DEVELOPMENT: WORKING FOR A BETTER TOMORROW.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEVELOPMENT: WORKING FOR A BETTER TOMORROW."

Transcrição

1 INTERNATIONAL DEVELOPMENT: WORKING FOR A BETTER TOMORROW.

2

3 Alguns projectos: Sistema de Gestão de Recursos Humanos da Administração Pública (Governo de Timor-Leste) Sistema de gestão municipal SIGEM (Conselho Municipal de Maputo) Gestão estratégica do plano de Desenvolvimento do Governo de El Salvador

4 Entidades com que colaboramos: Sistema de Gestão Documental na Comunidade de Paises de Lingua Portuguesa A Gestão do Património de Cabo Verde, no âmbito do projecto Melhorar a Gestão do Património do Estado, financiado pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional (AECID); O sistema de Gestão de Recursos Humanos da Administração Pública da Guiné-Bissau, no âmbito do Programa de Apoio à Reforma da Administração Pública da Guiné-Bissau (PARAP), financiado pela União Europeia;

5 Sistema Integrado de Gestão para o Fundo para as Relações Internacionais Inclui os módulos de Gestão Orçamental e POCP, Prestação de Contas, Cadastro e Inventário de Bens do Estado e Gestão de Tesouraria

6 Sistema Integrado de Gestão para o Fundo para as Relações Internacionais Este sistema é de relevância estratégica, reunindo toda a informação de tesouraria relativa a delegações externas da diplomacia portuguesa Objectivo: Apoiar as actividades especiais de política externa Valor do projeto: ,00

7 Asia: Indonesia + Timor Leste ALR + FM Africa: Angola, Mozambique, Africa de Sul Jorge, Alvaro, Carlos Marques America Latina: Brasil, El Salvador, Colombia David, Rosa, Xavi, Ana Ribeiro

8 Público alvo - Consultoras Projectos Internacionais Participarmos em conjunto em propostas e projetos que envolvem consultoria e desenvolvimento de software Identificar leads que dizem respeito ao parceiro nos vários mercados em que atuamos Abordagem conjunta de alguns mercados, incluindo partilha de custos operacionais

9 Público alvo Banco Mundial 1: Indentificar programas que vão ser desenvolvidos nos próximos 5 anos, em conjunto com o nosso contacto no WB Washington 2: Identificar projetos passados com o objetivo de descobrir quem atua no mercado para desenvolvermos parcerias para projetos futuros

10 Público alvo Banco Mundial 3: Receber feedback do WB Washington com identificação do TTL (Task Team Leader) do WB para cada projeto 4: Contatar com os TTL e eventualmente PMU (Project Management Unit) 5: Contatar com potenciais parceiros

11 2/3 of contracts awarded to Portuguese companies in Portuguese speaking countries ( )

12 Best Portuguese Performers in WB projects mainly in Transportation, Water, and Public Administration Efacec Group, $42.8M (2 contracts, T) Lena Engenharia, $35M (3 contracts, W, T, PA) Impreteiros Casais, $4.7M (1 contract, W) Aurelio Martins Sobreiro & Filhos, $4.2M (1 contract, PA) Britalar, $4.1M (1 contract, PA) Construcoes Europa Arlindo, $4.1M (1 contract, PA) Conduril, $2.4M (1 contract, T) TPF Planege, $2M (2 contracts, W) CESO Consultores International, $1.8M (4 contracts, A, PA) Jaop, $1.4M (1 contract, A)

13 Factos-chave sobre ODA ODA is the aid provided by the 23 countries that are members of the OECD Development Assistance Committee (DAC) and the European Union (EU) 15 EU member states have committed to reach the international 0.7% GNI to ODA target by 2015; Sweden, Norway, Luxembourg, Denmark and the Netherlands have reached, sustained or exceeded the target United States is the largest donor: US$30 billion / year ( ) USA, Germany, UK, France and Japan together provide almost two thirds of ODA Total amount of ODA in 2011: $ USD 80% of ODA is delivered as financial grants supporting projects and programmes, 14% goes to technical cooperation and 20% is spend in project grants that combine different types of assistance

14 Publico alvo - Top bilateral donors $ 14.7 billion $ 6 billion $ 9.16 billion $ 1.67 billion $ 2.31 billion $ 1.29 billion $ 2.38 billion $ 2.34 billion $ million $ 887 million $ 2.32 billion $ 687 million

15 Representação Geo-Referenciada Recolha de informação gráfica e alfanumérica Análise e gestão do espaço Estratégia Nacional Grandes objectivos estratégicos Indicadores chave do desempenho Tableau de Bord Balanced Scorecard

16 Gestão de Processos de Concessão Licenciamento de obras e industrial Direitos de utilização da terra e de recursos Licenciamento de operadores de telecomunicações móveis Autorização de Investimento Directo Estrangeiro Cadastro e Inventário de Bens do Estado Uma visão única e integrada dos bens constitui a base para a geração de Receitas. Procuradoria Geral da República

17 Administração Fiscal e Tributária Administração de impostos pré-determinados + não prédeterminados Emissão de estados de dívida Definição de planos de fiscalização Controlo de obrigações fiscais Controlo e gestão de inspecções Gestão Orçamental Integração entre a contabilidade orçamental e a contabilidade patrimonial Adequação à realidade das instituições públicas Elevados conhecimentos de contabilidade pública Classificação contabilística

18 Rede de Saúde Animal e Veterinária Segurança Social Gestão de direitos de beneficiários Gestão de comparticipações Gestão de redes de prestadores

19 Rede de Saúde Racionalização de custos (medicamentos e outros cuidados de saúde) Apoio à actividade médica Ficha clínica electrónica Gestão de planos de saúde

20 Gestão, manutenção e conservação de imóveis e espaços envolventes Realização de contratos de habitação Gestão de rendas Acompanhamento sócio- económico de agregados + de 2000 habitações 6000 inquilinos 350 edifícios 40 bairros

21 Global Official Development Assistance (ODA) ODA as a % of Gross National Income Millions Luxembourg Sweden ,903 Denmark ,159 2,143 Netherlands ,478 4,461 United 0.55 Kingdom 9,834 9,751 Finland ,059 1,013 Ireland Belgium ,895 1,918 France ,766 8,479 Germany ,773 10,127 Portugal Spain ,294 3,038 Austria Italy ,117 2,635 Greece

Através de projectos estruturantes, 1. construir as referências da modernidade dos países e das regiões, 2. criar redes sólidas de suporte ao

Através de projectos estruturantes, 1. construir as referências da modernidade dos países e das regiões, 2. criar redes sólidas de suporte ao Desenvolvimento Através de projectos estruturantes, 1. construir as referências da modernidade dos países e das regiões, 2. criar redes sólidas de suporte ao desenvolvimento económico, 3. mobilizar os

Leia mais

Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde

Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde 1º Encontro Nacional - Desafios do presente e do futuro Alexandre Lourenço www.acss.min-saude.pt Sumário Organizações do Terceiro Sector Necessidade

Leia mais

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos Realidade Operacional e Gerencial do Poder Judiciário de Mato Grosso Na estrutura organizacional, existe a COPLAN que apoia administrativamente e oferece

Leia mais

www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC

www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC Participamos do processo de escolha da Entidade Aferidora

Leia mais

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior Headquarters: Rua Senhor da Paciência, 39 6200-158 Covilhã Portugal Telephone: +351 275 319 530 Fax: +351 275

Leia mais

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL Súmula dos dados provisórios do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional, IPCTN, 2007 I DESPESA 1. Despesa em I&D nacional total

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO

Leia mais

Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a

Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a Mobilidade de indivíduos para aprendizagem (KA1) Mobilidade de staff, em particular de pessoal

Leia mais

Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado

Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado Patrícia Jardim da Palma Professora Universitária no ISCSP Coordenadora do Hélios Directora do INTEC ppalma@iscsp.utl.pt Agenda O empreendedorismo

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES Eduardo Augusto Guimarães Maio 2012 Competitividade Brasil 2010: Comparação com Países Selecionados. Uma chamada para a ação África

Leia mais

Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais

Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais Forum para a Sociedade da Informação Aveiro, 10 Mar 2006 Luis Magalhães Presidente da UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento,

Leia mais

Economia Social Pós. Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego:

Economia Social Pós. Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Economia Social Pós Parte III: Mercado de Trabalho Ênfase na parte de políticas Profa. Danielle Carusi Prof. Fábio Waltenberg Aula 5 (parte III) setembro de 2010 Economia UFF 1. Políticas macroeconômicas,

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento EDUCAÇÃO Base para o desenvolvimento 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais de escolaridade.

Leia mais

A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web

A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web ALGUNS EVENTOS E DADOS IMPORTANTES DA INTERNET NO BRASIL E NO MUNDO NO BRASIL Primeira conexão à redes (Bitnet) => Outubro 88 Domínio.br foi registrado

Leia mais

ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras

ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA: UM PAÍS QUE SAE DA CRISE 2,00% 1,50% Evolução do PIB espanhol 1,70% 1,00% 1% 0,50% 0,00% -0,50% -0,20% 0,10% 2010 2011 2012

Leia mais

Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo

Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo Portugal na União Europeia 1986-2010 Faculdade de Economia, Universidade do Porto - 21 Janeiro 2011 Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo Pedro Teixeira (CEF.UP/UP e CIPES);

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL

FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL 1.2 -A evolução da economia mundial: globalização dos mercados e globalização da produção comércio internacional

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007 FaculdadedeEconomia João Salgueiro João Amador Seminário de Economia Europeia Economia Portuguesa e Europeia Exame de 1 a época 5 de Janeiro de 2007 Atenção:

Leia mais

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 1. Visitações Diárias ( Y ) Visitas ( X ) Dia do mês 1.1) Janeiro 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15

Leia mais

A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas.

A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas. A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas. Constança Paúl, 19 Abril 2012, IPO-Porto Health Cluster Portugal: Encontros com a inovação em saúde A procura

Leia mais

Associação KNX Portugal

Associação KNX Portugal Associação KNX Portugal Organização KNX e rede de parceiros KNX Association International Page No. 3 Associações Nacionais: Membros Membros KNX Nacionais: Fabricantes: Empresas fabricantes ou representantes

Leia mais

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação André Portela Souza EESP/FGV Rio de Janeiro 13 de maio de 2011 Estrutura da Apresentação 1. Porque Educação? Educação e Crescimento 2. Educação

Leia mais

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras Existem muitas empresas e investimentos espanhóis no Brasil. É a hora de ter investimentos brasileiros na Espanha Presidente Lula da Silva,

Leia mais

Financiamento: Inovação e / ou Sustentabilidade em tempos de crise. Adalberto Campos Fernandes

Financiamento: Inovação e / ou Sustentabilidade em tempos de crise. Adalberto Campos Fernandes Financiamento: Inovação e / ou Sustentabilidade em tempos de crise Adalberto Campos Fernandes O Contexto FINANCIAMENTO: INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE EM TEMPOS DE CRISE O CONTEXTO A ESPECIFICIDADE DO BEM

Leia mais

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios:

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios: CREBi Media Kit Atualmente, somos a mais representativa mídia eletrônica do setor de jóias e afins e também já superamos em muito as maiores médias de outras categorias de mídia. O CREBi oferece três canais

Leia mais

Foad Shaikhzadeh Presidente Furukawa Industrial SA

Foad Shaikhzadeh Presidente Furukawa Industrial SA Para ajudar a proteger sua privacidade, o PowerPoint impediu o download automático desta imagem externa. Para baixar e exibir esta imagem, clique em Opções na Barra de Mensagens e clique em Habilitar conteúdo

Leia mais

ERASMUS+ AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS. E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o

ERASMUS+ AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS. E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o ERASMUS+ E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS CIM ALTO MINHO COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO ALTO MINHO ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE PONTE DE LIMA 17 DE JULHO DE 2014 O projeto

Leia mais

Colóquio QUANTO CUSTA ESTUDAR NO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS?

Colóquio QUANTO CUSTA ESTUDAR NO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS? Colóquio QUANTO CUSTA ESTUDAR NO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS? 1 CESTES O Custo dos Estudantes no Ensino Superior Português UIDEF Unidade de I&D em Educação e Formação do Instituto de Educação da U. Lisboa

Leia mais

Q: Preciso contratar um numero de empregados para solicitar o visto E2? R: Não, o Visto E2 não requer um numero de empregados como o Visto Eb5.

Q: Preciso contratar um numero de empregados para solicitar o visto E2? R: Não, o Visto E2 não requer um numero de empregados como o Visto Eb5. RE: Visto E1 O E2 Visto E1 O E2 Q :Preciso contratar um advogado para solicitar o Visto E2? R: Sim, o visto E2 requer o conhecimento especializado da legislacao migratória e a experiência de um advogado

Leia mais

Artemis7. Portfolio and Project Management Solutions. Better decisions. Better results

Artemis7. Portfolio and Project Management Solutions. Better decisions. Better results Artemis7 Portfolio and Project Management Solutions Better decisions. Better results ESCRITÓÓÓORIO BRASIL Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1410 6o. andar - Morumbi - 05640-003 55 11 3773-9009 REGIONAL

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável EDUCAÇÃO Base do Desenvolvimento Sustentável 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais

Leia mais

Sobre este inquérito. Sobre a sua organização

Sobre este inquérito. Sobre a sua organização Sobre este inquérito Por toda a União Europeia, diferentes organizações proporcionam acesso e formação sobre Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC), juntamente com outros serviços para grupos

Leia mais

6ª Reunião da Comissão de Acompanhamento do Mercado das Multilaterais Financeiras. 5 de março de 2014

6ª Reunião da Comissão de Acompanhamento do Mercado das Multilaterais Financeiras. 5 de março de 2014 6ª Reunião da Comissão de Acompanhamento do Mercado das Multilaterais Financeiras 5 de março de 14 160 Valor dos contratos adjudicados a empresas portuguesas (milhões USD) 05-13 154 140 138 1 0 80 82 60

Leia mais

III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004. III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004

III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004. III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004 III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004 III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004 Unidade: % Unit:% Taxa de cobertura das pelas para os 4 principais mercados

Leia mais

Maximizando os Incentivos à Inovação

Maximizando os Incentivos à Inovação TAX CIESP Maximizando os Incentivos à Inovação R&D Tax Incentives Proposta para prestação de serviços profissionais Agosto de 2014 Agenda Ambiente de Inovação e Incentivos Incentivos Fiscais à Inovação

Leia mais

BANCO EUROPEU DE INVESTIMENTO

BANCO EUROPEU DE INVESTIMENTO BANCO EUROPEU DE INVESTIMENTO Financiamento de Infra-estruturas Parcerias Público Privadas/ Project Finance Alexandra Almeida Chefe do Gabinete de Lisboa 1 Sumário 1. O Banco Europeu de Investimento 2.

Leia mais

International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros. Economic Outlook. Económica.

International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros. Economic Outlook. Económica. dossiers Economic Outlook Conjuntura International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros Last Update Última Actualização 15-07-2015 Prepared by PE

Leia mais

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL PROJETO SERIALIZAÇÃO Projeto Serialização DHL 1 Serialização SETRM 2015 DEUTSCHE POST DHL DHL Supply Chain é parte do Grupo Deutsche Post com presença global e extensivo portifólio em serviços Logísticos

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Luis Barrinha - Gestor de Ambiente e Segurança SGS ICS - International Certification Services Funchal, 28 de Novembro de 2002 SOCIÉTÉ

Leia mais

Integrando informação, indicadores e melhoria: experiências internacionais. OECD e da Europa. Niek Klazinga, QualiHosp Sao Paulo, April 3th 2012

Integrando informação, indicadores e melhoria: experiências internacionais. OECD e da Europa. Niek Klazinga, QualiHosp Sao Paulo, April 3th 2012 Integrando informação, indicadores e melhoria: experiências internacionais sobre assistência à saúde da OECD e da Europa Niek Klazinga, QualiHosp Sao Paulo, April 3th 2012 Por que a qualidade do cuidado

Leia mais

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL MESA DA ASSEMBLEIA GERAL Informação a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 289.º do Código das Sociedades Comerciais FRANCISCO XAVIER ZEA MANTERO é natural de Lisboa, onde nasceu em 25 de Dezembro

Leia mais

CIP ECO-INOVAÇÃO - Candidaturas Projectos de Replicação de Mercado Panorama Global

CIP ECO-INOVAÇÃO - Candidaturas Projectos de Replicação de Mercado Panorama Global CIP ECO-INOVAÇÃO - Candidaturas Projectos de Replicação de Mercado Panorama Global Eco-Inovação, EACI, Comissão Europeia Beatriz Yordi, Chefe de Unidade Replicação de Mercado, Eco-Inovação e Energia Inteligente

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

Premier. Quando os últimos são os Primeiros

Premier. Quando os últimos são os Primeiros Premier Quando os últimos são os Primeiros Fundada em 1997 Especializada no desenvolvimento de soluções informáticas de apoio à Gestão e consultoria em Tecnologias de Informação. C3im tem como principais

Leia mais

HD WIRELESS N OUTDOOR CLOUD CAMERA DCS-2330L GUIA DE INSTALAÇÃO

HD WIRELESS N OUTDOOR CLOUD CAMERA DCS-2330L GUIA DE INSTALAÇÃO HD WIRELESS N OUTDOOR CLOUD CAMERA DCS-2330L GUIA DE INSTALAÇÃO CONTEÚDOS DE EMBALAGEM HD WIRELESS N OUTDOOR CLOUD CAMERA DCS-2330L ADAPTADOR DE CORRENTE ADAPTADOR CABO ETHERNET (CAT5 UTP) LIGUE A CÂMARA

Leia mais

EVOLUÇÃO E TENDÊNCIA NOS SISTEMAS DE. Foto gestão serviços CONTENTORIZAÇÃO DE RESÍDUOS

EVOLUÇÃO E TENDÊNCIA NOS SISTEMAS DE. Foto gestão serviços CONTENTORIZAÇÃO DE RESÍDUOS EVOLUÇÃO E TENDÊNCIA NOS SISTEMAS DE Foto gestão serviços CONTENTORIZAÇÃO DE RESÍDUOS ESE Panorama geral Sede Facturação Maastricht 300 M Vendas > 3 750 000 (contentores 2 rodas) > 300 000 (contentores

Leia mais

O trabalho da Organização das Nações Unidas

O trabalho da Organização das Nações Unidas O trabalho da Organização das Nações Unidas Report A Inclusion Europe e os seus 49 membros de 36 países lutam contra a Inclusion Europe and its 47 members in these 34 countries are fighting exclusão social

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008 Certificação de Sistemas de Gestão ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008 Sumário 1. Certificação de Sistemas de Gestão Qualidade (ISO 9001:2000); 2. Certificação de Sistemas de Gestão Ambiental (ISO 14001:2004);

Leia mais

Reunião Informal Investigação em Doenças Degenerativas

Reunião Informal Investigação em Doenças Degenerativas Reunião Informal Investigação em Doenças Degenerativas Programa Conjunto Ambient Assisted Living - AAL Art. 185º TFUE Margarida Ribeiro Departamento da Sociedade da Informação FCT (NCP e ProxiGA) EXCELÊNCIA

Leia mais

Tecnologia Conectividade

Tecnologia Conectividade Funcionalidade de Alimentos como Ferramenta de Marketing Mª Engª Alexia Hoppe I Mostra de Ciência e Tecnologia TecnoDohms Porto Alegre, Maio 2012 Tecnologia Conectividade Geração Y: valores e atitudes

Leia mais

Public Debt Dívida Pública. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica. Conjuntura Económica. Estado e Governo. Public Debt / Dívida Pública

Public Debt Dívida Pública. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica. Conjuntura Económica. Estado e Governo. Public Debt / Dívida Pública dossiers Economic Outlook Conjuntura Public Debt Dívida Pública Last Update Última Actualização:08/12/2015 Portugal Economy Probe (PE Probe) Prepared by PE Probe Preparado por PE Probe Copyright 2015 Portugal

Leia mais

Eficiência Energética

Eficiência Energética Eficiência Energética Compromisso para o Crescimento Verde Sessão de discussão pública Porto, 2 de dezembro de 2014 Apresentado por: Gabriela Prata Dias 1 Conceito de Eficiência Energética (EE) 2 As medidas

Leia mais

Macroeconomia II (1E207)

Macroeconomia II (1E207) Macroeconomia II (1E207) Equipa docente 2010/11 20 Maio 2011 Conceitos e factos Funções económicas do Estado - estabilização macroeconómica O financiamento da despesa pública e a dinâmica da dívida Financiamento

Leia mais

A GESTÃO DA PERFORMANCE NA NAV Portugal

A GESTÃO DA PERFORMANCE NA NAV Portugal A GESTÃO DA PERFORMANCE NA NAV Portugal APDH - CONVERSAS DE FIM DE TARDE O Desempenho Organizacional Hospitalar. Como Obter Ganhos de Eficiência nos Serviços de Saúde 22 de Junho de 2006 João Batista Controlo

Leia mais

La Relación entre Investigación y Posgrado

La Relación entre Investigación y Posgrado La Relación entre Investigación y Posgrado Maria de Fátima Sonati Profesora Titular y Asesora de la Vice- Rectoría de Posgrado (periodo 06/2009-04/2013) Universidade Estatal de Campinas-UNICAMP - Brasil

Leia mais

MVNO Operadoras Virtuais no Brasil. Conhecendo o usuário brasileiro. Valter Wolf 18 de Novembro de 2010

MVNO Operadoras Virtuais no Brasil. Conhecendo o usuário brasileiro. Valter Wolf 18 de Novembro de 2010 MVNO Operadoras Virtuais no Brasil Conhecendo o usuário brasileiro Valter Wolf 18 de Novembro de 2010 O estudo A&R contempla 17 países com mais de 20 mil entrevistas, agrupadas em 3 categorias: Mature,

Leia mais

Eficiência Energética. Monitorização e Análise do Consumo Energético de Edifícios

Eficiência Energética. Monitorização e Análise do Consumo Energético de Edifícios j Infrastructures & Cites Building Efficiency Monitoring Eficiência Energética Monitorização e Análise do Consumo Energético de Edifícios Monitorização e Controlo de Energia de forma simples e eficaz.

Leia mais

HCC - HEALTH CARE COMPLIANCE

HCC - HEALTH CARE COMPLIANCE HCC - HEALTH CARE COMPLIANCE Discutir a importância do cumprimento dos requisitos de conformidade e comportamento ético à luz de leis e regulamentações estrangeira em vigor. FEIRA HOSPITALAR Junho de 2008

Leia mais

Fonte: http://www.mckinsey.com

Fonte: http://www.mckinsey.com 30000000 70000000 Fonte: http://www.mckinsey.com 700000 1400000 Fonte: http://www.mckinsey.com 22000 43000 Fonte: http://www.mckinsey.com Fonte: http://www.mckinsey.com Disponível em: http://www.gs1.org/healthcare/mckinsey

Leia mais

MBA/CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISE FINANCEIRA FINANÇAS INTERNACIONAIS FINANÇAS INTERNACIONAIS. Enquadramento das Finanças Internacionais

MBA/CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISE FINANCEIRA FINANÇAS INTERNACIONAIS FINANÇAS INTERNACIONAIS. Enquadramento das Finanças Internacionais MBA/CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISE FINANCEIRA FINANÇAS INTERNACIONAIS MÓDULO I Ponto 1 Objectivo Enquadramento Internacional O SMI, O SME O EURO e PORTUGAL 1 FINANÇAS INTERNACIONAIS Enquadramento das

Leia mais

1.2- Breves Considerações sobre a Implementação do SISTAFE

1.2- Breves Considerações sobre a Implementação do SISTAFE I INTRODUÇÃO 1.1 Enquadramento Legal A Constituição da República de Moçambique estabelece, na alínea l) do n.º 2 do artigo 179, que é da exclusiva competência da Assembleia da República deliberar sobre

Leia mais

Políticas para Inovação no Brasil

Políticas para Inovação no Brasil Políticas para Inovação no Brasil Naercio Menezes Filho Centro de Políticas Públicas do Insper Baixa Produtividade do trabalho no Brazil Relative Labor Productivity (GDP per Worker) - 2010 USA France UK

Leia mais

Estrutura da Apresentação. i. Onde estamos e como aqui chegámos: Evoluções da PAC desde a adesão de Portugal

Estrutura da Apresentação. i. Onde estamos e como aqui chegámos: Evoluções da PAC desde a adesão de Portugal Reflexões e preocupações para o sector dos pequenos ruminantes na PAC-pós 213 -------------------------------------------------------------------- Reunião da SPOC Evolução Recente dos Sistemas de Produção

Leia mais

EUROPEAN SOCIAL SURVEY 2006. Atitudes face à Prisão Preventiva e à Tortura como forma de evitar actos terroristas

EUROPEAN SOCIAL SURVEY 2006. Atitudes face à Prisão Preventiva e à Tortura como forma de evitar actos terroristas EUROPEAN SOCIAL SURVEY 2006 Atitudes face à Prisão Preventiva e à Tortura como forma de evitar actos terroristas Junho 2009 1 Amostra O European Social Survey 3 foi aplicado a amostras aleatórias e probabilísticas

Leia mais

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo ED 2068/09 16 junho 2009 Original: inglês P Obstáculos ao consumo 1. Cumprimentando os Membros, o Diretor-Executivo recorda-lhes que, de acordo com o Artigo 33 do Convênio Internacional do Café de 2001

Leia mais

ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DO PLANO E INTEGRAÇÃO REGIONAL DA GUINÉ-BISSAU

ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DO PLANO E INTEGRAÇÃO REGIONAL DA GUINÉ-BISSAU PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DO PLANO E INTEGRAÇÃO REGIONAL DA GUINÉ-BISSAU A ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA - CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA (AIP-CCI) E A A ELO - ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA

Leia mais

Maria João da Cruz Nogueira

Maria João da Cruz Nogueira Maria João da Cruz Nogueira Trabalho elaborado para a Oficina de Formação: A Educação Sexual em Meio Escolar: metodologias de abordagem/intervenção Formadoras: Cândida Ramoa, Isabel Leitão Matosinhos Fevereiro

Leia mais

Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil

Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil Nelson Barbosa Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão 1º de junho de 2015 Cenário Macroeconômico e Reequilíbrio Fiscal O governo está elevando

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS EM MOÇAMBIQUE

SISTEMA NACIONAL DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS EM MOÇAMBIQUE 2014 FIDIC GAMA ANNUAL CONFERENCE LOCAL INVOLVEMENT IN MAJOR PROJECTS FOR SUSTAINABILITY MAPUTO: 23 TO 26 TH MARCH 2014 Group of African Member Associations International Federation of Consulting Engineers

Leia mais

PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO. J. Silva Lopes

PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO. J. Silva Lopes PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO J. Silva Lopes IDEEF, 28 Setembro 2010 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO I As perspectivas económicas para os tempos mais próximos II Políticas de estímulo à recuperação

Leia mais

Os Desafios da Economia Portuguesa no Contexto Europeu e Mundial. João César das Neves Universidade Católica Portuguesa 8 de Julho de 2015

Os Desafios da Economia Portuguesa no Contexto Europeu e Mundial. João César das Neves Universidade Católica Portuguesa 8 de Julho de 2015 Os Desafios da Economia Portuguesa no Contexto Europeu e Mundial João César das Neves Universidade Católica Portuguesa 8 de Julho de 215 Pode o capitalismo sobreviver? «A tese que tentarei estabelecer

Leia mais

Projeto GeoCONVIAS abril 2009

Projeto GeoCONVIAS abril 2009 Projeto GeoCONVIAS abril 2009 Logica 2008. All rights reserved Agenda 1 2 3 4 5 6 7 8 Instituições Participantes Objetivo do Projeto Fluxo de Trabalho de CONVIAS Benefícios Escopo do Projeto Arquitetura

Leia mais

Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas. Comitê de Comércio Exterior. Brasília Julho de 2011

Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas. Comitê de Comércio Exterior. Brasília Julho de 2011 Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas Comitê de Comércio Exterior Brasília Julho de 2011 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE BENS E SERVIÇOS* US$ Bilhões BRAZILIAN FOREIGN TRADE IN GOODS

Leia mais

Emília Telo Juntos na prevenção dos riscos profissionais V Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho

Emília Telo Juntos na prevenção dos riscos profissionais V Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho Emília Telo Campanha «Locais de trabalho seguros e saudáveis» 2012-13 Juntos na prevenção dos riscos profissionais Novo Regulamento CLP sobre Classificação, Rotulagem e Embalagem de Produtos Químicos 2013.05.02

Leia mais

-AUDITORIA- PROTECÇÃO DE DADOS PESSOAIS. A sua protecção, com os melhores especialistas.

-AUDITORIA- PROTECÇÃO DE DADOS PESSOAIS. A sua protecção, com os melhores especialistas. -AUDITORIA- PROTECÇÃO DE DADOS PESSOAIS A sua protecção, com os melhores especialistas. Porquê a auditoria ao tratamento de dados pessoais? A regulamentação do tratamento de dados pessoais é uma área complexa

Leia mais

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Arantes, Vânia. Experiência profissional. Apelido(s) / Nome(s) próprio(s)

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Arantes, Vânia. Experiência profissional. Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Nacionalidade Portuguesa Data de nascimento 12 de Setembro de 1973 Sexo Feminino Experiência profissional 2008-2009 Formadora Formação

Leia mais

Serviços de Credit Management. Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira 21 de Janeiro de 2014 - Corinthia Hotel Lisbon -

Serviços de Credit Management. Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira 21 de Janeiro de 2014 - Corinthia Hotel Lisbon - Serviços de Credit Management Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira 21 de Janeiro de 2014 - Corinthia Hotel Lisbon - O Export Pack é o primeiro conceito em Portugal a agregar numa única solução

Leia mais

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Aspectos Relevantes para Investidores Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Portugueses em Angola Arial Bold (Orador) Alinhado esquerda 17 pt Arial (Data) Alinhado esquerda 14 pt Partilhamos a Experiência.

Leia mais

Condições Particulares do Distribuidor Banco de Investimento Global, S.A. - MARÇO 2014 -

Condições Particulares do Distribuidor Banco de Investimento Global, S.A. - MARÇO 2014 - Condições Particulares do Distribuidor Banco de Investimento Global, S.A. - MARÇO 2014 - Identificação do Distribuidor O Banco de Investimento Global (de ora em diante o Distribuidor ), com sede na Av.

Leia mais

Segurança Rodoviária: Lições resultantes do trabalho do International Transport Forum

Segurança Rodoviária: Lições resultantes do trabalho do International Transport Forum Segurança Rodoviária: Lições resultantes do trabalho do International Transport Forum José Viegas Secretário Geral International Transport Forum 19º Congresso Brasileiro de Transporte e Trânsito, Brasília,

Leia mais

Prémios Co-Inovação 2015. Joana Barroso & Hugo Miguel Ribeiro

Prémios Co-Inovação 2015. Joana Barroso & Hugo Miguel Ribeiro Prémios Co-Inovação 2015 Joana Barroso & Hugo Miguel Ribeiro ExpertSourcing Aprender com quem mais sabe do negócio. Na Quidgest, os clientes participam ativamente no desenvolvimento das soluções tecnológicas,

Leia mais

MODELO DE GESTÃO DO SISTAFE

MODELO DE GESTÃO DO SISTAFE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO PLANO E FINANÇAS GABINETE DA MINISTRA Unidade Técnica da Reforma Da Administração Financeira do Estado - UTRAFE MODELO DE GESTÃO DO SISTAFE Maputo, 12 de Julho de

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 2700:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELO REVISOR OFICIAL DE CONTAS E PELO AUDITOR EXTERNO DA EDP

Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELO REVISOR OFICIAL DE CONTAS E PELO AUDITOR EXTERNO DA EDP Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELO REVISOR OFICIAL DE CONTAS E PELO AUDITOR EXTERNO DA EDP 16.12.2010 REGULAMENTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELO REVISOR OFICIAL

Leia mais

Projetos Internacionais

Projetos Internacionais Projetos Internacionais Projetos Nacionais de Desenvolvimento Nacional de Água (I e II) - Banco Mundial (IDA) Cerca de 130 milhões USD (1998-2007) para a produção de água em zonas rurais e urbanas e para

Leia mais

CRA Timor Companhia de Representação e Advocacia CRA Portugal CRA Timor CRA Timor CRA Portugal. CRA Timor CRA Timor CRA Timor

CRA Timor Companhia de Representação e Advocacia CRA Portugal CRA Timor CRA Timor CRA Portugal. CRA Timor CRA Timor CRA Timor A CRA Timor Companhia de Representação e Advocacia, escritório de advogados pioneiro na República Democrática de Timor-Leste, foi fundada em Janeiro de 2006 pelos sócios da CRA Portugal, um prestigiado

Leia mais

Dare to be the best. Apresentação da 7ª Edição do Prémio Boas Práticas no Sector Público. 24 de Novembro de 2008

Dare to be the best. Apresentação da 7ª Edição do Prémio Boas Práticas no Sector Público. 24 de Novembro de 2008 Dare to be the best. 24 de Novembro de 2008 Parceiros: 2 Modelo da 7ª Edição Entidades que se podem candidatar G1) Administração Central Directa e Administração Regional G2) Administração Central Indirecta

Leia mais

CURRICULUM VITAE CARLOS DE LUCENA E VASCONCELLOS CRUZ

CURRICULUM VITAE CARLOS DE LUCENA E VASCONCELLOS CRUZ CURRICULUM VITAE CARLOS DE LUCENA E VASCONCELLOS CRUZ Abril 2006 DADOS PESSOAIS Carlos de Lucena e Vasconcellos Cruz Data de Nascimento: 12 Setembro 1957 Lisboa, Portugal Nacionalidade: Portuguesa Estado

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica 1. Introdução Assume-se que a internacionalização do IPSantarém não deve consistir

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS

PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS Artigo 1.º (Âmbito) 1 - O presente Regulamento estabelece a estrutura orgânica e as competências dos Serviços Administrativos e Financeiros

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

Embaixada da Republica Dominicana

Embaixada da Republica Dominicana Embaixada da Republica Dominicana Road Show AIP-CAL Portugal República Dominicana Portugal 30 Janeiro 2014 1 Indicadores relevantes População: 10,088,598 Produto Interno Bruto 2013 (PIB): $94.58 Agricultura

Leia mais

Agenda Digital para a Europa ponto de situação 2013

Agenda Digital para a Europa ponto de situação 2013 Agenda Digital para a Europa ponto de situação 2013 DAE Going Local Portugal 12 de Novembro de 2013, Lisboa Mário Campolargo European Commission - DG CONNECT Director, NET Futures "The views expressed

Leia mais

Implementação da CITES na União Europeia

Implementação da CITES na União Europeia Implementação da CITES na União Europeia Reunião com IBAMA sobre Aniba rosaeodora Manaus, 23 de fevereiro 2015 The views expressed in this presentation do not necessarily reflect the views of the European

Leia mais

Resultados do inquérito sobre a Internacionalização do Sector em 2014

Resultados do inquérito sobre a Internacionalização do Sector em 2014 Resultados do inquérito sobre a Internacionalização do Sector em 14 Balanço e Tendências na Internacionalização do Cluster Português da Água Fevereiro 15 Documento elaborado com base nas respostas ao inquérito

Leia mais

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Impacto Positivo de uma Redução de Tributos para Empresas e Consumidores Rio de Janeiro, 27 de maio de 2009 Em 2008, o mercado brasileiro de CDs e DVDs

Leia mais

INSTITUTO DE PLASMAS E FUSÃO NUCLEAR - LA

INSTITUTO DE PLASMAS E FUSÃO NUCLEAR - LA INSTITUTO DE PLASMAS E FUSÃO NUCLEAR - LA APRESENTAÇÃO DAS LINHAS DE ACTIVIDADE EM PROJECTOS INTERNACIONAIS DE GRANDE DIMENSÃO por Carlos Varandas 1, Fernando Serra 2 e Luis Silva 2 1 Professor Catedrático

Leia mais

Tendo em vista: Que as Partes desejam criar uma nova estrutura de cooperação, mais ampla, em benefício dos Países Beneficiários;

Tendo em vista: Que as Partes desejam criar uma nova estrutura de cooperação, mais ampla, em benefício dos Países Beneficiários; Decreto n.º 13/99 Convénio entre o Governo de Portugal e o Banco Interamericano de Desenvolvimento com o Propósito de Estabelecer Um Fundo Português de Cooperação Técnica, assinado em Washington, em 5

Leia mais

XV CONGRESSO NACIONAL DE TRANSITÁRIOS MONTE REAL 9 e 10 de OUTUBRO

XV CONGRESSO NACIONAL DE TRANSITÁRIOS MONTE REAL 9 e 10 de OUTUBRO XV CONGRESSO NACIONAL DE TRANSITÁRIOS MONTE REAL 9 e 10 de OUTUBRO A INTEROPERABILIDADE DOS TRANSPORTES: O CONTRIBUTO DO TRANSPORTE MARÍTIMO DE CURTA DISTÂNCIA Agenda 1. SSS: procura por uma definição

Leia mais

Relação entre emendas parlamentares e corrupção municipal no Brasil, aplicados à educação

Relação entre emendas parlamentares e corrupção municipal no Brasil, aplicados à educação Relação entre emendas parlamentares e corrupção municipal no Brasil, aplicados à educação Aluno: Julia Wrobel Folescu Orientadores: Sérgio Firpo Introdução Foi feito um estudo de forma a determinar o aumento

Leia mais