenciado pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Grupo de Avaliação do Café GAC FO-055 Laudo GAC Rev. 05 Laboratório credenciado pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo Página 1 de 5 Grupo de Avaliação do Café GAC FO-055 Laudo GAC Rev. 05 Laboratório credenciado pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo LAUDO DE AVALIAÇÃO Nº: 164/14 EMPRESA:

Leia mais

Elaboração de produtos a partir do aproveitamento total da batata-doce

Elaboração de produtos a partir do aproveitamento total da batata-doce Elaboração de produtos a partir do aproveitamento total da batata-doce Antonio Bruno dos Santos Pacheco 1, Pedro Lima de Souza 1, Wiviane Fonseca Ribeiro 1, Maria Kamila Cardoso Corcino 2, Verônica Nicácio

Leia mais

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PRODUTO REESTRUTURADO (HAMBÚRGUER BOVINO) CONTENDO SUBPRODUTOS DA AGROINDÚSTRIA E INGREDIENTES FUNCIONAIS RESUMO

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PRODUTO REESTRUTURADO (HAMBÚRGUER BOVINO) CONTENDO SUBPRODUTOS DA AGROINDÚSTRIA E INGREDIENTES FUNCIONAIS RESUMO 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PRODUTO REESTRUTURADO (HAMBÚRGUER BOVINO) CONTENDO

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PÃES FORMULADOS COM SORGO

ELABORAÇÃO DE PÃES FORMULADOS COM SORGO ELABORAÇÃO DE PÃES FORMULADOS COM SORGO M.C.C. Macedo¹, V. L. Lessa 1, D.M.J. Cassimiro 2, V.A.V. Queiroz 3, A.C.A. Gonçalves 1, C.V. Pires 1 1- Departamento de Engenharia de Alimentos. Universidade Federal

Leia mais

RESUMO INTRODUÇÃO. Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 1

RESUMO INTRODUÇÃO. Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 1 PROCESSAMENTO E ANÁLISE DO SUCO MISTO DE ACEROLA, MELANCIA E BETERRABA Thaynara Mayra Maciel BELISARIO 1, Natália Pinheiro DOS SANTOS 2, Maria Evaneide Barbosa FERREIRA 3 RESUMO Esse trabalho trata-se

Leia mais

Qualidade de grãos de duas cultivares de arroz de terras altas produzidas em Minas Gerais

Qualidade de grãos de duas cultivares de arroz de terras altas produzidas em Minas Gerais Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Qualidade de grãos de duas cultivares de arroz de terras altas produzidas em Minas Gerais Iracema Clara Alves Luz (1), João Roberto

Leia mais

HAMBÚRGUER BOVINO ELABORADO COM FARINHA E/OU SEMENTE DE LINHAÇA: ACEITAÇÃO SENSORIAL

HAMBÚRGUER BOVINO ELABORADO COM FARINHA E/OU SEMENTE DE LINHAÇA: ACEITAÇÃO SENSORIAL HAMBÚRGUER BOVINO ELABORADO COM FARINHA E/OU SEMENTE DE LINHAÇA: ACEITAÇÃO SENSORIAL L.C. A. da Trindade 1, A.A. Benevenuto Júnior 2, W. C. A. do N. Benevenuto 3, V. R. O. Silva 4, S. L. D. Nunes 5. 1-Departamento

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE BOMBOM DE SORGO

DESENVOLVIMENTO DE BOMBOM DE SORGO DESENVOLVIMENTO DE BOMBOM DE SORGO M.C.C.Macedo¹, V.V.A.Queiroz², A.P.P.Bressani 3, L.H.C.Macedo 4 1- Estudante do Curso de Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de São João del-rei Campus Sete

Leia mais

Palavras chave: bagaço seco, fração fibrosa, teste sensorial

Palavras chave: bagaço seco, fração fibrosa, teste sensorial Elaboração de doce contendo o resíduo seco do pedúnculo do caju (Anacardium occidentale L.) e comparação avaliativa com o doce tradicional através de análise sensorial por aceitação e intenção de compra

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE LINGUIÇA FRESCAL DE PEIXE BARBADO COM ADIÇÃO FARINHA DE AVEIA: CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL

DESENVOLVIMENTO DE LINGUIÇA FRESCAL DE PEIXE BARBADO COM ADIÇÃO FARINHA DE AVEIA: CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DESENVOLVIMENTO DE LINGUIÇA FRESCAL DE PEIXE BARBADO COM ADIÇÃO FARINHA DE AVEIA: CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL 69 Rodolfo Duarte Barbosa 1 Karlla de Paula Ribeiro 2 Daniella Moreira Pinto

Leia mais

BEBIDA LÁCTEA ENRIQUECIDA COM COLÁGENO PARA BELEZA DA PELE E SAÚDE DOS OSSOS E ARTICULAÇÕES

BEBIDA LÁCTEA ENRIQUECIDA COM COLÁGENO PARA BELEZA DA PELE E SAÚDE DOS OSSOS E ARTICULAÇÕES BEBIDA LÁCTEA ENRIQUECIDA COM COLÁGENO PARA BELEZA DA PELE E SAÚDE DOS OSSOS E ARTICULAÇÕES Milk drink enriched with collagen for skin beauty and health of bones and joints SELINGARDI, Ana Elisa Faculdade

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE CINZAS EM DIVERSOS ALIMENTOS. Brusque/SC

DETERMINAÇÃO DE CINZAS EM DIVERSOS ALIMENTOS. Brusque/SC DETERMINAÇÃO DE CINZAS EM DIVERSOS ALIMENTOS Heiden, Thaisa 1 ; Gonçalves, Luana 1 ; Kowacic, Júlia 1 ; Dalla Rosa, Andréia 1 ; Dors, Giniani Carla 1 ; Feltes, Maria Manuela Camino 2 1 Instituto Federal

Leia mais

Graduando em Medicina Veterinária pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Curitiba, PR - Brasil,

Graduando em Medicina Veterinária pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Curitiba, PR - Brasil, ISSN 0103-989X Licenciado sob uma Licença Creative Commons INFLUÊNCIA DA LAVAGEM DA CARNE MECANICAMENTE SEPARADA DE TILÁPIA SOBRE A COMPOSIÇÃO E ACEITAÇÃO DE SEUS PRODUTOS TÍTULO Influence of washing tilapia

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE BISCOITOS ELABORADOS COM FARINHA DE LINHAÇA

ANÁLISE SENSORIAL DE BISCOITOS ELABORADOS COM FARINHA DE LINHAÇA ANÁLISE SENSORIAL DE BISCOITOS ELABORADOS COM FARINHA DE LINHAÇA AUTORES Ariane TORRES Discente da União das Faculdades dos Grandes Lagos UNILAGO Sabrina Neves CASAROTTI Docente da União das Faculdades

Leia mais

ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE COMPRA DE DOCE DE BANANA EM MASSA ADICIONADO DE AMENDOIM

ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE COMPRA DE DOCE DE BANANA EM MASSA ADICIONADO DE AMENDOIM ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE COMPRA DE DOCE DE BANANA EM MASSA ADICIONADO DE AMENDOIM Carlos Antonio Alvarenga Gonçalves 1, Walisson José da silva 2, Daniela Balduino 2, Juarez Almeida 2, Marcela Borges

Leia mais

Lab Carvalhaes. Empresa: Odebrecht Comércio e Indústria de Café Ltda. Data da Entrada: 16/09/2015

Lab Carvalhaes. Empresa: Odebrecht Comércio e Indústria de Café Ltda. Data da Entrada: 16/09/2015 FO-055 Modelo de Laudo Qualidade Global Lab Carvalhaes - Credenciado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - Credenciado pela ABIC Associação Brasileira da Indústria de

Leia mais

ELABORAÇÃO DE BEBIDA LÁCTEA ACIDIFICADA

ELABORAÇÃO DE BEBIDA LÁCTEA ACIDIFICADA ELABORAÇÃO DE BEBIDA LÁCTEA ACIDIFICADA DE CARLI, E. M. 1, TIRLONI, A. 1, PIETTA, G.M. 2. 1 Universidade do Oeste de Santa Catarina, Docentes do Curso de Engenharia de Alimentos. 2 Universidade do Oeste

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE REFRIGERANTE SABOR ABACAXI (ANANÁS COMOSUS) COM HORTELÃ (MENTHA X VILLOSA)

DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE REFRIGERANTE SABOR ABACAXI (ANANÁS COMOSUS) COM HORTELÃ (MENTHA X VILLOSA) DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE REFRIGERANTE SABOR ABACAXI (ANANÁS COMOSUS) COM HORTELÃ (MENTHA X VILLOSA) M. M. O. Paula 1, M.P.Silva 2, D. J. Reis 3, V.R.O. Silva 4, F. C. Oliveira 5, M. H. L. Silva

Leia mais

ACEITABILIDADE SENSORIAL DE GELEIA DE AÇAÍ E BANANA

ACEITABILIDADE SENSORIAL DE GELEIA DE AÇAÍ E BANANA ACEITABILIDADE SENSORIAL DE GELEIA DE AÇAÍ E BANANA Larissa A. MARTINS 1 ; Miguel S. BERNARDES 1 ; Raissa T. M. SANTOS 1 ; Jamila M. PEREIRA 1 ; Poliana C. e COLPA 1 ; Aline M. NACHTIGALL 1 ; Brígida M.

Leia mais

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE DOCE DE CAFÉ COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CAFÉ E SORO

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE DOCE DE CAFÉ COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CAFÉ E SORO AVALIAÇÃO SENSORIAL DE DOCE DE CAFÉ COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CAFÉ E SORO Larissa de Oliveira Ferreira 1 ; Carlos José Pimenta 2 ; Gabriella Santos 3, Talita Ferreira Freire 4, Thais Odete de Oliveira

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PÃES DE FORMA ENRIQUECIDOS COM CENOURA, BETERRABA E ESPINAFRE

ELABORAÇÃO DE PÃES DE FORMA ENRIQUECIDOS COM CENOURA, BETERRABA E ESPINAFRE ELABORAÇÃO DE PÃES DE FORMA ENRIQUECIDOS COM CENOURA, BETERRABA E ESPINAFRE L.G. Moura Neto 1, J.D. dos S. Belo 2, E.E. de Lima 3, A.D.P. do Nascimento 4, D.J. Soares 5 1- Docente do curso técnico em agroindústria,

Leia mais

ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIE DE CHOCOLATE ENRIQUECIDO COM FARINHA DE COCO

ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIE DE CHOCOLATE ENRIQUECIDO COM FARINHA DE COCO ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIE DE CHOCOLATE ENRIQUECIDO COM FARINHA DE COCO M.K.D.A. BARROSO 3, W.K.D.S. GOMES 1, T.T.D. SOUSA 2, A.R.A.BRAZ 4, R.A.ZAMBELLI 5, D.S. FERREIRA 6 1- Departamento de Tecnologia

Leia mais

AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DE TRATAMENTO PRÉVIO NA ACEITAÇÃO DA APARÊNCIA E DO SABOR DE CASCA DE MELANCIA DESIDRATADA OSMOTICAMENTE

AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DE TRATAMENTO PRÉVIO NA ACEITAÇÃO DA APARÊNCIA E DO SABOR DE CASCA DE MELANCIA DESIDRATADA OSMOTICAMENTE AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DE TRATAMENTO PRÉVIO NA ACEITAÇÃO DA APARÊNCIA E DO SABOR DE CASCA DE MELANCIA DESIDRATADA OSMOTICAMENTE Rita Maria de Brito Barroso 1, Afonso Alves de Souza Filho 1, Elisandra

Leia mais

ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIES UTILIZANDO FARINHA MISTA EXTRUSADA DE GRÃOS QUEBRADOS DE ARROZ E BANDINHA DE FEIJÃO

ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIES UTILIZANDO FARINHA MISTA EXTRUSADA DE GRÃOS QUEBRADOS DE ARROZ E BANDINHA DE FEIJÃO ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIES UTILIZANDO FARINHA MISTA EXTRUSADA DE GRÃOS QUEBRADOS DE ARROZ E BANDINHA DE FEIJÃO Vitória Maria Machado da COSTA 1, Priscila Zaczuk BASSINELLO 2, Eduardo da Costa

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA BATATA YACON NA ALIMENTAÇÃO HUMANA COMO FONTE DE PRÉ-BIÓTICO

UTILIZAÇÃO DA BATATA YACON NA ALIMENTAÇÃO HUMANA COMO FONTE DE PRÉ-BIÓTICO 327 UTILIZAÇÃO DA BATATA YACON NA ALIMENTAÇÃO HUMANA COMO FONTE DE PRÉ-BIÓTICO Marina Oliveira Santana ¹, Cristiane Sampaio Fonseca ², Luiza Carla Vidigal ³. Resumo: As evidências científicas sobre a relação

Leia mais

Camila Bonissoni. Profª Drª M. Manuela C. Feltes Profª Drª Giniani C. Dors Me Andréia Dalla Rosa Catia Lohmann Erig Luana Gonçalves Dorli M.

Camila Bonissoni. Profª Drª M. Manuela C. Feltes Profª Drª Giniani C. Dors Me Andréia Dalla Rosa Catia Lohmann Erig Luana Gonçalves Dorli M. Camila Bonissoni Profª Drª M. Manuela C. Feltes Profª Drª Giniani C. Dors Me Andréia Dalla Rosa Catia Lohmann Erig Luana Gonçalves Dorli M. Da Croce Dentre os óleos vegetais comestíveis comercializados

Leia mais

Elaboração e Intenção de Compra de Hambúrguer de Peixe com Aplicação de Espessante Natural

Elaboração e Intenção de Compra de Hambúrguer de Peixe com Aplicação de Espessante Natural Elaboração e Intenção de Compra de Hambúrguer de Peixe com Aplicação de Espessante Natural Janete Lana da Silva 1, Monique de Oliveira Maia 1, Lorena Galdino da Franca 1, Mônica de Oliveira Maia 2, Marlene

Leia mais

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE QUEIJO DE COALHO PROCESSADO COM LEITE INTEGRAL E DESNATADO ADICIONADO DE WPC EM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE QUEIJO DE COALHO PROCESSADO COM LEITE INTEGRAL E DESNATADO ADICIONADO DE WPC EM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES AVALIAÇÃO SENSORIAL DE QUEIJO DE COALHO PROCESSADO COM LEITE INTEGRAL E DESNATADO ADICIONADO DE WPC EM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES Maria Francielle Cavalcante de ARAÚJO (1); Fracisca Giselle da CRUZ (2);

Leia mais

TECNOLOGIAS TRADICIONAIS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DO PESCADO

TECNOLOGIAS TRADICIONAIS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DO PESCADO INDUSTRIALIZAÇÃO DO PESCADO TECNOLOGIAS TRADICIONAIS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DO PESCADO O valor agregado em produtos de pescado não deve necessariamente estar vinculado à elaboração de produtos sofisticados

Leia mais

POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO

POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO ZEA 0666 / 2012 Tecnologia de Produtos Vegetais POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO Padrões de Identidade e Tecnologias de Processamento POLPA DE FRUTA PURÊ Produto obtido pelo esmagamento da parte comestível de

Leia mais

Avaliação de parâmetros de qualidade de doce em massa e das matérias primas utilizadas na formulação

Avaliação de parâmetros de qualidade de doce em massa e das matérias primas utilizadas na formulação RESUMO Avaliação de parâmetros de qualidade de doce em massa e das matérias primas utilizadas na formulação Cristina Pereira de SÁ 1 ; Cláudia Helena de MAGALHÃES 2, Wellingta C. Almeida do Nascimento

Leia mais

Que tipo de gordura estou consumindo?

Que tipo de gordura estou consumindo? Que tipo de gordura estou consumindo? Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO Programa de Pós Graduação em Alimentos e Nutrição- PPGAN Ciclo de palestras Palestrante: Cinthia de Carvalho

Leia mais

INFLUÊNCIA DO USO DE SAL DE CURA E ANTIOXIDANTE NA ACEITAÇÃO DE LOMBO SUÍNO DEFUMADO

INFLUÊNCIA DO USO DE SAL DE CURA E ANTIOXIDANTE NA ACEITAÇÃO DE LOMBO SUÍNO DEFUMADO INFLUÊNCIA DO USO DE SAL DE CURA E ANTIOXIDANTE NA ACEITAÇÃO DE LOMBO SUÍNO DEFUMADO GONÇALVES, C.A.¹; PEREIRA, L.A.²; AZEVEDO, K.P. ²; SILVA, M. S. ²; FILHO, A.G.S. ² 1 Prof. CEFET Uberaba MG, Dr. Ciência

Leia mais

ACEITABILIDADE SENSORIAL DE IOGURTE COM POLPA DE FRUTAS VERMELHAS

ACEITABILIDADE SENSORIAL DE IOGURTE COM POLPA DE FRUTAS VERMELHAS ACEITABILIDADE SENSORIAL DE IOGURTE COM POLPA DE FRUTAS VERMELHAS Kellen C. M. CARVALHO 1 ; Marcela C. ROCHA 1 ; Gleydson J. P. VIDIGAL 1 ; Aline M. NACHTIGALL 1 ; Brígida M. VILAS BOAS 1 RESUMO Objetivou-se

Leia mais

Composição centesimal de azeitonas e perfil de ácidos graxos de azeite de oliva de quatro cultivares de oliveira

Composição centesimal de azeitonas e perfil de ácidos graxos de azeite de oliva de quatro cultivares de oliveira Seminário de Iniciação Cientifica e Tecnológica, 8., 2011, Belo Horizonte Composição centesimal de azeitonas e perfil de ácidos graxos de azeite de oliva de quatro cultivares de oliveira Tatielle Custódio

Leia mais

ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIE ENRIQUECIDOS COM FARINHA DE UVA E LEVEDO DE CERVEJA

ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIE ENRIQUECIDOS COM FARINHA DE UVA E LEVEDO DE CERVEJA ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIE ENRIQUECIDOS COM FARINHA DE UVA E LEVEDO DE CERVEJA C.L. Frighetto 1, T. A. D. Vendruscolo 2, D. C. Biassi³, C. Alves 4, V. Z. Pinto 5 1-Universidade Federal da Fronteira

Leia mais

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE TORTAS SALGADAS COM APROVEITAMENTO DE TALOS DE HORTALIÇAS

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE TORTAS SALGADAS COM APROVEITAMENTO DE TALOS DE HORTALIÇAS 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG ACEITAÇÃO SENSORIAL DE TORTAS SALGADAS COM APROVEITAMENTO DE TALOS DE HORTALIÇAS

Leia mais

QUALIDADE DA FARINHA DE MANDIOCA COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO ACRE S. da S. Torres 2, M. T. Furtado 1,

QUALIDADE DA FARINHA DE MANDIOCA COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO ACRE S. da S. Torres 2, M. T. Furtado 1, QUALIDADE DA FARINHA DE MANDIOCA COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO ACRE S. da S. Torres 2, M. T. Furtado 1, 1- Engenheira Agrônoma pela Universidade Federal do Acre (UFAC), Rio Branco, AC, Brasil.

Leia mais

BEBIDAS LÁCTEAS NÃO FERMENTADAS ADICIONADAS DE POLPA DE ABACATE: ANÁLISE DO PERFIL DE TEXTURA

BEBIDAS LÁCTEAS NÃO FERMENTADAS ADICIONADAS DE POLPA DE ABACATE: ANÁLISE DO PERFIL DE TEXTURA BEBIDAS LÁCTEAS NÃO FERMENTADAS ADICIONADAS DE POLPA DE ABACATE: ANÁLISE DO PERFIL DE TEXTURA Pedro Ivo Soares e Silva; Eugênia Telis de Vilela Silva; Anna Karoline de Sousa Lima; Samara Dias do Santos

Leia mais

"AVANÇOS EM TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE PESCADO PARA PEQUENAS INDÚSTRIAS QUE DESENVOLVEM PRODUTOS DE VALOR AGREGADO"

AVANÇOS EM TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE PESCADO PARA PEQUENAS INDÚSTRIAS QUE DESENVOLVEM PRODUTOS DE VALOR AGREGADO "AVANÇOS EM TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE PESCADO PARA PEQUENAS INDÚSTRIAS QUE DESENVOLVEM PRODUTOS DE VALOR AGREGADO" ANTONIO DIOGO LUSTOSA NETO Engenheiro de Pesca CREA-CE REG. NACIONAL # 060088346-9

Leia mais

ANEXO REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE PARA FERMENTADOS ACÉTICOS

ANEXO REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE PARA FERMENTADOS ACÉTICOS ANEXO REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE PARA FERMENTADOS ACÉTICOS 1.ALCANCE 1.1.Objetivo: Fixar a identidade e as características mínimas de qualidade a que deverão

Leia mais

COMPOTA DE ABACAXI ADICIONADO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CANELA EM PAU

COMPOTA DE ABACAXI ADICIONADO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CANELA EM PAU COMPOTA DE ABACAXI ADICIONADO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CANELA EM PAU ALVES, M. J. DOS S. 1, SANTANA NETO, D. C. 1, ALVES, A. M. A. 1, BEZERRA, J. M. 2, SANTOS, A. F. 3 1 Graduandos em Engenharia

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS TEORES DE ÓLEOS ESSENCIAIS PRESENTES EM PLANTAS AROMÁTICAS FRESCAS E DESIDRATADAS

AVALIAÇÃO DOS TEORES DE ÓLEOS ESSENCIAIS PRESENTES EM PLANTAS AROMÁTICAS FRESCAS E DESIDRATADAS AVALIAÇÃO DOS TEORES DE ÓLEOS ESSENCIAIS PRESENTES EM PLANTAS AROMÁTICAS FRESCAS E DESIDRATADAS Valéria Cristina Ramalho 1 Denise Andreo 2 Priscila Milene Angelo 3 Neuza Jorge 4 RESUMO Óleos essenciais

Leia mais

PROCESSAMENTO E ACEITABILIDADE DE BEBIDA MISTA DE EXTRATO LEITE DE BABAÇU E DE CASTANHA-DO-BRASIL

PROCESSAMENTO E ACEITABILIDADE DE BEBIDA MISTA DE EXTRATO LEITE DE BABAÇU E DE CASTANHA-DO-BRASIL a 9 de novembro de 13 Campus de Palmas PROCESSAMENTO E ACEITABILIDADE DE BEBIDA MISTA DE EXTRATO LEITE DE BABAÇU E DE CASTANHA-DO-BRASIL Bruna Lorena Aguiar Carneiro 1 ; Aroldo Arévalo Pinedo. 1 Aluna

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO SENSORIAL E FÍSICO-QÚÍMICA DE COOKIES ENRIQUECIDOS COM FARINHA DE JATOBÁ ENTRE ESCOLARES

CARACTERIZAÇÃO SENSORIAL E FÍSICO-QÚÍMICA DE COOKIES ENRIQUECIDOS COM FARINHA DE JATOBÁ ENTRE ESCOLARES CARACTERIZAÇÃO SENSORIAL E FÍSICO-QÚÍMICA DE COOKIES ENRIQUECIDOS COM FARINHA DE JATOBÁ ENTRE ESCOLARES Área Temática: Saúde Jaqueline Machado Soares (PIAE/UNICENTRO) 1 ; Mirelly Marques Romeiro (UFMS)

Leia mais

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA E SENSORIAL DE FISHBURGUER ELABORADO A PARTIR DA FARINHA DO RESIDUO DE CAMARÃO Litopenaeus vannamei.

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA E SENSORIAL DE FISHBURGUER ELABORADO A PARTIR DA FARINHA DO RESIDUO DE CAMARÃO Litopenaeus vannamei. VLIÇÃO MICROIOLÓGIC E SENSORIL DE FISHURGUER ELORDO PRTIR D FRINH DO RESIDUO DE CMRÃO Litopenaeus vannamei. Jacqueline da Silva OLIVEIR (1); Maria Tamires Marques SILV (1); Francisca Fabrine Farias MRTINS

Leia mais

AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA

AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA PEREIRA, L.A. 1 ; MACEDO, D.C. 2 ; CIABOTTI, S. 3 FARIA, N.V. 4 1

Leia mais

Análise da qualidade no processo produtivo de leite pasteurizado do tipo C em um laticínio de pequeno porte

Análise da qualidade no processo produtivo de leite pasteurizado do tipo C em um laticínio de pequeno porte Análise da qualidade no processo produtivo de leite pasteurizado do tipo C em um laticínio de pequeno porte Alyne Resende Piassi ¹; Ana Carolina de Oliveira 1 ; Bianca Ribeiro de Moura¹; Bruna Beatriz

Leia mais

DESENVOLVIMENTO, ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE

DESENVOLVIMENTO, ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE DESENVOLVIMENTO, ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE COMPRA DE NOVO PRODUTO DE SOJA JAPONESA TOLEDO, C.V. 1 ; GONÇALVES,C.A.A 2 ; CIABOTTI, S. 3 ; SILVA, M.B.L. 4 MANZAN,J.R.G 5.LOPES,K.D 6 ; OLIVEIRA, L.M.A.7;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: Bacharelado em Nutrição DEPARTAMENTO: Tecnologia dos Alimentos

Leia mais

Obtenção e avaliação de parâmetros físico-químicos da polpa de goiaba (Psidium guajava L.), cultivar Paluma

Obtenção e avaliação de parâmetros físico-químicos da polpa de goiaba (Psidium guajava L.), cultivar Paluma Obtenção e avaliação de parâmetros físico-químicos da polpa de goiaba (Psidium guajava L.), cultivar Paluma Edmilson César da SILVA¹; Claudia Helena de MAGALHÃES 2 ; Rogério Amaro GONÇALVES 2 1 Estudante

Leia mais

Qualidade do Pescado

Qualidade do Pescado Qualidade do Pescado A importância da qualidade do pescado para comercialização Produção pesqueira atingiu seu limite de captura Incertezas : Processadores Atacadistas Pescado : Quantidade necessária Qualidade

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PÃES TIPO FORMA ADICIONADO DE FARINHA DE BERINJELA

DESENVOLVIMENTO DE PÃES TIPO FORMA ADICIONADO DE FARINHA DE BERINJELA DESENVOLVIMENTO DE PÃES TIPO FORMA ADICIONADO DE FARINHA DE BERINJELA D. L. BRASIL 1, T. A. R. BELO 1, R. A. ZAMBELLI 1, D. F. PONTES 1, M. L. SILVA 1. 1 Universidade Federal do Ceará / Departamento de

Leia mais

Acadêmico de Medicina Veterinária-UFRGS; 2. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva FAVET/UFRGS * Orientadora:

Acadêmico de Medicina Veterinária-UFRGS; 2. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva FAVET/UFRGS * Orientadora: Ações educativas na colônia de pescadores do município de Porto Alegre/RS e desenvolvimento de formulações de fishburguers para o aproveitamento dos subprodutos da filetagem do pescado RESUMO Bonfada D.H.

Leia mais

Prova Escrita Edital 068/2011

Prova Escrita Edital 068/2011 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS CANDIDATO(A): Instruções: Duração da prova: 04 horas (de 08h às 12h); Todas as questões possuem o mesmo

Leia mais

Análise sensorial para teste de aceitação do milho doce (cultivar VIVI), na UFSJ, Sete Lagoas.

Análise sensorial para teste de aceitação do milho doce (cultivar VIVI), na UFSJ, Sete Lagoas. Análise sensorial para teste de aceitação do milho doce (cultivar VIVI), na UFSJ, Sete Lagoas. Victhória Assis de Souza (1) ; Maria Emilia Araujo do Prado (2) ; Iran Dias Borges (3) ; Aline Cristina Arruda

Leia mais

Influência de hidrocolóides na cor de estruturado de maracujá-do-mato

Influência de hidrocolóides na cor de estruturado de maracujá-do-mato Influência de hidrocolóides na cor de estruturado de maracujá-do-mato Influence of hydrocolloids in the color of structured Passiflora cincinnata Ana Júlia de Brito Araújo 1 ; Patrícia Moreira Azoubel

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE SENSORIAL DE SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE ENRIQUECIDAS COM AMÊNDOA DO BARU (Dipteryx Alata Vogel)

DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE SENSORIAL DE SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE ENRIQUECIDAS COM AMÊNDOA DO BARU (Dipteryx Alata Vogel) DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE SENSORIAL DE SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE ENRIQUECIDAS COM AMÊNDOA DO BARU (Dipteryx Alata Vogel) P. N. CRUZ 1, C. B. OLIVEIRA 2 e P. B. PERTUZATTI 3 1 Universidade Federal

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PÃES FORMULADOS COM FARINHAS DE SORGO, SEMENTE DE ABÓBORA, TRIGO E AVEIA

ELABORAÇÃO DE PÃES FORMULADOS COM FARINHAS DE SORGO, SEMENTE DE ABÓBORA, TRIGO E AVEIA ELABORAÇÃO DE PÃES FORMULADOS COM FARINHAS DE SORGO, SEMENTE DE ABÓBORA, TRIGO E AVEIA M.C.C. Macedo¹, K. F. Maro¹, K.R.O. Conceição¹, V.A.V. Queiroz 2, W.A. Silva 1, C.V. Pires 1 1 - Departamento de Engenharia

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE PAÇOCA À BASE DE GRÃOS DE SOJA

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE PAÇOCA À BASE DE GRÃOS DE SOJA DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE PAÇOCA À BASE DE GRÃOS DE SOJA Christian Carlo REZENDE 1 ; Flávio Augusto da SILVA 2 ; Matheus Eduardo da SILVA 3 ; Tales Junior CABRAL 4 ; Cristiane Fortes GRIS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE ALIMENTO INSTANTÂNEO UTILIZANDO POLPA DE RESÍDUO DE PEIXE PRODUZIDO NA BAIXADA CUIABANA.

DESENVOLVIMENTO DE ALIMENTO INSTANTÂNEO UTILIZANDO POLPA DE RESÍDUO DE PEIXE PRODUZIDO NA BAIXADA CUIABANA. DESENVOLVIMENTO DE ALIMENTO INSTANTÂNEO UTILIZANDO POLPA DE RESÍDUO DE PEIXE PRODUZIDO NA BAIXADA CUIABANA. D.F.L.C. Cavenaghi 1, B.R. Anjos 2, A.R.A. Silva 3, A.K.C. Santiago 4, C.B.G.Santos 5, W.M. Barros

Leia mais

ELABORAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO QUEIJO PETIT SUISSE SABOR CUPUAÇU (THEOBROMA GRANDIFLORUM SCHUM).

ELABORAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO QUEIJO PETIT SUISSE SABOR CUPUAÇU (THEOBROMA GRANDIFLORUM SCHUM). ELABORAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO QUEIJO PETIT SUISSE SABOR CUPUAÇU (THEOBROMA GRANDIFLORUM SCHUM). C.A. Soares 1, E. P. Barbosa², S.S. Cruz 3, A.C.C. Braga 4 1 - Departamento de Alimentos e Nutrição - Universidade

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB Sandra Maria de Figueiredo 1, Fernanda Fernandes de Melo

Leia mais

QUALIDADE DOS ALIMENTOS E ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Alessandra Reis Nutricionista de Qualidade- IBRefeições

QUALIDADE DOS ALIMENTOS E ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Alessandra Reis Nutricionista de Qualidade- IBRefeições QUALIDADE DOS ALIMENTOS E ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Alessandra Reis Nutricionista de Qualidade- IBRefeições ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL, É AQUELA PREPARADA COM OS CUIDADOS DE HIGIENE E QUE

Leia mais

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE FILÉS DE MATRINCHÃ (Brycon cephalus) PROCESSADOS POR MÉTODOS COMBINADOS

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE FILÉS DE MATRINCHÃ (Brycon cephalus) PROCESSADOS POR MÉTODOS COMBINADOS 101 AVALIAÇÃO SENSORIAL DE FILÉS DE MATRINCHÃ (Brycon cephalus) PROCESSADOS POR MÉTODOS COMBINADOS Suezilde da C. A. Ribeiro 1 ; Satoshi Tobinaga 2 RESUMO O consumo de pescado no Brasil ainda não tem evidência

Leia mais

APROVEITAMENTO INTEGRAL DA ACEROLA NA FORMULAÇÃO DE BOLOS

APROVEITAMENTO INTEGRAL DA ACEROLA NA FORMULAÇÃO DE BOLOS APROVEITAMENTO INTEGRAL DA ACEROLA NA FORMULAÇÃO DE BOLOS C.E. Lima 1, M.C. Sousa 1, M. F. A. Penha 1 1-Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará CEP: 62760-000 Baturité CE Brasil, Telefone:

Leia mais

Prêmio Jovem Cientista

Prêmio Jovem Cientista 1 Prêmio Jovem Cientista Linhas de Pesquisa: Cuidados com a saúde e nutrição nos esportes ELABORAÇÃO DE FARINHAS INTEGRAIS ENRIQUECIDA COM FRUTOS DO CERRADO (BARU) VISANDO ATENDER AS NECESSIDADES NUTRICIONAIS

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca PANORAMA ATUAL E PERSPECTIVAS DE CURTO E MÉDIO PRAZO PARA O SETOR AQUICOLA BRASILEIRO X SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE AQUICULTURA

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONSERVAÇÃO DA POLPA DO FRUTO DO IMBUZEIRO (Spondias tuberosa Arruda)

ALTERNATIVA PARA CONSERVAÇÃO DA POLPA DO FRUTO DO IMBUZEIRO (Spondias tuberosa Arruda) ALTERNATIVA PARA CONSERVAÇÃO DA POLPA DO FRUTO DO IMBUZEIRO (Spondias tuberosa Arruda) Nilton de Brito Cavalcanti 1 José Barbosa dos Anjos 1 Geraldo Milanez Resende 1 Luiza Teixeira de Lima Brito 1 RESUMO

Leia mais

ELABORAÇÃO E ACEITAÇÃO SENSORIAL DE PÃO FRANCÊS ADITIVADO COM FARINHAS DE LINHAÇA E DA CASCA DO MARACUJÁ

ELABORAÇÃO E ACEITAÇÃO SENSORIAL DE PÃO FRANCÊS ADITIVADO COM FARINHAS DE LINHAÇA E DA CASCA DO MARACUJÁ ELABORAÇÃO E ACEITAÇÃO SENSORIAL DE PÃO FRANCÊS ADITIVADO COM FARINHAS DE LINHAÇA E DA CASCA DO MARACUJÁ SILVA, Milena. Nascimento. 1 ;SILVA, Fabíola. Diniz.¹; NETA, Zélia. Maia. 1 ; SILVA, Everton Vieira

Leia mais

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa Profa. Angélica Pinho Zootecnista Fones: 3243-7300 Email: angelicapinho@unipampa.edu.br Profa. Gladis Ferreira Corrêa Unidade 1. Introdução à tecnologia de alimentos: conceitos fundamentais, definições

Leia mais

EXPECTATIVAS E PREFERÊNCIAS DO CONSUMIDOR EM RELAÇÃO AO CAFÉ TORRADO E MOÍDO Parte 1: TESTE DO PRODUTO EM 10 CIDADES BRASILEIRAS (1)

EXPECTATIVAS E PREFERÊNCIAS DO CONSUMIDOR EM RELAÇÃO AO CAFÉ TORRADO E MOÍDO Parte 1: TESTE DO PRODUTO EM 10 CIDADES BRASILEIRAS (1) Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil EXPECTATIVAS E PREFERÊNCIAS DO CONSUMIDOR EM RELAÇÃO AO CAFÉ TORRADO E MOÍDO Parte 1: TESTE DO PRODUTO EM 10 CIDADES BRASILEIRAS (1) FARIA, ElieteVaz de; MORI,

Leia mais