REFORMA SINDICAL E TRABALHISTA: EM ANÁLISE E DEBATE Rio de Janeiro, 11 de Maio de 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REFORMA SINDICAL E TRABALHISTA: EM ANÁLISE E DEBATE Rio de Janeiro, 11 de Maio de 2013"

Transcrição

1 REFORMA SINDICAL E TRABALHISTA: EM ANÁLISE E DEBATE Rio de Janeiro, 11 de Maio de 2013 Helder Molina Historiador, mestre em Educação, Doutor em Políticas Públicas e Formação Humana, professor da Faculdade de Educação da UERJ, educador sindical, assessor de formação política

2 PROJETO NEO LIBERAL, ALIADO A GLOBALIZAÇÃO DA ECONOMIA, IMPLANTADA NO BRASIL NOS ANOS 90. FERNANDO COLLOR ABERTURA DA ECONOMIA, LIVRE COMÉRCIO DA AMÉRICA.

3 Um breve resgate histórico das relações de trabalho... Capitalismo Século XIX Europa e EUA: - Revolução industrial: Urbanização Fabricasprisões, Fábricas-conventos - Maquinaria > assalariamento > trabalho industrial, mercado mundial, super exploração > Revoltas > Ausência de legislação ou contrato > - Organização coletiva dos trabalhadores > Revoltas pré sindicais > Uniões por fábricas

4 Movimento sindical nasce... Revoluções capitalistas: Dominação política e econômica da burguesia Rebeliões e greves originam o movimento operário: Anarquistas, socialistas, comunistas, cristãos... Europa e EUA: Conquista de leis trabalhistas precárias,

5 Brasil Séculos XVI ao XIX: - Colônia, império, escravidão, relação de Casa Grande X Senzala - Escravo não é sujeito de direito, é mercadoria, objeto, coisa - Sem legalização relações de trabalhos, Estado escravocrata.

6 Brasil República e Movimento Operário Fim da escravidão República Imigração Industrialização e Urbanização Presença forte das correntes operárias internacionais no movimento operário: Anarquistas, socialistas e comunista Muitas greves, sem mediação, sem amparo legal, super exploração dos trabalhadores, mentalidade escravocrata dos empresários da indústria e agrária

7 Estado Novo Era Vargas Vargas no poder: Vence a disputa entre forças no controle do Estado Pacto capital X trabalho: Estado tutor Projeto de nação: Disciplinamento do mundo do trabalho, internacionalização econômica, Estado forte

8 CLT e estrutura sindical estatal Controle dos sindicatos, contra o perigo vermelho Trabalhistas no movimento sindical Cria o Ministério do Trabalho Cria o Sistema S Ensino técnico profissionalizante...indústrialização CLT: Conquista das lutas sindicais, garantia de direitos trabalhistas básicos

9 CLT: Positividade e Negatividade Positividade: Direitos, parâmetros, mediação, justiça trabalhista, negociação, sindicato como ente jurídico legal Negatividade: Controle do Estado, imposto sindical (controvérsias até hoje), tutela, Qual papel dos sindicatos? Debate ideológico, conceitual, político, jurídico-legal

10 ITAMAR FRANCO FHC, como Ministro da Economia, iniciou o Projeto Neo Liberal. FHC apoiado pelos grandes grupos econômicos, pelos banqueiros, elegeu-se presidente da República e consolidou o Projeto Neo-Liberal.

11 CLT e Sindicalismo Contexto: Novo sindicalismo pós ditadura nasce reivindica a Convenção 87 de OIT: Plena liberdade e autonomia sindical Contra a estrutura sindical controlada pelo Estado Estruturas legais arcaicas num capitalismo moderno, informacional, pós industrial,

12 MEDIDAS ADOTADAS: Plano Real; privatizações;

13 CONSEQUÊNCIAS: Aumento da dívida interna e externa; Submissão ao FMI; Aumento acentuado do desemprego; Arrocho salarial; Subtração de direitos trabalhistas e previdenciários; Exclusão social; Concentração de renda;

14 POR QUÊ REFORMAS? Para consolidar definitivamente e dar continuidade ao Projeto NeoLiberal é necessário flexibilizar Legislação Trabalhista e Sindical;

15 GOVERNO LULA - ESPERANÇA DE MUDANÇA:

16 REFORMA SINDICAL E TRABALHISTA GOVERNO LULA - PRETENDE FORMATAR UMA NOVA ESTRUTURA SINDICAL NO PAÍS: CRIA O CDES Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CONSELHÃO DO TARSO. FUNÇÃO - Reformas: Previdenciária, Tributária, Trabalhista, Sindical.

17 REFORMA SINDICAL E TRABALHISTA Construir um Consenso entre TRABALHADORES, EMPRESÁRIOS E REPRESENTANTES DO GOVERNO; SE NÃO HOUVER CONSENSO O GOVERNO ENCAMINHARÁ SUA PROPOSTA; O Fórum Nacional do Trabalho, será o órgão de debate.

18 ÂMBITO NACIONAL OS TRABALHADORES RURAIS NÃO ESTÃO REPRESENTADOS; GOVERNO SÓ DEU ESPAÇO PARA AS CENTRAIS;

19 CUT SÓ DEU VAGA PARA CONTAG COMO SUPLENTE; AS ENTIDADES DO SISTEMA CONFEDERATIVO, NÃO FILIADAS ÀS CENTRAIS, NÃO FORAM ACEITAS PARA COMPOR O FÓRUM.

20 TEMÁTICAS DO DEBATE Organização Sindical; Negociação Coletiva; Composição de Conflitos; Micro e pequenas empresas e outras formas de organização do trabalho; Qualificação Profissional e Certificação; Legislação do Trabalho; Normas administrativas sobre condições de Trabalho; Organização administrativa e Judiciária;

21 ORGANIZAÇÃO SINDICAL: O MAIS POLÊMICO, O argumento do governo e de segmentos que defendem mudanças é que a atual estrutura sindical ainda padece das amarras criadas na Era Vargas; Os Sindicatos eram atrelados ao Ministério do Trabalho e era proibida a organização de centrais e não havia entidades representando diferentes categorias;

22 O QUE O GOVERNO PROPRÕE ATRAVÉS DO CDES; Quebra do princípio da unicidade; Adoção do princípio da pluralidade; Ratificação da Convenção 87 e 141 da OIT;

23 Financiamento e representação FIM DO IMPOSTO SINDICAL E TODAS TAXAS COMPULSÓRIAS (CONT.CONFEDERATIVA); O Sindicato só representará os associados, não mais a categoria;

24 CENTRAIS SINDICAIS. OUTRA POLÊMICA: Existem dez centrais registradas em cartório, Dessas as SEIS maiores são(de acordo com representatividade): CUT:(Central Única dos Trabalhadores) FORÇA SINDICAL; CAT (Central Autônoma dos Trabalhadores) CGTB(Central Geral de Trabalhadores; SDS(Social Democracia Sindical) e CGTB (Confederação Geral dos Trabalhadores do Brasil);

25 CENTRAIS SINDICAIS - O QUE SÃO HOJE As centrais, só possuem registro em cartório; Mesmo sem registro no MTE, há o reconhecimento nacional das centrais a partir da década de 80; Não tem dados oficiais do número de entidades filiadas as centrais;; 600 Novos sindicatos por ano: Pulverização, fragmentação, indústria de cartas sindicais

26 O QUE QUEREM AS CENTRAIS NA REFORMA: Legalização das Centrais inclusive com poder de negociação; DEFENDEM a unicidade: CGT, CAT E CGTB; EXTINÇÃO da unicidade: SDS e Força Sindical(extinção gradativa com período de transição) CUT Defende a aprovação e aplicação da convenção 87 e 151 da OIT

27 COMO É O ATUAL SISTEMA CONFEDERATIVO CONFEDERAÇÃO FEDERAÇÃO SINDICATOS

28 OUTRAS FORMAS Estrutura sindical CONFEDERAÇÃO CENTRAL A FEDERAÇÃO SINDICATOS CENTRAL B CENTRAL C

29 REFORMA TRABALHISTA MANUTENÇÃO DOS DIREITOS TRABALHISTAS EXISTENTES; RESGATE DOS DIREITOS PERDIDOS NA ÚLTIMA DÉCADA; LEGISLADO SOBRE O NEGOCIADO.

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética LINHA DO TEMPO Módulo I História da Formação Política Brasileira Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética SEC XV SEC XVIII 1492 A chegada dos espanhóis na América Brasil Colônia (1500-1822) 1500

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Me: Edson Fasano Sociedade Capitalista: REVOLUÇÃO FRANCESA A Organização da Aula 1º Bloco: Iluminismo e Independência dos EUA. 2º Bloco: - Antecedentes da Revolução Francesa.

Leia mais

A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964):

A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964): A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964): 1. - PRINCIPAIS PARTIDOS: PSD (Partido Social Democrático): Principal partido. Criado por Getúlio Vargas. Base rural. Industriais, banqueiros e latifundiários

Leia mais

Governos. Populistas Brasileiros (1946-1964) Entregar? Nacionalizar? Prof. Abdulah 3ºano/Pré- vesjbular Aulas 20 e 21 (SAS)

Governos. Populistas Brasileiros (1946-1964) Entregar? Nacionalizar? Prof. Abdulah 3ºano/Pré- vesjbular Aulas 20 e 21 (SAS) Governos Entregar? Populistas Brasileiros (1946-1964) OU Prof. Abdulah 3ºano/Pré- vesjbular Aulas 20 e 21 (SAS) Nacionalizar? PRINCIPAIS PARTIDOS PSD (Par(do Social Democrá(co): Principal par*do. Criado

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

Texto para discussão. A Reforma Sindical e Trabalhista: as conclusões do FNT e as implicações para as MPE.

Texto para discussão. A Reforma Sindical e Trabalhista: as conclusões do FNT e as implicações para as MPE. Convênio: Fundação Economia de Campinas - FECAMP e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE Termo de Referência: Reforma Trabalhista e Políticas Públicas para Micro e Pequenas Empresas Texto

Leia mais

Juristas Leigos - Direito Humanos Fundamentais. Direitos Humanos Fundamentais

Juristas Leigos - Direito Humanos Fundamentais. Direitos Humanos Fundamentais Direitos Humanos Fundamentais 1 PRIMEIRAS NOÇÕES SOBRE OS DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS 1. Introdução Para uma introdução ao estudo do Direito ou mesmo às primeiras noções de uma Teoria Geral do Estado

Leia mais

A Negociação Sindical em Tempos de Pleno Emprego

A Negociação Sindical em Tempos de Pleno Emprego A Negociação Sindical em Tempos de Pleno Emprego Flávio Obino Filho www.obinoadvogados.com.br fof@obinoadvogados.com.br Papel do Facilitador Contextualizar a discussão, coordenar e incentivar o debate

Leia mais

EXPOSIÇÃO NO ENCONTRO INTERNACIONAL DO 39º CONGRESSO DA FEDERAÇÃO NACIONAL DAS INDÚSTRIAS QUÍMICAS DA FRANÇA CGT ÊLE DE RÉ, FRANÇA, 29.04.

EXPOSIÇÃO NO ENCONTRO INTERNACIONAL DO 39º CONGRESSO DA FEDERAÇÃO NACIONAL DAS INDÚSTRIAS QUÍMICAS DA FRANÇA CGT ÊLE DE RÉ, FRANÇA, 29.04. EXPOSIÇÃO NO ENCONTRO INTERNACIONAL DO 39º CONGRESSO DA FEDERAÇÃO NACIONAL DAS INDÚSTRIAS QUÍMICAS DA FRANÇA CGT ÊLE DE RÉ, FRANÇA, 29.04.2014 Boa tarde companheiras e companheiros, Primeiramente a Central

Leia mais

Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos

Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O DIÁLOGO SOCIAL NO BRASIL: O MODELO SINDICAL BRASILEIRO E A REFORMA SINDICAL Zilmara Davi de Alencar * Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos

Leia mais

L I N H A D O T E M P O. DA HISTÓRIA DO MOVIMENTO SINDICAL BRASILEIRO, COM FOCO NO MSTTR - agosto de 2006 -

L I N H A D O T E M P O. DA HISTÓRIA DO MOVIMENTO SINDICAL BRASILEIRO, COM FOCO NO MSTTR - agosto de 2006 - PRIMEIRO MÓDULO DO 1º CURSO DA ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO DA CONTAG L I N H A D O T E M P O DA HISTÓRIA DO MOVIMENTO SINDICAL BRASILEIRO, COM FOCO NO MSTTR - agosto de 2006-1 C O N T E X T O I N T E R

Leia mais

Nacional e internacional

Nacional e internacional Nacional e internacional Crise de 2008 Explosão do mercado imobiliário nos EUA (subprime) Colapso no sistema econômico mundial Quebradeira de bancos e grandes empresas Queda vertiginosa nas taxas de lucratividade

Leia mais

1 a Questão: (2,0 pontos) APRESENTAÇÃO

1 a Questão: (2,0 pontos) APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO Para dar uma definição compreensível de revolução, diremos que ela é uma tentativa de substituir o poder estabelecido por outro poder, usando meios ilegais. Esses meios, geralmente, implicam

Leia mais

Seminário Análise e Proposta do Modelo de Negociações Trabalhistas no Brasil ABINEE E ABIMAQ. São Paulo 15/07/2013

Seminário Análise e Proposta do Modelo de Negociações Trabalhistas no Brasil ABINEE E ABIMAQ. São Paulo 15/07/2013 Análise das relações trabalhistas no Brasil e em diferentes países Seminário Análise e Proposta do Modelo de Negociações Trabalhistas no Brasil ABINEE E ABIMAQ São Paulo 15/07/2013 1. Introdução 2. Estados

Leia mais

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR. Caderno 10» Capítulo 4. www.sejaetico.com.

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR. Caderno 10» Capítulo 4. www.sejaetico.com. CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR Caderno 10» Capítulo 4 www.sejaetico.com.br CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS A experiência democrática no Brasil (1945-1964)

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA SÉRIE PARLAMENTARES. Nesta série estão entrevistas com parlamentares federais e com um vereador.

APRESENTAÇÃO DA SÉRIE PARLAMENTARES. Nesta série estão entrevistas com parlamentares federais e com um vereador. APRESENTAÇÃO DA SÉRIE PARLAMENTARES Nesta série estão entrevistas com parlamentares federais e com um vereador. Entrevistas disponíveis até o momento: Adão Preto Alcides Modesto Ezídio Pinheiro Freitas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA EIXOS TEMÁTICOS: I. MUNDOS DO TRABALHO COMPETÊNCIA HABILIDADES CONTEÚDO -Compreender as relações de trabalho no mundo antigo, nas sociedades pré-colombianas e no mundo medieval.

Leia mais

RELAÇÕES DE TRABALHO DICIONÁRIO

RELAÇÕES DE TRABALHO DICIONÁRIO RELAÇÕES DE TRABALHO Conjunto de normas e princípios que regem a relação entre aquele que detém o poder de contratar outro para desenvolver determinada atividade e aquele que mobilizado para tal executa

Leia mais

PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE NA UNIVERSIDADE PÚBLICA BRASILEIRA

PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE NA UNIVERSIDADE PÚBLICA BRASILEIRA PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE NA UNIVERSIDADE PÚBLICA BRASILEIRA Carlos Eduardo Queiroz Pessoa Bacharel em Filosofia e Direito; Mestrando em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Campina Grande

Leia mais

As Centrais Sindicais e os temas trabalhistas

As Centrais Sindicais e os temas trabalhistas As Centrais Sindicais e os temas trabalhistas Vagner Freitas de Moraes I, Edson Carneiro Indio II e Antonio Neto III Aeditoria da revista Estudos Avançados convidou representantes de todas as centrais

Leia mais

Pré-História (600.000-4.000 a.c)

Pré-História (600.000-4.000 a.c) Pré Exame História HISTÓRIA GERAL Pré-História (600.000-4.000 a.c) Paleolítico - fogo - nômades - coletores REVOLUÇÃO do NEOLÍTICO agricultura e pecuária Neolítico - roda - produtores - sedentários Idade

Leia mais

O nascimento da sociologia. Prof. Railton Souza

O nascimento da sociologia. Prof. Railton Souza O nascimento da sociologia Prof. Railton Souza Áreas do Saber MITO RELIGIÃO ARTES FILOSOFIA CIÊNCIA SENSO COMUM CIÊNCIAS NATURAIS OU POSITIVAS ASTRONOMIA FÍSICA QUÍMICA BIOLOGIA MATEMÁTICA (FERRAMENTA

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

Tarefa Net 9º ano História. 2º Bimestre

Tarefa Net 9º ano História. 2º Bimestre Tarefa Net 9º ano História 2º Bimestre 1. Há 70 anos o mundo assistiu ao começo da Guerra Civil Espanhola, cujo saldo de 600 mil mortos provocou comoção internacional, mas não evitou a instalação de uma

Leia mais

Resenha. De forma sintética e competente, faz uma reconstituição histórica desde os processos de colonização que marcaram as sociedades latino-

Resenha. De forma sintética e competente, faz uma reconstituição histórica desde os processos de colonização que marcaram as sociedades latino- Revista Latino-americana de Estudos do Trabalho, Ano 17, nº 28, 2012, 229-233 Resenha O Continente do Labor, de Ricardo Antunes (São Paulo, Boitempo, 2011) Graça Druck A iniciativa de Ricardo Antunes de

Leia mais

Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não

Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não Por que esta cartilha? Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não foram concessões patronais ou de governos, como os patrões tentam nos fazer parecer. A história da classe trabalhadora

Leia mais

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS PLANILHA DE PACTUAÇÃO DAS - TCG Data da Validação: 31/03/2010 Data da Homologação: 12/04/2010 Revisão Nº:001 Pedido de Revisão: 30/03/2010 Portaria: 2.846 Data da Publicação: 25/11/2008 Estado: ESPIRITO

Leia mais

Perspectivas do Direito Sindical no Brasil. João de Lima Teixeira Filho

Perspectivas do Direito Sindical no Brasil. João de Lima Teixeira Filho Porto Alegre, Maio de 2014 Modelos de Relações Coletivas de Trabalho: 4 elementos Estado Sindicato NC Meios de Solução dos Conflitos Modelos de Relações Coletivas de Trabalho: 4 elementos Estado Sindicato

Leia mais

A estrutura social e as desigualdades

A estrutura social e as desigualdades 3 A estrutura social e as desigualdades As desigualdades sociais instalaram-se no Brasil com a chegada dos portugueses. Os povos indígenas foram vistos pelos europeus como seres exóticos e ainda hoje são

Leia mais

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu:

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: Art. 37º... VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO (2014)

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO (2014) 1º SEMESTRE 1 História e Institutos Jurídicos 4 80 2 Informática Aplicada ao Direito 4 80 3 Linguagem Jurídica 4 80 4 Ciência Política e TGE 4 80 5 Teoria Geral do Direito 4 80 6 Iniciação à Pesquisa Científica

Leia mais

O PROFISSIONAL CONTÁBIL NA FUNÇÃO DE DEPARTAMENTO DE PESSOAL: diminuindo as possibilidades de conflitos trabalhistas

O PROFISSIONAL CONTÁBIL NA FUNÇÃO DE DEPARTAMENTO DE PESSOAL: diminuindo as possibilidades de conflitos trabalhistas O PROFISSIONAL CONTÁBIL NA FUNÇÃO DE DEPARTAMENTO DE PESSOAL: diminuindo as possibilidades de conflitos trabalhistas RESUMO Fabrício Oliveira Silva* A necessidade das empresas de contratar pessoas, as

Leia mais

Cuida das relações coletivas de trabalho, onde os interesses cuidados são os de um grupo social. São instituições do direito coletivo do trabalho:

Cuida das relações coletivas de trabalho, onde os interesses cuidados são os de um grupo social. São instituições do direito coletivo do trabalho: Legislação Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 38 DIREITO COLETIVO DO TRABALHO Cuida das relações coletivas de trabalho, onde os interesses cuidados são os de um grupo social. São instituições

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS - HISTÓRIA 8º Ano Turma A ANO LECTIVO 2011/2012 Disciplina 1º Período Nº de aulas previstas 38

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL CRISTINA LUNA. Direitos e Garantias Fundamentais Sociais (Arts. 6º ao 11)

DIREITO CONSTITUCIONAL CRISTINA LUNA. Direitos e Garantias Fundamentais Sociais (Arts. 6º ao 11) Direitos e Garantias Fundamentais Sociais (Arts. 6º ao 11) (1) Art. 6º - São direitos sociais a educação a saúde a alimentação EC 64/2010 o trabalho a moradia EC 26/2000 o lazer a segurança a previdência

Leia mais

DESENVOLVIMENTO CAPITALISTA E AS PARTICULARIDADES DA FORMAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO

DESENVOLVIMENTO CAPITALISTA E AS PARTICULARIDADES DA FORMAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO DESENVOLVIMENTO CAPITALISTA E AS PARTICULARIDADES DA FORMAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO Silmai Lazaro Neves Dutra 1 Emilia Oliveira Rodrigues 2 Douglas Ribeiro Barboza 3 RESUMO: O desenvolvimento do capitalismo

Leia mais

História Fascículo 03 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli

História Fascículo 03 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli História Fascículo 03 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli Índice História do Brasil Política trabalhista na República Velha e na Era Vargas... 1 Exercícios...2 Gabarito...5 História

Leia mais

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Faculdade Curso Disciplina Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos DTLS - Direito do Trabalho e Legislação Social Período Letivo 2013 - Anual

Leia mais

Liderança Sindical Empresarial ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012

Liderança Sindical Empresarial ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 Liderança Sindical Empresarial ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AL000123/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023370/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46201.002929/2011-79 DATA DO

Leia mais

50 ANOS DO GOLPE MILITAR

50 ANOS DO GOLPE MILITAR 50 ANOS DO GOLPE MILITAR (1964-1985) Prof. Dr. Rogério de Souza CAUSAS Guerra Fria Contexto Internacional: Construção do Muro de Berlim (1961) Cuba torna-se Socialista (1961) Crise dos Mísseis (1962) CAUSAS

Leia mais

1º ano CULTURA, DIVERSIDADE E SER HUMANO TRABALHO, CONSUMO E LUTAS POR DIREITOS

1º ano CULTURA, DIVERSIDADE E SER HUMANO TRABALHO, CONSUMO E LUTAS POR DIREITOS 1º ano Estudo da História Estudo da História O Brasil antes dos portugueses América antes de Colombo Povos indígenas do Brasil A colonização portuguesa A colonização europeia na América Latina Introdução:

Leia mais

Bresser- Pereira: O carro na frente dos bois

Bresser- Pereira: O carro na frente dos bois Bresser- Pereira: O carro na frente dos bois Entrevista de Luiz Carlos Bresser- Pereira a Hélio Batista Barboza em 2006 e revisada em 2014. Destinava- se a uma publicação sobre a história da administração

Leia mais

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes Africana: África como berço da humanidade Capítulo 1: Item 1 Européia Capítulo 1: Item 2 Asiática Capítulo 1: Item 2 Americana Capítulo 1: Item 3 Arqueologia Brasileira Capítulo 1: Item 4 A paisagem e

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS 1ª pergunta: Quem paga a Contribuição Sindical Urbana CSU (imposto sindical)? a) Os profissionais liberais, entre

Leia mais

REFORMA SINDICAL: PORTA PRINCIPAL PARA A TÃO FALADA REFORMA TRABALHISTA.

REFORMA SINDICAL: PORTA PRINCIPAL PARA A TÃO FALADA REFORMA TRABALHISTA. REFORMA SINDICAL: PORTA PRINCIPAL PARA A TÃO FALADA REFORMA TRABALHISTA. INTRODUÇÃO Recentemente o Governo Federal, por seu Ministro do Trabalho e Emprego, Ricardo Berzoini, um mineiro de Juiz de Fora

Leia mais

1º ano. 1) Relações de Trabalho, Relações de Poder...

1º ano. 1) Relações de Trabalho, Relações de Poder... Liberdade, propriedade e exploração. A revolução agrícola e as relações comerciais. Capítulo 1: Item 5 Relações de trabalho nas sociedades indígenas brasileiras e americanas. Escravidão e servidão. Divisão

Leia mais

ELEIÇÃO PARA A DIRETORIA DA ADUFCG, NO PERÍODO 2015-2017 CHAPA ADUFCG: DE LUTA E PELA BASE CARTA PROGRAMA

ELEIÇÃO PARA A DIRETORIA DA ADUFCG, NO PERÍODO 2015-2017 CHAPA ADUFCG: DE LUTA E PELA BASE CARTA PROGRAMA 1 ELEIÇÃO PARA A DIRETORIA DA ADUFCG, NO PERÍODO 2015-2017 CHAPA ADUFCG: DE LUTA E PELA BASE CARTA PROGRAMA O processo eleitoral para a renovação da Diretoria da ADUFCG, para o período 2015-2017, ocorre

Leia mais

Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. NÚMERO 13 Fev/2006

Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. NÚMERO 13 Fev/2006 Fundo de Garantia por Tempo de Serviço NÚMERO 13 Fev/2006 Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) O regime de trabalho vigente entre os anos 40 e 60 garantia estabilidade do trabalhador no emprego

Leia mais

A dúvida da consulente diz respeito à contribuição prevista na Consolidação das Leis do Trabalho: (grifou-se)

A dúvida da consulente diz respeito à contribuição prevista na Consolidação das Leis do Trabalho: (grifou-se) IMPOSTO SINDICAL SERVIDOR ESTATUTÁRIO Autoria: Sidnei Di Bacco Advogado Deve ser descontado dos servidores estatutários a contribuição sindical prevista na CLT? Existem, ao menos, quatro espécies de contribuições

Leia mais

HISTÓRIA Vestibular UFU 1ª Fase 05 Junho 2011

HISTÓRIA Vestibular UFU 1ª Fase 05 Junho 2011 QUESTÃO 11 Sobre o movimento de guerrilha Exercito Zapatista de liberação Nacional (EZLN), organizado em 1994, no estado de Chiapas, um dos mais pobres do México, assinale a alternativa correta. A) A relação

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império Introdução aos estudos de História - fontes históricas - periodização Pré-história - geral - Brasil As Civilizações da Antiguidade 1º ano Introdução Capítulo 1: Todos os itens Capítulo 2: Todos os itens

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DE CARGA HORÁRIA POR PERÍODO LETIVO (A CARGA HORÁRIA APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS)

MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DE CARGA HORÁRIA POR PERÍODO LETIVO (A CARGA HORÁRIA APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS) MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DE POR PERÍODO LETIVO (A APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS) PRIMEIRO SEMESTRE Análise de Jurisprudência I 40 2 Ciência Política I 40 2 Direito

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CIÊNCIAS HUMANAS 3º ANO FILOSOFIA FILOSOFIA NA HISTÓRIA

Leia mais

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA Os últimos anos da República Velha Década de 1920 Brasil - as cidades cresciam e desenvolviam * Nos grandes centros urbanos, as ruas eram bem movimentadas, as pessoas

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO As Políticas Públicas de Emprego no Brasil Evolução das Políticas Públicas de Emprego 1912 1918 1923 1930 1932 1943 Década de 40 1946 Constituição Criação do da Departamento Confederação Nacional do Brasileira

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ( Aprovados em Conselho Pedagógico de 15 outubro de 2013 ) No caso específico da disciplina de História e Geografia de Portugal, do 6ºano de escolaridade, a avaliação

Leia mais

REFORMA TRABALHISTA EM UM CONTEXTO DE INTEGRAÇÃO HEMISFÉRICA: O CASO DO BRASIL

REFORMA TRABALHISTA EM UM CONTEXTO DE INTEGRAÇÃO HEMISFÉRICA: O CASO DO BRASIL REFORMA TRABALHISTA EM UM CONTEXTO DE INTEGRAÇÃO HEMISFÉRICA: O CASO DO BRASIL (LABOR REFORM IN THE CONTEXT OF HEMISPHERIC INTEGRATION: THE BRAZILIAN CASE) Trabalho apresentado em: SEC 13 - Labor Studies

Leia mais

Acordo Coletivo de Trabalho com Propósito Específico é a negação dos direitos trabalhistas.

Acordo Coletivo de Trabalho com Propósito Específico é a negação dos direitos trabalhistas. Acordo Coletivo de Trabalho com Propósito Específico é a negação dos direitos trabalhistas. Entrevista com Graça Druck "A proteção social e a garantia dos direitos através da legislação e das instituições

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA A ERA VARGAS-1930-1945

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA A ERA VARGAS-1930-1945 EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA A ERA VARGAS-1930-1945 01) Sobre o Estado Novo (1937-1945), é incorreto afirmar que: a) Foi caracterizado por um forte intervencionismo estatal. b) Criou órgãos de censura

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS LIDERANÇA SINDICAL EMPRESARIAL 1º SEMESTRE DE 2015 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944 com o objetivo de preparar profissionais bem qualificados

Leia mais

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas.

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas. Olá, Professor! Assim como você, a Geekie também tem a missão de ajudar os alunos a atingir todo seu potencial e a realizar seus sonhos. Para isso, oferecemos recomendações personalizadas de estudo, para

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA EIXOS TEMÁTICOS HABILIDADES/ COMPETÊNCIAS TEMAS/ CONTEÚDO - Compreender a diversidade do trabalho em sociedades que se baseiam nas relações sociais compulsórias e nas de

Leia mais

Participação dos empregados em lucros e resultados da empresa como instrumento de aumento da produtividade 1

Participação dos empregados em lucros e resultados da empresa como instrumento de aumento da produtividade 1 Participação dos empregados em lucros e resultados da empresa como instrumento de aumento da produtividade 1 Paulo Paiva Introdução Talvez a principal característica do processo de desenvolvimento do Brasil

Leia mais

REFORMAS DO ESTADO, RELAÇÕES DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO E NEGOCIAÇÃO COLETIVA

REFORMAS DO ESTADO, RELAÇÕES DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO E NEGOCIAÇÃO COLETIVA Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 REFORMAS DO ESTADO, RELAÇÕES DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO E NEGOCIAÇÃO COLETIVA Pedro Armengol de Souza 2 Painel 35/127 Negociação

Leia mais

Resolução da Questão 1 Item I Texto definitivo. Resolução da Questão 1 Item II Texto definitivo. Faça o que se pede a seguir, nos itens I e II.

Resolução da Questão 1 Item I Texto definitivo. Resolução da Questão 1 Item II Texto definitivo. Faça o que se pede a seguir, nos itens I e II. Questão Faça o que se pede a seguir, nos itens I e II. I II Explique a forma de atuação dos órgãos proprioceptores. [valor: 0,0 ponto] Descreva duas funções básicas dos órgãos proprioceptores.

Leia mais

Uma Internet livre das amarras e dependências de países como os EUA

Uma Internet livre das amarras e dependências de países como os EUA www.sindpd-df.org.br / sindicato@sindpd-df.org.br 9912154457/2006-DR.BSB SINDPD-DF Filiado à e à FENADADOS Jornal do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados do DF sindpddf.sindpddf.7 Edição

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2012.

PROJETO DE LEI N.º, DE 2012. PROJETO DE LEI N.º, DE 2012. (Do Sr. Irajá Abreu) Altera a redação do art. 611 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovado pelo Decreto-lei nº 5452, de 1º de maio de 1943, para dispor sobre a eficácia

Leia mais

Direitos no Brasil: necessidade de um choque de cidadania

Direitos no Brasil: necessidade de um choque de cidadania Direitos no Brasil: necessidade de um choque de cidadania Venceslau Alves de Souza Doutorando no Programa de Ciências Sociais da PUC-SP e Mestre em Ciências Sociais 164 Como sugere o título, Cidadania

Leia mais

China 1. Antes de 1949: a. História de ciclos economicos prosperidade e crise dinastias: a cada dinastia há momentos de auge e de crise, sendo que

China 1. Antes de 1949: a. História de ciclos economicos prosperidade e crise dinastias: a cada dinastia há momentos de auge e de crise, sendo que China 1. Antes de 1949: a. História de ciclos economicos prosperidade e crise dinastias: a cada dinastia há momentos de auge e de crise, sendo que nos momentos de crise, a China acaba perdendo território.

Leia mais

FORMAÇÃO PARA CONSELHEIROS DE DIREITOS. www.institutocultiva.com.br www.rudaricci.com.br

FORMAÇÃO PARA CONSELHEIROS DE DIREITOS. www.institutocultiva.com.br www.rudaricci.com.br FORMAÇÃO PARA CONSELHEIROS DE DIREITOS www.institutocultiva.com.br www.rudaricci.com.br CIDADANIA E PARTICIPAÇÃO Cidadania é o conjunto de DIREITOS: Civis (individuais, em que todos são indivíduos livres

Leia mais

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL. Geografia Leituras e Interação

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL. Geografia Leituras e Interação Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL Geografia Leituras e Interação 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para ser uma ferramenta útil à análise e

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

A CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO DURANTE A REFORMA PROTESTANTE, A TRADUÇÃO DA BÍBLIA E A FUNÇÃO DOS HINOS NO ENSINO POPULAR RESUMO

A CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO DURANTE A REFORMA PROTESTANTE, A TRADUÇÃO DA BÍBLIA E A FUNÇÃO DOS HINOS NO ENSINO POPULAR RESUMO A CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO DURANTE A REFORMA PROTESTANTE, A TRADUÇÃO DA BÍBLIA E A FUNÇÃO DOS HINOS NO ENSINO POPULAR Autor: CERQUEIRA, Roberta da Matta. Orientador: OLIVEIRA, Ranieri Carli de. A idade média

Leia mais

S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8

S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8 S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8 ADICIONAL DE INSALUBRIDADE. MUDANÇA DA BASE DE CÁLCULO. Doravante as empresas deverão estar atentas à questão envolvendo o pagamento do adicional de

Leia mais

Impedimento a novo emprego. Luiz Salvador; Luciana Cury Calia. promove@onda.com.br

Impedimento a novo emprego. Luiz Salvador; Luciana Cury Calia. promove@onda.com.br Impedimento a novo emprego Luiz Salvador; Luciana Cury Calia promove@onda.com.br Profissionais da saúde integrantes de grupo de trabalho do INSS admitem riscos prejudicais ao trabalhador lesionado na obtenção

Leia mais

Para acessar a resolução dos exercícios, assista ao vídeo desta aula na seção vídeosdeaaz Aulas Online Campanhas Aulas EQUERJ no site do _A_Z.

Para acessar a resolução dos exercícios, assista ao vídeo desta aula na seção vídeosdeaaz Aulas Online Campanhas Aulas EQUERJ no site do _A_Z. H0071 Para acessar a resolução dos exercícios, assista ao vídeo desta aula na seção vídeosdeaaz Aulas Online Campanhas Aulas EQUERJ no site do _A_Z. 1. O diálogo a seguir circunscreve-se à realidade política

Leia mais

25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres. Carta de Brasília

25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres. Carta de Brasília Anexo VI 25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres Carta de Brasília Na véspera do Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres nós, trabalhadoras dos

Leia mais

Quero também cumprimentar a Mesa e, em nome da Central Única dos

Quero também cumprimentar a Mesa e, em nome da Central Única dos A IMPORTÂNCIA DA CONVENÇÃO Nº 158 DA OIT PARA O TRABALHADOR BRASILEIRO Arthur Henrique * Quero também cumprimentar a Mesa e, em nome da Central Única dos Trabalhadores, agradecer ao Tribunal Superior do

Leia mais

CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA NO BRASIL 1880-1980. Vito Giannotti

CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA NO BRASIL 1880-1980. Vito Giannotti CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA NO BRASIL 1880-1980 Vito Giannotti 1 CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA NO BRASIL 1880-1980 INFORMAR CULTURA & EDUCAÇÃO POPULAR 2 CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA

Leia mais

BOLETIM - ANO III Nº 107. Rio de Janeiro, 31 de Janeiro de 2013

BOLETIM - ANO III Nº 107. Rio de Janeiro, 31 de Janeiro de 2013 BOLETIM - ANO III Nº 107 Rio de Janeiro, 31 de Janeiro de 2013 CNPL DISCUTE COM SINDICATOS DE PROFISSIONAIS LIBERAIS O IMPACTO DO NEOLIBERALISMO NO MOMENTO ECONÔMICO ATUAL Carlos Alberto (pres. CNPL),

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social O tempo e a espera Ministro fala de projetos em andamento e ações do governo para a área educacional Entrevista do ministro publicada na Revista Educação no dia 26 de maio de 2004. Tarso Genro é considerado

Leia mais

1. Em relação ao trabalho da mulher, assinale a alternativa correta:

1. Em relação ao trabalho da mulher, assinale a alternativa correta: P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO DO TRABALHO 1. Em relação ao trabalho da mulher, assinale a alternativa correta: a) A licença maternidade da empregada contratada por uma empresa

Leia mais

A Gazeta (ES) 27/10/03 Conferência das Cidades chega ao fim com eleição de conselho

A Gazeta (ES) 27/10/03 Conferência das Cidades chega ao fim com eleição de conselho A Gazeta (ES) 27/10/03 Conferência das Cidades chega ao fim com eleição de conselho Brasília - A 1º Conferência Nacional das Cidades terminou ontem, no Minas Tênis Clube, em Brasília, com a escolha dos

Leia mais

Fim do fator previdenciário para quem atingir a. fórmula 95 para homens e 85 para mulheres.

Fim do fator previdenciário para quem atingir a. fórmula 95 para homens e 85 para mulheres. Fim do fator previdenciário para quem atingir a fórmula 95 para homens e 85 para mulheres. Pelas regras atuais, um trabalhador precisa ter 35 anos de contribuição e 63 anos e quatro meses de idade para

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2001 IEL/DF - INSTITUTO EUVALDO LODI SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2001 IEL/DF - INSTITUTO EUVALDO LODI SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2001 IEL/DF - INSTITUTO EUVALDO LODI SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO QUE ENTRE SI, CELEBRAM O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DE FORMAÇÃO

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

Imperialismo dos EUA na América latina

Imperialismo dos EUA na América latina Imperialismo dos EUA na América latina 1) Histórico EUA: A. As treze colônias, colonizadas efetivamente a partir do século XVII, ficaram independentes em 1776 formando um só país. B. Foram fatores a emancipação

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa Conteúdo: A Revolução Francesa Habilidades: Reconhecer nas origens e consequências da Revolução Francesa de 1789, os elementos fundamentais da formação política e social contemporânea para a história contemporânea.

Leia mais

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas BANCÁRIOS Uma História marcada por lutas e conquistas 1 932 18/04/1932 1ª Greve dos Bancários Iniciada em Santos, formada por funcionários do Banco Banespa que reivindicavam melhorias salariais e das condições

Leia mais

PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS

PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS Data: 14/11/2014 Local: Sede da Fenasps Estados presentes: MG- SP- PR- RS- ES- SC- RN- CE e Oposição da BA e do DF. Nº de participantes: 65 Delegados e 10 Observadores

Leia mais

INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DO DIREITO DO TRABALHO

INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DO DIREITO DO TRABALHO INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DO DIREITO DO TRABALHO Antonio Rodrigues de Freitas Jr. Prof. Associado da Faculdade de Direito da USP Largo de São Francisco Mestre, Doutor e Livre-Docente pela USP e-mail arfreit@usp.br

Leia mais

Banco do Brasil. Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP. http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/

Banco do Brasil. Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP. http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Banco do Brasil Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da apresentação 2 Evolução histórica do Banco do Brasil Descontinuidades nos 200

Leia mais

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Disciplina de História Ano:8º Temas Conteúdos Conceitos E : Expansão e Mudança

Leia mais

Em Foco CCENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES. Jornal do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, Setembro de 2012 - ano XII - nº 05

Em Foco CCENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES. Jornal do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, Setembro de 2012 - ano XII - nº 05 R Em Foco UT BRASIL CCENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES CUT Jornal do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, Setembro de 2012 - ano XII - nº 05 Em Foco 02 setembro/2012 Greve surte efeito Chega

Leia mais

DISCUTINDO A MUDANÇA DE PARADIGMA NA ATUAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES SINDICAIS DE TRABALHADORES RURAIS

DISCUTINDO A MUDANÇA DE PARADIGMA NA ATUAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES SINDICAIS DE TRABALHADORES RURAIS DISCUTINDO A MUDANÇA DE PARADIGMA NA ATUAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES SINDICAIS DE TRABALHADORES RURAIS PAULO AGUIAR DO MONTE; ANA ELIZABETE DA S. PEREIRA; UFPB JOAO PESSOA - PB - BRASIL pauloaguiardomonte@gmail.com

Leia mais

O TRABALHO NAS MEGACIDADES DO MUNDO EM DESENVOLVIMENTO

O TRABALHO NAS MEGACIDADES DO MUNDO EM DESENVOLVIMENTO O TRABALHO NAS MEGACIDADES DO MUNDO EM DESENVOLVIMENTO Cássio Casagrande A desordem urbana é o traço característico das megacidades dos países em desenvolvimento. Habitações precárias, falta de saneamento

Leia mais