MESTRADO MARKETING TRABALHO FINAL DE MESTRADO TRABALHO DE PROJECTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MESTRADO MARKETING TRABALHO FINAL DE MESTRADO TRABALHO DE PROJECTO"

Transcrição

1 MESTRADO MARKETING TRABALHO FINAL DE MESTRADO TRABALHO DE PROJECTO PLANO DE MARKETING URBAN FIT Miguel Figueiredo Antunes de Aboim Abrantes Setembro-2012

2 MESTRADO EM MARKETING TRABALHO FINAL DE MESTRADO TRABALHO DE PROJECTO PLANO DE MARKETING URBAN FIT Miguel Figueiredo Antunes de Aboim Abrantes Orientação: Professor Doutor José Manuel Veríssimo Setembro-2012

3 RESUMO O sedentarismo é uma característica que marca a sociedade moderna, as zonas urbanizadas são as mais afetadas. Com a evolução da internet e das novas tecnologias os jovens passam cada vez mais tempo em casa ao invés de desenvolverem atividades exteriores que permitem um maior consumo calórico. Tal fator leva a um acréscimo da obesidade infantil e juvenil que deterioram a sua qualidade de vida e têm implicações na sua saúde. Este trabalho vem dar resposta às necessidades destes jovens através de um Plano de Marketing para a criação de um Ginásio de qualidade a preços low-cost exclusivo para estudantes entre os 18 e os 35 anos. Este plano analisa as perspetivas internas e externas do ginásio relativamente à segmentação, ao posicionamento, ao mercado-alvo e objetivos de marketing e financeiros a atingir nos primeiros dois anos. Os fatores-chave e a concorrência também são analisados. O marketing-mix distribui-se por sete características: Serviço, Preço, Distribuição, Comunicação, Pessoas, Processo e Evidencias Físicas. Os recursos humanos têm um papel fundamental no plano dado que serão estes a lidar diretamente com os clientes na prestação do serviço e poderão observar o desenvolvimento deste. Palavras-Chave: Plano de Marketing, Ginásio, marketing desportivo, serviços, jovens. Miguel Figueiredo Abrantes II

4 ABSTRACT Sedentary lifestyle is a characteristic that brands modern society, the urban zones are the most affected. With the evolution of the internet and the new technologies, young people spend more time at home instead of developing outside activities that allow a higher caloric consumption. Such factor leads to a higher rate of childhood and juvenile obesity which deteriorate their health and life quality. This work will give an answer to the needs of these young people through a marketing plan that involves the creation of a quality gym with low cost prices exclusively for students aged from 18 to 35 years. This plan analyses the internal and external perspectives of the gym in relation to the segmentation, positioning, target-market, marketing and financial objectives set on the first two years. The key-factors and the competition are also analyzed. The marketing mix is divided in seven characteristics: Service, Price, Placement, Promotion, People, Process and Physical Evidence. The human resources play a fundamental role in the given plan in order that they will deal directly with the costumers during the service delivery and can examine its development. Key-words: Marketing Plan, Gym, Sport Marketing, Services, Young. Miguel Figueiredo Abrantes III

5 Índice de Temas 1.1 Relevância do estudo face ao contexto atual Estrutura do trabalho apresentado Metodologia Utilizada REVISÃO DE LITERATURA Plano de Marketing Estrutura do plano de marketing aplicado ao desporto ANÁLISE SITUACIONAL Análise do ambiente Análise do ambiente externo Análise do ambiente interno Análise SWOT (matriz da Sinergia) SEGMENTAÇÃO, MERCADO-ALVO E POSICIONAMENTO Variáveis de segmentação Mercado-alvo Posicionamento OBJECTIVOS DO PLANO E SUPORTE DE MARKETING Direção do plano de marketing Objetivos para o plano de marketing Planeamento do suporte de marketing Serviço Preço Miguel Figueiredo Abrantes IV

6 6.3 Distribuição Comunicação Processo Evidências Físicas PLANEAMENTO DE MEDIÇÃO DA PERFORMANCE Medição da performance de marketing Bibliografia Miguel Figueiredo Abrantes V

7 Índice de Tabelas Tabela I Análise comparativa da definição e estrutura do plano de marketing segundo vários autores... 6 Tabela II Estrutura de um plano de marketing segundo Wood (2007)... 8 Tabela III - Dados da Recessão Económica em Portugal Tabela IV Análise da concorrência Tabela V Valores médios dos ginásios Low-Cost e Premium Tabela VI Análise SWOT Tabela VII Variáveis de segmentação Tabela VIII Objetivos de Marketing Tabela IX Objetivos Financeiros Tabela X Serviços disponibilizados pelo Ginásio Urban Fit em Tabela XI Tarifário do Ginásio Urban Fit para Tabela XII Profissionais do Ginásio Urban Fit em Tabela XIII Orçamento de marketing do ginásio Urban Fit para 2013/ Tabela Tabela XIV Calendarização das ações de marketing Tabela XV. Métricas para aferir o cumprimento dos objetivos financeiros e dos objetivos de marketing Miguel Figueiredo Abrantes VI

8 1. INTRODUÇÃO 1.1 Relevância do estudo face ao contexto atual O objetivo deste trabalho final de mestrado prende-se com a criação de um plano de marketing que visa o lançamento de um ginásio de qualidade a preços low-cost denominado Urban Fit. Vivemos numa época em que o estilo de vida sedentário e a obesidade afetam cada vez mais a qualidade de vida dos jovens que procuram seguir os padrões de beleza atuais e, face à conjetura atual, não lhes é possível despenderem muito dinheiro em ginásios com preços elevados indo, esta proposta, ao encontro das suas necessidades. Dado que o ginásio Urban Fit e o seu respetivo Plano de Negócio, serão projetados de raiz, determinados pontos presentes neste trabalho adotaram direções generalizadas e valores inferênciados, não correspondendo assim à condição particular deste ginásio. 1.2 Estrutura do trabalho apresentado O presente trabalho está dividido em 7 capítulos sendo que o Plano de Marketing propriamente dito se dividem 5 (do capítulo 3 até ao 7), A exposição do plano de marketing é precedida pelo capítulo 1 de contextualização do trabalho e por uma revisão de literatura no capítulo 2, sendo analisado neste ponto qual a estrutura mais ajustada ao plano de marketing para desporto, mais concretamente um ginásio. A análise recai sobre Miguel Figueiredo Abrantes 1

9 os modelos sugeridos por Wood (2007), Kotler & Clarke (1987) e Hillestad & Berkowitz (1991). Também é realizada uma pequena abordagem relativa ao marketing no desporto. No 3º capítulo é efetuada uma análise ao ambiente interno e externo do ginásio sendo que no ambiente interno analisa-se as tendências demográficas, económicas, legais e também culturais bem como a concorrência. Esta análise interna foi efetuada apelando à legislação existente e aos recursos que se presumem ser disponibilizados na realização do projeto dado que este ainda é fictício. É igualmente exposta uma matriz de sinergia formada através da análise SWOT do ginásio. O capítulo seguinte (4º) possui uma definição da segmentação, do mercado-alvo e também do posicionamento do ginásio. O capítulo 5 contém os objetivos do plano e o planeamento ao suporte de marketing no qual se inclui a direção do plano e as estratégias de crescimento além do marketing interno. As ações executadas no âmbito do marketing-mix estão presentes no 6º capítulo, sendo examinado o serviço, o preço, a distribuição, a comunicação, as pessoas, o processo e as evidências físicas. Por fim segue-se a medição da performance no 7º e último capítulo onde são efetuadas métricas necessárias para monitorizar o alcance dos objetivos do plano bem como a calendarização das ações e o orçamento. Miguel Figueiredo Abrantes 2

10 1.3 Metodologia Utilizada Na realização deste Plano de Marketing foi fundamental a pesquisa de artigos científicos relativos a Planos de Marketing, Planos de Marketing relativos a Ginásios e Health Clubs e marketing associado ao desporto para assim poder desenvolver o plano com uma melhor compreensão dos recursos essenciais para alcançar a tarefa ambicionada. Também a concorrência foi analisada com o intuito de diferenciar o serviço prestado. 2. REVISÃO DE LITERATURA 2.1 Plano de Marketing Simplificação é a melhor maneira de atrair a atenção do consumidor" (Pedro Camargo) Numa sociedade cada vez mais consumista e capitalista, em que a lei da oferta excede em larga escala as necessidades da procura, surgiu a necessidade de encontrar formas apelativas e sensibilizadoras de atrair a atenção do consumidor e ajudá-lo a tomar decisões, nomeadamente o marketing e a publicidade. Marketing pode ser definir como um processo social no qual se obtêm desejos e necessidades através da criação, oferta e troca de produtos ou serviços de valor (Kotler, 1987). Através do marketing procura-se a forma de compreender, criar, comunicar e fornecer valor e identidade ao produto/serviço, Miguel Figueiredo Abrantes 3

11 de forma a otimizar as oportunidades de mercado e a facilitar a sua implementação no mercado (Kotler & Barata, 2000). Dado o aumento da especificidade do mercado e da importância atribuída à continuidade das ações do marketing, muitas empresas têm optado por desenvolver ações específicas espaçadas no tempo, mais do que por pequenas campanhas, criando assim a noção de plano de marketing. Por plano de marketing entenda-se o conjunto de estratégias de cada empresa ou entidade para estabelecer ações proactivas no mercado, antecipando as movimentações da concorrência de modo a proporcionar soluções e alternativas válidas aos consumidores. Para que funcionem de acordo com um plano, estas ações têm de ser sucessivas e coordenadas viabilizando desta forma objetivos definidos previamente (Lópes & Beltron, 1990). Um plano de marketing subdivide-se em análise das oportunidades de mercado, a seleção dos segmentos-alvo, o desenvolvimento de estratégias e programas de marketing bem como a gestão e monitorização das ações implementadas para seguir o plano de marketing (Kotler & Keller, 2006), desta forma os marketeers identificam e avaliam as oportunidades para satisfazer necessidades que conduzam aos objetivos propostos, ou ameaças que interfiram na concretização destes (Wood, 2007). O plano de marketing tem de ser observado como um processo em constante adaptação ao invés de um evento rígido e anual uma vez que a situação do marketing é extremamente volátil (Wood, 2007). Miguel Figueiredo Abrantes 4

12 2.1.1 Marketing no desporto Citando Jorge Olímpio Bento (2006), desporto é um espelho onde o Homem reflete todas as suas forças e fraquezas, as suas virtudes e defeitos, as suas dignidades e indignidades, os seus heroísmos e cobardias, as suas coragens e medos, as suas nobrezas e vilarias, revelando toda a sua plenitude e transparência. Neste sentido, dada a importância que o desporto ocupa na vida da maioria das pessoas têm sido criados alguns planos de marketing com o intuito de difundir produtos e serviços desportivos de uma forma apelativa para o consumidor podendo conceber o Marketing Desportivo como um conjunto de ações cujo objetivo consiste na satisfação das necessidades, expectativas e exigências do consumidor aplicadas ao desporto (Sá & Sá, 2009). Dada a diversidade de produtos e serviços desta área de atividade, cada vez temos campanhas mais aliciantes e que exigem uma maior estrutura e planeamento por parte das equipas de marketing, assim como difusão mais envolvente e aliciante. 2.2 Estrutura do plano de marketing aplicado ao desporto Existem diversas abordagens que estão na base da elaboração dos planos de marketing podendo salientar, de acordo com a bibliografia consultada os modelos propostos por Kotler e Clarke (1987), por Killestand e Berkowitz (1991) e por Wood (2007), tal como está explicitado na tabela a abaixo. Miguel Figueiredo Abrantes 5

13 TABELA I ANÁLISE COMPARATIVA DA DEFINIÇÃO E ESTRUTURA DO PLANO DE MARKETING SEGUNDO DIVERSOS AUTORES Kotler & Clarke (1987) Definição O plano de marketing é um processo de gestão para desenvolver e manter uma relação adequada entre os objetivos e recursos da empresa com as mudanças de oportunidade de mercado. Estrutura -Sumário Executivo; -Análise Interna e Externa; -Definição de Objetivos e metas; -Estratégia de marketing; -Planos de ação; -Orçamentos; -Monitorização. Hillestad e Berkowitz (1991) Wood (2007) O plano de marketing envolve o estabelecimento de objectivos, a formulação de estratégias e o desenvolvimento de um plano de acção. O planeamento do marketing dá origem ao plano concebendo as estratégias essenciais ao crescimento da empresa através de actividades que aumentem os consumidores e a visibilidade do negócio. -Análise Interna e Externa; -Definição da estratégia; Objetivos de marketing; -Estratégias de marketing; -Organização e recursos humanos; -Orçamento; -Plano de contingência. -Sumário Executivo; -Situação atual do marketing; -Objetivos e questões; -Mercado alvo, análise do consumidor e posicionamento; -Estratégia de marketing; -Programas de marketing; -Plano Financeiro; -Controlos da implementação. Miguel Figueiredo Abrantes 6

14 Existem semelhanças entre as estruturas propostas pelos variados autores, nomeadamente todas têm início na análise interna e externa da empresa com o intuito de identificar pontos fortes e fracos bem como ameaças e oportunidades que se apresentam no mercado. É ainda de referir que as três abordagens referem, como passos seguintes, a definição dos objetivos de marketing e a elaboração da estratégia e respectivos programas de marketing de modo a alcançar esses objetivos propostos. Para finalizar, as várias abordagens referem a necessidade de controlo das diversas acções a realizar e os custos inerentes às mesmas, de modo a que, em caso de desvio do plano, seja possível o arranque de medidas corretivas. Da análise comparativa das três estruturas propostas é de realçar tanto a importância dada aos recursos humanos no modelo de Hillestad & Berkowitz (1991), dada a importância deste elemento para o sucesso de uma organização desportiva ou para um ginásio, como a análise do mercado-alvo e do consumidor para a obtenção eficaz de melhores resultados patente na estrutura proposta por Wood (2007). A tabela II explicita a estrutura de Wood (2007), é possível observar que esta estrutura adiciona os recursos humanos aos programas de marketing, e permite a possibilidade de elaboração de um plano alternativo de contingência nos controlos de implementação. Desta forma será a estrutura a seguir no desenvolvimento deste plano de marketing. Miguel Figueiredo Abrantes 7

15 TABELA II ESTRUTURA DE UM PLANO DE MARKETING SEGUNDO WOOD (2007) Secção Sumário Executivo Situação Actual do Marketing Objectivos e Questões Mercado-alvo, Análise do Consumidor e Posicionamento Descrição Análise sucinta dos objectivos-chave do plano conectando as ações de marketing aos objetivos e estratégias; Sintetiza as tendências do ambiente externo e interno; Aferição do estado da situação a nível interno e externo (mercado, produtos, missão, competidores); Análise SWOT (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças); Planeamento das metas a atingir no plano de marketing e identificar questões que afetem a realização das mesmas; Decifra as resoluções de fragmentação, targeting e posicionamento bem como os segmentos a atingir através de uma visão abrangente sobre as necessidades dos consumidores e possíveis clientes a nível de comportamentos, desejos, atitudes, lealdade e padrões de compra; Estratégia de Marketing Programas de Marketing Plano Financeiro Controlos da Implementação Expõe a estratégia que será utilizada tendo em conta os fins do plano de marketing por meio da conceção, comunicação e transmissão de valor ao segmento de mercado a atingir; Explica os planos de apoio à estratégia de marketing no qual se inserem ações específicas, calendarização e garantias para o marketing mix (produto, preço, distribuição, comunicação), serviço e Endomarketing; Resultados previstos, custos e rendimentos fundamentados no plano de marketing; Assinala a forma como o plano irá ser executado, a performance é mensurada através de métricas; apresenta como os ajustamentos serão realizados com o intuito de manter os planos focalizados nos objetivos; abrange também um plano de contingência. Miguel Figueiredo Abrantes 8

16 3. ANÁLISE SITUACIONAL 3.1 Análise do ambiente A escolha do ginásio está relacionada com o interesse pessoal do autor deste projeto. Tal opção traduz-se na busca por um corpo são numa mente sã, numa época em que a taxa de obesidade na população jovem é cada vez mais elevada devido a maus hábitos alimentares e a um estilo de vida sedentário. Se por um lado a qualidade de vida associada à pratica desportiva está implicada em melhores níveis de autoestima e bem-estar pessoal condicionando, entre outros fatores, a capacidade funcional de cada individuo, o seu nível socioeconómico, a sua interação social e o seu estado emocional e de saúde (Vecchia, 2005) por outro lado a prática de atividade física promove a melhora de composição, a diminuição de dores articulares, o aumento de densidade mineral óssea, a melhora da utilização de glicose, a melhora do perfil lipídico, o aumento da capacidade aeróbica, a melhora de força e de flexibilidade, a diminuição da resistência vascular (Matsudo, 2001). Estas ideias são corroboradas por Saball (2001), que afirma que a atividade física é benéfica tanto no aspeto biológico, como no nível psicológico. Este autor aponta melhorias na capacidade cardiorrespiratória, aumento na expectativa de vida, entre outras, como exemplos de benefícios que a prática do exercício proporciona às pessoas. A nível psicológico, os aspetos positivos relacionam-se ao aprimoramento dos níveis de autoestima, da autoimagem, diminuição dos níveis de stress entre outros. Miguel Figueiredo Abrantes 9

17 O objetivo deste plano consiste na criação de um espaço de lazer exclusivo para estudantes e que vá ao encontro das suas necessidades. O ginásio Urban Fit corresponde a um espaço dedicado inteiramente a jovens universitários numa faixa etária entre os 18 e os 35 anos onde os jovens podem praticar musculação e cardio-fitness com instrutores e equipamento de elevada qualidade a um preço relativamente baixo. A criação deste ginásio vem dar resposta à constante tendência da obesidade juvenil num país cada vez mais sedentarizado e a atravessar uma profunda crise económica. 3.2 Análise do ambiente externo Para melhor explicitar este ponto, a análise do ambiente externo está dividida em vários tópicos Tendências demográficas De acordo com os dados recolhidos pela OCDE (2007), obesidade em Portugal situa-se na ordem dos 15%, valor que embora se situe na média comparativamente aos demais países (sendo o valor mais elevado apresentado pelos Estados Unidos com uma taxa de quase 35% e o valor menor a rondar os 3% pelo Japão) não deixa de ser um valor preocupante uma vez que em cada 10 habitantes, 1 deles é certamente obeso. Analisando as várias faixas etárias, a população portuguesa com maiores índices de obesidade encontra-se com idade inferior a 17 anos, Miguel Figueiredo Abrantes 10

18 podendo tal facto ser explicado através do aumento do consumo de alimentos muito calóricos e do crescente sedentarismo na sociedade portuguesa. Tal fator pode implicar um aumento de possíveis clientes num futuro próximo. A localização do ginásio na região de Lisboa será uma mais-valia dada a densidade populacional jovem muito elevada desta região em relação ao resto do país. (INE, Estimativas Anuais da População Residente, 2011) As influências sociais da família e amigos são, também, de extrema importância à manutenção da atividade física, pois esse suporte social incentiva o praticante a manter o interesse em continuar fisicamente ativo. William Meirelles (2011) aponta que o combate ao sedentarismo e a mudança de hábitos, com a introdução dos exercícios físicos no quotidiano, traz inúmeros benefícios às pessoas e consequentemente às empresas também. As pessoas ficam mais bem-dispostas, trabalham com mais vigor e, inclusive, existem estudos que apontam que a prática de exercício melhora a capacidade cognitiva Tendências económicas A atual conjetura económica nacional tem levado as pessoas a cortam em determinadas despesas consideradas menos importantes ou a optar por produtos/serviços de preços reduzidos, em detrimento de outros de maior qualidade. Também a população jovem tem refletidos esses cortes e, embora muitos jovens refiram a importância da atividade física na sua vida, tendo havido um decréscimo da frequência de ginásios por impossibilidade de pagar Miguel Figueiredo Abrantes 11

19 as mensalidades. - a subida do IVA para 23% e a concorrência de empresas municipalizadas ameaça a existência de diversos ginásios. A associação do sector estima que a perda de clientes pode chegar ser de 25% até ao final deste ano. A desistência de clientes afeta tanto os ginásios mais pequenos como as grandes cadeias. O aumento do IVA já fez desistir mais de 60 mil clientes entre Fevereiro do ano passado e o mesmo mês deste ano, segundo adiantou à Lusa o presidente da Associação de Ginásios de Portugal, José Luís Costa. TABELA III Fonte: INE (2012) DADOS DA RECESSÃO ECONÓMICA EM PORTUGAL Consumo privado Queda de 3,5% em 2011 Queda de 4,8% em 2012 Consumo público Queda de 5,2% em 2011 Queda de 6,2% em 2012 Exportações % ,8% Inflação ,5% ,1% Desemprego ,5% % Tendências legais Miguel Figueiredo Abrantes 12

20 O funcionamento dos ginásios é regulado pela legislação em vigor, nomeadamente pelo diploma relativo à construção, instalação e funcionamento de ginásios do conselho nacional do desporto pertencente à Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto - Decreto-Lei nº 259/2007, de 17 de julho, e legislação complementar Tendências culturais As sociedades ocidentais atuais estereotipam a beleza através de corpos esculturais e tonificados onde a magreza é hipervalorizada em detrimento da saúde e do bem-estar. A aparência assume contornos tão importantes, especialmente entre os jovens que é fundamental consciencializalos de que a única maneira real de atingir estes objetivos é através de uma alimentação saudável e da pratica de exercício físico regular e monitorizado. Paralelamente à importância da imagem corporal, a taxa de obesidade cada vez maior, alerta para a importância de combater o sedentarismos e o ginásio pode ser uma solução de combate a este flagelo permitindo um convívio saudável entre os jovens ao mesmo tempo que promove o seu bemestar e a saúde. O adolescente tem como característica comportamentos de contestação que o tornam vulnerável, seguidor de líderes, grupos e modas, desenvolvendo preocupações ligadas ao corpo e à aparência (Gambardella, 1995; Mantoanelli et al., 1997). Miguel Figueiredo Abrantes 13

21 É cada vez maior a exigência de aparência magra e formas de emagrecimento em detrimento, muitas vezes, da saúde do individuo (Nunes et al.; 1994; Verri et al., 1997). Todos os adolescentes têm na sua mente um corpo idealizado, e quanto mais este corpo se distanciar da realidade maior será a possibilidade de conflito, comprometendo a sua autoestima (Chipkevitch, 1987). A comunicação social, de certa forma, tem vindo a contribuir para a sobrelotação dos ginásios, uma vez que diversas revistas, jornais e televisões divulgam corpos perfeitos e modelados. Este facto acaba por contribuir para que haja uma grande procura pelos centros especializados de treino. A população está cada vez mais a preocupar-se com a melhoria da qualidade de vida e essa consciencialização, a respeito da importância do exercício físico, vem proporcionando um grande aumento de público nos ginásios. Os efeitos positivos sobre os aspetos psicológicos originam-se do prazer obtido na atividade realizada e posterior bem-estar, os quais resultam da satisfação das necessidades ou no sucesso do desempenho das habilidades em desafio. A população está cada vez mais a preocupar-se com a melhoria da qualidade de vida e essa consciencialização, a respeito da importância do exercício físico, vem proporcionando um grande aumento de público nos ginásios. Em suma, as tendências culturais correspondem a: Preocupação crescente com a aparência; Miguel Figueiredo Abrantes 14

22 Estatuto social; Benefícios da atividade física para a saúde Análise da concorrência A análise da concorrência foi feita com base em organizações com prestação de serviços semelhantes. TABELA IV ANÁLISE DA CONCORRÊNCIA Concorrente Pontos Fortes Pontos Fracos Solinca Ambiente de tranquilidade; Encerra apenas no Natal e Ano Novo; Comunicação fraca. Serviços de estética e massagem. Virgin Active Boa relação qualidade-preço; Target abrangente; Boa comunicação nas redes Preços elevados sociais. Clube VII Imagem de prestígio; Preços bastante Localização num dos melhores elevados. locais do centro de Lisboa. Fitness Hut Holmes Place Preços bastante acessíveis (lowcost); Boa comunicação nas redes sociais. Vasta gama de Atividades; Qualidade das instalações; Frequência de figuras públicas. Focalização apenas no Fitness não possui serviços de Spa; Lotação esgotada frequentemente. Preços elevados; Fidelização mínima de um ano; Burocracias na anulação do contrato. De acordo com a informação recolhida, existe uma diferença significativa entre os preços dos ginásios low-cost e premium. Esta diferença está Miguel Figueiredo Abrantes 15

23 explicitada na tabela V, que representa a média de custos de cada um dos tipos de ginásio. TABELA V VALORES MÉDIOS DOS GINÁSIOS LOW-COST E PREMIUM Ginásio Low-Cost Premium Preço semanal 6,60 20, Análise do ambiente interno O presente plano de marketing pretende promover a implementação do Ginásio Urban Fit. Neste sentido, a análise interna será perspetivada em torno da legislação e dos recursos necessários aquando da abertura do referido espaço Missão Criar um espaço que permita a prática de musculação e fitness a preços low-cost com qualidade especialmente dedicado às necessidades dos jovens estudantes. Miguel Figueiredo Abrantes 16

24 3.3.2 Recursos Recursos humanos Para que o Ginásio funcione corretamente é imposto por lei existir: Um responsável técnico que supervisione tecnicamente as atividades desportivas desenvolvidas nos ginásios competindo-lhe zelar pela sua adequada utilização; Pessoal técnico necessário para o desempenho dos serviços disponibilizados Recursos Financeiros O investimento será realizado através de recursos pessoais do fundador em conjunto com empréstimos bancários Recursos informacionais Os sócios do ginásio serão monitorizados através de uma base de dados em constante atualização relativamente às entradas e saídas bem como as participações em aulas. Desta forma será possível dar resposta à procura. A opinião dos utilizadores do ginásio será recolhida de forma informal pelos colaboradores, para posterior análise Fornecedores O fornecimento estará a cargo de empresas ligadas ao fitness e culturismo nacionais ou internacionais com certificação para o efeito. A escolha destas empresas será baseada na relação qualidade e preço bem como nos prazos de entregas. Miguel Figueiredo Abrantes 17

25 3.3.3 Serviços O ginásio disponibilizará serviços na área da musculação e cardiofitness através do uso supervisionado de equipamento para a prática de culturismo e de aulas de grupo específicas: yoga; body pump; body combat e rpm Fatores-chave para o sucesso Destacam-se como fatores-chave para o sucesso do Urban fit: - O estilo de vida contemporâneo, especialmente nos meios urbanos como a grande Lisboa, a par com o stress, o sedentarismo e a alimentação desequilibrada levam a uma maior preocupação com a aparência e a saúde; - A escassez de espaços para a prática de exercício físico fora de espaços poluídos; - O preço é um fator cada vez mais relevante em qualquer ação. Miguel Figueiredo Abrantes 18

26 3.4 Análise SWOT (matriz da Sinergia) TABELA VI ANÁLISE SWOT E MATRIZ DE SINERGIA Ginásio FORÇAS fraquezas Urban Fit i. Recursos Humanos especializados; ii. Preço competitivo; iii. Horário de i. Ginásio com fraca notoriedade no mercado; ii. Custos; funcionamento; OPORTUNIDADES OF Of 1 - Crescimento da Obesidade infantil e (i,2) Formação de uma juvenil. plataforma na internet 2 - Valorização da (ii,3) Divulgação do que possibilite a actividade física como ginásio e actividades existência de uma melhoria estética e de promocionais do comunicação entre os saúde. mesmo; utilizadores e os 3 Jovens utilizam com profissionais do ginásio; frequência as redes sociais Ameaças af af (ii,1) Prática de (i,1) Parcerias com musculação e actividade Universidades na zona 1 - Redução da física a um preço de Lisboa com o intuito capacidade de compra acessível; de angariar novos da população (iii,3) Horário muito sócios através de 2 - Elevada concorrência abrangente permite aos descontos; do sector utilizadores conciliar (ii,2) Recrutamento de - melhor as suas estagiários universitários deslocações ao ginásio; para apoio técnico. Miguel Figueiredo Abrantes 19

27 4. SEGMENTAÇÃO, MERCADO-ALVO E POSICIONAMENTO 4.1 Variáveis de segmentação O segmento principal corresponde a jovens estudantes entre os 18 e os 35 anos que procuram atingir determinados ideais de aparência e uma melhoria da qualidade de vida. TABELA VII VARIÁVEIS DE SEGMENTAÇÃO Variável Demográfica Geográfica Psicográfica Comportamental Descrição População com idade entre os 18 e os 35 anos; de ambos os sexos e classe social média, média-baixa. Residentes na zona de Lisboa. Indivíduos que se preocupam com a sua aparência e saúde. Pessoas que procuram um ginásio com qualidade a um preço reduzido. 4.2 Mercado-alvo No mercado dos Jovens Estudantes encontram-se os segmentos seguintes: Musculação Fitness Yoga Body Pump Miguel Figueiredo Abrantes 20

28 Rpm O ginásio dará resposta a todos os segmentos propostos acima. 4.3 Posicionamento O conceito do ginásio Urban Fit pretende inserir-se num mercado onde a concorrência é abundante. Desta forma, será necessário a adoção de uma estratégia diferenciadora que funcione como uma mais-valia face à concorrência, não apenas em termos de qualidade, mas também ao nível dos preços praticados. O ginásio Urban Fit corresponde a uma empresa de prestação de serviços relacionados com a atividade física direcionados para o bem-estar físico, psicológico e espiritual. Assim sendo, este posicionar-se-á como um Ginásio low-cost exclusivo para estudantes numa faixa etária especifica entre os 18 e os 35 anos, oferecendo um serviço com qualidade num ambiente de cumplicidade a um preço competitivo. 5. OBJECTIVOS DO PLANO E SUPORTE DE MARKETING 5.1 Direção do plano de marketing Este plano de marketing irá contemplar os dois primeiros anos de funcionamento tendo em conta o futuro do projeto. Miguel Figueiredo Abrantes 21

Lic. Marketing e Publicidade. Marketing 1º Ano/2º Semestre Pós laboral

Lic. Marketing e Publicidade. Marketing 1º Ano/2º Semestre Pós laboral Lic. Marketing e Publicidade Marketing 1º Ano/2º Semestre Pós laboral Trabalho realizado por: Maria Marques, 7005 Docente: Dr. Fernando Gaspar SANTARÉM Licenciatura em Marketing & Publicidade 1 de 10 2007/2008

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

Formulário de Projecto de Investimento

Formulário de Projecto de Investimento Formulário de Projecto de Investimento 1. Identificação do Projecto Título do projecto: Nome do responsável: Contacto Telefónico: Email: 1.1. Descrição sumária da Ideia de Negócio e suas características

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

Breve Apresentação do Negócio

Breve Apresentação do Negócio CELEIRO-DIETA Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Celeiro Dieta N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos 25 Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010 Facturação

Leia mais

Técnico(a) Especialista em Exercício Físico

Técnico(a) Especialista em Exercício Físico Curso de Especialização Tecnológica Técnico(a) Especialista em Exercício Físico INFORMAÇÕES OFICIAIS Porquê uma formação na Manz? QUALIDADE Mais de 90% dos FORMANDOS MANZ apresentam elevados níveis de

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

Lar, Centro Dia, SAD, Centro Convívio, Creche, Jardim Infância, ATL

Lar, Centro Dia, SAD, Centro Convívio, Creche, Jardim Infância, ATL Lar, Centro Dia, SAD, Centro Convívio, Creche, Jardim Infância, ATL 1 Sendo uma IPSS, que: Não tem fins lucrativos; Fornece serviços para melhorar a qualidade de vida dos clientes; Os lucros, se houverem,

Leia mais

Desenvolver uma estratégia de marketing

Desenvolver uma estratégia de marketing Gerir - Guias práticos de suporte à gestão Desenvolver uma estratégia de marketing O principal objectivo de uma Estratégia de Marketing é o desenvolvimento do negócio, tendo em linha de conta, a análise

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 8 de março de 2013. Série. Número 32

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 8 de março de 2013. Série. Número 32 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 8 de março de 2013 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 19/2013 Aprova o Programa Juventude Ativa. 2 8 de

Leia mais

Documento que sistematiza informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro.

Documento que sistematiza informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro. Feira do Empreendedor 2014 Documento que sistematiza informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro. É essencial para a estruturação e defesa

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel.

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. Projecto A Oficina+ ANECRA é uma iniciativa criada em 1996, no âmbito da Padronização de Oficinas ANECRA. Este projecto visa reconhecer a qualidade

Leia mais

PROJETO PÁGINA WEB GRUPO DISCIPLINAR DE EF

PROJETO PÁGINA WEB GRUPO DISCIPLINAR DE EF UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA MESTRADO EM ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE GAMA BARROS ESTÁGIO PEDAGÓGICO 20122013

Leia mais

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria PROGRAMA Qualidade Produto Marca Própria - Distribuição Princípios da Qualidade/ ISO 9001 Certificação/Processo de Certificação

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

Gestão de Ginásios e Centros de Lazer

Gestão de Ginásios e Centros de Lazer Gestão de Ginásios e Centros de Lazer Módulo_6_sessão_6 Company LOGO Conteúdos Ginásios e Centros de Lazer Definição Tipologias Definição Ginásio Estabelecimentos abertos ao público ou a uma categoria

Leia mais

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Natal na desportiva 2015 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO CML/DRIC/2015 Alvará 694 I. Apresentação e objetivos 1. Entidade Promotora e Organizadora - Município de Loures 1 a) O Programa de Ocupação de Tempos Livres

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Escolas de Pentatlo Moderno

Escolas de Pentatlo Moderno Escolas de Pentatlo Moderno ÍNDICE O que é o franchising PENTAKID? 3 Serviços PENTAKID 5 Marketing 6 Recursos Humanos 7 Financiamento 8 Processo de aquisição 9 Ficha técnica 10 Carta de resposta 11 2 O

Leia mais

A Concepção da Ideia

A Concepção da Ideia A Concepção da Ideia Inov@emprego - Fórum do emprego, formação e empreendedorismo do litoral alentejano Tiago Santos Sines, 7 de Novembro de 2008 Sines Tecnopolo O Sines Tecnopolo é uma associação de direito

Leia mais

Curso de Especialização Tecnológica. Técnico(a) Especialista em Exercício Físico

Curso de Especialização Tecnológica. Técnico(a) Especialista em Exercício Físico Curso de Especialização Tecnológica Técnico(a) Especialista em Exercício Físico Curso de Especialização Tecnológica Técnico(a) Especialista em Exercício Físico 1. O QUE SÃO? Os Cursos de Especialização

Leia mais

Tinteiros Express. Imprima com Qualidade a Baixo Custo

Tinteiros Express. Imprima com Qualidade a Baixo Custo Tinteiros Express Imprima com Qualidade a Baixo Custo Tinteiros Express 2 ÍNDICE I. Sumário Executivo Pág. 3 II. Apresentação da Empresa Pág. 4 III. Análise do meio envolvente Pág. 5 IV. Análise do mercado

Leia mais

É um documento que sistematiza a informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro.

É um documento que sistematiza a informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro. Feira do Empreendedor, 23 de Novembro de 2012 É um documento que sistematiza a informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro. É essencial para

Leia mais

Empreender 360º - Apoios ao Empreendedorismo! 23-05-2014. http://www.strongautomotive.com/step-back-evaluate-2014-marketing-plan/

Empreender 360º - Apoios ao Empreendedorismo! 23-05-2014. http://www.strongautomotive.com/step-back-evaluate-2014-marketing-plan/ Empreender 360º - Apoios ao Empreendedorismo! 23-05-2014 http://www.strongautomotive.com/step-back-evaluate-2014-marketing-plan/ Estrutura possível de um plano de marketing 1. Sumário Executivo 7. Marketing-mix

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Gestão de Santarém. Plano de Marketing

Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Gestão de Santarém. Plano de Marketing Plano de Marketing Curso: Marketing e Publicidade Cadeira: Marketing II Docente: Dr. Fernando Gaspar Discente: Alexandra Marujo_9006 Ano lectivo: 2007/2008 1 Índice Introdução.pg 3 Macro ambiente..pg 3

Leia mais

ORCAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM Alcanena 2016

ORCAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM Alcanena 2016 ORCAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM Alcanena 20 Critérios de Participação Artigo 1º Missão O Orçamento Participativo Jovem do Município de Alcanena é um processo de envolvimento e auscultação da população jovem

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA ABERTURA A People & Skills foi criada para responder às necessidades de um mercado cada vez mais apostado em desenvolver e consolidar competências que

Leia mais

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA 1/21 ANÁLISE DA ENVOLVENTE EXTERNA À EMPRESA... 3 1. Análise do Meio Envolvente... 3 2. Análise da Evolução do Mercado... 7 3. Análise da Realidade Concorrencial...

Leia mais

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 1. CAPA 2. SUMÁRIO 3. INTRODUÇÃO FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 4. DESCRIÇÃO DA EMPRESA E DO SERVIÇO 4.1 Descrever sua Visão, VISÃO DA EMPRESA COMO VOCÊS IMAGINAM A EMPRESA

Leia mais

T E M E X E, G U R I!

T E M E X E, G U R I! APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE T E M E E, G U R I! A Associação Santa Cruz do Sul Chacais, entidade sem fins lucrativos e com foco na pratica esportiva, inscrita no CNPJ sob o n 13.631.001/0001-86, registrada

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO Título do projecto: Nome do responsável: Contacto telefónico Email: 1.1. Descrição sumária da Ideia de Negócio e suas características inovadoras (Descreva

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Política de Responsabilidade Social

Política de Responsabilidade Social Política de Responsabilidade Social e Programa 2015 I. ENQUADRAMENTO A criação da Fábrica do Chocolate materializa por si só o sentido de responsabilidade social da empresa e das pessoas envolvidas na

Leia mais

O CONSELHO DA UE E OS REPRESENTANTES DOS GOVERNOS DOS ESTADOS-MEMBROS, REUNIDOS NO CONSELHO,

O CONSELHO DA UE E OS REPRESENTANTES DOS GOVERNOS DOS ESTADOS-MEMBROS, REUNIDOS NO CONSELHO, C 172/8 PT Jornal Oficial da União Europeia 27.5.2015 Conclusões do Conselho sobre a maximização do papel do desporto de base no desenvolvimento de competências transversais, especialmente entre os jovens

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de Pessoas) na Gestão Empresarial Marketing Interno Licenciatura de Comunicação Empresarial 3º Ano Docente: Dr. Jorge Remondes / Discente: Ana Teresa Cardoso

Leia mais

XLM Innovation & Technology

XLM Innovation & Technology 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A XLM, sedeada em Aveiro, iniciou a sua atividade em 1995. Nesta data, a sua área de atuação cingia-se à venda, instalação e assistência técnica

Leia mais

4. Análise de Mercado

4. Análise de Mercado 4. Análise de Mercado Ações de Maturação e Aceleração 01.04.2014 Carla Machado Análise de Mercado Índice 1. Evolução Previsional do Setor Enquadre o negócio no setor de atividade, referindo oportunidades

Leia mais

PLANO DE MARKETING. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20. TAG 4/2010 17 Valores

PLANO DE MARKETING. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20. TAG 4/2010 17 Valores 0366 PLANO DE MARKETING Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20 TAG 4/2010 17 Valores Índice Introdução Diagnóstico Análise do Mercado Análise da Concorrência Análise da Empresa Análise SWOT Objectivos

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

Logística Uma nova fórmula para o Exército CONCEITOS ESTRUTURANTES DA CIÊNCIA LOGÍSTICA

Logística Uma nova fórmula para o Exército CONCEITOS ESTRUTURANTES DA CIÊNCIA LOGÍSTICA Logística Uma nova fórmula para o Exército CONCEITOS ESTRUTURANTES DA CIÊNCIA LOGÍSTICA A Logística, ciência de origem militar que despontou das necessidades de preparação, movimentação e colocação de

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

QuEm SomoS missão 5 DESIGN & ComuNICação PublICIDaDE EvENtoS PromoçõES WEb

QuEm SomoS missão 5 DESIGN & ComuNICação PublICIDaDE EvENtoS PromoçõES WEb QUEM SOMOS MISSÃO DESIGN & Comunicação Publicidade Eventos Promoções Web 5 9 11 13 15 17 Quem Somos 5 Somos uma agência de Design e Comunicação, criada para disponibilizar um vasto leque de soluções na

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

Mini-MBA de Marketing

Mini-MBA de Marketing Mini-MBA de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Índice Designação do curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 3 Objectivo Geral... 3 Objetivos

Leia mais

Estudos de Imagem e Notoriedade

Estudos de Imagem e Notoriedade Estudos de Imagem e Notoriedade 1- Enquadramento O Serviço: Relatórios Avaliação da Imagem e Notoriedade das organizações, bem como da força de marca e posicionamento face à concorrência. Para que Serve:

Leia mais

1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO

1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO O negócio refere-se ao Centro Esportivo Ana Maria instalado há 15 anos em uma linda casa em um bairro de classe média alta com uma boa infra-estrutura e duas piscinas. Ele conta com

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Inspire Inove Faça Diferente

Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Se eu tivesse um único dolar investiria em propaganda. - Henry Ford (Fundador da Motor Ford) As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer

Leia mais

Planeamento e estratégia

Planeamento e estratégia Planeamento e estratégia Tipos de planos e vantagens Etapas do processo de planeamento Informação para o planeamento Análise SWOT Definir missão e objectivos Processo de gestão estratégica Níveis da estratégia

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental

Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental Estratégias adoptadas As estratégias adoptadas e o desempenho da APFF nos três domínios da sustentabilidade encontram-se

Leia mais

Prof. Jorge Romero Monteiro 1

Prof. Jorge Romero Monteiro 1 Marketing 1 CONCEITOS DE MARKETING 2 Conceitos de Marketing O MARKETING é tão importante que não pode ser considerado como uma função separada. É o próprio negócio do ponto de vista do seu resultado final,

Leia mais

CLIENTE A Autoescola Paula está localizada na Avenida Paraná, nº 1641, no bairro Bacacheri, que compõe a região do Boa Vista. É um CFC de pequeno porte, que conta com 15 funcionários e 10 veículos. Oferecem

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

FORMAÇÃO PARA EMPREENDEDORES

FORMAÇÃO PARA EMPREENDEDORES FORMAÇÃO PARA EMPREENDEDORES QUADRO RESUMO: FORMAÇÃO UFCD (H) Noções de Economia de Empresa 5437 25 Métodos e Práticas de Negociação 5442 50 Empresa Estrutura Organizacional 7825 25 Perfil e Potencial

Leia mais

Consultadoria, Pesquisas de Mercado e Opinião

Consultadoria, Pesquisas de Mercado e Opinião Pesquisas de Mercado Online 1. Apresentação O que é a Pesquisadireta? A Pesquisadireta é uma empresa de pesquisas de opinião e mercado exclusivamente online. De uma forma rápida e flexível, sua empresa

Leia mais

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Componente Técnica, Tecnológica e Prática Componente Científica Componente Sociocultural Morada: Rua D. Jaime Garcia Goulart, 1. 9950 361 Madalena do Pico. Telefones: 292 623661/3. Fax: 292 623666. Contribuinte:

Leia mais

LISBOA (acção: 33) PORTO (acção: 32) Datas: 11 Maio a 31 Julho Datas: 28 de Abril a 11 de Julho de 2009

LISBOA (acção: 33) PORTO (acção: 32) Datas: 11 Maio a 31 Julho Datas: 28 de Abril a 11 de Julho de 2009 CURSO DE CARDIO FITNESS E MUSCULAÇÃO O seu futuro sempre em movimento! Requisitos entrada: - 11º Ano escolaridade (ou frequência) - Interesse e motivação pelo Fitness/Desporto - Instrutores que pretendam

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE VAREJO ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral:

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL

Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL Encontro Internacional de Negócios Lisboa, 29 de Novembro de 2013 INTRODUÇÃO As PME portuguesas têm vindo a atravessar bastantes dificuldades

Leia mais

Diagnóstico das Necessidades de Formação

Diagnóstico das Necessidades de Formação Diagnóstico das Necessidades de Formação A AciNet Sistemas e Tecnologias de Informação é uma empresa de tecnologias de informação nas actividades de representação e comercialização de equipamentos informáticos,

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO

FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO ESPAÇO RESERVADO AO TI: PROPOSTA Nº DATA DA ENTRADA: / / RECEBIDO POR: I. IDENTIFICAÇÃO DO PROMOTOR NOME: Nº DE SÓCIO: MORADA: CÓDIGO POSTAL - LOCALIDADE: CONCELHO: TELEFONE:

Leia mais

Federação Nacional de Karate - Portugal. Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos

Federação Nacional de Karate - Portugal. Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos Federação Nacional de Karate - Portugal Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos Índice Fórum de Formadores 2013 Introdução Diferentes influências e realidades Pessoal qualificado e Especializado em Serviços

Leia mais

Projeto Futuros Craques São Paulo

Projeto Futuros Craques São Paulo Projeto Futuros Craques São Paulo O Projeto Futuros Craques é considerado o carro chefe da B16 em São Paulo, a sua programação destina-se à oferecer esportes de maneira saudável para crianças da rede pública

Leia mais

Controlo da Qualidade Aula 05

Controlo da Qualidade Aula 05 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da qualidade:. evolução do conceito. gestão pela qualidade total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9001:2000 Evolução do conceito 2 gestão pela qualidade

Leia mais

Processo de Planejamento Estratégico

Processo de Planejamento Estratégico Processo de Planejamento Estratégico conduzimos o nosso negócio? Onde estamos? Definição do do Negócio Missão Visão Análise do do Ambiente Externo e Interno Onde queremos Chegar? poderemos chegar lá? saberemos

Leia mais

Sumário Executivo. Avaliação Econômica do Programa Mais. Centro de Integração Empresa Escola (CIEE/RJ)

Sumário Executivo. Avaliação Econômica do Programa Mais. Centro de Integração Empresa Escola (CIEE/RJ) Sumário Executivo Avaliação Econômica do Programa Mais Centro de Integração Empresa Escola (CIEE/RJ) O objetivo deste documento é descrever os resultados da avaliação de impacto realizada para o Programa

Leia mais

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo 7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo A COMUNICAÇÃO Comunicar Comunicar no marketing emitir mensagem para alguém emitir mensagem para o mercado

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA Julho de 2013

CÓDIGO DE CONDUTA Julho de 2013 CÓDIGO DE CONDUTA Julho de 2013 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 I. Âmbito de Aplicação e Princípios Gerais...4 Artigo 1.º Âmbito Pessoal...4 Artigo 2.º Âmbito Territorial...4 Artigo 3.º Princípios Gerais...4 Artigo

Leia mais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S C T e S P Cursos Técnicos Superiores Profissionais GESTÃO ADMINISTRATIVA DE RECURSOS HUMANOS GESTÃO COMERCIAL E DE MARKETING ORGANIZAÇÃO

Leia mais

LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES

LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES Londres apresentou a proposta de legado para o esporte para o Reino Unido na sua candidatura para sede olímpica de 2012. Dois grandes projetos para esporte participação

Leia mais

As Vendas e Prestações de Serviços

As Vendas e Prestações de Serviços Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano lectivo: 2009/2010 Prof: Adelina Silva As Vendas e Prestações de Serviços Trabalho Realizado por: Susana Carneiro 12ºS Nº18 Marketing Marketing é a parte do processo

Leia mais

João Telles Corrêa Filho Março de 2010

João Telles Corrêa Filho Março de 2010 Administrar é medir. Esta frase dá bem a medida da importância de contarmos com bons indicadores. Mas, afinal, o que são e porque usar medidas de desempenho? Estas medidas, também chamadas de indicadores

Leia mais

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Um bom plano de divulgação deverá assegurar que todos os envolvidos estão a par do que está a ser proposto e do que irá acontecer

Leia mais

Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias.

Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias. GoldMine QuickStart Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias. O GoldMine é uma ferramenta de gestão da relação com os clientes (CRM-Costumer Relationship

Leia mais

Marketing e Comunicação Interna

Marketing e Comunicação Interna Marketing e Comunicação Interna Mestrado em Gestão e Desenvolvimento de RH 2º Semestre Cristina Mouta 2 Conteúdo Programático 2. Marketing interno 2.1. Conceito 2.2. Teorias e ferramentas do Marketing

Leia mais

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004)

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) por António Jorge Costa, Presidente do Instituto de Planeamento

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014 FORMAÇÃO Início Fim Duração Horário Inscrição Contabilidade e Fiscalidade 01-10-2014 29-10-2014 21h P.L/S 100 Sensibilização e Orientação para o Cliente 02-10-2014

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Desde Janeiro 2006 Responsável pela Unidade de Negócios da Lisboagás para Lisboa e Amadora.

CURRICULUM VITAE. Desde Janeiro 2006 Responsável pela Unidade de Negócios da Lisboagás para Lisboa e Amadora. CURRICULUM VITAE Nome: Nuno Miguel de Campos Matos Vaz Neto Morada: Rua João de Oliveira Miguens, 5-5º C Código Postal e Localidade: 1350-187 Lisboa Nacionalidade: Portuguesa Telefone: +351917765911 E-mail:

Leia mais

4. ESTRATÉGIAS DE MARKETING INTERNACIONAL

4. ESTRATÉGIAS DE MARKETING INTERNACIONAL 4. ESTRATÉGIAS DE MARKETING INTERNACIONAL 4.1- TIPOS DE ESTRATÉGIA DE MARKETING 4.2- PLANEAMENTO ESTRATÉGICO PARA O MARKETING 4.3- ESTRUTURA CONCEPTUAL PARA ESTRATÉGIA DE MARKETING 4.4- MODELOS COMO INSTRUMENTOS

Leia mais

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores Gestão e Organização de Conferências e Reuniões Organização de conferências e reuniões, nos mais variados formatos, tais como reuniões educativas, encontros de negócios, convenções, recepções, eventos

Leia mais

Normas de participação

Normas de participação Verão com desafios 2015 Normas de participação I. Apresentação e objetivos 1. Entidade promotora e organizadora - Município de Loures 1 a) O programa de Ocupação de Tempos Livres Verão com Desafios é promovido

Leia mais

XI Mestrado em Gestão do Desporto

XI Mestrado em Gestão do Desporto 2 7 Recursos Humanos XI Mestrado em Gestão do Desporto Gestão das Organizações Desportivas Módulo de Gestão de Recursos Rui Claudino FEVEREIRO, 28 2 8 INDÍCE DOCUMENTO ORIENTADOR Âmbito Objectivos Organização

Leia mais

Tlm. 91 9499507 info@mind4time.com www.mind4time.com DESIGNING YOUR ACHIEVEMENT

Tlm. 91 9499507 info@mind4time.com www.mind4time.com DESIGNING YOUR ACHIEVEMENT Tlm. 91 9499507 info@mind4time.com www.mind4time.com DESIGNING YOUR ACHIEVEMENT YOUR TIME, AN INVESTMENT FOR LIFE O tempo é um bem finito. Aplicamo- -lo minuto a minuto nas nossas vidas e esperamos o devido

Leia mais