4G e a transformação da telefonia móvel

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "4G e a transformação da telefonia móvel"

Transcrição

1 Análises independentes de tendências tecnológicas para profissionais de TIC e a transformação da telefonia móvel O impacto da nova geração celular na sociedade e nos negócios das operadoras Foco Telefonia móvel Tecnologia Redes, acesso, gerência e BI Setor Telecomunicações Geografia América Latina

2 2 Abril, 2013 Sumário Contexto 3 e as redes híbridas 4 Desafios 6 Oportunidades 9 Conclusão 13

3 3 Contexto A necessidade de proporcionar uma melhor experiência para o consumidor tem se tornando um mantra no mercado de telecomunicações. Todos têm consciência de que, sem medidas adequadas para garantir um bom desempenho das redes e assegurar que haja essa percepção pelos seus clientes, os resultados podem ser comprometedores, principalmente em um ambiente competitivo como o que vivemos. Nesse cenário, a implantação da tecnologia LTE (Long Term Evolution) será mais um componente de pressão, tanto do ponto de vista do consumidor, quanto operacional. Sob vários aspectos, a migração para a quarta geração de telefonia móvel é um passo muito mais importante e impactante do que foi a passagem da segunda para a terceira geração. A quarta geração chega em um momento de grande transformação do mercado de dados, ao mesmo tempo em que ela própria também se alinha aos agentes transformadores. A banda larga móvel cresce exponencialmente e a tecnologia LTE terá um papel importante nessa expansão. Segundo a ABI Research, em 2012, o tráfego de dados móveis atingiu petabytes dos quais 46% foram transmitidos via 3G, o que representou um crescimento de 130% na comparação anual. A projeção da empresa de pesquisas é de que, em 2013, o tráfego em redes 3G crescerá 99%, enquanto a demanda por serviços de alta velocidade na infraestrutura poderá ter aumento de 207%. Alguns exemplos desse impacto começam a ficar mais claros. De acordo com a Informa e a Mobidia, na Coréia do Sul, os assinantes estão consumindo 132% mais dados nas redes LTE que nas de terceira geração. No Japão, esse porcentual é de 67%. Nos Estados Unidos, a Verizon Wireless constatou que quase metade do tráfego de dados estava sendo feito via LTE.

4 4 Até 2017, serão vendidos anualmente 1,4 milhão de macrocells, 5 milhões de small cells e 11,5 milhões de pontos de acesso Wi-Fi, resultando em um mercado global de US$ 42 bilhões (Fonte: ARCChart) e as redes híbridas A chegada da quarta geração de telefonia móvel somada ao aumento da maturidade do mercado especialmente no que tange ao consumo de dados cria uma nova realidade em termos de topologia de rede. O futuro que se desenha é o das chamadas HetNets (heterogeneous networks), ou seja, redes heterogêneas em que múltiplas tecnologias de acesso se combinam de forma a oferecer a melhor experiência aos clientes, tanto em termos de qualidade de acesso quanto de cobertura. Nesse novo cenário, as operadoras terão de criar uma arquitetura de rede que combine macrocells, picocells e femtocells, baseadas em tecnologias de 2G, 3G e, além do uso de Wi-Fi para offload de dados. Isto tudo de forma transparente para os clientes, o que resulta não apenas em desafios de engenharia de rede, mas de integração, autenticação, bilhetagem, entre outros. Os hotspots Wi-Fi deverão continuar desempenhando um importante papel nas novas redes, especialmente devido ao seu custo competitivo quando comparado aos das antenas tradicionais. Uma recente pesquisa

5 5 Smartphones lideram crescimento do tráfego móvel Exabytes por mês 66% CAGR Os valores na legenda referem-se à divisão do tráfego móvel em 2017 Outros dispositivos portáteis (0.2%) 6 Non-Smartphones (1.4%) M2M (5.1%) Tablets (11.7%) Laptops (14.0%) 0 Smartphones (67.5%) Fonte: Cisco VNI Mobile Forecast, 2013 da Cisco mostrou que, em 2012, 33% do total de dados móveis foi acessado pelas chamadas redes de offload (429 petabytes/ mês). A projeção da empresa é de que, até 2017, 46% do tráfego total de dados móveis deverá ser feito por tecnologias de offload. No Brasil, ainda é necessário haver capilaridade, maior qualidade e algumas evoluções técnicas nas redes Wi-Fi, como a disseminação da autenticação transparente para o usuário. Além do Wi-Fi, as operadoras deverão contar também com as pequenas antenas as chamadas small cells para ampliar a cobertura indoor e em ambientes públicos. A combinação do uso desses recursos poderá ajudar a maximizar os investimentos para as empresas. Temos o exemplo da AT&T, que até o final deste ano poderá combinar o uso de 10 mil novas macrocells com 40 mil pequenas células. A operadora está utilizando a femtocell para a cobertura 3G indoor em casas e pequenos negócios, a metrocell para cobertura indoor e outdoor de escritórios na plataforma e multi-standard metrocell em locais públicos, como aeroportos e shoppings, para conectar sistemas 3G, e Wi-Fi.

6 6 Em 2013, o tráfego em redes 3G crescerá 99% enquanto a demanda por serviços de alta velocidade na infraestrutura poderá ter aumento de 207% (Fonte: ABI Research) Desafios Além do aumento da complexidade das redes, diversos outros desafios surgem junto com a nova geração das redes móveis. O primeiro e talvez mais importante é a rentabilidade e, consequentemente, capacidade de investimento das operadoras. Mais do que nunca, as telcos precisam aproveitar ao máximo a infraestrutura existente ao mesmo tempo em que devem buscar formas mais eficientes de realizar seus negócios, reduzindo tanto o custo de implementação quanto os gastos operacionais. Afinal, a preocupação maior é a experiência do cliente, mas sempre dentro de uma equação sustentável também para os investidores. Nesse contexto, os principais desafios que as operadoras terão de enfrentar são a adequação de backbone e backhaul para suportar o forte aumento da demanda por serviços de dados e a adequação dos sistemas de suporte à operação para lidar com um novo ambiente interno (redes heterogeneas) e externo (multiplicidade de perfis de cliente e de dispositivos de acesso). O backhaul (ou seja, a infraestrutura necessária para conectar os pontos de acesso ao core da rede) representa um grande desafio. O YankeeGroup estima que, em 2012, cerca de US$ 40 bilhões tenham sido investidos globalmente em backhaul para rede 3G e, segmento que consome cerca de 80% dos custos operacionais de rede para as operadoras móveis. Na América do Sul, hoje, existem cerca de cell sites, com crescimento anual de 8%. Para fornecer a cobertura com a qualidade que as redes demandarão, será necessário um número bem maior que esse. Mundialmente, estima-se que, em 2015, existam 3,8 milhões de cell sites ( e 3G) e pelo menos 5 a 10 vezes esse numero de small cells. Para atender os requisitos do cenário criado pela chegada do LTE, é necessária uma arquitetura de rede de alta disponibilidade, rápida convergência, multi-serviços e flexível. A tecnologia IP/MPLS é capaz de endereçar

7 7 Receita das operadoras móveis e tráfego crescem de forma desproporcional Tráfego Quantidade Domínio da voz Receita Domínio dos dados Fonte: Heavy Reading 2011 Tempo esses requisitos simplificando a arquitetura de rede e reduzindo custos operacionais, pois elimina as necessidade de traduções dos planos de controle e gerenciamento, inerente de outras arquiteturas legadas. Outro aspecto que deve ganhar força é o compartilhamento de infraesutrutura. Um modelo de rede backhaul baseado em IP/ MPLS simplifica o RAN sharing, garantindo segurança, transparência e alta disponibilidade através da criação de redes virtuais para cada operadora no cell site. Com essa perspectiva mais aquecida, as operadoras podem ter um ganho na sua estratégia de diminuir os custos. Porém, deve-se ter em mente que se trata de um processo que vai exigir muito das equipes gerenciais e operacionais de cada um dos envolvidos para que o desenho final da rede sirva adequadamente aos propósitos estabelecidos por cada um. O ideal é que ambos elejam uma empresa independente, que fique responsável pela análise, estudo de topologia e negociações para que se obtenha o melhor resultado. Para suportar essas mudanças, as tecnologias analíticas tornam-se grandes aliadas. Seja na área de engenharia, fornecendo subsídios para capacity planning e informações relacionadas à qualidade dos serviços em tempo real, ou no departamento de TI, colhendo e analisando dados sobre os clientes, as ferramentas analíticas devem se tornar peça fundamental na tomada de decisão das operadoras de telecomunicações. Está claro, porém, que a adoção de analytics é um processo complexo e que precisa ser bem programada para que não gere tensão entre os envolvidos e todos os setores trabalhem de forma integrada. Em um caminho bem equacionado também é necessária atenção para a qualidade (e quantidade) dos dados que irão alimentar os sistemas. Um ambiente favorável da nova geração de analíticos resgata para as operadoras o poder preditivo, o que pode favorecer ações proativas. Elas podem ter grande utilidade em pontos nevrálgicos, como prever e evitar o churn, direcionar investimentos em infraestrutura ou auxiliar o time-to-market para o lançamento de produtos e serviços.

8 8 Principais desafios Adequação de backbone e backhaul Para atender ao aumento e à mudança de perfil das demandas dos consumidores, as telcos têm investido em uma rede bachaul ethernet com alta disponibilidade de banda, capaz, além de conectar as antenas LTE, ainda oferecer serviços como VPN L3 corporativo, compartilhamento de rede e conectividade Wi-Fi. Além disso, a rede precisa ser totalmente baseada em IP/MPLS, tecnologia capaz de atender aos requerimentos do LTE como maiores velocidade de acesso pelo usuário, baixa latência, suporte a uma nova interface lógica de comunicação entre enbs, sincronização de clock (fase e frequência), IPSec para compartilhamento de rede, melhor QoS, melhor determinismo, proteção, disponibilidade e performance e baixo custo de capex e opex. O IP/MPLS tem ainda como vantagens adicionais o aprovisionamento do serviço apenas nos dispositivos de borda (edge), tornando o núcleo da rede transparente e sem intervenções. Uma arquitetura IP/MPLS de transporte é capaz de elevar a escalabilidade da rede através da utilização da RFC hierarquia de labels. A operação de uma rede backhaul IPRAN, baseado no modelo IP/MPLS, é mais simples, pois o OAM é fim a fim, incluindo gerenciamento de performance, configuração e aprovisionamento do serviço. O MPLS ainda permite a utilização de mecanismo como o LFA FRR para rápida convergência, garantindo alta disponibilidade para a arquitetura. Adequação de sistemas OSS/BSS O LTE permite a oferta de velocidades cada vez mais altas nas redes móveis, aumentando a competitividade do mercado banda larga entre as operadoras de redes fixas, cabo e móvel. Assim, para se diferenciarem, as operadoras buscam ofertar outros serviços, com qualidade e time-to-market, com o objetivo de conquistar e manter assinantes em sua base. Para tanto, as operadoras necessitam de sistemas de apoio operacional (OSS) e de negócio (BSS) convergentes, que as permitam criar, de forma eficiente, o produto a ser ofertado ao cliente, desde sua criação até a sua cobrança. Destaca-se a plataforma de Policy and Charging Server, que permite uma interface direta entre atendimento a clientes e provisionamento, de forma a entregar os novos serviços ao assinante no menor prazo possível, assim como integração às aplicações IMS (IP Multimedia Subsystem), além do controle do uso de serviços e cobrança em tempo real. Mas as plataformas OSS e BSS hoje existentes também necessitam de adaptação. As plataformas de suporte operacional (OSS) precisam evoluir de forma a monitorar os novos serviços de forma eficiente. Nesse sentido, entre os principais desafios está o controle de serviços independente da tecnologia de acesso. No caso das plataformas de suporte ao negócio (BSS), como CRM (Customer Relashionship Management) e tarifação, necessitam de maior flexibilidade, de modo que permitam às operadoras criarem novos planos e serviços com diferentes formas de cobrança. Múltiplos perfis de cliente / M2M A fase em que um plano de serviços era capaz de atender às necessidade básicas de todos os clientes terminou. Por um lado, os consumidores estão mais exigentes e específicos em suas demandas; por outro, a diversidade de usuários é cada vez maior - há os que precisam apenas de voz, os que desejam um pacote de banda larga para assistir streaming de video, aqueles que utilizarão apenas redes sociais e há as máquinas e os sensores, que em breve devem representar grande parte da base de clientes das operadoras. Tanto back office quanto front office precisam estar preparados para essa nova realidade. E, mais do que planos flexíveis, as telcos precisam ter em mente que a melhor tecnologia para entregar um vídeo de YouTube para um cliente numa sala de espera utilizando um tablet provavelmente não será mesma que adequada para atender um cliente navegando nas redes sociais em seu smartphone, numa viagem de ônibus. A operadora precisará ter uma rede inteligente o suficiente para identificar essas diferenças, saber as alternativas tecnológicas disponíveis nessas situações/lugares e escolher a melhor opção.

9 9 84% de todo tráfego móvel em 2017 será relacionado a aplicações de cloud computing 100% 26% 24% 22% 20% 18% 16% 50% 74% 76% 78% 80% 82% 84% Fonte: Cisco VNI Mobile Forecast, 2013 Trafego não-relacionado a cloud Tráfego relacionado a cloud Oportunidades A importância da banda larga móvel é crescente e passa a representar a maneira como as pessoas vivem, fazem negócios e estão conectadas umas às outras. A conectividade é a fundação onde se desenvolvem as grandes tendências tecnológicas do momento: é a base para a computação em nuvem, para a colaboração e para o big data. O mercado de smartphones cresce mais do que o de terminais low end e há, também, uma expansão significativa no uso dos aplicativos pelos usuários. Em 2012, de acordo com a ABI Research, foram feitos 32,6 bilhões de downloads de aplicativos, um crescimento de 88% sobre o ano anterior. E a previsão é de que o aumento das telas dos dispositivos móveis combinado com a maior velocidade de tráfego de dados venha a estimular ainda mais o streaming/downloads de vídeo, que poderão representar 56% do tráfego total.

10 10 Tráfego de dados entre máquinas deve crescer 24 vezes entre 2012 e 2017 Petabytes por mês % CAGR PB por mês PB por mês Fonte: Cisco VNI Mobile Forecast, 2013 Essa situação, por si só, já é boa notícia para as operadoras. Afinal, em um momento em que a conectividade é vista como um bem fundamental para grande parte da sociedade seja na vida pessoal, nos serviços públicos ou nos negócios, o principal produto das telcos torna-se extremamente valioso. Assim, cabe às operadoras encontrar a melhor maneira de monetizar suas redes, criando ofertas de conectividade adequadas a cada perfil de usuário e fugindo das erosivas e pouco sustentáveis guerras de preços. Tendência que ganha força junto com a expansão do conceito de cidades inteligentes e do barateamento da nanotecnologia (que permite a inclusão de chips em praticamente qualquer equipamento eletrônico ou eletrodoméstico), a popularização dos recursos de comunicação entre máquinas (M2M) é um exemplo de novo filão que deve ser explorado pelas operadoras. Com demandas (de qualidade, largura de banda e disponibilidade) muito diferentes das pessoas, as máquinas e os sensores serão um novo tipo de cliente que irá se multiplicar rapidamente e a taxas astronômicas nos próximos anos. Projeção feita pela Analysys Mason aponta para mais de 2 bilhões de conexões globais em 2021, contra pouco mais de 100 milhões registrados em Atualmente, cerca de 23% dos dispositivos conectados podem ser considerados conexão entre máquinas. Mas esse porcentual poderá crescer para 61% em nove anos. Entre os setores que vão liderar essa área, conforme a empresa de pesquisa, a de edifícios inteligentes deverá ser a primeira colocada, com 37%. Em segundo lugar, deverá estar o mercado de consumo eletrônico, incluindo consoles de jogos, música, câmeras e produtos da linha branca, com 32%. O mercado de utilitities poderá significar 10% das conexões e o setor automotivo, 8%. O segmento de saúde, com monitores e sensores conectados, é outro mercado que merece atenção. Terão vantagem nesse mercado, as teles que buscarem entender esse usuário agora e, desde já, se prepararem para atendê-los, até mesmo criando pacotes com serviços de valor agregado e produtos desenvolvidos sob medida para aplicações específicas. Recentes acordos anunciados entre operadoras móveis e instituições financeiras, transportadoras,

11 11 Os sistemas de comunicação máquina a máquina deverão representar 3,7% do mercado brasileiro de telefonia móvel em três anos (Fonte: Europraxis) M2M empresas do ramo automobilístico, saúde e educação mostram que esse segmento já está aquecido e pode ir além da simples oferta de conectividade: muitas se dispõem a oferecer a plataforma e sistemas de ativação de contas, controle, gestão, cobrança e suporte. O atual cenário social e tecnológico cria para operadoras outra oportunidade, que é a oferta de serviços de valor agregado sejam próprios ou por meio de parceiros. Serviços de video online, games, localização e aplicativos são apenas algumas das opções de serviços adicionais que as operadoras podem incluir em seu portfólio para aumentar o ARPU (average revenue per user, ou receita média por usuário) e melhorar a rentabilidade de suas redes. Nesse sentido, as operadoras podem tanto posicionar-se como competidoras das OTTs (over-the-tops), como podem se emparceirar com elas, o que aparentemente seria um caminho menos arriscado para a maior parte das teles. Nesse caso, a principal preocupação das operadoras deve ser a busca de um modelo técnico e comercial que faça sentido também para as OTTs e para os consumidores. M2M - Aplicações O mercado e as operadoras já começaram a identificar potenciais de uso do M2M. Abaixo, alguns exemplos de aplicações que já estão em uso: E-health Application (telemedicina) dispositivos de monitoração de saúde Monitoração de veículos a. Sistemas de Taxi b. Controle de Frotas Controle para Smart-Grids Segurança câmeras de monitoramento remoto (babás, seguros, vigilância remota, trânsito, etc.) Automação residencial e de condomínios Varejo point of sale e mobile money

12 12 Previsão de implantação global de small cells, por categoria, Femtocells Implantação de small cell (milhões) Picocells Microcells Metrocells Fonte: Informa A bilhetagem conjunta (na conta da operadora) e a utilização de ferramentas que garantam a excelência ténica (melhorando a experiencia do usuário) são alguns dos caminhos possíveis para que esse tipo de parceria seja bem-sucedida. Seja qual for o modelo, o processo vai exigir uma retaguarda completamente integrada, com especial atenção aos sistemas de OSS/BSS, a fim de obter resultados mais apurados. Finalmente, a criação de ofertas para o mercado corporativo pode ser extremamente beneficiada pela chegada do e pela topologia das novas redes. Com a mudança do paradigma da TI corporativa para a computação em nuvem, uma rede sem fio confiável e com qualidade é fundamental para garantir a continuidade dos negócios, ao mesmo tempo em que se passa a aproveitar os benefícios de flexibilidade e produtividade trazidos pela cloud. Assim, a cobertura indoor adequada, somada ao aumento da velocidade e da segurança em muitos casos, considerada melhor que em outras redes e à flexibilidade de serviços formam a equação ideal para atender às necessidades das corporações. Um desafio (e oportunidade) para as operadoras, nesse cenário, é criar pacotes de serviços adequados às realidades de negócio de cada empresa/ setor, com um portfólio de aplicações corporativas próprias, desenvolvidas em conjunto com terceiros ou certificando soluções trazidas pelas empresas, vai beneficiar a relação da operadora com seu cliente. O conhecimento do mercado do cliente e a oferta de produtos customizados, inclusive para áreas críticas das companhias, deve garantir o diferencial no atendimento ao segmento corporativo.

13 13 Conclusão Não se pode mais chamar de quarta geração apenas o processo de implantação das redes LTE e LTE-Advanced. O universo com que as operadoras passam a conviver é múltiplo, seja em termos de espectro, tecnologias, acessos, processos, terminais, sistemas operacionais ou modelos de negócios. Os desafios também se multiplicam e dificilmente respostas únicas irão atender a todas as necessidades. Por esse motivo, é importante que se busquem modelos sustentáveis que movimentem toda a companhia e não mais apenas um ou outro departamento. Com o foco na melhor experiência do consumidor, as operadoras terão de se renovar frente ao novo cenário em que máquinas e pessoas estarão exigindo altas velocidades, desempenho, qualidade de atendimento e soluções para os perfis diferenciados que trafegam nas redes. Esse objetivo dificilmente será atingido se não houver um planejamento adequado que comece desde as necessidades de compartilhamento até a integração de sistemas. As operadoras precisam ter a consciência de que não se trata mais do lançamento de uma nova tecnologia, mas de um contexto diferente que vai exigir respostas rápidas e inovadoras.

14 14 Advisor é uma publicação da PromonLogicalis. Este documento contém informações de titularidade ou posse da PromonLogicalis, de suas controladas ou coligadas, e são protegidas pela legislação vigente. Reprodução total ou parcial desta obra apenas com prévia autorização da PromonLogicalis. As informações contidas nesta publicação são baseadas em conceitos testados e empregados no desenvolvimento de projetos específicos e estão sujeitas a alterações de acordo com o cenário de mercado e os objetivos de cada projeto. Luís Minoru Shibata Diretor de Consultoria Julian Nakasone Diretor de Soluções de TI Lucas Pinz Gerente Sênior de Tecnologia Jhuli Takahara Coordenadora de Consultoria Com mais de 15 anos de experiência em TIC, atuou como Diretor Executivo da Ipsos e como Managing Director do Yankee Group na América Latina. MBA em Conhecimento, Tecnologia e Informação pela FIA (FEA/USP). br.promonlogicalis.com +55 (11) Com mais de 15 anos de experiência no setor de tecnologia da informação e comunicações, é formado em Engenharia Eletrônica pelo ITA, com MBA pela EASP-FGV. br.promonlogicalis.com +55 (11) Com mais de 13 anos de atuação no mercado de TIC, é responsável pelo desenvolvimento de soluções e arquiteturas para o mercado de telecomunicações. É formado pelo MIT-EUA em Educação Executiva, possui MBA pela FGV-BR e Ohio University-EUA e é pós-graduado pela FGV-RJ em Gestão Empresarial. br.promonlogicalis.com +55 (11) Com mais de 15 anos de experiência em TIC, atua na PromonLogicalis há 10 anos, dos quais 5 foram dedicados à Consultoria Tecnológica. Mestre em Engenharia Elétrica e de Computação pela Unicamp, cursando MBA em Gestão Empresarial pela FGV-RJ. br.promonlogicalis.com +55 (11) Para saber mais Entre em contato conosco para saber o que podemos fazer pela sua empresa. Coordenação e texto Thais Cerioni Marketing PromonLogicalis Diretor Responsável Luís Minoru Shibata

15 15 A PromonLogicalis Com mais de trinta anos de experiência, a PromonLogicalis oferece serviços de consultoria que têm auxiliado grandes corporações a entender como alavancar o negócio por meio da adoção de soluções de TIC. A PromonLogicalis é um integrador que atua com os principais fornecedores do mercado para cada solução, abrangendo desde o core e a infraestrutura de redes de acesso, passando por redes, colaboração, data centers e segurança da informação, até sua operação e gerenciamento. Para apoiar as operadoras na migração para a quarta geração de telefonia móvel, a PromonLogicalis oferece um portfólio completo de tecnologias, que combinam desde projetos de consultoria até equipamentos IP para backbone e backhaul, ferramentas de gestão de rede, sistemas OSS/BSS, projetos e tecnologias para e soluções analíticas.

16 Argentina Bolívia Brasil Chile Colômbia Equador Paraguai Peru Uruguai Copyright 2013 PromonLogicalis All rights reserved.

Sumário. Introdução 3. Contexto 4. Os modelos de atuação 7. Análise de oportunidade e Gerenciando expectativas 9. Conclusão 13

Sumário. Introdução 3. Contexto 4. Os modelos de atuação 7. Análise de oportunidade e Gerenciando expectativas 9. Conclusão 13 Análises independentes de tendências tecnológicas para profissionais de TIC Um novo mercado a ser explorado no Brasil Foco Consultoria Tecnologia Telefonia móvel Setor Grandes corporações, governo e operadoras

Leia mais

Network Analytics. Como inovar nos negócios a partir da exploração e da análise de informações. Advisor

Network Analytics. Como inovar nos negócios a partir da exploração e da análise de informações. Advisor Análises independentes de tendências tecnológicas para profissionais de TIC Como inovar nos negócios a partir da exploração e da análise de informações Foco Tecnologia Business Intelligence Setor Telecomunicações

Leia mais

Brazil IT Snapshot 2013

Brazil IT Snapshot 2013 Brazil IT Snapshot 2013 Um panorama sobre a maturidade da TIC corporativa brasileira Principais atribuições e benefícios de TIC de acordo com os entrevistados Lucro Inovação Automação Resultados Agilidade

Leia mais

Colaboração. Mais produtividade em um mundo de negócios globalizado. Advisor

Colaboração. Mais produtividade em um mundo de negócios globalizado. Advisor Análises independentes de tendências tecnológicas para profissionais de TIC Mais produtividade em um mundo de negócios globalizado Foco Produtividade Tecnologia Setor Grandes Corporações Geografia América

Leia mais

BYOD. Como preparar seus negócios para uma avalanche de dispositivos. Advisor

BYOD. Como preparar seus negócios para uma avalanche de dispositivos. Advisor Análises independentes de tendências tecnológicas para profissionais de TIC Como preparar seus negócios para uma avalanche de dispositivos Foco Mobilidade Tecnologia Redes, segurança e gerência Setor Grandes

Leia mais

Brazil IT Snapshot 2014

Brazil IT Snapshot 2014 Brazil IT Snapshot 2014 Um panorama sobre a maturidade da TIC corporativa brasileira Map Brazil IT Snapshot 2014 PromonLogicalis 3 A forma como a economia brasileira evolui, com maior inserção internacional

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Junho de 2013 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

4G / WIFI Abordagens para melhor acesso à internet no campus

4G / WIFI Abordagens para melhor acesso à internet no campus 4G / WIFI Abordagens para melhor acesso à internet no campus EMBRATEL É PARTE DA AMÉRICA MÓVIL INSTITUCIONAL UM DOS MAIORES GRUPOS EMPRESARIAIS DO MUNDO E LÍDER NA OFERTA DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

Advisor. Data Centers. A pressão por redução de custos e otimização de recursos

Advisor. Data Centers. A pressão por redução de custos e otimização de recursos Foco Redução de Custos Tecnologia Data Centers Setor Grandes Corporações Geografia América Latina Advisor Independent business analysis of technology trends for ICT decision makers Data Centers A pressão

Leia mais

Destaques do trimestre

Destaques do trimestre Resultados 3T12 Destaques do trimestre 1 Empresa integrada é líder no índice de satisfação do cliente 2 Líder indiscutível nos segmentos de maior receita com foco na geração de valor 3 Melhora sequencial

Leia mais

AMÉRICA LATINA E CARIBE ERICSSON MOBILITY REPORT - APÊNDICE NOVEMBRO

AMÉRICA LATINA E CARIBE ERICSSON MOBILITY REPORT - APÊNDICE NOVEMBRO AMÉRICA LATINA E CARIBE ERICSSON MOBILITY REPORT - APÊNDICE NOVEMBRO VISÃO GERAL DO MERCADO Principais dados: América Latina e Caribe M Assinaturas móveis (milhões) Assinaturas de smartphones (milhões)

Leia mais

Cloud computing. As oportunidades estão nas nuvens. Advisor. Análises independentes de tendências tecnológicas para profissionais de TIC

Cloud computing. As oportunidades estão nas nuvens. Advisor. Análises independentes de tendências tecnológicas para profissionais de TIC Análises independentes de tendências tecnológicas para profissionais de TIC As oportunidades estão nas nuvens Foco Data center Tecnologia Virtualização Setor Grandes corporações, governo e operadoras Geografia

Leia mais

Predictions Brasil 2015 Acelerando a Inovação na 3 a Plataforma

Predictions Brasil 2015 Acelerando a Inovação na 3 a Plataforma Predictions Brasil 2015 Acelerando a Inovação na 3 a Plataforma 1 IDC - Equipe Pietro Delai Reinaldo Sakis João Paulo Bruder Luciano Ramos Gerente de Pesquisa e Consultoria -Enterprise Gerente de Pesquisa

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

Brazil IT Snapshot 2015

Brazil IT Snapshot 2015 Brazil IT Snapshot Um panorama sobre a maturidade da TIC corporativa brasileira Map Brazil IT Snapshot PromonLogicalis 3 Pelo terceiro ano consecutivo, a PromonLogicalis foi ao mercado para tirar uma fotografia

Leia mais

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia 1 Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia Autor: Kobi Gol Gerente de Desenvolvimento de Negócios e Soluções da RAD Data Communications. 2 As redes das empresas de energia estão

Leia mais

Mobile Device Management MDM. SAP Forum, Fev2014.

Mobile Device Management MDM. SAP Forum, Fev2014. Mobile Device Management MDM SAP Forum, Fev2014. A EMBRATEL ENTREGA Porque é a mais completa operadora de Telecomunicações e TI Referência e líder na oferta de serviços de telecomunicações em toda a América

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Dezembro de 2012 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America 5º Encontro de Telecomunicações Respeito ao Consumidor 4G no Brasil: FIESP Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações Alexandre Jann Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America Tópicos Perfil

Leia mais

tendências MOBILIDADE CORPORATIVA Setembro/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 03 Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos

tendências MOBILIDADE CORPORATIVA Setembro/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 03 Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos tendências EDIÇÃO 03 Setembro/2012 MOBILIDADE CORPORATIVA Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos Recomendações para adoção de estratégia de mobilidade 02 03 04 06 07 08 A mobilidade corporativa

Leia mais

panorama do mercado brasileiro de Cloud Comput

panorama do mercado brasileiro de Cloud Comput panorama do mercado brasileiro de Cloud Comput Cloud Conf 2012 Agosto de 2012 Sobre a Frost & Sullivan - Consultoria Global com presença nos 4 continentes, em mais de 25 países, totalizando 40 escritórios.

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO DO PARCEIRO Soluções de garantia do serviço da CA Technologies você está ajudando seus clientes a desenvolver soluções de gerenciamento da TI para garantir a qualidade do serviço e a

Leia mais

Liderança e tecnologia: uma comparação do custo total de propriedade de Comunicações unificadas e Colaboração

Liderança e tecnologia: uma comparação do custo total de propriedade de Comunicações unificadas e Colaboração WHITE PAPER Liderança e tecnologia: uma comparação do custo total de propriedade de Comunicações unificadas e Colaboração Patrocinado pela Cisco Systems, Inc setembro de 2013 Resumo executivo As empresas

Leia mais

Resultados 4T13_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Fevereiro, 2014.

Resultados 4T13_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Fevereiro, 2014. Resultados 4T13_ Fevereiro, 2014. Destaques do 4T13 e ano de 2013 DESTAQUES Móvel Fixo Operacional Sustentando o crescimento superior em adições de pós-pago resultando em uma maior adoção de dados e crescimento

Leia mais

Tendências Tecnológicas: Como monetizar em oportunidades emergentes?

Tendências Tecnológicas: Como monetizar em oportunidades emergentes? : Como monetizar em oportunidades emergentes? 23 de Julho 2013 Confidencial Mercados emergentes têm previsão de crescimento de 2-3 vezes maiores do que mercados maduros em tecnologia nos próximos 2 anos.

Leia mais

Adapte. Envolva. Capacite.

Adapte. Envolva. Capacite. Adapte. Envolva. Capacite. Ganhe produtividade em um Ambiente de trabalho digital #DigitalMeetsWork Os benefícios de um ambiente de trabalho digital têm impacto na competitividade do negócio. Empresas

Leia mais

REDES CORPORATIVAS. Soluções Avançadas para Comunicação Empresarial

REDES CORPORATIVAS. Soluções Avançadas para Comunicação Empresarial REDES CORPORATIVAS Presente no mercado há 31 anos, a Compugraf atua em vários segmentos da comunicação corporativa, oferecendo serviços e soluções de alta tecnologia, com reconhecida competência em diversos

Leia mais

Cisco Global Cloud Index: Previsões e metodologia, 2011-2016

Cisco Global Cloud Index: Previsões e metodologia, 2011-2016 White Paper Cisco Global Cloud Index: Previsões e metodologia, 2011-2016 Resumo O Cisco Global Cloud Index é um esforço contínuo para prever o crescimento do tráfego de data center global e de IP baseado

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

CASO DE SUCESSO MICROWARE

CASO DE SUCESSO MICROWARE CASO DE SUCESSO MICROWARE CLIENTE: Telcordia Technologies Telecomunicações Brasil LTDA SEGMENTO: Tecnologia e Telecomunicações ÁREA DE ATUAÇÃO: Conectividade DEMANDA: Diante das novas tecnologias agregadas

Leia mais

SOFTWARE CISCO IOS: POSSIBILITANDO SOLUÇÕES PARA INDÚSTRIA COM REDES INTELIGENTES

SOFTWARE CISCO IOS: POSSIBILITANDO SOLUÇÕES PARA INDÚSTRIA COM REDES INTELIGENTES SOFTWARE CISCO IOS: POSSIBILITANDO SOLUÇÕES PARA INDÚSTRIA COM REDES INTELIGENTES DIVISÃO DE TECNOLOGIAS DA INTERNET 1 Desafios Atuais do Setor de Manufatura Cisco IOS SOFTWARE MANUFACTURNG DESPESAS OPER.

Leia mais

IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT

IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT A importância da inovação em fornecedores de sistemas, serviços e soluções para criar ofertas holísticas Julho de 2014 Adaptado de Suporte a ambientes de datacenter: aplicando

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO Sistema de rádio bidirecional digital profissional A solução de comunicação em rádios bidirecionais de próxima geração está aqui, com melhor desempenho, produtividade e preço e mais oportunidades para

Leia mais

Convergência Fixo-Móvel

Convergência Fixo-Móvel 18as Palestras sobre Comunicações Móveis 2010 Instituto Superior Técnico 28 Maio 2010 Index Convergência Fixo-Móvel Agenda O que é a Convergência? O que é? Convergência resulta de um conjunto de iniciativas

Leia mais

Reunião Pública. Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas

Reunião Pública. Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas Reunião Pública Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas Receita Bruta (R$ Milhões) e Margem EBITDA (%) ¹ Visão Geral da Companhia - Trajetória História Fundação Fortalecimento DNA Liderança 1.557

Leia mais

Avaya Virtualization Provisioning Service

Avaya Virtualization Provisioning Service Avaya Virtualization Provisioning Service Uma solução que fornece visibilidade, validação, automatização e geração de relatórios ao longo dos diferentes servidores, aplicações e dispositivos de rede para

Leia mais

Alavancando a segurança a partir da nuvem

Alavancando a segurança a partir da nuvem Serviços Globais de Tecnologia IBM White Paper de Liderança em Pensamento Serviços de Segurança IBM Alavancando a segurança a partir da nuvem O quem, o que, quando, por que e como dos serviços de segurança

Leia mais

Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem

Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem White paper Para provedores de nuvem Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem Introdução: os novos desafios dos clientes estimulam a adoção da nuvem Em um ambiente de negócios dinâmico,

Leia mais

Dispositivos móveis como serviço - IaaS. Nilton Cardoso Tiago Miranda

Dispositivos móveis como serviço - IaaS. Nilton Cardoso Tiago Miranda Dispositivos móveis como serviço - IaaS Nilton Cardoso Tiago Miranda Cenário Atual da Utilização de Dispositivos Móveis Demanda por Mobilidade A ascensão e o consumo acelerado de Smartphones e Tablets,

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV

EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV DATA CENTER VIRTUAL - DCV Em entrevista, Pietro Delai, Gerente de Pesquisa e Consultoria da IDC Brasil relata os principais avanços

Leia mais

Acelere o valor da computação em nuvem com a IBM

Acelere o valor da computação em nuvem com a IBM Acelere o valor da computação em nuvem com a IBM Obtenha soluções em nuvem comprovadas para as suas prioridades mais urgentes Destaques da solução Saiba sobre os benefícios mais comuns de implementações

Leia mais

DIMETRA IP Compact. uma solução TETRA completa e compacta

DIMETRA IP Compact. uma solução TETRA completa e compacta DIMETRA IP Compact uma solução TETRA completa e compacta MOTOROLA - SEU PARCEIRO DE TECNOLOGIA CONFIÁVEL E ATUANTE Uma herança que dá orgulho As soluções TETRA da Motorola alavancam mais de 75 anos de

Leia mais

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações 24 de Março de 2011 As exigências de infraestrutura de TIC para a Copa do Mundo e Olimpíada no Brasil Desafios e Oportunidades na construção do IBC. A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

Leia mais

O Crescente Desafio de Manter Sua Empresa Segura

O Crescente Desafio de Manter Sua Empresa Segura O Crescente Desafio de Manter Sua Empresa Segura Patrocinado por Cisco 1 Índice Sumário Executivo... 03 Particularidades do mercado de Segurança da Informação na América Latina... 04 Crescimento do mercado

Leia mais

Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos

Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos I D C C A S E S T U D Y Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos Janeiro, 2015 João Paulo Bruder, Coordenador de Telecomunicações, IDC Brasil Patrocinado pela Embratel A eficiência

Leia mais

Tendências para a próxima geração celular - 5G. Juliano J. Bazzo

Tendências para a próxima geração celular - 5G. Juliano J. Bazzo Tendências para a próxima geração celular - 5G Juliano J. Bazzo Agenda Motivação Roadmap: do 4G ao 5G Principais Tecnologias Tecnologia Nacional 4G/LTE Conclusão Evolução histórica Substituição de importações

Leia mais

Como se preparar para o fenômeno da Consumerização

Como se preparar para o fenômeno da Consumerização Como se preparar para o fenômeno da Consumerização Anderson B. Figueiredo Gerente Pesquisa & Consultoria IDC Brasil Agosto/2013 2 Presença em mais de 110 países ao redor do mundo; Mais de 1.000 analistas

Leia mais

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Bruno Sanchez Lombardero Faculdade Impacta de Tecnologia São Paulo Brasil bruno.lombardero@gmail.com Resumo: Computação em nuvem é um assunto que vem surgindo

Leia mais

Resultados 1T15_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Maio, 2015.

Resultados 1T15_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Maio, 2015. Resultados _ Relações com Investidores Maio, 2015. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes,

Leia mais

Fatores de Sucesso. Carlos Raimar Schoeninger Diretor de Estratégia e RI. Seminário sobre Telecomunicações APIMEC Rio. Telefônica Vivo 27.09.

Fatores de Sucesso. Carlos Raimar Schoeninger Diretor de Estratégia e RI. Seminário sobre Telecomunicações APIMEC Rio. Telefônica Vivo 27.09. Fatores de Sucesso Carlos Raimar Schoeninger Diretor de Estratégia e RI Seminário sobre Telecomunicações APIMEC Rio Telefônica Vivo 27.09.2012 Conteúdo 01 Vivo: uma história de sucesso 02 Desempenho da

Leia mais

Esgotamento dos Endereços IPv4 Migração para o IPv6 FÓRUM BRASILEIRO DE IMPLEMENTADORES DE IPV6 SÃO PAULO, 26 DE NOVEMBRO DE 2014

Esgotamento dos Endereços IPv4 Migração para o IPv6 FÓRUM BRASILEIRO DE IMPLEMENTADORES DE IPV6 SÃO PAULO, 26 DE NOVEMBRO DE 2014 Esgotamento dos Endereços IPv4 Migração para o IPv6 FÓRUM BRASILEIRO DE IMPLEMENTADORES DE IPV6 SÃO PAULO, 26 DE NOVEMBRO DE 2014 Somos a PLATAFORMA sobre a qual MILHÕES de SERVIÇOS são PRESTADOS a todo

Leia mais

Governo Municipal. Oferta de Soluções Motorola

Governo Municipal. Oferta de Soluções Motorola Governo Municipal Oferta de Soluções Motorola Agenda Por que a Motorola? Oferta de Soluções Motorola Casos de Sucesso Por que a Motorola? Conta com mais 80 anos na indústria. Liderança indiscutível em

Leia mais

5 motivos pelos quais as empresas estão mudando suas WANs para Banda Larga

5 motivos pelos quais as empresas estão mudando suas WANs para Banda Larga 5 motivos pelos quais as empresas estão mudando suas WANs para Banda Larga Como os tempos mudaram e por quê está na hora de Evoluir a TI A WAN sempre teve como objetivo conectar usuários à aplicativos

Leia mais

Transformando seus desafios em vantagens. Isso é produção inteligente, segura e sustentável

Transformando seus desafios em vantagens. Isso é produção inteligente, segura e sustentável Transformando seus desafios em vantagens Isso é produção inteligente, segura e sustentável Transformando seu negócio As negociações de sempre? Aqueles dias fazem parte do passado. As empresas de hoje devem

Leia mais

Módulo corporativo do Cisco APIC simplifica as operações de rede

Módulo corporativo do Cisco APIC simplifica as operações de rede Módulo corporativo do Cisco APIC simplifica as operações de rede Janeiro de 2014 Preparado por: Zeus Kerravala Módulo corporativo do Cisco APIC simplifica as operações de rede por Zeus Kerravala Janeiro

Leia mais

SYSTIMAX Solutions. imvisiontm. Gestão de Infraestrutura. Simplificada.

SYSTIMAX Solutions. imvisiontm. Gestão de Infraestrutura. Simplificada. SYSTIMAX Solutions imvisiontm. Gestão de Infraestrutura. Simplificada. 1 Toda rede deve ser administrada. A questão é COMO? A visão: Conseguir o sucesso comercial a partir de uma melhor administração de

Leia mais

INFRA-ESTRUTURA COMUM PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS E EMPRESAS. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

INFRA-ESTRUTURA COMUM PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS E EMPRESAS. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com INFRA-ESTRUTURA COMUM PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS E EMPRESAS Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com No passado, os provedores de serviços de telecomunicações projetavam, implementavam e operavam

Leia mais

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel BGAN Transmissão global de voz e dados em banda larga Banda larga para um planeta móvel Broadband Global Area Network (BGAN) O firm das distâncias O serviço da Rede Global de Banda Larga da Inmarsat (BGAN)

Leia mais

Novas Abordagens das Tecnologias de Informação e Comunicações. Workshop Tecnológico Benguela 13.06.2012

Novas Abordagens das Tecnologias de Informação e Comunicações. Workshop Tecnológico Benguela 13.06.2012 Novas Abordagens das Tecnologias de Informação e Comunicações Workshop Tecnológico Benguela 13.06.2012 1 Agenda A evolução das TIC no mercado Africano Novas abordagens sobre as TIC Exemplo de implementação

Leia mais

INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM?

INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM? INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM? Porque a Voz na Nuvem? 2 Índice Introdução... 3 Baixo Custo... 4 REQUISITOS MÍNIMOS DE CAPITAL... 4 EQUIPAMENTOS GENÉRICOS... 4 UTILIZAÇÃO DE MAIORES RECURSOS... 4 DESPESAS

Leia mais

Convergência TIC e Projetos TIC

Convergência TIC e Projetos TIC TLCne-051027-P1 Convergência TIC e Projetos TIC 1 Introdução Você responde essas perguntas com facilidade? Quais os Projetos TIC mais frequentes? Qual a importância de BI para a venda de soluções TIC (TI

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA

PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA São Paulo, 09 de junho de 2010. Ao A/C.: Condomínio Colinas do Atibaia Jorge Vicente Lopes da

Leia mais

TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA

TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA CORPORATE TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA De empresa regional para empresa nacional De 24 cidades em 9 estados para 95 cidades em 17 estados De 800 funcionários em 2000 para 8 mil atualmente Oferta completa de

Leia mais

Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade

Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade Introdução Introdução A empresa de pesquisa IDC prevê que mais da metade dos trabalhadores usarão ferramentas

Leia mais

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País EMBRATEL CASE Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País O Portfólio de TI da Embratel a Serviço da Agroindústria A convergência de serviços de TI e telecom se consolida como fenômeno

Leia mais

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS INTRODUÇÃO: Entende-se por Mobilidade a possibilidade de poder se comunicar em qualquer momento e de qualquer lugar. Ela é possível graças às redes wireless, que podem

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

Serviços IBM de Resiliência:

Serviços IBM de Resiliência: Serviços IBM de Resiliência: Sempre disponível, em um mundo sempre conectado Como chegamos até aqui? Dois profissionais de TI estão sofrendo com interrupções de negócios frequentes, os problemas estão

Leia mais

Cap. 1 Introdução. Redes sem Fio e Sistemas Móveis de Computação. Prof. Eduardo Barrére. Material Base: Marcelo Moreno. eduardo.barrere@ice.ufjf.

Cap. 1 Introdução. Redes sem Fio e Sistemas Móveis de Computação. Prof. Eduardo Barrére. Material Base: Marcelo Moreno. eduardo.barrere@ice.ufjf. Redes sem Fio e Sistemas Móveis de Computação Cap. 1 Introdução Prof. Eduardo Barrére eduardo.barrere@ice.ufjf.br Material Base: Marcelo Moreno Dep. Ciência da Computação 1 Computação Móvel Computação

Leia mais

LAN Design. LAN Switching and Wireless Capítulo 1. Version 4.0. 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1

LAN Design. LAN Switching and Wireless Capítulo 1. Version 4.0. 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 LAN Design LAN Switching and Wireless Capítulo 1 Version 4.0 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 Objetivos do Módulo Compreender os benefícios e do uso de uma organização hierárquica

Leia mais

O valor da performance. Capex investido em qualidade de rede melhora desempenho financeiro das operadoras

O valor da performance. Capex investido em qualidade de rede melhora desempenho financeiro das operadoras O valor da performance Capex investido em qualidade de rede melhora desempenho financeiro das operadoras Abril de 2014 CONTEÚDO RESUMO INTRODUÇÃO 3 MELHOR PERFORMANCE DE REDE 4 IMPLICAÇÕES ESTRATÉGICAS

Leia mais

Você está fornecendo valor a seus clientes para ajudálos a superar a Paralisação virtual e acelerar a maturidade virtual?

Você está fornecendo valor a seus clientes para ajudálos a superar a Paralisação virtual e acelerar a maturidade virtual? RESUMO DO PARCEIRO: CA VIRTUAL FOUNDATION SUITE Você está fornecendo valor a seus clientes para ajudálos a superar a Paralisação virtual e acelerar a maturidade virtual? O CA Virtual Foundation Suite permite

Leia mais

Porque a terceirização da infraestrutura deve ser o primeiro passo para a transformação de TI

Porque a terceirização da infraestrutura deve ser o primeiro passo para a transformação de TI Porque a terceirização da infraestrutura deve ser o primeiro passo para a transformação de TI A Frost & Sullivan White Paper Patrocinado pela Embratel Porque a terceirização da infraestrutura deve ser

Leia mais

Incorporação de Business Angels e Venture Capital como accionista:

Incorporação de Business Angels e Venture Capital como accionista: Dossier de Imprensa Quem Somos Quem Somos Agile Content é uma empresa de tecnologia com soluções para gerenciamento de vídeo e Big Data Audience Management com modelo de Software (SaaS), nas quais permitem

Leia mais

Brasil Telecom. Café da Manhã com Investidores Unibanco. Fevereiro 2003

Brasil Telecom. Café da Manhã com Investidores Unibanco. Fevereiro 2003 Brasil Telecom Café da Manhã com Investidores Unibanco Fevereiro 2003 1 Estratégia 2 Mercado Metas Metas Garantir a liderança na Região II, focando nos clientes de alto valor. Garantir a liderança na Região

Leia mais

Plano industrial 2014-2016 TIM Participações

Plano industrial 2014-2016 TIM Participações Plano industrial 2014-2016 TIM Participações Limitação de Responsabilidade Este documento pode incluir declarações prospectivas. Essas declarações não são declarações de fatos históricos e refletem crenças

Leia mais

EHC (EMC Hybrid Cloud) para SAP. Agosto de 2014

EHC (EMC Hybrid Cloud) para SAP. Agosto de 2014 EHC (EMC Hybrid Cloud) para SAP Agosto de 2014 1 Os clientes SAP estão se transformando Agilidade nos negócios Móvel Percepção e resposta Em tempo real Ágil ITaaS Alta capacidade de resposta Resiliente

Leia mais

Adoção e Tendências dos Serviços de Cloud na América Latina: Rumo a um modelo de TI baseado em eficiência

Adoção e Tendências dos Serviços de Cloud na América Latina: Rumo a um modelo de TI baseado em eficiência Adoção e Tendências dos Serviços de Cloud na América Latina: Rumo a um modelo de TI baseado em eficiência Luciano Ramos Coordenador de Pesquisa de Software IDC Brasil A América Latina enfrenta o desafio

Leia mais

Resumo da solução SAP SAP Technology SAP Afaria. Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva

Resumo da solução SAP SAP Technology SAP Afaria. Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva da solução SAP SAP Technology SAP Afaria Objetivos Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva Simplifique a gestão de dispositivos e aplicativos Simplifique a gestão de dispositivos e aplicativos

Leia mais

Visão geral da tecnologia Cisco Unified Access: Acesso convergente

Visão geral da tecnologia Cisco Unified Access: Acesso convergente White Paper Visão geral da tecnologia Cisco Unified Access: Acesso convergente Introdução Hoje, menos de um por cento de tudo no mundo físico está conectado em rede. Em um futuro próximo o crescimento

Leia mais

Telefones Fixos RJ-SP R$ 0,14 Telefones Fixos Brasil R$ 0,19 Telefones Celulares BR R$ 0,69

Telefones Fixos RJ-SP R$ 0,14 Telefones Fixos Brasil R$ 0,19 Telefones Celulares BR R$ 0,69 A é uma operadora VoIP, que tem como objetivo oferecer o melhor serviço de Voip com os menores custos possíveis para o cliente. O VoIP (Voice over Internet Protocol), conhecida também por Voz sobre IP,

Leia mais

O papel dominante da mobilidade no mercado de trabalho

O papel dominante da mobilidade no mercado de trabalho Um perfil personalizado de adoção da tecnologia comissionado pela Cisco Systems Fevereiro de 2012 Dinâmica de ganhos com as iniciativas de mobilidade corporativa Os trabalhadores estão cada vez mais remotos,

Leia mais

Symantec concretiza sua visão estratégica com datacenter seguro de próxima geração distribuído pela Cisco ACI

Symantec concretiza sua visão estratégica com datacenter seguro de próxima geração distribuído pela Cisco ACI DESTAQUE DO IDC ExpertROI Symantec concretiza sua visão estratégica com datacenter seguro de próxima geração distribuído pela Cisco ACI Patrocinado pela: Cisco Matthew Marden Maio de 2015 Brad Casemore

Leia mais

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA?

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? Tecnologia 40 Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? DSL Cabo Fibra Móvel Móvel WiFi em movimento Convergência TERMINAL é poder MULTI- se comunicar ÓTIMO MÍDIA independente de local, dispositivo de acesso

Leia mais

Panorama do mercado de Comunicações Unificadas

Panorama do mercado de Comunicações Unificadas Panorama do mercado de Comunicações Unificadas Agenda Vídeo O IPNews O Mercado de Telecomunicações Conceito Novos Meios de Comunicação Cenário Por que adotar? Benefícios Noticiário 1º portal brasileiro

Leia mais

Consumerização de TI. Paula Nobre. Presented by. Copyright 2011 OSIsoft, LLC

Consumerização de TI. Paula Nobre. Presented by. Copyright 2011 OSIsoft, LLC Consumerização de TI Presented by Paula Nobre Copyright 2011 OSIsoft, LLC ANTES AGORA NO ESCRITÓRIO EM QUALQUER LUGAR DURANTE AS HORAS DE TRABALHO A QUALQUER HORA COMPUTADOR ATRIBUÍDO DISPOSITIVOS E MEU

Leia mais

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico RESUMO EXECUTIVO Objetivo Melhorar a vida dos moradores e ajudálos a serem bem-sucedidos na

Leia mais

TIC em Grandes Eventos - Brasil. Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved.

TIC em Grandes Eventos - Brasil. Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. TIC em Grandes Eventos - Brasil Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. As Mega Tendências de TI no Brasil para 2011 se aplicam também para a Copa Consolidação,

Leia mais

Inovação em Banda Larga. Marco Antonio Folegatti Gerente Geral da América do Sul Telecom Networks

Inovação em Banda Larga. Marco Antonio Folegatti Gerente Geral da América do Sul Telecom Networks Inovação em Banda Larga Marco Antonio Folegatti Gerente Geral da América do Sul Telecom Networks A banda larga beneficia a todos Melhoria na qualidade de vida com FTTH Exemplos em países em desenvolvimento

Leia mais

CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI

CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI As empresas são confrontadas com iniciativas críticas de TI 1. Transformação das Atividades de TI Reestruturar e consolidar os

Leia mais

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de aperfeiçoamento do setor Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de

Leia mais

Oracle ISV. Felipe Pontes, felipe.pontes@oracle.com Gerente Senior de Consultoria de Vendas ISV/OEM Setembro 09, 2014

Oracle ISV. Felipe Pontes, felipe.pontes@oracle.com Gerente Senior de Consultoria de Vendas ISV/OEM Setembro 09, 2014 Oracle ISV 2014 Felipe Pontes, felipe.pontes@oracle.com Gerente Senior de Consultoria de Vendas ISV/OEM Setembro 09, 2014 Copyright 2014 Oracle and/or its affiliates. All rights reserved. Visão Corporativa

Leia mais

CONVERTA OS OBJETIVOS DE SUA EMPRESA EM UM PLANO EXECUTÁVEL

CONVERTA OS OBJETIVOS DE SUA EMPRESA EM UM PLANO EXECUTÁVEL CONVERTA OS OBJETIVOS DE SUA EMPRESA EM UM PLANO EXECUTÁVEL SERVIÇOS PROFISSIONAIS DA MOTOROLA PARA OPERAÇÕES EMPRESARIAIS O DESAFIO NECESSIDADES URGENTE. TECNOLOGIAS MUTÁVEIS. SOLUÇÕES COMPLEXAS. A maioria

Leia mais

Computação em nuvem. Mudança da função e da importância das equipes de TI O PONTO DE VISTA DOS EXECUTIVOS SOBRE A NUVEM.

Computação em nuvem. Mudança da função e da importância das equipes de TI O PONTO DE VISTA DOS EXECUTIVOS SOBRE A NUVEM. O PONTO DE VISTA DOS EXECUTIVOS SOBRE A NUVEM O ponto de vista dos executivos sobre a nuvem Janeiro de 2015 Computação em nuvem Mudança da função e da importância das equipes de TI Janeiro de 2015 1 Capacitação

Leia mais

Gerenciando Mobilidade: Usuários e Dispositivos Seguros

Gerenciando Mobilidade: Usuários e Dispositivos Seguros Gerenciando Mobilidade: Usuários e Dispositivos Seguros Arthur Cesar Oreana Senior Systems Engineer Valor da conectividade Era da Interação Mobilidade e Nuvem Alavancando o Valor da Conectividade 3.0%

Leia mais