Guia de Referência para Customização Integração Com Aplicativos Externos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de Referência para Customização Integração Com Aplicativos Externos"

Transcrição

1 Guia de Referência para Customização Integração Com Aplicativos Externos Junho 2014

2 Índice Título do documento 1. Considerações Gerais Visão Geral WebServices Acessando os WebServices do TOTVS ECM Via Adobe Flex Via Java Observações Via Progress 4GL Acessando WebServices a partir do TOTVS ECM Progress Open AppServer Caso de Uso Configuração do AppServer Expondo códigos 4GL com ProxyGen Configurando o AmbienteProgress nototvs ECM Configurando o Serviço Visão geral dos Objetos Envolvidos Procedures Persistentes e Não-Persistentes Parâmetros de Entrada e Saída Construindoos Datasets Tipos de Centros de Custo Naturezas de Centro de Custo Centros de Custo Usuários em Comuns ServiceHelper Links Externos Acesso direto a pasta Acesso a documentos com destino Acesso sem efetuar login Third Party Trademarks Versão 1.0

3 Atenção: Copyright 2013 TOTVS. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste documento pode ser copiada, reproduzida, traduzida ou transmitida por qualquer meio eletrônico ou mecânico, na sua totalidade ou em parte, sem a prévia autorização escrita da TOTVS, que se reserva o direito de efetuar alterações sem aviso prévio. A TOTVS não assume qualquer responsabilidade pelas consequências de quaisquer erros ou inexatidões que possam aparecer neste documento. TOTVS S.A. Av. Braz Leme, 1717 São Paulo-SP Brasil Versão 1.0 3

4 Título do documento 1. Considerações Gerais As informações contidas neste documento têm por objetivo demonstrar como é feita a integração entre o TOTVS ECM e aplicativos externos. Para que se tenha uma compreensão completa destas informações, alguns conhecimentos são considerados pré-requisitos, entre eles: Visão geral sobre o produto TOTVS ECM Visão geral sobre integração de sistemas JavaScript WebServices SOAP Progress 4GL Progress Open App Server Progress Open Client for Java Datasets (TOTVS ECM) Java Adobe Flex Em várias partes deste documento serão apresentados trechos de códigos em diferentes linguagens de programação, com o intuito de demonstrar o uso das capacidades de integração do TOTVS ECM. Entretanto, este documento não tem por objetivo capacitar o leitor no uso destas tecnologias além do propósito acima descrito, sendo responsabilidade do leitor buscar informações aprofundadas sobre estas linguagens. Com o intuito de facilitar o entendimento das informações apresentadas e a simulação dos conceitos apresentados, os exemplos citados neste documento utilizam a funcionalidade de Datasets como exemplo de uso das capacidades de integração do produto. Entretanto, é importante ressaltar que outros pontos do produto possuem disponíveis as mesmas características de integração existentes nos Datasets, em especial as customizações de processos e fichários. 4 Versão 1.0

5 2. Visão Geral Ainda que empíricos, toda empresa possui processos de negócios que permitem à empresa cumprir o seu objetivo, seja ele a prestação de um serviço, a produção de bens materiais ou o comércio de mercadorias. Uma empresa possui uma infinidade de processos, sendo que cada pessoa na organização obrigatoriamente participa em pelo menos um destes processos, e todos eles trocam informações entre si em algum momento. Os processos podem ser formais (como a contratação de um profissional) ou informais (como um incentivo à inovação), críticos (faturamento) ou satélites (controle de envio de cartões de aniversários). Com o advento das tecnologias de Sistema da Informação, vários sistemas passaram a dar apoio a estes processos de negócio, especialmente àqueles considerados mais críticos para a operação da empresa. O melhor exemplo disto é a adoção dos sistemas de ERP que dão suporte aos processos de várias áreas da empresa. O TOTVS ECM tem como objetivo servir de ferramenta para agilizar e automatizar processos de negócio, especialmente aqueles que não são atendidos plenamente pelos demais sistemas da empresa. Isto pode ser percebido em maior ou menor grau em cada uma das suas funcionalidades, desde as mais simples (como colaboração) até as mais complexas (como GED e Workflow). Entretanto, parte destes processos têm alta dependência dos sistemas de informação já existentes na empresa e, por isso, a arquitetura do TOTVS ECM é planejada para permitir integrar-se a estes sistemas, permitindo que os processos modelados tenham maior valor agregado. O TOTVS ECM permite tanto o acesso pelo produto aos sistemas externos (para consultar ou alimentar informações), bem como habilita que outros sistemas venham a conectar-se para a consulta de informações ou para execução de operações transacionais. Versão 1.0 5

6 Título do documento Figura 1 - Diagrama geral de integração O principal canal de integração do produto é através de WebServices, que vêm se tornando o padrão mais comum de integração com qualquer aplicativo. Através deles, é possível ter acesso às funcionalidades do TOTVS ECM e dar acesso pelo produto à aplicativos externos. Este documento dedica uma seção específica sobre integração via WebServices. A outra forma de integração é via chamadas ao Progress Open AppServer e é indicada para usuários que precisem integrar o TOTVS ECM com aplicativos desenvolvidos nesta plataforma. 6 Versão 1.0

7 3. WebServices A integração via WebServices utiliza o protocolo SOAP e, por ser um padrão aberto, permitem que sistemas desenvolvidos em plataformas totalmente diferentes como Java, Microsoft.Net, C, C++, PHP, Ruby, Pearl ou Python possam trocar informações entre si de forma transparente Acessando os WebServices do TOTVS ECM O TOTVS ECM disponibiliza um conjunto de WebServices que permitem o acesso às informações do produto ou a execução de tarefas, como iniciar processos workflow por exemplo. Para ter uma lista dos processos disponíveis, abra o navegador no endereço Service DocumentService FolderService DatasetService ColleagueService GlobalParamService GroupService Description Web Service to create, update and find Documents Web Service to create, update and find Folders Web Service to create, update and find standards or custom Datasets Web Service to create, update and find Colleagues Web Service to update and find Company Parameters Web Service to create, update and find Colleague Groups Cada link apresentado direciona o browser para a URL do WSDL do serviço. O WSDL (Web Service Description Language) possui a descrição do serviço no formato XML e é utilizado pelas ferramentas de desenvolvimento para a criação dos componentes que representarão este serviço. Observação: Atente para cada tipo do atributo que é esperado, por exemplo, o atributo expirationdate do objeto DocumentDto[] é uma data, porém cada linguagem interpreta de maneira diferente, veja alguns exemplos abaixo: C#: datetime Java : XMLGregorianCalendar (exemplo de utilização) Progress : DATETIME-TZ Via Adobe Flex Como a grande maioria das ferramentas de desenvolvimento, o Adobe Flex permite criar stubs para o acesso à web services. Estes stubs encapsulam todas as operações de empacotamento e desempacotamento das informações do padrão XML para os tipos nativos da plataforma. Versão 1.0 7

8 Título do documento Aplicação Cliente Tipos Nativos Stubs Tipos Nativos WebService Implementation A criação dos stubs no Flex é feito no menu Data, Opção Import WebService (WSDL), conforme a imagem abaixo. Figura 2 Flex Builder - Criando Stubs no Flex Na primeira janela, é solicitada a pasta dentro do projeto corrente onde devem ser gerados os stubs. Figura 3 - Flex Builder - Definindo pasta de destino 8 Versão 1.0

9 Na tela a seguir, deve ser informado o endereço do WSDL onde se encontra o serviço. Também é possível definir se ele será acessado da estação cliente ou do servidor LifeCycle Data Services. Figura 4 - Flex Builder - Informando o WSD Na última tela, deve-se informar o package que será utilizado e qual o nome da classe principal (já sugeridos pelo Flex Builder ). Versão 1.0 9

10 Título do documento Figura 5 - Flex Builder - Informando o WSDL Uma vez finalizado o processo, o Flex Builder adicionará ao projeto um conjunto de classes que serão utilizadas pelo programador para invocar os serviços, conforme a figura abaixo: 10 Versão 1.0

11 Figura 6 - Objetos gerados pelo Flex Builder O trecho de código abaixo apresenta um exemplo de invocação do WebService de acesso aos Datasets do TOTVS ECM. <?xml version="1.0" encoding="utf-8"?> <mx:application xmlns:mx="http://www.adobe.com/2006/mxml" layout="absolute" creationcomplete="{this.start()"> <mx:script> <![CDATA[ import generated.webservices.valuesdto; import generated.webservices.datasetdto; import generated.webservices.getdatasetresultevent; import generated.webservices.searchconstraintdtoarray; import generated.webservices.stringarray; import generated.webservices.datasetserviceservice; import mx.rpc.events.faultevent; import mx.collections.arraycollection; /* Cria uma instância do Stub de acesso ao serviço */ private var ds:datasetserviceservice = new DatasetServiceService(); /* Cria tipos auxiliares, que serão utilizados na chamada do serviço */ private var fields:stringarray; private var constraints:searchconstraintdtoarray; private var order:stringarray; private var search:searchconstraintdtoarray; private var columnsarray:arraycollection; private var valuesarray:arraycollection; Versão

12 Título do documento public function start() : void { /* Busca dataset especifico */ fields = new StringArray(); constraints = new SearchConstraintDtoArray(); order = new StringArray(); /* Define as funções para tratamento do retorno */ ds.addeventlistener(getdatasetresultevent.getdataset_result, resultgetdataset); ds.addeventlistener(faultevent.fault,faultgetdataset); ds.getdataset(1, /* Empresa */ "adm", /* Usuário */ "adm", /* Senha */ "estados", /* Nome Dataset */ fields, /* Campos a Retornar */ constraints, /* Condições de busca */ order); /* Campos p/ Ordenação */ // Tratamento dos dados retornados do serviço invocado. public function resultgetdataset(ev:getdatasetresultevent) : void { /* Recupera o retorno do serviço, na forma de um DatasetDto */ var dataset:datasetdto = ev.result as DatasetDto; /* Determina o número de colunas e linhas do dataset */ columnsarray = new ArrayCollection(dataset.columns); ValuesArray = new ArrayCollection(dataset.values); /* Monta uma string com todos os dados do dataset */ var line:string = ""; /* Cabeçalho com o nome dos campos */ for (var j:int=0; j<columnsarray.length; j++) { line = line + columnsarray.getitemat(j) + "\t"; line = line + "\n"; /* Linha de dados */ for (var j:int=0;j<valuesarray.length;j++) { var row:valuesdto = valuesarray.getitemat(j) as ValuesDto; line = line + j + ":"; for (var i:int=0;i<row.length;i++) { line = line + row.getitemat(i) + "\t"; line = line + "\n"; ]]> </mx:script> /* Mostra a string criada em um textarea na tela */ this.sysout.text = line; public function faultgetdataset(ev:faultevent) : void { this.sysout.text = ev.fault.faultstring; </mx:application> <mx:textarea id="sysout" name="sysout" width="100%" height="100%" paddingbottom="5" paddingleft="5" paddingright="5" paddingtop="5"/> 12 Versão 1.0

13 Aviso: Existe um bug do Adobe Flex que impede o funcionamento correto de serviços que trabalhem com matrizes multidimensionais de dados, como no exemplo acima, onde é retornado um array (de linhas do dataset) de array (das colunas de cada registro). Para contornar este problema, é preciso alterar a classe gerada pelo Flex Builder que irá encapsular o array multidimensional. No exemplo acima, esta classe é a DatasetDto, que deverá ser alterada conforme o exemplo abaixo: public class DatasetDto { /** * Constructor, initializes the type class */ public function DatasetDto() { [ArrayElementType("String")] public var columns:array; [ArrayElementType("ValuesDto")] public var values:array= new Array(); /* inicializado o array */ /* public var values:array ; */ Outros serviços que não trabalhem com arrays multidimensionais não exigem alterações no código gerado Via Java Existem muitas implementações de uso de WebServices em Java e neste exemplo vamos utilizar as bibliotecas disponíveis no Java 6. Da mesma forma como no exemplo anterior, em Adobe Flex, o primeiro passo consiste em utilizar o endereço WSDL para a geração dos stubs em Java. O comando abaixo apresenta um exemplo de como gerar estes stubs. wsimport -d <output_directory> <wsdl_url> Através deste comando são gerados os stubs no diretório de destino (output_directory), conforme a descrição do arquivo wsdl (wsdl_url). Versão

14 Título do documento Figura 7 - Classes geradas pelo utilitário wsimport A partir dos stubs gerados, é possível consumir o WebService como no exemplo abaixo: package ExemplosDatasetService; import javax.xml.ws.bindingprovider; import net.java.dev.jaxb.array.stringarray; import com.datasul.technology.webdesk.dataservice.ws.datasetdto; import com.datasul.technology.webdesk.dataservice.ws.datasetservice; import com.datasul.technology.webdesk.dataservice.ws.datasetserviceservice; import com.datasul.technology.webdesk.dataservice.ws.searchconstraintdtoarray; import com.datasul.technology.webdesk.dataservice.ws.valuesdto; /** * Classe para invocar serviço DatasetService. */ public class DataServiceClient { 14 Versão 1.0

15 // Instancia DatasetServiceService. DatasetServiceService datasetserviceservice = new DatasetServiceService(); DatasetService service = datasetserviceservice.getdatasetserviceport(); // Inicia execução da classe. public static void main (String args[]) { System.out.println("\nClasse DatasetService"); // Instancia classe DatasetServiceClient. DataServiceClient dsc = new DataServiceClient(); // Configura acesso ao WebServices. BindingProvider bp = (BindingProvider) dsc.service; bp.getrequestcontext().put(bindingprovider.endpoint_address_property, "http://localhost:8080/webdesk/datasetservice"); try { dsc.getdataset(); catch (Exception e) { e.printstacktrace(); // Retorna dataset. public void getdataset() throws Exception { System.out.println("\nMétodo getdataset\n"); /* Cria os parâmetros utilizados na chamada */ StringArray fields = new StringArray(); StringArray order = new StringArray(); SearchConstraintDtoArray constraints = new SearchConstraintDtoArray(); /* Invoca o dataset */ DatasetDto result = service.getdataset(1, /* Empresa */ "adm", /* Usuario */ "adm", /* Senha */ "colleague", /* Dataset */ fields, /* Campos a Retornar*/ constraints, /* Condições */ order); /* Ordem dos campos */ /* Apresenta o cabeçalho */ for(string columnname : result.getcolumns()) System.out.print(columnName + "\t"); System.out.println(); /* Apresenta as linhas do dataset */ for(valuesdto row : result.getvalues()) { for(object field : row.getvalue()) System.out.print(field + "\t"); System.out.println(); Observações Ao utilizar os WebServices via Java, deve-se atentar para o tipo de cada atributo e para o tipo de retorno do WebService. Exemplos: XMLGregorianCalendar: Utilizado ao passar valores do tipo data. Versão

16 Exemplo de utilização: Título do documento DocumentDto document = new DocumentDto(); XMLGregorianCalendar date; date = DatatypeFactory.newInstance().newXMLGregorianCalendar(); date.setyear(2009); date.setmonth(10); date.setday(16); date.sethour(0); date.setminute(0); date.setsecond(0); document.setexpirationdate(date); Via Progress 4GL Assim como nos exemplos anteriores, o primeiro passo para consumir um Webservice em Progress é utilizar um utilitário que irá ler o endereço WSDL e gerar as informações necessárias para acessá-lo. Diferente do Java e Flex, o Progress não gera objetos de stub mas apenas uma documentação sobre como consumir os serviços descritos no arquivo WSDL. Embora em algumas situações seja possível utilizar os tipos nativos do Progress como parâmetros, dependendo do tipo de dado utilizado é preciso manipular o XML SOAP para extrair ou enviar uma informação. Para gerar a documentação de um serviço, deve-se utilizar o utilitário bprowsdldoc como no exemplo abaixo: bprowsdldoc <URL_TO_WSDL> Com a execução deste utilitário, serão gerados alguns arquivos HTML com as informações sobre como consumir o serviço, como na imagem abaixo: 16 Versão 1.0

17 Figura 8 - Exemplo de Documentação do WebService gerada pelo Progress Versão

18 /* Parte I Invocar o WebService */ DEFINE VARIABLE hwebservice AS HANDLE NO-UNDO. DEFINE VARIABLE hdatasetservice AS HANDLE NO-UNDO. Título do documento DEFINE VARIABLE companyid AS INTEGER NO-UNDO. DEFINE VARIABLE username AS CHARACTER NO-UNDO. DEFINE VARIABLE password AS CHARACTER NO-UNDO. DEFINE VARIABLE name AS CHARACTER NO-UNDO. DEFINE VARIABLE fields1 AS CHARACTER EXTENT 0 NO-UNDO. DEFINE TEMP-TABLE item NO-UNDO NAMESPACE-URI "" FIELD fieldname AS CHARACTER FIELD finalvalue AS CHARACTER FIELD initialvalue AS CHARACTER. DEFINE DATASET constraints NAMESPACE-URI "http://ws.dataservice.webdesk.technology.datasul.com/" FOR item. DEFINE VARIABLE order AS CHARACTER EXTENT 0 NO-UNDO. DEFINE VARIABLE dataset1 AS LONGCHAR NO-UNDO. CREATE SERVER hwebservice. hwebservice:connect("-wsdl 'http://norberto.datasul.net:8080/webdesk/datasetservice?wsdl'"). RUN DatasetService SET hdatasetservice ON hwebservice. /* Procedure invocation of getdataset operation. */ RUN getdataset IN hdatasetservice(input 1, INPUT "joyce", INPUT "adm", INPUT "colleague", INPUT fields1, INPUT DATASET constraints, INPUT order, OUTPUT dataset1). 18 Versão 1.0

19 DELETE OBJECT hdatasetservice. hwebservice:disconnect(). DELETE OBJECT hwebservice. /* Parte II - Faz o parser do XML e criar um arquivo separado por tabulacao */ DEFINE VARIABLE icount AS INTEGER NO-UNDO. DEFINE VARIABLE icount2 AS INTEGER NO-UNDO. DEFINE VARIABLE hdoc AS HANDLE NO-UNDO. DEFINE VARIABLE hroot AS HANDLE NO-UNDO. DEFINE VARIABLE hvalues AS HANDLE NO-UNDO. DEFINE VARIABLE hentry AS HANDLE NO-UNDO. DEFINE VARIABLE htext AS HANDLE NO-UNDO. DEFINE VARIABLE cvalue AS CHARACTER NO-UNDO. OUTPUT TO c:\temp\saida.txt. CREATE X-DOCUMENT hdoc. hdoc:load("longchar", dataset1, FALSE). CREATE X-NODEREF hroot. hdoc:get-document-element(hroot). CREATE X-NODEREF hentry. CREATE X-NODEREF htext. CREATE X-NODEREF hvalues. /* Percorre as colunas primeiro */ DO icount = 1 TO hroot:num-children WITH 20 DOWN: hroot:get-child(hentry, icount). IF hentry:name <> "columns" THEN NEXT. hentry:get-child(htext, 1). PUT UNFORMATTED htext:node-value "~t". DOWN. END. PUT UNFORMATTED SKIP. /* Percorre os registros <values>*/ DO icount = 1 TO hroot:num-children WITH 20 DOWN: hroot:get-child(hvalues, icount). IF hvalues:name <> "values" THEN NEXT. /* Percorre os campos <value>*/ DO icount2 = 1 TO hvalues:num-children: hvalues:get-child(hentry, icount2). OUTPUT CLOSE. IF hentry:num-children = 0 THEN cvalue = "". ELSE DO: hentry:get-child(htext, 1). cvalue = htext:node-value. END. PUT UNFORMATTED cvalue "~t". END. PUT UNFORMATTED SKIP. END. DELETE OBJECT hvalues. DELETE OBJECT htext. DELETE OBJECT hentry. DELETE OBJECT hroot. DELETE OBJECT hdoc. Versão

20 Título do documento Via PHP Para utilizar a integração com o PHP, primeiramente deve ser definido a estrutura DTO utilizado no WebService desejado, como um objeto array. Por exemplo, para utilizar SearchConstraintDto a seguinte estrutura deve ser utilizada no PHP: $constraint = array("contrainttype"=>"must", "fieldname"=>"<valor do Campo>", "initialvalue"=>"<valor inicial>", "finalvalue"=>"<valor final>"); $constraintsdto = array("item"=>$constraint); Um exemplo completo de utilização está disponível no diretório <Diretório de instalação> \docs-ecm\documentos de Customizacao\Arquivos Adicionais\Exemplos Webservices\ExemplosDatasetService\PHP\ getcolleaguedataset.php 3.2. Acessando WebServices a partir do TOTVS ECM O TOTVS ECM permite fazer chamadas a WebServices de terceiros através do cadastro de Serviços, no Painel de Controle. Figura 9 - Cadastro de Serviços, no Painel de Controle Para adicionar um novo WebService, é preciso entrar na opção Adicionar e informar um nome para o serviço, o seu tipo (neste caso WebService), a sua descrição e a URL para o WSDL. No exemplo abaixo, será utilizado um WebService público para consulta à tabela periódica, cujo endereço do WSDL é 20 Versão 1.0

21 Caso o servidor utilize proxy, deve ser configurado no arquivo run.bat para Windows ou run.sh para Linux na pasta bin os seguintes parâmetros: Set JAVA_OPTS=%JAVA_OPTS% -Dhttp.proxyHost=<Servidor Proxy> - Dhttp.proxyPort=<Porta do Servidor Proxy> -Dhttp.nonProxyHosts="localhost 127.*" - Dhttp.proxyUser=<Usuário> -Dhttp.proxyPassword=<Senha> - Dhttp.auth.ntlm.domain=<Domínio> -Dhttp.proxySet=true -Dhttp.proxyDomain=<Domínio> - Dhttp.proxy.user=<Usuário> -Dhttp.proxy.password=<Senha> É necessário que o servidor esteja no mesmo domínio do servidor proxy. Figura 10 - Cadastro do WebService Com base nestas informações, o TOTVS ECM irá extrair as informações sobre o WebService informado e finalizará o cadastro deste serviço. Uma vez que o serviço esteja cadastrado, é possível visualizar as classes e métodos disponíveis neste serviço e que serão utilizados nos códigos JavaScript que farão uso do mesmo. A tela abaixo apresenta um exemplo de visualização de WebService. Versão

22 Título do documento Figura 11 - Visualizando Classes e métodos do Serviço A partir do cadastro do serviço, é possível instanciá-lo nos pontos onde o TOTVS ECM é customizado utilizandose JavaScript, como nos eventos de fichários, processos, ou no cadastro de Datasets. No exemplo a seguir, será criado um dataset que fará uso deste serviço para trazer os dados da tabela periódica. Para mais informações sobre o uso de datasets no TOTVS ECM e como criar Datasets customizados, verifique a documentação técnica do produto. O código abaixo apresenta uma implementação de exemplo do uso de um serviço na construção de um Dataset. 22 Versão 1.0

23 function createdataset(fields, constraints, sortfields) { // Cria o dataset var newdataset = DatasetBuilder.newDataset(); newdataset.addcolumn("elementname"); // Conecta o servico e busca os livros var periodicservice = ServiceManager.getService('PeriodicTable'); var servicehelper = periodicservice.getbean(); var servicelocator = servicehelper.instantiate('net.webservicex.www.periodictablelocator'); var service = servicelocator.getperiodictablesoap(); // Invoca o servico try { var retorno = service.getatoms(); var NewDataSet = new XML(retorno); for each(elemento in NewDataSet.Table) { newdataset.addrow(new Array(elemento.ElementName.toString())); catch(erro) { newdataset.addrow(new Array(erro.message)); return newdataset; O primeiro passo para invocar o serviço é solicitar do TOTVS ECM que faça a carga do serviço, a partir do método ServiceManager.getService('PeriodicTable'). O nome passado como parâmetro, deve ser o mesmo nome utilizado no cadastro do Serviço, no Painel de Controle. Uma vez que o serviço tenhasido carregado, é utilizado o método getbean() para retornar um utilitário para acesso às classes do serviço, através do método instantiate. Através deste utilitário, é possível instanciar objetos disponíveis e que estão listadas no cadastro do Serviço, conforme a Figura 10. Uma vez que se tenha instanciado o objeto utilitário do serviço, as classes que devem ser instanciadas e os métodos que devem ser invocados dependem de cada WebService utilizado, e deve-se recorrer à sua documentação para mais informações. Observe na tabela abaixo, os passos exigidos pelo serviço da tabela periódica e como foi criado o código do dataset. Passo Instanciar a classe NET.webserviceX.www.PeriodictableLocator para ter acesso ao localizador do serviço. Invocar o método getperiodictablesoap para instanciar o serviço. nvocar o método getatoms para ter a lista dos elementos. Código Var servicelocator = servicehelper.instantiate ('NET.webserviceX.www.PeriodictableLocator'); var service = servicelocator.getperiodictablesoap(); var retorno = service.getatoms(); Versão

24 Título do documento No caso deste serviço, o método getatoms retorna uma string contendo um XML com a lista de todos os elementos, conforme o exemplo abaixo: <NewDataSet> <Table> </Table> <Table> </Table>.. </NewDataSet> <ElementName>Actinium</ElementName> <ElementName>Aluminium</ElementName> Para percorrer o XML e extrair os dados disponíveis, são utilizadas as funcionalidades de tratamento de XML do JavaScript que facilita a manipulação de dados deste tipo. Para mais informações sobre esta funcionalidade, acesse: O exemplo abaixo apresenta o código utilizado para percorrer o XML retornado. Observe que as partes destacadas são correspondentes à estrutura do XML retornado. var NewDataSet = new XML(retorno); for each(elemento in NewDataSet.Table) { newdataset.addrow(new Array(elemento.ElementName.toString())); Uma vez implementado o código do dataset, é possível visualizá-lo, conforme a figura abaixo. Figura 12 - Exemplo de dataset que utiliza um WebService 24 Versão 1.0

25 4. Progress Open AppServer Assim como é possível invocar operações em WebServices, o TOTVS ECM também permite fazer chamadas a programas em Progress 4GL (ou ABL) expostos via Progress Open AppServer. Nos exemplos a seguir, serão criados Datasets que, via camada de serviço, farão o acesso à lógica em 4GL que farão a extração dos dados. Embora os códigos 4GL, neste exemplo, sejam muito simples, eles compreendem os casos mais comuns exigidos no dia-a-dia, uma vez que a complexidade da integração se encontra nas interfaces (parâmetros de entrada e saída) de cada procedure exposta, e não na sua lógica interna. Observe que os exemplos aqui apresentados têm por objetivo demonstrar a dinâmica de integração entre Progress e o TOTVS ECM sem entrar em detalhes específicos das tecnologias envolvidas. A camada de serviço Progress do TOTVS ECM cria uma interface em JavaScript para a biblioteca Java Open AppServer Client, da Progress e, por isso, para mais Informações sobre como integrar aplicativos Java e Progress consulte a documentação fornecida pela Progress Caso de Uso Os exemplos exibidos a seguir, têm por objetivo a criação de quatro datasets 1 no TOTVS ECM: 1) Tipos de Centro de custo, que deve retornar os tipos de centro de custo existentes no aplicativo em Progress (neste caso, o EMS2). 2) Natureza dos Centros de Custo, que deve retornar os tipos possíveis de natureza, conforme o aplicativo em Progress (neste caso, o EMS2). 3) Centros de Custo, que deve retornar os registros na tabela conta 2. 4) Usuários Comuns, que deve gerar uma lista de usuários comuns entre o TOTVS ECM e o aplicativo em Progress (utilizando a tabela usar_mestre). Para os três primeiros casos, a lógica de extração das informações desejadas será exposta em um programa com várias procedures, uma para cada necessidade aqui apresentada. 1 Os exemplos utilizam uma base de dados do EMS2 para consulta de centros de custo e usuários. Entretanto, apenas duas tabelas e 6 campos são utilizados no total, o que não deve prejudicar o entendimento da lógica pelo leitor, nem impedir a criação de um esquema equivalente para testes, caso necessário. 2 O código apresentado para extração dos centros de custo tem fins meramente didáticos e não pode ser considerado para uso em produção. Para ter mais informações sobre como extrair centros de custos do EMS2, consulte a documentação técnica do mesmo. Versão

26 Título do documento CostCenterUtils.p /************************************************************************** ** Utilitário que disponibiliza procedures para a extração de informações ** sobre centros de custo. **************************************************************************/ DEFINE TEMP-TABLE ttcc NO-UNDO FIELD conta LIKE conta.ct-codigo /* CHARACTER */ FIELD natureza LIKE conta.natureza /* INTEGER */ FIELD tipo LIKE conta.tipo /* INTEGER */ FIELD titulo LIKE conta.titulo. /* CHARACTER */ /* Procedure: readcostcenters Objetivo: Retorna uma temp-table com a lista de centros de custo */ PROCEDURE readcostcenters: DEFINE OUTPUT PARAMETER TABLE FOR ttcc. FOR EACH conta: CREATE ttcc. ASSIGN ttcc.conta = conta.ct-codigo ttcc.natureza = conta.natureza ttcc.tipo = conta.tipo ttcc.titulo = conta.titulo. END. END. /* Procedure: readcostnaturetypes Objetivo: Retorna uma string com as naturezas dos centros de custo, separadas por vírgula */ PROCEDURE readcostnaturetypes: DEFINE OUTPUT PARAMETER cnaturelist AS CHARACTER NO-UNDO. 26 Versão 1.0

27 END. cnaturelist = {adinc/i01ad047.i 03. /* Procedure: readcosttypes Objetivo: Retorna uma string com os tipos de centro de custo, separados por vírgula */ PROCEDURE readcosttypes: DEFINE OUTPUT PARAMETER ctypelist AS CHARACTER NO-UNDO. ctypelist = {adinc/i02ad047.i 3. END. No caso da extração de usuários comuns aos dois produtos, será utilizado um programa único, conforme o código abaixo: CostCenterUtils.p /************************************************************************** ** Utilitário que recebe um temp-table com uma lista de usuários e retorna ** outra, apenas com os usuários da lista que existam na base de dados. **************************************************************************/ DEFINE TEMP-TABLE ttusers FIELD cod_usuar AS CHARACTER FIELD nom_usuario AS CHARACTER INDEX principal IS PRIMARY UNIQUE cod_usuar. DEFINE TEMP-TABLE ttoutusers LIKE ttusers. DEFINE INPUT PARAMETER TABLE FOR ttusers. DEFINE OUTPUT PARAMETER TABLE FOR ttoutusers. FOR EACH ttusers: IF CAN-FIND(usuar_mestre WHERE usuar_mestre.cod_usuar = ttusers.cod_usuar) THEN DO: CREATE ttoutusers. BUFFER-COPY ttusers TO ttoutusers. Versão

Material de Apoio Configuração Auditoria Pós

Material de Apoio Configuração Auditoria Pós Material de Apoio Configuração Auditoria Pós Julho - 2014 Índice 1. Introdução... 3 2. Ambiente... 3 3. Serviço... 4 4. Dataset... 6 5. Formulário... 6 6. Processo... 12 6.1 Importação de Processos...

Leia mais

HAT Programação Auditoria Pós. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0

HAT Programação Auditoria Pós. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0 HAT Programação Auditoria Pós 12.1.x abril de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Introdução... 3 2 Visão do Processo... 3 3 Serviço... 5 4 Dataset... 7 5 Formulário Principal AuditoriaPos... 9 6 Arquitetura

Leia mais

Instalação do TOTVS ESB. Guia de Instalação do TOTVS ESB

Instalação do TOTVS ESB. Guia de Instalação do TOTVS ESB Guia de Instalação do TOTVS ESB Copyright 2011 TOTVS S.A. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste documento pode ser copiada, reproduzida, traduzida ou transmitida por qualquer meio eletrônico

Leia mais

Instalação do ByYou ESB. Guia de Instalação e Atualização do ByYou ESB

Instalação do ByYou ESB. Guia de Instalação e Atualização do ByYou ESB Instalação do ByYou ESB Guia de Instalação e Atualização do ByYou ESB Instalação do ByYou ESB Copyright 2010 TOTVS S.A. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste documento pode ser copiada, reproduzida,

Leia mais

Auditoria Pós - Programação

Auditoria Pós - Programação Auditoria Pós - Programação Julho - 2014 Índice 1. Introdução... 3 2. Visão do Processo... 3 3. Serviço... 4 4. Dataset... 6 5. Formulário Principal AuditoriaPos... 8 6. Arquitetura do Formulário HTML

Leia mais

Interfaces de Serviço na Prática. Luciano Oliveira Sr. Instructor, Consultant Global Field Services

Interfaces de Serviço na Prática. Luciano Oliveira Sr. Instructor, Consultant Global Field Services Interfaces de Serviço na Prática Luciano Oliveira Sr. Instructor, Consultant Global Field Services Antes de começarmos Iniciando do princípio 2 Antes de começarmos Let me tell you a story 3 Antes de começarmos

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Integração Backoffice HCM x ECM

Integração Backoffice HCM x ECM Integração Backoffice HCM x ECM Fevereiro/2015 Sumário 1. Integração HCM x ECM... 3 2. Pré-Requisitos da Integração dos Produtos... 4 3. Parametrização da Integração no Produto, Origem... 7 4. Parametrização

Leia mais

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 12.1

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 12.1 06/2015 Sumário 1 Prefácio... 3 1.2 Finalidade... 3 1.3 Público Alvo... 3 1.4 Organização deste Guia... 3 1.5 Documentações Importantes... 3 2 Atualização... 4 2.1 Executando o Updater de Atualização...

Leia mais

Guia de Instalação do SARA Portal Web TOTVS [06/2015]

Guia de Instalação do SARA Portal Web TOTVS [06/2015] Guia de Instalação do SARA Portal Web TOTVS [06/2015] Sumário 1. Instalação do Portal WEB SARA... 3 2. Instalação do Protheus... 4 3. Atualização do Binário do Protheus... 5 4. Atualização do RPO... 6

Leia mais

Manual de Atualização Versão 3.6.4.

Manual de Atualização Versão 3.6.4. Manual de Atualização Versão 3.6.4. Sumário 1. AVISO... 1 2. INTRODUÇÃO... 2 3. PREPARAÇÃO PARA ATUALIZAÇÃO... 3 4. ATUALIZANDO GVCOLLEGE E BASE DE DADOS... 7 5. HABILITANDO NOVAS VERSÕES DO SISTEMA....

Leia mais

Arquivos de Instalação... 4. Instalação JDK... 7. Instalação Apache Tomcat... 8. Configurando Tomcat... 9

Arquivos de Instalação... 4. Instalação JDK... 7. Instalação Apache Tomcat... 8. Configurando Tomcat... 9 Instalando e Atualizando a Solução... 3 Arquivos de Instalação... 4 Instalação do Servidor de Aplicação... 7 Instalação JDK... 7 Instalação Apache Tomcat... 8 Configurando Tomcat... 9 Configurando Banco

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK...

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK... Instalando e Atualizando a Solução... 3 Arquivos de Instalação... 4 Instalação do Servidor de Aplicação... 7 Instalação JDK... 7 Instalação Apache Tomcat... 8 Configurando Tomcat... 9 Configurando Banco

Leia mais

Manual de Instalação. SafeSign Standard 3.0.77. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeSign Standard 3.0.77. (Para MAC OS 10.7) SafeSign Standard 3.0.77 (Para MAC OS 10.7) 2/23 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Hardware Homologado... 4 5 Instruções de Instalação... 5

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais

2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a

Leia mais

Manual de instalação Servidor Orion Phoenix

Manual de instalação Servidor Orion Phoenix Manual de instalação Servidor Orion Phoenix Fevereiro/2011 Este documento se destina a instalação do Orion Phoenix na sua rede Versão 1.01 C ONTE ÚDO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. VISÃO GERAL... 3 3. PROCEDIMENTOS

Leia mais

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação versão 2.0 Conteúdo 1. Introdução... 3 2 1.1 Público alvo... 3 1.2 Convenções... 3 1.3 Mais recursos... 3 1.4 Entrando em contato com a ez... 4 1.5

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ. Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0. www.spider.ufpa.br

Manual do Usuário. Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ. Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0. www.spider.ufpa.br Manual do Usuário Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0 www.spider.ufpa.br Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 27/05/2011 1.0 Criação da seção de instalação/configuração

Leia mais

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede OpenCart v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados ÍNDICE 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 vqmod 4 4.2 Instalação e ativação

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede OpenCart v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 vqmod 4 4.2 Instalação e ativação do

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO Motor Periférico Versão 8.0 1. Apresentação... 3 2. Instalação do Java... 3 2.1 Download e Instalação... 3 2.2 Verificar Instalação... 3 3. Download do Motor Periférico...

Leia mais

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 11.6

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 11.6 04/2014 Sumário 1 Prefácio... 3 1.2 Finalidade... 3 1.3 Público Alvo... 3 1.4 Organização deste Guia... 3 1.5 Documentações Importantes... 3 2 Atualização... 4 2.1 Executando o Updater de Atualização...

Leia mais

Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0. Versão 7.0A

Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0. Versão 7.0A Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0 Versão 7.0A 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário preservar os objetos

Leia mais

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart.

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. 16/08/2013 BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. Versão 1.0 19/12/2014 Visão Resumida Data Criação 19/12/2014 Versão Documento 1.0 Projeto

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Aplicabilidade: visão geral

Aplicabilidade: visão geral CURSO BÁSICO SAXES 2 Aplicabilidade: visão geral BI Comércio Indústria nf-e Serviços Software house Enterprise Business Bus Banco financeiro Instituição Sindicato ERP html Casos 3 6 Customização: importação

Leia mais

Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência. Versão 12.1.4

Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência. Versão 12.1.4 Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência Versão 12.1.4 Sumário 1. Descrição... 3 2. Pré-requisitos... 4 3. Etapas da instalação/atualização... 8 1. Iniciando a aplicação de instalação/atualização...

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais

Integre pela Internet com os Web Services OpenEdge

Integre pela Internet com os Web Services OpenEdge Integre pela Internet com os Web Services OpenEdge Luciano Oliveira Solution Consultant, Progress OpenEdge Foco da Sessão Implementando OpenEdge Web Services Entendendo Web Services Identificar quando

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais

2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta

Leia mais

Instruções para Instalação dos Utilitários Intel

Instruções para Instalação dos Utilitários Intel Instruções para Instalação dos Utilitários Intel Estas instruções ensinam como instalar os Utilitários Intel a partir do CD nº 1 do Intel System Management Software (liberação somente para os dois CDs

Leia mais

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi Introdução ao PHP Prof. Késsia Marchi PHP Originalmente PHP era um assíncrono para Personal Home Page. De acordo com convenções para atribuições de nomes recursivas do GNU foi alterado para PHP Hypertext

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

Instalação TotvsServiceSped

Instalação TotvsServiceSped Instalação TotvsServiceSped ÍNDICE INSTALAÇÃO PRODUTO TOTVSSERVICESSPED - NFE... 1 INSTALAÇÃO DO TOPCONNECT... 2 1. Configuração da conexão com o Banco de Dados... 7 1.1. SQL Server... 7 1.2. Informix...

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 04 FERRAMENTAS DE AUTOMAÇÃO DE TESTES FUNCIONAIS Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático Aula 04 Automação de testes funcionais Ferramentas

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE

MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE Recebimento de dados pelo Hospital Versão 1.1 2/9/2014 Contato suporte@gtplan.com.br Índice Introdução... 2 Requerimentos para instalação do Web Service... 2 Instalação...

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

Guia de Atualização Release FoccoERP 2014

Guia de Atualização Release FoccoERP 2014 Guia de Atualização Release FoccoERP 2014 02/06/2014 Índice ÍNDICE... 2 APRESENTAÇÃO... 3 INTRODUÇÃO... 4 PROCESSO DE INSTALAÇÃO... 4 ATUALIZANDO UM SEGUNDO AMBIENTE... 21 Página 2 de 22 Apresentação Este

Leia mais

Cartilha da Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Hábil Empresarial PROFISSIONAL & Hábil Enterprise

Cartilha da Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Hábil Empresarial PROFISSIONAL & Hábil Enterprise Cartilha da Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Hábil Empresarial PROFISSIONAL & Hábil Enterprise Koinonia Software Ltda (0xx46) 3225-6234 Índice I Índice Cap. I Introdução 1 1 Orientações... Iniciais 1 Cap. II

Leia mais

Follow-Up Acompanhamento Eletrônico de Processos (versão 3.0) Manual do Sistema. 1. Como acessar o sistema Requisitos mínimos e compatibilidade

Follow-Up Acompanhamento Eletrônico de Processos (versão 3.0) Manual do Sistema. 1. Como acessar o sistema Requisitos mínimos e compatibilidade do Sistema Índice Página 1. Como acessar o sistema 1.1 Requisitos mínimos e compatibilidade 03 2. Como configurar o Sistema 2.1 Painel de Controle 2.2 Informando o nome da Comissária 2.3 Escolhendo a Cor

Leia mais

Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile

Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile Março de 2015 Introdução O acesso móvel ao site do Novell Vibe pode ser desativado por seu administrador do Vibe. Se não conseguir acessar a interface móvel do

Leia mais

Autor: Ricardo Francisco Minzé Júnior - ricardominze@yahoo.com.br Desenvolvendo aplicações em camadas com PHP 5.

Autor: Ricardo Francisco Minzé Júnior - ricardominze@yahoo.com.br Desenvolvendo aplicações em camadas com PHP 5. Desenvolvendo aplicações em camadas com PHP 5. Talvez a primeira vista você ache estranha a palavra Camada em programação, mas o que vem a ser Camada? Segundo o dicionário: Camada 1 - Qualquer matéria

Leia mais

Propriedades do Sistema Foundation Saúde

Propriedades do Sistema Foundation Saúde Julho 2014 Índice Título do documento 1. Propriedades do Sistema Foundation Saúde... 4 2 Versão 1.0 Atenção: Copyright 2013 TOTVS. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste documento pode ser copiada,

Leia mais

IMPORTANTE: O sistema Off-line Dr.Micro é compatível com os navegadores Mozilla Firefox e Internet Explorer.

IMPORTANTE: O sistema Off-line Dr.Micro é compatível com os navegadores Mozilla Firefox e Internet Explorer. CONFIGURANDO O SISTEMA OFFLINE DR.MICRO IMPORTANTE: O sistema Off-line Dr.Micro é compatível com os navegadores Mozilla Firefox e Internet Explorer. 1- Ao acessar a plataforma online a opção Minha Escola

Leia mais

LOJA ELETRÔNICA MANUAL DE INSTALAÇÃO

LOJA ELETRÔNICA MANUAL DE INSTALAÇÃO LOJA ELETRÔNICA MANUAL DE INSTALAÇÃO RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de

Leia mais

PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6. Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos

PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6. Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6 Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos Add-on responsável pela integração do SAP Business One com o setor comercial através da internet.

Leia mais

Guia de Instalação TOTVS Controle de Acesso 11.6

Guia de Instalação TOTVS Controle de Acesso 11.6 Guia de Instalação TOTVS Controle de Acesso 11.6 Servidor de Aplicação Banco de Dados Instalação de Múltiplas Instâncias Esta mídia está preparada para instalar múltiplas instâncias do produto. Mais informações

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

Software e Serviços MANUAL DE HOMOLOGAÇÃO WEB SERVICE X SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL

Software e Serviços MANUAL DE HOMOLOGAÇÃO WEB SERVICE X SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL MANUAL DE HOMOLOGAÇÃO WEB SERVICE X SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL CONSIDERAÇÕES INICIAIS Este manual tem como objetivo propiciar a integração do SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL junto as ADMINISTRADORAS

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa

Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa Web Service Plínio Antunes Garcia Sam Ould Mohamed el Hacen Sumário Introdução conceitual O Web Service

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos

Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos Demonstrar os fundamentos básicos para a manipulação de banco de dados com Java; Apresentar a sintaxe de comandos SQL usados em Java. 2. Definições A

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB

PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB Sumep Julho/2006 PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB Objetivo

Leia mais

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Atenção: Este é o rascunho inicial deste documento, visite o Maker Planet.COM (HTTP://www.makerplanet.com/) para obter as atualizações deste documento.

Leia mais

Aranda SQL COMPARE. [Manual de Uso] Todos os direitos reservados Aranda Software www.arandasoft.com [1]

Aranda SQL COMPARE. [Manual de Uso] Todos os direitos reservados Aranda Software www.arandasoft.com [1] [1] Aranda SQL COMPARE Versão 1.0 Aranda Software Corporation 2002-2007. Todos os direitos reservados. Qualquer documentação técnica fornecida pela Aranda software Corporation é um produto registrado da

Leia mais

Criação de Applets com o JBuilder Professor Sérgio Furgeri

Criação de Applets com o JBuilder Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Apresentar o processo de criação em uma interface gráfica para a Internet; Fornecer subsídios para que o aluno possa compreender onde aplicar Applets; Demonstrar a criação de uma Applet

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

Módulo e-rede Prestashop v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede Prestashop v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede Prestashop v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados ÍNDICE 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 Instruções iniciais 4 4.2 Instalação

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

Atualizaça o do Playlist Digital

Atualizaça o do Playlist Digital Atualizaça o do Playlist Digital Prezados Clientes, Nós da Playlist Software Solutions empresa líder de mercado no desenvolvimento de software para automação de rádios - primamos pela qualidade de nossos

Leia mais

Google Drive. Passos. Configurando o Google Drive

Google Drive. Passos. Configurando o Google Drive Google Drive um sistema de armazenagem de arquivos ligado à sua conta Google e acessível via Internet, desta forma você pode acessar seus arquivos a partir de qualquer dispositivo que tenha acesso à Internet.

Leia mais

Prática da Disciplina de Sistemas Distribuídos Serviços Web IFMA DAI Professor Mauro Lopes C. Silva

Prática da Disciplina de Sistemas Distribuídos Serviços Web IFMA DAI Professor Mauro Lopes C. Silva 1. O que são Serviços Web (Web Services)? Prática da Disciplina de Sistemas Distribuídos Serviços Web IFMA DAI Professor Mauro Lopes C. Silva A ideia central dos Web Services parte da antiga necessidade

Leia mais

GEPLANES GESTÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MANUAL DE INSTALAÇÃO DO GEPLANES EM UM AMBIENTE WINDOWS

GEPLANES GESTÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MANUAL DE INSTALAÇÃO DO GEPLANES EM UM AMBIENTE WINDOWS GEPLANES GESTÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MANUAL DE INSTALAÇÃO DO GEPLANES EM UM AMBIENTE WINDOWS JANEIRO 2015 1 Sumário 1. Introdução...3 2. Pré-Requisitos...4 2.1. Instalação do Java Development Kit

Leia mais

Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte

Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte Este tutorial explica basicamente como se implementa a API chamada RMI (Remote Method Invocation). O RMI nada mais é que a Invocação de Métodos

Leia mais

Troubleshooting Versão 1.0

Troubleshooting Versão 1.0 Troubleshooting Versão 1.0 As informações contidas neste documento estão sujeitas a alteração sem notificação prévia. Os dados utilizados nos exemplos contidos neste manual são fictícios. Nenhuma parte

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: ADMINISTRATIVO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 08/01/2013 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 3 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

DIF-e - MANUAL DE ORIENTAÇÃO AO CONTRIBUINTE

DIF-e - MANUAL DE ORIENTAÇÃO AO CONTRIBUINTE Página 1 de REVISÃO DATA VERSÃO DO HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES SISTEMA 00 1.0 Emissão inicial. Página 2 de Sumário 1. Introdução... 4 2. Modelo Conceitual... 4 3. Programa Cliente... 5 3.1 Telas de Configuração...

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional Introdução à Linguagem JAVA Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação Laboratório de Visão Computacional Vantagens do Java Independência de plataforma; Sintaxe semelhante às linguagens

Leia mais

Guia de Configuração das Funções de Digitalização

Guia de Configuração das Funções de Digitalização Guia de Configuração das Funções de Digitalização WorkCentre M123/M128 WorkCentre Pro 123/128 701P42171_pt-BR 2004. Todos os direitos reservados. A proteção de copyright aqui reclamada inclui todas as

Leia mais

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais Eletrônicos

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais Eletrônicos Página1 e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais Eletrônicos Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é o e-nota R?... 03 2. Configurações e Requisitos...

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Marcelo Lobosco DCC/UFJF Comunicação em Sistemas Distribuídos Aula 06 Agenda Modelo Cliente-Servidor (cont.) Invocação Remota de Método (Remote Method Invocation RMI) Visão Geral

Leia mais

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 2 INTRODUÇÃO Esse documento contém as instruções básicas para a utilização do TabFisc Versão Mobile (que permite ao fiscal a realização do seu trabalho

Leia mais

Guia de Instalação TOTVS Segurança e Acesso 11.6.7

Guia de Instalação TOTVS Segurança e Acesso 11.6.7 10/2013 Sumário 1. Prefácio... 3 1.1. Finalidade... 3 1.2. Público Alvo... 3 1.3. Organização deste Guia... 3 1.4. Documentações Importantes... 4 2. Introdução... 5 2.1. Arquitetura Distribuída do Produto...

Leia mais

Módulo e-rede Magento v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede Magento v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede Magento v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados ÍNDICE 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 Instruções iniciais 4 4.2 Instalação

Leia mais

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS Manual de Instalação Tempro Software StavTISS Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3. INSTALAÇÃO... 4 4.

Leia mais

Introdução ao Sistema. Características

Introdução ao Sistema. Características Introdução ao Sistema O sistema Provinha Brasil foi desenvolvido com o intuito de cadastrar as resposta da avaliação que é sugerida pelo MEC e que possui o mesmo nome do sistema. Após a digitação, os dados

Leia mais

DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PJe Manual do Servidor (2º Grau) Versão 2.0 Diretoria da Tecnologia da Informação 1 DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PJe Manual

Leia mais

Guia Prático de Acesso

Guia Prático de Acesso Guia Prático de Acesso 1. Como acessar o novo e-volution? O acesso ao novo e-volution é feito através do endereço novo.evolution.com.br. Identifique abaixo as possíveis formas de acesso: 1.1 Se você já

Leia mais

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 Prezados Senhores da comissão de licitação da UENF, seguem alguns questionamentos acerca do edital de concorrência 01/2013 para esclarecimentos: 1. ANEXO

Leia mais

Instruções de Acesso. Portal de Cliente. Próximo

Instruções de Acesso. Portal de Cliente. Próximo Instruções de Acesso Portal de Cliente Primeiramente, confira a configuração de pop-up e versão do seu navegador, conforme instruções abaixo: Os navegadores e versões homologadas, são: Internet Explorer

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

JDBC Java Database Connectivity

JDBC Java Database Connectivity 5 JDBC Java Database Connectivity Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Trabalhar com bancos de dados em aplicações web em JSP através das classes

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013 Florianópolis, 26 de fevereiro de 2013. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.11.1.7 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ACESSO GLPI ABERTURA E ACOMPANHAMENTO DE CHAMADOS NO SERVICE DESK DATA: 1 0 /0 9 /201 5 VERSÃO: 1.0 AUTOR: Italo Rocha APROVADOR: Raphael Dantas Introdução

Leia mais

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA Introdução para Iniciantes Prof. M.Sc. Daniel Calife Índice 1 - A programação e a Linguagem Java. 1.1 1.2 1.3 1.4 Linguagens de Programação Java JDK IDE 2 - Criando o primeiro

Leia mais