Características da publicidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Características da publicidade"

Transcrição

1 Nível B1 B2 B3 X Secundário Área de competência chave Cultura, Língua e Comunicação UFCD CLC-5 Cultura, Comunicação e Média Conteúdo O texto publicitário Tema A publicidade Breve história da publicidade A história da publicidade está ligada à própria História da Humanidade. Foram períodos determinantes na evolução da publicidade: - a Revolução Industrial - a produção em série - a urbanização em massa - o advento dos meios de comunicação e transportes. Atentemos ainda nos antecedentes da publicidade. Durante o Império Romano, na cidade de Pompeia, foram encontradas algumas tabuletas que anunciavam combates de gladiadores. Durante a Idade Média, o pregão servia para chamar a atenção das pessoas para a venda de escravos, gado e outros produtos. Durante o Renascimento, na cidade de Reims, aparece o primeiro cartaz publicitário anunciando uma manifestação religiosa (atendendo ao analfabetismo generalizado eram utilizadas imagens para que todos pudessem compreender). Durante a Idade Moderna, podemos destacar: - no século XVIII, na cidade de Paris, através dos editais de parede, anunciavamse os eventos culturais; - no século XIX, com o aparecimento do telefone, do telégrafo e da máquina de escrever, introduziu-se o desenho animado no texto publicitário - no século XX, a criação da rádio permitiu o boom social e económico da publicidade. Características da publicidade O vocábulo publicidade deriva da palavra latina publicis que significa o que é público. A publicidade visa qualificar, difundir um produto. Para isso, o criador publicitário tem que ter em conta as emoções, os anseios e as necessidades de um determinado grupo social (público alvo) e questionar-se sobre os preconceitos, sentimentos e percepções desse mesmo grupo. Assim, as questões primordiais que condicionam toda a actividade publicitária são as seguintes: - Quando? - A quem? - O quê? - Onde? Apesar do seu carácter social, a publicidade deve obedecer a três princípios éticos e morais: a veracidade, o respeito pela dignidade da pessoa humana e a responsabilidade social. Autor: Ana Maria Cunha Lopes 1/7

2 Anúncio publicitário / linguagem publicitária Num anúncio publicitário, deve ter-se em conta aquilo que os publicitários designam por AIDA : - Atenção - Interesse - Desejo - Acção O texto verbal e a imagem devem estar em harmonia. A linguagem publicitária faz apelo aos instintos profundos do público. Observe, neste sentido, os quadros que se seguem: D E S E J O S Instintos profundos Diversão Domínio Conservação Paternal/Maternal Sexual Evasão Posse (bens Conforto Amor Agrado Mudança materiais, Repouso Carinho Competição Deslocação conhecimentos) Saúde Ternura Domínio Boa Sucesso Felicidade Protecção disposição Autoridade Juventude Jogo Prestígio Dinheiro (lúdico) Originalidade Trabalho Tempo Recursos verbais (modalização do discurso) Sintácticos Lexicais Recursos não verbais Construções que se afastam da norma estrutural Adjectivação Verbos que remetem para a acção (modo privilegiado: imperativo) Imagens Som Elementos prosódicos Autor: Ana Maria Cunha Lopes 2/7

3 A marca A marca do produto aparece geralmente associada a um logótipo que a identifica. O slogan O slogan acompanha o logótipo da marca. È curto, e claro e permite uma memorização rápida. Pode tornar-se mais eficaz se for acompanhado de um jingle musical. O jingle é uma pequena peça musical, de fácil memorização, que permite a associação produto/marca e posterior identificação. O título O título deve atrair o leitor/espectador/ouvinte. Muitas vezes, o título permite que o consumidor se reveja no anúncio. Os vocábulos que o constituem possuem uma conotação positiva (a linguagem negativa utiliza-se no caso do título apresentar um objectivo provocador). A imagem A imagem prende-se normalmente com objectivos de permitir a identificação da marca e produto, e de evidenciar a necessidade de adquirir o produto. A qualidade estética da imagem é fundamental. Tipo de letra O tipo de letra deve estar de acordo com a imagem e a posição da marca. È facilmente legível. Espaços em branco Os espaços em branco facilitam a leitura do discurso. Cor A cor funciona igualmente como um elemento de comunicação. A cor possibilita ao consumidor um conjunto de associações que pode ser positivo ou negativo. Autor: Ana Maria Cunha Lopes 3/7

4 Actividades 1 Observe o texto publicitário apresentado. Autor: Ana Maria Cunha Lopes 4/7

5 1.1. Preencha a grelha de observação do texto publicitário. Grelha de observação do texto publicitário Instintos profundos a que se faz apelo Público-alvo Marca Slogan Tipo(s) de frase predominate(s) Recursos Verbais Tipo de vocabulário utilizado Função(ões) da linguagem predominante(s) Imagem Recursos não verbais Cor Tipos de letra Espaços em branco Conclusões Autor: Ana Maria Cunha Lopes 5/7

6 2. Leia os textos e sublinhe as palavras-chave dos mesmos. O papel da publicidade na comunicação de causas sociais Os problemas sociais com que as sociedades se deparam levaram à necessidade de sensibilizar ao cidadãos para essas realidades, dando origem a variados projectos que defendem, não os interesses pessoais dos que apoiam as causas sociais, mas os de uma colectividade ou de certos grupos sociais. A publicidade é, assim, o meio utilizado para sensibilizar e fazer agir os indivíduos, as organizações e os governos. Objectivos da comunicação Muitas das acções de comunicação das causas sociais têm o objectivo de fornecer informações aos cidadãos e de elevar o seu nível de consciência, pretendendo-se aqui uma mudança cognitiva. Outras pretendem convencer o maior número possível de indivíduos a agir de determinadas forma, ou seja, mudar a atitude ou inverter comportamentos de certos públicos. Estas mudanças podem ter carácter permanente, como a persuasão, para que as pessoas tomem a vacina contra a Hepatite B ou deixem de fumar, ou temporário, pedindo à população, em determinadas regiões do interior do país, situação de seca, que apenas solicitem aos bombeiros a água imprescindível. Por último, existem campanhas que exigem alterações mais profundas por parte dos indivíduos, como as mudanças de valores: campanhas Todos Diferentes Todos iguais, da luta contra o racismo, a xenofobia, o anti-semitismo e a intolerância. Em sumo, as políticas de comunicação aplicadas nas causas sociais procuram informar numa primeira fase e, numa segunda, persuadir as pessoas a aderir às causas sociais e a agirem em conformidade Construa um anúncio publicitário, a partir dos objectivos de comunicação de causas sociais, numa das áreas da Cultura, Educação ou Ambiente. Deverá ter em conta os recursos verbais e não verbais bem como as características próprias do texto publicitário. Autor: Ana Maria Cunha Lopes 6/7

7 Síntese - A publicidade na comunicação de causas sociais; Objectivos da ficha de trabalho: - História da publicidade; - Características do texto publicitário; - Linguagem publicitária; recursos verbais e não verbais; - Análise de uma publicidade; - Elaboração de um texto publicitário. Bibliografia Bernard Brochand, et alii, Publicitor, Lisboa, Publ. Dom Quixote, 1999 (adaptado). Gabriela Lança e Conceição Jacinto, Português 11ºano, Comunicar, da Porto Editora. Autor: Ana Maria Cunha Lopes 7/7

Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra. Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE

Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra. Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE A. PUBLICIDADE A publicidade é o ato de divulgar um produto ou uma ideia com o

Leia mais

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) Resumo: Os textos publicitários

Leia mais

1 Briefing de Criação

1 Briefing de Criação 1 Briefing de Criação Antecedentes do processo de criação Para se criar uma campanha ou mesmo uma única peça é imprescindível que antes seja feito um briefing para orientar o trabalho do planejamento,

Leia mais

ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS CHOCANTES : QUANDO O DESVIO LEXICAL CAUSA O EFEITO CONTRÁRIO

ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS CHOCANTES : QUANDO O DESVIO LEXICAL CAUSA O EFEITO CONTRÁRIO ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS CHOCANTES : QUANDO O DESVIO LEXICAL CAUSA O EFEITO CONTRÁRIO 1 INTRODUÇÃO Dulcinéia de Castro Viana Fernando da Silva Negreiros Lays Cristina Fragate Natalia Lamino Camilo Ulisses

Leia mais

Objetivo Geral: Levar o aluno a se apropriar das características sócio-discursivas do gênero anúncio publicitário social.

Objetivo Geral: Levar o aluno a se apropriar das características sócio-discursivas do gênero anúncio publicitário social. IDENTIFICAÇÃO Área: Língua Portuguesa. Professora PDE: Marli Gorla. Professora Orientadora: Lílian Cristina Buzato Riter. Material Didático Seqüência Didática. Plano de Aula = Módulo I = Leitura e Análise

Leia mais

Projecto de Formação Cívica e Ambiental

Projecto de Formação Cívica e Ambiental Pré-escolar de Picão Educadora As notáveis realizações da celebrada Revolução Industrial são agora seriamente questionadas, porque não se tomou então o Ambiente em consideração. Pensava-se que os céus

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

Publicitar um produto. Proceder à revisão do material produzido.

Publicitar um produto. Proceder à revisão do material produzido. Nível Área de competência chave UFCD Conteúdo Tema Objectivos específicos B3 Linguagem e Comunicação LC3D Interpretar e produzir linguagem não verbal adequada a finalidades variadas LC3C - Produzir textos

Leia mais

A PUBLICIDADE DE FESTAS: RELATÓRIO DE PROJETO DE DESENVOLVIMENTO

A PUBLICIDADE DE FESTAS: RELATÓRIO DE PROJETO DE DESENVOLVIMENTO Universidade Estadual de Campinas Fernanda Resende Serradourada A PUBLICIDADE DE FESTAS: RELATÓRIO DE PROJETO DE DESENVOLVIMENTO INTRODUÇÃO: O Projeto de Desenvolvimento realizado por mim visava à confecção

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 359/VIII CRIA O OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA ESCOLAR

PROJECTO DE LEI N.º 359/VIII CRIA O OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA ESCOLAR PROJECTO DE LEI N.º 359/VIII CRIA O OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA ESCOLAR A evidente importância de um ensino condigno para crianças e jovens está a ser seriamente posta em causa por factores de violência

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

REGULAMENTO DO PASSATEMPO QUIZ DIA MUNDIAL DA POUPANÇA DO CRÉDITO AGRÍCOLA

REGULAMENTO DO PASSATEMPO QUIZ DIA MUNDIAL DA POUPANÇA DO CRÉDITO AGRÍCOLA REGULAMENTO DO PASSATEMPO QUIZ DIA MUNDIAL DA POUPANÇA DO CRÉDITO AGRÍCOLA 1. ÂMBITO E DURAÇÃO 1.1 O Passatempo QUIZ DIA MUNDIAL DA POUPANÇA é uma acção promovida pela Caixa Central Caixa Central de Crédito

Leia mais

www.luisgregorio.net

www.luisgregorio.net Trazido até Si por Luis Gregorio www.luisgregorio.net "Como Ter Lucros Com As Redes Sociais nomeadamente a Publicidade No facebook " Introdução À Publicidade Do Facebook O Facebook está em milhares de

Leia mais

Novo Programa de Português do Ensino Básico

Novo Programa de Português do Ensino Básico Novo Programa de Português do Ensino Básico No dia-a-dia, deparamos frequentemente com textos/discursos que nos chamam a atenção um pouco por todo o lado. Mas que nos dizem esses textos/discursos? O que

Leia mais

CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Vale de Ovil Escola Básica e Secundária do Vale de Ovil Código 345702 CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação é qualitativa e contínua com o objectivo de reconhecer

Leia mais

SEQUÊNCIA N.º 1 TEXTOS DOS DOMÍNIOS TRANSACIONAL E EDUCATIVO O ESSENCIAL. 1. Artigos científicos e técnicos

SEQUÊNCIA N.º 1 TEXTOS DOS DOMÍNIOS TRANSACIONAL E EDUCATIVO O ESSENCIAL. 1. Artigos científicos e técnicos SEQUÊNCIA N.º 1 TEXTOS DOS DOMÍNIOS TRANSACIONAL E EDUCATIVO O ESSENCIAL 1. Artigos científicos e técnicos Textos que tratam áreas específicas do saber, sendo normalmente escritos por especialistas, o

Leia mais

ASSINATURA DA CARTA DE AALBORG

ASSINATURA DA CARTA DE AALBORG PROPOSTA ASSINATURA DA CARTA DE AALBORG Desde sempre, desde as sociedades primitivas, o Homem usou os recursos naturais para viver. Porém durante muito tempo, a exploração de recursos era diminuta e a

Leia mais

GRUPOS NIVEL SUBNÍVEL INSTRUÇÃO RESPOSTA

GRUPOS NIVEL SUBNÍVEL INSTRUÇÃO RESPOSTA JOGO 1 NIVEL 1 Exemplos de instruções e respostas que podem ser utilizadas nos oito contextos. CONTEXTUALIZAÇÃO DESENVOLVER A COMPREENSÃO SEMÂNTICA AUMENTO DO VOCABULÁRIO VISUAL IDENTIFICAÇÃO DE ELEMENTOS

Leia mais

Palavras-chave: Representação. Homem. Publicidade. Semântica Argumentativa.

Palavras-chave: Representação. Homem. Publicidade. Semântica Argumentativa. REPRESENTAÇÃO MASCULINA NA PUBLICIDADE BRASILEIRA: UM ESTUDO SEMÂNTICO-ARGUMENTATIVO Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) Resumo: A publicidade, assim como

Leia mais

Campanha ONG Animais 1

Campanha ONG Animais 1 Campanha ONG Animais 1 Bruna CARVALHO 2 Carlos VALÉRIO 3 Mayara BARBOSA 4 Rafaela ALVES 5 Renan MADEIRA 6 Romulo SOUZA 7 Marcelo PRADA 8 Paulo César D ELBOUX 9 Faculdade Anhanguera Santa Bárbara, Santa

Leia mais

1.1. O objectivo do presente passatempo, a ser realizado pela marca Roger&Gallet Portugal na rede social Facebook, é promover os produtos marca.

1.1. O objectivo do presente passatempo, a ser realizado pela marca Roger&Gallet Portugal na rede social Facebook, é promover os produtos marca. REGULAMENTO DO PASSATEMPO PEQUENOS PRAZERES, GRANDES FRAGRÂNCIAS A L ORÉAL PORTUGAL UNIPESSOAL, Lda., pessoa colectiva n.º 500250839, com sede na Rua Dr. António Loureiro Borges, 7, Arquiparque, Miraflores,

Leia mais

TÍTULO: NEUROMARKETING: UMA NOVA FORMA DE FAZER PROPAGANDA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS

TÍTULO: NEUROMARKETING: UMA NOVA FORMA DE FAZER PROPAGANDA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS TÍTULO: NEUROMARKETING: UMA NOVA FORMA DE FAZER PROPAGANDA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO AUTOR(ES): FELIPE

Leia mais

Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Figueira da Foz

Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Figueira da Foz PLANO ANUAL DE TRABALHO 05/06 8ºAno Código 070 Educação para a Cidadania Ano Letivo: 05 / 06 Plano Anual Competências a desenvolver Conteúdos Temas/Domínios Objetivos Atividades / Materiais 3 Períodos

Leia mais

OBJETIVOS PEDAGÓGICOS

OBJETIVOS PEDAGÓGICOS OBJETIVOS PEDAGÓGICOS Formação Pedagógica Inicial de Formadores Mafalda Sales Gomes OBJETIVOS GERAIS Compreender o papel dos objetivos pedagógicos na formação; Conhecer os princípios inerentes à formulação

Leia mais

IV Seminário Nacional do Programa Bandeira Azul. Educação ambiental Planear e avaliar em educação:

IV Seminário Nacional do Programa Bandeira Azul. Educação ambiental Planear e avaliar em educação: IV Seminário Nacional do Programa Bandeira Azul Educação ambiental Planear e avaliar em educação: revendo conceitos para mudar conceções e práticas Enquadramento As campanhas/projectos/actividades começam

Leia mais

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo 7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo A COMUNICAÇÃO Comunicar Comunicar no marketing emitir mensagem para alguém emitir mensagem para o mercado

Leia mais

Já imaginou a monotonia da vida e dos negócios sem as cores?

Já imaginou a monotonia da vida e dos negócios sem as cores? AS CORES E OS NEGÓCIOS Já imaginou a monotonia da vida e dos negócios sem as cores? Conhecer o significado das cores, na vida e nos negócios, aumenta as suas possibilidades de êxito. Aproveite. Sabia,

Leia mais

Saiba como tirar partido de. Ana Leitão

Saiba como tirar partido de. Ana Leitão Saiba como tirar partido de Ana Leitão O que pode correr mal numa apresentação? Descubra o que mais o assusta, conheça as suas fragilidades para as superar. Prévios Definição de metas/objectivos Selecção

Leia mais

Desenvolvimento Cognitivo

Desenvolvimento Cognitivo Desenvolvimento Cognitivo Psicologia do Desenvolvimento Jean Piaget elaborou uma teoria do desenvolvimento a partir do estudo da inteligência da criança e do adolescente. A sua teoria permitiu que se acabasse

Leia mais

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social Semana da Liberdade de Escolha da Escola / School Choice Week & I Conferência da Liberdade de Escolha da Escola / 1st School Choice Conference Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Leia mais

Carla Ribeirinho. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Carla Ribeirinho. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Carla Ribeirinho Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Lisboa, 10 de Maio de 2012 Desafios e oportunidades Crescimento em massa da população idosa. Adopção de medidas que visem minorar situações

Leia mais

Unidade Didática A publicidade (anúncios, spots e cartazes educativos)

Unidade Didática A publicidade (anúncios, spots e cartazes educativos) Unidade Didática A publicidade (anúncios, spots e cartazes educativos) Objetivos didáticos Público-alvo Duração prevista Conteúdos - Promover a prática da intercompreensão em 3 línguas românicas; - Desenvolver

Leia mais

Introdução. Gerar vida sem sexualidade e viver. sem perceber que se está a gerar. Apenas uma instituição. a união sexual à procriação.

Introdução. Gerar vida sem sexualidade e viver. sem perceber que se está a gerar. Apenas uma instituição. a união sexual à procriação. Introdução A amplitude do conhecimento actual acerca da transmissão da vida alcança limites extraordinários. Existem já inúmeros mecanismos para evitar que surja a vida humana em consequência do amor conjugal

Leia mais

Faça viver! 1. Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2. Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5

Faça viver! 1. Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2. Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5 Faça viver! 1 Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2 Rodrigo Mendonça de OLIVEIRA 3 Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5 Universidade Potiguar - UnP, Natal, RN RESUMO O outdoor

Leia mais

Diversidade Cultural X Estereótipos: Discursos Ideológicos em Livros Didáticos para o ensino de Língua Inglesa

Diversidade Cultural X Estereótipos: Discursos Ideológicos em Livros Didáticos para o ensino de Língua Inglesa Diversidade Cultural X Estereótipos: Discursos Ideológicos em Livros Didáticos para o ensino de Língua Inglesa Mary Clevely Mendes Programa de Iniciação Científica UEG / CNPq Orientador (Pesquisador-líder):

Leia mais

Planificação periódica 8ºano

Planificação periódica 8ºano EB 2/3 João Afonso de Aveiro Planificação periódica 8ºano Língua Portuguesa Ano lectivo 2010/2011 Agrupamento de Escolas de Aveiro E S C O L A 2 º E 3 º C I C L O S J O Ã O A F O N S O D E A V E I R O

Leia mais

Plano de Comunicação para o QCA III. Relatório de Execução de 2002

Plano de Comunicação para o QCA III. Relatório de Execução de 2002 Plano de Comunicação para o QCA III Relatório de Execução de 2002 Após o período de lançamento do QCA III o ano de 2002 foi de consolidação dos projectos iniciados e de apresentação dos primeiros resultados.

Leia mais

E N T I D A D E P L A N O D E A C T I V I D A D E S M U N I C I P A L MUNICIPIO DE MORA DO ANO 2013

E N T I D A D E P L A N O D E A C T I V I D A D E S M U N I C I P A L MUNICIPIO DE MORA DO ANO 2013 PÁGINA : 1 1. Funções gerais 25.122,75 53.500,00 53.500,00 55.105,00 51.456,00 53.001,00 238.184,75 1.1. Serviços gerais de 12.275,53 30.500,00 30.500,00 31.415,00 27.054,00 27.866,00 129.110,53 administração

Leia mais

Organização: PROFESSORAS ROSA MARIA DE SÁ TEREZINHA DE ASSIS MACEDO

Organização: PROFESSORAS ROSA MARIA DE SÁ TEREZINHA DE ASSIS MACEDO 3º ao 5º ANO Organização: PROFESSORAS ROSA MARIA DE SÁ TEREZINHA DE ASSIS MACEDO GÊNERO PUBLICITÁRIO Propagandas Definem-se por procurarem despertar no interlocutor o desejo de comprar algo, seja um produto,

Leia mais

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação PORTUGUÊS Domínios em Domínios/Competências Fatores de ponderação Instrumentos de Domínio Cognitivo Compreensão oral 20% Registos e grelhas de observação

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

Como elaborar um trabalho de Pesquisa

Como elaborar um trabalho de Pesquisa Como elaborar um trabalho de Pesquisa Como elaborar um trabalho de pesquisa O primeiro passo a dar é a escolha do tema por ti, pelo grupo ou até por sugestão do(a) professor(a). Seguidamente estabelecerás

Leia mais

Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes

Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes 1. Perguntas e Respostas para Todos os Públicos: 1.1. O que é posicionamento de marca e por que está sendo

Leia mais

CURSO: COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA TURMA: CS1/CS2 PRÁT I CAS DE PROPAGAN DA. Prof. Breno Brito. Apostila 4 AS FUNÇÕES DA PROPAGANDA

CURSO: COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA TURMA: CS1/CS2 PRÁT I CAS DE PROPAGAN DA. Prof. Breno Brito. Apostila 4 AS FUNÇÕES DA PROPAGANDA CURSO: COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA TURMA: CS1/CS2 PRÁT I CAS DE PROPAGAN DA Apostila 4 AS FUNÇÕES DA PROPAGANDA SETEMBRO 2008 AS FUNÇÕES DA PROPAGANDA Se perguntarmos às pessoas qual a

Leia mais

Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br

Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br 3º Seminário de Proteção Escolar / Secretaria da Educação 20 e 21 de agosto de 2014 / Serra Negra 1 Diferenças culturais

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

Estilhaçando a Degradação Ambiental 1. Sávio Wesley Moura GOMES 2 Renata Campos MOREIRA 3 George Gustavo Moura de FREITAS 4 Talita Garcez GUIMARÃES 5

Estilhaçando a Degradação Ambiental 1. Sávio Wesley Moura GOMES 2 Renata Campos MOREIRA 3 George Gustavo Moura de FREITAS 4 Talita Garcez GUIMARÃES 5 Estilhaçando a Degradação Ambiental 1 Sávio Wesley Moura GOMES 2 Renata Campos MOREIRA 3 George Gustavo Moura de FREITAS 4 Talita Garcez GUIMARÃES 5 Faculdade 7 de Setembro, Fortaleza, CE RESUMO O seguinte

Leia mais

PASSOS A SEGUIR :) BAIXAR PACOTE GRÁFICO

PASSOS A SEGUIR :) BAIXAR PACOTE GRÁFICO PASSOS A SEGUIR :) ORGANIZAR OU ADICIONAR O SEU EVENTO PREENCHER O FORMULÁRIO BAIXAR PACOTE GRÁFICO COMEMORAR DIA DA TERRA ENVIAR-NOS SUAS FOTOS E GRÁFICOS ORGANIZAR UM EVENTO OU ADICIONAR O QUE VOCÊ ESTÁ

Leia mais

REGULAMENTO PRÉMIO DE PINTURA COVIRAN-PORTUGAL

REGULAMENTO PRÉMIO DE PINTURA COVIRAN-PORTUGAL REGULAMENTO PRÉMIO DE PINTURA COVIRAN-PORTUGAL PRIMEIRA.- EMPRESA ORGANIZADORA COVIRAN SOCIEDADE COOPERATIVA ANDALUZA, SUCURSAL EM PORTUGAL (dorovante COVIRÁN PORTUGAL), Pessoa Colectiva n.º 980435161,

Leia mais

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação Manual Como elaborar uma estratégia de comunicação Índice Introdução Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação. Passo 2 - Defina os alvos da comunicação Passo 3 - Estabeleça os objetivos da comunicação

Leia mais

Concurso de Ideias. Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros

Concurso de Ideias. Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros Braga, Maio 2012 REGULAMENTO O Prémio rege-se pelo presente regulamento, sendo o Júri soberano na sua interpretação, aplicação, e resolução de eventuais lacunas.

Leia mais

Aspectos a Abordar. Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt. Porquê Comunicar? Estratégia de Comunicação

Aspectos a Abordar. Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt. Porquê Comunicar? Estratégia de Comunicação Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt Conferência Gestão e Comunicação na Área dos Resíduos Estoril, 22 de Setembro de 2009 1 Aspectos a Abordar Porquê Comunicar?

Leia mais

OGIMOK ana.tapia@ogimok.com

OGIMOK ana.tapia@ogimok.com O que significa Ser Empreendedor/a? Ana Tapia Conhecimento vs Competência Ensino vs Aprendizagem Workshop Competências Empreendedoras IEFP Lisboa, 20 Julho 2011 Ana Tapia www.ogimok.com Ser Empreendedor/a

Leia mais

O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS

O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS CARNEIRO, Carla Maria Bessa e STANCATO, Francine Teles 1 RESUMO: Este estudo tem como objetivo mostrar a eficácia da metáfora nos slogans para a construção de um anúncio.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

A União Europeia vive, hoje, uma verdadeira questão social. Uma questão que é, ao mesmo tempo, económica, financeira e política. São muitas as razões:

A União Europeia vive, hoje, uma verdadeira questão social. Uma questão que é, ao mesmo tempo, económica, financeira e política. São muitas as razões: DISCURSO DE S. EXA A PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA CONFERÊNCIA DE PRESIDENTES DOS PARLAMENTOS DA UNIÃO EUROPEIA NICÓSIA, CHIPRE Sessão III: Coesão social em tempos de austeridade o que podem

Leia mais

Immanuel Kant (1724 1804) A Ética de Kant

Immanuel Kant (1724 1804) A Ética de Kant Immanuel Kant (1724 1804) A Ética de Kant Nota Biográfica Immanuel Kant nasceu em 1724 Na cidade de Konisberg na Prússia. A sua palavra de ordem: tem a coragem de te servires do teu próprio entendimento!

Leia mais

AS DÊIXIS DISCURSIVA E SOCIAL NO UNIVERSO DAS PROPAGANDAS

AS DÊIXIS DISCURSIVA E SOCIAL NO UNIVERSO DAS PROPAGANDAS AS DÊIXIS DISCURSIVA E SOCIAL NO UNIVERSO DAS PROPAGANDAS Caiubi Teruya Maranho Camila Aparecida Baptista Desiree Bueno Tibúrcio Larissa Fávaro de Oliveira Souza (G CLCA UENP/CJ) Vera Maria Ramos Pinto

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES CURSO PROFISSIONAL de Técnico de Comunicação Marketing, Relações Públicas e Publicidade DISCIPLINA: Comunicação Publicitária e Criatividade ANO: 11º Turma:

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA LOGOTIPO MACMILLAN BRASIL Utilização colorido; preto/branco e negativo Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA OLHAR PARA VER OBJECTIVOS O desafio passa por analisar o meio construído segundo as suas

Leia mais

1. De que modo a imagem coopera na. 2. O texto Pruébala durante um mês. Si

1. De que modo a imagem coopera na. 2. O texto Pruébala durante um mês. Si o 6 o e 7 a n os n o ve mb r o/ 20 4 desenvolva... pense... pratique... 10 Observe a imagem e recorra a seus estudos de espanhol para responder às questões 1 e 2. Pruébala durante um mês Si no te convence,

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Mercado Interno e da Protecção dos Consumidores DOCUMENTO DE TRABALHO

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Mercado Interno e da Protecção dos Consumidores DOCUMENTO DE TRABALHO PARLAMENTO EUROPEU 2004 2009 Comissão do Mercado Interno e da Protecção dos Consumidores 11.2.2008 DOCUMENTO DE TRABALHO sobre a melhoria da educação financeira dos consumidores e da sua sensibilização

Leia mais

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC Coordenação de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa Ciclo de Aprendizagem I e II MARCOS

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral Advento 2014 (Campanha de Preparação para o Natal) A ALEGRIA E A BELEZA DE VIVER EM FAMÍLIA. O tempo do Advento, que devido ao calendário escolar

Leia mais

A importância dos projectos artísticos no desenvolvimento pessoal e social

A importância dos projectos artísticos no desenvolvimento pessoal e social Congresso de Psicologia Infantil Gente Pequena, Grandes Causas Promovido pela Associação Lumière Cinema S. Jorge, Lisboa A importância dos projectos artísticos no desenvolvimento pessoal e social Mais

Leia mais

Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020»

Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020» Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020» 29.Abril.2014 Idanha-a-Nova DUECEIRA GAL/ELOZ. Entre serra da LOusã e Zêzere Histórico > projecto cooperação

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o :. Leia os textos e responda às questões e. Texto Na Grécia Antiga, Aristóteles (384 a.c.-3 a.c.) já defendia a ideia de que o Universo

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal Ano de escolaridade: 1.º e 2.º Ano Ano lectivo: 2011/2012 Professor/a da Disciplina:... Agrupamento/Escola:.

Leia mais

Ano Letivo 2011/2012 2º Ciclo 5º Ano

Ano Letivo 2011/2012 2º Ciclo 5º Ano AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Anual EMRC Ano Letivo 2011/2012 2º Ciclo 5º Ano Tema Conteúdos Competências Específicas Avaliação Lectiva 1 Viver Juntos Mudança de ano

Leia mais

Mapeando uma Estratégia de Advocacia

Mapeando uma Estratégia de Advocacia Mapeando uma Estratégia de Advocacia Tomando em consideração os limites de tempo e recursos dos implementadores, as ferramentas da série Straight to the Point (Directo ao Ponto), da Pathfinder International,

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE MULTIMÉDIA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Multimédia Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE MULTIMÉDIA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Multimédia Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE MULTIMÉDIA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Multimédia Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL - AUDIOVISUAIS E PRODUÇÃO DOS

Leia mais

Guia do Voluntário a

Guia do Voluntário a Guia do Voluntário a 1. A AIDGLOBAL A AIDGLOBAL é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD), sem fins lucrativos, com sede em Loures, que promove Acções nos domínios da Integração

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016 1º CICLO - 1º ANO DE ESCOLARIDADE PORTUGUÊS PLANIFICAÇÃO MENSAL DE JANEIRO DOMÍNIOS METAS/OBJETIVOS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) MATERIAIS/RECURSOS MODALIDADES

Leia mais

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Departamento de Comunicação Social CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Aluno: Juliana Cintra Orientador: Everardo Rocha Introdução A publicidade

Leia mais

GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA. 2º Momento

GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA. 2º Momento 4.1.8. Orientação específica de codificação: Entrevista a educadoras de infância (2º momento) (2001) GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA 2º Momento I. Questões sobre a modalidade de prática pedagógica

Leia mais

1- Objetivos de comunicação/adaptabilidade aos vários dispositivos

1- Objetivos de comunicação/adaptabilidade aos vários dispositivos UC: Tecnologia Multimédia Discente Brany Cunha Lisboa-1130499 Docente: Bruno Rego Proposta de melhoria de uma solução interativa Site: www.reporterstp.info 1- Objetivos de comunicação/adaptabilidade aos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas Departamento de Línguas Estrangeiras - Inglês - 3º Ciclo - 7º Ano Planificação Anual 2010 / 2011 1º Período - Aulas

Leia mais

O lugar da oralidade na escola

O lugar da oralidade na escola O lugar da oralidade na escola Disciplina: Língua Portuguesa Fund. I Selecionador: Denise Guilherme Viotto Categoria: Professor O lugar da oralidade na escola Atividades com a linguagem oral parecem estar

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO. Planificação anual

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO. Planificação anual Agrupamento de Escolas Júlio Dantas 1515 ESCOLA SECUNDÁRIA JÚLIO DANTAS LAGOS (00312) CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO Disciplina: sign Gráfico - 10ºH Professores: Mara Taquelim, Rui Calmeiro.

Leia mais

Síntese das acções de informação e publicidade dos Beneficiários. Acções obrigatórias

Síntese das acções de informação e publicidade dos Beneficiários. Acções obrigatórias Síntese das acções de informação e publicidade dos Beneficiários Acções obrigatórias Na fase inicial Durante a execução Na fase de encerramento Especificações de execução Inclusão na lista de beneficiários

Leia mais

1 Segunda-Feira 2 Terça-Feira 3 Quarta-Feira 4 Quinta-Feira 5 Sexta-Feira. 10 Quarta-Feira 11 Quinta-Feira. 31 Quarta-Feira

1 Segunda-Feira 2 Terça-Feira 3 Quarta-Feira 4 Quinta-Feira 5 Sexta-Feira. 10 Quarta-Feira 11 Quinta-Feira. 31 Quarta-Feira Calendário de Direitos Humanos 2013-2014 1 Segunda-Feira 2 Terça-Feira 3 Quarta-Feira 4 Quinta-Feira 5 Sexta-Feira Julho 2013 6 Sábado Dia Internacional do Cooperativismo. 7 Domingo 8 Segunda-Feira 9 Terça-Feira

Leia mais

Criação de um Logótipo e Alguns Panfletos Informativos para a Instituição "Clube dos Patolas"

Criação de um Logótipo e Alguns Panfletos Informativos para a Instituição Clube dos Patolas Criação de um Logótipo e Alguns Panfletos Informativos para a Instituição "Clube dos Patolas" 58401 Henrique Delfina LEIC AL PPII henrique.delfina@ist.utl.pt Resumo: Com a inscrição da cadeira de Portfolio

Leia mais

Fazer um plano de marketing

Fazer um plano de marketing Gerir - Guias práticos de suporte à gestão Fazer um plano de marketing A coerência e articulação das diferentes políticas da empresa ou produto(s) é responsável em grande parte pelo seu sucesso ou insucesso.

Leia mais

PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013

PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013 PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013 ESCOLA: 1ºANO OBJETIVO GERAL OBJETIVO ESPECIFICOS CONTEÚDOS AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA Construir com o educando sobre a importância da sua existência e os cuidados

Leia mais

1. Identificação 2. Contextualização/Caracterização do grupo/justificação da planificação 1

1. Identificação 2. Contextualização/Caracterização do grupo/justificação da planificação 1 1. Identificação Agrupamento de Escolas Zona Urbana de Viseu Nº de crianças e idades abrangidas: 20 (3 aos 6 anos) Ano letivo: 2012/2013 2. Contextualização/Caracterização do grupo/justificação da planificação

Leia mais

Metodologias de intervenção:

Metodologias de intervenção: Metodologias de intervenção: Algumas estratégias de intervenção Na intervenção directa com as crianças tenta-se reflectir o clima institucional da Casa da Praia. A dinâmica do funcionamento em Equipa,

Leia mais

Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1

Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1 Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1 Ana Rita Bernardo Leitão Mestre em Língua e Cultura Portuguesa, área de PLE/L2 Cientes do apelo que se impõe

Leia mais

Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010. Regional

Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010. Regional Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010 Regional Julho de 2010 Pesquisa de Avaliação Campanha Brasil 2010 - Regional No período entre 28 de junho e 02 de julho de 2010 foram realizados os Grupos Focais

Leia mais

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste LEITURA DA ENTREVISTA 2 E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste trabalho que estou a desenvolver. Como lhe foi explicado inicialmente, esta entrevista está

Leia mais

Marketing Territorial: uma aposta regional?

Marketing Territorial: uma aposta regional? Marketing Territorial: uma aposta regional? Conferência Alentejo Atractivo: nas rotas do Investimento Global Évora, 10 de Março de 2012 Contexto Contexto de competição entre territórios - regiões, cidades,

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Comunicação Social (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/05/011 1:5 COM.0000.0.000- COM.0001.0.001-0 COM.0019.01.001-7 FIL.0051.00.00-3

Leia mais

QUEM LÊ ALFA É O CARA: AS RELAÇÕES ARGUMENTATIVAS ESTABELECIDAS ENTRE ENUNCIADOR E ENUNCIATÁRIO

QUEM LÊ ALFA É O CARA: AS RELAÇÕES ARGUMENTATIVAS ESTABELECIDAS ENTRE ENUNCIADOR E ENUNCIATÁRIO QUEM LÊ ALFA É O CARA: AS RELAÇÕES ARGUMENTATIVAS ESTABELECIDAS ENTRE ENUNCIADOR E ENUNCIATÁRIO Ana Karla Pereira de MIRANDA Universidade Federal do Mato Grosso do Sul PPGMEL ak_miranda@hotmail.com Resumo:

Leia mais

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires Princípios e Conceitos de Marketing Prof. Felipe A. Pires O que é Marketing? É a execução de um conjunto de atividades comerciais, tendo como objetivo final a troca de produtos ou serviços entre produtores

Leia mais

POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE

POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE A Política de Patrocínio da Cagece que compreende o apoio financeiro concedido a projetos institucionais, culturais, sociais, ambientais e esportivos de iniciativa de terceiros,

Leia mais

COMUNICAR A TRANSPORTES METROPOLITANOS DO PORTO

COMUNICAR A TRANSPORTES METROPOLITANOS DO PORTO ENQUADRAMENTO A INTEGRAÇÃO DA METRO DO PORTO E DA STCP E A PERSPECTIVA DE PRIVATIZAÇÃO COMUNICAR A TRANSPORTES METROPOLITANOS DO PORTO ANÁLISE OBJECTIVOS MENSAGENS-CHAVE ACÇÕES A DESENVOLVER ENQUADRAMENTO

Leia mais

Projeto - A afrodescendência brasileira: desmistificando a história

Projeto - A afrodescendência brasileira: desmistificando a história Projeto - A afrodescendência brasileira: desmistificando a história Tema: Consciência Negra Público-alvo: O projeto é destinado a alunos do Ensino Fundamental - Anos Finais Duração: Um mês Justificativa:

Leia mais

Carta dos Direitos do Cliente

Carta dos Direitos do Cliente A pessoa com deficiência ou incapacidade, deve ser educada e viver na comunidade, mas com programas e apoios especiais. Cercisiago Carta dos Direitos do Cliente Março de 2010 Carta dos Direitos do Cliente

Leia mais