Da produção ao consumidor

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Da produção ao consumidor"

Transcrição

1 Da produção ao consumidor 1

2 Da produção ao consumidor O Esporão concluiu que o seu modo de produção não estava adequado à visão da empresa: fazer os melhores produtos que a terra proporciona, de forma responsável e inspiradora. Concluiu também que era necessário consolidar as iniciativas dispersas para conseguir um correto alinhamento da sua estratégia de sustentabilidade. Uma parte importante passou por melhorar a saúde dos solos e das plantas e preservar os recursos naturais. Nestas tarefas, foram equacionados todos os pressupostos ambientais, sociais e económicos, com o objetivo de potenciar as vendas dos produtos com melhores práticas. Estávamos em 2008, o projeto chamava-se Agricultura Produção Sustentável e é atualmente a forma de produção do Esporão. Pensando em novos patamares de qualidade e no futuro, o Esporão tem vindo a produzir vinhos e azeites biológicos e de produção integrada, resultando em produtos com mais intensidade, sabor e longevidade. É ambição do Esporão democratizar o vinho e o azeite biológico. Para estar à altura dos desafios do projeto, o Esporão converteu áreas de vinha em produção biológica, plantou olival em modo de produção biológico, plantou um campo ampelográfico que reúne uma coleção de 189 diferentes castas com o objetivo de preservar e estudar variedades de vinha, passou a produzir composto orgânico, resultante da compostagem dos subprodutos gerados pela sua atividade e efetuou sementeira de leguminosas e gramíneas nas entrelinhas das culturas, para aumentar a fertilidade dos solos, fixar fauna auxiliar e proteger o solo da erosão. A água utilizada para rega passou a ser alvo de um plano de gestão, auxiliado por um equipamento que faz a monitorização da humidade do solo. Paralelamente, o Esporão desenvolveu um plano paisagístico que integra a plantação de sebes e de corredores de vegetação que permitem a fixação da fauna auxiliar. O Esporão instalou colmeias para promover a polinização as abelhas têm um papel fundamental na manutenção e no aumento da variabilidade vegetal da Herdade do Esporão. Foram também instaladas caixas de abrigo para morcegos ao longo da vinha e olival. A fixação dos morcegos na exploração é mais um meio que promove o controlo de pragas 2

3 de forma natural e sustentada, reduzindo a necessidade do uso de pesticidas e recuperando a vida biológica dos solos e da fauna. Apostou na investigação e desenvolvimento que resultou no plano de ação de conservação, com forte incidência no estudo e avaliação dos serviços de ecossistemas. Passou a ser feita a monitorização de pragas e fauna auxiliar para comparar a produção biológica com a produção integrada. O maior desafio deste projeto foi a revisão de todo o modelo de produção e a consequente necessidade de adaptação à nova cultura por parte dos colaboradores a pensar nisto, houve muita formação das equipas internas em agricultura biológica e práticas agrícolas sustentáveis. A curto prazo e de forma controlada, o Esporão assumiu mais risco na gestão agrícola, devido ao facto da produção de forma natural estar mais exposta a pragas e doenças. Isto é, o controlo de pragas específicas da vinha torna-se mais complexo, enquanto não há um equilíbrio entre auxiliares e pragas. E quando os ataques são mais severos, a empresa está ainda exposta a possíveis prejuízos. Contudo, a longo prazo, a melhoria do equilíbrio entre auxiliares e pragas e o aumento da fertilidade dos solos, irá garantir um aumento da perenidade das plantas, que tornará a gestão agrícola mais segura e sustentável. Simultaneamente, este tipo de produção ganha notoriedade, sendo mais valorizado pelas pessoas, levando a um aumento contínuo na procura de vinhos e azeites produzidos desta forma. Relações com olhos postos no futuro O sucesso do projeto Agricultura Produção Sustentável deve-se, em parte, à contínua relação 3

4 com diferentes intervenientes. O Instituto Superior de Agronomia foi o responsável pela elaboração e acompanhamento do plano de gestão florestal e o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária fez o planeamento e recolha de material vegetal para instalação do campo ampelográfico. Para responder às exigências do Esporão, os fornecedores de uva e azeitona do grupo têm vindo a converter os modos de produção convencional em modos de produção mais sustentável. Atualmente, toda a produção que o Esporão recebe dos seus fornecedores é certificada em modo Produção Integrada. De forma a inspirar outras entidades em prol da sustentabilidade, o Esporão está determinado a promover o desenvolvimento do plano de sustentabilidade para a vitivinicultura do Alentejo e fez parte da criação do projeto Ribeira da Caridade Melhor Água, Melhor Vida, que visa a adoção de medidas para reforçar a conservação, travar a perda de biodiversidade e implementar ações de proteção das zonas húmidas da ribeira da Caridade, no concelho de Reguengos de Monsaraz. O conceito de sustentabilidade também é partilhado com os clientes que visitam a Herdade do Esporão, na loja e restaurante, através de provas de vinhos onde são partilhadas as diferenças e benefícios entre a produção integrada e a biológica. De 2008 a 2014: seis anos a semear e já a colher alguns frutos A transformação de todo o processo de produção permitiu aumentar a produtividade, acrescentar valor aos produtos, poupar 50% da água utilizada na fase de produção e enchimento, e reduzir as emissões de CO 2 equivalente em 8,4%. As previsões de vendas de produtos biológicos, a 3 anos, são de litros de vinho, valor que representa 2,5 milhões de euros e um aumento total da faturação do Esporão em 7%. Os primeiros azeites biológicos certificados do Esporão já estão em comercialização e os pedidos de visitas às áreas de produção do grupo para ver como funciona este modo de produção, por parte de escolas e instituições, têm sido muitos. 4

5 O Esporão foi reconhecido pelo European Business Awards for the Environment 2014, Green Project Awards 2013 e The Drinks Business Green Awards Lições aprendidas -Produzir respeitando a natureza e a vida do homem traz valor acrescentado na perceção de qualidade dos consumidores e por inerência valor ao negócio. ESPORÃO O grupo Esporão, fundado em 1973, é uma empresa familiar dedicada à produção, comercialização e exportação de vinhos e azeites. O modelo de negócios do grupo está desenhado para permitir a aplicação de métodos e técnicas modernas e o controlo sobre o processo de produção da totalidade dos produtos, com intervenção integrada em todas as fases do processo produtivo, agrícola, industrial e comercial. O grupo tem em curso ações de valorização ambiental, preservação da biodiversidade, promoção da saúde pública, recuperação do património histórico ou melhoria das condições de ensino. É a maior entidade empregadora de Reguengos de Monsaraz, Évora, sendo que das 260 pessoas que emprega, 100 são colaboradores agrícolas. 5

6 6

Herdade do Esporão: desenhar e gerir vinhas para o futuro.

Herdade do Esporão: desenhar e gerir vinhas para o futuro. Herdade do Esporão: desenhar e gerir vinhas para o futuro. Rui Flores Gestor Agrícola Amândio Rodrigues Diretor Agrícola José Madeira Gestor Agrícola MISSÃO - A nossa razão de existir fazer os melhores

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO MEMORANDO DE ENTENDIMENTO RELATIVO À CONTRIBUIÇÃO DA FINAGRA PARA O OBJECTIVO EUROPEU DE PARAR A PERDA DE BIODIVERSIDADE ATÉ 2010 Declaração de Compromisso A Herdade do Esporão (Reguengos de Monsaraz)

Leia mais

Imaginem o vinho de baixo carbono

Imaginem o vinho de baixo carbono Imaginem o vinho de baixo carbono 1 Imaginem o vinho de baixo carbono Nos últimos cem anos, uma combinação do crescimento da população, desflorestação e industrialização, provocou um aumento considerável

Leia mais

CAPACITAÇÃO SOBRE A AVALIAÇÃO EMPRESARIAL DE SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS (ESR) Parceria Empresarial pelos Serviços Ecossistêmicos (PESE)

CAPACITAÇÃO SOBRE A AVALIAÇÃO EMPRESARIAL DE SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS (ESR) Parceria Empresarial pelos Serviços Ecossistêmicos (PESE) CAPACITAÇÃO SOBRE A AVALIAÇÃO EMPRESARIAL DE SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS (ESR) Parceria Empresarial pelos Serviços Ecossistêmicos (PESE) MAIO 2014 + Agenda Horário Atividade Facilitador 10:00 Boas Vindas e

Leia mais

A Declaração recomenda prudência na gestão de todas as espécies e recursos naturais e apela a uma nova ética de conservação e salvaguarda.

A Declaração recomenda prudência na gestão de todas as espécies e recursos naturais e apela a uma nova ética de conservação e salvaguarda. Programa do XI Governo Regional dos Açores Política Ambiental Senhora Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Senhor Presidente, Senhora e Senhores Membros do Governo, Na Resolução que adotou a histórica

Leia mais

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável. Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável. Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt Biotecnologia e Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt - Imposições legais - Opinião pública - Pressão de competitividade Actualmente: Conceito de adoptado por muitas indústrias/actividades: só

Leia mais

Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I

Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I numerosos sinónimos. Objectivos: A ampelografia é a disciplina da botânica e da agronomia que estuda, identifica e classifica as variedades,

Leia mais

A Sustentabilidade no Espaço Público Isabel Martinho da Silva e Maria José Curado CIBIO_UP A SUSTENTABILIDADE DO ESPAÇO PÚBLICO

A Sustentabilidade no Espaço Público Isabel Martinho da Silva e Maria José Curado CIBIO_UP A SUSTENTABILIDADE DO ESPAÇO PÚBLICO A Sustentabilidade no Espaço Público Isabel Martinho da Silva e Maria José Curado CIBIO_UP Rede de Parques Metropolitanos da Grande Área Metropolitana do Porto Rede de Parques Metropolitanos da Grande

Leia mais

Agrupamento de Escolas Sto. Onofre Escola Básica de Sto. Onofre - Caldas da Rainha Complemento ao plano de formação vocacional e pré profissional

Agrupamento de Escolas Sto. Onofre Escola Básica de Sto. Onofre - Caldas da Rainha Complemento ao plano de formação vocacional e pré profissional Agrupamento de Escolas Sto. Onofre Escola Básica de Sto. Onofre - Caldas da Rainha Complemento ao plano de formação vocacional e pré profissional PROJECTO (III) Ano Lectivo 2008/2009 (compostagem, horta,

Leia mais

Parcerias para a investigação e inovação no âmbito da Programação para o Desenvolvimento Rural 2014-2020

Parcerias para a investigação e inovação no âmbito da Programação para o Desenvolvimento Rural 2014-2020 Parcerias para a investigação e inovação no âmbito da Programação para o Desenvolvimento Rural 2014-2020 PDR 2014-2020 do Continente Cláudia Costa Diretora Adjunta do Gabinete de Planeamento e Políticas

Leia mais

Sumário executivo. Em conjunto, as empresas que implementaram

Sumário executivo. Em conjunto, as empresas que implementaram 10 Sumário executivo Conclusões coordenadas pela Deloitte, em articulação com os membros do Grupo de Trabalho da AÇÃO 7 Sumário executivo Em conjunto, as empresas que implementaram estes 17 projetos representam

Leia mais

Estudo Prospectivo da Fileira Florestal. Questionário

Estudo Prospectivo da Fileira Florestal. Questionário Nota Explicativa O Estudo Prospectivo da Fileira Florestal" tem como objectivo iniciar um processo de caracterização na óptica da inovação e transferências de tecnologias de de uma visão de conjunto integrada

Leia mais

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com. 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.br e baixe todas as cartilhas, ou retire no seu Sindicato Rural. E

Leia mais

Guia prático. para os agricultores

Guia prático. para os agricultores Guia prático para os agricultores Introdução Os insectos polinizadores são uma componente essencial para a polinização de muitas culturas. Ao longo dos anos, no entanto, o número de alguns insectos polinizadores

Leia mais

MODELOS DE PLANEAMENTOS E DE RELATÓRIOS DE COMERCIO JUSTO

MODELOS DE PLANEAMENTOS E DE RELATÓRIOS DE COMERCIO JUSTO MODELOS DE PLANEAMENTOS E DE RELATÓRIOS DE COMERCIO JUSTO Estes modelos podem ajudá-lo a cumprir com os requisitos da seção 4.1.1-4.1.10 sobre Potencial de Desenvolvimento e os requisitos de relatórios

Leia mais

PORTUCEL SOPORCEL. INVESTIGAÇÃO NAS ÁREAS DA FLORESTA E DO PAPEL Uma renovação de raiz EMPRESA

PORTUCEL SOPORCEL. INVESTIGAÇÃO NAS ÁREAS DA FLORESTA E DO PAPEL Uma renovação de raiz EMPRESA PORTUCEL SOPORCEL INVESTIGAÇÃO NAS ÁREAS DA FLORESTA E DO PAPEL Uma renovação de raiz EMPRESA Com uma posição de grande relevo no mercado internacional de pasta e papel, o Grupo Portucel Soporcel é uma

Leia mais

AGRO 728 & PEDIZA II PROJECTO. Introdução

AGRO 728 & PEDIZA II PROJECTO. Introdução PROJECTO AGRO 728 & PEDIZA II Instituições Intervenientes UE - Universidade de Évora - Dep. de Eng.Rural. COTR - Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio ESAB - Escola Superior Agrária de Beja. ATOM

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos Pra começo de conversa, um video... NOVO PROGRAMA Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL 2014-2018 3 ELABORAÇÃO DO NOVO

Leia mais

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Hoje, um grande desafio para a agropecuária, principalmente em relação à inovação tecnológica, é a harmonização do setor produtivo com os princípios da

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR A SUSTENTABILIDADE DA VITICULTURA PORTUGUESA

ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR A SUSTENTABILIDADE DA VITICULTURA PORTUGUESA ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR A SUSTENTABILIDADE DA VITICULTURA PORTUGUESA Carlos Lopes Dep. Ciências e Engenharia de Biossistemas Instituto Superior de Agronomia/Univ. Lisboa Simp. Viticultura Sustentável,

Leia mais

Formar para criar um novo perfil de competências

Formar para criar um novo perfil de competências Formar para criar um novo perfil de competências Formar para criar um novo perfil de competências Com a entrada em funcionamento das diferentes infraestruturas do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva,

Leia mais

P l a n o 2 0 1 4 FUNDAÇÃO LUSO

P l a n o 2 0 1 4 FUNDAÇÃO LUSO P l a n o 2 0 1 4 FUNDAÇÃO LUSO 1 Ações novidade no Plano de 2014 Ambiente Protocolo da Fundação Luso & Quercus Desenvolvimento de ações de valorização do ecossistemas na serra do Buçaco e a plantação

Leia mais

TAGUS, 19 de Janeiro de 2015

TAGUS, 19 de Janeiro de 2015 TAGUS, 19 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e abandono da activiade agro- Combater o exodo

Leia mais

Projecto de Enquadramento Geral

Projecto de Enquadramento Geral A Política de Biodiversidade da EDP e o Envolvimento da Projecto de Enquadramento Geral Outubro 2010 A Politica de Biodiversidade da EDP no Envolvimento da Direcção de Sustentabilidade e Ambiente 1 Módulo

Leia mais

Seminário de Abertura da Discussão Pública da proposta de Programa de Acção Nacional de Combate à Desertificação

Seminário de Abertura da Discussão Pública da proposta de Programa de Acção Nacional de Combate à Desertificação Seminário de Abertura da Discussão Pública da proposta de Programa de Acção Nacional de Combate à Desertificação Direcção Regional de Florestas do Alentejo Lisboa, 21 de Julho de 2011 Sistemas Fundamentais

Leia mais

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa O QUE SÃO AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA)? Os consumidores estão cada vez

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Social

Programa de Desenvolvimento Social Programa de Desenvolvimento Social Introdução A Portucel Moçambique assumiu um compromisso com o governo moçambicano de investir 40 milhões de dólares norte-americanos para a melhoria das condições de

Leia mais

Caatinga: exclusivamente brasileira

Caatinga: exclusivamente brasileira Caatinga: exclusivamente brasileira Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Biodiversidade e Florestas Departamento de Conservação da Biodiversidade Parque Nacional da Serra da Capivara - PI Caatinga:

Leia mais

MODELOS DE PLANEJAMENTOS E DE RELATÓRIOS DO COMÉRCIO JUSTO

MODELOS DE PLANEJAMENTOS E DE RELATÓRIOS DO COMÉRCIO JUSTO MODELOS DE PLANEJAMENTOS E DE RELATÓRIOS DO COMÉRCIO JUSTO Este modelo pode ajudá-lo a cumprir com os requisitos da seção 4.1.1-4.1.10 sobre Potencial de Desenvolvimento e os requisitos de relatórios na

Leia mais

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 micro-empresas e actividade económica TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégia com o objectivo único de contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e

Leia mais

Estratégia ambiental dos CTT promove aumento de vendas

Estratégia ambiental dos CTT promove aumento de vendas Estratégia ambiental dos CTT promove aumento de vendas 1 Estratégia ambiental dos CTT promove aumento de vendas O lançamento do portefólio Eco veio abrandar a tendência de redução de receitas e pelo terceiro

Leia mais

Regulamento de Avaliação da Conformidade para Etanol Combustível

Regulamento de Avaliação da Conformidade para Etanol Combustível Regulamento de Avaliação da Conformidade para Etanol Combustível Alfredo Lobo Diretor da Qualidade Rio de Janeiro, 14/08/2008 ções Desenvolvidas pelo Inmetro no Programa de Avaliação da Conformidade para

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO MEMORANDO DE ENTENDIMENTO Tendo em consideração o inquestionável papel central dos sectores agrícola e agroalimentar na atividade económica da Região de Lisboa e Vale do Tejo e observando-se a inexistência

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural

Programa de Desenvolvimento Rural Programa de Desenvolvimento Rural PDR 2020 do Continente Terra no Horizonte 2014-2020 Tavira, 13 Março 2014 1 2 Panorama Principais constatações Atuação Constrangimentos e Necessidades 3 Arquitetura 4

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013 Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013 SOJA BRASILEIRA A soja é a principal cultura agrícola do Brasil - 28 milhões de ha (25% da área mundial plantada)

Leia mais

FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE

FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE CENÁRIO DE ANTECIPAÇÃO BREVE CARATERIZAÇÃO DIAGNÓSTICO O ANÁLISE INTERNA - PONTOS FORTES O ANÁLISE INTERNA - PONTOS FRACOS O ANÁLISE EXTERNA - OPORTUNIDADES OU OPORTUNIDADES

Leia mais

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Técnico: Maria das Dores de V. C. Melo Coordenação Administrativa-Financeira:

Leia mais

Reserva da Biosfera da Amazônia Central

Reserva da Biosfera da Amazônia Central Reserva da Biosfera da Amazônia Central Estudo de caso da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã Seminário Internacional sobre Mineração e Sustentabilidade Socioambiental em Reservas da Biosfera

Leia mais

O desmatamento das florestas tropicais responde por 25% das emissões globais de dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa.

O desmatamento das florestas tropicais responde por 25% das emissões globais de dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa. Biodiversidade Introdução Na Estratégia Nacional para a Biodiversidade, desenvolvida pelo Ministério do Meio Ambiente, acordou-se que o Brasil deve dar ênfase para seis questões básicas: conhecimento da

Leia mais

REGRAS DE ACESSO E UTILIZAÇÃO APROVADAS POR DELIBERAÇÃO DE CÂMARA DE 08/02/2012

REGRAS DE ACESSO E UTILIZAÇÃO APROVADAS POR DELIBERAÇÃO DE CÂMARA DE 08/02/2012 REGRAS DE ACESSO E UTILIZAÇÃO APROVADAS POR DELIBERAÇÃO DE CÂMARA DE 08/02/2012 REGRAS DE ACESSO E UTILIZAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA As quintas da periferia da cidade de Évora já representaram um importante

Leia mais

O ESTADO DA INOVAÇÃO NO SECTOR VITIVINICOLA DURIENSE

O ESTADO DA INOVAÇÃO NO SECTOR VITIVINICOLA DURIENSE ADVID Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense Cluster dos vinhos da Região do Douro 16 de NOVEMBRO DIA DA INOVAÇÃO, UTAD O QUE É INOVAÇÃO? *Uma inovação é a implementação de um produto

Leia mais

O Plano de Bom Crescimento

O Plano de Bom Crescimento O Plano de Bom Crescimento Outubro, 2013 O desafio: alimentar sustentavelmente uma população crescente 870 milhões 2 mil milhões de pessoas que se deitam com fome mais de pessoas em 2050 70% delas dependendo

Leia mais

diretamente na fatura energética, o que equivale a mais de 23GWh de energia.

diretamente na fatura energética, o que equivale a mais de 23GWh de energia. Save: to Compete 1 Save: to Compete Num contexto económico exigente, com elevada concorrência, pressão de custos e reduzido acesso a financiamento, as empresas necessitam de se tornar mais eficientes e

Leia mais

MAPEAMENTO DE ÁREAS PRIORITÁRIAS

MAPEAMENTO DE ÁREAS PRIORITÁRIAS MAPEAMENTO DE ÁREAS PRIORITÁRIAS Ambiente Externo Ambiente Externo - Internacional Fonte/Instituição Burril & Co. Life Sciences: Venture Capital, Private Equity, Merchant Banking, Media Documento Biotech

Leia mais

CACTUSEXTRACTUS, LDA.

CACTUSEXTRACTUS, LDA. CACTUSEXTRACTUS, LDA. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A (CactusExtractus) é uma pequena empresa com sede e instalações em Vimieiro, concelho de Arraiolos, cujo principal objetivo

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS. Disciplinas da Formação Técnica Específica - FTE. Gestão da Qualidade Segurança e Meio Ambiente

EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS. Disciplinas da Formação Técnica Específica - FTE. Gestão da Qualidade Segurança e Meio Ambiente SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO E STADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL- SUPROF DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DIRDEP EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS EMENTÁRIO:

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

PEGADA HÍDRICA EM PORTUGAL

PEGADA HÍDRICA EM PORTUGAL Resumo do relatório Water Footprint in Portugal WWF Mediterrâneo, 2010 O Problema: uma pegada demasiado elevada O Relatório Planeta Vivo 2008 da WWF demonstra que o uso insustentável da água é um problema

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013 Política de Responsabilidade Corporativa Março 2013 Ao serviço do cliente Dedicamos os nossos esforços a conhecer e satisfazer as necessidades dos nossos clientes. Queremos ter a capacidade de dar uma

Leia mais

GESTÃO DO SOLO NA VINHA

GESTÃO DO SOLO NA VINHA GESTÃO DO SOLO NA VINHA António José Jordão 2007 Texto elaborado no âmbito do Plano de Acção para a Vitivinicultura da Alta Estremadura INTRODUÇÃO A Agricultura de Conservação em culturas permanentes,

Leia mais

Informação sobre Ecossistemas Locais

Informação sobre Ecossistemas Locais Informação sobre Ecossistemas Locais Bandeira Azul 2015 1. Biodiversidade local O litoral de Vila Nova de Gaia apresenta uma considerável biodiversidade, com fauna e flora característica dos substratos

Leia mais

AMBIENTE E SAÚDE Ensino básico

AMBIENTE E SAÚDE Ensino básico AMBIENTE E SAÚDE Ensino básico Em articulação com os conteúdos programáticos das disciplinas de Ciências, desenvolvem-se atividades de estudo, monitorização e caracterização de parâmetros relacionados

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2007 - COTR - CRIAR CONHECIMENTOS E CAPACIDADES

PLANO DE FORMAÇÃO 2007 - COTR - CRIAR CONHECIMENTOS E CAPACIDADES PLANO DE FORMAÇÃO 2007 - COTR - CRIAR CONHECIMENTOS E CAPACIDADES O que é COTR? O Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio COTR - é uma Associação de direito privado sem fins lucrativos, criada no dia

Leia mais

SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL

SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL A última reforma da política agrícola comum (PAC) manteve a estrutura em dois pilares desta política, continuando o desenvolvimento rural a representar

Leia mais

Pré-Projeto de Educação Ambiental

Pré-Projeto de Educação Ambiental Pré-Projeto de Educação Ambiental Vamos Descobrir e Valorizar o Alvão Ano 2014/15 Centro de Informação e Interpretação Lugar do Barrio 4880-164 Mondim de Basto Telefone: 255 381 2009 ou 255 389 250 1 Descobrir

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO. O IFFarroupilha, em seus cursos, prioriza a formação de profissionais que:

PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO. O IFFarroupilha, em seus cursos, prioriza a formação de profissionais que: PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO O IFFarroupilha, em seus cursos, prioriza a formação de profissionais que: Tenham competência técnica e tecnológica em sua área de atuação; Sejam capazes de se inserir no

Leia mais

PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA

PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA Maria do Rosário Partidário, Sofia Antunes, Júlio de Jesus e Marta Garcia LOCALIZAÇÃO Localizado no Concelho

Leia mais

PO AÇORES 2020 FEDER FSE

PO AÇORES 2020 FEDER FSE Apresentação pública PO AÇORES 2020 FEDER FSE Anfiteatro C -Universidade dos Açores -Ponta Delgada 04 de marçode 2015 PO AÇORES 2020 UM CAMINHO LONGO, DIVERSAS ETAPAS A definição das grandes linhas de

Leia mais

janeiro.2015 Relatório Intercalar 2014/2015

janeiro.2015 Relatório Intercalar 2014/2015 Relatório Intercalar 2014/2015 Índice Introdução... 2 Aplicação do modelo estatístico VALOR ESPERADO... 3 Quadros relativos à aplicação do modelo estatístico de análise de resultados académicos... 5 Avaliação

Leia mais

ESPAÇOS VERDES ECOJARDINAGEM TECNOLOGIAS DE ÁGUA

ESPAÇOS VERDES ECOJARDINAGEM TECNOLOGIAS DE ÁGUA ESPAÇOS VERDES ECOJARDINAGEM TECNOLOGIAS DE ÁGUA A SUBSTRATO e a ENGENHARIALÍQUIDA actuam nas áreas dos espaços verdes e tecnologias da água, numa perspectiva de eficiência e de conservação da natureza.

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00 1. Conceitos Básicos a) unidade de conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes,

Leia mais

Café Sustentável. Riqueza do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento CAPA. MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO.

Café Sustentável. Riqueza do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento CAPA. MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO. 12 MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO.indd 12-1 CAPA 1 30.10.09 16:08:10 Data (M/D/A): 10/30/09 Contato: (61) 3344-8502 Formato (F): 200x200 mm Formato (A): 400x200 mm Data (M/D/A): 10/30/09 Ministério

Leia mais

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves. Fundos Comunitários geridos pela Comissão Europeia M. Patrão Neves Fundos comunitários: no passado Dependemos, de forma vital, dos fundos comunitários, sobretudo porque somos um dos países da coesão (e

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

CNAI 10. Visita Técnica

CNAI 10. Visita Técnica CNAI 10 Visita Técnica Baixo Sabor, 21de Outubro de 2010 INVESTIMENTOS HÍDRICOS DO GRUPO EDP Amarante 01 de Julho 2010 PGAI Plano de Gestão Ambiental Integrado do Vale do Sabor e Região Circundante Medidas

Leia mais

Agroecologia. Agroecossistema

Agroecologia. Agroecossistema Agroecologia Ciência integradora dos princípios agronômicos, ecológicos e sócio-econômicos na compreensão da natureza e funcionamento dos agroecossistemas. Agroecossistema Unidade de estudo da Agroecologia,

Leia mais

Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes.

Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes. Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes. Deolinda Alberto 1, José Pedro Fragoso Almeida 2 1 Professor Adjunto, Escola Superior Agrária de Castelo Branco,

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 João Cotrim de Figueiredo 10 Out 2014 Turismo: crescimento e resiliência No século do Turismo? Mais de 1.100 milhões de turistas em 2014 OMT prevê crescimento médio anual

Leia mais

Custos de Gestão e Produção do Sobreiro

Custos de Gestão e Produção do Sobreiro www.unac.pt união da floresta mediterranica Custos de Gestão e Produção do Sobreiro ContaSB1. Outubro 213 No âmbito do Projeto CORKNOW-HOW: CONHECIMENTO SUBERÍCOLA EM REDE foi desenvolvida uma ferramenta

Leia mais

1. Aumentar o conhecimento sobre a fileira (dimensão, valor, intervenientes);

1. Aumentar o conhecimento sobre a fileira (dimensão, valor, intervenientes); SUMÁRIO EXECUTIVO Enquadramento do Estudo O Estudo Económico de Desenvolvimento da Fileira do medronho enquadra-se na estratégia de valorização da floresta do, procurando estudar a dinamização da fileira

Leia mais

XLM Innovation & Technology

XLM Innovation & Technology 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A XLM, sedeada em Aveiro, iniciou a sua atividade em 1995. Nesta data, a sua área de atuação cingia-se à venda, instalação e assistência técnica

Leia mais

CENTRAL SOLAR FOTOVOLTAICA DE AMARELEJA REFERÊNCIA MUNDIAL NO DESENVOLVIMENTO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS

CENTRAL SOLAR FOTOVOLTAICA DE AMARELEJA REFERÊNCIA MUNDIAL NO DESENVOLVIMENTO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS CENTRAL SOLAR FOTOVOLTAICA DE AMARELEJA REFERÊNCIA MUNDIAL NO DESENVOLVIMENTO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS A MAIOR CENTRAL FOTOVOLTAICA DO MUNDO COM SEGUIDORES SOLARES AMARELEJA ENTRADA PRINCIPAL A central

Leia mais

NORMAS DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DAS HORTAS DE ÁGUEDA

NORMAS DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DAS HORTAS DE ÁGUEDA NORMAS DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DAS HORTAS DE ÁGUEDA PREÂMBULO O projeto Agricultura semente de sustentabilidade tem como desígnio trazer para um sector de atividade tradicional de baixa tecnologia, um elevado

Leia mais

RELATÓRIO DE CONFORMIDADE AMBIENTAL DO PROJETO DE EXECUÇÃO

RELATÓRIO DE CONFORMIDADE AMBIENTAL DO PROJETO DE EXECUÇÃO ÉVORA RESORT RELATÓRIO DE CONFORMIDADE AMBIENTAL DO PROJETO DE EXECUÇÃO VOLUME 1 SUMÁRIO EXECUTIVO JUNHO DE 2012 ÉVORA RESORT RELATÓRIO DE CONFORMIDADE AMBIENTAL DO PROJETO DE EXECUÇÃO Sumário Executivo

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Programa Águas de Araucária

Mostra de Projetos 2011. Programa Águas de Araucária Mostra de Projetos 2011 Programa Águas de Araucária Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Secretaria Municipal

Leia mais

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO Produção Integrada de Arroz Irrigado O que é a Produção Integrada de Arroz Irrigado? A Produção Integrada é definida como um sistema de produção agrícola de

Leia mais

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Atores envolvidos Movimentos Sociais Agricultura Familiar Governos Universidades Comunidade Científica em Geral Parceiros Internacionais,

Leia mais

Valorização do Potencial Industrial do Alto Minho: Plano de Ação & Instrumentos de Financiamento 2015-2020 Cluster Vitivinicultura - João Pereira

Valorização do Potencial Industrial do Alto Minho: Plano de Ação & Instrumentos de Financiamento 2015-2020 Cluster Vitivinicultura - João Pereira Valorização do Potencial Industrial do Alto Minho: Plano de Ação & Instrumentos de Financiamento 2015-2020 Cluster Vitivinicultura - João Pereira 29 de Junho de 2015 Escola Superior de Tecnologia e Gestão,

Leia mais

Vinomatos apresenta-lhe o seu programa de plantação. Chave na mão

Vinomatos apresenta-lhe o seu programa de plantação. Chave na mão Vinomatos apresenta-lhe o seu programa de plantação Chave na mão Na base do programa está uma máquina de plantar guiada por satélite inventada por um homem do terreno, Georges Mandrafina, criador-conceptor

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

Mais clima para todos

Mais clima para todos Mais clima para todos 1 Mais clima para todos Na União Europeia, entre 1990 e 2011, o setor dos resíduos representou 2,9% das emissões de gases com efeito de estufa (GEE), e foi o 4º setor que mais contribuiu

Leia mais

A Floresta é um recurso estratégico? RefCast. Reforço da cultura do castanheiro. José Gomes Laranjo. jlaranjo@utad.pt

A Floresta é um recurso estratégico? RefCast. Reforço da cultura do castanheiro. José Gomes Laranjo. jlaranjo@utad.pt A Floresta é um recurso estratégico? RefCast Reforço da cultura do castanheiro José Gomes Laranjo jlaranjo@utad.pt Espinhal, 4 Setembro 2010 O que é o RefCast? Proposta de investimento na fileira do castanheiro:

Leia mais

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT A Responsabilidade Social Corporativa no Contexto da Internacionalização Abril, 2014 AGENDA QUEM SOMOS SUSTENTABILIDADE A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Plano de ação nacional para o uso sustentável de produtos fitofarmacêuticos e sua execução para 2014

Plano de ação nacional para o uso sustentável de produtos fitofarmacêuticos e sua execução para 2014 Plano de ação nacional para o uso sustentável de produtos fitofarmacêuticos e sua execução para 2014 Bárbara Oliveira & Miriam Cavaco Direção de Serviços de Meios de Defesa Sanitária Divisão de Gestão

Leia mais

Registo de Informação sobre Satisfação dos Empregadores (Indicador EQAVET 6b3)

Registo de Informação sobre Satisfação dos Empregadores (Indicador EQAVET 6b3) Anexo 6 Registo de Informação sobre Satisfação dos Empregadores (Indicador EQAVET 6b3) Designação do Operador Código SIGO Concelho Curso Área de Educação e Formação (código) Ciclo de Formação Data de recolha

Leia mais

TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA

TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA 1º CICLO DE PALESTRAS SODEPAC TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA Maia Barnabé Sambongo Dir. Fazenda Quizenga TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA ÁREA DE 1º ANO 1. Supressão Vegetal

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica UFRGS ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica 1. (Ufrgs 2014) Considere as seguintes afirmações sobre conceitos utilizados em ecologia. I. Nicho ecológico é a posição biológica ou funcional que um ecossistema

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS Página: 2504 de 2619 ESPELHO DE S DE 1 Apoio à pesquisa e preservação de recursos genéticos e biotecnologia Custos financeiros: Despesas de custeio - 3

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 1 INOVAÇÃO Ação 1.1 GRUPOS OPERACIONAIS Enquadramento Regulamentar Artigos do Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

Produção Agroflorestal

Produção Agroflorestal Produção Agroflorestal O Curso Técnico Superior Profissional de Produção Agroflorestal forma profissionais que, autonomamente ou integrados em equipa, planeiam, gerem e supervisionam áreas agrícolas e

Leia mais

Coordenação do Curso: Ana Paula Silva Fernando A. Santos

Coordenação do Curso: Ana Paula Silva Fernando A. Santos Coordenação do Curso: Ana Paula Silva Fernando A. Santos Um curso com tradição e com futuro Mais de 700 Engenheiros a trabalhar em todo o país Um curso acreditado pela Ordem dos Engenheiros Uma formação

Leia mais

Um laboratório com 35 hectares!

Um laboratório com 35 hectares! Um laboratório com 35 hectares! Prof. José Oliveira Peça; Prof. Anacleto Cipriano Pinheiro; Prof. António Bento Dias Universidade de Évora, Departamento de Engenharia Rural - ICAM Apartado 94, 7002 554

Leia mais

Iniciativas Futuro Verde" do Japão

Iniciativas Futuro Verde do Japão 1. Compreensão Básica Iniciativas Futuro Verde" do Japão 1. Nas condições atuais, em que o mundo está enfrentando diversos problemas, como o crescimento populacional, a urbanização desordenadas, a perda

Leia mais

Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos. Formação de Agricultores na Região centro

Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos. Formação de Agricultores na Região centro Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos Formação de Agricultores na Região centro Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos Objetivo das ações de formação: Utilização correta no uso e manuseamento

Leia mais

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Perfil - 2-1. Fatos sobre Brasil 2. Contexto Florestal 3. Estratégias para

Leia mais

Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais

Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais O desenvolvimento das ações em diferentes projetos poderão identificar

Leia mais

A produção de castanha tem vindo, nos últimos anos, a aumentar a nível mundial, assim como a área ocupada com castanheiros e a sua produtividade.

A produção de castanha tem vindo, nos últimos anos, a aumentar a nível mundial, assim como a área ocupada com castanheiros e a sua produtividade. SUMÁRIO EXECUTIVO Enquadramento do Estudo O Estudo Económico de Desenvolvimento da Fileira da castanha tem como principal objectivo dinamizar a fileira e aumentar o seu valor económico. Este estudo enquadra-se

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria do Meio Ambiente Secretaria da Agricultura e Abastecimento Dezembro de 2005 COBERTURA FLORESTAL (Inventário Florestal,

Leia mais