10 anos de democratização do saber

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "10 anos de democratização do saber"

Transcrição

1 Revista Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro 10 anos de democratização do saber Câmaras Uma escola para 93 instituições Pós-graduação Formação aprofundada para o Legislativo Debates Espaço aberto à população 1

2 Se uma imagem vale por mil palavras, nossas paredes estão cheias de discursos. Visite a Exposição Permanente Palácio Tiradentes: Lugar de Memória do Parlamento Brasileiro e acompanhe os principais fatos políticos e históricos do país no local onde aconteceram. Informações: (21) Revista Elerj / 10 anos

3 Sumário Editorial... 2 Uma escola múltipla, aberta, democrática Notas Cursos de curta duração Para melhorar dia após dia Debates Espaço aberto à população Câmaras Uma escola para 93 instituições 8 Pós-graduação Formação aprofundada para o Legislativo Capa Escola do Legislativo do Rio: 10 anos de democratização do saber Educação de Jovens e Adultos Nunca é tarde para recomeçar 16 Responsabilidade Social Para democratizar o acesso à universidade Artigo Educação no Legislativo, Educação do Legislativo, Educação Legislativa 24 Expediente Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro Revista da Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro Presidente Paulo Melo 2 a Secretária Graça Matos 3 o Secretário Gerson Bergher Coordenador Geral da Elerj Gilberto Palmares Subdiretora-Geral da Elerj Rosangela Fernandes Contatos (21) Rua da Alfândega, 8/2 o andar CEP Centro - RJ 1 o Vice-presidente Edson Albertassi 2 o Vice-presidente Gilberto Palmares 3 o Vice-presidente Paulo Ramos 4 o Vice-presidente Roberto Henriques 1 o Secretário Wagner Montes 4 o Secretário José Luiz Nanci 1 o Suplente Samuel Malafaia 2 o Suplente Bebeto 3 o Suplente Alexandre Corrêa 4 o Suplente Gustavo Tutuca Jornalista Responsável Rosangela Fernandes MTb: 17566/RJ Redação Hélio Araújo Luciana Ferreira Projeto Gráfico Julia Galvão Estagiárias Geani Vargas Roberta Estevam Elerj na rede Impressão Gráfica da Alerj Tiragem exemlares Colaboração Diretoria Geral de Comunicação Social e Cultura 3

4 Editorial Rafael Wallace/Alerj Uma escola múltipla, aberta, democrática A Escola do Legislativo do Rio de Janeiro (Elerj) nasceu com objetivo de cumprir sua função constitucional, de formação e aperfeiçoamento dos servidores públicos, mas nesses dez anos fez questão de ir além. O fortalecimento do poder Legislativo é a prioridade. Ano após ano, o número de cursos oferecidos vem crescendo, assim como o contingente de alunos. O interesse pela formação voltada para o processo legislativo e para a gestão pública aumenta entre os parlamentares e servidores, na mesma medida em que cresce a exigência da população por legislativos mais ágeis e eficientes. Cursos que buscam o desenvolvimento integral dos alunos e a reflexão sobre o papel exercido por cada um, na construção de uma sociedade justa e igualitária. Em todas as frentes, as atividades de formação têm sido desenvolvidas a partir do contato aberto e franco com nosso público prioritário. Neste sentido, temos utilizado inúmeros recursos: pesquisas para identificar necessidades, análise das avaliações de cada curso e diálogo permanente com os alunos e responsáveis pelas diretorias, comissões e mandatos. A Elerj é um espaço de compartilhamento de experiências e de saberes. A Assembleia Legislativa é nossa Casa e nossa estrutura. É com o apoio inestimável da Presidência, de toda a Mesa Diretora e dos diversos setores por exemplo, da Diretoria- Geral da Alerj, das Subdiretorias-Gerais de Administração, de Comunicação Social, de Informática, de Finanças, de Recursos Humanos, Chefia de Cerimonial; dos departamentos Gráfico, de Patrimônio, de Material, de Segurança, de Atas e Publicações e ainda da Procuradoria - que encontramos as condições necessárias para enfrentar os desafios. Mas nossa ação vai além do limites da Alerj. Estamos de portas abertas às 92 Câmaras Municipais do Estado e conscientes de que o nosso compromisso com a educação legislativa inclui a aproximação com os vereadores e funcionários do Legislativo municipal. Ao mesmo tempo, há a determinação de ampliar nossa missão, garantindo a interação com a sociedade e promovendo debates e ações de responsabilidade social no âmbito da educação. Atividades que nos recompensam com resultados animadores. A Educação de Jovens e Adultos (EJA) abre as salas de aula para alunos levados, em algum momento de sua história, a abandonar os estudos. Na maioria, funcionários terceirizados. Ao concluir a jornada de trabalho nos seus setores, eles chegam à Escola não apenas em busca de um diploma e de novas perspectivas profissionais, mas também do crescimento pessoal. Compartilham espaço com os alunos do Pré-Vestibular Social (PVS), que lotam nossas dependências às segundas e quartas, transformando a Elerj no polo do único curso gratuito de pré-vestibular noturno no Centro da cidade, oferecido pelo Cecierj. São esses dois grupos que nos lembram, dia após dia, que a Escola do Legislativo pode e deve ser também a escola do cidadão do Rio de Janeiro. A Elerj é assim: uma escola múltipla, aberta, democrática. Os desafios vão da educação fundamental à pós-graduação; o público inclui do funcionário terceirizado da limpeza ao parlamentar com larga experiência e muitos mandatos. Aqui cabem todos os partidos, todas as ideias, todas as reflexões. Uma história escrita, em uma década, por inúmeras pessoas, que dão a todos, diariamente, aulas de compromisso com a causa pública. Num mundo em constante mutação, e cada vez mais exigente, nosso desafio é incalculável. Mas temos certeza de que compartilhando saberes e seguindo sintonizados com a tarefa de implementar ações de educação legislativa e de âmbito social, além de refletir permanentemente sobre essa prática, a Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro estará no caminho certo. Rosangela Fernandes Subdiretora-Geral da Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro 4 Revista Elerj / 10 anos

5 Notas Clarice Castro/Alerj Coral O Coral Pró-Canto da Alerj chega ao fim de 2011 mais maduro. Resultado de um convênio da Escola do Legislativo (Elerj) com a Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e sob o comando da maestrina Danielly Souza, o grupo de 30 coralistas encontra-se duas vezes por semana para os ensaios, no auditório da Escola. Antes de soltar a voz há um longo trabalho: O primeiro passo é a preparação física: exercícios de relaxamento, alongamento e respiração. Na segunda são os exercícios de técnica vocal, já que cantar em grupo exige alguma preparação para que não haja danos futuros, explica Danielly. Depois, é hora de usar todo o talento dos ensaios na escolha do repertório: música brasileira, com arranjos exclusivos. O Coral Pró-Canto da Alerj já mostrou sua afinação em inúmeras atividades no plenário da Assembleia e também em eventos do Encontro de Corais que enchem de boa música o Saguão Getúlio Vargas, no Palácio Tiradentes. Legislação Eleitoral Em 2012 serão realizadas eleições que vão escolher os prefeitos e vereadores dos municípios brasileiros. Sintonizada com esse momento, a Escola do Legislativo vai realizar, ao longo do ano, atividades com foco na Legislação Eleitoral. As discussões promovidas pela Elerj, abertas ao público, terão o papel fundamental de orientar futuros candidatos a prefeito ou vereador, assessores e funcionários da Assembleia Legislativa e das Câmaras Municipais. Convênios Além de oferecer, em suas dependências, diversos cursos de curta duração, complemento à escolaridade e pós-graduação, a Elerj também possibilita ao servidor da Alerj e à sua família abatimentos nas mensalidades de cursos de graduação e pós-graduação de várias universidades. Através de convênios estabelecidos com a Universidade Estácio de Sá, Universidade Cândido Mendes, Faculdade Moraes Junior - Mackenzie Rio, UniverCidade e Iuperj, os servidores têm direito a descontos que variam de acordo com a instituição. Informações no site da Elerj:. Interlegis Os vereadores eleitos no ano que vem contarão com formação para ocupar o cargo através do Interlegis. O programa de interação legislativa do Senado Federal planeja cursos de educação à distância, para preparar os novos parlamentares para assumir o mandato. As atividades serão desenvolvidas em parceria com a Elerj, que é responsável pelo polo do Interlegis no Rio de Janeiro. Nós já transmitimos ao vivo palestras e seminários que integram vários estados. Agora vamos assumir mais esse desafio, explica Sergio Nunes, representante do Interlegis na Alerj. Elerj na web A Escola do Legislativo está cada vez mais conectada. As informações sobre projetos e atividades estão disponíveis no site () e nas redes sociais, como Facebook (www.facebook. com/escoladolegislativorio) e Twitter (www.twitter.com/elerj_). Por meio dessas ferramentas, a Elerj divulga os cursos, debates e seminários que promove, além de receber críticas, opiniões e sugestões. 5

6 Cursos de curta duração Para melhorar dia após dia Através de cursos, capacitações e treinamentos, Escola do Legislativo contribui para o aperfeiçoamento da atividade parlamentar e da gestão de casas legislativas Pesquisar, avaliar, ajustar. Esta é a receita da coordenadora dos cursos de curta duração oferecidos pela Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro (Elerj), Maria Alice Tavares. O olhar da Escola tem que ser bem abrangente, já que atendemos uma diversidade muito grande de alunos e interesses, explica ela, que já trabalhava no Departamento de Treinamento e Seleção de Pessoal, antes da criação da Elerj. A capacitação oferecida pela Escola se divide em três linhas principais: os cursos ligados diretamente ao processo legislativo, como o de Regimento Interno, Controle de Constitucionalidade e Processo e Técnica Legislativa os ligados à gestão pública como os de Lei de Responsabilidade Fiscal, Gestão de Convênios, Orçamento Público e Processo Administrativo Disciplinar e uma ampla variedade de cursos instrumentais, que vão de Português com foco no novo acordo ortográfico e Assessoria de Comunicação a Gestão de Eventos. Nossa intenção é capacitar parlamentares e funcionários para que o Poder Legislativo possa atender o cidadão com mais qualidade em todos os níveis da sua estrutura. Por isso nos interessamos pela atuação dos funcionários dentro dos gabinetes e departamentos. São deputados, vereadores, diretores, assessores, secretários, atendentes, todos com competências e funções muito diferentes. Pesquisamos cuidadosamente as demandas para dar conta da variedade de necessidades, garante a coordenadora. A avaliação dos cursos é outra ferramenta fundamental para a Escola. Temos que saber se o curso atende às expectativas e se o conteúdo vai ser aplicado para melhorar a atuação do aluno no dia a dia de trabalho, preocupa-se Alice. A contar pelo aumento da procura, a estratégia vem dando certo. Em 2007, logo após se instalar no espaço atual, com salas de aula próprias, a Escola do Legislativo ofereceu 8 cursos e treinamentos, alguns com várias turmas, mas carga horária de apenas uma ou duas horas. Em 2011, a Elerj fecha o ano com 28 cursos, a maioria com carga de 30 horas. Nos dois primeiros anos nas instalações atuais, a média de inscritos foi de 500 alunos. Em 2009 e 2010 este índice pulou para 700 e, em 2011, a previsão é chegar a um total de 900 inscritos. Maria Alice Tavares Coordenadora dos cursos de curta duração Rafael Wallace/Alerj 6 Revista Elerj / 10 anos

7 Cursos de Improbidade Administrativa, Regimento Interno e Controle de Constitucionalidade Parcerias A maior parte dos cursos é contratada através da empresa vencedora de uma licitação que tem como base o planejamento anual de atividades da Escola. Mas, além de contratar, a Elerj busca estabelecer parcerias e convênios com entidades de excelência, como a Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj) e a Contadoria Geral do Estado, órgão da Secretaria de Estado de Fazenda. Na palestra Contornos Constitucionais do Processo Legislativo, promovida em março de 2011, o procurador da Assembleia Legislativa do Rio, Rodrigo Lopes, discorreu sobre os limites do Gabriel Telles/Alerj Fellippo Brando/Alerj André Coelho/Alerj Legislativo para exercer suas funções, dentro do que permite a Constituição Federal. O interesse sobre o tema e a necessidade de debater o assunto com maior profundidade foram incentivos para o início da parceria com a Emerj, inaugurada com o curso Controle de Constitucionalidade. Além do procurador da Casa, o procurador-geral do estado e dois desembargadores trataram do tema em uma série de palestras com ótima avaliação dos mais de 70 inscritos. E a parceria permitiu que este curso de excelência fosse realizado sem custos para a Escola, ressalta Alice. Outro bom exemplo de curso sem custos foi realizado graças à parceria da Elerj com a Contadoria Geral do Estado, órgão da Secretaria de Estado de Fazenda: a capacitação em SIG (Sistema de Informações Gerenciais) e Siafem (Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios) ferramentas fundamentais para que parlamentares e seus assessores acompanhem detalhadamente a gestão financeira do estado e dos municípios. O curso de extensão Rio de Janeiro: Poder Legislativo e Pensamento Político, ministrado em 2008 a partir de um convênio com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), e os cursos de línguas da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (Faetec) e do Serviço Social da Indústria (Sesi), oferecidos em 2011 com prioridade para departamentos que lidam com turistas em seu dia a dia dão uma ideia da variedade de interesses que a Escola do Legislativo procura atender. Outra parceria estabelecida com o Sesi foi a que viabilizou o curso de Libras, a lingua brasileira de sinais. Um avanço importante de inclusão social. O curso capacita a equipe da Comissão da Pessoa com Deficiência e tem tido grande envolvimento dos alunos, lembra Eliete Tavares, coordenadora de Cursos de Línguas e Libras. A próxima parceria, ainda em negociação, deve ser firmada com a Escola de Contas e Gestão do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Demandas Além dos cursos selecionados com base em pesquisas de interesse dos funcionários, os departamentos podem demandar à Escola treinamentos e capacitações específicas. Foi o caso do Departamento de Taquigrafia da Assembleia, responsável por transcrever os discursos dos parlamentares. Em 2008, o diretor Fernando Salgado solicitou o curso Português Instrumental para Taquígrafos. A professora do curso expôs sua ementa inicial e, sensível às nossas necessidades, foi adaptando o conteúdo ao trabalho muito específico que nós desempenhamos. Aprendemos técnicas para transformar oralidade em texto escrito com maior rapidez já que temos que publicar tudo 7

8 Cursos de curta duração no final do dia mas sem descaracterizar o orador, explica a assessora Adriana Fonseca. Gostaria de ressaltar o papel imprescindível da Escola do Legislativo junto aos funcionários recém-chegados, aponta Salgado, que pretende demandar mais cursos para os 25 taquígrafos concursados que passarão a integrar o departamento. É na Elerj que os novos funcionários são apresentados ao que é e como funciona uma Assembleia Legislativa, acrescenta o diretor. O curso de Gestão de Contratos, demandado em 2011 pela Diretoria Geral de Administração, também teve a aprovação dos alunos. Frequentei as aulas e, para mim, foi tudo muito novo. Pude aproveitar o conteúdo como um todo e fiquei mais segura para avaliar Editais e Termos de Referência, por exemplo. Acabei emendando o curso de Licitações e Contratos Administrativos, que complementou o primeiro, conta a fiscal de contratos Kátia Menezes. Processo Legislativo A diretriz de oferecer cursos com conteúdos que possam ser aplicados no dia a dia é seguida também na seleção de temas relativos ao processo legislativo. O vereador Alfredo Martins (PT), de Tanguá, fez a Capacitação em Poder Legislativo Municipal em Ele destaca a importância da experiência. Durante dois anos fui presidente da Câmara Municipal de Tanguá, e esse tempo foi baseado no que aprendi nas aulas. Além disso, o relacionamento com os vereadores de outras Câmaras foi acentuado durante o treinamento, aumentando a integração. A minha visão sobre o Legislativo mudou totalmente após a capacitação, afirma. O assessor técnico legislativo da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Carlos Frederico dos Santos mais conhecido como Fred já ministrou diversos cursos na Escola do Legislativo. Ele chama a atenção para a complementaridade de cursos, como é o caso de Processo e Técnica Legislativa e Oficina de Técnica Legislativa. No segundo, os alunos têm a oportunidade de aplicar o conteúdo na prática, explica. Os cursos de Regimento Interno promovidos pela Escola no início de 2011, com lotação completa e a necessidade de organizar turmas extras, também foram lembrados pelo professor. Nas aulas, parlamentares e funcionários recém-chegados aprenderam a manipular o código. O domínio vem com a prática, mas os alunos ganham intimidade com o documento e consequente agilidade no seu uso. Outro curso indicado para quem acaba de chegar à Alerj, principalmente os deputados de primeiro mandato e seus assessores, é o de Princípios Constitucionais para Atuação no Legislativo do Estado, indica. Para Fred, a Elerj está cumprindo muito bem sua função. Sou funcionário público e vejo a dificuldade que os servidores enfrentam para dar conta de suas atribuições sem formação adequada. Isso faz da Escola do Legislativo um espaço fundamental para a qualificação do servidor. *Previsão 8 Revista Elerj / 10 anos

9 Rosangela Fernandes/Elerj O professor Rodrigo de Abreu repassa aos seus alunos o que aprendeu no curso da Escola do Legislativo Integração com a sociedade Em 2010, a Escola do Legislativo promoveu três edições do curso Estrutura e Funcionamento do Poder Legislativo do Estado do Rio de Janeiro, voltado para o público externo. O objetivo foi aproximar a sociedade das atividades parlamentares e estimular a reflexão sobre a prática legislativa, oferecendo ao público um panorama geral das funções da instituição. Com carga horária de 21h, o curso abordou temas como a repartição de competências na Constituição Federal; o princípio da separação dos Poderes; os atributos, estrutura e autonomia do Poder Legislativo; as competências e responsabilidades de um deputado; o papel dos parlamentares nos gabinetes, nas comissões e na Mesa Diretora; o fluxograma de uma proposição; a participação social na formulação de políticas públicas e os desafios enfrentados pelo Legislativo. Sou professor de Sociologia no Colégio Estadual Amaro Cavalcanti e professor-tutor da Licenciatura de Pedagogia no polo de Niterói do Cederj. Frequentei, em 2010, o curso Estrutura e Funcionamento do Poder Legislativo do Estado do Rio de Janeiro, da Escola do Legislativo. Desde 2008, a Sociologia tornou-se obrigatória nos três anos do Ensino Médio. O currículo mínimo de Sociologia, porém, não apresenta referências bibliográficas sobre o tema - que também não consta na grade curricular da licenciatura. Ou seja, não dispomos de fontes confiáveis. O desafio é dar aos alunos uma introdução às Ciências Sociais que trate problemas do cotidiano. Quem é responsável pelo quê? O que faz o prefeito, que o governador não faz? O que compete a um deputado? E a um vereador? Foi o que me motivou a pleitear uma vaga. Esse curso da Elerj supre um hiato na formação acadêmica do professor. Posso dizer que é suplementar à nossa formação. Rodrigo de Abreu da Silva Professor de Sociologia no Colégio Estadual Amaro Cavalcanti Professor-tutor na Licenciatura de Pedagogia no polo de Niterói do Cederj 9

10 Debates Espaço aberto à população Qual o papel de uma Escola do Legislativo? Além da função evidente, de capacitar e qualificar funcionários e parlamentares de Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais, a escola pode se afirmar também como um espaço de reflexão e de interação com a sociedade. Este é o caso da Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro (Elerj), que está sempre de portas abertas à população, promovendo palestras, debates e conferências sobre temas de interesse dos mandatos e da população do estado, com a presença de especialistas, autoridades e representantes da sociedade civil. Além de dois ciclos de conferências o primeiro sobre as Metas do Milênio das Nações Unidas, em 2005, e o segundo sobre desenvolvimento e sustentabilidade, que percorreu o estado em 2009, a Elerj organizou, ao longo dos anos, discussões sobre temas diversos, como a experiência da adoção do software livre pela Assembleia de Minas Gerais, a Lei Maria da Penha, a situação do transporte público no estado e os desafios do Pré-Sal. Em 2011, o ciclo de debates abordou a influência de novos meios de comunicação, como blogs, Twitter e Facebook, na organização de movimentos sociais e em campanhas políticas. Os desafios da educação continuada em um mundo do trabalho em mutação, o Plano de Superação da Pobreza Extrema, lançado no início de junho pelo Governo do estado, a tuberculose e a condição do Estado do Rio de Janeiro como o campeão nacional de registros da doença, e a legislação eleitoral também foram assuntos tratados neste período. Os debates de 2011 contaram com cerca de 500 participantes entre parlamentares, assessores e funcionários da Assembleia do Rio. Celso Pansera, presidente da Faetec, durante o debate Mundo do trabalho em mutação no auditório da Elerj Rafael Wallace/Alerj 10 Revista Elerj / 10 anos

11 Fotos: Geani Vargas/Elerj O debate sobre Tuberculose contou com a participação da professora Margareth Dalcolmo, da Fiocruz No auditório da Elerj, também marcaram presença representantes do Governo do Estado, vereadores e funcionários das Câmaras municipais de Santa Maria Madalena, Itaboraí, Niterói, Duque de Caxias, São João da Barra, Angra dos Reis e Rio de Janeiro. Compareceram também representantes de instituições da sociedade civil, como ONGs, entidades de classe e associações de moradores. Os temas chamaram a atenção, ainda, de funcionários das prefeituras do Rio de Janeiro, Belford Roxo, Duque de Caxias e Mesquita além de universidades, entre elas UFF, UFRJ, Uerj e Unirio. Vejo a iniciativa da Elerj, criando um espaço de interlocução cidadã, como altamente inovadora, na medida em que revela um entendimento maior do que é a atuação parlamentar e o controle social da mesma. Criando debates de qualidade, que unem a instituição governamental e nós, técnicos e pesquisadores, além de organizações sociais e não governamentais, a Escola está, seguramente, respondendo ao melhor de seu papel educador, analisa a professora Margareth Dalcolmo, diretora do Centro de Referência Hélio Fraga, da Fiocruz, e uma das debatedoras da discussão sobre tuberculose. Para o presidente da Faetec, Celso Pansera. hoje há uma cruzada no governo para melhorar a qualidade do ensino em todos os níveis. Os debates realizados pela Escola do Legislativo são importantes porque criam uma nova oportunidade de aprendizado, mais dinâmica e versátil, frisa. O juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), Luiz Roberto Ayoub (foto), participou do debate sobre os direitos e deveres dos candidatos e também aprovou o formato das discussões. Debates como esse promovido pela Escola do Legislativo, sobre a legislação eleitoral, são extremamente importantes, pois criam um ambiente de parceria entre a Justiça e o Legislativo, com um objetivo didático. O Tribunal Regional Eleitoral não tem função punitiva, isso é a consequência. Sua função é preventiva, assim como este debate, que nos permite estabelecer uma cumplicidade com os protagonistas da eleição, ou seja, os candidatos e seus assessores. Dessa forma, o TRE pune o mínimo possível, já que, ao participar destas discussões, o candidato passa a compreender melhor a Lei Eleitoral e a utilizá-la corretamente durante a campanha, explica Ayoub. Os temas dos debates são selecionados pela equipe da Escola do Legislativo, mas o público que já contribui trazendo questões aos participantes também pode sugerir assuntos para os próximos encontros. 11

12 Câmaras Uma escola para 93 instituições Além da Assembleia do Rio, Escola do Legislativo também atende as 92 Câmaras Municipais do estado Era abril de Em Rio das Flores, município do Sul Fluminense com pouco mais de oito mil habitantes, na fronteira com Minas Gerais, o contador Luis Clovis do Nascimento, 34 anos, acordava cedo para ir a mais uma aula de Controle do Orçamento Público. Ele ia satisfeito, já que o professor conseguia tirar suas dúvidas que não eram poucas e o assunto tratado em sala fazia parte de seu dia a dia de trabalho na Câmara Municipal. O detalhe é que, para assistir as aulas, precisava enfrentar quatro horas de viagem até a sede da Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro (Elerj), na capital fluminense. Rotinas como esta se tornaram cada vez mais comuns para funcionários do Poder Legislativo do Rio. Com a ampliação da oferta de cursos gratuitos abertos às 92 Câmaras Municipais do estado, a Elerj vem chamando a atenção de servidores efetivos, comissionados e requisitados destas instituições, que pretendem aumentar sua qualificação e aplicar o que aprendem nas aulas. Achei o curso muito bom e o professor extraordinário, elogia o assessor especial da Câmara Municipal de Petrópolis, Bruno do Nascimento Padilha Velasco, que cursou Planejamento Estratégico em Políticas Públicas em fevereiro de Minha formação nessa área foi feita na Alemanha, que não tem a mesma realidade brasileira. Para mim foi muito proveitoso, pois trabalho com projetos sociais e, com certeza, vou agregar esses conhecimentos ao desempenhar minha função, declara. Só o fato da Assembleia, através de sua Escola, estar trabalhando para capacitar o servidor do Poder Legislativo com formação complementar, já é muito importante. Com isso, a instituição tem um ganho sensacional. Quando abre espaços para as Câmaras Municipais, está pensando, de fato, no futuro, para que a sociedade tenha um Legislativo mais completo. Bruno do Nascimento Padilha Velasco Assessor especial da Câmara Municipal de Petrópolis Arquivo pessoal 12 Revista Elerj / 10 anos

13 Hélio Araújo / Elerj Para a cidade, e em especial para a Câmara Municipal de Duque de Caxias, foi uma honra receber o Seminário da Escola do Legislativo. Esse tipo de atividade ajuda o administrador a entender melhor o funcionamento do Poder Legislativo, o que é fundamental para a vida pública. Isso pode evitar que ele tenha suas contas rejeitadas no futuro, com consequências muito ruins para o seu município. Neste aspecto, a Escola do Legislativo, através das parcerias com as Câmaras, vem prestando um ótimo serviço aos poderes municipais Vereador Dalmar Lírio Mazinho (PDT) Presidente da Câmara Municipal de Duque de Caxias Professor discorre sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal em seminário na Câmara de Municipal de Duque de Caxias Seminários no Legislativo Municipal Em 2011 a Elerj promoveu seminários em Câmaras Municipais sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e sua aplicabilidade. Nas atividades, com 8 horas de aula condensadas em um único dia, vereadores e funcionários de Câmaras Municipais puderam esclarecer questões relativas à LRF, ao Plano Plurianual, Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), Lei Orçamentária Anual (LOA), Classificações Orçamentárias, Segurança Jurídica e Instruções para a Elaboração do Orçamento de Investimento. Em Niterói, Duque de Caxias e Angra dos Reis os seminários reuniram mais de cento e cinquenta participantes, com representantes de Câmaras de todo o Estado, como Itaboraí, Conceição de Macabu, Mangaratiba, Resende e Rio Claro. Oportunidade não só para aprofundar o conhecimento da legislação, mas também para discutir as realidades locais e trocar experiências, como explica a coordenadora de Integração com as Câmaras Municipais, Rívia Cunha: Nosso trabalho de articulação com as Câmaras Municipais tem priorizado o respeito às especificidades de cada Região do Estado. Estamos estabelecendo parcerias efetivas com os vereadores e servidores municipais, ouvindo suas necessidades e reafirmando o nosso compromisso com a formação de um Legislativo cada vez mais aparelhado tecnicamente para o exercício de suas funções. A excelência e a eficácia dos cursos foram comprovadas não só por quadros técnicos das Câmaras, mas também por vereadores, que chegaram a ser 25 em uma só turma de Capacitação em Poder Legislativo Municipal. Este curso, oferecido no início de 2009 para vereadores recém empossados e seus assessores, teve 30 horas de aula condensadas em uma semana, para facilitar a vinda dos parlamentares e funcionários de municípios mais distantes. O presidente da Câmara Municipal de Mendes, vereador Rubem Carlos Moura (PSB), aprovou a experiência. Não existe hoje na região formação profissional sobre as tramitações do Legislativo. Um funcionário aprende com o outro. Por isso este tipo de ação é tão importante, ressalta. O vereador destaca também os resultados da Oficina de Técnica Legislativa, curso do qual participou junto a outros quatro vereadores do município. Durante as aulas fizemos um Projeto de Lei Complementar, que dispõe sobre a elaboração, redação e consolidação de leis na cidade. Foi o nosso trabalho final, resultado concreto do curso, exemplifica. 13

14 Câmaras A boa notícia é que a barreira da distância está, aos poucos, diminuindo. Se nos primeiros anos a Escola do Legislativo procurou consolidar suas atividades na sede, uma de suas principais metas tem sido se aproximar mais das Câmaras Municipais. Além de continuar promovendo palestras, debates e seminários fora da Capital sempre que possível (veja o mapa abaixo) e programar atividades na sede reunidas em dois ou três dias, a Escola estuda a viabilidade de oferecer cursos à distância para funcionários do Legislativo municipal. De qualquer forma, quem busca capacitação tem revelado disposição para superar a barreira da distância. É o caso do consultor jurídico Alexandre Faria Thuler, da Câmara de Volta Redonda, que se deslocava cerca de 250 quilômetros por dia de aula, nos trajetos de ida e volta, para fazer o curso Controle de Constitucionalidade, em agosto de Apesar das horas perdidas no trajeto, Alexandre não se arrependeu. Para mim, esse curso foi um diferencial, pois agregou valores à minha área de trabalho, que é o Direito. Gostei muito, pois tive a oportunidade de conhecer pessoas que, assim como eu, lidam no seu dia a dia com os assuntos tratados em sala de aula, conta. E tentou levar na esportiva a necessidade de viajar: Sair de Volta Redonda e ir até o Rio de Janeiro também me permitiu conhecer um pouco mais do Legislativo estadual. Municípos já atendidos pela Elerj Costa Verde Médio Paraíba Centro Sul Fluminense Metropolitana Serrana Baixada Litorânea Norte Fluminense Noroeste Fluminense Para quem não tem a política como carreira, como eu, e não tem conhecimento de como funciona o Poder Legislativo, esses cursos caíram como uma luva. Eles me deram subsídios para me movimentar melhor aqui na Câmara Municipal nos meus primeiros seis meses de mandato, pois passei a compreender melhor o passo a passo da política. Tomara que a Escola do Legislativo continue assim, oferecendo sempre novos cursos, para que mais pessoas possam aproveitá-los. Quem sairá ganhando com isso é a sociedade, que terá um Poder Legislativo mais bem preparado em todos os níveis. Dr. Edison da Creatinina (PV) Vereador no Município do Rio de Janeiro 14 Revista Elerj / 10 anos

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

Cem edições para informar e formar cidadãos!

Cem edições para informar e formar cidadãos! ParaTod Mandato do Deputado Tadeu Veneri-PT nº 100 Dezembro 2014 s Acesse: www.tadeuveneri.com.br facebook.com/tadeuveneri Edição Especial Número 100 Cem edições para informar e formar cidadãos! Do primeiro

Leia mais

EFICIÊNCIA DO CONTROLE EXTERNO EM PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS

EFICIÊNCIA DO CONTROLE EXTERNO EM PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS AYRES DE ALMEIDA SILVA FILHO EFICIÊNCIA DO CONTROLE EXTERNO EM PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós- Graduação do Cefor como parte das exigências do curso de Especialização

Leia mais

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 100 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS O Programa Escola do Legislativo tem como objetivo principal oferecer suporte conceitual de natureza técnico-científica

Leia mais

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE CPA / PESQUISA Comissão avalia qualidade de ensino da FABE Avaliação positiva: A forma de abordagem dos objetivos gerais dos cursos também foi bem avaliada e a qualidade do corpo docente continua em alta.

Leia mais

PROJETO DE CIDADANIA

PROJETO DE CIDADANIA PROJETO DE CIDADANIA PROJETO DE CIDADANIA A Anamatra A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho Anamatra congrega cerca de 3.500 magistrados do trabalho de todo o país em torno de interesses

Leia mais

DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Confere nova regulamentação ao Conselho Municipal de Segurança

Leia mais

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania A União dos Vereadores do Estado de São Paulo UVESP, desde 1977 (há 38 anos) promove parceria com o Poder Legislativo para torná-lo cada vez mais forte, através de várias ações de capacitação e auxílio

Leia mais

ONG BRASI O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO. Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil

ONG BRASI O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO. Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil ONG BRASI 2012 O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil Dezembro de 2013 3 EXPEDIENTE Presidenta

Leia mais

Órgão/Sigla: SISTEMA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO - SMPG SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E TRANSPORTE - SEMUT

Órgão/Sigla: SISTEMA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO - SMPG SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E TRANSPORTE - SEMUT Órgão/Sigla: SISTEMA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO - SMPG Natureza Jurídica: Gestão: Finalidade: ÓRGÃO COLEGIADO SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E TRANSPORTE - SEMUT Coordenar as ações planejadas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO DO TOCANTINS CAMPUS PORTO NACIONAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO DO TOCANTINS CAMPUS PORTO NACIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO DO TOCANTINS CAMPUS PORTO NACIONAL PLANO DE GESTÃO PARA DIREÇÃO PRÓ TEMPORE DO CAMPUS PORTO NACIONAL

Leia mais

CONSÓRCIO DAS SEIS UNIVERSIDADES PÚBLICAS E O GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ONDE TODA A COMPETÊNCIA ACADÊMICA EMANA DAS UNIVERSIDADES:

CONSÓRCIO DAS SEIS UNIVERSIDADES PÚBLICAS E O GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ONDE TODA A COMPETÊNCIA ACADÊMICA EMANA DAS UNIVERSIDADES: LICENCIATURAS A DISTÂNCIA A EXPERIÊNCIA DO CEDERJ- Celso Costa -UFF 1 O que é o Consórcio CEDERJ? CONSÓRCIO DAS SEIS UNIVERSIDADES PÚBLICAS E O GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ONDE TODA A COMPETÊNCIA

Leia mais

Sem licitação, Alesp contrata Fipe e dois ex-secretários de SP por R$ 779 mil

Sem licitação, Alesp contrata Fipe e dois ex-secretários de SP por R$ 779 mil Sem licitação, Alesp contrata Fipe e dois ex-secretários de SP por R$ 779 mil Antonio Biondi Jornalista Daniel Garcia Nova sede da Fipe, na Avenida Corifeu de Azevedo Marques 74 Abril 2007 O secretário-geral

Leia mais

Participa Curitiba! Oficina sobre participação cidadã. Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer. Material para aplicação.

Participa Curitiba! Oficina sobre participação cidadã. Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer. Material para aplicação. Participa Curitiba! Oficina sobre participação cidadã Realização: Material para aplicação Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer Essa Oficina sobre educação política e participação cidadã

Leia mais

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA De: Gabinete do Vereador Jimmy Pereira Para: Ação Jovem Brasil Resposta à solicitação de Informações para a formação do Índice de Transparência da Câmara do Rio TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR

Leia mais

MONITORAMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS 2013

MONITORAMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS 2013 A PARTICIPAÇÃO DO CIDADÃO NA CONSTRUÇÃO E NO MONITORAMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS AGENDA CICLO ORÇAMENTÁRIO 2013 MONITORAMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS 2013 MESA DA ASSEMBLEIA Deputado Dinis Pinheiro Presidente

Leia mais

CHAPA PLURALIDADE & AÇÃO

CHAPA PLURALIDADE & AÇÃO CHAPA PLURALIDADE & AÇÃO PROPOSTA DE PLANO DE TRABALHO PARA A GESTÃO 2014-2015 VISÃO: GestRio fortalecida pela participação ativa dos gestores públicos e reconhecida pelos dirigentes estaduais e por toda

Leia mais

UVV POST Nº61 11 a 17/08 de 2014 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional

UVV POST Nº61 11 a 17/08 de 2014 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional UVV POST Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional ESTÁGIO CURRICULAR E MONITORIA DE ENSINO Estão abertas inscrições para alunos regularmente matriculados

Leia mais

MÓDULO Tópicos de Processo Civil I: Conhecimento, Tutelas de Urgência e Cautela. Tópicos de Processo Civil II: Execução. Processo Eletrônico

MÓDULO Tópicos de Processo Civil I: Conhecimento, Tutelas de Urgência e Cautela. Tópicos de Processo Civil II: Execução. Processo Eletrônico A Universidade Candido Mendes tem como mantenedora a Sociedade Brasileira de Instrução, a mais antiga instituição particular de ensino superior do país, fundada em 1902 pelo Conde Candido Mendes de Almeida,

Leia mais

Conheça a ENM. Colabore com o trabalho da ENM enviando sugestões que permitam oferecer uma Justiça melhor à população.

Conheça a ENM. Colabore com o trabalho da ENM enviando sugestões que permitam oferecer uma Justiça melhor à população. Conheça a ENM A Escola Nacional da Magistratura (ENM) é um órgão da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), com cerca de 50 anos de experiência trabalhando na especialização, na atualização e no

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RECURSOS HUMANOS O PROGRAMA O Programa Municipal de Voluntariado

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

ESCOLA DE DEMOCRACIA

ESCOLA DE DEMOCRACIA PROJETO riado por iniciativa da Comissão Executiva da Câmara Municipal de Niterói, através da resolução 3021/2009, o Programa ESCOLA DE DEMOCRACIA funciona como uma Cferramenta de aprendizado e conhecimento

Leia mais

Arquivos públicos municipais. Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania

Arquivos públicos municipais. Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania Arquivos públicos municipais Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania APRESENTAÇÃO Este documento tem como objetivo principal informar e sensibilizar as autoridades públicas

Leia mais

PUBLICADO DOC 26/07/2011, p. 1-2 c. 2-2

PUBLICADO DOC 26/07/2011, p. 1-2 c. 2-2 PUBLICADO DOC 26/07/2011, p. 1-2 c. 2-2 DECRETO Nº 52.514, DE 25 DE JULHO DE 2011 Dispõe sobre a reorganização da, antigo Centro de Formação e Desenvolvimento dos Trabalhadores da Saúde - CEFOR, da Secretaria

Leia mais

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus 2013-2016 0 1 Sumário Apresentação... 2 Análise Situacional... 2 Programas Estruturantes...

Leia mais

A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho no Brasil

A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho no Brasil A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho no Brasil Pesquisa revela que a CIPA é uma ferramenta indispensável para a prevenção de acidentes e doenças do trabalho e melhorias nas condições

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I 1 Conselho Municipal do Idoso de São Caetano do Sul Lei n 4.179 de 23/10/2003. R. Heloísa Pamplona, 304 B. Fundação CEP 09520-310 São Caetano do Sul/SP. cmi@saocaetanodosul.sp.gov.br REGIMENTO INTERNO

Leia mais

Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05

Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05 Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05 Dezembro/2003 - A discussão sobre carga horária para

Leia mais

InfoReggae - Edição 32 Inclusão Digital 11 de abril de 2014. Coordenador Executivo José Júnior

InfoReggae - Edição 32 Inclusão Digital 11 de abril de 2014. Coordenador Executivo José Júnior O Grupo Cultural AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens das camadas populares.

Leia mais

CARTILHA ORIENTADORA PARA CRIAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS CONSELHOS DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

CARTILHA ORIENTADORA PARA CRIAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS CONSELHOS DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA CARTILHA ORIENTADORA PARA CRIAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS CONSELHOS DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Dilma Rousseff Presidenta da República Federativa do Brasil Maria do Rosário Nunes Ministra de Estado

Leia mais

II SEMINÁRIO SOBRE GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO DESAFIOS DO DESENVOLVIMENTO GERENCIAL. Palestrante: Luisa Rocha Cabral

II SEMINÁRIO SOBRE GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO DESAFIOS DO DESENVOLVIMENTO GERENCIAL. Palestrante: Luisa Rocha Cabral 1 II SEMINÁRIO SOBRE GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO DESAFIOS DO DESENVOLVIMENTO GERENCIAL Palestrante: Luisa Rocha Cabral Graduada em Administração Pública pela Escola de Governo Professor Paulo Neves

Leia mais

EAD na Graduação-UFRJ

EAD na Graduação-UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro EAD na Graduação-UFRJ Belkis Valdman Pró Reitora de Graduação Caetano Moraes Coordenador UFRJ - UAB Dalva Kato Técnica de Assuntos Educacionais EAD 1 Cursos de Graduação

Leia mais

15. Escola Superior da Magistratura

15. Escola Superior da Magistratura 15. Escola Superior da Magistratura 15.1 Introdução No decorrer do biênio 2013-2015, a Gestão da Escola Superior da Magistratura do Estado Ceará (Esmec), sob direção do Desembargador Haroldo Correia de

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIREÇÃO ACADÊMICA CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE SÃO LUIS MA 2009 DIRETORIA ACADÊMICA Diretor

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA LEGISLATIVA NATAL, 25.03.2008 BOLETIM OFICIAL 2423 ANO XIX TERÇA-FEIRA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA LEGISLATIVA NATAL, 25.03.2008 BOLETIM OFICIAL 2423 ANO XIX TERÇA-FEIRA A MESA DIRETORA Deputado ROBINSON FARIA PRESIDENTE Deputada MÁRCIA MAIA 1 VICE-PRESIDENTE Deputado RICARDO MOTTA 1 SECRETÁRIO Deputado LUIZ ALMIR 3 SECRETÁRIO Deputado EZEQUIEL FERREIRA 2 VICE-PRESIDENTE

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Dispõe sobre o Modelo Integrado de Gestão do Poder Executivo do Estado de Pernambuco. Faço saber que a Assembléia

Leia mais

PROTOCOLO DE SOLUÇÕES Programa: Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho SOLUÇÕES SOCIAIS

PROTOCOLO DE SOLUÇÕES Programa: Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho SOLUÇÕES SOCIAIS 1 PROTOCOLO DE SOLUÇÕES Programa: Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho Serviço Social da Indústria de Santa Catarina SOLUÇÕES SOCIAIS 2 Programa: Inclusão da Pessoa com Deficiência

Leia mais

EDUCAÇÃO GRUPO POSITIVO

EDUCAÇÃO GRUPO POSITIVO EDUCAÇÃO 38 GRUPO POSITIVO Contribuição para o desenvolvimento Positivo trabalha para que sua contribuição ao ensino de O qualidade extrapole suas unidades e alcance de forma construtiva toda a sociedade.

Leia mais

ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA

ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA Ministra do Supremo Tribunal Federal, empossada em 19 de dezembro de 2011. Nascida em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 02 de outubro de 1948. Filha do médico José Júlio

Leia mais

LEI Nº 15.608, DE 28 DE JUNHO DE

LEI Nº 15.608, DE 28 DE JUNHO DE PUBLICADO DOC 29/06/2012, p. 1, 3 c. 3-4, todas LEI Nº 15.608, DE 28 DE JUNHO DE 2012 (Projeto de Lei nº 595/11, do Executivo) Dispõe sobre a criação do Arquivo Histórico de São Paulo, na Secretaria Municipal

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL EIXO: ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E INOVAÇÃO Objetivos Específicos

Leia mais

20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil

20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil VEÍCULO: BLOG DO JAIR SAMPAIO DATA: 20.10.15 20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil Instituição vinculada ao Sistema

Leia mais

Estatística de projetos de leis protocolados, aprovados e em tramitação

Estatística de projetos de leis protocolados, aprovados e em tramitação PROPOSIÇÕES 2010 2011 Mensagens do Prefeito Municipal 084 79 Anteprojetos de Leis 056 26 Projetos de Leis (de autoria dos Senhores Vereadores) 098 70 Projetos de Leis Complementares 015 8 Projetos de Decretos

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO A avaliação institucional tem sido objeto de discussões na Faculdade Educacional de Ponta Grossa - Faculdade União e sempre foi reconhecida como um instrumento

Leia mais

Relatório de Atuação do CEAF em 2007

Relatório de Atuação do CEAF em 2007 Relatório de Atuação do CEAF em 2007 Introdução O CEAF é o órgão auxiliar do Ministério Público responsável pela educação institucional. Através do desenvolvimento de projetos educacionais que atendam

Leia mais

MANUAL DO JOVEM DEPUTADO

MANUAL DO JOVEM DEPUTADO MANUAL DO JOVEM DEPUTADO Edição 2014-2015 Este manual procura expor, de forma simplificada, as regras do programa Parlamento dos Jovens que estão detalhadas no Regimento. Se tiveres dúvidas ou quiseres

Leia mais

PROGRAMA SINERGIA/CETURB-GV FORTALECENDO O RELACIONAMENTO COM A SOCIEDADE. Alice Carreiro Ribeiro Lírio; Gilmar Pahins Pimenta.

PROGRAMA SINERGIA/CETURB-GV FORTALECENDO O RELACIONAMENTO COM A SOCIEDADE. Alice Carreiro Ribeiro Lírio; Gilmar Pahins Pimenta. PROGRAMA SINERGIA/CETURB-GV FORTALECENDO O RELACIONAMENTO COM A SOCIEDADE. Alice Carreiro Ribeiro Lírio; Gilmar Pahins Pimenta. Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória-CETURB-GV Avenida Nossa

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE REGULAMENTO DO -CAEx CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art.1º O Conselho Acadêmico de Atividades de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, IFRJ, é um órgão

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS VOTUPORANGA PLANO DE GESTÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS VOTUPORANGA PLANO DE GESTÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS VOTUPORANGA 1 PLANO DE GESTÃO Eder Diretor Breve Currículo: Candidato ao Cargo de Diretor Geral do Campus Votuporanga EDER APARECIDO

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 2: resumo expandido de relato de experiência Resumo expandido O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL

RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL Brasília 2013 SUMÁRIO MOTIVAÇÃO DO RELATÓRIO... 3 INTRODUÇÃO... 3 INICIATIVAS DO SENADO FEDERAL PARA ADEQUAÇÃO À LEI DE

Leia mais

4 ANDRÉ VINÍCIUS. Apresentação André Vinícius. Consultor Professor Palestrante. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.

4 ANDRÉ VINÍCIUS. Apresentação André Vinícius. Consultor Professor Palestrante. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius. 4 ANDRÉ VINÍCIUS Apresentação André Vinícius Consultor Professor Palestrante 4 ANDRÉ VINÍCIUS André Vinícius Formação Acadêmica e Extra-Currícular Pós-Graduando no MBA em Gestão de Recursos Humanos (UNINTER)

Leia mais

Entenda o Fundo Municipal de Assistência Social!

Entenda o Fundo Municipal de Assistência Social! Entenda o Fundo Municipal de Assistência Social! CONSELHEIROS ROSA DE FÁTIMA BARGE HAGE Presidente JOSÉ CARLOS ARAÚJO Vice - Presidente MARA LÚCIA BARBALHO DA CRUZ Corregedora ALCIDES DA SILVA ALCÂNTARA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA Art. 1 A ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA DO ESTADO DE ALAGOAS ESMAL, instituída pelo art.331 da lei n 4.804 de 09 de setembro de 1986, é

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

Promover maior integração

Promover maior integração Novos horizontes Reestruturação do Modelo de Gestão do SESI leva em conta metas traçadas pelo Mapa Estratégico Promover maior integração entre os departamentos regionais, as unidades de atuação e os produtos

Leia mais

Cadastro Organizacional/PMS CMI/SETAD CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI

Cadastro Organizacional/PMS CMI/SETAD CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI ÓRGÃO COLEGIADO SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS DO

Leia mais

PREFEITURA DE RIO BRANCO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO - RBPREV. Programa de Capacitações Exercicio de 2015

PREFEITURA DE RIO BRANCO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO - RBPREV. Programa de Capacitações Exercicio de 2015 Prefeitura Municipal de Rio Branco RBPREV Programa de Capacitações Exercicio de 2015 Equipe do RBPREV Raquel de Araújo Nogueira Diretora-Presidente Maria Gecilda Araújo Ribeiro Diretora de Previdência

Leia mais

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Dispõe sobre o Plano Nacional de Capacitação Judicial de magistrados e servidores do Poder Judiciário (Publicada no DJ-e nº

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção

8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção 8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção e Contratação 8.1.5 Plano de Carreira e Regime de Trabalho

Leia mais

CARAVANA ESPORTIVA. Projetos Esportivos Educacionais

CARAVANA ESPORTIVA. Projetos Esportivos Educacionais CARAVANA ESPORTIVA Seleção Pública P de Projetos Esportivos Educacionais Programa Petrobras Esporte & Cidadania Fomentar o desenvolvimento do esporte olímpico brasileiro; Democratizar o acesso ao esporte

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA Sindilojas, 24 de julho de 2014 Legislação da CIPA Decreto-lei nº 7.036 de 10/11/1944 (Lei de Acidentes do Trabalho): Art. 82. Os empregadores, cujo número

Leia mais

CARTA DE FERRAZ DE VASCONCELOS

CARTA DE FERRAZ DE VASCONCELOS CARTA DE FERRAZ DE VASCONCELOS O Fórum de Inovação Tecnológica, Inclusão Social e Redes de Cooperação realizou-se nas dependências do Complexo Poli Esportivo Gothard Kaesemodel Junior Ferraz de Vasconcelos

Leia mais

UNIVERSIDADE TIRADENTES UNIT CURSO DE DIREITO CAMPUS PROPRIÁ - SE PROJETO DE EXTENSÃO "CONHECENDO O PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL"

UNIVERSIDADE TIRADENTES UNIT CURSO DE DIREITO CAMPUS PROPRIÁ - SE PROJETO DE EXTENSÃO CONHECENDO O PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL UNIVERSIDADE TIRADENTES UNIT CURSO DE DIREITO CAMPUS PROPRIÁ - SE PROJETO DE EXTENSÃO "CONHECENDO O PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL" PROPRIÁ SE 2013 ARIANE MARQUES DE MELO HÉLIO DARLAN MARTINS TORRES JOSEVALDO

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ

FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ Rio de Janeiro, RJ, 02/05/2010 Silvestre Prado de Souza Neto UFRRJ silvestrenet0@uol.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº 26/2012-CUn

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº 26/2012-CUn ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº 26/2012-CUn PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO PARA OS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DESTA UNIVERSIDADE 1. APRESENTAÇÃO O Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DDP),

Leia mais

Shopping Eldorado. Finalista na Categoria Shopping Center

Shopping Eldorado. Finalista na Categoria Shopping Center Shopping Eldorado 1 Iniciativas de responsabilidade social da empresa: O Shopping Eldorado tem como filosofia participar ativamente da vida e do cotidiano da cidade, principalmente por reconhecer a grande

Leia mais

Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa

Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE PIAGET CPA Edição nº 01 Abril de 2015 Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa Alunos, docentes e funcionários avaliaram a instituição. Veja o resultado

Leia mais

A ESMPU e a EAD. Brasília DF Maio 2012. Categoria: C Métodos e Tecnologias. Setor Educacional: 4 Educação Corporativa

A ESMPU e a EAD. Brasília DF Maio 2012. Categoria: C Métodos e Tecnologias. Setor Educacional: 4 Educação Corporativa 1 A ESMPU e a EAD Brasília DF Maio 2012 Categoria: C Métodos e Tecnologias Setor Educacional: 4 Educação Corporativa Classificação das Áreas de Pesquisa em EAD: Macro: C Sistemas e Instituições de EAD

Leia mais

14/Mar/2013 :: Edição 31 ::

14/Mar/2013 :: Edição 31 :: 14/Mar/2013 :: Edição 31 :: Cadernos do Poder Executivo Poder Geraldo Julio de Mello Filho Executivo DECRETO Nº 26.993 DE 13 DE MARÇO DE 2013 EMENTA: Descreve as competências e atribuições dos cargos comissionados

Leia mais

Gestão de Finanças Públicas

Gestão de Finanças Públicas APRESENTAÇÃO Desde a primeira edição deste livro mencionamos como os avanços no arcabouço institucional e instrumental de gestão financeira foram relevantes para que o governo brasileiro, efetivamente,

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte Eunápolis Bahia

Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte Eunápolis Bahia Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte Eunápolis Bahia PORTARIA Nº 14/2009 Aprova o Regulamento da I Conferência Municipal de Cultura de Eunápolis-BA e dá outras providências. A SECRETÁRIA

Leia mais

Curso Avançado em Controle Interno Municipal a Distância

Curso Avançado em Controle Interno Municipal a Distância Informações sobre Curso Avançado em Controle Interno Municipal a Distância Sua prefeitura não pode ficar de fora e os servidores municipais também COMO SUA ENTIDADE PARTICIPA DO CURSO? Assinando e devolvendo

Leia mais

Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs

Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores do Rio questiona SMS e defende instalação de CPI para investigar desrespeito à Lei das OSs O plenário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro ficou lotado durante

Leia mais

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA.

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. DECRETO 44932 2008 Data: 30/10/2008 Origem: EXECUTIVO Ementa: DISPÕE SOBRE A ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS - ESP-MG. Relevância LEGISLAÇÃO BÁSICA : Fonte: PUBLICAÇÃO

Leia mais

O Papel do Gestor Educacional frente aos desafios das políticas educacionais

O Papel do Gestor Educacional frente aos desafios das políticas educacionais SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR GERÊNCIA DE FORMAÇÃO PERMANENTE O Papel do Gestor Educacional frente aos desafios das políticas educacionais Organização e Coordenação:

Leia mais

PALÁCIO LEGISLATIVO JOÃO PAULO II CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2012 EDITAL DE ABERTURA N.º 01/2012, DE 21 DE JUNHO DE 2012. ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS

PALÁCIO LEGISLATIVO JOÃO PAULO II CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2012 EDITAL DE ABERTURA N.º 01/2012, DE 21 DE JUNHO DE 2012. ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA 1 / 6 PALÁCIO LEGISLATIVO JOÃO PAULO II, DE 21 DE JUNHO DE 2012. 1. CARGO DE NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO Cargo 01 Atendente Administrativo-Legislativo Atividade de atendimento

Leia mais

20 Diretrizes Priorizadas pela Etapa Estadual

20 Diretrizes Priorizadas pela Etapa Estadual 20 Diretrizes Priorizadas pela Etapa Estadual Paulista da CONSOCIAL Prioridades Texto Diretriz Eixo Pontos 1 2 Regulamentação e padronização de normas técnicas para a elaboração dos Planos de Governo apresentados

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

Na lista das realizações destacadas, os PROFESSORES podem relembrar:

Na lista das realizações destacadas, os PROFESSORES podem relembrar: Professor: Muitas razões para votar em Scolforo e Édila O QUE FOI FEITO! Quando um membro de sua comunidade seja professor (a), técnico (a) administrativo ou estudante - apresentar uma crítica sobre algo

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - CONSEMAC

CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - CONSEMAC CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - CONSEMAC Indicação CONSEMAC nº 08, de 21 de junho de 2007. Dispõe sobre o Projeto de Lei n 166/2005 de Política Municipal de Educação Ambiental

Leia mais

ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES RELATÓRIO TÉCNICO

ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES RELATÓRIO TÉCNICO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO E GOVERNANÇA PÚBLICA ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES

Leia mais

CATÁLOGO DE AÇÕES EDUCACIONAIS DA ESCOEX PREVISTOS - 2013 CURSOS A DISTÂNCIA- EAD PARA SERVIDORES DO TCE E JURISDICIONADOS

CATÁLOGO DE AÇÕES EDUCACIONAIS DA ESCOEX PREVISTOS - 2013 CURSOS A DISTÂNCIA- EAD PARA SERVIDORES DO TCE E JURISDICIONADOS CATÁLOGO DE AÇÕES EDUCACIONAIS DA ESCOEX PREVISTOS - 2013 CURSOS - EAD PARA SERVIDORES DO TCE E CURSOS OBJETIVO PÚBLICO-ALVO CARGA HORÁRIA N. DE VAGAS MODALIDADE 1. As Novas Normas de Contabilidade Aplicada

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE Referente ao Projeto de Lei Complementar n. º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE 2007. Publicada no Diário Oficial do Estado nº 4073, de 20.08.07 Autor: Deputado Jorge Amanajás Autoriza

Leia mais

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames.

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames. C U R S O S ESPECIAIS I n s t i t u t o C e r v a n t e s d e B r a s i l i a CURSOS ESPECIAIS O Instituto Cervantes de Brasília dispõe de uma ampla oferta de cursos especiais para se adaptar as necessidades

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES PCTI 2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES PCTI 2014 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO PROGRAMA DE COMBATE AO TRABALHO INFANTIL (PCTI) GESTÃO REGIONAL RELATÓRIO DE ATIVIDADES PCTI 2014 www.trt7.jus.br/trabalhoinfantil SEMANA CEARENSE

Leia mais

Oficinas C Diálogo e atualização: metas do encontro de atualização apacitar, dialogar e atualizar. Essas foram as três metas principais do projeto Encontro de Atualização Administrativa, realizado pelo

Leia mais

CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008;

CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008; CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014 Dispõe sobre propostas para adequação do Plano de Trabalho 2015 da EBC. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008; Considerando que o Plano de

Leia mais

CARTILHA DO ORÇAMENTO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

CARTILHA DO ORÇAMENTO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS CARTILHA DO ORÇAMENTO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS Sumário - Apresentação... 3 -As três leis básicas... 3 - Como é elaborado o orçamento da União?... 3 Prazos... 4 Esferas... 4 - Quem é responsável pela elaboração

Leia mais

Supremo Tribunal Federal PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (2009-2013)

Supremo Tribunal Federal PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (2009-2013) Supremo Tribunal Federal PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (2009-2013) Aprovado em Sessão Administrativa de 05.08.2009 COMPOSIÇÃO Ministro GILMAR MENDES Presidente Ministro CEZAR PELUSO Vice-Presidente Ministro

Leia mais