Fundação Nacional de Saúde - Funasa Departamento de Saúde Ambiental Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Funasa/Desam/Copet

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fundação Nacional de Saúde - Funasa Departamento de Saúde Ambiental Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Funasa/Desam/Copet"

Transcrição

1 Fundação Nacional de Saúde - Funasa Departamento de Saúde Ambiental Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Funasa/Desam/Copet

2 PROJETO REMEDIAR

3 Histórico SUCAM FUNASA Ratificação Convenção de Estocolmo Início do Projeto Remediar Proibição da fabricação e uso dos organoclorados Fim do uso dos organoclorados pela Funasa Levantamento de áreas feito pela SVS

4 Motivação A Secretaria de Vigilância em Saúde SVS/Ministério da Saúde - MS realizou, no período de 2004 a 2007, levantamento de informações referente a áreas potencialmente contaminadas, resultando no cadastro de 700 áreas no Sissolo (Lemos et al., 2009). Desse total, 154 locais, foram inicialmente enquadrados como pertencentes à Fundação Nacional de Saúde Funasa.

5 OBJETIVO GERAL Realizar o Gerenciamento de Áreas Contaminadas onde se armazenava inseticidas do grupo químico organoclorado, utilizados pela Funasa.

6 Objetivos Específicos Identificar áreas utilizadas pela Funasa onde ocorreram o armazenamento e o manuseio de organoclorados (DDT e BHC) no combate e controle de endemias; Estabelecer áreas prioritárias a partir dos critérios de classificação estabelecidos, baseados na legislação vigente, caracterizando a Avaliação Preliminar;

7 Objetivos Específicos Definir as áreas contaminadas por organoclorados (DDT e BHC), por meio da investigação confirmatória e detalhada dos locais suspeitos de contaminação pelas atividades de combate e controle de endemias pela Fundação Nacional de Saúde Funasa; Identificar o potencial de risco das áreas contaminadas por organoclorados (DDT e BHC), por meio da Avaliação de Risco das áreas; e Elaborar o Plano de Intervenção, buscando a melhor alternativa técnica, econômica e ambiental.

8 Arcabouço Legal Convenção de Estocolmo; Ratificada pelo Brasil e estabelecida legalmente pelo Decreto nº 5472, de 20 de junho de 2005; Portaria nº 11, de 08 de janeiro de 1998 proíbe o uso nas Campanhas de Saúde; e Lei nº , de 14 de maio de 2009, que proíbe a fabricação, a importação, a exportação, a manutenção em estoque, a comercialização e o uso de Diclorodifeniltricloroetano (DDT).

9 Arcabouço Legal Gerenciamento de Áreas Contaminadas Resolução Conama 420, de 28 de dezembro de 2009, alterada pela Resolução CONAMA 460, de 30 de dezembro de 2013; Normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas NBR/ABNT (Avaliação Preliminar) (Investigação Confirmatória) e (Investigação Detalhada); e Legislação Paulista Manual de gerenciamento de áreas contaminadas de 2001 (CETESB/SP).

10 Dinâmica Padrão do GAC

11 Metodologia Identificação das áreas Aplicação do Instrumento padronizado para coleta de dados Estabelecimento de critérios de classificação Seleção de áreas prioritárias Avaliação Ambiental

12 Desenvolvimento do Projeto Visita in loco em 154 áreas Aplicação Instrumento I Visita in loco 94 áreas que não eram depósitos Aplicação Instrumento II Visita in loco de 84 áreas que eram depósito Aplicação Instrumento II Aplicação dos critérios de Classificação em 178 áreas Construção do TR Aplicação do Modelo Conceitual Contratação da empresa 2016

13 Definição e escolhas dos critérios Análise do Questionário e seleção das variáveis Priorizar as variáveis capazes de refletir a magnitude do grau de exposição no local Considerar situações que representam maior risco humano em relação à possível contaminação das áreas por organoclorados Priorizar as áreas já reconhecidas com a presença do inseticida organoclorado

14 Definição e escolhas dos critérios presença do inseticida água Priorização Fundamental solo população atividade desenvolvida

15 Definição e escolhas dos critérios Essência da análise Área alagável Presença do inseticida Existência de manancial na área Caracterização da vizinhança SELEÇÃO Finalidade do manancial Atividade desenvolvida Contato com o solo Tipo de solo

16 Estratégias Institucionais adotadas Instituição do GT; Elaboração do Instrumento para levantamento de informações com orientativo; Capacitação e sensibilização dos Técnicos; Reuniões de Avaliação e Nivelamento (SESAM); Desenvolvimento de Parcerias; Materialização do Projeto Remediar; Licitação para contratação de empresa para realizar a Avaliação Ambiental nas 25 áreas iniciais; e Aplicação do Modelo Conceitual.

17 Obrigado! Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Departamento de Saúde Ambiental Fundação Nacional de Saúde

Resolução CONAMA 420/09 e Gerenciamento de Áreas Contaminadas em Âmbito Nacional

Resolução CONAMA 420/09 e Gerenciamento de Áreas Contaminadas em Âmbito Nacional Resolução CONAMA 420/09 e Gerenciamento de Áreas Contaminadas em Âmbito Nacional Agosto/2011 Gerenciamento de Áreas Contaminadas Conjunto de medidas que assegurem o conhecimento das características dessas

Leia mais

1º Encontro Preparatório da Engenharia e Agronomia para o 8º Fórum Mundial da Água NORMAS TÉCNICAS ABNT

1º Encontro Preparatório da Engenharia e Agronomia para o 8º Fórum Mundial da Água NORMAS TÉCNICAS ABNT 1º Encontro Preparatório da Engenharia e Agronomia para o 8º Fórum Mundial da Água NORMAS TÉCNICAS ABNT Campinas, 23 de Março de 2017 Química Monica Betterelli Diretora de Qualidade da AESAS Associação

Leia mais

IV Fórum de Recursos Hídricos

IV Fórum de Recursos Hídricos IV Fórum de Recursos Hídricos CRQ-IV São Paulo, 17 de março de 2016 Panorama da Situação Atual das Áreas Contaminadas Eng. Rodrigo César de Araújo Cunha, Dr. Setor de Avaliação e Auditoria de Áreas Contaminadas

Leia mais

FENSEG Federação Nacional de Seguros Gerais

FENSEG Federação Nacional de Seguros Gerais Federação Nacional de Seguros Gerais Gerenciamento de Áreas Contaminadas Estratégias, Legislação e Oportunidades (Lei 13.577 e Decreto 59.263) Sindicato da Seguradoras de São Paulo São Paulo, Abril de

Leia mais

PROCEDIMENTOS CO-PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS NO ESTADO DO PARANÁ. São Paulo, 04 de novembro de 2004

PROCEDIMENTOS CO-PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS NO ESTADO DO PARANÁ. São Paulo, 04 de novembro de 2004 PROCEDIMENTOS CO-PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS NO ESTADO DO PARANÁ São Paulo, 04 de novembro de 2004 LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Resolução CONAMA Nº 264/99, dispõe sobre o co-processamento de resíduos sólidos; Resolução

Leia mais

Eliminação e Recuperação de Lixões em Minas Gerais: estágio atual e perspectivas

Eliminação e Recuperação de Lixões em Minas Gerais: estágio atual e perspectivas SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Eliminação e Recuperação de Lixões em Minas Gerais: estágio atual e perspectivas Cíntia Guimarães dos Santos Gerência de Áreas Contaminadas/GERAC

Leia mais

28 OUT Metodologia da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL para avaliação ambiental de terrenos com potencial de contaminação

28 OUT Metodologia da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL para avaliação ambiental de terrenos com potencial de contaminação 28 OUT 2008 Metodologia da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL para avaliação ambiental de terrenos com potencial de contaminação Atuação da Caixa É o principal agente de fomento ao desenvolvimento urbano do país

Leia mais

para empreendedores imobiliários em terrenos com potencial de contaminação

para empreendedores imobiliários em terrenos com potencial de contaminação Exigências da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL para empreendedores imobiliários em terrenos com potencial de contaminação 24 SET 2008 Atuação da Caixa É o principal i agente de fomento ao desenvolvimento urbano

Leia mais

Gerenciamento de Áreas Contaminadas do Estado do Rio Janeiro

Gerenciamento de Áreas Contaminadas do Estado do Rio Janeiro qqaaa Gerenciamento de Áreas Contaminadas do Estado do Rio Janeiro Cadastro de Áreas Contaminadas e Reabilitadas 1ª Edição Instituto Estadual do Ambiente FICHA TÉCNICA Diretora de Licenciamento Ambiental

Leia mais

Qualidade do Solo e das Águas Subterrâneas. Rodrigo Cunha CETESB

Qualidade do Solo e das Águas Subterrâneas. Rodrigo Cunha CETESB VI Seminário de Políticas de Gestão da Qualidade do Solo e das Águas Subterrâneas AVALIAÇÃO DE RISCO NOVOS PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELA CETESB Rodrigo Cunha CETESB São Paulo, 25 de setembro de 2008 PROCEDIMENTO

Leia mais

2) Como ocorre um processo de contaminação?

2) Como ocorre um processo de contaminação? Perguntas Frequentes : Áreas Contaminadas 1) O que é uma área contaminada? A Lei Estadual n 13.577, de 8 de julho de 2009, estabelece que área contaminada é uma área, terreno, local, instalação, edificação

Leia mais

Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Solo Contaminado - VIGISOLO. MÓDULO I Saúde Ambiental

Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Solo Contaminado - VIGISOLO. MÓDULO I Saúde Ambiental Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Solo Contaminado - VIGISOLO MÓDULO I Saúde Ambiental O Que é Saúde Ambiental? Saúde ambiental compreende aqueles aspectos da saúde humana, incluindo a qualidade

Leia mais

SEMINÁRIO SUL-BRASILEIRO DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS

SEMINÁRIO SUL-BRASILEIRO DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS SEMINÁRIO SUL-BRASILEIRO DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS A SITUAÇÃO ATUAL DO GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL FRENTE A RESOLUÇÃO CONAMA nº420/2009 Eng. Quím. Mário

Leia mais

Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Solo Contaminado - VIGISOLO MÓDULO III - LEGISLAÇÕES

Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Solo Contaminado - VIGISOLO MÓDULO III - LEGISLAÇÕES Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Solo Contaminado - VIGISOLO MÓDULO III - LEGISLAÇÕES Site PISAST http://pisast.saude.gov.br:8080/pisast/saudeambiental/legislacao-relacionada/legislacaorelacionada

Leia mais

Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo

Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo CETESB Companhia Ambiental do Estado de São Paulo Elton Gloeden (Gerente do Departamento de Áreas Contaminadas) Novembro de 2012 GERENCIAMENTO

Leia mais

A importância do Gerenciamento de Áreas Contaminadas na proteção das águas subterrâneas São Paulo 19 de dezembro de 2013

A importância do Gerenciamento de Áreas Contaminadas na proteção das águas subterrâneas São Paulo 19 de dezembro de 2013 A importância do Gerenciamento de Áreas Contaminadas na proteção das águas subterrâneas São Paulo 19 de dezembro de 2013 Mateus Delatim Simonato Hidrogeólogo, Msc. Tupã SP Aquíferos no Estado de São Paulo

Leia mais

Workshop Atualização Profissional. Medicamentos Veterinários

Workshop Atualização Profissional. Medicamentos Veterinários Workshop Atualização Profissional Medicamentos Veterinários Regulamentação e Fiscalização Mariana Filippi Ricciardi Curitiba, 5 de maio de 2016. Competências VISA prevenção de riscos e agravos à saúde

Leia mais

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicament os Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicamentos Aspectos gerais Situação atual... No Brasil ainda não se tem uma regulamentação específica no âmbito nacional relacionada

Leia mais

ÁREAS CONTAMINADAS E RECURSOS HÍDRICOS

ÁREAS CONTAMINADAS E RECURSOS HÍDRICOS ÁREAS CONTAMINADAS E RECURSOS HÍDRICOS Eng. Alfredo C. C. Rocca Gerente da Divisão de Áreas Contaminadas da CETESB ÁREA CONTAMINADA Local onde há comprovadamente passivo de contaminação de solo e água

Leia mais

Declaração de Áreas Contaminadas e Suspeitas de Contaminação -BDA. Luiz Otávio Martins Cruz Gerência de Áreas Contaminadas - GERAC

Declaração de Áreas Contaminadas e Suspeitas de Contaminação -BDA. Luiz Otávio Martins Cruz Gerência de Áreas Contaminadas - GERAC Declaração de Áreas Contaminadas e Suspeitas de Contaminação -BDA Luiz Otávio Martins Cruz Gerência de Áreas Contaminadas - GERAC DN COPAM -116/2008 Dispõe sobre a declaração de informações relativas à

Leia mais

Engª Ambiental Larissa C. Lopes Cal AGOSTO 2017 GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS E O MERCADO IMOBILIÁRIO

Engª Ambiental Larissa C. Lopes Cal AGOSTO 2017 GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS E O MERCADO IMOBILIÁRIO Engª Ambiental Larissa C. Lopes Cal AGOSTO 2017 GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS E O MERCADO IMOBILIÁRIO Tópicos Definição de Áreas Contaminadas Arcabouço legal e técnico Etapas do Gerenciamento de

Leia mais

CONTAMINAÇÃO DE SOLOS: LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

CONTAMINAÇÃO DE SOLOS: LEGISLAÇÃO APLICÁVEL CONTAMINAÇÃO DE SOLOS: LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Otávio Eurico de Aquino Branco Março de 2015 INTRODUÇÃO SUMÁRIO BASE LEGAL DA AVALIAÇÃO DA CONTAMINAÇÃO DE SOLOS GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS FUNDAMENTOS

Leia mais

Atualidades sobre o Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo

Atualidades sobre o Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo Atualidades sobre o Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo CETESB Companhia Ambiental do Estado de São Paulo Novembro 2011 GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS Conjunto de medidas que

Leia mais

CONTAMINAÇÃO DE SOLOS: LEGISLAÇÃO APLICÁVEL. Otávio Eurico de Aquino Branco Maio de 2016

CONTAMINAÇÃO DE SOLOS: LEGISLAÇÃO APLICÁVEL. Otávio Eurico de Aquino Branco Maio de 2016 CONTAMINAÇÃO DE SOLOS: LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Otávio Eurico de Aquino Branco Maio de 2016 SUMÁRIO INTRODUÇÃO BASE LEGAL DA AVALIAÇÃO DA CONTAMINAÇÃO DE SOLOS GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS COMENTARIOS

Leia mais

Decreto de Regulamentação da Lei: DECRETO ESTADUAL n DE 03/12/02.

Decreto de Regulamentação da Lei: DECRETO ESTADUAL n DE 03/12/02. LEGISLAÇÃO VIGENTE PGRS LEI FEDERAL n o 9.795, de 27/04/99. A definição oficial de Educação Ambiental no Brasil. LEI ESTADUAL n o 12.493, de 22/01/99. Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios

Leia mais

Setor Imobiliário: A Importância da Recuperação de Áreas Industriais

Setor Imobiliário: A Importância da Recuperação de Áreas Industriais Setor Imobiliário: A Importância da Recuperação de Áreas Industriais Dr. José Francisco Heitzmann Jr. Tópicos Contexto Histórico Legislação Metodologias de Avaliação Técnicas de Investigação / Remediação

Leia mais

NOTA TÉCNICA 08/2011. Diretrizes para o Programa de Qualificação do Agente de Combate às Endemias. Brasília, 15de abril de 2011.

NOTA TÉCNICA 08/2011. Diretrizes para o Programa de Qualificação do Agente de Combate às Endemias. Brasília, 15de abril de 2011. NOTA TÉCNICA 08/2011 Diretrizes para o Programa de Qualificação do Agente de Combate às Endemias Brasília, 15de abril de 2011. DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DO AGENTE DE COMBATE ÀS ENDEMIAS

Leia mais

Os Novos Procedimentos para o Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo

Os Novos Procedimentos para o Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo Os Novos Procedimentos para o Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado de São Paulo Base Legal no Estado de São Paulo Lei 13.577, de 08/07/09 - dispõe sobre diretrizes e procedimentos para a proteção

Leia mais

Gestão de Áreas Contaminadas baseada na Lei Engº Rodrigo César de Araújo Cunha, Dr. Setor de Áreas Contaminadas CETESB

Gestão de Áreas Contaminadas baseada na Lei Engº Rodrigo César de Araújo Cunha, Dr. Setor de Áreas Contaminadas CETESB Gestão de Áreas Contaminadas baseada na Lei 13577 Engº Rodrigo César de Araújo Cunha, Dr. Setor de Áreas Contaminadas CETESB DISTRIBUIÇÃO POR ATIVIDADE 471 (13%) 147 (4%) 96 (3%) Outras fontes 25 (1%)

Leia mais

Sessão 4 - Critérios de Sustentabilidade

Sessão 4 - Critérios de Sustentabilidade IMPLEMENTANDO COMPRAS PÚBLICAS SUSTENTÁVEIS NO ESTADO DA BAHIA (CPS-BA) Sessão 4 - Critérios de Sustentabilidade Salvador, 15 de dezembro de 2010. O que são critérios de sustentabilidade? Quais são os

Leia mais

COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE

COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE - 2012 Capacitação / Aulas / Cursos / Palestras oferecidas: Realizada capacitação de 2336 pessoas, com intenção de sensibilizar os servidores

Leia mais

PREVENÇÃO. You created this PDF from an application that is not licensed to print to novapdf printer (http://www.novapdf.com)

PREVENÇÃO. You created this PDF from an application that is not licensed to print to novapdf printer (http://www.novapdf.com) PREVENÇÃO I CONTEXTO II A PRÁTICA III DESAFIOS I CONTEXTO I CONTEXTO 1. LEI Nº 9.433/1997 - Política Nacional de Recursos Hídricos - PNR Art. 1º Fundamentos... Bacia hidrográfica unidade territorial para

Leia mais

Conhecendo as Bases da Legislação Ambiental e sua Aplicação na Gestão de Áreas Contaminadas

Conhecendo as Bases da Legislação Ambiental e sua Aplicação na Gestão de Áreas Contaminadas Conhecendo as Bases da Legislação Ambiental e sua Aplicação na Gestão de Áreas Contaminadas Fernando Tabet Tabet, Paulino, Bueno & Franco Advogados Causas de Contaminação Poluição Continuada (acidental

Leia mais

Compras Públicas Sustentáveis A experiência no Governo do Estado de São Paulo - Brasil

Compras Públicas Sustentáveis A experiência no Governo do Estado de São Paulo - Brasil Compras Públicas Sustentáveis A experiência no Governo do Estado de São Paulo - Brasil Valéria D Amico vdamico@sp.gov.br Governo do Estado de São Paulo Estado de São Paulo no Brasil South America Brazil

Leia mais

Gestão de Áreas Contaminadas: o problema e as principais dificuldades. Cyro Bernardes Jr. Dezembro/2012 COSEMA/FIESP

Gestão de Áreas Contaminadas: o problema e as principais dificuldades. Cyro Bernardes Jr. Dezembro/2012 COSEMA/FIESP Gestão de Áreas Contaminadas: o problema e as principais dificuldades Cyro Bernardes Jr. Dezembro/2012 COSEMA/FIESP ÁREAS CONTAMINADAS É UMA ÁREA CONTAMINADA OU UM PARQUE ÁREAS CONTAMINADAS GESTÃO APROXIMAÇÕES

Leia mais

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil.

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de 2002. Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. O CONSELHO

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA GERENCIAMENTO DE

PROCEDIMENTO PARA GERENCIAMENTO DE PROCEDIMENTO PARA GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS AESAS ELTON GLOEDEN CETESB Setembro de 2008 PROCEDIMENTO PARA GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS RD 007/00/C/E (18.01.2000) RD 023/00/C/E (15.06.2000)

Leia mais

INFLUÊNCIAS NA GESTÃO DE REDES

INFLUÊNCIAS NA GESTÃO DE REDES INFLUÊNCIAS NA GESTÃO DE REDES Vera M. L. Ponçano Rede de Saneamento e Abastecimento de Água Aracaju, 10 dezembro 2015 REDES: TECNOLÓGICAS TEMÁTICAS - PÚBLICAS FATORES DE INFLUÊNCIA: PESSOAL, SOCIAL, TECNOLÓGICO,

Leia mais

Gestão e Gerenciamento de Áreas Contaminadas

Gestão e Gerenciamento de Áreas Contaminadas Gestão e Gerenciamento de Áreas Contaminadas São Paulo, 1 de junho de 2017 Sobre o IPT Fundado em 1899 Pioneirismo em áreas de metrologia, construção civil, meio ambiente e transportes Vinculado à Secretaria

Leia mais

REDE DE INSTITUIÇÕES EM COOPERAÇÃO FINDES SINDUSCON UFES PPGES BANDES CAIXA

REDE DE INSTITUIÇÕES EM COOPERAÇÃO FINDES SINDUSCON UFES PPGES BANDES CAIXA REDE DE INSTITUIÇÕES EM COOPERAÇÃO FINDES SINDUSCON UFES PPGES BANDES CAIXA REDE DE INSTITUIÇÕES EM COOPERAÇÃO Aprofundar o conhecimento sobre o tema Apoiar PPP e concessões nos municípios capixabas Melhorar

Leia mais

I Congresso Internacional de Meio Ambiente Subterrâneo MESA REDONDA 6 Fundo para Áreas Contaminadas no Brasil. Aspectos Institucionais

I Congresso Internacional de Meio Ambiente Subterrâneo MESA REDONDA 6 Fundo para Áreas Contaminadas no Brasil. Aspectos Institucionais I Congresso Internacional de Subterrâneo MESA REDONDA 6 Fundo para Áreas Contaminadas no Brasil Aspectos Institucionais Sérgia de Souza Oliveira MMA/SMCQ/DQAM Setembro/2009 Áreas Contaminadas Na década

Leia mais

Cavas de Mina: Uso para disposição de resíduos Possibilidades e Restrições Riscos de contaminação e cuidados ambientais relacionados à disposição de r

Cavas de Mina: Uso para disposição de resíduos Possibilidades e Restrições Riscos de contaminação e cuidados ambientais relacionados à disposição de r 21/10/2003 Cavas de Mina: Uso para disposição de resíduos Possibilidades e Restrições Riscos de contaminação e cuidados ambientais relacionados à disposição de resíduos sólidos ESSENCIS SOLUÇÕES AMBIENTAIS

Leia mais

A PROTEÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO NO BRASIL

A PROTEÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO NO BRASIL Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Departamento de Mudanças Climáticas Coordenação de Proteção da Camada de Ozônio A PROTEÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO NO BRASIL

Leia mais

PIT PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A NORMALIZAÇÃO

PIT PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A NORMALIZAÇÃO De 09 a 11 de junho de 2010 - Maceió - Alagoas PIT PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A NORMALIZAÇÃO Carlos Alberto de Moraes Borges carlos,borges@tarjab.com.br 10/06/2010 ABNT Associação Brasileira de

Leia mais

LEGISLAÇÃO PERTINENTE EM SAÚDE DO TRABALHADOR POSTOS DE GASOLINA

LEGISLAÇÃO PERTINENTE EM SAÚDE DO TRABALHADOR POSTOS DE GASOLINA LEGISLAÇÃO PERTINENTE EM SAÚDE DO TRABALHADOR POSTOS DE GASOLINA RESOLUÇÃO CONAMA nº 273, de 29 de novembro de 2000 Publicada no DOU nº 5, de 8 de janeiro de 2001, Seção 1, páginas 20-23 Correlações: Alterada

Leia mais

Mecanismos de Controle Avanços e Desafios Enfrentados pelos Órgãos de Controle Diferentes Visões e Resultados

Mecanismos de Controle Avanços e Desafios Enfrentados pelos Órgãos de Controle Diferentes Visões e Resultados Mecanismos de Controle Avanços e Desafios Enfrentados pelos Órgãos de Controle Diferentes Visões e Resultados São Paulo/SP Abril de 2013 Sumário Ciclo do Tráfico de Drogas Antecedentes e Marcos Jurídicos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 3, DE 30 DE MARÇO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 3, DE 30 DE MARÇO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 3, DE 30 DE MARÇO DE 2010 A PRESIDENTE SUBSTITUTA DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, no uso das suas atribuições, tendo em vista

Leia mais

Aspectos jurídicos DD CETESB 38/2017

Aspectos jurídicos DD CETESB 38/2017 Aspectos jurídicos DD CETESB 38/2017 Lina Pimentel Garcia 25/05/2017 Aspectos Gerais Resumo do histórico da legislação de áreas contaminadas 2007: Primeiro manual de gerenciamento da CETESB (DD 103/2007);

Leia mais

ANEXO I DO NORMATIVO SARB 014/2014 LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS

ANEXO I DO NORMATIVO SARB 014/2014 LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS ANEXO I DO NORMATIVO SARB 014/2014 LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar os Anexos III e IV) O LIC é um documento resultante das observações

Leia mais

Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) Atualidades

Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) Atualidades Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) Atualidades Classificação de Tipos de Estabelecimentos de Saúde Finalidade do trabalho desenvolvido discutir e apresentar proposta para revisão das

Leia mais

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas;

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas; 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas do Sistema Eletrobrás, através da integração da logística de suprimento de bens e serviços, visando o fortalecimento de seu poder de compra

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução incorpora ao ordenamento jurídico nacional a Resolução GMC MERCOSUL n. 46/15.

Art. 2º Esta Resolução incorpora ao ordenamento jurídico nacional a Resolução GMC MERCOSUL n. 46/15. RESOLUÇÃO - RDC Nº 108, DE 6 DE SETEMBRO DE 2016 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe conferem o art. 15, III e IV aliado ao art. 7º, III, e IV,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DA CAERN COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CARGO: ANALISTA AMBIENTAL PROGRAMA

CONCURSO PÚBLICO DA CAERN COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CARGO: ANALISTA AMBIENTAL PROGRAMA CONCURSO PÚBLICO DA CAERN COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CARGO: ANALISTA AMBIENTAL PROGRAMA 1 POLUIÇÃO E CONTROLE AMBIENTAL a- Crise ambiental b- Ética ambiental c- Meio ambiente e saúde Saúde e qualidade

Leia mais

PLANO DE AÇÃO - PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS. Data: 30/03/2015 Rev.: 04. Ação Quem faz Por que faz Como faz Quanto ($) Prazo Status Comentário

PLANO DE AÇÃO - PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS. Data: 30/03/2015 Rev.: 04. Ação Quem faz Por que faz Como faz Quanto ($) Prazo Status Comentário Data: 3/3/ Rev.: 4 1 Contratação de empresa realização de serviços limpeza de caixa SAO Para evitar transbordamento/cont aminação Contratação - licitação 2 de CFTV Monitoramento e vigilância Contratado

Leia mais

Contaminação das águas subterrâneas

Contaminação das águas subterrâneas Contaminação das águas subterrâneas i Infiltração de efluentes, irrigação de efluentes líquidos i Depósito de resíduos i Acidentes i Vazamentos em áreas de estocagem e dentro de processos produtivos i

Leia mais

Formação de Rede. Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência Pública

Formação de Rede. Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência Pública GT Agrotóxicos urbanos e Saúde estratégias para elaboração do Plano Municipal de Vigilância de populações Expostas à Agrotóxicos Urbanos Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência

Leia mais

Frente a Política Nacional de Resíduos Sólidos

Frente a Política Nacional de Resíduos Sólidos O desafio das CEASA S Frente a Política Nacional de Resíduos Sólidos QTC Visão Sobre a Saúde no Brasil A CLÍNICA Privilegia o indivíduo. O processo Saúde Doença tem a ver apenas com o agente e o homem.

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS

GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS O que é uma Área Contaminada (AC)? Área contaminada pode ser definida como um local onde foi comprovada a existência de poluição ou contaminação, causada pela introdução de substâncias ou resíduos, por

Leia mais

V Seminário de Políticas de Gestão da Qualidade do Solo e das Águas Subterrâneas

V Seminário de Políticas de Gestão da Qualidade do Solo e das Águas Subterrâneas V Seminário de Políticas de Gestão da Qualidade do Solo e das Águas Subterrâneas Visão da CETESB no desenvolvimento das investigações em indústrias - status e sugestões Vicente de Aquino Neto CETESB Áreas

Leia mais

Sistema de Gestão. Baseado em Custos para Fundações de Apoio

Sistema de Gestão. Baseado em Custos para Fundações de Apoio Sistema de Gestão Baseado em Custos para Fundações de Apoio Problema Necessidade de identificação dos custos da fundação e do ressarcimento das despesas operacionais administrativas da fundação no gerenciamento

Leia mais

Política Nacional de

Política Nacional de Programas de Prevenção e Controle de Carências Nutricionais Política Nacional de Alimentação e Nutrição 5ª diretriz prevenção e controle dos distúrbios nutricionais e de doenças associadas à alimentação

Leia mais

CONVENÇÃO OIT 170 Segurança na Utilização de Produtos Químicos no Trabalho

CONVENÇÃO OIT 170 Segurança na Utilização de Produtos Químicos no Trabalho SEMINÁRIO DE MEIO AMBIENTE CONVENÇÃO OIT 170 Segurança na Utilização de Produtos Químicos no Trabalho GERALDO FONTOURA BAYER S.A. 11 de junho de 2002 ROTEIRO A Organização Internacional do Trabalho - OIT

Leia mais

CALENDÁRIO DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA

CALENDÁRIO DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA 2016-2020 2016 3 a 10 fevereiro 6 fevereiro 9 fevereiro - Exposições e 7 a 17 abril 9 abril 10 abril 17 abril 4, 11, 18 e 25 junho 28 agosto a 11 setembro 4 setembro 5 a 11 setembro 10 setembro 15 a 17

Leia mais

Fundação Bissaya Barreto, Coimbra 29 novembro º Encontro Nacional Boas Práticas em Prevenção e Controlo do Tabagismo

Fundação Bissaya Barreto, Coimbra 29 novembro º Encontro Nacional Boas Práticas em Prevenção e Controlo do Tabagismo Experiência: Projeto ERBS (Vigilância da Exposição ao Fumo de Tabaco Ambiental em Estabelecimentos de Restauração e Bebidas) - ARS Norte CRISTINA CAMPEÃO DSP, ARS Norte Fundação Bissaya Barreto, Coimbra

Leia mais

PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS

PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS Curso de Auto-aprendizagem PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS Gerenciamento de risco Químico Edson Haddad CETESB Gerenciamento de risco Propósito do PGR Programa de Gerenciamento

Leia mais

DOCUMENTO BASE PARA DISCUSSÃO E DEFINIÇÃO DE ÁREAS LIVRES DA RAIVA HUMANA E CANINA PELAS VARIANTES 1 E 2

DOCUMENTO BASE PARA DISCUSSÃO E DEFINIÇÃO DE ÁREAS LIVRES DA RAIVA HUMANA E CANINA PELAS VARIANTES 1 E 2 BRASIL Ministério da Saúde (MS) Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) Departamento Vigilância das Doenças Transmissíveis (DEVIT) Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis (CGDT) DOCUMENTO BASE PARA

Leia mais

GESTÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS NO ESTADO DE SÃO PAULO

GESTÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS NO ESTADO DE SÃO PAULO FEDERAÇÃO DAS INDUSTRIAS DO ESTADO DE SÃOPAULO - FIESP XII SEMANA FIESP-CIESP DE MEIO AMBIENTE 07 A 09 DE JUNHO DE 2010 GESTÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS NO ESTADO DE SÃO PAULO Eng. Alfredo C. C. Rocca Gerente

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Resíduos eletro-eletrônicos. Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada

Resíduos eletro-eletrônicos. Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada Resíduos eletro-eletrônicos Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada Junho de 2009 Alguns Modelos utilizados no mundo: Modelo Responsabilidade ampliada do Produtor - responsabiliza

Leia mais

Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros

Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros MARCOS VINÍCIUS DE S. LEANDRO Jr. Médico Veterinário Fiscal Federal Agropecuário Ministério da Agricultura,

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA. Renato das Chagas e Silva Engenheiro Químico Divisão de Controle da Poluição Industrial FEPAM

GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA. Renato das Chagas e Silva Engenheiro Químico Divisão de Controle da Poluição Industrial FEPAM GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA Renato das Chagas e Silva Engenheiro Químico Divisão de Controle da Poluição Industrial FEPAM LEI FEDERAL 6938/81 DECRETO FEDERAL 99274/90 BASE PARA GESTÃO AMBIENTAL obrigatoriedade

Leia mais

ESTABELECIMENTO INDUSTRIAL DE PESCADO Produtos Frescos e Congelados

ESTABELECIMENTO INDUSTRIAL DE PESCADO Produtos Frescos e Congelados SUPERINTENDÊNCIA FEDERAL DE AGRICULTURA EM MATO GROSSO SERVIÇO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL Capacitação continuada Módulo de nivelamento 2017 Cadeia produtiva da Piscicultura ESTABELECIMENTO

Leia mais

Boletim Epidemiológico VIGIAGUA

Boletim Epidemiológico VIGIAGUA 01 de agosto de 2016 Página 1/7 GLOSSÁRIO 1. Programa de Vigilância da Qualidade da Água no Ceará Água para consumo humano: Aquela utilizada para beber, preparação de alimentos e higiene corporal. Água

Leia mais

PLANO DE CARREIRA PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE E AGENTE DE COMBATE A ENDEMIA

PLANO DE CARREIRA PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE E AGENTE DE COMBATE A ENDEMIA PLANO DE CARREIRA PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE E AGENTE DE COMBATE A ENDEMIA Nossa Equipe Coordenadora: Professora Maria José Menezes Brito (Escola de Enfermagem UFMG) Co-coordenador: Professor

Leia mais

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009 Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas Exigências legais do MAPA Jaguariúna SP junho de 2009 REGULAMENTAÇÃO Histórico da Legislação 1934: Decreto que aprova o Regulamento de

Leia mais

Cadastro Técnico Federal

Cadastro Técnico Federal MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS Cadastro Técnico Federal Ações de Controle do Comércio de SDOs Flávia Mota DIQUA/IBAMA São Paulo,

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos Política Nacional de Resíduos Sólidos Outubro - 2015 Normas técnicas e jurídicas ligadas a resíduos sólidos Lei 11.445/2007 (Saneamento); Lei 9974/2000 (Agrotóxicos); Lei 9966/2000 (Óleo) Normas do Sistema

Leia mais

Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas. Annelise Monteiro Steigleder

Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas. Annelise Monteiro Steigleder Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas Annelise Monteiro Steigleder Áreas Contaminadas Local onde há poluição ou contaminação, potencial ou efetiva, causada pela introdução de substâncias

Leia mais

Compras Públicas Sustentáveis

Compras Públicas Sustentáveis Compras Públicas Sustentáveis SEMINARIO - TALLER COMPRAS PÚBLICAS SUSTENTABLES Oportunidades en Argentina y en el MERCOSUR Valéria D Amico vdamico@sp.gov.br Governo do Estado de São Paulo Secretaria da

Leia mais

VI Seminário de Políticas de Gestão da Qualidade

VI Seminário de Políticas de Gestão da Qualidade VI Seminário de Políticas de Gestão da Qualidade do Solo e das Águas Subterrâneas aesas - 24 e 25 de setembro de 2008 Eng.º Giuseppe Michelino CETESB Departamento de Tecnologia do Solo, Águas Subterrâneas

Leia mais

TR A N A N C A I C ONA N L A L DE D E PR P O R DU D Ç U Ã Ç O Ã EM E

TR A N A N C A I C ONA N L A L DE D E PR P O R DU D Ç U Ã Ç O Ã EM E III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA Secretaria da Saúde ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS E DE CONTROLE DA ESQUISTOSSOMOSE NO ESTADO DA BAHIA BRASÍLIA - DF, 5 a 8 agosto, 2008 Aécio Meireles de

Leia mais

40h. Este treinamento aborda o que há de mais moderno em gerenciamento de projetos e está totalmente alinhado com a última versão do Guia PMBOK

40h. Este treinamento aborda o que há de mais moderno em gerenciamento de projetos e está totalmente alinhado com a última versão do Guia PMBOK Este treinamento aborda o que há de mais moderno em gerenciamento de projetos e está totalmente alinhado com a última versão do Guia PMBOK Se você procura por uma forma mais interessante e imersiva de

Leia mais

Capacitação em Eventos

Capacitação em Eventos Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental Capacitação em Eventos VIGILÂNCIA

Leia mais

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006 Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação Junho de 2006 NUGIN: Núcleo de Gestão da Inovação Missão Promover a geração de ambientes inovadores, fomentando e apoiando as empresas na gestão da

Leia mais

1º do art. 1º, vigentes na data de entrada em vigor desta Resolução, serão automaticamente cancelados.

1º do art. 1º, vigentes na data de entrada em vigor desta Resolução, serão automaticamente cancelados. RESOLUÇÃO - RDC Nº 145, DE 21 DE MARÇO DE 2017 Proíbe em todo o território nacional a fabricação, importação e comercialização, assim como o so em serviços de saúde, dos termômetros e esfigmomanômetros

Leia mais

Patrimônio Cultural bragantino

Patrimônio Cultural bragantino Patrimônio Cultural bragantino Bens registrados A Lei nº 7.330/09, no qual fica declarado a Marujada como patrimônio cultural e artístico do Estado do Pará, como forma e manifestação cultural e artística

Leia mais

MISTURAS DE DEFENSIVOS

MISTURAS DE DEFENSIVOS MISTURAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS EM TANQUE Ac. Albert Kenji Hirose Ac. André Hiroshi Kobayashi Ac. Fausto Nimer Terrabuio Ac. Gustavo Takeshi Hacimoto INTRODUÇÃO Misturas em tanque associações de dois

Leia mais

Gestão de áreas contaminadas Estudos de casos

Gestão de áreas contaminadas Estudos de casos Gestão de áreas contaminadas Estudos de casos Prof. Dr. Nelson Ellert Arcadis Brasil AVALIAÇÃO AMBIENTAL PRELIMINAR AUDITORIA AMBIENTAL Fase I Forma de apresentação dos resultados Forma de apresentação

Leia mais

Situação Atual do Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado do Paraná

Situação Atual do Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado do Paraná Situação Atual do Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Estado do Paraná Legislação Estadual PORTARIA IAP Nº 224, DE 05 DE DEZEMBRO DE 2007 Estabelece os critérios para exigência e emissão de Autorizações

Leia mais

III-192 RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE A EVOLUÇÃO NO MUNICÍPIO DE NATAL

III-192 RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE A EVOLUÇÃO NO MUNICÍPIO DE NATAL III-192 RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE A EVOLUÇÃO NO MUNICÍPIO DE NATAL João Rafael Lins Guimarães Engenheiro Civil, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Mestre em Engenharia Sanitária,

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Fiscalização de atividades com organismos geneticamente modificados 15 Artigo Técnico 2 Fiscalização de Atividades

Leia mais

Revisão da Portaria de Potabilidade da água para consumo humano

Revisão da Portaria de Potabilidade da água para consumo humano Revisão da Portaria de Potabilidade da água para consumo humano Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental Departamento

Leia mais

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos"

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos" Tema: Agropecuária Legislação Federal Lei nº 1.283, de 18.12.1950, que dispõe sobre inspeção sanitária

Leia mais

Cadastro Técnico Federal

Cadastro Técnico Federal MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS Cadastro Técnico Federal Ações de Controle do Comércio de Substâncias Destruidoras da Camada de

Leia mais

8º Fórum Mundial da Água (Reunião Preparatória) CREA-SP

8º Fórum Mundial da Água (Reunião Preparatória) CREA-SP 8º Fórum Mundial da Água (Reunião Preparatória) CREA-SP Campinas, 23 de março de 2017 Geol. MSc. Rivaldo Mello Diretor Associação Brasileira de Empresas de Consultoria e Engenharia Ambiental Temas 1ª Parte

Leia mais

PLANOS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Alceu Galvão Analista de Regulação da ARCE Fortaleza, 11 de maio de 2015

PLANOS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Alceu Galvão Analista de Regulação da ARCE Fortaleza, 11 de maio de 2015 PLANOS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS Alceu Galvão Analista de Regulação da ARCE Fortaleza, 11 de maio de 2015 SIMPLICIDADE elaboração e implementação dos PMGIRS BAIXO CUSTO GRADATIVIDADE ESTRUTURA

Leia mais

Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência

Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência 25 de novembro de 2015 Centro de Formação, Capacitação e Treinamento - CEFOR da Câmara dos Deputados OBJETIVOS Geral:

Leia mais

Estratégias para o enfrentamento das violações dos direitos da população em situação de rua

Estratégias para o enfrentamento das violações dos direitos da população em situação de rua Estratégias para o enfrentamento das violações dos direitos da população em situação de rua UM NOVO OLHAR Primeiros movimentos: Entidades que reconhecem o protagonismo e defendem direitos Organização da

Leia mais

BRASIL SAUDÁVEL. Ação Nacional em favor de Modos de Viver Saudáveis

BRASIL SAUDÁVEL. Ação Nacional em favor de Modos de Viver Saudáveis BRASIL SAUDÁVEL Ação Nacional em favor de Modos de Viver Saudáveis Inserida no contexto do Bom Exemplo SECOM Coordenação Geral Ministério da Saúde Ministério da Educação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil. Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016

Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil. Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016 Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016 Karina Cham Analista Ambiental Carlos Tonelli Analista Ambiental Programação Papel do Ibama no Registro

Leia mais