AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DA FARINHA DE MACAÚBA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DA FARINHA DE MACAÚBA"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DA FARINHA DE MACAÚBA Mônica Rocha de Sousa 1 ; Thayane Sabino Nogueira 1 ; Adryze Gabrielle Dorasio de Souza 2 ; Sônia de Oliveira Duque Paciulli 3 1 Estudante de Engenharia de Alimentos, Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) campus Bambuí. Rod. Bambuí/Medeiros km 5. CEP: Bambuí-MG. 2 Tecnóloga em Alimentos 3 Professor Orientador IFMG. RESUMO O setor alimentício está crescendo cada vez mais com intuito de buscar uma inovação para atender os seus consumidores. Os sorvetes são os produtos mais consumidos no país, sendo responsáveis por 72% do mercado, com a produção de 718 milhões de litros por ano. A macaúba é uma das palmeiras de ampla distribuição do bioma cerrado, podendo ser considerada uma das espécies com maior potencial de exploração econômica imediata, devido à elevada produtividade de óleos e aproveitamento total dos coprodutos. O objetivo deste trabalho é o desenvolvimento de uma sobremesa gelada, um produto inovador e de baixo custo, pois o consumidor deseja alimentos que suprem suas exigências de forma saudável. Foram elaboradas três formulações do sorvete utilizando 3%, 5% e 10% da farinha da amêndoa de macaúba. Para a Avaliação Sensorial foram utilizados 50 provadores não treinados, sendo aplicado o teste de aceitação, utilizando-se escala hedônica de nove pontos variando de 1 (desgostei muitíssimo) a 9 (gostei muitíssimo). Os atributos avaliados foram: aparência, sabor, textura e aspecto global. A partir da análise sensorial observou-se que os atributos obtiveram resultados, nos termos hedônicos, gostei moderadamente e gostei muito. A inclusão de 3% da amêndoa ao sorvete sabor leite condensado, foi considerada a melhor formulação e com a intenção de compra de possivelmente compraria. Palavras-chave: Amêndoa; novo produto; sorvete INTRODUÇÃO Segundo a Portaria n 379 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA (BRASIL, 1999), o sorvete é classificado como gelados comestíveis, ou seja, congelados obtidos a partir de emulsão de gorduras e proteínas, ou de mistura de água e açúcares, com ou sem a adição de outros ingredientes, desde que não descaracterize o produto, garantindo sua conservação até o ato do consumo. Os gelados comestíveis são produtos alimentícios obtidos a partir de uma emulsão de gorduras e proteínas por congelamento, sob contínua agitação, pasteurizada, composta de ingredientes lácteos ou não, com ou sem a adição de outros ingredientes ou substâncias. Esses ingredientes como os açúcares, corantes, aromatizantes, estabilizantes e emulsificantes, visam atender aos padrões definidos para sólidos totais e incorporação de ar favorecendo condições que garantam a conservação do produto, no

2 estado congelado, ou parcialmente congelado, durante a armazenagem, o transporte e a entrega ao consumidor (BRASIL, 2005). A macaúba é uma palmeira bastante resistente, não sendo atacada por pragas e doenças, além de suportar grandes variações climáticas, podendo chegar a mais de 15 m de altura. O coco desta palmeira apresenta, em cada 100g, cerca de 240 calorias e com uma composição na qual são encontradas vitaminas A, B1, B2, C, ferro, fósforo e proteínas (RAMOS, 2008). As porções comestíveis, polpa e amêndoa, representam 48% do peso total do fruto, o que demonstra alto aproveitamento em preparações culinárias e o fornecimento de elementos nutritivos. A amêndoa apresenta alto teor de lipídios (51,7%), proteínas (17,6%) e fibras (15,8%) (HIANE et al., 2006; RAMOS et al., 2008). Face ao exposto, o objetivo deste trabalho foi desenvolver formulações de sorvete com diferentes concentrações de farinha da macaúba e analisar sensorialmente as formulações, a fim de desenvolver um produto inovador, de baixo custo e ao mesmo tempo atender ao consumidor que busca por alimentos, que apresentem um bom padrão sensorial. MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi desenvolvido no Setor de Processamento de Frutos e Hortaliças, e no Laboratório de Análise Sensorial no campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais (IFMG Bambuí). Macaúba Os frutos foram obtidos em palmeiras existentes no Campus do IFMG Bambuí, que após coletados, foram submetidos a secagem e levados a caldeira, para facilitar a retirada da amêndoa. Depois foram selecionados, lavados em água corrente e armazenados em freezer para congelamento e posterior utilização. Farinha da amêndoa Para elaboração da farinha, as amêndoas congeladas foram lavadas em água corrente e trituradas. Em seguida, foram secas em estufa e a farinha obtida moída, embalada a vácuo para melhor conservação e armazenada em temperatura ambiente. Sorvete Para o desenvolvimento do sorvete com amêndoa de macaúba, foram desenvolvidas três formulações, sendo a preparação da calda básica do sorvete, foram utilizados os seguintes ingredientes: leite, açúcar, creme de leite, leite em pó, liga neutra, emustab e saborizante leite condensado. Os ingredientes foram pesados proporcionalmente para a produção de 2 litros de sorvete para cada formulação, sendo aplicados os seguintes tratamentos: F1 (3%), F2(5%) e F3(10%) para os percentuais

3 de farinha de macaúba. Cada tratamento foi homogeneizado em liquidificador e após, a mistura foi pasteurizada em 72 C por 15 min e resfriada a 10 C e submetida à maturação pelo período de 24 horas nesta temperatura. Analise Sensorial A aplicação do teste sensorial foi realizada no Laboratório de Análise Sensorial do IFMG Campus Bambuí. Para a avaliação sensorial foram utilizados 50 provadores não treinados e aplicado o teste de aceitação no período de 09h00 as 11h00 horas, utilizando-se escala hedônica estruturada de nove pontos (ABNT, 1998), variando de 1 (desgostei muitíssimo) a 9 (gostei muitíssimo). Os atributos avaliados foram: aparência, sabor, textura e aspecto global. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente utilizando análise de variância (ANOVA) pelo programa Sisvar. As diferenças entre as médias foram consideradas significativas quando p< 0,05 pelo teste de Tukey (PIMENTEL, 2000). RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados de aceitação foram submetidos à análise de variância (ANOVA), através da aplicação do teste de médias (Tukey p 0,05). As médias obtidas para cada atributo estão representadas na Tabela 1. Tabela 1: média das notas atribuídas à sobremesa láctea para aparência, sabor, textura e aspecto global para os diferentes níveis de macaúba incorporados ao sorvete (P<0,05). Amostras F1 F2 Aparência Sabor Textura Aspecto global 7,86 a 8,12 a 7,50 a 7,96 a 7,92 a 7,92 a 7,26 a 7,84 ab F3 7,64 a 7,44 b 7,00 a 7,4 b Médias nas linhas seguidas de letras diferentes são significativas ao nível de 5%. Onde F1 (formulação 3% farinha macaúba); F2 (formulação 5% farinha macaúba); F3 (formulação 10% farinha macaúba). As sobremesas apresentaram índices de aceitabilidade superiores a 70% nos atributos aparência, sabor, textura e aspecto global. Observa-se que para os atributos aparência, textura os tratamentos não apresentaram médias com diferenças significativas entre si, sendo está representada na escala hedônica pelo termo gostei moderadamente. Em relação ao atributo sabor as amostras F1 (com 3% de farinha de macaúba) e F2 (com 5% de farinha de macaúba) diferem estatisticamente da amostra F3 (com 10 % de farinha de macaúba). As médias obtidas por F1 e F2 são representadas na escala hedônica pelo termo gostei muito, enquanto a

4 F3 obteve média de 7,44 representada na escala hedônica como gostei moderadamente. É importante ressaltar, que este quesito é considerado de elevada importância para a aceitação global do produto. Para o atributo aspecto global as amostras diferem entre si estatisticamente, sendo as maiores médias obtidas no tratamento F1 (3%), indicando maior aceitabilidade deste tratamento. Estes resultados, estão de acordo com aqueles obtidos por Costa (2013), em que a adição de 2,5 % de farinha de polpa e 2,5 % de amêndoa de macaúba apresentou resultados satisfatórios adicionados no sorvete através do teste de aceitação global, preferência e intenção de compra. CONCLUSÕES A incorporação das diferentes concentrações da farinha da amêndoa de macaúba (3%, 5% e 10%) mostraram-se viáveis na elaboração de sorvetes. A partir dos resultados obtidos, embora as concentrações de 3 e 5% tenham obtidos médias semelhantes para todos atributos avaliados, conclui-se que a inclusão de 3% da amêndoa ao sorvete sabor leite condensado obteve melhores médias em todos parâmetros, principalmente em relação ao atributo aspecto global, representado na escala hedônica gostei muito. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14141: escalas utilizadas em análise sensorial de alimentos e bebidas. Rio de Janeiro BRASIL (2005). Mistério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 266, de 22 de setembro de Aprova o Regulamento Técnico para gelados comestíveis e preparados para gelados comestíveis. Diário Oficial da União. Brasília, 23 de set BRASIL. Agencia Nacional de Vigilância sanitária. Portaria n 379 de 26 de Abril de Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, abr HIANE, P. A.; BALDASSO, P. A.; MARANGONI, S.; MACEDO, M. L. R. Chemical and nutritional evaluation of kernels of bocaiuva, Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd.. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 26, n3, p , POTT, A.; POTT, V.J. Plantas do Pantanal. Brasília, DF: EMBRAPA-SPI, p. RAMOS, M.I.L.; RAMOS FILHO, M.M.; HIANE, P.A.; BRAGA NETO, J.A.; SIQUEIRA, E.M.A. Qualidade nutricional da polpa de bocaiuva Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 28, p , RAMOS, M.I.L.; RAMOS FILHO, M.M.; HIANE, P.A.; BRAGA NETO, J.A.; SIQUEIRA, E.M.A. Qualidade nutricional da polpa de bocaiuva Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 28, p , 2008.

5 PIMENTEL GOMES, F. Curso de estatística experimental. 14ª ed. Piracicaba SP: Editora da Universidade de São Paulo, p. COSTA, C. F. Solos e outros fatores ambientais associados à diversidade fenotípica de macaubais no estado de São Paulo. (Dissertação Mestrado em Federativa do Brasil), f., Brasília.

Desenvolvimento e análise sensorial de doce de leite utilizando farinha de banana verde (Musa spp.)

Desenvolvimento e análise sensorial de doce de leite utilizando farinha de banana verde (Musa spp.) Desenvolvimento e análise sensorial de doce de leite utilizando farinha de banana verde (Musa spp.) Laura Costa Vitoi NASCIMENTO 1 ; Tamiris do Rosário NASCIMENTO 1 ; Rafael Antônio Nunes COURA 1 ; Alessandra

Leia mais

Aceitação sensorial de bebida láctea, sob diferentes concentrações de soro

Aceitação sensorial de bebida láctea, sob diferentes concentrações de soro Aceitação sensorial de bebida láctea, sob diferentes concentrações de soro Francisca Giselle da Cruz 1, João Vitor de Sá Melo², Frediano Siqueira de Oliveira², Leomar Moreira da Silva², Wictor Ályson Dias

Leia mais

RESUMO INTRODUÇÃO. Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 1

RESUMO INTRODUÇÃO. Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 1 PROCESSAMENTO E ANÁLISE DO SUCO MISTO DE ACEROLA, MELANCIA E BETERRABA Thaynara Mayra Maciel BELISARIO 1, Natália Pinheiro DOS SANTOS 2, Maria Evaneide Barbosa FERREIRA 3 RESUMO Esse trabalho trata-se

Leia mais

ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SORVETE ADICIONADO DE POLPA DE CEREJA-DO-RIO-GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA, DC.) 1

ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SORVETE ADICIONADO DE POLPA DE CEREJA-DO-RIO-GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA, DC.) 1 ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SORVETE ADICIONADO DE POLPA DE CEREJA-DO-RIO-GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA, DC.) 1 Ana Elisa De Moura Kroth 2, Raul Vicenzi 3. 1 Monografia de Conclusão do Curso de

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR

ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR Área Temática: Nutrição Renata Leia Demario Vieira (Coordenador da Ação de Extensão)

Leia mais

OBTENÇÃO E UTILIZAÇÃO DE FARINHA DE FEIJÕES-CAUPI DE GRÃOS BRANCOS NA ELABORAÇÃO DE PASTEL DE FORNO

OBTENÇÃO E UTILIZAÇÃO DE FARINHA DE FEIJÕES-CAUPI DE GRÃOS BRANCOS NA ELABORAÇÃO DE PASTEL DE FORNO Área :Biofortificação e processamento OBTENÇÃO E UTILIZAÇÃO DE FARINHA DE FEIJÕES-CAUPI DE GRÃOS BRANCOS NA ELABORAÇÃO DE PASTEL DE FORNO Eliza Dorotea Pozzobon de Albuquerque Lima 1, Paloma Cyntia da

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí Influência do método de castração de suínos machos na qualidade físicoquímica e sensorial da carne suína Maria Luiza Bianchetti Furtado¹; Robert Paula da Silva 2 ; Gaby Patrícia Teran Ortiz 3 (1) Estudante

Leia mais

TÍTULO: ACEITAÇÃO DE NOVOS REFRESCOS EM PÓ NOS SABORES UVA E LARANJA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: CIÊNCIAS AGRÁRIAS

TÍTULO: ACEITAÇÃO DE NOVOS REFRESCOS EM PÓ NOS SABORES UVA E LARANJA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: CIÊNCIAS AGRÁRIAS TÍTULO: ACEITAÇÃO DE NOVOS REFRESCOS EM PÓ NOS SABORES UVA E LARANJA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: CIÊNCIAS AGRÁRIAS INSTITUIÇÃO: UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS

Leia mais

Avaliação dos Atributos Sensoriais de Umbuzada (Spondias tuberosa Arruda Câmara)

Avaliação dos Atributos Sensoriais de Umbuzada (Spondias tuberosa Arruda Câmara) Avaliação dos Atributos Sensoriais de Umbuzada (Spondias tuberosa Arruda Câmara) Fernanda Fernandes Pinheiro da Costa 1, Nataly Roberta Bezerra Santana 2, Joabis Nobre Martins 3, Luciana Façanha Marques

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SORVETE DE CUPUAÇU COM ADIÇÃO DE SORO

DESENVOLVIMENTO DE SORVETE DE CUPUAÇU COM ADIÇÃO DE SORO DESENVOLVIMENTO DE SORVETE DE CUPUAÇU COM ADIÇÃO DE SORO Ana Carolina F. da SILVA 1 ; Miguel S. BERNARDES 2 ; Rafaela F. de CARVALHO 3 ; Jamila M. PEREIRA 4 ; Brígida M. VILAS BOAS 5 ; Aline M. NACHTIGALL

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA

AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA PEREIRA, L.A. 1 ; MACEDO, D.C. 2 ; CIABOTTI, S. 3 FARIA, N.V. 4 1

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE SENSORIAL DE SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE ENRIQUECIDAS COM AMÊNDOA DO BARU (Dipteryx Alata Vogel)

DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE SENSORIAL DE SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE ENRIQUECIDAS COM AMÊNDOA DO BARU (Dipteryx Alata Vogel) DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE SENSORIAL DE SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE ENRIQUECIDAS COM AMÊNDOA DO BARU (Dipteryx Alata Vogel) P. N. CRUZ 1, C. B. OLIVEIRA 2 e P. B. PERTUZATTI 3 1 Universidade Federal

Leia mais

Prêmio Jovem Cientista

Prêmio Jovem Cientista 1 Prêmio Jovem Cientista Linhas de Pesquisa: Cuidados com a saúde e nutrição nos esportes ELABORAÇÃO DE FARINHAS INTEGRAIS ENRIQUECIDA COM FRUTOS DO CERRADO (BARU) VISANDO ATENDER AS NECESSIDADES NUTRICIONAIS

Leia mais

INCLUSÃO DE DIFERENTES EMULSIFICANTES EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE E SEUS EFEITOS SOBRE A QUALIDADE SENSORIAL DE HAMBÚRGUER DE FRANGO

INCLUSÃO DE DIFERENTES EMULSIFICANTES EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE E SEUS EFEITOS SOBRE A QUALIDADE SENSORIAL DE HAMBÚRGUER DE FRANGO INCLUSÃO DE DIFERENTES EMULSIFICANTES EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE E SEUS EFEITOS SOBRE A QUALIDADE SENSORIAL DE HAMBÚRGUER DE FRANGO Jéssica Reis Pedrosa 1 ; Clélia Cristina Almeida da Silva 1 ; Gaby

Leia mais

ANÁLISE NUTRICIONAL E SENSORIAL DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES

ANÁLISE NUTRICIONAL E SENSORIAL DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES 25 a 28 de Outubro de 20 ISBN 978-85-8084-055- ANÁLISE NUTRICIONAL E SENSORIAL DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES Hevelyse Munise Celestino dos Santos, Mariah Benine Ramos da Silva 2, Ana Flávia de Oliveira 3

Leia mais

DESENVOLVIMENTO, ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE

DESENVOLVIMENTO, ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE DESENVOLVIMENTO, ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE COMPRA DE NOVO PRODUTO DE SOJA JAPONESA TOLEDO, C.V. 1 ; GONÇALVES,C.A.A 2 ; CIABOTTI, S. 3 ; SILVA, M.B.L. 4 MANZAN,J.R.G 5.LOPES,K.D 6 ; OLIVEIRA, L.M.A.7;

Leia mais

Adição do pó da folha de moringa oleífera lam em sorvete. Addition of leaf powder moringa oleifera lam ice cream

Adição do pó da folha de moringa oleífera lam em sorvete. Addition of leaf powder moringa oleifera lam ice cream Adição do pó da folha de moringa oleífera lam em sorvete Addition of leaf powder moringa oleifera lam ice cream Grasiele Scaramal Madrona, Raíssa Sant Ana Bueno, Pedro Henrique Carvalho dos Santos, Monica

Leia mais

BEBIDAS LÁCTEAS NÃO FERMENTADAS ADICIONADAS DE POLPA DE ABACATE: ANÁLISE DO PERFIL DE TEXTURA

BEBIDAS LÁCTEAS NÃO FERMENTADAS ADICIONADAS DE POLPA DE ABACATE: ANÁLISE DO PERFIL DE TEXTURA BEBIDAS LÁCTEAS NÃO FERMENTADAS ADICIONADAS DE POLPA DE ABACATE: ANÁLISE DO PERFIL DE TEXTURA Pedro Ivo Soares e Silva; Eugênia Telis de Vilela Silva; Anna Karoline de Sousa Lima; Samara Dias do Santos

Leia mais

ELABORAÇÃO DE BEBIDA LÁCTEA ACIDIFICADA

ELABORAÇÃO DE BEBIDA LÁCTEA ACIDIFICADA ELABORAÇÃO DE BEBIDA LÁCTEA ACIDIFICADA DE CARLI, E. M. 1, TIRLONI, A. 1, PIETTA, G.M. 2. 1 Universidade do Oeste de Santa Catarina, Docentes do Curso de Engenharia de Alimentos. 2 Universidade do Oeste

Leia mais

PERFIL SENSORIAL DE CAFÉS TRADICIONAL E EXTRAFORTE

PERFIL SENSORIAL DE CAFÉS TRADICIONAL E EXTRAFORTE 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG PERFIL SENSORIAL DE CAFÉS TRADICIONAL E EXTRAFORTE Carla M. de MORAES 1

Leia mais

DESENVOLVENDO NOVIDADES ALIMENTÍCIAS: LEITE CONDENSADO DE SABOR

DESENVOLVENDO NOVIDADES ALIMENTÍCIAS: LEITE CONDENSADO DE SABOR DESENVOLVENDO NOVIDADES ALIMENTÍCIAS: LEITE CONDENSADO DE SABOR Dionatan Schaefer LAUSCHNER¹, Nádia HAHN² Rafael Alvise ALBERTI³, Jair FIORI JÚNIOR³, Jackson ILHA³, Raquel PILETTI³. Palavras chave: diversificação,

Leia mais

Prova Escrita Edital 068/2011

Prova Escrita Edital 068/2011 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS CANDIDATO(A): Instruções: Duração da prova: 04 horas (de 08h às 12h); Todas as questões possuem o mesmo

Leia mais

ESTUDO DOS FRUTOS E SEMENTES DE MANGABA (HANCORNIA SPECIOSA) DO CERRADO

ESTUDO DOS FRUTOS E SEMENTES DE MANGABA (HANCORNIA SPECIOSA) DO CERRADO ESTUDO DOS FRUTOS E SEMENTES DE MANGABA (HANCORNIA SPECIOSA) DO CERRADO Severino de Paiva Sobrinho 1, 2 Sergio José da Silva 1, 2 Petrina de Bessa Morais 2 1 Pesquisador orientador 2 Curso de Ciências

Leia mais

Desempenho de leitões em fase de creche alimentados com soro de leite.

Desempenho de leitões em fase de creche alimentados com soro de leite. VII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí, VII Jornada Científica ou I Mostra de Extensão, 21 a 23 de outubro de 2014. Desempenho de leitões em fase de creche alimentados com soro de leite.

Leia mais

Qualidade do soro de leite integral na alimentação de suínos em fase de creche.

Qualidade do soro de leite integral na alimentação de suínos em fase de creche. VII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí, VII Jornada Científica ou I Mostra de Extensão, 21 a 23 de outubro de 2014. Qualidade do soro de leite integral na alimentação de suínos em fase

Leia mais

Avaliação de parâmetros de qualidade de doce em massa e das matérias primas utilizadas na formulação

Avaliação de parâmetros de qualidade de doce em massa e das matérias primas utilizadas na formulação RESUMO Avaliação de parâmetros de qualidade de doce em massa e das matérias primas utilizadas na formulação Cristina Pereira de SÁ 1 ; Cláudia Helena de MAGALHÃES 2, Wellingta C. Almeida do Nascimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE LABORATÓRIO DE ESTUDO EXPERIMENTAL DOS ALIMENTOS 2 ANÁLISE SENSORIAL DE BISCOITOS DIET ELABORADOS

Leia mais

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE TORTAS SALGADAS COM APROVEITAMENTO DE TALOS DE HORTALIÇAS

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE TORTAS SALGADAS COM APROVEITAMENTO DE TALOS DE HORTALIÇAS 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG ACEITAÇÃO SENSORIAL DE TORTAS SALGADAS COM APROVEITAMENTO DE TALOS DE HORTALIÇAS

Leia mais

ELABORAÇÃO E ACEITABILIDADE PÃO ENRIQUECIDO COM FARINHA DE LINHAÇA E CENOURA.

ELABORAÇÃO E ACEITABILIDADE PÃO ENRIQUECIDO COM FARINHA DE LINHAÇA E CENOURA. ELABORAÇÃO E ACEITABILIDADE PÃO ENRIQUECIDO COM FARINHA DE LINHAÇA E CENOURA. L. de O. COSTA 1, G. de BARBOSA 1, N. M. do A. FERREIRA 1, L.B. V. TORRES 2 1. Graduanda pela Universidade Federal do Ceará,

Leia mais

Utilização de diferentes proporções de casca de café carbonizadas para a produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum)

Utilização de diferentes proporções de casca de café carbonizadas para a produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum) VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG-Campus Bambuí VIII Jornada Científica Utilização de diferentes proporções de casca de café carbonizadas para a produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum)

Leia mais

ELABORAÇÃO DE SORVETE DE MORANGO COM CARACTERÍSTICAS PROBIÓTICAS E PREBIÓTICAS

ELABORAÇÃO DE SORVETE DE MORANGO COM CARACTERÍSTICAS PROBIÓTICAS E PREBIÓTICAS ELABORAÇÃO DE SORVETE DE MORANGO COM CARACTERÍSTICAS PROBIÓTICAS E PREBIÓTICAS Salomão, J. 1 ; Walter, E.H.M. 2 ; Cardoso, L.C.D. 3 ; Paula Barros, E.B. 4 ; Leite, S.G.F. 5 1 Engenheira de alimentos formada

Leia mais

Sorvete sabor chocolate com redução parcial e total de gordura

Sorvete sabor chocolate com redução parcial e total de gordura Sorvete sabor chocolate com redução parcial e total de gordura Chocolate ice cream flavor with partial and total reduction of fat Renan Roberto Benavides Universidade Metodista de Piracicaba UNIMEP renanbenavides@hotmail.com

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO EM ESTABELECIMENTOS DE ALIMENTAÇÃO DA CIDADE DE DOURADOS-MS

BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO EM ESTABELECIMENTOS DE ALIMENTAÇÃO DA CIDADE DE DOURADOS-MS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO EM ESTABELECIMENTOS DE ALIMENTAÇÃO DA CIDADE DE DOURADOS-MS Mônica Barreto de Lima 1 ; Thaise Maria Tobal 2 UFGD/FCS Dourados MS, E-mail: monika.barreto@hotmail.com 1 Bolsista

Leia mais

EMBALAGEM PRIMÁRIA: tipo TETRA PAK, contendo 200 ml em cada unidade. EMBALAGEM SECUNDÁRIA: caixa de papelão com até 27 unidades.

EMBALAGEM PRIMÁRIA: tipo TETRA PAK, contendo 200 ml em cada unidade. EMBALAGEM SECUNDÁRIA: caixa de papelão com até 27 unidades. EMPRESA: AIKI COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO LTDA ENDEREÇO: Av: Presidentes Vargas - BR 316 - Bairro - Ianetama - Castanhal - Pará CNPJ: 04.848.586/0001-08 FONE: (91) 3711-4042 EMAIL: licitacao@aiki.com.br PLANILHA

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL E MICROBIÓLOGICA DE MASSA ALIMENTICIA MISTA ESTABILIZADA

ANÁLISE SENSORIAL E MICROBIÓLOGICA DE MASSA ALIMENTICIA MISTA ESTABILIZADA ANÁLISE SENSORIAL E MICROBIÓLOGICA DE MASSA ALIMENTICIA MISTA ESTABILIZADA Rebeca de Lima DANTAS 1, Carlos Antônio Pereira LIMA 2, Ana Paula Trindade ROCHA 3 1 Rebeca de Lima Dantas, aluna de mestrado

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO DE BANANA RESISTENTE À SIGATOKA NEGRA VARIEDADE CAIPIRA

CARACTERIZAÇÃO DOS ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO DE BANANA RESISTENTE À SIGATOKA NEGRA VARIEDADE CAIPIRA CARACTERIZAÇÃO DOS ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO DE BANANA RESISTENTE À SIGATOKA NEGRA VARIEDADE CAIPIRA Melissa de Lima Matias 1 ; Ebenézer de Oliveira Silva 2 ; Raimundo Wilane Figueiredo 3 ; Andréia Hansen

Leia mais

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa Profa. Angélica Pinho Zootecnista Fones: 3243-7300 Email: angelicapinho@unipampa.edu.br Profa. Gladis Ferreira Corrêa Unidade 1. Introdução à tecnologia de alimentos: conceitos fundamentais, definições

Leia mais

Assunto: posicionamento da Coordenação Geral do Programa de Alimentação Escolar a respeito da aquisição de suco de laranja para a alimentação escolar.

Assunto: posicionamento da Coordenação Geral do Programa de Alimentação Escolar a respeito da aquisição de suco de laranja para a alimentação escolar. Nota Técnica nº 01/2012 CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: posicionamento da Coordenação Geral do Programa de Alimentação Escolar a respeito da aquisição de suco de laranja para a alimentação escolar. A Coordenação

Leia mais

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE BEBIDA MISTA DE FRUTOS DO GÊNERO SPONDIAS A BASE DE ÁGUA DE COCO

ACEITAÇÃO SENSORIAL DE BEBIDA MISTA DE FRUTOS DO GÊNERO SPONDIAS A BASE DE ÁGUA DE COCO ACEITAÇÃO SENSORIAL DE BEBIDA MISTA DE FRUTOS DO GÊNERO SPONDIAS A BASE DE ÁGUA DE COCO BEZERRA, J. M. 1 ; VIEIRA, M. M. S. 1 ; FERREIRA, A. S 2 ; ALVES, A. M. A. 3 ; SILVA, A. K. 3 1 Alunas do Programa

Leia mais

Vitaminas A, C e D. 0% Alcool Enriquecido com Fibras CERVEJA PET CHOPP. A base de Malte e com aromas que agradam muito aos Cães.

Vitaminas A, C e D. 0% Alcool Enriquecido com Fibras CERVEJA PET CHOPP. A base de Malte e com aromas que agradam muito aos Cães. CERVEJA PET CHOPP A base de Malte e com aromas que agradam muito aos Cães Sabor Carne 10155 ÓTIMA FONTE DE HIDRATAÇÃO Desenvolvido especialmente Para Cães Pode ser servido Natural ou Gelado Informação

Leia mais

Vida saudável com muito mais sabor

Vida saudável com muito mais sabor 1 Vida saudável com muito mais sabor APAE DE SÃO PAULO, com o objetivo de atender um grande público formado por pessoas que A precisam seguir dietas restritivas, em decorrência de doenças metabólicas,

Leia mais

Qualidade de grãos de duas cultivares de arroz de terras altas produzidas em Minas Gerais

Qualidade de grãos de duas cultivares de arroz de terras altas produzidas em Minas Gerais Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Qualidade de grãos de duas cultivares de arroz de terras altas produzidas em Minas Gerais Iracema Clara Alves Luz (1), João Roberto

Leia mais

SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE E BARU (Dipteryx Alata Vogel): DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO

SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE E BARU (Dipteryx Alata Vogel): DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO SOBREMESAS LÁCTEAS SABOR CHOCOLATE E BARU (Dipteryx Alata Vogel): DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO P. N. CRUZ 1, P.B. PERTUZATTI 2 1 Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Engenharia de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IDENTIFICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS ITAJAÍ PLANO DE ENSINO Unidade Curricular:

Leia mais

Portfólio de Produtos Lácteos

Portfólio de Produtos Lácteos Caprinos e Ovinos Apoio: Portfólio de Produtos Lácteos Realização: Embrapa Caprinos e Ovinos Fazenda Três Lagoas, Estrada Sobral/Groaíras, km 04 Caixa Postal 145 CEP: 62010-970 Sobral-CE Telefone (88)

Leia mais

PREÇO TOTAL PREÇO UN ÍTEM QUANT UN ESPECIFICAÇÃO DAS MERCADORIAS MARCA

PREÇO TOTAL PREÇO UN ÍTEM QUANT UN ESPECIFICAÇÃO DAS MERCADORIAS MARCA ADENDO PLANILHA SIMPLIFICADA PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA. ÍTEM QUANT UN ESPECIFICAÇÃO DAS MERCADORIAS MARCA 1 4880 kg 2 380 kg 3 2235 kg Polpa de fruta (natural), congelada, pacote de 1 kg, sabores: maracujá,

Leia mais

Trabalho de Informática

Trabalho de Informática INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Trabalho de Informática Demétrios Coutinho 03/04/2013 Turma: Apicultra Vespertino Conteúdo Lista de Figuras... 3 Lista de Tabelas...

Leia mais

ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE COMPRA DE DOCE DE BANANA EM MASSA ADICIONADO DE AMENDOIM

ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE COMPRA DE DOCE DE BANANA EM MASSA ADICIONADO DE AMENDOIM ACEITABILIDADE E INTENÇÃO DE COMPRA DE DOCE DE BANANA EM MASSA ADICIONADO DE AMENDOIM Carlos Antonio Alvarenga Gonçalves 1, Walisson José da silva 2, Daniela Balduino 2, Juarez Almeida 2, Marcela Borges

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE)

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) ENTENDENDO O CARDÁPIO Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) O que é um cardápio? CARDÁPIO DO PNAE É a relação das preparações de alimentos a serem oferecidas em uma refeição.

Leia mais

ACEITABILIDADE DE OVOS COM BASE NA DEGUSTAÇÃO E PIGMENTAÇÃO DA GEMA

ACEITABILIDADE DE OVOS COM BASE NA DEGUSTAÇÃO E PIGMENTAÇÃO DA GEMA ACEITABILIDADE DE OVOS COM BASE NA DEGUSTAÇÃO E PIGMENTAÇÃO DA GEMA Ouros, C.C*¹; Pantolfi, N.¹; Vivas, D.N.¹; Baptista, P.S.¹; Domingues, R.M.²; Laurentiz, A.C.³ ¹ Discente do curso de Zootecnia Unesp

Leia mais

POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO

POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO ZEA 0666 / 2012 Tecnologia de Produtos Vegetais POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO Padrões de Identidade e Tecnologias de Processamento POLPA DE FRUTA PURÊ Produto obtido pelo esmagamento da parte comestível de

Leia mais

ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS

ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS 1.1 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1kg 1704.90.10 40,88% NÃO 1.2 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo

Leia mais

ELABORAÇÃO DE DOCE DE LEITE ORGÂNICO ENRIQUECIDO COM FIBRA ALIMENTAR. Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica-RJ. CTUR/UFRRJ, Seropédica-RJ

ELABORAÇÃO DE DOCE DE LEITE ORGÂNICO ENRIQUECIDO COM FIBRA ALIMENTAR. Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica-RJ. CTUR/UFRRJ, Seropédica-RJ ELABORAÇÃO DE DOCE DE LEITE ORGÂNICO ENRIQUECIDO COM FIBRA ALIMENTAR LIMA, Rodrigo Brito de 1 ; IZIDORIO, Jaqueline Vieira 1 ; MURUCI 2, Lívia Nolasco Macedo 1 Alunos do Curso Técnico em Agroecologia do

Leia mais

18. DESENVOLVIMENTO DE PANQUECA COM QUINOA

18. DESENVOLVIMENTO DE PANQUECA COM QUINOA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE LABORATÓRIO DE ESTUDO EXPERIMENTAL DOS ALIMENTOS 18. DESENVOLVIMENTO DE PANQUECA COM QUINOA Thiago

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE BISCOITOS ELABORADOS COM FARINHA DE LINHAÇA

ANÁLISE SENSORIAL DE BISCOITOS ELABORADOS COM FARINHA DE LINHAÇA ANÁLISE SENSORIAL DE BISCOITOS ELABORADOS COM FARINHA DE LINHAÇA AUTORES Ariane TORRES Discente da União das Faculdades dos Grandes Lagos UNILAGO Sabrina Neves CASAROTTI Docente da União das Faculdades

Leia mais

Desenvolvimento e aceitabilidade de mousse de garapa adicionada de gengibre (Zingiber officinale)

Desenvolvimento e aceitabilidade de mousse de garapa adicionada de gengibre (Zingiber officinale) Desenvolvimento e aceitabilidade de mousse de garapa adicionada de gengibre (Zingiber officinale) Lourena Silva ANDRADE¹, Daniela de Carvalho FERNANDES²;Marina Leopoldina LAMOUNIER³. 1 Estudantes do Curso

Leia mais

Farinhas de Mandioca Seca e Mista

Farinhas de Mandioca Seca e Mista Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amapá Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Farinhas de Mandioca Seca e Mista Valéria Saldanha Bezerra Embrapa Informação Tecnológica Brasília,

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas. Acadêmicas de Nutrição da Faculdades Integradas de Três Lagoas RESUMO

Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas. Acadêmicas de Nutrição da Faculdades Integradas de Três Lagoas RESUMO 1 AVALIAÇÃO SENSORIAL DE IOGURTE BATIDO COM A FRUTA DE GOIABA VERMELHA IN NATURA (Psidium guajava), COM O SUCO ARTIFICIAL DE GOIABA E A POLPA DA FRUTA DE GOIABA CAMILA ANDRÉA FAVARO DE FREITAS 1 CAROLINE

Leia mais

ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE GELADO COMESTÍVEL DE FRUTA ADICIONADO DE ERVAS.

ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE GELADO COMESTÍVEL DE FRUTA ADICIONADO DE ERVAS. ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE GELADO COMESTÍVEL DE FRUTA ADICIONADO DE ERVAS. Samuel Fernandes Junqueira 1, Andrey Oliveira de Souza 2, Páulia Maria Cardoso Lima Reis 3, Robson de Jesus Mascarenhas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SOBREMESAS À BASE DE SOJA ENRIQUECIDAS COM POLPAS DE FRUTAS

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SOBREMESAS À BASE DE SOJA ENRIQUECIDAS COM POLPAS DE FRUTAS DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SOBREMESAS À BASE DE SOJA ENRIQUECIDAS COM POLPAS DE FRUTAS J. C. SPADA 1, M. DICK 2, C. H. PAGNO 2, S. H. FLÔRES 2 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Alimentação e Saúde ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Todo ser vivo precisa se alimentar para viver. A semente, ao ser plantada, precisa ser adubada e molhada todos os dias

Leia mais

ELABORAÇÃO DE VINAGRE UTILIZANDO MEL DE ABELHA (APIS MELLIFERA) EXCEDENTE DE PRODUÇÃO

ELABORAÇÃO DE VINAGRE UTILIZANDO MEL DE ABELHA (APIS MELLIFERA) EXCEDENTE DE PRODUÇÃO ELABORAÇÃO DE VINAGRE UTILIZANDO MEL DE ABELHA (APIS MELLIFERA) EXCEDENTE DE PRODUÇÃO Anaeli ZAPPAROLI 1, Fabiana Bortolini FORALOSSO 2, Álvaro Vargas JUNIOR 3, Nei FRONZA 3, Ingrid GUIMARÃES 3, Josiane

Leia mais

Comparação da Aceitação de Preparações Elaboradas Convencionalmente e com Resíduos Alimentares: O Caso do Mousse do Abacaxi e da sua Casca

Comparação da Aceitação de Preparações Elaboradas Convencionalmente e com Resíduos Alimentares: O Caso do Mousse do Abacaxi e da sua Casca Comparação da Aceitação de Preparações Elaboradas Convencionalmente e com Resíduos Alimentares: O Caso do Mousse do Abacaxi e da sua Casca Comparison of Preparations Acceptance Prepared Conventionally

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE ACHOCOLATADO EM PÓ COMERCIAL ENRIQUECIDO COM INULINA

ANÁLISE SENSORIAL DE ACHOCOLATADO EM PÓ COMERCIAL ENRIQUECIDO COM INULINA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE SENSORIAL DE ACHOCOLATADO EM PÓ COMERCIAL ENRIQUECIDO COM INULINA Hevelyse Munise Celestino dos Santos 1, Suelen Pereira Ruiz 2, Paula Fernandes

Leia mais

DESEMPENHO DO MÉTODO DAS PESAGENS EM GARRAFA PET PARA A DETERMINAÇÃO DA UMIDADE DO SOLO

DESEMPENHO DO MÉTODO DAS PESAGENS EM GARRAFA PET PARA A DETERMINAÇÃO DA UMIDADE DO SOLO DESEMPENHO DO MÉTODO DAS PESAGENS EM GARRAFA PET PARA A DETERMINAÇÃO DA UMIDADE DO SOLO E. D. ARAÚJO 1 ; A. M. A. AVILEZ 1 ; J. M. SANTOS 1 ; E. C. MANTOVANI 2 1 Estudante de Mestrado, Universidade Federal

Leia mais

Que tipo de gordura estou consumindo?

Que tipo de gordura estou consumindo? Que tipo de gordura estou consumindo? Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO Programa de Pós Graduação em Alimentos e Nutrição- PPGAN Ciclo de palestras Palestrante: Cinthia de Carvalho

Leia mais

Produtividade e qualidade de diferentes genótipos de Bourbon cultivados em Minas Gerais visando à produção de cafés especiais

Produtividade e qualidade de diferentes genótipos de Bourbon cultivados em Minas Gerais visando à produção de cafés especiais Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 8., 2011, Belo Horizonte Produtividade e qualidade de diferentes genótipos de Bourbon cultivados em Minas Gerais visando à produção de cafés especiais Priscilla

Leia mais

LOTE 01 V.TOTAL MARC A Nº GÊNERO PERECÍVEL E NÃO PERECÍVEIS UNID. TOTAL

LOTE 01 V.TOTAL MARC A Nº GÊNERO PERECÍVEL E NÃO PERECÍVEIS UNID. TOTAL LOTE 0 Nº GÊNERO PERECÍVEL E NÃO PERECÍVEIS UNID. TOTAL 9 MARC A V. UNIT. Charque bovino embalado à vácuo com composição nutricional e SIF, embalagem de 00g, acondicionados em caixa de papelão produtos

Leia mais

II Simpósio Gestão Empresarial e Sustentabilidade 16, 17 e 18 de outubro de 2012, Campo Grande MS

II Simpósio Gestão Empresarial e Sustentabilidade 16, 17 e 18 de outubro de 2012, Campo Grande MS AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES FISICAS DE BLOCOS DE CONCRETO COM ADIÇÃO DE BORRACHA DE PNEU TRITURADA Sandra Regina Bertocini; Ludmila Soares Carneiro Inovação Sustentável INTRODUÇÃO A cada ano, dezenas de

Leia mais

Avaliação de sabor e valor calórico de molhos desenvolvidos com a utilização de amido resistente

Avaliação de sabor e valor calórico de molhos desenvolvidos com a utilização de amido resistente Avaliação de sabor e valor calórico de molhos desenvolvidos com a utilização de amido resistente Daniela Mariana de Lima Bragion 1 Tatiane Cristina Pereira 2 Maria de Lourdes Lima Bragion 2 3 Luiz Henrique

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DE BLEND À BASE DE ACEROLA (Malpighia emarginata) E GOIABA (Psidium guajava)

CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DE BLEND À BASE DE ACEROLA (Malpighia emarginata) E GOIABA (Psidium guajava) CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DE BLEND À BASE DE ACEROLA (Malpighia emarginata) E GOIABA (Psidium guajava) RESUMO Roberta Catarina Correa de Arruda 1 Lizelda Maria de Araújo 2 Lindomar Maria de Souza 3

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANÃ Secretaria Municipal de Educação CNPJ/ /

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANÃ Secretaria Municipal de Educação CNPJ/ / PAUTA DOS GENEROS ALIMENTICIOS REFERENTE A 10 PARCELAS DE 2015. PROGRAMAS DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAEF, PANEP, PANE EJA, PANE- MEDIO E MAIS EDUCAÇÃO. TERMO DE REFERENCIA ITE DESCRIÇÃO / MARCA / VALIDADE

Leia mais

Lab Carvalhaes. Empresa: Odebrecht Comércio e Indústria de Café Ltda. Data da Entrada: 16/09/2015

Lab Carvalhaes. Empresa: Odebrecht Comércio e Indústria de Café Ltda. Data da Entrada: 16/09/2015 FO-055 Modelo de Laudo Qualidade Global Lab Carvalhaes - Credenciado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - Credenciado pela ABIC Associação Brasileira da Indústria de

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE COMPOTA DA ENTRECASCA DE MACARUJÁ (Passiflora edulis F. FLAVICARPA)

ANÁLISE SENSORIAL DE COMPOTA DA ENTRECASCA DE MACARUJÁ (Passiflora edulis F. FLAVICARPA) ANÁLISE SENSORIAL DE COMPOTA DA ENTRECASCA DE MACARUJÁ (Passiflora edulis F. FLAVICARPA) Cristiane Rocha de Oliveira¹ Samira Pereira Moreira² Rafael Zambelli² Elaine Cristina Colares de Oliveira¹ Maria

Leia mais

Obtenção e avaliação de parâmetros físico-químicos da polpa de goiaba (Psidium guajava L.), cultivar Paluma

Obtenção e avaliação de parâmetros físico-químicos da polpa de goiaba (Psidium guajava L.), cultivar Paluma Obtenção e avaliação de parâmetros físico-químicos da polpa de goiaba (Psidium guajava L.), cultivar Paluma Edmilson César da SILVA¹; Claudia Helena de MAGALHÃES 2 ; Rogério Amaro GONÇALVES 2 1 Estudante

Leia mais

Aceitação Sensorial de Iogurte Sabor Jamelão (Syzygium cumini Lamarck)

Aceitação Sensorial de Iogurte Sabor Jamelão (Syzygium cumini Lamarck) Aceitação Sensorial de Iogurte Sabor Jamelão (Syzygium cumini Lamarck) Antonio Jackson Ribeiro Barroso 1, Mayk Charles Silva Caldas 2, Maria Laiane Evangelista Feitosa 3, Quiteria Batista dos Santos 3,

Leia mais

Milho. Gérmen de milho. Gérmen de milho. Gérmen de milho 05/05/2008. Universidade Federal de Goiás Alimentos e Alimentação Animal

Milho. Gérmen de milho. Gérmen de milho. Gérmen de milho 05/05/2008. Universidade Federal de Goiás Alimentos e Alimentação Animal Universidade Federal de Goiás Alimentos e Alimentação Animal Alunos: Juliana Pinto Ferreira Vitor Augusto Oliveira Milho O principal componente das rações de aves e suínos é o milho, cujo custo tem sido

Leia mais

ELABORAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BARRAS DE CEREAIS ELABORADAS COM RESÍDUO SÓLIDO DE CERVEJARIA

ELABORAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BARRAS DE CEREAIS ELABORADAS COM RESÍDUO SÓLIDO DE CERVEJARIA ELABORAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BARRAS DE CEREAIS ELABORADAS COM RESÍDUO SÓLIDO DE CERVEJARIA MOREIRA, Lidiane Muniz¹; REDMER, Mônica Beatriz Barz²; KÖHLER, Gerson Luis Bartz ³ ; CHIM, Josiane Freitas 4

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 272, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 272, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 272, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do

Leia mais

PRODUÇÃO HIDROPÔNICA DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATOS À BASE DE RESÍDUOS ORGÂNICOS

PRODUÇÃO HIDROPÔNICA DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATOS À BASE DE RESÍDUOS ORGÂNICOS PRODUÇÃO HIDROPÔNICA DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATOS À BASE DE RESÍDUOS ORGÂNICOS Fred Carvalho Bezerra 1 ; Tiago da Costa Silva²; Fernando Vasconcellos Meyer Ferreira²; Daniel Barbosa Araújo 3 1 Eng.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SORVETE DE LEITE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BETERRABA

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SORVETE DE LEITE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BETERRABA Vol.13n.3,pp.17-21 (Dez 2015 Fev 2016) Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research - BJSCR AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SORVETE DE LEITE COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BETERRABA QUALITY AND SENSORIAL

Leia mais

Campus de Botucatu PLANO DE ENSINO MODALIDADE: ( x ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DOCENTE RESPONSÁVEL: NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZÁLEZ

Campus de Botucatu PLANO DE ENSINO MODALIDADE: ( x ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DOCENTE RESPONSÁVEL: NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZÁLEZ PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO CURSO: NUTRIÇÃO MODALIDADE: DISCIPLINA: TÉCNICA DIETÉTICA ( x ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DEPARTAMENTO: EDUCAÇÃO DOCENTE RESPONSÁVEL: NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZÁLEZ Semestre

Leia mais

ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIES UTILIZANDO FARINHA MISTA EXTRUSADA DE GRÃOS QUEBRADOS DE ARROZ E BANDINHA DE FEIJÃO

ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIES UTILIZANDO FARINHA MISTA EXTRUSADA DE GRÃOS QUEBRADOS DE ARROZ E BANDINHA DE FEIJÃO ELABORAÇÃO DE BISCOITOS TIPO COOKIES UTILIZANDO FARINHA MISTA EXTRUSADA DE GRÃOS QUEBRADOS DE ARROZ E BANDINHA DE FEIJÃO Vitória Maria Machado da COSTA 1, Priscila Zaczuk BASSINELLO 2, Eduardo da Costa

Leia mais

TECNOLOGIAS DE ALIMENTOS Revista ACTA Tecnológica - Revista Científica - ISSN X, Vol. 6, número 2, jul-dez. 2011

TECNOLOGIAS DE ALIMENTOS Revista ACTA Tecnológica - Revista Científica - ISSN X, Vol. 6, número 2, jul-dez. 2011 TECNOLOGIAS DE ALIMENTOS ELABORAÇÃO DE SORVETE DE ABACATE À BASE DE LEITE DE VACA E DE EXTRATO HIDROSSOLÚVEL DE SOJA Jucilene Rodrigues Cardoso 1 Rayanne Araújo Pessoa 2 Lidiana de Siqueira Nunes Ramos

Leia mais

Avaliação de espécies de banana verde para produção de biomassa

Avaliação de espécies de banana verde para produção de biomassa Avaliação de espécies de banana verde para produção de biomassa Sabrina Vargas MONTEIRO¹; Maria Alice NASCIMENTO ²; Adryze Gabrielle DORÁSIO²; Sonia de Oliveira Duque PACIULLI³. 1Estudantes do Curso Superior

Leia mais

AVALIAÇÃO FISICO-QUIMICA E MEDIDAS INSTRUMENTAIS DO DOCE DE CORTE DE GOIABA E MARACUJÁ

AVALIAÇÃO FISICO-QUIMICA E MEDIDAS INSTRUMENTAIS DO DOCE DE CORTE DE GOIABA E MARACUJÁ AVALIAÇÃO FISICO-QUIMICA E MEDIDAS INSTRUMENTAIS DO DOCE DE CORTE DE GOIABA E MARACUJÁ Rafaela Duarte Almeida Araújo 1 ; Renata Duarte Almeida 2 ; Anastácia Maria Mikaella Campos Nóbrega André 3 ; Ruth

Leia mais

ACEITABILIDADE DE BEBIDA LÁCTEA ACHOCOLATADA COM ALFARROBA (Ceratonia siliqua L.) COMO SUBSTITUTO PARCIAL DO CACAU 1

ACEITABILIDADE DE BEBIDA LÁCTEA ACHOCOLATADA COM ALFARROBA (Ceratonia siliqua L.) COMO SUBSTITUTO PARCIAL DO CACAU 1 ACEITABILIDADE DE BEBIDA LÁCTEA ACHOCOLATADA COM ALFARROBA (Ceratonia siliqua L.) COMO SUBSTITUTO PARCIAL DO CACAU 1 CASSANEGO, Daniela Buzatti 2 ; PELLEGRINI, Luiz Gustavo de 2 ; RICHARDS, Neila Silvia

Leia mais

Análise sensorial de diferentes formulações de Smoothie

Análise sensorial de diferentes formulações de Smoothie Análise sensorial de diferentes formulações de Smoothie Maria Alice NASCIMENTO¹; Sabrina VARGAS MONTEIRO¹; Sônia OLIVEIRA DUQUE PACIULLI². 1Estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Alimentos. Instituto

Leia mais

AVALIAÇÃO SENSORIAL E DA ROTULAGEM DE SUCOS DE LARANJA INTEGRAL

AVALIAÇÃO SENSORIAL E DA ROTULAGEM DE SUCOS DE LARANJA INTEGRAL AVALIAÇÃO SENSORIAL E DA ROTULAGEM DE SUCOS DE LARANJA INTEGRAL L.B. Virgolin 1, A.A. Trivelato 1, N.S. Janzantti 1 1- Departamento de Engenharia e Tecnologia de Alimentos Universidade Estadual Paulista,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE À BASE DE OKARA SABOR MORANGO

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE À BASE DE OKARA SABOR MORANGO DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE SORVETE À BASE DE OKARA SABOR MORANGO Heloiza Armando da Silva1 Adriane Gasparino dos Santos Martinez Uribe2 1 Graduanda do Departamento de Nutrição/Centro de Ciências

Leia mais

LEITE UHT. Profa. Dra. Vanerli Beloti LIPOA UEL lipoa.uel@gmail.com vbeloti@uel.br www.uel.br/laboratorios/inspecao

LEITE UHT. Profa. Dra. Vanerli Beloti LIPOA UEL lipoa.uel@gmail.com vbeloti@uel.br www.uel.br/laboratorios/inspecao LEITE UHT Profa. Dra. Vanerli Beloti LIPOA UEL lipoa.uel@gmail.com vbeloti@uel.br www.uel.br/laboratorios/inspecao LEITE UHT HISTÓRIA NO BRASIL: 1972 Boom em 1998 hoje 78% do leite líquido consumido 5

Leia mais

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE RICOTAS CONDIMENTADAS

AVALIAÇÃO SENSORIAL DE RICOTAS CONDIMENTADAS AVALIAÇÃO SENSORIAL DE RICOTAS CONDIMENTADAS Eriane Alves da SILVA (1); Wagner Wildey Silva de MELO (2); Francisca Giselle da CRUZ (3); Ângela FROEHLICH (4); Josiane de Souza LUNA (5) (1) Instituto Federal

Leia mais

Ficha técnica de produtos Holy nuts produtos de castanhas Catálogo 2016/2

Ficha técnica de produtos Holy nuts produtos de castanhas Catálogo 2016/2 Ficha técnica de produtos Holy nuts produtos de castanhas Catálogo 2016/2 Mais informações: Creme Funcional de Castanhas Zero Açúcar 220g Fonte de gorduras boas e proteínas vegetais, e por isso promove

Leia mais

Capítulo 13 Nutrição: Leitura de rótulos de alimentos

Capítulo 13 Nutrição: Leitura de rótulos de alimentos Capítulo 13 Nutrição: Leitura de rótulos de alimentos Ao final deste capítulo, você poderá Ø Explicar rótulos de alimentos Ø Decidir quais alimentos são melhores com base em três fatores Capítulo 13 Nutrição:

Leia mais

RESSALVA. Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta dissertação será disponibilizado somente a partir de 17/04/2016.

RESSALVA. Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta dissertação será disponibilizado somente a partir de 17/04/2016. RESSALVA Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta dissertação será disponibilizado somente a partir de 17/04/2016. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - UNESP CÂMPUS DE JABOTICABAL ATRIBUTOS PRODUTIVOS

Leia mais

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Gabriel Avelar LAGE 1 ; Sheila Isabel do Carmo PINTO²; Iul Brinner Expedito de SOUZA³; Marcus Vinicius SANTOS 3 ; Guilherme

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SORVETE PROBIÓTICO À BASE DE EXTRATO HIDROSSOLÚVEL DE ARROZ

DESENVOLVIMENTO DE SORVETE PROBIÓTICO À BASE DE EXTRATO HIDROSSOLÚVEL DE ARROZ DESENVOLVIMENTO DE SORVETE PROBIÓTICO À BASE DE EXTRATO HIDROSSOLÚVEL DE ARROZ S.S. Dias 1, D de S. Vergílio 2, S.J. Klososki 3, T.C. Pimentel 4 1-Instituto Federal do Paraná, Campus Paranavaí CEP: 87703-536

Leia mais

História CREDIBILIDADE

História CREDIBILIDADE História A ENTREMINAS iniciou suas atividades como distribuidora de laticínios no ano de 1990. Em 1992 inaugurou sua primeira unidade fabril no município de São Sebastião da Bela Vista - Sul de Minas Gerais,

Leia mais