Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada ISSN: Universidade Federal da Paraíba Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada ISSN: 1519-0501 apesb@terra.com.br Universidade Federal da Paraíba Brasil"

Transcrição

1 Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada ISSN: Universidade Federal da Paraíba Brasil POI, Wilson Roberto; Almeida LAWALL, Melaine de; SIMONATO, Luciana Estevam; Greves GIOVANINI, Ellen; PANZARINI, Sônia Regina; PEDRINI, Denise Onze anos de avaliação dos planos de tratamento e tratamentos realizados pela disciplina de clínica integrada, faculdade de odontologia de araçatuba - UNESP Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, vol. 6, núm. 3, septiembre-diciembre, 2006, pp Universidade Federal da Paraíba Paraíba, Brasil Disponível em: Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe, Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto

2 Wilson Roberto POI* Melaine de Almeida LAWALL** Luciana Estevam SIMONATO*** Ellen Greves GIOVANINI*** Sônia Regina PANZARINI**** Denise PEDRINI**** Objetivo: A proposta desse trabalho é avaliar os planos de tratamento desenvolvidos e os tratamentos realizados pelos alunos da disciplina de Clínica Integrada da Faculdade de Método: Os dados foram coletados dos 1287 prontuários de pacientes atendidos pela disciplina nesse período, organizados em formulários próprios e tabulados. Resultados: Dentre as principais necessidades odontológicas observadas destacaram-se o preparo básico periodontal (84,61%) e as próteses fixas (50,89% unitárias, 27,04% 3 elementos). Em meio aos tratamentos, os mais realizados foram: restaurações de resina composta (15,55%), amálgama (7,70%) e raspagem corono-radicular (12,33%). Conclusão: Com base nos resultados, foi possível concluir que os planos de tratamento desenvolvidos na disciplina de Clínica Integrada apresentam uma seqüência lógica que possibilita um tratamento mais racional e que os tratamentos realizados cumpriram o que foi proposto nos planos, a despeito das alterações provocadas pelas dificuldades financeiras dos pacientes. Objective: The aim of this work was to evaluate the treatment plans and the treatments accomplished by the discipline of Integrated Clinic, Araçatuba Dental School - UNESP, from 1993 to Method: Date were collected from 1287 patient records who were treated by the department during that period of time, and organized in specific form to be analyzed. Results: Among the main dental needs detected it was possible to show up periodontal basic procedures (84.61%) and fixed prosthesis (50.89% units, 27.04% 3 elements). In the middle of developed treatments, the most unfolded were: resin (15.55%), amalgam (7.70%) and periodontal scaling (12.33%). Conclusion: Based on the results, it was possible to conclude that plans of treatment developed in the discipline of integrated clinic present a logical sequence, that it makes possible a more rational treatment and that the treatments accomplished what was proposed in the plans, despite of changes due to patient's economic problems. Assistência odontológica integral; Prática geral de odontologia; Odontologia. Comprehensive dental care; Dental general practice; Dentistry. * Professor Adjunto do Departamento de Cirurgia e Clínica Integrada da Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP), Araçatuba/SP, Brasil. ** Professora Substituta das Disciplinas de Patologia Geral e Bucal da Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP), Araçatuba/SP, Brasil. *** Aluna do Curso de Mestrado em Estomatologia da Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP), Araçatuba/SP, Brasil. **** Professora Assistente Doutora do Departamento de Cirurgia e Clínica Integrada da Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP),

3 O diagnóstico e o plano de tratamento são aspectos integrantes da prática odontológica diária. Esses procedimentos levam o clínico a avaliar seus pacientes e suas atitudes, aspirações e medos, a fim de alcançar decisões racionais no que diz respeito à organização da condição dental comprometendo-se a prover os melhores cuidados aos seus pacientes (BURKE; WILSON, 1994). O exame do paciente é um passo básico e muito importante para o plano de tratamento. É impossível diagnosticar corretamente de uma forma consistente e desenvolver um plano de tratamento adequado se o exame for falho ou incompleto (WOOD, 1983). Segundo Genovese (1985) e Castro (2000), o objetivo fundamental do exame do paciente é a elaboração do diagnóstico, para a aplicação correta do planejamento terapêutico. Coleman e Nelson (1996) afirmam que o plano de tratamento é a elaboração de uma estratégia para resolver o maior número possível de problemas odontológicos, sendo a etapa final do processo de diagnóstico antes de começar o tratamento efetivo. É o projeto para o direcionamento do caso, incluindo todos os procedimentos necessários para o estabelecimento e manutenção da saúde bucal (CARRANZA JUNIOR; NEWMAN, 1997). Um resultado bem sucedido dependerá da sistemática análise do profissional a partir das queixas dos pacientes e das condições bucais apresentadas a fim de alcançar um diagnóstico e desenvolver uma estratégia de tratamento apropriada. Isso inclui observações subjetivas (paciente) e objetivas (dentista) e a aplicação de conhecimento e experiência que compõem o conhecimento clínico (HOCOTT, 1984). A habilidade de desenvolver um plano de tratamento é o fator chave que separa o técnico do profissional (HOCOTT, 1984). Muitas estratégias potenciais para planejar o tratamento existem e são influenciadas por uma grande variedade de fatores relacionados ao paciente e ao dentista. A combinação dessas estratégias com uma aproximação flexível e a adoção de uma filosofia de tratamento de longo prazo pode resultar em planos de tratamento nos quais tanto o operador quanto o paciente sentir-se-ão confortáveis e serão beneficiados (BURKE; WILSON, 1994). Exceto pelas urgências, nenhum tratamento deve ser iniciado até que o plano de tratamento esteja estabelecido (CARRANZA JUNIOR; NEWMAN, 1997). Freqüentemente o cirurgião-dentista considera uma das opções de tratamento como ideal e as demais como aceitáveis. Entretanto, nem sempre é possível para o paciente submeter-se a opção ideal de tratamento. Isso ocorre principalmente devido aos custos do tratamento (PERAZA, 1990; ALMEIDA et al. 2003). É evidente que diferentes alternativas de tratamento não possuirão o mesmo prognóstico. É provável que a opção ideal de tratamento tenha uma durabilidade maior. Enquanto planos alternativos devem ser apresentados, os resultados esperados pelo paciente e profissional podem sofrer algumas alterações (CHARBENEAU et al., 1988; CRAWFORD, 2004). Caberá ao profissional desenvolver um tratamento completo, inteligente e consciencioso, que só será possível através de um diagnóstico correto e determinação de um plano de tratamento adequado, detalhado e completo (SAMPAIO, 1987). Segundo Botero (1963) a disciplina de Clínica Integrada teria como uma de suas funções tornar o aluno familiarizado com o plano de tratamento. Da mesma maneira, Restrepo (1969) e Poi et al. (1997) afirmaram que a disciplina de Clínica Integrada deve levar o aluno ao aprimoramento técnico e, além disso, deve oferecer condições para que os futuros profissionais tenham como elaborar, após um correto diagnóstico, planos de tratamento globais, formando um profissional diferenciado capaz de resolver integralmente o caso, restabelecendo a saúde do paciente. A habilidade de planejar e prover tratamento são as principais responsabilidades e qualidades primárias requeridas do clínico, atributos que devem ser norteados e alcançados por conhecimento e experiência crescentes pela educação e aplicação continuada (BURKE; WILSON, 1994). A disciplina de Clínica Integrada, como sistema educacional, deve propiciar através do processo ensino-aprendizagem a integração dos conhecimentos, habilidades e valores adquiridos pelos alunos ao longo do curso proporcionando ao paciente uma atenção odontológica global das necessidades evidenciadas (PADILHA et al., 1995). Além de ter importância destacada na obtenção dessas habilidades, ter cumprido esta função, de acordo com a opinião dos cirurgiões-dentistas (PANZARINI et al., 2001; POI et al., 2003) e de formar profissionais capazes de elaborar vários planos de tratamento para um mesmo caso clínico (POI et al., 2005). A proposta desse trabalho é avaliar onze anos de planos de tratamento apresentados e os tratamentos realizados pelos alunos da disciplina de Clínica Integrada da Faculdade de Odontologia de Araçatuba, UNESP, no período de 1993 a Para o presente estudo foram avaliados os prontuários de 1287 pacientes que freqüentaram a

4 Odontologia de Araçatuba no período de 1993 a Os dados foram coletados da ficha utilizada pela disciplina e registrados em fichas elaboradas para o registro dos planos de tratamento desenvolvidos e dos tratamentos realizados. Os dados foram analisados e os resultados tabulados e apresentados sob a forma de gráficos e tabelas. Os planos de tratamento envolveram todas as especialidades, abrangendo procedimentos desde raspagem e polimento dentário a problemas oclusais. Nos 1287 prontuários analisados, com os seus respectivos planos de tratamento definitivos, observouse a indicação de preparo básico periodontal em 84,61% deles; de exodontias em 37,76%; de restaurações de resina em 81,2% e de amálgama em 59,83% (Tabela 1). Nos mesmos 1287 prontuários foram realizados 5919 procedimentos sendo que 15,55% deles foram restaurações de resina composta; 7,70% de restaurações de amálgama; 12,33% corresponderam a raspagem corono-radicular e apenas 5,40% envolviam endodontia de uniradiculares (Tabela 2). Tabela 1. Planos de tratamento realizados pelos alunos da PLANOS PROPOSTOS TOTAL % Preparo básico periodontal ,60% Procedimento cirúrgico periodontal ,33% Exodontia ,76% Endodontia unirradicular ,85% Endodontia birradicular ,75% Endodontia multirradicular ,67% Retratamento endodôntico ,41% Restauração de resina ,20% Restauração de amálgama ,80% PPR superior ,80% PPR inferior ,10% PPF unitária ,90% PPF 3 elementos ou mais ,00% PT superior 59 4,58% PT inferior 15 1,16% Provisório 24 1,86% Ortodontia 32 2,48% Oclusão 31 2,40% TOTAL DE PROCEDIMENTOS ,65%* *A porcentagem é superior a 100,0% porque para um mesmo paciente mais de um procedimento foi planejado. Tabela 2. Procedimentos realizados pelos alunos da TIPOS DE PROCEDIMENTOS TOTAL % Raspagem corono-radicular ,88% Retalho de Widman modificado 55 0,90% Gengivectomia/gengivoplastia 60 1,00% Cirurgia para aumento de coroa clínica 83 1,40% Cunha distal 41 0,70% Cunha interproximal 64 1,10% Aplicação tópica de flúor 118 2,00% Exodontia simples 425 7,20% Exodontia por seccionamento 46 0,80% Exodontia por osteotomia (incluso) 6 0,10% Cirurgia com finalidade protética 23 1,40% Pulpotomia 32 0,50% Tratamento endodôntico unirradicular 320 5,40% Tratamento endodôntico birradicular 172 2,90% Tratamento endodôntico multirradicular 176 3,00% Clareamento 23 0,40% Restaurações de amálgama 454 7,70% Retratamento endodôntico 122 2,20% Restaurações de resina composta ,55% Facetas de porcelana 2 0,03% Amálgama com pino 4 0,06% Cimento de ionômero de vidro 197 3,30% Resina composta com pino 32 0,50% Inlay 2 0,03% Onlay 17 0,30% Moldagem (com finalidade protética) 494 8,30% Provisório (elementos) 431 7,30% Restauração metálica fundida 1 0,02% Núcleos metálicos 269 4,50% Núcleo de fibra de carbono 16 0,30% Overdenture 2 0,03% Prótese adesiva direta 12 0,20% Prótese adesiva indireta 8 0,10% Prótese parcial fixa (elementos) 198 3,30% Prótese parcial removível 155 2,60% Prótese parcial removível (provisória) 84 1,40% Prótese total imediata 6 0,10% Prótese total 26 0,40% Prótese (reembasamento) 15 0,20% Pequenos movimentos ortodônticos 13 0,20% Tracionamento 42 0,70% TOTAL DE PROCEDIMENTOS ,00% A Figura 1 mostra a porcentagem de procedimentos indicados em relação ao número total de planos de tratamento definitivos encontrados nos 1287 prontuários avaliados. A Figura 2 apresenta a porcentagem, em relação à somatória total (5919), de procedimentos mais freqüentemente realizados.

5 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 84,60% 37,76% 81,20% 59,80% Preparo básico periodontal Restauração de resina composta PPR superior PPF unitário 46,10% 34,80% 50,90% 27,00% Exodontia simples Restauração de amálgama PPR inferior PPF 3 elementos ou mais Figura 1. Porcentagem de procedimentos indicados em relação ao número total de planos de tratamento definitivos encontrados nos 1287 prontuários avaliados no período de 1993 a % 16% 14% 12% 10% 8% 6% 4% 2% 0% 12,88% Raspagem Endo uniradicular Resina composta Provisórios 15,55% 8,30% 7,20% 7,70% 7,30% 5,40% Exodontia simples Amálgama Moldagem de prótese Figura 2. Procedimentos mais freqüentes em relação à somatória de tratamentos realizados pelos alunos da Considerando as medidas curativas afeitas à prática odontológica, uma das funções básicas da Clínica Integrada é formar profissionais capazes de elaborar vários planos de tratamento, integrados, para um mesmo caso clínico e, ao mesmo tempo, realizar grande parte desse tratamento proposto (POI et al., 1997; POI et al., 2005). Fato que parece estar sendo alcançado, segundo relatos dos próprios profissionais (POI et al., 2003). A partir do exame adequado é possível alcançar um diagnóstico correto que vai dar origem a um plano de tratamento detalhado e completo (WOOD, 1983; GENOVESE, 1985; SAMPAIO, 1987; CASTRO, 2000). O atendimento na Clínica Integrada não é diferente e, além disso, prioriza as necessidades urgentes, assim como descrito por Carranza Júnior e Newman (1997). Caso o paciente não precise desse tipo de tratamento inicia-se o plano obedecendo a seguinte seqüência: preparo básico periodontal, cirurgia, endodontia, restaurações e próteses, sempre pensando no oferecimento dos melhores cuidados (BURKE; WILSON, 1994) e na solução do maior número de problemas odontológicos (COLEMAN; NELSON, 1996). No presente trabalho, pela análise dos prontuários observou-se que foi feito o plano de tratamento incluindo o preparo periodontal básico para 84,61% dos pacientes. Este item engloba os procedimentos preventivos, como aplicação tópica de flúor, adotados pela Clínica Integrada de Araçatuba objetivando a promoção de saúde, além da raspagem corono-radicular. São considerados, também, os procedimentos destinados à educação dos pacientes e aqueles relacionados ao controle e redução da placa bacteriana, a despeito de constituírem um número reduzido de procedimentos quando comparado com o total de atitudes curativas. Essa mesma preocupação já havia sido considerada com propriedade por Peraza (1990) e Carvalho et al. (2002). A flexibilidade, característica fundamental do plano de tratamento (CROWFORD, 2004), leva a uma alteração numérica quando feita uma comparação entre o que foi proposto e os procedimentos realizados. Se forem comparados, por exemplo, os números do preparo básico periodontal proposto (1089 dos 1287 planos) com aqueles realizados (753 raspagens corono-radiculares e 118 aplicações tópicas de flúor) nota-se uma diminuição muito grande. Isso pode ser explicado pelo não lançamento no prontuário, por parte do aluno, dos procedimentos preventivos relacionados a educação do paciente e ao controle da placa bacteriana. Outro fator que pode explicar essa diferença é o número de pacientes que inicia o tratamento e acaba desistindo dele nas primeiras consultas, ainda na fase de coleta de dados e elaboração dos planos possíveis para o caso clínico. As alegações mais freqüentes para essas desistências são: falta de tempo, falta de recursos financeiros (que não teria influência nessa fase inicial, pois o tratamento é gratuito), dificuldades de locomoção, dificuldades de acomodações de horários em razão da jornada regular de trabalho ou, simplesmente, desistências sem justificativas. Os procedimentos cirúrgicos periodontais, por sua vez, apresentaram números superiores (133 para 248), justificados pelas necessidades observadas a partir do início do tratamento. Por outro lado, os procedimentos restauradores presentes nos planos de tratamento mantiveram uma

6 proximidade razoável com aqueles executados, sendo notória a grande quantidade de restaurações com cimento de ionômero de vidro (197) que não haviam sido citadas no plano. Já as restaurações de amálgama tiveram uma redução drástica. Apesar da indicação do amálgama, os padrões estéticos atuais e a melhora na qualidade dos materiais odontológicos resinosos levaram a um aumento na escolha de restaurações de resina no decorrer dos anos (LEINFELDER, 1997). Uma grande diferença também pode ser observada com relação à indicação de próteses e a sua concretização, facilmente explicada pela falta de recursos financeiros para o pagamento da fase laboratorial, uma vez que esses custos são cobertos pelo próprio paciente e não pela Instituição. Nesse contexto, um dado preocupante é a diferença entre a quantidade de provisórios propostos (24) e a realizada (431). A iniciativa de se fazer um provisório, quando não está inserido nas etapas da confecção da prótese parcial fixa, resolve temporariamente uma urgência estética, mas não soluciona o caso e, de acordo com Charbeneau et al. (1988) e Crowford (2004), não apresenta o mesmo prognóstico daquele plano que seria ideal. Isso pode ter ocorrido porque, em alguns casos, o paciente autoriza a execução do procedimento e acaba desistindo em função dos custos. Além disso, verificaram-se altos índices para os tratamentos exodontia e prótese, o que pode refletir baixos níveis sociais, econômicos e/ou culturais e consequentemente a condição de saúde bucal desfavorável que os pacientes apresentam quando procuram a faculdade (PERAZA, 1990; GAIÃO et al., 2002; ALMEIDA et al., 2003). Essas características de uso e necessidade de prótese dentária são compatíveis com o perfil dos pacientes atendidos em serviço de atenção curativo (GAIÃO et al., 2002). A disciplina de Clínica Integrada oferece condições para que o aluno, por meio do exame do paciente, elabore um diagnóstico e, a partir daí, desenvolva planos de tratamento adequados à realidade cultural, social e econômica do paciente, respeitando seus anseios e seu estado geral de saúde, cumprindo dessa maneira os objetivos da disciplina, segundo Botero (1963). Além disso, o aluno aprende a seguir uma seqüência lógica de tratamento atuando em todas as especialidades, aprimorando-se tecnicamente e tornando-se um profissional de visão generalista, diferenciado e familiarizado com a prática profissional (PANZARINI et al., 2001). Fato também relatado por profissionais formados por diversas Instituições de Ensino (POI et al., 2003). No entanto, Wanderley et al. (2002) acreditam que o predomínio da atividade curativa e deficiência no registro dos planejamentos podem diminuir a efetividade do tratamento proposto pela Clínica Integrada. Tudo isso vem ao encontro do proposto por Botero (1963), Restrepo (1969) e Padilha et al. (1995) que enfocam a necessidade, que se impõe ao ensino odontológico, de preparar o aluno para o desempenho da sua vida profissional com uma visão verdadeiramente integrada, devendo abranger o todo, desde o diagnóstico até a completa execução do plano de tratamento estabelecido. Os planos de tratamento desenvolvidos pelos alunos da disciplina de Clínica Integrada apresentam uma seqüência lógica, fato que possibilita um tratamento racional. Os tratamentos realizados cumpriram o que foi proposto nos planos, havendo flexibilidade em função de intercorrências durante o tratamento, dos critérios estéticos, das possibilidades econômicas do paciente e da continuidade do tratamento estabelecido, já que alguns o abandonaram. ALMEIDA, R. V. D.; GAIAO, L. ; PADILHA, W. W. N. Perfil sócioeconômico de pacientes da Disciplina de Clínica Integrada da UFPB. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, v. 3, n. 1, p , jan./jun BOTERO, A. A. Por qué decidimos crear una Clínica Integrada en nuestra Faculdad. La experiência que hermos tenido. In: Seminário Latinoamericano sobre enseñanza de la odontologia, Bogotá, OPS. Cap. 5, p , mayo, BURKE, F. J. T.; WILSON, N. H. Contemporary considerations in treatment planning. Quintessence Int, Berlin, v. 25, n. 6, p , Jun CARRANZA JUNIOR, F. A.; NEWMAN, M. G. Periodontia clínica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, p. CARVALHO, D. M.; OLIVEIRA, V.; PADILHA, W. W. N.; SILVEIRA, J. L. G. C. Procedimentos odontológicos: Promoção de saúde X Atividades curativas. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, v. 2, n. 2/3, p , maio/dez CASTRO, A. L. Estomatologia. 3. ed. São Paulo: Santos, p. COLEMAN, G. C., NELSON, J. F. Princípios de diagnóstico bucal. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, p. CRAWFORD, B. Treatment planning in general dental practice. Edinburgh: Churchill Livingstone, p. CHARBENEAU, G. T.; CARTWRIGHT, C. B.; VOMSTOCK, F. W.; KHALER, F. W.; SNYDER, D. T.; DENNISON, J. B. et al. Principle and practice of operative dentistry. 3th ed.

7 Philadelphia: Lea & Febiger, p. GAIÃO, L.; ALMEIDA, R. V. D.; PADILHA, W. W. N. Uso e necessidade de prótese dentária em pacientes da Disciplina de Clínica Integrada da Universidade Federal da Paraíba. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, v. 2, n. 2/3, p , maio/dez GENOVESE, W. J. Exame clínico em odontologia: princípios básicos. São Paulo: Panamed, p. HOCOTT, J. K. Comprehensive dental care: treatment planning and management. J Dent Educ, Washington, v. 48, n. 6, p.13-16, Jun odontológica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, p. Recebido para publicação: 28/03/06 Enviado para reformulação 14/06/06 Aceito para publicação: 27/07/06 LEINFELDER, K. New developments in resin restorative systems. J Am Dent Assoc, Chicago, v. 128, n. 5, p , May,1997. PADILHA, W. W. W.; MEDEIROS, E. P.G.; TORTAMANO, N.; ROCHA, R. G. O desenvolvimento da disciplina de Clínica Integrada nas instituições de ensino odontológico no Brasil. RPG, São Paulo, v. 2, n. 4, p , out./dez PANZARINI, S. R.; CARVALHO, A. C. P.; POI, W. R.; SONODA, C. K.; PEDRINI, D.; CASTRO, J. C. M. Avaliação do desempenho dos alunos da FOA - UNESP nas questões de Clínica do Exame Nacional de Cursos. ROBRAC, Goiânia, v. 10, n. 29, p , jun Correspondência: Wilson Roberto Poi Departamento de Cirurgia e Clínica Integrada Faculdade de Odontologia de Araçatuba - UNESP Rua José Bonifácio, nº Vila Mendonça Araçatuba - SP CEP: Telefone: (18) PERAZA, C. R. Perfil del paciente que solicita atención en la Facultad de Odontologia de la U. C. V. Acta Odontol Venez, Caracas, v. 28, n. 2/3, p , mayo/dec POI, W. R.; TAGLIAVINI, R. L.; SONODA, C. K.; CASTRO, J. C. M.; SALINEIRO, S. L.; PEDRINI, D. et al. O perfil da disciplina de Clínica Integrada da Faculdade de Odontologia de Araçatuba - UNESP, após onze anos de implantação. Arq Odontol, Belo Horizonte, v. 33, n. 1, p , jan./jun POI, W. R.; TREVISAN, C. L.; LUCAS, L. V. M.; PANZARINI, S. R.; SANTOS, C. L. V. A opinião do cirurgião-dentista sobre a Clínica Integrada. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, v. 3, n. 2, p , jul./dez POI, W. R.; MANFRIN, T. M.; ZINA, L. G.; PANZARINI, S. R.; PEDRINI, D.; MORI, G. G. et al. Diversidade dos planos de tratamento propostos por vários cirurgiões-dentistas para um mesmo caso clínico. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, v. 5, n. 2, p , maio/ago RESTREPO, O. J. Alguns consideraciones sobre la ensenãnza de la Odontologia Integrada com relación especial a la periodoncia y la oclusion. Temas Odontológicos, Medellín, v. 10, n. 98, p , out SAMPAIO, L. A. Verificação das alterações gengivais dos dentes submetidos a trabalhos protéticos fixos, em clientes da clínica integrada da Faculdade de Odontologia de Araraquara. 78f. Tese (Livre Docência em Odontologia) Faculdade de Odontologia de Araraquara, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, WANDERLEY, J. N. B.; PEREIRA, G. A. S.; PADILHA, W. W. N.; BARRETO, R. C. Estudo da efetividade dos serviços odontológicos oferecidos pela disciplina de clínica integrada da UFPB. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, v. 2, n. 1, p , jan./abr WOOD, N. K. Diagnóstico e plano de tratamento em clínica

Título do Trabalho: Clínica Integrada: é possível promover saúde bucal numa clínica de ensino odontológico?

Título do Trabalho: Clínica Integrada: é possível promover saúde bucal numa clínica de ensino odontológico? PESQUISA 1º COLOCADO Título do Trabalho: Clínica Integrada: é possível promover saúde bucal numa clínica de ensino odontológico? Autor (a): Drª. Rossana Vanessa Dantas de Almeida Orientador (a): Prof.

Leia mais

CLÍNICA DO SORRISO PREÇÁRIO DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS

CLÍNICA DO SORRISO PREÇÁRIO DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS CLÍNICA DO SORRISO PREÇÁRIO DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS CONSULTAS Consulta de Medicina Dentária (Check-up) Consulta de Urgência (após o horário de funcionamento normal) 30 CIRURGIA ORAL Exodontia simples 25

Leia mais

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Grupo: 100-Diagnose - As consultas deverão ser faturadas em Guias de Atendimento - GA, separadamente dos demais procedimentos, que serão faturados na

Leia mais

REGULAMENTO ODONTOLÓGICO

REGULAMENTO ODONTOLÓGICO REGULAMENTO ODONTOLÓGICO Regulamento Vigente REGULAMENTO ODONTOLÓGICO ARTIGO 1º - A Associação dos Agentes Fiscais de Rendas do Estado de São Paulo - AFRESP - prestará a seus associados inscritos na Administração

Leia mais

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial 81000421 Radiografia periapical CIRURGIA Planilha1 DIAGNÓSTICO 81000065 Consulta odontológica inicial 81000111 Diagnóstico anatomopatológico em citologia esfoliativa na região buco-maxilo-facial 81000138

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL UNIODONTO PORTO ALEGRE Modalidade pré-pagamento sem coparticipação, ou seja, o contratante pagará apenas o valor da mensalidade e terá a sua disposição todos os beneficios previstos pela ANS. Atendimento

Leia mais

ANEXO I TABELA PARA ASSISTIDOS PLANO INDIVIDUAL INTERMEDIÁRIO FAIXA ETÁRIA PLANO INTERMEDIÁRIO

ANEXO I TABELA PARA ASSISTIDOS PLANO INDIVIDUAL INTERMEDIÁRIO FAIXA ETÁRIA PLANO INTERMEDIÁRIO ANEXO I TABELA PARA ASSISTIDOS PLANO INDIVIDUAL INTERMEDIÁRIO FAIXA ETÁRIA PLANO INTERMEDIÁRIO DE 0 A 17 ANOS R$56,00 DE 18 A 29 ANOS R$78,40 DE 30 A 39 ANOS R$100,80 DE 40 A 49 ANOS R$123,20 DE 50 A 59

Leia mais

Cobertura RN 338 Lei 9656/98:

Cobertura RN 338 Lei 9656/98: Cobertura RN 338 Lei 9656/98: CÓDIGO PROCEDIMENTO Flex 30% GRUPO 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS R$ 7,62 CONSULTAS 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA R$ 10,58

Leia mais

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB -

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - 1 MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - Porto Alegre, 2014. 1 2 S ODONTOLÓGICOS PARA AUXILIARES E TÉCNICOS EM SAÚDE BUCAL Tabela 1: Tipos de Procedimentos Odontológicos para

Leia mais

Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS

Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS Nome Código Observações Cir.Traum.Buco-Max-Fac Aprofundamento/aumento de vestíbulo 82000190

Leia mais

TABELA DE REEMBOLSO. PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00

TABELA DE REEMBOLSO. PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 TABELA DE REEMBOLSO PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 Urgência / Emergência Curativo em caso de hemorragia bucal R$ 37,80 Curativo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Estágio Curricular Supervisionado em Saúde Coletiva IV Código: 3451 Carga Horária:

Leia mais

COBERTURA UNIMED ODONTO

COBERTURA UNIMED ODONTO COBERTURA UNIMED ODONTO ODONTOPEDIATRIA Consulta Odontológica SIM SIM SIM Condicionamento em Odontologia SIM SIM SIM Condicionamento em Odontologia para pacientes com necessidades especiais SIM SIM SIM

Leia mais

Rol Mínimo. Cobertura detalhada

Rol Mínimo. Cobertura detalhada Cirurgia Alveoloplastia Amputação radicular com obturação retrógrada Amputação radicular sem obturação retrógrada Apicetomia birradiculares com obturação retrógrada Apicetomia birradiculares sem obturação

Leia mais

Incisão e Drenagem extra-oral de abscesso, hematoma e/ou flegmão da região buco-maxilo-facial

Incisão e Drenagem extra-oral de abscesso, hematoma e/ou flegmão da região buco-maxilo-facial CÓDIGO 81000049 81000057 82000468 Diagnóstico, Urgência-Emergência: Noturna, Sábado, Domingo ou Feriado (procedimento abaixo) Consulta odontológica de Urgência (Horário normal das 08:00 horas às 18:00

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC A) TIPOS DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A.1 Consulta Inicial Entende-se como exame clínico,

Leia mais

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha MANUAL DE DIREITOS E RESPONSABILIDADES DOS PACIENTES www.ocm.mar.mil.br MARINHA DA BRASIL ODONTOCLÍNICA

Leia mais

Tabela de Honorários

Tabela de Honorários Tabela de Honorários CONSULTA Código Descrição do Procedimento Quantidade USO Dente/ Área RX Garantia Evento COBERTURA PLANO REGRAS TÉCNICAS 81000065 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL 40 - - 6 MESES TODOS

Leia mais

REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA - UNICOODONTO

REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA - UNICOODONTO REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA - UNICOODONTO V.02 jan./14 Este Regulamento aplica-se ao serviço de assistência odontológica oferecido pela Atual Tecnologia e Administração de Cartões Ltda ("ATUAL"),

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS ODONTOLÓGICOS / TUSS - GOLDEN CROSS - REDE MASTER e PREFERENCIAL VALOR DE USO REDE MASTER e PREFERENCIAL : R$ 0,18

TABELA DE HONORÁRIOS ODONTOLÓGICOS / TUSS - GOLDEN CROSS - REDE MASTER e PREFERENCIAL VALOR DE USO REDE MASTER e PREFERENCIAL : R$ 0,18 DIAGNÓSTICO 17 800065 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL 0 17 800049 CONSULTA ODONTOLÓGICA DE URGÊNCIA 0 00 80120059 CONSULTA DE ESPECIALISTA EM ENDODONTIA 0 00 80120180 CONSULTA DE ESPECIALISTA EM ESTOMATOLOGIA

Leia mais

Tabela de Procedimentos Básicos UNIODONTO TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO-III UNIODONTO-SC

Tabela de Procedimentos Básicos UNIODONTO TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO-III UNIODONTO-SC Tabela de Procedimentos Básicos UNIODONTO TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO-III UNIODONTO-SC Baseado na Lei 9656 e RN 211 - Edição outubro/2011 - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS).

Leia mais

TABELA PARA O AGREGADO FAMILIAR. Tabela 2011

TABELA PARA O AGREGADO FAMILIAR. Tabela 2011 Dental Clinic New Generaction www.newgeneraction.com.pt Os sócios, colaboradores e familiares do SIT, poderão usufruir do Plano de Medicina Oral - DentalClinic New Generaction, mediante o pagamento de

Leia mais

PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22

PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22 PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22 ESPECIALIDADE : 001 - PRONTO SOCORRO CODIGO DESCRICAO

Leia mais

NOVA TABELA DE PROCEDIMENTOS - TUSS PROCEDIMENTOS PLANOS PESSOA JURÍDICA VALOR CÓDIGO DESCRIÇÃO ANEXO 1 ANEXO 2 B1 E E-UN EX JÚNIOR US DIAGNÓSTICO

NOVA TABELA DE PROCEDIMENTOS - TUSS PROCEDIMENTOS PLANOS PESSOA JURÍDICA VALOR CÓDIGO DESCRIÇÃO ANEXO 1 ANEXO 2 B1 E E-UN EX JÚNIOR US DIAGNÓSTICO NOVA TABELA DE PROCEDIMENTOS - TUSS PROCEDIMENTOS PLANOS PESSOA JURÍDICA VALOR CÓDIGO DESCRIÇÃO ANEXO 1 ANEXO 2 B1 E E-UN EX JÚNIOR US 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA X X X X X X X 85 CONTROLE DE HEMORRAGIA

Leia mais

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na TUSS Odontologia Código Procedimento US Código Estruturado Especialidade US DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO 01.01 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL 65 81000065 Consulta odontológica inicial 65 01.05 CONSULTA ODONTOLÓGICA

Leia mais

ANEXO VIII TABELA DO IMAS COM OS VALORES DOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

ANEXO VIII TABELA DO IMAS COM OS VALORES DOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS PREFEITURA DE GOIÂNIA Instituto Municipal de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia ANEXO VIII TABELA DO IMAS COM OS VALORES DOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS Gabinete da Presidência

Leia mais

Plano de Tratamento em Odontologia: Análise dos Planos Propostos por Alunos de Graduação

Plano de Tratamento em Odontologia: Análise dos Planos Propostos por Alunos de Graduação ISSN - 1519-0501 DOI: 10.4034/1519.0501.2007.0073.0017 Plano de Tratamento em Odontologia: Análise dos Planos Propostos por Alunos de Graduação Treatment Plan in Dentistry: Analysis of the Plans Proposed

Leia mais

Controle de Hemorragia sem Aplicação de Agente Hemostático em região Buco-maxilo-facial 82000484 130

Controle de Hemorragia sem Aplicação de Agente Hemostático em região Buco-maxilo-facial 82000484 130 ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS AGEMED Baseado na Lei 9656 e RN 211 - Edição julho/2014 Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS). NOMENCLATURA / PROCEDIMENTO CÓDIGO TUSS RAIO X

Leia mais

Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev

Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev Plano Integral... TRATAMENTO AMBULATORIAL/DIAGNÓSTICO Consulta EMERGÊNCIA Colagem de fragmentos (consiste na recolocação de partes de dente que sofreu fratura,

Leia mais

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários Nosso consultório odontológico está equipado para oferecer ao produtor rural todos os tratamentos odontológicos disponíveis na atualidade. Segue abaixo uma discriminação detalhada de cada tratamento oferecido

Leia mais

COMPARATIVO DAS COBERTURAS POR DESCRIÇÃO DOS PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS PLANO BÁSICO X PLANO PLENO CÓDIGO

COMPARATIVO DAS COBERTURAS POR DESCRIÇÃO DOS PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS PLANO BÁSICO X PLANO PLENO CÓDIGO Consulta odontológica de urgência 81000049 Consulta odontológica de urgência Consulta de Estomatologia 70011049 Consulta de Estomatologia Consulta de Dor e Disfunção Temporomandibular 70011050 Consulta

Leia mais

INCLUSÃO E ALTERAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DA TABELA DE PROCEDIMENTOS, MEDICAMENTOS E OPM DO SUS

INCLUSÃO E ALTERAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DA TABELA DE PROCEDIMENTOS, MEDICAMENTOS E OPM DO SUS Circular 275/2013 São Paulo, 3 de Julho de 2013. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) INCLUSÃO E ALTERAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DA TABELA DE PROCEDIMENTOS, MEDICAMENTOS E OPM DO SUS Diário Oficial da União Nº 126,

Leia mais

AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA 82000050 Amputação radicular sem obturação retrógrada

AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA 82000050 Amputação radicular sem obturação retrógrada 85400017 Ajuste Oclusal por acréscimo AJUSTE OCLUSAL 85400025 Ajuste Oclusal por desgaste seletivo AJUSTE OCLUSAL 82000034 Alveoloplastia ALVEOLOPLASTIA Amputação radicular com obturação retrógrada AMPUTAÇÃO

Leia mais

TABELA DE REEMBOLSO. diamante R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00

TABELA DE REEMBOLSO. diamante R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 TABELA DE REEMBOLSO diamante R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 Urgência / Emergência Curativo em caso de hemorragia bucal R$ 37,80 Curativo

Leia mais

TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master

TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master (ANEXO A - ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS EXIGIDOS PELA ANS)- Tabela Cliente CH = Coeficiente de Honorário Odontológico Valor do CH = R$ USO = Unidade

Leia mais

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES 21/06/2014 A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é a agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde

Leia mais

TREINAMENTO 2013 BRADESCO DENTAL -SPG

TREINAMENTO 2013 BRADESCO DENTAL -SPG TREINAMENTO 2013 BRADESCO DENTAL -SPG Bradesco Dental SPG Plano para pequenas empresas Mercado de Planos Odontológicos Ranking das Operadoras Características Produto desenvolvido para pequenos grupos Compulsório:

Leia mais

3. Quais são os planos disponíveis para a contratação do produto BB Dental Massificado?

3. Quais são os planos disponíveis para a contratação do produto BB Dental Massificado? 1. Quem é a Brasildental? Empresa criada a partir da associação do Banco do Brasil e OdontoPrev, com a finalidade de distribuir e comercializar, por meio da BB Corretora, planos odontológicos sob a marca

Leia mais

TABELA DE Preços Particular

TABELA DE Preços Particular TABELA DE Preços Particular 01 CONSULTA A1.01.01.01 Primeira consulta de medicina dentária 20,00 A1.01.01.05 Consulta de urgência 02 MEDICINA DENTÁRIA PREVENTIVA A2.01.01.01 Selamento de fissuras A2.02.01.DD

Leia mais

COMPARATIVO DAS COBERTURAS ODONTO BÁSICO x ODONTO PLENO

COMPARATIVO DAS COBERTURAS ODONTO BÁSICO x ODONTO PLENO COMPARATIVO DAS COBERTURAS ODONTO BÁSICO x ODONTO PLENO Código Descrição ODONTO BÁSICO ODONTO PLENO Diagnóstico 81000049 Consulta odontológica de urgência Sim Sim 70011049 Consulta de Estomatologia Sim

Leia mais

TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS Obs. Para encontrar o valor dos serviços prestados pelos dentistas conveniados multiplica-se a quantidade de U.S.O. (Unidade Serviços Odontológicos) pelo valor estabelecido

Leia mais

C U R S O O D O N T O L O G I A

C U R S O O D O N T O L O G I A C U R S O O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: CLÍNICA INTEGRADA III Código: Pré-requisito: ODONTOLOGIA

Leia mais

Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB

Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB 6º SINPLO Simpósio Internacional de Planos Odontológicos Fabiana Car Pernomiam 2011 Ergonomia racionalizar o trabalho, possibilitar

Leia mais

DentalRede, Lda Tabela a aplicar ao: Exército Português

DentalRede, Lda Tabela a aplicar ao: Exército Português DentalRede, Lda Tabela a aplicar ao: Exército Português 1 - CONSULTA 10110 Exame clínico/consulta S/Custo 2 - ODONTOLOGIA PREVENTIVA 20630 Destartarização, polimento (Limpeza) S/Custo 20610 Aplicação tópica

Leia mais

Atenção: Cobranças com códigos antigos serão aceitas/processadas somente para atendimentos realizados até 21/11/2010.

Atenção: Cobranças com códigos antigos serão aceitas/processadas somente para atendimentos realizados até 21/11/2010. Rio de Janeiro, 18 de outubro de 2010. PASA/CE 031/10 Assunto: Manual do Credenciado Odontológico do PASA/Vale Prezado(a) credenciado(a), O PASA, visando a melhoria constante do seu fluxo de processamento

Leia mais

Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS

Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS 01.01.01.001-0 Procedimento x CBO ATIVIDADE EDUCATIVA / ORIENTACAO

Leia mais

APLICAÇÃO DA REGRA DE INTERCÂMBIO. Disposições Gerais

APLICAÇÃO DA REGRA DE INTERCÂMBIO. Disposições Gerais APLICAÇÃO DA REGRA DE INTERCÂMBIO Disposições Gerais Salvo exceção expressamente prevista, os procedimentos constantes na Tabela de Intercâmbio compreendem todos os métodos, técnicas, materiais e acessórios

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA ASSEFAZ. TISS TROCA DE INFORMAÇÕES EM SAÚDE SUPLEMENTAR Odontologia

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA ASSEFAZ. TISS TROCA DE INFORMAÇÕES EM SAÚDE SUPLEMENTAR Odontologia MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA ASSEFAZ TISS TROCA DE INFORMAÇÕES EM SAÚDE SUPLEMENTAR Odontologia Brasília/DF - 2007 1 1. Introdução A meta deste trabalho é estruturar e auxiliar no correto preenchimento das

Leia mais

MANUAL DE ATENDIMENTO PARA BENEFICIÁRIOS COM FRANQUIA PLANO FÁCIL/AFFINITY

MANUAL DE ATENDIMENTO PARA BENEFICIÁRIOS COM FRANQUIA PLANO FÁCIL/AFFINITY FRANQUIA MANUAL DE ATENDIMENTO PARA BENEFICIÁRIOS COM FRANQUIA PLANO FÁCIL/AFFINITY A franquia é um valor pago pelos beneficiários do Plano Fácil/Affinity pelos serviços odontológicos, efetivamente utilizados.

Leia mais

Diagnóstico - Primeira Consulta. Radiologia ou Radiografia

Diagnóstico - Primeira Consulta. Radiologia ou Radiografia Diagnóstico - Primeira Consulta Consulta Inicial: É a primeira consulta feita com o cirurgião-dentista, com o objetivo de diagnosticar as patologias presentes e estabelecer o tratamento a ser feito. Exame

Leia mais

MANUAL DO CREDENCIADO. Prezado colega,

MANUAL DO CREDENCIADO. Prezado colega, MANUAL DO CREDENCIADO Prezado colega, A DENTSY é uma empresa especializada em atendimento odontológico empresarial de alto padrão. Fundada por Cirurgiões-Dentistas, que participam tanto do processo administrativo,

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DAS GUIAS DE ENCAMINHAMENTO ODONTOLÓGICO PROGEO

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DAS GUIAS DE ENCAMINHAMENTO ODONTOLÓGICO PROGEO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DAS GUIAS DE ENCAMINHAMENTO ODONTOLÓGICO PROGEO 1 1. PROPÓSITO Efetuar controle da Guias de Encaminhamentos Odontológicos em conformidade com a Circular 006/2007 da DSM e DGPM-401

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A CERON PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A CERON PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS PORTO VELHO 2003 1 PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS COLABORADOR/PROFISSIONAL 1. O Tratamento Odontológico somente poderá ser iniciado após retirada da guia de consulta no Setor Médico

Leia mais

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd Conselho Universitário - CONSUNI Câmara de Ensino Curso de Graduação em Odontologia da UNIPLAC Quadro de Equivalência para Fins de Aproveitamento de Estudos entre duas Estruturas Curriculares Modulares

Leia mais

- Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, promovido pela PUCRS, Porto Alegre, setembro de 1979.

- Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, promovido pela PUCRS, Porto Alegre, setembro de 1979. PARTICIPAÇÃO EM CURSOS - Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, promovido pela PUCRS, Porto Alegre, setembro de 1979. - Prótese Fixa; Prótese Removível, promovido pela ABO/RS, em Porto Alegre, julho,

Leia mais

www.dentaluni.com.br

www.dentaluni.com.br TUSS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS SUPERIOR EMERGÊNCIA 82000468 Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região bucomaxilofacial coberto 82000484 Controle de hemorragia sem aplicação

Leia mais

Brazilian Health System PLACEO. Programa Latino Americano de Convergência em Educação Odontológica

Brazilian Health System PLACEO. Programa Latino Americano de Convergência em Educação Odontológica Brazilian Health System PLACEO Programa Latino Americano de Convergência em Educação Odontológica PLACEO, o que é? Compartilhar e melhorar as experiencias educativas para criar melhores sistemas de educação

Leia mais

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 10 Especialidade: ENDODONTIA

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 10 Especialidade: ENDODONTIA Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 10 Grupo: 100-Diagnose - As consultas deverão ser faturadas em Guias de Atendimento - GA, separadamente dos demais procedimentos, que serão faturados

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 51/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ODONTOLOGIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

Estrutura Evento Filme Porte UCO PA Total Início Fim

Estrutura Evento Filme Porte UCO PA Total Início Fim Página: 1 65. TUSS - ODONTOLÓGICA 8.10.00.014 Condicionamento em Odontologia 0,00 20,00 0,00 0 20,00 07/10/10 8.10.00.030 Consulta odontológica 0,00 21,00 0,00 0 21,00 07/10/10 8.10.00.049 Consulta odontológica

Leia mais

Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias

Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias Tabela proposta a sócios CCD- V.N.Gaia 01 CONSULTA Consulta de medicina dentária 10 Consulta para apresentação e discussão de plano de tratamento 10

Leia mais

Unimed Odonto ESSENCIAL

Unimed Odonto ESSENCIAL Unimed Odonto ESSENCIAL UPO Valores em reais CÓDIGOS DESCRIÇÃO TUSS Unimed Odonto 0,6 20% 81000421 Radiografia periapical 9 R$ 5,72 R$ 1,14 81000375 Radiografia interproximal - bite-wing 9 R$ 5,72 R$ 1,14

Leia mais

Profª Márcia Rendeiro

Profª Márcia Rendeiro Profª Márcia Rendeiro CONHECIMENTO CIENTÍFICO TECNOLOGIAS PRÁTICA ODONTOLÓGICA AMBIENTES INSTRUMENTOS MATERIAIS RECURSOS HUMANOS O PROCESSO DE TRABALHO ODONTOLÓGICO VEM SOFRENDO TRANSFORMAÇÕES AO LONGO

Leia mais

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO BARROS, Ítala Santina Bulhões 1 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 2 SILVA, Ariadne Estffany Máximo da

Leia mais

Odontologia 2.004 à 2.007

Odontologia 2.004 à 2.007 Odontologia 2.004 à 2.007 Procedimentos após 10/99 à 12/07 2.004 2.005 2.006 2.007 TOTAL 0301101-PROCEDIMENTOS COLETIVOS (PACIENTE/MES) 3.161 5.145 434-8.740 0301102-ACAO COLETIVA ESCOVACAO DENTAL SUPERVISION

Leia mais

TABELA DE PREÇOS. (Estomatologia)

TABELA DE PREÇOS. (Estomatologia) TABELA E PREÇOS (Estomatologia) (última actualização Janeiro 2012) 01.Consulta VALOR A1.01.01.01 1ª Consulta de medicina dentária (check 0 up+orçamento) A1.01.01.05 Consulta de urgência ( observação+medicação)

Leia mais

ODONTOLOGIA ESTÉTICA

ODONTOLOGIA ESTÉTICA ODONTOLOGIA ESTÉTICA O sorriso enaltece os dentes que podem assim como outros elementos da face denunciar a idade cronológica do ser humano por meio de desgastes ou mesmo pela alteração da cor. Nesse contexto,

Leia mais

Tabela de Preços/Descontos. Público em geral. Consulta de Medicina Dentária. Dentisteria e Estética. Restauração com Compósito ou Amálgama 50 45

Tabela de Preços/Descontos. Público em geral. Consulta de Medicina Dentária. Dentisteria e Estética. Restauração com Compósito ou Amálgama 50 45 SMILt Tabela de Preços/Descontos Designação Público em geral Comunidade IPLeiria Consulta de Medicina Dentária Consulta de Medicina Dentária 50 45 Consulta de Urgência 50 45 Dentisteria e Estética Restauração

Leia mais

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 C U R S O O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: ODONTOLOGIA PRÉ-CLÍNICA II Código: ODO-028 Pré-requisito:

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Protocolo de Tratamento Odontológico Versão eletrônica atualizada em Janeiro 2009 A EQUIPE DE SAÚDE BUCAL NA UTMO Fernanda de Paula Eduardo Letícia Mello Bezinelli Pacientes que

Leia mais

UNITAU UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ AUTARQUIA MUNICIPAL DE REGIME ESPECIAL RECONHECIDA PELO DEC. FED. Nº 78.924/76 REITORIA RUA 4 DE MARÇO, 432

UNITAU UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ AUTARQUIA MUNICIPAL DE REGIME ESPECIAL RECONHECIDA PELO DEC. FED. Nº 78.924/76 REITORIA RUA 4 DE MARÇO, 432 DELIBERAÇÃO CONSEP N 105/2002 Altera a Deliberação CONSEP N 025/99 que dispõe sobre a criação do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia, em nível de Doutorado. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

Anexo I TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO III UNIODONTO-SC

Anexo I TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO III UNIODONTO-SC Anexo I TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO III UNIODONTO-SC Baseado na Lei 9656 e RN 211 - Edição outubro/2011 - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS). NOMENCLATURA / PROCEDIMENTO DIAGNÓSTICO

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 876/2013 REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS (PESSOA JURÍDICA)

EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 876/2013 REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS (PESSOA JURÍDICA) RETIFICAÇÃO II EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 876/2013 REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS (PESSOA JURÍDICA) O SESI-PR, através de sua Comissão de Licitação, torna pública RETIFICAÇÃO

Leia mais

30º CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PERIODONTIA

30º CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PERIODONTIA 30º CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PERIODONTIA Fevereiro a Novembro/2014 Coordenador: José Alfredo Gomes de Mendonça Av. Pasteur, 89 / conj. 1507/10 - Bairro Funcionários Belo Horizonte - MG - 30.150-290

Leia mais

REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA

REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA 1. OBJETIVO 1.1. Disponibilizar a prestação continuada de serviços odontológicos, sem limite financeiro, na forma de Plano Privado de Assistência à Saúde, conforme

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC FERREIRA, Jean Carlos Barbosa.*¹; MARQUES, Aline Silva¹; SILVA, Julio. Almeida² DECURCIO, Daniel Almeida²; ALENCAR, Ana Helena Gonçalves³;

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

Atendimento em consultório particular com hora marcada. Sem limite de procedimentos odontológicos.

Atendimento em consultório particular com hora marcada. Sem limite de procedimentos odontológicos. Plano Odontologico CONHEÇA O SEU PLANO O plano oferecido pela sua Empresa junto à Prodent possui ampla cobertura nas principais especialidades odontológicas, para que você e seus dependentes possam cuidar

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 01/2011, DE 10 DE MARÇO DE 2011

INSTRUÇÃO Nº 01/2011, DE 10 DE MARÇO DE 2011 INSTRUÇÃO Nº 01/2011, DE 10 DE MARÇO DE 2011 (Divulgada em 22 de março de 2011 entrando em vigor em 04 de abril de 2011) O Conselho de Administração da Uniodonto Araraquara, no uso de suas atribuições

Leia mais

TABELA ODONTOLÓGICA DOS CREDENCIADOS - TOTAL

TABELA ODONTOLÓGICA DOS CREDENCIADOS - TOTAL ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DOS MILITARES ESTADUAIS TABELA ODONTOLÓGICA DOS CREDENCIADOS - TOTAL Especialidade CÓDIGOS PROCEDIMNETOS VALORES Ex.Clínico 110 exame clinico R$ 32,00 Ex.Clínico 120 urgência odontológica

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS COBERTURA DE ASSISTÊNCIA DENTÁRIA - COMPARTICIPAÇÃO A CARGO DA PESSOA SEGURA

CONDIÇÕES ESPECIAIS COBERTURA DE ASSISTÊNCIA DENTÁRIA - COMPARTICIPAÇÃO A CARGO DA PESSOA SEGURA CONDIÇÕES ESPECIAIS COBERTURA DE ASSISTÊNCIA DENTÁRIA - COMPARTICIPAÇÃO A CARGO DA PESSOA SEGURA 1. CONSULTA (1) 10109 Consulta de urgência (com exclusão de tratamentos) S/Custo 10110 Exame clínico/consulta

Leia mais

BRONZE R$ R$ 11,40 tratamento. Exame histopatológico R$ 50,00

BRONZE R$ R$ 11,40 tratamento. Exame histopatológico R$ 50,00 TABELA DE REEMBOLSO BRONZE R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de R$ 11,40 tratamento. Exame histopatológico R$ 50,00 Urgência / Emergência Curativo em caso de hemorragia bucal R$ 37,80 Curativo

Leia mais

Glossário dental. Consulta - Exame clínico ao paciente, tratamento a realizar e orçamento.

Glossário dental. Consulta - Exame clínico ao paciente, tratamento a realizar e orçamento. Glossário dental (rev.060118) Consulta - Exame clínico ao paciente, tratamento a realizar e orçamento. Odontologia preventiva - Tratamento que visa evitar patologias futuras. A prevenção evita posteriormente

Leia mais

EXCELÊNCIA NOS RESULTADOS

EXCELÊNCIA NOS RESULTADOS INSTITUCIONAL 31 anos no mercado odontológico; Presença com sedes em 10 cidades brasileiras, dentre elas 9 capitais; Solidez e tradição na atenção à Saúde Bucal; Mais de 2 milhões de beneficiários; Mais

Leia mais

Tabela de Honorários Odontológicos ABET / PLAMTEL Vigência 01/05/2008 - Edição 01/05/2008

Tabela de Honorários Odontológicos ABET / PLAMTEL Vigência 01/05/2008 - Edição 01/05/2008 Tabela de Honorários Odontológicos ABET / PLAMTEL Vigência 01/05/2008 - Edição 01/05/2008 VALORES REFERENCIA PARA CASOS DE REEMBOLSO DOS PLANOS ODONTO ABET Código Procedimento Valor Avaliação Clínica -

Leia mais

ANEXO I CÓD. C O N S U L T A I N I C I A L QUANT. VALOR. 110 Consulta inicial (exame clínico e plano de tratamento ) 100 22,00

ANEXO I CÓD. C O N S U L T A I N I C I A L QUANT. VALOR. 110 Consulta inicial (exame clínico e plano de tratamento ) 100 22,00 ANEXO I C O N S U L T A I N I C I A L 110 Consulta inicial (exame clínico e plano de tratamento ) 100 22,00 U R G Ê N C I A E E M E R G Ê N C I A 121 Curativo em caso de hemorragia bucal 175 38,50 122

Leia mais

COBERTURA DE PLANOS PESSOA FÍSICA DENTALPAR MASTER I E MASTER IV

COBERTURA DE PLANOS PESSOA FÍSICA DENTALPAR MASTER I E MASTER IV COBERTURA DE PLANOS PESSOA FÍSICA DENTALPAR MASTER I E MASTER IV DIAGNÓSTICO exame inicial exame periódico perícia procedimento diagnóstico anatomopatológico exame histopatológico teste de fluxo salivar

Leia mais

Terminologia Unificada da Saúde Suplementar - TUSS Rol de Procedimentos Odontológicos Cobertos e Não Cobertos

Terminologia Unificada da Saúde Suplementar - TUSS Rol de Procedimentos Odontológicos Cobertos e Não Cobertos RECORRÊNCIA (MESES) UTILIZAÇÃO E ENVIO DE IMAGEM CLÍNICA *** ESPECIALISTA SERVICE PLUS TOP Terminologia Unificada da Saúde Suplementar - TUSS Rol de Procedimentos Odontológicos Cobertos e Não Cobertos

Leia mais

PLANO COPASS ODONTO BÁSICO

PLANO COPASS ODONTO BÁSICO PLANO COPASS ODONTO BÁSICO ESCLARECIMENTOS, CONTRIBUIÇÃO E COPARTICIPAÇÃO É um produto que está de acordo com o previsto na Lei nº 9656/98; Destinado: aos empregados e seus dependentes regulamentares (cônjuge,

Leia mais

Hospital Modelo - Sorocaba. Hospital Frei Galvão - Santos. Hospital Paulo Sacramento - Jundiaí. Hospital Sacrecoeur - São Paulo

Hospital Modelo - Sorocaba. Hospital Frei Galvão - Santos. Hospital Paulo Sacramento - Jundiaí. Hospital Sacrecoeur - São Paulo Hospital Modelo - Sorocaba Hospital Frei Galvão - Santos Hospital Paulo Sacramento - Jundiaí Hospital Sacrecoeur - São Paulo Hospital Renascença Campinas PME SEM COPARTICIPAÇÃO COM ODONTOLOGIA INCLUSA

Leia mais

MANUAL DO ASSOCIADO. Plano Empresarial. A solução definitiva em odontologia

MANUAL DO ASSOCIADO. Plano Empresarial. A solução definitiva em odontologia MANUAL DO ASSOCIADO Plano Empresarial A solução definitiva em odontologia MISSÃO DA EMPRESA O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo

Leia mais

SulAmérica Odonto Empresarial

SulAmérica Odonto Empresarial SulAmérica Odonto Empresarial O sorriso dos seus colaboradores está em nossos planos. A partir de 100 vidas sulamerica.com.br Sobre a SulAmérica A SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos, com 116

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR Atuação e conceitos da Odontologia Hospitalar e Medicina Oral A Odontologia exercida pela grande maioria dos dentistas brasileiros enfoca

Leia mais

Clínica Integrada de Ensino Odontológico: Perfil dos Usuários e Necessidades Odontológicas

Clínica Integrada de Ensino Odontológico: Perfil dos Usuários e Necessidades Odontológicas ISSN 1981-3708 Clínica Integrada de Ensino Odontológico: Perfil dos Usuários e Necessidades Odontológicas Undergraduate Comprehensive Dental Care Clinic: Users Profiles and Dental Needs Sandra C. G. B.

Leia mais

4. PROGRAMAS DE ATENÇÃO ODONTOLÓGICA PARA BEBÊS, CRIANÇAS E ADOLESCENTES

4. PROGRAMAS DE ATENÇÃO ODONTOLÓGICA PARA BEBÊS, CRIANÇAS E ADOLESCENTES 4. PROGRAMAS DE ATENÇÃO ODONTOLÓGICA PARA BEBÊS, CRIANÇAS E ADOLESCENTES Elaborado por: Marcelo S. Bönecker (Coordenador) Adriana Modesto Luiz Reynaldo de Figueiredo Walter Objetivo A Associação Brasileira

Leia mais

Acta Scientiarum. Human and Social Sciences ISSN: 1679-7361 eduem@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil

Acta Scientiarum. Human and Social Sciences ISSN: 1679-7361 eduem@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil Acta Scientiarum. Human and Social Sciences ISSN: 1679-7361 eduem@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil de Amorim Neves, Lígia Um estudo sobre a escrita literária de Valêncio Xavier Acta Scientiarum.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR FUNÇÃO: Recuperação / Reabilitação SUBFUNÇÃO OU COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente).

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). Consiste na regularização do alvéolo (local onde está inserido o dente), geralmente após a

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág. CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: ODONTOLOGIA PRÉ-CLÍNICA I Código: ODO-021 Pré-requisito: ANATOMIA

Leia mais