Instituto Brasileiro de Turismo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto Brasileiro de Turismo"

Transcrição

1 Instituto Brasileiro de Turismo

2 MENSAGEM DA DIREÇÃO Estima-se que a participação da atividade do turismo na economia do Brasil esteja próxima a 3,6% do PIB. Existem projeções que o setor contribua internamente com mais de 10 milhões de empregos diretos ou indiretos. As metas para os próximos dois anos é ultrapassar a marca de 8 milhões de turistas estrangeiros e movimentar 11 US$ bilhões de entrada de divisas, sendo que atingimos 7,5 US$ bilhões em Diante dos desafios acima, a Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC da EMBRATUR, alinhada com as tendências de gestão e governança mundiais e as demandas da sociedade, vem se integrando com o negócio da Instituição, de forma que a tecnologia possa ampliar o acesso as informações, e possibilitar a comunicação cada vez mais efetiva, com seus diversos públicos de interesse, num mundo que se apresenta cada vez mais interconectado. Neste sentido, a apresentação do PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação consolida um esforço institucional de planejamento, contemplando uma visão abrangente das necessidades tecnológicas e caminhos a serem trilhados para o período de , que permita a evolução da capacidade do Instituto cumprir cada vez melhor sua missão. Registre-se o esforço de conformidade do PDTI com os normativos do Governo Federal, em particular, a recente redação da IN 04/2014 alterada pela IN 02/2015, ambas da SLTI - MPOG. A Direção da EMBRATUR sinaliza que o PDTI, a partir de sua publicação oficial, torna-se um instrumento útil e indispensável à gestão da TI e à governança da Instituição, sendo fundamental sua execução e monitoramento para o aprimoramento contínuo de seus resultados. Tufi Michreff Neto Diretor EMBRATUR 2

3 2015. Instituto Brasileiro de Turismo - EMBRATUR Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos autorais (Lei n 9.610). Informações e contatos Instituto Brasileiro de Turismo EMBRATUR. SCN Quadra 02 Bloco G Edifício EMBRATUR. Brasília DF- Brasil Site: Presidente do Instituto Brasileiro de Turismo Vinicius Rene Lummertz Silva Diretor de Administração e Finanças Tufi Michreff Neto Diretor de Produtos e Destinos Marco Antonio de Britto Lomanto Diretor de Mercados Internacionais Gilson Andrade Lira Diretor de Marketing Sérgio Flores de Albuquerque Coordenadora de Suporte Tecnológico Mariza Garcia Avalone Equipe de Elaboração do PDTI Edilson Pires dos Santos EMBRATUR 3

4 Luiz Carlos Batista Mariza Garcia Avalone Ursulino Marques de Araújo Neto Valmírio Cardoso Godinho Filho Comitê Gestor de TIC da EMBRATUR Presidente, Diretores (4) e Coordenadora de Suporte Tecnológico. Equipe Consultoria TS Consultoria Empresarial LTDA Aline Xavier Maboni Amanda Machado Carolina Lustoza Dantas Charlimar Ferreira Santos Rabelo Cláudio Boros Igor Guevara Loyola de Souza José Carlos Gomes Torquato Laísa Alves Tomais Paulo Torquato Normalização Bibliográfica Brasil. EMBRATUR Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI / EMBRATUR, Diretoria Administrativa e Finanças ed., rev. - Brasília: EMBRATUR, xxx p.: il. 1. Planejamento governamental. 2. Administração pública. I. Título. CDU EMBRATUR 4

5 Histórico de Alterações Data Versão Descrição Autor 30/04/ Versão apresentada para aprovação 13/05/ Versão aprovada para apresentação ao Comitê Gestor de TIC da EMBRATUR Equipe Embratur e Equipe da TS Consultoria Equipe Embratur e Equipe da TS Consultoria EMBRATUR 5

6 Sumário 1. Apresentação Objetivo Abrangência Período de Vigência Período de Revisão Introdução Termos e Abreviações Metodologia Aplicada Documentos de Referência Diretrizes Organização da TI Referencial Estratégico de TI Missão Visão Valores Objetivos Estratégico Análise de SWOT Alinhamento com a Estratégia da Organização Inventário de Necessidades Critérios de Priorização Necessidades Identificadas Plano de Metas e de Ações Plano de Metas Plano de Ações Plano de Gestão de Pessoas Plano de Investimentos Plano de Gestão de Riscos Proposta Orçamentária de TIC Processo de Revisão do PDTI EMBRATUR 6

7 17. Fatores Críticos para a Implantação Conclusão Anexos Situação Atual da Governança e Gestão de TI Inventário: Hardwares, Softwares, Redes, Serviços, e Sistemas Inventário de Hardware Inventário de Software de Infra Inventário de Licenças de Software Inventário de Equipamentos de Rede e Telefonia Inventário de Serviços de Telefonia e Internet Inventário de Sistemas Corporativos Inventário de Domínios Inventário de Contratos de TIC em vigência ou garantia Inventário de Serviços de TIC Descrição da Arquitetura Tecnológica Diagnóstico Executivo Plano de Ações do PDTI 2015/ EMBRATUR 7

8 1. Apresentação 1.1 Objetivo O propósito deste documento é apresentar o PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação da EMBRATUR, de forma estruturada, de acordo com os normativos do Governo Federal, alinhado ao PEI Plano Estratégico Institucional, como natural desdobramento do PETI - Planejamento Estratégico de TI, cujo objetivo maior é colocar em prática ações e metas priorizadas, para os próximos dois anos, de forma a que as metas e objetivos da TIC estejam alinhados aos objetivos do negócio da EMBRATUR. Citando a Instrução Normativa nº 4/2014, artigo 2º, inciso XXVII, um PDTI é um: instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade para um determinado período. Assim, este instrumento de planejamento orienta as ações e investimentos de TIC do órgão, visando alinhá-lo com os objetivos do negócio ou Instituição. Este trabalho é fruto de um processo participativo com a colaboração conjunta de servidores da TIC da EMBRATUR, orientado pela empresa contratada para este fim. O presente PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação da EMBRATUR, baseado no Modelo de Referência do PDTI do SISP (item 6.10 do Guia de Elaboração do PDTI do SISP, de 2012) está organizado da seguinte forma, em seu conteúdo: EMBRATUR 8

9 Capítulo 1 Apresentação Capítulo 2 Introdução Capítulo 3 Termos e Abreviações Capítulo 4 Metodologia Aplicada Capítulo 5 Documentos de Referência Capítulo 6 Diretrizes Capítulo 7 Organização da TI Capítulo 8 Referencial Estratégico de TI Capítulo 9 Alinhamento com a Estratégia da Instituição Capítulo 10 Inventário de Necessidades Capítulo 11 Plano de Metas e Ações Capítulo 12 Plano de Gestão de Pessoas Capítulo 13 Plano de Investimentos Capítulo 14 Plano de Gestão de Riscos Capítulo 15 Proposta Orçamentária de TI Capítulo 16 Processo de Revisão do PDTI Capítulo 17 Fatores Críticos para Implantação Capítulo 18 Conclusão Capítulo 19 Anexos 1.2 Abrangência A abrangência deste PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação alcança todas as Diretorias e Coordenações da EMBRATUR por constituir o Plano Tático para a execução das ações de TIC na Instituição, englobando toda e qualquer política, diretrizes, estratégia, iniciativas que digam respeito à Tecnologia da Informação e Comunicação da EMBRATUR. EMBRATUR 9

10 1.3 Período de Vigência O PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação terá vigência durante o período de 2015 e no ano de 2016, permitindo revisões quadrimestrais, ou sempre que se fizer necessário, segundo as orientações do Comitê Gestor de TIC da EMBRATUR. 1.4 Período de Revisão O PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação poderá ser revisto a cada quatro meses, a partir de sua publicação, de forma a sempre refletir as reais necessidades da Instituição, seu alinhamento com o negócio, e sua adequação ao processo orçamentário da Instituição, segundo as orientações do Comitê Gestor de TIC da EMBRATUR. De acordo com o Guia de Elaboração do PDTI do SISP, processo 1.1, temos que: O PDTI não é um documento imutável: ao longo do período de validade, deve ser revisto e atualizado para atender às necessidades e estratégias organizacionais. Ou seja, ainda que o PDTI possa alcançar dois ou mais anos, deve ocorrer um processo de revisão, pelo menos anualmente, de modo a atualizar diretrizes, planos e, principalmente, consolidar a proposta orçamentária de TI para o exercício seguinte. EMBRATUR 10

11 2. Introdução A EMBRATUR INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO como uma autarquia especial do Ministério do Turismo responsável pela execução do Plano Aquarela - Plano de Marketing Turístico Internacional do Brasil, no que diz respeito à promoção, marketing e apoio a comercialização dos destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no mercado internacional, é cada vez mais dependente das questões relacionadas à TIC para alcançar sua missão institucional. De fato, balizados pelo Plano Nacional de Turismo, a EMBRATUR tem o Plano Aquarela como orientador de seus programas de ação, cuja divulgação promove a cultura brasileira com meta de ampliar o fluxo turístico internacional nos destinos nacionais, e assim contribuir para a balança comercial e a geração de desenvolvimento social e econômico para o país. Num mundo cada vez mais conectado, e dependente de informações, que tem utilizado a Internet como instrumento de trabalho diário, a EMBRATUR necessita da evolução de seus aplicativos e sistemas, do desenvolvimento e aquisição de novas ferramentas, para alcançar seus diversificados públicos alvo e promover destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no mercado internacional, de forma competitiva, eficiente e eficaz. Para que a Tecnologia da Informação e Comunicação esteja sempre alinhada, promovendo e apoiando o crescimento das atividades fins da EMBRATUR, fez-se necessário a busca da ampliação do modelo tecnológico atual, no sentido de responder às demandas mercadológicas, e adicionalmente, aderir às orientações dos órgãos de controle, aos normativos do Governo Federal, bem como aos mais modernos moldes de Gestão e Governança de TIC existentes no mercado. EMBRATUR 11

12 Enfatiza-se que, segundo a IN 04/2014, da SLTI no seu Art. 4º As contratações de que trata esta IN deverão ser precedidas de planejamento elaborado em harmonia com o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI. Ou seja, o PDTI é um instrumento orientador e balizador das contratações de TIC do órgão. Adicionalmente, no seu Art. 11, a mesma IN 04/2014, cita que a fase de Planejamento da Contratação terá início com o recebimento pela Área de Tecnologia da Informação do Documento de Oficialização da Demanda - DOD, a cargo da Área Requisitante da Solução, para instituição da Equipe de Planejamento da Contratação, que conterá no mínimo: I - necessidade da contratação, considerando os objetivos estratégicos e as necessidades corporativas da instituição, bem como o seu alinhamento ao PDTI. Ou seja, a necessidade de contratação deve necessariamente considerar os objetivos estratégicos e as necessidades corporativas da Instituição, donde a importância, de se elaborar, no caso da EMBRATUR, o PETI e o PDTI. Aprovado através da Portaria nº 26, de 20 de março de 2015, o PETI Plano Estratégico de Tecnologia da Informação da EMBRATUR é instrumento norteador das orientações estratégicas de TIC para o horizonte O PETI foi resultado de um processo participativo com a colaboração conjunta de servidores representando todas as Diretorias e Coordenações da Instituição, ou seja, envolvendo a TI e os usuários da TI. Alinhado com o PETI, respondendo às demandas do negócio da Instituição, o PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação surge como instrumento de planejamento tático para balizar e planejar as ações de curto e médio prazos, envolvendo a TIC, com horizonte temporal de 2 anos 2015/2016. EMBRATUR 12

13 3. Termos e Abreviações Como forma de facilitar a leitura do PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação, apresentamos os principais termos e abreviações utilizadas neste instrumento. Lista de Termos e Abreviações Sigla Descrição ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas ANS Acordo de Nível de Serviço ASGOV Assessoria de Governança Corporativa AUDIT Auditoria Interna BSC Balanced Scorecard CGAD Coordenação Geral de Administração CAU Central de Atendimento ao Usuário CGEP Coordenação Geral de Acompanhamento e Estruturação de Produtos CGMA Coordenação Geral de Mercado Americano CGME Coordenação Geral dos Mercados Europa, Ásia, África CGNI Coordenação Geral de Congressos, Negócios e Incentivos CGTI Comitê Gestor de Tecnologia da Informação da EMBRATUR CGU Controladoria Geral da União COBIT Control Objectives for Information and Related Technology EMBRATUR 13

14 Lista de Termos e Abreviações Sigla Descrição CTEC Coordenação de Suporte Tecnológico DAFIN Diretoria de Administração e Finanças DGP Divisão de Gestão de Pessoas DMARK Diretoria de Marketing DMINT Diretoria de Mercados Internacionais DMP Divisão de Material e Patrimônio DPROD Diretoria de Produtos e Destinos EBTs Escritórios Brasileiros de Turismo EGP Escritório de Gestão de Projetos EGTIC Estratégia Geral de Tecnologia da Informação e Comunicação E-Mag Modelo de Acessibilidade de Governo Eletrônico E-Ping Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico GABIN Gabinete da Presidência IN Instrução Normativa ITIL Information Technology Infrastructure Library MPOG Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação PEI Planejamento Estratégico Institucional PETI Plano Estratégico de Tecnologia da Informação EMBRATUR 14

15 Lista de Termos e Abreviações Sigla Descrição PMI Project Management Institute PPA Plano Plurianual PRESI Presidência PROFE Procuradoria Federal RAE Reunião de Análise da Estratégia SISP Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática SLTI/MP Sistema de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento TCU Tribunal de Contas da União TIC Tecnologia da Informação e Comunicação SWOT Acrónimo de Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats). Tabela n 01 Abreviações utilizadas no PDTI da EMBRATUR. EMBRATUR 15

16 4. Metodologia Aplicada A metodologia aplicada para a construção do PDTI da EMBRATUR seguiu as orientações do Guia de Elaboração do PDTI do SISP, de 2012, adaptado às condições do ambiente organizacional da Instituição (endereço: C3%A3o_de_PDTI_v1.0_-_versao_digital_com_capa.pdf). Esta orientação metodológica segue a IN 04/2014, que reza no Art. 4º 2º Inexistindo o PDTI, o órgão ou entidade deverá proceder à sua elaboração, observando, no que couber, o Guia de Elaboração de PDTI do SISP, acessível no Portal do SISP. Segundo este Guia, o PDTI demonstra de forma tática como a organização, no que se refere à Tecnologia da Informação, pode realizar a transição de uma situação atual para uma situação futura, a partir da definição de um plano de metas e ações. (...) O PDTI deve definir indicadores, em conformidade com os objetivos estratégicos da TI, e conter o planejamento de investimentos necessários, proposta orçamentária, quantitativo e capacitação de pessoas e identificação e tratamento de riscos relacionados à TI. A figura n 01 representa as relações entre os diversos instrumentos e níveis de Planejamento, a saber: PEI, PETI e PDTI. EMBRATUR 16

17 Figura n 01 Relação entre os Níveis e Instrumentos de Planejamento Fonte: PETI do MPOG Todo o documento PDTI foi elaborado com inspiração nas boas práticas de mercado, e tem como referência os normativos, a legislação, as documentações, e recomendações listadas no capítulo 5, deste PDTI. A figura n 02 resume as fases de elaboração do PDTI, minuciosamente descritas no Guia de Elaboração do PDTI do SISP, versão 1.0 de Figura n 02 Fases de Elaboração do PDTI, segundo Guia do SISP. Assim, as fases que compõem o processo de elaboração do PDTI são: EMBRATUR 17

18 Preparação Diagnóstico Planejamento Segundo o Guia de Elaboração do PDTI do SISP, Para cada fase, são apresentados os processos que as integram. Cada processo indica o objetivo de sua execução, as atividades que o compõem, o responsável e os possíveis artefatos utilizados como entrada e gerados como saída do processo. Não é objetivo deste PDTI da EMBRATUR, descrever estes processos para cada uma destas fases, no entanto, apenas para referencia e ilustração, reproduziremos a seguir (figuras n 03, 04 e n 05) um resumo do fluxo destes processos, na notação BPMN Business Process Modeling Notation, adotada pela e-ping como padrão para modelagem de processos (vide consulta mais detalhada em: constante no Guia de Elaboração do PDTI do SISP. Esta é a primeira vez que a EMBRATUR elabora e publica oficialmente um PDTI. Houve, anteriormente, projetos de realização do PDTI que não foram oficializados. Desta forma não há como considerar resultados associados a PDTI anteriores, conforme solicita a metodologia do SISP, sugerindo um capítulo específico para este fim. As técnicas utilizadas no decorrer do processo de elaboração do PDTI, foram iniciadas com a construção coletiva do PETI, através de diversas oficinas de trabalho, onde foram levantadas informações pertinentes com a metodologia, posteriormente complementadas durante a elaboração do PDTI, com entrevistas, reuniões de trabalho, e análises documentais. EMBRATUR 18

19 A metodologia aplicada ainda considerou as últimas orientações normativas referentes ao PDTI constante na nova redação dada pela Instrução Normativa n 02 de 12 de janeiro de 2015, da SLTI, a saber: 1. Art. 3º - Em consonância com o art. 4º do Decreto nº 7.579, de 2011, o órgão central do SISP elaborará, em conjunto com os órgãos setoriais e seccionais do SISP, a Estratégia Geral de Tecnologia da Informação e Comunicação - EGTIC para a Administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo Federal, revisada e publicada anualmente, para servir de subsídio à elaboração dos PDTI pelos órgãos e entidades integrantes do SISP; 2. Art. 4º 1º - O PDTI deverá estar alinhado à EGTIC e ao plano estratégico institucional e aprovado pelo Comitê de Tecnologia da Informação do órgão ou entidade; 3. Art. 4º 2º - Inexistindo o PDTI, o órgão ou entidade deverá proceder à sua elaboração, observando, no que couber, o Guia de Elaboração de PDTI do SISP, acessível no Portal do SISP; 4. Art. 4º 3º - Inexistindo o plano estratégico institucional, sua ausência deverá ser registrada no PDTI e deverá ser utilizado um documento equivalente, como o Plano Plurianual - PPA. EMBRATUR 19

20 Figura n 03 Fluxo de Processos da Fase I PREPARAÇÃO, segundo Guia do SISP. EMBRATUR 20

21 Os processos que compõem a Fase 1 - Preparação são: 1.1 Definir a abrangência e o período do PDTI; 1.2 Definir a equipe de elaboração do PDTI; 1.3 Descrever a metodologia de elaboração do PDTI; 1.4 Identificar e reunir os documentos de referência; 1.5 Identificar Estratégias da Organização; 1.6 Identificar princípios e diretrizes; 1.7 Elaborar o plano de trabalho do PDTI (PT-PDTI); 1.8 Aprovar o plano de trabalho do PDTI (preliminar); 1.9 Aprovar o plano de trabalho do PDTI (final). EMBRATUR 21

22 Figura n 04 Fluxo de Processos da Fase II DIAGNÓSTICO, segundo Guia do SISP. EMBRATUR 22

23 Os processos que compõem a fase II - Diagnóstico são: 2.1 Avaliar os resultados Planejamento de TI anterior; 2.2 Aprovar o Relatório de Resultados do Planejamento de TI anterior; 2.3 Analisar o Referencial Estratégico da área de TI; 2.4 Analisar a Organização da TI; 2.5 Realizar Análise SWOT da TI; 2.6 Identificar Necessidades de Informação; 2.7 Identificar Necessidades de Serviços de TI; 2.8 Identificar Necessidades de Infraestrutura de TI; 2.9 Identificar Necessidades de Contratação de TI; 2.10 Identificar Necessidades de Pessoal de TI; 2.11 Consolidar o Inventário de necessidades; 2.12 Alinhar as Necessidades de TI às Estratégias da Organização; 2.13 Aprovar o Inventário de Necessidades. EMBRATUR 23

24 Figura n 05 Fluxo de Processos da Fase III PLANEJAMENTO, segundo Guia do SISP. EMBRATUR 24

25 Os processos que compõem a fase de planejamento são: 3.1 Atualizar critérios de priorização; 3.2 Priorizar as necessidades inventariadas; 3.3 Definir metas e ações; 3.4 Planejar a execução das ações; 3.5 Planejar ações de pessoal; 3.6 Planejar Investimentos e Custeio; 3.7 Consolidar a Proposta Orçamentária da TI; 3.8 Aprovar os Planos Específicos; 3.9 Atualizar critérios de aceitação de riscos; 3.10 Planejar o gerenciamento de riscos; 3.11 Identificar os fatores críticos para a implantação do PDTI; 3.12 Consolidar a Minuta do PDTI; 3.13 Aprovar a Minuta do PDTI; 3.14 Publicar o PDTI. EMBRATUR 25

26 5. Documentos de Referência O PDTI da EMBRATUR se baseou em práticas de mercados vigentes, e tem como referência os normativos, a legislação, os documentos, e as recomendações a seguir citadas: 1. Acórdão nº 1603/2008 TCU Plenário Dispõe sobre a situação da governança de tecnologia da informação na Administração Pública Federal e estabelece uma séria de recomendações, mais especificamente a exigência de PETI, PDTI, PEI e mecanismos para assegurar a sua execução; 2. Acórdão nº 2308/2010 TCU Plenário Recomendação para que os governantes superiores da Administração Pública Federal orientem as unidades sob sua jurisdição sobre a necessidade de estabelecerem formalmente objetivos institucionais, indicadores e metas de TI alinhados às estratégias de negócio e estruturem, normatizem e acompanhem formalmente o desempenho de TI da instituição; 3. Acórdão nº 1233/2012 TCU Plenário Trata-se de relatório consolidado das ações do TMS 6/2010, cujo objeto foi avaliar se a gestão e o uso da tecnologia da informação estão de acordo com a legislação e aderentes às boas práticas relativas à governança de TI, com diversas recomendações do Tribunal de Contas da União TCU; 4. Acórdão nº 2.585/2012 TCU Plenário Dispõe sobre a divulgação dos resultados do novo levantamento do TCU referente à situação de Governança de Tecnologia da Informação no âmbito da Administração Pública Federal; 5. DOU de , S. 1, p. 115 Recomenda a Secretaria de Logística e Tecnologia de Informação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (SLTI-MP) para que reforce a divulgação, entre os EMBRATUR 26

27 órgãos e entidades da Administração Publica Federal sob sua jurisdição, dos entendimentos contidos na IN/SLTI-MP nº 4/2010, que determina que o pagamento por serviços TI será efetuado em função dos resultados obtidos, e nos itens e do Acórdão n 669/ Plenário e item do Acórdão n 2.471/ Plenário, que estabelecem que as contratações de serviços de TI devem ter a remuneração vinculada a resultados ou ao atendimento de níveis de serviço (item 9.1.2, TC /2009-0, Acórdão n 1.515/ Plenário); 6. Portaria SLTI n 11/2008 Aprova a Estratégia Geral de Tecnologia da Informação EGTI - no âmbito do Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática SISP na versão 2008; 7. Guia de Elaboração do PDTI do SISP Versão 1.0 / Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação. - Brasília : MP/SLTI, 2012; 8. Estratégia Geral de Tecnologia da Informação EGTI do SISP : versão 1.0 / Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação. - Brasília : MP/SLTI, 2012; 9. ABNT NBR ISO/IEC-38500:2009 Norma Brasileira que estabelece princípios para orientar os dirigentes das organizações sobre o uso eficaz, eficiente e aceitável da Tecnologia da Informação (TI) em suas organizações; 10. ISACA. CobiT 4.1 Sobre Modelo, Objetivos de Controle, Diretrizes de Gerenciamento e Modelos de Maturidade em Governança de TIC. O ITGI IT Governance Institute elaborou e criou esta publicação; 11. ISACA. COBIT 5 A Business Framework for the Governance and Management of Enterprise IT). Rolling Meadows, 2012; 12. Norma Complementar n 11/IN01/DSIC/GSI-PR Dispõe sobre o estabelecimento de diretrizes para avaliação de conformidade nos aspectos relativos à Segurança da Informação e Comunicações (SIC) nos EMBRATUR 27

28 órgãos ou entidades da Administração Pública Federal, direta e indireta APF; 13. Informações da Comunidade TI Controle (vide nota 1); 14. Nota Técnica nº 1/2014/TI CONTROLE Dispõe sobre Regime de sobreaviso. Administração Pública Federal. Essencialidade dos Ativos de Informação. Garantia de continuidade de funcionamento ininterrupto. Suporte técnico tempestivo realizado por servidores. Necessidade de regulamentação. 15. Portaria nº 2, 16 de março 2010, da SLTI/MP Dispõe sobre as especificações padrão de bens de Tecnologia da Informação no Âmbito da administração federal direta, autárquica e fundacional e dá outras providencias; 16. Instrução Normativa SLTI nº 4/2010 e 2014 Dispõe sobre o processo de contratação de Soluções de Tecnologia da Informação pelos órgãos integrantes do Sistema de Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Informática (SISP) do Poder Executivo Federal; 17. Decreto n 7.174/10 Regulamenta a contratação de bens e serviços de informática e automação pela administração pública federal, direta ou indireta, pelas fundações instituídas ou mantidas pelo Poder Público e pelas demais organizações sob o controle direto ou indireto da União; 18. Lei nº 8.666/1993 Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências; 19. Lei nº /2002 Institui, no âmbito da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, nos termos do art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, modalidade de licitação denominada pregão, para aquisição de bens e serviços comuns, e dá outras providências; 20. Decreto n 5.450/05 Regulamenta o pregão, na forma eletrônica, para aquisição de bens e serviços comuns, e dá outras providências; EMBRATUR 28

29 21. Instrução Normativa SLTI/MP n 01/2010 e Portaria MTur n 181 de 26 de abril de 2012 Trata sobre os critérios de sustentabilidade ambiental a serem observados nas contratações de serviços pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional e pelo Ministério do Turismo, respectivamente; 22. Decreto nº 2.271/1997 Dispõe sobre a contratação de serviços pela Administração Pública e especifica que as atividades materiais acessórias, inclusive as de informática, serão, de preferência, objeto de execução indireta; 23. Decreto n 7892/2013 Dispõe sobre a regulamentação ao Sistema de Registro de Preços, em substituição ao Decreto nº 3.931/01; 24. Instrução Normativa SLTI/MP nº 2/2008 Dispõe sobre regras e diretrizes para contratação de serviços continuados ou não. Essa norma aplica-se subsidiariamente à IN/SLTI 4/2008; 25. Instrução Normativa SLTI/MP nº 2/2012 Altera a IN SLTI/MP n 04/2010; 26. Instrução Normativa SLTI/MP nº 2/2015 Altera a IN SLTI/MP n 04/2014; 27. Instrução Normativa SLTI/MP nº 03/2009 Altera a IN SLTI/MP n 02/2008; 28. Instrução Normativa SLTI/MP nº 05/2014 Dispõe sobre os procedimentos administrativos básicos para a realização de pesquisa de preços para a aquisição de bens e contratação de serviços em geral; 29. Instrução Normativa SLTI/MP nº 07/2014 Altera a IN SLTI/MP n 05/2014; 30. Lei nº , de 17 de setembro de 2008 Dispõe sobre a Política Nacional de Turismo e define as atribuições do Governo Federal no planejamento, desenvolvimento e estímulo ao setor turístico; 31. Plano Nacional do Turismo O Turismo fazendo muito mais pelo Brasil -Ministério do Turismo; EMBRATUR 29

30 32. Modelo de Gestão - PPA BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos; 33. Modelo de Gestão - PPA BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos; 34. Plano Aquarela 2020 Marketing Turístico Internacional do Brasil Ministério do Turismo; 35. Planejamento do Turismo em Âmbito Federal: uma análise dos instrumentos utilizados e dos investimentos no setor Clara C. Lemos - Rev. Adm. Pública vol.47 no.6 Rio de Janeiro Nov./Dec Regimento Interno da EMBRATUR revisão de junho/2011. Nota 1: Sobre a TI Controle - Comunidade de Gestores de Tecnologia da Informação Aplicada ao Controle da Gestão Pública, instituída em abril de 2006, que reúne representantes do TCU, da CGU, da Secretaria Especial de Informática do Senado Federal - Prodasen, da Procuradoria-Geral da República - PGR, do Ministério da Justiça - MJ, da Câmara de Deputados e do Supremo Tribunal Federal - STF. EMBRATUR 30

31 6. Diretrizes As diretrizes que nortearam o PDTI da EMBRATUR se basearam nas próprias diretrizes oriundas da Estratégia Geral de Tecnologia da Informação EGTIC do SISP , escolhidas por estarem alinhadas com as orientações e pensamento estratégico do Comitê Gestor de Tecnologia da Informação da Instituição. Adicionalmente, as diretrizes do PDTI da EMBRATUR também estão alinhadas com as orientações do Plano Aquarela 2020, assim como com as diretrizes do Ministério do Turismo que impactam os desafios do turismo internacional, constantes no Plano Nacional do Turismo , por expressarem orientações do negócio que impactam as questões de TIC. São elas: 1. Potencializar o relacionamento e a interação entre a EMBRATUR e seus diversos públicos, através da TIC. Conforme dito na EGTIC, O Estado deve atender às demandas da sociedade, disponibilizando serviços públicos de qualidade além de ofertá-los de maneira mais democrática, acessível, simples de usar e transparente, usando a Tecnologia da Informação e Comunicações como instrumento para alcance desses objetivos. O Plano Aquarela 2020 na página 45, em relação ao alinhamento de ações, orienta que A promoção internacional envolve diversos atores, várias políticas públicas e parceiros da iniciativa privada necessários para enfrentar o desafio de comunicação do país como destino turístico na próxima década. Para isso, o alinhamento de políticas, ações e planejamentos será essencial para garantir resultados. EMBRATUR 31

32 O próprio PNT ressalta que: a formulação e o planejamento de políticas públicas devem ter como pressuposto a obtenção de resultados efetivos que se estendam a toda a sociedade. Neste sentido, o relacionamento e a interação da Instituição com seus públicos e a sociedade é fundamental. A EMBRATUR entende que os projetos e ações do PDTI devem facilitar o relacionamento e a interação com seus públicos alvo, visando a obtenção de resultados. 2. Utilizar as mídias sociais e instrumentos multicanais como veículo de comunicação alinhados com a Estratégia da Instituição. A EGTIC enfatiza que: Tendo em vista que as mídias sociais são veículos de comunicação nos quais o Estado consegue alcançar o grande público de maneira ampla e ágil, sua utilização deve ser coerente com as políticas públicas e deve estar alinhada às diretrizes dos órgãos responsáveis pela comunicação do Estado com a sociedade, e em última instância alinhada à identidade digital de governo e às diretrizes da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom/PR). Neste sentido, um dos Eixos de Atuação do Plano Aquarela 2020 é Atualizar a imagem que o mundo tem do país. Os estrangeiros que já visitaram o Brasil têm opinião sobre o país bastante diversa daquela imagem que têm aqueles que não nos visitaram. Por isso, em um período em que os olhos do mundo se voltam para o país, com a grande exposição na mídia durante os quatro anos em que se realizarão os dois EMBRATUR 32

33 megaeventos esportivos, é fundamental promover uma mudança de percepção das pessoas de todos os cantos do planeta sobre o país, seu povo, sua economia, seus produtos e seu papel no cenário internacional. Otimizar informações, melhorar canais de comunicação com a imprensa, utilizar a internet e seus infinitos recursos serão atividades agregadas às campanhas de publicidade e às ações de relações públicas a partir de A EMBRATUR entende como essencial, na sua estratégia de comunicação com a sociedade e seus públicos alvo, a utilização das mídias sociais, e instrumentos de diálogo com facilidades multicanais, usufruindo da potencialidade da Internet de forma a amplificar o alcance e fixação de suas mensagens e estratégias. 3. Facilitar o acesso ao conhecimento e à informação por meio do uso de tecnologias e ferramentas inovadoras. Conforme a EGTIC: A TIC é catalisadora de soluções inovadoras em diversos setores da sociedade e também nos órgãos de governo. Os órgãos do SISP, por meio do estreitamento da sua relação interna com as áreas finalísticas do governo, devem buscar soluções não triviais e criativas para a resolução de problemas existentes, para a melhoria de processos, para a melhor prestação de serviços públicos e para a implementação de programas e projetos de governo, utilizando-se dos diversos meios e ferramentas disponíveis. Adicionalmente, as orientações do PNT enfatizam na diretriz - Incentivo à inovação e ao conhecimento: Inovar é uma ação primordial para o avanço da competitividade nos diversos segmentos econômicos e se aplica a toda a cadeia EMBRATUR 33

34 produtiva. O ambiente tecnológico atualmente vivenciado em todo o mundo, as facilidades de acesso à informação e a disputa internacional pela atenção e preferência do turista têm transformado o setor e a forma de interação dos seus diversos atores.. E continua: O Ministério do Turismo reconhece a importância da inovação para o crescimento do turismo e entende que é preciso fomentá-la em todas as ações empreendidas pelos atores do setor, seja (...) no uso de tecnologias e ferramentas inovadoras para a promoção dos destinos, na formatação de meios alternativos de interação e contato com os turistas, seja em pesquisa, produção de conhecimento e compreensão dos comportamentos dos mercados. A EMBRATUR entende que, num mundo cada vez mais interconectado, a experiência virtual amplia o acesso ao conhecimento e à informação. Para tanto, os projetos e ações de TIC devem privilegiar as questões relacionadas à navegabilidade, usabilidade, velocidade de processamento envolvendo imagens e sons, como forma de conquistar seus públicos, oferecendo conteúdo informativo relacionado aos propósitos institucionais da EMBRATUR. 4. Alinhar a TIC aos programas e projetos estratégicos do Governo Federal e da EMBRATUR. De acordo com a EGTIC, A gestão estratégica das TIC amplia a capacidade de execução e monitoramento dos programas de governo, viabilizando a transparência na aplicação dos recursos e na obtenção de resultados para a sociedade. EMBRATUR 34

35 A própria missão contida no Mapa da EGTIC explicita esta questão: Fortalecer as políticas públicas por meio da gestão estratégica de recursos da Tecnologia da Informação e Comunicação. Um dos Eixos de Atuação do Plano Aquarela 2020 diz respeito ao Planejar e monitorar as ações, parcerias, resultados e novos desafios que surgirão de 2010 até 2020, para que o marketing turístico do Brasil tenha resultados efetivos nos objetivos de tornar o país mais conhecido, mais visitado pelos estrangeiros e garantir que o turismo seja uma atividade econômica cada vez mais importante para a geração de divisas e empregos. O PDTI da EMBRATUR tem como diretriz estar alinhado com as diretrizes e programas governamentais, como forma de executar as políticas públicas contidas nos seus diversos instrumentos e orientações normativas. Em particular, alinhase na execução de instrumentos e ações que facilitem o trabalho de Gestão e Governança de TIC, por entender que o foco estratégico, o planejamento da execução e o monitoramento dos projetos e ações, aumentam a efetividade e a transparência na aplicação dos recursos públicos e consequente obtenção de resultados. EMBRATUR 35

36 7. Organização da TI A TIC da EMBRATUR encontra-se organizada na CTEC Coordenação de Suporte Tecnológico ligada hierarquicamente à DAFIN Diretoria de Administração e Finanças que responde à Presidência da Instituição. Além da DAFIN a EMBRATUR conta com três outras Diretorias, a DPROD Diretoria de Produtos e Destinos, a DMARK Diretoria de Marketing, e a DMINT Diretoria de Mercados Internacionais. Vide na figura n 06, o Organograma da Instituição segundo o Decreto n 6916 e o Regimento Interno atualizado em 20 de março de 2012, e na figura n 07, o Organograma da TIC da EMBRATUR. EMBRATUR 36

37 Figura n 06 Organograma da EMBRATUR EMBRATUR 37

38 Organograma da TIC da EMBRATUR ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DA COORDENAÇÃO DE SUPORTE TECNOLÓGICO Coordenação de Suporte Tecnológico Divisão de Suporte à Infraestrutura Divisão de Suporte a Desenvolvimento de Sistemas Figura n 07 Organograma da TIC da EMBRATUR Atribuição da TI As atribuições da Coordenação de Suporte Tecnológico - CTEC estão descritas no Regimento Interno da EMBRATUR, versão 2011, a seguir transcritas: Art. 41. Compete à Coordenação de Suporte Tecnológico - CTEC: I - planejar, coordenar, acompanhar, orientar e avaliar as atividades relacionadas à Governança de Tecnologia da Informação e sua interação com entidades externas, seguindo as diretrizes do órgão central do Governo Federal; II - coordenar os processos relativos à gestão de recursos de tecnologia da informação; EMBRATUR 38

39 III - propor planos e projetos referentes ao planejamento, implementação e manutenção de recursos de informática, informação e comunicação; IV - elaborar estudos, visando à implantação de padrões de qualidade e funcionalidade visando à melhoria contínua dos serviços executados no ambiente tecnológico; e V - coordenar a Central Atendimento ao Usuário. Art. 42. Compete à Divisão de Suporte a Desenvolvimento de Sistemas - DSS: I - desenvolver, implementar e supervisionar as atividades de Tecnologia da Informação, relativas ao desenvolvimento e manutenção de sistemas; II - levantar necessidades, projetar e manter os sistemas coorporativos; III - analisar e definir hardware e software para os aplicativos; IV - estabelecer as técnicas e metodologias a serem utilizadas no desenvolvimento de novos sistemas; V - promover o treinamento dos usuários dos sistemas coorporativos; VI - elaborar e manter manuais de documentação de sistemas; e VII - dimensionar e avaliar o impacto operacional decorrente da implantação de sistemas na rede. Art. 43. Compete à Divisão de Suporte à Infraestrutura - DSI: I - operar e manter em funcionamento o parque computacional e demais equipamentos; II - administrar o funcionamento da rede local e remota de computadores; III - criar, adotar e gerenciar os procedimentos de segurança lógica e física; EMBRATUR 39

40 IV - administrar os sistemas gerenciadores de banco de dados, bem como a integração dos sistemas corporativos; V - promover a habilitação ao acesso dos usuários às diversas redes e sistemas de informações; VI - administrar os serviços de internet e intranet na interação com usuários externos e internos; VII - propor normas, gerenciamentos e padrões de desenvolvimento de Banco de Dados e projetos de Tecnologia da Informação e Comunicação; VIII - orientar e controlar a execução dos serviços gráficos, de reprografia e impressão; e IX - elaborar, propor e executar processos de aquisição de equipamentos e contratação de serviços, em consonância com o PDTI. A CTEC tem como responsável o gestor que ocupa o cargo de Coordenador de Suporte Tecnológico, e dois gestores à frente da Divisão de Suporte a Desenvolvimento de Sistemas DSS, e da Divisão de Suporte à Infraestrutura DSI. EMBRATUR 40

41 Recursos Humanos de TIC Referindo-nos ao Relatório de Gestão da EMBRATUR do ano de 2013 (visto que o referente ao ano de 2014 encontra-se em aprovação final) temos que a Estrutura de Pessoal da Instituição como um todo, contava com um quadro de 172 servidores, sendo 125 servidores em cargos efetivos e 47 servidores sem vínculo com a Administração Pública DAS (Quadro A.21 Força de Trabalho, p. 259). Adicionalmente, o Relatório contabiliza um total de 49 estagiários (Quadro A.34, p. 268) no quarto trimestre de Este total soma 221 colaboradores. Atualmente, com dados do SIAPE do mês de março/2015, a EMBRATUR conta com um montante de 123 servidores em cargos efetivos e 48 servidores DAS, totalizando 171 servidores. Conta também 42 estagiários, totalizando 213 colaboradores. Some-se a este montante 33 terceirizados (contratos de mão de obra) e 88 prestadores de serviços que utilizam a estrutura da EMBRATUR. Assim, temos um total de 334 potenciais usuários dos serviços de TIC (apenas internamente). A CTEC tinha no final de 2014, um total de seis servidores da casa, sendo dois deles DAS e quatro servidores efetivos, com um deles afastado por licença. Adiciona-se a este número 02 estagiários, 10 prestadores de serviço e 05 terceirizados (pertencente ao contrato de serviços da fábrica de software). Ou seja, um montante total de 22 colaboradores, sendo que apenas 04 servidores efetivos da EMBRATUR. Tais informações tem como fonte a DGP Divisão de Gestão de Pessoas. Importante ressaltar que dois dos servidores efetivos são os mais antigos na área que juntamente com a atual Coordenadora da CTEC são detentores do conhecimento na TIC da EMBRATUR. Estes servidores efetivos estão relativamente próximos à aposentadoria, o que demanda um planejamento para evitar soluções de continuidade que venham a prejudicar a gestão e governança da TIC, com eventuais riscos para o negócio. EMBRATUR 41

42 Importante enfatizar que a CTEC e a DAFIN, assim como a presidência da EMBRATUR tem sistematicamente tomado providências no sentido de solicitar aos órgãos competentes ações para sanar esta situação de provimento de pessoal de TIC. Sugerimos consultar os documentos anexados (Anexo VI) ao recente PETI. A situação acima pode se tornar um importante risco caso não seja aprovado a solicitação referente à realização de concurso público constante no Aviso n 66/2014/GM/MTUR de 09/09/2014 e Ofício n 051/2014 DAFIN de 08/10/2014 de forma a preencher as vagas de movimentações de pessoal de TIC da EMBRATUR. EMBRATUR 42

43 8. Referencial Estratégico de TI 8.1 Missão Missão da TIC da EMBRATUR Significado: Prover soluções tecnológicas eficazes para atender aos objetivos institucionais da EMBRATUR. Conforme preconizado pelas melhores práticas de mercado, a razão de ser da TIC deve estar integrada com os objetivos da Instituição. Prover soluções tecnológicas significa adquirir, desenvolver, disponibilizar, manter, integrar sistemas, soluções, infraestrutura, serviços, capazes de suportar e ampliar os processos de gestão e de negócio da EMBRATUR. O termo eficazes significa, mais amplamente, com eficiência e eficácia, ou seja, que atenda às necessidades com efetividade e adequadamente (no tempo adequado e com recursos envolvidos coerentes com o resultado a ser alcançado). 8.2 Visão Visão de Futuro da TIC da EMBRATUR Ser referência na Administração Pública pela excelência, qualidade e inovação em soluções de TIC integradas com os processos organizacionais da EMBRATUR. EMBRATUR 43

44 Significado: Ser referência na Administração Pública significa ser exemplo a ser seguido, tornar-se um padrão de excelência, qualidade e inovação. A visão de futuro sinaliza para que as soluções de TIC estejam cada vez mais integradas com os processos organizacionais da EMBRATUR. 8.3 Valores Valores da TIC da EMBRATUR Cordialidade Agilidade Ética Eficiência e Eficácia Significados: Cordialidade: Agir com educação, sinceridade, gentileza, franqueza e atenção, incentivando e valorizando um ambiente de trabalho produtivo e saudável. Agilidade: Ser ágil no atendimento das demandas, procurando responder de forma objetiva ao que está sendo solicitado, cumprindo os prazos assumidos, posicionando os clientes, quanto ao andamento dos trabalhos e soluções, no sentido de resolver pro-ativamente os trabalhos da TIC. EMBRATUR 44

45 Ética: Agir com integridade, com honestidade, com transparência, com dignidade, e com respeito na tratativa das informações e das relações interpessoais que envolvem a TIC. Eficiência e Eficácia: Significa alcançar resultados com efetividade e adequadamente nos prazos e na qualidade acordados, com utilização de recursos coerentes com os resultados alcançados. Registre-se que os valores acima listados foram escolhidos por integrantes da TIC e clientes da TIC, durante workshop de elaboração do PETI, preparatório para a elaboração do PDTI, e que eles definem o comportamento e comprometimento esperado da CTEC com o Órgão, enfatizados aqueles que facilitam a participação das pessoas na execução da missão de TIC para o alcance da visão de TIC da EMBRATUR, como por exemplo: Como tratar as áreas de negócio?, Qual a nossa responsabilidade junto ao órgão?. 8.4 Objetivos Estratégico São os seguintes os oito Objetivos Estratégicos, norteadores do PDTI, relacionados a cada tema estratégico: Perspectiva: Clientes Tema Estratégico: Excelência nos Serviços Objetivo 1: Elevar o nível de satisfação dos usuários, primando pela qualidade dos serviços prestados em TIC. ID CL01 EMBRATUR 45

46 Significado: Embora seja autoexplicativo, este objetivo visa caminhar na direção da excelência nos serviços de TIC, sempre mensurando a percepção do usuário pela satisfação dos serviços que lhe são prestados. Perspectiva: Processos Internos Tema Estratégico: Integração e Comunicação Objetivo 2: Obter maior integração com o negócio da EMBRATUR. ID PI02 Significado: Este objetivo visa caminhar na direção de se obter maior integração entre a TIC e as áreas de negócio da EMBRATUR, no sentido de que a TIC possa cada vez mais contribuir com os objetivos institucionais da EMBRATUR. Objetivo 3: Assegurar o acesso à informação e comunicação. ID PI03 Significado: Este objetivo visa assegurar que a informação e comunicação sejam acessíveis aos usuários dos diversos sistemas da EMBRATUR. Tema Estratégico: Eficiência Operacional Objetivo 4: Assegurar a continuidade e a disponibilidade dos serviços de TIC. ID PI04 Significado: Este objetivo visa assegurar que todos os serviços e sistemas relacionados à TIC estejam sempre disponíveis para os usuários e, em caso de alguma interrupção, possam ser continuados sem maiores riscos para a Instituição. Tema Estratégico: Gestão e Governança Objetivo 5: Aprimorar a gestão e a governança de TIC. ID PI05 EMBRATUR 46

47 Significado: Este objetivo visa assegurar que a TIC da EMBRATUR esteja sempre evoluindo na aplicação das melhores práticas de mercado relativas à gestão e governança de TIC. Tema Estratégico: Segurança Objetivo 6: Garantir a segurança de informações da Instituição. ID PI06 Significado: Este objetivo visa assegurar que os serviços e processos relacionados à segurança da informação da EMBRATUR estejam sempre em evolução. Perspectiva: Pessoas e Recursos Tema Estratégico: Pessoas Objetivo 7: Prover, capacitar e motivar os colaboradores de TIC. ID PR07 Significado: Este objetivo visa a evolução do quadro de servidores de TIC da EMBRATUR, tanto em número, quanto em qualificação, bem como capacitar e motivar os colaboradores da CTEC de forma a responder aos desafios estratégicos da Instituição. Tema Estratégico: Infraestrutura Objetivo 8: Garantir infraestrutura adequada às necessidades de segurança, velocidade de processamento e atualização do parque tecnológico. ID PR08 Significado: Este objetivo visa garantir constantemente a infraestrutura adequada às necessidades do Instituto, melhorando a estrutura física e tecnológica, atendimento ao público alvo e a segurança institucional. EMBRATUR 47

48 Tema Estratégico: Orçamento Objetivo 9: Obter recursos e garantir que eles sejam executados para o cumprimento dos objetivos estratégicos de TIC. ID PR09 Significado: Este objetivo visa caminhar na direção de que o PETI, seus projetos prioritários, e seus objetivos estratégicos sejam efetivamente executados com a obtenção de recursos orçamentários suficientes de modo a garantir o cumprimento dos objetivos estratégicos de TIC. Não se pode executar um PETI sem que haja disponibilidade orçamentária para este fim. EMBRATUR 48

49 8.5 Análise de SWOT Análise Interna à CTEC Esta seção identifica a análise ambiental interna da TIC da EMBRATUR, listando os fatores internos que são força à execução das estratégias organizacionais e os fatores internos nos quais a TIC apresenta pontos a melhorar, segundo análise realizada durante workshop do PETI e atualizada no PDTI. FORÇAS FRAQUEZAS 1. Central de Atendimento ao Usuário (CAU) atuante: serviço prático, eficiente e abrangente; 2. Qualificação da Equipe Técnica e de Suporte; 3. Manutenção e Segurança das informações; 4. Infraestrutura de TI organizada, com Data Center próprio; 5. Início de ações envolvendo governança e gestão de TI (ITIL, PETI, Níveis de Serviços, etc.); 6. Monitoramento tecnológico dos serviços de TIC; 7. Existência do Comitê Gestor de Tecnologia da Informação - CGTI; 8. Existência de Comitê e Política (POSIC) de Segurança da Informação e Comunicação; 9. Processo de compras de TI estruturado segundo a legislação. 1. Maturidade inicial nos domínios Monitorar/Avaliar e Planejar/Organizar do Cobit; 2. Número reduzido de servidores técnicos efetivos com dependência de serviços de terceiros; 3. Alguns sistemas tecnológicos são carentes de atualização e integração; 4. Inexistência de Portfólio de Projetos de TIC priorizados; 5. Falta capacitação e prática para gerenciamento de projetos e gestão por processos; 6. Carência de canais e sistemática de comunicação entre CTEC e os usuários sobre as ações de TIC da EMBRATUR; 7. Inexistência de plano de carreira da TIC. Tabela n 02 Forças e Fraquezas. EMBRATUR 49

50 Análise Externo à CTEC Esta seção identifica a análise ambiental externa da CTEC da EMBRATUR, listando os fatores externos que podem influenciar a execução das estratégias organizacionais, como oportunidades e como ameaças, segundo análise realizada durante workshop do PETI e atualizada no PDTI. OPORTUNIDADES AMEAÇAS 1. Preenchimento de vagas de TI via concurso específico para a área; 2. Trazer analista de TI do MPOG para compor equipe (ATIs); 3. Salto de performance em governança e gestão de TI com execução efetiva do PETI e PDTI; 4. Expansão da capacidade de apoiar a execução da missão da EMBRATUR via uso de tecnologia, com utilização de novas ferramentas tecnológicas e por meio da integração entre os sistemas existentes; 5. Utilização de monitoramento das mídias sociais, por meio de ferramentas tipo analytics, com estatísticas e análise de performance de acesso; 6. Pesquisa de preferências online em redes sociais. 1. Orçamento contingenciado, limitado e não específico para a TIC (pode gerar incertezas); 2. Não visão da TIC como área estratégica para o negócio por parte dos dirigentes; 3. Vulnerabilidade física do atual Data Center instalado na CTEC; 4. Relativa defasagem tecnológica e funcional do Sistema Aquarela; 5. Transitoriedade alta dos dirigentes do negócio; 6. Falta de integração entre as Diretorias no que se refere aos assuntos de TIC podendo gerar desalinhamento ou não integração entre os processos de negócio e as soluções de TIC. Tabela n 03 Oportunidades e Ameaças EMBRATUR 50

51 9. Alinhamento com a Estratégia da Organização Esta seção demonstra o alinhamento das estratégias de TIC da EMBRATUR, presentes no PDTI, com as principais políticas e planos governamentais, em particular com a EGTIC 2014/2015, publicada no segundo semestre de 2014, bem como com as estratégias do negócio da EMBRATUR presentes no Plano Aquarela. ALINHAMENTO COM POLÍTICAS E PLANOS GOVERNAMENTAIS Em decorrência da publicação recente da Instrução Normativa n 02 de 12 de janeiro de 2015, da SLTI, e suas últimas orientações normativas referentes ao PDTI, ressaltamos que a EGTIC Estratégia Geral de Tecnologia da Informação e Comunicação versão 2014/2015, do SISP, serviu de subsídio para a elaboração deste PDTI da EMBRATUR, de acordo com o que reza a nova redação do Art. 3º da IN 04. Em especial, demonstraremos a seguir, em consonância com o Art. 4º 1º, da nova redação da IN 04, que o PDTI da EMBRATUR encontra-se alinhado à referida EGTIC Estratégia Geral de Tecnologia da Informação e Comunicação versão 2014/2015, do SISP. Deve-se ressaltar que o modelo assumido pelo SISP para representar sua estratégia, contida no EGTIC foi o BSC Balance Score Card. Este mesmo modelo BSC foi utilizado para a representação gráfica da estratégia de TIC da EMBRATUR, documento basilar para o seu PDTI, oriunda do PETI da EMBRATUR. Reproduzimos, na figura n 08, o Mapa Estratégico do SISP, contido na página 28 da EGTIC Estratégia Geral de Tecnologia da Informação e Comunicação versão 2014/2015. EMBRATUR 51

52 Figura n 08 Mapa Estratégico do SISP EGTIC 2014/2015. Logo a seguir, reproduzimos, na figura n 09, o Mapa Estratégico e TIC da EMBRATUR, contido no capítulo 4 do PETI da EMBRATUR, versão 2015/2019. EMBRATUR 52

53 Figura n 09 Mapa Estratégico de TIC da EMBRATUR 2015/2019 EMBRATUR 53

54 A perspectiva da Aprendizagem e Crescimento - Mapa da EGTIC, encontra seu correspondente na perspectiva de Pessoas e Recursos no Mapa da EMBRATUR. Temos que dois objetivos de cada Mapa Estratégico são diretamente alinhados entre si. São Eles: 1. Aprimorar quali-quantitativamente os quadros de pessoal de gestão de TIC no Mapa da EGTIC e Prover, Capacitar e motivar os colaboradores de TIC no Mapa da EMBRATUR (servidores da área de TIC); 2. Aprimorar e institucionalizar a gestão orçamentária e financeira de TIC no Mapa da EGTIC e Obter recursos e garantir que eles sejam executados para o cumprimento dos objetivos estratégicos de TIC, no Mapa da EMBRATUR. Na perspectiva dos Processos Internos temos dois objetivos de cada Mapa Estratégico diretamente alinhados entre si. São Eles: 1. Fortalecer a governança de TIC na EGTIC e Aprimorar a Gestão e Governança de TIC no Mapa da EMBRATUR; 2. Garantir níveis satisfatórios de segurança da informação para sistemas governamentais na EGTIC e Garantir a Segurança da Informações da Instituição, se referindo aos sistemas, no Mapa da EMBRATUR. Nas outras perspectivas, Governo Federal e Sociedade do Mapa da EGTIC, onde respectivamente temos os objetivos estratégicos: Otimizar o uso dos recursos de TIC mediante integração, alinhamento e compartilhamento entre os órgãos; Melhorar a prestação de serviços públicos, a transparência das informações e a participação social pelo uso efetivo das TIC, encontramos alinhamento, no Mapa da EMBRATUR nos Temas Estratégicos: Integração e Comunicação, e Excelência nos Serviços, respectivamente, com os seguintes objetivos: Obter maior integração com o negócio da EMBRATUR, e Assegurar o acesso à informação e comunicação, e Elevar o nível de satisfação dos usuários, primando pela qualidade dos serviços prestados em TIC. EMBRATUR 54

55 Portanto, existe um notório e direto alinhamento entre a estratégia de TIC da EMBRATUR, representada pelo seu Mapa Estratégico, enfatizado neste PDTI e a EGTIC Estratégia Geral de Tecnologia da Informação e Comunicação versão 2014/2015, do SISP, Conforme preconiza o Art. 4º 1º, da nova redação da IN 04. Enfatize-se adicionalmente que, conforme citado na EGTIC, Como a área de Tecnologia da Informação e Comunicação fornece instrumentos capazes de otimizar o trabalho de inúmeros setores, a nova versão da estratégia foi elaborada tendo em vista os objetivos do Plano Brasil 2022 e o Plano Plurianual (PPA) do quadriênio A intenção é estabelecer uma transversalidade entre as políticas públicas. Ou seja, indiretamente, o próprio Mapa de TIC da EMBRATUR alinha-se com os objetivos do Plano Brasil 2022 e o Plano Plurianual (PPA) do quadriênio Ademais, algumas das novas diretrizes do PPA enfatizam que O planejamento governamental é uma atividade estratégica alinhada com uma visão de futuro e origina-se da necessidade de se afirmar, no presente, escolhas de futuro, relativas ao desenvolvimento do Estado e da sociedade. É a partir do planejamento que as sociedades, por meio de seus governos, explicitam o que será feito, como será feito e quais recursos serão utilizados nas estratégias que pretendem seguir para o alcance de seus objetivos. Assim, de fato, o próprio esforço da EMBRATUR em introduzir novos conceitos de gestão e governança para o alcance de resultados, como sinalizam o PETI e o PDTI, demonstra este alinhamento do ponto de vista da política pública, em seu aspecto de gestão enfatizado no PPA 2012/2015. No próximo tópico, destacaremos ainda mais este alinhamento com as políticas públicas no aspecto da questão do negócio Turismo propriamente dito. ALINHAMENTO COM AS ESTRATÉGIAS DA ORGANIZAÇÃO EMBRATUR 55

56 Demonstraremos a seguir, em consonância com o Art. 4º 1º, da nova redação da IN 04, que o PDTI da EMBRATUR, além de alinhado à EGTIC, encontra-se alinhado às Estratégias Institucionais da EMBRATUR. Citando o Guia de Elaboração do PDTI do SISP, de 2012, o PETI, situado no nível estratégico, é um documento que complementa o Planejamento Estratégico Institucional, por meio do planejamento de sistemas de informação, conhecimentos e informática, possibilitando a definição de objetivos específicos para a área de TI. Ele estabelece as diretrizes e as metas que orientam a construção do Planejamento de TI do Órgão. Já no nível tático, o instrumento mais comumente usado para representar o planejamento de TI é o Plano Diretor de Tecnologia de Informação PDTI, foco desse guia. A elaboração do PETI da EMBRATUR, preparativo para a construção do PDTI, foi fruto de um trabalho de construção colaborativa com a efetiva participação de 21 colaboradores, em oficinas práticas, representando todas as diretorias e assessorias da Instituição. Estes colaboradores trouxeram as necessidades e demandas das diversas áreas da Instituição de forma a que, durante os workshops de elaboração do PETI os objetivos, indicadores e metas de TIC estivessem alinhados com as estratégias institucionais da EMBRATUR. Ressalte-se que a dinâmica acima está alinhada com as exigências dos órgãos de controle, em particular o ACÓRDÃO Nº 1233/2012 TCU Plenária, que enfatiza e recomenda em atenção ao Decreto-Lei 200/1967, art. 6º, inciso I, e art. 7º, normatize a obrigatoriedade de que todos os entes sob sua jurisdição estabeleçam processo de planejamento estratégico de TI, observando as boas práticas sobre o tema, a exemplo do processo PO1 Planejamento Estratégico de TI do Cobit 4.1, contemplando, pelo menos (subitem II.2): Elaboração, com participação de representantes dos diversos setores da organização, de um documento que materialize o plano estratégico de TI, contemplando, pelo menos: EMBRATUR 56

57 Objetivos, indicadores e metas para a TI organizacional, sendo que os objetivos devem estar explicitamente alinhados aos objetivos de negócio constantes do plano estratégico institucional; Deve-se, no entanto, registrar que, embora não haja formalmente um PEI Planejamento Estratégico Institucional na EMBRATUR, vários outros documentos equivalentes foram utilizados para balizar e alinhar os objetivos e ações constantes no PDTI com os objetivos de negócio. Enfatiza-se, no entanto, que trata-se de um esforço inicial por ser o primeiro PDTI da EMBRATUR, e que o alinhamento entre a TIC e as estratégias de negócio da EMBRATUR encontram-se em evolução, no sentido de construir cada vez mais um Plano cada vez mais robusto, onde os negócios se apoiem e evoluam com a Tecnologia da Informação e Comunicação. Tais tratativas no PDTI estão em consonância com Art. 4º 3º da IN 04/2014, pois inexistindo o plano estratégico institucional, sua ausência deverá ser registrada no PDTI e deverá ser utilizado um documento equivalente, como o Plano Plurianual - PPA. Os documentos equivalentes que foram utilizados são: 1. O Plano Aquarela Plano de Marketing Turístico Internacional do Brasil; 2. A Lei n , de 17 de setembro de 2008 que dispõe sobre a Política Nacional de Turismo e define as atribuições do Governo Federal no planejamento, desenvolvimento e estímulo ao setor turístico com suas implicações para a EMBRATUR; 3. O Plano Nacional do Turismo com as orientações referentes ao Turismo internacional; 4. O PPA 2008/2011 e 2012/2015 e suas alterações, principalmente com relação ao Programa Temático n 58 Turismo, do PPA em vigor. EMBRATUR 57

58 Passaremos a expor os principais pontos que foram guias para balizamento e alinhamento do PDTI com os objetivos de negócio da EMBRATUR. Importante enfatizar que, devido à inexistência do PEI, procurouse extrair do Plano Aquarela e dos outros documentos acima citados, os principais elementos que, no caso da EMBRATUR, necessariamente estão relacionados ao apoio tecnológico para a promoção, divulgação, marketing, dos destinos serviços e produtos turísticos brasileiros no mercado internacional. ALINHAMENTO COM O PLANO AQUARELA O Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil (vide: downloads_publicacoes/plano_aquarela_2020.pdf) é o instrumento técnico elaborado pelo Ministério do Turismo (MTur) e pela Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) que visa o crescimento sólido e sustentável do turismo nacional, para o incremento do número de turistas estrangeiros no país e a consequente ampliação de divisas a partir de um processo de planejamento que distingue o Planejamento do Desenvolvimento Turístico do Planejamento de Marketing do Turismo. (fonte: site do Ministério do Turismo). Desde quando foi lançado, até hoje, o Plano Aquarela foi o instrumento que deu consistência, estratégia, metas e objetivos para o trabalho de promoção internacional da EMBRATUR. De fato, desde a sua criação, Em seu desafio de instituir uma identidade ao Brasil turístico, o plano traçou objetivos para a geração de uma imagem nova e moderna do país. Além disso, a partir do crescimento dos fluxos turísticos internacionais, provocou o aumento da oferta, estimulando os investimentos internos e externos no turismo e impulsionando a melhoria do padrão da oferta atual, até que se igualasse aos patamares das cidades mais importantes do Brasil e de referências do turismo mundial. O Plano teve três etapas até hoje: o Plano Aquarela ; o Plano Aquarela , e o Plano Aquarela Segundo o Plano, Olhando para EMBRATUR 58

59 as grandes oportunidades de crescimento do turismo internacional no mundo e a crescente concorrência entre os destinos, a EMBRATUR dedicou-se, a partir de 2003, a desenvolver um plano estratégico para posicionar o Brasil no mercado turístico global. Assim nasceu o Plano Aquarela Marketing Turístico Internacional do Brasil. Porém, nova etapa do Plano foi elaborada, uma vez que os desafios são de grandes proporções, relacionados às questões de informação e comunicação no mercado do turismo internacional visto que exige dos países grande ofensiva de marketing para disputar o mercado que deve movimentar 1,6 bilhão de turistas pelo mundo em 2020, segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT). De acordo com o documento lançado em dezembro de 2009, O Plano Aquarela 2020 Marketing Turístico Internacional do Brasil traz os caminhos a percorrer, os objetivos a serem alcançados e as ações essenciais para que o turismo brasileiro avance com as grandes oportunidades de promoção e comunicação global nos próximos anos. E continua, Os objetivos da promoção internacional diante dessas grandes oportunidades, são: Contribuir para o sucesso da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. Maximizar os resultados para o turismo brasileiro. Otimizar a exposição mundial do país para torná-lo mais conhecido. Neste sentido, listamos a seguir os objetivos estratégicos do Plano Aquarela 2020: Aprimorar e ter resultados de longo prazo no trabalho de promoção turística internacional do Brasil. EMBRATUR 59

60 Envolver os setores público e privado do turismo nacional numa estratégia unificada do país para o exterior para melhor aproveitar as oportunidades do futuro. Promover o Brasil como destino turístico global de forma profissional, com base em estudos, pesquisas e metas de resultados além de 2014 e Aproveitar a realização dos grandes eventos esportivos mundiais para fazer o Brasil mais conhecido pelo mundo como destino turístico. O Plano Aquarela fixou as seguintes metas para 2020: 1. Aumentar em 113% o turismo internacional de 2010 a Ou seja, atingir 11,1 milhões de entrada turistas em Figura n 10 Meta Entrada de Turistas - Fonte: Plano Aquarela Aumentar em 304% a entrada de divisas com os gastos dos estrangeiros no Brasil de 2010 a Ou seja, atingir 17 bilhões de dólares em EMBRATUR 60

61 Figura n 11 Meta Entrada de Divisas - Fonte: Plano Aquarela Cite-se que, na página 45 do Plano Aquarela 2020, Todas as ferramentas de que a Embratur dispõe estarão à disposição deste planejamento integrado, trabalhando os públicos internacionais que devem ser abordados o mercado turístico, a imprensa internacional e o consumidor final. Desta forma, a TIC da EMBRATUR tem papel importante e fundamental para apoiar a realização do Plano Aquarela e disponibilizar a Tecnologia da Informação neste trabalho integrado, para atingir os objetivos institucionais da EMBRATUR. Poderíamos citar alguns sistemas que foram especificamente desenvolvidos e necessitam de constante aprimoramento e manutenção voltados para os negócio da EMBRATUR, como o sistema AQUARELA, o SPP- Posicionamento de Produtos, FEIRAS INTERNACIONAIS, o PIM Promoção Internacional de Municípios, o SINDEB Sistema de Informações de Destino do Brasil, entre outros (consultar o anexo 19.2 Inventário, no final deste PDTI, contendo a lista dos sistemas da EMBRATUR). Registre-se que desde o início de 2015, o site promocional da EMBRATUR (www.visitbrasil.com) encontra-se hospedado no Data Center da Instituição sob a gestão técnica da equipe de TIC, exemplificando este trabalho integrado entre a tecnologia e o negócio. EMBRATUR 61

62 Num mundo cada vez mais interconectado, e dependente de informações, que tem utilizado a Internet como instrumento de trabalho diário, a EMBRATUR necessita da evolução de seus aplicativos e sistemas, do desenvolvimento e aquisição de novas ferramentas, para alcançar seus diversificados públicos alvo e promover destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no mercado internacional, de forma competitiva, eficiente e eficaz. ALINHAMENTO COM A LEI N A Lei n , de 17 de setembro de 2008, a chamada Lei Geral do Turismo, dispõe sobre a Política Nacional de Turismo. No seu Art. 1º, estabelece normas sobre a Política Nacional de Turismo, define as atribuições do Governo Federal no planejamento, desenvolvimento e estímulo ao setor turístico e disciplina a prestação de serviços turísticos, o cadastro, a classificação e a fiscalização dos prestadores de serviços turísticos. Compete ao Ministério do Turismo, portanto, normatizado pelo Art. 3º, estabelecer a Política Nacional de Turismo, planejar, fomentar, regulamentar, coordenar e fiscalizar a atividade turística, bem como promover e divulgar institucionalmente o turismo em âmbito nacional e internacional.. Embora possa ser dito que os 20 objetivos da Política Nacional do Turismo, relacionados no Art. 5º, tenham alguma relação com ações de TIC, por envolverem informação e comunicação, destacaremos apenas as que tem uma relação direta com o negócio da EMBRATUR, por envolverem o turismo internacional, direta ou indiretamente. São eles: 1. II - ampliar os fluxos turísticos, a permanência e o gasto médio dos turistas nacionais e estrangeiros no País, mediante a promoção e o apoio ao desenvolvimento do produto turístico brasileiro; 2. IV - estimular a criação, a consolidação e a difusão dos produtos e destinos turísticos brasileiros, com vistas em atrair turistas nacionais e estrangeiros, diversificando os fluxos entre as unidades da Federação EMBRATUR 62

63 e buscando beneficiar, especialmente, as regiões de menor nível de desenvolvimento econômico e social; 3. V - propiciar o suporte a programas estratégicos de captação e apoio à realização de feiras e exposições de negócios, viagens de incentivo, congressos e eventos nacionais e internacionais; Por outro lado, o Plano Nacional do Turismo PNT estabelece as diretrizes, metas e programas balizados pela Política Nacional do Turismo. Destacaremos, a seguir, as principais orientações gerais contidas no Art. 6º da Lei n , com impacto direto na EMBRATUR, e que envolvem a TIC: 1. II - a boa imagem do produto turístico brasileiro no mercado nacional e internacional; 2. III - a vinda de turistas estrangeiros e a movimentação de turistas no mercado interno; 3. IV - maior aporte de divisas ao balanço de pagamentos; Cabe ainda citar o Art. 14º da Lei n que traz implicações para a TIC da EMBRATUR, no que tange ao acesso a informações e divulgação do turismo no exterior: Art. 14. O Ministério do Turismo, diretamente ou por intermédio do Instituto Brasileiro de Turismo - EMBRATUR, poderá utilizar, mediante delegação ou convênio, os serviços das representações diplomáticas, econômicas e culturais do Brasil no exterior para a execução de suas tarefas de captação de turistas, eventos e investidores internacionais para o País e de apoio à promoção e à divulgação de informações turísticas nacionais, com vistas na formação de uma rede de promoção internacional do produto turístico brasileiro, intercâmbio tecnológico com instituições estrangeiras e à prestação de assistência turística aos que dela necessitarem. ALINHAMENTO COM O PLANO NACIONAL DO TURISMO EMBRATUR 63

64 Não é objetivo deste documento elencar o conteúdo detalhado como diagnóstico, objetivos, metas e ações do Plano Nacional de Turismo na sua versão 2013/2016. Cabe ressaltar que o PDTI baseou-se no Plano Aquarela 2020, já citado anteriormente. No entanto, importante citar os principais elementos norteadores que também serviram de referência para o alinhamento do PDTI da EMBRATUR com os desafios estratégicos do Órgão, contidos no PNT. Importante citar que a participação do turismo na economia brasileira já representa 3,7% do PIB do nosso país. De 2003 a 2009, o setor cresceu 32,4%, enquanto a economia brasileira apresentou expansão de 24,6% (MTUR, 2012). E continua, Estima-se ainda que para o ano de 2022 o turismo seja responsável por 3,63 milhões de empregos. A elaboração do Plano Nacional de Turismo (PNT) solidifica as orientações estratégicas para o desenvolvimento da atividade turística nos próximos anos. O Plano segue uma estrutura lógica que interliga as diretrizes estratégicas, os objetivos e resultados esperados e a proposição e o desenvolvimento de programas, projetos e ações. (PNT). O Plano Nacional de Turismo apresenta, como visão de futuro, posicionar o Brasil como uma das três maiores economias turísticas do mundo até o ano de Hoje, estamos na sexta posição. Destacaremos assim, alguns pontos citando textos do próprio Plano que impactam diretamente as atividades da EMBRATUR, e indiretamente as diretrizes, objetivos, projetos e ações da TIC, contidas no PDTI. No âmbito das Diretrizes do Plano Nacional de Turismo (PNT), destacaremos apenas duas (importante ver o capítulo 6 deste PDTI), colocando em negrito pontos importantes que tem impacto na TIC: EMBRATUR 64

65 1. PARTICIPAÇÃO E DIÁLOGO COM A SOCIEDADE O planejamento do turismo no Brasil vem se pautando em um modelo de gestão pública descentralizada e participativa que promove a integração entre as diversas instâncias de governo de modo intersetorizado e as representações da sociedade civil atuantes no turismo, incluindo os diferentes setores da cadeia produtiva da atividade. O modelo da gestão descentralizada deve comportar, ainda, os princípios da publicidade, da transparência e do controle social como direcionadores estratégicos imprescindíveis para o amadurecimento do setor turístico brasileiro. O Ministério do Turismo e os demais órgãos componentes do Sistema Nacional de Turismo seguem essas diretrizes e reconhecem a importância de trabalhar e divulgar as informações de forma clara e objetiva, tanto para auxílio das decisões governamentais como para aproximar a interlocução quanto a planos, projetos, ações e dados relativos ao setor turístico. 2. INCENTIVO À INOVAÇÃO E AO CONHECIMENTO Em um mercado que se expande a cada dia, abrindo novas fronteiras e oferecendo novos produtos, avançar na inovação constitui uma premissa básica para o desenvolvimento sustentável da atividade. O ambiente tecnológico atualmente vivenciado em todo o mundo, as facilidades de acesso à informação e a disputa internacional pela atenção e preferência do turista têm transformado o setor e a forma de interação dos seus diversos atores. O Ministério do Turismo reconhece a importância da inovação para o crescimento do turismo e entende que é preciso fomentá-la em todas as ações empreendidas pelos atores do setor, seja na consolidação da rede de gestão em todo o país, no uso de EMBRATUR 65

66 tecnologias e ferramentas inovadoras para a promoção dos destinos, na formatação de meios alternativos de interação e contato com os turistas, seja em pesquisa, produção de conhecimento e compreensão dos comportamentos dos mercados. Dos quatro grandes objetivos identificados no Plano, pelo menos dois deles tem impacto direto na EMBRATUR, e na TIC como instrumento facilitador e viabilizar. São eles: 1. (I) preparar o turismo brasileiro para os megaeventos; 2. (II) incrementar a geração de divisas e a chegada de turistas estrangeiros. Para os objetivos acima, foram construídos, no Plano Nacional de Turismo (PNT), indicadores, fixadas metas, elaboradas ações, sintetizando o esforço a ser empreendido nos próximos anos pelo Ministério do Turismo, em parceria com os atores do Sistema Nacional de Turismo, da qual a EMBRATUR é integrante. A seguir destacaremos as metas do PNT mais importantes para a EMBRATUR, e consequentemente para o seu PDTI, no horizonte 2015 e 2016: Meta 1: Aumentar para 7,9 milhões a chegada de turistas estrangeiros ao país. EMBRATUR 66

67 Figura n 12 Gráfico de chegadas Internacionais de Turistas ao Brasil em milhões - Fonte: PNT Meta 2: Aumentar para US$ 10,8 bilhões a receita com o turismo internacional até Figura n 13 Gráfico da Receita Cambial Turística em US$ bilhões - Fonte: PNT EMBRATUR 67

68 Importante enfatizar que mesmo diante do aspecto desafiador das metas acima, o esforço para colocar o Brasil num cenário do turismo mundial de forma cada vez mais representativa é ainda muito maior (o que aumenta mais ainda o papel da TIC como facilitador e viabilizador deste empreendimento), como informado a seguir: Esse cenário mostra também um subaproveitamento da demanda internacional por viagens, já que as chegadas de turistas internacionais têm mostrado um crescimento praticamente ininterrupto - de 277 milhões, em 1980, a 528 milhões, em 1995, e 983 milhões, em Além disso, o Brasil recebe uma fatia quase inexpressiva desse mercado, especialmente se comparado a alguns destinos como o México, que em 2010 recebeu 23,3 milhões de turistas internacionais, e a Tailândia, que recebeu no mesmo período 15,9 milhões de turistas internacionais (UNWTO, 2012). (Fonte: Clara C. Lemos, Planejamento do turismo em âmbito federal: uma análise dos instrumentos utilizados e dos investimentos no setor - Rev. Adm. Pública vol.47 n 6 - Rio de Janeiro Nov./Dec. 2013). Das trinta e uma (31) ações estratégicas destacadas no Plano Nacional de Turismo (PNT), enfatizaremos aquelas (oito, no total) que tem impacto direto ou indireto na EMBRATUR, e na TIC como instrumento facilitador e viabilizar. São elas: 1. No Agrupamento Conhecer o Turista, o mercado e o território: a Desenvolver estudos e pesquisas sobre a atividade turística; b Implantar plataforma interinstitucional de dados; c Implementar sistema de inteligência; 2. No Agrupamento Promover os produtos turísticos: a Apoiar eventos de comercialização; b Fortalecer a estratégia de promoção internacional do turismo brasileiro; c Apoiar a realização de eventos de fortalecimento ao desenvolvimento turístico. EMBRATUR 68

69 3. No Agrupamento Fortalecer a gestão descentralizada, as parcerias e a participação social; a Fortalecer a gestão do turismo no Brasil; b Ampliar a cooperação internacional em turismo; Não cabe aqui demonstrar a relação entre o PPA e o PNT, uma vez que o próprio PNT deixa isto claro e outros documentos enfatizam este alinhamento, como a seguir: A relação entre PPA e objetivos setoriais é bastante clara, de acordo com os dados levantados no atual Plano Nacional de Turismo e no Plano Plurianual em vigor, (Fonte: Clara C. Lemos, Planejamento do turismo em âmbito federal: uma análise dos instrumentos utilizados e dos investimentos no setor - Rev. Adm. Pública vol.47 n 6 - Rio de Janeiro Nov./Dec. 2013). Concluiremos este capítulo sobre Alinhamento com a Estratégia da Organização revendo, segundo o Regimento Interno, o papel institucional da EMBRATUR, enfatizando que este PDTI, como já foi demonstrado, encontra-se alinhado com o negócio da EMBRATUR. A EMBRATUR INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO é autarquia especial do Ministério do Turismo, regida pela Lei nº 8.181, de 28 de março de A EMBRATUR é integrante do Sistema Nacional de Turismo definido no Art.. 14º da Lei n Cabe especificamente à EMBRATUR (Art. 2º do Regimento Interno, 2011): 1. I - promover, fazer o marketing e apoiar a comercialização dos destinos, produtos e serviços turísticos do Brasil no mercado internacional; 2. II - incrementar o fluxo de turistas internacionais em suas várias modalidades; 3. III - estimular as iniciativas públicas e privadas, tendentes a desenvolver o turismo do exterior para o Brasil; EMBRATUR 69

70 4. IV - promover e divulgar o turismo nacional no exterior, de modo a ampliar o ingresso e a circulação de fluxos turísticos no território brasileiro; e 5. V - implementar, controlar e supervisionar ações para o incremento da qualidade e competitividade do turismo nacional. 6. Adicionalmente, propor ao Ministério do Turismo a elaboração de normas e medidas necessárias à execução da Política Nacional de Turismo, no que diz respeito à promoção do turismo brasileiro no exterior, e executar as decisões que, para esse fim, lhe sejam recomendadas. Em resumo, referimo-nos ao próprio Mapa BSC de TIC da EMBRATUR, para enfatizar o alinhamento do PDTI com as questões oriundas do negócio da EMBRATUR. No centro do Mapa Estratégico está o Tema da INTEGRAÇÃO e COMUNICAÇÃO visto que é central e fundamental o objetivo estratégico de Obter maior integração com o negócio da EMBRATUR e Assegurar o acesso à informação e Comunicação. Adicionalmente, a própria missão da TIC da EMBRATUR Prover soluções tecnológicas eficazes para atender aos objetivos institucionais da EMBRATUR demonstra este alinhamento com o negócio. Importante citar que as necessidades de TIC identificadas e listadas no próximo capítulo foram confrontadas com os alinhamentos estratégicos do PDTI, de forma a que as metas e ações de TIC pudessem ser organizadas e priorizadas para atender as Estratégias da Organização, estabelecidas a partir das principais políticas e planos governamentais e da Instituição. EMBRATUR 70

71 10. Inventário de Necessidades 10.1 Critérios de Priorização Critérios de Priorização utilizados: Prioridade 0 gravidade alta e urgência alta, podendo ocasionar riscos importantes para a organização; Prioridade 1 gravidade alta e urgência média ou gravidade média e urgência alta, podendo ocasionar riscos medianos para a organização; Prioridade 2 gravidade média e urgência média ou gravidade alta e urgência baixa, ou gravidade baixa e urgência alta, podendo ocasionar riscos medianos para a organização; Prioridade 3 gravidade baixa e urgência média ou alta, ou gravidade alta ou média e urgência baixa, ou gravidade baixa e urgência baixa, podendo ocasionar riscos baixos para a organização. Agrupamentos (categorização) das necessidades utilizadas: Infraestrutura e/ou Hardware (Aquisições) Desenvolvimento de Sistemas de Informação (Novo ou demandas evolutivas ou sustentação) Software (Aquisições) Serviços de TIC (Contratação) Segurança Capacitação Gestão e Governança de TIC Pessoal EMBRATUR 71

72 10.2 Necessidades Identificadas Este PDTI focalizou nas questões que implicassem, prioritariamente, em necessidades de TIC (serviços, infraestrutura, contratação e pessoal de TIC), alinhando as estratégias da Organização (negócio) e as necessidades de TIC. Estas informações foram levantadas durante o workshop e oficinas de trabalho do PETI, e complementadas durante a elaboração do PDTI. O quadro apresentado a seguir lista as necessidades categorizando o tipo, identificando o requisitante, listando as principais ações relacionadas com a necessidade, explicitando na coluna situação atual um resumo do por quê da necessidade, identificando quais os principais objetivos estratégicos impactados relacionados com o Mapa Estratégico de TIC e respectivos objetivos, e listando a prioridade, segundo os critérios definidos no item EMBRATUR 72

73 ID NECESSIDADE TIPO REQUISITANTE AÇÕES SITUAÇÃO ATUAL (o porquê da necessidade) OBJETIVOS ESTRATÉGICOS IMPACTADOS PRIORIDADE 1 Recomposição do Quadro de servidores da TIC Pessoal CTEC A1.1 - Realização de Concurso Público; A1.2 -Reformulação da Estrutura de Pessoal de TIC. Existe carência de servidores técnicos do quadro da EMBRATUR PI04, PI05,PI06, PR Garantir a disponibilidade das Informações (site promocional, site institucional, correio eletrônico, dentre outros) prestados pelo Órgão em caso de indisponibilidade do site principal (Data Center da EMBRATUR) Serviços de TIC/Segurança CTEC A2.1 - Contratação de Data Center Externo (Site Contingência) Existência de um Data Center interno com vulnerabilidade, sem contingência. PI03, PI06, PR Manutenção Evolutiva do Sistema Aquarela Desenvolvimento de Sistema Diretorias de Negócios A3.1 - Readequação do Sistema Aquarela. Relativa defasagem tecnológica e funcional do sistema Aquarela ES01, PI02, PI Manutenção Evolutiva do Sistema SINDEB Desenvolvimento de Sistema Diretorias de Negócios A4.1 - Reestruturação do SINDEB Dificuldade no planejamento e monitoramento das ações promocionais no exterior ES01, PI02, PI Evolução na maturidade da Instituição em Gestão de Projetos Gestão e Governança de TIC CTEC A5.1 - Criação de uma área de Projetos EGP para a EMBRATUR Falta de maturidade em gestão de projetos PI05, PI04, PI Capacitação dos principais usuários nos diversos sistemas existentes na EMBRATUR Capacitação/ Pessoal Diretorias de Negócios A6.1 - Plano de Capacitação e Qualificação para usuários e servidores (nos sistemas existentes) Falta de conhecimento das funcionalidades e potencialidades dos sistemas existentes ES01, PR07, PI02, PI03 3 EMBRATUR 73

74 ID NECESSIDADE TIPO REQUISITANTE AÇÕES SITUAÇÃO ATUAL (o porquê da necessidade) OBJETIVOS ESTRATÉGICOS IMPACTADOS PRIORIDADE 7 Medição da Satisfação e Qualidade dos sistemas e serviços de TIC Gestão e Governança de TIC CTEC A7.1 - Implantar sistemática de medição da satisfação e qualidade dos sistemas e serviços de TIC Não existe sistemática de avaliação dos sistemas e serviços de TIC ES01, PI02, PI05, PI Melhoria na gestão da captação de eventos com uso de tecnologia Software/ Desenvolvimento Diretorias de Negócios A8.1 - Desenvolvimento de Sistema para gestão da captação de eventos Gestão (planejamento, monitoramento) hoje feita de forma precária e manual ES01, PI02, PI Melhoria da segurança relacionada à localização do atual Data Center Segurança CTEC A9.1 - Readequação do Data Center (Sala Segura) Fragilidade da segurança da localização do atual Data Center PI06, PR Implantação e acompanhamento do PETI e PDTI Gestão e Governança de TIC CTEC A Contratação de serviços relativos à execução, implantação e monitoramento do PETI e PDTI conforme licitação realizada Não existência de sistemática estruturada de monitoramento e controle das metas e ações do PETI e PDTI ES01, PI04, PI05 1 EMBRATUR 74

75 ID NECESSIDADE TIPO REQUISITANTE AÇÕES SITUAÇÃO ATUAL (o porquê da necessidade) OBJETIVOS ESTRATÉGICOS IMPACTADOS PRIORIDADE 11 Garantir a conectividade com link de Contingência - Infovia Serviços de TIC CTEC A.11.1 Contratar serviços de Links de Contingência Não existe link de contingência para garantir 100% de conectividade ES01, PI03, PI Expansão da Rede Wireless Infraestrutura e Serviços de TIC CTEC A Contratar serviços para a Expansão da rede wireless Rede wireless não cobre 100% de alcance nas dependências da empresa ES01, PI03, PI04, PR Melhorar a gestão do relacionamento com os ETB s e outros públicos com uso de CRM Software Diretorias de Negócios A Aquisição de CRM (Gestão de Relacionamento) com interatividade multicanal Hoje é utilizado um CRM gratuito com grandes limitações de funcionalidades ES01, PI02, PI Melhorar a velocidade de acesso aos portais e sistemas da Embratur Software/Serviços de TIC CTEC A Contratação de Acelerador Web A velocidade atual de acesso aos portais e sistemas da EMBRATUR limita a experiência do usuário ES01, PI03, PI02, PI04, PR Evoluir o sistema de telefonia Voip da Embratur Software/Serviços de TIC CTEC A Contratação de serviço para a atualização e expansão de Telefonia IP (solução integrada de telefonia VoiP) Há carência de aprimoramento/expansão e manutenção no sistema hoje instalado ES01, PI03, PI04, PR08 1 EMBRATUR 75

76 ID NECESSIDADE TIPO REQUISITANTE AÇÕES SITUAÇÃO ATUAL (o porquê da necessidade) OBJETIVOS ESTRATÉGICOS IMPACTADOS PRIORIDADE 16 Criar mecanismos seguro para aumentar a confiabilidade da rede da EMBRATUR Software/Serviços de TIC CTEC A Contratação de licença de auditoria de sistema de rede Carência de sistema para diagnóstico e aumento da confiabilidade da rede PI06, PI04, ES01, PI03, PR Melhoria na gestão, qualificação e integração dos dados Software/Serviços de TIC CTEC A Aquisição de solução de gestão de dados Inexistência de gestão, qualificação e integração de dados ES01, PI Manter os servidores atualizados e coerentes com as necessidades de conectividade Infraestrutura CTEC A Aquisição de servidores de rede Carência de conectividade adequada e moderna para os servidores de rede PI04, PR Melhorar a infraestrutura da telefonia Infraestrutura CTEC A Aquisição de SWITCH POE para telefonia Carência de uma estrutura mais moderna, estável e segura ES01, PI03, PR Renovação da contratação de serviços técnicos especializados de TI para sustentação de produtos e serviços do parque tecnológico da EMBRATUR Infraestrutura CTEC e Diretorias de Negócios A.20.1 Fazer Aditivo Contratual para os serviços relativos ao Contrato 008/2013 Contrato atual com empresa Cast vencerá no dia 28/06/2015. Por ser um serviço continuado precisa de renovação. PI08, PI06, PI Renovação e Manutenção de domínios relativos aos sites utilizados pela EMBRATUR Serviços de TIC CTEC e Diretorias de Negócios A.21.1 Renovação dos domínios relativos aos sites utilizados pela EMBRATUR. Trata-se de um serviço continuado que tem que ser mantido e renovado. PI02, PI03, ES01, PR08 0 EMBRATUR 76

77 ID NECESSIDADE TIPO REQUISITANTE AÇÕES SITUAÇÃO ATUAL (o porquê da necessidade) OBJETIVOS ESTRATÉGICOS IMPACTADOS PRIORIDADE 22 Modernização da infraestrutura da sala de videoconferência (VoiP) Hardware CTEC A Aquisição de equipamento para sala de videoconferência (VoiP) Não existência de equipamento VoiP PI02, PI03, ES01, PR Renovação da contratação de serviços relativos à fábrica de software para desenvolvimento e manutenção dos sistemas da EMBRATUR Desenvolvimento de sistemas CTEC e Diretorias de Negócios A.23.1 Fazer Aditivo Contratual para os serviços relativos à fábrica de software, relativos ao Contrato 001/2014 Contrato atual com empresa Squadra completou um ano em janeiro, e foi renovado por ser um serviço continuado. ES01, PI02, PI Revisão do escopo e objeto do atual contrato dos serviços relativos à outsourcing de impressão Serviços de TIC CTEC e Diretorias de Negócios A.24.1 Fazer nova licitação para contratação de serviços relativos à outsourcing de impressão Contrato atual está no seu último ano vencendo em maio/2015, necessitando ter nova licitação com revisão do escopo/objeto. ES01, PI Melhoria na segurança e controle de acesso nas dependência da EMBRATUR Hardware/software CGAD A Contratação de serviço de CFTV/Controle de Acesso Não existe monitoramento da segurança com CFTV, nem sistema para controle de acesso PR08, PI Sistemática de manutenção e novas instalações em pontos lógicos e elétricos Serviços de TIC CTEC A Contratação de empresa especializada em instalação e manutenção de pontos lógicos e elétrico Carência de realização deste tipo de serviço internamente PI04, PR08 2 EMBRATUR 77

78 ID NECESSIDADE TIPO REQUISITANTE AÇÕES SITUAÇÃO ATUAL (o porquê da necessidade) OBJETIVOS ESTRATÉGICOS IMPACTADOS PRIORIDADE 27 Atualizar parque de servidores Infraestrutura CTEC A Aquisição de servidores para atualização do parque tecnológico Alguns servidores vão saindo da garantia e se tornando defasados em tecnologia PR08, PI Ampliação do número de licenças VMware Software CTEC A.28.1 Compra de licenças adicionais de VMware Existe um número de licenças limitado, com necessidade de aquisição de licenças adicionais PR08, PI Manter inventário detalhado de TIC, incluindo rede, equipamentos/hardware e softwares periodicamente atualizados Gestão e Governança de TIC CTEC A.29.1 Implantar sistemática para atualização periódica do inventário de TIC. Sistemática atual precisa de melhoria para gestão dos recursos tecnológicos e ativos instalados (Não existe sistemática atualizada) PR08, PI Manter a arquitetura/topologia de TIC periodicamente atualizada Gestão e Governança de TIC CTEC A.30.1 Contratar serviço para fazer redesenho de arquitetura/topologia de TI Catualizada e implantar sistemática de atualização. Sistemática atual precisa de melhoria para manter arquitetura/topologia atualizada PR08, PI Fazer diagnóstico da situação de TI utilizando o COBIT 4.1 ou superior em relação à gestão e governança com o objetivo de traçar planos para evolução Gestão e Governança de TIC CTEC A Contratar serviço especializado para fazer diagnóstico da situação de TI Feito auto-avaliação sem apresentação de evidências objetivas e documentais PI05 2 EMBRATUR 78

79 ID NECESSIDADE TIPO REQUISITANTE AÇÕES SITUAÇÃO ATUAL (o porquê da necessidade) OBJETIVOS ESTRATÉGICOS IMPACTADOS PRIORIDADE 32 Criação de um Catálogo de Serviços de TIC da EMBRATUR Gestão e Governança de TIC CTEC A.32.1 Fazer e manter atualizado um Catálogo de Serviços de TIC Não há um Catálogo de Serviços de TIC PI Capacitação em Gestão e Processos de Desenvolvimento de Sistemas Capacitação CTEC A.33.1 Contratar capacitação em Gestão e Processos de Desenvolvimento de Sistemas Carência de conhecimento em Desenvolvimento de Sistemas PR Capacitação em Termo de Referência e Gestão de Contratação Capacitação CTEC A Contratar capacitação em Termo de Referência e Gestão de Contratação Carência de conhecimento no Tema pela equipe de TI PR Capacitação em Cobit 4.1 ou superior e Itil Capacitação CTEC A Contratar capacitação em Cobit 4.1 ou superior e Itil Carência de conhecimento no Tema pela equipe de TI PR Renovação da contratação de licenças da Microsoft Software CTEC A.36.1 Contratação de pacote de licenças da Microsoft envolvendo Office, Windows, Exchange CAL, SQL Server, CisData. Contrato atual n. 10/2013 destas licenças em parceria com o MTUR está encerrando em 28/05/2015. PR08, PI04 0. EMBRATUR 79

80 11. Plano de Metas e de Ações 11.1 Plano de Metas Coerente com a metodologia adotada BSC, o Plano de Metas deste PDTI apresenta as metas do Mapa Estratégico de TIC da EMBRATUR definidas durante a elaboração do PETI, revisadas por ocasião da elaboração do PDTI. Para cada um dos objetivos estratégicos de TIC foram definidos indicadores e metas que representam os marcos mensuráveis e controláveis para se caminhar na direção de cada objetivo. Não há sentido, assim, de se estabelecer metas para cada uma das necessidades identificadas uma vez que, como veremos no Plano de Investimento (item 13), a necessidade está associada a uma ou mais iniciativas que pode ser um projeto ou ação específica. PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 1 Objetivo Estratégico Descrição Meta QUALIDADE DO ATENDIMENTO DE TI NO SERVICE DESK Elevar o nível de satisfação dos usuários, primando pela qualidade dos serviços prestados em TIC. Mede a qualidade do atendimento de TI no nível do Service Desk (CAU) Atingir 90% dos atendimentos com nota satisfatória entre bom e ótimo. Meta por ano % 75% 80% 85% 90% PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 2 Objetivo Estratégico Descrição NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS ATRAVÉS DA APLICAÇÃO DE QUESTIONÁRIOS Elevar o nível de satisfação dos usuários, primando pela qualidade dos serviços prestados em TIC. Avaliação do nível de satisfação dos usuários da TI. Medir por meio de aplicação de questionário com pesquisa mais ampla envolvendo os clientes da TIC como um todo. Meta Manter o nível de satisfação acima de 80%. Meta por ano % 75% 80% 80% 80% EMBRATUR 80

81 PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 3 Objetivo Estratégico Descrição Meta NÚMERO DE REUNIÕES DELIBERATIVAS ENTRE A CTEC E AS DIRETORIAS PARA MELHOR CONHECIMENTO DAS DEMANDAS. Obter maior integração com o negócio da EMBRATUR. Melhoria do conhecimento das demandas de TIC por meio de mais reuniões específicas entre a CTEC e as Diretorias voltadas para esta finalidade de integração. Pelo menos uma reunião com cada Diretoria por trimestre. Meta por ano PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 4 Objetivo Estratégico Descrição Meta 99.5% % DO TEMPO (HORAS) EM UM MÊS QUE OS SITES/SISTEMAS ESTÃO ATIVOS EM RELAÇÃO AO TEMPO TOTAL DISPONÍVEL. Assegurar o acesso à informação e comunicação. Manter os sistemas sempre em funcionamento mensurando a porcentagem de tempo em horas, durante um mês., que os sistemas estão operacionais. Meta por ano % 99.5% 99.5% 99.5% 99.5% PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 5 Objetivo Estratégico Descrição Meta 99.5% % DO TEMPO (HORAS) EM UM MÊS, QUE OS SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO (TELEFONIA VOIP) ESTÃO ATIVOS EM RELAÇÃO AO TEMPO TOTAL DISPONÍVEL. Assegurar o acesso à informação e comunicação. Manter a telefonia VoiP sempre em funcionamento mensurando a porcentagem de tempo em horas, durante um mês, que o sistema está operacional. Meta por ano % 99.5% 99.5% 99.5% 99.5% PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 6 Objetivo Estratégico Descrição Meta 90% % DE ADEQUAÇÃO DOS SITES (MANTER, ATUALIZAR E CRIAR) EM RELAÇÃO AOS NORMATIVAS DA SLTI. Assegurar o acesso à informação e comunicação. Manter os sites da EMBRATUR alinhados com os normativos da SLTI. Meta por ano % 75% 80% 85% 90% EMBRATUR 81

82 PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 7 Objetivo Estratégico Descrição Meta % DE ATENDIMENTO MENSAL DENTRO DO ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO REFERENTE AO CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TIC. Assegurar a continuidade e disponibilidade dos serviços de TIC. Manutenção dos serviços constantes de um Catálogo de Serviços de TIC dentro de um nível aceitável. Garantir o mínimo de 80% dos serviços dentro do ANS Meta por ano % 75% 80% 80% 80% PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 8 Objetivo Estratégico Descrição GRAU DE MATURIDADE DA TIC DA EMBRATUR EM RELAÇÃO AO PADRÃO COBIT 4.1. Aprimorar a gestão e governança de TIC. Utilizar e aplicar a metodologia do COBIT 4.1. para diagnóstico da TIC da EMBRATUR. Meta Atingir o nível 2.5 em 2019 Meta por ano PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 9 Objetivo Estratégico Descrição % DE ADERÊNCIA DAS PRÁTICAS DA INSTITUIÇÃO À POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÕES. Garantir a segurança de informações da Instituição. Garantia a medição da aderência das práticas dos usuários à política de segurança de informações. Meta Manter a aderência maior que 80%. Meta por ano % 75% 80% 80% 80% PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 10 Objetivo Estratégico Descrição Meta % DO QUADRO EXISTENTE DA TI NA EMBRATUR (REAL) EM RELAÇÃO A UM QUADRO IDEAL. Prover, capacitar e incentivar colaboradores na área de TIC. Manutenção de um quadro existente de colaboradores em relação a um quadro ideal 100% de servidores efetivos em relação ao quadro ideal Meta por ano % 73% 82% 100% 100% EMBRATUR 82

83 PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 11 Objetivo Estratégico Descrição Meta % DE CUMPRIMENTO DO PLANO DE CAPACITAÇÃO PARA A ÁREA DE TI Prover, capacitar e incentivar colaboradores na área de TIC. Cumprir plenamente o Plano de Capacitação elaborado para a área de TIC. Atingir 100% do planejado em relação ao Plano de Capacitação. Meta por ano % 100% 100% 100% 100% PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 12 Objetivo Estratégico Descrição Meta GRAU DE RENOVAÇÃO DO PARQUE TECNOLÓGICO EM RELAÇÃO À NECESSIDADE PARA EVITAR PERDA DE GARANTIA E OBSOLESCÊNCIA. Garantir infraestrutura adequada às necessidades de segurança, velocidade de processamento e atualização do parque de TIC. Renovar constantemente o quadro para evitar a obsolescência e a perda de garantia do parque tecnológico. Atingir 20% de renovação a cada ano. Meta por ano % 20% 20% 20% 20% PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 13 Objetivo Estratégico Descrição Meta GRAU DE ADERÊNCIA DA EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DE TIC PARA PROJETOS/INICIATIVAS PREVISTAS NO PETI E PDTI. Obter recursos e garantir que eles sejam executados para o cumprimento dos objetivos estratégicos de TIC. Garantir que a execução do orçamento seja aplicada para projetos/iniciativas previstas no PETI e PDTI. 90% de grau de aderência Meta por ano % 85% 90% 90% 90% PDTI PLANO DE METAS INDICADOR 14 Objetivo Estratégico Descrição Meta 100% % de EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DISPONIBILIZADO PARA A TI POR ANO Obter recursos e garantir que eles sejam executados para o cumprimento dos objetivos estratégicos de TIC. Primar pela execução de 100% do orçamento disponível para a TI. Meta por ano % 100% 100% 100% 100% EMBRATUR 83

84 11.2 Plano de Ações O Plano de Ações se encontra no Anexo item 20.5 onde estão listadas as ações relacionadas às necessidades identificadas, que foram priorizadas no PDTI para o ano de 2015 e Para cada ação se colocou a justificativa, o resultado esperado, as principais áreas envolvidas e os objetivos estratégicos impactados. Por ocasião do planejamento para a execução de cada ação, em função da disponibilidade orçamentária, deverá ser feito o detalhamento, quando serão identificados responsáveis, prazos e afinamento dos recursos para sua execução, sob a forma, de um projeto ou um plano de execução simplificado, conforme sua complexidade. EMBRATUR 84

85 12. Plano de Gestão de Pessoas A tabela a seguir exibe uma visão consolidada do quantitativo atual de servidores técnicos-administrativos da CTEC, e o quantitativo necessário (ideal), para alcançar as metas e ações constantes no PDTI. ÁREA PERFIL ATUAL QUANTITATIVO IDEAL Coordenação de Suporte Tecnológico Gestor 1* 1* Divisão de Suporte à Infraestrutura Divisão de Suporte a Desenvolvimento de Sistemas Especialistas em Infra/Analista de Suporte e Rede Suporte Técnico Administrativo Especialistas em Desenvolvimento de Sistemas/Analista de Sistemas Suporte Técnico Administrativo 1* 2* * 1 3 *DAS TOTAL Tabela n 04 Plano de Gestão de Pessoas de TIC da EMBRATUR. Importante enfatizar que o quadro ideal proposto depende da autorização e realização de concurso público conforme constante no Aviso n 66/2014/GM/MTUR de 09/09/2014 e Ofício n 051/2014 DAFIN de 08/10/2014. Coerente com o indicador n 10 que propõe uma meta de atingir um valor % do quadro existente da TI na EMBRATUR em relação a um quadro ideal, espera-se que se alcance 73% deste quadro ideal (8 servidores), no horizonte deste PDTI, até final de Importante ressaltar que o quadro ideal pressupõe a manutenção dos contratos relativos aos serviços continuados de TIC (suporte à infraestrutura e desenvolvimento de sistemas). EMBRATUR 85

86 13. Plano de Investimentos Apresentamos, a seguir, o Plano de Investimentos do PDTI 2015/2016 baseado nas necessidades identificadas e no levantamento feito a partir do Inventário apresentado detalhadamente no item 19.2, de forma a que as metas sejam atingidas contribuindo com os objetivos estratégicos de TIC. O quadro apresentado a seguir lista na primeira e na segunda colunas o ID da ação priorizada para o período e a descrição resumida da ação, na terceira coluna, classifica a ação por tipo, na quarta coluna identifica o requisitante, na quinta coluna registra o status atual da ação (segundo descrição a seguir), na sexta e sétima colunas apresenta os valores previstos para o ano de 2015 e 2016, e na oitava coluna lista a prioridade segundo os critérios definidos no item Os valores apresentados são estimados, podendo ser revistos no momento da real execução do investimento, em função de sua atualização. Registre-se que as seguintes ações oriundas do quadro de necessidades identificadas no item 10.2 não foram colocadas no Plano de Investimentos por não demandarem diretamente recursos orçamentários da EMBRATUR para a sua execução, embora previstas para realização no período deste PDTI. São elas: 1. A.1.1 Realização de Concurso Público; 2. A.1.2 Reformulação da Estrutura de Pessoal de TIC; 3. A Plano de Capacitação e Qualificação para usuários e servidores (nos sistemas existentes); 4. A Implantar sistemática de medição da satisfação e qualidade dos sistemas e serviços de TIC; 5. A Implantar sistemática para atualização periódica do inventário de TIC; EMBRATUR 86

87 6. A Contratar serviço para fazer redesenho de arquitetura/topologia de TIC atualizada e implantar sistemática de atualização; Critério de classificação do Status utilizado: Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto; Fase de Aprovação Fase de Elaboração do Termo de Referência; Fase de Cotação/Licitação/Contratação; Fase de Implementação. EMBRATUR 87

88 PLANO DE INVESTIMENTO PDTI 2015/2016 ID AÇÃO PRIORIZADA TIPO REQUISITANTE STATUS ATUAL VALORES (R$) PRIORIDADE DE EXECUÇÃO A2.1 Contratação de Data Center Externo (Site Contingência) Serviços/Segurança CTEC Fase de Elaboração do Termo de Referência R$ ,00 (4 meses) R$ ,00 (12 meses) 0 A3.1 Readequação do Sistema Aquarela Desenvolvimento de Sistema Diretorias de Negócios Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto Incluso no contrato de fábrica de software Incluso no contrato de fábrica de software 1 A4.1 Reestruturação do SINDEB Desenvolvimento de Sistema Diretorias de Negócios Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto Incluso no contrato de fábrica de software Incluso no contrato de fábrica de software 2 A5.1 Criação de uma área de Projetos EGP para a EMBRATUR Gestão e Governança de TIC CTEC Fase de Contratação Incluso no contrato de PETI/PDTI - 1 A9.1 Readequação do Data Center (Sala Segura) Segurança CTEC Fase de Aprovação R$ , ,00 2 A10.1 Contratação de serviços relativos à Execução/Implantação/monitoramento do PETI e PDTI conforme licitação realizada Gestão e Governança de TIC CTEC Fase de Contratação R$ ,00 R$ ,00 1 EMBRATUR 88

89 PLANO DE INVESTIMENTO PDTI 2015/2016 ID AÇÃO PRIORIZADA TIPO REQUISITANTE STATUS ATUAL VALORES (R$) PRIORIDADE DE EXECUÇÃO A11.1 Contratar serviços de Links de Contingência - Infovia Serviços CTEC Fase de Contratação R$ ,00 (8 meses) R$ ,00 (12 meses) 0 A12.1 Contratar serviços para a expansão da Rede Wireless Infraestrutura CTEC Fase de Aprovação R$ ,00-2 A13.1 Aquisição de CRM (Gestão de Relacionamento) com interatividade multicanal 40 licenças Software Diretorias de Negócios Fase de Elaboração do Termo de Referência R$ ,00 (licenças de uso e adaptações /desenvolvimento) R$ ,00 (licenças de uso) 1 A14.1 Contratação de Acelerador Web Software/Serviços CTEC Fase de Implementação R$ ,00 R$ ,00 0 A15.1 Contratação de serviço para a Atualização/Expansão de Telefonia IP (solução integrada de telefonia VoiP) Software/Serviços CTEC Fase de Elaboração do Termo de Referência (PoC de solução) R$ ,00-1 A16.1 Contratação de licença de auditoria de sistema de rede Software/Serviços CTEC Fase de Licitação R$ ,00 R$ ,00 2 EMBRATUR 89

90 PLANO DE INVESTIMENTO PDTI 2015/2016 ID AÇÃO PRIORIZADA TIPO REQUISITANTE STATUS ATUAL VALORES (R$) PRIORIDADE DE EXECUÇÃO A17.1 Aquisição de solução de gestão de dados Software/Serviços CTEC Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto - R$ ,00 3 A18.1 Aquisição de servidores de rede Switch Fiber Channel Infraestrutura CTEC Fase de Aprovação R$ ,00-2 A19.1 Aquisição de SWITCH POE para telefonia Infraestrutura CTEC Fase de Aprovação R$ ,00-2 A20.1 Fazer Aditivo contratual para os serviços relativos ao Contrato 008/2013 Apoio à Infra de TIC Infraestrutura CTEC e Diretoria de Negócios Fase de Implementação R$ ,00 R$ ,00 0 A21.1 Renovação dos domínios relativos aos sites utilizados pela EMBRATUR Serviços CTEC e Diretoria de Negócios Fase de Implementação R$ 244,00 R$ 300,00 0 A22.1 Aquisição de equipamento para sala de videoconferência (VoiP) Hardware CTEC Fase de Elaboração do Termo de Referência R$ ,00-1 EMBRATUR 90

91 PLANO DE INVESTIMENTO PDTI 2015/2016 ID AÇÃO PRIORIZADA TIPO REQUISITANTE STATUS ATUAL VALORES (R$) PRIORIDADE DE EXECUÇÃO A23.1 Fazer Aditivo Contratual para serviços relativos à fábrica de software Desenvolvimento de sistemas CTEC e Diretorias de Negócios Fase de Implementação R$ ,00 R$ ,00 0 A24.1 Fazer nova licitação para contratação de serviços relativos à outsourcing de impressão Serviços CTEC e Diretorias de Negócios Fase de Elaboração do Termo de Referência R$ ,00 R$ ,00 0 A25.1 Contratação de serviço de CFTV/Controle de Acesso Serviços CGAD Fase de Aprovação R$ ,00-3 A26.1 Contratações de empresa especializada em instalação e manutenção de ponto lógico e elétrico Serviços CTEC Fase de Aprovação R$ ,00 R$ ,00 2 A27.1 Aquisição de servidores para atualização do parque tecnológico Infraestrutura CTEC Fase de Aprovação R$ ,00 R$ ,00 3 A28.1 Compra de licenças adicionais de VMware Software CTEC Fase de Aprovação - R$ ,00 3 EMBRATUR 91

92 PLANO DE INVESTIMENTO PDTI 2015/2016 ID AÇÃO PRIORIZADA TIPO REQUISITANTE STATUS ATUAL VALORES (R$) PRIORIDADE DE EXECUÇÃO A29.1 Implantar sistemática para atualização periódica do inventário de TIC Gestão e Governança de TIC CTEC Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto A30.1 A31.1 Contratar serviço para fazer redesenho de arquitetura/topologia de TIC atualizada e implantar sistemática de atualização. Contratar serviço especializado para fazer diagnóstico da situação de TIC utilizando o COBIT 4.1 ou superior em relação à gestão e governança com o objetivo de traçar planos para evolução Gestão e Governança de TIC Gestão e Governança de TIC CTEC CTEC Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto Incluso no contrato de sustentação de produtos e serviços do parque tecnológico Incluso no contrato de PETI/PDTI Incluso no contrato de sustentação de produtos e serviços do parque tecnológico Incluso no contrato de PETI/PDTI 2 2 A32.1 Fazer e manter atualizado um Catálogo de Serviços de TIC Gestão e Governança de TIC CTEC Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto Incluso no contrato de PETI/PDTI - 2 A33.1 Contratar capacitação em Gestão e Processos de Desenvolvimento de Sistemas Capacitação CTEC Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto R$ ,00-3 EMBRATUR 92

93 PLANO DE INVESTIMENTO PDTI 2015/2016 ID AÇÃO PRIORIZADA TIPO REQUISITANTE STATUS ATUAL VALORES (R$) PRIORIDADE DE EXECUÇÃO A34.1 Contratar capacitação em Termo de Referência e Gestão de Contratação Capacitação CTEC Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto R$ 5.000,00-2 A35.1 Contratar capacitação em Cobit 4.1 ou superior e Itil Capacitação CTEC Estágio Inicial Definição inicial do escopo da ação ou projeto R$ ,00 R$ ,00 3 A36.1 Contratação de pacote de licenças da Microsoft envolvendo Office, Windows, Exchange CAL, SQL Server, CisData. Software CTEC Fase de Elaboração do Termo de Referência R$ ,00 (para 12 meses) R$ ,00 (para 12 meses) 0 *As ações A33.1 a A35.1 são demandas da CTEC que deverão ser previstas no orçamento de RH previsto para este fim. EMBRATUR 93

94 14. Plano de Gestão de Riscos Esta seção apresenta o Plano de Gestão de Risco do PDTI, com os riscos identificados, probabilidade de ocorrência, impacto, criticidade, ações de mitigação ou preventivas, além dos responsáveis por cada risco. Duas categorias de riscos foram identificadas relacionados ao PDTI. A primeira categoria refere-se aos riscos associados às questões relativas à Tecnologia da Informação e Comunicação e seu impacto na gestão e governança de TIC da EMBRATUR. A segunda categoria refere-se especificamente aos riscos da não execução parcial ou total do PDTI. Os riscos foram identificados segundo: Sua Probabilidade: Muito Alto, Alto, Moderado, Baixo e Muito Baixo; Seu Impacto: Muito Alto, Alto, Moderado, Baixo e Muito Baixo; A combinação resulta no Grau de Criticidade: Probabilidade vs. Impacto. e impacto. A figura n 14 representa o grau de criticidade em função da probabilidade EMBRATUR 94

95 Impacto Muito Baixo Baixo Moderado Alto Muito Alto Muito Alto Probabilidade Alto Moderado Baixo Muito Baixo Figura n 14 Criticidade dos Riscos em função da probabilidade e grau de impacto. Riscos na Gestão e Governança de TIC da EMBRATUR A partir da análise SWOT, das discussões durante o workshop de PETI e elaboração do PDTI, e da Auto-avaliação qualitativa Cobit 4.1, os seguintes riscos foram inicialmente avaliados em relação às questões relativas à Tecnologia da Informação e Comunicação e seu impacto na governança de TIC da EMBRATUR. Os resultados encontram-se na tabela n 05 a seguir. Riscos da não execução total ou parcial do PDTI A partir dos fatores críticos para implantação do PDTI e das discussões durante o workshop PETI e elaboração do PDTI, os seguintes riscos foram inicialmente avaliados em relação à não execução parcial ou total do PDTI. Os resultados encontram-se na tabela n 06 a seguir. EMBRATUR 95

96 N RISCO PROBABILIDADE IMPACTO CRITICIDADE Desalinhamento ou não integração entre os processos de negócio e as soluções de TIC. Defasagem tecnológica frente às ferramentas de comunicação/interação com agentes do mercado. Contingenciamento de Orçamento limitando a evolução tecnológica. Perda de conhecimento por saída de pessoal chave de TIC 3 (moderado) 4 (alto) 6 3 (moderado) 4 (alto) 6 4 (alto) 4 (alto) 7 3 (moderado) 4 (alto) 6 5 Demora na decisão/aprovação pela alta administração de assuntos estratégicos e táticos envolvendo a área de TIC 5 (muito alto) 4 (alto) 8 Tabela n 05 Riscos relativos à Governança de TIC da EMBRATUR. AÇÃO DE MITIGAÇÃO Revisão da Integração entre os sistemas e os processos de negócio Adquirir ferramentas tecnológicas compatíveis com a evolução do mercado. Trabalhar politicamente e tecnicamente para obter orçamento específico de TIC. Planejar antecipadamente a reposição de pessoal chave de TIC. Implantar critérios de priorização e deliberação sobre os projetos de TI. RESPONSABILIDADE PRESI, DAFIN, CTEC PRESI, DAFIN, CTEC PRESI, DAFIN, CTEC PRESI, DAFIN, CTEC PRESI, DAFIN, CTEC EMBRATUR 96

97 N RISCO PROBABILIDADE IMPACTO CRITICIDADE Desalinhamento entre o PEI (ainda não existente) e o PDTI Falta de interesse da Administração Superior por desconhecimento ou falta de foco estratégico/político. Falta de orçamento para execução das ações do PDTI Falta de estrutura (pessoal e ferramentas) para efetivo monitoramento e controle Falta de comunicação ou comunicação imprecisa, sobre o PDTI e suas ações às partes interessadas. Tabela n 06 Riscos relativos à não implantação do PDTI 3 (moderada) 5 (muito alto) 7 3 (moderada) 5 (muito alto) 7 5 (muito alto) 5 (muito alto) 9 4 (alto) 4 (alto) 7 4 (alto) 3 (moderado) 6 AÇÃO DE MITIGAÇÃO Acelerar a elaboração do PEI e revisar o alinhamento com o PDTI Institucionalizar o PDTI e sua obrigatoriedade de execução através de Portaria da Presidência. Trabalhar politicamente e tecnicamente para obter orçamento específico de TIC. Acompanhar o PDTI com uso do software Channel de forma descentralizada. Elaborar Plano de Comunicação da CTEC com foco no PDTI, divulgando-o em Portal da EMBRATUR. RESPONSABILIDADE PRESI, DAFIN, CTEC PRESI PRESI, DAFIN DAFIN, CTEC PRESI, DAFIN, CTEC EMBRATUR 97

98 15. Proposta Orçamentária de TIC TIPO VALORES (R$) Infraestrutura ou Hardware , ,00 Desenvolvimento/Manutenção de sistemas , ,00 Software (Aquisição) , ,00 Serviço de TIC (Contratação) , ,00 Segurança , ,00 Capacitação , ,00 Gestão e Governança de TIC , ,00 VALOR TOTAL , ,00 Tabela n 07 Proposta Orçamentária de TIC Os valores acima são oriundos do Plano de Investimentos apresentado no item 13 deste PDTI, segundo cada tipo de investimento. EMBRATUR 98

99 16. Processo de Revisão do PDTI Conforme registrado no início do documento, o PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação poderá ser revisto a cada quatro meses, a partir de sua publicação, de forma a sempre refletir as reais necessidades da Instituição, seu alinhamento com o negócio, e sua adequação ao processo orçamentário da Instituição, segundo as orientações do Comitê Gestor de TIC da EMBRATUR. De acordo com o Guia de Elaboração do PDTI do SISP, processo 1.1, temos que: O PDTI não é um documento imutável: ao longo do período de validade, deve ser revisto e atualizado para atender às necessidades e estratégias organizacionais. Ou seja, ainda que o PDTI possa alcançar dois ou mais anos, deve ocorrer um processo de revisão, pelo menos anualmente, de modo a atualizar diretrizes, planos e, principalmente, consolidar a proposta orçamentária de TI para o exercício seguinte. A responsabilidade para a revisão do PDTI é da própria equipe técnica que o elaborou liderada pela Coordenadora de Suporte Tecnológico. A aprovação final sempre será feita pelo Comitê Gestor de Tecnologia da Informação. Vários motivos podem provocar atualizações no documento PDTI como por exemplo: alterações nas necessidades, objetivos, metas, ações ou projetos, plano de investimentos, proposta orçamentária, etc. No entanto, sugere-se que haja um motivo relevante, devidamente justificado, para a atualização do documento, de forma a que não haja alterações que prejudiquem a finalidade do instrumento. Vale ressaltar que o PDTI só tem validade com a devida aprovação pelo Comitê Gestor de Tecnologia da Informação, e publicação do resumo no DOU, através de Portaria ou Ato Normativo. EMBRATUR 99

100 17. Fatores Críticos para a Implantação Os seguintes fatores críticos de sucesso foram elencados pela equipe multidisciplinar que elaborou o PETI e foram ratificados por ocasião da elaboração deste PDTI: 1. Orçamento Importante que o orçamento de TIC seja compatível com as demandas de infraestrutura e recursos necessários a execução do PDTI. 2. Política e Interesse da Administração Superior Será necessário o envolvimento da Alta Direção na execução do PDTI. O PDTI deve se manter alinhado e integrado às estratégias do negócio da EMBRATUR de forma a contribuir efetivamente com os objetivos estratégicos da Instituição, independente de eventuais mudanças na direção, por questões técnicas ou políticas. A execução e o acompanhamento do PDTI deverá ser prioridade e sua institucionalização deverá ser feita via instrumentos oficiais, como Resolução ou Portaria da Presidência. 3. Credibilidade É fundamental que haja credibilidade no instrumento PDTI. Esta credibilidade só será alcançada com a prática de rituais de gestão adequados para este fim, como reuniões de análise tática, acompanhamento dos indicadores e metas, acompanhamento da execução dos projetos, etc. Reconhecer as conquistas e objetivos alcançados na implantação do PDTI é uma forma de sedimentar a cultura de metas, resultados e objetivos na Instituição. 4. Estrutura para Monitoramento e Controle Faz-se necessário uma estrutura mínima de acompanhamento do PDTI, devidamente qualificada, com responsabilidade para monitoramento e controle do Plano. Será necessário suprir a organização com informações gerenciais corporativas sistematizadas para acompanhamento eficiente dos projetos, e indicadores de desempenho do PDTI, associados ao Mapa Estratégico de TIC - BSC. EMBRATUR 100

101 É preciso enfatizar a importância deste fator para o real monitoramento da execução do PDTI e todos os seus requisitos, principalmente o acompanhamento das metas com seus indicadores, bem como o acompanhamento das ações que compõem o Plano de Investimentos. 5. Comunicação Um plano de comunicação efetivo do PDTI é primordial para o engajamento e comprometimento de todos os colaboradores envolvidos com o PDTI, apresentando os resultados com transparência, evidenciando os avanços e os pontos a melhorar, bem como as correções de rumos necessárias à execução do PDTI. EMBRATUR 101

102 18. Conclusão Conforme relatado no início da apresentação deste PDTI, o objetivo deste documento foi estruturar o Plano Diretor de Tecnologia da Informação da EMBRATUR, cujo desafio maior é contribuir para que a AGENDA de TIC, suas metas e objetivos estratégicos estejam alinhadas com os desafios institucionais da EMBRATUR. No entanto, dois outros propósitos igualmente importantes merecem ser destacados, como razão da existência do PDTI da EMBRATUR: 1. CONFORMIDADE - Responder às orientações dos órgãos de Controle (TCU, CGU, etc.) e estar em conformidade com as exigências legais; 2. EFETIVIDADE - Caminhar na direção de contribuir para obter melhores resultados para a EMBRATUR, a partir da melhoria do Modelo de Gestão e Governança de TIC. Foram consultados 36 referenciais e normativos durante a elaboração deste PDTI, listados no Capítulo 5, de forma que o instrumento seja efetivamente um documentos de planejamento para as ações e investimentos de TIC da EMBRATUR, alinhado com as orientações do Governo Federal e balizado pelas melhores práticas de mercado. Convém ressaltar que a infraestrutura tecnológica existente na EMBRATUR responde à demanda atual da Instituição, como pode ser verificado no diagnóstico executivo da situação atual de TIC Anexo 19.4 deste PDTI. No entanto, coerente com o objetivo estratégico n 08, serão necessários constantes investimentos para acompanhar o crescimento da demanda de serviços de TIC, de forma a manter o aprimoramento e atualização do parque tecnológico, em termos de segurança, velocidade de processamento, tecnologia, EMBRATUR 102

103 e recursos condizentes com os desafios do incremento do turismo internacional no Brasil. Por se tratar do primeiro PDTI da EMBRATUR faz-se necessário, um constante e primoroso esforço tanto de institucionalização, como de operação para o trabalho de execução e acompanhamento das ações, única forma de se alcançar as metas e os objetivos propostos, e assim, contribuir efetivamente com a missão institucional da Instituição. EMBRATUR 103

104 19. Anexos 19.1 Situação Atual da Governança e Gestão de TI Durante os workshops de construção coletiva dos trabalhos preparatórios ao PDTI, os participantes divididos em três grupos, avaliaram de forma qualitativa, com discussão em grupo e posterior validação em plenária, o nível da TIC da EMBRATUR em relação a cada um dos processos de cada domínio do COBIT 4.1, utilizando os seguintes critérios de avaliação: 0- Inexistente; 1- Existente, mas inicial (Inicial, Ad Hoc); 2- Está documentado (Repetível, porém intuitivo); 3- Está documentado e sendo praticado sistematicamente (Processo Definido); 4- Está tendo gerenciamento contínuo e em constante evolução (Gerenciado e Mensurável); 5- É referência (otimizado). Como resultado geral e por domínio temos: EMBRATUR 104

105 Domínios PLANEJAR E ORGANIZAR AUTO AVALIAÇÃO QUALITATIVA COBIT 4.1 Processos Auto-Avaliação PO1 Definir um Plano Estratégico de TI X PO2 Definir a Arquitetura de Informação X PO3 Determinar a Direção Tecnológica X PO4 Definir Processos de TI, Organização e Relacionamento X PO5 Gerenciar o Investimento em TI X PO6 Comunicar Metas e Diretivas Gerenciais X PO7 Gerenciar Recursos Humanos X PO8 Gerenciar Qualidade X PO9 Avaliar e Gerenciar Riscos X PO10 Gerenciar Projetos X ADQUIRIR E IMPLEMENTA R AI1 Identificar soluções automatizadas X AI2 Adquirir e manter software aplicativo X AI3 Adquirir e manter arquitetura tecnológica X AI4 Manter operação e uso X AI5 Obter Recursos de TI X AI6 Gerenciar mudanças X AI7 Instalar e certificar Soluções e Mudanças X ENTREGAR E ASSISTIR MONITOR E AVALIAR DS1 Definir níveis de Serviços X DS2 Gerenciar Serviços de Terceiros X DS3 Gerenciar Performance e Capacidade X DS4 Garantir Continuidade dos Serviços X DS5 Garantir Segurança dos Sistemas X DS6 Identificar e Alocar Custos X DS7 Educar e Treinar usuários X DS8 Gerenciar Service Desk e Incidentes X DS9 Gerenciar a Configuração X DS10 Gerenciar Problemas X DS11 Gerenciar Dados X DS12 Gerenciar os Ambientes Físicos X DS13 Gerenciar Operações X ME1 Monitorar e Avaliar a Performance de TI X ME2 Monitorar e Avaliar Controle Interno X ME3 Assegurar Conformidade Regulatória X ME4 Fornecer Governança de TI X Tabela n 09 Auto-Avaliação Cobit 4.1. EMBRATUR 105

106 RESULTADOS DA AUTO-AVALIAÇÃO: Domínio: Planejar e Organizar - uma nota zero; - três notas 1; - seis notas 2; - uma nota 3. Média: 1.80 de 10 processos do domínio. Domínio: Adquirir e Implementar - quatro notas 1; - três notas 2; Média: 1.43 de 7 processos do domínio. Domínio: Entregar e Assistir - três notas um; - três notas 2; - sete notas 3. Média: 2.31 de 13 processos do domínio. Domínio: Monitorar e Avaliar - três notas 1; - uma nota 2; Média: 1.25 de 4 processos do domínio. Resultado Geral: - uma nota zero; - treze notas 1; - quatorze notas 2; - oito notas 3. Média: 1.91 de 34 processos do Cobit 4.1. EMBRATUR 106

107 As notas oriundas da auto-avaliação da TI da EMBRATUR estão entre o nível 1 e 2, se aproximando mais do 2, ou seja, iniciando o processo de governança de TI, e começando a ter documentação. Não cabe nesta primeira auto-avaliação qualitativa, julgar ou questionar estes resultados. Está previsto no PDTI a ação A Contratar serviço especializado para fazer diagnóstico da situação de TI utilizando o COBIT 4.1 ou superior em relação à gestão e governança com o objetivo de traçar planos para evolução do Modelo de Maturidade de TIC Inventário: Hardwares, Softwares, Redes, Serviços, e Sistemas Este anexo detalha, num amplo inventário, a estrutura tecnológica da EMBRATUR envolvendo a infraestrutura de hardware, os softwares de infra, as licenças de software, os equipamentos de rede e telefonia, os serviços de telefonia e Internet, uma lista dos softwares que apoiam os negócios e os processos administrativos da Instituição, um inventário de domínios, um inventário de contratos de TIC, e por fim, a lista dos serviços de TIC (um protótipo de um Catálogo de Serviços) colocados à disposição da Instituição. EMBRATUR 107

108 Item Quantidade Fornecedor Modelo Rack Observação CPU's 150 Dell OPTPLEX Core I3 CPU's 150 Dell OPTPLEX Core i5 Monitores 150 Dell E1911C - 17" Monitores 150 Dell REVA00-17" Ultrabooks 20 Lenovo T430 Thinkpad - Core I5 Notebooks 30 Itautec M Core 2 Duo Servidores Físicos 2 Dell Modelo R520 RCK05 Servidores Físicos 2 Dell Modelo R900 RCK05 Cedidos pelo MTur Servidores Físicos 2 Dell Modelo R610 RCK04 Servidores Físicos 2 Dell Modelo R RCK RCK03 Servidores Físicos 7 Dell Modelo R RCK RCK03 Storage 1 Netapp Modelo 2040 RCK04 Storage 1 Netapp Modelo 2240 RCK2240 Televisões 2 LG LN " Aparelhos Telefônicos 253 Siemens Modelo Optipoint 410 Standard - Aparelhos Telefônicos 20 Siemens Modelo Openstage 20 - Aparelhos Telefônicos 3 Siemens Modelo Openstage 80 - Projetores 2 NEC NP215 - Projetores 3 EPSON Power light x17 - Impressoras 3 HP Color laser Jet 5550 PCL 5c E - Xerox 1 Phaser 4510 E - Robô de Fita (para Backup) 1 Quantum Scalar i500 RCK04 EMBRATUR 108

109 Item Fornecedor Versão Finalidade Rack Observação NetBackup McAfee Backup RCK04 AD Active Directory Microsoft 2003 Serviço de Diretório - Whatchguard McAfee Firewall RCK02 Comutado Webgateway McAfee Proxy Servidor de Requisição RCK02 Comutado T. Protection/ Gateway McAfee 7.5 Antispam RCK02 Comutado EPO Security McAfee Antivírus RCK02 Comutado IPS McAfee Plataforma de segurança de redes RCK02 Comutado Zabbix Zabbix 2.0 Monitoramento de Ativos - WhatsUp Gold Ipswitch 14.3 Monitoramento de Rede - Risk Manager Modulo 8.0 Gestão de Incidente - SVN Tortoise 1.8 Repositório de documentos - vsphere ESXi Vmware Hypervisor da VMware para virtualização de Hosts - 8 licenças (para 2 proc.) VMware vcenter Vmware Standard Gerenciador de Hosts virtualizados - 01 licença Pool VMware Operations Manager Vmware - Análises Gerenciais da VMWare VMware vcenter WebClient Vmware - Gerenciador via browser do vcenter da VMware Exchange Microsoft 2007 Mensageria - Windows Server Microsoft 2003 DNS (Externo/ Interno) e Protocolos LDAP e DHCP - Jboss Server Jboss Servidor de Aplicação - Free Ubuntu Server Ubuntu Servidor de Aplicação - Free Apache Server Apache Servidor de Aplicação - Free PostGres SQL PostGres 9.4 Banco de Dados - Free MySQL Server MySQL (Oracle) Banco de Dados - Free SQL Server Enterprise Microsoft 2012 Banco de Dados - Licenciamento EMBRATUR 109

110 Item Quantidade Fornecedor Versão Rack Observação Office Professional 300 Microsoft Plus 2013 Off365PE3 - Uso sob demanda Exchange Server Standard CAL 300 Microsoft 2013 ECALbridge Uso sob demanda Lync Server Standard CAL 300 Microsoft Uso sob demanda Sharepoint Server Standard CAL 300 Microsoft Uso sob demanda System Center Configuration manager Client ML 300 Microsoft 2012 RL - Uso sob demanda System Center Endpoint Protection 300 Microsoft 2012 RL - Uso sob demanda Windows Server 300 Microsoft CISDataCtr - Uso sob demanda Windows Enterprise 300 Microsoft 8.1 Enterprise w/mdop - Uso sob demanda Channel 100 JExperts Última versão do fornecedor - Uso sob demanda Obs.: Softwares da Microsoft referentes ao Contrato n. 10/2013 em parceria com o MTur, na modalidade EAS -Enterprise Agreement Subscription incluindo o Software Assurance - SA EMBRATUR 110

111 Item Quantidade Fornecedor Modelo Rack Observação Switch 09 Cisco 3560-G 2 - RCK02 07 em operação, 02 backup Switch 02 Cisco 4948-E 2 - RCK02 02 em operação Switch 20 Cisco RCK02 18 em operação, 02 em backup Access Point (wireless) 12 Cisco - 09 em operação, 03 com defeito Controladora de rede WIFI 01 Cisco 4400 RCK02 IPS 01 McAfee M1450 RCK02 Comutado Watchguard (Proxy/Webmail/Antispam/Antivírus) 02 McAfee WG4500 RCK02 Comutado PoE 14 FTD Injector 802.3af RCK02 PRÓPRIO Gateway telefonia 01 Siemens AP3700 RCK01 PRÓPRIO Roteador Tronco Chave Placa E1 01 Embratel - RCK02 Embratel No-breaks RCK06 16 Baterias No-breaks UPS-x 16 Baterias No-breaks UPS-y 16 Baterias Obs.: Serviço de telefonia VoiP encontra-se em PoC para nova contratação (solução Avaya) Item Quantidade Fornecedor Tipo Rack Observação Provedor de Internet 100MB Telebrás Dedicada RCK02 Comutado Provedor de Internet 50MB Infovia Contingência RCK02 Em Implantação Provedor de Telefonia 1 Embratel Tronco-chave - Placas E1 EMBRATUR 111

112 ID Sigla - Sistema N de usuários Objetivo Tecnologia Sistema Integrado com 1 Atualização de Dados Cadastrais 83 É um módulo do SGRH/Banco de Talentos, que permite aos colaboradores e servidores atualizarem as informações pessoais, de formação profissional e capacitações. JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação Jboss Banco de Dados: PostGreSQL SGRH 2 Aquarela - Sistema Aquarela 86 Sistema que apoia a execução do Plano Aquarela, responsável por gerir o planejamento estratégico, das ações promocionais da EMBRATUR, sejam eventos ou ações de marketing. Faz ainda o Controle do Planejamento, Solicitação de Serviço, Empenho, Ordem de Serviço, Solicitação de Pagamento de Fornecedores e Relatórios. JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Adobe Flex ( flash); Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL CONTRATOS/SISCOF/ SCA/SGRH 3 BlogTUR - - Sistema legado inativo Inativo 4 CAU - Central de Atendimento ao Usuário NC Registro de abertura de chamados para atendimentos de infraestrutura de TI. PHP Banco de Dados: PostGreSQL 5 Contratos - Sistema de Gestão de Contratos 75 Registro e administração dos contratos da EMBRATUR sejam da área meio ou finalística. Controle efetivo do Planejamento e Execução dos contratos. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL AQUARELA/SCA/ SGRH/DOCUMWEB 6 Convênios - Sistema de Gestão de Convênios Registro de administração dos convênios da EMBRATUR. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SISCOF/SCA/ DOCUMWEB EMBRATUR 112

113 ID Sigla - Sistema N de usuários Objetivo Tecnologia Sistema Integrado com 7 Documweb - Sistema de Gestão de Documentos 336 Gestão de documentos e processos na EMBRATUR: O sistema Documweb tem por finalidade facilitar o acompanhamento de tramitação dos documentos e processos, oferecendo mais recursos para controle. O Sistema visa melhorar a gestão de documentos e processos entre as áreas da empresa, por meio da manutenção e controle dos documentos e processos, permitindo efetuar consultas rápidas e personalizadas, de maneira fácil e intuitiva. JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss SGRH/SCA 8 Feiras - Sistema de Gestão de Feiras 15 Promover a gestão do Programa de Promoção de Feiras Internacionais de Turismo desenvolvido pela EMBRATUR, como forma de: Automatizar todo o processo operacional, promovendo a emissão de documentos e integração com outras entidades e com os sistemas da EMBRATUR; Controlar prazos previstos, com emissão de alertas para cada fase do processo de realização das feiras, conforme previsto no manual de procedimentos; Cadastrar as informações técnicas de eventos; Acessar as informações dos co-expositores; Cadastrar informações dos resultados do evento; Acessar recomendações do Plano Aquarela; Obter controle de remessa de material; Emitir relatórios operacionais e gerenciais. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss AQUARELA/SCA/ SGRH 9 GDATUR - Sistema de Avaliação e Gratificação 7 Fez-se necessário, de acordo com a Portaria nº 106, de 29 de Junho de 2011 e Portaria nº 9, de Fevereiro de 2013, que os servidores tenham seu desempenho de atividades avaliado através da Avaliação de Desempenho de Atividades, acarretando uma gratificação para esses servidores de acordo com os critérios e procedimentos específicos da referida portaria. Para que essas avaliações não sejam realizadas manualmente, acarretando excesso de trabalho para o Departamento Pessoal da Embratur, que receberia inúmeras avaliações impressas para análise e cálculo de nota, foi solicitado que essa avaliação seja automatizada, facilitando o acesso dos servidores que devem realizar essas avaliações quanto à divulgação das notas dos servidores. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação Jboss Banco de Dados: PostGreSQL SGRH EMBRATUR 113

114 ID Sigla - Sistema N de usuários Objetivo Tecnologia Sistema Integrado com 10 Intranet - Portal Interno Embratur - Nova Intranet com completa gestão de conteúdo onde são exibidas informações de contato das autoridades e funcionários da empresa, dicas importantes e procedimentos. Emissão de relatórios e serviços de comunicação de forma efetiva e fácil. O sistema possibilita ao usuário acessar os sistemas e sites externos a Intranet, relacionados à empresa. O sistema permitir todas as funcionalidades com maior interatividade e usabilidade. opemcmss Banco de Dados: PostGreSQL 11 LAI - Portal de Lei de Acesso à Informação - Sistema de Portal de Acesso à Informação em atendimento à Lei de Acesso à Informação. opemcmss Banco de Dados: PostGreSQL 12 MARKOS - Sistema de Gestão de Fornecedores 51 Sistema de cadastro de fornecedores. Esse sistema é integrado a todos os demais sistemas que trabalham com informações referentes a fornecedores. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação Jboss Banco de Dados: PostGreSQL AQUARELA/ CONTRATOS/SISCOF/ SGA 13 Observatório 6 O controle dos documentos da EMBRATUR é realizado através da rede da EMBRATUR, assim nem todos os colaboradores possuem o conhecimento dos documentos existentes e nem há um controle do armazenamento. Desta forma o controle dos documentos e sua divulgação se tornaram uma atividade muito artesanal. Diante deste cenário, surgiu a necessidade de desenvolvimento de um sistema informatizado que realizasse o gerenciamento desses documentos com acesso através da intranet. Com isso, todos poderão tem acesso e podem realizar download conforme necessidade. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação Jboss Banco de Dados: PostGreSQL 14 PIM - Sistema de Promoção Internacional de Municípios 8 Sistema de gestão para automatização do processo de classificação e pontuação das propostas de promoções internacionais de municípios, permitindo a manutenção dessas informações. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH EMBRATUR 114

115 ID Sigla - Sistema N de usuários Objetivo Tecnologia Sistema Integrado com 15 Portal de Compras - Portal de Compras - Sistema de Gestão que integra o SGA com o Portal de Compras da EMBRATUR..Net; Hibernate Banco de Dados: SQLServer SGA 16 SCA - Sistema de Controle de Acesso 237 Sistema de Controle de Acesso visa a elaboração de um Workflow que automatiza todo o processo (solicitação de acesso, aprovação da área gestora e liberação final), além de manter os cadastros e funcionalidades necessárias para o gerenciamento das informações referentes à gestão de usuários, acessos e senhas. Permitindo assim que a CTEC faça a liberação final do acesso ao usuário apenas após a área gestora ter total ciência e responsabilidade sob o perfil que estará sendo liberado ao servidor. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL 17 SCIE - Sistema Controle de Inscrições e Eventos 19 Gerir as inscrições de empresas participantes, dos eventos realizados pela EMBRATUR. JSF;EJB3;Grails; Hibernate Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH 18 SDM - Sistema de Distribuição de Material 84 Sistema para gestão das requisições de materiais promocionais. Registros de pedidos, liberações e entregas, com integração de limite de estoque, com o SGA (Almoxarifado). JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH/SGA/SIAFI 19 SGA - Sistema de Gestão de Almoxarifado 190 Sistema para gestão do almoxarifado que automatiza o processo de controle de materiais de um almoxarifado, em conformidade com as especificidades da EMBRATUR, e que permita a integração com o Portal de Compras, possibilitando a requisição de compras de materiais JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH/SDM/ MARKOS EMBRATUR 115

116 ID Sigla - Sistema N de usuários Objetivo Tecnologia Sistema Integrado com 20 SGC - Sistema de Gestão de Capacitação 206 Sistema para a gestão de capacitações ofertadas pela EMBRATUR, com registro de participantes, frequência, aprovação e reprovação de capacitações solicitadas pelos próprios funcionários e relatórios. JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH 21 SGP - Sistema de Gestão de Patrimônio 22 Sistema para gestão do patrimônio que automatiza o processo de controle de bens patrimoniais, em conformidade com as especificidades da EMBRATUR. JSF;EJB3;Superwaba; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH 22 SGRH - Sistema de Gestão de Recursos Humanos 360 Sistema de gestão de recursos humanos da EMBRATUR: Com funcionalidades que permitem ao RH, ter um controle maior das informações do Órgão. JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA 23 SGRH-BT - Sistema de Gestão de Recursos Humanos - Banco de Talentos NC Sistema de Gestão de Recursos Humanos com fontes de informações necessárias para formar um Banco de Talentos de servidores. JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH 24 SINDEB - Sistema de Informações de Destinos do Brasil 40 Sistema de informações do destino Brasil, responsável pela gestão dos produtos turísticos, que são ofertados pelo Brasil nas ações promocionais no exterior. JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH 25 SISCOF - Sistema de Controle Orçamentário e Financeiro 25 Sistema de gestão e acompanhamento orçamentário e financeiro, armazenando informações orçamentárias e execuções de pagamentos e liquidações referentes ao orçamento da EMBRATUR. Inclusive sendo integrado com o sistema SIAFI (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal) JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL AQUARELA/ CONTRATOS/ CONVÊNIOS/SIAFI EMBRATUR 116

117 ID Sigla - Sistema N de usuários Objetivo Tecnologia Sistema Integrado com 26 FROTAS - Sistema de Frotas 2 O SCF Sistema de Controle de Frotas tem como objetivo registrar os cadastros de veículos (Integração com o Sistema de patrimônio) suas manutenções e despesas, suas rotas realizadas e consequentemente os chamados atendidos, a quantidade de quilometragem percorrida por mês e por ano, gerenciamento de multas/infrações, documentos obrigatórios, seguros totais e o controle gerencial nos relatórios mensais e anuais. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGRH/SGP 27 SPP - Sistema de Posicionamento de Produto 33 O objetivo principal do Sistema de Posicionamento de Produtos é disponibilizar, através de análise automática e inteligente baseada em conceitos matemáticos e estatísticos, a lista de produtos mais adequada de acordo com os interesses e perfil socioeconômico dos turistas que vem ao Brasil. Permite ainda, a realização de um refinamento desta lista de produtos, bem como a disponibilização de informações de negócio (agregadas) para a sequência do trabalho pelos analistas como, por exemplo, as ações de produção de material promocional destes produtos junto às diferentes agências de publicidade internacionais. JSF;EJB3;Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação Jboss Banco de Dados: PostGreSQL AQUARELA/SCA 28 SISPUB - Sistema de Publicação 11 Sistema de gestão para organização e automatização do controle de publicações, permitindo que a área gestora possua um maior controle no cadastro e gestão das publicações relacionadas à EMBRATUR, e dessa forma possa disponibilizar as informações referentes a essas publicações para consulta pelos demais servidores do órgão de forma rápida e segura. JSF; EJB3; Hibernate 3.0 Jasper Reports; Servidor de aplicação JBoss Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SCRH/PORTAL/ INTRANET EMBRATUR 117

118 ID Sigla - Sistema N de usuários Objetivo Tecnologia Sistema Integrado com 29 Inventário Mobile - Aplicativo de coleta de patrimônios NC Aplicativo mobile compatível com smartphones Android para realização do inventário patrimonial da EMBRATUR com as seguintes características: Capacidade de efetuar a leitura das etiquetas patrimoniais utilizando a câmera do dispositivo para identificar um item do patrimônio; Sincronização com o sistema de patrimônio web através de webservices, acabando com a necessidade da realização de carga e descarga de dados; Capacidade de consolidar os itens identificados, apresentando a relação de itens não encontrados, novos itens encontrados e itens cuja localização foi alterada. Android Banco de Dados: PostGreSQL SCA/SGP EMBRATUR 118

119 ID Identificação Domínio Descrição Observação 1 Portal/Site Institucional Portal da EMBRATUR contendo informações relevantes de interesse de seu público, como legislação, dados e informações institucionais, agenda de eventos, notícias, artigos, clipping, fotos, vídeos. Responsabilidade pelo conteúdo: ASCOM 2 LAI - Portal de Lei de Acesso à Informação Seção do site da EMBRATUR que reúne e divulga, de forma espontânea, dados que são de interesse coletivo ou geral, com o objetivo de facilitar o acesso à informação pública, conforme determina a Lei de Acesso à Informação (Lei , de 18/11/2011). Responsabilidade pelo conteúdo: ASGOV 3 Portal/Site Promocional Portal da EMBRATUR voltado para a promoção internacional contendo informações relevantes e várias ferramentas para ampliar a experiência e o conhecimento sobre o Turismo no Brasil. Responsabilidade pelo conteúdo: DMARK em conjunto com outras diretorias de negócio Obs.: 1. Os domínios acima estão hospedados no Data Center do Embratur (os sites do visitbrasil estão em processo de migração para o Data Center). 2. O Portal visitbrasil contém várias ferramentas como: Dicas Práticas, Trip Planner, Visit Brasil no you tube, Brasil 360, Brasil Home e Sensacional Books. EMBRATUR 119

120 Nº do Contrato Objeto Vigência CNPJ Fornecedores Denominação 00010/2014 Aquisição de 150 (cento e cinquenta) estações de trabalho (desktop) com prestação de serviço de assistência técnica pelo período de garantia. 08/04/2014 à 08/04/2015 (em garantia) / SYSTECH SISTEMAS E TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA LTDA-ME 00013/2010 Contratação de empresa especializada para a manutenção e suporte, com fornecimento de componentes/peças de reposição, suprimentos e papel e a gestão de toda a impressão eletrônica de documentos gerados, conectados ou não em rede. 19/05/2010 à 19/05/ / OS INFORMÁTICA COMÉRCIO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA LTDA 00001/2014 Contratação de empresa para prestação de serviços e atividades de engenharia de software para atender às necessidades de TI da EMBRATUR. 16/01/2014 à 16/01/ / SQUADRA TECNOLOGIA EM SOFTWARE LTDA 00016/2014 Fornecimento de licenças perpétuas do antivírus McAfee, em sua versão mais atual, renovação da manutenção das licenças perpétuas, em uso pela EMBRATUR, por um período de 3 anos e treinamento na solução. 13/05/2014 a 13/05/ / PSN TECNOLOGIA LTDA EMBRATUR 120

121 Nº do Contrato Objeto Vigência CNPJ Fornecedores Denominação 00019/2014 Prestação de serviços por empresa especializada para a Prestação de Serviço de Contratação de serviço mensal de link de internet dedicado com 30 endereços válidos com elances iniciais de comunicação simétrica de 10 Mbps acesso à internet de banda larga. 23/05/2014 a 23/05/ / TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A /2014 Prestação de serviços de manutenção preditiva, de manutenção preventiva, de manutenção corretiva, de suporte técnico presencial, de transferência de tecnologia, de supervisão e monitoração remotos dos dispositivos visuais e sensoriais e de fornecimento de componentes, peças, materiais e insumos, para atendimento aos equipamentos do Sistema de Infraestrutura de Alta Disponibilidade da EMBRATUR 24/09/2014 a 24/09/ / SCHNEIDER ELETRIC INDUSTRIA BRASIL LTDA 00005/2014 Aquisição de 20 (vinte) equipamentos de microinformática notebooks, contemplando equipamentos e assistência técnica da garantia. 17/02/2014 a 17/02/2015 (em garantia técnica) / LENOVO TECNOLOGIA (BRASIL) LTDA /2014 Contratação de empresa para prestação de serviços técnicos especializados para digitalização, guarda, inteligenciamento de documentos da EMBRATUR. (Gestão da DAFIN). 27/03/2014 à 27/03/2015 (em garantia) / VERT SOLUÇÕES EM INFORMÁTICA LTDA EMBRATUR 121

122 Nº do Contrato Objeto Vigência CNPJ Fornecedores Denominação 00008/2013 Prestação de serviços técnicos especializados de Tecnologia da Informação - TI para sustentação de produtos e serviços do parque tecnológico da EMBRATUR. 28/06/2014 a 28/06/ / CAST INFORMÁTICA S/A /2014 Prestação de serviços técnicos de apoio à elaboração do PETI - Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação, estruturação e implantação de unidade de apoio à gestão integrando estratégia, projetos e processos da área, operação assistida à execução do PETI, e fornecimento de solução integrada para apoio à execução PETI, PEI - Planejamento Estratégico Institucional e do PDTI - Plano Diretor de Tecnologia da Informação para a área de TI - CTEC da EMBRATUR. 25/06/2014 a 25/06/ / TS CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA /2014 Contratação de empresa especializada na prestação de serviços técnicos de apoio à elaboração do PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação, estruturação e implantação de unidade de apoio à gestão integrando estratégia, projetos e processos da área, operação assistida à execução do PETI e fornecimento de solução integrada para apoio à execução do PETI, PEI. 20/11/2014 a 20/11/ / TS CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA /2013 Aquisição de equipamento de armazenamento de dados corporativos, conforme especificações contidas no Termo de Referência. 21/08/2013 a 21/08/ / COLUMBIA STORAGE INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS LTDA. EMBRATUR 122

123 Nº do Contrato Objeto Vigência CNPJ Fornecedores Denominação 00044/2014 Contratação de empresa especializada em prestação de serviços de rede dinâmica de distribuição de conteúdo e aceleração de aplicações transacionais na WEB, não intrusiva, incluindo atenuação e atendimento de tráfego malicioso, permitindo o bloqueio dos acessos não legítimos, incluindo serviços de ativação, monitoração, ajustes e configuração, para atender às demandas dessa Autarquia. 08/01/2015 a 08/01/ / EDGE TECHNOLOGY LTDA /2014 Fornecimento de licenças de ferramentas para virtualização de servidores de rede, Software de Atualização, Suporte técnico em regime 24 (vinte e quatro) horas por 7 (sete) dias, Treinamento de produto VMWARE (vsphere Enterprise Plus Edition e vcenter Standard, Operations Management), e garantia da licença com suas atualizações por um período de 36 meses. 16/10/2014 a 16/10/ / PRINT SOLUÇÃO EM TECNOLOGIA LTDA Autorização, concedida pelo Banco Central do Brasil para acessar o Sistema de Informações - Sisbacen 18/01/2012 a 17/01/ / BANCO CENTRAL DO BRASIL 00023/2013 Prestação de serviços de solução corporativa de conectividade sem fio, para serviço de voz, acesso à Internet, correio eletrônico, mensagens de texto, por meio de aparelhos móveis fornecidos em regime de comodato. (Gestão da DAFIN). 06/11/2013 a 06/11/ / TELEFONICA BRASIL S.A. EMBRATUR 123

124 Nº do Contrato Objeto Vigência CNPJ Fornecedores Denominação 0024/2013 Aquisição de 02 (dois) Servidores de Rede em Rack, com alta performance, disponibilidade, escalabilidade e segurança em atendimento às necessidades de ampliação e atualização dos equipamentos de TI da EMBRATUR. 20/12/2013 à 20/12/2014 (em garantia) / SYSTECH SISTEMAS E TECNOLOGIA EM INFRMÉTICA LTDA-ME 0010/2012 Aquisição de 100 (cem) desktops segundo especificação. 16/07/2012 à 16/01/2013 (em garantia) / DELL COMPUTADORES DO BRASIL LTDA /2012 Contratação de solução integrada de segurança de redes de computadores. 30/11/2012 a 30/11/2013 (em garantia) / PSN TECNOLOGIA LTDA 00010/2013 Seção de direito de uso de software da plataforma Microsoft (Parceria com MTur) 28/05/2013 a 28/15/ / ALLEN RIO SERVIÇOS E PRODUTOS DE INFORMÄTICA LTDA EMBRATUR 124

125 ID Identificação Categoria Descrição Executiva Observação 1 Portais Promocionais Serviços de Negócio Disponibilização dos diferentes sites existentes no Portal Promocional da EMBRATUR. 2 Serviços de Negócio Disponibilização de serviços de /mensageria corporativa. 3 Sistemas Corporativos Serviços de Negócio 4 Intranet Serviços de Negócio Disponibilização de diversos softwares/aplicativos de negócio e sistemas administrativos. Disponibilização de Portal com informações de interesse para o público interno da EMBRATUR que possibilita ao usuário acessar os sistemas internos e sites externos a Intranet, relacionados à empresa. 5 Serviço de Suporte - CAU 6 Serviços de Impressão 7 Serviço de Desktops 8 Serviço de Projetor/Laptops 9 Data Center Serviços de Computação Pessoal Serviços de Computação Pessoal Serviços de Computação Pessoal Serviços de Computação Pessoal Serviços de Infraestrutura de TI Serviço de atendimento de primeiro nível ao usuário de TIC. Serviços de manutenção e suporte, com fornecimento de componentes/peças de reposição, suprimentos e papel e a gestão de toda a impressão eletrônica de documentos. Disponibilização de equipamentos /computadores tipo Desktops. Disponibilização de projetores e laptops para trabalhos de apresentação corporativa. Disponibilização de toda infraestrutura necessária ao funcionamento de TIC da EMBRATUR. EMBRATUR 125

126 ID Identificação Categoria Descrição Executiva Observação 10 Segurança da Informação Serviços de Infraestrutura de TI Serviços tecnológicos para manutenção e garantia da segurança da informação. 11 Redes Serviços de Infraestrutura de TI Serviços de disponibilização e manutenção de redes corporativas. 12 Monitoramento Serviços de Infraestrutura de TI Serviços de monitoramento de informações relativas à disponibilidade e funcionamento dos diversos equipamentos e aplicativos de TIC. 13 Hospedagem Serviços de Infraestrutura de TI Serviços de Hospedagem de sites e Portais no Data Center da EMBRATUR. 14 Banco de Dados Serviços de Infraestrutura de TI Serviços relativos ao gerenciamento e tratamento do Banco de Dados dos diversos sistemas da EMBRATUR. 15 Suporte à Infraestrutura Serviços de Gestão de TI 16 Desenvolvimento de Sistema Serviços de Gestão de TI 17 Sustentação de Sistemas Serviços de Gestão de TI 18 Treinamento Serviços de Gestão de TI Serviços técnicos especializados de Tecnologia da Informação - TI para sustentação de produtos e serviços do parque tecnológico da EMBRATUR. Serviços e atividades de engenharia de software para atender às necessidades de desenvolvimento de novos sistemas para a EMBRATUR. Serviços e atividades de engenharia de software para atender às necessidades de manutenção evolutiva e sustentação de sistemas existentes para a EMBRATUR. Serviços de treinamento em aplicativos e sistemas para usuário, sob demanda. EMBRATUR 126

127 ID Identificação Categoria Descrição Executiva Observação 19 Gestão de Projetos Serviços de Gestão de TI Serviços de elaboração de termos de referencia e documentação, segundo a legislação vigente, relacionados à aquisições de serviços e bens de TIC, bem como a gestão de projetos relativas a estas ações. 20 Telefonia IP Serviços de Comunicação Disponibilização e gestão de telefonia IP. 21 Internet Serviços de Comunicação Disponibilização e gestão de Internet. 22 Intranet Serviços de Comunicação Disponibilização e gestão de Intranet. 23 WIFI Serviços de Comunicação Disponibilização e gestão de rede sem fio WIFI. 24 Serviços de VPN Serviços de Comunicação Disponibilização de serviços de VPN, sob demanda. EMBRATUR 127

128 Figura n 15 Inventário de Serviços de TIC da EMBRATU EMBRATUR 128

129 19.3 Descrição da Arquitetura Tecnológica A seguir está descrita, de forma executiva, a arquitetura tecnológica da EMBRATUR. DATA CENTER O Data Center da EMBRATUR está equipado com seis racks, com chave de segurança. A sala armazena os hardwares de TIC conforme listados no item 19.2 Inventário. A sala é refrigerada por ar condicionado de precisão com controle de temperatura e umidade, é monitorada por câmeras de movimento, tem detectores de fumaça, e possui no-breaks para garantir a estabilidade da alimentação de energia elétrica no equipamentos de TIC. A figura n 16 mostra a disposição dos racks no Data Center localizado no térreo, na CTEC. A alocação dos equipamentos (hardware) em cada um dos racks está contida nas tabelas do Inventário constante do item 19.2 deste PDTI. Figura n 16 Data Center da EMBRATUR Disposição dos Racks. EMBRATUR 129

130 A seguir, faremos uma breve descrição de cada um componentes dos racks do Data Center: 1. Racks UPS-x, UPS-y e RCK06: Comportam os módulos de baterias de no-breaks. Estão localizados no UPS-x os módulos principais, no UPS-y os módulos de contingência, e no RCK06 os módulos de bateria para alimentar os pavimentos superiores. Atualmente estes no-breaks estão conectados com os equipamentos da CTEC e da Presidência, precisando de investimentos adicionais para a alimentação de outras áreas da Instituição. 2. Racks RCK01 e RCK02: O RCK01 é o rack específico para telecomunicações: contém o equipamento Gateway, marca Siemens modelo AP3700, responsável pela interoperabilidade entre a rede IP e o STFC repassando os fluxos de áudio entre o STFC e a rede IP. O RCK02 contém os equipamentos que sustentam a rede no Instituto, e adicionalmente, aparelhos comutados da Telebrás, Infovia e McAfee. A figura n 17 apresenta a estrutura física dos racks RCK01 e RCK02 no Data Center. EMBRATUR 130

131 Figura n 17 Racks 01 e 02 - Equipamentos de Telecomunicações e Redes 3. Racks RCK03, RCK04 e RCK05: Os Racks RCK03, RCK04 e RCK05 contém os servidores físicos e equipamentos complementares (storage, plataforma de backup, etc.) que sustentam os diversos softwares e aplicativos (sistemas) da EMBRATUR, conforme lista do inventário item As estruturas físicas e lógicas dos racks RCK03, RCK04 e RCK05 estão representadas nas figuras a seguir. EMBRATUR 131

PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Instituto Brasileiro de Turismo PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PETI 2015 2019 Brasília, outubro/2014 APRESENTAÇÃO É notória a importância cada vez maior da atividade turística na geração

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

Modelo de Referência 2011-2012

Modelo de Referência 2011-2012 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação - SLTI Modelo de Referência 2011-2012 Plano Diretor de Tecnologia de Informação Ministério do Planejamento,

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Governança de TI no Governo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Agenda Agenda Contexto SISP IN SLTI 04/2008 EGTI Planejamento

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Modelo de Referência Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Versão 1.0 Premissas do modelo 1. Este modelo foi extraído do material didático do curso Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia

Leia mais

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI)

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI) 00 dd/mm/aaaa 1/15 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação ABRANGÊNCIA Este da Informação abrange todo o IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Documentos de referência 3. Metodologia

Leia mais

Relato sobre a elaboração do PDTIC da UFMA

Relato sobre a elaboração do PDTIC da UFMA Relato sobre a elaboração do PDTIC da UFMA Nélio Alves Guilhon Tereza Cristina Brito Moreira Lima HISTÓRICO TI DA UFMA 1976: Resolução 423/76 ( 26/04/1976 ) Cria o Centro de Processamento de Dados (CPD)

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Versão 1.0 Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Índice INTRODUÇÃO... 3 FINALIDADE...

Leia mais

Política de Segurança da informação e Comunicação

Política de Segurança da informação e Comunicação Política de Segurança da informação e Comunicação 2015-2017 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autores 28/04/2015 1.0 Elementos textuais preliminares Jhordano e Joilson 05/05/2015 2.0 Elementos

Leia mais

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 André Luiz Furtado Pacheco, CISA Graduado em Processamento de

Leia mais

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares,

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares, PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 630/2011 Define a Política de Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicações

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Emerson de Melo Brasília Novembro/2011 Principais Modelos de Referência para Auditoria de TI Como focar no negócio da Instituição

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV

Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV P D T I Plano Diretor de Tecnologia da Informação Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV EQUIPE DE ELABORAÇÃO Plano Diretor

Leia mais

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012 2015 Controle de Revisão Ver. Natureza Data Elaborador Revisor

Leia mais

Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração

Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração Marta Suplicy Ministra da Cultura Ana Cristina Wanzeler Secretária-Executiva Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração Paulo Cesar Kluge Coordenador-Geral de Tecnologia

Leia mais

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 Agenda Contexto SISP Planejamento de TI PDTI 2 SISP Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática Decreto nº 1.048, de 21 de janeiro

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. Dispõe sobre aprovação da Política de Segurança da Informação do IFMG. O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS, no uso

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR

Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR PRA Pró-Reitoria de Administração Curitiba, setembro de 2014 Equipe de Elaboração da Proposta Amarílio

Leia mais

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação André Luiz Furtado Pacheco, CISA 4º Workshop de Auditoria de TI da Caixa Brasília, agosto de 2011 Agenda Introdução Exemplos de Deliberações pelo TCU

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 1/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015.

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

A experiência de quem trouxe a internet para o Brasil agora mais perto de você

A experiência de quem trouxe a internet para o Brasil agora mais perto de você A experiência de quem trouxe a internet para o Brasil agora mais perto de você A Escola A Escola Superior de Redes da RNP privilegia um ensino totalmente prático. Os laboratórios são montados de forma

Leia mais

Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI. Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br

Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI. Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br Agenda Definição e Benefícios Normativos IN04, Resoluções CNJ e CNMP Acórdãos TCU Panorama

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PERÍODO 2012 A 2016 MANAUS/AM VERSÃO 1.0 1 Equipe de Elaboração João Luiz Cavalcante Ferreira Representante da Carlos Tiago Garantizado Representante

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Governança de TI no Ministério da Educação

Governança de TI no Ministério da Educação Governança de TI no Ministério da Educação José Henrique Paim Fernandes Secretário Executivo Ministério da Educação Novembro de 2008 Governança de TI no Ministério da Educação Contexto Gestão e Tecnologia

Leia mais

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança ANEXO I CENTRO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS DO CAU Política de Governança e de Gestão da Tecnologia da Informação do Centro de Serviço Compartilhado do Conselho de Arquitetura e Urbanismo Colegiado Gestor

Leia mais

Relatório de Gestão DGTI

Relatório de Gestão DGTI Relatório de Gestão DGTI 1.Contextualização Histórico Administrativa Com o projeto de expansão do Governo Federal que criou os Institutos Federais em todo o Brasil, o antigo Centro Federal de Educação

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015

Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015 Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015 Rio de Janeiro Fevereiro de 2014 Ministério de Minas e Energia (Esta página foi intencionalmente deixada em branco para o adequado alinhamento

Leia mais

PDTI 2015 2019 (Versão 1.1)

PDTI 2015 2019 (Versão 1.1) PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO Data Emissão: 10/12/2014 Elaborado por: Marcelo Gaspar Revisado por: Cintia Aldrighi Data Aprovação: Verificado por: Aprovado por: REGISTRO DE REVISÕES Revisão

Leia mais

Implantação do modelo integrado de consultoria para aumentar a maturidade de governança de tecnologia da informação do Estado brasileiro

Implantação do modelo integrado de consultoria para aumentar a maturidade de governança de tecnologia da informação do Estado brasileiro Implantação do modelo integrado de consultoria para aumentar a maturidade de governança de tecnologia da informação do Estado brasileiro Vinicius Eloy dos Reis Tiago Chaves Oliveira Introdução O Brasil

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO AUDITORIA INTERNA SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 Tema: EXAME DAS ATIVIDADES DE TI SOB A RESPONSABILIDADE DA SUCOM. Tipo de Auditoria:

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019. Versão 0 1.0

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019. Versão 0 1.0 PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019 Versão 0 1.0 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019 Presidente Luiz Otávio Pimentel Vice-Presidente Mauro Sodré

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0 TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Brivaldo Marinho - Consultor Versão 1.0 CONTROLE DA DOCUMENTAÇÃO Elaboração Consultor Aprovação Diretoria de Informática Referência do Produto

Leia mais

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Renata Assunção Farias Introdução Em 2007, após pesquisa com órgãos da Administração Pública Federal (APF), o TCU atestou

Leia mais

GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Número da Norma Complementar Revisão Emissão Folha ICMBio Instituto Chico Mendes De Conservação da Biodiversidade Diretoria de Planejamento, Administração e Logística ORIGEM GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO MARANHÃO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI - MPMA 2015-2016 VERSÃO 1.0 SÃO LUÍS - MA, 2014 Procuradora-Geral de Justiça Regina Lúcia de Almeida Rocha Procuradora de Justiça Diretor-Geral

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

Plano de Governança de Tecnologia de Informação

Plano de Governança de Tecnologia de Informação Plano de Governança de Tecnologia de Informação Julho/2012 Junho/2014 1 Universidade Federal Fluminense Superintendência de Tecnologia da Informação Fernando Cesar Cunha Gonçalves Superintendência de Tecnologia

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DEZEMBRO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cgti@listas.ifbaiano.edu.br Site: http://www.ifbaiano.edu.br

Leia mais

PDTI - Plano Diretor de Tecnologia da Informação, incluindo a revisão do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2013-2014

PDTI - Plano Diretor de Tecnologia da Informação, incluindo a revisão do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2013-2014 PDTI - Plano Diretor de Tecnologia da Informação, incluindo a revisão do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2013-2014 Índice 1 Introdução...1 2 Apresentação...2 3 Referencial e Alinhamento

Leia mais

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança IV Encontro do Forplad Daniel Moreira Guilhon, CISA Novembro/2012 1 O que pretendemos? Conceituar os aspectos relacionados à boa governança para assegurar

Leia mais

Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR

Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR Rejane Maria da Costa Figueiredo UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA CAMPUS FGA *Fonte: Material: Edméia Andrade e Claudio Cruz Agenda

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 19/4/212 17:17 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário?

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação DETIC/DEINT

Plano Diretor de Tecnologia da Informação DETIC/DEINT DIRETORIA DE TECNOLOGIA DITEC Plano Diretor de Tecnologia da Informação DETIC/DEINT 2013-2014 1 CASA DA MOEDA DO BRASIL Francisco de Assis Leme Franco Presidente Marcone da Silva Leal Diretor Vice-Presidente

Leia mais

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment Cláudio Muniz Machado Cavalcanti claudio.cavalcanti@planejamento.gov.br

Leia mais

CETI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação

CETI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação CETI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação CETI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação O que é um comitê de TI? Porque devemos ter? O comitê do MinC Atribuições Composição Agenda Ratificação

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação

Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação Relatório de Gestão 2011/2012 Centro de Gerenciamento de Informações e Concursos - CGIC Introdução A principal finalidade

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015

Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015 Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015 Fundação Nacional do Índio Diretoria de Administração e Gestão Coordenação de Gestão em Tecnologia da Informação Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Contratação de Serviços de TI. Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti

Contratação de Serviços de TI. Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti Contratação de Serviços de TI Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti O antigo modelo de contratação de serviços de TI 2 O Modelo antigo de contratação de serviços de TI Consiste na reunião de todos

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

Auditoria de TI: 4 questões a serem respondidas

Auditoria de TI: 4 questões a serem respondidas Auditoria de TI: 4 questões a serem respondidas André Luiz Furtado Pacheco, CISA 41º FonaiTec João Pessoa, 26 e 27 de novembro de 2014 Agenda 1. Introdução 2. Estrutura de Governança de TI 3. Processo

Leia mais

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Dispõe sobre a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª. Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Plano Diretor de Tecnologia da Informação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2015/2016 Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2015-2016 Brasília- DF MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI Dados de Identificação Dirigente máximo da instituição Nome/Sigla da instituição pública Nome do dirigente máximo Nome/Cargo do dirigente de TI Endereço do setor de TI 1 Apresentação O Tribunal de Contas

Leia mais

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011-2015 Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Controle de Revisão Rev. Natureza da Revisão Data Elaborador Revisor 001 Versão inicial 18/07/11

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Minuta Relatório de resultados do PDTI anterior

Minuta Relatório de resultados do PDTI anterior RELATÓRIO DE RESULTADOS DO PDTI ANTERIOR Outubro de 2011 Elaborado pelo Grupo de Trabalho Intersetorial para elaboração do Plano Diretor de Tecnologia de Informação PDTI, nos termos da Portaria nº 4551,

Leia mais

José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto

José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto Análise dos três níveis: Governança Corporativa Governança de TI Gerenciamento da Área de TI ORGANIZAÇÃO Governança Corporativa Governança

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Institui o Programa de Fortalecimento Institucional da ANAC. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no exercício das competências

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO 4º BATALHÃO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO (4º Batalhão Ferroviário/1955) BATALHÃO GENERAL ARGOLO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 4º BATALHÃO DE ENGENHARIA

Leia mais

Gestão e Tecnologia da Informação

Gestão e Tecnologia da Informação Gestão e Tecnologia da Informação Superintendência de Administração Geral - SAD Marcelo Andrade Pimenta Gerência-Geral de Gestão da Informação - ADGI Carlos Bizzotto Gilson Santos Chagas Mairan Thales

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES

GESTÃO DE RISCOS DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES Número da Norma Complementar Revisão Emissão Folha ICMBio Instituto Chico Mendes De Conservação da Biodiversidade Diretoria de Planejamento, Administração e Logística ORIGEM COTEC - Coordenação de Tecnologia

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação

Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação PDTIC UFMA 2012-2014 2012 2014 Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação Aprovado pela Resolução CONSAD nº 132/2013 São Luís/MA 2012 PDTIC UFMA 2012-2014 Fundação Universidade Maranhão Avenida

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União I Workshop de Governança de TI da Embrapa Estratégia utilizada para

Leia mais

Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG

Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG Versão 1.0 Setembro de 2015 Governo do Estado da Bahia Rui Costa Secretaria do Planejamento João Felipe de Souza Leão Gabinete do Secretário

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva

Carlos Henrique Santos da Silva GOVERNANÇA DE TI Carlos Henrique Santos da Silva Mestre em Informática em Sistemas de Informação UFRJ/IM Certificado em Project Management Professional (PMP) PMI Certificado em IT Services Management ITIL

Leia mais

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos Exercício 2015 Auditoria Interna Unidade de Auditoria Interna - CEFET/RJ Normativos: Portaria nº 07, de 15/01/2001: cria a Unidade de Auditoria

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

ACÓRDÃO Nº 1233/2012 TCU Plenário

ACÓRDÃO Nº 1233/2012 TCU Plenário ACÓRDÃO Nº 1233/2012 TCU Plenário 1. Processo nº TC 011.772/2010-7. 2. Grupo I Classe de Assunto V: Relatório de Auditoria 3. Interessados/Responsáveis: 3.1. Interessada: Secretaria de Fiscalização de

Leia mais

ATO Nº 229/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 229/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 229/2013 Aprova a Norma Complementar de Criação da Equipe de Tratamento e Resposta a Incidentes na Rede de Computadores do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União Palestra UNICEUB Estratégia utilizada para implantação da Governança

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO Nº 27/2013, DE 29 DE AGOSTO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO Nº 27/2013, DE 29 DE AGOSTO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO Nº 27/2013, DE 29 DE AGOSTO DE 2013 Dispõe sobre a Política de Segurança da Informação e

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA Fabiana Alves de Souza dos Santos Diretora de Gestão Estratégica do TRT 10 1/29 O TRT da 10ª Região Criado em 1982 32 Varas do Trabalho

Leia mais

Unidade especializada em auditoria de TI. caso TCU. Renato Braga, CISA Tribunal de Contas da União

Unidade especializada em auditoria de TI. caso TCU. Renato Braga, CISA Tribunal de Contas da União Unidade especializada em auditoria de TI caso TCU Renato Braga, CISA Tribunal de Contas da União 2 O participante aprenderá mais sobre: As diferenças entre unidades de auditoria especializada e não especializada

Leia mais

Estratégia Geral de Tecnologia da Informação

Estratégia Geral de Tecnologia da Informação Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Estratégia Geral de Tecnologia da Informação EGTI 2011-2012 Presidente da República Luiz Inácio Lula da

Leia mais

Planejamento Estratégico de. Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de. Tecnologia da Informação Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2012-2014 Coordenadoria de Tecnologia da Informação Pró-reitoria de Planejamento Universidade

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP SERVIÇOS DE CONSULTORIA EIXO TEMÁCO: GOVERNANÇA DE Implantação de Metodologia de Elaborar e implantar uma metodologia de gerenciamento de projetos no órgão solicitante, com a finalidade de inserir as melhores

Leia mais