FACULDADE DE BALSAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APLICABILIDADE DA TECNOLOGIA RFID NA RASTREABILIDADE ALIMENTAR JORGE ADRIANO GRAMPES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE DE BALSAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APLICABILIDADE DA TECNOLOGIA RFID NA RASTREABILIDADE ALIMENTAR JORGE ADRIANO GRAMPES"

Transcrição

1 FACULDADE DE BALSAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APLICABILIDADE DA TECNOLOGIA RFID NA RASTREABILIDADE ALIMENTAR JORGE ADRIANO GRAMPES Balsas MA 2010

2 FACULDADE DE BALSAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APLICABILIDADE DA TECNOLOGIA RFID NA RASTREABILIDADE ALIMENTAR Por Jorge Adriano Grampes Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito parcial para obtenção do título de Bacharel em Sistemas de Informação à Faculdade de Balsas, sob a orientação do Msc. Profº. Cleverton Marlon Possani. Balsas MA 2010

3 FACULDADE DE BALSAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO A comissão Examinadora, abaixo assinada, aprova o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). APLICABILIDADE DA TECNOLOGIA RFID NA RASTREABILIDADE ALIMENTAR Elaborada por Jorge Adriano Grampes como requisito parcial para obtenção de Bacharel em Sistemas de Informação BANCA EXAMINADORA: Prof. Msc. Cleverton Marlon Possani Profº Orientador Prof. Alexandre Maia Membro da Banca Examinadora Prof. Msc. Junior Bandeira Membro da Banca Examinadora

4 Dedico este trabalho ao meu querido pai que foi minha inspiração para a conclusão desta graduação, a todos os meus professores e colegas, que contribuíram para minha formação e principalmente a Deus, por ter me dado forças para concluir esta etapa de vida.

5 AGRADECIMENTOS A Deus, pela oportunidade, pela sabedoria, pela vida. Agradeço a minha família, meus pais Reni Jorge Grampes e Berenice Maria dos Santos Grampes, e ao meu irmão Frederico Anderson Grampes, pela confiança, por sempre estarem ao meu lado e pelo apoio durante todos esses momentos. Aos meus colegas de sala, dos quais muitos acabaram se tornando uma nova família. Agradeço o companheirismo e amizade dos colegas, que me ajudaram a crescer meu conhecimento. Juntos, fomos capazes de conquistar mais um objetivo de vida. A Cleverton Marlon Possani, pela orientação, leitura, dedicação e críticas que me levaram a conclusão e aperfeiçoamento do projeto. Agradeço aos professores da Faculdade de Balsas que durante todos esses anos de convívio participaram da minha graduação transmitindo conhecimento com muita sabedoria e dedicação. Aos meus amigos, que em momentos de trabalho souberam, como sempre, trazer descontração. Obrigado.

6 RESUMO Em tempos atuais, o consumidor está cada vez mais preocupado com a qualidade dos produtos que são consumidos, devido a este fator as empresas estão definindo conjuntos de políticas com o intuito de manter níveis elevados de qualidade dos produtos ofertados e assegurar que os mesmos se encontrem em ótimas condições para consumo. Para auxiliar nesse processo é necessária uma ferramenta tecnológica capaz de prover rastreamento que possibilite a disponibilização de informações precisas sobre todo o processo de fabricação e distribuição do produto, deste a produção até o consumidor final. Uma ferramenta inovadora que pode ser utilizada é a RFID (Radio Frequency IDentification), esta tecnologia permite que os objetos sejam identificados automaticamente utilizando radio frequência. O RFID vem sendo potencialmente utilizado em diversos segmentos do mercado e é uma ferramenta em potencial para otimização de processos que visam redução de custos e maximização de lucros. Este trabalho de conclusão de curso teve como foco principal propor uma arquitetura de comunicação de alto nível para um sistema de informação agregado com a tecnologia RFID para o rastreamento de frangos, a arquitetura visa reunir todas as informações relevantes ao processo produtivo e de distribuição em um único banco de dados, desta forma, em combinação com a tecnologia RFID, oferece rastreabilidade e controle das mercadorias ao envolvidos que participam do ciclo de vida do produto. Palavras-chaves: RFID (Radio Frequency IDentification), ferramenta tecnológica, rastreamento de alimentos, radio freqüência, segurança na produção.

7 ABSTRACT Nowadays, consumers are more concerned about the quality of the products that are consumed, for this reason companies are defining sets of policies in order to maintain high quality of products offered and ensures that they are under optimal conditions for consumption. To help in this process is a necessary technological tool capable of providing tracking to available accurate information about the entire process of manufacturing and distribution the product, from production to the final consumer. An innovative tool that can be used is RFID (Radio Frequency IDentification), this technology allows objects are identified automatically using radio frequency. RFID is being used in potentially different market segments and is a potential tool for optimizing processes to reduce costs and maximize profits. This conclusion of course work focused as main propose an architecture of high-level communication for a system to aggregate information with RFID technology to track chickens, architecture brings together all relevant information to the production process and distribution in a single database, this way, in combination with RFID, provides traceability and control of the commodity to the participants involved in the life cycle of the product. Keywords: RFID (Radio Frequency IDentification), tool technology, food tracking, radio frequency, safety in production.

8 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura Funcionamento do Sistema RFID Figura Diferentes tipos de Tags e Readers Figura Leitor UHF RFID Figura 3.4 Estrutura da TAG Figura 3.5 Etiquetas inteligentes ou Smart Labels Figura 3.6 Etiquetas inteligentes de bagagens Figura 3.7 Arquitetura Middleware Figura 3.8 Modelo de Circuito RFID: Padrão Único Figura 4.1 Operações do Sistema em Cada Estágio Figura 4.2 Arquitetura Interna Figura 4.3 Arquitetura Externa Figura 4.4 Consulta de Informações pelo o ID numérico Figura 4.5 Consulta de Informações pela etiqueta RFID Figura 4.6 Arquitetura em toda a cadeia... 59

9 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO RASTREABILIDADE Contexto Importância Legislação Legislação no Brasil A TECNOLOGIA RFID Histórico RFID Componentes de um sistema RFID Antena Leitor Tags Tag Passiva Tag Ativa Controlador ou Middleware Segurança Protocolo Faixa Freqüências Utilizadas Vantagens e Desvantagens Utilização da Identificação por Radiofreqüência no Brasil Projeto Brasil-ID para rastreamento de Mercadorias O Futuro do RFID Tendências... 42

10 4 ARQUITETURA PROPOSTA Rastreabilidade Alimentar Atual Exigências para aplicar o RFID na rastreabilidade Concepção do Sistema Rastreabilidade Interna Rastreabilidade Externa Rastreabilidade em toda a cadeia CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 54

11 10 1 INTRODUÇÃO Atualmente, a segurança alimentar se tornou uma preocupação primária a nível global, para fornecer a devida segurança, a rastreabilidade e monitoramento podem ser considerados fatores-chave no setor alimentar. Melhoria na detecção e acompanhamento sem perder a privacidade dos dados é requerida tanto pela legislação quanto pelas organizações de consumidores (BERNARDI, 2007). Um sistema de rastreabilidade pode levar a muitos benefícios, tais como: a retirada rápida do produto, proteção do consumidor, minimização de impacto financeiro, melhora a confiança do consumidor, maior eficiência, fornece informações sobre feedback, logísticos e de qualidade interna, informações para empresas, consumidores e autoridades. Em muitos países os sistemas de rastreabilidade são obrigatórios para empresas na cadeia alimentar, embora as regras sobre rastreabilidade e informações dos rótulos dos alimentos podem mudar de acordo com o país. No exterior, a Europa enfrentava problemas de segurança relacionados à crise da vaca louca, alguns fazendeiros tomaram a iniciativa de utilizar o RFID como ferramenta para oferecer rastreabilidade total e segurança no alimento ofertado (HOLMO, 2005). A tecnologia RFID, por exemplo, tem seu uso prático na cadeia produtiva de carne bovina, onde é utilizada no gerenciamento das propriedades rurais, na alimentação automática e no registro de dados como identificação eletrônica desde os anos 70, também surgiu como solução para sistemas de rastreamento e controle de acesso nos anos 80. Pelo fato de haver deficiência nos sistemas de rastreabilidade atuais, percebe-se que há necessidade da utilização de um sistema que forneça total rastreabilidade e monitoramento, que possa servir de apoio na disponibilização de informações precisas e confiáveis sobre todo processo de produção desde a matéria prima até o consumidor final. A tecnologia inovadora RFID é uma forte ferramenta para auxiliar no processo de rastreamento alimentar, pode ser potencialmente utilizada na rastreabilidade de qualquer mercadoria, principalmente na produção agropecuária e no varejo de alimentos (RIBEIRO, 2008).

12 11 RFID é uma tecnologia madura, na última década suas aplicações aumentaram em número e difusão, devido à alta redução dos seus custos. Quanto à gestão da cadeia de suprimentos, RFID pode ser adequadamente utilizado para gerenciamento de rastreabilidade (GANDINO, 2009). Este trabalho de conclusão de curso teve como foco principal propor uma arquitetura de comunicação de alto nível para um sistema de informação agregado com a tecnologia RFID para o rastreamento de frangos, a arquitetura visa reunir todas as informações relevantes ao processo produtivo e de distribuição em um único banco de dados, desta forma, em combinação com a tecnologia RFID, oferece rastreabilidade e controle das mercadorias ao envolvidos que participam do ciclo de vida do produto. Este trabalho foi desenvolvido sob a metodologia de pesquisa bibliográfica, onde foram selecionados conteúdos relevantes ao assunto, utilizando artigos científicos, periódicos e e-books disponibilizados na internet. Este trabalho está organizado em 5 capítulos, o primeiro descreve uma introdução. O segundo capítulo aborda assuntos inerentes a rastreabilidade, seus conceitos, importância, contextos e legislação. O terceiro relata sobre a tecnologia RFID, onde é feita uma abordagem histórica, define conceitos, componentes, formas de alimentação, freqüências utilizadas, situação atual no cenário. No quarto capítulo é proposta uma arquitetura de comunicação de um sistema de informação para rastreabilidade interna e externa de frangos trabalhando em conjunto com a tecnologia RFID e por fim, no quinto e último capítulo é feita a conclusão.

13 12 2 RASTREABILIDADE Segundo a norma ISO , a rastreabilidade consiste na capacidade de traçar o histórico, a aplicação ou a localização de um item através de informações previamente registradas. De acordo com HOLMO (HOLMO,2005), rastreabilidade também por ser definida como um grupo de ações técnicas, medidas e procedimentos que permite conhecer o produto desde a sua origem até o final da sua cadeia, passando por todos os processos de produção intermediários. A rastreabilidade permite não somente apontar a origem do produto, mas também mostrar o caminho que ele percorreu, incluindo todos os processos a que foi submetido. A exigência do registro do histórico de um produto está se alastrando por outros setores da economia brasileira. A empresa Paripassu que é especializada em rastreamento, explica que os acordos internacionais estão cada vez mais exigentes quando o assunto é rastreamento. Nos últimos anos, especificamente, a partir dos problemas ocorridos com a doença da vaca louca em 2005, o mercado nacional e internacional tem exigido maior controle dos processos produtivos do sistema agroindustrial. "A prática do controle da produção aplicada há tempos nos produtos industrializados tem migrado a passos velozes na direção da produção e distribuição dos produtos in natura"(bio DIGITAL, 2010). Em geral, empresas de sucesso enxergam a rastreabilidade como uma necessidade independente da tecnologia para cumprir regulamentações específicas ou requisitos de clientes. Nestas empresas a rastreabilidade de tornou uma ferramenta para a redução dos riscos ao consumidor, proteção da marca e gestão dos riscos relacionados à distribuição e consumo de produtos inadequados (insumos fora de especificação, problemas no processo de fabricação, alterações atípicas, adulterações, falsificações), o que melhora seus resultados e minimiza perdas e custos com eventuais recalls 2 e indenizações (BRONZATTO, 2009). 1 Gestão da qualidade e garantia da qualidade Terminologia. 2 É uma solicitação de devolução de um lote ou de uma linha inteira de produtos feita pelo fabricante do mesmo. Geralmente isso ocorre pela descoberta de problemas relativos à segurança do produto.

14 13 Um sistema de identificação e rastreabilidade deve constituir um conjunto de práticas passíveis de adoção por diversos setores da economia para disponibilizar todas as informações essenciais sobre seus produtos desde as matérias-primas utilizadas na elaboração, passando pelo transporte, até o momento em que os produtos são vendidos ou chegam ao consumidor final. Neste sentido, Juran & Gryna (JURAN;GRYNA, 1992) apontam diversas finalidades da rastreabilidade, tais como: assegurar que apenas materiais e componentes de qualidade entrem no produto final; identificar clara e explicitamente produtos que são diferentes, mas que se parecem a ponto de serem confundidos entre si; permitir o retorno de produto suspeito numa base precisa e localizar falhas e tomar medidas corretivas a preço mínimo. Para Vinholis Azevedo (Vinholis, 2000), um sistema de rastreabilidade, seja ele informatizado ou não, permite seguir e rastrear informações de diferentes tipos, podendo ser referente ao processo, produto, pessoal e ou serviço. A rastreabilidade permite ter um histórico do produto, sendo que a complexidade do conteúdo deste histórico dependerá do objetivo a que se pretende alcançar. Esse objetivo pode ser influenciado pelas estratégias adotadas e pelo ambiente externo em que a empresa está inserida. A rastreabilidade não pode ser separada dos processos logísticos, internos, de segurança ou programas de qualidade, temos que considerá-la como parte integrante de todo o processo de negócio, devendo fazer parte da estrutura organizacional e envolvendo diversas áreas da empresa, além de fornecedores, parceiros logísticos e comerciais, o que aumenta a complexidade da implementação de sistemas de rastreabilidade (BRONZATTO, 2009). 2.1 CONTEXTO As normas técnicas impostas ao comércio de produtos agrícolas foram geradas devido aos recentes acontecimentos com contaminação de alimentos, o

15 14 que está ocasionando constante crescimento na implantação de sistemas de identificação e rastreabilidade. No entanto, a busca por oportunidades de diferenciação de mercado e, em alguns casos, associação de valor aos produtos, também são motivações para adoção voluntária de sistemas de qualidade, identificação e rastreabilidade de produtos agroindustriais (LEONELLI, 2004). Regulamentações específicas foram criadas para garantir a rastreabilidade de produtos envolvendo a aquisição de matéria-prima, fabricação, distribuição e comercialização. No setor de carnes, no qual o Brasil vem sofrendo restrições recentes para exportação por problemas no sistema de rastreabilidade nacional, estes regulamentos exigem que os países exportadores forneçam a identificação individual dos animais; o registro de todos os dados sobre criação, alimentação e vacinas; o passaporte animal e a manutenção, nas propriedades, de registros sobre as ocorrências relevantes na vida do animal. Do frigorífico, é exigida a etiquetagem dos cortes, que deve permitir a ligação entre os cortes e o animal que gerou estes cortes ou lote de animais (BONZATTO, 2009). 2.2 A IMPORTÂNCIA Para Machado (Machado, 2000) a rastreabilidade também assume importância estratégica para a indústria de alimentos e para o segmento de distribuição, por representar: a) um diferencial de competitividade; b) fortalecer a imagem institucional da empresa; c) auxiliar no posicionamento da marca no mercado; d) estimular a concorrência através da diferenciação da qualidade; e) estreitar a relação com os fornecedores e contribuir para a construção de estratégias competitivas da empresa e, com isso, definir a estrutura de coordenação vertical. Em âmbito institucional, os sistemas de identificação e rastreabilidade auxiliam na minimização de riscos de contaminação, facilita à localização do foco de problemas, tranqüiliza a população e dá credibilidade ao próprio Estado. O Brasil precisa agregar aos seus produtos padrões inquestionáveis de controles de qualidade e de rastreabilidade. Isto implica, porém, que todos os participantes das cadeias produtivas - fornecedores, fabricantes, distribuidores, operadores logísticos, varejistas e governo - trabalhem em conjunto. O uso da tecnologia da informação e a automação de processos são ferramentas fundamentais para garantir a confiabilidade dos sistemas de rastreabilidade. Esta é a

16 15 receita de sucesso utilizada na Europa, que pode e deve ser aprimorada no Brasil (BRONZATTO, 2009). 2.3 LEGISLAÇÃO O regulamento (CE) 1 178/2002 trata sobre a questão de rastreabilidade alimentar, onde é definida no art. 3º, item 15, como segue abaixo: (Regulation (EC), 2002) A capacidade de detectar a origem e de seguir o rasto de um gênero alimentício, de um alimento para animais, de um animal produtor de gêneros alimentícios ou de uma substância, destinados a ser incorporados em gêneros alimentícios ou em alimentos para animais, ou com probabilidades de o ser, ao longo de todas as fases da produção, transformação e distribuição. No mesmo artigo, no item 16 relata sobre uma fase a ser rastreada: Fases da produção, transformação e distribuição", qualquer fase, incluindo a importação, desde a produção primária de um gênero alimentício até a sua armazenagem, transporte, venda ou fornecimento ao consumidor final e, quando for o caso, a importação, produção, fabricação, armazenagem, transporte, distribuição, venda e fornecimento de alimentos para animais. Já na rastreabilidade de bovinos foi estabelecido o regulamento CE 1760/2000, que determina que seja seguido um regime de identificação e registro, incluindo: - Marcas auriculares 2 com código único de identificação; - Base de dados informatizada para registro e controle; - Passaporte de animais, para o comércio intracomunitário; - Registro individuais mantidos na propriedade; 1 Comunidade Européia 2 Refere-se à região da orelha.

17 16 Determina ainda, o Regulamento CE 1760/2000, que na rotulagem obrigatória da carne bovina, deve-se assegurar uma relação entre as peças de carne e o animal específico, utilizando na composição do código de barras um número de referência que deve conter os dígitos da identificação individual do animal. No caso da rotulagem facultativa, o regulamento prevê a rejeição da carne que não assegurar a relação entre as peças e o animal específico, isto é, identificado individualmente, sob pena de imposições suplementares ou a retirada da aprovação do produto LEGISLAÇÃO NO BRASIL A lei de 24 de novembro de 2009 dispõe sobre o conceito e a aplicação de rastreabilidade na cadeia produtiva das carnes de bovinos e de búfalos. No Art. 2 relata sobre a rastreabilidade: A rastreabilidade de que trata esta Lei é a capacidade de garantir o registro e o acompanhamento das informações referentes às fases que compõem a cadeia produtiva das carnes de bovinos e de búfalos, permitindo seguir um animal ou grupo de animais durante todos os estágios da sua vida, bem como seguir um produto por todas as fases de produção, transporte, processamento e distribuição da cadeia produtiva das carnes de bovinos e de búfalos. No Art. 4, parágrafo 1º trata o seguinte: Poderão ser instituídos sistemas de rastreabilidade de adesão voluntária que adotem instrumentos adicionais aos citados no caput, e as suas regras deverão estar acordadas entre as partes. No Art. 8, explica sobre o cumprimento das regras de rastreabilidade: A autorização de importação de animais e produtos de origem animal de que trata esta Lei fica condicionada à comprovação pelo importador de que foram cumpridas as regras de rastreabilidade do país de origem e que essas normas sejam pelo menos equivalentes ao disposto nesta Lei.

18 17 3 A TECNOLOGIA RFID RFID é a abreviação de Radio Frequency Identification Identificação por Radiofreqüência, surgida inicialmente como solução para sistemas de rastreamento e controle de acesso na década de 80 quando o MIT 1, juntamente com outros centros de pesquisa, iniciou o estudo de uma arquitetura que utilizasse os recursos das tecnologias baseadas em radiofrequência para servir como modelo de referência ao desenvolvimento de novas aplicações de rastreamento e localização de produtos. Desse estudo, nasceu o Código Eletrônico de Produtos - EPC (Electronic Product Code) onde foi definido uma arquitetura de identificação de produtos que utilizava os recursos proporcionados pelos sinais de radiofreqüência, chamada posteriormente de RFID (SANTANA, 2005). A identificação por radiofrequência é um termo genérico que é usado para descrever um sistema que possui a capacidade de transmitir a identidade (na forma de um único número de série) de qualquer entidade utilizando-se de ondas eletromagnéticas dispensando o uso de fios para o processo de identificação. Os sistemas de identificação por rádio freqüência são destinados para identificação de etiquetas eletrônicas (tags) com a utilização de Leitores (Readers) em um ambiente aberto onde não é necessário nem o contato visual e nem físico para que seja feita a comunicação entre os dispositivos. As etiquetas eletrônicas conseguem armazenar muito mais informações que o código de barras, no entanto, um grande diferencial é que essas etiquetas possuem um número de série único chamado de código do produto eletrônico ou EPC (Electronic Product Code), isto permite o rastreamento de itens individuais. Ao contrário do código de barras, as etiquetas eletrônicas RFID não precisam estar em proximidade ou na linha de visão para identificar itens, essas etiquetas podem ser 1 MIT (Massachusetts Institute of Tecnnology) é um instituto privado de pesquisa localizado em Cambrigde Massachusetts.

19 18 encaixadas dentro de pacotes, dependendo do tipo de etiqueta e aplicação, pode ser lido em uma escala variando de distâncias. A figura abaixo demonstra o funcionamento da tecnologia RFID. Figura 3.1: Funcionamento do Sistema RFID Fonte: RR Etiquetas Pode-se observar na figura 3.1 a execução das seguintes ações: 1. O tag entra no campo de rádio freqüência. 2. O sinal de rádio freqüência energiza o tag. 3. O tag transmite seu ID + dados. 4. A leitora captura os dados.

20 19 5. A leitora envia dados ao computador. 6. O computador determina as ações. 7. O computador envia dados pela leitora para gravar no tag. Um dispositivo de RFID pode variar de tamanho dependendo da entidade que será anexado, por exemplo, pequenos produtos individuais teriam menores dispositivos, considerando os itens de grande porte teria provavelmente um maior dispositivo de RFID a elas associadas. Esses dispositivos transmitem em escalas de Kilohertz, Megahertz e Gigahertz, as etiquetas podem ter sua própria energia ou derivam sua energia das ondas de radio freqüência providas dos leitores. Esta tecnologia que é relativamente nova já está mudando a forma de funcionamento de vários segmentos dos mercados. A primeira vista esta tecnologia parece simples de ser implementada, porém esta afirmação não é verdadeira, o RFID exige o desenvolvimento de sistemas distintos, aplicativos e infra-estrutura de rede com alto grau de complexidade, implicando em uma análise de propagação do rádio, técnicas de produção de circuitos integrados, design e receptor de dados de mecanismos de codificação, criptografia leve e protocolos de segurança, a descoberta de rede e serviços de informação, somente para citar alguns das inúmeras características que estão envolvidas para o desenvolvimento de sistemas completos de RFID (ROUSSOS, 2008). 3.1 HISTÓRICO DO RFID Os marcos históricos descritos nesta sessão são baseados em publicações do RFID Journal (RFID Journal, 2005). A tecnologia de identificação por rádio frequência teve suas origens na segunda guerra mundial. Os alemães, japoneses, americanos e britânicos estavam usando o radar, que havia sido descoberto em 1935 pelo físico escocês Sir Robert Alexander Watson-Watt, para avisar da aproximação aviões enquanto eles ainda estavam quilômetros de distância, o problema era que não havia maneira de identificar quais aviões eram inimigos ou amigos. Os alemães descobriram que se os pilotos girassem seus aviões quando estivessem retornando à base, iria mudar o sinal de rádio refletida de volta. Este

21 20 método simples alertava os técnicos responsáveis pelo radar que se tratava de aviões alemães e não os aviões aliados. De acordo com Watson-Watt, que liderou um projeto secreto, os ingleses desenvolveram o primeiro sistema ativo para identificar quem era amigo ou inimigo. Foi colocado um transmissor em cada avião britânico, quando recebiam sinais das estações de radar no solo, começavam a transmitir um sinal que identificava o aeroplano como amigo. Os sistemas RFID funcionam no mesmo conceito básico: Um sinal é enviado a um transponder, que é acionado e reflete de volta o sinal (sistema passivo) ou transmite seu próprio sinal (sistema ativo). Avanços nos sistemas de radar e de comunicações de radio frequência continuou até os anos 1950 e Cientistas e acadêmicos nos Estados Unidos, Europa e Japão fizeram uma pesquisa e apresentaram como a energia de radio frequência pode ser utilizada para identificar objetos remotamente. As empresas começaram a comercializar sistemas anti-roubo que usavam a tecnologia para determinar se um item havia sido pago ou não. Etiqueta eletrônica de vigilância, que ainda são usados em embalagens de hoje, têm uma marca de 1 bit, onde o bit é ligado ou desligado. Se alguém pagar pelo o item, o bit está desligado e a pessoa pode sair da loja normalmente. Mas se a pessoa não paga e tenta sair da loja, os leitores na porta detectam o tag e soa um alarme. Mario W. Cardullo afirma ter recebido a primeira patente de uma etiqueta RFID ativa com memória regravável em 23 de janeiro de 1973, nesse mesmo ano, Charles Walton, um empreendedor da Califórnia, recebeu a patente para um transponder passivo utilizado para destravar uma porta sem chave onde um cartão com um transponder embutido emitia sinais para um leitor localizado perto da porta, quando o leitor detectava um número de identificação válido armazenado na etiqueta RFID o mesmo destravava a porta imediatamente. Por volta de 1970 o governo dos Estados Unidos também fazia suas pesquisas em RFID. O departamento de energia solicitou ao Laboratório Nacional Los Alamos para desenvolver um sistema de rastreamento de materiais nucleares de segurança. Eram colocadas as etiquetas eletrônicas nos caminhões transportadores e leitores posicionados estrategicamente nos locais de acesso permitidos para receber esses materiais, o leitor receberia o sinal da etiqueta eletrônica que por sua vez enviaria seu identificador único autorizando o acesso.

22 21 Este sistema foi comercializado no meio dos anos 80 para automatizar praças de pedágio nos Estados Unidos, sistema muito utilizado até hoje. A pedido do Departamento de Agricultura, Los Alamos também desenvolveu uma etiqueta RFID passiva para rastrear bovinos, o problema era que as vacas estavam recebendo hormônios e medicamentos quando estavam doentes. Mas era difícil fazer cada vaca com certeza tem a dose certa e não foi dada duas doses acidentalmente. Los Alamos veio com um sistema RFID passivo que utilizou ondas de rádio UHF 1 (Ultra High Frequency), o dispositivo era energizado pelo sinal emitido pelo leitor e simplesmente refletia de volta um sinal modulado para o leitor usando uma técnica conhecida como backscatter 2. No começo da década de 90, engenheiros da IBM 3 desenvolveram e patentearam um sistema de RFID baseado na tecnologia UHF (Ultra High Frequency). O UHF oferece um alcance de leitura muito maior e rapidez na transferência de dados. Apesar de realizar testes com a rede de supermercados Wal-Mart, não chegou a comercializar essa tecnologia. Em meados de 1990, devido a problemas financeiros, a IBM vendeu a sua patente para a Intermec 4 (Intermec, 2010), um provedor de sistemas de código de barras. Posteriomente, o sistema de RFID da Intermec tem sido instalado em inúmeras aplicações diferentes, desde armazéns até o cultivo. Mas a tecnologia era muito cara se comparada ao pequeno volume de vendas (RFID Journal, 2005). 3.2 COMPONENTES DE UM SISTEMA RFID Os sistemas RFID são constituídos basicamente por quatro principais componentes: Antena (Antenna), Leitor ou Interrogador (Reader ou Transceiver), 1 É a sigla para o termo em inglês Ultra High Frequency, que significa Frequência Ultra Alta. 2 Reflexão de ondas, partículas e sinais de volta da direção que eles vieram. 3 É a sigla para o termo em inglês International Business Machines, empresa estadunidense voltada para a área de informática 4 Grande fabricante e fornecedor mundial de equipamentos automatizados de identificação e captura de dados, sua sede está localizada em Everett, WA, Estados Unidos.

23 22 Etiqueta Eletrônica (Tag), e Middleware, a figura 3.2 ilustra os diversos tipos de TAGs e Readers que podem ser utilizados em um sistema RFID. A figura 3.2 demonstra um modelo do funcionamento de um sistema RFID, onde pode possuir diferentes tipos de etiquetas e leitores que são interconectados em um servidor local (Local Server) que através de um Middleware envia estas informações para um sistema ERP 1 (Enterprise Resource Planning). Figura 3.2: Diferentes tipos de TAGs e Readers Fonte: Foodylife ANTENA A antena tem a função de fazer com quê a etiqueta eletrônica possa receber ou enviar as informações ao leitor. Existem antenas em diversos tamanhos e formatos que possuem por sua vez configurações e características diferentes, cada 1 São sistemas de informação que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema

RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br

RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br Graduado em Sistemas de Informação FASAM Mestrado em andamento em Ciência da Computação INF/UFG PRIMEIROS PASSOS Surgiu na Segunda Guerra

Leia mais

Básico do RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM

Básico do RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Básico do RFID Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM 2 Organização da apresentação 1. História; 2. Funcionamento do sistema RFID; 3. Aplicações. Organização da apresentação 1. História; 2. Funcionamento

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

Entendendo a Tecnologia RFID

Entendendo a Tecnologia RFID Entendendo a Tecnologia RFID Como o próprio nome sugere a identificação por radiofreqüência é uma tecnologia de identificação automática que utiliza ondas eletromagnéticas como meio para capturar as informações

Leia mais

Introdução à tecnologia RFID

Introdução à tecnologia RFID Sumário Como surgiu a tecnologia RFID... 2 Como funciona?... 2 Quais os benefícios e onde utilizar o sistema de RFID... 4 Utilização proposta... 4 Etapas para leitura de dados via RFID... 5 Diagrama de

Leia mais

A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico

A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico Avenida Prudente de Morais, 290 4º andar Cidade Jardim (31) 2531 0166 contato@idel.com.br www.idel.com.br 1 Palestrante Mac

Leia mais

CONTROLE DO FLUXO DE PESSOAS UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA

CONTROLE DO FLUXO DE PESSOAS UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA CONTROLE DO FLUXO DE PESSOAS UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA Matheus Stephano B. Moreira¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR - Brasil matheus_sbm@hotmail.com,

Leia mais

ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA

ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA Camila de Brito Miranda 1 ; Rafaela do

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS INTRODUÇÃO: Entende-se por Mobilidade a possibilidade de poder se comunicar em qualquer momento e de qualquer lugar. Ela é possível graças às redes wireless, que podem

Leia mais

WMS - Warehouse Management System

WMS - Warehouse Management System Sistema de Gestão Empresarial LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Itair Pereira Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. WMS... 2 3. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 4. POLÍTICA

Leia mais

Introdução ao sistema RFID

Introdução ao sistema RFID Introdução ao sistema RFID Profa. Renata Rampim de Freitas Dias Professora associada ao Centro de Excelência em RFID RFID _ Filme O que é RFID? RFID é um termo genérico denotando: A identifição de um objeto

Leia mais

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência RFID RFID - Identificação por Radiofreqüência Sistema de Identificação por Radio Frequência O que é RFID? Objetivo e utilidade similares ao código de barras; Composto por 3 elementos: Uma antena; Um leitor;

Leia mais

RFID (Identificação por Radiofrequência)

RFID (Identificação por Radiofrequência) RFID (Identificação por Radiofrequência) Este tutorial apresenta a descrição de conceitos de RFID, tecnologia wireless de identificação e coleta de dados. Vergílio Antonio Martins Engenheiro de Eletrônica

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes AULA PASSADA: CADASTRAMENTO DE MATERIAIS UMA REVISÃO RÁPIDA CONCEITO DE CADASTRAMENTO DE MATERIAIS E SUAS

Leia mais

O que é RFID? Fernando Xavier Maio/2007

O que é RFID? Fernando Xavier Maio/2007 Fernando Xavier Maio/2007 Agenda :: Contexto :: RFID :: Elementos :: Funcionamento :: Benefícios :: Barreiras :: Mercado :: Usos :: Questões :: Segurança :: Mitos Contexto :: Dificuldade na identificação

Leia mais

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto The global language of business GS1 EPCglobal/RFID Uma ferramenta logística RASTREABILIDADE INFORMAÇÃO EM TEMPO REAL GS1 EPC

Leia mais

Já é um ato que virou rotina na vida de todos: ao fazer uma compra, um leitor ótico faz a leitura do código de barra,

Já é um ato que virou rotina na vida de todos: ao fazer uma compra, um leitor ótico faz a leitura do código de barra, Desenvolvimento BM-1231 Integração com etiquetas RFID Versão 5 Release 28 Autor Jaciara Silva Processo: Nome do Processo: Integração com etiquetas RFID Acesso Vendas\Pedidos de Vendas Movimentações Compras\Pedidos

Leia mais

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3 Brasil EPC Código Eletrônico de Produto Volume 3 A implementação do código eletrônico de produto (EPC) e da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), promete importantes benefícios aos consumidores

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Gildo Neves Baptista jr

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Gildo Neves Baptista jr FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Gildo Neves Baptista jr AULA PASSADA: CADASTRAMENTO DE MATERIAIS UMA REVISÃO RÁPIDA CONCEITO DE CADASTRAMENTO DE MATERIAIS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO. UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO. UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7 Padrões do Sistema GS1 Habilitando a visibilidade da cadeia de valor. Identificação

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Coletores de Rádio Frequência PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Coletores de Rádio Frequência PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Coletores de Rádio Frequência PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA Introdução Com um mercado cada vez mais competitivo a automação dos processos é primordial; Uma central de

Leia mais

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio 2 Access Professional Edition: a solução de controle de acesso ideal para empresas de pequeno e médio porte

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RFID

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RFID BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RFID Aldo Ventura da Silva * RESUMO O presente trabalho teve como objetivo mostrar o funcionamento do sistema de RFID, visando seu histórico, e principais atributos, assim servindo

Leia mais

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona SDH A SDH, Hierarquia Digital Síncrona, é um novo sistema de transmissão digital de alta velocidade, cujo objetivo básico é construir um padrão internacional unificado, diferentemente do contexto PDH,

Leia mais

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo.

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Desafios da vigilância por vídeo hoje O mercado de vigilância por vídeo está crescendo, impulsionado por preocupações de segurança

Leia mais

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 19, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. Roteiro de Estudos Redes PAN IV O Portal Teleco apresenta periodicamente Roteiros de Estudo sobre os principais temas das Telecomunicações. Os roteiros apresentam uma sugestão de tutoriais publicados para

Leia mais

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução Modelo OSI Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Crescimento das redes de computadores Muitas redes distintas International Organization for Standardization (ISO) Em 1984 surge o modelo OSI Padrões

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA 1 Banda Estreita A conexão de banda estreita ou conhecida como linha discada disponibiliza ao usuário acesso a internet a baixas velocidades,

Leia mais

CH & TCR. Tecnologias de Identificação

CH & TCR. Tecnologias de Identificação Tecnologias de Identificação Código de barras O sistema de identificação conhecido por código de barras teve origem nos EUA, em 1973, com o código UPC (universal product code) e, em 1977, esse sistema

Leia mais

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio 2 Access Professional Edition: a solução de controle de acesso ideal para empresas de pequeno e médio porte

Leia mais

2 Tecnologia de Identificação por Rádio Freqüência (RFID)

2 Tecnologia de Identificação por Rádio Freqüência (RFID) 2 Tecnologia de Identificação por Rádio Freqüência (RFID) A tecnologia de IDentificação por Rádio Freqüência (RFID) provê uma forma de identificar unicamente itens, distinguindo-os de qualquer outro, além

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Medição de alcance de transponders RFID na Empresa Fockink Panambi

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO Todos os direitos reservados. Distribuição e informações:

RESUMO EXECUTIVO Todos os direitos reservados. Distribuição e informações: RESUMO EXECUTIVO Este relatório aborda um processo que tem crescido tanto no Brasil como no mundo: a rastreabilidade de produtos. O processo de rastreabilidade é um instrumento fundamental e surgiu em

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP. Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá

DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP. Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá 1. ALTA RESOLUÇÃO Câmeras baseadas em IP não estão restritas à baixa resolução das câmeras

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

A APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA RFID NAS DIFERENTES ÁREAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA-CBMSC

A APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA RFID NAS DIFERENTES ÁREAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA-CBMSC A APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA RFID NAS DIFERENTES ÁREAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA-CBMSC Angelo João Heinzen Miguel 1 RESUMO Este artigo trata da tecnologia RFID (Radio Frequency Identification),

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO

RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO WORKSHOP TECNOLOGIA CARDS 2009 RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO São Paulo, 27.4.2009 Karina Prado Diretora Comercial GD Burti S.A. DEFINIÇÃO Radio-Frequency Identification

Leia mais

Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias

Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias São Paulo, 21 de setembro de 2010 Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias e Dario Thober Centro de Pesquisas von Braun Centro de Pesquisa sem fins lucrativos Soluções inovadoras

Leia mais

APLICAÇÕES DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RADIO FREQUÊNCIA (RFID) NA PESQUISA E PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA

APLICAÇÕES DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RADIO FREQUÊNCIA (RFID) NA PESQUISA E PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA APLICAÇÕES DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RADIO FREQUÊNCIA (RFID) NA PESQUISA E PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA Luciano Vieira Koenigkan 1 Marcelo Gonçalves Narciso 2 RESUMO: Este artigo mostra o que vem a ser

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

3 Hamanor St. Holon 58861 Israel, P.O.Box 5 AZOR 58008 Tel: +972-3-5599661 Fax: +972-3-5599677 mars@marsant.co.il www.mars-antennas.

3 Hamanor St. Holon 58861 Israel, P.O.Box 5 AZOR 58008 Tel: +972-3-5599661 Fax: +972-3-5599677 mars@marsant.co.il www.mars-antennas. MARS Antennas & RF Systems, é um líder mundial na fabricação e projeto de soluções de antenas de RF e uma Companhia de R&D, com uma capacidade comprovada para projetar e fornecer produtos de custo efetivo

Leia mais

Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade

Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade Qual o benefício que a etiqueta trará para o cidadão? A etiqueta de segurança lançada pela Anvisa trará duas grandes novidades: garantir que o medicamento é

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

REDES SEM FIO. Prof. Msc. Hélio Esperidião

REDES SEM FIO. Prof. Msc. Hélio Esperidião REDES SEM FIO Prof. Msc. Hélio Esperidião WIRELESS O termo wireless, significa sem fio, possui alguns sinônimos tais como: Rede sem fio Comunicação sem fio Computação Móvel Wi-FI? WI-FI? Wi-Fié uma marca

Leia mais

FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS

FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS FUNCIONAMENTO DOS RFID s O Um sistema de RFID é composto, basicamente, por uma antena, que funciona como receptor, faz a leitura do sinal

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Aula 05 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS A Internet global A World Wide Web Máquinas de busca Surgiram no início da década de 1990 como programas de software relativamente simples que usavam índices de palavras-chave.

Leia mais

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Introdução Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Os Benefícios do Trabalho Remoto O mundo assiste hoje à integração e à implementação de novos meios que permitem uma maior rapidez e eficácia

Leia mais

Gerenciamento inteligente de dados

Gerenciamento inteligente de dados Gerenciamento inteligente de dados Sanjeet Singh Grupo de produtos de armazenamento de dados da Dell ÍNDICE Índice RESUMO EXECUTIVO... 3 O GERENCIAMENTO DE DADOS DE HOJE... 3 VISÃO DA DELL: IDM... 4 OBJETIVOS

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Logística empresarial

Logística empresarial 1 Logística empresarial 2 Logística é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos. melhor

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

Esta cartilha responde a questões comuns sobre a emissão das ondas eletromagnéticas e sua relação com a saúde humana. Após sua leitura, você

Esta cartilha responde a questões comuns sobre a emissão das ondas eletromagnéticas e sua relação com a saúde humana. Após sua leitura, você Esta cartilha responde a questões comuns sobre a emissão das ondas eletromagnéticas e sua relação com a saúde humana. Após sua leitura, você conhecerá mais sobre a regulamentação que trata da exposição

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

Tecnologia Aplicada à Logística

Tecnologia Aplicada à Logística Tecnologia Aplicada à Logística Movimentação e TI Alunos: Keriton Leandro Fernando TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA LOGÍSTICA Definição de Informação na Logística É um elemento de grande importância nas operações

Leia mais

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens Academia de Tecnologia da IBM White paper de liderança de pensamento Novembro de 2010 Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens 2 Proteção da nuvem: do desenvolvimento da estratégia

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

RFID: Identificação por Radiofrequência

RFID: Identificação por Radiofrequência RFID: Identificação por Radiofrequência 10 principais tendencias tecnológicas de 2015 - Gartner Computação em toda parte; Internet das coisas; Impressão 3D; Análises avançadas, pervasivas e invisíveis;

Leia mais

RFID. Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID

RFID. Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID RFID Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID RFID A Identificação por Rádiofrequência permite a uma organização capturar, mover e gerenciar informações de e para cada ponto de atividade dentro do negócio

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

A POTÊNCIA DO WiNG SIMPLIFICADA

A POTÊNCIA DO WiNG SIMPLIFICADA A POTÊNCIA DO WiNG SIMPLIFICADA FINALMENTE. CONEXÃO DE REDES SEM FIO DE ALTO DESEMPENHO DE CLASSE EMPRESARIAL SIMPLIFICADA PARA EMPRESAS MENORES. Por menor que seja sua empresa, com certeza tem muitas

Leia mais

UNIP - Universidade Paulista. Matéria: Comunicações Móveis. Tema: NFC (NEAR FIELD COMMUNICATION)

UNIP - Universidade Paulista. Matéria: Comunicações Móveis. Tema: NFC (NEAR FIELD COMMUNICATION) UNIP - Universidade Paulista Matéria: Comunicações Móveis Tema: NFC (NEAR FIELD COMMUNICATION) José Marcio Dias da Silva R.A: 9301043 Nilson Ribeiro R.A: 9300713 Ramon Almeida Ferreira R.A: 9301022 Victor

Leia mais

A codificação a laser é a solução correta para necessidades simples de codificação?

A codificação a laser é a solução correta para necessidades simples de codificação? Nota técnica Principais fatores a se considerar ao selecionar uma codificadora a laser A codificação a laser é a solução correta para necessidades simples de codificação? Equipamento Fluidos Treinamento

Leia mais

AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA.

AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA. AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA. Uma significativa parcela dos sistemas de automação de grandes empresas são legados de tecnologias de gerações anteriores,

Leia mais

Cronograma. RFID ( Radio Frequency Identification ) Histórico. Histórico. O que é RFID? Vídeo IBM

Cronograma. RFID ( Radio Frequency Identification ) Histórico. Histórico. O que é RFID? Vídeo IBM Cronograma RFID ( Radio Frequency Identification ) Alexandre Gaddo Fábio Rossi Guilherme Rodrigues Histórico O que é RFID? Componentes Funcionamento Porque utilizar padrão epc Estrutura de codificação

Leia mais

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Considerando que a informação arquivística, produzida, recebida, utilizada e conservada em sistemas informatizados,

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 1 DOU 11 de dezembro de 2013 [Páginas 76-77]

Diário Oficial da União Seção 1 DOU 11 de dezembro de 2013 [Páginas 76-77] *Este texto não substitui o publicado do Diário Oficial da União* Diário Oficial da União Seção 1 DOU 11 de dezembro de 2013 [Páginas 76-77] RESOLUÇÃO - RDC Nº 54, DE10 DE DEZEMBRO DE 2013 Dispõe sobre

Leia mais

Associação Brasileira de Automação GS1 Brasil

Associação Brasileira de Automação GS1 Brasil Associação Brasileira de Automação GS1 Brasil Estudo o uso do código de barras no Brasil 30 de junho de 2015 Consumidor e o Código de Barras 2 Consumidor e o Código de Barras - Perfil 45% - HOMENS 55%

Leia mais

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984-3801)

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984-3801) 50 GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984-3801) APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIOFREQÜÊNCIA (RFID) PARA CONTROLE DE BENS PATRIMONIAIS PELA WEB Marcelo Gonçalves Narciso Resumo: Este

Leia mais

Otimização através de LIMS e Lean Seis Sigma

Otimização através de LIMS e Lean Seis Sigma Otimização através de LIMS e Lean Seis Sigma Resumo Com uma abordagem prática este trabalho proporcionará uma visão do projeto de implantação de um sistema LIMS com o objetivo de eliminar totalmente o

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

A Física por trás da Tecnologia RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM

A Física por trás da Tecnologia RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM A Física por trás da Tecnologia RFID Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM 2 Espectro electromagnético 3 Espectro de frequência para o sistema RFID Tamanho da antena Existe uma razão de proporção

Leia mais

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA Muitas organizações terceirizam o transporte das chamadas em seus call-centers, dependendo inteiramente

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Automação de Locais Distantes

Automação de Locais Distantes Automação de Locais Distantes Adaptação do texto Improving Automation at Remote Sites da GE Fanuc/ Water por Peter Sowmy e Márcia Campos, Gerentes de Contas da. Nova tecnologia reduz custos no tratamento

Leia mais

Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor.

Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor. Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor. Corte os fios e sinta-se confortável com a solução sem fio Air-Fi da Trane. A comunicação sem fio Air-Fi da

Leia mais

13560-320 - São Carlos SP Brasil. {colenci, rodrigo, fredy}@cossconsulting.com

13560-320 - São Carlos SP Brasil. {colenci, rodrigo, fredy}@cossconsulting.com Rastreabilidade na Saúde com WelCOSS-iHealth: Sistema inteligente para controle de estoque e movimentação de sangue e hemoderivados baseada em etiquetas RFID EPC Colenci Neto. Alfredo 1, Bianchi, Rodrigo

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

5. Aplicação na gestão do fluxo inbound e na armazenagem

5. Aplicação na gestão do fluxo inbound e na armazenagem 5. Aplicação na gestão do fluxo inbound e na armazenagem O presente capítulo tem como objetivo analisar o uso do sistema RFID no varejo com foco na gestão do fluxo inbound e na armazenagem de um centro

Leia mais

Fábrica de Software 29/04/2015

Fábrica de Software 29/04/2015 Fábrica de Software 29/04/2015 Crise do Software Fábrica de Software Analogias costumam ser usadas para tentar entender melhor algo ou alguma coisa. A idéia é simples: compara-se o conceito que não se

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

Localização de veículos em chão de fábrica usando tecnologia RFID

Localização de veículos em chão de fábrica usando tecnologia RFID Localização de veículos em chão de fábrica usando tecnologia RFID José Lourenço Lemos Netto, Mauricio Duarte (Orientador), Bacharelado em Ciência da Computação Centro Universitário Eurípedes de Marília,

Leia mais

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO Sistema de rádio bidirecional digital profissional A solução de comunicação em rádios bidirecionais de próxima geração está aqui, com melhor desempenho, produtividade e preço e mais oportunidades para

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTL 16 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO PARA SISTEMAS

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO Dezembro de 2011 ELO Sistemas Eletrônicos S.A. 100406082 Revisão 0.0 Índice ÍNDICE... I INTRODUÇÃO 1... 1 CONTEÚDO DESTE MANUAL... 1 ONDE

Leia mais

Métodos de marcação direta de peças. Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais

Métodos de marcação direta de peças. Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais Guia técnico Métodos de marcação direta de peças Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais A prática da Marcação Direta de Peças (DPM) é utilizada em muitas indústrias

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes 1 Redes de Dados Inicialmente o compartilhamento de dados era realizado a partir de disquetes (Sneakernets) Cada vez que um arquivo era modificado ele teria que

Leia mais