ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG. Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG. Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 2015"

Transcrição

1 Milhões ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 215 R$ 12 R$ 1 R$ 8 R$ 6 R$ 4 R$ 2 R$ Evolução do Patrimônio no Ano 89,7 92,57 94,92 97,88 11,12 13,76 16,42 17,1 19,24 1% 8% 6% 4% 2% % Distribuição por Segmento no Ano Renda Fixa Renda Variável Enquadramento Legal - Resolução CMN n.º 3.922/1 Tipo Fundo a) Renda Fixa IDkA IPCA 2A Fundo de Investimento BB IPCA III FI RF PREVIDENCIÁRIO CRED PRIV BB PREVIDENCIÁRIO RF IDKA 2 TP FI BB PREVIDENCIÁRIO RF IDKA 2 TP FI BB PREVIDENCIÁRIO RF IMA B5+ TP FI BB PREVIDENCIÁRIO RF TP FI BB PREVIDENCIÁRIO RF IRF M1 TP FIC BB PREVIDENCIÁRIO RF TP FI BB PREVIDENCIÁRIO RF FI BB PREVIDENCIÁRIO RF PERFIL FIC BB PREVIDENCIARIO RF 5 LP FIC BB TP IPCA FI RF PREVIDENCIÁRIO BB TP IPCA I FI RF PREVIDENCIÁRIO BB TP IPCA II FI RF PREVIDENCIÁRIO BB TP IPCA III FI RF PREVIDENCIÁRIO BB TP IPCA IV FI RF PREVIDENCIÁRIO BB TP IPCA VI FI RF PREVIDENCIÁRIO BB TP IX FI RF PREVIDENCIÁRIO BB TP VII FI RF PREVIDENCIÁRIO CAIXA ALIANÇA TP FI RF CAIXA BRASIL 216 II TP FI RF CAIXA BRASIL 216 III TP FI RF CAIXA BRASIL 216 V TP FI RF CAIXA BRASIL 216 VI TP FI RF CAIXA BRASIL 218 III TP FI RF CAIXA BRASIL 224 III TP FI RF CAIXA BRASIL 224 IV TP FI RF CAIXA BRASIL FI REFEREN LP CAIXA BRASIL IDKA IPCA 2A TP FI RF LP CAIXA BRASIL 5 TP FI RF LP CAIXA BRASIL 5+ TP FI RF LP CAIXA BRASIL TP FI RF LP CAIXA BRASIL IMA-GERAL TP FI RF LP CAIXA BRASIL 1 TP FI RF CAIXA BRASIL 1+ TP FI RF LP Enquadramento Limites Legais por fundo % da Carteira set Meses Volatilidade² Art. 7º Inciso VII b 5% 3,1665% -,24% 6,44% 8,78% 6,74% 14,2% Art. 7º Inciso I b 1% 13,2377%,88% 9,67% 11,76% 2,68% 5,65% Art. 7º Inciso I b 1%,1318% -2,29% -3,31% -,35% 19,29% 4,61% Art. 7º Inciso I b 1% 1,16394% -1,81%,3% 2,74% 14,93% 31,44% Art. 7º Inciso I b 1%,4515% -,75% 3,28% 5,54% 1,3% 21,7% Art. 7º Inciso I b 1% 4,52919%,89% 8,73% 11,44%,44%,92% Art. 7º Inciso I b 1% 3,58894% -1,2% 4,26% 6,51% 4,1% 8,64% Art. 7º Inciso III a 2%,6567% -,67% 3,41% 5,75% 1,25% 21,59% Art. 7º Inciso IV a 2% 4,82254% 1,12% 9,74% 12,86%,3%,6% Art. 7º Inciso III a 2% 4,91551%,74% 9,29% 11,45% 3,33% 7,1% Art. 7º Inciso IV a 2%,5164% -,31% 4,24% 6,18% 9,2% 19,38% Art. 7º Inciso IV a 2%,51549% -,23% 4,84% 6,72% 8,58% 18,7% Art. 7º Inciso I b 1% 1,3366%,55% 8,83% 1,78% 3,89% 8,2% Art. 7º Inciso IV a 2% 2,11296%,88% 12,71% 16,41% Art. 7º Inciso IV a 2%,83748%,87% 12,57% 16,22% Art. 7º Inciso I b 1%,9963% -,32% 4,66% 6,51% 8,8% 18,52% Art. 7º Inciso I b 1% 7,5471% 1,35% 4,22% 4,22% 1,19% 2,51% Art. 7º Inciso I b 1%,9446%,78% 4,92% 4,92% 3,2% 6,73% Art. 7º Inciso IV a 2%,612%,98% 9,21% 12,16%,23%,49% Art. 7º Inciso I b 1%,93555% 1,5% 1,85% 1,85%,82% 1,73% Art. 7º Inciso I b 1% 1,3821% 1,5%,66%,66%,82% 1,73% Art. 7º Inciso I b 1% 3,72543% 1,5% #VALOR! #VALOR!,82% 1,72% Art. 7º Inciso I b 1% 11,55991%,23%,23%,23% #N/D #N/D Art. 7º Inciso I b 1%,92393%,44% 1,6% 1,6% 3,78% 7,96% Art. 7º Inciso I b 1%,29643% -,66% -2,44% -,74% 1,42% 21,94% Art. 7º Inciso I b 1%,9489% -,66% -2,89% -2,89% 1,42% 21,95% Art. 7º Inciso IV a 2% 6,8882% 1,12% 9,64% 12,69%,2%,4% Art. 7º Inciso I b 1% 4,35589%,91% 9,78% 12,4% 2,49% 5,24% Art. 7º Inciso I b 1% 5,72778%,7% 9,29% 11,53% 3,2% 6,75% Art. 7º Inciso I b 1%,31756% -1,68%,18% 2,32% 14,39% 3,3% Art. 7º Inciso I b 1%,22482% -1,9% 2,28% 4,51% 1,4% 21,13% Art. 7º Inciso I b 1%,11381% -,46% 5,1% 7,45% 4,79% 1,8% Art. 7º Inciso I b 1% 4,84273%,95% 8,89% 11,63%,37%,77% Art. 7º Inciso I b 1%,458% -2,2% 1,53% 3,59% 6,22% 13,9% CAIXA NOVO BRASIL FIC RF LP Art. 7º Inciso III a 2%,18386% -,78% 3,38% 5,84% 9,37% 19,73% Total em Renda Fixa 92,64% Rentabilidade do fundo Risco Página 1 de 5

2 b) Renda Variável ICON SMLL IV IGC BB AÇÕES CONSUMO FIC BB AÇÕES INFRAESTRUTURA FIC BB AÇÕES SMALL CAPS FIC BB PIPE FIC AÇÕES BB PREVIDENCIÁRIO AÇÕES ALOCAÇÃO FIC FI BB PREVIDENCIÁRIO AÇÕES VIDENDOS FIC BB PREVIDENCIÁRIO AÇÕES GOVERNANÇA FI BB PREVIDENCIÁRIO MULT FI CAIXA BDR NÍVEL I FI AÇÕES Art. 8º Inciso III 15%,952% -,6% -1,11% 1,8% 7,6% 16,% Art. 8º Inciso III 15%,38247% -4,2% -24,7% -35,2% 8,97% 18,89% Art. 8º Inciso III 15%,38534% -3,8% -18,37% -23,42% 8,97% 18,89% Art. 8º Inciso III 15% 1,3877% -2,69% -1,16%,3% 6,94% 14,62% Art. 8º Inciso III 15%,5472% -2,8% -2,53% -5,37% 9,52% 2,4% Art. 8º Inciso III 15%,2488% -6,66% -2,73% -25,27% 1,76% 22,66% Art. 8º Inciso III 15%,29782% -1,82% -8,68% -11,1% 1,43% 21,97% Art. 8º Inciso IV 5% 2,32581% 1,18% 9,41% 12,38%,85% 1,79% Art. 8º Inciso III 15%,89782% 6,64% 36,2% 52,63% 12,81% 26,98% Total em Renda Variável 7,36% * As informações desses fundos (rentabilidade, VaR e volatilidade) foram extraídas do software Quantum Axis, calculado com base nos últimos doze meses. ¹ A medida de risco do fundo utilizada é o V.A.R. - Value at Risk, que indica a maior perda esperada com base em simulação histórica, para o intervalo de 1 (um) dia e nível de confiança de 95%. É expresso em % sobre o Patrimônio Líquido do fundo. Ex.: para cada R$ 1 milhão aplicado em um fundo com VaR igual a,1%, a perda máxima esperada para 1 dia é de R$ 1 mil. ² Volatilidade: A volatilidade é uma medida de risco dos fundos. Formalmente, a volatilidade de um fundo é o desvio padrão da série de retornos do mesmo. Quanto maior a volatilidade de um fundo, maior o seu risco. Distribuição por Parâmetro de Rentabilidade Distribuição por Enquadramento Legal 29,73% Art. 7º Inciso I b 68,56% 17,59% 14,1% Art. 7º Inciso III a 5,17% 5 1,64% 9,37% Art. 7º Inciso IV a 15,75% 7,14% Art. 7º Inciso VII b 3,17% 3,59% 3,21% Art. 8º Inciso III 5,3% 5+ 1,48% 1,3% Art. 8º Inciso IV 2,33% ICON,9% SMLL,39% IGC,3% IV,24% IDkA IPCA 2A,13%,11% +,5% Página 2 de 5

3 Rentabilidade da Carteira Total comparada com as Carteiras de Renda Fixa, Renda Variável e Meta Atuarial Setembro De 215 Em 215 1,3% 1,11% 12,45% 9,55%,39%,43% 6,89% 7,3% 2,2% -,15% Carteira Total Renda Fixa Renda Variavel IPCA + 6,% C Carteira Total Renda Fixa Renda Variável IPCA + 6,% C Rentabilidade da Carteira x Meta Atuarial nos últimos 12 meses Acumulado 2,% Mensal 9,64% 16,6% 12,58% 1,%,% -1,% -2,% Carteira Total IPCA + 6,% C Rentabilidade Carteira IPCA + 6,% C Total por Instituição Financeira Projeção de Indicadores de Mercado 12,% 216 BB 56,61% 11,91% 14,25% ,85% CAIXA 43,39% Selic (fim de período) IPCA + 6% Fonte: Relatorio Focus Banco Central Página 3 de 5

4 Milhares (R$) Milhares (R$) Milhares (R$) 12. Evolução do Patrimônio Líquido no Ano - (em valores diários) Evolução dos Investimentos em Renda Fixa no Ano Evolução dos Investimentos em Renda Variável no Ano Retorno dos Indicadores INCADORES Rentabilidade em Setembro Rentab Trimestre Rentab. Semestre Rentabilidade em 215 Rentab. 12 Meses C 1,11% 3,43% 6,56% 9,55% 12,58% IBOVESPA -3,36% -15,11% -11,91% -9,89% -16,73% IBRX -3,11% -14,16% -1,78% -8,66% -15,15% ICON,19% -6,53% -2,1% -,45% 2,15% IV -6,18% -19,47% -18,3% -23,36% -37,36% IDkA IPCA 2 Anos,88% 2,48% 6,1% 1,69% 12,75% IDkA IPCA 2 Anos -4,66% -18,87% -9,89% -9,1% -6,26% IEE -,25% -14,8% -6,29% -5,1% -6,6% IGC -1,81% -12,8% -9,92% -8,61% -1,79% IMA Geral ex-c -,4% -,93% 2,75% 5,5% 8,% -,68% -4,48%,1% 3,49% 5,85% 5,79% 2,1% 5,13% 9,72% 11,95% 5+ -1,63% -7,83% -2,27%,49% 2,91% IPCA + 6,% 1,3% 2,87% 6,74% 12,45% 16,6% IPCA,54% 1,39% 3,67% 7,64% 9,49% -,94% -,57% 2,49% 4,59% 6,94% 1,96% 3,3% 6,15% 9,8% 11,89% 1+ -2,29% -3,22% -,7% 1,57% 3,68% Página 4 de 5

5 Evolução da Carteira por Distribuição de Produtos 1% 9% 8% 7% 6% Renda Variável % 4% 3% 2% 1% + % IDkA IPCA 2A Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro IDkA IPCA 2A Renda Variável Considerações Após a forte alta da aversão ao risco no mês de agosto - influenciada pelas preocupações com a China e outros emergentes - e posterior reversão parcial próximo ao término daquele mês, o apetite por risco manteve-se reduzido no mês de setembro. Apesar da redução dos temores quanto ao país asiático, o índice VIX de aversão ao risco manteve-se acima dos 2 pontos ao longo do período, patamar que sugere condições financeiras mais apertadas. Internamente, os destaques foram para o aumento do prêmio de risco doméstico, que levou a uma pressão maior no câmbio e nos juros no início do mês num cenário de forte aumento das incertezas ocasionado pela retirada do grau de investimento pela agência de classificação de risco Standard & Poor s. Nos EUA, a agenda macro foi predominantemente positiva. Entre os dados de atividade, destacamos: i) o PIB do 2º trimestre mostrou um crescimento anualizado de 3,9%, acima do dado da última prévia; ii) a produção industrial caiu,4% em agosto; iii) as vendas no varejo em agosto cresceram,2% no conceito amplo e,4% na medida de núcleo. Os indicadores do mercado imobiliário também vieram em sua maioria positivos. As pesquisas de atividade industrial, por sua vez, apresentaram sinais mistos. Entre os dados de inflação, o índice de inflação ao consumidor cedeu de,1% para -,1% em agosto, mantendo-se estável em,2% na variação em 12 meses, enquanto o núcleo do índice aumentou,1% no mês e 1,8% ante o ano anterior. Já o principal dado de emprego, o payroll, veio abaixo do esperado, com criação de 173 mil vagas, trazendo revisões que acrescentaram 44 mil vagas nos meses anteriores, enquanto a taxa de desemprego caiu de 5,3% para 5,1%. Na Europa, a segunda prévia do PIB do segundo trimestre apresentou revisão altista, de,3% para,4% no trimestre e de 1,2% para 1,5% no ano. No que tange à inflação, a prévia para a inflação ao consumidor em 12 meses no mês de agosto manteve-se inalterada em +,2%, ainda muito abaixo da meta de 2,% estabelecida pelo BCE. No front dos Bancos Centrais, o destaque ficou por conta da reunião do Comitê de Política Monetária do banco central americano (FOMC) de setembro. O FOMC decidiu pela manutenção da taxa de juros dos Fed Funds próximo a zero e um comunicado mais flexível, num evento que contou com a divulgação das projeções de importantes variáveis e posterior entrevista. Em sua fala, a presidente Janet Yellen afirmou que é necessário um pouco mais de tempo para avaliar os impactos da turbulência internacional recente sobre a atividade nos EUA. No ambiente doméstico, a agenda continuou amplamente negativa. Entre os dados de atividade, a produção industrial voltou a registrar forte queda na variação mensal, de -1,5% em agosto ante julho; e as vendas ao varejo no conceito restrito recuaram 1% em julho no comparativo mensal e 3,5% em relação ao mesmo mês do ano passado, enquanto no conceito ampliado houve alta de,6%. Entre os dados de inflação, o IPCA-15 de setembro acelerou em relação ao último IPCA, de,22% para,39%, com o detalhamento revelando forte persistência inflacionária. No que tange à política monetária, o Comitê de Política Monetária (Copom), manteve a taxa Selic inalterada em 14,25% e divulgou a Ata da última reunião, a qual trouxe mensagens divergentes. Ainda pelo lado monetário, o BC divulgou o Relatório Trimestral de Inflação, que trouxe um tom bastante similar ao da Ata. No setor externo, o déficit em transações correntes veio em US$2,5 bilhões em setembro, mantendo-se em 4,34% do PIB no acumulado em 12 meses. Por fim, no início do mês a Standard & Poor's anunciou o rebaixamento da nota de crédito de longo prazo da dívida brasileira de BBB- para BB+ e com perspectiva negativa. Página 5 de 5

Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos. ITABIRAPREV - Instituto de Previdência de Itabira - MG

Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos. ITABIRAPREV - Instituto de Previdência de Itabira - MG Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos ITABIRAPREV - Instituto de Previdência de Itabira - MG Milhares (R$) Milhões 1. Introdução O presente relatório possui o objetivo de demonstrar

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDENCIA SOCIAL DE ALVINÓPOLIS

INSTITUTO DE PREVIDENCIA SOCIAL DE ALVINÓPOLIS INSTITUTO DE PREVIDENCIA SOCIAL DE ALVINÓPOLIS MÊS REFERENCIA: OUTUBRO 2014 VISAO GERAL GRAFICO RENTABILIDADE CAPITAL PROTEGIDO ENQUADRAMENTO COMENTÁRIO RATING BALANCEAMENTO POLITICA INVESTIMENTO DAIR

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NANUQUE Fevereiro/2014 RELATÓRIO DE DESEMPENHO MENSAL Em atendimento a Resolução CMN 3.922/10 de acordo com os artigos: Art. 4º. Os responsáveis

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

Relatório Mensal. Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2011 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários e Imobiliários 0,53% 39,27%

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO jan/15 jan/15 Acomodação com o cenário externo A semana de 19 a 26 de fevereiro apresentou movimentos moderados nas principais variáveis de mercado. A despeito do resultado negativo para o IPCA-15 de fevereiro,

Leia mais

PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO

PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015 Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Adélio Dalmolin; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA MT IPREAF

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA MT IPREAF REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA MT IPREAF 29 janeiro, 2016 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 2 2 RESUMO DO REGULAMENTO DOS INVESTIMENTOS... 3 3 MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA DOS INVESTIMENTOS...

Leia mais

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal Ano IV Edição: maio/2013 nº 33 Informações referentes à abril/2013 Cenários Cenário Internacional O sentimento dos investidores globais melhorou no último mês com a solução para a crise no Chipre e o melhor

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO TRIMESTRAL DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO TRIMESTRAL DE INVESTIMENTOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS SOB GESTÃO DO IPMC 01/10/2014 A 31/12/2014 1 - O Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba IPMC, apresenta o Relatório

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 04/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 04/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 04/2014 Data: 27/02/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014 Como Presidente e Gestora do Instituto de Previdência

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS MARÇO-2014. Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS MARÇO-2014. Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS MARÇO-2014 Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão de Investimentos do Regime Próprio de Previdência do Município

Leia mais

PARECER MENSAL - 8/2015 22/09/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Vera - MT VERA - PREVI

PARECER MENSAL - 8/2015 22/09/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Vera - MT VERA - PREVI PARECER MENSAL - 8/2015 22/09/2015 Regime Próprio de Previdência Social do município de Vera - MT VERA - PREVI Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Clarice Scheit Calgaro; Atendendo a necessidade

Leia mais

BOLETIM. Fundos de Investimento. Indústria registra captação líquida de R$ 97,6 bi no ano. Destaque do Mês. Indústria de Fundos em Números - Dez/12

BOLETIM. Fundos de Investimento. Indústria registra captação líquida de R$ 97,6 bi no ano. Destaque do Mês. Indústria de Fundos em Números - Dez/12 Fundos de Investimento BOLETIM Ano VIII Nº 81 Janeiro/2013 Indústria registra captação líquida de R$ 97,6 bi no ano Indústria de Fundos em Números - Dez/12 MERCADO DOMÉSTICO R$ 2.189,0 bi de PL 0,2% Variação

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Menor aversão ao risco, mesmo com incertezas domésticas A semana do dia 24 de março a primeiro de abril ficou marcada por movimentos favoráveis no mercado de câmbio e de juros, nas expectativas inflacionárias

Leia mais

Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira

Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - CIESP Campinas (SP) 29 de julho de 2009 1 CIESP Campinas - 29/07/09 Crise de 2008 breve histórico Início:

Leia mais

Os desafios da economia. Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014

Os desafios da economia. Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014 Os desafios da economia Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014 Os desafios da economia Correção dos rumos da política econômica. Muito mais do que necessidade: É inevitável. Sem ajustes:

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005

RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUSEP RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005 Rio de Janeiro, 13 de abril de 2005. 1. Conjuntura atual O objetivo deste Relatório

Leia mais

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3%

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3% PIB O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou nesta última sextafeira, 29 de Maio, os dados do Produto Interno Bruto (PIB) referentes ao primeiro trimestre de 2015. Análise preliminar

Leia mais

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli 1 Apresentação Semanal De 04 a 15 de abril de 2016 Matheus Rosignoli mrosignoli@santander.com.br Indicadores e eventos da última semana Mar-08 Jul-08 Nov-08 Mar-09 Jul-09 Nov-09 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11

Leia mais

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Abril/11 Sumário 1. Características do Fundo Política de Gestão Objetivo do Fundo Público Alvo Informações Diversas Patrimônio Líquido 2. Medidas Quantitativas

Leia mais

PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO

PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015 Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Adélio Dalmolin; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Opinião ABC Brasil /12/2013

Opinião ABC Brasil /12/2013 06/12/2013 Uma semana carregada de novidades como essa parece ser um bom momento para revermos o nosso cenário de curto prazo, tanto para as variáveis brasileiras, quanto para a questão do tapering nos

Leia mais

JANEIRO de

JANEIRO de JANEIRO de 2015 1 ÍNDICE 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 4 2 RESUMO DO REGULAMENTO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO... 5 2.1 FUNDOS DE INVESTIMENTO DO BANCO DO BRASIL... 5 2.1.1 BB PREVIDENCIÁRIO RENDA FIXA IMA

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO-2015

RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO-2015 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO- ÍNDICE DEMOSTRATIVO DAS APLICAÇÕES DA

Leia mais

Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho.

Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho. 05-jul-2013 Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho. Leilões de swap cambial e mais flexibilidade de regras tributárias para a entrada de fluxo

Leia mais

Informativo de Mercado Mensal

Informativo de Mercado Mensal Informativo de Mercado Mensal Fevereiro/2016 DESTAQUES O mês de fevereiro/16 foi risk on. No plano internacional, o cenário mais consensual revela que o quadro macroeconômico global se tornou mais complexo

Leia mais

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho.

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. Segundo apuração da PME (Pesquisa Mensal do Emprego), realizada pelo IBGE,

Leia mais

GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA RPPS PONTÃO MARÇO

GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA RPPS PONTÃO MARÇO 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO BANCO CENTRAL DO BRASIL. Focus Relatório de Mercado de 6 de março de 2015. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/pec/gci/port/readout/r20150306.pdf.

Leia mais

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Henrique Meirelles Ministro da Agosto 2016 Cenário de Referência 2 Foi observado o limite de crescimento da despesa contido na Proposta de Emenda Constitucional 241/2016

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015 CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRIMESTRE DE 2015 1 CENÁRIO ECONÔMICO O segundo trimestre do ano de 2015 demonstrou uma aceleração da deterioração dos fatores macroeconômicos no Brasil, com aumento

Leia mais

Relatório Trimestral da Carteira de Ativos

Relatório Trimestral da Carteira de Ativos Relatório Trimestral da Carteira de Ativos 3º Trimestre de 2015 Relatório trimestral da carteira de ativos contemplando as rentabilidades auferidas pelo UIRAPURU PREV, mediante aplicações nos bancos e

Leia mais

Ibovespa desvalorizou 0,81%. Destaque positivo para Hering (+3,81%). Destaque negativo para Usiminas (- 3,49%).

Ibovespa desvalorizou 0,81%. Destaque positivo para Hering (+3,81%). Destaque negativo para Usiminas (- 3,49%). COMENTÁRIOS Os mercados domésticos tiveram uma segunda-feira negativa, em um dia de queda nas bolsas norteamericanas e valorização do dólar no mundo. Neste contexto, o CDS (proxy para prêmio de risco-brasil)

Leia mais

Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta;

Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta; 30-ago-2013 Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta; Agenda com o mercado de trabalho nos EUA e proximidade do FOMC de setembro elevou novamente rendimento das

Leia mais

Relatório Mensal. 2013 Fevereiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2013 Fevereiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2013 Fevereiro Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS DA ASSISTÊNCIA JANEIRO-2015

RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS DA ASSISTÊNCIA JANEIRO-2015 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS DA ASSISTÊNCIA JANEIRO- ÍNDICE DEMOSTRATIVO DAS APLICAÇÕES DA

Leia mais

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen Consultoria Conjuntura Econômica e Perspectivas 2017-22 Setembro/2016 Juan Jensen jensen@4econsultoria.com.br PIB Confiança segue mostrando recuperação na margem, ainda que nível ainda seja baixo Estamos

Leia mais

IPCA atinge maior nível desde out Previsão é de Selic estável.

IPCA atinge maior nível desde out Previsão é de Selic estável. EXODUS Institucional - Setembro/14 IPCA atinge maior nível desde out 211. Previsão é de Selic estável. O quadro eleitoral trouxe instabilidade ao mercado financeiro com as pesquisas na semana do pleito.

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO FPSM 3º TRIMESTRE 2010

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO FPSM 3º TRIMESTRE 2010 1 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO FPSM 3º TRIMESTRE 2010 Elaborado por: Comitê de Investimentos do FPSM Coordenadoria de Controle Interno 2 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO FUNDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO 3º

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A B R I L, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 27 de maio de 2016 Crédito imobiliário alcança R$ 3,5 bilhões em abril

Leia mais

Informativo de Mercado Mensal

Informativo de Mercado Mensal Informativo de Mercado Mensal Setembro/2016 DESTAQUES Após dois meses de cautela e baixa liquidez, o mês setembro de 2016 registrou um aumento no volume dos negócios em renda fixa. No campo doméstico foram

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS 1 Trimestre RESULTADOS OBTIDOS Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA PB TOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Novembro/2014 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 31.10.14 APLICAÇÃO

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO JANEIRO 2015

CENÁRIO MACROECONÔMICO JANEIRO 2015 Avaliação da Carteira de Investimentos Janeiro/2015 1 CENÁRIO MACROECONÔMICO JANEIRO 2015 O ano de 2015 inicia com grandes desafios no ambiente econômico internacional, principalmente em relação as incertezas

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS JULHO - 2015. Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS JULHO - 2015. Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS JULHO - 2015 Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão de Investimentos do Regime Próprio de Previdência do Município

Leia mais

Política Anual de Investimentos (PAI)

Política Anual de Investimentos (PAI) Política Anual de Investimentos (PAI) 2011 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 3 2.1 OBJETIVO GERAL... 3 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 3 VIGÊNCIA... 3 4 MODELO DE GESTÃO... 4 5 PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Outubro de 2015

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Outubro de 2015 RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Outubro de 2015 1 RESULTADOS DOS INVESTIMENTOS 1.1. Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) DATA CC FI DI/RF PGA FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI

Leia mais

Relatório Mensal. 2013 Janeiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2013 Janeiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2013 Janeiro Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 Prestação de Contas - LRF

Leia mais

O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado. São Paulo, 06 de julho de 2006

O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado. São Paulo, 06 de julho de 2006 O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado São Paulo, 06 de julho de 2006 Relação Moedas x Ouro - 01/1999=100 Cotação Ouro (onça-troy) - 100=12/2000 270

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Março de 2014 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 28.02.14 APLICAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARAZINHO/RS. RELATÓRIO BIMESTRAL DA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS Fevereiro/15

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARAZINHO/RS. RELATÓRIO BIMESTRAL DA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS Fevereiro/15 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARAZINHO/RS RELATÓRIO BIMESTRAL DA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS Fevereiro/15 INTRODUÇÃO Informamos que o conteúdo deste relatório bem como

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA DE SÃO FRANCISCO DE PAULA Fundo Municipal de Previdência Social

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA DE SÃO FRANCISCO DE PAULA Fundo Municipal de Previdência Social POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA O ANO DE 2013 1. INTRODUÇÃO Atendendo à legislação pertinente aos investimentos dos Regimes Próprios de Previdência Social - RPPS, em especial a Resolução CMN nº 3922, de

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 Data: 29/04/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016 Data: 08/01/2016 Participantes Efetivos: Wagner de Jesus Soares Presidente, Mariana Machado de Azevedo Economista, Rosangela Pereira

Leia mais

Menor volatilidade de emergentes e dados mais fracos fazem juros ceder na semana;

Menor volatilidade de emergentes e dados mais fracos fazem juros ceder na semana; Semana de 03 a 07 de Fevereiro Menor volatilidade de emergentes e dados mais fracos fazem juros ceder na semana; Dólar se deprecia diante de indicadores menos positivos de atividade americana; Ibovespa

Leia mais

FUNDOPREV MILITAR - JANEIRO 2015. Banco Fundo Investimento Valor Aplicado

FUNDOPREV MILITAR - JANEIRO 2015. Banco Fundo Investimento Valor Aplicado FUNDOPREV MILITAR - JANEIRO 2015 BANRI FI Banrisul Mercado Credito Privado FI RF LP R$ 2.519.337,47 FI Banrisul Patrimonial FI Renda Fixa LP R$ 2.585.013,33 R$ 5.104.350,79 BB FI BB Ações Cielo Fundo de

Leia mais

SJPREV São José Previdência - SC

SJPREV São José Previdência - SC RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS JANEIRO - 2015 SJPREV São José Previdência - SC INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão de Investimentos do São José Previdência foi elaborado pela SMI Consultoria de Investimentos

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO TRIMESTRAL DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO TRIMESTRAL DE INVESTIMENTOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS SOB GESTÃO DO IPMC 01/01/2016 A 31/03/2016 1 - O Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba IPMC, apresenta o Relatório

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 Lucas Lautert Dezordi * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Introdução O presente artigo tem

Leia mais

Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015

Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015 Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015 Gestão Visão Prev Bradesco Custódia e Administração VP Finanças Telefonica-Vivo Conselho Deliberativo Comitê Investimentos Conselho Fiscal Diretoria Executiva

Leia mais

Sexta-Feira, 06 de janeiro de 2017

Sexta-Feira, 06 de janeiro de 2017 Sexta-Feira, 06 de janeiro de 2017 Bom dia, O Índice Geral de Preços - DI acelera no último mês do ano. O IGP-DI variou 0,83%, em dezembro, ante uma variação registrada em novembro de 0,05%. No comparativo

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS OUTUBRO - 2015. Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Antônio Carlos - SC

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS OUTUBRO - 2015. Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Antônio Carlos - SC RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS OUTUBRO - 2015 Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Antônio Carlos - SC INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão de Investimentos do Instituto

Leia mais

Relatório Analítico dos Investimentos no 1º Trimestre de 2014

Relatório Analítico dos Investimentos no 1º Trimestre de 2014 Relatório Analítico dos Investimentos no 1º Trimestre de 2014 : : GLOSSÁRIO Informamos algumas definições técnicas que foram apresentadas a seguir, sobre os instrumentos matemáticos e estatísticos que

Leia mais

volume de vendas cresceu 0,7% entre julho e agosto.

volume de vendas cresceu 0,7% entre julho e agosto. IPC-Fipe: A FIPE divulgou o índice de preços ao consumidor da segunda prévia de outubro na região metropolitana de São Paulo, o resultado mostrou variação de 0,19%, abaixo da mediana dos analistas de 0,29%.

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P M A I O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 28 de junho de 2016 Em maio, crédito imobiliário somou R$ 3,9 bilhões Poupança

Leia mais

Em 12 meses* Em 24 meses*

Em 12 meses* Em 24 meses* FUNDOS Data No mês Mês Ant. No ano# Em 12 Em 24 Em 36 Rentab. no dia% Val. da Cota(R$) P.L.Méd. Ult. 12 Meses (R$ MM) Taxa de Adm. (ao ano)** Cond. do Fundo Renda Fixa Curto Prazo Itauvest(1) 5/08 0,18

Leia mais

Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real;

Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real; 20-jan-2014 Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real; Ibovespa recuou 1,04% na semana, seguindo

Leia mais

AUTORIZAÇÃO DE APLICAÇÃO E RESGATE - APR

AUTORIZAÇÃO DE APLICAÇÃO E RESGATE - APR VALOR (R$): 542.000,00 (Quinhentos e quarenta e dois mil reais) Nº / ANO: 001/2014 Data: 15 de janeiro de 2014 Artigo 7º, I, b Descrição da Valor referente a APLICAÇÃO de recursos no Fundo de Investimentos

Leia mais

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h;p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da Apresentação Variáveis- instrumentos:

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI MM LP CP NANKING INSTITUC / Informações referentes a Março de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI MM LP CP NANKING INSTITUC / Informações referentes a Março de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LONGO PRAZO CREDITO PRIVADO IONAL. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Porto Alegre Dezembro 2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...3 2 DO ENQUADRAMENTO À RESOLUÇÃO CMN nº. 3.922, de 2010 e a POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2015....3 3 ANÁLISE DA META ATUARIAL...3

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DO EXERCÍCIO DE 2011 INSTITUTO DE SEGURIDADE DO SERVIDOR MUNICIPAL CAMAÇARI, BA

ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DO EXERCÍCIO DE 2011 INSTITUTO DE SEGURIDADE DO SERVIDOR MUNICIPAL CAMAÇARI, BA ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DO EXERCÍCIO DE 2011 INSTITUTO DE SEGURIDADE DO SERVIDOR MUNICIPAL CAMAÇARI, BA Belo Horizonte, Julho de 2011 ÍNDICE 1. Introdução...03

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Consultoria de investimentos para RPPS

Consultoria de investimentos para RPPS Consultoria de investimentos para RPPS (Regime Próprio de Previdência Social). www.investorbrasil.com A INVESTOR é uma empresa especializada em consultoria e implementação de soluções na área de investimentos

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF. Intenção de Consumo das Famílias

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF. Intenção de Consumo das Famílias Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF Intenção de Consumo das Famílias Núcleo de Estudos Estratégicos Fecomércio SC Março de 2016 SUMÁRIO EMPREGO, REN DA E CONSUMO ATUAIS...

Leia mais

1º Trimestre de 2015 reflete desastre econômico brasileiro

1º Trimestre de 2015 reflete desastre econômico brasileiro 1º Trimestre de 2015 reflete desastre econômico brasileiro No primeiro trimestre deste ano, o indicador oficial de inflação brasileira, IPCA, acumula alta de 3,83%, a mais elevada para esse período desde

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 19 de agosto de 2016

INFORME ECONÔMICO 19 de agosto de 2016 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Nos EUA, a alta de juros está mais próxima. No Brasil, o movimento da Selic permanece condicionado ao controle da inflação e à aprovação do ajuste fiscal. Nos EUA, membros

Leia mais

Cenário macroeconômico

Cenário macroeconômico Cenário macroeconômico 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016* 2017* TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB DO MUNDO (SOMA DOS PIBs OBTIDA PELA PARIDADE DO PODER DE COMPRA) 1980 - Título 2011 FONTE: FMI. ELABORAÇÃO E

Leia mais

RESGATE DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS ATRELADOS A ÍNDICES DE LONGO PRAZO

RESGATE DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS ATRELADOS A ÍNDICES DE LONGO PRAZO PARECER DE INVESTIMENTO Nº. 030/2016 Cuiabá MT, 18 de Março de 2016 RESGATE DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS ATRELADOS A ÍNDICES DE LONGO PRAZO Prezado(a) Diretor Executivo, Sr(a). Valmir Guedes Pereira; Desde

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI RF CP LP TITULOS PRIVADOS / Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI RF CP LP TITULOS PRIVADOS / Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto

Leia mais

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas São Paulo, 4 de março de 2016 Tatiana Pinheiro Adriana Dupita Departamento de Pesquisa Econômica Luciano Sobral Everton Gomes Matheus Rosignoli Rodolfo Margato

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise política e crise econômica no Brasil e suas repercussões no mundo 1 1. A crise econômica

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária Informativo Semanal de Economia Bancária Federação Brasileira de Bancos Semana de 11 a 15 de julho de 2016 Ano 8, Nº. 355 Comentário Semanal A pesquisa Focus divulgada na manhã de hoje (11) praticamente

Leia mais

FUNDOPREV CIVIL - JANEIRO 2015 Banco Fundo Investimento Valor Aplicado

FUNDOPREV CIVIL - JANEIRO 2015 Banco Fundo Investimento Valor Aplicado FUNDOPREV CIVIL - JANEIRO 2015 BANRI FI Banrisul FOCO IDKA IPCA 2A FI RF R$ 6.186.176,29 FI Banrisul Foco IRF-M 1 FI Renda Fixa LP R$ 4.071.509,25 FI Banrisul Indice FI Ações R$ 783.031,00 FI Banrisul

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA Proposta de Consultoria Financeira. MENSAL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA A/C.: Superintendente INVESTOR - APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO A INVESTOR é uma empresa especializada em consultoria e implementação de soluções

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Janeiro/2015 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 31.12.14 APLICAÇÃO

Leia mais

Sistema de Contas Nacionais Brasil

Sistema de Contas Nacionais Brasil Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil 2004-2008 Coordenação de Contas Nacionais Rio, 05/11/2010 Divulgações do SCN Já divulgados os dois primeiros trimestres de 2010, HOJE - ano 2008

Leia mais

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Número 11, Fevereiro/2015 www.ratingdeseguros.com.br 1 Objetivo: O objetivo desta é ser uma avaliação mensal desse segmento e seus setores relacionados (resseguro,

Leia mais

POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO

POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO SERVIÇO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL Rua Monsenhor Soares nº. 65 Centro Itapetininga SP Fones (015)3271-0728 e 3271-7389(telefax) E-mail: seprem@uol.com.br POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO

Leia mais

Taxas de juros domésticas cedem com divulgação de IPCA de abril mais baixo;

Taxas de juros domésticas cedem com divulgação de IPCA de abril mais baixo; 12-mai-2014 Taxas de juros domésticas cedem com divulgação de IPCA de abril mais baixo; Dólar encerra praticamente estável em semana de maior entrada de fluxo externo; Ibovespa termina semana com leve

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO Expectativas de Mercado BACEN (17/04/2015) Pág. 2 abril de 2015 CARTEIRA DE INVESTIMENTO ATIVOS % FEVEREIRO MARÇO DISTRIBUIÇÃO POR INSTITUIÇÃO FINANCEIRA

Leia mais

259,30 1,14 1,02 0,96 1,12 1,00 1,09 1,15 1,10 1,19 1,08 1,03 1,01 13,39 13,67 41,72 1,0%

259,30 1,14 1,02 0,96 1,12 1,00 1,09 1,15 1,10 1,19 1,08 1,03 1,01 13,39 13,67 41,72 1,0% Fundos Renda Fixa PL Médio 12 meses Rentabilidade Acumulada % (já descontada a taxa de administração) No ano# Dez/15 Jan/16 Fev/16 Mar/16 Abr/16 Mai/16 Jun/16 Jul/16 Ago/16 Set/16 Out/16 Nov/16 Cond. 12

Leia mais

DEMONSTRATIVO DAS APLICAÇÕES E INVESTIMENTOS DOS RECURSOS

DEMONSTRATIVO DAS APLICAÇÕES E INVESTIMENTOS DOS RECURSOS DEMONSTRATIVO DAS APLICAÇÕES E INVESTIMENTOS DOS RECURSOS 1. ENTE Nome: Endereço: Bairro: Telefone: Prefeitura Municipal de Macaé / RJ Av. Presidente Feliciano Sodre Centro (022) 2791-9008 Fax: CNPJ: Complemento:

Leia mais