Gerenciamento de Transações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gerenciamento de Transações"

Transcrição

1 Gerenciamento de Transações Outros tipos de recuperação: Além das falhas causadas por transações incorretas, conforme vimos anteriormente, podem ocorrer outros tipos de falhas, que ocorrem por fatores não locais. São diferenciados em dois tipos de falhas: Falhas de sistema: não danificam fisicamente o banco de dados, mas afetam todas transações em curso no momento. Falhas da mídia: causam danos ao banco de dados ou parte dele, e prejudicam as transações que fazem acesso a esta parte do banco. Exemplo: queda da cabeça de gravação. 1

2 Gerenciamento de Transações Falhas de sistema: Primeiramente, iremos abordar as falhas de sistema. Neste caso, o conteúdo da memória de processamento é perdido, e não se sabe mais em qual ponto de execução de programas e instruções manuais estamos. Por tal motivo, não é possível ter conhecimento do ponto em que paramos em cada transação, e devemos desfazer cada transação, retornando todo o banco de dados à situação anterior. Em segundo lugar, vamos compreender melhor qual o processo utilizado pelo SGBD para gravar os dados no meio físico. Para cada operação (instrução INSERT, DELETE, UPDATE): As alterações de dados aceitas ( COMMIT ) são guardadas em um buffer. A operação realizada é registrada em um log físico, para termos controle das transações. 2

3 Gerenciamento de Transações Obedecendo o intervalo de tempo Δt, o SGBD: Grava todas as alterações do buffer no meio físico. Marca um ponto de verificação (checkpoint) no log físico, para separar as operações já confirmadas daquelas em realização. Para compreender como é realizada a recuperação de sistema, vamos supor o seguinte conjunto de transações, compostos cada um pelas operações respectivas de inserção (I1, I2, etc.) e exclusão (D1, D2,...): Transação 1: I1, I2 e I3 Transação 2: I4, I5 e I6 Transação 3: I7, I8 e D1 Transação 4: I9, I10, I11, I12, I13 e I14 Transação 5: I15, I16 e D2 3

4 Gerenciamento de Transações Para facilitar o entendimento, iremos representar através de uma figura a evolução de cada transação ao longo do tempo. Vamos definir que: Em tc, o sistema realiza uma marcação de ponto de verificação (checkpoint). Em tf, ocorre uma falha do sistema. 4

5 Gerenciamento de Transações Ao reiniciar o sistema, pela figura, verificamos que: A transação T1 teve todas as suas atualizações gravadas no banco de dados em tc. Portanto, como não houve prejuízo ao sistema físico, nada é necessário fazer. A transação T2 não estava completa em tc, portanto não foi gravada em meio físico. Mas encerrou antes de tf, e portanto, ao reiniciar, o sistema deverá refazer a transação T2. A transação T3 iniciou após tc, mas terminou antes de tf. Deve ser também recuperada e gravada no reinício. As transações T4 e T5 não terminaram antes de tc, e devem ser desfeitas. 5

6 Para recuperar os dados da forma descrita, utilizaremos o log físico das transações. Iremos encontrar: T1: I1 T1:I2 T2: I4 T1: I3 T1: COMMIT T2:I5 T4: I9 Checkpoint T2: I6 T2: COMMIT T4: I10 T3: I7 T4: I11 T3: I8 T4: I12 T5: I15 T3: D1 T3: COMMIT T4: I13 T5: I16 6

7 Gerenciamento de Transações Não encontraremos no log T4: I14 e T5: D2 pois não foram executadas (sistema falha antes). Desta forma, não poderemos completar esta transação posteriormente pois não teremos os dados necessários. Para recuperar o sistema, iremos partir do banco de dados existente no meio físico. Com base no log físico, iremos percorrer este arquivo do seu início até o final. Para cada nova transação, verificaremos: Se recebeu um COMMIT antes do checkpoint do sistema; neste caso, pode ser ignorada pois já se encontra no banco. Em nosso exemplo, seria T1, o qual podemos retirar do log antes de sua execução. Se não encontramos um COMMIT antes do fim do log ; neste caso, também removemos do arquivo, pois a transação não se completou e deve ser ignorada. Em nosso exemplo, T4 e T5. 7

8 T2: I4 T2:I5 T4: I9 Checkpoint T2: I6 T2: COMMIT T4: I10 T3: I7 T4: I11 T3: I8 T4: I12 T5: I15 T3: D1 T3: COMMIT T4: I13 T5: I16 Desta forma, para recuperar o banco, bastará aplicar sobre o conjunto de dados existentes em meio físico novamente as transações T2 e T3, na seqüência indicada acima no log após a análise efetuada, a qual remove transações já completadas antes do checkpoint e aquelas não completadas antes da falha do sistema. 8

9 Gerenciamento de Transações Falhas de mídia: Neste caso, a recuperação é realizada utilizando o recurso de backup do banco. Faz-se uso da dupla de utilitários do SGBD denominada dump / restore. O primeiro copia o atual conteúdo do banco de dados físico para outro meio físico (exemplo: fitas), enquanto o segundo é capaz de reconstituir o primeiro quando necessário. Para casos de falhas de mídia, restaura-se o backup e em seguida utiliza-se o log de transações para recuperar as transações correntes até o ponto da falha, utilizando o mesmo processo utilizado para as falhas de sistema. 9

10 Exercício 5 10

11 Exercícios 1) Sob o ponto de vista do usuário de um banco de dados, avalie as situações: No início do dia, o correntista possui um saldo de R$2.000,00. Vai, então, a um caixa automática e retira R$100,00. No instante seguinte, imprime um extrato de conta corrente e vê o seguinte demonstrativo: Saldo anterior: R$2.000,00 Saque do caixa automático: R$100,00 Saldo atual: R$2.000,00 Aguarda mais 20 minutos e solicita outro extrato: Saldo anterior: R$2.000,00 Saque do caixa automático: R$100,00 Saldo atual: R$1.900,00 A) Para o SGBD o banco de dados estava íntegro entre o 1º. e o 2º. extrato? E sob o ponto de visão do analista que criou a transação? Explique o por quê nos dois casos. B) Quais propriedades das transações foram violadas? Por que? 11

12 Exercícios Resposta do exercício 1 A) Sob o ponto do SGBD, o banco de dados estava íntegro porque as transações estavam em processo de execução durante a emissão do 1º. e o 2º. extrato, e ao fim a transação finalizou sucesso. No ponto de vista do analista, o banco de dados não estava íntegro porque no momento da emissão do 1º. extrato, após a realização de operação de saque, não houve alteração do saldo bancário. B) Atomicidade: Violada, porque a transação ocorreu em duas etapas. Consistência: Violada, porque no momento de emissão do 1º. extrato o saldo bancário não refletiu a operação de saque realizada anteriormente. No ponto de vista do usuário, houve inconsistência. Isolamento: Violada, porque o usuário teve acesso aos dados antes da finalização da transação. Durabilidade: Dados registrados corretamente no banco de dados. 12

13 Exercícios 2) A partir das transações abaixo, analise se há violação das propriedades de transação. tc tf T1 i1 e1 a1 T2 i2 i3 a2 d1 T3 d2 d3 d4 d5 13

14 Exercícios 3) Como é implementada a propriedade Durabilidade (D) de uma transação na prática? O que distingue um conjunto de dados antes e depois de um COMMIT? Pense nos dispositivos utilizados pelo computador para efetuar este controle. Dados armazenados no buffer aguardando a próxima instrução para liberar esses dados da memória do computador. Executa o comando COMMIT. O SGBD copia os dados da memória para o disco rígido para um arquivo de banco de dados e libera a memória. Estes dados se tornam dados persistentes. 14

Unidade III. Unidade III

Unidade III. Unidade III Unidade III 4 ADMINISTRAÇÃO DE SGBDs As pessoas que trabalham com um banco de dados podem ser categorizadas como usuários de banco de dados ou administradores de banco de dados. 1 Entre os usuários, existem

Leia mais

Técnica UNDO/REDO. detectar que X é atualizado mais de uma vez e realizar apenas a última atualização técnica UNDO/REDO com REDO único para cada dado

Técnica UNDO/REDO. detectar que X é atualizado mais de uma vez e realizar apenas a última atualização técnica UNDO/REDO com REDO único para cada dado Técnica UNDO/REDO Quando se percorre o Log forward para fazer REDO, é possível que um dado X tenha sido atualizado por mais de uma transação committed Variante da técnica UNDO/REDO detectar que X é atualizado

Leia mais

Prof. Luiz Fernando. Unidade III ADMINISTRAÇÃO DE

Prof. Luiz Fernando. Unidade III ADMINISTRAÇÃO DE Prof. Luiz Fernando Unidade III ADMINISTRAÇÃO DE BANCOS DE DADOS Administração de SGBDs De todo o tipo de pessoal envolvido com desenvolvimento, manutenção, e utilização de bancos de dados há dois tipo

Leia mais

Sumário. Recuperação de Falhas

Sumário. Recuperação de Falhas Sumário 1 Processamento de Consultas 2 Introdução a Transações 3 Recuperação de Falhas 4 Controle de Concorrência 5 Banco de Dados Distribuído Recuperação de Falhas Garantia de atomicidade e durabilidade

Leia mais

Recuperação de Falhas

Recuperação de Falhas Recuperação de Falhas Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com Material do Prof. Paulo Pires Recuperação de Falhas Garantia de atomicidade e durabilidade de Transações requer um SGBD tolerante

Leia mais

Banco de Dados Oracle. Faculdade Pernambucana - FAPE

Banco de Dados Oracle. Faculdade Pernambucana - FAPE Faculdade Pernambucana - FAPE Visão Geral dos Componentes Principais da Arquitetura Oracle Servidor Oracle É o nome que a Oracle deu ao seu SGBD. Ele consiste de uma Instância e um Banco de Dados Oracle.

Leia mais

Sumário. Administração de Banco de dados Módulo 12. Ilustração Backup-Recovery. Recuperação (Recovery) - Definição

Sumário. Administração de Banco de dados Módulo 12. Ilustração Backup-Recovery. Recuperação (Recovery) - Definição Sumário Administração de Banco de dados Módulo 12 1. Administração de SGBDs - Continuação 1.1. Recuperação (Recovery) 1.1.1. Recuperação de sistema 1.1.2. Recuperação da mídia M. Sc. Luiz Alberto lasf.bel@gmail.com

Leia mais

*O RDBMS Oracle é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional.

*O RDBMS Oracle é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional. Arquitetura Oracle e seus componentes Hoje irei explicar de uma forma geral a arquitetura oracle e seus componentes. Algo que todos os DBA s, obrigatoriamente, devem saber de cabo a rabo. Vamos lá, e boa

Leia mais

Controle de transações em SQL

Controle de transações em SQL Transações Controle de transações em SQL Uma transação é implicitamente iniciada quando ocorre uma operação que modifica o banco de dados (INSERT, UPDATE ou DELETE). Uma transação pode terminar normalmente

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados

Fundamentos de Banco de Dados Fundamentos de Banco de Dados SISTEMAS BASEADOS NO PROCESSAMENTO DE ARQUIVOS Sistema A Funcionário Pagamento Cargo Sistema B Funcionário Projeto SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS (SGBD) Sistema

Leia mais

? O SQL SERVER é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional que foi desenvolvido inicialmente pela Microsoft em parceria com a Sybase.

? O SQL SERVER é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional que foi desenvolvido inicialmente pela Microsoft em parceria com a Sybase. ? O SQL SERVER é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional que foi desenvolvido inicialmente pela Microsoft em parceria com a Sybase.? Desde de 1994, a Microsoft lança versões do SQL SERVER

Leia mais

DPAlmox - Windows MANUAL DO USUÁRIO

DPAlmox - Windows MANUAL DO USUÁRIO - Windows MANUAL DO USUÁRIO DPSISTEMAS www.dpsistemas.com.br 1. Registrando o programa... 3 2. Entrando no programa Login... 5 3. Tela Principal do Sistema... 6 4. Utilizando os botões de navegação...

Leia mais

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados 1. Conceitos Básicos No contexto de sistemas de banco de dados as palavras dado e informação possuem o mesmo significado, representando uma

Leia mais

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1.1 Introdução

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1.1 Introdução Sistemas Operacionais Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 1.1 Introdução Tipos de Sistemas Operacionais Sistemas Monoprogramáveis / Monotarefa Voltados tipicamente para a execução de um único programa.

Leia mais

TRANSAÇÕES. Considerando que estes comandos fazem parte de uma TRANSAÇÃO (veremos como indicar isso):

TRANSAÇÕES. Considerando que estes comandos fazem parte de uma TRANSAÇÃO (veremos como indicar isso): TRANSAÇÕES 1. Introdução Transação Uma transação é uma unidade lógica de trabalho (processamento), formada por um conjunto de comando SQL, que tem por objetivo preservar a integridade e a consistência

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

Disciplina de Banco de Dados Introdução

Disciplina de Banco de Dados Introdução Disciplina de Banco de Dados Introdução Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Banco de Dados: Conceitos A empresa JJ. Gomes tem uma lista com mais ou menos 4.000 nomes de clientes bem como seus dados pessoais.

Leia mais

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com Última atualização: 20.03.2013 Conceitos Banco de dados distribuídos pode ser entendido como uma coleção de múltiplos bds

Leia mais

Recursos. Um recurso é ou um dispositivo físico (dedicado) do hardware, ou Solicitar o recurso: esperar pelo recurso, até obtê-lo.

Recursos. Um recurso é ou um dispositivo físico (dedicado) do hardware, ou Solicitar o recurso: esperar pelo recurso, até obtê-lo. Um recurso é ou um dispositivo físico (dedicado) do hardware, ou um conjunto de informações, que deve ser exclusivamente usado. A impressora é um recurso, pois é um dispositivo dedicado, devido ao fato

Leia mais

Crash recovery é similar ao instance recovery, onde o primeiro referencia ambientes de instância exclusiva e o segundo ambientes parallel server.

Crash recovery é similar ao instance recovery, onde o primeiro referencia ambientes de instância exclusiva e o segundo ambientes parallel server. Recover no Oracle O backup e recuperação de dados em um SGBD é de grande importância para a manutenção dos dados. Dando continuidade a nossos artigos, apresentamos abaixo formas diferentes de se fazer

Leia mais

SGBD. Funções Básicas de um SGBD

SGBD. Funções Básicas de um SGBD Definição Sistema cujo objetivo principal é gerenciar o acesso e a correta manutenção dos dados armazenados em um banco dados. Funções básicas Métodos acesso Integrida Semântica Segurança Concorrência

Leia mais

Softwares Aplicativos Banco de Dados

Softwares Aplicativos Banco de Dados Softwares Aplicativos Banco de Dados INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Serviços 3. Usuários 4. Evolução 5. Exemplos 03 Banco

Leia mais

Sistemas de Gerência de Bancos de Dados. 6 - Controle de Integridade 6.1 - Método baseado em Imagens Transientes

Sistemas de Gerência de Bancos de Dados. 6 - Controle de Integridade 6.1 - Método baseado em Imagens Transientes Sistemas de Gerência de Bancos de Dados 6 - Controle de Integridade 6.1 - Método baseado em Imagens Transientes 1 Controle de Integridade Subsistema para controle de integridade: mantém a integridade do

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle Prof. Hugo Souza Após abordarmos os componentes lógicos, em uma síntese de dependências gradativas, vamos

Leia mais

www.leitejunior.com.br 29/06/2012 14:30 Leite Júnior QUESTÕES CESPE BACKUP

www.leitejunior.com.br 29/06/2012 14:30 Leite Júnior QUESTÕES CESPE BACKUP QUESTÕES CESPE BACKUP QUESTÃO 01 - Analise as seguintes afirmações relativas a cópias de segurança. I. No Windows é possível fazer automaticamente um backup, em um servidor de rede, dos arquivos que estão

Leia mais

Serviço de gestão, operação, monitoramento e. atividades do datacenter interno

Serviço de gestão, operação, monitoramento e. atividades do datacenter interno Serviço de gestão, operação, monitoramento e documentação das atividades do datacenter interno VISÃO POR TECNOLOGIA MODELO DE OPERAÇÃO IN LOCO -ASSISTIDA A LPCti disponibiliza uma equipe de profissionais

Leia mais

Questões comentadas informática

Questões comentadas informática Questões comentadas informática INFORMÁTICA (TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA ADMINISTRATIVA FCC 2012) O sistema operacional de um computador consiste em um A) conjunto de procedimentos programados, armazenados

Leia mais

ANALISTA DE SISTEMAS - SUPORTE

ANALISTA DE SISTEMAS - SUPORTE QUESTÃO n o 1 Não é possível estabelecer a comunicação. Analisando o endereçamento do servidor A e do Roteador A, observamos que: o Servidor A está em uma rede IP com o endereço de rede (1º endereço da

Leia mais

Atualização do seu computador com Windows 8 da Philco para o Windows 8.1

Atualização do seu computador com Windows 8 da Philco para o Windows 8.1 Atualização do seu computador com Windows 8 da Philco para o Windows 8.1 O Windows 8.1 foi concebido para ser uma atualização para o sistema operacional Windows 8. O processo de atualização mantém configurações

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

SAD Gestor Gerenciador de Backup

SAD Gestor Gerenciador de Backup SAD Gestor Gerenciador de Backup treinamento@worksoft.inf.br SAD Gestor Gerenciador de Backup SAD Gerenciador de Backup Esse aplicativo foi desenvolvido para realizar cópias compactadas de bancos de dados

Leia mais

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico Banco de Dados // 1 Banco de Dados // 2 Conceitos BásicosB Engenharia da Computação UNIVASF BANCO DE DADOS Aula 1 Introdução a Banco de Dados Campo representação informatizada de um dado real / menor unidade

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

Roteiro. BCC321 - Banco de Dados I. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. O que é um banco de dados (BD)?

Roteiro. BCC321 - Banco de Dados I. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. O que é um banco de dados (BD)? Roteiro BCC321 - Banco de Dados I Luiz Henrique de Campos Merschmann Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto luizhenrique@iceb.ufop.br www.decom.ufop.br/luiz Conceitos Básicos Banco

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Controle Patrimonial WEB

Controle Patrimonial WEB Cccc Controle Patrimonial WEB Manual Inventário Conteúdo. Introdução... 3 2. Inventário... 3 2.. Abertura do inventário... 4 2.2. Relatório para Inventário... 5 2.2.. Contagem física e verificação do estado

Leia mais

Atualmente os mais conhecidos meios utilizados para fazer backups são:

Atualmente os mais conhecidos meios utilizados para fazer backups são: BACKUP CÓPIA DE SEGURANÇA Sabemos que o termo backup é de origem inglesa. Entretanto, mesmo sem uma tradução específica, a expressão americana tornou-se popular no Brasil como cópia de segurança. A ausência

Leia mais

Atualização, backup e recuperação de software

Atualização, backup e recuperação de software Atualização, backup e recuperação de software Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos EUA. As informações

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Modelo Cliente-Servidor: Introdução aos tipos de servidores e clientes Prof. MSc. Hugo Souza Iniciando o módulo 03 da primeira unidade, iremos abordar sobre o Modelo Cliente-Servidor

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Fundamentos de Banco de Dados Aula 01 Introdução aos Sistemas de Bancos de Dados Introdução aos Sistemas de BD Objetivo Apresentar

Leia mais

Procedimentos para Instalação do SISLOC

Procedimentos para Instalação do SISLOC Procedimentos para Instalação do SISLOC Sumário 1. Informações Gerais...3 2. Instalação do SISLOC...3 Passo a passo...3 3. Instalação da Base de Dados SISLOC... 11 Passo a passo... 11 4. Instalação de

Leia mais

Guia de início rápido do Powersuite

Guia de início rápido do Powersuite 2013 Ajuste e cuide do desempenho de seu computador com um aplicativo poderoso e ágil. Baixando e instalando o Powersuite É fácil baixar e instalar o Powersuite geralmente, demora menos de um minuto. Para

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

Bancos de Dados III. Replicação de Dados. Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br. Replicação

Bancos de Dados III. Replicação de Dados. Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br. Replicação Bancos de Dados III Replicação de Dados Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br 1 Replicação Processo de criar e manter réplicas de versões dos objetos da base de dados (como tabelas) em um ambiente de banco

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Gerenciamento de Transações em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Gerenciamento de Transações em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Gerenciamento de Transações em Banco de Dados Prof. Hugo Souza Até agora vimos como é formada a infraestrutura física e lógica das bases de dados com os principais componentes

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

Ação de copiar arquivos, como medida de segurança, permitindo sua recuperação em caso de perda.

Ação de copiar arquivos, como medida de segurança, permitindo sua recuperação em caso de perda. Informática para Concursos Marcelo Andrade Definições Ação de copiar arquivos, como medida de segurança, permitindo sua recuperação em caso de perda. Existem softwares capazes de automatizar esse processo,

Leia mais

Prevayler. Perola. André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki

Prevayler. Perola. André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki Prevayler Perola André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki Prevayler Prevayler é a implementação em Java do conceito de Prevalência. É um framework que prega uma JVM invulnerável

Leia mais

Banco de Dados I. Apresentação (mini-currículo) Conceitos. Disciplina Banco de Dados. Cont... Cont... Edson Thizon (edson@esucri.com.

Banco de Dados I. Apresentação (mini-currículo) Conceitos. Disciplina Banco de Dados. Cont... Cont... Edson Thizon (edson@esucri.com. Sistemas da Informação Banco de Dados I Edson Thizon (edson@esucri.com.br) 2008 Apresentação (mini-currículo) Formação Acadêmica Mestrando em Ciência da Computação (UFSC/ ) Créditos Concluídos. Bacharel

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:43 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:43 Leite Júnior ÍNDICE BACKUP E RESTAURAÇÃO(RECOVERY)...2 BACKUP...2 PORQUE FAZER BACKUP?...2 DICAS PARA BACKUP...2 BACKUP NO WINDOWS...2 BACKUP FÍSICO E ON-LINE...3 BACKUP FÍSICO...3 BACKUP ON-LINE(VIRTUAL) OU OFF-SITE...3

Leia mais

RECUPERANDO DADOS COM REDO BACKUP E RECOVERY

RECUPERANDO DADOS COM REDO BACKUP E RECOVERY RECUPERANDO DADOS COM REDO BACKUP E RECOVERY Redo Backup é um programa para a recuperação de arquivos e discos rígidos danificados. Com ele você dispõe de um sistema completo para resolver diversos problemas

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO POSEAD. Curso Banco de Dados. Resenha Crítica: Backup e Recovery Aluno: Wilker Dias Maia

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO POSEAD. Curso Banco de Dados. Resenha Crítica: Backup e Recovery Aluno: Wilker Dias Maia PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO POSEAD Curso Banco de Dados Resenha Crítica: Backup e Recovery Aluno: Wilker Dias Maia Brasília 2012 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO... 3 2- DESCRIÇÃO DO ASSUNTO... 4 2.1- Estrutura fisica

Leia mais

II Torneio de Programação em LabVIEW

II Torneio de Programação em LabVIEW Desenvolvimento da Aplicação II Torneio de Programação em LabVIEW Seção I: Requisitos Gerais A aplicação submetida deverá atender, pelo menos, às exigências de funcionamento descritas na Seção II deste

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS CAPÍTULO 3 CONCORRÊNCIA

SISTEMAS OPERACIONAIS CAPÍTULO 3 CONCORRÊNCIA SISTEMAS OPERACIONAIS CAPÍTULO 3 CONCORRÊNCIA 1. INTRODUÇÃO O conceito de concorrência é o princípio básico para o projeto e a implementação dos sistemas operacionais multiprogramáveis. O sistemas multiprogramáveis

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

Manual de operação. BS Ponto Versão 5.1

Manual de operação. BS Ponto Versão 5.1 Manual de operação BS Ponto Versão 5.1 conteúdo 1. Instalação do sistema Instalando o BS Ponto Configurando o BS Ponto 2. Cadastrando usuários Cadastro do usuário Master Alterando a senha Master Cadastro

Leia mais

ESTOQUE. Manual Estoque Atualizado em 29/06/2007 Pág. 1

ESTOQUE. Manual Estoque Atualizado em 29/06/2007 Pág. 1 MANUAL ESTOQUE Pág. 1 INTRODUÇÃO AO MÓDULO ESTOQUE Sua empresa seja de pequeno, médio, ou grande porte, precisa de um sistema que contemple as principais rotinas de controle de estoque. É para contornar

Leia mais

AULA 13 - Gerência de Memória

AULA 13 - Gerência de Memória AULA 13 - Gerência de Memória omo sabemos, os computadores utilizam uma hierarquia de memória em sua organização, combinando memórias voláteis e não-voláteis, tais como: memória cache, memória principal

Leia mais

BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015

BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015 BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015 NA AULA PASSADA... 1. Apresentamos a proposta de ementa para a disciplina; 2. Discutimos quais as ferramentas computacionais

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia. Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística. Versao 1.

Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia. Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística. Versao 1. Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística Prof. Andre Zanki Cordenonsi Versao 1.0 Março de 2008 Tópicos Abordados Conceitos sobre Banco

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE. Versão: 01.08

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE. Versão: 01.08 MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE Versão: 01.08 Índice Instalação do Sistema...03 Tela inicial do Sistema...10 Módulos...11 Conteúdo do Menu Arquivo...11 Finalizar...11 Inclusão

Leia mais

MANUAL BACKUP XDENTAL 2012

MANUAL BACKUP XDENTAL 2012 MANUAL BACKUP XDENTAL 2012 Sumário CONFIGURANDO BACKUP... 2 ESCOLHENDO O TAMANHO DO ARQUIVO DE BACKUP... 4 CONFIGURANDO HORÁRIO DE INÍCIO DO BACKUP... 5 CONFIGURANDO BACKUP AO INICIAR O SISTEMA XDENTAL...

Leia mais

Serviço de Service Desk e Field Service Interno

Serviço de Service Desk e Field Service Interno Serviço de Service Desk e Field Service Interno MODELO DE OPERAÇÃO SERVICE DESK INTERNO MODELO DE OPERAÇÃO SERVICE DESK INTERNO Console de gerenciamento Alertas Usuário Remoto VISÃO DE INFRA ESTRUTURA

Leia mais

Procedimentos para Instalação do Sisloc

Procedimentos para Instalação do Sisloc Procedimentos para Instalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Instalação do Sisloc... 3 Passo a passo... 3 3. Instalação da base de dados Sisloc... 16 Passo a passo... 16 4. Instalação

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo CONCORRÊNCIA 1. Introdução Recursos exclusivos Não necessita controle Abundância de recursos compartilhados Controle necessário mas mínimo Harmonia, provavelmente não haverá conflito Recursos disputados

Leia mais

Atenção! Não está autorizada a reprodução deste material. Direitos reservados a Multilaser.

Atenção! Não está autorizada a reprodução deste material. Direitos reservados a Multilaser. 1 INTRODUÇÃO O sistema Multisync de GPS tem como finalidade atualizar os mapas para a última versão e resolver problemas relacionados a localização e navegação de endereços. Para isso selecione a opção

Leia mais

Sincronização e Comunicação entre Processos. Adão de Melo Neto

Sincronização e Comunicação entre Processos. Adão de Melo Neto Sincronização e Comunicação entre Processos Adão de Melo Neto 1 INTRODUÇÃO Em um sistema multitarefa os processos alternam sua execução segundo critérios de escalonamento estabelecidos pelo sistema operacional.

Leia mais

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 1 Sumário 1 - Instalação Normal do Despachante Express... 3 2 - Instalação do Despachante Express em Rede... 5 3 - Registrando o Despachante Express...

Leia mais

1. CONCEITOS BÁSICOS DE BD, SBD E SGBD

1. CONCEITOS BÁSICOS DE BD, SBD E SGBD Introdução 1. CONCEITOS BÁSICOS DE BD, SBD E SGBD A importância da informação para a tomada de decisões nas organizações tem impulsionado o desenvolvimento dos sistemas de processamento de informações.

Leia mais