PARTE B REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARTE B REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA"

Transcrição

1 PARTE B REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA INTRODUÇÃO No GT3 Cup Challenge Brasil serão utilizados carros tecnicamente idênticos (modelos Porsche 911 GT3 Cup) de uma série limitada construída com base no modelo convencional Porsche 911 GT3. Apenas carros do modelo tipo 997, MY 2007, MY 2008 e MY 2009, competirão na Classe Challenge (B); e somente carros do modelo tipo 997, MY2010, MY2011 e MY 2012 competirão na Classe Cup (A). Todos os carros inscritos no Campeonato devem corresponder à mais recente Regulamentação Técnica e de Segurança da FIA, permanecendo assim em conformidade com o Anexo J da FIA (Artigo 257A). A vistoria técnica dos carros será realizada pelos vistoriadores credenciados pelo GCCB. CAPÍTULO I MODIFICAÇÕES E INSTALAÇÕES AUTORIZADAS Artigo 1: Quaisquer modificações nos veículos são proibidas, salvo aquelas promovidas pela PROMOTORA do evento adiante citadas: Parágrafo Primeiro: O GCCB reserva-se o direito de promover alterações adicionais nos veículos, desde que as mesmas sejam realizadas da mesma forma em todos os carros, conforme a nova especificação a ser promovida pela PROMOTORA. Parágrafo Segundo: As modificações realizadas e autorizadas são: (i) - Na Classe Challenge, (i) barras (almas) de proteção interna nos parachoques dianteiros e traseiros; (ii) ganchos flexíveis em cabo de aço para reboque; (iii) substituição dos faróis por bolha (capa) de fibra de vidro; (iv) duas aberturas de saída de ar (ventilações) no vigia traseiro; (v) dispositivo para acionamento automático do acelerador nas reduções marchas puntataco /blipper; (vi) utilização de gurney de 8 mm de altura instalado no aerofólio traseiro; (vii) furo de ventilação, com moldura, na janela do piloto. (ii) - Na Classe Cup, (i) dispositivo para acionamento automático do acelerador nas reduções marchas punta-taco /blipper. Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 1

2 CAPÍTULO II REPAROS E DA MANUTENÇÃO Artigo 2: Nos reparos de acidentes, os danos causados aos painéis da carroceria, pintura e adesivos, serão reparados somente pelo GCCB ou seus fornecedores oficiais. Artigo 3: Toda e qualquer manutenção nos veículos, será executada pelo GCCB e seus fornecedores oficiais. Artigo 4: Todas as peças de substituição serão fornecidas pelo GCCB. CAPÍTULO III EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA Artigo 5: Os carros estão sujeitos à regulamentação de segurança do grupo GT3 da FIA (Anexo J Artigo 257A). Parágrafo Primeiro: Uma exceção refere-se ao Artigo 6.3, devido a nem todos os tanques de combustível dos carros inscritos preencherem as especificações FIA/FT Nenhuma mudança foi feita às características e especificações dos tanques de combustível, portanto eles permanecem originais de acordo com a montagem feita pela Porsche AG. Parágrafo Segundo: Outra exceção é ao Artigo 8.4. As baterias dos carros são protegidas por material isolante parcialmente e não completamente. Estas permanecem com as mesmas características e especificações originais de acordo com a fabricação da Porsche AG. Artigo 6: O Santantonio (Roll Cage), utilizado nos veículos é original do veículo, fornecido pela Porsche AG. Artigo 7: Os extintores de incêndio utilizam um sistema padrão, instalado pela Porsche AG em todos os carros satisfazendo as provisões do Código Internacional Esportivo da FIA, Apêndice J, Artigo 257A. Artigo 8: A posição do extintor de incêndio é definida pelo fabricante do veículo, Porsche AG, e não pode ser mudada. Artigo 9: O cinto de segurança é de 6 pontos, homologado pela FIA. Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 2

3 CAPÍTULO IV TIPOS DE MOTORES E SEUS COMPONENTES IV. 1 TIPOS DE MOTORES Artigo 10: Na Classe Challenge, o motor é baseado no modelo 911 GT3 de 3,6 litros. No caso de reparo, esses somente poderão ser executados pelo GCCB. Em caso de necessidade e a seu critério, o GCCB poderá substituir o motor de um veículo. Artigo 11: Na Classe Cup, o motor é baseado no modelo 911 GT3 de 3,8 litros. No caso de reparo, esses somente poderão ser executados pelo GCCB. Em caso de necessidade e a seu critério, o GCCB poderá substituir o motor de um veículo. IV. 2 UNIDADE DE CONTROLE DO MOTOR (ECU) Artigo 12: Durante toda a duração do evento (treino oficial livre, treino classificatório e corrida), somente podem ser utilizadas as unidades de controle de motor Motronic ECU, especificamente codificadas. Artigo 13: A adição ou alteração de qualquer tipo de componente, ou ainda, mudanças no chicote de fiação, etc., dos carros é proibida. Artigo 14: O GCCB e/ou os técnicos de vistoria, tem o direito de verificar e/ou trocar as unidades de controle de motor Motronic e/ou instalar um sistema de gravação de dados do motor a qualquer momento durante o evento. Parágrafo Único: O GCCB e/ou os técnicos de vistoria poderão alocar o ECU através de sorteio antes do treino livre ou treino de classificação, a cada evento. Artigo 15: O GCCB e/ou os técnicos de vistoria, tem o direito de executar quaisquer verificações aleatórias nas ECUs e fazer as substituições que entenderem necessárias. CAPÍTULO V SUSPENSÃO V.1 AJUSTES Artigo 16: Os ajustes de suspensão poderão ser modificados dentro dos limites da gama de ajustes existentes em cada tipo de veículo. Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 3

4 Parágrafo Único: Todos os ajustes permitidos serão realizados exclusivamente pelo GCCB, para todos os carros concorrentes. V.2 AMORTECEDORES E MOLAS Artigo 17: Não é permitida a utilização de amortecedores além dos originais de fábrica. Artigo 18: Nenhuma modificação nos amortecedores é permitida. Artigo 19: Não é permitida a troca de molas, por outras que não sejam as originais de fábrica. V. 3 ALTURA DE RODAGEM Artigo 20: A altura de rodagem não poderá ser modificada dentro da gama existente de ajustes, sendo fornecida na posição prescrita pela GCCB. V.4 BARRAS ESTABILIZADORAS Artigo 21: O ajuste das barras estabilizadoras é feito através do posicionamento das facas, sob livre escolha do COMPETIDOR. CAPÍTULO VI INTERIOR DO CARRO VI. 1 ASSENTO Artigo 22: O assento e seus trilhos de movimentação podem ser alterados de acordo com a necessidade do COMPETIDOR. VI. 2 VENTILAÇÃO INTERNA Artigo 23: Sistemas de ventilação aperfeiçoados com mangueira de ar flexível para o piloto são originais de fábrica. Parágrafo Único: Modificações adicionais não são permitidas a menos que aprovadas pelo GCCB. Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 4

5 VI. 3 COOL SUITS Artigo 24: O uso de Cool Suits é permitido, inclusive com sistema para ingestão de água. CAPÍTULO VII PESO DO COMPETIDOR Artigo 25: O peso mínimo do COMPETIDOR incluindo todo seu equipamento de competição, ou seja, macacão, capacete, luvas, balaclava, roupas de baixo, sapatilhas e Hans, deverá ser de 95 (noventa e cinco) kg para a Classe Cup, e de 90 (noventa) kg para a Classe Challenge. Parágrafo Único: Para os pilotos que porventura não atingirem esse peso mínimo, será instalado pelo GCCB um peso extra (lastro) da diferença, sob o assento do piloto, para atingir o peso mínimo exigido. A soma do peso do piloto, incluindo equipamentos e peso extra (lastro) deverá atingir 95 (noventa e cinco) kg para os COMPETIDORES da Classe Cup e 90 (noventa) kg para os COMPETIDORES da Classe Challenge. Exemplo: Piloto mais equipamentos pesando 85 kg, carregará 10 (dez) kg de lastro na Classe Cup, e 5 (cinco) kg de lastro na Classe Challenge. CAPÍTULO VIII PNEUS VIII. 1 PNEUS E CALIBRAGENS Artigo 26: Nos treinos livres oficiais, nos treinos de qualificação e corridas, somente serão permitidos o uso pneus Yokohama, oficialmente liberados pelo GCCB. Parágrafo Único: Os pneus serão adquiridos pelo COMPETIDOR diretamente do fornecedor oficial, durante o evento. Artigo 27: Durante as provas, treinos classificatórios e treinos livres, a pressão dos pneus será determinada em cada circuito (pista) unicamente pela Yokohama, fornecedora oficial de pneus para o GCCB. Artigo 28: A Yokohama fará o controle da pressão e calibragem dos pneus, em toda saída de Box, ou grid de largada de prova. Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 5

6 Parágrafo Único: A recalibragem dos pneus somente poderá ser realizada, pela equipe da Yokohama, que ser for o caso, poderá reajustá-la para a máxima estabelecida. Artigo 29: O pré-aquecimento e qualquer tipo de tratamento químico ou mecânico dos pneus são proibidos. Artigo 30: A utilização de agentes de aquecimento ou outros meios que mudem a temperatura dos pneus é ilegal, portanto, proibida em qualquer hipótese. VIII. 2 TROCAS DE PNEUS Artigo 31: Nos treinos opcionais e/ou oficiais das Classes Cup e Challenge, a troca de pneus ficará a critério do COMPETIDOR, sem nenhum limite de quantidade de jogos. Artigo 32: Nos treinos classificatórios das Classes Cup e Challenge, será obrigatória a utilização de um jogo de pneus novos. Parágrafo Primeiro: A troca de pneu nessa circunstância, somente será permitida em caso dano do pneu que comprometa a segurança do carro e piloto. Parágrafo Segundo: Essa substituição somente será autorizada, mediante vistoria dos técnicos da fornecedora oficial de pneus e por recomendação destes. Parágrafo Terceiro: Somente serão substituídos os pneus comprovadamente danificados. Artigo 33: A utilização de pneus para as corridas obedecerão aos seguintes critérios: (i) Na primeira prova do evento, tanto para a Classe Cup como para a Challenge, será obrigatória a utilização do mesmo jogo de pneus utilizado na classificação; (ii) Na segunda prova do evento para a Classe Cup, será obrigatória a utilização de um jogo de pneus novos; (iii) Na Classe Challenge, onde excepcionalmente, ou porventura, houver uma segunda prova, a substituição de pneus será opcional. VIII. 3 PNEUS DE CHUVA Artigo 34: A direção de prova poderá determinar o uso obrigatório de pneus de chuva durante os treinos classificatórios e/ou corrida se as condições assim exigirem. Parágrafo Único: O uso de pneu de chuva durante os treinos opcionais, ou oficiais, é de livre decisão do COMPETIDOR. Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 6

7 Artigo 35: Na classificação em condições de chuva, o COMPETIDOR terá a opção de escolher entre a utilização de um jogo de pneu novo ou usado, porém, não poderá trocálo durante a classificação. Parágrafo Único: O COMPETIDOR será o único responsável pelo monitoramento do estado e da condição dos seus jogos de pneus de chuva. CAPÍTULO IX AQUISIÇÃO DE DADOS, DO SISTEMA DE RÁDIO E DO SISTEMA DE GRAVAÇÃO DE DADOS E OUTRAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO. IX. 1 SISTEMA DE RÁDIO Artigo 36: O uso de sistema de rádio para comunicação entre piloto e/ou mecânico e/ou engenheiro serão permitidos e serão fornecidos pelo GCCB. Artigo 37: O uso de sistema de rádio para comunicação entre piloto e coach, será permitido de forma opcional, com a contratação de mais um rádio adicional. IX. 2 SISTEMA DE AQUISIÇÃO DE DADOS Artigo 38: O sistema de aquisição de dados é permitido e será coletado/analisado por um membro do GCCB e será exibido para o COMPETIDOR durante o evento. IX. 3 OUTRAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO Artigo 39: Os meios de comunicação aprovados são sinais visuais do piloto e mensagens via sistema de placas mostradas pelo pessoal de box. CAPÍTULO X DISPOSIÇÕES DIVERSAS X. 1 DA ASA TRASEIRA Artigo 40: A posição original da asa traseira ajustável pode ser regulada, mas apenas dentro dos limites de ajuste existentes. Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 7

8 X. 2 DO COMBUSTÍVEL Artigo 41: O único combustível autorizado para uso será disponibilizado por fornecedor escolhido e credenciado pelo GCCB. Parágrafo Único: Para cada evento, poderá ser escolhido pelo GCCB um fornecedor diferente (como posto de gasolina, caminhão-tanque, etc.). Artigo 42: Somente o GCCB e a Federação local estão autorizados a colher amostras de combustível dos carros participantes a qualquer momento do evento. Artigo 43: O COMPETIDOR deve assegurar que a quantidade mínima de 3 (três) litros de combustível esteja disponível no tanque de combustível do veículo para amostragem a qualquer momento do evento, até que expire o período de eventual protesto. Artigo 44: As amostras retiradas do tanque de carro devem ser idênticas ao combustível fornecido pelo fornecedor de combustível oficial. Artigo 45: Nenhum aditivo de combustível será permitido. CAPÍTULO XI CÂMERAS FILMADORAS E IMAGENS DOS EVENTOS Artigo 46: A PROMOTORA do GCCB reserva-se o direito de instalar câmeras filmadoras em quaisquer dos carros de corrida ou em todos a seu livre critério, para fins de oferecer material de vídeo para a produção de vídeo, TV, ou publicidade do GCCB. Parágrafo Único: O GCCB terá o direito exclusivo de realizar filmagens em cada corrida e/ou treinos, ou qualquer de outra parte do evento para a divulgação na televisão ou em outra mídia, além de poder licenciar e explorar os direitos resultantes dessas imagens, sem a necessidade de pagar por direitos de imagem a quem quer que seja, tudo sob seu absoluto critério. Artigo 47: Os Comissários Desportivos e o Diretor de Prova poderão utilizar livremente as imagens obtidas para fins de apuração de responsabilidade por eventuais acidentes. Artigo 48: Nenhum COMPETIDOR poderá participar dos eventos ou das corridas, ou ainda, de qualquer outra parte dos eventos, se tiver instalado no veículo qualquer dispositivo de filmagem dentro, ou sobre o carro, em quaisquer circunstâncias onde a PROMOTORA do GCCB não tenha solicitado ou dado seu consentimento prévio de permissão para a presença e operação de tal dispositivo. Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 8

9 CAPÍTULO XII OBSERVAÇÕES ADICIONAIS E DISPOSIÇÕES FINAIS Artigo 49: Os lacres e marcas aplicadas nos carros ou equipamentos pelo GCCB, ou pela Porsche somente poderão ser rompidos, alterados ou copiados pela PROMOTORA do GCCB e seus membros. Artigo 50: Quaisquer discussões sobre eventuais divergências na interpretação do presente Regulamento caberão exclusivamente à direção do GCCB a decisão final acerca de sua interpretação. Artigo 51: O presente Regulamento GCCB 2013 é de cumprimento compulsório, eis que todos os COMPETIDORES e participantes diretamente ligados ao evento GCCB possuem prévio e pleno conhecimento de suas cláusulas e condições expressas, não podendo, portanto, alegarem desconhecimento ao mesmo. Artigo 52: Em caso de dúvida quanto à interpretação deste Regulamento Técnico, a sua versão final, em língua portuguesa, deverá ser a utilizada para o entendimento. Artigo 53: O presente Regulamento está sujeito a emendas, aditivos e complementos a qualquer tempo no decorrer da temporada. GT3 CUP EVENTOS ESPORTIVOS LTDA. NOVEMBRO 2012 (Versão 2 de 20 de março de 2013) Regulamento Técnico 2013 Porsche GT3 CC Brasil 1a. Ed. - v.2 9

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE PARTE B CLASSE CUP REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA 2016

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE PARTE B CLASSE CUP REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA 2016 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE PARTE B CLASSE CUP REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA 2016 INTRODUÇÃO Sempre que os presentes regulamentos se referirem à PROMOTORA, a DENER MOTORSPORT

Leia mais

CAMPEONATO GAÚCHO DE ARRANCADA

CAMPEONATO GAÚCHO DE ARRANCADA FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961 Rua Comendador Azevedo, 440 - Conj. 1 - Fone/Fax (51)3224 4808 CEP 90220-150 - Porto

Leia mais

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FORÇA LIVRE REGULAMENTO TÉCNICO 2015 ARTIGO 1: VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS ARTIGO 2: CARROCERIA E DIMENSÕES ARTIGO 3: PESO ARTIGO 4: MOTOR ARTIGO 5: COMBUSTÍVEL ARTIGO 6: LUBRIFICAÇÃO ARTIGO 7:

Leia mais

Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança

Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança As normas e regras aqui estabelecidas são complementares aos regulamentos técnicos de cada categoria, portanto devem ser seguidas e obedecidas por competidores

Leia mais

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CAMPEONATO PAULISTA DE DRAG RACE 2014 REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DRAG RACE DIANTEIRA DD 1- REGULAMENTAÇÃO: Todos os veículos inscritos deverão passar por vistoria prévia. Todos os pilotos deverão ter

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO MITSUBISHI LANCER CUP REGULAMENTO DESPORTIVO E TÉCNICO 2015

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO MITSUBISHI LANCER CUP REGULAMENTO DESPORTIVO E TÉCNICO 2015 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO MITSUBISHI LANCER CUP REGULAMENTO DESPORTIVO E TÉCNICO 2015 ENTENDIMENTO GERAL... 3 PARTE A REGULAMENTAÇÃO DESPORTIVA...

Leia mais

Os comissários podem solicitar a qualquer momento que sejam feitas as verificações necessárias em qualquer veiculo inscrito no evento.

Os comissários podem solicitar a qualquer momento que sejam feitas as verificações necessárias em qualquer veiculo inscrito no evento. REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ADAPTADO TURBO 1-REGULAMENTAÇÃO Todos os veículos inscritos deveram passar por vistoria prévia. Os competidores deverão provar ao comissário técnicos e desportivos do evento,

Leia mais

1 - REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DASAFIO TURBO

1 - REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DASAFIO TURBO FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961 Rua Comendador Azevedo, 440 Conj. 1 Fone/Fax (51)3224 4808 CEP 90220-150 Porto Alegre

Leia mais

Campeonato Etapa Local Status Dia da Semana Data Etapa Horário da Bateria Tipo de Kart

Campeonato Etapa Local Status Dia da Semana Data Etapa Horário da Bateria Tipo de Kart ARTIGO 1º ORGANIZAÇÃO: A Temporada 2016 da categoria GPCKA KART INDOOR será realizada pelo GRUPO Circuito de Kart Amador. ARTIGO 2º CRONOGRAMA: A Temporada 2016 será disputada em 6 etapas e as etapas estão

Leia mais

3.3 Análise Detalhada do Estado de Conservação do Veículo. 4.3 Interiores (estofado/couro, painéis, comandos, etc.)

3.3 Análise Detalhada do Estado de Conservação do Veículo. 4.3 Interiores (estofado/couro, painéis, comandos, etc.) Índice 1. Recompra Garantida 2. Agendamento da inspeção 3. Recompra do Veículo 3.1 Estado geral do veículo 3.2 Mecânica 3.3 Análise Detalhada do Estado de Conservação do Veículo 4. Danos permitidos/não

Leia mais

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO XXIV PROVA DE ARRANCADA INTERNACIONAL DE CAMINHÕES EM BALNEÁRIO ARROIO DO SILVA / SC 1 - DAS INSCRIÇÕES DE 13 A 16 DE MARÇO DE 2014 REGULAMENTO GERAL 1.1 - As inscrições poderão

Leia mais

CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014

CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014 CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014 JÚNIOR MENOR DE KART - ITAL SISTEM PMJK: Parágrafo 1º - Prova A duração da prova, será definido através do adendo 2 da etapa. Parágrafo 2º - Da Categoria - O Campeonato será

Leia mais

14 - REGULAMENTO TÉCNICO DA CATEGORIA TURBO C

14 - REGULAMENTO TÉCNICO DA CATEGORIA TURBO C 14 - REGULAMENTO TÉCNICO DA CATEGORIA TURBO C 14 DEFINIÇÃO Participam desta categoria veículos de turismo de grande produção em série, coupê ou sedan, de 2, 3, 4 ou 5 portas Veículos de tração dianteira

Leia mais

07 - REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DIANTEIRA TURBO C (TURBO C )

07 - REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DIANTEIRA TURBO C (TURBO C ) 07 - REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DIANTEIRA TURBO C (TURBO C ) 07.1 NORMAS TÉCNICAS: A categoria Dianteira Turbo C deverá seguir as normas técnicas constantes neste regulamento específico. 07.2 DEFINIÇÃO

Leia mais

JEEP CLUBE DE MACEIÓ

JEEP CLUBE DE MACEIÓ JEEP CLUBE DE MACEIÓ R E G U L A M E N T O XIX Prova do Sururu A XIX PROVA DO SURURU de 4x4 será regida pelo presente regulamento e pelo Código Desportivo do Automobilismo. A XIX PROVA DO SURURU de 4x4

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO ARTIGO 1º - ORGANIZAÇÃO: A Temporada 2014 da categoria GPCKA será realizada pelo GRUPO - Circuito de Kart Amador. ARTIGO 2º - CRONOGRAMA: A Temporada 2014 será disputada em 6 etapas e as etapas estão previstas

Leia mais

CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO

CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO A Federação Paranaense de Automobilismo FPrA, e suas filiadas: AKRL Associação dos Kartistas da Região de Londrina, farão realizar

Leia mais

PROVA SÃO PAULO 300- TOP SERIES

PROVA SÃO PAULO 300- TOP SERIES FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO PROVA SÃO PAULO 300- TOP SERIES REGULAMENTO PARTICULAR ARTIGO Nº 1 INFORMAÇÕES ESPECÍFICAS DAS CORRIDAS Nome das Corridas Prova São Paulo 300 Top Series Autoridade

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE GRAN TURISMO ( GT ) 2012 SUMÁRIO

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE GRAN TURISMO ( GT ) 2012 SUMÁRIO 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE GRAN TURISMO ( GT ) 2012 SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. REGULAMENTO... 3 3. CARROCERIA... 4 4. PESO... 5 5.

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MR-03 SPORTS

REGULAMENTO TÉCNICO MR-03 SPORTS REGULAMENTO TÉCNICO MR-03 SPORTS INTRODUÇÃO Este regulamento visa orientar aos participantes das corridas de Mini-Z MR-03 Sports, quanto aos ajustes e modificações permitidos nos carros. A idéia principal

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO ENDURANCE CLASSICS SERIES:

REGULAMENTO TÉCNICO ENDURANCE CLASSICS SERIES: REGULAMENTO TÉCNICO ENDURANCE CLASSICS SERIES: 1-. MODELOS ADMITIDOS: NSR Ford GT 40 MKIV Ford GT 40 MKII Ford P-68 Porsche 917 SLOT.IT Chaparral 2.E Alfa Romeo 33/3 Ferrari 312 PB 2-. CHASSIS A. É permitido

Leia mais

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961 FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO E DESPORTIVO GAÚCHO CAMPEONATO GAÚCHO DE MARCAS E PILOTOS 2014 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Art. 1º - Introdução REGULAMENTO DESPORTIVO A Federação Gaúcha de

Leia mais

Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015

Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015 Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015 1. Definição: Evento automobilístico voltado ao lazer composto de um deslocamento de extensão variável (passeio em estradas abertas ao trânsito normal) e uma prova do

Leia mais

FAELI REGIONAL DE KART FESTIVAL DE KART RD 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO

FAELI REGIONAL DE KART FESTIVAL DE KART RD 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO FAELI REGIONAL DE KART FESTIVAL DE KART RD 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO ART 1º- Campeonato a ser realizado no Kartódromo de Farroupilha, em 2011, com organização da Bepi Kart - Competições e Lazer, e supervisão

Leia mais

OPEN CUP vai animar o Estoril Racing Festival!

OPEN CUP vai animar o Estoril Racing Festival! ... 1 2 NOVEMBRO, 2014 # 006 OPEN CUP vai animar o Estoril Racing Festival! A Open Cup, já tem o seu regulamento particular aprovado pela FPAK e está a despertar muito entusiasmo juntos dos possíveis participantes,

Leia mais

4º Campeonato Paulista de Protótipo. Turismo (Falcon e G12) 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO PONTUAÇÃO E DESCARTES

4º Campeonato Paulista de Protótipo. Turismo (Falcon e G12) 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO PONTUAÇÃO E DESCARTES 4º Campeonato Paulista de Protótipo Turismo (Falcon e G12) 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO PONTUAÇÃO E DESCARTES Tabela de pontuação: O Campeonato Paulista TURISMO 2014, será disputado em 6 etapas, conforme

Leia mais

Categoria Desafio IMPORT

Categoria Desafio IMPORT Categoria Desafio IMPORT 1 - NORMAS TÉCNICAS: A categoria Desafio IMPORT deverá seguir as normas técnicas constantes neste regulamento especifico. 2 - DEFINIÇÃO: a) Poderão participar desta categoria veículos

Leia mais

TROFÉU BRASIL 2.015 OPEN FORCE

TROFÉU BRASIL 2.015 OPEN FORCE TROFÉU BRASIL 2.015 OPEN FORCE REGULAMENTO REGULAMENTO GERAL ITEM 1. DISPOSIÇÕES PREMILIMARES 1.1 - O presente regulamento estabelece regras que devem ser cumpridas, visando evitar, e dirimir possíveis

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 ART. 01 REGULAMENTO DESPORTIVO TEMPORADA 2015 A Pokemon Pneus, é a realizadora da Copa Paraná Superbike com 7 etapas, elabora o presente regulamento, entrando em vigor imediatamente

Leia mais

7 - CATEGORIA FORÇA LIVRE DIANTEIRA FLD

7 - CATEGORIA FORÇA LIVRE DIANTEIRA FLD 1 7 - CATEGORIA FORÇA LIVRE DIANTEIRA FLD REGULAMENTAÇÃO: Todos os veículos inscritos deverão passar por vistoria prévia. Todos pilotos deverão ter a cédula de piloto vigente no ano corrente para participar

Leia mais

1º Torneio Integração CKC (Clube Kart Campinas)

1º Torneio Integração CKC (Clube Kart Campinas) 1º Torneio Integração CKC (Clube Kart Campinas) REGULAMENTO O 1º Torneio Integração - CKC (Clube Kart Campinas) será realizado no dia 26/11 com início às 14:00 no Kartódromo Internacional San Marino e

Leia mais

Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2014

Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2014 Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2014 Regulamento Técnico ART. 1 - MOTOCICLETAS E CLASSES SUPERBIKE - Pró Motocicletas acima de 980cc, motor de 4 tempos e de 04 cilindros de até 1050cc, e 3 cilindros

Leia mais

Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015

Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015 Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015 Regulamento Específico Ciclismo Art. 1º - A competição de ciclismo do Minas Olímpica/Jogos de Minas obedecerá as regras da Confederação Brasileira de Ciclismo e Federação

Leia mais

AUTÓDROMO INTERNACIONAL DE GUAPORÉ

AUTÓDROMO INTERNACIONAL DE GUAPORÉ I II AUTÓDROMO INTERNACIONAL DE GUAPORÉ Art. 1º - Informações Específicas da Prova: NOME DA PROVA Campeonato Brasileiro de Endurance 2011 Copa das Federações Campeonato Gaúcho de Endurance Campeonato Gaúcho

Leia mais

DRIFT SHOW INTRODUÇÃO REGULAMENTO GERAL DO DRIFT - FASP FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO. NORMAS E REGULAMENTOS DRIFT - 2012 NORMAS DESPORTIVAS

DRIFT SHOW INTRODUÇÃO REGULAMENTO GERAL DO DRIFT - FASP FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO. NORMAS E REGULAMENTOS DRIFT - 2012 NORMAS DESPORTIVAS REGULAMENTO GERAL DO DRIFT - FASP FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO. NORMAS E REGULAMENTOS DRIFT - 2012 NORMAS DESPORTIVAS INTRODUÇÃO A FASP - Federação de Automobilismo de São Paulo supervisionará

Leia mais

O Moto Vibrador a Gasolina é utilizado para acionar os vibradores de imersão pendular de concreto e bombas de mangotes.

O Moto Vibrador a Gasolina é utilizado para acionar os vibradores de imersão pendular de concreto e bombas de mangotes. 1 APLICAÇÃO: O Moto Vibrador a Gasolina é utilizado para acionar os vibradores de imersão pendular de concreto e bombas de mangotes. ESPECIFICAÇÃO: Motor Gasolina: MODELO Potência Rotação Peso MGK-5.5

Leia mais

REGULAMENTO PARTICULAR VI -6 HORAS 2015 VI 6 HORAS 2015 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA SP

REGULAMENTO PARTICULAR VI -6 HORAS 2015 VI 6 HORAS 2015 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA SP ARTIGO 1º - Organização REGULAMENTO PARTICULAR VI -6 HORAS 2015 VI 6 HORAS 2015 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA SP A VI 6 HORAS 2015 Aldeia da Serra, edição de 21/11/2015, será organizada pelo Kartódromo Aldeia

Leia mais

Triathlon Faculdades FKB. Regulamento Geral

Triathlon Faculdades FKB. Regulamento Geral DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Triathlon Faculdades FKB Regulamento Geral Art. 1 Este Regulamento Geral é o conjunto de disposições que regem a 1ª Prova de Triathlon Faculdades FKB 2011 e implica obediência

Leia mais

Seja bem vindo ao F1 Race Brasil, sua missão aqui é administrar uma equipe de F1, piloto, fornecedores, estratégias, etc.

Seja bem vindo ao F1 Race Brasil, sua missão aqui é administrar uma equipe de F1, piloto, fornecedores, estratégias, etc. Seja bem vindo ao F1 Race Brasil, sua missão aqui é administrar uma equipe de F1, piloto, fornecedores, estratégias, etc. Se mesmo após ler o Manual você tiver alguma duvida, tente ver se abaixo existe

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE MARCAS REGULAMENTO TÉCNICO 2015

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE MARCAS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE MARCAS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 ARTIGO 1: DEFINIÇÕES... 2 ARTIGO 2: PRINCÍPIOS GERAIS... 3 ARTIGO 3: ELEGIBILIDADE

Leia mais

Corrida dos Campeões de Vila Real. Draft 2

Corrida dos Campeões de Vila Real. Draft 2 Corrida dos Campeões de Vila Real Draft 2 Vila Real, 12 de Novembro de 2015 Regulamento Corrida dos campeões de Vila Real e Fan Race draft 1 1. DEFINIÇÃO / GENERALIDADES 1.1. A EpicDren Lda, organiza um

Leia mais

COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO.

COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO. COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO. ARTIGO 1º- Este regulamento é exclusivo da COPA GOIÁS DE FORMULA 200 ano 2015. 2 A categoria que fará parte deste Regulamento, será assim denominada: 2.1 Categoria

Leia mais

DESAFIO DOS DRIFTERS FMA 2013

DESAFIO DOS DRIFTERS FMA 2013 DESAFIO DOS DRIFTERS FMA 2013 FEDERAÇÃO MINEIRA DE AUTOMOBILISMO NORMAS E REGULAMENTOS REGULAMENTO GERAL INTRODUÇÃO A Federação Mineira de Automobilismo - FMA supervisionará os Desafios de DRIFT realizados

Leia mais

I Dispositivos Gerais:

I Dispositivos Gerais: REGULAMENTO DESPORTIVO I Dispositivos Gerais: 1. ORGANIZAÇÃO DO CAMPEONATO 1.1- O Campeonato de Arrancadas para Motos 2016 será supervisionado e organizado pela comissão organizadora e promotora de eventos

Leia mais

b) Permitido o uso de veículos de no mínimo 02 (dois) lugares ou mais. c) A denominação desta categoria será Dianteira Turbo A.

b) Permitido o uso de veículos de no mínimo 02 (dois) lugares ou mais. c) A denominação desta categoria será Dianteira Turbo A. 6 - CATEGORIA DIANTEIRA TURBO A - DT- A 6.1) DEFINIÇÃO: a) Participam desta categoria veículos de turismo de grande produção em série, nacionais ou importados, coupê, sedan ou pick- up, de 2, 3, 4 ou 5

Leia mais

Em qualquer lugar do país, e a qualquer hora do dia ou da noite, você estará sempre seguro.

Em qualquer lugar do país, e a qualquer hora do dia ou da noite, você estará sempre seguro. O SulAmérica Auto é o seguro completo que você precisa para seu veículo. Com ele, além das coberturas e garantias, você também tem descontos exclusivos em peças e serviços tanto para você quanto para o

Leia mais

O Campeonato Paulista APPA 2013 - Stock 10,5 EP On-road será realizado em 08 (Oito) etapas :

O Campeonato Paulista APPA 2013 - Stock 10,5 EP On-road será realizado em 08 (Oito) etapas : 1 1. INTRODUÇÃO O Campeonato Paulista APPA 2013 - Stock 10,5 EP On-road será realizado em 08 (Oito) etapas : O Campeonato seguirá o Calendário Oficial da APPA, em anexo, sendo que a 1.a Etapa acontecerá

Leia mais

veículos de capacidade e cinqüenta

veículos de capacidade e cinqüenta 12 CATEGORIA PRO MOD PM 12.1) DEFINIÇÃO: Participam destas categorias veículos bipostos nacionais e importados, turismo, de produção em série, réplicas e protótipos, coupê, sedan ou pick upp de 2, 3, 4

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE TURISMO REGULAMENTO TÉCNICO 2015

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE TURISMO REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE TURISMO REGULAMENTO TÉCNICO 2015 ARTIGO Nº. 1 DEFINIÇÕES... 2 ARTIGO Nº. 2 ENTENDIMENTO GERAL... 2 ARTIGO

Leia mais

Maksolo Implementos e Peças Agrícolas Manual Pá Carregadeira. Manual de Instruções e Catálogo de Peças

Maksolo Implementos e Peças Agrícolas Manual Pá Carregadeira. Manual de Instruções e Catálogo de Peças 1 Manual de Instruções e Catálogo de Peças 2 ÍNDICE Apresentação... 03 Normas de Segurança... 04 Componentes... 06 Engate / Regulagens... 07 Operação... 08 Cuidados... 10 Identificação... 11 Certificado

Leia mais

REGULAMENTO PARTICULAR II - 6 HRS AGRAUPE/HONDA 2009 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA - SP

REGULAMENTO PARTICULAR II - 6 HRS AGRAUPE/HONDA 2009 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA - SP REGULAMENTO PARTICULAR II - 6 HRS AGRAUPE/HONDA 2009 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA - SP ARTIGO 1º- Organização II 6 HRS AGRAUPE/HONDA 2009 - Aldeia da Serra, 1ª edição / 19/12/2009, será organizada pela Revenda

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL. F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition. Regulamento Desportivo

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL. F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition. Regulamento Desportivo 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition Regulamento Desportivo A CBA supervisionará técnica e desportivamente o torneio F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition, que é promovido pela empresa

Leia mais

Estas informações são importantes para a segurança e eficiência na instalação e operação do aparelho.

Estas informações são importantes para a segurança e eficiência na instalação e operação do aparelho. 0 IMPORTANTE LEIA E SIGA AS SEGUINTES INSTRUÇÕES Estas informações são importantes para a segurança e eficiência na instalação e operação do aparelho. ATENÇÃO Atenção indica uma situação potencialmente

Leia mais

Regulamento Particular da Prova 500 Milhas de Kart 2010

Regulamento Particular da Prova 500 Milhas de Kart 2010 Regulamento Particular da Prova 500 Milhas de Kart 2010 ARTIGO 1º- Organização 500 Milhas de Kart Granja Viana, 14ª edição / 2010, será organizado pelo Clube Granja Viana com supervisão da Federação de

Leia mais

REGULAMENTO 2015 DRIVER CUP

REGULAMENTO 2015 DRIVER CUP REGULAMENTO 2015 DRIVER CUP Art. 1 DEFINIÇÃO 1.1 A Copa, disputada em 5 etapas nos Aeródromos Embraer Gavião Peixoto e Academia da Força Aérea, Autódromos de Interlagos e Velo Città (Mogi-Guaçu), visa

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE MERCEDES-BENZ CHALLENGE C250 CUP E CLA AMG CUP REGULAMENTO DESPORTIVO 2014

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE MERCEDES-BENZ CHALLENGE C250 CUP E CLA AMG CUP REGULAMENTO DESPORTIVO 2014 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE MERCEDES-BENZ CHALLENGE C250 CUP E CLA AMG CUP REGULAMENTO DESPORTIVO 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO 2014... 3 INTRODUÇÃO... 3 ENTENDIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO AÇÃO ENTRE AMIGOS 2015

REGULAMENTO AÇÃO ENTRE AMIGOS 2015 REGULAMENTO AÇÃO ENTRE AMIGOS 2015 A Paróquia Nossa Senhora do Paraíso PNSP, inscrita no CNPJ sob o nº 57.591.349/0052-02, sediada na Rua Macaúba nº 403, Bairro Paraíso, Santo André, São Paulo/SP, CEP

Leia mais

Este catálogo tem o objetivo de facilitar a identificação dos componentes, agilizando a reposição dos mesmos.

Este catálogo tem o objetivo de facilitar a identificação dos componentes, agilizando a reposição dos mesmos. PARA O USUÁRIO Este catálogo tem o objetivo de facilitar a identificação dos componentes, agilizando a reposição dos mesmos. PARA SOLICITAR AS PEÇAS Entre em contato com nosso representante mais próximo,

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE USO DOS LABORATÓRIOS DO DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE USO DOS LABORATÓRIOS DO DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO NORMAS E PROCEDIMENTOS DE USO DOS LABORATÓRIOS DO DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO

Leia mais

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE MATO GROSSO DO SUL. Filiada a Confederação Brasileira de Automobilismo

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE MATO GROSSO DO SUL. Filiada a Confederação Brasileira de Automobilismo FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO MS CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO CAMPEONATO ESTADUAL E INTERESTADUAL DE MARCAS E PILOTOS MS 2011 REGULAMENTO TÉCNICO INTRODUÇÃO CAPITULO I ARTIIGO - 1º - O presente Regulamento

Leia mais

CAMPEONATO BRASILEIRO DE DRIFT 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO 2015

CAMPEONATO BRASILEIRO DE DRIFT 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 CAMPEONATO BRASILEIRO DE DRIFT 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 Capítulo I Definição Art.01. No ano de 2015, será organizado pela PODIUM RACE EVENTS o campeonato Brasileiro de DRIFT, com a supervisão da

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP

CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP Versão 2013 Processo SUSEP Nº: 15414.900275/2013-83 ÍNDICE I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII XIII XIV INFORMAÇÕES INICIAIS........... Pág. 4 GLOSSÁRIO... Pág. 4 OBJETIVO...

Leia mais

GARANTIA DELTAFIRE. Sistemas de Alarme de Incêndio Wireless SISTEMAS DE SEGURANÇA

GARANTIA DELTAFIRE. Sistemas de Alarme de Incêndio Wireless SISTEMAS DE SEGURANÇA GARANTIA DELTAFIRE Sistemas de Alarme de Incêndio Wireless SISTEMAS DE SEGURANÇA Deltafire Ltda. R. Pinheiro Machado, 3271 Caxias do Sul, RS Tel. 54 3204-4000 CEP 95020-172 www.deltafire.com.br Garantia

Leia mais

Artigo 5º. A idade a ser considerada, obrigatoriamente, para os efeitos de inscrição é a que o corredor terá no dia do

Artigo 5º. A idade a ser considerada, obrigatoriamente, para os efeitos de inscrição é a que o corredor terá no dia do REGULAMENTO OFICIAL DO DESAFIO NUTS Capítulo I Artigo 1º. O DESAFIO SOLIDÁRIO será realizado no sábado, dia 24 de outubro de 2015, é aberto a participantes do público em geral de ambos os sexos acima de

Leia mais

MITSUBISHI CUP 2015 Acompanhamento e Desenvolvimento de Equipes de Competição.

MITSUBISHI CUP 2015 Acompanhamento e Desenvolvimento de Equipes de Competição. REGULAMENTO CONCURSO DESPORTIVO EQUIPES RALI MITSUBISHI CUP 2015 1 - DADOS DA EMPRESA Nome/Razão Social: MMC Automotores do Brasil Ltda. Endereço: Av. Juscelino Kubitschek, 1600-8 Andar. Bairro: Vila Nova

Leia mais

2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA

2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA REGULAMENTO 2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA O evento é uma realização da Construtora Cataguá, organizado pela Chelso Sports, com o apoio da Prefeitura Municipal de Piracicaba. 1. REGULAMENTO A largada

Leia mais

A presente garantia terá 4 (quatro) anos de vigência sem limite de. garantia de 4 (quatro) anos contra defeitos de corrosão perfurativa.

A presente garantia terá 4 (quatro) anos de vigência sem limite de. garantia de 4 (quatro) anos contra defeitos de corrosão perfurativa. GARANTIA HYUNDAI I Terno de Garantia Hyundai O Presente Termo de Garantia Hyundai aplica-se única e exclusivamente ao veículo da marca e fabricação Hyundai devidamente identificado ao final deste documento,

Leia mais

M a n u a l d o M e c â n i c o

M a n u a l d o M e c â n i c o M a n u a l d o M e c â n i c o folder2.indd 1 20/11/2009 14 12 35 Manual do Mecânico GNV GÁS NATURAL VEICULAR Entenda o GNV e saiba quais os cuidados necessários para a manutenção de veículos que utilizam

Leia mais

Regulamento de Segurança/Prova. 1ªEdição A corrida Verde mais louca de Mirandela

Regulamento de Segurança/Prova. 1ªEdição A corrida Verde mais louca de Mirandela Regulamento de Segurança/Prova 1ªEdição A corrida Verde mais louca de Mirandela Capítulo 1 Disposições Gerais Artigo 1º:A corrida verde mais louca de Mirandela, em todas as suas categorias é integralmente

Leia mais

Normas de funcionamento. 2ª Grande Corrida de Carrinhos de Rolamentos

Normas de funcionamento. 2ª Grande Corrida de Carrinhos de Rolamentos Normas de funcionamento 2ª Grande Corrida de Carrinhos de Rolamentos Câmara Municipal de Estremoz - 2015 1 Objetivos A, tem como propósito promover o convívio, a diversão e o entretenimento entre os participantes,

Leia mais

Guia de Condições de Revenda do Veículo à Concessionária

Guia de Condições de Revenda do Veículo à Concessionária Guia de Condições de Revenda do Veículo à Concessionária CONFIE NA NOSSA ESTRELA PARA COMPRAR A SUA. No final de seu contrato de financiamento, se a sua opção for a devolução do veículo, faremos esse processo

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO PARA CLASSIC CUP DIVISÃO 2

REGULAMENTO TÉCNICO PARA CLASSIC CUP DIVISÃO 2 REGULAMENTO TÉCNICO PARA CLASSIC CUP DIVISÃO 2 2011 ARTIGO 1: VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS ARTIGO 2: CATEGORIAS ARTIGO 3: IDENTIFICAÇÃO ARTIGO 4: CARROCERIA E DIMENSÕES ARTIGO 5: PESO ARTIGO 6: MOTOR

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 13 CATEGORIA EXTREME 10,5 XTM 13.1) DEFINIÇÃO: a) Participam

Leia mais

Rally de Inverno 23 A 24 DE JULHO DE 2016. CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 3ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally

Rally de Inverno 23 A 24 DE JULHO DE 2016. CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 3ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally Página1 Rally de Inverno 23 A 24 DE JULHO DE 2016 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 3ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA (RPP) Página2 1.1 Rally de Inverno

Leia mais

Filtro de partículas diesel

Filtro de partículas diesel Filtro de partículas diesel 12.07 - anual de instruções P 51145778 DFG 316-320 08.10 DFG 316s-320s DFG 425-435 DFG 425s-435s Prefácio Para obter o melhor e mais seguro rendimento do veículo industrial,

Leia mais

DE AUTOMÓVEIS DE ALUGUEL (TÁXIS), NO MUNICÍPIO

DE AUTOMÓVEIS DE ALUGUEL (TÁXIS), NO MUNICÍPIO 1 LEI Nº 1485/2014 DISPÕE SOBRE AS PERMISSÕES DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS, ATRAVÉS DE AUTOMÓVEIS DE ALUGUEL (TÁXIS), NO MUNICÍPIO DE INHAÚMA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal

Leia mais

Manual de Instruções Bebedouro Stilo Eletrônico. Imagem meramente ilustrativa.

Manual de Instruções Bebedouro Stilo Eletrônico. Imagem meramente ilustrativa. Manual de Instruções Bebedouro Stilo Eletrônico Imagem meramente ilustrativa. Bebedouro Stilo LIBELL Eletrônico 1- MANUAL DE USUÁRIO Parabéns por ter escolhido a Libell Eletrodomésticos Ltda. para fazer

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE GRAN TURISMO ( GT ) REGULAMENTO DESPORTIVO 2012

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE GRAN TURISMO ( GT ) REGULAMENTO DESPORTIVO 2012 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE GRAN TURISMO ( GT ) REGULAMENTO DESPORTIVO 2012 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ESPÍRITO DO REGULAMENTO... 3 ENTENDIMENTO

Leia mais

2º Rally de São Luiz do Paraitinga

2º Rally de São Luiz do Paraitinga 2º Rally de São Luiz do Paraitinga 27 A 28 DE FEVEREIRO DE 2016 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 1ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA (RPP) Página1 1.1 2º

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA CAMPEONATO BRASILEIRO VELOCIDADE NA TERRA CATEGORIA: TURISMO 1.600 C.C. REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO...

Leia mais

PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES

PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES 1.1.NORMAS TÉCNICAS PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES As categorias da Corrida de jerico deverão seguir as normas técnicas constantes neste regulamento específico. 1.2.DEFINIÇÃO

Leia mais

FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico. Cx 0,38

FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico. Cx 0,38 FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico Área frontal Cw x A MOTOR Cx 0,38 2.17 m2 0.82 m2 Dianteiro, transversal, 2.0 litros, 4 cilindros

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE STOCK CAR - COPA CAIXA REGULAMENTO TÉCNICO 2012 SUMÁRIO

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE STOCK CAR - COPA CAIXA REGULAMENTO TÉCNICO 2012 SUMÁRIO 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE STOCK CAR - COPA CAIXA REGULAMENTO TÉCNICO 2012 SUMÁRIO ARTIGO Nº.1: DEFINIÇÕES... 2 ARTIGO Nº.2: ENTENDIMENTO

Leia mais

Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H.

Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H. Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H. Atenção: é recomendável que este manual seja lido por todos que participarão direta ou indiretamente da utilização deste produto. CONHEÇA O NOSSO PRODUTO ASSUNTOS

Leia mais

Liner. Manual do Usuário

Liner. Manual do Usuário Liner Manual do Usuário Parabéns, Você acaba de adquirir o Gravador Telefônico Digital Pctel Liner. Líder em seu segmento, disponibiliza a mais alta tecnologia em gravadores telefônicos digitais, convertendo

Leia mais

REGULAMENTO DA VOLTA DA FATEA 2015

REGULAMENTO DA VOLTA DA FATEA 2015 REGULAMENTO DA VOLTA DA FATEA 2015 1 A prova 1.1 A prova será realizada no dia 6 de Dezembro de 2015 na cidade de Lorena, com caminhada de 2 km e corridas de 5 km. 1.2 A prova terá percurso de aproximadamente

Leia mais

A SUA SOLUÇÃO EM ENERGIA. Política de Garantia Serviços e Peças

A SUA SOLUÇÃO EM ENERGIA. Política de Garantia Serviços e Peças A SUA SOLUÇÃO EM ENERGIA Política de Garantia Política de Garantia Este documento tem por finalidade prestar informações detalhadas sobre o processo de garantia, esclarecendo os procedimentos a serem

Leia mais

PARAGRAFO ÚNICO: Um Piloto poderá inscrever-se em mais de um carro, porém NÃO NA MESMA CATEGORIA.

PARAGRAFO ÚNICO: Um Piloto poderá inscrever-se em mais de um carro, porém NÃO NA MESMA CATEGORIA. FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO 5 A.EDIÇÃO DOS 1000 KM DE INTERLAGOS G.P. CIDADE DE SÃO PAULO DIAS 21, 22 e 23 DE JANEIRO DE 2011. Local: AUTÓDROMO JOSÉ CARLOS PACE INTERLAGOS ARTIGO 1 O G.P. CIDADE

Leia mais

4 CAMPEONATO BRASILEIRO DE SHIFTER KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR CAPÍTULO I

4 CAMPEONATO BRASILEIRO DE SHIFTER KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR CAPÍTULO I 4 CAMPEONATO BRASILEIRO DE SHIFTER KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR CAPÍTULO I A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CBA, através de suas filiadas (FAUs), fará realizar o 4º CAMPEONATO BRASILEIRO

Leia mais

F E D E R A Ç Ã O D E A U T O M O B I L I S M O D O E S T A D O D O R I O D E J A N E I R O

F E D E R A Ç Ã O D E A U T O M O B I L I S M O D O E S T A D O D O R I O D E J A N E I R O CAMPEONATO ESTADUAL FORA DE ESTRADA INDOOR 4x4 E 4x2 Regulamento Geral 2015 Art. 1º - FINALIDADES... 2 Art. 2º - INSCRIÇÕES... 2 Art. 3º - PARTICIPANTES... 3 Art. 4º - CARACTERÍSTICAS DAS PISTAS... 3 Art.

Leia mais

Manual de Instalação e Operações

Manual de Instalação e Operações Manual de Instalação e Operações Acionador On/Off Bivolt Sistema de Aquecimento para banheira de hidromassagem PARA SUA SEGURANÇA: Antes de Instalar este produto, leia atentamente este manual de instruções.

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 6 - CATEGORIA DIANTEIRA TURBO A - DT-A 6.1) DEFINIÇÃO: a) Participam

Leia mais

Este catálogo tem o objetivo de facilitar a identificação dos componentes, agilizando a reposição dos mesmos.

Este catálogo tem o objetivo de facilitar a identificação dos componentes, agilizando a reposição dos mesmos. PARA O USUÁRIO Este catálogo tem o objetivo de facilitar a identificação dos componentes, agilizando a reposição dos mesmos. PARA SOLICITAR AS PEÇAS Entre em contato com nosso representante mais próximo,

Leia mais

TERMO ADITIVO AO REGULAMENTO GERAL DO CAMPEONATO PORSCHE GT3 CUP CHALLENGE BRASIL CATEGORIA CUP (Versão 1, 04 de junho de 2013)

TERMO ADITIVO AO REGULAMENTO GERAL DO CAMPEONATO PORSCHE GT3 CUP CHALLENGE BRASIL CATEGORIA CUP (Versão 1, 04 de junho de 2013) TERMO ADITIVO AO REGULAMENTO GERAL DO CAMPEONATO PORSCHE GT3 CUP CHALLENGE BRASIL CATEGORIA CUP (Versão 1, 04 de junho de 2013) INSTITUIÇÃO DO CAMPEONATO LIGHT Porsche Light é um formato de categoria criado

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17.

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17. REGULAMENTO INTERNO DO USO E ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DA REDE DA FACULDADE PROCESSUS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este ato tem como objetivo definir o uso e administração

Leia mais

Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2008

Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2008 Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2008 Regulamento Desportivo ART. 01 ENTIDADES RESPONSÁVEIS A Federação Paranaense de Motociclismo é a única entidade capacitada por lei a autorizar, aprovar, coordenar,

Leia mais

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CAMPEONATO SPYDER RACE CATEGORIA P3 2014 Regulamento Técnico ARTIGO 1 : VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS. ARTIGO 2 : CARROCERIA E DIMENSÕES. ARTIGO 3 : HABITACULO ARTIGO 4 : PESO ARTIGO 5 : MOTOR ARTIGO

Leia mais

TROFÉU ABARTH A WORLD OF PERFORMANCE SINCE 1949

TROFÉU ABARTH A WORLD OF PERFORMANCE SINCE 1949 TROFÉU ABARTH TROFÉU ABARTH TROFÉU ABARTH TROFÉU ABARTH NA EUROPA Troféu com forte reconhecimento no panorama do motorsport internacional Participam em média 18 pilotos por corrida nas diferentes competições

Leia mais

ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES. 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas.

ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES. 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas. ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas. 2.4 Promessas Verbais. 3 Diante do Plano de Marketing 4 - Conselhos

Leia mais