DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE"

Transcrição

1 VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura. Utilizar variáveis em um programa do VB.Net exige algum planejamento. Antes de fazê-lo, você deve reservar memória no computador para utilização por sua variável. Esse processo é semelhante a fazer uma reserva de uma cadeira em um cinema ou evento esportivo. Afinal, o que são Variáveis? São posições reservadas na memória RAM em seu tempo de execução capazes de reter e representar um valor ou expressão armazenando informações para serem utilizadas pelo programa. Geralmente associadas a nomes, o qual chamamos de identificadores, durante seu tempo de execução. Os dados são armazenados nessas divisões da memória, sendo que em cada divisão só será possível armazenar um dado de cada vez e toda vez que um dado novo é armazenado em uma dessas divisões, o anterior é eliminado. Uma variável é composta por três elementos básicos: Conteúdo; Valor da variável; Identificador Um nome qualquer fornecido à variável para possibilitar sua utilização. Seus valores podem ser de diversos tamanhos e tipos, como: Números inteiros; Números reais; Caracteres; Frases, etc. Exemplo: Você possui um guarda-livros, ao comprar livros, colocamos na estante e quando desejamos ler, pegamos na estante. O computador trabalha da mesma forma, a memória RAM seria nossa estante e as variáveis os livros, criamos essas variáveis (compramos) e o computador armazena na memória. A única coisa que precisamos fazer é declarar o nome da variável e o seu tipo. Alguns tipos de variáveis mais usadas: Integer (inteiro): São números sem casas decimais, apenas com a parte inteira e são positivos ou negativos. Exemplo: 1, 2, 67, 999, -5, -999, etc. Real: São números com casas decimais, positivos, negativos e inteiros. Exemplo: 1, 2.3, 5.7, 78, - 2.5, , sendo necessário o uso PONTO ao invés da VÍRGULA para separar o inteiro do decimal. Char (caractere): São o armazenamento de apenas um caractere não compatíveis com os números inteiros e reais, que poderá ser uma: o Letra; o Número; o Símbolos (dependendo da linguagem). 1

2 String: São usados para se armazenar palavras, frases, números e etc., geralmente entre aspas simples ou duplas, dependendo da linguagem de programação. Exemplos: Isso é legal ; Seu nome é ; O número digitado foi ; A soma de 2 números resulta em... e a divisão de 2 números resulta no valor de. Exemplo prático de um programa usando 3 variáveis: Declaração de variáveis a: inteiro b: inteiro c: real Início do programa a <= 13 b <= 2 c = a / b Result (c) Fim do programa DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS A declaração de uma variável indica ao VB.Net a reserva de uma área para armazenamento na memória RAM referente a um dado de informações, e qual será o tipo desse dado. Temos três possibilidades de se declarar variáveis: 1. Inicializar a variável onde ela for necessária. O VB.Net trabalha com programação em alto nível, mais próximo do humano, e a declaração de variáveis não é obrigatória, um atribuído alocado ao valor da variável que assumirá o tipo mais adequado para o dado que está sendo armazenado, a isto chamamos de declaração implícita; 2. O mesmo método do item 01 poderá ser usado também se indicando o tipo da variável depois que for utilizado pela primeira vez; 3. Usar os comandos Dim, Static, Private ou Public para alocar o espaço na memória para a variável e indicar seu tipo. A sintaxe é a mesma para todos os comandos: <comando> Variável1, Variável2, Variável3,..., VariávelN As <tipo> ESCOPO DAS VARIÁVEIS São os pontos da aplicação de onde podemos acessar a variável. Seu escopo é determinado pelo comando usado em sua declaração (Dim, Static, Private ou Public): VARIÁVEIS LOCAIS: Reconhecidas apenas pela procedure 1 na qual foram declaradas. Diferentes procedures podem possuir variáveis locais com o mesmo nome sem causar conflitos, isto é possível porque quando uma procedure é finalizada, o conteúdo de suas variáveis locais será perdido, não sendo mais necessário. A declaração de variáveis locais é feita através dos comandos Dim ou Private. Importante: variáveis com declaração implícita serão sempre locais; VARIÁVEIS ESTÁTICAS (PARADAS): 1 PROCEDURE OU PROCEDIMENTO São coleções de instruções implementadas com linguagem SQL em subrotina ou funções. Geralmente são procedimentos manuais idealizados e documentados por analistas de sistemas e programadores que trabalham com banco de dados ou escrevendo o código-fonte de diversos softwares. São componentes fundamentais da maioria das aplicações. 2

3 São variáveis locais contidas em uma procedure cujo conteúdo será retido ao término dessa procedure. Quando a procedure que contiver uma variável estática for executada novamente, essa variável não é reinicializada e seu conteúdo será o mesmo da procedure que foi encerrada pela última vez. Para declarar uma variável como estática usa-se o comando Static; VARIÁVEIS PRIVADAS: Temos o compartilhamento de informações entre as procedures contidas em um mesmo módulo de programação 2 ou formulário. A declaração de variáveis privadas é feita com os comandos Dim ou Private na seção Declarations de um formulário ou módulo de programação; VARIÁVEIS PÚBLICAS: Disponíveis para todos os módulos de programação e formulários do aplicativo. Para a declaração de variáveis públicas usamos o comando Public. COMANDOS DE DECISÃO IF / ELSE Os comandos de decisão utilizados nos blocos de programação que verificam se uma situação é verdadeira ou falsa, para que determinada função possa ser verificada. IF = SE ELSE = SENÃO Then = Então Exemplo 01: If (Condição) Then Comandos Comandos End If Em nosso exemplo 01 o Visual Studio verificará o primeiro bloco, se o resultado da verificação for "TRUE" os comandos dentro do primeiro bloco serão executados, caso contrário ( = senão) executará o próximo bloco. Exemplo 02: Dim a As Integer = 10 Dim b As Integer = 15 Dim c As Integer = 20 Dim d As Integer = 25 If (a=b) Then Console.WriteLine ("Condição 1 verdadeira") Console.WriteLine ("Condição 2 verdadeira") End If Em nosso exemplo 02 a primeira condição tem o resultado de "FALSE", então será executada a segunda condição "Condição 2 verdadeira". 2 Módulo de programação ou Programação modular é uma forma de programação no qual o desenvolvimento das suas rotinas de programação é feito através de módulos interligados através de uma interface comum. 3

4 Nosso código poderá ter vários blocos para a verificação de condições, como no exemplo 03: Exemplo 03: Dim a As Integer = 10 Dim b As Integer = 15 Dim c As Integer = 20 Dim d As Integer = 25 If (a = b) Then Console.WriteLine ("Execute o primeiro bloco") If (a > d) Then Console.WriteLine ("Execute o segundo bloco") Console.WriteLine ("Execute o terceiro bloco") End If No exemplo 03 é mostrado a declaração mais de uma condição com o comando "If" ou seja "Senão Se". Nos exemplos: 01, 02 e 03, os primeiros blocos têm como resultado "FALSE", e se a condição tivesse como resultado "TRUE", os outros blocos serão ignorados pelo Visual Studio? Vamos verificar: Exemplo 04: Dim a As Integer = 10 Dim b As Integer = 15 Dim c As Integer = 20 Dim d As Integer = 25 If (a < b) Then If (a == b) Then Console.WriteLine ("Execute o primeiro bloco"); If (a > d) Then Console.WriteLine ("Execute o segundo bloco"); Console.WriteLine ("Execute o terceiro bloco"); End If} Console.WriteLine ("Ignore o bloco acima") End If No exemplo 04 temos um de bloco aninhado ou bloco dentro de outro bloco, para que o bloco interno seja executado, será necessário que o primeiro "IF" do bloco externo seja "TRUE", caso contrário será executado o "ELSE" do bloco externo, retornando um resultado "FALSE". Sql Structured Query Language - Apostila 5 - COMANDO SELECT (Seleções Simples) SUMÁRIO Apresentação do comando SELECT; Seleções Simples; Projeção; Restrição; 4

5 Cláusula WHERE; Condições; Operadores lógicos e relacionados; Precedências dos operadores; Operadores BETEEN, IN e IS; Seleções utilizando strings - operador LIKE INTRODUÇÃO A linguagem SQL (Structured Query Language) é uma linguagem declarativa, ao contrário das linguagens tradicionais, que são do tipo procedimental. Permite ao usuário expressar aquilo que pretende sem ter que entrar em grandes detalhes sobre a localização física dos componentes, etc. Ao utilizarem a linguagem SQL, os usuários apenas indicam aquilo que pretendem sem dizer exatamente de que forma o computador terá que operar para obter os resultados solicitados. Por exemplo, ao indicar que se pretende apresentar o resultado de uma pesquisa de forma ordenada, apenas iremos adicionar ao comando de seleção a cláusula ORDER BY, não indicando qual o algoritmo de ordenação que o computador deverá utilizar. Embora as linguagens procedimentais sejam mais rápidas ao serem executadas, as linguagens declarativas são mais flexíveis, pois referenciam os seus elementos através de um nome compreensível e não através de uma posição física em disco ou memória. A linguagem SQL é constituída por três sublinguagens: DML Data Manipulation Language (SELECT, INSERT, UPDATE, DELETE, etc.); DDL Data Definition Language (CREATE, ALTER, DROP, etc.); DCL Data Control Language (GRANT, REVOKE, etc.). A linguagem SQL é orientada para o processamento de conjuntos (set-based language), algo que não se verifica com as linguagens mais tradicionais. Por exemplo, a linguagem COBOL era orientada para o processamento de arquivos. A consulta a qualquer banco de dados relacional é sempre realizada utilizando o comando SELECT sendo o comando mais utilizado e importante da linguagem. 5.2 COMANDO SELECT A sintaxe do comando SELECT é a seguinte: SELECT Campo 1, Campo 2,..., Campo 3, * FROM Tabela 1,, Tabela 2 [WHERE Condição] [GROUP BY ] [HAVING ] [ORDER BY ] Tradução: SELECIONE Campo 1, Campo 2,..., Campo 3, * A PARTIR DA Tabela 1,, Tabela 2 [ONDE Condição] [GRUPO POR ] [TENDO ] [ORDEM DE ] Como o leitor já deve estar habituado a ver, os colchetes, quando presentes na sintaxe de comandos, indicam que esse componente é facultativo, isto é, pode ou não ser utilizado. Assim, uma vez que as cláusulas: 5

6 [WHERE Condição] [GROUP BY ] [HAVING ] [ORDER BY ] são opcionais, os únicos componentes obrigatórios do comando SELECT são: SELECT Campo 1, Campo 2,..., Campo 3, * FROM Tabela 1,, Tabela 2 Neste capítulo abordaremos o comando SELECT nas suas utilizações mais simples, usando apenas os componentes do comando SELECT presentes no seguinte formato: SELECT FROM WHERE Condição 5.3 SELECIONANDO TODOS OS REGISTROS Analisemos a tabela Postal existente no nosso banco de dados Db.mdb, fornecida pelo autor deste livro, sendo composta por duas colunas denominadas Codigo e Localidade, para nome de tabelas em banco de dados não usamos nas palavras: acentos, cedilhas ou alguma espécie de pontuação. Postal Codigo Localidade 1000 LISBOA 1100 LISBOA 1200 LISBOA 1500 LISBOA 2000 SANTAREM 2300 TOMAR 3000 COIMBRA 4000 PORTO 9000 FUNCHAL Se quisermos obter toda a informação que existe na tabela, teremos de selecionar a informação existente nas colunas Codigo e Localidade da tabela Postal, isto é, pretendemos Selecionar o Codigo e a Localidade da tabela Postal, o que traduzido em inglês vem a ser o comando SQL pretendido. Sua sintaxe pode ser assim: SELECT Codigo, Localidade FROM Postal ou assim: SELECT Codigo, Localidade FROM Postal Não importa a ordem da escrita, desde que as cláusulas apareçam na ordem indicada pela sintaxe do comando. Comando válido para todos os SGBDR : Access; SQL Server; Oracle; MySQL. 5.4 SELECIONANDO TODAS AS COLUNAS Sua sintaxe seria a seguinte para a tabela Postal : SELECT * FROM Postal 6

7 Se for aplicado o mesmo critério de seleção a tabela do banco de dados Db.mdb, teremos o seguinte resultado: Sintaxe SELECT * Resultado: Id Nome Idade Salario Telefone Cod_Postal 5 Célia Morais Nascimento Augusto Paulo Viegas NULL Florinda Simões NULL Isabel Espada NULL António Dias José António NULL 1500 A ordem em que as colunas são apresentadas, é a ordem em que elas são colocadas na cláusula SELECT, em nosso exemplo, colocamos um asterisco (*) após o SELECT, indicando que será mostrado todo o conteúdo da tabela na ordem que foi criada. Para se indicar as colunas em uma ordem diferente, então precisamos indicar a ordem desejada: SELECT Nome, Id, Idade, Cod_Postal, Telefone, Salario Nome Id Idade Cod_Postal Telefone Salario Célia Morais Nascimento Augusto Paulo Viegas NULL Florinda Simões NULL Isabel Espada NULL António Dias José António NULL Com a sintaxe abaixo é possível selecionar mais de uma vez a mesma coluna, mas é um comando pouco usado e pode variar de um sistema para outro: SELECT Nome, Id, Nome, Idade, Id 5.7 OPERADORES RELACIONAIS Os operados relacionais permitem estabelecer relações entre elementos. O resultado da aplicação de um destes operadores é sempre será um valor lógico TRUE ou FALSE. Operador Descrição Exemplo Resultado = Igual a 7 = 5 FALSE > Maior que 7 > 5 TRUE < Menor que 7 < 5 FALSE >= Maior ou igual que 7 >= 5 TRUE <= Menor ou igual que 7 <= 5 FALSE <> (mais usado) ou!= Diferente 7 <> 5 TRUE 7

8 Exemplos de 1. Selecionar todas as s com 35 anos de Idade: SELECT * WHERE Idade = 35 Id Nome Idade Salario Telefone Cod_Postal 32 Florinda Simões NULL Nascimento Augusto Selecionar o Id, Nome e Salário de todas as s com Idade para votar: SELECT Id, Nome, Salario WHERE Idade >= 18 Id Nome Salario 42 António Dias Célia Morais Florinda Simões Isabel Espada José António Nascimento Augusto Paulo Viegas Selecionar a descrição de todas as Mensagens cujo Id_Msg seja diferente de 20, sem mostrar a Id(idade): SELECT Mensagem FROM Mensagem WHERE Id Msg <> 20 Mensagem Mensagem Comissão de Vendas Fretes Empresas Vendas Extra Deslocações Refeições Combustíveis Transportes Telefonemas Ofertas 8

9 5.8 OPERADORES LÓGICOS Os operadores lógicos funcionam sempre com operandos lógicos ou com expressões que devolvam valores lógicos como resultado. OPERADOR EXEMPLO AND Condição 01 AND Condição 02. OR Condição 01 OR Condição 02. NOT NOT Condição. Exemplos de 1. Selecionar Id, Nome, Idade e Salário de todas as s com Idade entre 30 e 40 anos: SELECT Id, Nome, Idade, Salario WHERE Idade >= 30 AND Idade <= 40 Id Nome Idade Salario 32 Florinda Simões Nascimento Augusto Paulo Viegas Selecionar o Id, Nome, Idade e Salário de todas as s cuja idade não está entre 30 e 40 anos: SELECT Id, Nome, Idade, Salario WHERE Idade < 30 OR Idade > 40 Ou SELECT Id, Nome, Idade, Salario WHERE NOT (Idade >= 30 AND Idade <= 40) Id Nome Idade Salario 42 António Dias Célia Morais Isabel Espada José António

IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS

IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS MODULO 2 LINGUAGEM SQL CONTEÚDO 2. LINGUAGEM SQL 2.1 Linguagens de Definição de Dados (DDL) 2.1.1 Criação de tabela: CREATE 2.1.2 Alteração de Tabela: ALTER 2.1.3 Exclusão

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho Laboratório de Banco de Dados II Aula 04 Prof. Érick de Souza Carvalho 1 SQL (Structured Query Language ) Prof. Érick de Souza Carvalho 2 SQL Structured Query Language - Introdução É uma Linguagem para

Leia mais

Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José;

Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José; MySQL SQL (Structured Query Languagem ) Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José; Inicialmente - Sequel

Leia mais

AULA 8. Ambientes Visuais 8.1. OBJETIVO DA AULA SQL (Structured Query Language)

AULA 8. Ambientes Visuais 8.1. OBJETIVO DA AULA SQL (Structured Query Language) AULA 8 8.1. OBJETIVO DA AULA Relembrar conceitos e recursos básicos apresentados nas aulas anteriores, dar continuidade nas codificações iniciadas e ainda não finalizadas, explorar acesso a banco de dados

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 02/06/2016 SUMÁRIO SQL DDL DML SQL (STRUCTURED

Leia mais

O modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de

O modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de Introdução O modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de padrão SQL (Structured Query Language). O padrão SQL define precisamente uma interface SQL para a

Leia mais

Modelagem Física e SQL

Modelagem Física e SQL Programação em Banco de Dados - Parte 1 Modelagem Física e SQL Prof. Pablo Passos prof.pablo.passos@gmail.com SQL - Um modelo físico é gerado a partir de um modelo lógico já construído. A geração dos objetos

Leia mais

Revisão de Bancos de Dados

Revisão de Bancos de Dados Revisão de Bancos de Dados Conceitos Básicos 1. Defina o que é um banco de dados e o que é um sistema gerenciador de bancos de dados (SGBD). 2. Defina as arquiteturas de software em duas camadas (cliente/servidor)

Leia mais

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Considere o diagrama relacional da Figura 1 e escreva os comandos SQL para executar os exercícios abaixo. Figure 1 Diagrama relacional.

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd Implementação de Banco de Dados Cassio Diego cassiodiego.com/bd 1 Apresentação do Plano de Ensino (PED) 2 Ementa Modelo Relacional, Linguagem Sql, Indexação, Transações, Otimização e Processamento de Consultas.

Leia mais

Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo

Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo Oracle University Contact Us: 0800 891 6502 Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo Duration: 5 Days What you will learn Neste curso, os alunos aprendem os conceitos de bancos de dados relacionais.

Leia mais

Revisão + Visões + Sub-Consultas + JOINS

Revisão + Visões + Sub-Consultas + JOINS Revisão + Visões + Sub-Consultas + JOINS Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul 2015 Campus Sapucaia do Sul Agenda História Vantagens e Desvantagens Conceitos Tipos de chaves SQL

Leia mais

mod._1_teoria_sistemas de bancos de dados.doc

mod._1_teoria_sistemas de bancos de dados.doc SISTEMAS DE BANCOS DE DADOS Os Sistemas de Bancos de Dados apareceram para acabar com os problemas e desvantagens dos tradicionais Sistemas de Processamento de Arquivos, onde os registros permanentes eram

Leia mais

MODELAGEM DE DADOS - INTRODUÇÃO AO SQL: DML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

MODELAGEM DE DADOS - INTRODUÇÃO AO SQL: DML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. MODELAGEM DE DADOS - INTRODUÇÃO AO SQL: DML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza DML Data Manipulation Language Linguagem de Manipulação de Dados Comandos básicos: Insert Update

Leia mais

Marcelo Henrique dos Santos

Marcelo Henrique dos Santos Mestrado em Educação (em andamento) MBA em Marketing e Vendas (em andamento) Especialista em games Bacharel em Sistema de Informação Email: marcelosantos@outlook.com AULA 03 SQL (Structure Query Language)

Leia mais

A linguagem SQL

A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Banco de Dados. -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas

Banco de Dados. -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas Banco de Dados -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas O que é banco de dados? São conjuntos de registros dispostos

Leia mais

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd Implementação de Banco de Dados Cassio Diego cassiodiego.com/bd 1 Aula 4 UNIDADE 2: LINGUAGEM SQL (CONTINUAÇÃO) 3. Comando SELECT 3.1. Sintaxe básica 3.2. Consultas com operadores lógicos e de comparação

Leia mais

Modelagem Física e SQL

Modelagem Física e SQL Programação em Banco de Dados - Parte 1 Modelagem Física e SQL Prof. Pablo Passos prof.pablo.passos@gmail.com SQL - Um modelo físico é gerado a partir de um modelo lógico já construído. A geração dos objetos

Leia mais

Marcos Alexandruk Marcos Alexandruk

Marcos Alexandruk Marcos Alexandruk Marcos Alexandruk m.alexandruk@gmail.com Apresentação disponível em: www.dba.net.br/mysql.pdf Parte I: Download e Instalação MySQL - Download www.mysql.com/downloads MySQL - Download MySQL - Download MySQL

Leia mais

ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS

ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS SQL FELIPE G. TORRES SQL A linguagem SQL (Struct Query Language) é utilizada como padrão em bancos de dados relacionais. Seu desenvolvimento foi originalmente no início

Leia mais

MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS. create database [if not exists] <nome>

MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS. create database [if not exists] <nome> 1. Manuseio do banco de dados MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS As seguintes instruções manuseiam o banco de dados: cria o banco mostra os bancos

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados

SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Linguagem de Definição de Dados Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais

Leia mais

MODELAGEM DE DADOS MODELO FÍSICO

MODELAGEM DE DADOS MODELO FÍSICO MODELAGEM DE DADOS MODELO FÍSICO Profa. Rosemary Melo MODELO FÍSICO Objetivo Elaborar Modelos Físicos de Dados Migrando do Modelo Lógico ou Criando as tabelas diretamente no SGBD 2 MODELO FÍSICO Na elaboração

Leia mais

Bases de Dados. DDL Data Definition Language

Bases de Dados. DDL Data Definition Language Bases de Dados DDL Data Definition Language SQL SQL = Structured Query Language Foi originalmente criada pela IBM nos anos 70 como parte de um protótipo de sistema relacional Posteriormente foi implementada

Leia mais

Sumário. SQL - Criação de Tabelas. Structured Query Language. SQL Versões. André Restivo. October 18, 2010

Sumário. SQL - Criação de Tabelas. Structured Query Language. SQL Versões. André Restivo. October 18, 2010 Sumário SQL - Criação de Tabelas André Restivo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto October 18, 2010 1 Introdução 2 Tabelas 3 Colunas 4 5 Modificação de Tabelas 6 Domínios André Restivo (FEUP)

Leia mais

Proposto em 1970 por Codd, como uma forma mais fácil de armazenar e

Proposto em 1970 por Codd, como uma forma mais fácil de armazenar e Modelo Relacional Proposto em 1970 por Codd, como uma forma mais fácil de armazenar e manipular dados em relação aos modelos anteriores Modelo de rede Modelo hierárquico Estes modelos tornavam o acesso

Leia mais

Agenda. Linguagem de Consulta SQL. 1. Introdução Histórico. 1. Introdução BD Relacionais

Agenda. Linguagem de Consulta SQL. 1. Introdução Histórico. 1. Introdução BD Relacionais Linguagem de Consulta SQL Profa. Carla A. Lima Reis SQL Agenda Introdução Histórico BD relacionais Linguagem SQL Definição de BD Manipulação de BD com SQL Consultas SQL Consultas com várias tabelas Subconsultas

Leia mais

Bancos (Bases) de Dados

Bancos (Bases) de Dados Bancos (Bases) de Dados Aula #8 SQL Prof. Eduardo R. Hruschka * Slides baseados no material elaborado pelas professoras: Cristina D. A. Ciferri Elaine P. M. de Souza SQL (Structured Query Language) Linguagem

Leia mais

Views. uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. CREATE VIEW <nome> AS <query>;

Views. uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. CREATE VIEW <nome> AS <query>; Views uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. sintaxe: CREATE VIEW AS ; 1 Exemplo Criar uma view que dá o nome, ano e duração

Leia mais

BANCO DE DADOS. Araújo Lima. Jan / Araújo

BANCO DE DADOS. Araújo Lima. Jan / Araújo BANCO DE DADOS Lima Jan / 2017 1 Índice 1.Introdução a Sistemas de Banco de Dados Evolução dos Sistemas de Informação Conceitos de Bancos de Dados Usuários de Banco de Dados Banco de Dados X Linguagens

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Sistemas de Informação Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 6.1 Revisão de Banco de Dados (SQL e acesso via aplicativo)

Leia mais

Formação em Banco de Dados. Subtítulo

Formação em Banco de Dados. Subtítulo Formação em Banco de Dados Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

PostgreSQL Desenvolvedor

PostgreSQL Desenvolvedor CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PostgreSQL Desenvolvedor Carga horária: 32 horas TreinaWeb Tecnologia LTDA CNPJ: 06.156.637/0001-58 Av. Paulista, 1765 - Conj 71 e 72 São Paulo - SP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Ementa do

Leia mais

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 16. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 16. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PCS3413 Engenharia de So-ware e Banco de Dados Aula 16 Escola Politécnica da Universidade de São Paulo 1 SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE SQL - Structured Query Language Linguagem de acesso a Banco de Dados

Leia mais

Flickr, shindotv/ / BASES DE DADOS. Laboratórios de Informática João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes

Flickr, shindotv/ / BASES DE DADOS. Laboratórios de Informática João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes Flickr, shindotv/3835365695/ BASES DE DADOS Laboratórios de Informática 2014-2015 João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes Armazenamento de Informação Aplicações necessitam de armazenar informação

Leia mais

Tarefa Orientada 17 Scripts

Tarefa Orientada 17 Scripts Tarefa Orientada 17 Scripts Objectivos: Declaração de variáveis escalares Declaração de variáveis do tipo tabela Tabelas temporárias Estruturas Condicionais Estruturas de Repetição Tratamento de erros

Leia mais

- Um "query block" permite a implementação das operações de selecção, projecção e junção da álgebra relacional.

- Um query block permite a implementação das operações de selecção, projecção e junção da álgebra relacional. 2.3 Linguagens relacionais (continuação) SQL Structured Query Language 1) "Query block" Select From Where - Um "query block" permite a implementação

Leia mais

Formação em Banco de Dados. Subtítulo

Formação em Banco de Dados. Subtítulo Formação em Banco de Dados Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

A Linguagem SQL. Tecnologia de Base de Dados. MSc. Eugénio. Macumbe

A Linguagem SQL. Tecnologia de Base de Dados. MSc. Eugénio. Macumbe A Linguagem SQL Tecnologia de Base de Dados MSc. Eugénio. Macumbe A Linguagem SQL As raízes da linguagem SQL remontam a 1974, altura em que na IBM corp. se desenvolvia o protótipo de um sistema relacional

Leia mais

Resolução De Problemas Em Informática. Docente: Ana Paula Afonso Resolução de Problemas. 1. Analisar o problema

Resolução De Problemas Em Informática. Docente: Ana Paula Afonso Resolução de Problemas. 1. Analisar o problema ALGORITMIA Resolução De Problemas Em Informática Docente: Ana Paula Afonso 2000-2001 Resolução de Problemas 1. Analisar o problema Conhecer o bem o problema Descrever o problema: subdividir, detalhar 2.

Leia mais

Banco de Dados para Redes. Cassio Diego cassiodiego.com/bdr

Banco de Dados para Redes. Cassio Diego cassiodiego.com/bdr Banco de Dados para Redes Cassio Diego cassiodiego.com/bdr 1 Sistema gerenciador de banco de dados CONCEITO DE SGBD É um programa de computador responsável pelo gerenciamento de bases de dados. Os SGBDs

Leia mais

'%'! $!0" $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,"/)!)+,/)% *! +,"0''% * %$!*!$$ #!"%&%'%'%$! "94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31?

'%'! $!0 $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,/)!)+,/)% *! +,0''% * %$!*!$$ #!%&%'%'%$! 94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31? MODELAGEM FÍSICA Capítulo 3! " # $ $!%%%& '$! $% $$%"%' ) ' *'!%'!$ $ $ $% +, %#!!" '$*'#%! $ $$%" % '$%!!% $% * % $ *-! %$% $!* '% $!$$.!'% & $%!% $ $ ' %/!$ 0 $*' $% *0 )#%!$0% 1&$$$%+#!*22,"$% )'%$$%%&

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML Parte 2. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML Parte 2. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Parte 2 Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: DML: Criando registros Alterando e removendo registros Selecionando registros 2 Criando registros em uma relação

Leia mais

Linguagem SQL - Structured Query Language

Linguagem SQL - Structured Query Language Linguagem SQL - Structured Query Language Breve introdução aos comandos: insert delete update select Alguns casos práticos: Campeonato de Fórmula 1 1 Campeonato de Fórmula 1 Marca nome país nºpontos Carro

Leia mais

L Q S m e g a u g n Li A

L Q S m e g a u g n Li A A Linguagem SQL Introdução Originalmente proposta para o System R desenvolvido nos laboratórios da IBM na década de 70 SEQUEL (Structured English QUEry Language) Objeto de um esforço de padronização coordenado

Leia mais

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.2. Bases de Dados Introdução à Linguagem SQL

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.2. Bases de Dados Introdução à Linguagem SQL Curso Profissional de Técnico de Multimédia 12ºAno Disciplina: Sistemas de Informação Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.2. Bases de Dados 6.2.3. Introdução à Linguagem SQL Prof. Micael Alves Bases

Leia mais

Linguagem Pascal. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Linguagem Pascal. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Linguagem Pascal Prof. Antonio Almeida de Barros Junior 1 Linguagem Pascal Criada para ser uma ferramenta educacional (Década de 70); Prof. Niklaus Wirth (Universidade de Zurique); Blaise Pascal (Matemático

Leia mais

Material Teórico. Organização de Dados. Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Alexander Gobbato Albuquerque

Material Teórico. Organização de Dados. Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Alexander Gobbato Albuquerque Banco de Dados Organização de Dados Material Teórico Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Alexander Gobbato Albuquerque Revisão Textual: Profa. Esp.Vera Lídia de Sá Cicarone Organização de Dados Introdução

Leia mais

Modelo Relacional + SQL (DDL) Material elaborado pela Prof. Karin Becker

Modelo Relacional + SQL (DDL) Material elaborado pela Prof. Karin Becker Modelo Relacional + SQL (DDL) Material elaborado pela Prof. Karin Becker Modelo Relacional Codd, E.F A relational model of data for large shared data banks. Communications of the ACM, 13(6):377-87, June

Leia mais

Linguagem SQL Comando SELECT Agrupamento de Resultados

Linguagem SQL Comando SELECT Agrupamento de Resultados BDDAD Bases de Dados Linguagem SQL Comando SELECT de Resultados Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2015/16) 1/12 Introdução Sumário Funções de Agregação Básicas COUNT SUM MIN MAX AVG Cláusulas de GROUP BY HAVING

Leia mais

Banco de Dados. Diego Silveira Costa Nascimento. 20 de março de Instituto Federal do Rio Grande do Norte

Banco de Dados. Diego Silveira Costa Nascimento. 20 de março de Instituto Federal do Rio Grande do Norte Banco de Dados Diego Silveira Costa Nascimento Instituto Federal do Rio Grande do Norte diego.nascimento@ifrn.edu.br 20 de março de 2015 Ementa do Curso 1 Introdução 2 Abordagem Entidade-relacionamento

Leia mais

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 20. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 20. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PCS3413 Engenharia de So-ware e Banco de Dados Aula 20 Escola Politécnica da Universidade de São Paulo 1 PROCEDIMENTOS TRIGGER STORED PROCEDURE Regras de Negócio controladas pelo SGBD SGDB Relacional dispoõe

Leia mais

Stored Procedures e Triggers

Stored Procedures e Triggers e Triggers Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL 2015 Agenda Rotinas Armazenadas Stored Procedures Exemplos Triggers Exemplos Exercícios 2 Rotinas Armazendas Rotinas Armazenadas são um conjunto de comandos

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java Linguagem Java Objetivos Compreender como desenvolver algoritmos básicos em JAVA Aprender como escrever programas na Linguagem JAVA baseando-se na Linguagem Portugol aprender as sintaxes equivalentes entre

Leia mais

IEC Banco de Dados I Aula 11 Técnicas de Programação SQL

IEC Banco de Dados I Aula 11 Técnicas de Programação SQL IEC Banco de Dados I Aula 11 Técnicas de Programação SQL Turmas: Sistemas de Informação Professora: André Luiz da Costa Carvalho E- mail: andre@icomp.ufam.edu.br Site: hjp://bdufam.wordpress.com Sumário

Leia mais

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd Implementação de Banco de Dados Cassio Diego cassiodiego.com/bd 1 Conteúdo: Aula 2 UNIDADE 1: MODELO RELACIONAL 1. Introdução ao Modelo Relacional 2. Estrutura relacional domínios, relações, variáveis

Leia mais

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel Competências a serem trabalhadas nessa aula Conectar PHP com MySQL Comandos PHP para acesso ao MySQL Utilizando comandos no

Leia mais

saída durante o runtime Usando Functions de uma Única Linha para Personalizar Relatórios Mostrar as diferenças entre as functions SQL de uma única

saída durante o runtime Usando Functions de uma Única Linha para Personalizar Relatórios Mostrar as diferenças entre as functions SQL de uma única Tópicos do Curso: Introdução Listar os principais recursos do Banco de Dados Oracle 10g Apresentar uma visão geral de: componentes, plataforma de internet, servidor de aplicações e suite do desenvolvedor

Leia mais

Oracle Comandos para Processamento de Transações

Oracle Comandos para Processamento de Transações Oracle Comandos para Processamento de Transações Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri Transação Unidade lógica de trabalho contém um ou mais comandos SQL para manipulação

Leia mais

Linguagens de Programação Conceitos e Técnicas. Amarrações

Linguagens de Programação Conceitos e Técnicas. Amarrações Linguagens de Programação Conceitos e Técnicas Amarrações Conceituação Amarração (ou binding) é uma associação entre entidades de programação, tais como entre uma variável e seu valor ou entre um identificador

Leia mais

Programação de Computadores:

Programação de Computadores: Instituto de C Programação de Computadores: Introdução ao FORTRAN Luis Martí Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense lmarti@ic.uff.br - http://lmarti.com Introdução ao FORTRAN Cinco aspectos

Leia mais

Engenharia Civil e Engenharia Básica Programação de Computadores Wedson Quintanilha da Silva

Engenharia Civil e Engenharia Básica Programação de Computadores Wedson Quintanilha da Silva Página 1 de 10 APOSTILA DE PASCAL MAPEAMENTO DE ALGORITMOS PARA PASCAL Algoritmo Exercicio1 Program Exercicio1; declare nome : caracter; nome : string; aux : inteiro; aux : integer; salario : real; salario

Leia mais

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano O C++ foi inicialmente desenvolvido por Bjarne Stroustrup durante a década de 1980 com o objetivo de melhorar a linguagem de programação C, mantendo a compatibilidade com esta linguagem. Exemplos de Aplicações

Leia mais

Banco de Dados. SQL Structured Query Language

Banco de Dados. SQL Structured Query Language Banco de Dados SQL Structured Query Language Euclides Arcoverde profearcoverde [at] gmail.com http://sites.google.com/site/euneto/ Introdução à SQL Linguagem comercial para BD relacional Padrão ISO desde

Leia mais

Um programa awk contém uma seqüência de padrões (expressões regulares) e ações da seguinte forma:

Um programa awk contém uma seqüência de padrões (expressões regulares) e ações da seguinte forma: Awk (linguagem de programação) Awk é um grande utilitário de interpretação da linguagem de programação awk para manipulação de dados e texto de programação em shell script, nos quais é bastante utilizado

Leia mais

Variáveis e Entrada de Dados Marco André Lopes Mendes marcoandre.googlepages.

Variáveis e Entrada de Dados Marco André Lopes Mendes  marcoandre.googlepages. Variáveis e Entrada de Dados Marco André Lopes Mendes marcoandre@ifc-araquari.edu.br marcoandre@gmail.com marcoandre.googlepages.com Algoritmos é a base Primeiro programa Este programa possui apenas uma

Leia mais

Bases de Dados. DML Data Manipulation Language Parte 2

Bases de Dados. DML Data Manipulation Language Parte 2 Bases de Dados DML Data Manipulation Language Parte 2 Funções de Grupo São funções aplicáveis a conjuntos de linhas de uma tabela À totalidade dos elementos ou A um subconjunto especificado na cláusula

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar - Aula 1 - PROJETO FÍSICO DE BANCOS DE DADOS 1. INTRODUÇÃO No módulo passado estudamos as técnicas utilizadas para se criar um projeto de banco de dados (BD): Modelo Entidade-Relacionamento, Modelo Lógico

Leia mais

Unidade VI. Técnicas de Teste de Software Teste Estrutural. Profa. Dra. Sandra Fabbri

Unidade VI. Técnicas de Teste de Software Teste Estrutural. Profa. Dra. Sandra Fabbri Unidade VI Técnicas de Teste de Software Profa. Dra. Sandra Fabbri Os requisitos de teste são extraídos de uma implementação em particular Teste dos detalhes procedimentais A maioria dos critérios dessa

Leia mais

Pesquisa básica em tabelas

Pesquisa básica em tabelas Pesquisa básica em tabelas José Antônio da Cunha Disciplina: Banco de Dados 1 Introdução O comando utilizado para realizar pesquisas em tabelas, ou seja, extrair informações do banco de dados, é o SELECT.

Leia mais

BANCO DE DADOS: Conceitos e Fundamentos: SGBD: Modelo Relacional:

BANCO DE DADOS: Conceitos e Fundamentos: SGBD: Modelo Relacional: BANCO DE DADOS: Conceitos e Fundamentos: Sistemas de Arquivos armazenam registros permanentes de forma desorganizada, espalhada, já os Sistemas de BD armazenam de forma a possibilitar: compartilhamento

Leia mais

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Este documento explica como transformar um algoritmo escrito na forma pseudocódigo

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1 Estruturas Básicas Aula Tópico 4 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para

Leia mais

CÓDIGO FONTE CALCULADOR DE 04 OPERAÇÕES

CÓDIGO FONTE CALCULADOR DE 04 OPERAÇÕES CÓDIGO FONTE CALCULADOR DE 04 OPERAÇÕES INTERFACE PRONTA O código fonte deverá ser digitado na área de código do VB.NET 2008. Exibir a área de digitação do Código Fonte. Informações para a digitação do

Leia mais

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS Fábio Roberto Octaviano Recuperando Dados com Sub-Consultas Correlacionadas Após o término do Capítulo: Escrever uma sub-consulta de colunas

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 SQL Structured Query Language SQL Desenvolvida pela IBM Structured English Query Language Sequel Linguagem de consulta para o sistema R Primeiro

Leia mais

DATA ACCESS OBJECT (DAO)

DATA ACCESS OBJECT (DAO) Universidade de São Paulo, Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação DATA ACCESS OBJECT (DAO) SSC 621: Análise e Projeto Orientados a Objetos Prof. Dr. Lucas Bueno R. Oliveira 2º Semestre 2015

Leia mais

Restrições de Integridade Semântica

Restrições de Integridade Semântica Restrições de Integridade Semântica Controle de valores válidos para os dados estados dos dados condizentes com os requisitos da aplicação transições de estados corretas O SGBD deve controlar esta integridade

Leia mais

Subconsulta na Cláusula FROM

Subconsulta na Cláusula FROM Subconsulta na Cláusula FROM Gera uma tabela derivada a partir de uma ou mais tabelas, para uso na consulta externa otimização: filtra linhas e colunas de uma tabela que são desejadas pela consulta externa

Leia mais

Programação em C#.Net 4.0 com Mobile Apps

Programação em C#.Net 4.0 com Mobile Apps Programação em C#.Net 4.0 com Mobile Apps Programação Formato: Mentored - Online Preço: 415 ( Os valores apresentados não incluem IVA. Oferta de IVA a particulares e estudantes. ) Horário: Flexível das

Leia mais

Introdução a Programação na Linguagem C.

Introdução a Programação na Linguagem C. Introdução a Programação na Linguagem C. Prof. Gemilson George E-mail: gemilson@geo.com.br Skype: gemilson_geo MSN: gemilsongeorge@gmail.com Facebook: facebook.com/gemilson Fone: (83)8880-2046 Blog: informaticageo.wordpress.com

Leia mais

Uma breve introdução a Bases de dados

Uma breve introdução a Bases de dados Uma breve introdução a Bases de dados Bases de dados Uma base de dados é só informação organizada de forma a facilitar a sua consulta. Todos vocês já tiveram algum contacto com bases de dados. Se trabalharem

Leia mais

Limitações da linguagem SQL

Limitações da linguagem SQL Nuno Melo e Castro Limitações da linguagem SQL O SQL não permite resolver problemas em que os dados a processar têm uma estrutura recursiva Por exemplo, para representar uma estrutura hierárquica como

Leia mais

Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados

Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados Abel J.P. Gomes Bibliografia usada: T. Connoly e C. Begg. Database Systems: a pratical approach to design,implementation, and management. Addison-Wesley,

Leia mais

Banco de Dados II. Aula do dia 10/03. Revisão. SQL Estudado até o dia 03/03/2011

Banco de Dados II. Aula do dia 10/03. Revisão. SQL Estudado até o dia 03/03/2011 Banco de Dados II Aula do dia 10/03 Revisão SQL Estudado até o dia 03/03/2011 Operadores de Comparação Operador = > >= <

Leia mais

BANCO DE DADOS II SQL Básico. COTEMIG Gerson Borges

BANCO DE DADOS II SQL Básico. COTEMIG Gerson Borges BANCO DE DADOS II SQL Básico COTEMIG Gerson Borges gerson@cotemig.com.br Definição de Banco de Dados [Elmasri & Navathe, 2000] Um banco de dados é uma coleção de dados relacionados Representando algum

Leia mais

Banco de Dados. Banco de Dados

Banco de Dados. Banco de Dados Banco de Dados Banco de Dados Data Warehouse: banco de dados contendo dados extraídos do ambiente de produção da empresa, que foram selecionados e depurados, tendo sido otimizados para processamento de

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Rhyan Ximenes SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Banco de Dados II E x c e l ê n c i a n o s e u f u t u r o fluci anofei j ao.com. br Semest r e: º Turma: 02 Turno: Noite Dat a: 21/06/13 Not a:

Leia mais

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos Bases de Dados Funções e procedimentos Introdução às funções e procedimentos SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos p.ex. objectos geométricos, imagens intersecção de

Leia mais

Programando em SQL. Triggers, Stored Procedures e funções. Profa. Késsia Marchi

Programando em SQL. Triggers, Stored Procedures e funções. Profa. Késsia Marchi Programando em SQL Triggers, Stored Procedures e funções Objetivo Descrever as funcionalidades de triggers, store procedures e funções; Apresentar vantagens e benefícios; Criação e Gerenciamento de Store

Leia mais

NOTA: Neste tutorial foi utilizado o Visual Studio 2010 para criar o Projeto Web no qual iremos realizar os passos abaixo.

NOTA: Neste tutorial foi utilizado o Visual Studio 2010 para criar o Projeto Web no qual iremos realizar os passos abaixo. TUTORIAL 03 Criando uma base de dados SQL Server com o Visual Studio ETAPA 1: Criando um novo Web Site usando o Visual Studio 2010 NOTA: Neste tutorial foi utilizado o Visual Studio 2010 para criar o Projeto

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS - MYSQL. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS - MYSQL. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS - MYSQL Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Para a otimização de um SGBD precisamos identificar as consultas lentas que eventualmente são submetidas ao banco: Configurações do

Leia mais

Roteiro 10: Consultas com várias tabelas/operadores de busca

Roteiro 10: Consultas com várias tabelas/operadores de busca Roteiro 10: Consultas com várias tabelas/operadores de busca Objetivos: Criar consultas utilizando várias tabelas Explorar as funcionalidades de selects em várias tabelas utilizando a notação tabela.campo

Leia mais

PHP: <?php echo("hello World");?> Printa Hello World na página do navegador, mais fácil do que no Java.

PHP: <?php echo(hello World);?> Printa Hello World na página do navegador, mais fácil do que no Java. Nome: Vinícius Meng 3º ano Escrever em tela: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out. println ("Hello World"); Printa Hello World na tela do terminal. echo("hello

Leia mais

Variáveis primitivas e Controle de fluxo

Variáveis primitivas e Controle de fluxo Variáveis primitivas e Controle de fluxo Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

Sumário. Introdução a Transações

Sumário. Introdução a Transações Sumário 1 Introdução ao Processamento de Consultas 2 Otimização de Consultas 3 Plano de Execução de Consultas 4 Introdução a Transações 5 Recuperação de Falhas 6 Controle de Concorrência 7 Fundamentos

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais