CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO MITSUBISHI LANCER CUP REGULAMENTO DESPORTIVO E TÉCNICO 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO MITSUBISHI LANCER CUP REGULAMENTO DESPORTIVO E TÉCNICO 2015"

Transcrição

1 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO MITSUBISHI LANCER CUP REGULAMENTO DESPORTIVO E TÉCNICO 2015 ENTENDIMENTO GERAL... 3 PARTE A REGULAMENTAÇÃO DESPORTIVA... 3 A.1 ORGANIZAÇÃO... 3 A.2 JURISDIÇÃO... 4 A.3 PARTICIPANTES... 4 A.4 INSCRIÇÕES... 4 A.5 PILOTOS CONVIDADOS/VIPS... 5 A.6 CARROS... 5 A.7 NÚMEROS DOS CARROS... 6 A.8 BRIEFING PARA PILOTOS... 6 A.9 CAMPEONATO... 6 A.10 TREINOS LIVRES E TREINOS CLASSIFICATÓRIOS A.11 FORMAÇÃO DO GRID DE LARGADA A.12 LAYOUT E ADESIVAGEM DOS CARROS A.13 PROCEDIMENTO DE LARGADA A.14 PENALIZAÇÕES DURANTE A PROVA A.15 SAFETY CAR A.16 SEGURANÇA GERAL... 13

2 2 A.17 DOPING A.18 PROTESTOS A.19 PADDOCK E BOXES A.20 DIREITOS DO ORGANIZADOR A.21 EXCLUSÃO DE QUALQUER RECURSO A TRIBUNAIS DE JUSTIÇA E RESTRIÇÃO DE RESPONSABILIDADE / EXCLUSÃO DE RESPONSABILIDADE A.22 ACEITE DA REGULAMENTAÇÃO / RENÚNCIA A.23 CERIMÔNIA DO PÓDIO A.24 REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA A.25 PEÇAS SOBRESSALENTES PARTE B REGULAMENTO TÉCNICO B.1 INTRODUÇÃO B.2 MODIFICAÇÕES E INSTALAÇÕES AUTORIZADAS B.3 EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA B.4 MOTOR B.5 SUSPENSÃO B.6 INTERIOR DO CARRO B.7 PESO CARRO / PILOTO B.8 DIVERSOS PARTE C OBSERVAÇÕES ADICIONAIS C.1 PENALIZAÇÕES C.2 RECLAMAÇÕES C.3 RECURSOS C.4 FINAL DE PROVA... 22

3 3 CAMPEONATO BRASILEIRO MITSUBISHI LANCER CUP REGULAMENTO DESPORTIVO E TÉCNICO 2015 A CBA, supervisionará técnica e desportivamente, o evento Mitsubishi Lancer Cup, promovido pelo Automobile Motorsports Club (AMC). Todas as partes participantes (clubes, organizador, competidores e autódromo), comprometem-se a aplicar e observar as regulamentações que governem o evento. ENTENDIMENTO GERAL O evento é regido pelas normas e códigos do CDA/CBA e CDI/FIA. Todos os competidores e oficiais de competição participantes do evento comprometem-se por si próprios, e por seus convidados, parentes e seus agentes, a observar todas as regulamentações e adendos do Código Desportivo Internacional CDI/FIA, código Desportivo do Automobilismo Nacional CDA/CBA e o presente regulamento Desportivo. As alterações que forem necessárias no regulamento desportivo ou técnico só poderão ser feitas pelo Organizador e submetidas à aprovação da CBA, para divulgação nos prazos previstos legais. O presente regulamento e seus respectivos adendos têm força de lei desportiva em conformidade com os princípios estabelecidos pela legislação nacional. Os adendos desportivos e os considerados de segurança entram em vigor a partir de sua data de publicação. PARTE A REGULAMENTAÇÃO DESPORTIVA A.1 ORGANIZAÇÃO O referido evento será organizado, promovido e desenvolvido pelo Automobile Motorsports Club - AMC, detentor dos direitos da categoria, denominado Organizador.

4 4 A.2 JURISDIÇÃO A conduta e o controle dos eventos serão governados pela presente regulamentação e pelos códigos CBA/FIA. O carro deve satisfazer as provisões da regulamentação técnica, que são parte integrante da presente regulamentação geral. A.3 PARTICIPANTES Para participar das provas todos os Pilotos devem assegurar-se de possuir uma das seguintes licenças: Cédula Desportiva CBA PGC A, PGC B ou PC (Piloto de Competição) válida para o ano da competição, emitida pela. Independente da graduação ou categoria do Piloto, o mesmo só será admitido se for maior de 18 anos e após avaliação da Organização. A.4 INSCRIÇÕES Os portadores de licença qualificados para inscrição devem solicitar sua inclusão na Mitsubishi Lancer Cup, através da assinatura do contrato de credenciamento emitido pelo Organizador. Ao submeter um contrato de credenciamento, o contratante ou Piloto indicado por ele se compromete a participar em todas as reuniões das etapas programadas. Esse compromisso serve para assegurar uma participação plena dos participantes a cada prova, visando aprimorar a excelência nas regras aplicadas ao Evento. Uma participação será apenas considerada como obrigatória após sua aprovação formal pelo Organizador. As inscrições são válidas para o Campeonato Ao submeter um contrato de credenciamento o Piloto se compromete a arcar com todas as despesas, relacionadas ao veículo locado, decorrentes da utilização desse veículo nas atividades da Lancer CUP, mesmo que esse veículo venha a ser utilizado por outro Piloto indicado por ele (desde que se enquadre dentro das condições desportivas de participação para os Pilotos e tenha sido aprovado pela organização).

5 5 A.4.1 MUDANÇAS DE PILOTO Um Piloto registrado no campeonato, (evento) somente poderá nomear outro Piloto substituto caso seja realizado de acordo com o Organizador, com anuência da CBA e com a presente regulamentação. O Piloto deve notificar o Organizador, por escrito, com até 15 dias de antecedência, sobre qualquer mudança de Piloto. O Piloto substituto deverá satisfazer os critérios relacionados no presente Regulamento Desportivo. O Piloto substituto não herdará os pontos conquistados no campeonato pelo Piloto substituído. Casos não previstos que ocorram durante cada etapa, deveram ser avaliados e autorizados pelos Comissários Desportivo das Provas em questão. A.4.2 QUANTIDADE DE PILOTOS POR CARRO Serão permitidos até 2 (dois) Pilotos por carro em cada evento. Os carros com 2 Pilotos não formarão equipe, ou seja cada piloto somará para o campeonato apenas os pontos conforme descrito neste regulamento no item A Não será permitida a troca de Pilotos durante o andamento das provas. A.5 PILOTOS CONVIDADOS/VIPS O Organizador tem o direito de admitir ou inscrever Pilotos convidados nas respectivas provas do Evento, contanto que os mesmos satisfaçam às condições das regras deste regulamento. A.6 CARROS O Evento é reservado exclusivamente para carros Mitsubishi Lancer R e Mitsubishi Lancer RS, preparados para competição exclusivamente pela Mitsubishi Motors do Brasil, que poderão competir em provas únicas ou separadas, porém com pontuação independente por categoria.

6 6 Não obstante, estes carros devem estar em plena consonância com os requisitos técnicos da presente regulamentação e com o Anexo J do Código Esportivo Internacional da FIA. A.7 NÚMEROS DOS CARROS O Piloto, detentor do contrato de locação, tem liberdade de escolher seu numero, verificando previamente a disponibilidade junto a Organização do evento. Serão disponibilizados os algarismos de 00 a 99. Os adesivos de identificação do carro serão providenciados e fornecidos pela Organização. Antes do primeiro evento, os Pilotos inscritos deverão ter o número de seu carro já definido, que permanecerá o mesmo para todas as etapas. A.8 BRIEFING PARA PILOTOS Antes de cada prova, uma sessão de instruções - briefing - para os Pilotos será realizada pelo Diretor de Prova e Comissários Desportivos do evento. A participação nessa sessão é compulsória para todos os Pilotos. A falta ou atraso no briefing acarretará ao Piloto uma penalização com a perda de 50% do tempo do seu treino classificatório. Esta penalização não isenta o Piloto de se reunir com o Diretor de Prova antes de sua atividade de pista. A.9 CAMPEONATO 1- O Campeonato será realizado entre Março e Dezembro de 2015, e será formado por 14 (quatorze) provas oficiais divididas em 7 (sete) eventos. Os eventos acontecerão nos seguintes autódromos, segundo programação a ser divulgada posteriormente:

7 7 - Velo Città - Mogi Guaçu / SP - Interlagos - São Paulo / SP - Goiânia - Goiânia / GO - Tarumã Porto Alegre / RS 2- O Campeonato será composto por 2 categorias: Lancer R, Lancer RS. Cada categoria poderá conter + de uma classe, sendo respectivamente Lancer R Master e Lancer RS Master. 2.1 Caso as 2 categorias participem da mesma prova simultaneamente, os grids serão separados assim como os pódios As classes Master são destinadas a Pilotos com 45 anos (completos em 2015) ou mais. Os pilotos que se enquadrarem nessa condição participam automaticamente das respectivas classes Cada uma das categorias (Lancer R, Lancer RS) será premiada em cerimônia de pódio própria. As classes Lancer R Master e Lancer RS Master também serão premiadas em cerimônias de pódio próprias, independentemente da posição de chegada do piloto na categoria A premiação provisória será realizada imediatamente após cada prova. Serão premiados os 5 primeiros colocados das categorias Lancer R e Lancer RS. Serão premiados os 3 primeiros colocados das classes Lancer R Master e Lancer RS Master. A homologação do resultado se fará após o julgamento pelos Comissários Desportivos de eventuais penalizações e ou recursos. Parágrafo Único: Os pilotos envolvidos em reclamações e manifestos deverão permanecer no autódromo até o veredito final da Comissão Técnica e Comissários Desportivos Para efeito de campeonato, teremos pontuações distintas para cada categoria e classe caracterizando assim 4 campeonatos. Os pilotos que estiverem inscritos nas classes Master participarão automaticamente de dois campeonatos simultaneamente, relativos a suas respectivas categoria e classe.

8 Pilotos que participam em duplas, dividindo o uso do carro numa etapa, participarão do campeonato de Pilotos de forma individual de acordo com os seguintes critérios: Cada Piloto participará inscrito em apenas uma categoria e classe (quando for o caso) O Piloto que realiza a classificação deverá obrigatoriamente participar da primeira prova da etapa Na primeira etapa do campeonato os Pilotos da dupla podem decidir entre eles quem fará o treino classificatório e a primeira prova. Para as demais etapas o Piloto a classificar deverá ser aquele que não classificou na etapa anterior Caso os dois Pilotos tenham feito a classificação ou ambos não tenham feito a classificação na etapa anterior, a decisão de qual Piloto deverá realizar o treino classificatório e disputar a primeira prova fica a critério da dupla No caso de disputar uma etapa em dupla, a pontuação dos Pilotos se dará de forma individual, dobrando os pontos conseguidos pelo Piloto na prova por ele disputada. 3- Os treinos oficiais e opcionais poderão acontecer as quintas e sextas-feiras conforme adendo e programação a critério do Organizador. Regra geral, as provas serão realizadas aos sábados, podendo excepcionalmente ser realizada aos domingos, sofrendo adiamento por motivos de força maior ou de condições climáticas. A Organização poderá, entretanto, mediante sua conveniência, promover provas (extra campeonato), em outras datas ou localidades, desde que a programação seja informada previamente e com a anuência da CBA. 4- Cada prova terá a duração de 25 (vinte e cinco) minutos mais 2 (duas) voltas.

9 9 A Organização se reserva ao direito de fazer mudanças nos horários mediante aviso prévio. Nenhuma outra ação que as acima descritas poderão ser realizadas sem a prévia autorização da Organização e com a anuência da CBA. 5- Pontuação distribuída para cada categoria e classe de cada prova: 1º 25 pontos 2º 22 pontos 3º 20 pontos 4º 18 pontos 5º 16 pontos 6º 14 pontos 7º 12 pontos 8º 10 pontos 9º 8 pontos 10º 6 pontos 5.1- Para efeito de Pontuação no Campeonato será considerada a inscrição individual de cada Piloto, levando-se em conta as seguintes condições: I- Cada Piloto pontuará somente na categoria e classe (quando for o caso) que está inscrito. II- Caso o Piloto mude de categoria, no decorrer do campeonato, não poderá levar a pontuação adquirida até então para a nova categoria. lll- Sistema de classificação N2 cada piloto deverá descartar 2 provas do campeonato, podendo ser provas que não tenha participado. Para pilotos que participam em duplas, poderão descartar apenas uma prova, desde que esta tenha sido pontuada em dobro, conforme item A deste regulamento O critério de desempate será a quantidade de vitórias; 2º lugares; 3º lugares e assim sucessivamente Para efeito de desempate, o resultado do Piloto que dividiu o veículo, não será considerado dobrado, por exemplo: Piloto que divide o carro conquista uma vitória na prova em que participou numa das etapas. Pontos para o campeonato =

10 10 2x25 = 50 pontos. Número de vitórias para efeito de desempate = 1 vitória na etapa. 6- Caso haja: Interrupção da prova com menos de 2 (duas) voltas completadas: A prova será considerada nula. Podendo ser reiniciada em outro momento do mesmo dia ou no dia subsequente. A decisão ficará a cargo da Organização com a anuência da dos Comissários Desportivos. Interrupção com mais de 2 (duas) voltas e menos de 75% do tempo de prova: A prova será considerada válida e encerrada. Os Pilotos serão premiados e a pontuação será distribuída pela metade. Caso haja condições, a prova poderá ser retomada e será considerada como prova com 2 baterias, de acordo com as determinações do CDA. Esta decisão fica a critério dos Comissários Desportivos. Interrupção com mais de 75% do tempo de prova: A prova será considerada válida e encerrada. Os Pilotos serão premiados e a pontuação será distribuída em sua totalidade. A.10 TREINOS LIVRES E TREINOS CLASSIFICATÓRIOS Para os Treinos Classificatórios, os Pilotos serão divididos em 2 grupos de acordo com a categoria: Lancer R e Lancer RS. Cada grupo terá direito a 15 minutos de classificação. A Organização poderá promover treinos opcionais e extra oficiais a qualquer momento do ano vigente, inclusive dentro da programação oficial do evento. A.11 FORMAÇÃO DO GRID DE LARGADA 1- O grid da primeira prova será configurado mediante resultado do treino classificatório oficial, independentemente da Classe. Caso o Piloto não tenha participado do treino classificatório oficial ou não possua um tempo de volta válido, ele deverá largar na última posição do seu respectivo grid, independentemente de sua classe.

11 11 2- O grid da segunda prova de ambas as categorias (Lancer R e Lancer RS), será configurado baseado no resultado da primeira prova segundo o seguinte critério: - Inversão de posição física no grid entre os 8 primeiros colocados, independentemente da classe. A partir da nona posição os Pilotos devem manter a mesma ordem de chegada da primeira prova. A.12 LAYOUT E ADESIVAGEM DOS CARROS 1- Todos os carros deverão respeitar as áreas determinadas para a publicidade oficial da prova, como orientado no mapa de adesivagem fornecido pela Organização. 2- Está liberada a publicidade de patrocinadores conflitantes com os patrocinadores do evento desde que apresentados e aprovados previamente pelos organizadores. 3- É de absoluta responsabilidade dos competidores preservarem em perfeito estado os logotipos de uso obrigatório. 4- É proibido o uso da seguinte publicidade: - Política - Racista em quaisquer de suas formas - Qualquer outra que infrinja a legislação nacional 5- A falta de cumprimento dessas regulamentações acarretará em penalização e possível exclusão do Piloto da prova. A.13 PROCEDIMENTO DE LARGADA Largada tipo Lançada, 1 (uma) ou mais voltas de apresentação poderão ser realizadas, o horário de abertura e fechamento do box será de acordo com o cronograma oficial. Se o carro é incapaz de sair para a volta de apresentação, ele será empurrado ou rebocado para um local seguro. Será levado aos boxes apenas se o procedimento for seguro na interpretação do Diretor de Prova. Não é permitido, em nenhum momento, o Piloto executar freadas bruscas ou treino de largada.

12 12 Após o recolhimento do Safety Car ao final da volta de apresentação, todos os veículos deverão seguir alinhados em duas filas indianas paralelas sobre os colchetes, em velocidade máxima de 70 (setenta) KM/h até que a largada seja autorizada, porém os carros só poderão sair do alinhamento após ultrapassarem a linha de largada. As seguintes atitudes serão consideradas queimas de largada e o Piloto responsável será penalizado com drive through, independentemente da largada ter sido considerada válida ou não: - Apresentar-se fora do alinhamento e ou mantendo distância maior que o equivalente de 2 (dois) veículos do carro que está à frente; - Apresentar-se acima da velocidade estipulada antes da linha de largada. - Realizar qualquer manobra (redução proposital de velocidade, por exemplo) que prejudique um ou mais pilotos da sua fila no alinhamento de largada. Caso, no momento da largada lançada, haja ausência de um ou mais Pilotos, a fila poderá avançar para preencher o espaço dessas ausências sem prejuízo aos competidores. A.14 PENALIZAÇÕES DURANTE A PROVA TOQUES. Qualquer toque entre os carros que tenha sido observado pelos Comissários ou Fiscais de Pista, o Piloto que causar algum tipo de prejuízo desportivo aos envolvidos (no julgamento dos Comissários de Prova) será passível de penalização com drive through Caso o toque ocorra nas 3 últimas voltas, o Piloto será penalizado em 20 seg. acrescidos no tempo final da prova além de perder automaticamente 5 posições no grid na próxima prova em que participar. Caso aconteça na última prova do campeonato, além da penalização em tempo, perderá também 3 posições na prova Caso outro Piloto envolvido na ocorrência, numa análise posterior, venha a ser considerado culpado por um toque, será penalizado em 20 seg. acrescidos no tempo final da prova além de perder automaticamente 5 posições no grid na

13 13 próxima prova em que participar, sem prejuízo da sanção aplicada ao veículo que efetuou o toque. Caso aconteça na última prova do campeonato, além da penalização em tempo, perderá também 3 posições na prova Caso ocorrências de pista sejam consideradas atitudes perigosas ou antidesportivas, de acordo com a interpretação das autoridades desportivas, os envolvidos poderão sofrer sanções que podem variar desde advertência até a exclusão ou desclassificação da prova, aplicadas pelo Diretor de Prova, seguindo a recomendação dos Comissários Desportivos. A.15 SAFETY CAR Não existirá intervenção programada. O procedimento de intervenção e atuação do Safety Car será apresentado durante o Briefing e ou regulamento particular de prova. A.16 SEGURANÇA GERAL As sinalizações serão apresentadas aos Pilotos por meios de sinais, placas e bandeiras previstas no CDA/CBA. É proibido a qualquer momento o Piloto dirigir em sentido contrário, seja na área dos boxes, parque fechado, pista e demais vias dentro do autódromo ou circuito, sob pena impostas pelo CDA/CBA. Os Pilotos quando na condução de seus carros deverão estar trajando sempre indumentária completa homologada FIA/CBA. É obrigatório o uso do equipamento de segurança HANS homologado e perfeitamente ajustado ao Piloto em relação a posição do Piloto sentado no banco do carro. Os reparos do carro podem unicamente serem realizados nos boxes, no pit Lane e no grid, até a apresentação da placa de 5 (cinco) minutos para a largada.

14 14 A velocidade máxima na área dos boxes é de 50 (cinquenta) km/h, salvo determinação contrária visando segurança e definida em regulamento particular ou briefing. O excesso de velocidade, na área dos boxes, durante a prova será punido com o acréscimo de 20 (vinte) segundos no resultado final da prova. - Em situação de 1º Treino Livre: Perderá 5 (cinco) minutos de tempo de pista para o 2º Treino Livre. - Em situação de 2º Treino Livre: Perderá 5 (cinco) minutos de tempo de pista para o Treino Classificatório. - Em situação de Treino Classificatório: Perderá as duas melhores voltas obtidas no Treino. É obrigatório, a utilização de equipamento de rádio comunicação operante por parte do piloto. A ausência ou mau funcionamento do equipamento impede automaticamente o acesso do piloto à pista. O ingresso ou permanência na pista com problemas de comunicação acarretará em sanções impostas pelos Comissários de Prova, podendo chegar até a desclassificação da etapa. A.17 DOPING A absorção de substâncias naturais ou químicas, e a utilização de procedimentos considerados dopantes, conforme lista divulgada pela FIA, são estritamente proibidas. A ocasião em que se darão os exames será decidida pelas autoridades desportivas competentes, cabendo à empresa promotora custear o primeiro exame e a CBA custear o segundo ou os demais, sempre mediante laboratórios credenciados pela WADA. Os infratores e aqueles que se recusaram ao controle de doping serão punidos de acordo com as normas FIA. A.18 PROTESTOS O procedimento de protesto deve obedecer o Código Desportivo do Automobilismo CDA/CBA. Os documentos devem ser protocolados na secretaria de prova.

15 15 A.19 PADDOCK E BOXES As instruções do Organizador relativas à configuração do paddock e boxes devem ser observadas. Dentro dos boxes, será permitida a entrada e presença apenas da equipe oficial da organização, devidamente credenciados. A.20 DIREITOS DO ORGANIZADOR O Organizador, com a anuência da CBA, tem o direito de fazer quaisquer modificações, tanto nos convites para a competição como na regulamentação geral, que venha a ser necessária por motivo de força maior, por razões de segurança, para cumprir com as diretrizes oficiais ou para proteger a igualdade de chances ou apelo da série de provas. Eventos isolados podem ser reprogramados ou cancelados. A implementação de regulamentos pode ser emitida por escrito pelo Organizador e por aqueles que realizam a vistoria com concordância dos Comissários Desportivos responsáveis. A.21 EXCLUSÃO DE QUALQUER RECURSO A TRIBUNAIS DE JUSTIÇA E RESTRIÇÃO DE RESPONSABILIDADE / EXCLUSÃO DE RESPONSABILIDADE Nenhum pleito à Justiça Comum poderá derivar de medidas tomadas pelo Organizador / CBA/ Federação local ou seus representantes autorizados, exceto em caso de danos causados de maneira intencional ou grosseiramente negligente. A exclusão de responsabilidade está coberta no Contrato de Credenciamento para a Mitsubishi Lancer Cup 2015, o qual deve ser assinado pelo Piloto. A.22 ACEITE DA REGULAMENTAÇÃO / RENÚNCIA Juntamente com o Contrato de Credenciamento os Pilotos devem devolver os formulários impressos de acordo e renúncia. Ao assinar o Contrato de Credenciamento cada Piloto participando da Mitsubishi Lancer Cup será considerado como tendo concordado com o presente

16 16 regulamento, assim como os regulamentos da CBA/FIA e os regulamentos específicos do respectivo Organizador. A.23 CERIMÔNIA DO PÓDIO Os Pilotos que terminarem dentro da zona de premiação de cada prova em sua categoria e classe, devem participar da cerimônia de entrega de prêmios no pódio e observar os procedimentos estabelecidos pelo Organizador. Será também solicitada aos Pilotos sua participação nas coletivas de imprensa depois da prova. A ausência ou recusa de participação na cerimônia de premiação de cada prova, resultará na perda do direito de receber os prêmios oficiais e prêmios extras da prova em questão. A.24 REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA A regulamentação técnica contida na parte B deste instrumento é valida e é parte integrante da presente regulamentação da Mitsubishi Lancer Cup A.25 PEÇAS SOBRESSALENTES As peças sobressalentes serão fornecidas exclusivamente através do Organizador e pela Mitsubishi Motors do Brasil. PARTE B REGULAMENTO TÉCNICO B.1 INTRODUÇÃO Na Mitsubishi Lancer Cup, serão utilizados modelos Lancer Evo R, e Lancer Evo RS, com veículos tecnicamente idênticos entre os de mesmo modelo. Todos os carros devem corresponder à mais recente regulamentação técnica e de segurança FIA/CBA. A vistoria técnica desses carros será realizada pelos Comissários Técnicos da CBA. B.2 MODIFICAÇÕES E INSTALAÇÕES AUTORIZADAS Quaisquer modificações ou desvios não autorizados explicitamente na presente regulamentação são proibidos.

17 17 As únicas intervenções autorizadas são ajustes normais e manutenção ou a substituição de peças danificadas por uso ou acidente. Essas peças devem ser substituídas por peças fornecidas pela Mitsubishi Motors do Brasil. Danos na carroceria, pintura e adesivos devem ser reparados assim que possível, antes ou depois da prova. Circulares sobre informações técnicas da Mitsubishi Lancer Cup, assim como consultoria técnica e diretriz de segurança devem ser estritamente observadas pelo Organizador. B.3 EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA Os carros estão sujeitos à regulamentação de segurança do grupo N. Exceção: Artigo , redes de segurança de portas. Adicionalmente, o seguinte se aplica: B.3.1 SANTO ANTONIO (ROLL CAGE) O Roll Cage soldado, certificado e homologado pela FIA para o Carro Lancer Evo R, é obrigatório e não pode ser alterado. B.3.2 EXTINTOR DE INCÊNCIO Um sistema padrão de extintor de incêndio é instalado nos carros e satisfazem as provisões do Código Internacional Esportivo da FIA, Apêndice J, Artigo.253. A posição do extintor de incêndio definida pode ser mudada, observando critérios de instalação. B.3.3 GANCHOS DE REBOQUE Os ganchos ou cabos de reboque fornecidos com o carro devem ser montados de maneira adequada e identificados durante as sessões de treino e prova. O equipamento do carro deve respeitar o regulamento válido da FIA/CBA. B.3.4 CINTO DE SEGURANÇA Cinto de segurança de 5 (cinco) pontos homologado pela CBA e ou FIA deve estar instalado e em plenas condições de uso.

18 18 B.4 MOTOR O motor é baseado no modelo Lancer Evolution X de 306cv de potencia. Antes do sorteio dos carros, todos os motores são lacrados. Em circunstância alguma um carro cujo motor não esteja lacrado ou cujo lacre esteja danificado poderá participar de treino livre, treino classificatório ou prova. No caso de reparo não programado, tal reparo deve ser reportado ao comissário técnico da categoria. Nenhum motor poderá ser trocado, a menos que a equipe técnica da Organização identifique tal necessidade. B.5 SUSPENSÃO Todos os ajustes serão realizados exclusivamente pela equipe técnica da Organização e de forma padronizada para todos os carros. B.5.1 AMORTECEDORES/ MOLAS Todos os ajustes serão realizados exclusivamente pela equipe técnica da Organização e de forma padronizada para todos os carros. B.5.2 ALTURA DE RODAGEM Todos os ajustes serão realizados exclusivamente pela equipe técnica da Organização e de forma padronizada para todos os carros. B.5.3 BARRAS ESTABILIZADORAS Todos os ajustes serão realizados exclusivamente pela equipe técnica da Organização e de forma padronizada para todos os carros. B.6 INTERIOR DO CARRO O volante é de competição homologada FIA, e aprovados em vistoria técnica. B.6.1 ASSENTO / BANCO DE COMPETIÇÃO Será utilizado banco homologado FIA. B.6.2 PAINEL Será utilizado painel digital com software de aquisição de dados.

19 19 B.7 PESO CARRO / PILOTO B.7.1 PESO MÍNIMO DO CARRO Em condições de marcha, os pesos mínimos dos carros, sem o Piloto, de acordo com cada modelo devem ser de: - Lancer Evo R: kg, durante todo o evento. - Lancer Evo RS: kg, durante todo o evento. B.7.2 PESO DO PILOTO Os Pilotos inscritos deverão ser pesados com seu equipamento completo na balança oficial da vistoria técnica, manuseada pelos Comissários Técnicos nos horários estipulados na programação do evento ou no briefing. O peso mínimo do Piloto com indumentária completa deverá ser de 95kg. Caso o Piloto com indumentária não atinja o peso mínimo a diferença será acrescentada por meio de lastro em seu carro. Entende-se como indumentária macacão, capacete, HANS, luvas, balaclava e sapatilhas. O peso será sempre o do Piloto que conduzirá o carro na atividade de pista seguinte, no caso de dois Pilotos por carro no mesmo evento. Este peso mínimo deve ser respeitado durante todo o evento: nos treinos livres, classificação e nas provas. O lastro utilizado para atingir o peso mínimo especificado do Piloto será instalado no lado direito do carro, no local do banco do passageiro. Este lastro deverá ser fixado de acordo com as especificações do Artigo do Anexo J ao CDI da FIA, relativas às dimensões e características das fixações. O sistema de fixação deverá permitir a colocação de lacres no lastro pelos Comissários Técnicos e deve ser projetado de tal maneira que sejam necessárias ferramentas para sua remoção. O menor lastro é de 2Kg e o arredondamento será sempre para cima no peso do Piloto com indumentária e o lastro (Ex: Piloto + indumentária = 92Kg + 4Kg de lastro = 96Kg)

20 20 B.8 DIVERSOS B.8.1 COMBUSTÍVEL E LUBRIFICANTES O combustível e lubrificante será disponibilizado por um fornecedor escolhido pelo Organizador. Somente o Organizador e a CBA estão autorizados a tomar amostras de combustível de todos os carros participantes a qualquer momento do evento. B.8.2 PNEUS/CALIBRAGEM Os pneus designados para o Evento serão da marca Pirelli. A especificação para uso em pista seca é 245/ (Lancer Evo R) e 265/ (Lancer Evo RS). Para pista molhada é 235/ para ambos os modelos. A regulamentação do uso dos pneus será divulgada nos regulamentos particulares de cada prova. A pressão dos pneus durante as provas, treinos classificatórios e treinos livres, será determinada pela Organização. Será feito o controle de pressão e calibragem em toda saída de box ou grid de largada da prova. A recalibragem dos pneus só poderá ser realizada pela equipe da fornecedora oficial de pneus da categoria, podendo reajustá-la para a pressão estabelecida. O pré-aquecimento e qualquer tipo de tratamento químico e mecânico dos pneus são proibidos por toda a duração do evento. A Direção de Prova pode determinar o uso de pneu de chuva durante os treinos classificatórios e as provas. B.8.3 TELEMETRIA, SITEMAS DE RÁDIOS E SISTEMAS DE GRAVAÇÃO DE DADOS O sistema de aquisição de dados é permitido. O uso e monitoramento serão feitos pelo Organizador e equipe técnica, e estará a disposição do comissário técnico, e seus agentes designados. O Piloto poderá solicitar e ter acesso aos dados do seu carro.

21 21 B.8.4 CÂMERAS O Organizador se reserva o direito de instalar câmeras em um ou mais carros, para fins de oferecer possível material de vídeo para a produção de vídeo/tv do Organizador. O Organizador terá direito exclusivo de realizar filmagens em cada prova e em qualquer outra parte do evento para a televisão e/ou outra mídia e licenciar e explorar os direitos resultantes de tal filmagem a seu critério absoluto. Nenhum carro pode participar da prova ou qualquer outra parte dos eventos se tiver instalado qualquer dispositivo de filmagem dentro ou sobre o carro em circunstâncias onde o Organizador não tenha solicitado ou dado seu consentimento prévio para a presença e operação de tal dispositivo. A Direção de Prova poderá usar as imagens para eventuais julgamentos e penalizações. PARTE C OBSERVAÇÕES ADICIONAIS Em caso de qualquer disputa sobre a interpretação do presente regulamento, decisões finais de seu significado serão tomadas pelos Comissários Desportivos. C.1 PENALIZAÇÕES Penalizações (punições) desportivas que não puderem ser aplicadas durante a prova, serão aplicadas ao término da mesma. A critério dos Comissários Desportivos, estas punições poderão ser em acréscimo de tempo na prova, perda de posições no grid de largada na prova seguinte que o piloto participar, além de outras sanções previstas no CDA. Em caso de duplas, as penalizações serão para a dupla, exceto aquelas que os Comissários Desportivos, julguem de caráter individual. Demais irregularidades não descritas aqui, sendo estas de ordem técnicas ou desportivas serão penalizadas conforme CDA/CBA. C.2 RECLAMAÇÕES Deverá seguir o descrito no CDA/CBA Código Desportivo do Automobilismo vigente.

22 22 C.3 RECURSOS Deverá seguir o descrito no CDA/CBA Código Desportivo do Automobilismo vigente. C.4 FINAL DE PROVA 1. O sinal de final de prova será dado na linha de chegada assim que o carro líder cubra o tempo e/ou percurso estipulado em regulamento ou em determinação no briefing. 2. Se por qualquer motivo, o sinal de término de prova não for apresentado, será considerada encerrada a prova assim que o carro líder passar pela linha de cronometragem/chegada, completando o número de voltas e/ou tempo previsto no regulamento. 3. Após haver recebido o sinal de final da prova, todos os carros deverão se dirigir pelo circuito, diretamente até os boxes. 4. Todo carro classificado que não possa chegar ao box por seus próprios meios, deverá ser conduzido pelo resgate até o mesmo. APROVAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO O presente regulamento foi analisado pela Comissão Nacional de Velocidade, aprovado pelo Conselho Técnico Desportivo Nacional e homologado pelo Presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo. Rio de Janeiro, 10 de março de Comissão Nacional de Velocidade Waldner Bernardo de Oliveria Presidente Conselho Técnico Desportivo Nacional Nestor Valduga Presidente Confederação Brasileira de Automobilismo Cleyton Tadeu Correia Pinteiro Presidente

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL. F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition. Regulamento Desportivo

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL. F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition. Regulamento Desportivo 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition Regulamento Desportivo A CBA supervisionará técnica e desportivamente o torneio F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition, que é promovido pela empresa

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE PARTE B CLASSE CUP REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA 2016

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE PARTE B CLASSE CUP REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA 2016 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE PARTE B CLASSE CUP REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA 2016 INTRODUÇÃO Sempre que os presentes regulamentos se referirem à PROMOTORA, a DENER MOTORSPORT

Leia mais

PARTE B REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA

PARTE B REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA PARTE B REGULAMENTAÇÃO TÉCNICA INTRODUÇÃO No GT3 Cup Challenge Brasil serão utilizados carros tecnicamente idênticos (modelos Porsche 911 GT3 Cup) de uma série limitada construída com base no modelo convencional

Leia mais

1º Torneio Integração CKC (Clube Kart Campinas)

1º Torneio Integração CKC (Clube Kart Campinas) 1º Torneio Integração CKC (Clube Kart Campinas) REGULAMENTO O 1º Torneio Integração - CKC (Clube Kart Campinas) será realizado no dia 26/11 com início às 14:00 no Kartódromo Internacional San Marino e

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO ARTIGO 1º - ORGANIZAÇÃO: A Temporada 2014 da categoria GPCKA será realizada pelo GRUPO - Circuito de Kart Amador. ARTIGO 2º - CRONOGRAMA: A Temporada 2014 será disputada em 6 etapas e as etapas estão previstas

Leia mais

JEEP CLUBE DE MACEIÓ

JEEP CLUBE DE MACEIÓ JEEP CLUBE DE MACEIÓ R E G U L A M E N T O XIX Prova do Sururu A XIX PROVA DO SURURU de 4x4 será regida pelo presente regulamento e pelo Código Desportivo do Automobilismo. A XIX PROVA DO SURURU de 4x4

Leia mais

AUTÓDROMO INTERNACIONAL DE GUAPORÉ

AUTÓDROMO INTERNACIONAL DE GUAPORÉ I II AUTÓDROMO INTERNACIONAL DE GUAPORÉ Art. 1º - Informações Específicas da Prova: NOME DA PROVA Campeonato Brasileiro de Endurance 2011 Copa das Federações Campeonato Gaúcho de Endurance Campeonato Gaúcho

Leia mais

Campeonato Etapa Local Status Dia da Semana Data Etapa Horário da Bateria Tipo de Kart

Campeonato Etapa Local Status Dia da Semana Data Etapa Horário da Bateria Tipo de Kart ARTIGO 1º ORGANIZAÇÃO: A Temporada 2016 da categoria GPCKA KART INDOOR será realizada pelo GRUPO Circuito de Kart Amador. ARTIGO 2º CRONOGRAMA: A Temporada 2016 será disputada em 6 etapas e as etapas estão

Leia mais

Confederação Brasileira de Automobilismo CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE

Confederação Brasileira de Automobilismo CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA I. Prova, Data e Local 7º Evento do Campeonato Mitsubishi Lancer Cup 2015. - Provas 13 e 14 - Data:

Leia mais

OPEN CUP vai animar o Estoril Racing Festival!

OPEN CUP vai animar o Estoril Racing Festival! ... 1 2 NOVEMBRO, 2014 # 006 OPEN CUP vai animar o Estoril Racing Festival! A Open Cup, já tem o seu regulamento particular aprovado pela FPAK e está a despertar muito entusiasmo juntos dos possíveis participantes,

Leia mais

REGULAMENTO ESPORTIVO. Copa KART BRASIL e KART NIGHT 2015. I Do CAMPEONATO

REGULAMENTO ESPORTIVO. Copa KART BRASIL e KART NIGHT 2015. I Do CAMPEONATO REGULAMENTO ESPORTIVO Copa KART BRASIL e KART NIGHT 2015 I Do CAMPEONATO Art. 1º A Copa KART BRASIL 2015 e a KART NIGHT 2015 serão realizadas no Kartódromo Internacional Nova Odessa. 1º A Copa KART BRASIL

Leia mais

Confederação Brasileira de Automobilismo CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE

Confederação Brasileira de Automobilismo CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA I. Prova, Data e Local 6º Evento do Campeonato Mitsubishi Lancer Cup 2015. - Provas 11 e 12 - Data:

Leia mais

Apenas os Kart s fornecidos pela Organização serão admitidos, sendo a sua atribuição às equipas efectuada mediante sorteio.

Apenas os Kart s fornecidos pela Organização serão admitidos, sendo a sua atribuição às equipas efectuada mediante sorteio. 1- DEFINIÇÃO / GENERALIDADES A SKC Secção de Karting Conquistadores do Moto Clube de Guimarães, organiza uma manifestação desportiva de kart denominada 6H Guimarães Kart Challenge. Este evento de karting

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 ART. 01 REGULAMENTO DESPORTIVO TEMPORADA 2015 A Pokemon Pneus, é a realizadora da Copa Paraná Superbike com 7 etapas, elabora o presente regulamento, entrando em vigor imediatamente

Leia mais

PROVA SÃO PAULO 300- TOP SERIES

PROVA SÃO PAULO 300- TOP SERIES FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO PROVA SÃO PAULO 300- TOP SERIES REGULAMENTO PARTICULAR ARTIGO Nº 1 INFORMAÇÕES ESPECÍFICAS DAS CORRIDAS Nome das Corridas Prova São Paulo 300 Top Series Autoridade

Leia mais

Rally de Inverno 23 A 24 DE JULHO DE 2016. CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 3ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally

Rally de Inverno 23 A 24 DE JULHO DE 2016. CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 3ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally Página1 Rally de Inverno 23 A 24 DE JULHO DE 2016 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 3ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA (RPP) Página2 1.1 Rally de Inverno

Leia mais

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961 FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO E DESPORTIVO GAÚCHO CAMPEONATO GAÚCHO DE MARCAS E PILOTOS 2014 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Art. 1º - Introdução REGULAMENTO DESPORTIVO A Federação Gaúcha de

Leia mais

2º Rally de São Luiz do Paraitinga

2º Rally de São Luiz do Paraitinga 2º Rally de São Luiz do Paraitinga 27 A 28 DE FEVEREIRO DE 2016 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 1ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA (RPP) Página1 1.1 2º

Leia mais

Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015

Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015 Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015 1. Definição: Evento automobilístico voltado ao lazer composto de um deslocamento de extensão variável (passeio em estradas abertas ao trânsito normal) e uma prova do

Leia mais

Corrida dos Campeões de Vila Real. Draft 2

Corrida dos Campeões de Vila Real. Draft 2 Corrida dos Campeões de Vila Real Draft 2 Vila Real, 12 de Novembro de 2015 Regulamento Corrida dos campeões de Vila Real e Fan Race draft 1 1. DEFINIÇÃO / GENERALIDADES 1.1. A EpicDren Lda, organiza um

Leia mais

CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO

CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO A Federação Paranaense de Automobilismo FPrA, e suas filiadas: AKRL Associação dos Kartistas da Região de Londrina, farão realizar

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA CAMPEONATO BRASILEIRO VELOCIDADE NA TERRA CATEGORIA: TURISMO 1.600 C.C. REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO...

Leia mais

REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA

REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO CAMPEONATO BRASILEIRO PORSCHE GT3 CUP CHALLENGE e LIGHT REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA Artigo 1º Informações Específicas

Leia mais

5 - Fica reservada à AMIKA a aprovação, ou não, dos pilotos que se inscreverem, sem que haja necessidade de justificativa.

5 - Fica reservada à AMIKA a aprovação, ou não, dos pilotos que se inscreverem, sem que haja necessidade de justificativa. GERAL 1 O Torneio de Verão 2013 tem como criadora, idealizadora e organizadora a Associação de Amigos do Kart Amador (AMIKA) que juntamente com o Kartódromo Granja Viana realizará o evento com a finalidade

Leia mais

EQUIPE DE KART INDOOR RODA PRESA

EQUIPE DE KART INDOOR RODA PRESA EQUIPE DE KART INDOOR RODA PRESA REGULAMENTO -2015 1) A Categoria Principal será composta de 13 Etapas, a ser realizada conforme calendário estabelecido pela comissão organizadora, com início previsto

Leia mais

R E G U L A M E N T O - 2014

R E G U L A M E N T O - 2014 R E G U L A M E N T O - 2014 COPA NORDESTE DE INDOOR 4x4 A COPA NORDESTE DE INDOOR 4x4 será regida pelo presente regulamento e pelo Código Desportivo do Automobilismo. A COPA NORDESTE DE INDOOR 4x4 estará

Leia mais

4º RALLY ROTA SC ARAQUARI / SC REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA RALLY CROSS COUNTRY DE VELOCIDADE CBA CARROS E CAMINHÕES

4º RALLY ROTA SC ARAQUARI / SC REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA RALLY CROSS COUNTRY DE VELOCIDADE CBA CARROS E CAMINHÕES 4º RALLY ROTA SC ARAQUARI / SC REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA RALLY CROSS COUNTRY DE VELOCIDADE CBA CARROS E CAMINHÕES 5ª E 6ª PROVAS DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE RALLY CROSS COUNTRY DE VELOCIDADE 02 a

Leia mais

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO XXIV PROVA DE ARRANCADA INTERNACIONAL DE CAMINHÕES EM BALNEÁRIO ARROIO DO SILVA / SC 1 - DAS INSCRIÇÕES DE 13 A 16 DE MARÇO DE 2014 REGULAMENTO GERAL 1.1 - As inscrições poderão

Leia mais

Regulamento Copa Cemil de Ciclismo 2015

Regulamento Copa Cemil de Ciclismo 2015 Regulamento Copa Cemil de Ciclismo 2015 Regulamento Particular da Competição Na ausência de item especifico para um determinado assunto neste regulamento particular, a organização considera como referencia

Leia mais

4º Rally de Taubaté 2014

4º Rally de Taubaté 2014 Página1 4º Rally de Taubaté 2014 26 A 27 DE ABRIL DE 2014 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 2ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA Página2 1. INTRODUÇÃO 1.1 4º

Leia mais

Rally de velocidade de Indaiatuba

Rally de velocidade de Indaiatuba Página1 Rally de velocidade de Indaiatuba 20 A 21 DE SETEMBRO DE 2014 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 3ª e 4ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA Página2 1.

Leia mais

Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015

Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015 Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015 Regulamento Específico Ciclismo Art. 1º - A competição de ciclismo do Minas Olímpica/Jogos de Minas obedecerá as regras da Confederação Brasileira de Ciclismo e Federação

Leia mais

1º Rally de velocidade de Avaré

1º Rally de velocidade de Avaré Página1 1º Rally de velocidade de Avaré 11 A 12 DE JULHO DE 2015 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 3ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA (RPP) Página2 1.1 1º

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA CAMPEONATO BRASILEIRO VELOCIDADE NA TERRA FORMULA TUBULAR

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA CAMPEONATO BRASILEIRO VELOCIDADE NA TERRA FORMULA TUBULAR 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA CAMPEONATO BRASILEIRO VELOCIDADE NA TERRA FORMULA TUBULAR REGULAMENTO DESPORTIVO 2014 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO... 2 CAPÍTULO

Leia mais

Rally de velocidade de Itu

Rally de velocidade de Itu Página1 Rally de velocidade de Itu 19 A 20 DE DEZEMBRO DE 2015 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 6ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA (RPP) Página2 1.1 Rally

Leia mais

Triathlon Faculdades FKB. Regulamento Geral

Triathlon Faculdades FKB. Regulamento Geral DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Triathlon Faculdades FKB Regulamento Geral Art. 1 Este Regulamento Geral é o conjunto de disposições que regem a 1ª Prova de Triathlon Faculdades FKB 2011 e implica obediência

Leia mais

Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2008

Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2008 Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2008 Regulamento Desportivo ART. 01 ENTIDADES RESPONSÁVEIS A Federação Paranaense de Motociclismo é a única entidade capacitada por lei a autorizar, aprovar, coordenar,

Leia mais

R E G U L A M E N T O - 2015. COPA NORDESTE 4x4

R E G U L A M E N T O - 2015. COPA NORDESTE 4x4 R E G U L A M E N T O - 2015 COPA NORDESTE 4x4 A COPA NORDESTE DE RALLY 4x4 será regida pelo presente regulamento e pelo Código Desportivo do Automobilismo. A COPA NORDESTE DE RALLY 4x4 estará aberta a

Leia mais

COPA BRASIL DE KART INDOOR 2010 REGULAMENTO TÉCNICO E DESPORTIVO

COPA BRASIL DE KART INDOOR 2010 REGULAMENTO TÉCNICO E DESPORTIVO COPA BRASIL DE KART INDOOR 2010 REGULAMENTO TÉCNICO E DESPORTIVO CONCEITO 1 A Copa Brasil de Kart Indoor tem como realizador e organizador o Kartódromo Internacional de Volta Redonda com a permissão da

Leia mais

Regulamento de Segurança/Prova. 1ªEdição A corrida Verde mais louca de Mirandela

Regulamento de Segurança/Prova. 1ªEdição A corrida Verde mais louca de Mirandela Regulamento de Segurança/Prova 1ªEdição A corrida Verde mais louca de Mirandela Capítulo 1 Disposições Gerais Artigo 1º:A corrida verde mais louca de Mirandela, em todas as suas categorias é integralmente

Leia mais

WWW.GARAGEM83.COM.BR

WWW.GARAGEM83.COM.BR 1º EVENTO: DOMINGO - 15/03/2015 (APENAS TRACK DAY); 2º EVENTO: DOMINGO - 26/04/2015 (JUNTO COM MARCAS & PILOTOS); 3º EVENTO: DOMINGO - 17/05/2015 (APENAS TRACK DAY); 4º EVENTO: DOMINGO - 26/07/2015 (JUNTO

Leia mais

ANTE PROGRAMA CAMPEONATO NACIONAL DE MOTONÁUTICA 2015 GP VILA FRANCA DE XIRA RIO TEJO. 18 e 19 de Abril FF, PR 750, T 850 E F4

ANTE PROGRAMA CAMPEONATO NACIONAL DE MOTONÁUTICA 2015 GP VILA FRANCA DE XIRA RIO TEJO. 18 e 19 de Abril FF, PR 750, T 850 E F4 ANTE PROGRAMA CAMPEONATO NACIONAL DE MOTONÁUTICA 2015 GP VILA FRANCA DE XIRA RIO TEJO 18 e 19 de Abril FF, PR 750, T 850 E F4 1-ORGANIZAÇÃO A FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE MOTONÁUTICA, o MUNICIPIO DE VILA FRANCA

Leia mais

Associação de Amigos do Kart Amador www.amika.com.br / contato@amika.com.br

Associação de Amigos do Kart Amador www.amika.com.br / contato@amika.com.br Este regulamento é válido para todos os campeonatos e suas categorias. Todos os campeonatos tem seu regulamento particular cujas regras devem ser seguidas em conjunto às deste regulamento. No caso de alguma

Leia mais

SMSCROSS - Promoções e Eventos

SMSCROSS - Promoções e Eventos SMS SUPER VELOCROSS 2016 REGULAMENTO GERAL VELOCROSS. 06-01-2016 DEFINIÇÃO: Denomina-se, competição de VELOCROSS, aquelas que se desenrolam por vários tipos terrenos com trajetos pré-fixados e dificuldades

Leia mais

2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA

2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA REGULAMENTO 2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA O evento é uma realização da Construtora Cataguá, organizado pela Chelso Sports, com o apoio da Prefeitura Municipal de Piracicaba. 1. REGULAMENTO A largada

Leia mais

5. Fica reservada à AMIKA a aprovação, ou não, dos pilotos que se inscreverem, sem que haja necessidade de justificativa.

5. Fica reservada à AMIKA a aprovação, ou não, dos pilotos que se inscreverem, sem que haja necessidade de justificativa. GERAL 1. O Campeonato Brasileiro de Kart Indoor tem como criadora, idealizadora e organizadora a Associação de Amigos do Kart Amador (AMIKA) que juntamente com o Kartódromo Granja Viana realizará o evento

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE JUVENIS têm por propósito básico a integração nacional,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL CAMPEONATO BRASIL NORDESTE DE MOTOCROSS 2015

REGULAMENTO GERAL CAMPEONATO BRASIL NORDESTE DE MOTOCROSS 2015 REGULAMENTO GERAL CAMPEONATO BRASIL NORDESTE DE MOTOCROSS 2015 1 - TÍTULO E GENERALIDADES O Campeonato Brasil Nordeste de Motocross é organizado e pela Edson Farias Indústria e Produção de Eventos Ltda,

Leia mais

REGULAMENTO OFICIAL 2º SÃO JOAQUIM RUN KIDS 2015

REGULAMENTO OFICIAL 2º SÃO JOAQUIM RUN KIDS 2015 REGULAMENTO OFICIAL 2º SÃO JOAQUIM RUN KIDS 2015 Capítulo I PROVA Artigo 1º. A 2º São Joaquim Run Kids 2015 Franca-SP ( CORRIDA ) será realizada no sábado, dia 25 de abril de 2015. Artigo 2º. A largada

Leia mais

XXVII COPA NORDESTE DE CICLISMO - 2015

XXVII COPA NORDESTE DE CICLISMO - 2015 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CICLISMO XXVII COPA NORDESTE DE CICLISMO - 2015 Art. 1º - REGULAMENTO OBJETIVO Com o objetivo de desenvolver e difundir o ciclismo em toda a Região Nordeste, bem como proporcionar

Leia mais

22/01/2012 Autódromo Internacional de Jacarepaguá

22/01/2012 Autódromo Internacional de Jacarepaguá 22/01/2012 Autódromo Internacional de Jacarepaguá http://trackday.oktaneclub.com/ Do Público O acesso ao evento será efetuada pelo Portão 7, com aceso fechado ao público. Para obter o acesso ao autódromo,

Leia mais

9º Grande Prémio - 150 Minutos

9º Grande Prémio - 150 Minutos 9º Grande Prémio - 150 Minutos REGULAMENTO 1. Definição do percurso O 9º Grande Prémio - 150 Minutos disputar-se-á na pista de Évora, com um perímetro de 908 metros e com a largura de 7 metros e será obrigatoriamente

Leia mais

CAMPEONATO BRASILEIRO DE DRIFT 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO 2015

CAMPEONATO BRASILEIRO DE DRIFT 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 CAMPEONATO BRASILEIRO DE DRIFT 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 Capítulo I Definição Art.01. No ano de 2015, será organizado pela PODIUM RACE EVENTS o campeonato Brasileiro de DRIFT, com a supervisão da

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA PROVAS DE RALLY - 2011

REGULAMENTO GERAL PARA PROVAS DE RALLY - 2011 REGULAMENTO GERAL PARA PROVAS DE RALLY - 2011 Art. 1 Da Organização O Classic Car Club - RS organiza as seguintes provas de rally durante o ano de 2011: IX Rally da Meia-Noite: 08 de abril X Rally da Serra:

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA

REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA COPA RALLYE UNIVERSITÁRIO CPR 2010 1ª ETAPA 1º DE AGOSTO DE 2010 PORTO ALEGRE, RS REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA SUPERVISÃO: FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO ORGANIZAÇÃO: CLUBE PORTO ALEGRE DE RALLYE

Leia mais

COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO.

COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO. COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO. ARTIGO 1º- Este regulamento é exclusivo da COPA GOIÁS DE FORMULA 200 ano 2015. 2 A categoria que fará parte deste Regulamento, será assim denominada: 2.1 Categoria

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE FÓRMULA TRUCK REGULAMENTO DESPORTIVO 2016

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE FÓRMULA TRUCK REGULAMENTO DESPORTIVO 2016 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE FÓRMULA TRUCK REGULAMENTO DESPORTIVO 2016 ADENDO 01 NOVA REDAÇÃO GERAL O PRESENTE ADENDO SUBSTITUI, NA ÍNTEGRA,

Leia mais

Regulamento. Nascidos em Idade Distância Largada 2013 2012. 8h00 8h10 2011 4 anos 20 m 8h20. 10 m 10 m. 2 anos 3 anos

Regulamento. Nascidos em Idade Distância Largada 2013 2012. 8h00 8h10 2011 4 anos 20 m 8h20. 10 m 10 m. 2 anos 3 anos Regulamento A prova 1. O evento infantil Corre Kids - 2015 será realizado no sábado, dia 24 de Outubro de 2015; 2. O evento terá disputas com velocípedes e corridas de pedestres divididas por faixas etárias;

Leia mais

Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança

Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança As normas e regras aqui estabelecidas são complementares aos regulamentos técnicos de cada categoria, portanto devem ser seguidas e obedecidas por competidores

Leia mais

RALLY DE POMERODE 2016

RALLY DE POMERODE 2016 Página1 RALLY DE POMERODE 2016 11 A 12 DE MARÇO DE 2016 CAMPEONATO BRASILEIRO DE RALLY DE VELOCIDADE 1ª Prova do Campeonato Brasileiro de Rally de velocidade CAMPEONATO PARANAENSE DE RALLY DE VELOCIDADE

Leia mais

CAMPEONATO METROPOLITANO DE CASCAVEL MARCAS: A / B / N REGULAMENTO DESPORTIVO TEMPORADA 2015

CAMPEONATO METROPOLITANO DE CASCAVEL MARCAS: A / B / N REGULAMENTO DESPORTIVO TEMPORADA 2015 CAMPEONATO METROPOLITANO DE CASCAVEL MARCAS: A / B / N REGULAMENTO DESPORTIVO TEMPORADA 2015 Art. 1º - Supervisão e Organização: O Campeonato Regional de Marcas A - B e N será supervisionado pela Federação

Leia mais

Automóvel Clube de Estação Filiado a Federação Gaúcha de Automobilismo RALLY DE ESTAÇÃO 2015 ESTAÇÃO - RS. 17 e 18 ABRIL DE 2015

Automóvel Clube de Estação Filiado a Federação Gaúcha de Automobilismo RALLY DE ESTAÇÃO 2015 ESTAÇÃO - RS. 17 e 18 ABRIL DE 2015 RALLY DE ESTAÇÃO 2015 ESTAÇÃO - RS 17 e 18 ABRIL DE 2015 CAMPEONATO BRASILEIRO DE RALLY DE VELOCIDADE 2015 1º Evento do Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade CAMPEONATO GAÚCHO DE RALLY DE VELOCIDADE

Leia mais

COPA BRASIL DE RALLYE DE REGULARIDADE

COPA BRASIL DE RALLYE DE REGULARIDADE COPA BRASIL DE RALLYE DE REGULARIDADE Evento: 4º Rally Estado de São Paulo Data: 02 e 03 de outubro Local: Cidades de Sorocaba e Pilar do Sul Regulamento Particular de Prova 1 - Organização / Promoção

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE MERCEDES-BENZ CHALLENGE C250 CUP E CLA AMG CUP REGULAMENTO DESPORTIVO 2014

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE MERCEDES-BENZ CHALLENGE C250 CUP E CLA AMG CUP REGULAMENTO DESPORTIVO 2014 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE MERCEDES-BENZ CHALLENGE C250 CUP E CLA AMG CUP REGULAMENTO DESPORTIVO 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO 2014... 3 INTRODUÇÃO... 3 ENTENDIMENTO

Leia mais

RESISTÊNCIA IBERICA 2014

RESISTÊNCIA IBERICA 2014 RESISTÊNCIA IBERICA 2014 REGULAMENTO GERAL 1 -INTRODUÇÃO Dando continuidade ao sucesso que a realização das Resistencias Ibericas têm tido nos últimos anos graças ao NORTESULTEAM, colaboração de algumas

Leia mais

Clássica do Caminho dos Pretos

Clássica do Caminho dos Pretos Clássica do Caminho dos Pretos 22 de Novembro 2014 VISA FPAK Nº 234/REG/2014 22.10.2104 1 Índice PROGRAMA Art.1 Organização e Definição 4 Art.2 Desenvolvimento da Prova 5 Art.3 Admissão e Classificação

Leia mais

REGULAMENTO DA VOLTA DA FATEA 2015

REGULAMENTO DA VOLTA DA FATEA 2015 REGULAMENTO DA VOLTA DA FATEA 2015 1 A prova 1.1 A prova será realizada no dia 6 de Dezembro de 2015 na cidade de Lorena, com caminhada de 2 km e corridas de 5 km. 1.2 A prova terá percurso de aproximadamente

Leia mais

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FILIADA À CBA. FAEES Federação de Automobilismo do Estado do Espírito Santo

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FILIADA À CBA. FAEES Federação de Automobilismo do Estado do Espírito Santo FAEES Federação de Automobilismo do Estado do Espírito Santo CAMPEONATO CAPIXABA DE KART 2015 CCK - 2015 REGULAMENTO PARTICULAR Das 1 e 2 Etapas A ASSEPAK Associação Espiritossantense de Pais e Pilotos

Leia mais

Atualizado em 16/01/2014. Regulamento Desportivo 2015 Supermoto Brasil Cup

Atualizado em 16/01/2014. Regulamento Desportivo 2015 Supermoto Brasil Cup Atualizado em 16/01/2014 Regulamento Desportivo 2015 Supermoto Brasil Cup Art 07 e 08 Classe SM3 Categoria de motos Nacionais Originais. As motos de 230 cc, embora tenham originalmente cilindrada menor

Leia mais

REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA

REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA COPA RALLYE UNIVERSITÁRIO CPR 40 ANOS 3ª ETAPA 21 DE NOVEMBRO DE 2009 PORTO ALEGRE, RS REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA SUPERVISÃO: FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO ORGANIZAÇÃO: CLUBE PORTO ALEGRE DE RALLYE

Leia mais

1º RALLY BURITI SHOPPING 2013

1º RALLY BURITI SHOPPING 2013 Página1 1º RALLY BURITI SHOPPING 2013 17 A 18 DE AGOSTO DE 2013 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 2013 2ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA Página2 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

4º RALLY ROTA SC ARAQUARI / SC REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA RALLY BAJA CBM MOTOS, QUADRIS E UTVS

4º RALLY ROTA SC ARAQUARI / SC REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA RALLY BAJA CBM MOTOS, QUADRIS E UTVS 4º RALLY ROTA SC ARAQUARI / SC REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA RALLY BAJA CBM MOTOS, QUADRIS E UTVS 11ª E 12ª ETAPA DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE RALLY BAJA 02 a 04 de Outubro de 2015 Araquari -SC CAMPEONATO

Leia mais

Campeonato Mineiro de Down Hill 2015 21 e 22 de Novembro Ouro Preto MG

Campeonato Mineiro de Down Hill 2015 21 e 22 de Novembro Ouro Preto MG Campeonato Mineiro de Down Hill 2015 21 e 22 de Novembro Ouro Preto MG Modalidade: Mountain Bike Down Hill O evento acontece na cidade mineira de Ouro Preto, nos dias 21 e 22 de Novembro de 2015, a organização

Leia mais

REGULAMENTO GERAL (Art. 1º ao Art. 9º)

REGULAMENTO GERAL (Art. 1º ao Art. 9º) REGULAMENTO GERAL (Art. 1º ao Art. 9º) (Válido para todas as modalidades) Art.1º - Apresentação A Federação de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro, é a única entidade por força de lei, capacitada

Leia mais

FEDERAÇÃO FLUMINENSE DE MOTOCICLISMO

FEDERAÇÃO FLUMINENSE DE MOTOCICLISMO FEDERAÇÃO FLUMINENSE DE MOTOCICLISMO Art. 1º - TÍTULO E GENERALIDADES REGULAMENTO GERAL CAMPEONATO ESTADUAL 2013 Motocross O Campeonato Estadual de Motocross do Rio de Janeiro é organizado e supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO DA PROVA

REGULAMENTO DA PROVA II PETRÓPOLIS NIGHT RUN Etapa Quitandinha Maio 2015 1. O evento "PETRÓPOLIS NIGHT RUN Etapa Quitandinha, prova pedestre, com participação de ambos os sexos, será realizada no dia 16 de maio de 2015, com

Leia mais

XXVI 100 Milhas Piracicaba

XXVI 100 Milhas Piracicaba XXVI 100 Milhas Piracicaba Data: 01 e 02 de agosto de 2015. Autódromo: Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo Supervisão: FASP Federação de Automobilismo de São Paulo Apoio: Prefeitura Municipal de

Leia mais

CAMPEONATO DE TURISMO 1600 DO DISTRITO FEDERAL 2012

CAMPEONATO DE TURISMO 1600 DO DISTRITO FEDERAL 2012 Pág. 1 de 14 CAMPEONATO DE TURISMO 1600 DO DISTRITO FEDERAL 2012 Regulamento Desportivo IN-FADF nº 003/12 Dispõe sobre o Regulamento Desportivo do Campeonato de Turismo 1600 2012 Capítulo I INTRODUÇÃO

Leia mais

Será disputada no sistema maratona (XCM), percurso aproximado de 45km. O alinhamento dentro de cada bateria será aleatório.

Será disputada no sistema maratona (XCM), percurso aproximado de 45km. O alinhamento dentro de cada bateria será aleatório. REGULAMENTO DO PARADISE TRIP TRAIL. 1. A prova. Será disputada no sistema maratona (XCM), percurso aproximado de 45km. O alinhamento dentro de cada bateria será aleatório. 2. Roteiro. O roteiro de prova

Leia mais

CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014

CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014 CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014 JÚNIOR MENOR DE KART - ITAL SISTEM PMJK: Parágrafo 1º - Prova A duração da prova, será definido através do adendo 2 da etapa. Parágrafo 2º - Da Categoria - O Campeonato será

Leia mais

R E G U L A M E N T O 2 0 0 6

R E G U L A M E N T O 2 0 0 6 CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES XXXIII Masculino e Feminino R E G U L A M E N T O 2 0 0 6 Emitido em 15/02/06 Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE MENORES têm por

Leia mais

35ª Edição PROVA: Antoninho Muza Naime

35ª Edição PROVA: Antoninho Muza Naime 12 HORAS DE TARUMÃ 2015 35ª Edição PROVA: Antoninho Muza Naime REGULAMENTO PARTICULAR DA PROVA ART. 1º INFORMAÇÕES ESPECÍFICAS DA PROVA a) 12 HORAS DE TARUMÃ 2015 b) DATA DA PROVA: 18, 19 e 20 de Dezembro

Leia mais

DRIFT SHOW INTRODUÇÃO REGULAMENTO GERAL DO DRIFT - FASP FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO. NORMAS E REGULAMENTOS DRIFT - 2012 NORMAS DESPORTIVAS

DRIFT SHOW INTRODUÇÃO REGULAMENTO GERAL DO DRIFT - FASP FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO. NORMAS E REGULAMENTOS DRIFT - 2012 NORMAS DESPORTIVAS REGULAMENTO GERAL DO DRIFT - FASP FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DE SÃO PAULO. NORMAS E REGULAMENTOS DRIFT - 2012 NORMAS DESPORTIVAS INTRODUÇÃO A FASP - Federação de Automobilismo de São Paulo supervisionará

Leia mais

FAEES Federação de Automobilismo do Estado do Espírito Santo CAMPEONATO CAPIXABA DE KART 2014 3 ETAPA REGULAMENTO PARTICULAR

FAEES Federação de Automobilismo do Estado do Espírito Santo CAMPEONATO CAPIXABA DE KART 2014 3 ETAPA REGULAMENTO PARTICULAR FAEES Federação de Automobilismo do Estado do Espírito Santo CAMPEONATO CAPIXABA DE KART 2014 3 ETAPA REGULAMENTO PARTICULAR A ASSEPAK Associação Espiritossantense de Pais e Pilotos de Kart organizará

Leia mais

RALLY DO VALE DO PARAÍBA 2015

RALLY DO VALE DO PARAÍBA 2015 Página1 RALLY DO VALE DO PARAÍBA 2015 24 A 25 DE OUTUBRO DE 2015 5ª ETAPA DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE RALLY DE VELOCIDADE 5ª ETAPA DO CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE REGULAMENTO PARTICULAR DE

Leia mais

REGULAMENTO MONSTAR GAMES 2016

REGULAMENTO MONSTAR GAMES 2016 REGULAMENTO MONSTAR GAMES 2016 ETAPA SÃO PAULO 1. CATEGORIAS 1.1 O Monstar Games 2016 ETAPA SÃO PAULO será disputado no Ginásio Geraldo José de Almeida no Complexo do Ibirapuea, em São Paulo-SP, nos dias

Leia mais

SUPER KART BRASIL SKB 09. Kartódromo de Interlagos São Paulo- SP 24, 25, 26 e 27 de Janeiro de 2013. REGULAMENTO DESPORTIVO

SUPER KART BRASIL SKB 09. Kartódromo de Interlagos São Paulo- SP 24, 25, 26 e 27 de Janeiro de 2013. REGULAMENTO DESPORTIVO SUPER KART BRASIL SKB 09 Kartódromo de Interlagos São Paulo- SP 24, 25, 26 e 27 de Janeiro de 2013. REGULAMENTO DESPORTIVO Art. 1o DO EVENTO O Super Kart Brasil realizará nos dias 24, 25, 26 e 27 de Janeiro

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS II CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS II CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS 2009 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE NATAÇÃO / CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL 0 1. ÂMBITO O II Campeonato Nacional Masters de Águas Abertas atribuirá o título

Leia mais

COPA DALBA DE ENDURO F.I.M. 2015

COPA DALBA DE ENDURO F.I.M. 2015 COPA DALBA DE ENDURO F.I.M. 2015 WWW.TCER.COM.BR REGULAMENTO 2015 ART.01 - PROMOTORES E ORGANIZADORES: TCER - TRAIL CLUBE ENTRE RIOS é a entidade promotora da Copa, os Moto Clubes: TRAIL CLUBE OS LAMEIROS

Leia mais

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em várias etapas.

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em várias etapas. Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO MIRIM têm por propósito básico a integração estadual, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento de seu estágio técnico nos diversos

Leia mais

YACHT CLUBE DA BAHIA SUP RACE 2015 CIRCUITO BRASILEIRO DE STAND-UP PADDLE 1 a ETAPA SALVADOR- BAHIA

YACHT CLUBE DA BAHIA SUP RACE 2015 CIRCUITO BRASILEIRO DE STAND-UP PADDLE 1 a ETAPA SALVADOR- BAHIA YACHT CLUBE DA BAHIA SUP RACE 2015 CIRCUITO BRASILEIRO DE STAND-UP PADDLE 1 a ETAPA SALVADOR- BAHIA AVISO DE REGATA LOCAL e DATA O evento será realizado no dia 30 de Maio de 2015 e terá como sede as instalações

Leia mais

REGULAMENTO 3ª COPA SPORT KART MG - EDIÇÃO 2016/01 VERSÃO 1 08/12/2015

REGULAMENTO 3ª COPA SPORT KART MG - EDIÇÃO 2016/01 VERSÃO 1 08/12/2015 REGULAMENTO 3ª COPA SPORT KART MG - EDIÇÃO 2016/01 VERSÃO 1 08/12/2015 Art. 1º - DA ORGANIZAÇÃO DO CAMPEONATO. 1. Este campeonato de kart amador tem como idealizadora a COMISSÃO ORGANIZADORA SPORT KART

Leia mais

Meia Maratona Estrada Real 2014 e prova de 10Km

Meia Maratona Estrada Real 2014 e prova de 10Km Meia Maratona Estrada Real 2014 e prova de 10Km *O presente regulamento está sujeito a possíveis modificações conforme o procedimento previsto no mesmo. Artigo 1 - O Evento A Meia Maratona Estrada Real

Leia mais

DESAFIO DOS DRIFTERS FMA 2013

DESAFIO DOS DRIFTERS FMA 2013 DESAFIO DOS DRIFTERS FMA 2013 FEDERAÇÃO MINEIRA DE AUTOMOBILISMO NORMAS E REGULAMENTOS REGULAMENTO GERAL INTRODUÇÃO A Federação Mineira de Automobilismo - FMA supervisionará os Desafios de DRIFT realizados

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO SUPER KART BRASIL SKB 14 TROFÉU GUSTAVO SONDERMANN Kartódromo de Interlagos São Paulo/SP 23 a 26 de janeiro de 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO Art. 1o DO EVENTO O Super Kart Brasil realizará nos dias 23 a

Leia mais

1.5 Horários: As largadas acontecerão nos horários conforme categorias descritas no quadro abaixo nas respectivas distâncias.

1.5 Horários: As largadas acontecerão nos horários conforme categorias descritas no quadro abaixo nas respectivas distâncias. 4 a Corrida Cartoon Network Regulamento do Evento Apresentação A 4ª Corrida Cartoon Network é um evento destinado ao público familiar, por isso tem o seu formato diferenciado de outros eventos de corrida

Leia mais

Artigo 5º. A idade a ser considerada, obrigatoriamente, para os efeitos de inscrição é a que o corredor terá no dia do

Artigo 5º. A idade a ser considerada, obrigatoriamente, para os efeitos de inscrição é a que o corredor terá no dia do REGULAMENTO OFICIAL DO DESAFIO NUTS Capítulo I Artigo 1º. O DESAFIO SOLIDÁRIO será realizado no sábado, dia 24 de outubro de 2015, é aberto a participantes do público em geral de ambos os sexos acima de

Leia mais