LEVANTAMENTO DE HÁBITOS ALIMENTARES E AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA EM MOTOBOYS NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEVANTAMENTO DE HÁBITOS ALIMENTARES E AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA EM MOTOBOYS NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SP"

Transcrição

1 LEVANTAMENTO DE HÁBITOS ALIMENTARES E AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA EM MOTOBOYS NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SP Solange Cord 1, MSc. Valéria Maria Caselato de Sousa 2, Dra. Margareth Lopes Galvão Saron 3 1,2,3 Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências da Saúde Av. Shishima Hifumi, 2911, , Urbanova, São José dos Campos, SP. 1 3 Resumo- No Brasil tem sido cada vez maior a procura por serviços de entrega por motoboys podendo contar com rapidez e agilidade na entrega dos produtos. Entretanto, pouco se conhece sobre esse trabalhador e sua atividade, bem como o seu estado nutricional. O objetivo desta pesquisa foi levantar os hábitos alimentares e avaliar o estado nutricional de motoboys, da cidade de São José Campos. Os parâmetros antropométricos verificados foram peso, altura, índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura (CC), relação cintura-quadril (RCQ) e área muscular do braço corrigida (AMBc). Para analisar os hábitos alimentares foi utilizado o questionário de freqüência alimentar, recordatório alimentar e o índice de qualidade de dieta (IQD). Os resultados mostram que apesar da maioria estar dentro da faixa de eutrofia, a desnutrição foi identificada através do parâmetro AMBc, sendo que 55% deles apresentam depleção grave de massa muscular. A CC, a RCQ e o percentual de gordura estão dentro dos limites recomendados. Quanto a dieta o estudo demonstrou que há carência de micronutrientes e excesso de lipídios e sódio. Através do IQD pode se observar que apenas % dos motoboys têm dieta adequada sendo que a maioria deles (60%) necessita de modificações em sua dieta. Palavras chaves: hábitos alimentares, motoboys, avaliação nutricional. Área de Concentração: Nutrição Introdução A profissão de motoboys é um fenômeno urbano bastante recente, tem suas origens em meados da década de 80 e impulso definitivo nos prelúdios da década de 90 (OLIVEIRA, 2003). A atividade dos motoboys é inegavelmente um fenômeno urbano visto nas ruas e avenidas das grandes cidades do Brasil, com destaque especial, à São Paulo. Acredita-se que somente nesta cidade pode chegar 150 mil motoboys. O que, indubitavelmente, denota parte importante na influência, por exemplo, no aumento das vendas de motocicletas no Brasil. Em dados da ABRACICLO (Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas), o total de vendas, em 1993, foi de motocicletas, saltando, em 2008, para motocicletas, o que representa um acréscimo de cerca de 2700% nas vendas no período (ABRACICLO, 2009). No Brasil tem sido cada vez maior a procura por serviços de entrega por motoboys podendo contar com rapidez e agilidade na entrega dos produtos (GRISCI et al., 2007). Para Silva et al. (2008) a presença e a tendência de crescimento do número desses trabalhadores parecem irreversíveis a curto, e em médio prazo já que a procura por esse tipo de serviço é cada vez maior. Geralmente esses trabalhadores têm um antecedente de desemprego. A compra de uma nova ou usada proporciona a eles a abertura da porta de entrada no mercado de trabalho. No Brasil, desde 2002, tramitava na Câmara dos Deputados, a lei que regulamenta a categoria de motoboys como profissão. No dia 29 de julho de 2009 o presidente Luís Inácio Lula da Silva sancionou a lei que regulamenta a profissão. Conforme a Classificação Brasileira de Ocupações, registro nº 5191-, os motoboys realizam as seguintes funções: coletar e entregar documentos, valores, mercadorias e encomendas; realizar serviços de pagamento e cobrança; localizar e conferir destinatários e endereços; emitir e coletar recibos de material transportado; preencher protocolos, conduzir e consertar veículos (BRASIL, 2002). Esses trabalhadores geralmente ganham por produtividade, independente das condições climáticas, de trânsito ou do trabalho apresentadas (SILVA et al., 2008). O constante stress e a carga horária exaustiva colaboram para que o tempo para realização das refeições seja curto. Os motoboys se alimentam sem rigor de horário e de escolha de alimentos. Uma alimentação desequilibrada pode trazer consequencias para a saúde, pois a carência de macronutrientes, vitaminas e minerais podem ocasionar doenças 1

2 carencias. As carencias nutricionais se refletem no sistema nervoso digestivo, genito-urinário, respiratório, dentre outro. A atividade dos motoboys é fenômeno comum nas cidades brasileiras. Entretanto, pouco se conhece sobre esse trabalhador e sua atividade. Dados epidemiológicos e pesquisas acadêmicas sobre a atividade são raros (MORAES, 2008). Sendo assim, este trabalho tem como objetivo levantar os hábitos alimentares e realizar avaliação antropométrica dos motoboys da cidade de São José dos Campos - SP. Metodologia O estudo foi transversal e controlado realizado em uma empresa prestadora de serviços (fast food) de motoboys no município de São José dos Campos, Estado de São Paulo. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Univap (H219/CEP/2008). Foram incluidos no estudo motoboys, do sexo masculino, com mais de 18 anos e que trabalhasse em uma empresa prestadora de serviços. Para traçar o perfil nutricional designado na amostragem, foram utilizados métodos antropómetricos e subjetivos. Na antropometria e composição corporal, as técnicas e procedimentos adotados nesta pesquisa foram realizados de acordo com a Organização Mundial de Saúde WHO (1995). Foram mensurados o peso através da balança da marca Sport (MEA-07400), com capacidade máxima de 150 kg e calibrada. Os participantes se posicionaram em pé, no centro da balança, com roupas leves, sem sapatos ou adornos. A altura foi mensurada com fita métrica da marca Mabbis de 150 cm, dividida por milimitros, sendo esta fixada na parede. Os participantes se posicionaram em pé, sem sapatos, encostados na parede, com os calcanhares juntos, costas retas e os braços estendidos ao lado do corpo. O peso e a altura foram utilizados para obter o Indicie de Massa Corporal (IMC) utilizando a fórmula IMC=peso(Kg/altura²(m)). O IMC foi classificado de acordo com WHO (1997). Para obter a circunferencia do braço foi utilizado uma fita milimetrada flexível com precisão de 0,1cm, da marca TBW, onde o participante ficou com o braço flexionado em direção ao tórax, formando um angulo de 90. Após localizar o ponto médio entre o acrômio e o olécrano foi solicitado que o participante ficasse com o braço estendido ao longo do corpo com a palma da mão voltada para a coxa. O braço foi contornado com fita métrica não elástica no ponto médio do braço, sem compressão da pele ou folga. A area muscular do braço (AMBc) foi obtida por meio da equação: AMBc(cm²)=[CB(cm)- π xpct(mm)/]²- 4π A classificação da AMBc foi feita com base nos valores de referência de Frisancho (1990). O valor da circunferencia da cintura foi obtido com fita milimetrada flexível com precisão de 0,1cm, da marca TBW, que circundou o individuo na linha do ponto médio entre a costela inferior e a crista iliaca. A relação cintura quadril (RCQ) através da relação entre a circunferencia da cintura (cm) e a circnferencia do quadril (cm), ou seja, RCQ= circunferencia da cintura dividido pela circunferencia do quadril. A circunferencia do quadril é obtida a partir da mensuração do quadril do individuo, na região de maior perimetro entre a cintura e a coxa. É recomendado que o individuo use roupas finas. Para indivíduos adultos masculino, consideramse como riscos aumentados para problemas cardíacos pontos 94 cm (CC) e 1,00 (RCQ) de acordo com a WHO (1995). O percentual de gordura coporal foi obtido por meio da soma das dobras cutaneas: biciptal, triciptal, subescapular e suprailíaca. As dobras cutâneas foram aferidas de acordo com a técnica recomendada por Fontanive et al. (2007). Para estimar a gordura corporal foi utilizado a tabela proposta por Durnin e Womersley (1974) e usada a classificação de Jackson e Pollock et al. (1980). As medidas antropométricas foram realizadas sempre pelo mesmo examinador. A medida considerada foi o resultado da média de três medidas realizadas, consecutivamente. Os métodos subjetivos utilizado neste estudo para a avaliação do estado nutricional foi o inquérito alimentar através do recordatório habitual (1 dia típico) e freqüência alimentar, ambos feitos por meio de entrevista. Para os cálculos da ingestão de energia e dos macro e micronutrientes, as informações do registro alimentar foram analisadas no programa computacional Avanutri (2009). Foi feito a aplicação do Índice de Qualidade da Dieta (IQD) proposto por Kennedy et al. (1995) e a classificação de acordo com Fisberg et al. (2004): abaixo ou igual a 40 pontos - dieta inadequada ; entre 41 e 64 pontos - dieta que necessita de modificação ; e igual ou superior a 65 pontos - dieta saudável. A análise dos dados foi avaliado com o auxílio do programa de computador Statiscal Package for the Social Sciences (SPSS) versão.0, sendo apresentado como média, desvio padrão, mínimo e máximo. Resultados 2

3 Participaram desta pesquisa 20 motoboys, com média de idade de 30,15 (±9,67) anos, com idade mínima de 18 anos e máxima de 50 anos. O tempo de profissão variou em média de 4,15 anos, apresentando uma carga horária diária em média 11,15 horas e atingindo uma carga máxima de 15 horas diárias. Todos os entrevistados já sofreram acidentes de trânsito, tendo em média 3, acidentes e chegando ao máximo de acidentes. A média de renda mensal desses motoboys foi 1435 reais com desvio padrão de 508,12 reais e com mínimo de 800 reais e máximo de 2500 reais (Tabela 1). Tabela 1. Dados sobre a profissão dos motoboys. Média (D.P.) Mínimo Máximo Tempo de profissão (anos) 4,15(2,94) 1,00 12,00 Carga horária diária (horas),62 (2,72) 3,00 15,00 Número de acidente de trânsito 3, (2,22) 1,00,00 Renda mensal (reais) 1435,00 (508,12) 800, ,00 D.P. (desvio padrão) A Tabela 2 traz os dados antropométricos e medidas derivadas dos motoboys estudados. A média dos valores de IMC, CC e RCQ apresentaram dentro da faixa de normalidade. No entanto, os valores médios da AMBc encontraramse abaixo do percentil 5, que caracteriza-se como perda de massa magra. Tabela 2. Dados antropométricos e medidas derivadas dos motoboys. Média (D.P.) mínimo máximo Peso (kg) 70,82 (11,68) 54,00 96,5 Altura (m) 1, 716 (0,07) 1,61 1,87 IMC (Kg/m²) 24,09 (4,04) 19,04 33,37 AMBc(cm²) 36,11 (11,71) 12,92 57,42 CC (cm) 80,73 (11,74) 65,00 9,00 CA (cm) 86,20 (11,58) 70,00 1,00 RCQ 0,82 (0,09) 0,71 1,06 D.P. (desvio padrão) Com relação à classificação nutricional, a pesquisa revelou que a maioria (75%) dos motoboys apresentou o IMC dentro da faixa de eutrofia. A inadequação do estado nutricional foi relativa ao sobrepeso e obesidade que corresponderam a 30% da população estudada (Figura 2). P ercentu al Eutrofico Sobrepeso Obesidade Grau I Figura 1. Classificação do estado nutricional dos motoboys de acordo com IMC. Ao analisarmos a depleção de massa muscular por meio da AMBc, o resultado mostrou que a maioria (55%) apresenta depleção grave conforme demonstra a figura 2. A depleção leve a moderada atinge % desta população. P e rce n tu a l Adequado Depleção leve a moderada Depleção grave Figura 2. Classificação da massa muscular dos motoboys de acordo com área muscular braquial corrigida. Com relação ao percentual de gordura corporal, os resultados mostraram que 78,95% dos motoboys apresentaram esse percentual adequado (Figura 3). P ercentual ,95 Adequado 5 21,05 55 Obesidade Figura 3. Classificação do percentual de gordura corporal dos motoboys. Ao determinarmos a prevalência de riscos à saúde dos motoboys pelos parâmetros de CC e RCQ, os resultados mostraram uma baixa prevalência de risco à saúde desses trabalhadores (Tabela 3). 3

4 Tabela 3. Identificação do risco à saúde dos motoboys pelos parâmetros de CC e RCQ. CC RCQ Com risco à saúde 20% 5% Sem risco à saúde 80% 95% O levantamento dos hábitos alimentares mostrou que os motoboys fazem em média três refeições por dia e que dedicam pouco tempo para realizá-las. Esse comportamento pode ser motivado tanto pela carga horária extenuante quando pelo ganho por produtividade, que faz com que eles não tenham rigor no horário e escolha dos alimentos. Outro dado importante é sobre a distribuição de macronutrientes. O estudo revelou que de ingestão média de lipídios na dieta é de 32,64%, com alta ingestão de gordura saturada (Tabela 4). A quantidade de proteínas da dieta também é bastante elevada, extrapolando a porcentagem recomendada por dia. O recordatório alimentar revelou que as maiorias dos motoboys passam longos períodos em jejum. Tabela 4. Distribuição de macro e micronutrientes presentes na dieta dos motoboys. Média (D.P.) mínimo máximo Energia (Kcal) 2391,09(868,69) 1293, ,45 Carboidrato(g) 292,66(128,98) 151,69 570,59 Lipídio(g) 86,97(36,44) 23,63 174,07 Proteína(g) 9,12(37,02) 60,65 194,30 Distribuição dos macronutrientes Carboidrato % 48,25(7,50) 32,07 64,68 Lipídio % 32,64(6,70) 16,77 45,52 Gordura saturada %,98(3,86) 3,72 17,35 Proteína % 19,11(5,25) 9,59 31,35 D.P. (desvio padrão) A investigação dos hábitos alimentares demonstrou que nenhuns dos entrevistados ingerem a quantidade de cálcio recomendado por dia, já que o consumo de leite e seus derivados são baixos. O consumo de vitaminas, principalmente as vitaminas A, D, B 5, E, C, também não é atingido. Já o limite de sódio recomendado é extrapolado pela maioria deles já que há bastante consumo de produtos industrializados e embutidos. Ao analisarmos o IQD, os resultados mostraram que a maioria (60%) dos motoboys apresenta dieta que necessita de modificação e 30% possuem dieta inadequada. Revelando, um resultado bastante preocupante, pois apenas % desses indivíduos apresentaram dieta saudável (Tabela 5). Tabela 5. Índice de qualidade da dieta dos motoboys. Categoria n % Dieta saudável 2 Dieta que necessita de modificação Dieta inadequada 6 30 Discussão No nosso estudo encontramos uma média de jornada de trabalho diária elevada e acompanhada por acidentes de trânsito sofrido por todos os motoboys entrevistado. O ganho por produtividade e a carga horária exaustiva incentiva o excesso de velocidade, que traz como conseqüência imprudência e acidentes de trânsito. Conforme os dados da Companhia de Engenharia e Tráfego (CET) na cidade de São Paulo foram registrados com Motoboys, em 2006, acidentes com vítimas, cerca de 30 acidentes por dia, sendo 387 óbitos o que equivale em média a 1 óbito/dia de motociclistas (MAIA; AIDAR, 2007). Nesta pesquisa, os dados não diferem em alguns aspectos daqueles obtidos por Silva (2006). O mesmo autor verificou o relato de 68,2% de acidentes entre motoboys; 39% dos motoboys haviam se acidentado nos últimos 12 meses. A renda média dos motoboys no nosso estudo foi de R$ 1435,00. Enquanto, no estudo de Diniz (2003) observaram que em Vitória-ES o salário médio dos trabalhadores gira entre R$ 600,00 e R$ 700,00, e mais da metade recebe até R$ 800,00 (65,4%). Poucos recebem acima de R$ 1.500,00 (3,8%). A avaliação nutricional demonstrou que a maioria dessa população está com IMC dentro da faixa de eutrofia. Segundo Duarte e Castellani (2002) não se deve diagnosticar o estado nutricional apenas pelo IMC, pois esse parâmetro não representa a composição corporal. Isto pode ser comprovado no nosso estudo que diagnosticou a desnutrição na maioria destes motoboys pelo parâmetro de AMBc, que avalia a reserva de tecido muscular corrigindo a área óssea. Quanto ao percentual de gordura corporal a maioria desta população apresentou adequação. São escassos os estudos nacionais e internacionais que investigaram o perfil nutricional dos motoboys. Os dados obtidos na pesquisa revelaram que a maioria dos motoboys apresentou adequação para a CC e a RCQ. Porém a alimentação inadequada, rica em lipídios, e o estresse podem levar ao 4

5 desenvolvimento de doenças coronarianas. Em uma pesquisa feita com taxistas demonstrou que apenas 20% dos entrevistados, têm uma chance muito remota de contrair doenças cardíacas, mas ao contrario de 40% da população que tem grande probabilidade de adquirir esse tipo de doença (SILVA et al. 2007). A ingestão dietética diária dos motoboys avaliados revelou uma ingestão elevada de lipídeos e com alta concentração de gordura saturada, que em longo prazo pode contribuir para o aparecimento de doenças cardiovasculares. Normalmente, o custo da alimentação fica a cargo dos próprios trabalhadores, sobretudo entre aqueles que não possuem nenhum vínculo de emprego formal. Alimentam-se, então, como podem e sempre em busca de alimentações de baixo custo (MORAES, 2008). O IQD possibilita a observação da dieta de forma geral, analisando-se vários componentes e não simplesmente variáveis dietéticas específicas. O índice agrupa os indivíduos segundo as categorias de consumo alimentar permitindo possíveis associações com variáveis tais como: idade, renda e escolaridade, entre outras (FISBERG et al., 2004). Nosso estudo, a maioria dos motoboys não segue as recomendações dietéticas preconizadas, o que pode redundar em problemas de saúde para os indivíduos em questão. No estudo realizado por Fisberg et al., (2004), em Botucatu, com as várias faixas etárias, os valores médio do IQD foi de 12% dos indivíduos apresentando dieta saudável ; 74%, em dietas necessitando modificações e 14%, em dieta inadequada. Estudos realizados nos últimos anos já descreveram a importância de fatores de risco como hipertensão arterial, hábito de fumar, níveis de colesterol sérico, excesso de peso, sedentarismo, etilismo e dieta inadequada, na determinação das doenças crônicas não transmissíveis (FISBERG et al., 2004). Conclusão Os motoboys executam suas funções com rapidez e agilidade, atuando como agentes de transformação da relação produção/consumo. Mas fatores como o stress do trânsito, pressão do trabalho e falta de regularidade nas refeições podem gerar um risco para a saúde desses trabalhadores. O ganho por produtividade faz com que esses trabalhadores tenham pouco critério com horários e escolha de alimentos. Esse comportamento errôneo pode trazer danos à saúde, provocando tanto doenças carenciais como aumento do risco de patologias crônicas. Uma dieta rica em lipídios, por exemplo, colabora com o desenvolvimento de doenças coronarianas. A insistência em não ter uma alimentação balanceada pode trazer alterações do peso corporal e do percentual de gordura, colaborando com o desenvolvimento da obesidade e outras doenças crônicas. É preciso que esses trabalhadores gerem mudanças em seus estilos de vida para que não tenham futuros problemas de saúde. Referências ABRACICLO - Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas. acessado em 13/08/2009. AVANUTRI Online. Programa computacional; BRASIL. Câmara dos Deputados. Portaria nº de 2002, sob aprovação. Dispõe sobre a Regulamentação do exercício das atividades dos profissionais em transporte de passageiros, "mototaxista", em entrega de mercadorias, e em serviço comunitário de rua, e "motoboy" com o uso de motocicleta. Disponível em: id= Acesso em 03//2008. DINIZ, E. P. H. As condições acidentogênicas e as estratégias de regulação dos motociclistas profissionais: entre as exigências de tempo e os constrangimentos do espaço. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) Departamento de Engenharia de Produção, Escola de Engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, DUARTE, A.C., CASTELLANI,F.R. Semiologia nutricional. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil Editora; p.32, FISBERG, R.M.; SLATER, B.; BARROS, R.R.; et al. Índice de Qualidade da Dieta: avaliação da adaptação e aplicabilidade. Rev. Nutr., Campinas, 17(3): , jul./set., DURNIN, J.V.G.A; WOMERSLEV. Body fat assessed from total body density and its estimation from skinfold thickness: measurenents on 481 men and women aged from 16 to 72 years. British Journal Nutrition, v.32, n.1, p.77-97, FONTANIVE, R.; PAULA, T.P.; PERES, W.A.F. Avaliação da composição corporal de adultos.in: DUARTE, A.C.G. Avaliação nutricional. São Paulo: Atheneu, p

6 FRISANCHO,A.R. AnthropometricStandards for the Assessment of Growth and Nutrition status. University of Michigan,p.189,1990. GRISCI, C.L.I.; SCALCO, P.D.; JANOVIK, M.S. Modos de trabalhar e de ser de motoboys: a vivência espaço-temporal contemporânea. Psicol. Cienc. Prof., v.27, n.3, p , anthropometry. Report of a WHO expert committee. Geneva,1995. WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Obesity - Preventing and managing the global epidemic. Report of WHO Consulation on Obesity, Geneva, JACKSON, A.S.; POLLOCK, M.L.; WARD, A. Generalized equations for predicting body density of women. Medicine & Science in Sports and Exercise, Madison, v.12, n.3, p , KENNEDY ET, OHLS J, CARLSON S, FLEMING K. The Healthy Eating Index: design and applications. J Am Diet Assoc, v. 95, p.13-9, MAIA, P.B.; AIDAR,T. Mortes no transito urbano em São Paulo: relação entre residência das vítimas e local de ocorrência dos acidentes. São Paulo em Perspectiva, v.21, n.1, p.46-59, MORAES, T.D.; Fatores de risco de acidentes na atividade dos motoboys: Limites das análises quantativas. Revista de Gestão Integrada em Saúde do Trabalho e Meio Ambiente. v.3, n.3, p.01-29, 2008 OLIVEIRA, G.C. Trabalho, Vitimização e Criminalização no Cotidiano de Motoboys de Salvador f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública). SILVA, A.L.S; SANTOS, H.R;BARAÚNA,M.A; BIAGINI,A.P. Análise dos riscos coronarianos através da relação cintura- quadril (rcq) em taxistas residentes na cidade de Caratinga-MG. Revista Digital - Buenos Aires, Año 12, n. 114, SILVA, D. W. Atuação profissional de motoboys e fatores associados à ocorrência de acidentes de trânsito em Londrina. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) Programa de Pós- Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Estadual de Londrina (UEL). Londrina, SILVA, D. W.; SOARES, D. A.; ANDRADE, S. M. Atuação profissional de motoboys e fatores associados à ocorrência de acidentes de trânsito em Londrina-PR. Epidemiol. Serv. Saúde, v.17, n.2, p , WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Physical status: The use and interpretation of 6

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA DE IDOSAS PARTICIPANTES DE GRUPOS DE ATIVIDADES FÍSICAS PARA A TERCEIRA IDADE Liziane da Silva de Vargas;

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE O PERFIL ANTROPOMÉTRICO E DIETA CONSUMIDA COMO RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES EM HOMENS ADULTOS

RELAÇÃO ENTRE O PERFIL ANTROPOMÉTRICO E DIETA CONSUMIDA COMO RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES EM HOMENS ADULTOS ISBN 978-85-61091-05-7 VI EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 7 a 30 de outubro de 009 RELAÇÃO ENTRE O PERFIL ANTROPOMÉTRICO E DIETA CONSUMIDA COMO RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES

Leia mais

Avaliaç o antropométrica de idosas participantes de grupos de atividades físicas para a terceira idade

Avaliaç o antropométrica de idosas participantes de grupos de atividades físicas para a terceira idade Vargas, Liziane da Silva de; Benetti, Chane Basso; Santos, Daniela Lopes dos Avaliaç o antropométrica de idosas participantes de grupos de atividades físicas para a terceira idade 10mo Congreso Argentino

Leia mais

INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA).

INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA). INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA). GLEICIANE MARTINS GOMES ADRIANA MOURA DOS SANTOS JOSEANA MOREIRA ASSIS RIBEIRO FERNANDO VINÍCIUS FARO REIS JÚLIO ALVES PIRES FILHO

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA ESPECÍFICO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO ADOLESCENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, VIÇOSA MG.

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA ESPECÍFICO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO ADOLESCENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, VIÇOSA MG. TÍTULO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA ESPECÍFICO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO ADOLESCENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, VIÇOSA MG. AUTORES: Kiriaque Barra Ferreira Barbosa bolsista CNPq (kiribarra@hotmail.com.br),

Leia mais

Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento

Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento Nome: WALMAR DE HOLANDA CORREA DE ANDRADE Matrícula: 004905 Sexo: Masculino Data Avaliação Funcional: Idade: 31 anos Professor: Email: EURIMAR

Leia mais

RESUMOS SIMPLES...156

RESUMOS SIMPLES...156 155 RESUMOS SIMPLES...156 156 RESUMOS SIMPLES CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 159 CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 157 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 159 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 157 GARCIA JUNIOR, JAIR RODRIGUES...

Leia mais

ANALISE COMPARATIVA DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE POLICIAIS MILITARES RECÉM-ADMITIDOS COM MILITARES COM MAIS DE 10 ANOS DE CARREIRA DO 2º BPM DA PARAÍBA

ANALISE COMPARATIVA DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE POLICIAIS MILITARES RECÉM-ADMITIDOS COM MILITARES COM MAIS DE 10 ANOS DE CARREIRA DO 2º BPM DA PARAÍBA ANALISE COMPARATIVA DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE POLICIAIS MILITARES RECÉM-ADMITIDOS COM MILITARES COM MAIS DE 10 ANOS DE CARREIRA DO 2º BPM DA PARAÍBA Analisando o estilo de vida de algumas pessoas, constatou-se

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES

HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES Larissa Paula da Silva de Souza 1, Sara Leal de Lima 2, Angela Andréia França Gravena 3 RESUMO:

Leia mais

Perfil Nutricional de Idosas frequentadoras da Faculdade da Terceira Idade. Nutritional profile of elderly who frequent The Third Age Faculty

Perfil Nutricional de Idosas frequentadoras da Faculdade da Terceira Idade. Nutritional profile of elderly who frequent The Third Age Faculty 67 Perfil Nutricional de Idosas frequentadoras da Faculdade da Terceira Idade Nutritional profile of elderly who frequent The Third Age Faculty Érica Cristina Moreira Guimarães 1 Lorena Silva dos Santos

Leia mais

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista Secretaria de Estado da Saúde - SESAU Superintendência de Assistência em Saúde SUAS Diretoria de Atenção Básica - DAB Gerência do Núcleo do Programa Saúde e Nutrição Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES ONCOLÓGICOS HOSPITALIZADOS

PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES ONCOLÓGICOS HOSPITALIZADOS PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES ONCOLÓGICOS HOSPITALIZADOS Paola Santos Esteves Martins 1, Ana Carolina de Campos Leme. 2 ; Dr. a Margareth Lopes Galvão Saron 3 Universidade do Vale do Paraíba Faculdade

Leia mais

PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS EM UM NÚCLEO INTEGRADO DE SAÚDE DA CIDADE DE MARINGÁ-PR

PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS EM UM NÚCLEO INTEGRADO DE SAÚDE DA CIDADE DE MARINGÁ-PR ISBN 978-85-61091-05-7 VI EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS EM UM NÚCLEO INTEGRADO DE SAÚDE DA CIDADE DE MARINGÁ-PR

Leia mais

Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde

Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN Orientações para a coleta

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE PRÉ - ESCOLARES E ESCOLARES DE UMA INSTITUIÇÃO FILANTRÓPICA DA CIDADE DE MARINGÁ, PR

PERFIL NUTRICIONAL DE PRÉ - ESCOLARES E ESCOLARES DE UMA INSTITUIÇÃO FILANTRÓPICA DA CIDADE DE MARINGÁ, PR ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PERFIL NUTRICIONAL DE PRÉ - ESCOLARES E ESCOLARES DE UMA INSTITUIÇÃO FILANTRÓPICA DA CIDADE DE MARINGÁ,

Leia mais

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 REDUÇÃO DE PESO E CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL EM TRABALHADORES DA INDÚSTRIA

Leia mais

Utilização de Grandes Bases de Informação na Avaliação do Consumo Alimentar. Regina Mara Fisberg Profª Associada Depto de Nutrição - USP

Utilização de Grandes Bases de Informação na Avaliação do Consumo Alimentar. Regina Mara Fisberg Profª Associada Depto de Nutrição - USP Utilização de Grandes Bases de Informação na Avaliação do Consumo Alimentar Regina Mara Fisberg Profª Associada Depto de Nutrição - USP Agenda 1. Métodos de inquéritos 2. Inquérito de Saúde de São Paulo

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE A COMPOSIÇÃO CORPORAL DE HOMENS TREINADOS E DESTREINADOS Aristófanes Lino Pinto de Sousa David Marcos Emérito de Araújo

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE A COMPOSIÇÃO CORPORAL DE HOMENS TREINADOS E DESTREINADOS Aristófanes Lino Pinto de Sousa David Marcos Emérito de Araújo ESTUDO COMPARATIVO ENTRE A COMPOSIÇÃO CORPORAL DE HOMENS TREINADOS E DESTREINADOS Aristófanes Lino Pinto de Sousa David Marcos Emérito de Araújo RESUMO: O presente estudo compara a composição corporal

Leia mais

PERFIL ALIMENTAR E ANTROPOMÉTICO DE CRIANÇAS EM IDADE PRÉ-ESCOLAR XIII INIC / IX EPG - UNIVAP 2009

PERFIL ALIMENTAR E ANTROPOMÉTICO DE CRIANÇAS EM IDADE PRÉ-ESCOLAR XIII INIC / IX EPG - UNIVAP 2009 PERFIL ALIMENTAR E ANTROPOMÉTICO DE CRIANÇAS EM IDADE PRÉ-ESCOLAR XIII INIC / IX EPG - UNIVAP 2009 Érica Cristina Moreira Guimarães 1, Marlene Maria Amaral Scheid 2 1 Faculdade de Ciências da Saúde,Universidade

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) Divisão de Nutrição e Dietética. Atendimento de Nutrição nas Unidades de Internação

Procedimento Operacional Padrão (POP) Divisão de Nutrição e Dietética. Atendimento de Nutrição nas Unidades de Internação UFSC Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina Elaborado por: Nutricionistas clínicas Revisado por: Nutricionistas clínicas Aprovado por: Gisele

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1 LEITE, Raíssa Moraes 1 ; FRANCO, Lana Pacheco 2 ; SOUZA, Isabela Mesquita 3 ; ALVES, Ana Gabriella Pereira

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES DOS FREQUENTADORES DE PARQUES DA CIDADE DE SÃO PAULO

AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES DOS FREQUENTADORES DE PARQUES DA CIDADE DE SÃO PAULO Ciências da Vida - Nutrição AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES DOS FREQUENTADORES DE PARQUES DA CIDADE DE SÃO PAULO Fernanda Cristina Guevara 1 Camila Maria Melo 2 Tatiane Vanessa

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PARTICIPANTES DO PROJETO GURI DA CIDADE DE MARINGÁ-PR

PERFIL NUTRICIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PARTICIPANTES DO PROJETO GURI DA CIDADE DE MARINGÁ-PR ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PERFIL NUTRICIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PARTICIPANTES DO PROJETO GURI DA CIDADE DE MARINGÁ-PR

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS ATENDIDOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ

PERFIL NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS ATENDIDOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ PERFIL NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS ATENDIDOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ VIEIRA, G.A. Resumo: O diabetes Mellitus é considerado atualmente uma das principais

Leia mais

PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA E HÁBITOS ALIMENTARES DE UNIVERSITÁRIOS DO CURSO DE NUTRIÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE PARTICULAR XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011

PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA E HÁBITOS ALIMENTARES DE UNIVERSITÁRIOS DO CURSO DE NUTRIÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE PARTICULAR XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA E HÁBITOS ALIMENTARES DE UNIVERSITÁRIOS DO CURSO DE NUTRIÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE PARTICULAR XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 Patricia de Souza e Silva, Claudia Soar Universidade

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE IDOSOS ATENDIDOS EM HOSPITAL PÚBLICO DA CIDADE DE MARINGÁ

PERFIL NUTRICIONAL DE IDOSOS ATENDIDOS EM HOSPITAL PÚBLICO DA CIDADE DE MARINGÁ ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PERFIL NUTRICIONAL DE IDOSOS ATENDIDOS EM HOSPITAL PÚBLICO DA CIDADE DE MARINGÁ Rita de Cássia Felix

Leia mais

Projeto Ação Social. Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição.

Projeto Ação Social. Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição. Projeto Ação Social Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição. Objetivo Geral: A equipe de Nutrição teve por objetivo atender aos pacientes

Leia mais

CURSO MUSCULAÇÃO E CARDIO 2011

CURSO MUSCULAÇÃO E CARDIO 2011 1 CURSO MUSCULAÇÃO E CARDIO 2011 %MASSA GORDA SAUDÁVEL Homens 20 anos %MGsaudável = 10% (a partir dos 20 anos acresce-se 1% por cada 3 anos de idade, até ao limite de 25% ou até 50 anos de idade). Ou usando

Leia mais

A importância da anamn m ese s......

A importância da anamn m ese s...... Importância da Anamnese Dobras Cutâneas BIOTIPOS COMPOSIÇÃO CORPORAL PERIMETRIA A importância da anamnese... Conceito A anamnese (do grego anamnesis significa recordação) consiste na história clínica do

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINOS DA CIDADE DE AMPARO - SÃO PAULO

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINOS DA CIDADE DE AMPARO - SÃO PAULO AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINOS DA CIDADE DE AMPARO - SÃO PAULO Mari Uyeda* Pedro Henrique Martins de Lima** RESUMO: As mudanças nas práticas alimentares e no padrão de atividades físicas culminaram em

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL. Marister de Oliveira Martinez, Luana dos Santos Pereira, Claudia Soar.

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL. Marister de Oliveira Martinez, Luana dos Santos Pereira, Claudia Soar. PROGRAMA DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL Marister de Oliveira Martinez, Luana dos Santos Pereira, Claudia Soar. Univap Universidade do Vale do Paraíba / Faculdade de Ciências da Saúde - Nutrição, Av.

Leia mais

Aula 3 Perimetria, Dobras Cutâneas e Protocolos

Aula 3 Perimetria, Dobras Cutâneas e Protocolos Aula 3 Perimetria, Dobras Cutâneas e Protocolos Perimetria Medida da circunferência de determinados segmentos corporais, podendo ser realizados estando o corpo relaxado ou contraído. 2. Fita Métrica Equipamentos

Leia mais

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Nutricionista Débora Razera Peluffo

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Nutricionista Débora Razera Peluffo Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT Nutricionista Débora Razera Peluffo Perfil nutricional brasileiro Nas últimas décadas observou-se uma mudança no perfil epidemiológico da população brasileira:

Leia mais

Avaliação antropométrica de idosas participantes de grupos de atividades físicas para a terceira idade.

Avaliação antropométrica de idosas participantes de grupos de atividades físicas para a terceira idade. 10mo Congreso Argentino de Educación Física y Ciencias. Universidad Nacional de La Plata. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación. Departamento de Educación Física, La Plata, 2013. Avaliação

Leia mais

Avaliação e Orientação Nutricional de Idosos Cadastrados no Programa EFOA Aberta à Terceira Idade de Alfenas, MG

Avaliação e Orientação Nutricional de Idosos Cadastrados no Programa EFOA Aberta à Terceira Idade de Alfenas, MG Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 Avaliação e Orientação Nutricional de Idosos Cadastrados no Programa EFOA Aberta à Terceira Idade de

Leia mais

AVALIAÇÃO FÍSICA O QUE PODEMOS MEDIR? PRAZOS PARA REAVALIAÇÃO.

AVALIAÇÃO FÍSICA O QUE PODEMOS MEDIR? PRAZOS PARA REAVALIAÇÃO. AVALIAÇÃO FÍSICA Antes de iniciarmos qualquer atividade física é necessário realizar uma avaliação Física. Somente através de uma avaliação podemos : - Identificar a nossa condição inicial (check-up) -

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DE HANDEBOL ADAPTADO NO MUNICIPIO DE TOLEDO PR.

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DE HANDEBOL ADAPTADO NO MUNICIPIO DE TOLEDO PR. Os textos são de responsabilidade de seus autores. AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DE HANDEBOL ADAPTADO NO MUNICIPIO DE TOLEDO PR. Diana Rissato Ribeiro 1 2 3 RESUMO O objetivo deste estudo foi avaliar

Leia mais

INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS

INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS Ciliane Valerio

Leia mais

ATENDIMENTO NUTRICIONAL, PREVALÊNCIA DE FATORES DE RISCO PARA DOENÇA CARDIOVASCULAR E INATIVIDADE FÍSICA EM MULHERES DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA

ATENDIMENTO NUTRICIONAL, PREVALÊNCIA DE FATORES DE RISCO PARA DOENÇA CARDIOVASCULAR E INATIVIDADE FÍSICA EM MULHERES DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA ATENDIMENTO NUTRICIONAL, PREVALÊNCIA DE FATORES DE RISCO PARA DOENÇA CARDIOVASCULAR E INATIVIDADE FÍSICA EM MULHERES DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA Área Temática: Saúde ¹Jussara Gazzola (Coordenador da Ação

Leia mais

OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR

OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR Pró-Reitoria de Graduação Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso II OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR Autora: Damielle J. Costa Orientador: Prof. Dr. Ricardo Bernardo Mayolino Brasília - DF 2011 OBESIDADE

Leia mais

O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima

O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima Saúde mais próxima. Por causa de quem mais precisa. Saúde mais Próxima é um programa da

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E CONSUMO DE MACRONUTRIENTES POR CORREDORES DA CIDADE DE MARINGÁ, PR

PERFIL NUTRICIONAL E CONSUMO DE MACRONUTRIENTES POR CORREDORES DA CIDADE DE MARINGÁ, PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 PERFIL NUTRICIONAL E CONSUMO DE MACRONUTRIENTES POR CORREDORES DA CIDADE DE MARINGÁ, PR Daniele Aparecida Capelato 1 ; Bruno Guilherme Morais Pagan 2 ;

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR Sabrina Dalmazo Vieira 1 ; Rose Mari Bennemann 2 RESUMO:

Leia mais

Atividade Física Referida e Estilo de Vida entre Trabalhadores de Enfermagem em Serviço Público de Saúde

Atividade Física Referida e Estilo de Vida entre Trabalhadores de Enfermagem em Serviço Público de Saúde Capítulo 14 Atividade Física Referida e Estilo de Vida entre Trabalhadores de Enfermagem em Serviço Público de Saúde Manuela de Santana Pi Chillida Mestre em Enfermagem UNICAMP Enfermeira Supervisora,

Leia mais

Avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador na Região Metropolitana do Recife (1976-2013)

Avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador na Região Metropolitana do Recife (1976-2013) CHAMADA MCTI-CNPq/MDS-SAGI Nº 24/2013 DESENVOLVIMENTO SOCIAL Avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador na Região Metropolitana do Recife (1976-2013) TEMA 4: SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

PERFIL DO TRABALHADOR DO CENTRO DE CHAPECÓ ASSOCIADO AO TIPO DE REFEIÇÃO CONVÊNIO

PERFIL DO TRABALHADOR DO CENTRO DE CHAPECÓ ASSOCIADO AO TIPO DE REFEIÇÃO CONVÊNIO PERFIL DO TRABALHADOR DO CENTRO DE CHAPECÓ ASSOCIADO AO TIPO DE REFEIÇÃO CONVÊNIO LIMA, Janaína Santos de 1 ; SONALIO, Alexsandra 1 ; COSTACURTA, Fabiane Carla 1 ; OLIVEIRA, Gabriela Tavares de 1 ; BORJES,

Leia mais

ANÁLISE DOS RISCOS CORONARIANOS ATRAVÉS DO RCQ EM POLICIAIS MILITARES DA CIDADE DE MATIPÓ-MG

ANÁLISE DOS RISCOS CORONARIANOS ATRAVÉS DO RCQ EM POLICIAIS MILITARES DA CIDADE DE MATIPÓ-MG Centro Universitário de Caratinga UNEC Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão Curso de Pós-Graduação em Atividades Motoras para a Promoção da Saúde e Qualidade de Vida HEIDY FRUTUOSO ANÁLISE

Leia mais

8º Simposio de Ensino de Graduação AVALIAÇÃO DA PRESENÇA DE FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE DIABETES MELLITUS EM INDIVÍDUOS ADULTOS

8º Simposio de Ensino de Graduação AVALIAÇÃO DA PRESENÇA DE FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE DIABETES MELLITUS EM INDIVÍDUOS ADULTOS 8º Simposio de Ensino de Graduação AVALIAÇÃO DA PRESENÇA DE FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE DIABETES MELLITUS EM INDIVÍDUOS ADULTOS Autor(es) MIRIÃ DE CASTRO COSTA Orientador(es) PATRÍCIA CARREIRA

Leia mais

MATERIAL E MÉTODOS RESULTADOS E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

MATERIAL E MÉTODOS RESULTADOS E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 20 a 24 de outubro de 2008 ANÁLISE DOS FATORES DE RISCO E GASTO ENERGÉTICO EM ADOLESCENTES OBESOS E ESTILO DE VIDA DOS PAIS Juliana Ewelin dos Santos 1 ; Rafaela Pilegi Dada 1 ; Sérgio Roberto Adriano

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS PARATLETAS FREQUENTADORES DE UMA ASSOCIAÇÃO PARADESPORTIVA DE MARINGÁ, PARANÁ

CARACTERIZAÇÃO NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS PARATLETAS FREQUENTADORES DE UMA ASSOCIAÇÃO PARADESPORTIVA DE MARINGÁ, PARANÁ CARACTERIZAÇÃO NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS PARATLETAS FREQUENTADORES DE UMA ASSOCIAÇÃO PARADESPORTIVA DE MARINGÁ, PARANÁ Débora de Moura¹; Débora Augusto Sampaio²; Geziane Deldoto 2 ; Sonia Maria Marques

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL DE NUTRIZ USUÁRIA DE CRACK DA ZONA OESTE DE SANTA MARIA RS 1

ESTADO NUTRICIONAL DE NUTRIZ USUÁRIA DE CRACK DA ZONA OESTE DE SANTA MARIA RS 1 ESTADO NUTRICIONAL DE NUTRIZ USUÁRIA DE CRACK DA ZONA OESTE DE SANTA MARIA RS 1 NÖRNBERG, Marcele Leal 2 ; OLIVEIRA, Valquiria Michelim de 2 ; HARTMANN, Ivana 2 ; FLORES, Priscila da Trindade 2 ; LIMA,

Leia mais

Índice de Qualidade da Dieta

Índice de Qualidade da Dieta Veris Faculdades Curso de Nutrição Avaliação Nutricional II Índice de Qualidade da Dieta O estudo da dieta com suas diversas combinações de alimentos, mais do que o consumo de itens alimentares individuais

Leia mais

Atividade Física e Alimentação Adequada para a Promoção da Saúde

Atividade Física e Alimentação Adequada para a Promoção da Saúde 15 Atividade Física e Alimentação Adequada para a Promoção da Saúde Erika da Silva Maciel Licenciatura em Educação Física - Unimep Especialista em Atividade Física e Qualidade de Vida - Unicamp Mestre

Leia mais

PREVALÊNCIA DE OBESIDADE INFANTIL NOS CENTROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CMEI) DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PARANÁ

PREVALÊNCIA DE OBESIDADE INFANTIL NOS CENTROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CMEI) DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PARANÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 PREVALÊNCIA DE OBESIDADE INFANTIL NOS CENTROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CMEI) DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PARANÁ Vanusa Pereira da Silva 1, Robsmeire

Leia mais

6. Sobrepeso e obesidade Introdução

6. Sobrepeso e obesidade Introdução 6. Sobrepeso e obesidade Introdução A prevalência de sobrepeso e obesidade vem aumentando rapidamente no mundo, sendo considerada um importante problema de saúde pública tanto para países desenvolvidos

Leia mais

APOSTILA DE AVALIAÇÃO NUTRICIONAL I

APOSTILA DE AVALIAÇÃO NUTRICIONAL I FACULDADE ASSIS GURGACZ Avenida das Torres, 500 Fone: (45) 3321-3900 ramal 3852 Fax: (045) 3321-3900 CEP: 85.806-095 Cascavel Paraná E-mail: nutricao@fag.edu.br APOSTILA DE AVALIAÇÃO NUTRICIONAL I Elaborado

Leia mais

A PERCEPÇÃO DE IDOSOS PRATICANTES DE ATIVIDADES FÍSICAS SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: UM ESTUDO DE CASO

A PERCEPÇÃO DE IDOSOS PRATICANTES DE ATIVIDADES FÍSICAS SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: UM ESTUDO DE CASO 1 A PERCEPÇÃO DE IDOSOS PRATICANTES DE ATIVIDADES FÍSICAS SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: UM ESTUDO DE CASO INTRODUÇÃO DEISE JAQUELINE ALVES FALEIRO SUZANA HÜBNER WOLFF Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Leia mais

Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan;

Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan; 1 Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan; Janaina Lopes; Eveline Batista Rodrigues; Cristiane

Leia mais

INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM REMADORES DO CLUBE NÁUTICO FRANCISCO MARTINELLI FLORIANÓPOLIS/SC

INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM REMADORES DO CLUBE NÁUTICO FRANCISCO MARTINELLI FLORIANÓPOLIS/SC INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM REMADORES DO CLUBE NÁUTICO FRANCISCO MARTINELLI FLORIANÓPOLIS/SC Cristina Ramos, Tânia Vidigal Zanetti Acadêmicos do Curso de Nutrição da UFSC Ileana Arminda Mourão Kazapi Professora

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EFEITO DE UM PROTOCOLO DE EXERCÍCIOS FÍSICOS SOBRE O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA EM ADULTOS COM SÍNDROME

Leia mais

1. Tabela de peso e estatura (percentil 50) utilizando como referencial o NCHS 77/8 - gênero masculino

1. Tabela de peso e estatura (percentil 50) utilizando como referencial o NCHS 77/8 - gênero masculino 1 1. Tabela de peso e estatura (percentil 50) utilizando como referencial o NCHS 77/8 - gênero masculino Anos Mês Estatura Peso Anos Mês Estatura Peso Anos Mês Estatura Peso Anos Mês Estatura Peso 0,0

Leia mais

Avaliação Nutricional Em Funcionários De Uma Unidade De Alimentação E Nutrição. Nutritional Evaluation In Employees Of A Food And Nutrition Unit

Avaliação Nutricional Em Funcionários De Uma Unidade De Alimentação E Nutrição. Nutritional Evaluation In Employees Of A Food And Nutrition Unit 51 Avaliação Nutricional Em Funcionários De Uma Unidade De Alimentação E Nutrição Nutritional Evaluation In Employees Of A Food And Nutrition Unit Fernanda de Almeida Escobar Palavras-chaves: Avaliação

Leia mais

Aspectos Nutricionais em Trabalhadores de uma Empresa de Tecnologia da Informação

Aspectos Nutricionais em Trabalhadores de uma Empresa de Tecnologia da Informação Capítulo 11 Aspectos Nutricionais em Trabalhadores de uma Empresa de Tecnologia da Informação Solange Aparecida Faggion Nutricionista, Mestre e m En f e r m a g e m Un i v e r s i d a d e Es ta d u a l

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES INTERNADOS EM UM HOSPITAL DE LONDRINA-PARANÁ

PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES INTERNADOS EM UM HOSPITAL DE LONDRINA-PARANÁ PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES INTERNADOS EM UM HOSPITAL DE LONDRINA-PARANÁ SCHUINDT, P. S; ANDRADE, A. H. G. RESUMO A grande incidência de desnutrição hospitalar enfatiza a necessidade de estudos sobre

Leia mais

EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS FREQÜENTADORAS DA CLÍNICA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE (CEPS)

EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS FREQÜENTADORAS DA CLÍNICA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE (CEPS) EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS FREQÜENTADORAS DA CLÍNICA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE (CEPS) GRAZIELA MARIA GORLA CAMPIOLO DOS SANTOS 1 LUCIEVELYN MARRONE¹ LUISA DE ALBUQUERQUE PHILIPPSEN 2 LARA RIBEIRO

Leia mais

Autor: Francisco das Chagas Cavalcante da Rocha Orientador: prof. MSc. David Marcos Emérito de Araújo

Autor: Francisco das Chagas Cavalcante da Rocha Orientador: prof. MSc. David Marcos Emérito de Araújo 1 Análise da Relação Cintura/Quadril e Índice de Massa Corporal em professores praticantes de futebol da Associação de Docentes da Universidade Federal do Piauí - ADUFPI como meio de predição para o risco

Leia mais

Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil. Maria Rita Marques de Oliveira

Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil. Maria Rita Marques de Oliveira Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil Maria Rita Marques de Oliveira 1- MEIO AMBIENTE E PRODUÇÃO DE ALIMENTOS 2- ACESSO AOS ALIMENTOS 3- ALIMENTO SEGURO 4- PREVENÇÃO E CONTROLE

Leia mais

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas Ministério da Saúde Abril de 2014 VIGITEL 2014 Medir a prevalência de fatores de risco e proteção para doenças não transmissíveis na população brasileira Subsidiar ações de promoção da saúde e prevenção

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 6CCSDEFPLIC02 CORRELAÇÃO ENTRE OBESIDADE ABDOMINAL IMC E RISCO CARDIOVASCULAR Lizianny Leite Damascena (1), Nelson Pereira Neto (2), Valter Azevedo Pereira (3) Centro de Ciências da Saúde/ Departamento

Leia mais

AVALIAÇÃO LONGITUDINAL DO ESTADO NUTRICIONAL DE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA-RS 1

AVALIAÇÃO LONGITUDINAL DO ESTADO NUTRICIONAL DE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA-RS 1 AVALIAÇÃO LONGITUDINAL DO ESTADO NUTRICIONAL DE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA-RS 1 SOUZA, Juliana Gusman de 2 ; FLORES, Priscila 2 ; PASETTO, Luciane Zamberlan 3 ; STORCK, Cátia Regina 2 ; WINTER,

Leia mais

CONSUMO ALIMENTAR E ATIVIDADE FÍSICA DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DE SAÚDE

CONSUMO ALIMENTAR E ATIVIDADE FÍSICA DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DE SAÚDE 41 Recebido em 11/2011. Aceito para publicação em 05/2012. CONSUMO ALIMENTAR E ATIVIDADE FÍSICA DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DE SAÚDE FOOD CONSUMPTION AND PHYSICAL ACTIVITIES OF COLLEGE STUDENTS

Leia mais

A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL?

A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL? ISBN 78-8-6101-0-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 7 a 30 de outubro de 00 A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL? Crislayne Teodoro Vasques 1 ; Rita de Cassia Felix

Leia mais

Prescrição Dietética

Prescrição Dietética Prescrição Dietética Quantitativo Cálculo de Dietas Cálculo de dietas estimar as necessidades energéticas de um indivíduo (atividade física, estágio da vida e composição corporal) Necessidades energéticas

Leia mais

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DE ADULTOS E IDOSOS EM UMA UBS DE APUCARANA-PR

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DE ADULTOS E IDOSOS EM UMA UBS DE APUCARANA-PR PERFIL ANTROPOMÉTRICO DE ADULTOS E IDOSOS EM UMA UBS DE APUCARANA-PR Resumo Lourival, N B S Fernandes, L S; A Educação nutricional ocorre devido ações educativas com a finalidade de um maior conhecimento

Leia mais

Questionário: Risco de ter diabetes

Questionário: Risco de ter diabetes Questionário: Risco de ter diabetes ATENÇÃO! Este questionário não deve ser aplicado a gestantes e pessoas menores de 18 anos. Preencha o formulário abaixo. Idade: anos Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino

Leia mais

Anamnese Clínica. Dados pessoais. Geral. Patologias. Nome: Modelo Masculino. Sexo: Masculino. Idade: 32 anos Avaliador: André Almeida

Anamnese Clínica. Dados pessoais. Geral. Patologias. Nome: Modelo Masculino. Sexo: Masculino. Idade: 32 anos Avaliador: André Almeida Nome: Modelo Masculino Idade: 32 anos Avaliador: André Almeida Sexo: Masculino Data da Avaliação: 23/07/2010 Hora: 16:11:09 Anamnese Clínica Dados pessoais Nome: Modelo Masculino Data de Nascimento: 23/12/1977

Leia mais

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores que contribui efetivamente para uma melhor qualidade de vida do indivíduo.

Leia mais

OBESIDADE. Prof. Marta E. Malavassi

OBESIDADE. Prof. Marta E. Malavassi Prof. Marta E. Malavassi SOBREPESO E OBESIDADE DIAGNÓSTICO A combinação de massa corporal e distribuição de gordura é, provavelmente, a melhor opção o diagnóstico do sobrepeso e obesidade. Mais recentemente,

Leia mais

Avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador na Região Metropolitana do Recife (1976-2013) Tema 4: Segurança Alimentar e Nutricional

Avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador na Região Metropolitana do Recife (1976-2013) Tema 4: Segurança Alimentar e Nutricional CHAMADA MCTI-CNPq/MDS-SAGI Nº 24/2013 DESENVOLVIMENTO SOCIAL Avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador na Região Metropolitana do Recife (1976-2013) Tema 4: Segurança Alimentar e Nutricional

Leia mais

Relação entre o nível de atividade e aptidão física e o desenvolvimento de doenças e agravos não transmissíveis

Relação entre o nível de atividade e aptidão física e o desenvolvimento de doenças e agravos não transmissíveis Relação entre o nível de atividade e aptidão física e o desenvolvimento de doenças e agravos não transmissíveis Relatório do projeto de pesquisa Promoção de modos saudáveis de vida em adultos e idosos

Leia mais

AVALIAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA: UMA ABORDAGEM DA EDUCAÇÃO FÍSICA ATRAVÉS DAS INTERVENÇÕES DO PIBID/UEPB.

AVALIAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA: UMA ABORDAGEM DA EDUCAÇÃO FÍSICA ATRAVÉS DAS INTERVENÇÕES DO PIBID/UEPB. AVALIAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA: UMA ABORDAGEM DA EDUCAÇÃO FÍSICA ATRAVÉS DAS INTERVENÇÕES DO PIBID/UEPB. Lucas Ferreira da Silva¹; Karolyne de Fátima Nunes da Silva²; Mikaely Araújo Barros³; Jozilma de Medeiros

Leia mais

American Dietetic Association

American Dietetic Association É um método sistemático para resolução de problemas que os profissionais de nutrição empregam para pensar de modo crítico e tomar decisões para resolver problemas nutricionais e prestar assistência nutricional

Leia mais

TRABALHADORES DE SAÚDE DE UM MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO SUL

TRABALHADORES DE SAÚDE DE UM MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO SUL AVALIAÇÃO DA SÍNDROME S DE BURNOUT EM TRABALHADORES DE SAÚDE DE UM MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO SUL AUTORES: KALINE LÍGIA F. CAUDURO VICTOR N. FONTANIVE PAULO V. N. FONTANIVE INTRODUÇÃO A saúde do trabalhador

Leia mais

Perfil antropométrico e fisiológico de jogadores de rugby.

Perfil antropométrico e fisiológico de jogadores de rugby. 496 Perfil antropométrico e fisiológico de jogadores de rugby. X Salão de Iniciação Científica PUCRS Randhall Bruce Kreismann Carteri 1, Eraldo Pinheiro 2, Giovani Cunha 1, Katiuce Zapata 1, Jocelito Martins

Leia mais

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Evolução dos Fatores de Risco para Doenças Crônicas e da prevalência do Diabete Melito e Hipertensão Arterial na população brasileira: Resultados do VIGITEL 2006-2009 Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista A Enfermagem e o Serviço de Nutrição e Dietética tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista 1 A enfermagem e o Serviço

Leia mais

PREVALÊNCIA DE EXCESSO DE PESO EM IDOSOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL/PR

PREVALÊNCIA DE EXCESSO DE PESO EM IDOSOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL/PR 1 PREVALÊNCIA DE EXCESSO DE PESO EM IDOSOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL/PR VOLKMANN, Valdineis P. 1 RUIZ, Fabiana S. 2 RESUMO O excesso de peso é considerado

Leia mais

ANÁLISE DO PROGNÓSTICO DE PACIENTES INFECTADOS COM HIV DE LONDRINA/PR E REGIÃO DE ACORDO COM PERFIL NUTRICIONAL

ANÁLISE DO PROGNÓSTICO DE PACIENTES INFECTADOS COM HIV DE LONDRINA/PR E REGIÃO DE ACORDO COM PERFIL NUTRICIONAL ANÁLISE DO PROGNÓSTICO DE PACIENTES INFECTADOS COM HIV DE LONDRINA/PR E REGIÃO DE ACORDO COM PERFIL NUTRICIONAL 1 INTRODUÇÃO LUCIEVELYN MARRONE 1 ALINE GONÇALVES DE SANTA 2 CAMILA DE SOUZA PINTO MARIOTO

Leia mais

Perfil nutricional de crianças de 6 a 10 anos de idade das escolas municipais na cidade de Picos/PI.

Perfil nutricional de crianças de 6 a 10 anos de idade das escolas municipais na cidade de Picos/PI. Perfil nutricional de crianças de 6 a 10 anos de idade das escolas municipais na cidade de Picos/PI. Professor Assistente da Universidade Federal do Piauí Gilvo de Farias Júnior Nutricionistas: Francilany

Leia mais

ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ

ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ ALVES,K.L.; MARIN,T. Resumo: Alimentação saudável é

Leia mais

ÍNDICE DE SOBREPESO E OBESIDADE EM IDOSOS DE GRUPOS ESPECIAIS: PACIENTES DO CENTRO DE SAÚDE Nº 01 DE TAGUATINGA DF

ÍNDICE DE SOBREPESO E OBESIDADE EM IDOSOS DE GRUPOS ESPECIAIS: PACIENTES DO CENTRO DE SAÚDE Nº 01 DE TAGUATINGA DF Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso ÍNDICE DE SOBREPESO E OBESIDADE EM IDOSOS DE GRUPOS ESPECIAIS: PACIENTES DO CENTRO DE SAÚDE Nº 01 DE TAGUATINGA DF Autor:

Leia mais

Esse tema foi abordado com o objetivo de despertar o interesse pela

Esse tema foi abordado com o objetivo de despertar o interesse pela 10 A Atividade Física e o Controle do Peso Corporal Denis Marcelo Modeneze Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde na UNICAMP Esse tema foi abordado com o objetivo de despertar

Leia mais

Antropometria. Antropometria. Conceito: Anthro = corpo; Metria = medida Medidas das variações nas dimensões físicas corporais

Antropometria. Antropometria. Conceito: Anthro = corpo; Metria = medida Medidas das variações nas dimensões físicas corporais Antropometria Prof. Me. Natanael Moura natanael.ftc@gmail.com Antropometria Conceito: Anthro = corpo; Metria = medida Medidas das variações nas dimensões físicas corporais Indicadores antropométricos:

Leia mais

Programa Slim. Emagrecimento SLIM FORM. 2 a Etapa Diagnóstico. 3 a Etapa Tratamento. 1 a Etapa Avaliação

Programa Slim. Emagrecimento SLIM FORM. 2 a Etapa Diagnóstico. 3 a Etapa Tratamento. 1 a Etapa Avaliação for Kids Programa Slim for Kids Programa voltado para escolas, alunos e pais visando a melhora na alimentação, controle da obesidade, saúde e qualidade de vida. Formada por uma equipe multidisciplinar

Leia mais

ANTROPOMETRIA MEDIDAS ANTROPOMÉTRICAS PESO CORPORAL (EM KG):

ANTROPOMETRIA MEDIDAS ANTROPOMÉTRICAS PESO CORPORAL (EM KG): ANTROPOMETRIA O método mais utilizado para avaliação da composição corporal é a Antropometria, devido à sua facilidade de aplicação, tanto no laboratório como no campo, na área clínica e em estudos populacionais.

Leia mais

Mostra de Projetos 2011

Mostra de Projetos 2011 Mostra de Projetos 2011 Educação nutricional para melhoria do estado nutricional e consumo alimentar de escolares freqüentadores da rede municipal de Cambé PR Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto:

Leia mais