Mentira tem perna curta de Emílio Carlos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mentira tem perna curta de Emílio Carlos"

Transcrição

1 Mentira tem perna curta de Emílio Carlos Era uma tarde como outra qualquer. Pedro e Ana tinham chegado da escola e almoçado. Depois viram um pouco de TV e agora era a hora de fazer a tarefa. Enquanto Pedro e Ana faziam a tarefa da escola a mãe deles foi até a padaria buscar uns pãezinhos bem gostosos para o café da tarde. - Façam a tarefa direitinho, certo crianças? indagou a mãe ao sair. - Certo! responderam Pedro e Ana em coro, com caras de anjinhos. Porém mal a mãe saiu Pedro disse assim: - Que chato fazer tarefa. Eu queria jogar bola. - A mamãe disse que bola só depois de fazer a tarefa respondeu Ana. Um grande silêncio se abateu sobre os dois irmãos. Pedro até suspirou, entediado. Foi aí que Ana deu a ideia: - A gente podia brincar só um pouco agora. Nem precisou falar duas vezes. Pedro, que estava fazendo a tarefa com o pé em cima da bola, rapidamente pegou a redonda debaixo da mesa e jogou para Ana. Ana rebateu e a sala virou uma quadra de voleibol de praia. - Jogue Ana! - Pegue essa, Pedro!

2 Os dois se divertiam quando de repente... a bola saiu do controle e bateu nas paredes e nos quadros, ricocheteando pela sala até crás! Acertar o vaso de flores que foi ao chão se partindo em mil pedaços. - O vaso da mamãe! exclamou Ana. - O vaso que ela ganhou de presente de casamento! exclamou Pedro pondo as mãos na cabeça. Os dois entraram em pânico. Tinham arranjado encrenca feia com a mãe. Justo o vaso que ela mais gostava? - Foi idéia sua disse Pedro à irmã. - Minha? Foi você que pegou a bola retrucou a irmã. Se acusar agora não adiantava nada. O vaso estava quebrado e nada ia mudar isso. Como explicar para a mamãe? - Vamos varrer os cacos para baixo do tapete disse Ana. - Não vai dar tempo respondeu Pedro A mamãe já deve estar chegando da padaria. Se existisse mágica, se desse para voltar no tempo, se eles não tivessem jogado bola na sala... todos os se passaram pelas cabeças dos dois como um turbilhão de ideias voando à velocidade da luz. - Vamos inventar uma história - disse Ana. - Mentir pra mamãe? indagou Pedro. - É o único jeito respondeu Ana. Nisso os dois ouviram o barulho do portão se abrindo. - É a mamãe! exclamaram os dois juntos. - O que vamos dizer? quis saber Pedro. - Não sei disse Ana apavorada. Nisso a porta da sala se abriu. Pedro e Ana voltaram voando para suas tarefas com as caras mais santas deste mundo. - Tudo bem, crianças? perguntou a mãe. - Tudo - responderam Pedro e Ana em coro e com dois sorrisos amarelos. A mãe foi para a cozinha carregando as sacolinhas com pães. Tinha comprado pães de sal, pães de creme que a Ana adorava e pães de milho que eram os preferidos de Pedro. - Ela não percebeu anda disse Ana. - Por enquanto respondeu Pedro. Nisso a mãe voltou à sala e andando perto da TV pisou num caquinho do vaso que fez Cléc. - Cléc? pensou a mãe olhando para o chão. Pedro e Ana prenderam a respiração. E no instante seguinte a rua inteira ouviu o grito de pavor e horror da mãe:

3 - Aaaaahhhh!!! Meu vasooooo!!!! A mãe estava estupefacta. Justo o seu vaso de casamento que foi presente da sua madrinha? Quem fez isso? Como? Por quê? - Não sei disse Pedro. - Eu não vi nada completou Ana. - A mãe percebeu no ar a mentira porque mãe sempre percebe essas coisas. Olhou fixamente para os olhos de Pedro, que desviou o olhar. Depois olhou para Ana, que olhou para o chão. Eles sabiam o que tinha acontecido. Por que não contavam? Quem faz errado tem que assumir o erro. Como ninguém dizia nada a mãe chamou Ana para conversar no quarto. Pedro ficou fazendo sua tarefa na sala. Mas nem conseguia se concentrar porque seu coração pulava forte no peito e ele suava frio de medo. No quarto a mãe quis saber: - Muito bem, Ana: o que aconteceu aqui? Ana pensou rápido em inventou uma história: - O gato da dona Maricota nossa vizinha aí do lado entrou na sala atrás de um rato. Correu e correu por toda a sala atrás do rato, que corria mais ainda. Daí o rato pulou em cima da televisão derrubando o vaso no chão, e seguido de perto pelo gato. Nem deu pra saber se o gato pegou o rato porque na hora eu me levantei e corri pra tentar salvar o vaso. Mas já era tarde demais. A mãe olhou com aquele olhar de não me convenceu para Ana. As janelas estavam fechadas, assim como as portas porque era mês de abril e ventava muito frio. Como é que o gato poderia ter entrado? - Acho que ele atravessou o vidro da porta com seu campo de força e depois fechou o vidro com a mágica que ele herdou de seus parentes gatos do oriente disse Ana sorrindo um sorrisinho pra lá de amarelo. Sem nenhum sorriso a mãe disse: - Certo, Ana. Chame seu irmão aqui. - Ana saiu do quarto preocupada. Sabia que a mãe estava desconfiada. Chegou à sala e chamou Pedro, que gelou ainda mais dentro da camiseta e da calça de moletom. - O que foi que você disse? - quis saber Pedro. Ana tentou contar: - Eu disse que... - Pedro: venha logo!

4 Mais que depressa Pedro voou para o quarto da mãe. Entrou e se sentou na cadeira. E aí a mãe perguntou: - O que aconteceu aqui? Pedro engoliu em seco. E caprichou: - Mãe, você não sabe! Eu estava fazendo a tarefa quando ouvi um barulho estranho. Até pensei que era a barriga da Ana roncando de fome. O barulho foi aumentando e aumentando. E eu pensei: - Gente, a Ana está com fome mesmo. Foi nessa hora que o barulho aumentou de vez. Um barulho monstruoso, tenebroso, horrível. Eu me assustei e até me levantei da cadeira. Nessa hora a porta se abriu e nós pudemos ver... o monstro verde!!! Ele entrou pela porta, gigantesco como ele só. Mais do que depressa eu e a Ana nos escondemos debaixo da mesa. O monstro verde nem olhou para os lados. Foi direto para a televisão. Nós achamos que ele queria assistir desenho. Mas ele estendeu sua mão monstruosa e com a ponta do dedo derrubou seu vaso no chão. Depois sorriu monstruosamente, se virou e foi-se embora. - E ele fechou a porta quando saiu? perguntou a mãe. - Claro, mãe respondeu Pedro. A mãe olhava fixamente para Pedro, que se sentiu desconfortável. Tentou até disfarçar olhando para os lados. Mas os olhos da mãe pareciam penetrar fundo em sua alma. Pedro sorriu um sorriso bem amarelo e disse: - História impressionante, não é mesmo? A mãe nem se deu ao trabalho de responder. Só disse assim: - Venha para a sala, Pedro. A mãe foi na frente seguida de Pedro. Ana esperava na sala nervosa, roendo as unhas. O que Pedro teria dito à mãe? Será que ele tinha convencido? - Eu ouvi vocês dois disse a mãe perto do vaso quebrado. - E acreditou, né? perguntou Pedro. - Mas é claro... respondeu a mãe. - Ufa! exclamou Pedro que não! continuou a mãe Um gato, não é Ana? - Gato? indagou Pedro pensando algo. - É mamãe: um gato mal e mal. respondeu Ana. - Um monstro verde, não é Pedro? indagou a mãe. - Monstro verde? disse Ana pensando alto. - É, mãe: enorme, gigantesco, maior do que esta casa.

5 - E como é que ele passou pela porta se era tão grande assim, hein? perguntou a mãe. - Bem... é que... quer dizer... disse Pedro gaguejando de nervoso. - É que ele se transformou num gato pra entrar aqui em casa. Rê, rê. disse Ana improvisando. - Ah: agora é um gato-monstro então? concluiu a mãe. - Isso: um gato-monstro! completou Pedro. A mãe olhou para o alto e respirou fundo. Pedro e Ana se entreolharam e ainda fizeram sinal de positivo. Tinham conseguido enrolar a mãe. Foi nessa hora que a mãe olhou para o seu vaso estilhaçado no chão e reparou que logo ali, ao lado, estava a bola de Pedro. - É... e essa bola? perguntou a mãe desconfiada. - Bem... essa bola... disse Ana tentando achar uma resposta. - É que... o monstro, que virou gato, entrou aqui, pegou a bola e jogou no seu vaso emendou Pedro falando devagar para poder inventar outra desculpa. - Ah, sei: e depois ele saiu, né? disse a mãe incrédula. - É responderam os dois irmãos juntos. - Gatinho mal, né? disse a mãe. - É: muito mal completou Ana. - Sabem o que esse gatinho-monstro merecia? Ficar de castigo. disse a mãe. - É verdade concordou Pedro. - E pagar outro vaso pra mim com o dinheiro da mesada dele completou a mãe. - É? indagou Ana sentindo que a coisa estava ficando feia. A mãe colocou os dois irmãos de castigo para pensarem nas duas coisas erradas que eles tinham feito: desobedecê-la jogando bola na sala e mentir para encobrir o erro. - A melhor coisa é não fazer errado. Aí depois a gente não precisa mentir, né Pedro?- disse Ana no quarto de castigo. - É concordou Pedro cabisbaixo. Os dois pediram desculpas à mãe e compraram outro vaso para ela com o dinheiro de suas mesadas. E aprenderam que mentira tem perna curta. Emílio Carlos (todos os direitos reservados)

1 von :36

1 von :36 1 von 22 24.05.2006 16:36 2 von 22 24.05.2006 16:36 Era uma vez, numa aldeia pequenina, uma menininha linda como uma flor; sua mãe gostava muito dela, e sua vovozinha ainda mais. 3 von 22 24.05.2006 16:36

Leia mais

Que estúpido, meu Deus! Que estúpido! Como pude não notar durante tanto tempo?! Quase dois anos e eu, sem a menor, a mínima desconfiança.

Que estúpido, meu Deus! Que estúpido! Como pude não notar durante tanto tempo?! Quase dois anos e eu, sem a menor, a mínima desconfiança. 1 Que estúpido, meu Deus! Que estúpido! Como pude não notar durante tanto tempo?! Quase dois anos e eu, sem a menor, a mínima desconfiança. Desconfiar Do que eu ia desconfiar?! Não. De nada nem de ninguém.

Leia mais

Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho.

Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho. ÍTULO 1 Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho. Julinho sussurrou. Vou pensar no teu caso respondi -lhe,

Leia mais

UM MONSTRO EM MINHA ESCOLA Iara M. Medeiros Adaptação da história de.

UM MONSTRO EM MINHA ESCOLA Iara M. Medeiros Adaptação da história de. UM MONSTRO EM MINHA ESCOLA Iara M. Medeiros Adaptação da história de http://growingkinders.blogspot.com.br/ QUANDO RUI ENTROU NO ÔNIBUS PARA IR À ESCOLA, PERCEBEU QUE LÁ DENTRO TINHA UM MONSTRINHO E FICOU

Leia mais

*CRIE UMA CAPA PARA O LIVRO

*CRIE UMA CAPA PARA O LIVRO *CRIE UMA CAPA PARA O LIVRO LL PRODUÇÕES O fantástico mundo de L.L A visita a um misterioso mundo 2 Luan Patrick Nascimento da Costa, paraense, nascido em 21/01/2012 em Belém Pará. 3 A visita a um misterioso

Leia mais

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar...

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... Então um dia tomei coragem e corri até mamãe e falei: - Mãeee queria tanto um irmãozinho, para brincar comigo!

Leia mais

Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola.

Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola. Jessy Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola. Jessi era uma garota linda, tinha a pele escura como o chocolate, seus olhos eram pretos e brilhantes que pareciam duas lindas amoras, seu

Leia mais

o casamento do fazendeiro

o casamento do fazendeiro o casamento do fazendeiro ERA uma fez um fazendeiro que ele sempre dia mania de ir na cidade compra coisas mais ele tinha mania de ir sempre de manha cedo um dia ele acordou se arrumou e foi pra cidade,

Leia mais

BRUNA RAFAELA. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados. Creative Commons

BRUNA RAFAELA. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados. Creative Commons BRUNA RAFAELA EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Creative Commons Texto e Pesquisa de imagens de Bruna Rafaela A DESCOBERTA DE ISABELA Livros são para ler e guardar. Filhos são para ter e amar..

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

Nome: Dariane 4ª Série 2ª. Unidade: Bom Jesus Centro Cidade: Curitiba Estado: Paraná. O cachorro e o gato

Nome: Dariane 4ª Série 2ª. Unidade: Bom Jesus Centro Cidade: Curitiba Estado: Paraná. O cachorro e o gato Nome: Dariane 4ª Série 2ª O cachorro e o gato Era uma vez um gato e um cão. Um dia, o cachorro comentou com o gato que estava em apuros. O gato falou: O que houve? E o cachorro disse: Nada. Ha! ha! Porém,

Leia mais

História de uma Baleia

História de uma Baleia SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 03 / / 0 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

A Professora de Horizontologia

A Professora de Horizontologia A Professora de Horizontologia Já tinha parado a chuva e Clara Luz estava louca que a Gota voltasse. Felizmente a Fada-Mãe veio com uma novidade: Minha filha, hoje vem uma professora nova. Você vai ter

Leia mais

Atividade de Apoio - Língua Portuguesa

Atividade de Apoio - Língua Portuguesa COLÉGIO CRISTO REDENTOR/ACADEMIA DE COMÉRCIO CONGREGAÇÃO DO VERBO DIVINO SVD Qual é o seu herói favorito? Atividade de Apoio - Língua Portuguesa Violeta era a maior fã do herói de um seriado da televisão.

Leia mais

Iracema ia fazer aniversário. Não

Iracema ia fazer aniversário. Não Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Iracema ia fazer aniversário. Não sabia muito bem se ela podia convidar a turma do Hospital por motivos fáceis de explicar,

Leia mais

Nome: Gabrielle 4ª Série 1ª. Unidade: Bom Jesus Centro Cidade: Curitiba Estado: Paraná. A Coruja e a Raposa

Nome: Gabrielle 4ª Série 1ª. Unidade: Bom Jesus Centro Cidade: Curitiba Estado: Paraná. A Coruja e a Raposa Nome: Gabrielle 4ª Série 1ª A Coruja e a Raposa Era uma vez uma coruja que tinha sua bela casa na montanha. A raposa tinha uma casa pequena e feia. Um dia, a coruja convidou a raposa para almoçar em sua

Leia mais

AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt-

AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt- AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt- Era uma vez um menino chamado Miguel. Num dia sua mãe falou: - Olha, filho, hoje você vai para escola de ônibus. E o Miguel falou: - Mas eu não sou pequeno?

Leia mais

José Roberto TORERO Marcus Aurelius PIMENTA

José Roberto TORERO Marcus Aurelius PIMENTA José Roberto TORERO Marcus Aurelius PIMENTA Copyright 2012 by Padaria de Textos Copyright das ilustrações 2012 by Eduardo Oliveira Todos os direitos desta edição reservados à EDITORA OBJETIVA LTDA. Rua

Leia mais

História de Carmem Biancho Flores

História de Carmem Biancho Flores História de Carmem Biancho Flores Nascimento: 14 de julho de 1953 Falecimento: 6 de outubro de 2013 Foi no dia 14 de julho de 1953 que Valdemar e Alda Biancho tiveram sua filha Carmen, que passou muitas

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Quando Luiz Mauricio e Gê estavam passando pela recepção, ouviram um choro estranho: Você ouviu, Luiz? Nossa, um bebê e uma

Leia mais

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA A menina PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA menina alegre e muito curiosa. O que a diferenciava das outras crianças é que desde muito pequenina ela passava horas na Floresta do Sol conversando

Leia mais

Os Perigos da Floresta

Os Perigos da Floresta Rubens de Almeida Oliveira Os Perigos da Floresta Editora BPA Biblioteca Popular de Afogados Texto e Pesquisa de Imagens RUBENS DE ALMEIDA OLIVEIRA Os Perigos da Floresta RECIFE -PE JAN/2007 Coordenação

Leia mais

Quando Acontece... A Intriga

Quando Acontece... A Intriga A Intriga A Intriga Marcia Pimentel 2 Marcia Pimentel Quando Acontece... A Intriga Marcia Pimentel 3 A Intriga Marcia Pimentel 4 Copyright 2010 By Marcia Pimentel Título: Quando Acontece... A Intriga Todos

Leia mais

PRÁTICA DE ENSINO: JOGOS INTERATIVOS

PRÁTICA DE ENSINO: JOGOS INTERATIVOS PRÁTICA DE ENSINO: JOGOS INTERATIVOS Livro digital recontando a história A Bonequinha preta da autora Alaíde Lisboa de Oliveira, livro escrito no ano de 1930, porém só foi publicado no ano de 2004 BELO

Leia mais

Um passinho outro passinho

Um passinho outro passinho Um passinho outro passinho Inácio tinha o mesmo nome do seu melhor amigo, o avô Nacho. Quando Inácio nasceu, o seu avô disse a toda a gente: O Inácio não irá a aprender a dizer avô antes dos três anos,

Leia mais

Produção de texto. Observe a imagem e produza um texto narrativo, com no mínimo 10 linhas, a partir do título proposto

Produção de texto. Observe a imagem e produza um texto narrativo, com no mínimo 10 linhas, a partir do título proposto E. E. Ernesto Solon Borges Disciplina: Língua Portuguesa Profª. Regente: Vania Progetec: Cristina Ano: 8º Ano A Alunos: Dayane Sales e Emily Cristina Data: 12/11/2014 Produção de texto Se eu tivesse um

Leia mais

''TU DUM, TU DUM, TU DUM'' este era o barulho do coração de uma mulher que estava prestes a ter um filho, o clima estava tenso, Médicos correndo de

''TU DUM, TU DUM, TU DUM'' este era o barulho do coração de uma mulher que estava prestes a ter um filho, o clima estava tenso, Médicos correndo de ''TU DUM, TU DUM, TU DUM'' este era o barulho do coração de uma mulher que estava prestes a ter um filho, o clima estava tenso, Médicos correndo de lá para cá sem descanso, até que um choro é ouvido, sim,

Leia mais

Leitura e Mediação Pedagógica

Leitura e Mediação Pedagógica Protocolo Colaborador: 23 Leitura e Mediação Pedagógica S. Pesquisador: Helen Danyane Soares Caetano de Souza 04-set-10 Dentro de casa tem Transcrição (1) P: Bom dia S.? (2) C: Bom dia. (3) P: Tudo bem?

Leia mais

I A noite estava tranquila e serena. O silêncio inundava a casa. A família toda já estava a dormir. O dia seguinte era dia de trabalho para uns e de escola para outros. Apenas se ouvia o tic-tac do despertador

Leia mais

ATIVIDADES PARA O 5 ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. Português UMA DAS MARIAS

ATIVIDADES PARA O 5 ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. Português UMA DAS MARIAS ATIVIDADES PARA O 5 ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Nome: Português UMA DAS MARIAS Um dia, Maria chegou em casa da escola, muito triste. O que foi? perguntou a mãe de Maria. Mas Maria nem quis conversa. Foi

Leia mais

O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano

O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano O melhor amigo Interpretação de Textos para 4º e 5º Ano O melhor amigo A mãe estava na sala, costurando. O menino abriu a porta da rua, meio ressabiado,

Leia mais

Garoto extraordinário

Garoto extraordinário Garoto extraordinário (adequada para crianças de 6 a 8 anos) Texto: Lucas 2:40-52 Princípio: ser como Jesus Você vai precisar de um fantoche de cara engraçada, um adulto para manipular o fantoche atrás

Leia mais

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram CAPÍTULO UM Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram chegando durante todo o verão. Cada um deixava Matthew um pouco mais tenso: Para: mstheworld@gmail.com Assunto: Estou feliz! Acabo

Leia mais

Conto de fadas produzido coletivamente pelos alunos do 2º ano A, da EMEB Prof.ª Maria Aparecida Tomazini, sob orientação da prof.

Conto de fadas produzido coletivamente pelos alunos do 2º ano A, da EMEB Prof.ª Maria Aparecida Tomazini, sob orientação da prof. Conto de fadas produzido coletivamente pelos alunos do 2º ano A, da EMEB Prof.ª Maria Aparecida Tomazini, sob orientação da prof.ª Karen Bulgareli, como produto final do projeto Contos de fadas, do programa

Leia mais

um monstro veio a ` escola! Atividade para ensinar regras e expectativas durante os primeiros dias de aulas Ideia retirada do site:

um monstro veio a ` escola! Atividade para ensinar regras e expectativas durante os primeiros dias de aulas Ideia retirada do site: O dia em que um monstro veio a ` escola! Atividade para ensinar regras e expectativas durante os primeiros dias de aulas Ideia retirada do site: @Cantinho do 1º Ciclo ! O dia em que um monstro veio à escola

Leia mais

As pedras magicas e a profecia :em Atlântida

As pedras magicas e a profecia :em Atlântida As pedras magicas e a profecia :em Atlântida A muito tempo uma geração de vilões e guerreiros estavam atrás das pedras magicas dos elementos, sendo eles : Água, Ar, Fogo, Terra, Luz e Trevas. Os vilões

Leia mais

Escrita e ilustrada pelos alunos da Escola Básica do Primeiro Ciclo da Benquerença Ano Lectivo 2008/2009

Escrita e ilustrada pelos alunos da Escola Básica do Primeiro Ciclo da Benquerença Ano Lectivo 2008/2009 A Família Desaparecida Escrita e ilustrada pelos alunos da Escola Básica do Primeiro Ciclo da Benquerença Ano Lectivo 2008/2009 NUMA BELA MANHÃ DE PRIMAVERA, UM MENINO CAMI NHAVA JUNTO A UM RIO E OLHAVA

Leia mais

Trabalho do livro: Fala Sério, Pai! Beatriz Pugliese Netto Lamas- nº2 Giovanna Araujo Ragano- nº12 Lívia Soares Alves- nº17

Trabalho do livro: Fala Sério, Pai! Beatriz Pugliese Netto Lamas- nº2 Giovanna Araujo Ragano- nº12 Lívia Soares Alves- nº17 Trabalho do livro: Fala Sério, Pai! Beatriz Pugliese Netto Lamas- nº2 Giovanna Araujo Ragano- nº12 Lívia Soares Alves- nº17 Introdução No livro Fala Sério, Pai!, os personagens principais são: Maria de

Leia mais

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes O ATAQUE NA PISCINA Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes de Natália, Bárbara não queria que

Leia mais

Duende, duende, duende, um príncipe diferente! NANA - Engraçadinha... Bem, nós vamos contar algumas histórias pra vocês...

Duende, duende, duende, um príncipe diferente! NANA - Engraçadinha... Bem, nós vamos contar algumas histórias pra vocês... Duende, duende, duende, um príncipe diferente! NANA - Oi! Eu sou a Giovanna, a Nana! NINA - E eu sou a Nina! NANA - Ah, fala o teu nome inteiro, né, Marina! NINA - Ué, pra quê? Você acabou de dizer! NANA

Leia mais

Meu nome é César e hoje começam minhas aulas numa nova escola. Por causa disso, estou de péssimo

Meu nome é César e hoje começam minhas aulas numa nova escola. Por causa disso, estou de péssimo 1. Meu nome é César e hoje começam minhas aulas numa nova escola. Por causa disso, estou de péssimo humor. Todo ano é a mesma coisa: tenho que trocar de escola, de colegas, de professores, de bairro e,

Leia mais

Aventuras de Flavia e Viviane

Aventuras de Flavia e Viviane Aventuras de Flavia e Viviane As aventuras de Flavia e Viviane Flavia e Viviane estavam no quintal sem fazer nada ate que caiu uma maquina esquisita do céu elas estranharam mas,flavia intrometida já foi

Leia mais

O SEGREDO DO ARCO-ÍRIS

O SEGREDO DO ARCO-ÍRIS O SEGREDO DO ARCO-ÍRIS helenaconectada.blogspot.com.br erto dia, Kika estava na escola e durante o recreio viu um lindo arco-íris no céu e disse: Olha! Um arco-íris! Seus coleguinhas olharam para o céu

Leia mais

DATA: / / 2015 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR (A): VALOR: 8,0 MÉDIA: 4,8 RESULTADO: %

DATA: / / 2015 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR (A): VALOR: 8,0 MÉDIA: 4,8 RESULTADO: % SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: / / 205 UNIDADE: I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR (A): VALOR:

Leia mais

AS PERSONAGENS DO SÍTIO DO PICAPAU AMARELO NA CIDADE

AS PERSONAGENS DO SÍTIO DO PICAPAU AMARELO NA CIDADE AS PERSONAGENS DO SÍTIO DO PICAPAU AMARELO NA CIDADE 4º ano F AUTORES: Enzo Lucas Maria Luiza Prates Mariana Rafaella Spera Vinicíus 4º ano F ILUSTRAÇÕES DA INTERNET EDITORA: CJSP Um dia como outro qualquer

Leia mais

Isto é um insulto, um abuso! gritou Tomás. Você não pode cuidar de mim, somos da mesma idade! Sou maior que você respondeu Lúcia, tranqüilamente.

Isto é um insulto, um abuso! gritou Tomás. Você não pode cuidar de mim, somos da mesma idade! Sou maior que você respondeu Lúcia, tranqüilamente. 1. Isto é um insulto, um abuso! gritou Tomás. Você não pode cuidar de mim, somos da mesma idade! Sou maior que você respondeu Lúcia, tranqüilamente. Você é só três meses mais velha do que eu! protestou

Leia mais

Êta bicho curioso! Sempre tentamos entender como funcionam as coisas?

Êta bicho curioso! Sempre tentamos entender como funcionam as coisas? Êta bicho curioso! Oi! Tem uma coisa engraçada acontecendo comigo: estou super curioso sobre tudo. Minha mãe que anda louca comigo pois não paro de perguntar o porquê de tudo...mas olha só quanta coisa

Leia mais

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 0 / / 03 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

ainda não Luciano Cabral prostituta, vinte e cinco anos cliente, sessenta anos

ainda não Luciano Cabral prostituta, vinte e cinco anos cliente, sessenta anos ainda não Luciano Cabral personagens, vinte e cinco anos, sessenta anos (o apartamento é pequeno, com apenas dois cômodos: banheiro e quarto. O banheiro fica em frente à porta de entrada. No quarto, logo

Leia mais

Era uma vez três lobinhos. Os três lobinhos moravam com a sua mãe. Um dia ela chamou eles e falou: - Vocês já estão grandes e é hora de vocês saírem

Era uma vez três lobinhos. Os três lobinhos moravam com a sua mãe. Um dia ela chamou eles e falou: - Vocês já estão grandes e é hora de vocês saírem Era uma vez três lobinhos. Os três lobinhos moravam com a sua mãe. Um dia ela chamou eles e falou: - Vocês já estão grandes e é hora de vocês saírem e fazerem uma casa. Mas cuidado com o Porco Mau e tranquem

Leia mais

Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção. eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora dizia isso.

Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção. eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora dizia isso. Bruno D. Vieira 8 Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção ao consultório da psicóloga, a única coisa que passava em sua mente eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora

Leia mais

OndJakI. a menina das cinco tranças. Ilustrações de Joana Lira

OndJakI. a menina das cinco tranças. Ilustrações de Joana Lira OndJakI a menina das cinco tranças Ilustrações de Joana Lira Copyright do texto 2004 by Ondjaki e Editorial Caminho S.a., Lisboa Copyright das ilustrações 2010 by Joana Lira Edição apoiada pela direcção-geral

Leia mais

PROYECTO. Centro Espirita León Denis - Celd

PROYECTO. Centro Espirita León Denis - Celd PROYECTO Centro Espirita León Denis - Celd Tema aula: Boas Maneiras - OBEDIENCIA Data: 26 de outubro de 2012 Educadores: Pilar y Elaine Objetivos: Estimular nas crianças a prática de bons hábitos. Atividade

Leia mais

Apoio: Patrocínio: Realização:

Apoio: Patrocínio: Realização: 1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 O PATINHO FEIO 3 O PATINHO FEIO Lá embaixo, na campina, escondido pela grama alta, havia um ninho cheio de ovos. Mamãe Pata deitava-se nele, toda feliz, aquecendo os

Leia mais

Capítulo Especial 2 O Livro da Vida

Capítulo Especial 2 O Livro da Vida Capítulo Especial 2 O Livro da Vida Der Gevatter Tod Havia dois visitantes sentados no balcão do bar. Um deles era um velho com uma cara ossuda e pele seca. A barba longa e maltratada dele era como as

Leia mais

AUTORES E ILUSTRADORES: FRANCISCO PAGENOTTO LOPES HELENA CHRISTINA ESTER HIDALGO PELICANO 1º - ANO A

AUTORES E ILUSTRADORES: FRANCISCO PAGENOTTO LOPES HELENA CHRISTINA ESTER HIDALGO PELICANO 1º - ANO A AUTORES E ILUSTRADORES: FRANCISCO PAGENOTTO LOPES HELENA CHRISTINA ESTER HIDALGO PELICANO 1º - ANO A APRESENTAÇÃO AO LONGO DESTE SEMESTRE AS CRIANÇAS DO 1º ANO REALIZARAM EM DUPLA UM TRABALHO DE PRODUÇÃO

Leia mais

Após esse relato, como a equipe percebe Miguel?

Após esse relato, como a equipe percebe Miguel? 1 Relato da mãe de Miguel Miguel levantou- se correndo, não quis tomar café e nem ligou para o bolo que eu havia feito especialmente para ele. Só apanhou o maço de cigarros e a caixa de fósforos. Não quis

Leia mais

O EMPREGADO QUE NÀO QUIS PERDOAR Lição Objetivos: Ensinar que precisamos perdoar aos outros que pecam contra nós.

O EMPREGADO QUE NÀO QUIS PERDOAR Lição Objetivos: Ensinar que precisamos perdoar aos outros que pecam contra nós. O EMPREGADO QUE NÀO QUIS PERDOAR Lição 32 1 1. Objetivos: Ensinar que precisamos perdoar aos outros que pecam contra nós. 2. Lição Bíblica: Mateus 18.21-35 (Leitura bíblica para o professor e base bíblica

Leia mais

Capítulo 1 A PORTA ARRANHADA

Capítulo 1 A PORTA ARRANHADA Porta 001-130-4.0-G4-5as PS 2/21/08 10:16 AM Page 13 Capítulo 1 A PORTA ARRANHADA Acasa dos recifes apareceu de repente por trás da curva. A torre de pedra recortava-se no azul do céu, rodeada de árvores.

Leia mais

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada.

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. Era Uma Vez A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. A ratinha tinha uma felpa de ferro e pensava

Leia mais

SEM DESTINO. (Contos) Clóvis Oliveira Cardoso

SEM DESTINO. (Contos) Clóvis Oliveira Cardoso Índice 01 Índice; 02 SEM DESTINO (Contos) 03 Agradecimentos; 04 SENHOR... 05 Sigmund Freud; 06 Para Tânia; 07 DEUS sobre todas as coisas; 08 Beberam do próprio veneno; 12 A falta de experiência; 16 Um

Leia mais

Melhor Natal de Todos!

Melhor Natal de Todos! O Melhor Natal de Todos! Tiago suspirou enquanto observava da janela os flocos de neve flutuarem suavemente até o chão. Ele havia esperado ansiosamente pela época de Natal, mas agora estava triste. Ouviu-se

Leia mais

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano -

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano - COLÉGIO ARNALDO 2014 ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano - PORTUGUÊS Aluno(a): Ano: Professora: Valor: 20 pontos Obteve: Conteúdo de Recuperação Identificar o sentido ou expressão em um texto. Localizar

Leia mais

de nossos sonhos, ao longo de estradas pontuadas por pinheiros e rochas. Tenho uma cama, uma cadeira, uma mesa e um baú grande onde coloco minhas

de nossos sonhos, ao longo de estradas pontuadas por pinheiros e rochas. Tenho uma cama, uma cadeira, uma mesa e um baú grande onde coloco minhas Açúcar de Melancia Em Açúcar de Melancia os feitos estavam feitos e foram feitos de novo como minha vida foi feita em açúcar de melancia. Vou contar como foi, pois estou aqui e vocês estão longe. Não importa

Leia mais

PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS

PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS FERNANDO CAETANO TAVOLARO - RA00147628 TRABALHO DE LINGUAGEM AUDIOVISUAL E GAMES STORYBOARD SÃO PAULO 2014 INTRODUÇÃO DA HISTÓRIA

Leia mais

Saindo de férias com... Educadoras: Milene, Ana Paula e Karla. 2ºs anos

Saindo de férias com... Educadoras: Milene, Ana Paula e Karla. 2ºs anos Saindo de férias com... Educadoras: Milene, Ana Paula e Karla 2ºs anos 1 SERÁ UMA DELÍCIA CURTIR ESSA HISTÓRIA COM VOCÊ! FAÇA TODAS AS ATIVIDADES COM LETRA CURSIVA! Fique atento nestas dicas da sua educadora:

Leia mais

Jimmy foi a procura da tal padaria e chegando lá avistou-a. Era simples e aparentemente sem nenhum letreiro com o nome.

Jimmy foi a procura da tal padaria e chegando lá avistou-a. Era simples e aparentemente sem nenhum letreiro com o nome. CAPITULO 4 Depois de andar muito pela cidade com seu skate no pé, Jimmy já estava longe o suficiente para alguém saber onde ele estaria. Ha uma hora dessas Jimmy pensava: "ninguém vai me achar por aqui,

Leia mais

Um amor inacabado. Beatriz conversando com Rafael. No mesmo instante, Alison fala para Cecília:

Um amor inacabado. Beatriz conversando com Rafael. No mesmo instante, Alison fala para Cecília: Gabriele Fernanda Cordeiro Barbosa Um amor inacabado Você sente algo por ela sim. Vai falar com ela! Beatriz conversando com Rafael. No mesmo instante, Alison fala para Cecília: Vamos, Ceci, vai lá falar

Leia mais

DATA: 27 / 09 / 2014 II ETAPA AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 4.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 27 / 09 / 2014 II ETAPA AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 4.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do DATA: 27 / 09 / 2014 UNIDADE: II ETAPA AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 4.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 60,0

Leia mais

Rio de Janeiro, Subúrbio.

Rio de Janeiro, Subúrbio. Rio de Janeiro, Subúrbio. No subúrbio, a correria era total, caixotes eram revirados, alimentos jogados por todos os lados. Um fugitivo corria da polícia com pressa, assustada estava Helena, que tinha

Leia mais

Arte em movimento - 3.º classificado Mariana Teixeira

Arte em movimento - 3.º classificado Mariana Teixeira Arte em movimento - 3.º classificado Mariana Teixeira Arte em movimento - 2.º classificado Daniel Merten Arte em movimento - 1.º classificado Leonor Dantas Pereira O Mundo da Fantasia - 3.º classificado:

Leia mais

A volta às aulas do Pequeno Nicolau

A volta às aulas do Pequeno Nicolau HISTÓRIAS INÉDITAS DO PEQUENO NICOLAU René Goscinny Jean-Jacques Sempé A volta às aulas do Pequeno Nicolau Tradução Pedro Karp Vasquez Volta às aulas MAMÃE DISSE QUE AMANHÃ iremos comprar coisas para a

Leia mais

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos.

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos. Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos. Numa tarde de domingo, quando chegou à hora do pastor

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Cultivar e guardar a Criação Disciplina: Língua Portuguesa / ESTUDOS AUTÔNOMOS Ano: 5º - Ensino Fundamental - Data: 5 / 9 / 2017 LEIA o texto a seguir: OSCAR NIEMEYER:

Leia mais

Língua Portuguesa UMA HISTÓRIA COMO AS OUTRAS. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Beatriz Fátima da Silva Santos

Língua Portuguesa UMA HISTÓRIA COMO AS OUTRAS. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Beatriz Fátima da Silva Santos UMA HISTÓRIA COMO AS OUTRAS Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Beatriz Fátima da Silva Santos Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara 2015 Era uma vez um menino chamado Pedro. Ele

Leia mais

Jack Denski e o Mundo Mágico

Jack Denski e o Mundo Mágico Jack Denski e o Mundo Mágico Jack Denski e o Mundo Mágico Essa História tem inicio no ano de 1996 quando Julia Denski um loira dos olhos azuis de 31 anos e seu marido Felipe Denski jovem afro robusto de

Leia mais

A rapariga e o homem da lua

A rapariga e o homem da lua A rapariga e o homem da lua (conto tradicional do povo tchuktchi) Viveu outrora, entre o povo Tchuktchi, um homem que só tinha uma filha. A filha era a melhor das ajudas que o pai podia ter. Passava o

Leia mais

Este livro pertence a

Este livro pertence a Cristais em meus olhos Este livro pertence a Em seu consultório, a médica está explicando tudo sobre cistinose para Bruno. Seu corpo é feito de milhares e milhares de células pequeninas, ela disse. Imagine

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Cultivar e guardar a Criação Disciplina: Língua Portuguesa / ESTUDOS AUTÔNOMOS Ano: 2º - Ensino Fundamental Aluno(a): N o : Turma: Professora: Data: 14 / 3 / 2017

Leia mais

Sistema de Ensino CNEC. ROTEIRO SEMANAL 2 o ANO ENSINO FUNDAMENTAL QUINTA-FEIRA 19/02/2015

Sistema de Ensino CNEC. ROTEIRO SEMANAL 2 o ANO ENSINO FUNDAMENTAL QUINTA-FEIRA 19/02/2015 ROTEIRO SEMANAL 2 o ANO ENSINO FUNDAMENTAL QUINTA-FEIRA 19/02/ Primeiro momento: Recepção às crianças Cartão dos aniversariantes Atividade para encontrar os sete erros Segundo momento: Intervalo do lanche

Leia mais

Anexo I - Modelo de Pólya para a resolução de um problema. 1

Anexo I - Modelo de Pólya para a resolução de um problema. 1 Anexo I - Modelo de Pólya para a resolução de um problema. 1 1 Pólya, G., A arte de resolver problemas (1995) p. xii-xiii. 49 Anexo II - Guião de atuação do professor de matemática elaborado por Lester

Leia mais

A conta-gotas. Ana Carolina Carvalho

A conta-gotas. Ana Carolina Carvalho A conta-gotas Ana Carolina Carvalho Agradeço a Regina Gulla pela leitura atenta e pelas sugestões. Para minha mãe, pela presença. Para Marina, minha afilhada, que quis ler o livro desde o começo. 1 A

Leia mais

TEMA: DUPLA VISTA. NARRADOR 1 Em uma pequena cidade, chamada Amor Perfeito, viviam três garotinhas chamadas: Amanda, Melissa e Carlinha.

TEMA: DUPLA VISTA. NARRADOR 1 Em uma pequena cidade, chamada Amor Perfeito, viviam três garotinhas chamadas: Amanda, Melissa e Carlinha. TEATRO TEMA: DUPLA VISTA NARRADOR 1 Em uma pequena cidade, chamada Amor Perfeito, viviam três garotinhas chamadas: Amanda, Melissa e Carlinha. NARRADOR 2 Elas era super amigas e viviam inventando novas

Leia mais

1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela

1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela anoitecer 1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela chamado pio,bom o cara e legal mas tem um

Leia mais

A Menina Que Deixou. De Sonhar. Autora: Waleska Alves

A Menina Que Deixou. De Sonhar. Autora: Waleska Alves A Menina Que Deixou De Sonhar Autora: Waleska Alves 1. Era uma vez uma linda menina que sonhava com o natal, todas as noites antes de dormi ela olhava pela janela de seu quarto e imaginava papai noel em

Leia mais

Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, que entrou em vigor no Brasil em 2009.

Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, que entrou em vigor no Brasil em 2009. Copyright 2010 by Caeto Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, que entrou em vigor no Brasil em 2009. Capa Elisa v. Randow Preparação Alexandre Boide Revisão Luciane

Leia mais

DEUS PROVA ABRAÃO Lição Objetivos: Ensinar que os filhos de Deus tornam-se mais fiéis através de provas de dificuldade.

DEUS PROVA ABRAÃO Lição Objetivos: Ensinar que os filhos de Deus tornam-se mais fiéis através de provas de dificuldade. DEUS PROVA ABRAÃO Lição 11 1 1. Objetivos: Ensinar que os filhos de Deus tornam-se mais fiéis através de provas de dificuldade. 2. Lição Bíblica: Gênesis 21.1-8; 1-19 (Base bíblica para a história e o

Leia mais

Não te esqueças de mim, Pai Natal! Autor: Norbert Landa Ilustrador: Marlis Scharff-Kniemeyer

Não te esqueças de mim, Pai Natal! Autor: Norbert Landa Ilustrador: Marlis Scharff-Kniemeyer Não te esqueças de mim, Pai Natal! Autor: Norbert Landa Ilustrador: Marlis Scharff-Kniemeyer No Inverno, não há no vale dos ursos nem cogumelos, nem amoras, nem o mel das abelhas. Em vez disso, só há neve,

Leia mais

Essa história aconteceu há

Essa história aconteceu há O HOMEM DO SACO Essa história aconteceu há mais de vinte anos, num dia nublado. Perfeito para Josué, Mateus, Antonia e Frederico começarem o dia colocando o plano combinado em ação. Estavam de férias,

Leia mais

SIMULADO 8. Colégio: - 5º Ano Professor: Nome: D QUESTÃO 02. Leia o texto abaixo.

SIMULADO 8. Colégio: - 5º Ano Professor: Nome: D QUESTÃO 02. Leia o texto abaixo. SIMULADO 8 Colégio: - 5º Ano Professor: Nome: D QUESTÃO 02 Leia o texto abaixo. A integração de imagens e palavras contribui para a formação de novos sentidos do texto. Observe: D QUESTÃO 01 Leia o texto

Leia mais

Tradução e Revisão: PL. Leitura Final: Anna Azulzinha. Formatação: Lola. Verificação: Lola

Tradução e Revisão: PL. Leitura Final: Anna Azulzinha. Formatação: Lola. Verificação: Lola Tradução e Revisão: PL Leitura Final: Anna Azulzinha Formatação: Lola Verificação: Lola Quando Kristen completou 20.000 curtidas no Facebook resolveu nos presentear com uma pequena cena que escreveu

Leia mais

DATA: 02 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 02 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 02 / 05 / 206 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A):

Leia mais

Bando das Cavernas. Ruby: Como a sua melhor qualidade é o bom senso, é ela quem, na maioria dos casos, põe ordem no bando.

Bando das Cavernas. Ruby: Como a sua melhor qualidade é o bom senso, é ela quem, na maioria dos casos, põe ordem no bando. Bando das Cavernas Tocha: Na escola tem fama de saber acender uma fogueira, embora nunca ninguém o tenha visto fazer tal proeza. Ruby: Como a sua melhor qualidade é o bom senso, é ela quem, na maioria

Leia mais

Como Ajudar o Mundo?

Como Ajudar o Mundo? Como Ajudar o Mundo? Todos dizem como salvar o mundo, mas será mesmo que fazem o que falam? André tem 8 anos. Certo dia estava em uma aula de ciências e sua professora disse que o mundo está sofrendo com

Leia mais

Uma Biblioteca de Sensações e Emoções

Uma Biblioteca de Sensações e Emoções Uma Biblioteca de Sensações e Emoções Patrícia Cristóvão Em Maio de 2006, Maria era a única menina a morar numa pequena aldeia do concelho de Proença-a-Nova. Com 8 anos, era uma menina muito inteligente

Leia mais

Versão COMPLETA. O Ribeiro que queria Sorrir. PLIP004 Ana Cristina Luz. Ilustração: Margarida Oliveira

Versão COMPLETA. O Ribeiro que queria Sorrir. PLIP004  Ana Cristina Luz. Ilustração: Margarida Oliveira O Ribeiro que queria Sorrir Ana Cristina Luz Ilustração: Margarida Oliveira Versão COMPLETA PLIP004 www.plip.ipleiria.pt Este trabalho foi desenvolvido no espírito do art.º 75 e 80 do Código do Direito

Leia mais

Era domingo e o céu estava mais

Era domingo e o céu estava mais Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Era domingo e o céu estava mais azul que o azul mais azul que se possa imaginar. O sol de maio deixava o dia ainda mais bonito

Leia mais

manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas,

manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas, 5 6 manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas, sempre a incomodar-me. Por vezes, eu divirto-me a responder.

Leia mais

Cap.1- Separação. Um roteiro

Cap.1- Separação. Um roteiro Até quando? Cap.1- Separação Um roteiro de Lucas Luiz SEQ. 1: Sala do apartamento Int. / dia Letícia procura por algo em uma caixa de sapato, sentada no sofá. A sua frente está André, em pé, observando-a.

Leia mais