Depressão pós-parto. Priscilla de Cássia Lopes Higuti Aluna do Curso de Graduação em Enfermagem.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Depressão pós-parto. Priscilla de Cássia Lopes Higuti Aluna do Curso de Graduação em Enfermagem."

Transcrição

1 Depressão pós-parto Priscilla de Cássia Lopes Higuti Aluna do Curso de Graduação em Enfermagem. Pollyana Oliveira Capocci Docente do Curso de Graduação em Enfermagem. Orientadora. RESUMO A Depressão pós-parto, apresenta uma alta prevalência, que afeta aproximadamente 10% à 15% das puérperas no período de pós-parto. Este artigo teve como objetivo revisar a literatura sobre depressão pós-parto. Há hipóteses de que a causa etiológica esteja relacionada às alterações hormonais. Os fatores de riscos geralmente estão relacionados às questões biológicas, sociais ou psicossociais. Os sintomas apresentam semelhanças aos das depressões que ocorrem em outras etapas da vida. O diagnóstico vem sendo realizado através da escala de auto-avaliação, apresentado-se eficaz. O tratamento é feito com antidepressivos e psicoterapia, tendo um cuidado especial em relação ao tratamento. Descritores: Depressão pós-parto; Transtornos mentais; Enfermagem psiquiátrica. Higuti PCP, Capocci PO. Depressão pós-parto. INTRODUÇÃO O período puerperal é uma fase de grande importância e que exige cuidados especiais à mulher. É marcado pela experiência de gerar, parir, cuidar e por varias alterações físicas e emocionais. Esta é uma fase que exige grande capacidade de adaptação da mulher, e requer atenção e acompanhamento contínuo da família e dos profissionais da saúde. O puerpério é definido como o período que vai da dequitação à volta do organismo materno às condições prégravídicas. Este processo tem duração de aproximadamente de 6 a 8 semanas. Esse período está dividido em três fases: a- Imediato (1 ao 10 dia após o parto) b- Tardio (11 ao 45 dia) c- Remoto ( a partir do 46 dia) (1). Essas fases são marcadas por um período rico e intenso de vivências emocionais para a puérpera. As transformações do corpo, as mudanças hormonais, a adaptação ao bebê, a amamentação, a nova vida, as noites mal dormidas, a carência afetiva, uma menor atenção à mãe e um menor apoio familiar e social nesse período de adaptação e de grandes exigências e todas as outras modificações, tornam a mulher mais vulnerável a desencadear um transtorno mental. Os transtornos mentais no pós-parto incluem a Depressão pós-parto (DPP), que podem ser iniciados ou precipitados pelo parto e diferem entre si principalmente pelo grau de severidade. Estão divididos em: Tristeza pósparto, psicose pós-parto e depressão pós-parto (2). A tristeza pós-parto, são alterações transitórias e autolimitadas do estado mental materno no puerpério imediato e ocorrem durante os dez primeiros dias de pós parto. Os sentimentos mais freqüentes, são: choro fácil, irritabilidade, flutuações do humor, tristeza, fadiga, dificuldade de concentração, insônia e ansiedade (3). Estudos mostram que esse quadro é considerado normal e essencial para alívio da ansiedade após o parto, apresentando-se de uma forma leve e de prognóstico benigno (2,3).A psicose pós-parto, é considerados o mais grave e dramático transtorno psiquiátrico do pós-parto, ocorre em cerca de um a dois partos a cada mil partos. Tem início nas três primeiras semanas de puerpério. A sintomatologia é inicialmente aguda, ocorrendo além do quadro depressivo, crises psicóticas (4). Já a Depressão pós-parto (DPP), é caracterizada por 46

2 apresentar quadros depressivos não psicóticos e que muitas vezes por terem o início menos agressivo, podem não ser reconhecidos e até ser ignorado pelos profissionais da saúde. Como citam diversos autores, tem uma alta incidência, afetando de 10% á 15% das mulheres em geral (2,5,6). Em estudos realizados, essa taxa de incidência varia entre 8,4% a 23,3% e através de investigações clínicas, retrospectivas e perspectivas demonstram que mais de 10% das mulheres apresentarão um episódio depressivo maior no ano subseqüente ao parto (5). Trata-se então, de um quadro depressivo com uma alta incidência e que pode trazer conseqüências tanto para as mães como para as crianças. Muitos países, já reconheceram a Depressão pós-parto, como um importante problema que afeta a população feminina e como uma forma de intervenção, foram criadas organizações que esclarecem e orientam as mulheres sobre essa doença, assim como serviços telefônicos são disponibilizados e grupos de ajuda mútua, voltados as puérperas afetadas pela DPP (6). Sabemos que os cuidados e atenção as puérperas devem ser adequados por parte dos profissionais de saúde para então promover uma melhor e mais precoce identificação e intervenção para o tratamento. Para tanto é necessário conhecermos a patologia, uma vez que estamos lidando com um quadro depressivo de alta prevalência, onde se tem pouca literatura em português, principalmente da Enfermagem, além das divergências encontradas entre os autores e das poucas confirmações científica sobre os fatores relacionados a essa patologia. Por conta disso, viu-se a necessidade em estar aprofundando o estudo sobre a depressão pós-parto nesse artigo, através de uma revisão bibliográfica. OBJETIVO Descrever o conceito, a etiologia, fatores de risco, sintomatologia, diagnóstico e tratamento da depressão pósparto. METODOLOGIA Tratou-se de uma revisão bibliográfica, onde inicialmente foi realizada uma leitura preliminar utilizando alguns livros e artigos tanto de Enfermagem Obstétrica e ginecológica quanto de psiquiatria. Posteriormente, foi realizada uma busca eletrônica nas bases de dados BDENF, LILACS e MEDLINE, utilizando como palavras-chaves depressão pós-parto, transtornos mentais na gravidez e psiquiatria, no período de 1998 á Foram encontrados 47 artigos no LILACS, 2 artigos na BDENF e 121artigos no MEDLINE. Os artigos que continham a palavra chave Depressão pós-parto ou puerperal no tema e que estavam dentro do período determinado foram selecionados, resultando em um total de 5 artigos em português e 2 em inglês, utilizados para o desenvolvimento do tema. Após a leitura e reflexão dos artigos escolhidos, os resultados e a discussão foram subdivididos em categorias como: conceito, etiologia, fatores de risco, sintomatologia, diagnóstico e tratamento. RESULTADOS E DISCUSSÃO Conceito de Depressão pós-parto A depressão pós-parto é identificada na literatura desde Hipócrates, onde notou-se uma associação entre o período de pós- parto e o transtorno do humor (7). O conceito da DPP também é entendido como uma depressão atípica que apresenta como características a proeminência de sintomas neuróticos, como a ansiedade, a irritabilidade que muitas vezes encobrem a depressão e também a presença de algumas características e sintomas opostos ao da Depressão clássica, como a piora ao fim do dia e a insônia inicial que acomete principalmente as puérperas jovens ou de personalidade imatura (2). A DPP para alguns autores é conceituada como um transtorno depressivo maior que contem no mínimo a presença de 5 sintomas da depressão maior (7,11,12). A descrição conceitual utilizada pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos mentais -DSM-IV, a depressão pós-parto encontra-se dentro da classificação Transtorno do humor caracterizado por um transtorno depressivo com início no pós-parto e está descrita como uma depressão iniciada dentro de 4 semanas após o parto (8). Já na Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID 10, a DPP encontra-se dentro das categorias selecionadas na classificação de Transtornos mentais e de comportamentos associados ao puerpério (F53), com início dentro de 6 semanas após o parto (9). Essa categoria só pode ser usada quando for inevitável ou quando não conter informações suficientes que se enquadram em outras categorias. O conceito da DPP é citado também como um episódio depressivo não psicótico que instala-se nos primeiros meses após o parto, apresenta um quadro de intensidade variável, tendo na maioria das vezes sintomas mais brandos e moderados (6). Em outro estudo o conceito mostra-se como um distúrbio do humor de grau moderado a severo, clinicamente identificado ao Episódio Depressivo (10). Como foi visto até o momento, há diferentes formas de conceituar-se a Depressão pós-parto, que de uma forma geral é vista como um quadro depressivo, com um alto índice de prevalência que afeta as puérperas no período de pósparto, podendo apresentar-se com intensidade leve, moderada e até severa. Os sintomas iniciam-se aproximadamente na quarta á sexta semana de pós-parto podendo intensificar-se e trazer conseqüências prejudiciais à mãe e ao bebê, principalmente no fortalecimento do vínculo entre eles e no desenvolvimento do bebê. Etiologia A causa etiológica mais provável da DPP, citada por grande parte dos autores estão relacionadas as variações hormonais, pois há indícios que as alterações principalmente de hormônios tireoidianos, progesterona, cortizol e estrógenos, 47

3 podem estar relacionados com a depressão pós-parto (2,5,11,12). Os achados mais consistentes mostram que cerca de 4% das mães apresentam alteração de humor leve associada a uma disfunção tireoidiana nos primeiros oito meses após o parto e 1% apresentam episódio depressivo maior (2). Porém para outro estudo, parece não haver evidências diretas que os desequilíbrios hormonais possam causar a Depressão pós-parto, entretanto as mudanças biológicas que antecedem o parto podem levar a depressão, dependendo da vulnerabilidade genética, estresses psicossociais ou do suporte social insuficiente (7). Podemos perceber então, que o período de pós-parto está acompanhado de muitas alterações de caráter psicossociais e neuroendócrinas e que a interação desses fatores provavelmente seja o responsável por desencadear a DPP. Portanto a etiologia da DPP ainda não está bem estabelecida, unicamente por não se poder comprovar qual é a sua causa real. Fatores de risco São muitos os fatores de riscos que envolvem a DPP. Estão centrados principalmente dentro de um contexto multifatorial, que envolvem fatores biológicos, questões de heriditariedade, relacionamentos, estresses, apoio social e outros. Os fatores de risco mais citados são: mulheres com episódios passados de DPP pós-parto, vida cheia de acontecimentos estressantes, episódios passados de depressão, história de distúrbio do humor na família, ausência de apoio social em geral do pai da criança, humor deprimido durante a gravidez, ansiedade, relacionamento conjugal insatisfatório, apoio social insuficiente, depressão durante a gravidez, mau relacionamento com a mãe, falta de um confidente, condições psicossociais desfavoráveis, história familiar de DPP, gravidez não desejada, gravidez na adolescência, mães solteiras, pobreza relativa, dificuldade financeira, dificuldade profissional, amamentação, número de filhos, paridade, dificuldades obstétricas, o tipo de parto, síndromes de alterações mentais maternas transitórias e auto-limitadas que ocorrem durante o início do puerpério com sintomas semelhantes ao da DPP ( tristeza pós- parto). Reforçando alguns fatores de risco, estudo mostra que mulheres que possuem história familiar ou pessoal de depressão e que tenham tido episódios prévios da doença possuem o risco de 50% se recorrências nas próximas gestações, e cerca de 30% das pacientes com depressão prévia a concepção desenvolverão o distúrbio (11). Já outro estudo afirma que as mulheres com história de DPP teriam um risco de 41% de depressão em um futuro pós-parto (2). No entanto, há divergências entre estudos em relação aos fatores de risco. Fatores como a amamentação e as variáveis obstétricas, (tipo de parto, idade da gestação, peso do recém-nascido) (12) ou fatores como a idade da mãe, estado civil, escolaridade, o número de filhos, paridade, emprego durante a gravidez,e história familiar parece não ter relevância na contribuição da DPP (2). Como podemos ver, são muitos os fatores de risco que estão relacionados a DPP, talvez seja por conta disso que não haja uma unanimidade entre os autores. Podemos notar também que dentre os tipos de fatores de risco apresentados: psicossociais, biológicos e sociais. Há uma tendência maior relacionado ás questões psicossociais, devido ás emoções vivenciadas na maternidade. Sintomatologia Os sintomas mais comuns citados, são: humor deprimido, sentimentos de inadequação familiar e social, alterações do apetite e do sono, concentração prejudicada, falta de interesse ou de prazer em realizar suas atividades diárias, perda de peso e de energia, agitação ou letargia, sentimento de desvalia ou de culpa sem causa, fadiga, labilidade do humor, cansaço, sintomas hipocondríacos e pensamento de morte ou suicídio. É importante ressaltar que a preocupação obsessiva da mãe em relação ao bebê, a resposta totalmente ansiosa ao choro do bebê e o medo irreal de machuca-lo, podem ser sintomas da depressão (12). Relata-se também, que os sintomas são os mesmos da depressão maior, essencialmente o humor deprimido, a alteração do apetite, a alteração do sono, o sentimento de desvalia e a irritabilidade além do normal (11). A sintomatologia também é caracterizada como sendo a mesma da depressão atípica, ou seja, a ansiedade, a irritabilidade no fim do dia e a insônia inicial, evidenciando o fato desses sintomas serem semelhantes aos das depressões que não tem relações com o parto (2). Como podemos ver, há uma certa unanimidade entre os autores em estarem descrevendo a sintomatologia da DPP, embora alguns sintomas sejam mais priorizados que outros, justamente pelas diferentes linhas conceituais da doença seguidas pelos autores. Observamos também que a dificuldade em estar descrevendo os sintomas, pode estar relacionada á semelhança encontrada entre os sintomas da DPP e da depressão sem relação com o pós-parto. Diagnóstico A DPP não é difícil de ser diagnosticada, porém muitas vezes não é detectada pela equipe de enfermagem ou pelo obstetra em um primeiro momento, por conta dos sintomas iniciais poderem ser confundidos com o período de ajustamento emocional pós-parto da puérpera denominada tristeza pós-parto. No entanto um bom vínculo entre o profissional e a puérpera tende a favorecer ao diagnóstico precoce (2). Muitas vezes, o diagnóstico pode ser feito através dos indícios apresentados pela puérpera, como: os sintomas de exaustão e de irritabilidade da mãe são considerados normais na fase de adaptação entre a mãe e o bebê, mas se esses sintomas se estendem por um período posterior a essa fase pode indicar um diagnóstico de depressão pós-parto (5). Com o intuito de facilitar o diagnóstico e a detecção da DPP, foi construído um instrumento denominado Ediburgh Post-Natal Depression Escale, que foi traduzida e validada no Brasil, como Escala de auto-avaliação de Depressão pósparto, um instrumento de extrema importância e de grande 48

4 contribuição que está sendo muito útil em estudos epidemiológicos, encaminhamentos, em testes de hipóteses relacionadas á depressão após o parto e principalmente em servir de apoio as intervenções (13). Essa escala é de fácil aplicação e de simples interpretação, é formada por um questionário que contém dez perguntas e que abordam basicamente questões emocionais da puérpera. O diagnóstico surge com a pontuação atingida pelas respostas dadas.no estudo realizado no Brasil em uma rede hospitalar, foram apuradas e entrevistadas 69 mulheres, obtendo uma prevalência de 13,45%de mulheres com provável diagnóstico de depressão pós-parto (13). Com isso podemos perceber é muito importante estar conhecendo a DPP para estar diagnosticando-a o mais rápido possível. Embora não haja mais estudos no Brasil sobre a escala de auto-avaliação, a validação dessa escala vem contribuindo bastante para a detecção da doença e o diagnóstico precoce favorecendo também a detecção da DPP em mulheres que tem receio em estar verbalizando seus sentimentos, podendo expressa-los através dessa escala. Tratamento O tratamento da depressão pós-parto geralmente são estabelecidos conforme a gravidade do quadro depressivo apresentado. Esse tratamento é baseado no mesmo instituído para a depressão que não está relacionada com o pós-parto, podendo ser utilizado a psicoterapia e/ou a farmacoterapia e em caso de suicídio ou infanticídio a eletroconvulsoterapia (2,5). Para a maioria dos autores, os medicamentos mais eficazes e utilizados no tratamento da DPP, são os inibidores seletivos da recaptação da serotonina SSRI (fluoxitina, paroxitina, sertralina) e os antidepressivos tricíclicos ( nortriptilina e desipramina) (2,7,11,12). Estudos realizados mostram que os medicamentos de primeira escolha são os SSRI, pois os antidepressivos triciclicos não são bem tolerados pelas puérperas, devidos seus efeitos colaterais, como: sedação, ganho de peso, hipotensão, ortostática e constipação (5). Outro estudo complementa, ressaltando que os SSRI, são os medicamentos mais escolhidos, pois seus componentes tem um baixo risco tóxico e é de fácil administração (12). Porém, a principal preocupação na utilização desses fármacos estão relacionados á amamentação. As mulheres que estiverem amamentando devem ser orientadas pelos profissionais de saúde que todos os antidepressivos são secretados no leite em concentrações variadas, e não se sabe ao certo qual é a medicação mais segura, embora haja algumas informações que precisam ser confirmadas (12). Através de estudos realizados, a estimativa é que a criança recebe menos de 1% da droga que a mãe recebe, e além disso não há sinais de efeitos farmacológicos em criança (2). Em um outro estudo realizado, o autor cita que a fluoxetina, antidepressivo da SSRI vem sendo associado com ocasionais crises de choro, distúrbios de sono e vômitos em crianças 13. Porém, contrapondo essa citação um outro estudo mostra que os SSRI podem ser utilizados, pois não há casos confirmados de efeitos adversos causados por nenhum dos componentes da droga (12). Como podemos ver não há uma unanimidade entre os autores em relação ao tratamento farmacológico, é necessário que mais estudos sejam realizados e que tragam ao certo quais são os malefícios das drogas utilizadas, principalmente em relação ao tratamento prolongado no desenvolvimento da criança. Em relação ao tratamento psicoterápico, estudos relatam que são altamente eficazes. A grande importância está em atender as necessidades emocionais da puépera, para que a mesma possa verbalizar seu sentimento. È importante também conscientizar os familiares e informa-los sobre a doença a fim de que estes possam entender e ajudar a puérpera (2). CONSIDERAÇÕES FINAIS A depressão pós-parto pode ser considerada, um quadro depressivo que acomete aproximadamente de 10% á 15% das puérperas. Embora haja pesquisas sobre esse tema, há ainda muitas indagações aos fatores que envolvem essa doença. Dentro de um contexto multifatorial, notamos que as questões que contribuem para o desenvolvimento da doença são essencialmente psicossociais, embora haja a presença também de fatores biológicos e sociais. Acreditase que a causa etiológica, ou seja, que desencadeia a doença, estejam relacionados com as variações hormonais que ocorrem nesse período, embora não haja nenhuma comprovação. A dificuldade da detecção precoce está relacionada á semelhança existente entre os primeiros sintomas da DPP e do período de ajustamento emocional após o parto, que podem ser confundidos pelos profissionais de saúde, a falta de um vínculo dos profissionais com a puérpera também contribuem para essa dificuldade. A Escala de auto-avaliação, embora ainda seja pouco estudada, vêm trazendo uma grande contribuição para a detecção e o diagnóstico precoce da DPP, além de possibilitar que as puérpera mais receosas possam transcrever os seus sentimentos. A terapêutica realizada para a DPP é basicamente a mesma utilizada na depressão que não tem relação com o pós-parto, sendo feita através de antidepressivos e psicoterapias. A grande preocupação encontra-se relacionada ao uso de antidepressivos e a amamentação, pois não há uma confirmação que estabelece qual é o melhor antidepressivo a ser utilizado. Em relação aos dados bibliográficos encontrados, percebemos a falta do aprofundamento científico dessa temática, principalmente em artigos em português e da Enfermagem. A Enfermagem dentro de seus âmbitos profissionais, poderia estar contribuindo muito para a prevenção, orientação, e detecção precoce da DPP, refletindo sobre a qualidade prestada a mulher no período gravídico e pósparto. Os únicos relatos encontrados, mostram que as Enfermeiras que atuam na maternidade, estão com a atenção 49

5 mais voltadas aos recém- nascidos do que para as puérperas (14). Portanto dentro do contexto da depressão pós-parto, vê-se a necessidade de que novos estudos sejam realizados abordando essa temática e o papel da Enfermagem. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. Barros SMO, Marin H de F, Abrao ACFV. Enfermagem obstétrica e ginecológica: guia para a prática assistencial. São Paulo: ROCA; Rocha FL. Depressão puerperal: revisão e atualização. J bras Psiq 1999; 48(3): Rodhe LAP, Souza ALW, Zomer A, Carbone F, Shansis F, Martins S, Tramontina S. Síndrome de tristeza pósparto. Rev AMRIGS 1996; 40(2): Silva AA, Polanczyk AS, Millan T. Psicose puerperal: uma revisão. Rev Cient AMECS 2002; 9(2): Lopez JRRA, Pedalini R. Depressão pós-parto: revisão epidemiológica, diagnóstica e terapêutica. Inf Psiquiatr 1999; 18(4): Silva EM, Sougney EB, Carvalho TFR, Bandim JM. Depressão no pós-parto: aspectos clínicos e epidemiológicos. Neurobiol 1998; 61(4): Miller LJ. Postpartum depression. JAMA 2002; 287(6): Kaplan HI, Sadock BJ. Manual de psiquiatria clínica: DSM-IV. Porto Alegre: ARTMED; Caetano D. Classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID-10: descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. Porto Alegre: Artes Médicas; Ballone GJ, Chaves PHA. Sinopse de psiquiatria: diagnóstico e tratamento. Rio de Janeiro: Cultura Médica; Wisner KL, Parry BL, Piontek CM. Postpartum depression. N Engl J Med 2002; 347(3): Wender COM, Magno VA, Marc C, MAanfroi A. Depressão puerperal: atualização. Femina 2002; 30(7): Santos MFS, Martins FC, Pasquali L. Escala de autoavaliação de depressão pós- parto: estudo no Brasil. Rev Enferm UERJ 1998; 6(1): Luis MAV, Oliveira ER. Transtornos mentais na gravidez, parto e puerpério, na região de Ribeirão Preto, SP, Brasil. Rev Esc Enf USP 1998; 32(4):

UM OLHAR SOBRE A DEPRESSÃO PÓS-PARTO 1

UM OLHAR SOBRE A DEPRESSÃO PÓS-PARTO 1 UM OLHAR SOBRE A DEPRESSÃO PÓS-PARTO 1 MIOLA, Maria Medianeira Silveira Gomes 2 ; MACHADO, Letícia Martins 3 ; SILVA, Amarilis Pagel 3 ; SILVA, Fabiana Porto 3 ; MORISSO, Tayane dos Santos 3 ; KIISTER,

Leia mais

Transtornos Mentais na Gravidez e Puerpério

Transtornos Mentais na Gravidez e Puerpério Seja Bem Vindo! Transtornos Mentais na Gravidez e Puerpério Ana Carolina S. Oliveira Psicóloga Esp. Dependência Química CRP 06/99198 Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense Psiquiatra ProMulher IPq-HC-FMUSP

Leia mais

ORIENTAÇÃO NA GESTAÇÃO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO

ORIENTAÇÃO NA GESTAÇÃO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO ORIENTAÇÃO NA GESTAÇÃO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO Ana Paula Fernandes de Lima Juliana Bianchi Neida Garcia Marizete Pollnow Rodrigues Cláudia Galvão Mazoni RESUMO Pesquisas

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

DEPRESSÃO - Segundo a Classificação Internacional das Doenças (CID) 10ª revisão

DEPRESSÃO - Segundo a Classificação Internacional das Doenças (CID) 10ª revisão DEPRESSÃO - Segundo a Classificação Internacional das Doenças (CID) 10ª revisão - F32 Episódios depressivos Nos episódios típicos de cada um dos três graus de depressão: leve, moderado ou grave, o paciente

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS Marina Aparecida Luiz de Freitas 1 ; Sandra Cristina Catelan-Mainardes 2 RESUMO: O presente estudo

Leia mais

CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL E PÓS-PARTO: IMPLANTAÇÃO DA ESCALA DE EDIMBURGO

CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL E PÓS-PARTO: IMPLANTAÇÃO DA ESCALA DE EDIMBURGO 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA

SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA ENCONTRO MULHER DE ATITUDE Campanha de Prevenção do Câncer Cérvico C Uterino Março o 2013 Maristela C Sousa - Médica Psiquiatra DVSAM/DACC/SAS/SESA Dados Epidemiológicos

Leia mais

Create PDF with PDF4U. If you wish to remove this line, please click here to purchase the full version

Create PDF with PDF4U. If you wish to remove this line, please click here to purchase the full version O CUIDAR DE ENFERMAGEM A PUERPERA APRESENTANDO DEPRESSÃO PÓS-PARTO HOLANDA, Eliane Rolim de ARAUJO, Tereza Lourença Matias de RIBEIRO, Francica Sanches Tavares SANTOS, Kamila Késsia Gomes dos SILVA, Gerson

Leia mais

OS EFEITOS DOS PRINCIPAIS PSICOFÁRMACOS UTILIZADOS NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO

OS EFEITOS DOS PRINCIPAIS PSICOFÁRMACOS UTILIZADOS NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 OS EFEITOS DOS PRINCIPAIS PSICOFÁRMACOS UTILIZADOS NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO Daniele Dezidério 1 ; Dhuani Claro Ferreira 1 ; Laise Espolador

Leia mais

O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH

O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH Distúrbio Bipolar, também conhecido como mania e depressão, é uma desordem do cérebro que causa mudanças não previstas no estado mental da pessoa,

Leia mais

TATIANE BATISTA PEREIRA

TATIANE BATISTA PEREIRA ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNEMAT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CÁCERES JANE VANINI FACULDADE DE CIÊNCIA E SAÚDE CURSO DE ENFERMAGEM

Leia mais

TEMA: Quetiapina e citalopram para tratamento misto ansioso e depressivo

TEMA: Quetiapina e citalopram para tratamento misto ansioso e depressivo NTRR 41/2013 Solicitante: Juiza Dra.Sabrina da Cunha Peixoto Ladeira Número do processo: 051213001877-7 Réu: Estado de Minas e Município de Pirapora Data: 11/04/2013 Medicamento X Material Procedimento

Leia mais

Transtornos. na Gravidez. ANA BERNARDA LUDERMIR Universidade Federal de Pernambuco Programa Integrado de Pós Graduação em Saúde Coletiva

Transtornos. na Gravidez. ANA BERNARDA LUDERMIR Universidade Federal de Pernambuco Programa Integrado de Pós Graduação em Saúde Coletiva Transtornos Mentais na Gravidez ANA BERNARDA LUDERMIR Universidade Federal de Pernambuco Programa Integrado de Pós Graduação em Saúde Coletiva INTRODUÇÃO Os transtornos mentais são muito freqüentes na

Leia mais

CONCEITO EPISÓDIO MANÍACO 03/02/2014. Episódios depressivos e maníacos. Evolução recorrente. Plena recuperação nas intercrises

CONCEITO EPISÓDIO MANÍACO 03/02/2014. Episódios depressivos e maníacos. Evolução recorrente. Plena recuperação nas intercrises Prof. José Reinaldo do Amaral CONCEITO Episódios depressivos e maníacos Evolução recorrente Plena recuperação nas intercrises 1. Auto-estima inflada ou grandiosidade 2. Insônia 3. Mais falador que o habitual

Leia mais

Depressão pós-parto um guia para mães, familiares e amigos

Depressão pós-parto um guia para mães, familiares e amigos Depressão pós-parto um guia para mães, familiares e amigos Depressão pós-parto O que é? Há três tipos principais de alteração de humor pós-parto: Baby blues, Psicose puerperal e Depressão pós-parto. Baby

Leia mais

AVALIAÇÃO DE OCORRÊNCIA DE DEPRESSÃO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS.

AVALIAÇÃO DE OCORRÊNCIA DE DEPRESSÃO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS. V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 AVALIAÇÃO DE OCORRÊNCIA DE DEPRESSÃO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS. Ângela Mari Rauth 1, Arlinda Jesus Sampaio¹,

Leia mais

Bipolaridade Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial- 2º ano Módulo nº5- Semiologia Psíquica Portefólio de Psicopatologia Ana Carrilho-

Bipolaridade Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial- 2º ano Módulo nº5- Semiologia Psíquica Portefólio de Psicopatologia Ana Carrilho- Bipolaridade Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial- 2º ano Módulo nº5- Semiologia Psíquica Portefólio de Psicopatologia Ana Carrilho- 11ºB Enquadramento Filme Mr.Jones Mr.Jones é um homem

Leia mais

XI ENCONTRO DE ALEITAMENTO MATERNO SANTOS, SÃO PAULO MESA-REDONDA: VINCULO E DEPRESSÃO PÓS-PARTO: APOIO ÀS MÃES E FAMILIARES

XI ENCONTRO DE ALEITAMENTO MATERNO SANTOS, SÃO PAULO MESA-REDONDA: VINCULO E DEPRESSÃO PÓS-PARTO: APOIO ÀS MÃES E FAMILIARES XI ENCONTRO DE ALEITAMENTO MATERNO SANTOS, SÃO PAULO 2010 MESA-REDONDA: VINCULO E DEPRESSÃO PÓS-PARTO: APOIO ÀS MÃES E FAMILIARES SINTOMAS DE DEPRESSÃO PÓS-PARTO E INTERRUPÇÃO PRECOCE DO ALEITAMENTO MATERNO

Leia mais

22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO. MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail.

22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO. MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail. 22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail.com DEPRESSÃO 1. Afeta pelo menos 12% das mulheres e 8% dos homens

Leia mais

CONHECIMENTO DE GESTANTES ACERCA DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO 1

CONHECIMENTO DE GESTANTES ACERCA DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO 1 CONHECIMENTO DE GESTANTES ACERCA DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO 1 RESUMO Khivia Kiss da Silva Barbosa Enfermeira. Mestre em Saúde Pública. Professora da Faculdade Nova Esperança - FACENE e do Centro Universitário

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO PSICO-SÓCIO-DEMOGRÁFICA DA PREVALÊNCIA DE GESTANTES COM SINTOMAS DEPRESSIVOS

CARACTERIZAÇÃO PSICO-SÓCIO-DEMOGRÁFICA DA PREVALÊNCIA DE GESTANTES COM SINTOMAS DEPRESSIVOS ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 CARACTERIZAÇÃO PSICO-SÓCIO-DEMOGRÁFICA DA PREVALÊNCIA DE GESTANTES COM SINTOMAS DEPRESSIVOS Eliane

Leia mais

DEPRESSÃO: UM TRANSTORNO DE HUMOR

DEPRESSÃO: UM TRANSTORNO DE HUMOR DEPRESSÃO: UM TRANSTORNO DE HUMOR Antonia Viviane Rodrigues Moreira 1 Maria Rivonilda Pereira Dos Santos¹ Jamires Laurentino Dos Santos Maryldes Lucena Bezerra De Oliveira² INTRODUÇÃO Depressão é um transtorno

Leia mais

DEPRESSÃO NO ÂMBITO DA. Felicialle Pereira da Silva Nov. 2015

DEPRESSÃO NO ÂMBITO DA. Felicialle Pereira da Silva Nov. 2015 DEPRESSÃO NO ÂMBITO DA SEGURANÇA PÚBLICA Felicialle Pereira da Silva Nov. 2015 Ser humano x Humor VARIAÇÕES : SIM( X) NÃO( ) EXTREMOS: SIM( ) NÃO( X) CONTROLE Sensações normais Saúde mental x doença mental

Leia mais

Psiquiatria para o clínico Dr. André I. Petroucic Filho 07 maio 2014 Introdução Psiquiatria do dia a dia do clínico Pontos importantes sobre as principais doenças psiquiátricas Depressão, Ansiedade, Doença

Leia mais

TRANSTORNOS DO HUMOR. Transtornos do Humor. Humor. Emoção pervasiva e mantida que dá colorido às percepções do mundo.

TRANSTORNOS DO HUMOR. Transtornos do Humor. Humor. Emoção pervasiva e mantida que dá colorido às percepções do mundo. TRANSTORNOS DO HUMOR Prof.ª Otília A. M. Loth Emoção pervasiva e mantida que dá colorido às percepções do mundo. Somatória de emoções e sentimentos que estão presentes na consciência do indivíduo num determinado

Leia mais

Depressão em mulheres

Depressão em mulheres Depressão em mulheres Por que a depressão é maior em mulheres? O que é depressão? A depressão é um distúrbio de alteração do humor sério e por vezes incapacitante. Causa sentimentos de tristeza, desespero,

Leia mais

Estudos sobre a depressão em estudantes de enfermagem

Estudos sobre a depressão em estudantes de enfermagem REVISÃO Estudos sobre a depressão em estudantes de enfermagem Rayssa Frabre Olher Aluna do Curso de Graduação em Enfermagem. Cláudia Polubriaginof Docente do Curso de Graduação em Enfermagem. Orientadora.

Leia mais

TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR: ASPECTOS CONCEITUAIS E A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM

TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR: ASPECTOS CONCEITUAIS E A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR: ASPECTOS CONCEITUAIS E A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM Autor: Maria Alaide Ferreira Orientador: Maryldes Lucena Bezerra de Oliveira Coautor(es): Kelle de Lima Rodrigues, Gleyciane leandro

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO PRIMÁRIA DE SINTOMAS DO TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR E A BUSCA POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS

IDENTIFICAÇÃO PRIMÁRIA DE SINTOMAS DO TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR E A BUSCA POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS IDENTIFICAÇÃO PRIMÁRIA DE SINTOMAS DO TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR E A BUSCA POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS Cayla Aparecida de Sousa 1 ; Cícero Marcelo Félix Junior 1 ; Sandra Cristina Catelan- Mainardes

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA GABINETE DA DEPUTADA LUZIA TOLEDO PROJETO DE LEI Nº 157/2010

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA GABINETE DA DEPUTADA LUZIA TOLEDO PROJETO DE LEI Nº 157/2010 PROJETO DE LEI Nº 157/2010 A semana de conscientização sobre transtornos de aprendizagem, no âmbito do Estado do Espírito Santo. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA: Art. 1º Fica

Leia mais

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP Estudo da forma e função dos Psicofármacos Psicofármacos / Psicotrópicos

Leia mais

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO E- BOOK GRATUITO Olá amigo (a), A depressão é um tema bem complexo, mas que vêm sendo melhor esclarecido à cada dia sobre seu tratamento e alívio. Quase todos os dias novas

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PODER LEGISLATIVO

ESTADO DO TOCANTINS PODER LEGISLATIVO ESTADO DO TOCANTINS PODER LEGISLATIVO PROJETO DE LEI Nº. DE 06 DE NOVEMBRO DE 2008. Dispõe sobre o atendimento psicológico às gestantes em hospitais da rede pública estadual no Tocantins, e dá outras providências.

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (X

Leia mais

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO E- BOOK GRATUITO Olá amigo (a), A depressão é um tema bem complexo, mas que vêm sendo melhor esclarecido à cada dia sobre seu tratamento e alívio. Quase todos os dias novas

Leia mais

Perguntas mais frequentes sobre. transtorno. bipolar do humor. Dra. Sonia Palma

Perguntas mais frequentes sobre. transtorno. bipolar do humor. Dra. Sonia Palma Perguntas mais frequentes sobre transtorno bipolar do humor Dra. Sonia Palma Perguntas mais frequentes Dra. Sonia Palma CRM 44219 Psiquiatra infantil, doutoranda do Departamento de Psicobiologia da UNIFESP

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA:

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

Depressão. A depressão afecta pessoas de formas diferentes e pode causar vários sintomas físicos, psicológicos (mentais) e sociais.

Depressão. A depressão afecta pessoas de formas diferentes e pode causar vários sintomas físicos, psicológicos (mentais) e sociais. Depressão Introdução A depressão é uma doença séria. Se estiver deprimido, pode ter sentimentos de tristeza extrema que duram longos períodos. Esses sentimentos são muitas vezes suficientemente severos

Leia mais

Doença Bipolar e Gravidez. Índice

Doença Bipolar e Gravidez. Índice Doença Bipolar e Gravidez Índice Introdução... 3 Questões prévias à Gravidez... 4 Aspectos Gerais... 4 Planeamento Familiar... 4 Medicação... 5 Estabilizadores do Humor... 5 Outros medicamentos Psiquiátricos...

Leia mais

Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012)

Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012) Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012) Lieke Hassink-Franke, Berend Terluin, Florien van Heest, Jan Hekman, Harm van Marwijk, Mariëlle van Avendonk traduzido do original em holandês por

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 2014 Informações sobre Depressão: Sertralina

RESPOSTA RÁPIDA 2014 Informações sobre Depressão: Sertralina RESPOSTA RÁPIDA 2014 Informações sobre Depressão: Sertralina SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito da Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0335.14.579-4 DATA 07/03/2014

Leia mais

Dependência Química. Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não?

Dependência Química. Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não? Dependência Química Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não? Os fatores relacionados ao desenvolvimento da dependência química são variados. O fator genético está bem estabelecido.

Leia mais

Prevenção em saúde mental

Prevenção em saúde mental Prevenção em saúde mental Treinar lideranças comunitárias e equipes de saúde para prevenir, identificar e encaminhar problemas relacionados à saúde mental. Essa é a característica principal do projeto

Leia mais

DEPRESSÃO. O que você precisa saber. Fênix Associação Pró-Saúde Mental

DEPRESSÃO. O que você precisa saber. Fênix Associação Pró-Saúde Mental DEPRESSÃO O que você precisa saber Fênix Associação Pró-Saúde Mental Eu admito que preciso de ajuda, pois sozinho não consigo... (Grupo Fênix: Os 6 Passos para a Recuperação) a 1 Edição São Paulo 2010

Leia mais

A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde

A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde Tatiana Thiago Mendes Psicóloga Clínica e do Trabalho Pós-Graduação em Saúde e Trabalho pelo HC FM USP Perita Judicial em Saúde Mental Panorama da Saúde dos Trabalhadores

Leia mais

DEPRESSÃO PUERPERAL UMA REVISÃO DE LITERATURA POSTPARTUM DEPRESSION - A LITERATURE REVISION DEPRESIÓN PUERPERAL UMA REVISIÓN DE LA LITERATURA

DEPRESSÃO PUERPERAL UMA REVISÃO DE LITERATURA POSTPARTUM DEPRESSION - A LITERATURE REVISION DEPRESIÓN PUERPERAL UMA REVISIÓN DE LA LITERATURA Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 07, n. 02, p. 231 238, 2005. Disponível em ARTIGO ORIGINAL DEPRESSÃO PUERPERAL UMA REVISÃO DE LITERATURA POSTPARTUM DEPRESSION - A LITERATURE REVISION DEPRESIÓN PUERPERAL

Leia mais

Uso de substâncias psicoativas em crianças e adolescentes

Uso de substâncias psicoativas em crianças e adolescentes Uso de substâncias psicoativas em crianças e adolescentes Alessandro Alves A pré-adolescência e a adolescência são fases de experimentação de diversos comportamentos. É nessa fase que acontece a construção

Leia mais

BULIMIA TRANSTORNOS ASSOCIADOS

BULIMIA TRANSTORNOS ASSOCIADOS BULIMIA Dando continuidade ao nosso estudo sobre BULIMIA NERVOSA daremos ênfase a outros tipos de transtorno que muitas vezes são associados a BULIMIA, a características mais evidentes desse transtorno

Leia mais

Assistência Farmacêutica na Depressão

Assistência Farmacêutica na Depressão Definição Assistência Farmacêutica na Depressão Grupo de atividades relacionadas com o medicamento, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade, envolvendo o abastecimento de medicamentos

Leia mais

A DEPRESSÃO NA GESTAÇÃO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

A DEPRESSÃO NA GESTAÇÃO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA A DEPRESSÃO NA GESTAÇÃO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Denize Aparecida Borges Graduada em Enfermagem pela Libertas Faculdades Integradas Fernanda dos Reis Ferreira Graduada em Enfermagem pela Libertas Faculdades

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 57/2014 Informações sobre Depressão: Pondera e Amytril

RESPOSTA RÁPIDA 57/2014 Informações sobre Depressão: Pondera e Amytril RESPOSTA RÁPIDA 57/2014 Informações sobre Depressão: Pondera e Amytril SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Drª Renata Perdigão, Juiza do MUNICÍPIO DE CRISTAIS/MG Autos nº 112.14.000762-9 DATA 07/02/2014 SOLICITAÇÃO

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade

RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade SOLICITANTE Dra. Renata Abranches Perdigão Juíza de Direito do JESP da

Leia mais

Urgência Psicológica em Gestantes com Hiperêmese Gravídica que Desenvolveram Síndrome de Wernicke-Korsakov i

Urgência Psicológica em Gestantes com Hiperêmese Gravídica que Desenvolveram Síndrome de Wernicke-Korsakov i Urgência Psicológica em Gestantes com Hiperêmese Gravídica que Desenvolveram Síndrome de Wernicke-Korsakov i Marcia Ferreira Amendola Patrícia Mara Danan ii OBJETIVO O presente trabalho tem como objetivo

Leia mais

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L TDAH - EPIDEMIOLOGIA Tx. Varia entre 1,5 5,8% Crianças e adolescentes; Difere

Leia mais

VIII Fórum de Saúde e Segurança no Trabalho FEBRABAN 2011

VIII Fórum de Saúde e Segurança no Trabalho FEBRABAN 2011 VIII Fórum de Saúde e Segurança no Trabalho FEBRABAN 2011 Psiquiatria Ocupacional Prof. Duílio Antero de Camargo Psiquiatra clínico e forense Médico do Trabalho Instituto de Psiquiatria HC FM USP Núcleo

Leia mais

DISTÚRBIOS AFETIVOS I) DEFINIÇÃO II) EPIDEMIOLOGIA III) QUADRO CLÍNICO A) DEPRESSÃO

DISTÚRBIOS AFETIVOS I) DEFINIÇÃO II) EPIDEMIOLOGIA III) QUADRO CLÍNICO A) DEPRESSÃO DISTÚRBIOS AFETIVOS I) DEFINIÇÃO II) EPIDEMIOLOGIA III) QUADRO CLÍNICO A) DEPRESSÃO SINTOMAS Emocionais --> tristeza, fossa, baixo astral ansiedade irritabilidade anedonia Psicológicos --> culpa, sensação

Leia mais

ESTUDO DOS TRANSTORNOS DE COMPORTAMENTO DISRUPTIVO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS

ESTUDO DOS TRANSTORNOS DE COMPORTAMENTO DISRUPTIVO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS ESTUDO DOS TRANSTORNOS DE COMPORTAMENTO DISRUPTIVO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS Marina Aparecida Luiz de Freitas 1 ; Sandra Cristina Catelan-Mainardes

Leia mais

DEPRESSÃO PÓS-PARTO MASCULINA. A Depressão Pós-Parto Masculina, DPP Masculina (em inglês PPND - Parental

DEPRESSÃO PÓS-PARTO MASCULINA. A Depressão Pós-Parto Masculina, DPP Masculina (em inglês PPND - Parental DEPRESSÃO PÓS-PARTO MASCULINA Vera Iaconelli CRP 35751-1, Psicanalista, Mestre e Doutoranda em Psicologia pela USP, Membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, Coordenadora do

Leia mais

Obesidade e Transtornos Alimentares

Obesidade e Transtornos Alimentares Obesidade e Transtornos Alimentares NECPAR Maringá 26 e 27 de Julho de 2013 Transtornos Alimentares (TA) Características Gerais: Severas perturbações no comportamento alimentar, que trazem sérios comprometimentos

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO TRANSTORNO BIPOLAR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

CARACTERIZAÇÃO DO TRANSTORNO BIPOLAR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 CARACTERIZAÇÃO DO TRANSTORNO BIPOLAR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA Sandra Cristina Catelan-Mainardes 1 ; Bruna Marconi 2 RESUMO: O Transtorno Bipolar (TB)

Leia mais

QUESTÕES ATUAIS SOBRE DIAGNÓSTICO TRANSTORNOS DO HUMOR

QUESTÕES ATUAIS SOBRE DIAGNÓSTICO TRANSTORNOS DO HUMOR QUESTÕES ATUAIS SOBRE DIAGNÓSTICO TRANSTORNOS DO HUMOR Neri M. Piccoloto www.terapiascognitivas.com.br TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR Em todos os países industrializados do mundo, a incidência de depressão,

Leia mais

Suplementar após s 10 anos de regulamentação

Suplementar após s 10 anos de regulamentação Atenção à Saúde Mental na Saúde Suplementar após s 10 anos de regulamentação Kátia Audi Congresso Brasileiro de Epidemiologia Porto Alegre, 2008 Mercado de planos e seguros de saúde: cenários pré e pós-regulamentap

Leia mais

HISTÓRIA HISTÓRIA DIAGNÓSTICO E CLASSIFICAÇÃO DOS TRANSTORNOS MENTAIS. Paradigma da alienação mental. Paradigma das doenças mentais

HISTÓRIA HISTÓRIA DIAGNÓSTICO E CLASSIFICAÇÃO DOS TRANSTORNOS MENTAIS. Paradigma da alienação mental. Paradigma das doenças mentais DIAGNÓSTICO E CLASSIFICAÇÃO DOS TRANSTORNOS MENTAIS Prof. José Reinaldo do Amaral Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Psicologia PSICOPATOLOGIA GERAL 2013 / 2 HISTÓRIA Paradigma da

Leia mais

EDITORIAL EDITORIAL ÍNDICE

EDITORIAL EDITORIAL ÍNDICE EDITORIAL EDITORIAL 1 Sérgio Butka Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba Desde a primeira cartilha lançada pelo Departamento de Saúde do SMC vários problemas que fazem parte do cotidiano

Leia mais

Depressão. Manual Informativo

Depressão. Manual Informativo Depressão Manual Informativo O que é? Sintomas e riscos associados Como prevenir o suicídio? Depressão e outras doenças: comorbidade Diagnóstico Tratamento: dificuldades e variantes O apoio dos familiares

Leia mais

TRAUMA PSÍQUICO ORIENTAÇÕES GERAIS AOS MÉDICOS NÚCLEO DE ESTUDOS E TRATAMENTO DO TRAUMA (NET-TRAUMA)

TRAUMA PSÍQUICO ORIENTAÇÕES GERAIS AOS MÉDICOS NÚCLEO DE ESTUDOS E TRATAMENTO DO TRAUMA (NET-TRAUMA) TRAUMA PSÍQUICO ORIENTAÇÕES GERAIS AOS MÉDICOS NÚCLEO DE ESTUDOS E TRATAMENTO DO TRAUMA (NET-TRAUMA) SERVIÇO DE PSIQUIATRIA HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE (HCPA) DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA UNIVERSIDADE

Leia mais

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise MISSÃO Educar para a prevenção e condução de crises, visando a saúde emocional individual, da família e da organização. Gestão Comportamental Fundada em 1986 PAP - Programa de Apoio Pessoal Atuações em

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 313/2014 Informações sobre Depressão: Venlafaxina

RESPOSTA RÁPIDA 313/2014 Informações sobre Depressão: Venlafaxina RESPOSTA RÁPIDA 313/2014 Informações sobre Depressão: Venlafaxina SOLICITANTE Drª Kellen Cristini de Sales e Souza Juíza de Direito da Comarca de Paraopeba NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0474.14.001582-4

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 363/2014 Informações sobre Depressão: Venlaxim

RESPOSTA RÁPIDA 363/2014 Informações sobre Depressão: Venlaxim RESPOSTA RÁPIDA 363/2014 Informações sobre Depressão: Venlaxim SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0335.14.1408-5 DATA 21/02/2014

Leia mais

ETIOLOGIA E DESENVOLVIMENTO DOS QUADROS DEPRESSIVOS: UM MODELO INTEGRADO

ETIOLOGIA E DESENVOLVIMENTO DOS QUADROS DEPRESSIVOS: UM MODELO INTEGRADO ETIOLOGIA E DESENVOLVIMENTO DOS QUADROS DEPRESSIVOS: UM MODELO INTEGRADO Fernanda Moretti 1 Regina de Cássia Rondina 2 RESUMO A depressão é, reconhecidamente, um problema de saúde pública. É um dos processos

Leia mais

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015 Psicofarmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia PSICOFARMACOLOGIA Distúrbios Psiquiátricos - Tratamento : 1950 10 a 15% de prescrições - EUA Brasil prevalência de transtornos

Leia mais

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Apesar de ainda não existir cura definitiva para esse problema de saúde crônico, uma diferenciação entre essa patologia e a sensibilidade ao glúten

Leia mais

José Roberto Mergel Manechini Médico Psiquiatra

José Roberto Mergel Manechini Médico Psiquiatra José Roberto Mergel Manechini Médico Psiquiatra Igarapava-SP, 04 de junho de 2014 PSIQUIATRIA PARA O CLÍNICO (Psiquiatria para o Não-Psiquiatra) José Roberto Mergel Manechini Médico Psiquiatra CRM SP 121.738

Leia mais

TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

02/03/2011 PERSPECTIVA SINDRÔMICA

02/03/2011 PERSPECTIVA SINDRÔMICA PSICOPATOLOGIA CLASSIFICAÇÕES DIAGNÓSTICAS COMPREENSÃO DAS SÍNDROMES Profa. Dra. Marilene Zimmer Psicologia - FURG 2 Embora a psicopatologia psiquiátrica contemporânea tenda, cada vez mais, a priorizar

Leia mais

Terapia Cognitivo-Comportamental dos Transtornos Alimentares Psicologia- Ulbra/Guaíba

Terapia Cognitivo-Comportamental dos Transtornos Alimentares Psicologia- Ulbra/Guaíba Terapia Cognitivo-Comportamental dos Transtornos Alimentares Psicologia- Ulbra/Guaíba Profa. Mestre Cláudia Galvão Mazzoni Fabiana Lima Rosinski Lisiane Botelho Ferreira Patrícia dos Santos Silveira Resumo:

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan

RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan SOLICITANTE Dra Maria Augusta Balbinot Juíza do JESP de São João Del Rei - MG NÚMERO DO PROCESSO nº 0625.13.004802-2 (numeração única

Leia mais

(inicia no slide 17) Bipolaridade

(inicia no slide 17) Bipolaridade (inicia no slide 17) Bipolaridade Os Transtornos do Humor Bipolar são transtornos crônicos, recorrentes e, muitas vezes, com remissão incompleta e potencialmente letais. Os pólos de apresentação são: *

Leia mais

PERFIL SÓCIO-DEMOGRAFICO DE MULHERES EM CONSULTA DE ENFERMAGEM PUERPERAL

PERFIL SÓCIO-DEMOGRAFICO DE MULHERES EM CONSULTA DE ENFERMAGEM PUERPERAL 8. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: SAÚDE PERFIL SÓCIO-DEMOGRAFICO DE MULHERES EM CONSULTA DE ENFERMAGEM PUERPERAL NIKKEL, FRANCIELLE TAMARA 1 GEHRING, LETÍCIA BARROS 2 LEMOS,

Leia mais

UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA

UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Enfermagem Disciplina: Cuidar de Enfermagem em Saúde Mental Carga Horária: 90 h Teórica: 60h Prática: 30h Semestre: 2013.1 Professor: Cilene Duarte da

Leia mais

Depressão diagnóstico e tratamento. Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira

Depressão diagnóstico e tratamento. Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira Depressão diagnóstico e tratamento Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira Depressão maior 1 Sintomas principais: - Humor deprimido + Anedonia + Fadiga ou perda de energia;

Leia mais

TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE

TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE Laís Rosiak 1 Rebeca Bueno dos Santos ¹ Mara Regina Nieckel da Costa 2 RESUMO O presente artigo apresenta o estudo realizado sobre o Transtorno Obsessivo

Leia mais

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: PERFIL DAS PUÉRPERAS FRENTE À PRÁTICA DO ALEITAMENTO MATERNO

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: PERFIL DAS PUÉRPERAS FRENTE À PRÁTICA DO ALEITAMENTO MATERNO CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: PERFIL DAS PUÉRPERAS FRENTE À PRÁTICA DO ALEITAMENTO MATERNO Área Temática: Saúde Péricles Martim Reche (Coordenador da Ação de Extensão) Reche, Péricles Martim 1 Trentini,

Leia mais

Neurociência e Saúde Mental

Neurociência e Saúde Mental 1 O QUE É DEFICIÊNCIA MENTAL OU INTELECTUAL http://www.apaesp.org.br/sobreadeficienciaintelectual A Deficiência Intelectual, segundo a Associação Americana sobre Deficiência Intelectual do Desenvolvimento

Leia mais

O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO

O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO Esta investigação tem como enfoque o atendimento às gestantes adolescentes primigestas nas equipes de ESF. Visa conhecer o universo destas gestantes

Leia mais

Transtornos Alimentares. Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas

Transtornos Alimentares. Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas Transtornos Alimentares Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas Anorexia Nervosa Anorexia sem fome Comportamento obstinado e propositado a perder peso Medo intenso de aumento de peso Alteração da imagem

Leia mais

DROGAS E FAMÍLIA: SOBRECARGA. Silvana C. Maciel UFPB

DROGAS E FAMÍLIA: SOBRECARGA. Silvana C. Maciel UFPB DROGAS E FAMÍLIA: SOBRECARGA Silvana C. Maciel UFPB CONCEITO DE DROGA Droga é qualquer substância que, não sendo produzida pelo organismo, tem a propriedade de atuar sobre um ou mais de seus sistemas,

Leia mais

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Saúde Mental no Trabalho

Saúde Mental no Trabalho Saúde Mental no Trabalho Disciplina de Medicina Social e do Trabalho Acadêmicos: Arthur Danila, Barbara Novaes, Caio Casella, Bruna Piloto, Bruno Zanon, Bruno Ricci Orientadora: Prof a. Dra. Débora Glina

Leia mais

Depressão Resumo de diretriz NHG M44 (junho 2012)

Depressão Resumo de diretriz NHG M44 (junho 2012) Depressão Resumo de diretriz NHG M44 (junho 2012) Van Weel-Baumgarten EM, Van Gelderen MG, Grundmeijer HGLM, Licht-Strunk E, Van Marwijk HWJ, Van Rijswijk HCAM, Tjaden BR, Verduijn M, Wiersma Tj, Burgers

Leia mais

Parte I COMO CONDUZIR A TIP

Parte I COMO CONDUZIR A TIP Parte I COMO CONDUZIR A TIP 1 O Que é a TIP? Visão geral A Psicoterapia Interpessoal (TIP) é uma psicoterapia específica e com tempo limitado, que foi desenvolvida durante um período de 30 anos, inicialmente

Leia mais

Como lidar com transtornos internalizantes na sala de aula?

Como lidar com transtornos internalizantes na sala de aula? Como lidar com transtornos internalizantes na sala de aula? Rogéria Recondo Psiquiatra da Infância e Adolescência Preceptora em Psiquiatria Infantil no Hospital São Lucas da PUC Professores:cursos de capacitação

Leia mais

A depressão pós-parto:

A depressão pós-parto: Compreendendo a infância A depressão pós-parto: um problema para toda a família Compreendendo a infância é uma série de pequenos textos escritos por experientes terapeutas de crianças na Inglaterra, para

Leia mais

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave.

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave. NOTA TÉCNICA 65/2013 Solicitante Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câmara Cível TJMG RÉU: ESTADO DE MINAS GERAIS E MUNICÍPIO DE ITAPECERICA Data: 05/05/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura

Leia mais

Abordagem Psiquiátrica de casos Clínicos 2012.2 Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira

Abordagem Psiquiátrica de casos Clínicos 2012.2 Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira Abordagem Psiquiátrica de casos Clínicos 2012.2 Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira Transtornos Afetivos Aspectos históricos Como traçar fronteiras

Leia mais

Transtorno Bipolar. Entendendo e ajudando aqueles com mudanças as extremas de humor

Transtorno Bipolar. Entendendo e ajudando aqueles com mudanças as extremas de humor Transtorno Bipolar Entendendo e ajudando aqueles com mudanças as extremas de humor Introdução * O transtorno bipolar (TBP) é uma condição psiquiátrica relativamente freqüente, ente, com prevalência na

Leia mais