EUROBARÓMETRO especial 243 OS EUROPEUS E AS SUAS LÍNGUAS INTRODUÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EUROBARÓMETRO especial 243 OS EUROPEUS E AS SUAS LÍNGUAS INTRODUÇÃO"

Transcrição

1 INTRODUÇÃO Hoje, a União Europeia abriga 450 milhões de habitantes com origens étnicas, culturais e linguísticas diversas. Os modelos linguísticos dos países europeus são complexos - moldados pela História, por factores geográficos e pela mobilidade das pessoas. Presentemente, a União Europeia reconhece 20 línguas oficiais 1 e cerca de 60 outras línguas indígenas e não indígenas são faladas na área geográfica. O termo multilinguismo aplica-se a uma situação na qual diversas línguas são faladas numa dada área geográfica e à capacidade de uma pessoa dominar várias línguas. Assim, o multilinguismo é uma característica-chave da Europa em ambas as suas acepções. As vantagens de conhecer línguas estrangeiras são inquestionáveis. A língua é a via para a compreensão de outros modos de vida, o que, por sua vez, abre o caminho para a tolerância intercultural. Além disso, as competências linguísticas tornam mais fácil trabalhar, estudar e viajar através da Europa e permitem a comunicação intercultural. A União Europeia é uma instituição verdadeiramente multilingue, que promove o ideal de uma Comunidade única com uma diversidade de culturas e línguas. Para assegurar este desiderato, a Comissão Europeia adoptou em Novembro de a primeira comunicação da Comissão que explora a temática do multilinguismo. Os três objectivos principais da política do multilinguismo da Comissão são incentivar a aprendizagem de línguas, promover uma economia multilingue sólida e facultar aos cidadãos o acesso à legislação, aos procedimentos e à informação da União Europeia nas suas próprias línguas. Entre 5 de Novembro e 7 de Dezembro, cidadãos 3 dos 25 países da UE assim como da Bulgária, da Roménia, da Croácia e da Turquia foram inquiridos sobre as suas experiências e percepções de multilinguismo no âmbito da ronda 64.3 do Eurobarómetro. Neste resumo, a análise incide nestes três temas, enquanto factores determinantes numa sociedade multilingue: O objectivo a longo prazo de que todos os cidadãos da UE falem duas línguas para além da sua língua materna 4 Aprendizagem de línguas ao longo da vida desde uma idade muito precoce 5 1 As línguas oficiais da União Europeia são: checo, dinamarquês, neerlandês, estónio, inglês, finlandês, francês, alemão, grego, húngaro, italiano, letão, lituano, maltês, polaco, português, eslovaco, esloveno, espanhol e sueco. O irlandês tornar-se-á a 21ª língua oficial a 1 de Janeiro de Após a adesão da Bulgária e Roménia a União funcionará com 23 línguas oficiais. 2 COM(2005) 596: Um novo quadro estratégico para o multilinguismo 3 Em cada país, o inquérito cobre a população com idade mínima de 15 anos e que tem cidadania de um dos Estados-Membros. Nos países em fase de adesão ou candidatos, o inquérito abrange cidadãos desses países assim como cidadãos dos Estados-Membros da UE residentes nesses países que têm um domínio da língua ou línguas nacionais respectivas suficiente para responder ao questionário. 4 COM (2003) 449: Promover a aprendizagem das línguas e a diversidade linguística: um plano de acção Conclusões do Conselho Europeu de Barcelona, de Março de

2 A importância da educação - 2 -

3 O PONTO DE PARTIDA Hoje, a União Europeia é multilingue numa dupla acepção: muitas línguas nativas são faladas na área geográfica e uma parte razoável de cidadãos tem competências em diversas línguas. Não obstante, as competências linguísticas não estão distribuídas de modo uniforme em toda a Europa e os seus cidadãos parecem precisar de incentivo para aprender línguas estrangeiras. D484a Qual é a sua língua materna? LÍNGUA MATERNA -% MENÇÕES (RESPOSTAS ESPONTÂNEAS-VÁRIAS RESPOSTAS POSSÍVEIS) 6 Línguas nacionais, línguas oficiais que têm estatuto oficial na UE 7 Outras línguas comunitárias oficiais 8 Outras línguas 9 BE Neerlandês 56%, francês 38%, alemão 0.4 % 5% 3% CZ 98% 2% 0.7% DK 97% 2% 2% DE 90% 3% 8% EE 82% 1% 18% EL 99% 0.2% 0.7% ES Espanhol 89%, catalão 10 9%, galego 11 5%, basco 12 1% 1% 2% FR 93% 6% 3% IE Inglês 94%, irlandês 11% 2% 0.2% IT 95% 5% 1% CY 98% 2% 1% LV 73% 1% 27% LT 88% 5% 7% LU Luxemburguês 77%, francês 6%, alemão 4% 14% 0.8% HU 100% 0.8% 0.6% MT 97% maltês, 2%inglês 0.6% - NL 96% 3% 3% AT 96% 3% 2% PL 98% 1% 1% PT 100% 0.6% 0.1% SI 95% 1% 5% SK 88% 12% 2% FI Finlandês 94%, sueco 5% 0.8% 0.4% 6 A questão permite respostas múltiplas, ou seja, os inquiridos podem nomear várias línguas como língua materna. "Não sabe" também é uma opção possível. Desta forma, as percentagens somadas de línguas faladas num país podem ir até mais ou menos que 100%. As respostas são dadas espontaneamente e codificadas numa lista previamente elaborada. 7 As línguas nacionais têm estatuto oficial num dado país. Línguas oficiais têm um estatuto oficial numa dada região num país ou em todo um Estado. Línguas regionais que têm um estatuto oficial na UE são o catalão, o galego e o basco. 8 A categoria "outras línguas comunitárias oficiais" inclui as línguas oficiais da UE que são faladas num país onde não têm estatuto de línguas nacionais. 9 A categoria "outras línguas" inclui línguas não indígenas e línguas regionais/minoritárias que não têm estatuto de língua oficial da UE. 10 O catalão está protegido pelo Estatuto de Autonomia da Catalunha (4/1979), que determina que o catalão e o castelhano são as línguas oficiais da Catalunha. A Lei 7/1983 sobre a estandardização linguística na Catalunha foi substituída pela lei sobre a política linguística (Lei n.º 1 de 7 de Janeiro de 1998). 11 O galego está protegido pelo Estatuto de Autonomia da Galiza (1982), que especifica que galego e castelhano são as línguas oficiais. A lei galega da estandardização linguística (1983) promove o galego em todos os domínios da sociedade. 12 O basco está protegido pelo Estatuto de Autonomia do País Basco (1979), que determina que o basco e o castelhano (espanhol) são línguas oficiais no País Basco

4 SE 95% 5% 2% UK 92% 3% 5% BG 90% 0.4% 11% HR 98% 1% 0.8% RO 95% 6% 0.7% TR 93% 0.5% 7% Não surpreende portanto, que a língua materna da maioria dos europeus seja uma das línguas nacionais do respectivo país. 100% dos húngaros e dos portugueses nomeiam as suas línguas nacionais respectivas como a sua língua materna. Contudo, em cada país inquirido, existe uma minoria que fala uma outra língua oficial da UE que não a língua nacional ou uma língua não europeia como sua língua materna. 14% dos inquiridos no Luxemburgo indicam que falam outra língua da UE para além das três línguas nacionais. Tal situação pode ser atribuída ao facto de existir uma minoria substancial de portugueses que reside país (língua materna de 9%) e a presença no país de instituições internacionais. No caso da Eslováquia, 10% dos inquiridos falam húngaro como língua materna 13. Quanto às línguas não-ue, na Letónia e na Estónia existe uma parte significativa de cidadãos que fala russo como língua materna (26% e 17%, respectivamente), o que é compreensível por razões históricas e geográficas. Este efeito é detectado também na Bulgária, país candidato, onde 8% dos inquiridos indicam o turco como língua materna. Por último, para alguns dos cidadãos da UE, a língua materna é a língua do respectivo país de origem fora da UE. Esta situação observa-se nos países que têm tradicionalmente grandes populações de imigrantes tais como a Alemanha, a França e o Reino Unido. 56% dos cidadãos dos Estados-Membros da UE são capazes de manter uma conversa numa língua diferente da sua língua materna. Esta percentagem cresceu 9 pontos em relação a 2001 entre os 15 Estados-Membros da altura % dos luxemburgueses, 97% dos eslovacos e 95% dos letões indicam que sabem pelo menos uma língua estrangeira. D48b-d D48d Quais as línguas que fala suficientemente bem, ao ponto de poder manter uma conversa, excluindo a sua língua materna? Pelo menos uma língua 56% Pelo menos duas línguas 28% Pelo menos três línguas 11% Nenhuma 44% 0% 60% 13 A lei sobre línguas minoritárias foi adoptada na Eslováquia em 10 de Julho de Essa lei permite a utilização de línguas minoritárias na administração pública a nível local, onde pelo menos 20% da comunidade pertençam a um grupo minoritário. 14 Standard EB 55.1 in

5 No que se refere ao objectivo de cada cidadão da UE conhecer duas línguas para além da sua língua materna, 28% dos inquiridos indicam que falam duas línguas estrangeiras suficientemente bem para manter uma conversa. Esta situação verifica-se particularmente no Luxemburgo (92%), nos Países Baixos (75%) e na Eslovénia (71%). 11% dos inquiridos indicam que dominam pelo menos três línguas para além da sua língua materna. Ainda assim, quase metade dos inquiridos, 44%, admitem não saber qualquer outra língua para além da sua língua materna. Em seis Estados-Membros, a saber, Irlanda (66%), Reino Unido (62%), Itália (59%), Hungria (58%), Portugal (58%) e Espanha (56%), a maioria dos cidadãos encontra-se neste grupo. O inglês continua a ser a língua estrangeira mais amplamente falada na Europa. 38% dos cidadãos da UE indicam que têm competências suficientes em inglês para manter uma conversa. Em 19 dos 29 países inquiridos, o inglês é a língua mais amplamente conhecida para além da língua materna, como se verifica no caso da Suécia (89%), de Malta (88%) e dos Países Baixos (87%). 14% dos europeus afirmam que conhecem também o francês ou o alemão conjuntamente com a sua língua materna. O francês é a língua estrangeira mais falada no Reino Unido (23%) e na Irlanda (20%), ao passo que os cidadãos da República Checa (28%) e da Hungria (25%) são aqueles que, com maior probabilidade, poderão dominar o alemão. O espanhol e o russo completam o grupo das cinco línguas mais amplamente conhecidas para além da língua materna, com uma quota de 6% dos cidadãos europeus que sabem cada uma delas. Em conclusão, as línguas nacionais dos Estados-Membros mais populosos são, sem surpresa, as línguas nativas mais amplamente conhecidas na UE, sendo o alemão a língua materna mais falada (18%). Quando se combinam estes resultados com as competências em línguas estrangeiras, pode-se notar que o inglês é claramente a língua mais comummente utilizada na EU, sendo que mais de metade dos inquiridos (51%) a falam quer como língua materna quer como língua estrangeira. Línguas mais comummente utilizadas na UE - % Língua marterna Língua estrangeira TOTAL Inglês 13% 38% 51% Alemão 18% 14% 32% Francês 12% 14% 26% Italiano 13% 3% 16% Espanhol 9% 6% 15% Polaco 9% 1% 10% Russo 6% 7% Ao mesmo tempo, vale a pena assinalar que as competências linguísticas são distribuídas de maneira desigual pela área geográfica da Europa e pelos grupos sociodemográficos

6 Observam-se competências linguísticas de nível razoavelmente bom em Estados- Membros relativamente pequenos que têm diversas línguas nacionais, línguas nativas menos utilizadas ou com "intercâmbio linguístico" com países limítrofes. Tal acontece, por exemplo, no Luxemburgo, onde 92% falam pelo menos duas línguas. Os que vivem nos países da Europa do Sul ou nos países onde uma das línguas europeias importantes é uma língua nacional apresentam competências linguísticas moderadas. Apenas 5% de turcos, 13% de irlandeses e 16% de italianos dominam pelo menos duas línguas para além da sua língua materna. Um europeu "multilingue" é normalmente um jovem, com um nível de escolaridade elevado ou ainda a estudar, nascido noutro país que não aquele em que reside, que utiliza as línguas estrangeiras para fins profissionais e está motivado para aprender. Consequentemente, parece que uma grande parte da sociedade europeia não está a beneficiar das vantagens do multilinguismo. Finalmente, o nível de motivação dos cidadãos da UE para aprender línguas é moderado. Nos últimos dois anos, 18% dos cidadãos da UE referem estar a aprender línguas estrangeiras ou a melhorar as suas competências linguísticas e 21% indicam que têm a intenção de o fazer no próximo ano. Com base nestes resultados, aproximadamente 1 em cada 5 europeus pode ser descrito como um estudante de línguas activo 15 que recentemente melhorou as suas competências linguísticas ou pretende fazê-lo durante os próximos 12 meses. Apenas 12% dos inquiridos melhoraram os seus conhecimentos linguísticos no passado e pretendem fazê-lo também no próximo ano, ganhando com isso o estatuto de estudante de línguas muito activo. Os três factores mais frequentemente mencionados como desincentivadores da aprendizagem de línguas são: falta de tempo (34%), motivação (30%), e o custo dos cursos de línguas (22%). Os incentivos que são vistos como propícios a uma melhoria dos conhecimentos linguísticos reflectem estes resultados: entre os mais votados são os cursos de línguas gratuitos, com 26%, seguidos dos cursos flexíveis que se adaptam ao calendário de cada um, com 18%. A nível mais geral, as razões para aprender línguas estão a ficar cada vez mais ligadas às vantagens práticas, como sejam oportunidades de utilizar as competências no trabalho (32%) ou de trabalhar no estrangeiro (27%) em comparação com os resultados de há quatro anos. Todavia, outros motivos "menos utilitários" tais como a utilização de línguas estrangeiras em férias (35%) ou para satisfação pessoal (27%), ainda se mantêm bem alto nas preferências dos inquiridos. 15 Por estudante de línguas muito activo entende-se alguém que aprendeu ou melhorou as suas competências linguísticas durante os últimos dois anos e tem intenção de prosseguir essa actividade nos próximos 12 meses. Por estudante de línguas activo entende-se alguém que aprendeu/melhorou as suas competências linguísticas durante os últimos dois anos ou pretende fazê-lo durante os próximos 12 meses. Por estudante de línguas não activo entende-se alguém que não adquiriu ou melhorou conhecimentos linguísticos durante os últimos dois anos nem pretende fazê-lo nos próximos 12 meses

7 QA5 Quais seriam as suas razões para aprender uma nova língua? Para poder falar nas férias no estrangeiro Para poder usar no trabalho (incluindo viajar por motivos profissionais no estrangeiro) Para poder trabalhar noutro país Para ter um emprego melhor (NOSSO PAÍS) Para poder compreender as pessoas de outras culturas Para saber uma língua que é muito falada no mundo Para encontrar pessoas de outros países Para poder estudar noutro país EB54.1/2001 EB 64.3/2005 Para satisfação pessoal 6% 14% 18% 23% 22% 21% 24% 17% 20% 17% 21% 32% 26% 27% 27% 35% 37% 47% 0% 50% OS DESAFIOS A situação actual levanta desafios consideráveis para o futuro relativamente aos objectivos estabelecidos para uma sociedade europeia multilingue. Entre eles estão os desafios de atender à vontade dos cidadãos de aprender línguas, atingir os objectivos a nível político e alcançar o objectivo da "língua materna + duas". Em primeiro lugar, prevalece entre os europeus um consenso notável sobre as vantagens de saber várias línguas. 83% dos cidadãos dos Estados-Membros consideram que saber línguas estrangeiras é ou pode ser muito útil para eles pessoalmente, dos quais, mais de metade (53%) consideram os conhecimentos linguísticos muito úteis. Apenas 16%, dos inquiridos não reconhecem as vantagens do multilinguismo. Praticamente toda a gente na Suécia (99%), em Chipre (98%) e no Luxemburgo (97%) reconhece as vantagens, e mesmo nos países com o menor apoio desta ideia, Portugal e Grécia, 3 em cada 4 cidadãos consideram os conhecimentos linguísticos como úteis. QA1 Considera que o conhecimento de outras línguas para além da sua língua materna é, ou poderia ser, muito útil, bastante útil, não muito útil ou nada útil para si? Muito útill Bastante útil Não muito útil Nada útil NS/NR 53% 30% 8% 8% 0% 50% 100% - 7 -

8 Este apoio estende-se até ao nível político, uma vez que 67% dos inquiridos concordam com a ideia de que o ensino das línguas deveria ser uma prioridade política, mostrando-se 29% inteiramente de acordo com este ponto de vista. Em 26 dos 29 países inquiridos, a maioria da população compartilha deste ponto de vista. É o caso, em particular, dos países da Europa do Sul onde se tem consciência de que as competências em línguas são moderadas. 87% de cipriotas e 82% de gregos veriam o ensino das línguas como uma prioridade política, ao passo que na Croácia, país candidato (55% discordam) e na Finlândia (53%) a maioria dos cidadãos está contra esta ideia. QA12.1 Por favor, diga-me em que medida concorda ou discorda com cada uma das seguintes afirmações: O ensino das línguas deveria ser uma prioridade política - % EU Totalmente de acordo Tendo a concordar 29% 38% 19% 9% 6% 0% 50% 100% Por último, o objectivo da "língua materna + duas" recolhe um apoio cauteloso da parte dos europeus, uma vez que 50% de europeus concordam com a ideia de que todos na UE devem poder falar duas línguas para além da sua língua materna. 44% dos inquiridos estão contra esta opção. Presentemente, 28% dos europeus afirmam poder manter uma conversa em duas línguas estrangeiras. A nível dos países, observam-se variações dignas de nota. Aparentemente, são os países do Sul e do Leste da Europa que, com maior probabilidade, apoiam esse objectivo. Destacam-se nessa posição a Polónia (75%), a Grécia (74%) e a Lituânia (69%). A Suécia (27%) e a Bulgária, país em fase de adesão (27%), têm as mais baixas proporções de cidadãos que aceitam a ideia de todos falarem pelo menos duas línguas em conjunto com a sua língua materna. Este objectivo foi avançado pela primeira em Barcelona, em Março de 2002, pelos Chefes de Estado ou de Governo 16, que apelou a que fossem ensinadas pelo menos duas línguas estrangeiras desde a idade mais precoce. Este objectivo é para alcançar a longo prazo, pelo que há que dar continuidade ao trabalho encetado. A base de apoio existe, uma vez que 84% dos europeus concordam que na União Europeia todos devem falar uma língua para além da sua língua materna. 16 Conclusões do Conselho Europeu de Barcelona, de Março de

9 - 9 -

10 O ENSINO É A SOLUÇÃO Os sistemas educativos de cada país e as gerações futuras serão os elementos cruciais para vencer os desafios do multilinguismo. É convicção do Comissário Ján Figel (responsável pelo pelouro da Educação, Formação, Cultura e Multilinguismo), "que a jovem geração de hoje contribuirá integralmente para enriquecer a sociedade multilingue da Europa" 17. QA7a Vou mencionar meios para se aprender uma língua estrangeira. Poderia identificar aqueles que já usou? - % EU Curso de línguas na escola (NOVA) 65% Curso de línguas em grupo com um professor 22% Nenhum destes meios (ESPONTÂNEA) 18% Falar de maneira informal com alguém que tem esta língua como língua materna 16% Visitas prolongadas ou frequentes a um país onde esta língua é falada 15% Por mim próprio(a) lendo livros 13% Conversas com alguém que tem esta língua como língua materna (ex. uma hora na sua língua, uma hora na língua dessa pessoa) Vendo filmes na versão original (cinema/tv) (NOVA) 12% 10% Por mim próprio(a) utilizando meios audiovisuais (cassetes audio, CD audio, cassetes vídeo, etc. 10% 0% 70% Os europeus aprendem línguas na escola e principalmente no ensino secundário. Uma grande maioria, 65%, indica as aulas de línguas na escola como o método que seguiram para aprender línguas estrangeiras. Quando interrogados sobre onde tinham melhorado os seus conhecimentos linguísticos, 59% dos inquiridos mencionaram a escola secundária e 24% a escola primária. De facto, para muitos europeus, a escola é, aparentemente, o único lugar onde alguma vez aprenderam línguas estrangeiras. Verifica-se um amplo consenso entre os europeus acerca da importância da aprendizagem de línguas estrangeiras por parte dos jovens. 73% dos cidadãos da UE referem as melhores oportunidades de emprego como a razão principal para que 17 Comunicado de imprensa sobre o Dia Europeu das Línguas, 26 de Setembro de =EN&guiLanguage=fr

11 os jovens aprendam outras línguas para além da sua língua materna, seguidos de 38% dos inquiridos que indicam o estatuto global da língua como um motivo para que os jovens estudem línguas. Não há praticamente ninguém (0,4%) que não considere importante que os jovens adquiram conhecimentos linguísticos. A maioria dos europeus pensa que a melhor idade para começar a ensinar às crianças a primeira e a segunda línguas estrangeiras é a partir dos seis anos de idade (55% e 64%, respectivamente), por outras palavras, na escola primária. A propósito do desafio de um início precoce para aprender duas línguas estrangeiras, 39% dos cidadãos da UE aceitariam que as crianças começassem a aprender a primeira língua para além da sua língua materna antes dos 6 anos de idade. Contudo, no que se refere à segunda, apenas 17% dos inquiridos subscrevem este ponto de vista. 77% dos cidadãos da UE consideram que as crianças devem aprender inglês como primeira língua estrangeira. O inglês aparece no primeiro lugar em todos os países inquiridos, com excepção do Reino Unido, Irlanda e Luxemburgo. O francês segue na segunda posição com 33% e o alemão recebe a preferência de 28% dos inquiridos. QA2b E quais as duas línguas, para além da sua língua materna, que considera que as crianças devem aprender? 18 Inglês Francês Alemão Espanhol Russo Italiano Sueco EU25 77% 33% 28% 19% 3% 2% 0% BE 88% 50% 7% 9% 0% 1% - CZ 89% 9% 66% 4% 9% 0% - DK 94% 13% 62% 13% 0% 0% 0% DE 89% 45% 3% 16% 6% 2% - EE 94% 6% 22% 1% 47% 0% 1% EL 96% 34% 50% 3% 0% 6% - ES 85% 44% 14% 4% 0% 1% - FR 91% 2% 24% 45% 0% 6% - IE 3% 64% 42% 35% 1% 4% 0% IT 84% 34% 17% 17% 0% 0% - CY 98% 49% 19% 2% 4% 4% 0% LV 94% 6% 28% 1% 42% 0% 0% LT 93% 6% 34% 2% 43% 0% 0% LU 59% 83% 43% 2% 0% 1% - HU 85% 4% 73% 3% 2% 2% - MT 90% 24% 13% 2% - 61% - NL 90% 22% 40% 21% 0% 0% - AT 84% 29% 2% 10% 4% 11% - PL 90% 7% 69% 1% 10% 1% - PT 90% 60% 8% 7% - 0% - SI 96% 6% 69% 3% 0% 12% 0% SK 87% 7% 75% 3% 6% 1% 0% FI 85% 10% 24% 3% 10% 0% 38% SE 99% 17% 35% 31% 1% 0% 1% UK 5% 71% 34% 39% 1% 3% - 18 No quadro, são apresentadas apenas as línguas que recebem as duas primeiras menções

12 BG 87% 13% 49% 5% 14% 1% - HR 82% 5% 69% 2% 0% 14% - RO 64% 34% 17% 7% 2% 8% - TR 72% 12% 52% 1% 2% 1% - = primeira língua = segunda língua Para além da educação escolar, existem muitas outras maneiras de aprender línguas e diferentes ambientes de aprendizagem. A título de exemplo, estudos mostram que a utilização de legendas pode incentivar e facilitar a aprendizagem de línguas. Nos países onde é habitual a utilização de legendas, é significativamente mais elevado o apoio que granjeia a visão de filmes e programas estrangeiros na língua original. Esse é o caso de 94% dos suecos e dinamarqueses e 93% dos inquiridos finlandeses. Pode notar-se que estes países estão entre os Estados-Membros onde os cidadãos tendem a dominar diversas línguas. Em média, 10% dos cidadãos da UE afirmam que se serviram de filmes na sua versão original como meio de aprender línguas. Contudo, a maioria dos europeus, 56%, prefere ver os filmes e programas estrangeiros dobrados a ouvir a língua original com legendas. Este é especialmente o caso da Hungria (84%) e da República Checa (78%). QA11.8 Diga-me se tende a concordar com as afirmações seguintes ou a discordar. Prefiro ver filmes e programas estrangeiros com legendagem do que dobrados - % EU Tendo a concordar Tendo a discordar NS/NR 1 v 37% 56% 6% 0% 50% 100% FINALMENTE À luz dos objectivos fixados para uma Europa multilingue, a situação pode ser considerada com promissora. Comparados estes resultados com os dos inquéritos Eurobarómetro levados a cabo em , pode dizer-se que a evolução ao longo destes quatro anos foi positiva: O número de cidadãos da UE que sabem pelo menos uma língua estrangeira aumentou linearmente de 47% em 2001 para 56% em O nível de auto-percepção dos conhecimentos linguísticos dos europeus está a melhorar. Comparada com os resultados de 2001, a proporção das pessoas que dominam o inglês e o espanhol aumentou 4 pontos e a proporção das pessoas que falam muito bem o francês e o alemão aumentou 3 e 2 pontos respectivamente EB54.1 Os Europeus e as Línguas e Standard EB 55.1 in 20 O nível de russo não foi coberto no EB

13 Hoje em dia, há mais europeus convencidos de que saber línguas estrangeiras é útil em comparação com a situação de há quatro anos (83% em 2005 contra 72% em 2001)

Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012

Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012 Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012 O relatório Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012 consiste numa análise abarangente dos sistemas de ensino

Leia mais

PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais nas eleições europeias de 2009

PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais nas eleições europeias de 2009 Direção-Geral da Comunicação Unidade do Acompanhamento da Opinião Pública Bruxelas, 13 de novembro de 2012 PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais

Leia mais

Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido?

Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido? PT Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido? A Informações sobre o Regulamento de Dublim destinadas aos requerentes de proteção internacional, em conformidade com o artigo 4.º do Regulamento

Leia mais

SERVIÇO EUROPEU DE SELEÇÃO DO PESSOAL (EPSO)

SERVIÇO EUROPEU DE SELEÇÃO DO PESSOAL (EPSO) 11.7.2013 PT Jornal Oficial da União Europeia C 199 A/1 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS SERVIÇO EUROPEU DE SELEÇÃO DO PESSOAL (EPSO) ANÚNCIO DE CONCURSOS GERAIS (2013/C 199 A/01) O Serviço Europeu

Leia mais

Notas sobre o formulário Acto de Oposição

Notas sobre o formulário Acto de Oposição INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (IHMI) Marcas, Desenhos e Modelos Notas sobre o formulário Acto de Oposição 1. Observações gerais 1.1 Utilização do formulário O formulário pode ser obtido

Leia mais

PEDIDO DE INFORMAÇÕES RELATIVAS AO DIREITO ÀS PRESTAÇÕES FAMILIARES NO ESTADO DE RESIDÊNCIA DOS FAMILIARES

PEDIDO DE INFORMAÇÕES RELATIVAS AO DIREITO ÀS PRESTAÇÕES FAMILIARES NO ESTADO DE RESIDÊNCIA DOS FAMILIARES A COMISSÃO ADMINISTRATIVA PARA A SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES MIGRANTES Ver «Instruções» na página 4 E 411 ( 1 ) PEDIDO DE INFORMAÇÕES RELATIVAS AO DIREITO ÀS PRESTAÇÕES FAMILIARES NO ESTADO DE RESIDÊNCIA

Leia mais

ANÚNCIO DE CONCURSOS GERAIS EPSO/AD/240-243/12 TRADUTORES (ET/GA/LV/PT) (2012/C 204 A/02)

ANÚNCIO DE CONCURSOS GERAIS EPSO/AD/240-243/12 TRADUTORES (ET/GA/LV/PT) (2012/C 204 A/02) 12.7.2012 PT Jornal Oficial da União Europeia C 204 A/5 ANÚNCIO DE CONCURSOS GERAIS EPSO/AD/240-243/12 TRADUTORES (ET/GA/LV/PT) (2012/C 204 A/02) O Serviço Europeu de Seleção do Pessoal (EPSO) organiza

Leia mais

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD)

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) MEMO/11/406 Bruxelas, 16 de Junho de 2011 Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) Em férias nunca se sabe! Está a pensar viajar na UE ou na Islândia,

Leia mais

MINIGUIA DA EUROPA 2011 Comunicar com os Europeus Línguas Na Europa fala-se muitas línguas, cujas principais famílias são a germânica, a românica, a eslava, a báltica e a céltica. As instituições da União

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Cartão Europeu de Seguro de Doença Nº: 20/DSPCS DATA: 18/05/04 Para: Todos os serviços dependentes do Ministério da Saúde Contacto

Leia mais

A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão

A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão IP/08/836 Bruxelas, 3 de Junho de 2008 A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão A Comissão Europeia acelerou hoje os seus esforços para promover a utilização na

Leia mais

Comunicado de imprensa

Comunicado de imprensa Comunicado de imprensa A educação para a cidadania nas escolas da Europa Em toda a Europa, o reforço da coesão social e a participação activa dos cidadãos na vida social estão no centro das preocupações

Leia mais

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir IP/08/1831 Bruxelas, 28 de Novembro de 2008 Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir De acordo com um relatório publicado hoje pela Comissão Europeia,

Leia mais

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA UNIÃO EUROPEIA ESTADOS-MEMBROS Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE Fevereiro de 2011 FICHA TÉCNICA Título Informação Estatística União Europeia/Estados-membros,

Leia mais

Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP)

Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP) Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP) 23/06/2008-14/08/2008 Existem 457 respostas em 457 que correspondem aos seus critérios A. Participação País DE - Alemanha 84 (18.4%) PL - Polónia

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU CONSTITUIÇÃO:

PARLAMENTO EUROPEU CONSTITUIÇÃO: CONSTITUIÇÃO: PARLAMENTO EUROPEU É a instituição parlamentar da União Europeia. Eleito por um período de 5 anos por sufrágio universal directo pelos cidadãos dos estados-membros Presidente do Parlamento

Leia mais

SERVIÇO EUROPEU DE SELECÇÃO DO PESSOAL (EPSO)

SERVIÇO EUROPEU DE SELECÇÃO DO PESSOAL (EPSO) 16.3.2011 PT Jornal Oficial da União Europeia C 82 A/1 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS SERVIÇO EUROPEU DE SELECÇÃO DO PESSOAL (EPSO) ANÚNCIO DE CONCURSOS GERAIS EPSO/AD/206/11 (AD 5) E EPSO/AD/207/11

Leia mais

www.aprendereuropa.pt / www.eurocid.pt União Europeia Estados-Membros: 28 População: 507 milhões de habitantes Superfície: + de 4 milhões km2

www.aprendereuropa.pt / www.eurocid.pt União Europeia Estados-Membros: 28 População: 507 milhões de habitantes Superfície: + de 4 milhões km2 União Europeia Estados-Membros: 28 População: 507 milhões de habitantes Superfície: + de 4 milhões km2 Bélgica (Belgique) Capital: Bruxelas (Bruxelles Brussel) População: 11.094,8 milhões de habitantes*

Leia mais

Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa

Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa IP/09/343 Bruxelas, 3 de Março de 2009 Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa A Comissão declarou hoje considerar prioritária

Leia mais

AGENDA DOS CIDADÃOS DA UE

AGENDA DOS CIDADÃOS DA UE AGENDA DOS CIDADÃOS DA UE Os europeus têm uma palavra a dizer Justiça Índice 02 AGENDA DOS CIDADÃOS DA UE 04 A CONSULTA PÚBLICA SOBRE A CIDADANIA DA UE 05 Quem participou? 07 Livre circulação na UE 11

Leia mais

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS EM POUCAS PALAVRAS OS PRIMEIROS PASSOS DATA/LOCAL DE ASSINATURA E ENTRADA EM VIGOR PRINCIPAIS MENSAGENS QUIZ 10 PERGUNTAS E RESPOSTAS OS PRIMEIROS PASSOS No século XX depois das Guerras No século XX, depois

Leia mais

Ano Europeu do Diálogo Intercultural 2008. Fonte: http://www.who.int

Ano Europeu do Diálogo Intercultural 2008. Fonte: http://www.who.int Ano Europeu do Diálogo Intercultural 2008 Fonte: http://www.who.int O Caminho da União Europeia Regiões Ultraperiféricas 21 9 7 27 10 18 1 15 4 5 11 26 3 19 23 17 20 Croácia 24 16 25 6 14 13 FYROM 8 22

Leia mais

"Voluntariado e Solidariedade Intergeracional"

Voluntariado e Solidariedade Intergeracional EUROPEAN PARLIAMENT Voluntariado e Solidariedade Intergeracional Relatório Trabalho de campo: Abril-Maio 2011 Publicação: Outubro 2011 Special Eurobarometer / Wave 75.2 TNS Opinion & Social O presente

Leia mais

CENTRO EUROPEU DO CONSUMIDOR - PORTUGAL EUROPEAN CONSUMER CENTRE

CENTRO EUROPEU DO CONSUMIDOR - PORTUGAL EUROPEAN CONSUMER CENTRE ECC-Net: Travel App Uma nova aplicação para telemóveis destinada aos consumidores europeus que se deslocam ao estrangeiro. Um projeto conjunto da Rede de Centros Europeus do Consumidor Nome da app: ECC-Net:

Leia mais

2º e 3º Ciclos Ensino Profissional

2º e 3º Ciclos Ensino Profissional 2º e 3º Ciclos Ensino Profissional Índice 1. A União Europeia O caminho da UE 2. Os Anos Europeus 3. 2010 Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social (AECPES) 4. 2010 AECPES. Pobreza e Exclusão

Leia mais

Regras de Atribuição de DNS. 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005

Regras de Atribuição de DNS. 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005 Regras de Atribuição de DNS 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005 O DNS em Portugal O nome de domínio.pt Como registar um nome de domínio em.pt As regras As novas possibilidades de registo

Leia mais

2. BE Bélgica... 3 3. BG Bulgária... 3 4. CY Chipre... 4. 5. CZ República Checa... 4 6. DE Alemanha... 4. 7. DK Dinamarca... 5. 8. EE Estónia...

2. BE Bélgica... 3 3. BG Bulgária... 3 4. CY Chipre... 4. 5. CZ República Checa... 4 6. DE Alemanha... 4. 7. DK Dinamarca... 5. 8. EE Estónia... NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO FISCAL (NIF) NIF por tema: Estrutura e descrição 1. AT Áustria... 3 2. BE Bélgica... 3 3. BG Bulgária... 3 4. CY Chipre... 4 5. CZ República Checa... 4 6. DE Alemanha... 4 7. DK

Leia mais

Formal de Adultos: Comissão Europeia

Formal de Adultos: Comissão Europeia BG Educação Formal de Adultos: : Políticas e Práticas na Europa Comissão Europeia EURYDICE Agência de Execução relativa à Educação, ao Audiovisual e à Cultura Educação Formal de Adultos: Políticas e Práticas

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE Durante muito tempo os países da Europa andaram em guerra. A segunda Guerra Mundial destruiu grande parte do Continente Europeu. Para evitar futuras guerras, seria

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

Educação de Sobredotados na Europa

Educação de Sobredotados na Europa Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação Ministério da Educação Educação de Sobredotados na Europa EURYDICE EURYDICE A Educação de Sobredotados na Europa EURYDICE A Rede de Informação sobre Educação

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012

Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012 Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012 Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa Edição de 2012 O presente documento é uma publicação da Agência de Execução

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 21.1.2003 COM(2003) 26 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU PENSAR EM TERMOS DE PEQUENAS EMPRESAS NUMA EUROPA EM ALARGAMENTO COMUNICAÇÃO

Leia mais

Internet de banda larga para todos os europeus: Comissão lança debate sobre o futuro do serviço universal

Internet de banda larga para todos os europeus: Comissão lança debate sobre o futuro do serviço universal IP/08/1397 Bruxelas, 25 de Setembro de 2008 Internet de banda larga para todos os europeus: Comissão lança debate sobre o futuro do serviço universal Como é que a UE vai conseguir que todos os europeus

Leia mais

ANEXOS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO. relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós»

ANEXOS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO. relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós» COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 28.5.2014 COM(2014) 355 final ANNEXES 1 to 5 ANEXOS à COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós» PT PT ANEXO I: ASPETOS PROCESSUAIS DA INICIATIVA

Leia mais

A solução. para os seus problemas. na Europa. ec.europa.eu/solvit

A solução. para os seus problemas. na Europa. ec.europa.eu/solvit A solução para os seus problemas na Europa ec.europa.eu/solvit CONHEÇA OS SEUS DIREITOS Viver, trabalhar ou viajar em qualquer país da UE é um direito fundamental dos cidadãos europeus. As empresas também

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO PT PT PT COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 11.3.2011 COM(2011) 113 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Qualidade da gasolina e do combustível para motores diesel utilizados no transporte

Leia mais

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores Margarida Brites Coordenadora da Área das Estatísticas da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento

Leia mais

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 20 - Biomassa. Sorocaba, Maio de 2015.

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 20 - Biomassa. Sorocaba, Maio de 2015. Campus Experimental de Sorocaba Recursos Energéticos e Meio Ambiente Professor Sandro Donnini Mancini 20 - Biomassa Sorocaba, Maio de 2015. ATLAS de Energia Elétrica do Brasil. Agência Nacional de Elétrica

Leia mais

1. 2. 3. 4. PASSO A PASSO. Links para saber mais. A União Europeia. Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012?

1. 2. 3. 4. PASSO A PASSO. Links para saber mais. A União Europeia. Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012? junho 2012 PASSO A PASSO 1. 2. 3. 4. A União Europeia Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012? Ano Europeu 2012: curiosidades iniciativas quiz Links para saber mais 1. A União Europeia 27 Estados-Membros

Leia mais

RESULTADOS PRINCIPAIS

RESULTADOS PRINCIPAIS RESULTADOS PRINCIPAIS 1.1. O inquérito EU Kids Online Este relatório apresenta os primeiros resultados de um inquérito inédito, concebido e conduzido pela rede EU Kids Online, de acordo com rigorosos standards.

Leia mais

Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa

Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa Margarida Brites Coordenadora da Área da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento Internacional 1 dezembro 2014 Lisboa Balança de Pagamentos Transações

Leia mais

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI Tratado de Lisboa A Europa rumo ao século XXI O Tratado de Lisboa Índice 1. Contextualização 1.1. Porquê um novo Tratado? 1.2. Como surgiu o Tratado de Lisboa? 2. O que mudará com o Tratado de Lisboa?

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 31.3.2015 COM(2015) 145 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Relatório sobre a aplicação do Regulamento (UE) n.º 211/2011 sobre a iniciativa de cidadania

Leia mais

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL Changing lives. Opening minds. Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL ERASMUS + Uma porta aberta para a Europa : O novo programa

Leia mais

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos ESTE ANO VOU CONHECER NOVAS PESSOAS ESTE ANO VOU ALARGAR CONHECIMENTOS ESTE ANO VOU FALAR OUTRA LÍNGUA ESTE ANO VOU ADQUIRIR NOVAS COMPETÊNCIAS ESTE ANO VOU VIAJAR ESTE ANO VOU SER ERASMUS Guia do Estudante

Leia mais

A Comissão Europeia pretende reduzir significativamente as disparidades salariais entre homens e mulheres

A Comissão Europeia pretende reduzir significativamente as disparidades salariais entre homens e mulheres IP/10/236 Bruxelas, 5 de Março de 2010 A Comissão Europeia pretende reduzir significativamente as disparidades salariais entre homens e mulheres A Comissão Europeia tenciona lançar uma série de medidas

Leia mais

Direcção-Geral da Comunicação Direcção C - Relações com os Cidadãos UNIDADE DE ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA EB71.3 ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009

Direcção-Geral da Comunicação Direcção C - Relações com os Cidadãos UNIDADE DE ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA EB71.3 ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009 Direcção-Geral da Comunicação Direcção C - Relações com os Cidadãos UNIDADE DE ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA 16/12/2009 EB71.3 ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009 Sondagem pós-eleitoral Primeiros resultados: análise

Leia mais

(Apenas fazem fé os textos nas línguas alemã, dinamarquesa, espanhola, grega, inglesa, italiana, letã, neerlandesa, portuguesa, romena e sueca)

(Apenas fazem fé os textos nas línguas alemã, dinamarquesa, espanhola, grega, inglesa, italiana, letã, neerlandesa, portuguesa, romena e sueca) L 336/42 Jornal Oficial da União Europeia 18.12.2009 DECISÃO DA COMISSÃO de 16 de Dezembro de 2009 relativa a uma contribuição financeira comunitária, para 2009, para as despesas efectuadas pelos Estados-Membros

Leia mais

5 DUAS FOTOGRAFIAS IDENTIFICADAS COM NOME E NUMERO DE PRE- REGISTO 2 CI-CEPPQ

5 DUAS FOTOGRAFIAS IDENTIFICADAS COM NOME E NUMERO DE PRE- REGISTO 2 CI-CEPPQ 1 FICHA DE INSCRIÇÃO 1 2 FICHA DO CANDIDATO 2 3 CÓPIA DE DOCUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO 4 CÓPIA DE COMPROVATIVO DE PAGAMENTO 5 DUAS FOTOGRAFIAS IDENTIFICADAS COM NOME E NUMERO DE PRE- REGISTO 2 CI-CEPPQ Universidade

Leia mais

Inquérito mede o pulso à saúde em linha na Europa e receita uma maior utilização das TIC pela classe médica

Inquérito mede o pulso à saúde em linha na Europa e receita uma maior utilização das TIC pela classe médica IP/08/641 Bruxelas, 25 de Abril de 2008 Inquérito mede o pulso à saúde em linha na Europa e receita uma maior utilização das TIC pela classe médica A Comissão Europeia publicou hoje as conclusões de um

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427 NOTA de: para: Assunto: Presidência Grupo de Avaliação de Schengen Projecto de decisão do

Leia mais

CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS

CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS Apresentação de J.M. Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia, ao Conselho Europeu informal de 30 de janeiro de 2012 Quebrar os «círculos viciosos» que afetam

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

BMW Motorrad Mobile Care. A Garantia de Mobilidade BMW Motorrad em toda a Europa.

BMW Motorrad Mobile Care. A Garantia de Mobilidade BMW Motorrad em toda a Europa. BMW Motorrad Após-Venda Serviços Móveis BMW Motorrad Após-Venda Pelo prazer de conduzir Serviços Móveis BMW Motorrad Mobile Care. BMW Motorrad Mobile Care. A Garantia de Mobilidade BMW Motorrad em toda

Leia mais

MÓDULO V B C D E PÓS-EURO

MÓDULO V B C D E PÓS-EURO O PÓS-EURO A B C D E MÓDULO V O Euro face às s principais moedas internacionais Pacto de Estabilidade e Crescimento O Tratado de Amesterdão O Tratado de Nice Reforçar e Reformar as Políticas da União na

Leia mais

Ano Europeu da Criatividade e Inovação

Ano Europeu da Criatividade e Inovação Ano Europeu da Criatividade e Inovação Imaginar criar inovar Índice A União Europeia O caminho da UE O Ano Europeu Criatividade e Inovação. Porquê? Criatividade e Inovação. Importância Criatividade e Inovação.

Leia mais

CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV

CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV DOCUMENTO 3 DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS TITULARES DOS CARTÕES EUROPEUS DE SEGURO DE DOENÇA OU DE DOCUMENTOS EQUIVALENTES NA SEQUÊNCIA DAS ALTERAÇÕES DO PONTO I DA ALÍNEA A)

Leia mais

A questão da natalidade nos países da União Européia: desafios e alternativas em discussão 1.

A questão da natalidade nos países da União Européia: desafios e alternativas em discussão 1. Universidade do Vale do Itajaí Curso de Relações Internacionais LARI Laboratório de Análise de Relações Internacionais Região de Monitoramento: União Europeia LARI Fact Sheet Abril/Maio de 2011 A questão

Leia mais

POR QUE É IMPORTANTE ESTUDAR LÍNGUAS E POR QUE É QUE NÃO ESTUDAMOS

POR QUE É IMPORTANTE ESTUDAR LÍNGUAS E POR QUE É QUE NÃO ESTUDAMOS POR QUE É IMPORTANTE ESTUDAR LÍNGUAS E POR QUE É QUE NÃO ESTUDAMOS Quem não sabe línguas estrangeiras não sabe nada de si próprio. (Goethe) No Livro Branco lançado em 1995, Ensinar e Aprender: Rumo à Sociedade

Leia mais

Educação e Formação Europa 2020 e Cooperação Europeia

Educação e Formação Europa 2020 e Cooperação Europeia Educação e Formação Europa 2020 e Cooperação Europeia Parlamento Europeu Bruxelas, 21 de Março 2011 Margarida Gameiro Chefe de Unidade Igualdade de oportunidades e Equidade Europa 2020: 3 prioridades interligadas

Leia mais

ACORDO SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA REPÚBLICA DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA NO ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU

ACORDO SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA REPÚBLICA DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA NO ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU 443 der Beilagen XXIII. GP - Beschluss NR - 18 portugiesischer Vertragstext PT (Normativer Teil) 1 von 21 ACORDO SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA REPÚBLICA DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA NO ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU EEE/BG/RO/pt

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Acordo de Londres. Tratado assinado por alguns dos estados signatários da Convenção da Patente Europeia

Acordo de Londres. Tratado assinado por alguns dos estados signatários da Convenção da Patente Europeia Acordo de Londres Tratado assinado por alguns dos estados signatários da Convenção da Patente Europeia Objectivos Visa diminuir a burocracia e os custos da Patente Europeia. Eliminando totalmente ou parcialmente

Leia mais

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada "a Comunidade"), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA,

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada a Comunidade), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA, ACORDO DE COOPERAÇÃO RELATIVO A UM SISTEMA MUNDIAL CIVIL DE NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE (GNSS) ENTRE A COMUNIDADE EUROPEIA E OS SEUS ESTADOS-MEMBROS, POR UM LADO, E A REPÚBLICA DA COREIA, POR OUTRO CE/KR/pt

Leia mais

ESLC 2011 LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PROJAVI PROJETOS DE AVALIAÇÃO INTERNACIONAL DE ALUNOS

ESLC 2011 LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PROJAVI PROJETOS DE AVALIAÇÃO INTERNACIONAL DE ALUNOS 1 PROJAVI PROJETOS DE AVALIAÇÃO INTERNACIONAL DE ALUNOS 2 SUMÁRIO EXECUTIVO ESCL apresentação do estudo O primeiro Inquérito Europeu às Competências em Línguas (ESLC 1 ), iniciativa da Comissão Europeia,

Leia mais

Coesão económica social e territorial. Crescimento inteligente sustentável e inclusivo. Estratégia Europa 2020

Coesão económica social e territorial. Crescimento inteligente sustentável e inclusivo. Estratégia Europa 2020 PROGRAMA OPERACIONAL INCLUSÃO SOCIAL E EMPREGO 18 de fevereiro de 2015 1 Coesão económica social e territorial Enquadramento Crescimento inteligente sustentável e inclusivo Estratégia Europa 2020 Agenda

Leia mais

Desemprego e regulação do mercado de trabalho. António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011

Desemprego e regulação do mercado de trabalho. António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011 Desemprego e regulação do mercado de trabalho António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011 Proposições fundamentais 1. O trabalho não pode ser tratado como uma mercadoria sem sérias consequências

Leia mais

Comunicações e Informações

Comunicações e Informações Jornal Oficial da União Europeia C 249 A Edição em língua portuguesa Comunicações e Informações 58. o ano 30 de julho de 2015 Índice V Avisos PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS Serviço Europeu de Seleção do

Leia mais

NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS:

NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: Acesso a cuidados de saúde programados na União Europeia, Espaço Económico Europeu e Suiça. Procedimentos para a emissão do Documento

Leia mais

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes Este folheto explica as regras que se aplicam ao Benefício de

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1/14 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:322647-2015:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Organização de testes linguísticos para efeitos de validação do conhecimento

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO. sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO. sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30.6.2015 COM(2015) 314 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos PT PT RELATÓRIO

Leia mais

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 31 de Março de 2005 (OR. en) AA 23/2/05 REV 2 TRATADO DE ADESÃO: ACTA FINAL PROJECTO DE ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS

Leia mais

Fusões e cisões transfronteiras

Fusões e cisões transfronteiras Fusões e cisões transfronteiras Fusões e cisões transfronteiras Consulta organizada pela Comissão Europeia (DG MARKT) INTRODUÇÃO Observações preliminares O presente questionário tem por objetivo recolher

Leia mais

ATESTADO RELATIVO À COMPOSIÇÃO DA FAMÍLIA COM VISTA À CONCESSÃO DAS PRESTAÇÕES FAMILIARES

ATESTADO RELATIVO À COMPOSIÇÃO DA FAMÍLIA COM VISTA À CONCESSÃO DAS PRESTAÇÕES FAMILIARES COMISSÃO ADMINISTRATIVA PARA A SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES MIGRANTES Ver «Instruções» na página 4 E 401 ( 1 ) ATESTADO RELATIVO À COMPOSIÇÃO DA FAMÍLIA COM VISTA À CONCESSÃO DAS PRESTAÇÕES FAMILIARES

Leia mais

DIREITO COMUNITÁRIO. Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2

DIREITO COMUNITÁRIO. Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2 DIREITO COMUNITÁRIO Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2 As revisões dos tratados fundadores 07/02/1992: Assinatura do Tratado sobre a União Européia,, em Maastricht; 20/10/1997:

Leia mais

Necessidade. de uma nova atitude

Necessidade. de uma nova atitude Necessidade de uma nova atitude O Conselho Europeu de Lisboa, de Março 2000, definiu um ambicioso objectivo estratégico a 10 anos, de tornar a União Europeia no espaço económico mais dinâmico e competitivo

Leia mais

Luxemburgo-Luxemburgo: FL/SCIENT15 Serviços de tradução 2015/S 039-065697. Anúncio de concurso. Serviços

Luxemburgo-Luxemburgo: FL/SCIENT15 Serviços de tradução 2015/S 039-065697. Anúncio de concurso. Serviços 1/12 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:65697-2015:text:pt:html Luxemburgo-Luxemburgo: FL/SCIENT15 Serviços de tradução 2015/S 039-065697 Anúncio de concurso

Leia mais

EURYDICE A Educação para a Cidadania nas Escolas da Europa

EURYDICE A Educação para a Cidadania nas Escolas da Europa EURYDICE A Educação para a Cidadania nas Escolas da Europa Eurydice A rede de informação sobre educação na Europa Documento publicado pela Unidade Europeia de Eurydice com o apoio financeiro da Comissão

Leia mais

Factos e Números Essenciais

Factos e Números Essenciais União Europeia Factos e Números Essenciais sobre a União Europeia Esta publicação é editada em todas as línguas oficiais da União Europeia: alemão, dinamarquês, espanhol, finlandês, francês, grego, inglês,

Leia mais

Construindo uma Cidadania Europeia Activa. 2011 Ano Europeu do Voluntariado

Construindo uma Cidadania Europeia Activa. 2011 Ano Europeu do Voluntariado Construindo uma Cidadania Europeia Activa 2011 Ano Europeu do Voluntariado Abril de 2011 O Caminho da União Europeia 1951 - Tratado de Paris CECA Comunidade Europeia do Carvão e do Aço 1957 - Tratado de

Leia mais

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020)

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020) PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020) Maria da Graça a Carvalho Universidade de Évora 5 Janeiro 2012 Índice Mundo Multipolar na investigação e inovação Europa

Leia mais

CUIDADOS DE SAÚDE PARA PENSIONISTAS DE UM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA, ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU OU DA SUÍÇA QUE VENHAM RESIDIR PARA PORTUGAL

CUIDADOS DE SAÚDE PARA PENSIONISTAS DE UM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA, ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU OU DA SUÍÇA QUE VENHAM RESIDIR PARA PORTUGAL CUIDADOS DE SAÚDE PARA PENSIONISTAS DE UM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA, ESPAÇO ECONÓMICO EUROPEU OU DA SUÍÇA QUE VENHAM RESIDIR PARA PORTUGAL abril 2015 Ficha Técnica Autor Direção-Geral da Segurança

Leia mais

DIRECTRIZES PARA A TRADUÇÃO DO SUPLEMENTO AO CERTIFICADO EUROPASS INTRODUÇÃO RECOMENDAÇÕES GERAIS

DIRECTRIZES PARA A TRADUÇÃO DO SUPLEMENTO AO CERTIFICADO EUROPASS INTRODUÇÃO RECOMENDAÇÕES GERAIS DIRECTRIZES PARA A TRADUÇÃO DO SUPLEMENTO AO CERTIFICADO EUROPASS INTRODUÇÃO Finalidade do suplemento do certificado O suplemento do certificado Europass (ver exemplos) não substitui o certificado de habilitações

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO EUROPEIA

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO EUROPEIA 28.10.2014 C 382/1 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO EUROPEIA CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS EACEA/31/2014 Programa Erasmus+, Ação-chave 3 Apoio à reforma de políticas Cooperação com

Leia mais

Os europeus e a crise

Os europeus e a crise PARLAMENTO EUROPEU Os europeus e a crise Relatório Trabalho de campo: Agosto Setembro de 2010 Publicação: Novembro de 2010 Special Eurobarometer/Wave 74.1 TNS Opinion & Social Eurobaromètre spécial / Vague

Leia mais

Portugal: ambientes online de crianças e jovens. Resultados do Projecto EU Kids Online, Conferência nacional, 04.02. 2011 Cristina Ponte, FCSH-UNL

Portugal: ambientes online de crianças e jovens. Resultados do Projecto EU Kids Online, Conferência nacional, 04.02. 2011 Cristina Ponte, FCSH-UNL Portugal: ambientes online de crianças e jovens Resultados do Projecto EU Kids Online, Conferência nacional, 04.02. 2011 Cristina Ponte, FCSH-UNL Estrutura 1) Contextos familiares 2) Acesso à internet

Leia mais

SERVIÇO EUROPEU DE SELECÇÃO DO PESSOAL (EPSO)

SERVIÇO EUROPEU DE SELECÇÃO DO PESSOAL (EPSO) 28.10.2010 PT Jornal Oficial da União Europeia C 292 A/1 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS SERVIÇO EUROPEU DE SELECÇÃO DO PESSOAL (EPSO) ANÚNCIO DE CONCURSOS GERAIS EPSO/AD/204-205/10 (2010/C 292

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 13.6.2014 COM(2014) 354 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Evolução da situação do mercado do leite e dos produtos lácteos e da aplicação das disposições

Leia mais

AGÊNCIA EUROPEIA DE MEDICAMENTOS (LONDRES) ACTO DE CANDIDATURA

AGÊNCIA EUROPEIA DE MEDICAMENTOS (LONDRES) ACTO DE CANDIDATURA AGÊNCIA EUROPEIA DE MEDICAMENTOS (LONDRES) ACTO DE CANDIDATURA (Todas as secções do formulário de candidatura devem ser preenchidas a TINTA PRETA, em maiúsculas, independentemente de eventuais documentos

Leia mais

GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP)

GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP) GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP) INFORMAÇÃO GERAL 1. O que é um estágio Erasmus? O Estágio Erasmus é uma parte da sua formação académica (curricular ou extracurricular) efectuada

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DECISÃO DO CONSELHO PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 3.8.2009 COM(2009) 411 final Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à assinatura do Acordo sobre certos aspectos dos serviços aéreos entre a Comunidade

Leia mais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais O Conselho Superior da Magistratura é membro de duas organizações internacionais que promovem a cooperação e concertação

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR Software para a recolha por via eletrónica de declarações de apoio a iniciativas de cidadania europeia

MANUAL DO UTILIZADOR Software para a recolha por via eletrónica de declarações de apoio a iniciativas de cidadania europeia MANUAL DO UTILIZADOR Software para a recolha por via eletrónica de declarações de apoio a iniciativas de cidadania europeia 1 Apresentação geral... 2 2 Interface de gestão... 3 2.1 Acesso à interface e

Leia mais

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido PROGRAMA ERASMUS+ AÇÃO 1 MOBILIDADE INDIVIDUAL PARA FINS DE APRENDIZAGEM ENSINO SUPERIOR 2015 TABELA DE BOLSAS DE MOBILIDADE ESTUDANTES PARA ESTUDOS E ESTÁGIOS TABELA 1 De Portugal Continental para: Valor

Leia mais

É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu!

É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu! F É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu! 1 QUEM PODE VOTAR A 25 DE MAIO DE 2014? Para poder participar nesta eleição na qualidade

Leia mais

Comissão efectua consultas sobre a melhor forma de conseguir que a Europa lidere a transição para a Web 3.0

Comissão efectua consultas sobre a melhor forma de conseguir que a Europa lidere a transição para a Web 3.0 IP/08/1422 Bruxelas, 29 de Setembro de 2008 Comissão efectua consultas sobre a melhor forma de conseguir que a Europa lidere a transição para a Web 3.0 A Europa pode liderar a Internet da próxima geração.

Leia mais