Índice: Diretoria Nacional biênio 2009/ Diretoria Nacional biênio 2007/ Palavra do Presidente 05. Ações Congresso Nacional 06

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice: Diretoria Nacional biênio 2009/2011 03. Diretoria Nacional biênio 2007/2009 04. Palavra do Presidente 05. Ações Congresso Nacional 06"

Transcrição

1 Relatório de Ações 2007 a

2 Índice: Diretoria Nacional biênio 2009/ Diretoria Nacional biênio 2007/ Palavra do Presidente 05 Ações Congresso Nacional 06 Gestão Empresas Aéreas 09 Ações Jurídicas 11 Ações diversas 13 Congresso e Feira das Américas 14 Proagência II 2009/ ICCABAV 22 Benchmarking em Turismo 23 Acordos e Parcerias 25 Parcerias com o Ministério do Turismo 26 Padronização Visual Sistema ABAV 29 Reuniões Realizadas 32 2

3 Diretoria Abav Nacional Biênio 2009 a 2011 Conselho de Ética Nilo Machado João Ávila Luiz Mamede Rose Larrat Ana Carolina Souza Suplentes Lourival José da Silva Filho Rosangela Lima 3

4 Diretoria Abav Nacional Biênio

5 No dia 29 de novembro de 2011 encerro minha gestão àfrente da Abav Nacional e quero agradecer a todos que participaram e contribuíram, seja através de críticas ou de sugestões, para o crescimento da entidade. Foram quatro anos de muito trabalho e dedicação não sóde minha parte, mas de toda a diretoria, onde buscamos oferecer aos associados novas soluções para os problemas que surgiram, novos caminhos para que pudessem superar obstáculos, novas ferramentas para que ampliassem seus negócios. Investimos para fomentar ações que agregassem conhecimento e valor aos serviços prestados pelas agências de viagens através de projetos importantes como o PROAGÊNCIA, em parceria com o SEBRAE; o ICCABAV e o Benchmarking em Turismo em parceria com o SEBRAE e o Ministério do Turismo, tendo também o apoio da Embratur. Fechamos ainda parcerias com o objetivo de aumentar os benefícios das empresas que fazem parte do Sistema Abav: Phone Access - venda de cartões telefônicos; Grupo Fitta - realizações de câmbio; TCN - condições especiais de parcelamento das vendas de pacotes turísticos; Caixa Econômica Federal Crediário Caixa Fácil para o Turismo que disponibiliza o financiamento de pacotes de viagens e amplia a concessão de crédito no setor; o Consórcio Gazin - atendimento à classe C com facilidades de pagamento; e a ACE seguradora - Apólice de Responsabilidade Civil profissional oferecendo ao turista garantia de indenizações em várias situações. Para defender os interesses dos agentes de viagens, nosso maior bem, negociamos insistentemente com as empresas aéreas para evitar o fim do comissionamento ou buscar uma solução mais adequada, mas fomos vencidos pelo poderio econômico das mesmas. Trabalhamos, ainda, com o objetivo de aproximar a entidade dos parlamentares que, sabemos, são imprescindíveis para a aprovação de leis necessárias para o nosso setor e profissão. Conseguimos acelerar a tramitação do Projeto de Lei 5.120/2001, que trata da regulamentação da atividade das agências de turismo e estava parado no Congresso desde abril de 2003, mas não conseguimos comemorar, atéo momento, sua aprovação final. E para compartilhar com você o trabalho desenvolvido por esta diretoria, disponibilizamos este relatório de ações. Desejo muito sucesso a todos. Um forte abraço, Carlos Alberto Amorim Ferreira Presidente Abav Nacional 5

6 Ações Congresso Nacional Lei Geral do Turismo Durante a tramitação da LGT no Congresso Nacional, a Abav Nacional trabalhou junto aos parlamentares a fim de impedir qualquer veto aos artigos que favoreciam os Agentes de viagens. Infelizmente, a Lei Geral do Turismo foi sancionada pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 17 de setembro de 2008, com cinco vetos. Três deles diziam respeito aos Agentes de viagens: o parágrafo 6º do Artigo 27, que tratava da responsabilidade da Agência de Viagens para com o consumidor; o Artigo 46, que tratava das questões tributárias e impactava na cobrança de impostos às Agências e o Artigo 47, emenda que caracterizava o turismo receptivo como atividade exportadora. Na época, tanto o presidente da Abav Nacional, Carlos Alberto AmorimFerreira, quanto o diretor de Relações Parlamentares da entidade, João Quirino, conversaram pessoalmente com alguns parlamentares sobre o veto ao Artº 27, que tratava da responsabilidade solidária. Diante da percepção de que a luta poderia ser inglória, a entidade intensificou o trabalho no Congresso Nacional para agilizar a aprovação do PL 5.120, que trata, dentre outros assuntos, do fim da responsabilidade solidária. Projeto de Lei 5.120/2001 A criação do Projeto de Lei foi o resultado do esforço do então presidente da Abav Nacional, Goiaci Guimarães ( ), que lutou, desde quando eleito, pela regulamentação da atividade. Em 15 de agosto de 2001, a primeira vitória foi conquistada: o deputado federal Alex Canziani apresentou o projeto na Câmara dos Deputados. O projeto tramitou pelo Congresso até 2003, quando ficou engavetado. No início de 2008, a nova diretoria da Abav Nacional se empenhou em reativar o processo de aprovação do PL através de intervenções diretas no Congresso Nacional e criou, inclusive, um dossiê para ser entregue aos parlamentares com todo o histórico do PL ao longo dos 10 anos em que tramita no Congresso Nacional. O projeto foi aprovado no dia 28 de abril de 2009, por unanimidade, mas voltou a ficar parado na Câmara dos Deputados, aguardando a aprovação final. 6

7 Demais projetos em andamento: PLS 55/2011 Autor: Senador Vital do Rêgo Dispõe sobre o exercício da profissão do Agente de Viagens. PLS 388/2011 Autor: Senador Rodrigo Rollemberg Altera a Lei Complementar nº 116 que dispõe sobre a base de cálculo do ISS, dos serviços prestados pelas Agências de Viagens. PLS 273/2011 Autor: Senador Antônio Carlos Valadares Estabelece isenção de Taxas de Embarque em vôos domésticos para idosos. PLC 19/2011 Autor: Dep. Silvio Torres (em tramitação no Senado) Regulamenta as atividades do Turismo Rural. MP 540/2011 Autor: Poder Executivo Institui o regime especial de reintegração para empresas exportadoras. Outras ações: Apoio à criação da Frente Parlamentar em Defesa do Transporte Aéreo Regional O objetivo da Frente Parlamentar éacompanhar todos os projetos que envolvam a aviação regional e estão em tramitação no Congresso, rever o novo Código Brasileiro da Aviação Civil e a criar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) uma tarifa adicional de 1% que incidirá sobre o valor das passagens aéreas domésticas. Luta pela flexibilização de vistos Movimentação contra a aprovação da Contribuição Social para a Saúde (CSS) Desde quando começou a movimentação no Senado, em maio de 2008, para a re-criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), extinta em dezembro de 2007, agora disfarçada sobre a alcunha de Contribuição Social da Saúde (CSS), a Abav Nacional se empenhou para evitar que o novo imposto fosse aprovado pelo Congresso Nacional. A entidade envolveu todos os presidentes das Abavs Estaduais e DF na mobilização de senadores e deputados, para que votassem contra a aprovação do novo imposto. O assunto ficou engavetado no Congresso Nacional. 7

8 Audiências Públicas e outros acompanhamentos: Lei Geral da Copa Comissões e Subcomissões de Acompanhamento da Copa do Mundo e Olimpíadas Fórum Legislativo das Cidades Sede da Copa de 2014 Conselho Nacional de Turismo Reunião do Grupo gestor que elaborou o Documento Referencial contendo o Plano Nacional de Turismo 2011/2014. Audiência Pública sobre o aumento de capital estrangeiro na aviação comercial. Comissão Técnica de Classificação dos Meios de Hospedagem. 8

9 Gestão Empresas Aéreas Acordo Abav e Tam No acordo entre a Abav e a Tam, anunciado durante a Feira das Américas 2007 e que entrou em vigor em 11 de janeiro de 2008, ficou instituída uma nova modalidade de remuneração para o agente de viagens. Pelo novo acordo, as agências garantem a comissão de 10% do valor da tarifa ou o mínimo de R$ 30 em cada bilhete emitido, à exceção da venda não-assistida pelo site. A companhia aérea tinha reduzido o valor das comissões para 6% e 7% em todo país e o acordo foi a solução encontrada por ambas as partes para resolver as ações judiciais que estavam em andamento em diversos Estados, em razão da diminuição do comissionamento. Quando o mesmo foi implementado, o grande problema foi a diferença entre a tarifa disponibilizada no site, para venda direta, e a que os agentes de viagens tinham acesso. Por mais que a Abav Nacional tenha defendido a igualdade de preços entre as tarifas, de forma que o preço disponibilizado no site seja o mesmo que o dos agentes, jáacrescido do valor de DU, a luta foi inglória. Acordo Abav e Gol No dia 30 de setembro de 2008, a Abav Nacional e a Gol assinaram acordo, semelhante ao firmado com a Tam, para a mudança de remuneração nas vendas domésticas por agentes de viagens. O novo acordo entrou em vigor no dia 1 de outubro de 2008 e oferece 12% de remuneração, sendo 10% via DU e 2% de incentivo sobre o valor da tarifa. IATA Brasil Durante esses quatro anos a Abav Nacional buscou, junto `a IATA Brasil, diversas negociações para reverter decisões unilaterais que prejudicavam os agentes de viagens. A promessa feita pelo presidente da Abav Nacional, Carlos Alberto Amorim Ferreira, o Kaká, durante o discurso na Feira das Américas 2010, de que iria responder à altura a IATA por ter conduzido as negociações do TASF de forma arbitrária, está sendo cumprida. A primeira atitude da entidade foi enviar uma Notificação Extrajudicial para a IATA, em Miami, em 27 de outubro de 2010, assinada em conjunto com a Abracorp, a Aviesp, a Braztoa e a Fenactur onde solicita a cessão do processo de implementação do sistema TASF no país, nas condições que vêm sendo anunciados. 9

10 Além disso, como deliberado pelo Conselho Nacional, a Abav consultou escritórios de advocacia especializados sobre representar contra a IATA junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Outra medida foi a representação das Abav s Estaduais e do Distrito Federal junto aos Ministérios Públicos locais, para abertura de inquérito civil público contra a IATA, por descumprir o Código de Defesa do Consumidor, na quebra da empresa Mexicana de Aviação. 10

11 Ações jurídicas Consulta Prefeitura RJ ref. isenção ISS sobre a Feira de Turismo Início: 30/7/10, por decisão da Diretoria 14/10/10: protocolada sob nº 04/ / /05/11: distribuído à fiscal 30/6/11: contato com fiscal, pedindo prioridade 13/10/11: aguarda retorno de férias da fiscal Representação contra IATA/Cias aéreas européias na SDE Com pedido de medida preventiva para determinar (i) que as comissões pagas aos agentes de viagens pelas Representadas permaneçam em 6%; e (ii) que seja suspensa a implementação do TASF, atéque os fatos sejam esclarecidos. Início: 20/10/10, por deliberação do Conselho Nacional 27/7/11: protocolo da representação n / /10/11: contato com Coordenadora do Departamento de Proteção e Defesa Econômica (Dra. Alessandra Reis): assunto sob análise, com previsão de decisão sobre o pedido de adoção de medida preventiva até 31/10/11. Inquérito Civil do Ministério Público DF ref. bases fixas do Acordo TAM/DU Início: 8/4/10, por meio de intimação recebida 21/6/11: envio de aditivo 23/8/11: arquivado Procedimento nº / , do Departamento de Proteção e Defesa Econômica ref. tabelas de valores x apuração de conduta comercial uniforme x Abav Nacional, Abav-ES e Abav-SC Início: 26/2/10, por meio de requisição de atas 26/2/10: envio atas de reuniões da Abav Nacional de /3/10: envio das atas de reuniões da Abav Nacional de 2006 a /4/11: em apreciação na CGSI 13/10/11: idem, sem previsão de tempo 11

12 Escrituração da venda das salas para a Abav/DF Início: 27/1/10, por decisão do Presidente 26/6/11: registro das atas das reuniões do Conselho Nacional feitas em 1998 e de 2011, autorizando e especificando a venda 28/7/11: lavrada escritura 29/8/11: escritura enviada por correio, Abav-DF pagou o ITBI e entrada de pedido de registro no Cartório de Registro de Imóveis (RI) 5/9/11: exigências do RI (certidão de ações ajuizadas na Justiça Federal, dos distribuidores cíveis e Justiça do Trabalho em São Paulo 19/9/11: certidões enviadas para a Abav-DF 27/9/11:exigências adicionais do RI (certidão dos feitos ajuizados na Justiça comum do DF, de execuções fiscais de São Paulo e declaração de quitação expedida pelo condomínio) 29/9/11: certidão das execuções fiscais de SP enviadas para Abav-DF 3/10/11: certidões da Justiça do Trabalho enviadas para Abav-DF 14/10/11: aguarda informação da Abav-DF sobre o valor atualizado do débito do condomínio (valor na data da propositura: R$ ,75) Rescisão e ação trabalhista Isa Garbin 06/10/10: aviso prévio 29/03/11: transmitida proposta inicial. 10/05/11: recebida contraproposta. 13/5/11: diretoria ofertou nova proposta. 20/6/11: apresentada nova proposta à advogada da Isa. 06/07/11- Ingressou com reclamação trabalhista, distribuída para 47ª Vara do Trabalho, sob nº , com audiência designada para 20/3/ /10/11- reunião pessoal com Isa e advogada. 07/10/11- autoriza 3ª proposta. 14/10/11: tentativa de contato com advogada Isa Contrato Reed 28/5/10: assinado pela Abav e enviada à Reed 15/4/11: recebida via devolvida e assinada pela Reed, mas com cláusulas rasuradas: (i) exclusão do evento de 2012,(ii) da cláusula que prevê não organização de evento concorrente por 3 anos após o contrato, (iii) multa rescisória e os anexos B (planta da feira) e C (contrato do expositor). 20/5/11: rubrica da Assessoria Jurídica na nova via, sem assinaturas e sem as exclusões feitas pela Reed,e devolução para Abav. 14/10/11: contrato não assinado até o momento 12

13 Ações Diversas Reforma do Estatuto O principal objetivo da reforma estatutária foi dar mais agilidade à entidade e, dentro deste contexto, houve uma redução no número de conselheiros nacionais, que passaram de 148 para 84 e também na diretoria da Abav Nacional, reduzindo de 12 para oito integrantes, sendo que todos passam a ser vice-presidentes com atribuições específicas. A proposta foi formulada pela Comissão de Reforma Estatutária, composta por Ana Carolina Souza (MA), João Ávila (SE), Nilo Machado (RN) e o assessor jurídico da Abav Nacional, Joandre Ferraz. Confira as principais mudanças: O Conselho Nacional não terámais integrantes fixos. A partir de 2013, as Abav s Estaduais e DF deverão eleger e dar posse imediata a seus diretores e conselheiros até 31 de julho e a relação nominal dos eleitos deverá ser enviada para a Abav Nacional até 15 de agosto. A eleição da Abav Nacional, que normalmente era realizada em novembro, acontecerá um dia após a realização do Congresso Brasileiro e Feira das Américas, que acontece anualmente em outubro. A elegibilidade para a diretoria da Abav Nacional também mudou. A partir de 2011, os presidentes das Abav s Estaduais e DF não poderão integrar o quadro de diretores da Abav Nacional. Entretanto, todo e qualquer conselheiro estadual ou diretor estadual poderá se candidatar. Criação de um Conselho de Entidades de Turismo que reúna todas aquelas que tem interesses afins. O objetivo é somar forçar e discutir em conjunto matérias de interesse geral. Código de Ética Em 1992 foi elaborado um texto, que nunca foi aplicado e, por isso, contrariava o estatuto da Abav que prevê um Código de Ética unificado e um Conselho de Ética para fiscalizar a obediência ao mesmo. Através do empenho do conselheiro fiscal da Abav Nacional Nilo Machado Pereira e do assessor Jurídico da entidade foi feita a reformulação do Código de Ética, criando assim um texto único, que foi aprovado e referendado durante a reunião de Conselho de Presidentes e Diretoria da Abav Nacional, em Aracajú, em março de

14 Congresso e Feira das Américas Principais mudanças Em 2008, pela primeira vez, os cinco pavilhões do Riocentro foram ocupados, sendo que o Pavilhão 2 foi destinado exclusivamente aos países das Américas. O investimento foi uma estratégia da Abav para alocar a demanda reprimida e também para garantir o crescimento contínuo do evento. Desta forma, 2,5 vezes no Pavilhão 2 e mais de 4 mil m2 no Pavilhão 3.a Feira das Américas passou a ter espaço para crescer Em 2009, duas novidades: o apoio, inédito, do Governo e Prefeitura do Rio de Janeiro ao evento com o repasse de verbas no valor total de R$ 600 mil durante quatro anos, a começar por 2009, garantido assim a permanência do evento no Rio até 2012 e a terceirização da Feira das Américas, que passou a ser comercializada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado. O principal objetivo era potencializar o crescimento do evento e sua internacionalização. Em 2010, houve a reformulação do Congresso com a oferta de diversos seminários simultâneos antes da realização das sessões plenárias. Não houve, como nos anos anteriores, pré-inscrições. As vagas foram limitadas e preenchidas por ordem de chegada. A proposta era aumentar a oferta de conteúdo e permitir que o congressista escolhesse os temas de maior interesse. Em 2011, a Abav Nacional terceirizou o Congresso e contratou a empresa Imaginadora para elaborar todo o conteúdo. As principais mudanças foram a alteração do horário do Congresso, que foi realizado no período da tarde e durante os três dias de evento; a oferta de mais de 50 oficinas de conhecimento em períodos curtos, de 30 minutos cada; e a reformulação da abertura oficial que foi mais curta e inovadora. A Feira das Américas também sofreu alteração no horário e passou a funcionar das 11h às 18h. O objetivo da mudança foi a modernização e a busca pela inovação na oferta de conteúdo e formato. Histórico visitantes Total de profissionais em Total de profissionais em Total de profissionais em Total de profissionais em

15 Histórico de número de expositores Expositores em países no total Expositores em países no total Expositores em países no total Expositores em países no total Evolução de novos expositores novos expositores novos expositores novos expositores novos expositores Evolução de área liquida vendida m² m² m² m² 15

16 Temas do Congresso e número de oficinas oferecidas 36º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens Turismo: Os negócios mudaram. E você? Três Rodada Tira Dúvida sobre: Lei Geral do Turismo / Câmbio / Nova prática de cobrança de hotéis. Quatro seminários: inovação e resultados / mercado receptivo / turismo rodoviário / cobrança de serviços. Três plenárias: Bernardinho falou de formação de equipes e identificação de talentos / Landry Holi de tecnologia / André Tadeu de gestão. 37º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens 2009 Mercado de Viagens: Direcionamento Estratégico das Agências de Turismo Seis seminários: Receptivo Brasileiro / Responsabilidade Civil / CruzeirosMarítimos / Tecnologia / Gestão de Pessoas e a Valorização profissional / Turismo Rodoviário Duas plenárias: Amyr Klink falou sobre motivação / André Tadeu falou sobre oportunidades de negócios para agentes de viagens. 38º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens Agente & Cliente: a Melhor Relação Nove seminários simultâneos sobre: cruzeiro marítimos, operação, receptivo, seguro e assistência, turismo rodoviário, locação de veículo, turismo corporativo, tecnologia e marketing. Duas plenárias: Carlos Alberto Sardenberg falou sobre a economia brasileira / André Tadeu sobre como reinventar as agências de viagens. 39º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens 2011 O Brasil Bem Sucedido: Oportunidades e Novas Atitudes para o Turismo Mais de 60 oficinas somultâneas sobre: tecnologia no turismo, estratégia, comunicação e marketing, gestão de talentos e negócios, oportunidades, vendas e atendimento. Três plenárias: Roberto DaMatta falou sobre ética no poder / Claudia Brazil, Milvia Santos e Inav Mauro, com mediação do Gustavo Syllos, falaram sobre os segredos dos melhores promotores do Brasil / Caco de Paula, Deusa Rodrigues, Francisco Ancona Lopez e Romina Rozensztajn, com mediação de Artur Andrade, falaram sobre Blogs e o poder de influenciar escolha de destinos e roteiros 16

17 Proagência II 2009 a 2011 No PROAGÊNCIA II, a Abav e o SEBRAE Nacional tiveram como principal objetivo de levar conhecimento, com nível de excelência, às agências de viagens de todo o Brasil. Confira abaixo as principais ações empreendidas nos últimos dois anos: Curso de Gestão Estratégica para o Setor de Agenciamento de Viagens Voltado para profissionais de agências de viagens de todo o Brasil, associadas ou não à Abav e, em especial, diretores, gestores ou pessoas-chave que as administrem, o curso teve como objetivo propor a discussão sobre as melhores práticas para a elaboração do plano estratégico da empresa, formulando metas que permitissem estabelecer a direção a ser seguida a médio e longo prazo. Para tal, foram abordados aspectos essenciaisrelativos tanto à análise de contexto, visão dos cenários e formulação de estratégias empresariais competitivas, quanto ao monitoramento dos resultados através de indicadores e envolvimento dos interessados. Público Alcançado: 672 participantes em todo o Brasil. Alguns depoimentos... Ouvir opiniões e visões diferentes sobre o turismo é algo valoroso. No mundo atual as coisas acontecem numa velocidade impressionante e surgem novidades a cada dia. Temos que acompanhar este processo de forma criativa e dinâmica. Carolina Viana Albuquerque, da agência modelo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Um bom site e um bom blog pode ser mais visitado que a própria loja, fora a facilidade, praticidade e economia de recursos que esta ferramenta proporciona em outros aspectos como comunicação por exemplo. Porém, é fundamental que os colaboradores estejam atualizados para saber usar essas ferramentas, caso contrário, não terão utilidade alguma. No mundo atual, se não procurarmos inovar a cada dia, buscando um diferencial de produto no mercado, ficaremos para trás. Helio Zanona, gestor da agência Makunaíma Expedições 17

18 Cursos de Educação à Distância (EaD): 30 Turmas de Educação àdistância (EaD) participantes selecionados em todo o Brasil Gestão de Empresas 969 participantes Gestão de Pessoas 373 participantes Gestão de Roteiros 545 participantes De Agente a Consultor de Viagens 524 participantes Vendendo Produtos 41 participantes Gestão de produtos 338 participantes Alguns depoimentos É preciso estar sempre adiante e preparado para aceitar e enfrentar novos desafios. Com conteúdos bem selecionados e interação entre os participantes, o curso proporcionou um grande e prazeroso aprendizado em um curto espaço de tempo. Kin Costa Amorim, consultora de viagens, Aerocondor FLN. É um alívio enxergar novas possibilidades e caminhos que podem ser tomados para a concretização de meus sonhos pessoais e profissionais. Tem valido a pena cada minuto, e tenho certeza que agora decolarei para fazer da minha empresa as 10 mais nos próximos 10 anos. Edmilson Romão, da L equipe Viagens 18

19 Training Show II Sob o tema Competitividade, um caminho para o Sucesso, o training show percorreu 35 destinos brasileiros, no intuito de chamar a atenção dos agentes de viagens para as principais tendências do momento: oportunidades de negócios em relação àcopa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016; além da ascensão das classes C e D. 35 apresentações em todo o Brasil pessoas capacitadas Pesquisa da Abav mostra 100% de aprovação Para conhecer a opinião e as necessidades do setor de agenciamento turístico, a Abav e o Sebrae Nacional realizaram uma pesquisa sobre o Training Show Competitividade, um caminho para o sucesso. O resultado mostrou não só uma aprovação de 100% dos participantes dos Training Shows (69% excelente, 14% muito bom, 17% bom), mas também as expectativas dos agentes de viagens em temas como lucratividade, perfis de novos consumidores e grandes eventos como a Copa do Mundo e Jogos Olímpicos. Centrais de Negócios Centrais de Negócios proporcionam vantagens empresariais importantes que podem ser concretizadas de forma associativa, cooperada ou através de uma consolidadora no setor de agenciamento e é apontada como uma solução para que os micro e pequenos empresários tenham maior competitividade no mercado, onde a disputa pelo cliente é cada vez mais acirrada. Ações realizadas: Palestras em todas as capitais do Brasil para mostrar aos agentes de viagens como ter condições mais competitivas no mercado através de Redes e Centrais de Negócios; Desenvolvimento de CD orientativo sobre implantação das Centrais de Negócios no Setor de Agenciamento de Viagens; 19

20 Manuais Orientativos EI - Empreendedor Individual Com a Lei Complementar 128/08 - que alterou o Estatuto das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte - os empreendedores autônomos podem ser legalizados como Empreendedores Individuais (EI). O livreto orienta os gestores das agências de viagens em como ter uma relação formal com seus prestadores de serviços, como agentes de viagens, taxistas, motoristas de transporte de passageiros e excursões, animadores de festa, promotores de vendas, serviços de reserva e outros serviços de turismo. Estratégias de Inteligência Competitiva Numa linguagem clara e objetiva, este manual aponta as práticas e os conceitos da Inteligência Competitiva (IC) que devem ser utilizadas pelo Agente de Viagens como forma de antecipar-se às tendências mercadológicas e à evolução da concorrência, ajudando o profissional a avaliar as oportunidades de desenvolvimento da empresa, orientando-a rumo ao sucesso. Como Vender para o Governo Lançado durante a Feira das Américas 2010, em formato de perguntas e respostas, ensina como as micro e pequenas agências de viagens podem participar de editais públicos e quais são as modalidades de licitações, com base na Lei Complementar n. 123/06, que estabelece normas relativas ao tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às micro e pequenas empresas. Estratégias de Marketing para Agências de Turismo Receptivo Direcionado principalmente para as agências de receptivo, este manual detalha como planejar e aplicar um plano de marketing definindo produtos turísticos mais competitivos e inovadores, além de orientar os agentes de viagens rumo à competitividade, tendo em vista as oportunidades que a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos representarão para o setor. 20

21 Matriz de Competitividade para as Agências de Viagens Objetivo: Avaliar o conhecimento dos níveis de competitividade das agências de viagens de todo o Brasil e identificar o potencial para o desenvolvimento de ações que tenham maior impacto nos níveis de competitividade das empresas do setor. Resultados: 967 agências de viagens de todo o Brasil. Os resultados individuais de competitividade foram compilados e enviados aos Agentes de Viagens participantes. Publicação da Análise Geral da Competitividade do Setor de Agenciamento de Viagens Brasileiro. Alguns depoimentos... Percebo a importância no fato de fazer parte das estatísticas das agências brasileiras, além de descobrir como está minha empresa em relação ao mercado e como está o meu trabalho. Camila Larsen, proprietária da Guest Viagens Vejo esse projeto como uma oportunidade para abrir novos caminhos para a empresa. Ao saber o nível de competitividade que ocupamos no mercado poderemos redefinir estratégias para nos posicionarmos cada vez melhor. Antonio Sergio de Castro, gerente de operações da Transoceanus A empresa foi fundada hácinco meses e, certamente, o resultado da matriz daráum norte de como devemos nos posicionar no mercado. Marco Di Veroli, proprietário da agência Travel Connection Principais Resultados PROAGÊNCIA II: Agentes de Viagens beneficiados diretamente (capacitações/pesquisas): Divulgação/benefício indireto: agentes de viagens Folheteria distribuída: unidades 21

22 ICCABAV No período entre 2007 a 2011 o ICCABAVcapacitou, em média, agentes de viagens. Dentre os cursos oferecidos, destaque para: Cobrança de serviços; Marketing; Comunicação; Tecnologia; Geografia. Cursos mais requisitados º -Geografia Turística Brasil 2º -Uso de Ferramentas Tecnológicas nas Agências de Viagens 3º -Geografia Turística Enxergando Oportunidades nos 5 Continentes Total de cursos oferecidos cursos cursos cursos cursos Cursos realizados cursos cursos cursos cursos 22

23 Benchmarking em Turismo O Benchmarking em Turismo Aprendendo com as Melhores Experiências Nacionais e Internacionais, realizado em parceria com o SEBRAE e Ministério do Turismo, tendo também o apoio da Embratur, visa aumentar a competitividade das micro e pequenas empresas através de visitas técnicas nacionais e internacionais, onde os empresários brasileiros vivenciam as boas práticas dos destinos que são referência no segmento em que atuam. O programa é composto por dois projetos, um de âmbito internacional (Excelência em Turismo) e outro de abrangência nacional (Vivências Brasil), Foram 10 viagens realizadas para quatro destinos internacionais e seis nacionais, envolvendo cerca de profissionais. Veja os destinos visitados e as boas práticas observadas: 23

24 Capitais que participaram nas Viagens Técnicas EXCELÊNCIA EM TURISMO VIVÊNCIAS BRASIL Índice Geral de Aprovação = 99% Veja mais números: 113 Participantes; 524 Boas Práticas observadas nas Viagens Técnicas; 337 Implementações nas Empresas Participantes; 132 Multiplicações realizadas; Participantes nas Multiplicações do Programa; 59% dos participantes já realizaram implementações em suas empresas o que totaliza uma média de 5 implementações realizadas por empresa 24

25 Acordos e Parcerias Phone Access (dez/2008) - Venda de cartões telefônicos. As agências são comissionadas em 13% em todas as vendas do cartão. Grupo Fitta - Acordo de cooperação que formalizou a parceria para a realização de operações câmbio turismo. TCN - Condições especiais de parcelamento das vendas de pacotes turísticos através de cheque à vista e/ou pós-datado e cartões de crédito. Caixa Econômica Federal Acordo disponibiliza o financiamento de pacotes de viagens ao turismo e amplia a concessão de crédito no setor. Consórcio Gazin - Atendimento à classe C / facilidades de pagamento aos serviços oferecidos. ACE seguradora - Apólice de Responsabilidade Civil profissional oferecendo ao turista garantia de indenizações em várias situações. I-SHOW - Nova tendência de mídia eletrônica como meio de comunicação: as redes de sinalização digital. Panrotas distribuição do Jornal Panrotas para os associados do Brasil inteiro. Turismo Rodoviário acordo de cooperação técnica com o Ministério de Turismo para regulamentação do turismo rodoviário. O acordo visa identificar o número de veículos das agências de viagens que têm frota própria para ampliar a fiscalização. 25

26 Parcerias com Ministério do Turismo Campanha Brasil Vendo Melhor Lançada em outubro de 2008, durante a Feira das Américas, a campanha Brasil Vendo Melhor, fruto da parceria entre a Abav Nacional e o Ministério do Turismo, foi uma forma de motivar os agentes de viagens a vender e a conhecer melhor o Brasil. A campanha premiou agentes de viagens, gerentes e proprietários de todo o Brasil que tiveram o melhor desempenho de vendas de pacotes de destinos nacionais. O projeto foi dividido em duas etapas, com quatro meses de duração cada. A primeira teve início em outubro de 2008 e encerramento em fevereiro de Já a segunda etapa teve início em maio de 2009 e foi encerrada em outubro do mesmo ano. Programa de Indução de Negócios no Mercado Receptivo Brasileiro A necessidade de levantar informações mais precisas sobre o setor de agenciamento turístico, principalmente com vistas para o desenvolvimento do mercado receptivo, fez com que Abav e Ministério do Turismo criassem o Programa de Indução de Negócios no Mercado Receptivo Brasileiro". O lançamento oficial do projeto aconteceu durante uma reunião da Abav Nacional com os principais líderes do setor em abril de O resultado desta ação foi a criação de um diagnóstico do Mercado Receptivo Brasileiro. Veja abaixo alguns dados do estudo. Principais carências apontadas: 1 Pouca integração entre os poderes público e privado 2 Qualificação de mão de obra e cursos de idiomas 3 Linhas de crédito e incentivos fiscais 4 Desenvolvimento de novos produtos / rotas regionais 5 Melhor distribuição da malha aérea Treinamentos que consideram necessários: 1 Gestão empresarial 2 Qualidade em atendimento 3 Planejamento estratégico 4 Idiomas 5 Geografia 26

27 Sugestões de estratégias para grandes eventos como Copa do Mundo: 1 Treinamento de toda a cadeia produtiva envolvida 2 Desenvolvimento e estruturação de roteiros regionais, que estimulem a permanência do turista 3 Melhoria e ampliação de infraestrutura portuária, aeroportuária e rodoviária 4 Criação de postos de atendimento ao turista 5 Sinalização turística trilíngue A pesquisa procurou conhecer também a origem dos turistas estrangeiros que chegam ao Brasil. Região Sul 41% América do Sul 23% Estados Unidos 23% Europa 9% América Central 4% Ásia Região Sudeste 34% América do Sul 7% Estados Unidos 34% Europa 12% América Central 13% Ásia, África e Oceania Região Norte 33% América do Norte 16% Estados Unidos 33% Europa 6% Ásia 3% África 27

28 Região Nordeste 34% América do Sul 8% Estados Unidos 34% Europa 12% América Central 12% Ásia, África e Oceania Região Centro Oeste 32% América do Sul 17% Estados Unidos 17% Europa 17% Ásia 17% Oceania Estudo Técnico para Elaboração do Plano Estratégico de Desenvolvimento Turístico O projeto, decorrente da parceria entre o Ministério de Turismo e a Abav Nacional, teve o objetivo de fomentar profissionalmente o turismo local, potencializar a geração de negócios e divisas e foi aplicado nos municipios de Anita Garibaldi (SC) e Conde (PB). Foram realizados o mapeamento e análise do potencial de desenvolvimento do turismo no município, o levantamento das condições técnicas, ambientais e de mão de obra especializada nas áreas que apresentam potenciais turísticos e a realização de uma oficina de alinhamento de conceitos sobre turismo e o conhecimento do município. 28

29 Padronização Visual Sistema Abav A Abav Nacional iniciou o processo de padronização visual do Sistema Abav. A iniciativa visa estabelecer conceitos e padrões únicos a serem adotados por todas as estaduais, de modo a evitarmos equívocos e fortalecermos a marca Abav. As ações iniciais são: Cartão do Associado A Abav Nacional está em contato com as Abavs estaduais que jápossuem um modelo para determinar a escolha e desenvolvimento do layout do novo Cartão do Associado. O objetivo éadotar um único modelo para todas. Abav Nacional novo Abav Nacional antigo Será desenvolvido ainda um manual para estabelecimentos e renovação de convênios, de modo a torná-los válidos para todos os associados ao Sistema Abav, onde o portador do cartão poderá se utilizar dos benefícios oferecidos em todos os Estados, independentemente de sua base. Padronização dos endereços eletrônicos Para que todas as Abav s tivessem o mesmo padrão de endereços de site, a Abav Nacional escolheu como domínio oficial o do estado).com.br e se propos a pagar, por um ano, a partir de 2011, para que todos adotassem o novo endereço. 29

30 Criação de site Com o objetivo de atender as Abav s estaduais que não possuíam site, a Abav Nacional criou hotsites padronizados e que podem ser acessados através do link Nove Abav s játem novo site: Acre, Alagoas, Amapá, Distrito Federal, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Sergipe e Tocantins Veja abaixo o modelo: Padronização do Logotipo da Abav Todas as Abav s estaduais e DF passaram a adotar o mesmo padrão de logomarca. O objetivo deste processo éfortalecer ainda mais a marca e a identidade visual da Abav. 30

31 Reuniões de Diretoria /12 Sede da Abav Nacional (SP) /02 Hotel Maksoud (SP) Reunião com entidades 01/03 - Hotel Delphin Guarujá(SP) 27/08 -Sede da Abav Nacional (SP) 12/09 Bonito (MS) 08/12 -Sede da Abav Nacional (SP) /01 -Sede da Abav Nacional (SP) 17/02 -Sede da Abav Nacional (SP) /03 Novotel Jaraguá(SP) /03 Novotel Jaraguá(SP) 27/03 -Sede da Abav Nacional (SP) 04/10 -Sede da Abav Nacional (SP) Reuniões Conselho de Presidentes /03 Maksoud Plaza (SP) 19/09 Hotel Marina Park (CE) /03 Resorts Ilha de Santa Luzia (SE) 27/05 D. Pedro Palace Hotel (PT) 21/08 Bourbon Cataratas (PR) /05 Hotel Vila Galé(PT) 11/08 Novotel Jaraguá(SP) /05 Hotel Sheraton (PT) 27/05 Hotel Mussulo By Mantra (PA) 31

32 Reuniões do Conselho Nacional /10 Hotel Intercontinental (RJ) /10 - Sheraton Barra Hotel (RJ) 07/11 Hotel Blue Tree (SP) /10 - Sheraton Barra Hotel (RJ) /06 Hotel Loi Suites (PR) 18/10 - Sheraton Barra Hotel (RJ) 29/11 Novotel Jaraguá(SP) 32

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

PROAGÊNCIA II. CURSOS EaD EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

PROAGÊNCIA II. CURSOS EaD EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA PROAGÊNCIA II CURSOS EaD EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA 1. NOME DO CURSO: GESTÃO DE EMPRESAS DE AGENCIAMENTO E OPERAÇÕES TURÍSTICAS 2. OBJETIVO: o curso visa envolver os profissionais nos seguintes assuntos: - as

Leia mais

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae ASSOCIATIVISMO Fonte: Educação Sebrae O IMPORTANTE É COOPERAR A cooperação entre as pessoas pode gerar trabalho, dinheiro e desenvolvimento para toda uma comunidade COOPERAR OU COMPETIR? Cooperar e competir

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013.

RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013. RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013. Dispõe sobre a criação e atribuições das delegacias regionais e dos delegados e dá outras providências. O Conselho Regional de Medicina do Estado

Leia mais

INTRODUÇÃO. Apresentação

INTRODUÇÃO. Apresentação ANEXO ÚNICO DA RESOLUÇÃO ATRICON 09/2014 DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO ATRICON 3207/2014: OS TRIBUNAIS DE CONTAS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL: CONTROLE DO TRATAMENTO DIFERENCIADO E FAVORECIDO ÀS MICROEMPRESAS

Leia mais

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Comitê de Agências Gestão 2008 ÍNDICE OBJETIVO DO DOCUMENTO... 3 DEFINIÇÕES... 4 PONTOS PARA A ELABORAÇÃO DE UMA CONCORRÊNCIA... 5 RFI: Quando

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015 Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC Processo de Seleção de Empresas EDITAL nº 2/2015 Brasília, 20 de Novembro de 2015 Apresentação É com satisfação que a Projetos Consultoria Integrada,

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas. Projeto de Compras Governamentais

Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas. Projeto de Compras Governamentais Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas Projeto de Compras Governamentais 2º Seminário Internacional sobre Compras e Contratações Sustentáveis Agosto/2014 Maria Aparecida Rosa Vital Brasil

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

Parceria de sucesso para sua empresa

Parceria de sucesso para sua empresa Parceria de sucesso para sua empresa A Empresa O Grupo Espaço Solução atua no mercado de assessoria e consultoria empresarial há 14 anos, sempre realizando trabalhos extremamente profissionais, pautados

Leia mais

CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA E INSTRUTORIA

CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA E INSTRUTORIA CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA E INSTRUTORIA PERGUNTAS FREQUENTES Este guia com perguntas e respostas foi desenvolvido para possibilitar um melhor entendimento

Leia mais

7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado

7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado 7. Fundamentos do agenciamento e produtos turísticos 7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado INSTRUTOR(A): Andreia Roque Representantes de agências de viagens, técnicos

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA Mudança da Marca e Posicionamento Esse boletim explicativo tem o objetivo de esclarecer suas dúvidas sobre a nova marca Evolua e de que forma ela será útil para aprimorar os

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO Capítulo I da Finalidade Art. 1o. - Este Regimento Interno complementa e disciplina disposições do Estatuto da Associação Brasileira de Manutenção

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários

CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários ASSESSORIA PARLAMENTAR INFORMATIVO 14 DE NOVEMBRO DE 2014 CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários A intenção é evitar que condenados usem essas contas para

Leia mais

Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social

Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social O XVIII Concurso do ELAS Fundo de Investimento Social, em parceria com a MAC AIDS Fund, visa fortalecer, por meio de apoio técnico e

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Novos negócios no Ceará

Novos negócios no Ceará ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Novos negócios no Ceará No DR Ceará, as oficinas de Estratégia de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO LEI N 495, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ESPORTES E DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Povo do Município de Nepomuceno, Minas Gerais,

Leia mais

MBA em Design Estratégico

MBA em Design Estratégico MBA em Design Estratégico Público - alvo Indicado para profissionais com formação em Design, Arquitetura, Moda ou gestores e empreendedores que estejam buscando novas formas de gestão orientadas para a

Leia mais

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança - ABESE Entidade que representa, nacionalmente, as empresas de sistemas

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14/2010 CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE EMPRESA CONSULTORIA/ASSESSORIA PARA APOIO AO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PROGRAMA

Leia mais

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo PERFIL PROFISSIONAL Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo É o profissional que atua em agências de viagens, em meios de hospedagem, em empresas de transportes e de eventos; promove

Leia mais

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL JUSTIFICATIVA A experiência na implementação da primeira versão do Programa Contabilizando o Sucesso

Leia mais

O ponto de apoio ideal dos profissionais do volante! 26 a 28 de setembro RIOCENTRO Rio de Janeiro - RJ

O ponto de apoio ideal dos profissionais do volante! 26 a 28 de setembro RIOCENTRO Rio de Janeiro - RJ O ponto de apoio ideal dos profissionais do volante! 26 a 28 de setembro RIOCENTRO Rio de Janeiro - RJ A Expotáxi agora é nacional Atendendo ao grande apelo da imensa maioria dos expositores e ao sucesso

Leia mais

AULA 10 Sociedade Anônima:

AULA 10 Sociedade Anônima: AULA 10 Sociedade Anônima: Conceito; características; nome empresarial; constituição; capital social; classificação. Capital aberto e capital fechado. Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Bolsa de Valores.

Leia mais

O RH dos sonhos dos CEOs

O RH dos sonhos dos CEOs O RH dos sonhos dos CEOs Expectativas e estratégias da liderança para os Recursos Humanos Presidentes de empresas de todos os portes falaram sobre a importância dos Recursos Humanos para as suas empresas

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR

CHAMADA DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR Carta Projeto MDA N 002/2012 IPD Curitiba, 13 de janeiro de 2012. IPD - INSTITUTO DE PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO CHAMADA DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR Chamada de Seleção de Empreendimentos

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional. Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br

Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional. Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br Sumário 1. Dados da SAC sobre o Setor Aeroportuário 2. Plano Geral de Outorgas

Leia mais

DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Confere nova regulamentação ao Conselho Municipal de Segurança

Leia mais

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO I DA CONVOCAÇÃO O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins lucrativos, comunica e convida empresas do setor

Leia mais

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Termo de Referência Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico No âmbito do Programa Pernambuco Trabalho e Empreendedorismo da Mulher conveniado

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local -

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local - Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Assistente Técnico Local - No âmbito do Programa Pará - Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial de Políticas para

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA Programa Nacional de Capacitação e Qualificação ABLA Convênio nº 635/2007. Objeto: Aumentar a qualidade na prestação de serviços e competitividade dos

Leia mais

Edital do XII Concurso de Projetos. Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil

Edital do XII Concurso de Projetos. Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil Edital do XII Concurso de Projetos Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil O ELAS, Fundo de Investimento Social, organização sediada no

Leia mais

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal Discurso 04/12/2003 Dr. Alfredo Setubal Presidente do Conselho de Administração do IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores Boa Noite! Esta cerimônia de final de ano é a minha última à

Leia mais

Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas

Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas FAQ (frequently asked questions) Perguntas e Respostas 1 Quando surgiu a UNS? A UNS Idiomas iniciou suas atividades na cidade de São Paulo, onde está localizada

Leia mais

Abra. e conheça as oportunidades de fazer bons negócios...

Abra. e conheça as oportunidades de fazer bons negócios... Abra e conheça as oportunidades de fazer bons negócios... anos Chegou a hora de crescer! Conte com a Todescredi e faça bons negócios. Há 5 anos, iniciavam as operações daquela que se tornou a única financeira

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO

FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Brasília, 18 de maio de 2010. MPE? Conceituação Brasil REPRESENTATIVIDADE

Leia mais

A verdadeira arte de viajar

A verdadeira arte de viajar A verdadeira arte de viajar A Ducato Turismo é uma agência especializada na prestação de serviços de gestão de viagens corporativas, com proposta e objetivo de personalização no atendimento diferenciado

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

Nordeste FEVEREIRO 2015

Nordeste FEVEREIRO 2015 Banco do Nordeste FEVEREIRO 2015 Banco do Nordeste do Brasil Visão Geral Banco Múltiplo com 62 anos de atuação para o desenvolvimento da região Nordeste, norte de MG e do ES. Ativos Totais R$ 71,0 bilhões

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE SUMÁRIO QUEM SOMOS 02 PREMIAÇÕES 03 ONDE ESTAMOS 04 O MODELO QUIOSQUE 06 NOSSO NEGÓCIO 07 MULTIMARCAS 07 MULTISERVIÇOS 08 PERFIL DO FRANQUEADO 09 VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone: 55

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

BALANÇO 1º SEMESTRE DE 2013 ATIVIDADES REALIZADAS ATIVIDADES EM ANDAMENTO GESTÃO PRESIDENTE ORLANDO LEONE

BALANÇO 1º SEMESTRE DE 2013 ATIVIDADES REALIZADAS ATIVIDADES EM ANDAMENTO GESTÃO PRESIDENTE ORLANDO LEONE BALANÇO 1º SEMESTRE DE 2013 ATIVIDADES REALIZADAS ATIVIDADES EM ANDAMENTO GESTÃO PRESIDENTE ORLANDO LEONE JANEIRO Participação da ANFAMOTO no Fórum Metropolitano para Regulamentação do Motofrete. A ANFAMOTO

Leia mais

III FOMENTA Nacional (2010) e efeitos do evento

III FOMENTA Nacional (2010) e efeitos do evento Pesquisa Sebrae: Empresários participantes do III FOMENTA Nacional (2010) e efeitos do evento Brasília, Novembro 2012 * *Conhecer o perfil das empresas participantes do III Fomenta Nacional; *Investigar

Leia mais

Questionário de entrevista com o Franqueador

Questionário de entrevista com o Franqueador Questionário de entrevista com o Franqueador O objetivo deste questionário é ajudar o empreendedor a elucidar questões sobre o Franqueador, seus planos de crescimento e as diretrizes para uma parceria

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Operador Econômico Autorizado - OEA

Operador Econômico Autorizado - OEA Operador Econômico Autorizado - OEA 26.08.15 Operador Econômico Autorizado - OEA Agenda 00:00 Quem Somos O que é OEA? Benefícios Fases de Implementação Requisitos Projeto Piloto - Fase 1 01:30 Fase 2 OEA

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011)

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011) CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ RUA VICTÓRIO VIEZZER. 84 - CAIXA POSTAL 2.208 - CEP 80810-340 - CURITIBA - PR FONE: (41) 3240-4000 - FAX: (41) 3240-4001 - SITE: www.crmpr.org.br - E-MAIL: protocolo@crmpr.org.br

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS CRESS SOBRE QUADRO DE ASSISTENTES SOCIAIS NOS TRIBUNAIS DE JUSTIÇA DOS ESTADOS

LEVANTAMENTO DOS CRESS SOBRE QUADRO DE ASSISTENTES SOCIAIS NOS TRIBUNAIS DE JUSTIÇA DOS ESTADOS LEVANTAMENTO DOS CRESS SOBRE QUADRO DE ASSISTENTES SOCIAIS NOS TRIBUNAIS DE JUSTIÇA DOS ESTADOS Informações enviadas pelos CRESS: 1ª. PA; 2ª. MA; 5ª. BA; 6ª.-MG; 7ª. RJ; 10ª. RS; 11ª. PR; 12ª-SC; 13ª.

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE - 15H (R$ 90,00)

ATENDIMENTO AO CLIENTE - 15H (R$ 90,00) 3 ABRIL ATENDIMENTO AO CLIENTE - 15H (R$ 90,00) DATA: 06 a 10/04/2015 HORÁRIO: 19h às 22h CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Bem tratado ou bem atendido? Momentos da verdade das empresas O perfil do profissional de

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

Transparência no BNDES Mauro Figueiredo 1 e Jennifer Gleason 2

Transparência no BNDES Mauro Figueiredo 1 e Jennifer Gleason 2 Transparência no BNDES Mauro Figueiredo 1 e Jennifer Gleason 2 O Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) é um banco estatal 3, fundado em 1952, que opera sob a supervisão do ministério do Desenvolvimento,

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS

Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS PRÁTICA 1) TÍTULO Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: O Hotsite da Carta de Serviços ao Cidadão do MDS foi um projeto realizado pela Ouvidoria

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS 1. APRESENTAÇÃO A Fundação

Leia mais

FRANQUIA HOME OFFICE

FRANQUIA HOME OFFICE FRANQUIA HOME OFFICE SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia.

Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia. Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia Elisabeth Gomes 6º Conferencia Anual de Inteligência Competitiva IBC São Paulo

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA Sindilojas, 24 de julho de 2014 Legislação da CIPA Decreto-lei nº 7.036 de 10/11/1944 (Lei de Acidentes do Trabalho): Art. 82. Os empregadores, cujo número

Leia mais

Como ter sucesso na educação a distância

Como ter sucesso na educação a distância Metodologia Diferenciada Ambiente de Aprendizagem Moderno Inovação Continuada e Empreendedorismo Como ter sucesso na educação a distância 1 Regulamento 2 1 Como ter sucesso na educação a distância Para

Leia mais

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS SELO ABRAIDI Programa de BPADPS Reuniões: Julho a Agosto de 2010 Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes PAUTA * OBJETIVOS * ASPECTOS FUNDAMENTAIS * HISTÓRICO * SITUAÇÃO ATUAL

Leia mais

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA Considerando a importância de efetivar a gestão integrada de recursos hídricos conforme as diretrizes gerais de ação estabelecidas na Lei 9.433, de 8.01.1997, a qual institui

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 508, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 508, DE 2015 SENADO FEDERAL Gabinete do Senador JOSÉ SERRA PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 508, DE 2015 Altera a Lei nº 11.314, de 3 de julho de 2006, que dispõe sobre o prazo referente ao apoio à transferência definitiva

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS

EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A Secretaria Municipal de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente convida os Órgãos Públicos

Leia mais

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Assessoria de Planejamento de Modernização do Poder - APMP Divisão de Estatística do Tribunal de Justiça - DETJ Assessoria de Planejamento

Leia mais

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB TERMO ADITIVO AO EDITAL nº 02/2013 PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS ALTERAÇÃO DE DATAS E FORMA DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Apoio: Brasília, 28 de agosto de 2013.

Leia mais

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1.1. TÍTULO: Viagens de Estudos e Visitas Técnicas Internacionais

Leia mais

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional Desafio Fomentar o Uso do Poder de Compra do Governo Junto aos Pequenos Negócios para Induzir

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais