Linguagem MDX. Linguagem MDX Introdução 2 MULTIDIMENTIONAL EXPRESSIONS. Microsoft, década de 90. Criação de relatórios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Linguagem MDX. Linguagem MDX Introdução 2 MULTIDIMENTIONAL EXPRESSIONS. Microsoft, década de 90. Criação de relatórios"

Transcrição

1 1 MULTIDIMENTIONAL EXPRESSIONS Introdução 2 Microsoft, década de 90. Criação de relatórios Business Intelligence --> gestão de negócio 1

2 Introdução 3 MDX x SQL MDX surgiu através de SQL 4 Sintaxe: <mdx_expression> ON COLUMNS //0 <mdx_expression> ON ROWS //1 <mdx_expression> ON PAGES //2 FROM <nome_cubo> WHERE <slicer_expression> 2

3 MDX x SQL 5 Ambas possuem funções para cálculos. Diferentes fontes de consulta. MDX não defini dados. MDX navega em hierarquia. Cubo [Dimensões] + Dimensão [Membros] + [Hieraquia] Hierarquia [Nível] + Nível [Membros] + Membros [Filhos] + Conceitos necessários 6 3

4 Navegar no cubo: Dimensao.<Sintaxe Member> <Sintaxe Member> = Membro.[nome do filho função] Navegar em uma hierarquia Dimensao.HIERARQUIA. [ Nivel. <Sintaxe Member> <Sintaxe Member> ] Cuidado com abreviações Ano 2010 e 2011 Tempo.[Hierarquia Tempo].Ano.Semestre.1 Semestre 1 de qual ano? Conceitos necessários 7 Colchetes - [ ] - Espaços em branco Números Caracteres Selecionar um única célula Relacionar membros de todas as dimensões 8 ( ) [Produto]. [Milho], Tempo. Maio, [Loja]. [Recife] 4

5 Selecionar um conjunto Realacionar um ou mais membros da mesma dimensão membros de outras. ( ) 9 { ( [Tempo]. [Abril], [Loja]. [Recife], [Produto]. [Milho] ), ( [Tempo]. [Maio], [Loja] [Loja]. [Recife],. [Recife], [Produto] [Produto]. [Milho]. [Milho] ), ( [Tempo]. [Junho], [Loja]. [Recife], [Produto]. [Milho] ), ( [Tempo]. [Julho], [Loja]. [Recife], [Produto]. [Milho] ) } 10 5

6

7 Função Children Função Children Retorna o conjunto dos filhos de um membro especificado. Caso o membro não possua uma hierarquia, um conjunto vazio será retornado. Sintaxe: [Dim].[Membro].Children Exemplo: Qual o valor arrecado nos dois primeiros trimestres do ano de 2006? 13 Função Children 14 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Half Year]. [Semester 1, 2006].CHILDREN ON COLUMNS, [Measures].[Valor] ON ROWS FROM POINTFILMES 7

8 Função FirstChild Função FirstChild 15 Retorna o primeiro membro filho de um membro especificado. Sintaxe: [Dim].[Membro].FirstChild Exemplo: Qual o valor arrecadado somente no primeiro trimestre do ano de 2006? Função FirstChild 16 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Half Year]. [Semester 1, 2006]. FIRSTCHILD ON COLUMNS FROM POINTFILMES 8

9 LastChild Função LastChild 17 Retorna o último membro filho de um membro especificado. Sintaxe: [Dim].[Membro].LastChild Exemplo: qual o valor arrecado no segundo semestre de 2006? Função LastChild 18 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Calendar 2006].LASTCHILD ON COLUMNS FROM POINTFILMES 9

10 Função Parent Função Parent 19 Retorna o membro pai de um membro especificado. O pai do membro especificado é o mesmo pai do nível ao qual o membro pertence. Sintaxe: [Dim].[Membro].Parent Exemplo: qual o valor arrecado no segundo semestre de 2006? Obs.: Consulta igual a da função. Mostrando que é possível conseguir um mesmo resultado com diferentes formas de navegar na hierarquia. Função Parent 20 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Quarter]. [Quarter 3, 2006].PARENT ON COLUMNS FROM POINTFILMES 10

11 Função Descendants Função Descendants 21 Retorna um conjunto de descendentes de um membro em um determinado nível. Os argumentos necessários são: um nível de uma hierarquia, e o membro do qual se deseja obter os descendentes. Sintaxe: Descendants( membro, nível ) Exemplo 1: qual o valor que cada funcionário arrecadou com as locações em cada trimestre de 2006? Função Descendants 1 22 [DIM FUNCIONARIO].[Nome].children ON 1, DESCENDANTS ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Year].[Calendar 2006], [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Quarter] )ON 0 FROM [POINTFILMES] 11

12 Função Descendants 2 23 Exemplo 2: qual a quantidade de locações que cada funcionário realizou, em cada trimestre do ano 2006? [DIM FUNCIONARIO].[Nome].children ON Rows, DESCENDANTS ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Year].[Calendar 2006], [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Quarter] )ON Columns FROM [POINTFILMES] WHERE [Measures].[FATOS Count] Função Descendants (Variações) 24 Variações ( 1 ): com mesmo retorno do exemplo 2. Sintaxe: Descendants( membro, número ) [DIM FUNCIONARIO].[Nome].children ON 1, DESCENDANTS ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Year]. [Calendar 2006], 2 ) ON 0 FROM [POINTFILMES] WHERE [Measures].[FATOS Count] 12

13 Variações ( 2 ): Função Descendants (Variações) 25 retorna o próprio membro e seus descendentes. Sintaxe: Descendants( [nível membro] ) [DIM FUNCIONARIO].[Nome].children ON 1, DESCENDANTS ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [January 2006] )ON 0 FROM [POINTFILMES] WHERE [Measures].[FATOS Count] Função CurrentMember 26 Função CurrentMember Em cada passo de uma iteração recuperamos o membro que está sendo utilizado através da função CurrentMember. Sintaxe: Hierarchy_Expression.CurrentMember Exemplo apresentado no próximo item (Criar Membro Calculado) 13

14 Membro Calculado Reuso de código Simplificar consultas (*) Membro Calculado 27 Sintaxe: WITH <Select With Clause> consulta_mdx <Select With Clause> ::= [ MEMBER identifier AS mdx_expression SET identifier AS set_expression ] + Membro Calculado 28 Exemplo: qual o valor percentual arrecadado em cada mês, em relação ao seu trimestre? WITH MEMBER Measures.ValorPercentual AS ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].CURRENTMEMBER, [Measures].[Valor] ) / ( [Year - Half Year - Quarter -Month-Date].CURRENTMEMBER.Parent, [Measures].[Valor] ) *

15 Membro Calculado 29 Measures.ValorPercentual ON COLUMNS, Descendants ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date], [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Month] ) ON ROWS FROM POINTFILMES PrevMember e NextMember 30 Função PrevMember e Next Member PrevMember retorna o membro anterior ao membro especificado, no mesmo nível. NextMember retorna o próximo membro do membro especificado, no mesmo nível. Sintaxe: [Dim].[Membro].PrevMember/NextMember 15

16 Exemplos: PrevMember e NextMember 31 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Month]. [January 2007].NEXTMEMBER ON COLUMNS FROM POINTFILMES //Retorno: valor arrecado em Feveiro 2007 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Month].[January 2007].PREVMEMBER ON COLUMNS FROM POINTFILMES //Retorno: valor arrecado em Dezembro 2006 Função Lag Função Lag 32 Recebe um número n positivo como parâmetro e retorna o n- ésimo membro anterior ao membro onde foi aplicada a função. Sintaxe: [Dim].[Membro].Lag(n) n=0, o retorna o próprio membro. n =1, o retorno é igual ao da função PrevMember aplicado ao mesmo membro. n=-1, o retorno é igual ao da função NextMember aplicado ao mesmo membro. 16

17 Exemplos: Função Lag 33 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Month].[January 2007]. LAG(0) ON COLUMNS FROM POINTFILMES //Retorno: valor arrecado em Janeiro 2007 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Month].[January 2007]. LAG(1) ON COLUMNS FROM POINTFILMES //Retorno: valor arrecado em Dezembro 2007 Função Lag 34 Exemplos (continuação): [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Month]. [January 2007]. LAG(-1) ON COLUMNS FROM POINTFILMES //Retorno: valor arrecado em Feveiro

18 Função Lead Função Lead 35 A definição é similar a definição da função Lag, porém o n- ésimo termo positivo retornado é posterior. Sintaxe: [Dim].[Membro].Lead(n) n=0, o retorno é o próprio membro. n =1, o retorno é igual ao da função NextMember aplicado ao mesmo membro. n=-1, o retorno é igual ao da função PrevMember aplicado ao mesmo membro. Exemplos: Função Lead 36 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Month].[January 2007]. LEAD(0) ON COLUMNS FROM POINTFILMES //Retorno: valor arrecado em Janeiro 2007 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Month].[January 2007]. LEAD(1) ON COLUMNS FROM POINTFILMES //Retorno: valor arrecado em Feveiro

19 Função Lead 37 [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Month].[January 2007]. LEAD(-1) ON COLUMNS FROM POINTFILMES //Retorno: valor arrecado em Dezembro 2007 Lembrando a função Lag(n) retorna elementos anteriores a função Lead(n) retorna elementos posteriores Função Avg Função AVG 38 Retorna o valor médio de uma expressão numérica avaliada em um conjunto. Sintaxe: Avg ( {conjunto}, expressão numérica). Exemplos: qual a média de locação de cada filme por mês. 19

20 Função AVG 39 WITH MEMBER Measures.ValorMedio AS AVG ( DESCENDANTS ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date], [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Month] ), [Measures].[FATOS Count] ) Measures.ValorMedio ON COLUMNS, [DIM FILME].[Nome].CHILDREN ON ROWS FROM POINTFILMES Função Members Função Members 40 Retorna o conjunto de membros em uma dimensão, nível ou hierarquia. Sintaxe: [Dim].Members [Hierarquia].Members [Nivel].Members Exemplo: o exemplo da função Members será apresentado junto com a função Order, logo abaixo. 20

21 Função Order Função Order 41 Organiza os membros de um conjunto especificado, preservando ou não a ordem hierárquica. Sintaxe: Order({conjunto}, expressão aritmética [,ASC DESC BASC BDESC ] ) ASC: conjunto na ordem ascendente de acordo com a hierarquia; DESC: conjunto na ordem descendente de acordo com a hierarquia; BASC: conjunto na ordem ascendente quebrando a hierarquia; BDESC: conjunto na ordem descendente quebrando a hierarquia; A letra B de BASC e BDESC vem de Break, com significado de quebrar a hierarquia. Função Order 42 Exemplo: ordenar os filmes por valor total arrecadado no ano de ORDER ([DIM FILME].[Nome].MEMBERS, [Measures].[Valor],DESC ) ON COLUMNS FROM POINTFILMES WHERE [Month].[December 2007] 21

22 Função SUM Função SUM 43 Retorna soma de conjunto de valores. Sintaxe: SUM ( {conjunto valores}). Exemplos: Exemplo apresentado na descrição do operador Range. Operador Range (:) Função RANGE ( : ) 44 Esse operador retorna um conjunto de membros ordenados que estão entre dois membros especificados. Os dois membros são inclusos no conjunto resultado. Sintaxe: Membro1 : Membro2 Exemplos: Neste exemplo apresentamos os filmes em ordem decrescente do valor total de locações que cada um gerou. 22

23 Função RANGE ( : ) 45 WITH MEMBER Measures.RENDA_NAS_FERIAS AS SUM ( { [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [December 2006] : [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [February 2007] }, [Measures].[Valor] ) Função RANGE ( : ) 46 ORDER ( [DIM FILME].[Nome].CHILDREN, (Measures.RENDA_NAS_FERIAS) ) ON COLUMNS FROM POINTFILMES 23

24 Operador CrossJoin Função CrossJoin 47 Retorna um conjunto que é o produto cartesiano entre dois conjuntos. Esse produto uma relação vazia, ou seja, quando os elementos não se relacionam. Sintaxe: CrossJoin({conjunto1},{conjunto2} [,conjunton]* ) Exemplo: quais filmes cada cliente alugou e quais ele não alugou? Função CrossJoin 48 CROSSJOIN ( [DIM CLIENTE].[Nome].CHILDREN, [DIM FILME].[Nome].CHILDREN ) ON COLUMNS FROM POINTFILMES WHERE MEASURES.[FATOS COUNT] 24

25 Funçao NonEmpty Função NonEmpty 49 Semelhante a função CrossJoin, porém o conjunto resultante do produto cartesiano somente possui elementos que são do primeiro conjunto e que se relacionam com algum do segundo. Sintaxe: NonEmpty({conjunto1},{conjunto2}) Exemplo: quantos filmes cada cliente alugou? Função NonEmpty 50 NONEMPTY ( [DIM CLIENTE].[Nome].CHILDREN, [DIM FILME].[Nome].CHILDREN ) ON COLUMNS FROM POINTFILMES WHERE MEASURES.[FATOS COUNT] 25

26 Função NonEmptyCrossJoin 51 Função NonEmptyCrossJoin Retorna um conjunto que é o produto cartesiano de outros conjuntos, com exceção de tuplas vazias, ou seja, é a união das duas funções anteriores, Crossjoin com NonEmpty. Sintaxe: NonEmptyCrossJoin ({conjunto1},{conjunto2} [,conjunton]*) Função NonEmptyCrossJoin 52 Exemplo: Quais os funcionários que realizaram a locação de pelo menos um filme no dia 01/01/2006? Quais foram os filmes e quanto foi o aluguel de cada um? 26

27 Função NonEmptyCrossJoin 53 NONEMPTYCROSSJOIN ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Year].[Calendar 2006].[Semester 1, 2006]. [Quarter 1, 2006]. [January 2006].[Sunday, January ], [DIM FUNCIONARIO].[Nome].CHILDREN, [DIM FILME].[NOME].CHILDREN )ON 1 { [Measures].[FATOS Count], [Measures].[Valor] } on 0 FROM [POINTFILMES] Função TopCount Função TopCount 54 Retorna um conjunto com os n elementos que possuem os maiores valores computado por alguma expressão no conjunto passado. Sintaxe: TopCount({conjunto}, n, expressao) Exemplo: quais os 10 clientes que mais alugaram e qual foi a quantidade? 27

28 Função TopCount 55 [Measures].[FATOS Count] ON COLUMNS, TOPCOUNT ( [DIM CLIENTE].[Nome].children, 10, [Measures].[FATOS Count] )ON ROWS FROM [PointFilmes] Função Rank Função Rank 56 Retorna uma classificação/posição (1, 2, 3, 4...) de um membro com base na sua classificação em um determinado conjunto. Sintaxe: Rank( membro, {conjunto} ) Exemplos: o exemplo da função Rank será apresentado no próximo tópico (conjunto nomeado) 28

29 Conjunto Nomeado Reuso de código Simplificar consultas (*) Escopo da consulta (o que utilizaremos), Escopo da sessão Escopo global. Conjunto Nomeado 57 Conjunto Nomeado 58 Sintaxe: WITH <Select With Clause> consulta_mdx <Select With Clause> ::= [ MEMBER identifier AS mdx_expression SET identifier AS set_expression ] + 29

30 Conjunto Nomeado 59 Exemplos: criar um rank dos clientes que mais alugaram filmes. Apresentar os clientes, a posição de cada um no rank e quantidade de filmes locados. Obs: O resultado é similar ao exemplo apresentado no função TopCount. Conjunto Nomeado 60 WITH SET [OrderedSet] AS ORDER ( [DIM CLIENTE].[Nome].[Nome].MEMBERS, [Measures].[FATOS Count], BDESC ) MEMBER [Measures].[Rank] AS RANK ( [DIM CLIENTE].[Nome].CurrentMember, [OrderedSet] ) 30

31 Conjunto Nomeado 61 { [Measures].[Rank], [Measures].[FATOS Count] } ON 0, [OrderedSet] ON 1 FROM [PointFilmes] Função DrillDownLevel 62 Função DrillDownLevel Acessa um cojunto em um determinado nível Sintaxe: DrillDownLevel ({conjunto} [, nível número]) 31

32 Função DrillDownLevel 1 63 Se nem expressão de nível ou o número for especificado (DrillDownLevel ({conjunto})), então a função irá retornar um conjunto composto pelo nível especificado e seus filhos. Exemplo 1: qual o valor arrecadado no primeiro semestre de 2009 e nos seus respectivos trimestres? Função DrillDownLevel 1 64 DRILLDOWNLEVEL ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Year]. [Calendar 2009]. [semester 1, 2009] ) ON 0 FROM POINTFILMES 32

33 Função DrillDownLevel 2 65 Se uma expressão de nível for especificada (DrillDownLevel ({conjunto}, nível) e não existir nenhum membro no nível especificado, no conjunto, esse conjunto será retornado. Exemplo 2: qual o valor arrecadado em cada mês? Explicação da consulta: foi utilizado o conjunto de meses e o nível Quarter. Como os membros de Quarter não pertencem ao conjunto de meses, o retorno será um conjunto apenas com os meses. Função DrillDownLevel 2 66 DRILLDOWNLEVEL ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Month].members, [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Quarter] ) ON 0 FROM POINTFILMES 33

34 Função DrillDownLevel 3 67 Se uma expressão de nível for especificada e existir um membro no nível especificado, no conjunto, tal conjunto unido com os membros de cada elemento do mesmo, será retornado.. Exemplo 3: qual o valor arrecadado em cada trimestre e nos seus respectivos meses? Explicação: foi utilizado o conjunto de trimestres e o nível Quarter. Como os membros de Quarter pertencem ao conjunto de trimestres, o retorno será um conjunto apenas com os meses. Função DrillDownLevel 3 68 DRILLDOWNLEVEL ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Quarter].members, [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Quarter] ) ON 0 FROM POINTFILMES 34

35 Função DrillDownLevel 4 69 Exemplo 4: quais os 5 filmes mais locados em cada trimestre? Qual foi a quantidade no trimestre? Qual a quantidade em cada mês do trimestre? Função DrillDownLevel 4 70 DRILLDOWNLEVEL ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Quarter].members, [Year - Half Year - Quarter - Month - Date].[Quarter] ) ON COLUMNS, TOPCOUNT ( [DIM FILME].[Nome].children, 5, [Measures].[FATOS Count] ) ON ROWS FROM PointFilmes where [Measures].[Fatos Count] 35

36 Função DrillDownMember 71 Função DrillDownMember Acessa os filhos de apenas um dos membros do primeiro conjunto somente quando tal membro pertencer ao segundo conjunto especificado. O retorno são todos os membros do primeiro conjunto unido com os filhos do membro acessado, ordenados pela hierarquia Sintaxe: DrillDownMember ({conjunto1}, {conjunto2}?msdn?) Função DrillDownMember 72 Exemplos: qual o valor total de aluguéis realizados por cada funcionário em todos os anos, mas com ênfase no ano O resultado é apresentado na figura 9? 36

37 Função DrillDownMember 73 DRILLDOWNMEMBER ( [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Year].members, [Year - Half Year - Quarter - Month - Date]. [Year]. [Calendar 2007] Não é um conjunto ) ON 0, [DIM FUNCIONARIO].[Nome].children ON 1 FROM [PointFilmes]? 74? 37

38 Referências [1] Business Intelligence, acessado 27/03/2010 url: [2]MDX: The Language of Multidimensional Analysis, acessado 22/03/2010 url: 75 [3] TUTORIAL: Introduction to Multidimensional Expressions (MDX), acessado 22/03/2010 url: act/2005/dap_sistdw/material/2-sdw-laboratorio pdf Referências [4] bda_mdx.pdf, acessado 22/03/2010 url: 76 [5] Mdx allows complex, multidimensional queries, acessado 22/03/2010 url: mplex_queries.pdf [6] MDX at First Glance: Introduction to SQL Server MDX Essentials, acessado em 01/04/2010 url: 511/MDX-at-First-Glance-Introduction-to-SQL-Server-MDX- Essentials.htm 38

39 Referências [7] MDX Tutorials, acessado 01/04/2010 url: 77 [8] Multidimensional Expressions (MDX) Reference, acessado 14/04/2010 url: 39

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO Tutorial SQL Fonte: http://www.devmedia.com.br/articles/viewcomp.asp?comp=2973 Para começar Os Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Relacionais (SGBDr) são o principal mecanismo de suporte ao armazenamento

Leia mais

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL Objetivos Revisando a sintaxe SQL SELECT, UPDATE, INSERT, DELETE Manipulando expressões Funções matemáticas, etc Condições de Pesquisa Funções de Agregação

Leia mais

DML - SELECT Agrupando Dados

DML - SELECT Agrupando Dados DML - SELECT Agrupando Dados 1. Apresentação Já conhecemos os comandos básicos de manipulação de dados: insert; delete; update e select. O comando de consulta select utilizado até aqui era aplicado sobre

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Objectivos: Funções de agregação Agrupamento e sumário de dados Funções de agregação Nesta tarefa orientada iremos formular consultas que sumariam os

Leia mais

SQL DML. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DML. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DML Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br SQL - DML Os exemplos da aula serão elaborados para o esquema de dados a seguir: Empregado(matricula, nome, endereco, salario, supervisor,

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

António Rocha Nuno Melo e Castro

António Rocha Nuno Melo e Castro António Rocha Nuno Melo e Castro SQL- Strutured Query Language é a linguagem mais usada nas bases dados relacionais. Originalmente desenvolvida pela IBM Actualmente é um standard, o mais recente é o SQL:2003

Leia mais

Bases de Dados. DML Data Manipulation Language Parte 1

Bases de Dados. DML Data Manipulation Language Parte 1 Bases de Dados DML Data Manipulation Language Parte 1 DML Data Manipulation Language Diz respeito à manipulação dos dados. É utilizada para: Inserir dados numa tabela(tuplos) Remover dados de uma tabela(tuplos)

Leia mais

Criando Itens Calculados

Criando Itens Calculados Criando Itens Calculados Objetivos Ao concluir esta lição, você será capaz de: Criar um cálculo Criar um cálculo complexo Especificar um valor de parâmetro para um cálculo Objetivos da Lição Esta lição

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL Complementos da Linguagem SQL - Eliminando Tuplas Repetidas Exemplo: Obter o código das editoras que têm livros publicados CodEditora Titulo Publicacao... 04 Banco de Dados 1989 02 Análise 2000 01 XML

Leia mais

Structured Query Language (SQL) SQL é uma linguagem normalizada (ANSI) para consultas e actualizações de bases de dados relacionais.

Structured Query Language (SQL) SQL é uma linguagem normalizada (ANSI) para consultas e actualizações de bases de dados relacionais. Structured Query Language (SQL) SQL é uma linguagem normalizada (ANSI) para consultas e actualizações de bases de dados relacionais. A instrução SELECT As consultas a uma base de dados relacional fazem-se

Leia mais

Uma expressão básica em SQL consiste em três cláusulas: select, from e where.

Uma expressão básica em SQL consiste em três cláusulas: select, from e where. Introdução a Banco de Dados O.K. Takai; I.C.Italiano; J.E. Ferreira. 67 8 A Linguagem SQL A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial que usa uma combinação de construtores em Álgebra

Leia mais

Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela

Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela Objectivos: Consultar dados de uma tabela Utilizar operadores aritméticos, relacionais, lógicos, de concatenação de cadeias de caracteres, LIKE

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Agenda Estrutura Básica de consultas SQL: A cláusula SELECT; A cláusula FROM; A cláusula WHERE. Operação com cadeias

Leia mais

ERIVAM ANSELMO DE ALBUQUERQUE

ERIVAM ANSELMO DE ALBUQUERQUE Pós-Graduação em Ciência da Computação UMA ANÁLISE COMPARATIVA DE FUNÇÕES MDX NOS SERVIDORES ANALYSIS SERVICES E MONDRIAN Por ERIVAM ANSELMO DE ALBUQUERQUE Dissertação de Mestrado Profissional Universidade

Leia mais

Introdução ao SQL Avançado

Introdução ao SQL Avançado Introdução ao SQL Avançado Introdução as consultas, manipulação e a filtragem de dados com a linguagem SQL Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão

Leia mais

SQL Comandos para Relatórios e Formulários. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Comandos para Relatórios e Formulários. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Comandos para Relatórios e Formulários Laboratório de Bases de Dados SELECT SELECT FROM [ WHERE predicado ] [ GROUP BY ]

Leia mais

Projeto de Banco de Dados

Projeto de Banco de Dados Projeto de Banco de Dados SQL-Consultas Comando SELECT Prof. Luiz Antônio Vivacqua C. Meyer (la.vivacqua@gmail.com) Sintaxe Geral SELECT [ALL/DISTINCT] coluna1, coluna2,..., colunan FROM nome_tabela1,

Leia mais

SQL UMA ABORDAGEM INTERESSANTE

SQL UMA ABORDAGEM INTERESSANTE SQL é uma linguagem de consulta estruturada, do inglês Structured Query Language. É uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

3) Palavra-chave distinct (select-from). Obter apenas os pibs distintos entre si.

3) Palavra-chave distinct (select-from). Obter apenas os pibs distintos entre si. NOME: BRUNO BRUNELI BANCO DE DADOS - ADS create database ProducaoMinerais use ProducaoMinerais create table Mineral( nome varchar(15) primary key, preco real) create table Pais( nome varchar(30) primary

Leia mais

f. Vocês podem selecionar todos os campos indicando-os, ou seja, sem usar * (boa prática) g. Muito relevante na manutenção de BD e de aplicações.

f. Vocês podem selecionar todos os campos indicando-os, ou seja, sem usar * (boa prática) g. Muito relevante na manutenção de BD e de aplicações. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: B1SGB - Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Memória de aula Aula 11 1) Cláusulas SELECT e FROM a. Apesar de ser a primeira, ela é a

Leia mais

Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986

Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986 2.3. Linguagens Relacionais SQL Structured Query Language Linguagem para o modelo relacional: Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986 Adoptada em 1987 como um standard internacional

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

Java Persistence Query Language JPQL

Java Persistence Query Language JPQL Introdução SELECT FROM WHERE GROUP BY HAVING ORDER BY Java Persistence Query Language JPQL Prof. Enzo Seraphim Definições Tornar SQL orientado a objetos Classes e propriedades ao invés de Tabelas e colunas

Leia mais

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Curso PHP Aula 08 Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Roteiro Conectividade com BD SQL + SQL Structured Query Language. Padrão para interagir com banco de dados relacionais. + Banco de dados Um banco

Leia mais

Manual de Utilização do Mondrian

Manual de Utilização do Mondrian Manual de Utilização do Mondrian Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Ciência da Computação Laboratório de Software Livre 4 de fevereiro de 2010 1 Sumário 1 O Mondrian 3 2 Online Analytical

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA 3 Linguagem SQL Linguagem de manipulação de dados (DML) DISCIPLINA: Banco de

Leia mais

Uso de interfaces amigáveis para elaboração de consultas a sistemas OLAP

Uso de interfaces amigáveis para elaboração de consultas a sistemas OLAP Uso de interfaces amigáveis para elaboração de consultas a sistemas OLAP Mariana Duprat, Esdi/Uerj/Andre Monat, Esdi/Uerj Palavras-Chave: OLAP interface MDX Resumo Esse artigo elabora a proposta de um

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

Consultas SQL Parte II

Consultas SQL Parte II CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA COMPONENTE CURRICULAR: BANCO DE DADOS PROFESSOR (A): Josiane Ferri TURMA: 11/1 - Tarde Consultas SQL Parte II Outras cláusulas que o comando select apresenta são DISTINCT,

Leia mais

Tarefa Orientada 11 Junção Interna

Tarefa Orientada 11 Junção Interna Tarefa Orientada 11 Junção Interna Objectivos: Junção Interna (INNER JOIN) Junção Interna A operação de junção interna (INNER JOIN) é utilizada para combinar colunas de duas ou mais tabelas. O resultado

Leia mais

COMANDOS PARA CONSULTA VIA SQL NO ACCESS

COMANDOS PARA CONSULTA VIA SQL NO ACCESS COMANDOS PARA CONSULTA VIA SQL NO ACCESS 1 Introdução ao SQL: SQL (Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada) é uma linguagem desenvolvida para permitir que qualquer pessoa, mesmo não

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Fundamentos de SQL Structured Query Language Aula2 Apresentado por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685

Leia mais

Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2. Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello

Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2. Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2 Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello Introdução Como vimos, um SGBD possui duas linguagens: DDL: Linguagem de Definição de Dados. Usada

Leia mais

MDX+: Uma Linguagem de Consulta Multidimensional com Análise Horizontal, Vertical e Estatística

MDX+: Uma Linguagem de Consulta Multidimensional com Análise Horizontal, Vertical e Estatística Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Graduação em Ciência da Computação MDX+: Uma Linguagem de Consulta Multidimensional com Análise Horizontal, Vertical e Estatística Trabalho de Graduação

Leia mais

Linguagem SQL - Structured Query Language

Linguagem SQL - Structured Query Language Linguagem SQL - Structured Query Language Breve introdução aos comandos: insert delete update select Alguns casos práticos: 1 Marca nome país nºpontos Carro nºcarro peso potência velocidademáxima Piloto

Leia mais

Linguagem SQL - Structured Query Language

Linguagem SQL - Structured Query Language Linguagem SQL - Structured Query Language Breve introdução aos comandos: insert delete update select Alguns casos práticos: 1 Piloto Carro Marca Corrida Circuito Classificação #piloto nome morada idade

Leia mais

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS LINGUAGEM SQL PARA CSULTAS EM MICROSOFT ACCESS Objetivos: Neste tutorial serão apresentados os principais elementos da linguagem SQL (Structured Query Language). Serão apresentados diversos exemplos práticos

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127 Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

Departamento de Ciências de Computação SCC Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação ICMC Universidade de São Paulo USP

Departamento de Ciências de Computação SCC Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação ICMC Universidade de São Paulo USP Departamento de Ciências de Computação SCC Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação ICMC Universidade de São Paulo USP Laboratório de Bases de Dados Docente Responsável: Profa. Dra. Cristina Dutra

Leia mais

SQL comando SELECT. SELECT [DISTINCT] FROM [condição] [ ; ] Paulo Damico - MDK Informática Ltda.

SQL comando SELECT. SELECT [DISTINCT] <campos> FROM <tabela> [condição] [ ; ] Paulo Damico - MDK Informática Ltda. SQL comando SELECT Uma das tarefas mais requisitadas em qualquer banco de dados é obter uma listagem de registros armazenados. Estas tarefas são executadas pelo comando SELECT Sintaxe: SELECT [DISTINCT]

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS LINGUAGEM SQL PARA CSULTAS EM MICROSOFT ACCESS Objetivos: Neste tutorial serão apresentados os principais elementos da linguagem SQL (Structured Query Language). Serão apresentados diversos exemplos práticos

Leia mais

COMANDOS PARA CONSULTA SQL NO SQL

COMANDOS PARA CONSULTA SQL NO SQL COMANDOS PARA CONSULTA SQL NO SQL 1 Introdução ao SQL: SQL (Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada) é uma linguagem desenvolvida para permitir que qualquer pessoa, mesmo não sendo

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br Os comandos SQL podem ser agrupados em 3 classes: DDL Data Definition Language Comandos para a Definição

Leia mais

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte Programação SQL INTRODUÇÃO II parte Programação SQL SELECT; INSERT; UPDATE; DELETE. Este conjunto de comandos faz parte da sublinguagem denominada por DML Data Manipulation Language (Linguagem de manipulação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA 1. COMPETÊNCIAS O aluno deverá ser capaz de analisar situações e realizar todo o projeto de banco de dados. 2. HABILIDADES Conhecer o ciclo de vida de um projeto de banco de dados; Conhecer os conceitos

Leia mais

Linguagem de Banco de Dados DML Exercícios

Linguagem de Banco de Dados DML Exercícios Linguagem de Banco de Dados DML Exercícios 1. A partir do modelo conceitual abaixo e das descrições das tabelas, crie o modelo físico e implanteo no banco de dados. 2. Acrescente os dados, conforme descrito

Leia mais

Ferramentas Livres de Armazenamento e Mineração de Dados

Ferramentas Livres de Armazenamento e Mineração de Dados Ferramentas Livres de Armazenamento e Mineração de Dados JasperBI, Pentaho, Weka 09/2009 Eng. Pablo Jorge Madril pmadril@summa.com.br Summa Technologies www.summa.com.br Eng. Pablo Jorge Madril pmadril@summa.com.br

Leia mais

Query SQL (Structured Query Language)

Query SQL (Structured Query Language) Query SQL (Structured Query Language) Forma básica SELECT FROM WHERE obrigatório obrigatório opcional Em FROM coloca-se uma tabela. Em SELECT colocam-se colunas ou expressões envolvendo colunas da tabela

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

Prof. Ronaldo R. Goldschmidt. ronaldo@de9.ime.eb.br rribeiro@univercidade.br geocities.yahoo.com.br/ronaldo_goldschmidt

Prof. Ronaldo R. Goldschmidt. ronaldo@de9.ime.eb.br rribeiro@univercidade.br geocities.yahoo.com.br/ronaldo_goldschmidt Prof. Ronaldo R. Goldschmidt ronaldo@de9.ime.eb.br rribeiro@univercidade.br geocities.yahoo.com.br/ronaldo_goldschmidt Prof. Ronaldo Ribeiro Goldschmidt REVISÃO DE BD RELACIONAIS E SQL! "" #!$ #%! $& #

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL)

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva SQL (MySql) ROTEIRO I PARTE - INTRODUÇÃO AO SQL COMANDOS E SUAS PARTES DA LINGUAGEM SQL II PARTE ADMINSTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO MYSQL PRINCIPAIS INSTRUÇÕES

Leia mais

SQL BANCO DE DADOS. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de Consulta Estruturada

SQL BANCO DE DADOS. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de Consulta Estruturada Revisão de tpicos anteriores BANCO DE DADOS Linguagem de consulta SQL Roberto Duarte Fontes Brasília - DF roberto@fontes.pro.br Projeto de banco de dados Modelagem Conceitual (independe da implementação)

Leia mais

SQL. Structured Query Language. Copyright 2003 2014 Prof. Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.

SQL. Structured Query Language. Copyright 2003 2014 Prof. Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti. SQL Structured Query Language Copyright 2003 2014 Prof. Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Sumário 1.CREATE TABLE... 5 1.1. Sintaxe... 5 1.2. A instrução CREATE TABLE

Leia mais

SQL (Structured Querie Language) Escola Secundária de Emídio Navarro 2001/2002 Estruturas, Tratamento e Organização de Dados

SQL (Structured Querie Language) Escola Secundária de Emídio Navarro 2001/2002 Estruturas, Tratamento e Organização de Dados SQL (Structured Querie Language) SQL é mais que uma linguagem de interrogação estruturada. Inclui características para a definição da estrutura de dados, para alterar os dados de uma base de dados, e para

Leia mais

Exercícios de SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

Exercícios de SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Exercícios de SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Esquemas Funcionarios (Codigo, PrimeiroNome, SegundoNome, UltimoNome, DataNasci, CPF, RG, Endereco, CEP, Cidade, Fone, CodigoDepartamento,

Leia mais

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo )

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo ) PRONATEC - Programador de Sistemas Banco de Dados 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas utilize o comando INSERT INTO INSERT INTO tabela [ ( coluna [, coluna,...] ) ] VALUES

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL)

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Conceitos sobre a versão ANSI da SQL, a sublinguagem de definição de dados (DDL) e a sublinguagem de manipulação de dados (DML) Prof. Flavio Augusto C. Correia 1

Leia mais

MySQL: Inserção e Seleção em Tabelas

MySQL: Inserção e Seleção em Tabelas MySQL: Inserção e Seleção em Tabelas Programação de Servidores Marx Gomes Van der Linden http://marx.vanderlinden.com.br/ INSERT INTO Para inserir novas entradas (linhas) em um tabela, usa-se INSERT INTO.

Leia mais

Múltiplas Tabelas. Disciplina de Banco de Dados

Múltiplas Tabelas. Disciplina de Banco de Dados Múltiplas Tabelas Uma das grandes características de um sistema de banco de dados relacional é a capacidade de interagir com múltiplas tabelas, como se elas fossem apenas uma. Para exemplificar esse tipo

Leia mais

SQL (Linguagem de Consulta Estruturada)

SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) M.Sc. Cristiano Mariotti mscmariotti@globo.com Introdução à SQL 1 Visão Geral Introdução Comandos de Definição de Dados Comandos de Manipulação de Dados Introdução

Leia mais

Principais Comandos SQL Usados no MySql

Principais Comandos SQL Usados no MySql Principais Comandos SQL Usados no MySql O que é um SGBD? Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (como no Brasil) ou Sistema Gestor de Base de Dados (SGBD) é o conjunto de programas de computador (softwares)

Leia mais

PowerPivot FÁBIO ÁVILA / THIAGO CARVALHO

PowerPivot FÁBIO ÁVILA / THIAGO CARVALHO PowerPivot FÁBIO ÁVILA / THIAGO CARVALHO Definição 2 O PowerPivot é um suplemento do Microsoft Excel que permite importar milhões de linhas de dados de várias fontes para uma única pasta de trabalho do

Leia mais

MODELO DE DADOS VS ESQUEMA

MODELO DE DADOS VS ESQUEMA MODELO DE DADOS VS ESQUEMA Um modelo de dados é um conjunto de conceitos usados para se descrever dados. Um esquema é uma descrição de uma determinada coleção de dados, descrição essa baseada num certo

Leia mais

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Objectivos: Junção externa (Outer JOIN) Junção externa à esquerda (LEFT Outer JOIN) Junção externa à direita (RIGHT Outer JOIN) Junção externa completa

Leia mais

Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R. Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89, SQL-92, SQL:1999, SQL:2003

Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R. Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89, SQL-92, SQL:1999, SQL:2003 Bases de Dados Introdução à linguagem SQL História Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R Renomeada para SQL (Structured Query Language) Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89,

Leia mais

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação. O Departamento de Pesquisas da IBM desenvolveu a SQL como forma de interface para

Leia mais

Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas.

Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas. MySQL 101 Recapitulando Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas. As bases de dados são úteis quando necessitamos

Leia mais

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados.

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Principais Instruções em SQL Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Atenção: Esta apostila foi desenvolvida com o auxílio on-line do banco MS-ACCESS,

Leia mais

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida UFCD 787 Administração de base de dados Elsa Marisa S. Almeida 1 Objectivos Replicação de base de dados Gestão de transacções Cópias de segurança Importação e exportação de dados Elsa Marisa S. Almeida

Leia mais

Tarefa Orientada 14 Subconsultas

Tarefa Orientada 14 Subconsultas Tarefa Orientada 14 Subconsultas Objectivos: Subconsultas não correlacionadas Operadores ALL, SOME e ANY Subconsultas correlacionadas Operador EXISTS Subconsultas incluídas na cláusula FROM de uma consulta

Leia mais

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo )

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo ) Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: B1SGB - Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Memória de aula Aula 10 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas

Leia mais

LABORATÓRIO DE BANCO DE DADOS

LABORATÓRIO DE BANCO DE DADOS UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - FATEC-Faculdade de Ciência e Tecnologia Banco de Dados II Sistema de Informação Analise de Sistemas Prof. Msc. Mauricio Prado Catharino. Aluno: LABORATÓRIO DE BANCO DE DADOS Nesta

Leia mais

No cálculo de porcentagem com operações financeiras devemos tomar muito cuidado para verificar sobre quem foi calculada essa porcentagem.

No cálculo de porcentagem com operações financeiras devemos tomar muito cuidado para verificar sobre quem foi calculada essa porcentagem. 1º BLOCO... 2 I. Porcentagem... 2 Relacionando Custo, Venda, Lucro e Prejuízo... 2 Aumentos Sucessivos e Descontos Sucessivos... 3 II. Juros Simples... 3 III. Juros Compostos... 4 2º BLOCO... 6 I. Operadores...

Leia mais

Bases de Dados 2007/2008. Aula 1. Referências

Bases de Dados 2007/2008. Aula 1. Referências Bases de Dados 2007/2008 Aula 1 Sumário 1. SQL Server 2000: configuração do acesso ao servidor. 1.1. SQL Server Service Manager. 1.2. SQL Server Enterprise Manager. 1.3. SQL Query Analyzer. 2. A base de

Leia mais

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language)

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language) SQL BÁSICO Prof. Suelane Garcia Introdução 2 Linguagem SQL (Structured Query Language) Linguagem de Consulta Estruturada padrão para acesso a Banco de Dados. Usada em inúmeros Sistemas de Gerenciamento

Leia mais

AULA 7 FUNÇÕES AGREGADAS. Funções Agregadas

AULA 7 FUNÇÕES AGREGADAS. Funções Agregadas BANCO DE DADOS GERENCIAL 1 AULA 7 FUNÇÕES AGREGADAS Funções Agregadas São funções aquelas que tomam uma coleção (um conjunto ou subconjunto) de valores como entrada, retornando um único valor. O número

Leia mais

Treinamento sobre SQL

Treinamento sobre SQL Treinamento sobre SQL Como Usar o SQL Os dois programas que você mais utilizara no SQL Server são: Enterprise Manager e Query Analyzer. No Enterprise Manager, você pode visualizar e fazer alterações na

Leia mais

SQL Consultas Básicas

SQL Consultas Básicas SQL Consultas Básicas Consulta a dados de uma tabela select lista_atributos from tabela [where condição] Mapeamento para a álgebra relacional select a 1,..., a n from t where c π a1,..., an (σ c (t)) Exemplos

Leia mais

Banco de Dados I. Linguagem de Consulta (parte I) DDL DML

Banco de Dados I. Linguagem de Consulta (parte I) DDL DML Banco de Dados I Linguagem de Consulta (parte I) DDL DML Linguagem de Consulta:SQL contéudo Structured Query Language Originalmente SEQUEL Structured English Query Language Projeta e Implementada pela

Leia mais

Microsoft Analysis Service

Microsoft Analysis Service Microsoft Analysis Service Neste capítulo você verá: BI Development Studio Analysis Services e Cubos Microsoft Analysis Services é um conjunto de serviços que são usados para gerenciar os dados que são

Leia mais

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo Comandos DDL Estudo de Caso Controle Acadêmico Simplificado Uma escola contém vários cursos, onde cada aluno possui uma matricula num determinado curso. Estes cursos, por sua vez, possuem módulos, aos

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

SQL. Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno. Faculdade de Informática de Taquara. Igrejinha - RS Brazil

SQL. Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno. Faculdade de Informática de Taquara. Igrejinha - RS Brazil SQL Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno Faculdade de Informática de Taquara Igrejinha - RS Brazil jacirdeoliveira@faccat.br, alencar@philler.com.br Resumo. Este artigo irá descrever a linguagem de

Leia mais

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE BANCO DE DADOS II Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@ifrn.edu.br Curso de Tecnologia

Leia mais

P redigl o bal Pesquisa de Imóveis D o c u m e n t o d e I m p l e m e n t a ç ã o d e M ó d u l o s

P redigl o bal Pesquisa de Imóveis D o c u m e n t o d e I m p l e m e n t a ç ã o d e M ó d u l o s de Adicionar Imóveis Arquitectura de dados Este módulo manipula a tabela Imóveis que se encontra na Base de Dados e faz inserções dos respectivos dados sob a mesma: Elabo ra do por: Verificad o po r: Apro

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL SQL Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada; Originou-se da linguagem SEQUEL (1974); Revisada e chamada de SQL em 1976/77; Em 1986, padronizada pelo ANSI/ISO - chamada SQL-86; Em 1987

Leia mais

Gerenciamento de um Sistema de

Gerenciamento de um Sistema de SBD Gerenciamento de um Sistema de Banco de Dados Prof. Michel Nobre Muza ua michel.muza@ifsc.edu.br Prof. Marcos Antonio Viana Nascimento Por que é importante: Motivação Participar na organização e no

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Engenharia de Software Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 12 Consultas JPQL Consultas JPQL Consultas em JPQL

Leia mais

BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE. Prof.: Elvis Bloemer Meurer

BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE. Prof.: Elvis Bloemer Meurer BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Prof.: Elvis Bloemer Meurer ORLEANS, 2011 1 CAPITULO 6: FUNÇÕES DE GRUPO...4 6.1 OBJETIVOS DESTE CAPÍTULO...4 6.2 FUNÇÕES DISPONÍVEIS...4 6.3

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

PROGRAMA. Aquisição dos conceitos teóricos mais importantes sobre bases de dados contextualizados à luz de exemplos da sua aplicação no mundo real.

PROGRAMA. Aquisição dos conceitos teóricos mais importantes sobre bases de dados contextualizados à luz de exemplos da sua aplicação no mundo real. PROGRAMA ANO LECTIVO: 2005/2006 CURSO: LICENCIATURA BI-ETÁPICA EM INFORMÁTICA ANO: 2.º DISCIPLINA: BASE DE DADOS DOCENTE RESPONSÁVEL PELA REGÊNCIA: Licenciado Lino Oliveira Objectivos Gerais: Aquisição

Leia mais