PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE BIOLÓGICO DE ÁCAROS-PRAGA NA CITRICULTURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE BIOLÓGICO DE ÁCAROS-PRAGA NA CITRICULTURA"

Transcrição

1 ENTOMOLOGIA PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE BIOLÓGICO DE ÁCAROS-PRAGA NA CITRICULTURA MÁRIO EIDI SATO 1 RESUMO Os ácaros predadores das famílias Phytoseiidae e Stigmaeidae constituem os principais inimigos naturais de ácaros-praga presentes em citros. Os fitoseídeos Iphiseiodes zuluagai Denmark & Muma, Euseius citrifolius Denmark & Muma e Euseius concordis Chant são freqüentes nos pomares cítricos do Brasil, onde ácaros do gênero Agistemus (Stigmaeidae) também têm sido encontrados com freqüência. Um dos problemas associados ao controle biológico exercido por esses inimigos naturais é sua alta mortalidade em vista do intenso uso de produtos fitossanitários na cultura no País. Entre as possibilidades de melhorar o desempenho desses predadores, pode-se mencionar o uso adequado de agroquímicos, com base na sua seletividade. Outra possibilidade é a introdução de ácaros predadores resistentes ou tolerantes a pesticidas, como de algumas populações de Neoseiulus californicus (McGregor), em nossos pomares cítricos. A importância dos ácaros predadores presentes em citros, o efeito de agroquímicos sobre tais predadores e a viabilidade do uso de N. californicus para o controle de ácarospraga na cultura são discutidos neste trabalho. Termos de indexação: Acari, Phytoseiidae, Stigmaeidae, Citrus sinensis, agroquímicos. 1 Pesquisador Científico, Laboratório de Entomologia Econômica, Centro Experimental Central do Instituto Biológico, APTA, Caixa Postal 70, Campinas (SP). ARTIGO TÉCNICO

2 292 MÁRIO EIDI SATO SUMMARY PESPECTIVES OF THE USE OF PREDACEOUS MITES FOR THE BIOLOGICAL CONTROL OF PHYTOPHAGOUS MITES ON CITRUS Predaceous mites of the families Phytoseiidae and Stigmaeidae represent the most important natural enemies of phytophagous mites in citrus orchards in Brazil. The species Iphiseiodes zuluagai Denmark & Muma, Euseius citrifolius Denmark & Muma and Euseius concordis Chant are frequent on citrus in Brazil. Mites of genus Agistemus (Stigmaeidae) are also frequently found on citrus in the country. A serious problem associated with the biological control provided by these natural enemies is the high mortality of these predaceous mites caused by the intensive use of pesticides on citrus in Brazil. One of the possibilities to improve the efficacy of these predators is the correct use of agrochemicals, based on their selectivity to natural enemies. Another possibility is the introduction of pesticide- -tolerant or resistant predaceous mites, such as some populations of the species Neoseiulus californicus (McGregor), in Brazilian citrus orchards. The importance of predaceous mites present on citrus, the effect of agrochemicals on these predators and the viability of the use of N. californicus for the biological control of phytophagous mites on citrus in Brazil are discussed. Index terms: Acari, Phytoseiidae, Stigmaeidae, Citrus sinensis, pesticides. 1. INTRODUÇÃO O ácaro-da-leprose ou ácaro-plano Brevipalpus phoenicis (Geijskes, 1939) (Tenuipalpidae) é uma das principais pragas da citricultura brasileira, dados os sérios prejuízos que causa na produção. É responsável pela transmissão do vírus da leprose dos citros (CiLV), que está associado a sintomas como lesões localizadas em frutos, ramos e folhas, queda prematura de frutos, desfolhamento e morte de ramos, que levam as plantas a um intenso declínio (RODRIGUES et al., 2003).

3 PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE Outro ácaro fitófago de grande importância é o da falsa-ferrugem, Phyllocoptruta oleivora (Ashmead, 1879) (Eriophyidae), também considerado praga-chave em citros (GRAVENA, 1984). Os ácaros B. phoenicis e P. oleivora são responsáveis pela maioria das pulverizações realizadas em citros (SINDAG, 2004). Em 2003, gastararam-se, aproximadamente, 70 milhões de dólares com acaricidas na citricultura brasileira, representando mais de 50% dos custos com todas as classes de defensivos agrícolas utilizados em citros (NEVES et al., 2003). Um dos problemas causados por essas freqüentes aplicações é o desenvolvimento da resistência de ácaros (ex.: B. phoenicis) a alguns acaricidas empregados na cultura (OMOTO et al., 2000). Outro problema, associado ao uso excessivo de agroquímicos, é a eliminação dos inimigos naturais presentes na cultura, favorecendo a ressurgência de pragas. O presente artigo apresenta informações sobre os ácaros predadores presentes em citros, o efeito de agroquímicos sobre esses inimigos naturais e as perspectivas do uso dos predadores no controle biológico de ácaros-praga na citricultura brasileira. A viabilidade da utilização do fitoseídeo Neoseiulus californicus (McGregor, 1954) (Phytoseiidae) para o controle de ácaros fitófagos em citros também é discutida. Algumas populações desse fitoseídeo se mostram tolerantes a diversos agroquímicos. 2. ÁCAROS PREDADORES EM CITROS Entre cerca de espécies de ácaros fitoseídeos encontrados em todo o mundo (MORAES et al., 2004), mais de 200 espécies foram registradas para citros (MORAES et al., 1986, 2004). Dos fitoseídeos reportados para a cultura, mais de dez espécies se encontram no Brasil (MORAES et al., 2004). SATO et al. (1994b) observaram a presença de seis espécies de ácaros predadores da família Phytoseiidae, em pomar de laranja em Presidente Prudente (SP), sendo as espécies de maior ocorrência as seguintes: Iphiseiodes zuluagai Denmark & Muma, 1972; Euseius citrifolius Denmark & Muma, 1970, e Euseius concordis (Chant, 1959), representando, respectivamente, 47,3, 26,5 e 25,7% dos ácaros coletados. As demais espécies foram: Amblyseius chiapensis DeLeon, 1961; Euseius alatus DeLeon, 1966, e Typhlodromina camelliae (Chant & Yoshida-

4 294 MÁRIO EIDI SATO Shaul, 1983), representando, juntas, menos de 1% do número total de ácaros amostrados. RAGA et al. (1996), estudando a distribuição de ácaros fitoseídeos em plantas de citros, observaram maior incidência dos ácaros predadores nas folhas localizadas no terço médio e no inferior da copa. Encontrou-se a maior parte dos fitoseídeos (86,7%) em folhas com presença de teias de insetos da ordem Psocoptera, que serviam de abrigo para tais ácaros. A espécie E. concordis apresenta um período médio de ovo a adulto de 5,5 dias, longevidade média de 35 dias e taxa de oviposição média de 1,6 ovo/fêmea/dia. Durante sua vida, cada ácaro preda em média 351 ovos ou 302 formas jovens ou 20,5 adultos do ácaro-da-leprose. O adulto é mais voraz que as formas imaturas (KOMATSU, 1988). Outras espécies, como I. zuluagai e E. citrifolius, também se mostram promissoras no controle biológico de B. phoenicis e outros ácaros-praga em citros no Brasil (GRAVENA et al., 1994; REIS et al., 1998). Essas informações indicam a importância da preservação dos ácaros fitoseídeos no controle biológico de ácaros-praga em citros no País. A família Stigmaeidae também apresenta espécies de ácaros predadores que se alimentam de ácaros-praga de citros, podendo-se citar os dos gêneros Agistemus e Zetzellia. Estudos relacionados à flutuação populacional de ácaros estigmeídeos na cultura de citros efetuaram-se nos municípios paulistas de Limeira, Araraquara, Jaboticabal, Itápolis, Bebedouro e Olímpia, durante dois anos, onde se foram amostraram frutos, ramos, folhas e plantas invasoras. Verificou-se que a espécie de estigmeídeo mais freqüente foi Agistemus brasiliensis Matioli, Ueckermann & Oliveira, 2002 (80%), seguida de Agistemus floridanus Gonzalez, 1965 (15%) e Zetzellia malvinae Matioli, Ueckermann & Oliveira, 2002 (5%). Encontraram-se estigmeídeos em maior número nos frutos, seguidos das folhas, não se observam sobre as espécies de plantas invasoras (MATIOLI, 2002). Estudos sobre a biologia de A. brasiliensis nas temperaturas de 15, 20, 25, 30 e 35 C indicaram que a condição ideal para o desenvolvimento dessa espécie foi de 29 C. Os valores de T (ciclo de vida - dias), R 0 e r m, na temperatura de 30 C, foram de 13,95, 16,25 e 0,20 respectivamente. Pesquisou-se potencialidade de predação de A. brasiliensis para as densidades de 5, 10,

5 PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE , 40 e 60 adultos do ácaro-da-leprose, em arenas de 3 cm de diâmetro, verificando-se que a densidade de 20 ácaros-da-leprose foi suficiente para que o predador consumisse seu máximo de presas (7,6 B. phoenicis por dia). Com relação à postura diária nas diferentes densidades de presa, densidades acima de 40 ácaros-da-leprose proporcionaram uma média de 4,7 ovos por dia (MATIOLI, 2002). Os ácaros predadores das famílias Stigmaeidae e Phytoseiidae freqüentemente promovem o controle biológico de ácaros-praga e interagem entre si através de competição por presas ou pela predação de um pelo outro (CLEMENTS & HARMSEN, 1992). Entre tais interações, tem-se observado que os ácaros Stigmaeidae se alimentam de formas imaturas de fitoseídeos, principalmente ovos (CROFT & MacRAE, 1993). Diversos pesquisadores têm sugerido que tais ácaros (Stigmaeidae) podem limitar o controle biológico exercido pelos fitoseídeos (SANTOS & LAING, 1985; WOOLHOUSE & HARMSEN, 1987); o inverso, porém, também tem sido relatado. Uma pesquisa efetuadda por SATO et al. (2001) em pomar cítrico do Estado de São Paulo indicou nítida competição entre fitoseídeos e estigmeídeos, havendo aumento do número de ácaros Stigmaeidae após a eliminação da maioria dos fitoseídeos, em conseqüência da pulverização de inseticidas. Além dos ácaros das famílias Phytoseiidae e Stigmaeidae, outros predadores podem ser encontrados nos pomares cítricos; entre eles, podem-se citar os das famílias Ascidae, Tydeidae, Cheyletidae, Cunaxidae, Bdellidae e Eupalopsellidae (MOREIRA, 1993). Outros artrópodes também podem predar ácaros fitófagos em citros, como a joaninha, do gênero Stethorus (Coleoptera: Coccinellidae), que se alimenta tanto de ovos como de ninfas e adultos de ácaros eriofídeos, tetraniquídeos, tarsonemídeos e tenuipalpídeos. Os crisopídeos (Neuroptera: Chrysopidae) também podem se alimentar de ácaros fitófagos (NASCIMENTO et al., l982). 3. MANEJO DE PLANTAS DANINHAS Algumas plantas daninhas, como Alternanthera tennella Colla (apaga-fogo), Amaranthus deflexus L. (caruru) (Amaranthaceae); Peschiera fuch-

6 296 MÁRIO EIDI SATO siaefolia Miers (leiteiro) (Apocynaceae); Acanthospermum australe (Loefl.) Kuntze (carrapichinho), Bidens pilosa L. (picão-preto), Erigeron bonariensis L. (buva) (Asteraceae); Ipomoeae spp. (corda-de-viola) (Convolvulaceae); Momordica charantia L. (melão-de-são-caetano) (Cucurbitaceae); Senna obtusifolia (L.) Irwin & Barneby (fedegoso) (Fabaceae); Leonotis nepetaefolia (L.) R. BR. (cordão-de-frade) (Labiatae); Sida cordifolia L. (malvabranca), Sida rhombifolia L. (guanxuma) (Malvaceae); Cenchrus echinatus L. (capim-carrapicho) (Poaceae); Richardia brasiliensis Gomes (poaia-branca) (Rubiaceae) e Lantana camara L. (cambará-de-cheiro) (Verbenaceae) são referidas como hospedeiras do ácaro-da-leprose (TRINDADE, 1990). Deveriam portanto, ser removidas dos pomares cítricos. Sabe-se, porém, que as plantas daninhas servem de abrigo e fonte de alimento (pólen) para os inimigos naturais de ácaros fitófagos, como é o caso dos ácaros predadores da família Phytoseiidae. Nesse aspecto, ainda são necessários estudos mais aprofundados para uma recomendação mais precisa de como manipular adequadamente as plantas daninhas, em um programa de manejo integrado de pragas. Em trabalhos realizados em Jaboticabal (SP), GRAVENA et al. (1992) constataram que a cobertura verde com mentrasto Ageratum conyzoides L. (Asteraceae) e cambará Eupatorium pauciflorum H.B.K. (Asteraceae) proporcionaram menor incidência de ácaros-da-leprose e da ferrugem e menores danos nos frutos. Além disso, os ácaros-da-leprose que vivem em plantas daninhas não sofrem a pressão de seleção por acaricidas, como aqueles presentes na copa das árvores, servindo, assim, como fonte de espécimes sensíveis, favorecendo o manejo da resistência de B. phoenicis aos acaricidas (OMOTO, 1995). 4. EFEITO DE AGROQUÍMICOS SOBRE ÁCAROS PREDADORES EM CITROS Atualmente, um dos grandes problemas associados à eficiência do controle biológico de ácaros-praga em citros é a alta mortalidade provocada pelos agroquímicos aos ácaros predadores e outros inimigos naturais presentes na cultura. Em vista da importância do problema, tem-se realizaddo diversos trabalhos para observar a toxicidade e/ou a seletividade de agroquími-

7 PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE cos a ácaros predadores da família Phytoseiidae presentes em citros no Brasil (KOMATSU & NAKANO, 1988; SATO et al., 1994a,1996; YAMAMOTO et al., 1995; REIS et al., 1998, 1999; MONTEIRO, 2001; REIS & SOUSA, 2001; YAMAMOTO & BESSANEZI, 2003; SILVA, 2005). A toxicidade residual de diversos acaricidas ao fitoseídeo E. citrifolius, em plantas cítricas, foi estudada por SATO et al. (1994a). Após a pulverização, efetuaram-se coletas periódicas de folhas, infestando-as com ácaros predadores: o óxido de fenbutatin foi praticamente inócuo aos adultos desse ácaro, com reduções populacionais inferiores a 19%. Os acaricidas acrinathrin, fenpyroximate e cihexatin causaram reduções iniciais acima de 83%, mostrando-se significativamente prejudicial até 5 dias após a aplicação. O bifenthrin foi o produto que se mostrou mais tóxico, com 100% de mortalidade até 10 dias após o tratamento e reduções significativas até 30 dias após a aplicação. Em um trabalho semelhante, visando à observação da toxicidade residual de acaricidas a I. zuluagai, SATO et al. (1996) observaram que o abamectin se mostrou tóxico até 1 dia após a aplicação, com reduções populacionais inferiores a 62%. Os acaricidas fenpyroximate, cyhexatin e propargite induziram reduções significativas na população até 4, 4 e 10 dias após a pulverização respectivamente. Os piretróides bifenthrin e fenpropathrin foram os mais prejudiciais, com reduções significativas até de 38 e 45 dias após a aplicação respectivamente. Embora o período de toxicidade residual da maioria dos acaricidas utilizados em citros seja limitado a alguns dias (ou semanas), o tempo necessário para o restabelecimento da população de ácaros predadores após a aplicação de acaricidas, em condições de campo, tem se mostrado relativamente longo (SATO et al., 1992, 1994c), sendo variável de acordo com as condições climáticas, e a vegetação de plantas daninhas que servem de hospedeiras para esses predadores, além de outros fatores. No estudo de SATO et al. (1995), os produtos acrinathrin, fenpyroximate e cyhexatin apresentaram reduções acima de 80% nas populações de ácaros predadores, mantendo reduções significativas até 68 dias após a pulverização. O enxofre também causou mortalidade inicial elevada, apresentando reduções significativas até 39 dias depois da aplicação. Novamente, o bifenthrin foi o produto mais tóxico, provocando mortalidade inicial de

8 298 MÁRIO EIDI SATO 100%, com restabelecimento parcial da população de fitoseídeos somente 152 dias após pulverização. A maioria dos acaricidas utilizados em citros, com exceção dos piretróides, não se tem mostrado muito tóxico a outros inimigos naturais presentes nos pomares de laranja. Apesar do volume razoável de informações sobre a sensibilidade de ácaros Phytoseiidae a pesticidas, praticamente não existem estudos sobre o efeito desses compostos a ácaros Stigmaeidae no Brasil. Entre as possibilidades de melhorar o desempenho de ácaros predadores, pode-se mencionar o uso adequado de agroquímicos, baseando-se na sua seletividade aos inimigos naturais. Outra possibilidade é a introdução de ácaros predadores resistentes ou tolerantes a agroquímicos, como de algumas populações do fitoseídeo N. californicus. 5. ÁCAROS PREDADORES RESISTENTES OU TOLERANTES A AGROQUÍMICOS Embora a resistência a inseticidas não seja freqüente em inimigos naturais, são conhecidos, atualmente, diversos casos de resistência em ácaros predadores pertencentes à família Phytoseiidae (HOY, 1990). Os fitoseídeos apresentam taxas reprodutivas elevadas, pseudo-arrenotoquia, exibem características de migração e atributos de colonização que favorecem a evolução da resistência a pesticidas (CROFT & Van de BAAN, 1988). Além disso, os fitoseídeos apresentam um ciclo biológico curto, haja vista que, na maioria das espécies, o período de desenvolvimento de ovo a adulto é de, aproximadamente, uma semana (HOY, 1985). A resistência a pesticidas tem sido documentada em populações de fitoseídeos, de espécies como Amblyseius fallacis (Garman, 1948), Metaseiulus occidentalis (Nesbitt, 1951), Phytoseiulus persimilis Athias-Henriot, 1957 e Typhlodromus pyri Scheuten, 1857 (HOY et al., 1979; ROUSH & HOY, 1981; STRICKLER & CROFT, 1982; CROFT & STRICKLER, 1983; HOY, 1985). A estratégia de controle biológico de ácaros-praga utilizando ácaros predadores resistentes ou tolerantes a defensivos tem sido empregada com sucesso em diversos países da Europa, da América do Norte e da Oceania, para diversas culturas, tais como maçã, citros, videira e culturas em ca-

9 PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE sas-de-vegetação (FIELD, 1978; HOY & KNOP, 1981; HOY, 1985, 1990; HUSSEY & SCOPES, 1985; FOURNIER et al., 1987; HOY & OUYANG, 1989; BLOMMERS, 1994). O emprego de fitoseídeos resistentes ou tolerantes a pesticidas em programas de controle integrado, durante as últimas décadas, tem contribuído para o aprimoramento do manejo de pragas em nível mundial e redução do número de casos de resistência em ácaros-praga (FAO, 1984). Os ácaros predadores, quando abundantes na cultura, podem manter a população de ácaros fitófagos em níveis que não causem prejuízos econômicos, por longo período após o tratamento químico, exigindo, assim, menor número de aplicações, reduzindo a pressão de seleção e, conseqüentemente, retardando o desenvolvimento da resistência pelo ácaro-praga. O ácaro predador N. californicus promove o controle biológico de ácaros fitófagos em várias espécies de plantas cultivadas, como maçã, morango, citros, feijão, plantas ornamentais etc. (MORAES et al., 1986, 2004; McMURTRY & CROFT, 1997). Esse fitoseídeo ocorre em diversas regiões do continente americano (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Guatemala, México, Peru e Venezuela), nas áreas áridas do Sul da Califórnia (EUA), Sul da Europa (Espanha, Itália e França) e Ásia (Japão e Taiwan) (McMURTRY & CROFT, 1997; MORAES et al., 2004). Segundo CASTAGNOLI & SIMONI (1999), a 25ºC, o período médio de ovo a adulto de N. californicus é 5 a 7 dias; a longevidade é de, aproximadamente, 30 dias; o número de ovos/fêmea/dia, de 2,8 a 3 ovos e a capacidade diária de consumo, de 15 a 20 ovos do ácaro-rajado Tetranychus urticae (Koch, 1836) (Tetranychidae). Uma população de ácaros fitoseídeos da espécie N. californicus, coletada de morangueiro comercial em Atibaia (SP), mostrou-se tolerante ou resistente a diversos agrotóxicos utilizados em citros no Brasil. Muitos deles foram inócuos (acrinathrin, deltamethrin, dinocap, enxofre, óxido de fenbutatin, propargite) ou levemente nocivos (azocyclotin, cyhexatin, fenpropathrin) aos ácaros dessa população de N. californicus (SATO et al., 2002b; SILVA, 2005), ao passo que vários deles foram nocivos a outras espécies de ácaros presentes em citros no Brasil (Tabela 1).

10 300 MÁRIO EIDI SATO Tabela 1. Seletividade de agroquimicos aos ácaros predaddores (Phytoseiidae) presentes em citros Produto Técnico Uso Ácaros predadores em geral Euseius concordis Euseius citrifolius Iphiseiodes zuluagai Acrinathrin A - M M N I Deltamethrin In N I Dinocap A I Enxofre F, A I/M/N I/L/M M M I Óxido de fenbutatin A L/N L/M I/L/M I/L/M I Propargite A L/M - N N I Neoseiulus californicus Azocyclotin A M N N N L Cyhexatin A L/M/N M/N M/N M/N L Fenpropathrin In, A N N N N L Abamectin A, In I/L I/M/N - L/N M Chlorfenapyr A N - - L/N N Dicofol A M/N N N N N Pyridaben A - N N N N A = acaricida; F = fungicida; In = inseticida. I = inócuo; L = levemente nocivo; M = moderadamente nocivo; N = nocivo. Fonte: KOMATSU & NAKANO (1988); REIS et al. (1998); MONTEIRO (2001), REIS & SOUSA (2001); SATO et al. (2002b);YAMAMOTO & BESSANEZI (2003) e SILVA (2005).

11 PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE Para alguns produtos, como o propargite, os ácaros N. californicus mostram-se 25 vezes mais tolerantes que o ácaro-rajado. Concentrações de propargite 10 vezes superiores à recomendada (216 mg de i.a./l) para diversas culturas são necessárias para matar apenas 50% dos adultos desse predador (SATO et al., 2002a). No Brasil, uma população de N. californicus tem sido criada massalmente e liberada em pomares de maçã no Sul, visando ao controle de Panonychus ulmi (Koch, 1836) (Tetranychidae). Os ácaros predadores têm- -se mostrado bastante eficientes, contribuindo para uma redução significativa no uso de acaricidas (MONTEIRO, 1994). Em algumas áreas, foi possível o controle de P. ulmi apenas com o uso de N. californicus, sem necessidade da aplicação de acaricidas, a partir do segundo ano após o início das liberações do predador (MONTEIRO, 2002). A vantagem da liberação de ácaros predadores tolerantes a defensivos agrícolas é que o agricultor pode realizar o controle químico de outras pragas (ou doenças) sem se preocupar se está matando os predadores liberados. Outra vantagem é que o agricultor poderá realizar uma eventual aplicação de acaricida caso os ácaros predadores não consigam controlar adequadamente a população do ácaro-praga, em vista, por exemplo, de uma liberação insuficiente desses predadores. A utilização de N. californicus na cultura de morangueiro também se mostrou bastante promissora, com excelentes resultados no controle biológico de ácaro-rajado em área comercial, na região de Atibaia (SP) (SATO et al., 2002b). Esses resultados indicam o elevado potencial de uso de tais ácaros em programas de manejo de ácaros-praga em diversas culturas. A importância desse predador em citros ainda é desconhecida no Brasil. Sabe-se que é fácil de ser criado e se mostra eficiente na predação de ovos e larvas de B. phoenicis. Também apresenta bom potencial para o controle biológico de outras espécies de ácaros-praga presentes em citros, tais como, P. oleivora e Tetranychus mexicanus (McGregor, 1950) (Tetranychidae) (SILVA, 2005). A utilização de N. californicus em programas de manejo de ácaros pode ser bastante interessante em pomares de citros do Estado de São Paulo, onde o uso de pesticidas é intenso.

12 302 MÁRIO EIDI SATO Uma das dificuldades no momento refere-se à indisponibilidade de grandes populações de ácaros predadores tolerantes a agroquímicos para atender a todos os produtores de citros. Existe a possibilidade de o próprio produtor multiplicar os ácaros predadores em sua propriedade, pela grande facilidade de criação desses organismos. Caso, porém, muitos agricultores passem a adotar a liberação de ácaros predadores como uma prática normal para o controle de ácaros-praga, com certeza não faltarão empresas interessadas em multiplicar esses predadores para vendê-los aos produtores de citros e de outras culturas, como ocorre na Europa e Estados nos Unidos. 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS Apesar do aparente potencial de uso de N. californicus para o controle biológico de ácaros-praga em citros, ainda são necessários estudos para avaliar a viabilidade do emprego desses artrópodes nessa cultura no Brasil. O efeito da introdução desses inimigos naturais sobre as outras espécies de ácaros predadores presentes em citros no País também precisa ser avaliado. Da mesma forma, as táticas de introdução e manutenção de populações tolerantes a agroquímicos ainda precisam ser pesquisadas, visando à definição de um possível programa de manejo de ácaros-praga nessa cultura. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BLOMMERS, L.H.M. Integrated pest management in European apple orchards. Annu. Rev. Entomol., v.39, p , CASTAGNOLI, M. & SIMONI, S. Effect of long-term feeding history on functional and numerical response of Neoseiulus californicus (Acari: Phytoseiidae). Exp. Appl. Acarol., v.23, p , CLEMENTS, D.R. & HARMSEN, R. Stigmaeid-phytosiid interactions and the impact of natural enemy complexes on plant-inhabiting mites. Exp. Appl. Acarol., v. 14, p , CROFT, B.A. & MacRAE, I.V. Biological control of apple mites: impact of Zetzellia mali (Acari: Stigmaeidae) on Typhlodromus pyri and Metaseiulus occidentalis (Acari: Phytoseiidae). Environ. Entomol., v. 22, n. 4, p , CROFT, B.A. & STRICKLER, K.A. Natural enemy resistance to pesticides: documentation, characterization, theory and application. In: GEORGHIOU, G.P. & SAITO, T. (Eds.). Pest resistance to pesticides. New York: Plenum Press, p

13 PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE CROFT, B.A. & Van de BAAN, H.E. Ecological and genetic factors influencing evolution of pesticide resistance in tetranychid and phytoseiid mites. Exp. Appl. Acarol., v.4, p , FAO. Recommended methods for the detection and measurement of resistance of agricultural pests to pesticides. Method for phytoseiid predatory mites. FAO Plant Protection Bulletin, v.32, p.25-27, FIELD, R.P. Control of the two-spotted mite in a Victorian peach orchard with an introduced, insecticide-resistant strain of the predatory mite Typhlodromus occidentalis Nesbitt (Acarina: Phytoseiidae). Australian J. Zool., v.26, p , FOURNIER, D.; PRALAVORIO, M.; TROTTIN-CAUDAL, Y.; COULON, J.; MA- LEZIEUX, S. & BERGE, J.B. Sélection artificielle pour la résistance au metidation chez Phytoseiulus persimilis A.H. Entomophaga, v.32, n.2, p , GRAVENA, S. Manejo integrado de pragas dos citros. Laranja, v.5, p , GRAVENA, S.; BENETOLI, I.; MOREIRA, P.H.R. & YAMAMOTO, P.T. Euseius citrifolius Denmark & Muma predation on citrus leprosis mite Brevipalpus phoenicis (Geijskes) (Acari: Phytoseiidae: Tenuipalpidae). An. Soc. Entomol. Brasil, v.23, p , GRAVENA, S.; COLETTI, A. & YAMAMOTO, P.T. Influence of green cover with Ageratum conyzoides and Eupatorium pauciflorum on predatory and phytophagous mites in citrus. In: INTERNATIONAL SOCIETY OF CITRICULTURE CONGRESS, 7., Acireale. Proceedings...Acireale: International Society of Citriculture, v.3, p HOY, M.A. Pesticide resistance in arthropod natural enemies: variability and selection responses. In: ROUSH, R.T. & TABASHNIK, B.E. (Eds.). Pest resistance in arthropods. New York: Chapman and Hall, p HOY, M.A. Recent advances in genetics and genetic improvement of the Phytoseiidae. Annu. Rev. Entomol., v.30, p , HOY, M.A.; FLAHERTY, D.L.; PEACOCK, W. & CULVER, D. Vineryard and laboratory evolutions of methomyl, dimethoate, and permethrin for grape pest management program in the San Joaquin Valley of California. J. Econ. Entomol., v.72, p , HOY, M.A. & KNOP, N.F. Selection for and genetic analysis of permethrin resistance in Metaseiulus occidentalis: genetic improvement of biological control agent. Entomol. Exp. Appl., v.30, p.10-18, HOY, M.A. & OUYANG, Y.L. Selection of the western predatory mite, Metaseiulus occidentalis (Acari: Phytoseiidae), for resistance to abamectin. J. Econ. Entomol., v. 82, p , HUSSEY, N.W. & SCOPES, N.E.A. Greenhouse vegetables. In: HELLE, W. & SA- BELIS, M.W. (Eds.). Spider mites: their biology, natural enemies, and control. Amsterdam: Elsevier, v.1b, p

14 304 MÁRIO EIDI SATO KOMATSU, S.S. Aspectos bioetológicos de Euseius concordis (Chant, 1959) (Acari: Phytoseiidae) e seletividade dos acaricidas convencionais nos citros p. Dissertação (Mestrado em Ciências, Área de Concentração em Entomologia) Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz /USP, Piracicaba. KOMATSU, S.S. & NAKANO, O. Estudos visando o manejo do ácaro da leprose em citros através do ácaro predador Euseius concordis (Acari: Phytoseiidae). Laranja, v.9, p , McMURTRY, J.A. & CROFT, B.A. Life styles of phytoseiid mites and their roles as biological control agents. Annu. Rev. Entomol., v.42, p , MATIOLI, A.L. Aspectos taxonômicos e bioecológicos de ácaros predadores Stigmaeidae (Acari) de ocorrência em citros p. Tese (Doutorado em Agronomia, Área de Concentração em Entomologia Agrícola) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias UNESP, Jaboticabal. MONTEIRO, L.B. Manejo integrado de Panonychus ulmi em macieira. Primeiras experiências com a introdução de Neoseiulus californicus. Rev. Bras. Frutic., v.16, p.46-53, MONTEIRO, L.B. Manejo integrado de pragas em macieira no Rio Grande do Sul. II. Uso de Neoseiulus californicus para controle de Panonychus ulmi. Rev. Bras. Frutic., v.24, n.2, p , MONTEIRO, L.B. Seletividade de inseticidas a Neoseiulus californicus McGregor (Acari: Phytoseiidae) em macieira, no Rio Grande do Sul. Rev. Bras. Frutic., v.23, n.3, p , MORAES, G.J. de; McMURTRY, J.A. & DENMARK, H.A. A catalog of the mite family Phytoseiidae: references to taxonomy, synonymy, distribution and habitat. Brasília: EMBRAPA-DDT, p. MORAES, G.J. de; McMURTRY, J.A.; DENMARK, H.A. & CAMPOS, C.B. A revised catalog of the mite family Phytoseiidae. Zootaxa, v.434, p.1-494, MOREIRA, P.H.R. Ocorrência, dinâmica populacional de ácaros predadores em citros e biologia de Euseius citrifolius (Acari: Phytoseiidae) p. Dissertação (Mestrado em Agronomia, Área: Entomologia) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias/UNESP, Jaboticabal. NASCIMENTO, A.S.; MORAES, G.J. de; CABRITA, J.R.M.; SILVA, L.M.S.; PORTO, O.M., CASSINO, P.C.R.; GRAVENA, S. & PINTO, W.B.S. Manual de manejo integrado das pragas do pomar cítrico. Jaguariúna: EMBRAPA/ CNPMF, Documentos, 6, 48p. NEVES, E.M.; RODRIGUES, L.; DRAGONE, D.S. & DAYOUB, M. Efeitos alocativos na citricultura: um comparativo entre os anos de crise e de euforia. Laranja, v.24, n.1, p.1-17, OMOTO, C. Resistência de Brevipalpus phoenicis (Acari: Tenuipalpidae) aos produtos químicos na citricultura. In: OLIVEIRA, C.A.L. de & DONADIO, L.C. (Eds.). Leprose dos citros. Jaboticabal: FUNEP, p

15 PERSPECTIVAS DO USO DE ÁCAROS PREDADORES NO CONTROLE OMOTO, C.; ALVES, E.B. & RIBEIRO, P.C. Detecção e monitoramento da resistência de Brevipalpus phoenicis (Geijskes) (Acari: Tenuipalpidae) ao dicofol. An. Soc. Entomol. Brasil, v.29, n.4, p , RAGA, A.; SATO, M.E.; CERÁVOLO, L.C. & ROSSI, A.C. Distribuição de ácaros predadores (Phytoseiidae) em laranjeira (Citrus sinensis L. Osbeck). Ecossistema, v.21, p.23-25, REIS, P.R.; CHIAVEGATO, L.G.; MORAES, G.J. de; ALVES, E.B. & SOUSA, E.O. Seletividade de agroquímicos ao ácaro predador Iphiseiodes zuluagai Denmark & Muma (Acari: Phytoseiidae). An. Soc. Entomol. Brasil, v. 27, n. 2, p , REIS, P.R. & SOUZA, E.O. Seletividade de chlorfenapyr e fenbutatin-oxide sobre duas espécies de ácaros predadores (Acari: Phytoseiidae) em citros. Rev. Bras. Frutic., v.23, n.3, p , REIS, P.R.; SOUSA, E.O. & ALVES, E.B. Seletividade de produtos fitossanitários ao ácaro predador Euseius alatus DeLeon (Acari: Phytoseiidae). Rev. Bras. Frutic., v. 21, n.3, p , RODRIGUES, J.C.V.; KITAJIMA, E.W.; CHILDERS, C.C. & CHAGAS, C.M. Citrus leprosis virus vectored by Brevipalpus phoenicis (Acari: Tenuipalpidae) in citrus in Brazil. Exp. Appl. Acarol., v.30, p , ROUSH, R.T. & HOY, M.A. Genetic improvement of Metaseiulus occidentalis: selection with methomyl, dimethoate, and carbaryl and genetic analysis of carbaryl resistance. J. Econ. Entomol., v.74, p , SANTOS, M.A. & LAING, J.E. Stigmaeidae predators. In: HELLE, W. & SABELIS, M.W. (Eds.). Spider mites: their biology, natural enemies and control. Amsterdam: Elsevier, v.1b, p SATO, M.E.; CERÁVOLO, L.C.; CEZÁRIO, A.C.; RAGA, A. & MONTES, S.M.N.M. Toxicidade residual de acaricidas a Euseius citrifolius Denmark & Muma, 1970 (Acari: Phytoseiidae) em citros. Rev. Agric., v.69, n.3, p , 1994a. SATO, M.E.; CERÁVOLO, L.C.; ROSSI, A.C.; CEZÁRIO, A.C.; POTENZA, M.R. & RAGA, A. Avaliação do efeito de acaricidas sobre ácaros-predadores (Phytoseiidae) e outros artrópodos em citros. Rev. Agric., v. 70, n. 1, p , SATO, M.E.; CERÁVOLO, L.C.; ROSSI, A.C.; RAGA, A. & SOUZA FILHO, M.F. de. Toxicidade residual de acaricidas a Iphiseiodes zuluagai Denmark & Muma, 1972 (Acari: Phytoseiidae). Arq. Inst. Biol., v. 63, n.1, p , SATO, M.E.; RAGA, A.; CERÁVOLO, L.C.; ROSSI, A.C. & CEZÁRIO, A.C. Efeito de acaricidas sobre Brevipalpus phoenicis (Geijskes, 1939) (Acari: Tenuipalpidae) e ácaros predadores (família Phytoseiidae) em citros. Rev. Bras. Frutic., v.14, p.87-93, SATO, M.E.; RAGA, A.; CERÁVOLO, L.C.; ROSSI, A.C. & POTENZA, M.R. Ácaros predadores em pomar cítrico de Presidente Prudente. An. Soc. Entomol. Brasil, v.23, n.3, p , 1994b.

16 306 MÁRIO EIDI SATO SATO, M.E.; RAGA, A.; CERÁVOLO, L.C.; ROSSI, A.C. & POTENZA, M.R. Efeito de acaricidas sobre o ácaro-da-leprose Brevipalpus phoenicis (Geijskes, 1939) (Acari: Tenuipalpidae) e sobre a fauna de artrópodos em citros. Arq. Inst. Biol., v.61, n.1/2, p.9-15, 1994c. SATO, M.E.; RAGA, A.; CERÁVOLO, L.C.; SOUZA FILHO, M.F. de; ROSSI, A.C. & MORAES, G.J. de. Effect of insecticides and fungicides on the interaction between members of the mite families Phytoseiidae and Stigmaeidae on citrus. Exp. Appl. Acarol., v.25, p , SATO, M.E.; SILVA, M. da; GONÇALVES, L.R.; SOUZA FILHO, M.F. de & RAGA, A. Toxicidade diferencial de agroquímicos a Neoseiulus californicus (McGregor) (Acari: Phytoseiidae) e Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae) em morangueiro. Neotrop. Entomol., v.31, n.3, p , 2002a. SATO, M.E.; SILVA, M. da; SOUZA FILHO, M.F. de & RAGA, A. Manejo de Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae) em morangueiro utilizando ácaros predadores (Phytoseiidae) e propargite. Arq. Inst. Biol., v.69 (Supl.), p , 2002b. SILVA, M.Z. da. Potencialidade do Neoseiulus californicus (McGregor) (Acari: Phytoseiidae) na predação de ácaros fitófagos na cultura dos citros no Estado de São Paulo p. Dissertação (Mestrado em Agronomia, Área de Concentração em Entomologia Agrícola) Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias/UNESP, Jaboticabal. SINDAG. Sindicato Nacional de Indústria de Produtos para Defesa Agrícola. Disponível em: <www.sindag.com.br>. Acesso em: 30 nov STRICKLER, K.A. & CROFT, B.A. Selection for permethrin resistance in the predatory mite, Amblyseius fallacis Garman (Acarina: Phytoseiidae). Entomol. Exp. Appl., v.31, p , TRINDADE, M.L.B. Caracterização biológica dos ácaros Brevipalpus obovatus Donnadieu, 1875, Brevipalpus californicus (Banks, 1904) e Brevipalpus phoenicis (Geijskes, 1939) (Acari: Tenuipalpidae) no Estado de São Paulo. Botucatu, 1990, 108p. Dissertação (Mestrado em Agronomia, Área de Concentração em Entomologia). Faculdade de Ciências Agronômicas/UNESP, Botucatu. WOOLHOUSE, M.E.J. & HARMSEN, R. A transition matrix model of seasonal changes in mite populations. Ecol. Modell., v.37, p , YAMAMOTO, P.T. & BESSANEZI, R.B. Seletividade de produtos fitossanitários aos inimigos naturais de pragas dos citros. Laranja, v.24, n.2, p , 2003.Tabela 1. Seletividade de agroquímicos aos ácaros predadores (Phytoseiidae) presentes em citros. YAMAMOTO, P.T.; PINTO, R.A.; PAIVA, P.E.B. & GRAVENA, S. Seletividade de acaricidas a inimigos naturais em citros. In: OLIVEIRA, C.A.L. de & DONADIO, L.C. (Eds.). Leprose dos citros. Jaboticabal: FUNEP, p

SELETIVIDADE DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS AOS INIMIGOS NATURAIS DE PRAGAS DOS CITROS

SELETIVIDADE DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS AOS INIMIGOS NATURAIS DE PRAGAS DOS CITROS ENTOMOLOGIA SELETIVIDADE DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS AOS INIMIGOS NATURAIS DE PRAGAS DOS CITROS PEDRO TAKAO YAMAMOTO 1 e RENATO BEOZZO BASSANEZI 2 RESUMO O trabalho tem por objetivo apresentar uma compilação

Leia mais

Diversidade de Ácaros em Aceroleira (Malpighia emarginata A.DC.) na Universidade Federal Rural de Pernambuco em Recife, PE

Diversidade de Ácaros em Aceroleira (Malpighia emarginata A.DC.) na Universidade Federal Rural de Pernambuco em Recife, PE October - December 23 577 ECOLOGY, BEHAVIOR AND BIONOMICS Diversidade de Ácaros em Aceroleira (Malpighia emarginata A.DC.) na Universidade Federal Rural de Pernambuco em Recife, PE DAISI G.F. BARBOSA,

Leia mais

COMPORTAMENTO DE BUSCA DO PREDADOR PHYTOSEIULUS MACROPILIS

COMPORTAMENTO DE BUSCA DO PREDADOR PHYTOSEIULUS MACROPILIS COMPORTAMENTO DE BUSCA DO PREDADOR PHYTOSEIULUS MACROPILIS (ACARI: PHYTOSEIDAE) POR TETRANYCHUS URTICAE (ACARI: TETRANYCHIDAE) EM PLANTAS DE MORANGUEIRO SOB CONDIÇÕES SIMULADAS DE CAMPO Amanda Fialho (1),

Leia mais

TABELA DE VIDA DE FERTILIDADE DE BREVIPALPUS PHOENICIS (GEIJSKES, 1939) (ACARI: TENUIPALPIDAE) EM DIFERENTES CULTIVARES DE CAFÉ (COFFEA SPP.

TABELA DE VIDA DE FERTILIDADE DE BREVIPALPUS PHOENICIS (GEIJSKES, 1939) (ACARI: TENUIPALPIDAE) EM DIFERENTES CULTIVARES DE CAFÉ (COFFEA SPP. 377 TABELA DE VIDA DE FERTILIDADE DE BREVIPALPUS PHOENICIS (GEIJSKES, 1939) (ACARI: TENUIPALPIDAE) EM DIFERENTES CULTIVARES DE CAFÉ (COFFEA SPP.) M.J.C. Mendonça 1, A.P. Prado 1, C.P. Stein 2, M.E. Sato

Leia mais

Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental

Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental Estações Experimentais de Pesquisa EEGJaboticabal EEGUberlândia

Leia mais

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro Potencial da Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) no controle da Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae). Willian Sabino RODRIGUES¹; Gabriel de Castro JACQUES²;

Leia mais

OPÇÕES E CUSTOS COMPARATIVOS PARA UM PROGRAMA DE REDUÇÃO DO INÓCULO DA LEPROSE DOS CITROS

OPÇÕES E CUSTOS COMPARATIVOS PARA UM PROGRAMA DE REDUÇÃO DO INÓCULO DA LEPROSE DOS CITROS ENTOMOLOGIA OPÇÕES E CUSTOS COMPARATIVOS PARA UM PROGRAMA DE REDUÇÃO DO INÓCULO DA LEPROSE DOS CITROS JOSÉ C.V. RODRIGUES 1, 2, FABIANO Z. UETA 1 e RONALD P. MURARO 1 RESUMO A leprose dos citros apresenta

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas

Manejo Integrado de Pragas Manejo Integrado de Pragas CATI / Campinas-SP 11/11/2011 Miguel Francisco de Souza Filho Pesquisador Científico Instituto Biológico - APTA Caixa Postal 70 CEP 13012-970 / Campinas - SP e-mail: miguelf@biologico.sp.gov.br

Leia mais

OCORRÊNCIA DE CRISOPÍDEOS (NEUROPTERA: CHRYSOPIDAE) EM DIFERENTES PLANTAS

OCORRÊNCIA DE CRISOPÍDEOS (NEUROPTERA: CHRYSOPIDAE) EM DIFERENTES PLANTAS ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 OCORRÊNCIA DE CRISOPÍDEOS (NEUROPTERA: CHRYSOPIDAE) EM DIFERENTES PLANTAS Elton Luiz Scudeler 1 ;

Leia mais

Fábio Aquino de Albuquerque 1. Abstract

Fábio Aquino de Albuquerque 1. Abstract Estimativa do Número de Gerações do Ácaro-vermelho, Tetranychus ludeni, e seu Predador, Phytoseiulus macropilis, (Acari: Tetranychidae, Phytoseiidae) em Função das Projeções do aumento da Temperatura Média

Leia mais

BIOECOLOGIA DE ÁCAROS (ACARI) ASSOCIADOS À CULTURA DA SOJA (GLYCINE MAX (L.) MERRIL) (FABACEAE) NA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

BIOECOLOGIA DE ÁCAROS (ACARI) ASSOCIADOS À CULTURA DA SOJA (GLYCINE MAX (L.) MERRIL) (FABACEAE) NA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO BIOECOLOGIA DE ÁCAROS (ACARI) ASSOCIADOS À CULTURA DA SOJA (GLYCINE MAX (L.) MERRIL) (FABACEAE)

Leia mais

Acarofauna e potencial de ácaros predadores no controle de ácaros-praga. em pinhão-manso (Jatropha curcas L.) no estado do Tocantins

Acarofauna e potencial de ácaros predadores no controle de ácaros-praga. em pinhão-manso (Jatropha curcas L.) no estado do Tocantins U IVERSIDADE FEDERAL DO TOCA TI S CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE GURUPI MESTRADO EM PRODUÇÃO VEGETAL Diego de Macedo Rodrigues Acarofauna e potencial de ácaros predadores no controle de ácaros-praga em pinhão-manso

Leia mais

Distribuição das espécies de fitoseídeos por diferentes habitats do ecossistema macieira no início do período de repouso vegetativo

Distribuição das espécies de fitoseídeos por diferentes habitats do ecossistema macieira no início do período de repouso vegetativo Boi. San. Veg. Plagas, 24: 457-464. 1998 Distribuição das espécies de fitoseídeos por diferentes habitats do ecossistema macieira no início do período de repouso vegetativo I. G. ESPINHA, F. FERRAGUT,

Leia mais

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas Controle Biológico Postura no coleto Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br Posturas nas folhas Proteção Ambiental: Controle Biológico Agrotóxicos Produtividade x Saúde do Trabalhador Rural Fonte:

Leia mais

Prof a Dr a Núbia Maria Correia correianm@fcav.unesp.br www.fcav.unesp.br/nubiacorreia

Prof a Dr a Núbia Maria Correia correianm@fcav.unesp.br www.fcav.unesp.br/nubiacorreia Prof a Dr a Núbia Maria Correia correianm@fcav.unesp.br www.fcav.unesp.br/nubiacorreia SÃO PLANTAS QUE NAQUELE DETERMINADO MOMENTO ESTÃO INDO CONTRA OS INTERESSES DO HOMEM, DE FORMA DIRETA OU INDIRETA.

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR 1 DELAI, Lucas da Silva; 1 ALVES Victor Michelon; 1 GREJIANIN, Gustavo; 1 PIRANHA, Michelle Marques

Leia mais

Influência da dureza e potencial hidrogeniônico da calda de pulverização sobre o controle do ácaro-da-leprose em frutos de laranja doce

Influência da dureza e potencial hidrogeniônico da calda de pulverização sobre o controle do ácaro-da-leprose em frutos de laranja doce Influência da dureza e potencial hidrogeniônico da calda de pulverização sobre o controle do ácaro-da-leprose em frutos de laranja doce Evandro Pereira Prado ( * ); Demétrius de Araújo; Carlos Gilberto

Leia mais

O HERBICIDA PARAQUATE

O HERBICIDA PARAQUATE O HERBICIDA PARAQUATE Girabis Envangelista Ramos Brasília/DF, 04 de novembro de 2015 HISTÓRICO E USO Primeiro registro:1962 na Inglaterra (ICI) Nos Estados Unidos da América: 1964 No Brasil: década de

Leia mais

A lagarta acabou com o meu feijão!

A lagarta acabou com o meu feijão! A lagarta acabou com o meu feijão! A UU L AL A Os brasileiros gostam muito de um bom prato de arroz e feijão. Quando vamos ao supermercado e compramos um pacote de feijão pronto para ser cozido, não imaginamos

Leia mais

José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq

José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq O Brasil é líder na Agricultura Tropical, com uma tecnologia própria Área (ha) 450.000 400.000 350.000 300.000 Área usada Área agricultável

Leia mais

O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP) EM SOJA E O COMPROMISSO COM O MEIO AMBIENTE

O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP) EM SOJA E O COMPROMISSO COM O MEIO AMBIENTE O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP) EM SOJA E O COMPROMISSO COM O MEIO AMBIENTE A. R. Panizzi Entomologista, Ph.D., Embrapa Soja, Caixa Postal 231, Londrina, PR 861-97, email: panizzi@cnpso.embrapa.br Resumo

Leia mais

Tamarixia radiata x Diaphorina citri nova abordagem do controle biológico clássico

Tamarixia radiata x Diaphorina citri nova abordagem do controle biológico clássico Tamarixia radiata x Diaphorina citri nova abordagem do controle biológico clássico José Roberto P. Parra Alexandre J. F. Diniz Jaci Mendes Vieira Gustavo R. Alves Departamento de Entomologia e Acarologia

Leia mais

Helicoverpa armigera. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br

Helicoverpa armigera. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br Helicoverpa armigera Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br Controle Biológico com ênfase a Trichogramma Postura no coleto Posturas nas folhas Trichogramma Manejo Integrado de Pragas com ênfase

Leia mais

ÁCARO ACERIA LITCHII (KEIFER) (PROSTIGMATA: ERIOPHYIDAE) NOVA PRAGA DA LICHIEIRA NO BRASIL

ÁCARO ACERIA LITCHII (KEIFER) (PROSTIGMATA: ERIOPHYIDAE) NOVA PRAGA DA LICHIEIRA NO BRASIL ISSN 1983-134X Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios Instituto Biológico Foto: Jeferson L. C. Mineiro ÁCARO ACERIA LITCHII

Leia mais

O manejo da resistência de pragas a inseticidas depende de todos nós: Adote esta idéia!

O manejo da resistência de pragas a inseticidas depende de todos nós: Adote esta idéia! O manejo da resistência de pragas a inseticidas depende de todos nós: Adote esta idéia! Manejo da Resistência de Pragas a Inseticidas: Considere essa Alternativa A produção vegetal atual está anos-luz

Leia mais

BDU Biblioteca Digital da UNIVATES (http://www.univates.br/bdu)

BDU Biblioteca Digital da UNIVATES (http://www.univates.br/bdu) Centro Universitário UNIVATES Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação Mestrado em Ambiente e Desenvolvimento BIOECOLOGIA DE ÁCAROS EM VIDEIRA (Vitis vinifera L.: VITACEAE) NO RIO GRANDE DO SUL,

Leia mais

PRAGAS DA SERINGUEIRA

PRAGAS DA SERINGUEIRA PRAGAS DA SERINGUEIRA Fernando da Silva Fonseca Eng. Agr. MSc Entomologia Plantações E. Michelin Ltda Rod. BR-163, km 16,5 cx postal 80 Cep:78700-000 Itiquira, MT Tel/Fax: (65) 3449.4000 PERCEVEJO-DE-RENDA

Leia mais

Epagri. Manejo de pragas da maçã: safra 2014. www.epagri.sc.gov.br

Epagri. Manejo de pragas da maçã: safra 2014. www.epagri.sc.gov.br Manejo de pragas da maçã: safra 2014 Epagri www.epagri.sc.gov.br Cristiano João Arioli Epagri Estação Experimental de São Joaquim cristianoarioli@epagri.sc.gov.br Manejo de pragas da maçã: safra 2014

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS DA CANA- DE AÇÚCAR NA PRÁTICA Resumo Bruno Pereira Santos 1 ; Profa. Dra. Ana Maria Guidelli Thuler 2 1, 2 Universidade de Uberaba bruno pereira santos 1, bpereiira955@gmail.com

Leia mais

Alexandre de Sene Pinto

Alexandre de Sene Pinto Alexandre de Sene Pinto transformação Crise dos alimentos Perdas na produção por fatores ambientais Crise dos alimentos Países estão comendo mais: China, Índia e Brasil Áreas agrícolas 450.000 Área (ha)

Leia mais

Abamectina no controle do ácaro-branco na cultura do pinhão-manso

Abamectina no controle do ácaro-branco na cultura do pinhão-manso 195 Abamectina no controle do ácaro-branco na cultura do pinhão-manso João Alfredo Neto da Silva 1, Cesar José da Silva 2, Harley Nonato de Oliveira 2, Cristiano Márcio Alves de Souza 2 e Paulo Rogério

Leia mais

ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL EM CULTIVO DE MILHO

ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL EM CULTIVO DE MILHO ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL

Leia mais

International Organization for Biological Control of Noxious Animals and Plants- IOBC

International Organization for Biological Control of Noxious Animals and Plants- IOBC International Organization for Biological Control of Noxious Animals and Plants- IOBC Missão: promover o desenvolvimento do Controle Biológico e sua aplicação em programas de manejo integrado WWW.IOBC-GLOBAL.ORG

Leia mais

Coordenação de Pesquisas em Biodiversidade - CBIO

Coordenação de Pesquisas em Biodiversidade - CBIO Coordenação de Pesquisas em Biodiversidade - CBIO Nome do GP Nome do Líder Membros do GP Biota do Solo e Vegetação em Sistemas Lucille Marilyn May Kriger d Amorim Antony Luiz Augusto Gomes de Souza, José

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO DA LAGARTA-DA-SOJA (Anticarsia gemmatalis) POR Baculovirus anticarsia

CONTROLE BIOLÓGICO DA LAGARTA-DA-SOJA (Anticarsia gemmatalis) POR Baculovirus anticarsia CONTROLE BIOLÓGICO DA LAGARTA-DA-SOJA (Anticarsia gemmatalis) POR Baculovirus anticarsia SAVIO, Guilherme Montenegro 1 1 Acadêmico do curso de Agronomia da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Marcelo C. Picanço Prof. de Entomologia Universidade Federal de Viçosa Telefone: (31)38994009 E-mail: picanco@ufv.br Situação do Controle de Pragas de Grandes

Leia mais

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO LEANDRO CARLOS FERREIRA 1,3 ; ITAMAR ROSA TEIXEIRA 2,3 RESUMO: O sistema de cultivo

Leia mais

Índice. Página 1 de 10

Índice. Página 1 de 10 GRAVENA - Manejo Ecológico de Pragas Ltda. Consultoria Geral-Pesquisa-Treinamento PIONEIRA E ÚNICA NA AMÉRICA LATINA COM EXCLUSIVIDADE EM MEP Rodovia SP 253, Km 221,5 (Jaboticabal-Luiz Antônio), Caixa

Leia mais

Data: 05/10/2012 Assunto:

Data: 05/10/2012 Assunto: Veículo: Refrescante Data: 05/10/2012 Assunto: Manejo Integrado de Pragas promove cafeicultura sustentável http://refrescante.com.br/manejo-integrado-de-pragas-promove-cafeicultura-sustentavel.html Os

Leia mais

1. Agricultura biológica

1. Agricultura biológica 1. Agricultura biológica A Agricultura Biológica baseia-se nos seguintes princípios: Princípio da saúde, Princípio da ecologia, Princípio da justiça e Princípio da precaução Cada princípio é composto por

Leia mais

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Plantas cultivadas em sistema de aquaponia Alface Cebolinha

Leia mais

Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí

Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí Luan Cruvinel Miranda (1) ; Mateus Murilo Rosa (1) ; Ricardo Monteiro Corrêa (2) (1) Estudante de Agronomia. Instituto Federal

Leia mais

Identificação e Monitoramento de Pragas Regulamentadas e seus Inimigos Naturais na Cultura da Laranja Lima

Identificação e Monitoramento de Pragas Regulamentadas e seus Inimigos Naturais na Cultura da Laranja Lima Identificação e Monitoramento de Pragas Regulamentadas e seus Inimigos Naturais na Cultura da Laranja Lima 08 ÁCAROS ÁCARO DA FERRUGEM (Phyllocoptruta oleivora) Foto: FUNDECITRUS Sadio Com sintoma

Leia mais

O papel do citricultor no combate ao Greening. Cícero Augusto Massari

O papel do citricultor no combate ao Greening. Cícero Augusto Massari O papel do citricultor no combate ao Greening Cícero Augusto Massari Os envolvidos Inseto vetor Greening bactéria hospedeiro Infecção e evolução dos sintomas Doença de evolução rápida em plantas jovens

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS

MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS Página 1014 MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS Raul Porfirio de Almeida 1 ; Aderdilânia Iane Barbosa de Azevedo 2 ; 1Embrapa Algodão, C.P. 174, 58.428-095, Campina

Leia mais

Manejo integrado de pragas. Bráulio Santos Eng. Agr.,Entomologista bsantos@ufpr.br

Manejo integrado de pragas. Bráulio Santos Eng. Agr.,Entomologista bsantos@ufpr.br Manejo integrado de pragas Bráulio Santos Eng. Agr.,Entomologista bsantos@ufpr.br Principais pragas na cultura do morango Ácaro rajado > Tetranychus urticae Ácaro-do-enfezamento> Steneotarsonemus pallidus

Leia mais

Bragantia ISSN: 0006-8705 editor@iac.sp.gov.br Instituto Agronômico de Campinas Brasil

Bragantia ISSN: 0006-8705 editor@iac.sp.gov.br Instituto Agronômico de Campinas Brasil Bragantia ISSN: 0006-8705 editor@iac.sp.gov.br Instituto Agronômico de Campinas Brasil Sato, Mário Eidi; Zatti da Silva, Marcos; Gigliola Cangani, Katia; Raga, Adalton Seleções para resistência e suscetibilidade,

Leia mais

INFESTAÇÃO DA COCHONILHA-DO-MAMOEIRO EM FRUTOS DE MAMÃO NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

INFESTAÇÃO DA COCHONILHA-DO-MAMOEIRO EM FRUTOS DE MAMÃO NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO VI SIMPÓSIO DO PAPAYA BRASILEIRO Tecnologia de produção e mercado para o mamão brasileiro Vitória - ES, 10 a 13 de novembro de 2015 INFESTAÇÃO DA COCHONILHA-DO-MAMOEIRO EM FRUTOS DE MAMÃO NA REGIÃO NORTE

Leia mais

Influênciada camadade palha no manejode plantasdaninhas emcanaviais. Marcos Kuva Herbae C. P. AgrícolasLtda

Influênciada camadade palha no manejode plantasdaninhas emcanaviais. Marcos Kuva Herbae C. P. AgrícolasLtda Influênciada camadade palha no manejode plantasdaninhas emcanaviais Marcos Kuva Herbae C. P. AgrícolasLtda Sedeadministrativa Estaçãoexperimental credenciadano MAPA Laboratóriode manipulaçãode agrotóxicos

Leia mais

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 DESAFIOS FITOSSANITÁRIOS NO MANEJO DE LAVOURAS WORKSHOP APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS - FBA Engº Agrº EZELINO CARVALHO INTRODUÇÃO O objetivo desta apresentação é dialogar sobre os problemas fitossanitários

Leia mais

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5.1 Controle de Pragas PRINCIPAIS PRAGAS -Lagarta elasmo -Vaquinhas - Mosca branca -Ácaro branco -Carunchos LAGARTA ELASMO Feijão da seca aumento da população

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF -

PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF - PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF - ALERTA PROTEF PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO (Thaumastocoris peregrinus) (HEMIPTERA: THAUMASTOCORIDAE): AMEAÇA ÀS FLORESTAS DE EUCALIPTO BRASILEIRAS Prof.

Leia mais

CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com

CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com Ácaro da Ferrugem Phyllocoptruta oleivora em Fruto Fonte: www.centrodecitricultura.com.br Ácaro da Ferrugem Phyllocoptruta oleivora

Leia mais

Avaliando as plantas daninhas. Invasividade. Robinson Antonio Pitelli

Avaliando as plantas daninhas. Invasividade. Robinson Antonio Pitelli Avaliando as plantas daninhas. Invasividade Robinson Antonio Pitelli UNESP Jaboticabal Avaliando as plantas daninhas Em culturas geneticamente modificadas, a pertinência das avaliação de risco das plantas

Leia mais

Sirex noctilio F. em Pinus spp.: : Biologia, Ecologia e Danos

Sirex noctilio F. em Pinus spp.: : Biologia, Ecologia e Danos Sirex noctilio F. em Pinus spp.: : Biologia, Ecologia e Danos Edson Tadeu Iede Susete R.C. Penteado Wilson Reis Filho Riscos de introdução de pragas florestais no Brasil Mercado globalizado Aumento do

Leia mais

Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil

Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil Leonardo R. Barbosa Laboratório de Entomologia Florestal Embrapa Florestas SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE PRAGAS QUERENTERNARIAS

Leia mais

LEVANTAMENTO DE PRAGAS E INIMIGOS NATURAIS OCORRENTES EM LAVOURA DE ARROZ NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRINHA, RIO GRANDE DO SUL

LEVANTAMENTO DE PRAGAS E INIMIGOS NATURAIS OCORRENTES EM LAVOURA DE ARROZ NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRINHA, RIO GRANDE DO SUL LEVANTAMENTO DE PRAGAS E INIMIGOS NATURAIS OCORRENTES EM LAVOURA DE ARROZ NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRINHA, RIO GRANDE DO SUL Rita de Cássia de Melo Machado 1 Flávio Roberto Mello Garcia 2 RESUMO O arroz (Oryza

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO DADOS SOBRE A DISCIPLINA 1. Disciplina: NUTRIÇÃO DE PLANTAS 2. Responsável(eis): Renato de Mello Prado 3.

Leia mais

Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. E-mail.: nilton.cezar@ueg.br.

Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. E-mail.: nilton.cezar@ueg.br. Avaliação de Pragas em uma Cultura de Milho para Produção de Sementes. BELLIZZI, N. C. 1, WINDER, A. R. S. 2, PEREIRA JUNIOR, R. D. 2 e BARROS, H. A. V. 2. 1 Docente do Curso de Agronomia da Universidade

Leia mais

Principais Insetos-praga e Inimigos Naturais no Sistema de Produção Orgânica de Maçãs

Principais Insetos-praga e Inimigos Naturais no Sistema de Produção Orgânica de Maçãs Principais Insetos-praga e Inimigos Naturais no Sistema de Produção Orgânica de Maçãs Principal Insect-pest and Natural Enemies in the Organic Apples Production SANTOS, Janaína Pereira dos. Epagri- Estação

Leia mais

Controle Microbiano de Fernanda Goes Mendes Marina Chamon Abreu Seminário de Microbiologia do Solo 2014/1 O controle de na agricultura é um fator limitante e resulta no aumento do custo de produção; O

Leia mais

Macaco-Prego, como controlar esta nova praga florestal?

Macaco-Prego, como controlar esta nova praga florestal? FLORESTA 30(1/2): 95-99 Macaco-Prego, como controlar esta nova praga florestal? VALMIR JOSÉ ROCHA Palavras chaves: praga florestal, Cebus apella, Pinus spp.; INTRODUÇÃO O macaco-prego é a espécie de primata

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES E RESPOSTAS.

PERGUNTAS FREQUENTES E RESPOSTAS. PERGUNTAS FREQUENTES E RESPOSTAS. O QUE É IMPORTANTE VOCÊ SABER SOBRE AGROTÓXICOS, CIÊNCIA E TECNOLOGIA. O que são os AGROTÓXICOS? Agrotóxicos, pesticidas, produtos fitossanitários, defensivos agrícolas

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL. PROJETO DE LEI N o 1.062, DE 2007 (apenso o PL nº 1.

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL. PROJETO DE LEI N o 1.062, DE 2007 (apenso o PL nº 1. COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI N o 1.062, DE 2007 (apenso o PL nº 1.166, de 2007) Institui incentivo fiscal para o controle biológico de pragas

Leia mais

Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz José Otávio Menten Estagiária: Mariane S. Ishizuka Agosto de 2014 HOMEM: NÔMADE SEDENTÁRIO FLORESTA CLAREIRA AGRICULTURA EXPLORAÇÃO ATÉ EXAUSTÃO ABANDONO

Leia mais

PRAGAS FLORESTAIS. Gorgulho-do-eucalipto. Formação. 18 de junho e 11 dezembro. Dina Ribeiro. http://www.forestry.gov.uk/forestry/ INFD-672LGH

PRAGAS FLORESTAIS. Gorgulho-do-eucalipto. Formação. 18 de junho e 11 dezembro. Dina Ribeiro. http://www.forestry.gov.uk/forestry/ INFD-672LGH PRAGAS FLORESTAIS Gorgulho-do-eucalipto http://www.forestry.gov.uk/forestry/ INFD-672LGH http://en.wikipedia.org/wiki/fusarium_circinatum Dina Ribeiro Formação 18 de junho e 11 dezembro 2014 1 O Inseto

Leia mais

& ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $""4

& ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $4 ! "#$""$% & ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $""4 1. INTRODUÇÃO As vespinhas pertencentes ao gênero Trichogramma são insetos diminutos (tamanho médio entre 0,2 a 1,5 mm) pertencentes à ordem Hymenoptera

Leia mais

ADOÇÃO DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS BASEADO NA PERCEPÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

ADOÇÃO DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS BASEADO NA PERCEPÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL 749 ADOÇÃO DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS BASEADO NA PERCEPÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL Nathália Leal Carvalho, Afonso Lopes Barcellos 1 Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia Produção Vegetal,

Leia mais

AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO

AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO ENCARNITA SALAS MARTIN * INTRODUÇÃO AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO Agrotóxicos, defensivos agrícolas, praguicidas, pesticidas ou biocidas, são denominações de substâncias químicas naturais ou

Leia mais

Forest Stewardship Council FSC Brasil

Forest Stewardship Council FSC Brasil São Paulo, 19 de dezembro de 2014. Edital de convocação Candidatura para Grupo Consultivo Nacional de Manejo Integrado de Pragas (GCNMIP) O Conselho Brasileiro de Manejo Florestal FSC Brasil, é uma organização

Leia mais

ALGODÃO AGROECOLÓGICO. Carlos Alberto Domingues da Silva 2011

ALGODÃO AGROECOLÓGICO. Carlos Alberto Domingues da Silva 2011 ALGODÃO AGROECOLÓGICO Carlos Alberto Domingues da Silva 2011 ALGODÃO AGROECOLÓGICO ESPÉCIES CULTIVADAS E SISTEMAS DE PRODUÇÃO NO BRASIL IMPORTÂNCIA DO ALGODOEIRO PARA A REGIÃO SEMIÁRIDA PORQUE CULTIVAR

Leia mais

Ferrugem. (Puccinia kuehnii) I - Histórico e Situação Atual

Ferrugem. (Puccinia kuehnii) I - Histórico e Situação Atual Ferrugem (Puccinia kuehnii) I - Histórico e Situação Atual A primeira citação de Puccinia kuehnii como agente causador de Ferrugem na cultura da Cana-de-Açúcar data de 1890. Todavia, somente no final da

Leia mais

Controle Alternativo de Polyphagotarsonemus latus (Banks) (Acari: Tarsonemidae) em Pimenta.

Controle Alternativo de Polyphagotarsonemus latus (Banks) (Acari: Tarsonemidae) em Pimenta. Controle Alternativo de Polyphagotarsonemus latus (Banks) (Acari: Tarsonemidae) em Pimenta. Madelaine Venzon 1 ; Maria da Consolação Rosado 2 ; Cleide Maria Ferreira Pinto 1 ; Vanessa da Silveira Duarte

Leia mais

FITOSSANIDADE DO CAFEEIRO FITONEMATÓIDES, INSETOS E ÁCAROS- PRAGA

FITOSSANIDADE DO CAFEEIRO FITONEMATÓIDES, INSETOS E ÁCAROS- PRAGA FITOSSANIDADE DO CAFEEIRO FITONEMATÓIDES, INSETOS E ÁCAROS- PRAGA Rodrigo José Sorgatto Plantas Estimulantes Prof. Dr. José Laércio Favarin 14 de maio de 2012. ROTEIRO 1. Agradecimentos 2. Conceituação

Leia mais

DIVERSIDADE DA ACAROFAUNA EM AMBIENTES NATURAIS DO LITORAL NORTE DO RIO GRANDE DO SUL

DIVERSIDADE DA ACAROFAUNA EM AMBIENTES NATURAIS DO LITORAL NORTE DO RIO GRANDE DO SUL 27 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO DIVERSIDADE DA ACAROFAUNA EM AMBIENTES NATURAIS DO LITORAL NORTE DO RIO

Leia mais

FIGURA 2. Modelo do efeito da injúria provocada por insetos sobre a produção.

FIGURA 2. Modelo do efeito da injúria provocada por insetos sobre a produção. 1 COEITOS BÁSICOS DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS O Manejo Integrado de Pragas (MIP) é uma filosofia de controle de pragas que procura preservar e incrementar os fatores de mortalidade natural, através do

Leia mais

Modelo dinâmico incluindo Manejo Integrado de Pragas (MIP) e estrutura espacial no combate à Diaphorina Citri

Modelo dinâmico incluindo Manejo Integrado de Pragas (MIP) e estrutura espacial no combate à Diaphorina Citri Modelo dinâmico incluindo Manejo Integrado de Pragas (MIP) e estrutura espacial no combate à Diaphorina Citri Priscila Azevedo da Silveira 26 de outubro de 2012 Resumo: Propomos um modelo dinâmico para

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE JOANINHAS NO CONTROLE BIOLÓGICO DE PULGÕES

UTILIZAÇÃO DE JOANINHAS NO CONTROLE BIOLÓGICO DE PULGÕES Vol. 1, N 1 Setembro, 213 Associação Brasileira de Incentivo à Ciência - ABRIC UTILIZAÇÃO DE JOANINHAS NO CONTROLE BIOLÓGICO DE PULGÕES Francis Junior Rigo Fiorentin *, Samira Pinno*, Alfredo Rodrigues

Leia mais

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DA LARANJA (Citrus sinensis)

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DA LARANJA (Citrus sinensis) LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DA LARANJA (Citrus sinensis) PINOTTI, Elvio Brasil Docente do curso da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal - FAEF. E-mail: elvio.brasil@hotmail.com

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DA LARANJEIRA PÊRA EM FUNÇÃO DE PORTAENXERTOS NAS CONDIÇÕES DE CAPIXABA, ACRE.

DESENVOLVIMENTO DA LARANJEIRA PÊRA EM FUNÇÃO DE PORTAENXERTOS NAS CONDIÇÕES DE CAPIXABA, ACRE. DESENVOLVIMENTO DA LARANJEIRA PÊRA EM FUNÇÃO DE PORTAENXERTOS NAS CONDIÇÕES DE CAPIXABA, ACRE. ROMEU DE CARVALHO ANDRADE NETO 1 ; ANA MARIA ALVES DE SOUZA RIBEIRO 2 ; CAROLINY IZABEL ARAÚJO DE FREITAS

Leia mais

Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico. Panorama e Desafios do Controle Biológico no Brasil

Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico. Panorama e Desafios do Controle Biológico no Brasil Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico Panorama e Desafios do Controle Biológico no Brasil Categorias do Controle Biológico e MIP Micro biológico Nutrição Vegetal Semio químicos Controle

Leia mais

Vinícius Soares Sturza 1 ; Cátia Camera 2 ; Carla Daniele Sausen 3 ; Sônia Thereza Bastos Dequech 4

Vinícius Soares Sturza 1 ; Cátia Camera 2 ; Carla Daniele Sausen 3 ; Sônia Thereza Bastos Dequech 4 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 DANOS, POSTURAS E ÍNDICE DE PARASITISMO DE Spodoptera frugiperda (J.E. SMITH) (LEP.: NOCTUIDAE), RELACIONADOS AOS ESTÁDIOS

Leia mais

Desenvolvimento de software para previsão do comportamento dos pesticidas no ambiente e seu impacto causado na fauna.

Desenvolvimento de software para previsão do comportamento dos pesticidas no ambiente e seu impacto causado na fauna. Desenvolvimento de software para previsão do comportamento dos pesticidas no ambiente e seu impacto causado na fauna. Adolfo Luís de CARVALHO 1 ; Vinícius Alves SILVA 2 ; Gustavo Rabelo Botrel MIRANDA

Leia mais

Bem-vindo ao futuro da agricultura Esta apresentação reúne os principais fatos observados nos clientes na safra de 2014/2015 no dia-a-dia com o

Bem-vindo ao futuro da agricultura Esta apresentação reúne os principais fatos observados nos clientes na safra de 2014/2015 no dia-a-dia com o Bem-vindo ao futuro da agricultura Esta apresentação reúne os principais fatos observados nos clientes na safra de 2014/2015 no dia-a-dia com o Strider nas fazendas A queda de braço entre custo e produtividade:

Leia mais

RESISTÊNCIA DE MOSCA-BRANCA A INSETICIDAS. Dr. Marcelo Poletti Engenheiro Agrônomo Diretor P&D

RESISTÊNCIA DE MOSCA-BRANCA A INSETICIDAS. Dr. Marcelo Poletti Engenheiro Agrônomo Diretor P&D REITÊNCIA DE MOCA-BRANCA A INETICIDA Dr. Marcelo Poletti Engenheiro Agrônomo Diretor P&D REITÊNCIA DE MOCA-BRANCA A INETICIDA Definições Fatores que Afetam a Resistência Detecção e Monitoramento Estratégias

Leia mais

FUNGOS FILAMENTOSOS ASSOCIADOS ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS DO GÊNERO ATTA FABRICIUS E ESTUDO DA AÇÃO DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS

FUNGOS FILAMENTOSOS ASSOCIADOS ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS DO GÊNERO ATTA FABRICIUS E ESTUDO DA AÇÃO DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS FUNGOS FILAMENTOSOS ASSOCIADOS ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS DO GÊNERO ATTA FABRICIUS E ESTUDO DA AÇÃO DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS Samuel Eustáquio Morato Barbosa 1 ; Danival José de Sousa 2 ; 1 Aluno do Curso

Leia mais

Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos

Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos Engº. Agrº. M. Sc. Aldemir Chaim Laboratório de Tecnologia de Aplicação de Agrotóxicos Embrapa Meio Ambiente História da aplicação de defensivos Equipamento de aplicação

Leia mais

Manejo de pragas. Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes

Manejo de pragas. Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes Manejo de pragas Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes O que é uma praga? *Inseto que cause danos diretos (ex. lagarta que se alimente das folhas de couve) O que é uma praga? * Inseto que cause danos

Leia mais

Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems

Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems ABCBio (Associação Brasileira das empresas de Controle Biológico) foi fundada em 2007, com a missão de congregar as empresas de

Leia mais

357 - FAUNA EDÁFICA COMO BIOINDICADORA DA QUALIDADE DO SOLO EM POMARES DE MACIEIRAS CONDUZIDOS NOS SISTEMAS ORGÂNICO E CONVENCIONAL

357 - FAUNA EDÁFICA COMO BIOINDICADORA DA QUALIDADE DO SOLO EM POMARES DE MACIEIRAS CONDUZIDOS NOS SISTEMAS ORGÂNICO E CONVENCIONAL Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 357 - FAUNA EDÁFICA COMO BIOINDICADORA DA QUALIDADE DO SOLO EM POMARES DE MACIEIRAS CONDUZIDOS NOS SISTEMAS ORGÂNICO E CONVENCIONAL Carolina Riviera Duarte

Leia mais

ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo SEMEANDO O FUTURO

ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo SEMEANDO O FUTURO ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo A cultura da soja está exposta, durante gemmatalis (lagarta todo o seu ciclo, ao ataque de diferentes Pseudoplusia includens espécies de insetos. Esses insetos

Leia mais

RETRATO DA CITRICULTURA PAULISTA E TENDÊNCIAS FUTURAS. Antonio Juliano Ayres

RETRATO DA CITRICULTURA PAULISTA E TENDÊNCIAS FUTURAS. Antonio Juliano Ayres RETRATO DA CITRICULTURA PAULISTA E TENDÊNCIAS FUTURAS Antonio Juliano Ayres ETRATO DA CITRICULTURA PAULISTA E TENDÊNCIAS FUTURAS - Cenário Atual - Inventário de Árvores - Estimativa de Safra - Tendências

Leia mais

ANÁLISE DA TOLERÂNCIA DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI AO CARUNCHO

ANÁLISE DA TOLERÂNCIA DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI AO CARUNCHO Área: Fitossanidade. ANÁLISE DA TOLERÂNCIA DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI AO CARUNCHO Leite, N. G. A. 1 ; Oliveira, G. R. L. 2 ; Ramos, C. S. A. 3 ; Oliveira, L. G. 4 ; Santos, V. F. 4 ; Souza, M. C. M.

Leia mais

Identificação florística de plantas daninhas na cultura do pinhão manso (Jatropha curcas L.) no agreste Paraibano

Identificação florística de plantas daninhas na cultura do pinhão manso (Jatropha curcas L.) no agreste Paraibano Identificação florística de plantas daninhas na cultura do pinhão manso (Jatropha curcas L.) no agreste Paraibano José Thyago Aires Souza¹; Fábio Agra de Medeiros Nápoles²; Giliane Aparecida Vicente da

Leia mais

A lagarta Helicoverpa armigera

A lagarta Helicoverpa armigera A lagarta Helicoverpa armigera Na última safra, um ataque severo de lagartas do Gênero Helicoverpa foi observado nas lavouras de algodão, soja e milho na região Norte. Inicialmente, várias suposições foram

Leia mais

Controle Plantas Infestantes

Controle Plantas Infestantes Controle de Plantas Infestantes ',' Domingo Haroldo R. C. Reinhardt Francisco Alissonda Silva Xavier Aristóteles Pires de Matos Getúlio Augusto Pinto da Cunha 118 Quais são os problemas provocados pelas

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO BAS 800 01 H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.)

UTILIZAÇÃO DO BAS 800 01 H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.) UTILIZAÇÃO DO BAS 800 01 H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.) MARINHO, J. F. (UNICAMP, Campinas/SP - fabris.j@gmail.com, FOLONI, L. L. (UNICAMP, Campinas/SP - lfoloni@gmail.com,

Leia mais

PULGÃO: TRANSMISSÃO DE VÍRUS E MANEJO. Waldir Cintra de Jesus Junior wcintra@fundecitrus.com.br 0800-112155

PULGÃO: TRANSMISSÃO DE VÍRUS E MANEJO. Waldir Cintra de Jesus Junior wcintra@fundecitrus.com.br 0800-112155 PULGÃO: TRANSMISSÃO DE VÍRUS E MANEJO Waldir Cintra de Jesus Junior wcintra@fundecitrus.com.br 0800-112155 Tópicos a serem abordados Condições para se ter doença Como os patógenos se disseminam? E os vírus?

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 10 A 17 DE MARÇO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 10 A 17 DE MARÇO DE 2014 ANO III / Nº 78 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 10 A 17 DE MARÇO DE 2014 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes Semana com muitas precipitações na

Leia mais

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:24 Culturas A Cultura do Milho Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha Informações resumidas sobre a cultura do milho

Leia mais