Daros, K A C e Medeiros, R B

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Daros, K A C e Medeiros, R B"

Transcrição

1 1 ESTUDO DAS FONTES DE RUÍDO DA IMAGEM PARA FINS DE OTIMIZAÇÃO DAS DOSES NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE CRÂNIO E ABDOME ADULTO Daros, K A C e Medeiros, R B Universidade Federal de São Paulo São Paulo Brasil Rua Botucatu, 659, CEP: Fone: Resumo A tomografia computadorizada (TC) é de grande importância na prática médica e relevante em termos de proteção radiológica. O benefício do diagnóstico com doses otimizadas deve garantir a qualidade da imagem gerada. Neste estudo, foram avaliados os parâmetros de exposição que modificam o ruído da imagem tomográfica de crânio e abdome para espessura de corte de 10 mm, no equipamento Philips Tomoscan. Foi determinado o ruído das imagens em função do produto da corrente e tempo, entre 50 e 800, para 100, 120 e 140 kvp. As doses de radiação foram medidas na superfície do phanton de crânio e abdome Philips, em cada condição técnica, com o uso de uma câmara de ionização. Para as imagens simuladas de crânio, não há redução importante do ruído a partir de 200 que justifique o aumento da dose pelo aumento do. Para as imagens simuladas de abdome, o ponto de otimização correspondente a menor dose relativa e o menor ruído, variou em função da tensão do tubo. Para as tensões de 100, 120 e 140 kvp, não há redução importante do ruído para 360, 320 e 280, respectivamente. Palavras Chave Tomografia computadorizada, ruído, doses de radiação, otimização. Introdução A tomografia computadorizada (TC) continua a ganhar importância na prática médica e consequentemente em termos de proteção radiológica. Só podemos conceber o benefício do diagnóstico com práticas otimizadas que garantam a qualidade da imagem gerada. Nos Estados Unidos o uso desta tecnologia representa 10 % de todos os procedimentos radiológicos e 67 % da dose efetiva total, sendo que 11 % dos exames são feitos em crianças 1. Dados estatísticos mostram que no Reino Unido a tomografia computadorizada pode contribuir com cerca de 40% do total da dose coletiva representando 4% de todos os exames radiológicos 2. Pesquisas sobre doses de radiação na TC tem mostrado diferenças de até um fator 3 para equipamentos de diferentes tecnologias ou fabricação 3. Aspectos relevantes do desempenho do equipamento como qualidade do feixe, medidas da taxa de Kerma no ar no eixo de rotação, índice de dose (CTDI) em um scan axial medido no centro e na periferia do simulador constituem as bases do protocolo de garantia de qualidade na TC e trazem importantes informações para a avaliação das doses. Alguns autores tem demonstrado que na tomografia há possibilidade para redução significante das doses de radiação sem prejuízo da qualidade da imagem 1,2,3. Existem variações importantes entre os protocolos de exames utilizados onde a grande preocupação está centrada na qualidade da imagem e pouca com as doses de radiação. Devido a versatilidade operacional do equipamento é possível selecionar o algoritmo; a espessura e espaçamento do corte; a angulação; a tensão e produto, entre outros fatores, levando em conta o processo de otimização. Neste cenário, nosso objetivo é avaliar os parâmetros de exposição que modificam o ruído da imagem tomográfica de crânio e abdome em diferentes espessuras de corte. Materiais e Métodos

2 Avaliamos o ruído das imagens geradas no tomógrafo Philips AVE I, para variações dos parâmetros de exposição ( kvp e ), assim como, as doses de radiação (CTDI) na superfície do simulador de crânio Philips tipo , e simulador de abdome Philips tipo CT WS14M no. 1 PB 12530KA232881A, para cortes de 10 mm. As imagens do simulador foram geradas, nas seguintes tensões: 100, 120 e 140 kvp. Variamos o produto corrente x tempo de 50 a 800 para cada valor de tensão. Para as simulações de exames de crânio, efetuamos as medidas do número CT e ruído em 8 pontos de cada imagem, sendo 4 na região periférica e 4 no centro da imagem do simulador. Para as simulações de exames de abdome, efetuamos as medidas do número CT e ruído em 8 pontos, sendo 4 na região periférica e 4 no centro da imagem do simulador. A uniformidade foi avaliada a partir das medidas do número de CT para as imagens do simulador de abdome. Os valores médios de ruído para cada foram determinados pela média aritmética entre todos os pontos As medidas da dose absorvida na superfície foram obtidas para cada com o conjunto eletrômetrocâmara de ionização tipo lápis modelo 660/ 6606 da fabricação Victoreen. Resultados Calculamos a uniformidade pela diferença entre os números de CT na região central e periférica e obtivemos: Para as imagens simuladas de crânio, os valores variaram de 3,8 a 2,7 para 100 kvp, de 2,4 a 1,9 para 120 kvp e de 3,5 a 2,8 para 140 kvp, no intervalo de 50 a 800. Para as imagens simuladas de abdome, os valores variaram de 2,17 a 0,45 para 100 kvp, de 1,85 a 0,05 para 120 kvp e 2,20 a 1,47 para 140 kvp, no intervalo de 50 a 800. As figuras 1e 2, representam uma curva típica dos ruídos obtidos a partir dos valores médios medidos na região periférica e central das imagens de crânio e abdome, respectivamente, em diferentes condições de exposição. 2 Ruído (%) 1,8 1,6 1,4 1,2 1 0,8 0,6 0,4 0,2 0 região central região periférica Figura 1: Variação do ruído em função do para 120kVp, medido na região central e periférica do simulador de crânio para corte de 10 mm.

3 3 Ruído (%) 1,8 1,6 1,4 1,2 1 0,8 0,6 0,4 0,2 0 região central região periférica Figura 2: Variação do ruído em função do para 120kVp, medido na região central e periférica do simulador de abdome para corte de 10 mm. Nas figuras 3 e 4, podemos observar os valores médios crescentes e lineares da dose de exposição no simulador de crânio e abdome, respectivamente, em função da variação do para rodas as tensões estudadas. 4,00 Dose de exposição (10 5 C/kg) 3,50 3, kvp 120 kvp 140kVp Figura 3: Exposição na superfície do simulador de crânio, em função da variação do para diferentes tensões em cortes de 10 mm.

4 4 Dose de exposição (10 5 C/kg) kvp 120 kvp 140kVp Figura 4: Exposição na superfície do simulador de abdome, em função da variação do para diferentes tensões em cortes de 10 mm. Na figura 5 e 6, podemos verificar a relação entre o ruído e a dose absorvida relativa, para o simulador de crânio e abdome, respectivamente, em função do para as tensões estudadas. 4,00 Dose de xposição (10 5 C/kg) e ruído (%) 3,50 3,00 ruído 100 kvp ruído120 kvp ruído 140 kvp dose 100 kvp dose 120 kvp dose 140 kvp Figura 5: Valores de ruído e dose em função da variação do para diferentes tensões para cortes de 10 mm, para o simulador de crânio.

5 5 Dose de xposição (10 5 C/kg) e ruído (%) ruído 100 kvp ruído120 kvp ruído 140 kvp dose 100 kvp dose 120 kvp dose 140 kvp Discussão Figura 6: Valores de ruído e dose em função da variação do para diferentes tensões para cortes de 10 mm, para o simulador de abdome. A TC é um procedimento que envolve doses relativamente altas sendo muito comum em nosso meio a repetição de exames no controle de algumas patologias de crânio. Os protocolos normalmente sugeridos pelo fabricante do equipamento após a instalação visam, em geral, a qualidade da imagem e pouco das características tecnológicas são discutidas com os usuários no sentido de minimizar as doses de radiação. Tendo em vista a variabilidade técnica disponível nesta modalidade de diagnóstico é importante se avaliar tanto o equipamento quanto a prática empregada uma vez que muitos dos estudos são delineados para um tipo de paciente. Normas nacionais e internacionais requerem a avaliação das doses de radiação nos exames de TC para comparálas aos níveis estabelecidos como de referência (NRPB, Portaria 453). Há estudos que sugerem a redução da dose nos exames pela redução do e uso de algoritmo especial para crânio 4. Alguns autores obtiveram uma redução de 40 % na dose sem perda de qualidade de imagem com a variação de tensão e 5 em exames de CT de crânio, onde ficou demonstrada a possibilidade da redução do em exames pediátricos sem perda significante de informações 4. Em nosso estudo não observamos reduções importantes do ruído da imagem a partir de 200 que justifique o aumento de dose para os exames de crânio pelo aumento do. O produto exposição x tempo selecionado deve também levar em conta outros parâmetros como a espessura de corte (em estudo) como parte do processo de otimização 3. Os valores de uniformidade obtidos para as imagens estão em conformidade com os requeridos pelas normas o que explica aos resultados apresentados na figura 1. Conclusões A partir de 200 não há reduções significativas do ruído das imagens que justifique o aumento deste fator de exposição nos exames de crânio para espessura de corte de 10 mm. O

6 aumento da tensão para 140 kvp ou aumento do deve ser justificado por critérios anatômicos ou físicos (resolução e contraste) que caracterizem a qualidade da imagem como otimizada. Para as imagens simuladas de abdome, o ponto de otimização correspondente a menor dose relativa e o menor ruído, variou em função da tensão do tubo. Para as tensões de 100, 120 e 140 kvp, não há redução importante do ruído para corrente do tubo superior a 360, 320 e 280, respectivamente. 6 Abstract Our goal was to evaluate the exposure factors that can change the image noise of head and abdominal CT for 10 mm slices thicknesses. We have evaluated the images noise at several varying from 50 to 800 for 100, 120 and 140 kvp as tension values. The images uniformity were determined for all technical exposure conditions. We did not observed any important noise reduction for values up 200. The increase of radiation doses through the increase of is just justified by anatomy parameters or reduced image quality. For the abdominal simulated images the optimal dose values varied as tension values were modified.. We did not observed any important noise reduction for values up 360, 320 and 280 for 100, 120 and 140 kvp, respectively. Referências Bibliográficas (1) MettlerJr, F.A., Wiest, P. W., Locken, J. A., Kelsey, C. A..: Ct scanning: patterns af use and dose.j. Radiol. Prot. 20:353359, (2) Shrimpton, P. C, Edyvean, S.:Ct scanner dasimetry. BJR, 71:13, (3) Jessen, K. A., Shrimpton, P. C., Geleijns J., Panzer, W. Tosi, G.: Dosimetry for optimisation of patient protection in computed tomography. Applaid Radiation and Isotopes, 50:165172, (4) Babbel, R.; Harnsberger, H. R.; Nelson, B.; Sonkens, J.; Hent, S.: Optimization of techniques in screening CT of the sinuses. AJR, 157: ,1991. (5) Cohnen M., Fischer, H., Lins, E., Kötter, R., Mödder, U.: CT of the head by use of reduced current and kilovoltage: relationship between image quality and dose reduction. American Journal of Radiology, 21: , 2000.

VARIAÇÃO DE DOSE NO PACIENTE EM VARREDURAS DE TC DE CRÂNIO USANDO UM FANTOMA FEMININO

VARIAÇÃO DE DOSE NO PACIENTE EM VARREDURAS DE TC DE CRÂNIO USANDO UM FANTOMA FEMININO 2013 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2013 Recife, PE, Brazil, November 24-29, 2013 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-05-2 VARIAÇÃO DE DOSE NO PACIENTE

Leia mais

O USO DO PROTETOR DE OLHOS PARA REDUÇÃO DA DOSE VARREDURAS DE TC DE CRÂNIO

O USO DO PROTETOR DE OLHOS PARA REDUÇÃO DA DOSE VARREDURAS DE TC DE CRÂNIO IX Latin American IRPA Regional Congress on Radiation Protection and Safety - IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April 15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR O USO DO PROTETOR

Leia mais

Controle de qualidade e dosimetria em equipamentos de tomografia computadorizada*

Controle de qualidade e dosimetria em equipamentos de tomografia computadorizada* Artigo Original Original Article Controle de qualidade e dosimetria em equipamentos de TC Controle de qualidade e dosimetria em equipamentos de tomografia computadorizada* Quality control and dosimetry

Leia mais

Testes preliminares em um simulador pediátrico de crânio para dosimetria em tomografia computadorizada

Testes preliminares em um simulador pediátrico de crânio para dosimetria em tomografia computadorizada BJRS BRAZILIAN JOURNAL OF RADIATION SCIENCES XX (XXXX) XX-XX Testes preliminares em um simulador pediátrico de crânio para dosimetria em tomografia computadorizada E. W. Martins; M. P. A. Potiens Gerência

Leia mais

TESTES PRELIMINARES EM UM SIMULADOR PEDIÁTRICO DE CRÂNIO PARA DOSIMETRIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

TESTES PRELIMINARES EM UM SIMULADOR PEDIÁTRICO DE CRÂNIO PARA DOSIMETRIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA International Joint Conference RADIO 2014 Gramado, RS, Brazil, Augustl 26-29, 2014 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR TESTES PRELIMINARES EM UM SIMULADOR PEDIÁTRICO DE CRÂNIO PARA DOSIMETRIA

Leia mais

13-12-2012. Estratégias para redução de exposição. Motivação. Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Departamento de Imagem

13-12-2012. Estratégias para redução de exposição. Motivação. Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Departamento de Imagem PET-CT cuerpo entero: consideraciones prácticas relacionadas con la Tomografía Computada Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Departamento de Imagem Tabela1 Estimativa de exposição a população em

Leia mais

ESTIMATIVA DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA

ESTIMATIVA DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA International Joint Conference RADIO 2014 Gramado, RS, Brazil, Augustl 26-29, 2014 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR ESTIMATIVA DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA

Leia mais

Humanização em radiologia pediátrica

Humanização em radiologia pediátrica Humanização em radiologia pediátrica TATIANA FAZECAS CHEFE DO SERVIÇO DE IMAGEM DO HOSPITAL MUNICIPAL JESUS MEMBRO DA SOCIEDADE LATINO AMERICANA DE RADIOLOGIA PEDIÁTRICA - SLARP CDPI CRIANÇA HOSPITAL PASTEUR

Leia mais

Mapeamento de curvas de isoexposição para avaliação de equivalente de dose ambiente para equipamentos móveis de radiodiagnóstico

Mapeamento de curvas de isoexposição para avaliação de equivalente de dose ambiente para equipamentos móveis de radiodiagnóstico Mapeamento de curvas de isoexposição para avaliação de equivalente de dose ambiente para equipamentos móveis de radiodiagnóstico Alexandre Bacelar 1, José Rodrigo Mendes Andrade 2, Andréia Caroline Fischer

Leia mais

Tomografia Computadorizada

Tomografia Computadorizada Tomografia Computadorizada Características: não sobreposição de estruturas melhor contraste ( menos radiação espalhada) usa detectores que permitem visibilizar pequenas diferenças em contraste de tecido

Leia mais

Controle de Qualidade de Imagens Radiográficas Através da Simulação Computacional

Controle de Qualidade de Imagens Radiográficas Através da Simulação Computacional Otimização da Análise e Controle de Qualidade de Imagens Radiográficas Através da Simulação Computacional Autores: Maria Lucia Nana Ebisawa Irita Dra. Maria de Fátima Magon Prof. Dra. Yvone Mascarenhas

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA

AVALIAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA AVALIAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA Fátima F.R. Alves 1, Silvio R. Pires 2, Eny M. Ruberti Filha 1, Simone Elias 3, Regina B. Medeiros 1 Universidade Federal de São Paulo Escola

Leia mais

Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico:

Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico: Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico: Frente aos potenciais riscos envolvidos na exposição à radiação ionizante e com a reocupação de manter um controle transparente

Leia mais

Maximizar eficiência da dose para criação de imagens de pacientes pediátricos

Maximizar eficiência da dose para criação de imagens de pacientes pediátricos Maximizar eficiência da dose para criação de imagens de pacientes pediátricos Introdução A criação de imagens radiográficas dos pacientes pediátricos apresenta vários desafios únicos comparativamente à

Leia mais

Avaliação de kerma de entrada na pele em exames radiológicos no Hospital de Clínicas do Paraná

Avaliação de kerma de entrada na pele em exames radiológicos no Hospital de Clínicas do Paraná Avaliação de kerma de entrada na pele em exames radiológicos no Hospital de Clínicas do Paraná Lorena E. Porto 1 ; Hugo R. Schelin 1,2 ; Amanda C. Dos Santos 1 ; Ana Paula Bunick 1 ; Sergei Paschuk 1 ;

Leia mais

Qualidade da Imagem e Dose Órgão em Exames Radiográficos Digitais de Tórax de Pacientes Adultos em Pato Branco, PR

Qualidade da Imagem e Dose Órgão em Exames Radiográficos Digitais de Tórax de Pacientes Adultos em Pato Branco, PR Qualidade da Imagem e Dose Órgão em Exames Radiográficos Digitais de Tórax de Pacientes Adultos em Pato Branco, PR Neuri A. Lunelli 1,2, Marcos Ely A. Andrade 1, Luiz Felipe A. Lima 1, Lisane Tonet 3,

Leia mais

Riscos Ocupacionais e do Público Durante Exames Radiológicos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de um Hospital Público de Sergipe

Riscos Ocupacionais e do Público Durante Exames Radiológicos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de um Hospital Público de Sergipe SCIENTIA PLENA VOL. 5, NUM. 11 2009 www.scientiaplena.org.br Riscos Ocupacionais e do Público Durante Exames Radiológicos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de um Hospital Público de Sergipe W.S.

Leia mais

ESTUDO DA QUALIDADE DA IMAGEM E ÍNDICES DE DOSE EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA. Fernando Mecca Augusto

ESTUDO DA QUALIDADE DA IMAGEM E ÍNDICES DE DOSE EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA. Fernando Mecca Augusto ESTUDO DA QUALIDADE DA IMAGEM E ÍNDICES DE DOSE EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA Fernando Mecca Augusto Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Engenharia Nuclear, COPPE, da Universidade

Leia mais

QUANTIFICAÇÃO DE TECIDOS PARA DESENVOLVIMENTO DE FANTOMA PEDIÁTRICO

QUANTIFICAÇÃO DE TECIDOS PARA DESENVOLVIMENTO DE FANTOMA PEDIÁTRICO IX Latin American IRPA Regional Congress on Radiation Protection and Safety - IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April 15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR QUANTIFICAÇÃO DE

Leia mais

Estudo da influência do espectro de cargas de trabalho no cálculo de blindagem em salas de radiologia convencional

Estudo da influência do espectro de cargas de trabalho no cálculo de blindagem em salas de radiologia convencional BJRS BRAZILIAN JOURNAL OF RADIATION SCIENCES 02-02 (2014) 01-16 Estudo da influência do espectro de cargas de trabalho no cálculo de blindagem em salas de radiologia convencional Alejandro H. L. Gonzales

Leia mais

FÍSICA DAS RADIAÇÕES. Prof. Emerson Siraqui

FÍSICA DAS RADIAÇÕES. Prof. Emerson Siraqui FÍSICA DAS RADIAÇÕES Prof. Emerson Siraqui CONCEITO Método que permite estudar o corpo em cortes ou fatias axiais ou trasversais, sendo a imagem obtida atraves dos Raios-X com o auxílio do computador (recontrução).

Leia mais

COMPARAÇÃO DA CURVA DE RENDIMENTO DE UM APARELHO DE RAIOS X PEDIÁTRICO UTILIZANDO DOSÍMETROS TERMOLUMINESCENTES E CÂMARADE IONIZAÇÃO CILÍNDRICA

COMPARAÇÃO DA CURVA DE RENDIMENTO DE UM APARELHO DE RAIOS X PEDIÁTRICO UTILIZANDO DOSÍMETROS TERMOLUMINESCENTES E CÂMARADE IONIZAÇÃO CILÍNDRICA Internationaljoint Conference RADIO 2014 Gramado, RS, Brazil, Augustl 26-29, 2014 SOCIEDADEBRASILEIRA DEPROTEÇÃO RADIOLÕGICA - SBPR COMPARAÇÃO DA CURVA DE RENDIMENTO DE UM APARELHO DE RAIOS X PEDIÁTRICO

Leia mais

As vantagens da imagiologia volumétrica de feixe cónico em exames ortopédicos das extremidades

As vantagens da imagiologia volumétrica de feixe cónico em exames ortopédicos das extremidades As vantagens da imagiologia volumétrica de feixe cónico em exames ortopédicos das extremidades Imagiologia em tomografia computadorizada de feixe cónico para extremidades A tomografia computadorizada de

Leia mais

Proposta de medição de dose no cristalino e na tireoide em exame de tomografia de seios da face

Proposta de medição de dose no cristalino e na tireoide em exame de tomografia de seios da face Proposta de medição de dose no cristalino e na tireoide em exame de tomografia de seios da face Ana Caroline Mello 1, Vicente Machado Neto 1 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR, Programa

Leia mais

PARÂMETROS RELACIONADOS À QUALIDADE DA IMAGEM EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA TC

PARÂMETROS RELACIONADOS À QUALIDADE DA IMAGEM EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA TC X Congreso Regional Latinoamericano IRPA de Protección y Seguridad Radiológica Radioprotección: Nuevos Desafíos para un Mundo en Evolución Buenos Aires, 12 al 17 de abril, 2015 SOCIEDAD ARGENTINA DE RADIOPROTECCIÓN

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ATENUAÇÃO DE AVENTAIS PLUMBÍFEROS COM DIFERENTES EQUIVALÊNCIAS DE CHUMBO PARAUSO EM SERVIÇOS DE RADIOLOGIA

AVALIAÇÃO DA ATENUAÇÃO DE AVENTAIS PLUMBÍFEROS COM DIFERENTES EQUIVALÊNCIAS DE CHUMBO PARAUSO EM SERVIÇOS DE RADIOLOGIA Internationaljoint Conference RADIO 2014 Gramado, RS, Brazil, Augustl 26-29, 2014 SOCIEDADEBRASILEIRA DEPROTEÇÃO RADIOLÕGICA - SBPR AVALIAÇÃO DA ATENUAÇÃO DE AVENTAIS PLUMBÍFEROS COM DIFERENTES EQUIVALÊNCIAS

Leia mais

Aplicação de protocolos de crânio e face. Profº Claudio Souza

Aplicação de protocolos de crânio e face. Profº Claudio Souza Aplicação de protocolos de crânio e face Profº Claudio Souza Introdução Quando falamos em crânio e face, não estamos falando apenas de duas peças ou região anatômica, temos: glândulas, cavidades e uma

Leia mais

. Objetivos. Campo de Aplicação. Autoridade Regulatória. Inspeções Sanitárias. Infrações. Interpretações e Casos Omissos

. Objetivos. Campo de Aplicação. Autoridade Regulatória. Inspeções Sanitárias. Infrações. Interpretações e Casos Omissos 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS. Objetivos. Campo de Aplicação. Autoridade Regulatória. Inspeções Sanitárias. Infrações. Interpretações e Casos Omissos 2 - SISTEMA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA PRINCÍPIOS BÁSICOS. Justificação.

Leia mais

TECNOLOGIA RADIOLÓGICA

TECNOLOGIA RADIOLÓGICA TECNOLOGIA RADIOLÓGICA Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Aula 05 Qualidade Radiográfica Agenda Qualidade radiográfica, resolução, velocidade, d curva característica, ti densidade

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Em relação à produção, à emissão e à interação dos raios X com a matéria, julgue os itens a seguir. 41 O deslocamento de elétrons da camada M para a camada K produz radiação característica. 42 Bremsstrahlung,

Leia mais

Estimativa da dose em exames de tomografia de abdome com base nos valores de DLP

Estimativa da dose em exames de tomografia de abdome com base nos valores de DLP IX Latin American IRPA Regional Congress on Radiation Protection and Safety - IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April 15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA SBPR Estimativa da dose

Leia mais

Aspectos Metrológicos na Estimativa da Atividade Administrada em Pacientes de Medicina Nuclear

Aspectos Metrológicos na Estimativa da Atividade Administrada em Pacientes de Medicina Nuclear Aspectos Metrológicos na Estimativa da Atividade Administrada em Pacientes de Medicina Nuclear A Ruzzarin 1,AM Xavier 2, A Iwahara 1, L Tauhata 1 1 Laboratório Nacional de Metrologia das Radiações Ionizantes/Instituto

Leia mais

Principais características

Principais características Tomografia Computadorizada com Multidetectores Philips Brilliance 64 Reunião Abdome DDI 17/6/2009 Carlos Matsumoto MDCT X SDCT Principais características Cortes mais rápidos < artefatos de movimentos Melhor

Leia mais

Aplicação de Metodologia de Testes de Desempenho de Monitores Portáteis. de Radiação. V. Vivolo, L.V.E. Caldas

Aplicação de Metodologia de Testes de Desempenho de Monitores Portáteis. de Radiação. V. Vivolo, L.V.E. Caldas Aplicação de Metodologia de Testes de Desempenho de Monitores Portáteis de Radiação V. Vivolo, L.V.E. Caldas Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Comissão Nacional de Energia Nuclear, P.O. Box

Leia mais

Introdução. Princípios básicos da TAC. .Tomografia deriva da palavra grega Tomos, .Computorizada o processamento. .Designação de TAC/TC.

Introdução. Princípios básicos da TAC. .Tomografia deriva da palavra grega Tomos, .Computorizada o processamento. .Designação de TAC/TC. Princípios básicos da TAC III Encontro de Formação Contínua OMV XIII Congresso de Medicina Veterinária em Língua Portuguesa 17 e 18 de Novembro, 2012 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA Mário Ginja DVM, PhD

Leia mais

Avaliação da qualidade da imagem e da dose glandular média em mamografia digital.

Avaliação da qualidade da imagem e da dose glandular média em mamografia digital. BJRS BRAZILIAN JOURNAL OF RADIATION SCIENCES 03-1A (2015) 01-17 Avaliação da qualidade da imagem e da dose glandular média em mamografia digital. N. W. Lima a ; I. Q. Borba a ; M. Anés a ; J. M. Goulart

Leia mais

Aplicação de protocolos de crânio e face. Profº Claudio Souza

Aplicação de protocolos de crânio e face. Profº Claudio Souza Aplicação de protocolos de crânio e face Profº Claudio Souza Introdução Quando falamos em crânio e face não se tratam apenas de duas peças ou regiões anatômicas temos glândulas, cavidades e uma imensa

Leia mais

4.2. Técnicas radiográficas especiais

4.2. Técnicas radiográficas especiais SEL 5705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS (III. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas) 4.2. Técnicas radiográficas especiais 4.2.1. Abreugrafia Chapa, em

Leia mais

IMAGENS EM RADIOGRAFIA INDUSTRIAL: FATORES QUE ALTERAM A QUALIDADE DA IMAGEM

IMAGENS EM RADIOGRAFIA INDUSTRIAL: FATORES QUE ALTERAM A QUALIDADE DA IMAGEM IMAGENS EM RADIOGRAFIA INDUSTRIAL: FATORES QUE ALTERAM A QUALIDADE DA IMAGEM HENRIQUE TROMBINI 1, ALINE GUERRA DYTZ 2 RESUMO Neste trabalho foram realizadas várias imagens radiográficas de um modelo de

Leia mais

Universidade Estadual de Santa Cruz

Universidade Estadual de Santa Cruz Universidade Estadual de Santa Cruz Programa Regional de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente AVALIAÇÃO DA POLUIÇÃO AMBIENTAL POR

Leia mais

Estimativa de dose efetiva em tomografia odontológica de feixe cônico

Estimativa de dose efetiva em tomografia odontológica de feixe cônico SCIENTIA PLENA VOL. 8, NUM. 3 2012 www.scientiaplena.org.br Estimativa de dose efetiva em tomografia odontológica de feixe cônico Estimative of effective dose in dental cone beam CT W. O. Batista 1,2 ;

Leia mais

Departamento de Electrónica Industrial. Manual prático TC

Departamento de Electrónica Industrial. Manual prático TC Departamento de Electrónica Industrial Manual prático TC Clarisse Ribeiro Abril de 2008 Índice Ligar/Desligar o CT... 1 Check up/calibração... 2 Posicionamento do paciente... 2 Cabeça... 3 Pescoço...

Leia mais

Tomografia Computadorizada

Tomografia Computadorizada Tomografia Computadorizada Helder C. R. de Oliveira N.USP: 7122065 SEL 5705: Fundamentos Físicos dos Processos de Formação de Imagens Médicas Prof. Dr. Homero Schiabel Sumário História; Funcionamento e

Leia mais

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido 6. CONCLUSÕES Conclusões 49 Os resultados deste estudo indicam boa reprodutibilidade do exame de ressonância magnética, por meio da análise da variabilidade intra e interobservadores, na aferição do comprimento

Leia mais

Radio 2011 Análise do Espectro de Energias de Radiações X de Referência Ajustadas para a mesma Camada Semirredutora

Radio 2011 Análise do Espectro de Energias de Radiações X de Referência Ajustadas para a mesma Camada Semirredutora Radio 2011 Análise do Espectro de Energias de Radiações X de Referência Ajustadas para a mesma Camada Semirredutora Marcus Tadeu Tanuri de Figueiredo 1,Annibal Theotonio Baptista Neto 2,Paulo Marcio Campos

Leia mais

Brasil. viriatoleal@yahoo.com.br. igoradiologia @ hotmail.com. jwvieira@br.inter.net

Brasil. viriatoleal@yahoo.com.br. igoradiologia @ hotmail.com. jwvieira@br.inter.net 2009 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2009 Rio de Janeiro,RJ, Brazil, September27 to October 2, 2009 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-03-8 APLICAÇÃO DO

Leia mais

Otimização da imagem em Tomografia Computorizada no exame de Tórax

Otimização da imagem em Tomografia Computorizada no exame de Tórax INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DE LISBOA Otimização da imagem em Tomografia Computorizada no exame de Tórax Maria dos Anjos Pombo Batista dos Santos Orientadores:

Leia mais

Tomografia Computorizada Dental

Tomografia Computorizada Dental + Universidade do Minho M. I. Engenharia Biomédica Beatriz Gonçalves Sob orientação de: J. Higino Correia Tomografia Computorizada Dental 2011/2012 + Casos Clínicos n Dentes privados do processo de erupção

Leia mais

UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS PARA DOSIMETRIA DE FEIXES DE ELÉTRONS

UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS PARA DOSIMETRIA DE FEIXES DE ELÉTRONS RBE. VOL. 7 N. 11990 UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS PARA DOSIMETRIA DE FEIXES DE ELÉTRONS por C. NOGUEIRA DE SOUZA & L.V.E. CALDAS' RESUMO - Uma câmara de ionização de placas paralelas para

Leia mais

Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes Radioativas em Tecidos Moles

Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes Radioativas em Tecidos Moles Universidade Federal de São João Del-Rei MG 26 a 28 de maio de 2010 Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes

Leia mais

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II 1 O SEMESTRE DE 2015 PROFESSORES: Andréa de Lima Bastos Giovanni Antônio Paiva de Oliveira 1. EMENTA: Procedimentos, Protocolos,

Leia mais

CONTROLE DE QUALIDADE DE MEDIDORES DE TENSÃO NÃO- INVASIVOS EM EQUIPAMENTO DE RAIOS X, NÍVEL DIAGNÓSTICO

CONTROLE DE QUALIDADE DE MEDIDORES DE TENSÃO NÃO- INVASIVOS EM EQUIPAMENTO DE RAIOS X, NÍVEL DIAGNÓSTICO Artigo Original Ros RA, Caldas LVE CONTROLE DE QUALIDADE DE MEDIDORES DE TENSÃO NÃO- INVASIVOS EM EQUIPAMENTO DE RAIOS X, NÍVEL DIAGNÓSTICO Renato Assenci Ros 1, Linda V.E. Caldas 1 Resumo Abstract Este

Leia mais

Princípios Tomografia Computadorizada

Princípios Tomografia Computadorizada Princípios Tomografia Computadorizada Tomografia Computadorizada Histórico 1917 - Randon imagens projetadas > reproduziu 1967 Hounsfield >primeiro protótipo tipo Tomografia 1971 - H. Inglaterra > primeiro

Leia mais

Controle de Qualidade em Equipamentos de Radiodiagnóstico

Controle de Qualidade em Equipamentos de Radiodiagnóstico III Congresso Nacional dos Profissionais das Técnicas Radiológicas Controle de Qualidade em Equipamentos de Radiodiagnóstico Luciano Santa Rita Oliveira http://www.lucianosantarita.pro.br tecnologo@lucianosantarita.pro.br

Leia mais

Tomografia Computadorizada

Tomografia Computadorizada Tomografia Computadorizada Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Aula 05: Dose em Tomografia Agenda Introdução Dose absorvida, dose equivalente, e dose efetiva Definição das Medidas de

Leia mais

Princípios Físicos em Raio-X

Princípios Físicos em Raio-X Serviço de Informática Instituto do Coração HC FMUSP Princípios Físicos em Raio-X Marco Antonio Gutierrez Email: marco.gutierrez@incor.usp.br 2010 Formas de Energia Corpuscular (p, e -, n, α, β, ) Energia

Leia mais

Avaliação Dosimétricas numa Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de uma Maternidade Pública do Estado de Sergipe

Avaliação Dosimétricas numa Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de uma Maternidade Pública do Estado de Sergipe Avaliação Dosimétricas numa Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de uma Maternidade Pública do Estado de Sergipe William S. Santos, Daniel M. Dias, João V. Batista, Ana F. Maia Departamento de Física,

Leia mais

Otimização da Implementação de Modelos NURBS-3D em Simulações Dosimétricas na Física Médica

Otimização da Implementação de Modelos NURBS-3D em Simulações Dosimétricas na Física Médica UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ Centro de Pesquisas em CIÊNCIAS e TECNOLOGIAS das RADIAÇÕES- CPqCTR Otimização da Implementação de Modelos NURBS-3D em Simulações Dosimétricas na Física Médica Vivaldo

Leia mais

OSSOS TEMPORAIS(OUVIDO)

OSSOS TEMPORAIS(OUVIDO) OSSOS TEMPORAIS(OUVIDO) A avaliação de perda auditiva ou tiníto quase sempre inclui a investigação do osso temporal através de imagens. Há uma grande variedade de processos de doenças congênitas e adquiridas

Leia mais

Radiação Espalhada no Paciente

Radiação Espalhada no Paciente Interação dos Raios X com a Matéria Os Raios-X podem ser: Transmitidos, Absorvidos, Espalhados. A probabilidade da interação depende da energia do fóton incidente, da densidade do meio, da espessura do

Leia mais

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós-

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós- FOUSP Avaliação da precisão da tomografia computadorizada por feixe cônico (cone beam) como método de medição do volume ósseo vestibular em implantes dentários Dissertação apresentada à Faculdade de Odontologia

Leia mais

Qualidade de imagem versus dose em Tomografia Computorizada

Qualidade de imagem versus dose em Tomografia Computorizada Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Engenharia Biomédica Tese de Mestrado 2009 Qualidade de imagem versus dose em Tomografia Computorizada Optimização dos protocolos de crânio

Leia mais

1895: Wilhelm Conrad Röntgen, físico alemão, descobriu os raios-x em suas experiências com tubos de raios catódicos;

1895: Wilhelm Conrad Röntgen, físico alemão, descobriu os raios-x em suas experiências com tubos de raios catódicos; I. INTRODUÇÃO A radiologia geral de diagnóstico foi a primeira técnica de diagnóstico por imagem e continua sendo hoje uma das mais importantes modalidades. Suas principais aplicações são em traumatologia

Leia mais

VALIDAÇÃO DE UM PROGRAMA PARA A ESTIMATIVA DA INCERTEZA DE MEDIÇÃO PELO MÉTODO DE MONTE CARLO NA MEDIÇÃO DO CTDIw EM CT

VALIDAÇÃO DE UM PROGRAMA PARA A ESTIMATIVA DA INCERTEZA DE MEDIÇÃO PELO MÉTODO DE MONTE CARLO NA MEDIÇÃO DO CTDIw EM CT IX Latin American IRPA Regional Congress on Radiation Protection and Safety - IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April 15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR VALIDAÇÃO DE UM

Leia mais

Análise da variação da camada de ozônio sobre o território brasileiro e seu impacto sobre os níveis de radiação ultravioleta

Análise da variação da camada de ozônio sobre o território brasileiro e seu impacto sobre os níveis de radiação ultravioleta Análise da variação da camada de ozônio sobre o território brasileiro e seu impacto sobre os níveis de radiação ultravioleta Gabriela Junqueira da Silva¹, Marcelo de Paula Corrêa¹, Ana Paula Figueiredo¹

Leia mais

Dose absorvida e efetiva em mulheres submetidas a exames de PET-CT para diagnóstico oncológico

Dose absorvida e efetiva em mulheres submetidas a exames de PET-CT para diagnóstico oncológico Dose absorvida e efetiva em mulheres submetidas a exames de PE-C para diagnóstico oncológico Priscila do Carmo Santana 1, Paulo Márcio Campos de Oliveira 1,2, Arnaldo Prata Mourão Filho 3, Felipe Dias

Leia mais

Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em

Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em Radioproteção em Dosimetria IRD/CNEN Quem é o (sico médico?

Leia mais

Levantamento de Doses em Tomografia Computadorizada em Protocolos de Crânio e Tórax Survey of Computed Tomography Doses in Head and Chest Protocols

Levantamento de Doses em Tomografia Computadorizada em Protocolos de Crânio e Tórax Survey of Computed Tomography Doses in Head and Chest Protocols Levantamento de Doses em Tomografia Computadorizada em Protocolos de Crânio e Tórax Survey of Computed Tomography Doses in Head and Chest Protocols Giordana Salvi de Souza 1, Ana Maria Marques da Silva

Leia mais

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado 2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado Neste capítulo são apresentados os tipos de dados utilizados neste trabalho e a anatomia do fígado, de onde foram retiradas todas as heurísticas adotadas para segmentação

Leia mais

Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com

Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Radiologia Digital Sensores Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Detectores Digitais de Raios-X Formação de Imagens por Raios - X Nosso Sensor de Imagens O Olho Humano Cones 7 milhões,

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Engenharia

Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Engenharia Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Engenharia Tomografia Computorizada: Análise e optimização das práticas na realização de exames em adultos e pediátricos. Análise do nível de adequação às

Leia mais

TÉCNICA DE MEDIÇÃO ELETRÔNICA DA CAMADA SEMI- REDUTORA UTILIZANDO TRANSISTOR BIPOLAR DE JUNÇÃO

TÉCNICA DE MEDIÇÃO ELETRÔNICA DA CAMADA SEMI- REDUTORA UTILIZANDO TRANSISTOR BIPOLAR DE JUNÇÃO International Joint Conference RADIO 2014 Gramado, RS, Brazil, Augustl 26-29, 2014 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR TÉCNICA DE MEDIÇÃO ELETRÔNICA DA CAMADA SEMI- REDUTORA UTILIZANDO

Leia mais

CALIBRAÇÃO DAS CÂMARAS DE IONIZAÇÃO PARA FEIXES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NO BRASIL: A REALIDADE ATUAL*

CALIBRAÇÃO DAS CÂMARAS DE IONIZAÇÃO PARA FEIXES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NO BRASIL: A REALIDADE ATUAL* Artigo Original Calibração das câmaras de ionização para feixes de TC no Brasil CALIBRAÇÃO DAS CÂMARAS DE IONIZAÇÃO PARA FEIXES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NO BRASIL: A REALIDADE ATUAL* Ana Figueiredo

Leia mais

2 Trabalhos Relacionados

2 Trabalhos Relacionados 2 Trabalhos Relacionados O desenvolvimento de técnicas de aquisição de imagens médicas, em particular a tomografia computadorizada (TC), que fornecem informações mais detalhadas do corpo humano, tem aumentado

Leia mais

Protocolo abdome. Profº Cláudio Souza

Protocolo abdome. Profº Cláudio Souza Protocolo abdome Profº Cláudio Souza Abdome Quando falamos em abdome dentro da tomografia computadorizada por uma questão de radioproteção e também financeira o exame é dividido em, abdome superior e inferior

Leia mais

Controle da Qualidade em Tomografia Computadorizada. Fernando Mecca

Controle da Qualidade em Tomografia Computadorizada. Fernando Mecca Controle da Qualidade em Tomografia Computadorizada Fernando Mecca Quais são os parâmetros testados? qualidade da imagem ruído da imagem e homogeneidade número de TC resolução espacial espessura da imagem

Leia mais

Tomografia Computorizada

Tomografia Computorizada Universidade Técnica de Lisboa Instituto Superior Técnico Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica Tomografia Computorizada Técnicas de Imagiologia Nuno Santos n.º 55746, dodgeps@hotmail.com Rúben Pereira

Leia mais

Medições de Dose no Cristalino e na Tiróide em Tomografia Computorizada

Medições de Dose no Cristalino e na Tiróide em Tomografia Computorizada INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DE LISBOA Medições de Dose no Cristalino e na Tiróide em Tomografia Computorizada Projecto Trabalho final para obtenção do grau de

Leia mais

Resolução CFBM Nº 234 DE 05/12/2013

Resolução CFBM Nº 234 DE 05/12/2013 Resolução CFBM Nº 234 DE 05/12/2013 Publicado no DO em 19 dez 2013 Dispõe sobre as atribuições do biomédico habilitado na área de imagenologia, radiologia, biofísica, instrumentação médica que compõe o

Leia mais

CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX

CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX CMNE/CILAMCE 2007 Porto, 13 a 15 de Junho, 2007 APMTAC, Portugal 2007 CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX Dário A.B. Oliveira 1 *, Marcelo P. Albuquerque 1, M.M.G

Leia mais

EFEITOS DELETÉRIOS INDUZIDOS POR EXPOSIÇÃO INDIRETA DO APARELHO AUDITIVO DURANTE RADIOTERAPIA DE CABEÇA E PESCOÇO - CORRELACIONAMENTO DOSIMETRICO

EFEITOS DELETÉRIOS INDUZIDOS POR EXPOSIÇÃO INDIRETA DO APARELHO AUDITIVO DURANTE RADIOTERAPIA DE CABEÇA E PESCOÇO - CORRELACIONAMENTO DOSIMETRICO EFEITOS DELETÉRIOS INDUZIDOS POR EXPOSIÇÃO INDIRETA DO APARELHO AUDITIVO DURANTE RADIOTERAPIA DE CABEÇA E PESCOÇO - CORRELACIONAMENTO DOSIMETRICO Palavras-chave: Aparelho Auditivo, Dosimetria, Radioterapia.

Leia mais

Estrutura do Curso...

Estrutura do Curso... Radiologia Digital Aula 2 Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Estrutura do Curso... 1. Introdução à Radiologia Digital 2. A imagem digital e etapas de PDI 3. Equipamento - Detectores

Leia mais

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

RADIOLOGIA DIGITAL. Conceitos Básicos. Eizo Soluções Médicas

RADIOLOGIA DIGITAL. Conceitos Básicos. Eizo Soluções Médicas Eizo Soluções Médicas Conceitos Básicos RADIOLOGIA DIGITAL Entenda os conceitos, termos e a história da radiologia ; os benefícios, desafios e o futuro da radiologia digital INTRODUÇÃO Para profissionais

Leia mais

PROGRAMA DE CONTROLE DA QUALIDADE E DOSE EM MAMOGRAFIA

PROGRAMA DE CONTROLE DA QUALIDADE E DOSE EM MAMOGRAFIA PROGRAMA DE CONTROLE DA QUALIDADE E DOSE EM MAMOGRAFIA Rosangela da Silveira CORRÊA, Ruffo FREITAS-JÚNIOR, João Emílio PEIXOTO, Maria Eugênia da Fonseca LEMOS, Rosemar Macedo de Sousa RAHAL Programa de

Leia mais

AVALIAÇÃO DE KERMA NO AR DE ENTRADA E KERMA NO AR PRODUTO DOSE-ÁREA EM PACIENTES SUBMETIDOS A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

AVALIAÇÃO DE KERMA NO AR DE ENTRADA E KERMA NO AR PRODUTO DOSE-ÁREA EM PACIENTES SUBMETIDOS A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA AVALIAÇÃO DE KERMA NO AR DE ENTRADA E KERMA NO AR PRODUTO DOSE-ÁREA EM PACIENTES SUBMETIDOS A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA Farly Piantini [Bolsista PIBIC/CNPq] 1, Hugo R. Schelin 1,2, Lorena E.

Leia mais

AVALIAÇÃO PRELIMINAR DAS EXPOSIÇÕES DE PACIENTES EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NA AMÉRICA LATINA: PROJETO IAEA RLA/9/67

AVALIAÇÃO PRELIMINAR DAS EXPOSIÇÕES DE PACIENTES EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NA AMÉRICA LATINA: PROJETO IAEA RLA/9/67 IX Latin American IRPA Regional Congress on Radiation Protection and Safety - IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April 15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR AVALIAÇÃO PRELIMINAR

Leia mais

Vª JORNADAS DE RADIOLOGIA BASES FÍSICAS DA TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA

Vª JORNADAS DE RADIOLOGIA BASES FÍSICAS DA TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA Vª JORNADAS DE RADIOLOGIA BASES FÍSICAS DA TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA JOÃO COMBA INTERNO DE RADIOLOGIA CSE 21 DE OUTUBRO DE 2011 INTRODUÇÃO Após a descoberta dos Rx por W.K. Roentgen em 1895 e até aos anos

Leia mais

Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista. Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com

Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista. Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com Produção dos raios X Na Cardiologia Intervencionista não existem fontes naturais

Leia mais

KELLEN ADRIANA CURCI DAROS

KELLEN ADRIANA CURCI DAROS 9091 KELLEN ADRIANA CURCI DAROS Avaliação das doses de radiação X em exames pediátricos de tomografia computadorizada de crânio com base em estudos de otimização Tese apresentada à Universidade Federal

Leia mais

O sistema Tube and Grid Alignment da CARESTREAM fornece melhor qualidade de imagem e técnicas consistentes para radiografia de diagnósticos portáteis

O sistema Tube and Grid Alignment da CARESTREAM fornece melhor qualidade de imagem e técnicas consistentes para radiografia de diagnósticos portáteis O sistema Tube and Grid Alignment da CARESTREAM fornece melhor qualidade de imagem e técnicas consistentes para radiografia de diagnósticos portáteis As grades anti-dispersão aprimoram qualidade da imagem

Leia mais

Prof. AGUINALDO SILVA

Prof. AGUINALDO SILVA Caro aluno e colega de profissão, disponibilizo este material mas caso tenha interesse em usá-lo favor não alterar os slides e não retirar os meus créditos. Obrigado e bons estudos!!! Direitos autorais

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM ALGORITMO QUANTIFICADOR DE TECIDO BIOLÓGICO DE EXTREMIDADE

DESENVOLVIMENTO DE UM ALGORITMO QUANTIFICADOR DE TECIDO BIOLÓGICO DE EXTREMIDADE IX Latin American IRPA Regional Congress on Radiation Protection and Safety - IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April 15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR DESENVOLVIMENTO

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 31 Ao realizar uma radiografia, um técnico de radiologia percebeu que sua máquina fotográfica convencional e os filmes fotográficos estavam no mesmo local que o aparelho

Leia mais

Palavras Chave: Radiação ionizante, tomografia computadorizada por raios X, proteção radiológica, redução de dose, pediatria.

Palavras Chave: Radiação ionizante, tomografia computadorizada por raios X, proteção radiológica, redução de dose, pediatria. Tomografia computadorizada em pediatria: uma abordagem sobre os riscos oncogênicos e os métodos de redução de dose Pietro Paolo de Barros (1) ; Flávio Augusto Penna Sores (2), Andrea Huhn (2) ; Alyson

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO COMPUTACIONAL DE EXPOSIÇÃO EXTERNA PARA ESTUDO DA DOSE DE ENTRADA NA PELE PARA RADIOGRAFIAS DE TÓRAX E COLUNA

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO COMPUTACIONAL DE EXPOSIÇÃO EXTERNA PARA ESTUDO DA DOSE DE ENTRADA NA PELE PARA RADIOGRAFIAS DE TÓRAX E COLUNA International Joint Conference RADIO 2014 Gramado, RS, Brazil, Augustl 26-29, 2014 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO COMPUTACIONAL DE EXPOSIÇÃO EXTERNA PARA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO NA ÁREA DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CARDIOVASCULAR. CAPÍTULO I Conceito

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO NA ÁREA DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CARDIOVASCULAR. CAPÍTULO I Conceito REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO NA ÁREA DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CARDIOVASCULAR CAPÍTULO I Conceito Art. 1º - O Programa de Aprimoramento na área de Ressonância

Leia mais

Dr. Jefferson Mazzei Radiologista Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho

Dr. Jefferson Mazzei Radiologista Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho Dr. Jefferson Mazzei Radiologista Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho Objetivo da aula; Diagnóstico, estadiamento, acompanhamento, prevenção e pesquisa clínica; Limitações do método. Definição

Leia mais

Medição dos Níveis de Referência de Diagnóstico em Tomografia Computorizada para exames do Abdómen

Medição dos Níveis de Referência de Diagnóstico em Tomografia Computorizada para exames do Abdómen UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia Departamento de Física Medição dos Níveis de Referência de Diagnóstico em Tomografia Computorizada para exames do Abdómen Por: Ana Patrícia

Leia mais

Engenharia Biomédica e Física Médica

Engenharia Biomédica e Física Médica Engenharia Biomédica e Física Médica 2010-2011 Teste 1 Importante: - Indique todos os cálculos e aproximações que efectuar. - Quando achar necessário arbitrar valores ou parâmetros (p.ex. diâmetro de um

Leia mais