O Programa Transporte Consciente busca a conscientização de empresas e sociedade em relação à segurança no trânsito.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Programa Transporte Consciente busca a conscientização de empresas e sociedade em relação à segurança no trânsito."

Transcrição

1 MANUAL PROJETO TRANSPORTE CONSCIENTE O que é o Programa O Programa Transporte Consciente busca a conscientização de empresas e sociedade em relação à segurança no trânsito. Sua Missão Desenvolver nas empresas transportadoras e na sociedade a cultura de segurança no trânsito, visando atingir o índice de ZERO ACIDENTES E ZERO FATALIDADES. Descrição O Programa Transporte Consciente foi desenvolvido por uma Comissão de Prevenção de Acidentes para elaborar um projeto de prevenção de acidentes de trânsito, que beneficiasse empresas, fornecedores e a sociedade como um todo. A Comissão, composta por gerentes e Técnicos de Segurança do Trabalho de empresas associadas, colaboradores da EMDEC e do SEST/SENAT, é coordenada pela COMJOVEM, com o auxílio da Diretoria e do setor de Recursos Humanos do SINDICAMP, e vem se dedicando ao projeto desde o início de O Programa de Prevenção de Acidentes do SINDICAMP será permanente, visando orientar as empresas afiliadas e implantar ações educativas para a população. Apoio institucional ao Projeto Transporte Consciente O Sindicamp é uma entidade civil, representativa do setor de transporte de cargas e logística, que atua em 31 municípios da região de Campinas. Foi criado em 1983 com o objetivo de unir os empresários de transportes de cargas e, através desta união, obter melhorias e benefícios para o setor. O Sindicamp está localizado em uma região que possui um dos mais importantes pólos de desenvolvimento do país, onde estão instaladas 31 das 500 maiores empresas do mundo. Geograficamente está situada no TIC Terminal Intermodal de Cargas de Campinas, às Margens das Rodovias Anhanguera, Bandeirantes e D.Pedro I, ao lado do principal Entroncamento ferroviário do país. O Sindicamp conta com aproximadamente 300 associados, sendo eles empresas de pequeno, médio e grande porte. Atualmente, é presidido pelo Sr. Carlos Panzan. Dentre os serviços oferecidos a seus associados, podemos destacar : assessoria jurídica, assessoria em recursos humanos; registros da RNTRC; aferição de fumaça nas empresas (Projeto Despoluir); eventos mensais de seus patrocinadores.

2 O SINDICAMP participa ativamente das discussões acerca da legislação sobre o transporte de cargas, levando a seus associados notícias jurídicas sobre assuntos que interferem diretamente no dia-a-dia das empresas. COMJOVEM A COMJOVEM é um grupo que tem como objetivo principal promover a integração, capacitação e despertar o interesse do jovem empresário e executivo para o futuro do setor de transporte de cargas e logística. Surgiu em São Paulo na década de 80, suprindo uma necessidade dos jovens empresários e executivos de participarem mais ativamente de todos os processos que influenciam diretamente a atividade de transporte. Nos anos 2000, o grupo se expandiu para todo o Brasil, e em 2009, a COMJOVEM Campinas iniciou suas atividades no SINDICAMP. Como formas de capacitação e aprendizado, além das reuniões mensais, o grupo realiza visitas técnicas a empresas e fornecedores relacionados ao setor de transporte e logística, além de promover palestras sobre assuntos de interesse para o setor. Os membros são incentivados a participar dos eventos promovidos pelo SINDICAMP, como forma de interagir com empresários mais experientes e fornecedores. As palestras e eventos do sindicato sempre são boas fontes de informação para todos os empresários que desejam aprimorar seus conhecimentos e buscar a união com os demais associados. O grupo também desenvolve ações sociais junto a instituições de Campinas e Região, e anualmente realiza a Campanha do Agasalho. Poderão ser admitidos como membros do COMJOVEM Campinas jovens empresários e executivos de empresas ligadas ao setor de transporte e logística, que tenham idade mínima de 18 anos.

3 Responsabilidade Social O Sindicamp está constantemente preocupado com o presente e o futuro, visando uma melhor qualidade de vida para todos. Acreditamos que todos tem o direito de participar ativamente da sociedade em que vivem, com respeito e tolerância pelas diferenças. Partindo dessa premissa, o Sindicamp destina verbas para várias entidades assistenciais de Campinas, com destaque para o Lar da Criança Feliz. Isso porque, em novembro de 1994, a instituição esteve sob intervenção da Vara da Infância e da Juventude, e o juiz titular, Dr. Erson Teodoro de Oliveira, convidou um dos voluntários que contribuía com a manutenção das crianças abrigadas, o empresário Ademar de Campos, a dirigir a instituição. Atuante no segmento do transporte rodoviário de cargas, Ademar sabia que não teria êxito se assumisse sozinho e estendeu o convite ao Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Cargas de Campinas e Região - Sindicamp, do qual era também diretor. A diretoria composta por empresas associadas ao Sindicamp, fornecedores de veículos e prestadores de serviços ligados ao segmento do transporte rodoviário de cargas permanece até os dias de hoje e a cada dia cresce com a adesão de novos voluntários também de outros segmentos da economia regional. A Associação Beneficente dos Treze Pais Lar Criança Feliz, é uma Organização Não Governamental, filantrópica, sem fins lucrativos, que tem como objetivo abrigar e proteger crianças de zero a 14 anos, de ambos os sexos, vítimas de maus tratos, abandono e negligência da própria família, encaminhada pelo Conselho Tutelar, e pela Vara da Infância e Juventude de Campinas. A ComJovem também desenvolve campanhas para ajudar o Lar dos Velhinhos de Campinas. Uma entidade que visa atender o idoso carente nos aspectos bio-psicosociais, desenvolvendo ações integradas, respeitando sua autonomia, preservando sua melhor capacitação funcional, tornando-o participativo e integrado à sociedade, garantindo-lhe uma melhor qualidade de vida e seus direitos como cidadão. A Comissão de Jovens Empresários de Campinas, a COMJOVEM, grupo atuante dentro do SINDICAMP, anualmente realiza a Campanha do Agasalho, cujas doações são destinadas ao Lar dos Velhinhos. Todos os projetos desenvolvidos tem o objetivo de buscar o melhor para as pessoas e para o mundo em que vivemos.

4 Responsabilidade Ambiental O Sindicamp também desenvolve ações com o intuito de minimizar os danos que a sociedade causa ao meio ambiente. Acreditamos que preservar o meio ambiente seja uma forma de garantir mais qualidade de vida para as gerações futuras. O Sindicamp participa do Projeto Despoluir. Melhorar o desempenho ambiental do setor de transporte e conscientizar os trabalhadores. Com esse objetivo, a Confederação Nacional do Transporte (CNT) criou em 2007 o Programa Ambiental do Transporte Despoluir. A iniciativa envolve empresários, caminhoneiros autônomos, taxistas e trabalhadores em transporte na construção de um cenário de desenvolvimento sustentável. Para isso, o Despoluir está estruturado em dois grandes grupos. O primeiro, chamado de Projeto Transporte, contempla ações que buscam a redução de emissão de poluentes, incentivam o uso de energia limpa e a gestão ambiental nas empresas, garagens e terminais de transporte. Já o Projeto Cidadania para o Meio Ambiente trabalha a conscientização de taxistas, caminhoneiros e demais trabalhadores. São aulas de educação ambiental, dicas de boas práticas ambientais e cartilhas ambientais que facilitam a compreensão do tema e incentivam a adoção de novos hábitos. O Sindicamp participa do projeto Participe e Recicle. É uma oportunidade para empresas, escolas e instituições realizarem um projeto de responsabilidade ambiental de maneira prática e concreta. O projeto consiste em implantar e operacionalizar soluções para arrecadação, encaminhamento e reprocessamento e reciclagem de pilhas, baterias, celulares e outros resíduos tecnológicos. O Sindicamp também procura abordar em seus eventos temas voltados para a responsabilidade ambiental. Com isso, há oportunidade de orientar as empresas quanto ao descarte de pneus e de resíduos provenientes dos veículos sem agredir o meio ambiente.

5 O Programa de Prevenção de Acidentes de Trânsito do SINDICAMP (PROGRAMA TRANSPORTE CONSCIENTE) teve início a partir de um desafio lançado por um palestrante (J. Pedro), durante uma palestra do Programa Inovação Empresarial, já conhecido pelos bem-sucedidos casos de intervenção dos fornecedores em empresas voluntárias, para melhorar o desempenho de seus serviços e produtos. O desafio foi: lançar uma campanha de conscientização das empresas sobre segurança no trânsito. O SINDICAMP, através do Sr. Carlos Panzan, presidente da entidade, não se esquivou do desafio, e visualizou uma oportunidade de lançar uma campanha segurança no trânsito na região de Campinas, como modelo a ser estendido a todo setor de transporte de cargas. Foi então organizada uma Comissão de Prevenção de Acidentes para elaborar um projeto de prevenção de acidentes de trânsito, que beneficiasse empresas, fornecedores e a sociedade como um todo. A Comissão, composta por gerentes e técnicos de segurança de empresas associadas, colaboradores da EMDEC e do SEST/SENAT, é coordenada pela COMJOVEM, com o auxílio da Diretoria e do setor de Recursos Humanos do SINDICAMP, e vem se dedicando ao projeto desde o início de O Programa de Prevenção de Acidentes do SINDICAMP será permanente, visando orientar as empresas afiliadas e implantar ações educativas para a população. O programa tem como seus principais objetivos: Implantar a cultura de acidente zero nas empresas afiliadas ao SINDICAMP, com consequente redução do número de ocorrências e fatalidades. Traçar um panorama atualizado dos principais problemas referentes à segurança no trânsito, a partir de um levantamento estatístico realizado em empresas voluntárias. Conscientizar empresas, funcionários e sociedade civil sobre a importância da colaboração de TODOS para um trânsito mais humano e seguro. Implantar ações educativas nas escolas de ensino fundamental e de 2º grau, com o apoio da EMDEC. Implantar uma comissão permanente no SINDICAMP para orientação de empresas associadas que desejem participar do programa. Benefícios do Programa O maior benefício não se traduz em valores, mas em VIDAS. Os prejuízos financeiros podem ser contornados de alguma forma, o que não ocorre em relação à nossa saúde ou à nossa vida. A redução da mortalidade e da morbidade relacionadas a acidentes de trânsito beneficia a todos, e mostra o comprometimento dos envolvidos em diminuir o

6 máximo possível os dramáticos números de mortes e casos de invalidez observados nas estatísticas. O meio ambiente também agradece Como um dos fatores determinantes da segurança no trânsito, a adequada manutenção dos veículos, sejam eles de carga ou não, não apenas protege a vida dos motoristas, mas também protege o meio ambiente, com a redução da emissão de gases poluentes. Governo e cidadãos saem ganhando Como sabemos, milhões são gastos anualmente em cirurgias reparadoras e tratamentos de vítimas de acidentes de trânsito. A redução de acidentes poderia reduzir parte desses gastos, e poderia haver maiores investimentos em ações preventivas. Cabe a todos nós exigir que nossos governantes também façam a sua parte! Benefícios financeiros E por fim, mas não menos importante, devemos falar sobre o retorno financeiro que o investimento em segurança pode trazer a todos! Concessionárias que administram as rodovias, Polícias Rodoviárias, seguradoras, gerenciadoras de risco, transportadoras. Todas sofrem com prejuízos financeiros quando da ocorrência de um sinistro, e uma vez que o número de acidentes caia, abre-se a oportunidade de bons negócios entre as transportadoras participantes do programa e seus fornecedores. Objetivos gerais da Campanha: Melhorar a Imagem do Transportador em Relação a Segurança no Trânsito. Incentivar nos Transportadores a Cultura de Segurança. Reconhecer o Mérito de Transportadoras e Motoristas na Prevenção de Acidentes no Trânsito. Objetivos específicos: Reduzir o número de acidentes no trânsito por Quilômetro Rodado. Realizar Acompanhamento Estatístico dos Acidentes envolvendo a Frota. Incentivar as empresas, através da Premiação do Desempenho, no quesito Segurança e nas ações ligadas a Saúde e Meio Ambiente. Reduzir o erro humano nas causas de acidentes rodoviários, através da qualificação e capacitação.

7 O foco não será exclusivamente o motorista, mas todos os envolvidos nas operações das transportadoras. Posteriormente, serão desenvolvidas ações junto às empresas associadas ao SINDICAMP e ações educativas com o auxílio da EMDEC. Levantamentos estatísticos. O levantamento estatístico a ser realizado nas empresas é a BASE das ações do Projeto. A estatística não tem a intenção de mostrar as falhas puras observadas no processo, mas sim DIRECIONAR as medidas corretivas a serem tomadas em cada empresa, demonstrando assim o comprometimento das empresas associadas ao SINDICAMP com a segurança no trânsito. SIGILO Os dados informados serão de extremos sigilo. Servirão apenas para levantamento estatístico, e não serão publicados individualmente e ou identificado as empresas, em qualquer meio de comunicação. I. DEFINIÇÃO DO MANUAL Este Manual de Boas Praticasno Transporte Rodoviário de Cargas, descreverá as normas e procedimentos para enquadramento no Projeto Transporte Consciente as quais garantirão maior qualidade e segurança no transporte fazendo com que as operações sejam realizadas de maneira adequada, por profissionais mais capacitados, e em veículos apropriados, com vistas a assegurar a manutenção da eficácia e daqualidade dos produtos transportados. Contem as informações relativas aos procedimentos geraisda forma como a empresa pretende executar a prestação de serviço de transporte, e ficaráacessível aos funcionários e aos auditores do Projeto. II. OBJETIVOS O Projeto Transporte Consciente tem como principal objetivo a mudança da imagem dos transportadores com a sociedade, assim como garantir a máxima qualidade,segurança e eficácia, trabalhando com a colaboração de todos os funcionários, empenhando-se para garantir a satisfação dosclientes pelos serviços prestados. Os participantes terá totalcomprometimento com as atividades do projeto, assegurando as informações necessárias para o andamento dos indicadores e realização de planos de correção. III. APRESENTAÇÃO DOPROJETO O Programa de Prevenção de Acidentes de Trânsito do SINDICAMP teve início a partir de um desafio lançado por um palestrante, durante uma palestra do Programa Inovação Empresarial, já conhecido pelos bem-sucedidos casos de intervenção dos fornecedores em empresas voluntárias, para melhorar o desempenho de seus serviços e produtos. O

8 desafio foi: lançar uma campanha de conscientização das empresas sobre segurança no trânsito. O SINDICAMP, através do sr. Carlos Panzan, presidente da entidade, não se esquivou do desafio, e visualizou uma oportunidade de lançar uma campanha segurança no trânsito na região de Campinas, como modelo a ser estendido a todo setor de transporte de cargas. Foi então organizada uma Comissão de Prevenção de Acidentes para elaborar um projeto de prevenção de acidentes de trânsito, que beneficiasse empresas, fornecedores e a sociedade como um todo. A Comissão, composta por gerentes e técnicos de segurança de empresas associadas, colaboradores da EMDEC e do SEST/SENAT, é coordenada pela COMJOVEM, com o auxílio da Diretoria e do setor de Recursos Humanos do SINDICAMP, e vem se dedicando ao projeto desde o início de O Programa de Prevenção de Acidentes do SINDICAMP será permanente, visando orientar as empresas afiliadas e implantar ações educativas para a população. Etapas do Programa 1ª Etapa Projeto Piloto 20 empresas afiliadas ao SINDICAMP foram voluntárias no projeto-piloto. Elaborado para obtenção de um levantamento estatístico, um questionário foi aplicado às empresas voluntárias. Os dados, confidenciais, foram utilizados pela Comissão de Segurança do SINDICAMP para obter um panorama geral dos procedimentos adotados por essas empresas para prevenir acidentes e para estudar as causas de sinistros. 2ª Etapa Abranger empresas afiliadas Na segunda etapa do programa, o questionário aplicado nas empresas do projeto-piloto será revisto e aprimorado, e serão implantados indicadores de eficiência na prevenção de acidentes, como número de acidentes/milhão de km rodado e número de infrações de trânsito. Apresentação do programa a todas as empresas afiliadas ao SINDICAMP. Desenvolvimento de material educativo a ser distribuído para as empresas participantes. 3ª Etapa Envolver toda a sociedade Serão desenvolvidas ações educativas junto ao público infantil e adolescente, com o auxílio da EMDEC e do SEST/SENAT, com o intuito de conscientizar os futuros cidadãos e motoristas sobre a importância do respeito entre os condutores de todos os tipos de veículos.

9 Serão desenvolvidos materiais destinados ao público adulto, com especial atenção para as diferenças na convivência e na condução de veículos de grande porte. IV. CONDIÇÕES GERAIS O projeto estabelece padrões e diretrizes para auxilio e melhorias nas empresas participantes, garantindo operações adequadas com segurança e qualidade. V. PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E QUALIDADE. 1. Considerações Gerais Os participantes atenderão sempre Boas Práticas de Transporte,em conformidade comos Dispositivos Legais aplicáveis. 2. Segurança O participante do projeto desenvolverá junto ao projeto formas de conseguir o conceito Zero Acidentes e receberá como contra partida instruções e matérias para desenvolver a Politica de Boas Práticas. 3. Qualidade Os participantes garantirá sempre a garantia de qualidade a seu cliente. 4. Responsabilidades O participante terá que manter as informações com o projeto sempre atualizadas, assim como a legitimidade destas. 5. Responsabilidade Técnica Ficará disponível aos participantes um canal de comunicação para informações e duvidas. 6. Política do Projeto Transporte Consciente A política do Projeto Transporte Consciente e a garantia da melhor imagem do transportador frente a sociedade e a busca de Zero Acidentes. 7. Auditoria A Responsável Técnica detém a obrigação de gerenciar as informações relatadas através de auditorias. Poderá executá-lasozinho, ou delegar a condução da mesma, por pessoa (s) familiarizada(s) com o Projeto Transporte Consciente e as BoasPráticas. 8. Visão Estratégica a) Garantir a redução dos custos com acidentes. 9. Comunicação Sua compreensão será assegurada entre todos o colaboradores através de procedimentosescritos, treinamentos e reuniões. 10. Organização O Projeto Transporte consciente é dividido em 3(três) departamentos denominados, Departamento de Marketing, Departamento de Controladoria e Departamento Financeiro.

10 11. Representações O Projeto Transporte é representado com apoio do SINDICAMP E COMJOVEM acompanhando o desempenho do projeto ELABORAÇÃO ESF Assessoria em Segurança e Meio Ambiente Elaborado por: Eliezer Silva Franco

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS OBJETIVO DOS PROGRAMAS PREVENIR ATITUDES INSEGURAS NO TRANSPORTE POR MEIO DA CONSCIENTIZAÇÃO DOS MOTORISTAS. META ATINGIR O NÍVEL ZERO EM ACIDENTES SÉRIOS. PRINCIPAL

Leia mais

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte!

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte! Câmara Municipal de Barueri Conheça a Norma SA8000 Você faz parte! O que é a Norma SA 8000? A SA 8000 é uma norma internacional que visa aprimorar as condições do ambiente de trabalho e das relações da

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social. Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008

A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social. Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008 A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008 Responsabilidade Social O conceito da RSA não está mais entre as quatro paredes dos escritórios. A sociedade

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

PREMIER AMBIENTAL COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO PACTO GLOBAL ONU - 2015 COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO 1

PREMIER AMBIENTAL COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO PACTO GLOBAL ONU - 2015 COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO 1 COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO PACTO GLOBAL ONU - 2015 COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO 1 PERFIL DA EMPRESA A Premier Ambiental é uma empresa de Consultoria em Gerenciamento de Requisitos Legais, implantação e manutenção

Leia mais

Programa Transporte Consciente

Programa Transporte Consciente Programa Transporte Consciente Apoio EMPRESAS PARTICIPANTES ESPAÇO RESERVADO PARA SUA EMPRESA. Somos 22 empresas empenhadas para maior Segurança no Transporte Rodoviário. Somamos 2255 veículos Percorremos

Leia mais

Desde a criação do programa, a New Age implementou e tem monitorado diversas ações com foco ambiental, social e econômico.

Desde a criação do programa, a New Age implementou e tem monitorado diversas ações com foco ambiental, social e econômico. Faz parte da vontade da diretoria da New Age contribuir socialmente para um mundo melhor, mais justo e sustentável. Acreditamos que através da educação e com a experiência que temos, transportando tantos

Leia mais

TNT Cargas e Encomendas Expressas

TNT Cargas e Encomendas Expressas TNT Cargas e Encomendas Expressas Introdução Ação: Programa Road Safety Período: outubro de 2011 - atual Responsável pela ação: Setor de Treinamento de Motoristas E-mail: emerson.lima@tntbrasil.com.br

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU CONFEDERAÇÃO COOPERATIVA DE 2º GRAU FEDERAÇÃO OU CENTRAL COOPERATIVA DE 1º GRAU

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL APRESENTAÇÃO Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL Introdução SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento

Leia mais

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente.

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente. CÓDIGO DE ÉTICA EMPRESARIAL 1 INTRODUÇÃO O Código de Ética Empresarial da COELCE, apresenta os princípios direcionadores das políticas adotadas pela empresa e que norteiam as ações e relações com suas

Leia mais

SOBRE A FÉRIAS VIVAS MISSÃO. Lutar pela conscientização e proteger vidas no turismo nacional. VISÃO

SOBRE A FÉRIAS VIVAS MISSÃO. Lutar pela conscientização e proteger vidas no turismo nacional. VISÃO SOBRE A FÉRIAS VIVAS A Associação Férias Vivas é a primeira ONG de âmbito nacional voltada para a segurança no turismo e no lazer. A organização foi criada em 2002 a partir da iniciativa de um grupo de

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA Angelica Raquel Negrele de Faria (UNICENTRO), Izamara de Oliveira Ferreira (UNICENTRO), Prof. Silvio Roberto Stefano (Orientador),

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Código de Fornecimento Responsável

Código de Fornecimento Responsável Código de Fornecimento Responsável Breve descrição A ArcelorMittal requer de seus fornecedores o cumprimento de padrões mínimos relacionados a saúde e segurança, direitos humanos, ética e meio ambiente.

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 2013

CÓDIGO DE CONDUTA 2013 CÓDIGO DE CONDUTA 2013 CARTA DO PRESIDENTE A, traduzimos nossos valores e damos diretrizes à, de modo a garantir um relacionamento transparente e harmonioso com clientes, e e cotidianas de trabalho., aqui

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1

Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1 Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1 O IDIS Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social é uma organização da sociedade civil de interesse público, que tem como

Leia mais

SP 08/95 NT 191/95. Execução e Fiscalização da Sinalização Horizontal. Psicº Mauro Yoshio Ito Psicª Ilana Berezovsky Psicª Susana Nunes Penna

SP 08/95 NT 191/95. Execução e Fiscalização da Sinalização Horizontal. Psicº Mauro Yoshio Ito Psicª Ilana Berezovsky Psicª Susana Nunes Penna SP 08/95 NT 191/95 Execução e Fiscalização da Sinalização Horizontal Psicº Mauro Yoshio Ito Psicª Ilana Berezovsky Psicª Susana Nunes Penna 1. Introdução A realidade do trânsito da cidade de SP, 6 mortes

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA Páginas: 1 de 13 APROVAÇÃO Este Manual de Gestão está aprovado e representa o Sistema de Gestão Integrada implementado na FOX Comércio de Aparas Ltda. Ricardo Militelli Diretor FOX Páginas: 2 de 13 1.

Leia mais

APRESENTAÇÃO MINAS GERAIS SÃO PAULO RIO DE JANEIRO ESPÍRITO SANTO

APRESENTAÇÃO MINAS GERAIS SÃO PAULO RIO DE JANEIRO ESPÍRITO SANTO APRESENTAÇÃO No transporte rodoviário desde 1953, a Empresa de Transportes Martins oferece um sistema de prestação de serviços de carga geral industrial e comercial, possuindo atualmente a seguinte composição

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Nº de Páginas: 1 / 5 1. OBJETIVOS Os objetivos desta Política de Segurança da Informação são estabelecer orientações gerais de segurança da informação no âmbito da Braslight, fornecendo o apoio conceitual

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

INDICADORES GERENCIAIS PRÓ-ATIVOS DE SEGURANÇA E SAÚDE. DISPOSITIVOS DE CONTROLE DE UTILIZAÇÃO NOS VEÍCULOS DO GRUPO CEEE.

INDICADORES GERENCIAIS PRÓ-ATIVOS DE SEGURANÇA E SAÚDE. DISPOSITIVOS DE CONTROLE DE UTILIZAÇÃO NOS VEÍCULOS DO GRUPO CEEE. INDICADORES GERENCIAIS PRÓ-ATIVOS DE SEGURANÇA E SAÚDE. DISPOSITIVOS DE CONTROLE DE UTILIZAÇÃO NOS VEÍCULOS DO GRUPO CEEE. Autores João Carlos Lindau Roberto de Azevedo Ferreira GRUPO CEEE RESUMO Cada

Leia mais

Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS

Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS anos 1. OBJETIVO Este documento tem a finalidade de estabelecer diretrizes para a Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança (SMS)

Leia mais

(UNIDADE CEBRAC BOTUCATU)

(UNIDADE CEBRAC BOTUCATU) CAMPANHA MAIS CIDADÃO (UNIDADE CEBRAC BOTUCATU) APRESENTAÇÃO Nossa Missão: Desenvolver o potencial das pessoas e formar o cidadão profissional para atuar com brilhantismo no mercado de trabalho Estar sintonizados

Leia mais

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Atuando com responsabilidade para colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Compromisso com um futuro melhor. Com o nosso trabalho, somos parte da solução para uma agricultura mais sustentável.

Leia mais

DA RELAÇÃO SEGURO/ROUBO DE CARGA NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO

DA RELAÇÃO SEGURO/ROUBO DE CARGA NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DA RELAÇÃO SEGURO/ROUBO DE CARGA NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO 1. Até a década de 70 não eram reconhecidos os crimes contra o patrimônio como risco a ser efetivamente protegido no transporte rodoviário de cargas,

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

MEDIDAS PREVENTIVAS PARA REDUÇÃO DE ACIDENTES

MEDIDAS PREVENTIVAS PARA REDUÇÃO DE ACIDENTES MEDIDAS PREVENTIVAS PARA REDUÇÃO DE ACIDENTES Autores Antônio Alexandre Franco Thomaz Élson Lourenço Bomfim Inaldo Nóbrega da Cunha Filho PREMIUM CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO LTDA RESUMO No setor elétrico,

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

Artaet Martins Asssessor de Sustentabilidade Grupo EcoRodovias CBR&C BRASVIAS

Artaet Martins Asssessor de Sustentabilidade Grupo EcoRodovias CBR&C BRASVIAS Artaet Martins Asssessor de Sustentabilidade Grupo EcoRodovias CBR&C BRASVIAS A EVOLUÇÃO DA SUSTENTABILIDADE NO GRUPO ECORODOVIAS 2 SUSTENTABILIDADE NO GRUPO ECORODOVIAS ECORODOVIAS Empresas do Grupo Ecovias

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem 1) COMO FUNCIONA? O PROBLEMA OU SITUAÇÃO ANTERIOR Anteriormente, todos os resíduos recicláveis ou não (com exceção do papelão), ou seja, papel, plásticos, vidros,

Leia mais

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES I ÁREAS DE INTERESSE Criança e Adolescente Apoio aos Fóruns, Comitês, Associações

Leia mais

Formando o aluno para a responsabilidade social. Esther Carvalho Março 2010

Formando o aluno para a responsabilidade social. Esther Carvalho Março 2010 Formando o aluno para a responsabilidade social Esther Carvalho Março 2010 Missão "Servir com excelência, por meio da educação, formando cidadãos éticos, solidários e competentes" Visão "Ser referência

Leia mais

SIPAT INTEGRADA CPFL ENERGIA

SIPAT INTEGRADA CPFL ENERGIA SIPAT INTEGRADA CPFL ENERGIA Autores: Allan Bueno dos Santos Frederico Prestupa Neto CPFL Energia Apoio Fidelidade: RESUMO As CIPA s (Comissões Interna de Prevenção de Acidentes) realizavam a SIPAT (Semana

Leia mais

MUTIRÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA: UMA AÇÃO INTEGRADA COM EMPREGADOS, CONTRATADOS E A COMUNIDADE

MUTIRÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA: UMA AÇÃO INTEGRADA COM EMPREGADOS, CONTRATADOS E A COMUNIDADE MUTIRÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA: UMA AÇÃO INTEGRADA COM EMPREGADOS, CONTRATADOS E A COMUNIDADE Autores Carmem Lúcia Carneiro Rolim Antiógenes José Freitas Cordeiro José Clóves Fernandes COMPANHIA ENERGÉTICA

Leia mais

COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO?

COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO? COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO? Apresentação Ir para a escola, passar um tempo com a família e amigos, acompanhar as últimas novidades do mundo virtual, fazer um curso de inglês e praticar um esporte são

Leia mais

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE 118 IABAS Relatório de Gestão Rio de Janeiro 2010/2011/2012 Programa de Sustentabilidade nas Unidades de Saúde O Programa de Sustentabilidade promove

Leia mais

Apresentação Criado há mais de dez anos a partir da vontade de prestar assessoria jurídica dinâmica, o Alves Oliveira é alicerçado no trabalho honesto e transparente. Com fundador experiente e com conhecimento

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA QUALIDADE DE VIDA CIPA 5 S SUSTENTABILIDADE SMS RESPONSABILIDA DE SOCIAL

SAÚDE E SEGURANÇA QUALIDADE DE VIDA CIPA 5 S SUSTENTABILIDADE SMS RESPONSABILIDA DE SOCIAL SAÚDE E SEGURANÇA QUALIDADE DE VIDA CIPA 5 S SUSTENTABILIDADE SMS RESPONSABILIDA DE SOCIAL Para REFLEXÃO Exemplo de aspectos ambientais significativos Descarga de efluentes líquidos Disposição de

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade

Relatório de Sustentabilidade Relatório de Sustentabilidade Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes A Rodorei Transportes adota, há dez anos, uma política agressiva de

Leia mais

estão de Pessoas e Inovação

estão de Pessoas e Inovação estão de Pessoas e Inovação Luiz Ildebrando Pierry Secretário Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Prosperidade e Qualidade de vida são nossos principais objetivos Qualidade de Vida (dicas)

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

Prefeitura Municipal de Botucatu

Prefeitura Municipal de Botucatu I- Identificação: Projeto Empresa Solidária II- Apresentação : O Fundo Social de Solidariedade é um organismo da administração municipal, ligado ao gabinete do prefeito, que atua em diversos segmentos

Leia mais

O Investimento Social Britânico no Brasil: Caso do HSBC Bank Brasil

O Investimento Social Britânico no Brasil: Caso do HSBC Bank Brasil O Investimento Social Britânico no Brasil: Caso do HSBC Bank Brasil Ariel Scheffer da Silva Gerente de Sustentabilidade HSBC Bank Brasil São Paulo 24 de novembro de 2009 Sustentabilidade no HSBC Comunicação

Leia mais

Itaú Seguros Princípios para Sustentabilidade em Seguros

Itaú Seguros Princípios para Sustentabilidade em Seguros Itaú Seguros Princípios para Sustentabilidade em Seguros Relatório 2014-2015 Itaú Seguros Perfil Desde 1921, a seguradora do Itaú atua no setor de seguros atendendo a empresas e pessoas físicas, disponibilizando

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

ABMES - 10 ANOS DA CAMPANHA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Brasília, 7 de julho de 2015

ABMES - 10 ANOS DA CAMPANHA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Brasília, 7 de julho de 2015 ABMES - 10 ANOS DA CAMPANHA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Brasília, 7 de julho de 2015 A ESTÁCIO HÁ 45 ANOS NOSSA VIDA É TRANSFORMAR A SUA. Somos uma empresa que tem na Educação o motivo

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Carta Unir para Cuidar Apresentação

Carta Unir para Cuidar Apresentação Carta Unir para Cuidar Apresentação Durante o 17º Encontro Nacional de Apoio à Adoção (ENAPA), na capital federal, de 07 a 09 de junho de 2012, as entidades participantes assumem, com esta carta de compromisso,

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO CONCURSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM TEMA 04: ATIVIDADES DO ENFERMEIRO ATIVIDADES DO ENFERMEIRO SUPERVISÃO GERENCIAMENTO AVALIAÇÃO AUDITORIA

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

Gestão Ambiental. Aula 5 Prof. Pablo Bosco

Gestão Ambiental. Aula 5 Prof. Pablo Bosco Gestão Ambiental Aula 5 Prof. Pablo Bosco Proposito da aula ISO 14001 2 ISO 14001 O que é a ISO 14001? A ISO 14001 é uma Norma pertencente a família das ISO 14000 que trata de Sistema de Gestão Ambiental

Leia mais

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário Luiz Antônio Jaeger (21) 9702 9194 luizantonio@parme.com.br parme@parme.com.

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário Luiz Antônio Jaeger (21) 9702 9194 luizantonio@parme.com.br parme@parme.com. PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Dados da empresa Razão Social Franquipar Franqueadora e Licenciadora de Marcas Ltda. Nome fantasia Parmê

Leia mais

Relatório de desempenho social Maio de 2010

Relatório de desempenho social Maio de 2010 Nossa responsabilidade social BIC AMAZÔNIA S.A. Relatório de desempenho social Maio de 2010 I - APRESENTAÇÃO A unidade BIC Amazônia está localizada na cidade de Manaus, no Estado do Amazonas, onde são

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. O presente Código de Conduta da Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. (a Companhia ), visa cumprir com as disposições do Regulamento

Leia mais

Manual do Voluntário. O Projeto Correspondentes

Manual do Voluntário. O Projeto Correspondentes Manual do Voluntário O Projeto Correspondentes A ação proposta pelo projeto Correspondentes é a troca regular de correspondências entre voluntários e crianças ou adolescentes que residem em abrigos ou

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Neste momento, vocês estão recebendo a apostila que servirá de base para a vigésima quarta prova, que será realizada no dia 25 de Setembro de 2013.

Neste momento, vocês estão recebendo a apostila que servirá de base para a vigésima quarta prova, que será realizada no dia 25 de Setembro de 2013. 24ª APOSTILA 24ª APOSTILA SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE Caros Colegas, Neste momento, vocês estão recebendo a apostila que servirá de base para a vigésima quarta prova, que será realizada no dia 25 de Setembro

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

Código de Ética. PARTE I Relação com o cliente de Consultoria

Código de Ética. PARTE I Relação com o cliente de Consultoria Código de Ética PARTE I Relação com o cliente de Consultoria 1. É essencial que o Consultor estabeleça de inicio com o cliente, de forma clara, os objetivos do trabalho previsto, dos meios a serem utilizados,

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

Pesquisa de Clima Organizacional

Pesquisa de Clima Organizacional Pesquisa de Clima Organizacional Que CLIMA é esse? Clima Organizacional: Atmosfera psicológica característica que existe em cada organização, podendo referirse ao ambiente humano dentro de um departamento,

Leia mais

Correios Socioambiental

Correios Socioambiental Correios Socioambiental AÇÕES SOCIAIS E AMBIENTAIS Missão: Fornecer soluções acessíveis e confiáveis para conectar pessoas, instituições e negócios, no Brasil e no mundo. Visão: Ser uma empresa de classe

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DO SISTEMA DE GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL SA 8000

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DO SISTEMA DE GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL SA 8000 Óleo & Gás S/A RELATÓRIO DE DESEMPENHO DO SISTEMA DE GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL SA 8000 20 de agosto de 2013 Como parte da Política da Responsabilidade Social adotada pela IESA Óleo & Gás, publicamos

Leia mais

Código de Ética do IBCO

Código de Ética do IBCO Código de Ética do IBCO Qua, 14 de Novembro de 2007 21:00 O papel do consultor de organização, no desempenho de suas atividades, é o de assistir aos clientes na melhoria do seu desempenho, tanto nos aspectos

Leia mais

ISO 9001. As três primeiras seções fornecem informações gerais sobre a norma, enquanto as cinco últimas centram-se na sua implementação.

ISO 9001. As três primeiras seções fornecem informações gerais sobre a norma, enquanto as cinco últimas centram-se na sua implementação. ISO 9001 A ISO 9001 é um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) standard que exige que uma dada organização satisfaça as suas próprias exigências e as dos seus clientes e reguladores. Baseia-se numa metodologia

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD

PROGRAMA PROREDES BIRD ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA PROGRAMA PROREDES BIRD TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL PARA APOIO TÉCNICO À GESTÃO DOS PROJETOS DE RESTAURAÇÃO

Leia mais

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar Gizelma de A. Simões Rodrigues SBS Hospital Sírio Libanês Instituição Filantrópica de saúde, ensino e pesquisa. Hospital de alta complexidade Matriz 172.000 m² 5.900

Leia mais

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto?

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto? Projetos Sociais da Faculdade Campo Real A promoção da cidadania é qualidade de toda instituição de ensino consciente de sua relevância e capacidade de atuação social. Considerando a importância da Faculdade

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL: CRIANDO VALOR PARA. Profa. MARIA ELIZABETH PUPE JOHANN

GESTÃO DE PESSOAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL: CRIANDO VALOR PARA. Profa. MARIA ELIZABETH PUPE JOHANN GESTÃO DE PESSOAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL: CRIANDO VALOR PARA O NEGÓCIO Profa. MARIA ELIZABETH PUPE JOHANN Maio de 2007 LEMBRANDO ESTRATÉGIAS... APARENTE PARADOXO: POR QUE A RICA SOCIEDADE AMERICANA

Leia mais