História e Arte 6º Ano / Ensino Fundamental Professoras: Mônica Lages e Shirley Rezende. Quem faz História em BH (especial Museu)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "História e Arte 6º Ano / Ensino Fundamental Professoras: Mônica Lages e Shirley Rezende. Quem faz História em BH (especial Museu)"

Transcrição

1 História e Arte 6º Ano / Ensino Fundamental Professoras: Mônica Lages e Shirley Rezende Quem faz História em BH (especial Museu)

2 Caros alunos, O projeto Quem faz História em BH já é tradicional no 6º ano em nossa escola e tem por objetivo aproximá-los das pessoas que, com suas ações, participam ativamente e positivamente na escrita da nossa História. Mas, esse ano, faremos diferente... Buscando nos preparar para organizar uma exposição de pinturas rupestres na escola, na qual vamos apresentar os conhecimentos e habilidades adquiridos nas disciplinas de História e Artes, desenvolveremos nosso projeto com profissionais encarregados da preservação da nossa memória. O trabalho será ancorado em pesquisas, entrevistas e o fazer artístico, possibilitando a ampliação do conhecimento e estabelecimento do vínculo com as pessoas e as histórias dos museus, bem como o desenvolvimento de diferentes habilidades como observação, análise, síntese, criatividade e interpretação. Espero que vocês, conhecedores das histórias surpreendentes preservadas nos museus, tornem-se mais conscientes de sua importância como ser histórico integrado na sociedade, condição importante para entender o mundo em que vivem e para encontrar formas de transformá-lo. Mônica Lages. Museus espaços de cultura 2

3 A importância dos museus é desconhecida por uma grande parte da população, apesar de serem centros difusores de conhecimentos relevantes sobre o nosso mundo. A palavra museu é logo associada a coleções de objetos antigos, porém, a função dessas instituições vai além de simplesmente expor itens que despertem a curiosidade do público. Os museus, ao desempenharem a função de centros agregadores do patrimônio cultural e social, possibilitam o contato do visitante a um universo de conhecimentos produzidos pela humanidade ao longo de sua história. A origem do termo MUSEU vem da Grécia Antiga e abarca em sua história muito da mitologia desse povo. De acordo com tal tradição, Durante nove noites Zeus deita-se com Memória (Mnemosine), rainha das colinas de Eleutra (em grego =.liberdade.). Depois de uma gestação de um ano nasceram as nove Musas, responsáveis pela sagrada inspiração dos mortais. São elas Clio (Glória, Musa da história), Euterpe (Alegria, Musa da música), Thalia (Festa, Musa da comédia), Melpomene (Dançarina, Musa da dança), Terpsichore (Animacôro, Musa da tragédia), Érato (Amorosa, Musa da elegia), Polímnia (Muitoshinos, Musa da poesia lírica), Urânia (Celeste, musa da Astronomia), e, por fim, Calíope (Belavoz, Musa da eloquência e poesia heróica). O mito das Musas atravessa toda a compreensão ocidental da origem das belas-artes. Trata-se da explicação religiosa da origem das chamadas artes liberais, aquelas artes que têm por finalidade o cultivo do espírito. Esta compreensão está cristalizada no mundo grego da época do helenismo no fato de que a grande biblioteca de Alexandria era apenas uma parte daquilo que se chamava então de Museu, ou seja, o templo dedicado às musas. Dessa origem tão poética, talvez possamos afirmar que o museu nasceu mesmo da memória, da necessidade de exaltarmos o que acumulamos de experiências e produções humanas nas mais diversas possibilidades do saber. Mas não podemos perder de vista que os museus são estruturados, organizados, abastecidos, enfim, por pessoas. Eles não se fazem sozinhos. E nossa pesquisa busca descobrir como esses espaços se organizam. Vamos lá? 1.INTRODUÇÃO: 3

4 Este trabalho fala um pouco sobre os museus, para que possamos saber mais sobre sua importância e descobrir algumas curiosidades sobre eles. O seu objetivo é nos ensinar sobre o que são os museus, e nos fazer aprender um pouco mais sobre esses locais. Com este trabalho, vamos aprender que museus não são apenas coleções de objetos antigos, eles são locais de conhecimento, novos saberes e reflexão. Vamos falar um pouco sobre alguns museus que conhecemos, e aprofundar o conhecimento sobre eles. Espero que depois deste trabalho, possamos adquirir novos conhecimentos sobre os museus, que são lugares de muita importância para as pessoas. Henrique Lopes De Assunção. (aluno 6º A) GABINETES DE CURIOSIDADES: 4

5 Os Gabinetes de Curiosidades designam os lugares em que durante a época das grandes explorações e descobrimentos dos século XVI e século XVII, se colecionavam uma multiplicidade de objetos raros ou estranhos dos três ramos da biologia considerados na época: animália, vegetalia e mineralia; além das realizações humanas. Os Gabinetes de Curiosidades desapareceram durante os séculos XVIII e XIX, sendo substituídos por instituições oficiais e coleções privadas. Os objetos considerados mais interessantes foram transferidos para museus de artes e de história natural que começaram a ser fundados. Tiveram grande importância no estudo precoce de certas disciplinas de biologia ao criar coleções de fósseis, conchas e insetos. MUSEU NACIONAL DA QUINTA DA BOA VISTA É o Museu mais antigo do Brasil, localizado no Rio de Janeiro.. Em 1784, no mesmo local, foi aberta a Casa de Xavier dos Pássaros, que preparava exemplares da flora e da fauna brasileiras e artefatos indígenas para serem enviados para Portugal, permanecendo em funcionamento até o início do século 19. 5

6 Museu Nacional da Quinta da Boa Vista é uma das unidades da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Foto: Divulgação) Com a chegada da Família Real portuguesa, em 1808, a Casa dos Pássaros foi demolida para a construção do prédio do Erário. Seu acervo serviu de base para a criação do Museu Real, no ano de 1818, por meio de decreto do então príncipe regente de Portugal, D. João. O Museu Real, hoje Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, é a instituição que concentra o maior número de bens culturais no acervo: mais de 20 milhões, 3,5 mil deles em exposição. MUSEU DO LOUVRE. Quem passa por Paris logo descobre que uma visita ao Museu do Louvreé obrigatória, não só por ele ser um dos maiores e mais célebres museus do Planeta, o que por si só justificaria sua exploração, mas também por sua não menos famosa arquitetura. Situado no centro da cidade-luz, entre o Rio Sena e a Rue de Rivoli, este prédio inusitado é constituído por uma pirâmide de vidro em seu pátio central, que se justapõe à linha dos Champs- Élysées. É impossível entrar neste Museu sem passar pela Pirâmide, a qual tem 21 metros de altura e duzentas toneladas de vidro e de traves. Este fenômeno da arquitetura é submetido 6

7 a uma limpeza semanal por um robô, criado justamente para desempenhar esta tarefa. Já no seu interior, quem por ele excursiona se verá entre obras ancestrais e criações contemporâneas,e caminhará entre a Mona Lisa, a Vitória de Samotrácia e a Vênus de Milo, bem como terá contato com objetos do Antigo Egito e da civilização greco-romana. Este edifício foi arquitetado entre 1852 e 1857, durante o reinado de Napoleão III. Ele serviu de sede do Ministério da Fazenda, de 1871 a Antes, porém, foi conhecido como Castelo do Louvre, instituído por Filipe II, em 1190, para atuar como um forte na defesa de Paris contra os vikings; foi testemunha histórica da Idade Média; depois passou por diversas mudanças, ganhando status social ao metamorfosear-se em castelo real. Vários reis concorreram para gerar o formato que atualmente define o Louvre. O Museu é administrado pelo governo francês por meio da Réunion des Musées Nationaux. Sua frequência de visitantes é surpreendente, o que fez dele o museu mais procurado do Planeta. Há no Louvre vastas galerias, expondo ao público a História da Arte desenvolvida pela Humanidade ao longo do tempo. A ala Denon é uma das mais percorridas até hoje, pois oferece ao olhar encantado dos visitantes as criações dos artistas mais célebres, principalmente a obra-prima de Leonardo da Vinci, La Gioconda, mais conhecida como o retrato da Mona Lisa. 7

8 INSTITUTO BUTANTAN 8

9 Vinculado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, o Instituto Butantan é um dos maiores centros de pesquisa biomédica do mundo, responsável por 51 % de vacinas e 56% de soros para uso profilático e curativo do país. O Instituto desenvolve estudos e pesquisas relacionadas, direta ou indiretamente, com a saúde pública nas áreas de Biologia, Biomedicina, Farmacologia e Biotecnologia. Realiza também missões científicas no país e no exterior através da Organização Mundial e Panamericana da Saúde, Unicef e ONU. Além da contribuição médica e científica, o Butantan também promove atividades relacionadas à educação, como curso de pós - graduação, cursos técnicos, estágios de aperfeiçoamento, eventos e palestras acadêmicas. A Instituição, localizada na zona oeste de são Paulo, possui ainda um belíssimo parque com cerca de 80 hectares, onde mais de 60% dessa dimensão são de área verde. Seu parque recebe mais de 300 mil pessoas por ano, atraídas pela imagem centenária de qualidade e por seus museus, o Biológico, o Histórico e o de Microbiologia. Há muitos anos que o Instituto Butantan preocupa-se com a educação. No intuito de divulgar os conhecimentos produzidos pela instituição, em 1912 foi fundado o Museu Biológico, que desde então recebe estudantes e a comunidade interessada em aprender mais sobre os animais pesquisados. Com uma ótima estrutura, a última reforma ocorreu em Atualmente o museu expõe anfíbios, répteis, artrópodes e peixes, peçonhentos e não peçonhentos, que vivem em ambientes fechados que imitam seu habitat natural. Mas as atrações principais são, sem dúvida, as serpentes. Além das espécies brasileiras, existem também vários exemplares exóticos, provenientes de várias partes do mundo. 9

10 INSTITUTO INHOTIM 10

11 Através de nossa pesquisa sobre museus, vários deles me chamaram a atenção. Conheço vários museus, mas se hoje tivesse que escolher, gostaria de conhecero Instituto Inhotim. O Instituto Inhotim foi idealizado pelo empresário Bernardo Paz em meados da década de Em 1984, o local recebeu a visita do renomado paisagista Roberto Burle Marx, que apresentou algumas sugestões e colaborações para os jardins. Desde então, o projeto paisagístico cresceu e passou por várias modificações. A propriedade particular foi se transformando com o tempo. Começava a nascer um grande espaço cultural, com a construção das primeiras edificações destinadas a receber obras de arte contemporânea. Ganhava vida também o rico acervo botânico, consolidado a partir de 2005 com o resgate e a introdução de coleções botânicas de diferentes partes do Brasil e com foco nas espécies nativas. Cronologia: Foi fundado o Instituto Cultural Inhotim, instituição sem fins lucrativos, destinada à conservação, exposição e produção de trabalhos contemporâneos de arte e que também desenvolve ações educativas e sociais O extenso acervo cultural e ambiental abria suas portas timidamente, com préagendamento de visitas somente da rede escolar da região de Brumadinho e de grupos específicos Com estrutura completa, a obra particular chega ao grande público, com o Instituto passando a receber visitas em dias regulares, sem a necessidade de agendamento prévio O compromisso com o desenvolvimento social da população de Brumadinho e seu entorno originou a criação da Diretoria de Inclusão e Cidadania, em julho deste ano O número de visitantes é crescente. Até este ano, mais de 110 mil pessoas de diversas partes do País e do mundo já haviam visitado Inhotim. Em abril, foi reconhecido como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) pelo Governo de Minas Gerais. 11

12 Em junho o governo federal também reconhece o Instituto Inhotim como uma OSCIP. Neste ano, mais de 160 mil pessoas visitaram o Inhotim. Em setembro/outubro, foi realizado Nove Novos Destinos, evento para lançar nove obras permanentes que só poderiam ser construídas em um lugar como o Inhotim Os jardins do Instituto Inhotim recebem, dia 5 de abril, o título de Jardim Botânico pela Comissão Nacional de Jardins Botânicos (CNJB). O registro foi aprovado após a 4ª Reunião da Comissão, ocorrida no Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, entre os dias 24 e 26 de março. O Instituto Inhotim possui atualmente cerca de 70 obras em exposição, que se dividem entre trabalhos permanentemente instalados e aqueles expostos em quatro galerias, que abrigam mostras temporárias de longa duração: Fonte, Lago, Mata e Praça. A proposta museológica do Inhotim compreende diferentes espaços expositivos. Muitas obras estão expostas ao ar livre, em meio ao jardim, imersas na mata, no topo de uma montanha, ou sobre um espelho d'água. Outros trabalhos se encontram em espaços fechados, exibidos individualmente em pavilhões construídos especialmente para abrigá-los, ou compondo mostras coletivas em grandes galerias. A coexistência de espaços abertos e fechados promove uma experiência singular de fruição da obra de arte. Outro diferencial deste espaço museológico do Inhotim é a ausência de um percurso linear preestabelecido, de uma ordem obrigatória, ou de uma perspectiva predominante. As trilhas que percorrem organicamente o parque propõem percursos livres entre as obras ao ar livre e as galerias. 12

13 Tunga - True Rouge, redes, madeira, vidro soprado, pérolas de vidro, tinta vermelha, esponjas do mar, bolas de sinuca, escovas limpa-garrafa, feltro,bolas de cristal, 1315 x 750 x 450 cm, 1997 T O acervo artístico do Inhotim compreende cerca de 500 obras de mais de 100 artistas de 30 diferentes nacionalidades. Com foco na arte contemporânea produzida a partir dos anos 1960 até os nossos dias, o acervo abrange escultura, instalação, pintura, desenho, fotografia, filme e vídeo. Em permanente expansão, o acervo vem sendo formado desde fins dos anos 1990 e possui hoje relevância mundial, reunindo obras realizadas por algumas das vozes artísticas mais potentes da atualidade. Para o Inhotim, é importante trabalhar com artistas de diversos contextos culturais para criar a única coleção de arte contemporânea verdadeiramente internacional com acesso ao público no Brasil. Uma das principais estratégias adotadas pelo Inhotim para a ampliação de seu acervo é oferecer aos artistas a oportunidade de criar obras especialmente para a coleção, muitas vezes realizando projetos artísticos site-specific em diálogo com as características naturais e culturais do lugar. Inhotim também busca identificar obras singulares para incorporar à coleção, criando construções para exibi-las de forma permanente, e tem colecionado em profundidade artistas das novas gerações, reunindo conjuntos significativos de suas obras. 13

14 Arte e educação Estação de trabalho O núcleo de Arte e Educação do Inhotim é um polo promotor de atividades capazes de potencializar a fruição e a compreensão do acervo artístico. Ao mesmo tempo, o núcleo assume, através das atividades desenvolvidas, o desafio de promover o acesso, cada vez mais significativo, a esse acervo artístico. Ao usar o conceito de acessibilidade, considera-se, principalmente, a acessibilidade cognitiva, ou seja, a possibilidade de compreensão dos códigos da linguagem da arte, o aprofundamento das reflexões acerca dos contextos específicos da produção contemporânea e a oportunidade de fruição a partir de um lugar como o Inhotim. Desde 2007, o núcleo de Arte e Educação desenvolve programas e projetos em parceira com a Prefeitura de Belo Horizonte, bem como por meio do Fundo Estadual de Cultura, Lei Estadual de Incentivo à Cultura e Lei Rouanet. Oferece ainda pacotes de serviços tanto pagos quanto gratuitos de visita orientada para interessados em geral e comunidade escolar. Com o intuito de promover o acesso qualificado dos visitantes aos bens culturais presentes no Inhotim, o núcleo desenvolve ainda o programa Museu em Atividade, destinado aos arte-educadores. Trata-se de pesquisa continuada sobre processos de mediação e elaboração de projetos para as diferentes oportunidades educacionais. Esse eixo contribui para a formação de novos públicos e atores culturais, atuando como catalisador de transformação na esfera coletiva e individual. São oferecidas oficinas de férias, estações de trabalho, visitas temáticas especiais e seminários internos. 14

15 MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL DE LONDRES O Museu de História Natural de Londres é um dos três museus principais localizados na Exhibition Road, no bairro de South Kensington. Acolhe inúmeras coleções de ciências da vida e da Terra, compreendendo cerca de 70 milhões de espécies ou itens, catalogados em cinco grandes grupos: Botânica, Entomologia, Mineralogia, Paleontologia e Zoologia. Existe também um jardim de vida saudável, que inclui várias espécies nativas de fauna e flora. Escolhi este museu por que é um dos principais atrativos de Londres, e é tão grande que não dá para visitar tudo em um só dia. Foi fundado em 1881 como departamento do Museu Britânico, mas atualmente é um organismo público patrocinado pelo Ministério da Cultura, Média e Desporto. Dada à idade da instituição, muitas das coleções têm um grande valor histórico, bem como valor científico, 15

16 como as espécimes coletados por Darwin. A biblioteca contém extenso material, que inclui livros, jornais, manuscritos e coleções de arte ligadas ao trabalho ea pesquisa dos departamentos científicos. Uma das exclusividades é a exposição permanente de esqueletos de dinossauros. Estas fotos abaixo foram tiradas por um amigo da mãe do Henrique Lopes (6º A), seu nome é Arthur Barcelos e ele é apaixonado por museus. Ele visitou o Museu de Londres em outubro de

17 17

18 18

19 19

20 20

21 21

22 22

23 VISITA AO MUSEU INIMÁ DE PAULA (Aluna Maria Luísa Albuquerque Oliveira) 1 - Nome completo do entrevistado: ALINE LINS ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA 2 Idade: 44 anos 3 Profissão: Pedagoga 4 Por que escolheu esse museu? Já o visitou antes? A escolha do museu se deu, devido não o conhecermos, fomos buscar algo desconhecido, pois vários dos Museus citados no cronograma do trabalho já conhecíamos. 5 Tem o hábito de visitar museus? Justifique a resposta. Sempre que podemos gostamos de ir a Museus aqui em BH e quando viajamos procuramos conhecer museus do local, pois torna mais interessante o passeio conhecer a história do local, bem como a população, a culinária, a cultura e a arte. 6 Quais já visitou? Em BH já visitamos: Giramundo, Ciências Naturais PUC-MG, Histórico Abílio Barreto, Arte da Pampulha, Instituto Inhotim, da Telecomunicações, Presépio Pipiripau. 7 O que mais gostou no museu visitado? A exposição de Ângelo Issa, ela é forte, mas leva-nos a questionar até quando iremos ser omissos, vendo tantas injustiças no mundo e a repensar a coragem de pessoas comuns que nem pensam no risco de vida que correm ao denunciar as injustiças e absurdos dos seres humanos. 8 O que aprendeu de novo ao longo da visita? 23

24 Como a visita tinha o propósito para um trabalho escolar, procuramos ver com mais detalhe e calma, pois estávamos apenas nós duas e pudemos ver obras, ler as informações e comentar o que achamos uma com a outra. Foi muito legal! Pudemos assentar de frente às obras e analisar com calma. Muito legal! Aprendi: Esvaziar a mente para contemplar uma obra de arte sem pressa; faz bem à alma. 9 Indicaria a visitação ao museu para outras pessoas? Por quê? Indicaria sim o museu a todos que desejam conhecer um pouco sobre arte de um mineiro, que em nosso tempo pouco se ouve falar, e que foi de grande importância para a arte mineira e brasileira em seu tempo, e conhecer a arte de artistas consagrados e jovens talentos. VISITA AO MUSEU DOS BRINQUEDOS (Alunas Fernanda Carli e Giovanna Gonçalves Maia) 1 - Nome completo do entrevistado: JANE CARLI DINIZ 2 Idade: 45 anos 3 Profissão: Médica (cardiologista) 4 Por que escolheu esse museu? Já o visitou antes? Escolhi este museu por sugestão da minha filha Fernanda e foi a primeira vez que o visitei. 5 Tem o hábito de visitar museus? Justifique a resposta. Não muito, por falta de mais tempo e oportunidade. 6 Quais já visitou? 24

25 Giramundo, Museu Abílio Barreto, Museu de Arte da Pampulha, Museu do Louvre, Museu de História Natural de Nova Iorque, Museu do Cairo. 7 O que mais gostou no museu visitado? Gostei principalmente de rever brinquedos que fizeram parte da minha infância. 8 O que aprendeu de novo ao longo da visita? Aprendi que sonhos podem virar realidade, afinal, este museu só existe pela força do sonho e empenho de D. Luíza. 9 Indicaria a visitação ao museu para outras pessoas? Por quê? Sim, pois é um museu que mostra a evolução e mudança dos brinquedos através de três gerações, que refletem as mudanças da sociedade, neste período. Reúne educação, cultura e lazer, com objetivo de pesquisar, preservar e divulgar o patrimônio cultural lúdico da infância. VISITA AO MUSEU DAS MINAS E DO METAL (Aluna Victória Regina Moura Vianna) 1 - Nome completo do entrevistado: DÉBORA MOURA DA SILVA 2 Idade: 35 anos 3 Profissão: Administradora de empresas 4 Por que escolheu esse museu? Já o visitou antes? Primeiramente porque meu marido trabalha em uma empresa e está desenvolvendo um projeto na área de mineração, então decidi visitar antes para ver se tem algum objetivo real e concreto que ele possa utilizar quando for visitar o museu. Foi a primeira vez que eu fiz a visita. 5 Tem o hábito de visitar museus? Justifique a resposta. 25

26 Não, eu não tenho o hábito de visitar museus. Não fui acostumada a freqüentar esse tipo de ambiente. 6 Quais já visitou? Já visitei museu de objetos antigos na cidade de São João Del Rei no interior de Minas Gerais e visitei o museu sobre a vida e a trajetória do ex-presidente Tancredo de Almeida Neves. 7 O que mais gostou no museu visitado? O que mais eu gostei foi a balança de medida de metais no corpo. Subi na balança e um rastreador fez uma busca de todo metal existente no corpo e transforma em medidas de quilograma e essas medidas aparecem detalhadamente num painel à minha frente. Achei super interessante, nunca havia visto nada igual e nem sequer sabia que existia algo assim. 8 O que aprendeu de novo ao longo da visita? Aprendi sobre o metal nóbio quando se junta com o aço é usado na fabricação de escapamentos automotivos, turbina de aeronaves e peças para computadores. 9 Indicaria a visitação ao museu para outras pessoas? Por quê? Com certeza, foi um momento muito engrandecedor e de muita aprendizagem, pois tive acesso a informações que nunca parei para prestar atenção e que me serão úteis. Entrevista no Museu da Lapinha 1 - Nome completo da entrevistada: Erika Susanna Bányai 2 - Especialização: Historiadora, Educadora em Museus e Arte Educadora. 3 - Desde quando trabalha nesse museu? Comecei muito novinha, aos 13 anos, apenas como monitora. Assumi a direção em Que curso preciso fazer para me tornar um profissional como você? Formei-me em História, fiz um curso de especialização da UNESCO em Administração de Museus. Fiz curso de Educador em Museus pela UFMG. 26

27 5 - Quais são os procedimentos para a criação de um museu? É bem burocrático. Normalmente a partir de um decreto, se for oficial... Mas, muitos museus surgem através de ações comunitárias, onde uma ou mais pessoas se reúnem com o objetivo de se preservar algo, uma história, ou através de coleções que contam a história de um local, comunidade ou simplesmente objetos que tomam daí certo tempo uma conotação histórica. 6 - Quem dirige o museu? Hoje sou eu mesma, com assistência de uma Associação de Amigos do Museu Arqueológico da Região de Lagoa Santa - AMAR. 7 - Quantos profissionais trabalham no local ao todo? No quadro permanente, somente eu. Mas temos eventualmente a colaboração de um biólogo e de outro historiador. Como já sabem não temos apoio/verba pública para mantermos uma infra-estrutura melhor. Mas, temos uma equipe da escola de Belas Artes do curso de Restauração e Conservação trabalhando em nosso inventário e contamos com jovens estagiários de Arqueologia, de História, de Restauração e Conservação. Mas o trabalho deles é interno no momento. Na reserva técnica e de vez em quando no acervo exposto. 8 - Quais as especialidades dos que trabalham no museu? Como disse na resposta anterior, historiadores, biólogo, restauradores, arqueólogos e museólogos. 9 - Como o museu adquire o seu acervo? Este museu em especial teve uma parte do seu acervo coletado/pesquisado pelo seu fundador MihályBánkai, um arqueólogo amador; outra parte, achados fortuitos e doações. Algumas peças foram compradas, como os minerais Quantas peças existem nesse museu? Bem, em média peças. Só saberemos a exatidão ao final do inventário. Mas ainda tem a reserva técnica que tem outro número (mais 22 fósseis humanos, 23 mil cacos cerâmicos, mais umas 150 ferramentas líticas, além das 400 em exposição permanente). Segundo especialistas temos a maior coleção de ferramentas pré-históricas do Brasil!!! 11 - Todas as peças estão em exposição? Como comentei na questão anterior, temos uma reserva técnica. Nem tudo vai ou cabe numa exposição permanente. Temos um laboratório onde ficam guardadas outras peças apenas para estudo ou para uma exposição temporária Que cuidados são tomados para preservação das peças? 27

28 Muita orientação aos visitantes para não tocarem nas peças. Mas, ultimamente, as pessoas estão muito conscientes. A criançada não decepciona a gente! Os próprios alunos do ICJ se comportam de forma exemplar em nosso espaço... Agora, mais tecnicamente falando, as peças mais frágeis ficam em vitrines para não serem tocadas, pois a gordura da mão vai se depositando na peça aos poucos e fica uma mancha que não sai nunca mais. Em breve as peças de nossa exposição passarão por uma limpeza especial por técnicos da EBA Há trabalho para restauração das peças? No momento a equipe da EBA/UFMG trabalha somente com o inventário. Mas, em breve, estarão trabalhando com a restauração de um fóssil humano O museu está preparado para receber deficientes? A entrada para cadeirantes é tranquila. Não é o ideal, talvez, mas vários que visitaram o museu não tiveram problema de locomoção dentro do espaço. O maior problema é o acesso até o museu. A reforma da praça da Gruta da Lapinha, recém inaugurada pelo Governo do Estado ( ) não se preocupou em acatar a lei por ele mesmo promulgado. Todos os passeios que levam ao Castelinho são pouco transitáveis para um cadeirante. Para deficientes visuais oferecemos algumas peças de nossa oficina para serem tocadas, o Busto da Luzia também pode ser tocado, e o Jacaré, basta ser agendado previamente para grupos maiores ou anunciado o interesse no momento da visita. 28

29 29

UNOCHAPECÓ Artes Visuais 6º período Conteúdo e Métodos II. Profª Me. Márcia Moreno

UNOCHAPECÓ Artes Visuais 6º período Conteúdo e Métodos II. Profª Me. Márcia Moreno UNOCHAPECÓ Artes Visuais 6º período Conteúdo e Métodos II Profª Me. Márcia Moreno 1 Conhecendo o Louvre... Foi no fim do século XII que Filipe Augusto mandou construir um castelo num local já chamado Louvre.

Leia mais

Vamos ao M useu? Vamos ao Museu? Vamos ao Museu? Vamos ao Museu? useu? Vamos ao Museu? Vamos ao Museu?

Vamos ao M useu? Vamos ao Museu? Vamos ao Museu? Vamos ao Museu? useu? Vamos ao Museu? Vamos ao Museu? Vamos ao Museu? Vamos ao Museu? é programa que visa ampliar as experiências culturais de estudantes, professores e comunidades por meio de ações educativas que envolvem visitas a espaços de preservação

Leia mais

10 pontos turísticos em Paris

10 pontos turísticos em Paris POR: RIVA E UELYN 10 pontos turísticos em Paris Foto: Shutterstock.com Não existe turista no mundo que não tenha vontade de conhecer Paris. A cidade recebe cerca de 30 milhões de visitantes por ano, que

Leia mais

Ampliando o olhar sobre a Arte

Ampliando o olhar sobre a Arte Ampliando o olhar sobre a Arte A Arte reflete a história da humanidade. Desde as primeiras expressões artísticas (Arte rupestre) até os dias de hoje, podemos compreender o desenvolvimento do homem em cada

Leia mais

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco Sobre nós Em 1997 com iniciativas dos proprietários da Fazenda Alegre conscientes da importância da preservação e conservação dos remanescentes da vegetação nativa da fazenda, áreas degradadas vêm sendo

Leia mais

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO?

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO? O QUE É UMA EXPOSIÇÃO? O que torna as exposições diferentes entre si? O que torna as exposições diferentes entre si? Local da exposição? Num parque Sob céu aberto... Num Museu... No corredor de um Shopping...

Leia mais

Instituto Rubem Alves Plano Anual 2015

Instituto Rubem Alves Plano Anual 2015 Instituto Rubem Alves Plano Anual 2015 Proponente: Instituto Rubem Alves CNPJ nº 17.030.336/0001-08 Período: 01/01/2015 a 31/12/2015 Segmento: Patrimônio Cultural Preservação de acervos - Plano Anual Lei

Leia mais

A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL

A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL JOÃO GOULART INTRODUÇÃO A arte apresenta uma forma de

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Novembro/Dezembro 2013

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Novembro/Dezembro 2013 17 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua décima sétima edição. Junto com a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o processo de restauro das edificações e reformulação

Leia mais

Criança faz arte? ISTA. Gratuito! PROJETO EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA

Criança faz arte? ISTA. Gratuito! PROJETO EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA Criança faz arte? MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA PROJETO ART EIRA ISTA EXPOSIÇÃO I - T - I - N - E - R - A - N - T - E 1 EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL Gratuito! Elias Rodrigues

Leia mais

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves História da Arquitetura 2008 O Concurso O Grand Palais começou a ser construído em 1897 para abrigar a Exposição Universal de 1900, envolvendo um complexo processo

Leia mais

Museu Nacional da Arte Antiga

Museu Nacional da Arte Antiga Museu Nacional da Arte Antiga Índice 1. Horários e localização: 2. Ingresso 3. História do museu 4. Informações acerca do museu 5. As 10 obras de referência do MNAA 6. Coleções 1 - Horário e Localização

Leia mais

O brincar hoje: da colaboração ao individualismo

O brincar hoje: da colaboração ao individualismo O brincar hoje: da colaboração ao individualismo Profa. Dra. Maria Angela Barbato Carneiro Campo Grande/ Simpósio Internacional da OMEP Jul/ 2012 Este trabalho tem por objetivo discutir sobre o brincar

Leia mais

NA CASA FIAT DE CULTURA

NA CASA FIAT DE CULTURA YARA TUPYNAMBÁ NA CASA FIAT DE CULTURA Artista mineira comemora 60 anos de carreira com inédita exposição de pinturas da natureza, dentro da programação dos 10 anos da Casa Fiat Uma das artistas plásticas

Leia mais

Criança faz arte? ISTA KIT PROJETO ARTEIRARTISTA EXPOSIÇÕES ITINERANTES PALESTRAS E VÍDEOS

Criança faz arte? ISTA KIT PROJETO ARTEIRARTISTA EXPOSIÇÕES ITINERANTES PALESTRAS E VÍDEOS www.aviva.org.br Criança faz arte? ART EIRA ISTA PROJETO ARTEIRARTISTA EXPOSIÇÕES ITINERANTES PALESTRAS E VÍDEOS Aprovado no Edital LEIC 001/2013, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais

Leia mais

DEMOCRACIA VIVA 41 JANEIRO 2009

DEMOCRACIA VIVA 41 JANEIRO 2009 DEMOCRACIA VIVA 41 JANEIRO 2009 ESPECIAL AMAZÔNIA Museu vivo em plena floresta Ennio Candotti 1 Coordenador do projeto Museu da Amazônia (Musa) e professor da Universidade do Estado do Amazonas Museu é

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI Grupo Parlamentar PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI RECOMENDA AO GOVERNO A SUSPENSÃO DE TODAS AS ACÇÕES RELATIVAS À TRANSFERÊNCIA DE MUSEUS E À CRIAÇÃO DE NOVOS MUSEUS NO EIXO AJUDA/BELÉM, ATÉ À ELABORAÇÃO

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

Pontos turísticos e suas verdades

Pontos turísticos e suas verdades Pontos turísticos e suas verdades Terceira e última parte em que você pode ver melhor as viagens aos monumentos históricos e ambientes paradisíacos. Por um ângulo, pois no outro verá a realidade. Santorini

Leia mais

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS 2 3 Artes da Infância infans Do latim, infans significa aquele que ainda não teve acesso à linguagem falada. Na infância adquirimos conhecimentos, acumulamos vivências e construímos

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Março Abril 2014

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Março Abril 2014 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua décima nona edição. Junto com a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o processo de restauro das edificações e reformulação do

Leia mais

MUSEU DO LOUVRE. REVISTA LOUVRE Museus de Arte

MUSEU DO LOUVRE. REVISTA LOUVRE Museus de Arte REVISTALOUVRE MuseusdeArte MUSEU DO LOUVRE O"Castelo do Louvre" foi fundado pelo rei Filipe II em 1190, como uma fortaleza para defender Paris a oeste contra os ataques dos Vikings. No século XIV, o rei

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

PROJETO ANIMAIS. 1. Tema: O mundo dos animais. Área de abrangência: 2. Duração: 01/06 a 30/06. 3. Apresentação do projeto:

PROJETO ANIMAIS. 1. Tema: O mundo dos animais. Área de abrangência: 2. Duração: 01/06 a 30/06. 3. Apresentação do projeto: PROJETO ANIMAIS 1. Tema: O mundo dos animais Área de abrangência: (x) Movimento (x) Musicalização (x) Artes Visuais (x) Linguagem Oral e Escrita (x) Natureza e Sociedade (x) Matemática 2. Duração: 01/06

Leia mais

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Ponta do Calabouço e adjacências: história, memória e patrimônio nos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro CHAMADA PÚBLICA DE TRABALHOS A faixa de terra

Leia mais

Relatório da Visita da Comissão ao. Museu Nacional UFRJ. 5 de agosto de 2011

Relatório da Visita da Comissão ao. Museu Nacional UFRJ. 5 de agosto de 2011 Relatório da Visita da Comissão ao Museu Nacional UFRJ 5 de agosto de 2011 Bruno de Cerqueira Luiz da Motta Recepção Fomos recebidos de maneira extremamente cordial pela diretora do Museu Nacional, Profª.

Leia mais

O projecto do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (M.I.A.A.)

O projecto do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (M.I.A.A.) O projecto do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (M.I.A.A.) Davide Delfino Luiz Oosterbeek Gustavo Portocarrero Isilda Jana Fernando A. B. Pereira Luis Felipe Dias O QUÊ Coleções: Coleção de arte e arqueologia

Leia mais

síntese dos projetos objetivo percursos percursos Ação educativa

síntese dos projetos objetivo percursos percursos Ação educativa percursos percursos Ação educativa INSTITUTO TOMIE OHTAKE síntese dos projetos Projetos especiais ProGrAmAs PermANeNtes exposições Prêmios PArA jovens ArtistAs PuBlicAçÕes objetivo Ação educativa Aproximar

Leia mais

Memorial do Imigrante

Memorial do Imigrante Memorial do Imigrante www.memorialdoimigrante.sp.gov.br Juca Martins/Olhar Imagem Localizado no edifício da antiga Hospedaria dos Imigrantes, construída entre 1886 e 1888 para receber os imigrantes recém-chegados

Leia mais

Projeto EI São José do Rio Preto Assessoria: Debora Rana e Silvana Augusto 2 o encontro: 09 de abril de 2014 *Anotações do Grupo de CPs da manhã

Projeto EI São José do Rio Preto Assessoria: Debora Rana e Silvana Augusto 2 o encontro: 09 de abril de 2014 *Anotações do Grupo de CPs da manhã Projeto EI São José do Rio Preto Assessoria: Debora Rana e Silvana Augusto 2 o encontro: 09 de abril de 2014 *Anotações do Grupo de CPs da manhã Pauta de encontro Olá coordenadoras, mais uma vez estaremos

Leia mais

Consulte sempre o site www.museudaimigracao.org.br e acompanhe o desenvolvimento dos trabalhos.

Consulte sempre o site www.museudaimigracao.org.br e acompanhe o desenvolvimento dos trabalhos. O Boletim do Museu da Imigração chega à sua décima oitava edição. Junto com a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o processo de restauro das edificações e reformulação

Leia mais

O EVENTO QUE VAI MEXER AINDA MAIS COM A SAÚDE DA CIDADE DE SÃO PAULO! Cultura na. virada da. Saúde

O EVENTO QUE VAI MEXER AINDA MAIS COM A SAÚDE DA CIDADE DE SÃO PAULO! Cultura na. virada da. Saúde O EVENTO QUE VAI MEXER AINDA MAIS COM A SAÚDE DA CIDADE DE SÃO PAULO! O projeto Virada da realizará ações culturais relacionadas com o tema saúde durante a semana da Virada da na cidade de São Paulo (semana

Leia mais

EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO

EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO Adriana D Agostino Relato de experiência Resumo A experiência apresentada foi realizada em 2013 no Colégio Salesiano Santa Teresinha a partir do material

Leia mais

PALÍNDROMO Nº 7 /2012 Programa de Pós Graduação em Artes Visuais CEART/UDESC

PALÍNDROMO Nº 7 /2012 Programa de Pós Graduação em Artes Visuais CEART/UDESC ENTREVISTA MUSEO DE ARTE LATINOAMERICANO DE BUENOS AIRES MALBA FUNDACIÓN CONSTANTINI Entrevista realizada com a educadora Florencia González de Langarica que coordenou o educativo do Malba até 2012, concedida

Leia mais

1. Descrição da Cidade

1. Descrição da Cidade 1. Descrição da Cidade 2. Top Atrações da Cidade 2.1 - Atração Mãos de Minas 2.2 - Atração Central de Artesanato do SESC 2.3 - Atração Banca do Ronaldo 2.4 - Atração Baile da Saudade 2.5 - Atração Centro

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

CRIADO EM 1995 VOLTADO À EDUCAÇÃO COMPLEMENTAR, PROJETO ÂNCORA JÁ BENEFICIOU MAIS DE SEIS MIL CRIANÇAS E ADOLESCENTES

CRIADO EM 1995 VOLTADO À EDUCAÇÃO COMPLEMENTAR, PROJETO ÂNCORA JÁ BENEFICIOU MAIS DE SEIS MIL CRIANÇAS E ADOLESCENTES CRIADO EM 1995 VOLTADO À EDUCAÇÃO COMPLEMENTAR, PROJETO ÂNCORA JÁ BENEFICIOU MAIS DE SEIS MIL CRIANÇAS E ADOLESCENTES Trajetória de sucesso no apoio ao desenvolvimento de crianças e jovens de comunidades

Leia mais

O Brasil da Pré-História O Mistério do Poço Azul

O Brasil da Pré-História O Mistério do Poço Azul O Brasil da Pré-História O Mistério do Poço Azul Gênero: Documentário Duração: 53 minutos Lançamento: 2007 Produção: Brasil, França Classificação etária: Livre Ficha técnica Direção: Mauricio Dias, Túlio

Leia mais

Anexo Técnico I Programa de Trabalho/Prestação de Serviços (tipo e descrição dos serviços memorial descritivo)

Anexo Técnico I Programa de Trabalho/Prestação de Serviços (tipo e descrição dos serviços memorial descritivo) Anexo Técnico I Programa de Trabalho/Prestação de Serviços (tipo e descrição dos serviços memorial descritivo) OBJETIVO GERAL O objetivo geral da Associação dos Amigos da Pinacoteca do Estado é a implementação

Leia mais

MUSEU DA CIDADE OCA RECEBE A MAIOR EXPOSIÇÃO JÁ REALIZADA SOBRE A CIVILIZAÇÃO MAIA

MUSEU DA CIDADE OCA RECEBE A MAIOR EXPOSIÇÃO JÁ REALIZADA SOBRE A CIVILIZAÇÃO MAIA MUSEU DA CIDADE OCA RECEBE A MAIOR EXPOSIÇÃO JÁ REALIZADA SOBRE A CIVILIZAÇÃO MAIA Mayas: revelação de um tempo sem fim reúne pela primeira vez mais de 380 objetos e homenageia esta civilização em todo

Leia mais

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR APRESENTAÇÃO Nosso objetivo é inaugurar um espaço virtual para o encontro, o diálogo e a troca de experiências. Em seis encontros, vamos discutir sobre arte, o ensino da

Leia mais

Lendas do Brasil Elsa Pestana Magalhães. Lendas, Fábulas e Meio Ambiente. 1

Lendas do Brasil Elsa Pestana Magalhães. Lendas, Fábulas e Meio Ambiente. 1 Lendas do Brasil Elsa Pestana Magalhães Lendas, Fábulas e Meio Ambiente. 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL Traduz a necessidade de re orientação e de transformação das ações sobre o planeta, baseada em uma nova ótica

Leia mais

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Proponente: Sociedade de Amigos do Museu de Biologia Mello

Leia mais

TEMPO AO TEMPO, NO MUSEU HERING "TIME TO TIME" IN HERING'S MUSEUM. Em Blumenau, a história e as tradições são preservadas de muitas formas e

TEMPO AO TEMPO, NO MUSEU HERING TIME TO TIME IN HERING'S MUSEUM. Em Blumenau, a história e as tradições são preservadas de muitas formas e TEMPO AO TEMPO, NO MUSEU HERING "TIME TO TIME" IN HERING'S MUSEUM Marli Rudnik Em Blumenau, a história e as tradições são preservadas de muitas formas e uma delas é através do acervo e das exposições dos

Leia mais

PROJETO CULTURAL. www.aviva.com.br

PROJETO CULTURAL. www.aviva.com.br PROJETO CULTURAL www.aviva.com.br Nome do Projeto: Arte na Infância - 27 Projeto No. 441/2014 - Validade: 10/07/2016 Área: Artes Visuais / Oficina Artes Plásticas Valor do Patrocínio: R$ 70.000,00 Proponente:

Leia mais

Gandhi chega a São Paulo. passado, e com o patrocínio e apoio da iniciativa privada será possível sua concretização.

Gandhi chega a São Paulo. passado, e com o patrocínio e apoio da iniciativa privada será possível sua concretização. 2004 22ª Semana Gandhi Gandhi chega a São Paulo Criou-se o Espaço Gandhi na Cidade de São Paulo para estimular e acolher atividades comprometidas com a cultura de paz e não-violência. Para cumprir tal

Leia mais

CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento europeu).

CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento europeu). 43 RELAÇÃO DE EMENTAS CURSO: ARTES VISUAIS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINA: Artes Visuais I CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento

Leia mais

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia)

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia) MUSEU DO CARRO ELÉTRICO Inaugurado em 1992, o Museu do Carro Elétrico nasceu da dedicação e voluntarismo de um pequeno grupo de entusiastas e apaixonados por este meio de transporte coletivo, impulsionados

Leia mais

turismo industrial AGENDAMarinhaGrande GUIA CULTURAL APRESENTAÇÃO OFICIAL Circuitos Industriais Marinha Grande

turismo industrial AGENDAMarinhaGrande GUIA CULTURAL APRESENTAÇÃO OFICIAL Circuitos Industriais Marinha Grande 11.MARÇO.2013 25 anos da elevação a cidade APRESENTAÇÃO OFICIAL Circuitos Industriais Marinha Grande turismo industrial Marinha Grande www.cm-mgrande.pt MARÇO 2013 AGENDAMarinhaGrande GUIA CULTURAL DESTAQUE

Leia mais

Programa do Serviço Educativo. 2.º Semestre 2008

Programa do Serviço Educativo. 2.º Semestre 2008 Programa do Serviço Educativo Museu Municipal i de Óbidos 2.º Semestre 2008 Programa Semestral Mês Dias Título Público-alvo Agosto Quintas, Sextas, Sábado No Ateliê do Pintor um Tesouro Escondido Crianças

Leia mais

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul Título: CONHECENDO O PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE PARANAGUÁ

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul Título: CONHECENDO O PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE PARANAGUÁ 29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul Título: CONHECENDO O PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE PARANAGUÁ Área Temática: Cultura Coordenadora da Ação de Extensão: Yara Aparecida Garcia Tavares Autores:

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH)

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) 1 REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este Regimento dispõe sobre

Leia mais

O diretor-presidente da COPASA, Ricardo Simões, tem o prazer de convidá-lo para a abertura da. de Daniel Neto e Elenir tavares.

O diretor-presidente da COPASA, Ricardo Simões, tem o prazer de convidá-lo para a abertura da. de Daniel Neto e Elenir tavares. O diretor-presidente da COPASA, Ricardo Simões, tem o prazer de convidá-lo para a abertura da exposição Entre Silêncio e Paisagem, de Daniel Neto e Elenir tavares. Abertura 23 de outubro, às 19 horas.

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO

RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO Na EEMASA - Escola Estadual Maria Augusta Silva Araújo, antes do início do ano letivo, professores, coordenação pedagógica e direção da escola definem coletivamente, em

Leia mais

Município de Leiria Câmara Municipal

Município de Leiria Câmara Municipal DELIBERAÇÃO DA REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE 11 DE AGOSTO DE 2015 Serviço responsável pela execução da deliberação Divisão de Ação Cultural, Museus e Turismo Epígrafe 4.2. Museu de Leiria Convento de

Leia mais

Outubro/2014. Período. 1 a 31 de outubro de 2014

Outubro/2014. Período. 1 a 31 de outubro de 2014 Outubro/2014 Período 1 a 31 de outubro de 2014 Museu da Energia de São Paulo promove curso gratuito sobre Educação Patrimonial Essencial para o desenvolvimento cultural, tema será apresentado em um evento

Leia mais

Programa Escola do Olhar. ImageMagica

Programa Escola do Olhar. ImageMagica Programa Escola do Olhar ImageMagica Programa Escola do Olhar O Programa Escola do Olhar visa implementação de Oficinas de Fotografia, artesanal ou digital, em equipamentos públicos, como escolas. Através

Leia mais

O QUE É MUSEU? Definições e Tipologias

O QUE É MUSEU? Definições e Tipologias O QUE É MUSEU? Definições e Tipologias Desde o início, o ICOM tinha como um dos seus objetivos definir museu. No primeiro número do ICOM News, em 1948, o museu é definido como voltado apenas para a coleção,

Leia mais

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências boletim Jovem de Futuro ed. 04-13 de dezembro de 2013 Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências O Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013 aconteceu de 26 a 28 de novembro.

Leia mais

MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA

MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA Apresentação do Museu O Museu Nacional de História Natural é um organismo da Universidade de Lisboa, vocacionado para a investigação científica e atividades

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DA ARTE LICENCIATURA E MESTRADO EM HISTÓRIA DA ARTE DOCENTE: PROFESSOR DOUTOR CARLOS MOURA VIAGEM A MADRID:

Leia mais

Praça Eco Teatral - Projeto para a sede do TeatroSilva

Praça Eco Teatral - Projeto para a sede do TeatroSilva Praça Eco Teatral - Projeto para a sede do TeatroSilva TeatroSilva: Formado em agosto de 2008 por jovens alunos de escolas públicas e moradores dos bairros Tucuruvi, Jaçanã e Jova Rural, periferia de São

Leia mais

VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS

VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS A Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) convida todas as Instituições de Ensino da Região Norte, a participar na 2ª edição

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Julho Agosto 2014

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Julho Agosto 2014 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua vigésima primeira edição. Este veículo tem a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o MI, destacando ainda as atividades e ações

Leia mais

Juventude com Arte, Saúde e Cidadania Autores: Ellen da Silva Mourão; Giovanna Grasiane de Sousa; Preceptora de Serviço: Maria Regina de Paula Fagundes Netto; Preceptora Acadêmica: Lêda Maria Leal de Oliveira.

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA Margarete Maria da Silva meghamburgo@yahoo.com.br Graduanda em Pedagogia e membro do NEPHEPE Universidade Federal de

Leia mais

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte e

Leia mais

Palavras-Chave Educação Patrimonial, Museu/Universidade/Escola, Arqueologia, Índios Guarani, Índios Kaingang

Palavras-Chave Educação Patrimonial, Museu/Universidade/Escola, Arqueologia, Índios Guarani, Índios Kaingang EDUCAÇÃO PATRIMONIAL SE FAZ NO MUSEU, NA ESCOLA E JUNTO Á COMUNIDADE. Faccio, Neide Barrocá; Carrê, Gabriela Machado; Souza, Hellen Cristiane. Faculdade de Ciências e Tecnologia. Departamento de Planejamento,

Leia mais

ARTES INDÍGENAS ROTEIROS VISUAIS NO BRASIL. alberto martins e glória kok GUIA DO PROFESSOR ROTEIRO DE ATIVIDADES

ARTES INDÍGENAS ROTEIROS VISUAIS NO BRASIL. alberto martins e glória kok GUIA DO PROFESSOR ROTEIRO DE ATIVIDADES Ver nunca é um ato inocente. Ver é sempre um aprendizado. Diante de um quadro, uma foto, uma escultura ou um edifício, nosso corpo e nosso olhar informam a cena, isto é, tomam parte nela e leem cada um

Leia mais

PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO AMBIENTAL DA ARCELORMITTAL TUBARÃO 1997-2007

PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO AMBIENTAL DA ARCELORMITTAL TUBARÃO 1997-2007 PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO AMBIENTAL DA ARCELORMITTAL TUBARÃO 1997-2007 OBJETIVO Estabelecer um canal de comunicação entre empresa e sociedade, contribuindo com ações sócio-ambientais na comunidade escolar,

Leia mais

O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo. Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro

O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo. Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro Universidade Federal do Rio de Janeiro O que é lazer? Quando atuamos no âmbito do lazer podemos destacar dois

Leia mais

PROJETO DE LEITURA SUGESTÕES DE ATIVIDADES

PROJETO DE LEITURA SUGESTÕES DE ATIVIDADES PROJETO DE LEITURA URASHIMA TARO LÚCIA HIRATSUKA PARTE 1 PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: ATIVAÇÃO DO CONHECIMENTO PRÉVIO Atividade 1 SUGESTÕES DE ATIVIDADES Cada povo tem suas narrativas

Leia mais

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura INTRODUÇÃO A Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro (SEC) está coordenando a elaboração do Plano Estadual de Cultura, a partir do diálogo

Leia mais

O que é a Programação? Justificativa:

O que é a Programação? Justificativa: O que é a Programação? A Programação consiste de temas a serem abordados a cada mês com caráter de evento (pequeno, médio ou de grande porte) com duração média de até 2 semanas/mês. Mesmo com cada mês

Leia mais

TODOS OS ESPETÁCULOS SÃO GRATUITOS.

TODOS OS ESPETÁCULOS SÃO GRATUITOS. CIRCUITO GANDARELA DE MINAS - AGENDA AGOSTO TODOS OS ESPETÁCULOS SÃO GRATUITOS. É necessário chegar com uma hora de antecedência para garantir os ingressos. 03 E 04 DE AGOSTO - SÁBADO E DOMINGO O CONTO

Leia mais

Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu. Internacional de Ufologia, História e Ciência. Victor Mostajo.

Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu. Internacional de Ufologia, História e Ciência. Victor Mostajo. Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu Internacional de Ufologia, História e Ciência Victor Mostajo. Cátia Bairro Ferreira Santa Maria, RS 2009. 1 Oficina Lúdico Pedagógica - Dinossauros A criança

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI PREFEITURA MUNICIPAL DE LONTRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI DESPERTANDO AÇÕES SUSTENTÁVEIS LONTRAS 2013 1.TEMA A preservação

Leia mais

PARÂMETRO DE ARTE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL - REDE MUNICIPAL ENSINO DE TRÊS CORAÇÕES. Diretrizes para o ensino de Arte 2011

PARÂMETRO DE ARTE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL - REDE MUNICIPAL ENSINO DE TRÊS CORAÇÕES. Diretrizes para o ensino de Arte 2011 PARÂMETRO DE ARTE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL - REDE MUNICIPAL ENSINO DE TRÊS CORAÇÕES 1 Diretrizes para o ensino de Arte 2011 1 Arte e legislação educacional: A inclusão da Arte no currículo escolar foi

Leia mais

NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE

NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE ARTE RUPESTRE Arte rupestre é o nome da mais antiga representação artística da história do homem. Os mais antigos indícios dessa arte são

Leia mais

A DIVERSIDADE CULTURAL: UM ELO ENTRE A MATEMÁTICA E OUTROS SABERES

A DIVERSIDADE CULTURAL: UM ELO ENTRE A MATEMÁTICA E OUTROS SABERES A DIVERSIDADE CULTURAL: UM ELO ENTRE A MATEMÁTICA E OUTROS SABERES Marilene Rosa dos Santos Coordenadora Pedagógica de 5ª a 8ª séries da Prefeitura da Cidade do Paulista rosa.marilene@gmail.com Ana Rosemary

Leia mais

OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES

OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES RELATÓRIO Oficina de fotografia e vídeo com celulares como ferramenta de inclusão visual através de tecnologias acessíveis, percepção do território, construção

Leia mais

As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL

As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL Profa. Dra. Ana Barbara A. Pederiva Professora da Universidade Cruzeiro

Leia mais

F) 13.392.0168.2650.0001 - Funcionamento de Bibliotecas da União

F) 13.392.0168.2650.0001 - Funcionamento de Bibliotecas da União Brasileira I Vol. de vários autores; Brasileira II Vol. de vários autores; Brasileira III Vol. de vários autores; Brasileira IV Vol. de vários autores; Brasileira V Vol. de vários autores; Editions du

Leia mais

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim 17% não 83% 2. O que achou da transformação do Largo de Pinheiros? Diferente, muito

Leia mais

dobrar pelo tracejado para dentro furo ÁLBUM de aventuras furo dobrar pelo tracejado para dentro pôr cola no outro lado

dobrar pelo tracejado para dentro furo ÁLBUM de aventuras furo dobrar pelo tracejado para dentro pôr cola no outro lado Você acha que consegue plantar uma floresta inteirinha? E de transformar o seu bairro? Ah, mas criar uma ação em conjunto com o mundo inteiro, você consegue? Claro que sim! Todos têm super poderes, e o

Leia mais

Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo

Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo O Mercado Municipal de São Paulo é uma construção histórica localizada na região central da capital. Obra projetada pelo arquiteto Franscisco de Paula Ramos de

Leia mais

ImageMagica. A Maior Organização de Fotografia do País

ImageMagica. A Maior Organização de Fotografia do País ImageMagica A Maior Organização de Fotografia do País Sobre Nós Criada em 1995 pelo fotógrafo André François, a ImageMagica é uma organização internacional sem fins lucrativos que promove educação, cultura

Leia mais

www.portaledumusicalcp2.mus.br

www.portaledumusicalcp2.mus.br Apostila de Educação Musical 1ª Série Ensino Médio www.portaledumusicalcp2.mus.br O QUE É MÚSICA? A música (do grego μουσική τέχνη - musiké téchne, a arte das musas) constituise basicamente de uma sucessão

Leia mais

Rio e Sagrado: um lugar de todos nós!

Rio e Sagrado: um lugar de todos nós! Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio Rua Tonelero, 56 Copacabana RJ site:www.redesagradorj.com.br / e-mail:cscm@redesagradorj.com.br Rio e Sagrado: um lugar de todos nós!.turma: 1º Período A Professora

Leia mais

A arquitetura dos memoriais

A arquitetura dos memoriais PARTE 01: Conteúdo para a prova A arquitetura dos memoriais Você já ouviu falar em memorial ou já visitou um espaço arquitetônico destinado à memória de alguma personalidade, de um povo ou de algum fato

Leia mais

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos Rio de cara nova Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos por Ernesto Neves 01 de Agosto de 2011 Fonte: Revista Veja Rio Cidade do Rock O terreno de 250 mil metros quadrados

Leia mais

ESPAÇO DE INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA REGULAMENTO GERAL DO ATELIÊ ABERTO #7 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PARA ARTISTAS E PESQUISADORES EM ARTE.

ESPAÇO DE INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA REGULAMENTO GERAL DO ATELIÊ ABERTO #7 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PARA ARTISTAS E PESQUISADORES EM ARTE. ESPAÇO DE INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA REGULAMENTO GERAL DO ATELIÊ ABERTO #7 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PARA ARTISTAS E PESQUISADORES EM ARTE. A Casa Tomada abre inscrições para a seleção de projetos da residência

Leia mais

o museu do cão! mundo

o museu do cão! mundo mundo 34 o museu do cão! Foof é o primeiro museu do mundo dedicado exclusivamente aos cães. Inaugurado recentemente, ele está situado ao sul da cidade de Mondragone, província de Caserta, a 188 Km de Roma,

Leia mais

Desejamos a todos um excelente ano letivo!

Desejamos a todos um excelente ano letivo! O Museu Municipal de Loulé apresenta o programa Visita Brincando, para o ano letivo 2014/2015. Este programa é construído em torno do nosso Património Cultural e pretende contribuir para despertar o olhar,

Leia mais

ATIVIDADE COMPLEMENTAR A FAU/CEATEC PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE 2012

ATIVIDADE COMPLEMENTAR A FAU/CEATEC PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE 2012 ATIVIDADE COMPLEMENTAR A FAU/CEATEC PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE 2012 Unidade Acadêmica: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Titulo da Atividade: Viagem de Estudos a Belo Horizonte e Inhotim - MG Ano: 2º

Leia mais

A Ricardo Maia Produções Artísticas apresenta a seguir uma seleção de projetos culturais que têm como tema principal a sustentabilidade.

A Ricardo Maia Produções Artísticas apresenta a seguir uma seleção de projetos culturais que têm como tema principal a sustentabilidade. A Ricardo Maia Produções Artísticas apresenta a seguir uma seleção de projetos culturais que têm como tema principal a sustentabilidade. Considerando o crescente interesse geral de mobilização sobre o

Leia mais

Patrimônio. Foco na história

Patrimônio. Foco na história Patrimônio Foco na história 30 metrópole campinas 19/6/11 À esquerda, a foto vencedora Corredor, de Matheus Spina; abaixo, detalhe da Mandala, por José Roberto Magalhães: exposição que vai até 31 de julho

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua vigésima segunda edição. Este veículo tem a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o MI, destacando ainda as atividades e ações

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais