QUESTIONÁRIO FORUM DE DISCUSSÃO SUGESTÃO DE TEMA PARA O PRÓXIMO FORUN. (Quais as dificuldades de servir NA?) GRUPO DE ESCOLHA: CSA: ENCARGO:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUESTIONÁRIO FORUM DE DISCUSSÃO SUGESTÃO DE TEMA PARA O PRÓXIMO FORUN. (Quais as dificuldades de servir NA?) GRUPO DE ESCOLHA: CSA: ENCARGO:"

Transcrição

1 QUESTIONÁRIO GRUPO DE ESCOLHA: CSA: ENCARGO: NÃO SERVE (O POR QUÊ?) : O QUE ACHOU DO FORUN: SUGESTÃO DE TEMA PARA O PRÓXIMO FORUN FORUM DE DISCUSSÃO (Quais as dificuldades de servir NA?)

2

3 Manual de Tesoureiro de Grupo Esta é uma tradução do manual proposto no CAR Feita pelo DR para ser estudado e votado (moção 1). ATENÇÃO!! Material não aprovado!! Não reproduzir. Para estudo apenas Introdução O Livreto do Tesoureiro existe para nos ajudar a usar responsavelmente o dinheiro de NA, em todos os níveis de serviços. Nós entendemos que as comunidades locais ao redor do mundo enfrentam diferentes circunstâncias então, encorajamos a adaptarem essas diretrizes, usando senso comum, para atenderem as necessidades locais. Nosso 11º Conceito nos diz que Os recursos de NA devem ser usados para promover nosso propósito primordial, e devem ser administrados com responsabilidade.o 11º Conceito, extraído do Livreto Os Doze Conceitos para o Serviço de NA nos diz um pouco mais: Os recursos de Narcóticos Anônimos devem ser sempre usados para promover nosso propósito primordial. Dinheiro é usado para pagar as despesas decorrentes das reuniões, para informar o público sobre NA, e para alcançar adictos que não podem freqüentar reuniões. É usado para desenvolver, produzir, traduzir e distribuir nossa mensagem de forma escrita e juntar nossos membros em um comitê de serviços comprometido com a visão de expandir nossa mensagem ao redor do mundo para aqueles que precisarem. Tudo isso feito para apoiar o objetivo espiritual de NA, levar a mensagem para o adicto que ainda sofre. Auto-sustento: Nossa responsabilidade Comum No mundo de hoje, é impossível levar a mensagem de Narcóticos Anônimos sem a disponibilidade de recursos. Custa dinheiro imprimir e distribuir literatura, ter linhas de ajuda e outros serviços que nos conectam aos recém chegados e aos quadros de serviços. Nossa responsabilidade como servidores de confiança começa no momento em que o dinheiro suado de nossos membros é depositado na cesta (sacola). É nossa incumbência fazer todo o possível para que o dinheiro seja usado criteriosamente e com sabedoria, e isso inclui não só prover as necessidades individuais dos grupos, mas também as necessidades de serviço de NA. Um Guia para os Serviços Locais de Narcóticos Anônimos sugere doações diretas de grupos e áreas para todos os níveis de serviço: Com o dinheiro que sobra após cobrirem suas despesas, os grupos de Narcóticos Anônimos sustentam com dinheiro os serviços de área, região e mundial. Comitês de áreas... são encorajados a fazer o mesmo com o excedente de seus recursos, repassando-os para outros níveis da estrutura de serviço. Aqui vai um fluxograma de como o dinheiro pode fluir através de nossa estrutura de serviços: O COMITÊ DE SERVIÇO REGIONAL INTRODUÇÃO Cada elemento da estrutura de serviço de Narcóticos Anônimos seja um grupo, quadro de serviços ou comitê existe para servir as necessidades daqueles que o criou. Por exemplo, os grupos de Narcóticos Anônimos têm reuniões onde os membros podem compartilhar sua recuperação uns com os outros e levar a mensagem de \na diretamente ao adicto que ainda sofre. Os comitês de serviço de área fornecem os serviços diretos que ajudam os grupos a trabalhar melhor e a levar a mensagem mais longe do que poderiam sozinhos. Neste capítulo, nós vamos focalizar os comitês de serviço regionais (CSR s). Os comitês regionais normalmente não prestam serviços diretos quer dizer que não administram linhas de ajuda, não organizam painéis de H&I, nem realizam os programas de informação ao público. As regiões são formadas simplesmente para reunir e desenvolver os recursos para os serviços locais que podem ser aproveitados tanto pelos grupos quanto pelas áreas no melhor cumprimento de suas responsabilidades. Que tipo de recursos são desenvolvidos pelo comitê regional, e como ele os desenvolve? Membros individuais do comitê recebem designação de recursos em cada campo de serviço, agindo como contatos informados para os subcomitês de áreas. Os comitês regionais organizam fóruns de serviço para destacar e aumentar as habilidades nos vários ramos de serviço. Os temas dos fóruns variam de como manter eficazes as reuniões de Narcóticos Anônimos, até como começar e coordenar os trabalhos dos subcomitês de áreas. A assembléia regional, conduzida pelo menos uma vez por ano pelo CSR, reúne os representantes dos grupos junto aos DR s para discutirem os assuntos que afetam a Irmandade mundial. Neste capítulo, na maior parte do tempo, vamos examinar o modelo básico de um CSR, um plano simples e não oneroso, para reunir os recursos de serviço a serem utilizados por todos os grupos e áreas da região. Um apêndice deste capítulo descreve algumas variações no modelo básico que algumas regiões utilizam para melhor preencher as necessidades locais. Nós encorajamos seu CSR a experimentar este modelo para descobrir maneiras de melhor servir a comunidade local de NA, sempre lembrando de manter as coisas simples. OS PARTICIPANTES DO COMITÊ REGIONAL Membros do comitê regional (MCR s) formam o núcleo do CSR, complementado pelos DR s. Algumas regiões também escolhem membros de comitês para curto e longo prazos, por seus talentos especiais de executar tarefas específicas.

4 Sub-Comitê Regional de Revisão e tradução de literatura O SRTL tem a função de traduzir a literatura de NA aprovada pela irmandade e revisa-la, deixando os itens das literaturas em português prontos para produção e distribuição. Seu propósito é o de possibilitar que a mensagem escrita em NA, em português seja levada ao adicto que ainda sofre. Quem define quais literaturas são prioridades serão os Grupos através de uma moção ou de uma lista enviadas aos mesmo pelos MCR S e trazida na próxima Reunião do CSR Podendo este Sub-Comitê elaborar estudos via Internet, desde que se reúnam no mínimo uma vez por mês para apreciação de interessados sendo a aprovação somente em uma reunião fisica Traduções Os subcomitês de traduções realizam um dos mais básicos serviços possíveis para uma comunidade de NA: Eles asseguram que a mensagem escrita de NA esteja disponível no idioma falado pelos membros locais. Os subcomitês de tradução também fazem a tradução de periódicos e correspondências para que os membros e suas comunidades possam participar de uma forma mais abrangente na vida mundial da Irmandade de NA. Se sua comunidade de NA precisa de um subcomitê de tradução, mas ainda não conta com um, o Comitê de Traduções dos Serviços Mundiais estará feliz em ajudar você a iniciar um. Para mais assistência, entre em contato com o coordenador de traduções do WSO. FOLHETOS DE SERVIÇO Folhetos de Serviço (SP) foram feitos para uso como recurso para os grupos e corpos de serviço. O Quadro Mundial foi direcionado por uma moção na WSC de 2006 a desenvolver folhetos relacionados ao serviço para uso pela irmandade. Os folhetos de serviço não foram feitos para ser literatura de recuperação nem para serem usados como tema básico durante reuniões de recuperação. O seu objetivo é ajudar nas suas discussões nas reuniões de serviço de grupo ou em comitês de serviço. São a nossa melhor tentativa de relacionar algumas das práticas mais bem sucedidas em nossa irmandade ao lidar com questões difíceis ou sensíveis. Estes folhetos são semelhantes ao que foi anteriormente lançado como Boletins do NAWS e devem ser tratados basicamente da mesma maneira. Os Serviços Mundiais de NA (NAWS) podem adaptar estes folhetos facilmente. Portanto, suas idéias e sugestões são bem-vindas e nós os convidamos a enviá-las. Estes folhetos têm o objetivo de ser uma ferramenta a mais em assistir a todos nós em nossos esforços de levar a mensagem ao adicto que ainda sofre. 1. Comportamento perturbador e violento 2. Reuniões de serviço dos grupos 3. Servidores de confiança dos grupos 4. Grupos de NA e medicação

5 Quadro de Custódios do Serviço Mundial Boletim n o 15 Reuniões Abertas e Fechadas de NA O Quadro de Custódios do Serviço Mundial recomenda as seguintes diretrizes e definições: 1. Uma reunião de Narcóticos Anônimos, quer aberta ou fechada, é um refúgio para adictos. Pretende ser um lugar seguro e benéfico, onde um adicto pode ouvir a respeito e participar da recuperação da doença da adicção às drogas. Por mais que pudéssemos desejar, não podemos ser todas as coisas para todas as pessoas. 2. Uma reunião fechada em Narcóticos Anônimos é para aqueles indivíduos que se identificam como adictos ou para aqueles que não têm certeza e pensam que podem ter um problema com drogas. Uma reunião fechada de Narcóticos Anônimos proporciona uma liberdade que é necessária para uma partilha mais íntima e pessoal pelos seus membros. Realiza isso ao proporcionar uma atmosfera em que os adictos podem se sentir mais seguros de que aqueles que estão presentes serão capazes de se identificar com eles e partilhar sua própria experiência, força e esperança. 3. Uma reunião aberta é uma reunião de NA a que podem comparecer todos aqueles (por ex., juízes, assistentes sociais, profissionais, membros da família) interessados em como encontramos recuperação da doença da adicção. No entanto, a participação verbal é restrita aos membros de NA. Uma reunião aberta em Narcóticos Anônimos permite que as pessoas de fora da irmandade observem o que é e como funciona Narcóticos Anônimos. Isto pode ser muito útil para aqueles indivíduos que estão se esforçando para chegar a uma conclusão sobre sua condição pessoal como um adicto. Uma reunião aberta em Narcóticos Anônimos é um método que nossos grupos utilizam para realizar seu propósito primordial de levar a mensagem ao adicto que ainda sofre. Alguns grupos também fazem reuniões abertas como um meio de permitir que os amigos não adictos e parentes dos membros de NA celebrem os aniversários de recuperação com eles. 4. Nossa estrutura de serviço fornece amplos meios para a participação de não adictos em Narcóticos Anônimos. Além de reconhecer a necessidade e o valor de custódios não adictos (Guia Temporário de Trabalho para Nossa Estrutura de Serviço) e trabalhadores especializados não adictos (Oitava Tradição), a irmandade aprovou um material (Manual de Informação ao Público) que serve para reuniões comunitárias de informação pública. Estas reuniões são o veículo para os esforços dos comitês de serviço, que estão orientados para transmitir informação sobre nossa irmandade para o público em geral; não são reuniões regulares de NA e são a abordagem preferida para informar ao público em geral sobre Narcóticos Anônimos. Essa abordagem evita confusão, não representa ameaça ao anonimato, não afeta a mensagem de NA nas reuniões regulares e nos permite continuar nossa recuperação e serviço, ao mesmo tempo que vai de encontro às necessidades dos não adictos interessados em NA. (Reimpresso do NA Way Magazine, dezembro de 1987)

6 ROTEIRO 10:00 1. Abertura ORAÇÃO DA SERENIDADE 10:15 2. Os serviços Regionais. 10:45 3. Comitê de tradução e revisão de literatura. 11:15 4. Temática - Reunião aberta - como coordená-la. 12:00 5. Temática-Como lidar com membros agressivos e sob efeito de remédios nas reuniões. 13:00 Almoço 14h30 6. Temática- Nossa 5a tradição. 15h30 7. Temática - Tesouraria de grupo. 16h30 8. Fórum de discução. Quais as dificuldades de servir NA? 9. 18hs. Encerramento. ORAÇÃO DA SERENIDADE Diretrizes para o Membro Como membro de NA há duas coisas que você pode fazer para assegurar que o dinheiro de seu grupo será manuseado corretamente: 1. Você pode pedir que o tesoureiro de seu grupo traga seus registros a todas as reuniões de serviço; 2. Você pode pedir que seu grupo tenha reuniões de serviços pelo menos uma vez por mês. Diretrizes para o Tesoureiro de Grupo 1. Um Guia para os Serviços Locais em Narcóticos Anônimos diz que tempo limpo deve ser considerado quando escolhemos servidores de grupo: Há um par de coisas a serem consideradas quando procuramos servidores de grupo. Uma é a maturidade na recuperação. Quando aqueles que são novos na recuperação são eleitos para encargos, eles podem se sentir privados de tempo e energia que precisam para sua recuperação incipiente. Membros de grupos com 1 ou 2 anos limpos estão provavelmente estabilizados em suas recuperações pessoais. Eles estão também mais familiarizados com as Tradições, os Conceitos e os procedimentos do grupo. É claro que padrões de tempo limpo variam de uma comunidade de NA para outra. Como diz no Guia, é importante estabelecer termos de serviços e tempo limpo requeridos realistas, que funcione em sua comunidade. 2. É uma boa idéia ter duas pessoas para contar a 7ª Tradição, não apenas o tesoureiro ou qualquer outro; 3. Não pegue emprestado o dinheiro do grupo. Nossa experiência diz que tesoureiros ou outros que assim o fazem tendem a não voltar mais para a irmandade, e nem devolver os recursos; 4. Não gaste o dinheiro do grupo sem antes perguntar ao grupo em reuniões de serviços; 5. Se for prático, abra uma conta bancária para o grupo, e tenha mais de uma assinatura para a conta. Isso irá proteger o dinheiro de seu grupo e poderá facilitar rastreá-lo; 6. É importante relembrar nossa 5ª Tradição: Cada grupo tem apenas um único propósito primordial levar a mensagem ao adicto que ainda sofre.quando seu grupo tiver mais dinheiro do que precisa, assegure o repasse do dinheiro extra para os níveis de serviço área, região e mundial. Dinheiro extra, guardado no grupo não ajuda NA a levar a mensagem sua mensagem de recuperação; 7. Deve haver apenas uma pessoa manuseando o dinheiro em seu grupo, preferencialmente o tesoureiro; 8. É muito importante que os tesoureiros passem seus relatórios aos tesoureiros seguintes. Assim poderá ajudar o grupo a perceber no futuro o que se passou com o dinheiro no passado.

...Totalmente auto-sustentável recusando contribuições de fora sétima tradição

...Totalmente auto-sustentável recusando contribuições de fora sétima tradição FOLHETO DE SERVIÇO - TRADUÇÃO NÃO-APROVADA 26/08/10 VERSÃO A ESTE MATERIAL NÃO PODE SER VENDIDO, MAS PODE SER DIVULGADO E COPIADO, SEGUNDO ORIENTAÇÕES DO MANUAL DE TRADUÇÕES ( BASIC TRANSLATIONS ) DA IRMANDADE

Leia mais

CSA SP NORTE ATA Setembro 2006 www.na.org.br/csaspnorte

CSA SP NORTE ATA Setembro 2006 www.na.org.br/csaspnorte CSA SP NORTE ATA Setembro 2006 www.na.org.br/csaspnorte Dados Gerais Da Reunião Data da Reunião 16/Setembro 2006 Local da Reunião GRUPO Vitória Inicio da Reunião 09:30 horas Termino da Reunião 17:40 horas

Leia mais

Narcotics Anonymous Narcóticos Anônimos. Livreto do Grupo. Revisado

Narcotics Anonymous Narcóticos Anônimos. Livreto do Grupo. Revisado Narcotics Anonymous Narcóticos Anônimos Livreto do Grupo Revisado Os Doze Passos de Narcóticos Anônimos 1. Admitimos que éramos impotentes perante a nossa adicção, que nossas vidas tinham se tornado incontroláveis.

Leia mais

CSA SP NORTE ATA Junho - 2006

CSA SP NORTE ATA Junho - 2006 Dados Gerais Da Reunião CSA SP NORTE ATA Junho - 2006 Data da Reunião 12 de agosto de 2006 Local da Reunião Grupo Redenção Inicio da Reunião 9:20 hs Termino da Reunião 17:00 hs Total de Grupos do CSA 15

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Procedimentos CSA SP NORTE MAIO 2008 1 INTRODUÇÃO: Este Manual tem a intenção de ser um instrumento que nos dê direção em assuntos que venham a ser decididos ou que precisem da opinião do CSA

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO CSA SÃO PAULO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO CSA SÃO PAULO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO CSA SÃO PAULO Manual de Procedimentos do CSA São Paulo Este Manual de Procedimentos foi feito para ser usado e compreendido por todos os RSG s e servidores do Comitê de Serviço

Leia mais

Manter se limpo na rua

Manter se limpo na rua Manter se limpo na rua Tradução de literatura aprovada pela Irmandade de NA. Copyright 1993 by Narcotics Anonymous World Services, Inc. Todos os direitos reservados Muitos de nós tiveram o primeiro contato

Leia mais

IP Nº 24. Importância do Dinheiro Autossustento em NA

IP Nº 24. Importância do Dinheiro Autossustento em NA IP Nº 24 Importância do Dinheiro Autossustento em NA ...totalmente autossustentado, recusando contribuições de fora. Sétima Tradição Uma história tem sido contada a respeito dos primórdios de Narcóticos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ÍNDICE Prefácio...pg. 03 Histórico de Narcóticos Anônimos no Paraná...pg. 04 CAPITULO 01 As Doze Tradições de N.A...pg. 05 Os Doze Conceitos para Serviço em N.A...pg. 06 CAPITULO 02 Comitê de Serviço de

Leia mais

PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE

PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE Guia do Al-Anon PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE Introdução Os Grupos Familiares Al-Anon reconhecem o potencial e o valor da internet para comunicar informações sobre o Al-Anon/Alateen, oferecendo esperança

Leia mais

COMITÊ DE SERVIÇOS DA REGIÃO BRASIL

COMITÊ DE SERVIÇOS DA REGIÃO BRASIL Este guia tem o intuito de auxiliar os trabalhos desenvolvidos pelo Comitê de Serviço da Região (CSR) Brasil. Nele você encontrará diretrizes para os procedimentos estabelecidos dentro deste comitê de

Leia mais

PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL

PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL Guia do Al-Anon C-12 PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL Este Guia define as funções e responsabilidades da Junta de Curadores dos Grupos Familiares Al-Anon do Brasil, bem

Leia mais

ATA da reunião de Fevereiro de 2014

ATA da reunião de Fevereiro de 2014 Comitê de Serviço de Área -CSA SP NORTE Rua Gabriel Piza, 487 Santana São Paulo - SP www.na.org.br/csaspnorte Linha de 3101-9626 ATA da reunião de Fevereiro de 2014 DADOS GERAIS Data 08/02/2014 Local Rua

Leia mais

Guias do Al-Anon G-27

Guias do Al-Anon G-27 Guias do Al-Anon G-27 PARA UMA REUNIÃO ABERTA DE INFORMAÇÃO AO PÚBLICO Muitos Grupos realizam reuniões abertas de Informação ao Público para comemorar o aniversário do Grupo. Outros, realizam reuniões

Leia mais

PARA UMA REUNIÃO ABERTA DE INFORMAÇÃO AO PÚBLICO

PARA UMA REUNIÃO ABERTA DE INFORMAÇÃO AO PÚBLICO Guia do Al-Anon G-27 PARA UMA REUNIÃO ABERTA DE INFORMAÇÃO AO PÚBLICO Muitos Grupos realizam reuniões abertas de Informação ao Público para comemorar o aniversário do Grupo. Outros realizam reuniões abertas

Leia mais

PARA O COMITÊ DE CONFERÊNCIA DE SERVIÇOS GERAIS (CSG) 1 A Conferência de Serviços Gerais, do ponto de vista estatutário.

PARA O COMITÊ DE CONFERÊNCIA DE SERVIÇOS GERAIS (CSG) 1 A Conferência de Serviços Gerais, do ponto de vista estatutário. 29GE PARA O COMITÊ DE CONFERÊNCIA DE SERVIÇOS GERAIS (CSG) 1 A Conferência de Serviços Gerais, do ponto de vista estatutário. A Conferência de Serviços Gerais é o corpo permanente autorizado a expressar

Leia mais

AUTORIZAÇÕES DE DIREITOS AUTORAIS

AUTORIZAÇÕES DE DIREITOS AUTORAIS FONTE : http://www.oa.org/membersgroups/copyright-requests/ Se você é o editor de um boletim para seu Intergrupo ou Junta de Serviço ou se você está reproduzindo trechos da literatura de CCA para eventos

Leia mais

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS XXXIII ENCONTRO DE A.A. DO DF E ENTORNO

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS XXXIII ENCONTRO DE A.A. DO DF E ENTORNO ALCOÓLICOS ANÔNIMOS XXXIII ENCONTRO DE A.A. DO DF E ENTORNO O RV INDO ALÉM DE SUA FRONTEIRA: O GRUPO Revista vivência: ObjetivOs: a. Tem como objetivo principal informar ao público em geral como funciona

Leia mais

Roteiro Sugerido para Reuniões

Roteiro Sugerido para Reuniões Roteiro Sugerido para Reuniões Acreditamos que o uso consistente deste roteiro faz com que as reuniões sejam focadas na recuperação em CCA, fortalece nosso programa e estimula a unidade. Ele também oferece

Leia mais

PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE

PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE Guias do Al-Anon G-39/S-60 PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE Os Grupos Familiares Al-Anon reconhecem o potencial e o valor da Internet para comunicar informações sobre o Al-Anon/Alateen, oferecendo esperança

Leia mais

REUNIÃO DE SERVIÇO MAIO 2011

REUNIÃO DE SERVIÇO MAIO 2011 Linha de Ajuda Cearense - (85) 9115-4664/8535-6628 23 de Maio de 2011 REUNIÃO DE SERVIÇO MAIO 2011 PROXIMA REUNIÃO 18/07/2011 ASSEMBLEIA Numero: (85) 9115-4664 / 8535-6628 Grupo de Email: linhadeajuda-ce@yahoogrupos.com.br

Leia mais

Sobre o Grupo. Introdução. O que é um grupo de NA?

Sobre o Grupo. Introdução. O que é um grupo de NA? Sobre o Grupo Tradução de literatura aprovada pela Irmandade de NA. Copyright 1994 by Narcotics Anonymous World Services, Inc. Todos os direitos reservados Introdução Existem muitas formas de se fazer

Leia mais

Os próximos passos. Discussões Temáticas da Irmandade 2006-2008. Formação de Grupos de Escolha Fortes. www.na.org/ discussion_ boards.

Os próximos passos. Discussões Temáticas da Irmandade 2006-2008. Formação de Grupos de Escolha Fortes. www.na.org/ discussion_ boards. Discussões Temáticas da Irmandade 2006-2008 Os próximos passos Acesse www.na.org/ discussion_ boards.htm para saber das informações mais atualizadas sobre as Discussões Temáticas da Irmandade, e participar

Leia mais

Chamada das Áreas, Servidores da Mesa e RSG s, para verificação de quórum Estiveram presentes 09 membros, sendo 06 os membros votantes:

Chamada das Áreas, Servidores da Mesa e RSG s, para verificação de quórum Estiveram presentes 09 membros, sendo 06 os membros votantes: CSR - Comitê de Serviço Regional Rio Grande do Sul Ata 06 16 de junho de 2012 Data: 16/06/2012 - Sábado Local: Sede do CSA Porto Alegre Início: 20:00h Término: 00:00h Abertura com a Oração da Serenidade

Leia mais

PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE

PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE PARA REUNIÕES AL-ANON ON-LINE S-60 Os Grupos Familiares Al-Anon reconhecem o potencial e o valor da Internet para comunicar informações sobre o Al-Anon/Alateen, oferecendo esperança e alívio a familiares

Leia mais

Jovens ADICTOS, para. Jovens ADICTOS

Jovens ADICTOS, para. Jovens ADICTOS [ De ADICTOS, para Jovens Jovens ADICTOS ] [viver] Este folheto foi escrito por jovens membros de Narcóticos Anônimos que ficaram limpos e descobriram uma nova maneira de viver. Jovens adictos em todo

Leia mais

A TECNOLOGIA SEM COMPROMETER AS TRADIÇÕES

A TECNOLOGIA SEM COMPROMETER AS TRADIÇÕES DIRETRIZES DE CCA Diretrizes para desenvolvimento de web sites USANDO A TECNOLOGIA SEM COMPROMETER AS TRADIÇÕES Link original http://www.oa.org/pdfs/webguidelines.pdf ÍNDICE Introdução Quem desenvolve

Leia mais

PARA INICIAR UM GRUPO AL-ANON

PARA INICIAR UM GRUPO AL-ANON Guia do Al-Anon G-12 PARA INICIAR UM GRUPO AL-ANON Se não houver nenhum Grupo Al-Anon em sua comunidade, você pode iniciar um, junto com uma ou duas outras pessoas que precisam e querem a ajuda do Al-Anon.

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Organizando Voluntariado na Escola Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Objetivos 1 Entender a importância de fazer um planejamento. 2 Aprender como planejar o projeto de voluntariado. 3 Conhecer ferramentas

Leia mais

PARA DIVULGAÇÃO DO NAR-ANON

PARA DIVULGAÇÃO DO NAR-ANON PARA DIVULGAÇÃO DO NAR-ANON 36GE Este Guia tem como finalidade incentivar e capacitar os membros do Nar-Anon que compõem esses comitês e serviços. Nele são abordados os três aspectos principais da divulgação

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA PROPÓSITO E AUTORIDADE QUEPASA CORPORATION REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA O comitê de auditoria da mesa diretiva do Quepasa Corporation (a Companhia ) se apresenta diante das responsabilidades

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Expansão do Fórum Social Mundial: Algumas questões e Sugestões Amit Sen Gupta (FSM, ad hoc Comitê

Leia mais

AL-ANON 50 ANOS TRANSFORMANDO VIDAS

AL-ANON 50 ANOS TRANSFORMANDO VIDAS MAIO DE 1935 BILL W. E BOB S. SE CONHECEM 10 DE JUNHO DE 1935 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS TEM INÍCIO A ASSOCIAÇÃO ENTRE FAMILIARES E AMIGOS DE ALCOÓLICOS COMEÇOU EM MEADOS DOS ANOS 1930, QUANDO OS ALCOÓLICOS E

Leia mais

Processo para Candidatura, Recrutamento, Revisão e Avaliação dos Candidatos (as) Indicados (as) para o Cargo de Moderador(a)

Processo para Candidatura, Recrutamento, Revisão e Avaliação dos Candidatos (as) Indicados (as) para o Cargo de Moderador(a) Processo para Candidatura, Recrutamento, Revisão e Avaliação dos Candidatos (as) Indicados (as) para o Cargo de Moderador(a) Emitido pelo Comitê de Nomeação de Moderador(a) Março de 2014 Aprovado pela

Leia mais

Só você pode responder a esta pergunta.

Só você pode responder a esta pergunta. Sou um adicto? Tradução de literatura aprovada pela Irmandade de NA. Copyright 1991 by Narcotics Anonymous World Services, Inc. Todos os direitos reservados. Só você pode responder a esta pergunta. Isto

Leia mais

DIRETRIZES PARA COORDENAR REUNIÕES PARA RECÉM CHEGADOS

DIRETRIZES PARA COORDENAR REUNIÕES PARA RECÉM CHEGADOS DIRETRIZES PARA COORDENAR REUNIÕES PARA RECÉM CHEGADOS Conteúdo Tipos de Reuniões Sugestões para coordenadores Tópicos para reuniões para recém chegados Preparativos para a reunião Este folheto foi escrito

Leia mais

ANALISE AS RESPOSTAS DA PESQUISA COMPARTILHE OS RESULTADOS COM OS SÓCIOS DO SEU CLUBE E OUTROS COMPANHEIROS LEÕES

ANALISE AS RESPOSTAS DA PESQUISA COMPARTILHE OS RESULTADOS COM OS SÓCIOS DO SEU CLUBE E OUTROS COMPANHEIROS LEÕES Serviços Leonísticos para Crianças Avaliação das necessidades da comunidade Os dados estatísticos atuais revelam que milhões de crianças em todas as partes do mundo sofrem de pobreza, doenças, deficiências

Leia mais

Coordenadora pergunta: Há alguém aqui pela primeira, segunda ou terceira vez?

Coordenadora pergunta: Há alguém aqui pela primeira, segunda ou terceira vez? Para falar em preto Para colar em azul Orientações em vermelho ROTEIRO PARA REUNIÕES DE RECUPERAÇÃO Bem-vindos a reunião do grupo online de comedores compulsivos anônimos. Somos e, comedoras compulsivas,

Leia mais

DIRETOR DE ASSOCIADOS DE CLUBES DISTRITO LC-8 SÃO PAULO - BRASIL

DIRETOR DE ASSOCIADOS DE CLUBES DISTRITO LC-8 SÃO PAULO - BRASIL DIRETOR DE ASSOCIADOS DE CLUBES DISTRITO LC-8 SÃO PAULO - BRASIL CONCEITOS IMPORTANTES (I) Elegibilidade à Afiliação Manual da Diretoria Internacional - obrigações dos clubes constituídos 1. Investigar

Leia mais

CONHECENDO A PSICOTERAPIA

CONHECENDO A PSICOTERAPIA CONHECENDO A PSICOTERAPIA Psicólogo Emilson Lúcio da Silva CRP 12/11028 2015 INTRODUÇÃO Em algum momento da vida você já se sentiu incapaz de lidar com seus problemas? Se a resposta é sim, então você não

Leia mais

100 Dicas do Presidente do RI Sakuji Tanaka para Fortalecer os Rotary Clubs

100 Dicas do Presidente do RI Sakuji Tanaka para Fortalecer os Rotary Clubs 100 Dicas do Presidente do RI Sakuji Tanaka para Fortalecer os Rotary Clubs 1. Fazer mais atividades humanitárias com maior enfoque. 2. Ajustar o número de comissões ao tamanho do clube. 3. Fazer com que

Leia mais

SCOUTWEB 2010. Informativo da Rede Nacional de Jovens da UEB n 1_2010 [1]

SCOUTWEB 2010. Informativo da Rede Nacional de Jovens da UEB n 1_2010 [1] SCOUTWEB 2010 Informativo da Rede Nacional de Jovens da UEB n 1_2010 [1] Olá Rede, Sempre Alerta! Agora vocês tem um periódico nacional dos Jovens Líderes, um documento para para alegrar seus dias e deixa-los

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

PARA REUNIÃO DE AL-ANON E ALATEEN EM INSTITUIÇÕES

PARA REUNIÃO DE AL-ANON E ALATEEN EM INSTITUIÇÕES Guia do Al-Anon G-9 PARA REUNIÃO DE AL-ANON E ALATEEN EM INSTITUIÇÕES O que são reuniões em Instituições? São reuniões que se realizam em hospitais, instituições penais e correcionais, juizados, clínicas

Leia mais

Guia do Al-Anon G-4 PARA UM SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AL-ANON

Guia do Al-Anon G-4 PARA UM SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AL-ANON Guia do Al-Anon G-4 PARA UM SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AL-ANON HISTÓRICO E UTILIDADE DOS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AL-ANON Foi em New York que se criou o primeiro Intergrupo (Serviço de Informação Al-Anon atual),

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica Inteligência em redes sociais corporativas Como usar as redes internas de forma estratégica Índice 1 Introdução 2 Por que uma rede social corporativa é um instrumento estratégico 3 Seis maneiras de usar

Leia mais

CATÁLOGO DE LITERATURA DO AL-ANON/ALATEEN L I V R O S

CATÁLOGO DE LITERATURA DO AL-ANON/ALATEEN L I V R O S CATÁLOGO DE LITERATURA DO AL-ANON/ALATEEN L I V R O S B-3 B-4 B-8 Alateen esperança para filhos de alcoólicos Uma mina de ouro de informação escrita pelos próprios Alateens. Abrange a história do Alateen,

Leia mais

REGRAS DE PROCEDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO PARLAMENTAR DAS AMÉRICAS

REGRAS DE PROCEDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO PARLAMENTAR DAS AMÉRICAS REGRAS DE PROCEDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO PARLAMENTAR DAS AMÉRICAS REGRAS DE PROCEDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO PARLAMENTAR DAS AMÉRICAS 1. Desenvolvimento das reuniões do Comitê Executivo 1.1 Ordem do dia 1.2

Leia mais

Saudações do seu Quadro Mundial. Um Adicto Ajudando Outro Adicto 1953 2003

Saudações do seu Quadro Mundial. Um Adicto Ajudando Outro Adicto 1953 2003 VOLUME 8 BOLETIM INFORMATIVO DOS SERVIÇOS MUNDIAIS DE NA NÚMERO 1 OUTUBRO DE 2002 PO BOX 9999, VAN NUYS, CA 91409 WORLDBOARD@NA.ORG Saudações do seu Quadro Mundial Entre os dias 7 e 10 de agosto, realizamos

Leia mais

Passos para recrutar voluntários

Passos para recrutar voluntários Passos para recrutar voluntários Encontrando o voluntário Faça um - mostrando o que Deus está fazendo no ministério Coloque no boletim um Em todos os eventos do ministério que levantam outras pessoas passe

Leia mais

Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria

Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria Use o Dinheiro com Sabedoria Serasa Experian e Educação Financeira O Programa Serasa Experian de Educação Financeira Sonhos Reais é uma iniciativa que alia o conhecimento

Leia mais

2.2.2 Workshops de requisitos

2.2.2 Workshops de requisitos Unidade 2: Elicitação de Requisitos (Parte c) 1 2.2.2 Workshops de requisitos Os workshops ou oficinas de requisitos constituem uma das técnicas mais poderosas para a extração de requisitos. Eles reúnem

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

Conselho Missionário da Igreja. O que é? Como organizar?

Conselho Missionário da Igreja. O que é? Como organizar? Conselho Missionário da Igreja O que é? Como organizar? O que é? Como organizar? É o agente da Missão é o Corpo de Cristo e o comprometimento da Igreja surge a partir da oração, estudo dos princípios bíblia

Leia mais

Apresentação dos convidados e do moderador. Como vai a vida. O que está acontecendo de bom e de ruim.

Apresentação dos convidados e do moderador. Como vai a vida. O que está acontecendo de bom e de ruim. PESQUISA SEGUROS ROTEIRO 1. Abertura da reunião Apresentação dos convidados e do moderador 2. Aquecimento Como vai a vida. O que está acontecendo de bom e de ruim. Está dando para viver? 3. Valores (espontâneo)

Leia mais

SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação

SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação CURRÍCULO DO PROGRAMA SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação Para muita gente, os sonhos são apenas sonhos. Não levam necessariamente a ações diretas para transformar tais sonhos em realidade. Esta

Leia mais

Treinamento Online para o Segundo Vice-Governador de Distrito

Treinamento Online para o Segundo Vice-Governador de Distrito Treinamento Online para o Segundo Vice-Governador de Distrito Apostila Bem-Vindo ao Treinamento Online para o Segundo Vice-Governador de Distrito! Parabéns pela sua eleição ao cargo de segundo vice-governador

Leia mais

ICC 110-13 Rev. 1. 23 março 2015 Original: inglês. Termos de referência para Comitês e órgãos consultivos. Antecedentes

ICC 110-13 Rev. 1. 23 março 2015 Original: inglês. Termos de referência para Comitês e órgãos consultivos. Antecedentes ICC 110-13 Rev. 1 23 março 2015 Original: inglês P Termos de referência para Comitês e órgãos consultivos Antecedentes O presente documento contém os termos de referência atualizados para os seguintes

Leia mais

MAIS HUMANAS! Quanto eu devo pagar - Para utilizar nossa estrutura, o instrutor além de não pagar, ainda recebe 60% pelos cursos vendidos

MAIS HUMANAS! Quanto eu devo pagar - Para utilizar nossa estrutura, o instrutor além de não pagar, ainda recebe 60% pelos cursos vendidos Cursos humanizados - A Educar e Transformar se dedica ao sonho de gerar cursos para lideranças profissionais de recursos humanos, com mentalidade de humanização na administração, cursos para líderes, motivação,

Leia mais

Guia de Tratamento para Dependentes Químicos. Tudo isso você vai saber agora neste Guia de Tratamento para Dependentes Químicos

Guia de Tratamento para Dependentes Químicos. Tudo isso você vai saber agora neste Guia de Tratamento para Dependentes Químicos Guia de para Dependentes Químicos O que fazer para ajudar um dependente químico? Qual é o melhor procedimento para um bom tratamento? Internação Voluntária ou Involuntária Como decidir? Como fazer? O que

Leia mais

Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência

Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência O que é o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) e quais são seus objetivos? O Modelo de Excelência da Gestão reflete a experiência, o conhecimento

Leia mais

Formulário de Inscrição Ajuda de Custo de Viagem e/ou Estada. 1o Encontro Nacional de Intercambistas dos Programas do Governo dos Estados Unidos

Formulário de Inscrição Ajuda de Custo de Viagem e/ou Estada. 1o Encontro Nacional de Intercambistas dos Programas do Governo dos Estados Unidos Formulário de Inscrição Ajuda de Custo de Viagem e/ou Estada 1o Encontro Nacional de Intercambistas dos Programas do Governo dos Estados Unidos Liderança para o Desenvolvimento da Responsabilidade Social

Leia mais

GUIA PARA O FUNDO DE RESERVA

GUIA PARA O FUNDO DE RESERVA Guia do Al-Anon G-41 GUIA PARA O FUNDO DE RESERVA Introdução Este Guia foi criado atendendo solicitações de membros de Al-Anon, que buscam orientações que os auxiliem a definir qual deveria ser o tamanho

Leia mais

A.A. Guidelines Comitê de Finanças

A.A. Guidelines Comitê de Finanças A.A. Guidelines Comitê de Finanças from G.S.O., Box 459, Grand Central Station, New York, NY 10163 Os Guias são compilados a partir da experiência compartilhada dos membros de A.A. em várias áreas de serviço.

Leia mais

A Regra da Ordem Terceira da Sociedade de São Francisco ii.2) A Constituição da TSSF

A Regra da Ordem Terceira da Sociedade de São Francisco ii.2) A Constituição da TSSF A Regra da Ordem Terceira da Sociedade de São Francisco ii.2) A Constituição da TSSF 1. A Ordem 1.1.a A Ordem Terceira da Sociedade de São Francisco (TSSF) vem originalmente da revivificação dentro da

Leia mais

Mundo das Especialidades Orçamento Familiar - Habilidades Domésticas - 06

Mundo das Especialidades Orçamento Familiar - Habilidades Domésticas - 06 Mundo das Especialidades Orçamento Familiar - Habilidades Domésticas - 06 Texto: Khelven Klay e Diagramação: Ranmaildo Revorêdo, Quem sabe você ainda não esteja muito habituado a ouvir palavras ligadas

Leia mais

Estendendo a Mão Outubro 2013

Estendendo a Mão Outubro 2013 Volume 28, Número 4 Estendendo a Mão Outubro 2013 Bem-vindo 2 Do lado de dentro 3 Do lado de fora 8 Formulário de pedido de assinatura 16 O esforço é o início de uma luta que nos tornará livres. Demolirá

Leia mais

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO GUIA DO ALUNO Prezado(a) Aluno(a), O Guia do Aluno é um instrumento normativo que descreve os padrões de qualidade dos processos acadêmicos e administrativos necessários ao desenvolvimento dos cursos de

Leia mais

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes Com o objetivo de garantir a presença da população na construção e no planejamento de políticas públicas, o Governo de Minas Gerais instituiu

Leia mais

Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação

Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Corporação Financeira Internacional 26 de agosto de 2009 SUMÁRIO PÁGINA Resumo executivo...

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

Thursday, October 18, 12

Thursday, October 18, 12 O Site Legado do IFP é uma comunidade online e global dos ex-bolsistas do programa. É um recurso e um lugar para você publicar notícias profissionais, recursos e teses para a comunidade global do IFP,

Leia mais

SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos

SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos CURRÍCULO DO PROGRAMA SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos Iniciando o currículo do Sonhe, Realize, o objetivo desta sessão é começar estabelecer um espaço seguro e acolhedor para as participantes, começar

Leia mais

ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SOBRECARGA DOS FAMILIARES FBIS-BR

ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SOBRECARGA DOS FAMILIARES FBIS-BR Bandeira et al., (2006). Escala de Sobrecarga Familiar 1 ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SOBRECARGA DOS FAMILIARES FBIS-BR Escala adaptada e validada pelo Laboratório de Pesquisa em Saúde Mental (LAPSAM) www.lapsam.ufsj.edu.br

Leia mais

Novell Teaming 2.0. Novell. 29 de julho de 2009. Início Rápido. Iniciando o Novell Teaming. Conhecendo a interface do Novell Teaming e seus recursos

Novell Teaming 2.0. Novell. 29 de julho de 2009. Início Rápido. Iniciando o Novell Teaming. Conhecendo a interface do Novell Teaming e seus recursos Novell Teaming 2.0 29 de julho de 2009 Novell Início Rápido Quando você começa a usar o Novell Teaming, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

Modelo de Plano de Ação

Modelo de Plano de Ação Modelo de Plano de Ação Para a implementação da Estratégia Multimodal da OMS para a Melhoria da Higiene das Mãos Introdução O Modelo de Plano de Ação é proposto para ajudar os representantes de estabelecimentos

Leia mais

Avaliação de Interfaces Humano- Computador

Avaliação de Interfaces Humano- Computador Avaliação de Interfaces Humano- Computador Classificação de métodos de avaliação Inspeção de usabilidade Não envolve usuários Usado em qualquer fase do desenvolvimento do sistema Testes de usabilidade

Leia mais

REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I. Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos

REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I. Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos Art.1º A Diretoria Regional (DR) da SBEM-RN é órgão executivo

Leia mais

Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O pão da avó

Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O pão da avó Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O pão da avó Sumário Sobre a série... 3 Material de apoio... 3 Roteiro para uso dos vídeos em grupos... 4 Orientações para o facilitador... 4 Conduzindo

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

Coordena as reuniões da Assembléia Geral (Comissão e todos os formandos da turma); Coordena e supervisiona as atividades da Comissão de Formatura.

Coordena as reuniões da Assembléia Geral (Comissão e todos os formandos da turma); Coordena e supervisiona as atividades da Comissão de Formatura. A comissão O primeiro passo é formar uma Comissão, escolhida pela(s) turma(s). Essa Comissão deve ser composta por pessoas disponíveis, responsáveis e interessadas em acompanhar todas as etapas do processo.

Leia mais

O Comitê Gestor da CEIHC é composto por postos deliberativos e postos consultivos.

O Comitê Gestor da CEIHC é composto por postos deliberativos e postos consultivos. REGIMENTO DA COMISSÃO ESPECIAL DE INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO (CEIHC-SBC) Data de Aprovação em Assembléia: 26 de outubro de 2011 1 Objetivo A Comissão Especial de

Leia mais

CARTA AO PASTOR. O Instituto Haggai também zela pela qualidade do curso ao aplicar uma política constante de avaliação das aulas e dos docentes.

CARTA AO PASTOR. O Instituto Haggai também zela pela qualidade do curso ao aplicar uma política constante de avaliação das aulas e dos docentes. 2 CARTA AO PASTOR Prezado Pastor: Todo líder de uma organização cristã sente a necessidade de desenvolver outros líderes. Na verdade, todos os profissionais cristãos precisam ser desafiados à liderança

Leia mais

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, a primeira norma ambiental internacional do mundo tem ajudado milhares de

Leia mais

CAPÍTULO XXXXI PUBLICAÇÕES

CAPÍTULO XXXXI PUBLICAÇÕES CAPÍTULO XXXXI PUBLICAÇÕES A. PUBLICAÇÕES OFICIAIS A Diretoria Internacional terá jurisdição, controle e supervisão exclusiva sobre todas as publicações oficiais desta associação. B. DESIGNAÇÃO DE "PUBLICAÇÃO

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido

Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido Folheto do produto Genesys Chat Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido Hoje os clientes querem e esperam opções de autoatendimento quando participam de vendas on-line e

Leia mais

RELATÓRIO DA AGENDA DA CONFERÊNCIA

RELATÓRIO DA AGENDA DA CONFERÊNCIA O IMPORTANTE É LEVAR A MENSAGEM RELATÓRIO DA AGENDA DA CONFERÊNCIA 23 29 DE ABRIL DE 2006 Declaração de Missão da Conferência Mundial de Serviço A Conferência Mundial de Serviço reúne todos os e- lementos

Leia mais

ONG S E ASSOCIAÇÕES. Aproveite bem todas as dicas, fotos e textos deste guia, pois eles são muito importantes.

ONG S E ASSOCIAÇÕES. Aproveite bem todas as dicas, fotos e textos deste guia, pois eles são muito importantes. ONG S E ASSOCIAÇÕES PARA COMEÇAR Você tem vontade de participar mais do que acontece ao seu redor, dar uma força para resolver questões que fazem parte da rotina de certos grupos e comunidades e colocar

Leia mais

"DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta "DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA ESTATUTÁRIO Este Regimento Interno dispõe sobre os procedimentos

Leia mais

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo SONHOS AÇÕES Planejando suas conquistas passo a passo Todo mundo tem um sonho, que pode ser uma viagem, a compra do primeiro imóvel, tranquilidade na aposentadoria ou garantir os estudos dos filhos, por

Leia mais

MANIFESTO. A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa

MANIFESTO. A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa QUEM SOMOS NÓS? MANIFESTO A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa Somos adultos que participam em acções de alfabetização oriundos da Bélgica, França, Alemanha, Irlanda, Holanda,

Leia mais

Versão preliminar Revisão da implementação do programa

Versão preliminar Revisão da implementação do programa Versão preliminar Revisão da implementação do programa 16 de setembro de 2015 Este relatório, apresentado na forma preliminar para comentário público, tem como objetivo fornecer uma visão geral de alto

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Assessoria Swagelok em Energia. Um Recurso de Confiança para Otimizar o Desempenho do seu Sistema de Vapor

Assessoria Swagelok em Energia. Um Recurso de Confiança para Otimizar o Desempenho do seu Sistema de Vapor Assessoria Swagelok em Energia Um Recurso de Confiança para Otimizar o Desempenho do seu Sistema de Vapor Conheça a experiência de alguns clientes sobre a Assessoria Swagelok em Energia Com serviços de

Leia mais