Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho."

Transcrição

1

2 ÍTULO 1 Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho. Julinho sussurrou. Vou pensar no teu caso respondi -lhe, também num sussurro. O Zezinho -Nelinho -Betinho chama -se, na verdade, Zezinho. Sei-o agora. Mas, no princípio do ano, tratava -o pelos três nomes em «inho», porque nunca conseguia lembrar -me de qual deles era o seu. Ele gostava disso. E agora anda a tentar convencer -me a acrescentar mais um. A semana passada, tentou «Zinho», mas eu disse que não. Tem de ser um nome a sério. 1

3 Está bem disse -lhe, depois do juramento de lealdade à bandeira. Fica Zezinho -Nelinho -Betinho -Julinho. O meu professor olhou para mim e levou a mão ao ouvido. É o nosso sinal de código para Devias Estar a Ouvir. De maneira que me endireitei na cadeira e ouvi, embora se discutissem apenas coisas do género «Levante a mão quem não está presente» ou «Quem tem dinheiro para comprar leite?» Mas, logo a seguir, a aula tornou -se interessante. Clementina, por favor vai ao gabinete da Diretora Coelho chamá-la. Sempre que o meu professor precisa que se trate de algum assunto no gabinete da diretora, pede -me a mim. Isso acontece porque eu sou muitíssimo responsável. Pronto, está bem, também pode ser porque sou mandada para lá tantas vezes que já podia lá chegar de olhos fechados. Coisa que tentei fazer uma vez. Vocês nem imaginam a quantidade de nódoas negras com que uma pessoa pode ficar apenas por chocar com um bebedouro. 2

4 Assim que cheguei ao gabinete da Diretora Coelho, ela estendeu a mão para, como de costume, receber o recado do professor a explicar -lhe o que acontecera. Não, nada disso. Hoje não há conversinhas! disse -lhe. Hoje vim cá só para levá -la para a nossa sala de aula. Ah, está bem disse ela. Já são horas. Enquanto avançávamos pelo corredor, recordei -lhe que na sexta -feira também não tinha sido chamada ao seu escritório para ter uma conversinha.

5 Teve saudades minhas? O meu professor disse que eu tive um dia em grande. Disse que o terceiro ano parecia estar mesmo a correr -me bem. De facto reparei que não apareceste, Clementina disse a Diretora Coelho. Na verdade, ouvi dizer que tiveste uma semana muito proveitosa. Parabéns. O teu professor comentou que ultimamente têm conseguido alcançar uma grande sintonia. Sinfonia? Sintonia. Quer dizer que trabalham bem em conjunto. Que se compreendem um ao outro. De volta à sala, o meu professor sentou -se e deixou a Sra. Coelho tomar conta da aula, porque ela é a chefe dele. Mas sorria. A Sra. Coelho também sorria, quando disse: Meninos, tenho algumas novidades para vos dar. O que me fez pensar que se tratava de boas notícias. Só que não eram. Como estou certa de que todos vocês sabem continuou ela, o vosso professor interessa -se muito pelo Egito antigo. 4

6 Então não sabíamos? Pela sala de aula estavam espalhadas múmias, esfinges e pirâmides e, ao longo do último mês, os temas das aulas tinham sido sempre o Egito isto e o Egito aquilo. O que até era bom. A minha professora do ano anterior era doida pelos Bons Velhos Tempos na 5

7 Pradaria, o que até teria sido giro se ela não gostasse apenas de fazer coisas dentro de casa... como toucas e pão de milho. Apetecia -me muito mais fazer coisas dos Bons Velhos Tempos da Pradaria fora de casa, como laçar búfalos, procurar ouro e apanhar uns fora da lei a beber cerveja em saloons. Mas a minha professora do ano passado dizia sempre que não, que tínhamos de fazer toucas e cozinhar pães de milho e passar o dia todo sentados. Além de que essas outras coisas eram dos Bons Velhos Tempos do Faroeste. Só de me lembrar a chatice que foi o ano passado quase que ia adormecendo. Mas não adormeci, pois queria saber que boas notícias eram essas que a diretora tinha para nos dar. Quando soube que o programa deste ano das Aventuras para Professores era uma escavação arqueológica no Egito, propus o vosso professor continuou a Sra. Coelho. Parecia orgulhosa de si mesma, mas eu não percebia bem qual era o motivo de tanta alegria. 6

8 E tenho todo o prazer em anunciar -vos que, este fim de semana, soubemos que o senhor D Matz é finalista! Quando a Diretora Coelho pronunciou o nome do nosso professor, todos os alunos sustiveram a respi ração ao mesmo tempo. Isto porque «D Matz» é quase uma asneira. Ou melhor, se dissermos muito depressa, quase parece que estamos a chamar -lhe «demente». Mas claro que ninguém iria querer chamar -lhe uma coisa dessas. No primeiro dia de aulas, estava com tanto cuidado para não dizer mal o seu nome que não consegui dizer. E não, não estou a brincar. No intervalo pedi -lhe desculpa e expliquei -lhe que isso só tinha acontecido por estar tão preocupada com a possibilidade de dizê -lo mal. O Sr. D Matz respondeu que compreendia e que, além do mais, era natural que tal viesse a acontecer mais cedo ou mais tarde. Porém, desde então, todos os miúdos o tratam apenas por «Professor». Decidimos que é melhor não arriscar. Acho que a Diretora Coelho não estava minimamente preocupada em enganar -se. Deve ter pensado 7

9 assim: E se for mandada para o gabinete da diretora, qual é o problema? Eu vivo lá! O senhor D Matz partirá hoje depois do almoço, e passará a semana no Comité das Aventuras para Professores. Mas voltaremos a vê -lo na sexta -feira na Câmara. Vai ser realizada uma cerimónia para nomear o professor escolhido, e nós fomos convidados. Então, se tiver vencido, o senhor D Matz irá voar para o Egito para a sua grande aventura. Todos nós voltámos a conter a respiração ao ouvi- la pronunciar o nome, e eu fiquei tão distraída que quase nem ouvi o que ela disse a seguir. Mais ainda fui a tempo: O que significa que estará ausente durante o resto do ano. A Sra. Coelho continuou a falar, mas a frase ausente durante o resto do ano ecoava de tal maneira nos meus ouvidos que não consegui ouvir mais nada. Olhei para o meu professor. Esperei que ele saltasse da cadeira e dissesse: «Não, não, desculpe lá,

10 senhora Coelho. Não posso ir -me embora, porque prometi ficar aqui. Aqui mesmo, nesta sala, disse aos meus alunos: Serei o vosso professor este ano. O ano ainda não acabou, de maneira que tenho de ficar aqui e ser seu professor. Não vou quebrar a promessa que fiz.» Mas ele não fez nada disso. Limitou -se a permanecer sentado na sua cadeira e sorria à Sra. Coelho! Trata -se de uma Oportunidade Extraordinária afirmava a diretora Coelho com a sua voz de letras maiúsculas. Devíamos estar todos muito orgulhosos do senhor D Matz. Todos os miúdos aplaudiram e fizeram cara de quem estava muito feliz pela Oportunidade Extraordinária e cheios de orgulho pelo nosso professor. Eu cá, não. Não acho que quebrar uma promessa seja motivo para ter orgulho de alguém.

João Pedro Pinto Moreira 4º Ano EB1 Azenha Nova. A Pequena Diferença

João Pedro Pinto Moreira 4º Ano EB1 Azenha Nova. A Pequena Diferença João Pedro Pinto Moreira 4º Ano EB1 Azenha Nova A Pequena Diferença Era uma vez um menino chamado Afonso que nasceu no primeiro dia do ano de 2000. Era uma criança muito desejada por toda a família, era

Leia mais

A volta às aulas do Pequeno Nicolau

A volta às aulas do Pequeno Nicolau HISTÓRIAS INÉDITAS DO PEQUENO NICOLAU René Goscinny Jean-Jacques Sempé A volta às aulas do Pequeno Nicolau Tradução Pedro Karp Vasquez Volta às aulas MAMÃE DISSE QUE AMANHÃ iremos comprar coisas para a

Leia mais

Dança ao ritmo da existência

Dança ao ritmo da existência www.possibilidade.pt Dança ao ritmo da existência! Dança ao ritmo da existência, Página 1 Aquilo que eu gostava de vos dizer é algo que, quando eu era muito novo, ouvia o meu pai dizer quando discursava.

Leia mais

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar...

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... Então um dia tomei coragem e corri até mamãe e falei: - Mãeee queria tanto um irmãozinho, para brincar comigo!

Leia mais

I A noite estava tranquila e serena. O silêncio inundava a casa. A família toda já estava a dormir. O dia seguinte era dia de trabalho para uns e de escola para outros. Apenas se ouvia o tic-tac do despertador

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

Matthew Dicks. Memórias de Um Amigo Imaginário

Matthew Dicks. Memórias de Um Amigo Imaginário Matthew Dicks Memórias de Um Amigo Imaginário Tradução Victor Antunes Para a Clara Capítulo 1 Isto é o que eu sei: Chamo-me Budo. Existo há cinco anos. Cinco anos é muito tempo para alguém como eu. Foi

Leia mais

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA A menina PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA menina alegre e muito curiosa. O que a diferenciava das outras crianças é que desde muito pequenina ela passava horas na Floresta do Sol conversando

Leia mais

A sanita mutante! Coleção. Os Mutantes. Já publicados A sanita mutante. A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante

A sanita mutante! Coleção. Os Mutantes. Já publicados A sanita mutante. A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante Coleção A sanita mutante! Os Mutantes Já publicados A sanita mutante A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante O prego mutante Frutas mutantes Estrela mutante A irmã mutante Maio de 2016 20

Leia mais

O criador de ilusões

O criador de ilusões O criador de ilusões De repente do escuro ficou claro, deu para ver as roupas brancas entre aventais e máscaras e foi preciso chorar, logo uma voz familiar misturada com um cheiro doce e agradável de

Leia mais

As Melhores 313 PIADAS. para rir sem parar

As Melhores 313 PIADAS. para rir sem parar As Melhores 313 PIADAS para rir sem parar Excesso de velocidade Depois de mandar parar uma condutora, o polícia de trânsito diz-lhe: Minha senhora, vou multá-la. Vinha a 200 quilómetros à hora! O quê???

Leia mais

Nº 38B- 32º Domingo do Tempo Comum

Nº 38B- 32º Domingo do Tempo Comum Nº 38B- 32º Domingo do Tempo Comum-8.11.2015 Vimos hoje como Jesus deu um grande elogio a uma pessoa pobre, a quem ninguém dava importância: a viúva que pôs na caixa das esmolas duas pequenas moedas. Como

Leia mais

Estação de Braga. Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora

Estação de Braga. Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora Roteiro de Braga Estação de Braga Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora a correr e eu a querer apanhá-lo. E sentada no meu lugar corri, e de olhos atentos via vida e gente,

Leia mais

Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa.

Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa. Capítulo 3 Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa. As respostas voltam no teu exemplo. Achei que estava a viver uma vida normal. Eu escolhi o lugar. A vida

Leia mais

29/03/2006. Discurso do Presidente da República

29/03/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita às futuras instalações do campus da Universidade Federal do Estado de São Paulo Guarulhos-SP, 29 de março de 2006 Meus queridos e minhas queridas companheiras da

Leia mais

Tânia Abrão. Coração de Mãe. Coração De Mãe

Tânia Abrão. Coração de Mãe. Coração De Mãe Coração de Mãe Coração De Mãe Página 1 Coração De Mãe 1º Edição Agosto de 2013 Página 2 Coração De Mãe 1º Edição È proibida à reprodução total ou parcial desta obra, por Qualquer meio e para qualquer fim

Leia mais

CATEQUESE 10 JESUS ENTREGA A SUA VIDA

CATEQUESE 10 JESUS ENTREGA A SUA VIDA CATEQUESE 10 JESUS ENTREGA A SUA VIDA Objectivos: 1. Descobrir na entrega da vida de Jesus a plenitude da Sua relação com Deus Pai. 2. Acolher a fidelidade de Jesus a esta relação como geradora de vida

Leia mais

Minha História de amor

Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. E não é uma distância bobinha não, são 433 km, eu moro em Natal-Rn, e ela

Leia mais

Imagine com Munhoz e Mariano. Feito por uma fã muito apaixonada, que estava afim de compartilhar com as outras fãs!

Imagine com Munhoz e Mariano. Feito por uma fã muito apaixonada, que estava afim de compartilhar com as outras fãs! Era só um sonho. Imagine com Munhoz e Mariano. Feito por uma fã muito apaixonada, que estava afim de compartilhar com as outras fãs! Já estava com muita saudades! No dia em que poderia ir em um show, aconteceu

Leia mais

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô.

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô. Parabéns para o Dan Tocou o telefone lá em casa. Meu pai atendeu na sala. Alô. Meu avô, pai do meu pai, do outro lado da linha, fez voz de quem não gostou da surpresa. Eu liguei pra dar parabéns ao Dan.

Leia mais

Garoto extraordinário

Garoto extraordinário Garoto extraordinário (adequada para crianças de 6 a 8 anos) Texto: Lucas 2:40-52 Princípio: ser como Jesus Você vai precisar de um fantoche de cara engraçada, um adulto para manipular o fantoche atrás

Leia mais

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA?

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (VC): HUAHSUASHUAHSUAHSUA SEI LÁ (EU): ENTENDO TUDO NO REAL TA DESABANDO

Leia mais

Os vinhateiros. Referência Bíblica: Mateus

Os vinhateiros. Referência Bíblica: Mateus Os vinhateiros Referência Bíblica: Mateus 20. 1-16 Introdução: O que é de fato o Reino de Deus começa Jesus a explicar, circundado por muita gente que o escuta atentamente... Um senhor era dono de uma

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A1 Prova A (13A1AE) 60 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A1 Prova A (13A1AE) 60 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A1 Prova A (13A1AE) 60 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Paciente A 1a. Entrevista. Por. Radoc Lobo Juliano Lopes. Baseado em conto enviado por Radoc Lobo

Paciente A 1a. Entrevista. Por. Radoc Lobo Juliano Lopes. Baseado em conto enviado por Radoc Lobo - A 1a. Entrevista Por Radoc Lobo Juliano Lopes Baseado em conto enviado por Radoc Lobo 2013 - Ovos Zumbis ovoszumbis@gmail.com Elenco de personagens Paciente 2208: Dra. Angela: Paulo: Juliano Lopes Andréia

Leia mais

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais

Nº 5 C Natal e Sagrada Família

Nº 5 C Natal e Sagrada Família Nº 5 C Natal e Sagrada Família Esta semana celebramos nascimento de Jesus, no dia de Natal e depois a festa da Sagrada Família. A Sagrada Família é composta por Maria, José e o Menino Jesus. A Sagrada

Leia mais

Que Nevão! Teresa Dangerfield

Que Nevão! Teresa Dangerfield Que Nevão! Teresa Dangerfield Que Nevão! Teresa Dangerfield Mamã, Mamã, está tudo branquinho lá fora! gritou o Tomás muito contente assim que se levantou e espreitou pela janela. Mariana, vem ver depressa!

Leia mais

Copycat Chronogirl. Os vilões espalham o terror! Inclui duas histórias!

Copycat Chronogirl. Os vilões espalham o terror! Inclui duas histórias! 2 2 As Aventuras de Ladybug As Aventuras de Ladybug As Aventuras de Ladybug Lê as histórias dos teus super-heróis favoritos! O Theo tem uma paixoneta pela Ladybug e morre de ciúmes do Gato Noir. O Falcão-Traça

Leia mais

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram CAPÍTULO UM Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram chegando durante todo o verão. Cada um deixava Matthew um pouco mais tenso: Para: mstheworld@gmail.com Assunto: Estou feliz! Acabo

Leia mais

UMA HISTÓRIA DE AMOR

UMA HISTÓRIA DE AMOR UMA HISTÓRIA DE AMOR Nunca fui de acreditar nessa história de amor "á primeira vista", até conhecer Antonio. Eu era apenas uma menina, que vivia um dia de cada vez sem pretensões de me entregar novamente,

Leia mais

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano -

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano - COLÉGIO ARNALDO 2014 ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano - PORTUGUÊS Aluno(a): Ano: Professora: Valor: 20 pontos Obteve: Conteúdo de Recuperação Identificar o sentido ou expressão em um texto. Localizar

Leia mais

Versão RECONTO. O Principezinho. PLIP003 De Antoine De Saint Exupéry

Versão RECONTO. O Principezinho. PLIP003  De Antoine De Saint Exupéry O Principezinho De Antoine De Saint Exupéry Versão RECONTO Adaptação e revisão de texto Judite Vieira e Maria da Luz Simão Escola Secundária Afonso Lopes Vieira Leiria PLIP003 www.plip.ipleiria.pt Este

Leia mais

O Senhor Vento queria organizar uma. festa. Uma festa que ficasse na. memória de todos.

O Senhor Vento queria organizar uma. festa. Uma festa que ficasse na. memória de todos. Um Pé de Vento O Senhor Vento queria organizar uma festa. Uma festa que ficasse na memória de todos. Sabia que não ia ser fácil surpreendê-los. Aquele lugar já não era como antigamente, muito tinha mudado.

Leia mais

Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola.

Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola. Jessy Um belo dia de sol, Jessi caminhava feliz para sua escola. Jessi era uma garota linda, tinha a pele escura como o chocolate, seus olhos eram pretos e brilhantes que pareciam duas lindas amoras, seu

Leia mais

Tânia Abrão. Deixo meus olhos Falar

Tânia Abrão. Deixo meus olhos Falar Tânia Abrão Deixo meus olhos Falar 1 Biografia Tânia Abrão Mendes da Silva Email: Tania_morenagata@hotmail.com Filha de Benedito Abrão e Ivanir Abrão Nasceu em 09/08/1984 Natural da Cidade de Lapa Paraná

Leia mais

Escrito & ilustrado por MEG CABOT. Tradução de MARIA P. DE LIMA. 1 a edição

Escrito & ilustrado por MEG CABOT. Tradução de MARIA P. DE LIMA. 1 a edição Diário de uma princesa improvável Diário de uma princesa improvável Escrito & ilustrado por MEG CABOT Tradução de MARIA P. DE LIMA 1 a edição 2016 Seria fácil ser princesa se eu estivesse vestida com tecido

Leia mais

Como Zaqueu, quero acolher-te e mudar, Senhor

Como Zaqueu, quero acolher-te e mudar, Senhor Como Zaqueu, quero acolher-te e mudar, Senhor Escuta-me, Senhor. Como Zaqueu, quero procurar-te, nem que seja preciso deixar coisas que me enchem a casa e a carteira, mas não me dão a alegria que procuro.

Leia mais

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Identificação F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista 4-5-2011 Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de

Leia mais

Pesquisa. Setembro 2014

Pesquisa. Setembro 2014 Pesquisa Setembro 2014 Perfil Quem é o nosso time? 66% está conosco há mais de 1 ano 69% são casadas 68% tem Filhos, 42% desses adolescentes Média de Idade 32 anos (20 a 56) 93% são mulheres 61% cursando

Leia mais

Era mais uma das frases de Hannah. Quando perguntei pra ela o que fazer se alguém viesse comprar briga comigo, ela res pondeu: Ninguém vai matar

Era mais uma das frases de Hannah. Quando perguntei pra ela o que fazer se alguém viesse comprar briga comigo, ela res pondeu: Ninguém vai matar Billie EU ESTAVA ME COMPORTANDO bem fazia uma semana. Só tinha me metido em uma briga, o que devia ser um recorde pra mim. Estava na cara que aquilo não ia durar muito. Estava passando pelo estacionamento

Leia mais

AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt-

AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt- AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt- Era uma vez um menino chamado Miguel. Num dia sua mãe falou: - Olha, filho, hoje você vai para escola de ônibus. E o Miguel falou: - Mas eu não sou pequeno?

Leia mais

O ZERO TORNA-SE IMPORTANTE

O ZERO TORNA-SE IMPORTANTE O ZERO TORNA-SE IMPORTANTE Há muito tempo, no País dos Números, só havia os algarismos 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9. Nem sempre os números eram muito simpáticos uns com os outros. Os números maiores gostavam

Leia mais

Capítulo 4. É bom estar de volta. Sabia que ele iria voltar. Só passou algum tempo. Aquilo que me transformou permitiu-me visualizar o Mundo.

Capítulo 4. É bom estar de volta. Sabia que ele iria voltar. Só passou algum tempo. Aquilo que me transformou permitiu-me visualizar o Mundo. Capítulo 4 É bom estar de volta Sabia que ele iria voltar. Só passou algum tempo. Aquilo que me transformou permitiu-me visualizar o Mundo. Só queria que fosses feliz. Tens de ouvir uma coisa. O nosso

Leia mais

Português. Tempos e Modos Verbais Verbos. Professor Carlos Zambeli.

Português. Tempos e Modos Verbais Verbos. Professor Carlos Zambeli. Português Tempos e Modos Verbais Verbos Professor Carlos Zambeli www.acasadoconcurseiro.com.br Português TEMPOS E MODOS VERBAIS VERBOS Tempos verbais do Indicativo 1. Presente é empregado para expressar

Leia mais

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO PROFESSORA Bom dia meninos, estão bons? TODOS Sim. PROFESSORA Então a primeira pergunta que eu vou fazer é se vocês gostam

Leia mais

2 UMA NARRATIVA ESPECIAL! UMA EXPERIÊNCIA EM

2 UMA NARRATIVA ESPECIAL! UMA EXPERIÊNCIA EM 2 UMA NARRATIVA ESPECIAL! UMA EXPERIÊNCIA EM ASSIS Ana Maria Ramos Sanchez Varella A narrativa escrita é uma tentativa de dar acesso a um percurso interior que evolui correlativamente para um percurso

Leia mais

A v a mæe

A v a mæe N@o mæe@: D@a@t@a@: A v a l@i@a@ç@ã@o @d@o 1.º @t r@i mæe s@t ræe@ L@í n@g@u@a@ P@o r@t@u@g@uæe s@a@ 2.º @a n@o I n f o r m@a@ç@ã@o : Desejos de Natal Furioso, Zeca saiu de casa. Tinha de espairecer. Apetecia-lhe

Leia mais

Olhares. Rosângela Trajano. 2 - Por que não permitimos que os outros se aproximem de nós? 4 O que são as coisas mais simples do mundo para você?

Olhares. Rosângela Trajano. 2 - Por que não permitimos que os outros se aproximem de nós? 4 O que são as coisas mais simples do mundo para você? Olhares Ando pelas ruas e a multidão quase esbarra em mim. Tenho certeza que se me deitasse no chão seria pisoteada. As pessoas não olham mais para o chão, aliás as pessoas não olham mais nem para si mesmas.

Leia mais

Principezinho BOLSO.indd 9 10/02/15 11:46

Principezinho BOLSO.indd 9 10/02/15 11:46 I I Quando tinha seis anos, vi uma vez uma imagem magnífica num livro sobre a Floresta Virgem que se chamava Histórias Vividas. Representava uma jiboia a engolir uma fera. Aqui está a cópia do desenho.

Leia mais

Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de

Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de sair sozinho. E me chama de pirralho, o que me dá raiva.

Leia mais

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!!

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!! À procura do inato Prem Rawat foi convidado a falar no Teatro Verdi de Pádua, em Itália, sob o patrocínio do Presidente da República Italiana, do Ministério da Justiça, da Região de Veneto e da Província

Leia mais

Série 6º ANO ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO 1º BIMESTRE / 2012

Série 6º ANO ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO 1º BIMESTRE / 2012 Disciplina LÍNGUA PORTUGUESA Curso ENSINO FUNDAMENTAL II Professor MARIANA Série 6º ANO ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO 1º BIMESTRE / 2012 Aluno (a): Número: 1 - Conteúdo: Gêneros narrativos:

Leia mais

Ele ajudou-me muito, é um Santo, que Deus o tenha, a sua alma em eterno descanso.

Ele ajudou-me muito, é um Santo, que Deus o tenha, a sua alma em eterno descanso. ENTREVISTA C2: A entrevista começa com a pergunta: Como vão as coisas lá por casa. As coisas agora, vão melhor, porque estou no centro de dia, e lá sinto-me muito bem, mas passo a noite em casa da minha

Leia mais

O texto 1 Jesus nasceu em Belém, na região da Judeia, no tempo do rei Herodes. Depois do seu nascimento, chegaram uns sábios do Oriente a Jerusalém 2 e perguntaram: «Onde está o rei dos judeus que acaba

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros s de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 20 por completo

Leia mais

Mutual

Mutual Mutual 2013 http://astontasvaoaoceu.blogspot.com.br/ Em Lugares Santos Se no escuro andais não vais enxergar quem sois e o que podeis vos tornar. Se de joelhos estais e na luz viveis, onde o Espírito está

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

Uma Aflição Imperial.

Uma Aflição Imperial. Uma Aflição Imperial. Amanda Silva C. Prefácio Uma aflição Imperial conta a história de uma garota chamada Anna que é diagnosticada com tipo raro de câncer leucemia sua mãe é paisagista e tem apenas um

Leia mais

I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL. Profª Drª Luciana Moas

I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL. Profª Drª Luciana Moas I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL O IMPACTO DAS INOVAÇÕES BIOTECNOLÓGICAS NO PARENTESCO: A DISTINÇÃO ENTRE PAI E GENITOR Meu Deus

Leia mais

Nº36 B - 30º Domingo do Tempo Comum Ter Fé

Nº36 B - 30º Domingo do Tempo Comum Ter Fé Nº36 B - 30º Domingo do Tempo Comum - 25.10.2015 Ter Fé O Evangelho de hoje mostra-nos que devemos ter Fé, uma Fé muito forte, tal como aquele cego que pediu a Jesus que o curasse. O cego acreditava que

Leia mais

1. OUÇAM A PRIMAVERA!

1. OUÇAM A PRIMAVERA! 1. OUÇAM A PRIMAVERA! Na Mata dos Medos há uma pequena clareira dominada por um pinheiro-manso 1 muito alto. É o largo do Pinheiro Grande. Um pássaro que por lá passarou pôs-se a cantar e acordou o Ouriço,

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 8 Data: 28/10/2010 Hora: 13h00 Duração: 26:31 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Mentira tem perna curta de Emílio Carlos

Mentira tem perna curta de Emílio Carlos Mentira tem perna curta de Emílio Carlos Era uma tarde como outra qualquer. Pedro e Ana tinham chegado da escola e almoçado. Depois viram um pouco de TV e agora era a hora de fazer a tarefa. Enquanto Pedro

Leia mais

IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro

IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro SOCIEDADE» IGUALDADE DE GÉNERO IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro 13/3/2016, 19:28 1.907 PARTILHAS Para a antiga vice-primeira-ministra sueca, Margareta Winberg,

Leia mais

Anexo 2.2- Entrevista G1.2

Anexo 2.2- Entrevista G1.2 Entrevistado: E1.2 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 53 anos Masculino Cabo-Verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: 4ª classe Imigrações prévias : -- Língua materna: Outras línguas: Agregado

Leia mais

SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO

SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO Esse livro faz parte de uma história em animação que está lá no nananina.com.br Ele traz o ponto-de-vista de outro personagem. Afinal, existem muitas histórias dentro de cada

Leia mais

História de uma Baleia

História de uma Baleia SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 03 / / 0 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

A paz já lá está A paz já lá está, Página 1

A paz já lá está A paz já lá está, Página 1 A paz já lá está! A paz já lá está, Página 1 A minha mensagem é muito, muito simples. Muitas pessoas vêm ouvir-me e sentam-se aí, meio tensas: "O que é que eu vou ouvir?" E eu digo-lhes sempre: "Relaxem."

Leia mais

Este é o vosso tempo Este é o vosso tempo, Página 1

Este é o vosso tempo Este é o vosso tempo, Página 1 Este é o vosso tempo! Este é o vosso tempo, Página 1 Há uma coisa muito simples de que quero falar. Eu sei que as pessoas vieram para ouvir falar de paz. Já lá irei. Porque isso não é difícil, isso é fácil.

Leia mais

Você não precisa decorar nada

Você não precisa decorar nada Que aprender inglês é importante e vai mudar a sua vida você já sabe, mas como aprender inglês e como fazer isso por conta própria? Nós separamos abaixo algumas dicas inéditas e que sem dúvida vão fazer

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 7 Data: 22/10/2010 Hora: 19h30 Duração: 30:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Fui à biblioteca tentar escolher. Um bom livro para ler. Mas era difícil descobrir. Aquele que me ia surpreender! Desisti da ideia de procurar

Fui à biblioteca tentar escolher. Um bom livro para ler. Mas era difícil descobrir. Aquele que me ia surpreender! Desisti da ideia de procurar Fui à biblioteca tentar escolher Um bom livro para ler Mas era difícil descobrir Aquele que me ia surpreender! Desisti da ideia de procurar E vim cá para fora brincar. Os meus amigos riam-se de mim E eu

Leia mais

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05 Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/2012 16:19:05 Minha_Vida_Agora.indd 8 11/06/2012 16:19:06 1 Meu nome é Elizabeth, mas ninguém nunca me chamou assim. Meu pai deu uma olhada em mim quando nasci e

Leia mais

Presente de Aniversário Vanessa Sueroz

Presente de Aniversário Vanessa Sueroz 2 Autor: Vanessa Sueroz Publicação: Novembro/2013 Edição: 1 ISBN: 0 Categoria: Livro nacional Romance Juvenil Designer: Rodrigo Vilela Leitora Crítica: Ka Alencar Disponível para Prévia do livro Contato:

Leia mais

A novela chegou ao fim. O atacante Robinho foi apresentado pelo Santos no início da

A novela chegou ao fim. O atacante Robinho foi apresentado pelo Santos no início da Volta para a casa: Robinho é apresentado e já quer jogar clássico Presidente entrega a camisa 7 ao ídolo do Santos, que já se coloca à disposição de Oswaldo de Oliveira para o duelo com o Corinthians,

Leia mais

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim?

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim? viu? eu não falei pra você? o quê? este ano está igualzinho ao ano passado! foi você que jogou esta bola de neve em mim? puxa, acho que não... essa não está parecendo uma das minhas... eu costumo comprimir

Leia mais

Você é capaz de se lembrar como se conjuga os verbos? Lembra? É... eu também não gostava muito disso, sabia? Então vamos lembrar juntos:

Você é capaz de se lembrar como se conjuga os verbos? Lembra? É... eu também não gostava muito disso, sabia? Então vamos lembrar juntos: Bem, hoje gostaria de falar sobre algo que talvez você não goste nem um pouco: nossa querida Língua Portuguesa Ah, fala sério pastor! Vai dar aula de Português? Obviamente não! Vou apenas compartilhar

Leia mais

O Segredo Do Teu Beijo

O Segredo Do Teu Beijo O Segredo Do Teu Beijo Volume Único Thais Mendonça Copyright 2014 Thais Mendonça All rights reserved. ISBN-13: 978-1500980405 AGRADECIMENTOS Agradeço a Deus porque todos os momentos mesmo difíceis, não

Leia mais

A Patricinha. Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer

A Patricinha. Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer Roleta Russa 13 A Patricinha Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer Oi. Eu sou a Patrícia. Prazer. Você é?... Quer sentar? Aceita uma bebida, um chá, um

Leia mais

O menino Nicolau e os amigos

O menino Nicolau e os amigos Jean-Jacques Sempé René Goscinny O menino Nicolau e os amigos Índice O Clotário é caixa-de-óculos... A magnífica lufada de ar... Os lápis de cor... Os campistas... Falámos na rádio... Maria Edviges...

Leia mais

O texto de hoje da UNESCO é simples mas deveria ser pensado por todos nós. Vamos a ele:

O texto de hoje da UNESCO é simples mas deveria ser pensado por todos nós. Vamos a ele: COMUICAÇÃO ( 2.communication) Extraído de páginas 76 e 77 do guia para professores da U ESCO: (Understanding and responding to children s needs in Inclusive Classrooms) www.unesco.org.com; traduzido do

Leia mais

Auto-disciplina, Privação, Compromisso, Responsabilidade.

Auto-disciplina, Privação, Compromisso, Responsabilidade. Valores: Competências -chave: Auto-disciplina, Privação, Compromisso, Responsabilidade. Ser capaz de gerir a frustração; Resistir à tentação e esperar pela recompensa; Reduzir riscos praticando o auto-controlo;

Leia mais

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada.

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. Era Uma Vez A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. A ratinha tinha uma felpa de ferro e pensava

Leia mais

Da Amizade Pode nascer o Amor

Da Amizade Pode nascer o Amor Da Amizade Pode nascer o Amor Tudo começou quando entrei no Facebook e vi uma mensagem era do meu melhor amigo Vinícius dizendo que precisava muito falar comigo. Eu achei estranho pois fazia um tempo que

Leia mais

da Hortas Cidade Projecto Espiral

da Hortas Cidade Projecto Espiral as da Hortas Cidade Projecto Espiral O projecto Espiral - financiado ao abrigo do Contrato Local de Desenvolvimento Social coordenado pelo CESIS Centro de Estudos para a Intervenção Social, iniciou a sua

Leia mais

morf.1 25/1/16 10:00 Página 11 O LIVRO DO SENHOR

morf.1 25/1/16 10:00 Página 11 O LIVRO DO SENHOR morf.1 25/1/16 10:00 Página 11 O LIVRO DO SENHOR Há muitas coisas que nós sabemos, e que são tão simples, tão evidentes, tão instintivas, que pensamos que toda a gente as sabe. Estas são aquelas coisas

Leia mais

Um ato de amor sonhador ao mundo

Um ato de amor sonhador ao mundo Um ato de amor sonhador ao mundo Este livro esta aberto para qualquer idade, pois relata uma historia de amor com a nossa sociedade, uma garotinha de 09 anos de idade busca fazer a diferença sempre dando

Leia mais

DOROTHY KOOMSON. os aromas do amor. Tradução de Irene Ramalho

DOROTHY KOOMSON. os aromas do amor. Tradução de Irene Ramalho DOROTHY KOOMSON os aromas do amor Tradução de Irene Ramalho Oo Prólogo Vais contar à polícia? pergunta ela. Acho que tenho de o fazer respondo. Sinto a boca seca, a cabeça a mil, tantos pensamentos e decisões

Leia mais

É importante saber por que certas coisas são o que são. Quer dizer, saber por que acontecem de um jeito e não de outro. O arco-íris, por exemplo.

É importante saber por que certas coisas são o que são. Quer dizer, saber por que acontecem de um jeito e não de outro. O arco-íris, por exemplo. 1. É importante saber por que certas coisas são o que são. Quer dizer, saber por que acontecem de um jeito e não de outro. O arco-íris, por exemplo. O arco-íris pode parecer muito estranho se você não

Leia mais

Walter e Olivia são dois escoteiros muito espertos, que hoje estão indo para uma aventura na Praia. Walter está muito animado: - Não vejo a hora de

Walter e Olivia são dois escoteiros muito espertos, que hoje estão indo para uma aventura na Praia. Walter está muito animado: - Não vejo a hora de Walter & Olive Walter e Olivia são dois escoteiros muito espertos, que hoje estão indo para uma aventura na Praia. Walter está muito animado: - Não vejo a hora de chegar e "pegar jacaré". - Eu quero tomar

Leia mais

Quem tem boca vai a Roma

Quem tem boca vai a Roma Quem tem boca vai a Roma AUUL AL A MÓDULO 14 Na aula passada, nós vimos como as informações constituem mapas que nos ajudam no dia-a-dia. É só saber buscá-las, isto é, quem tem boca vai a Roma. Hoje, nós

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS, O.CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM Quinta-feira da 1ª Semana do Tempo Comum 1) Oração Ó Deus,

Leia mais

Provações - O Privilégio de Sofrer por Cristo

Provações - O Privilégio de Sofrer por Cristo Provações - O Privilégio de Sofrer por Cristo Zacarias 13:9 E estes que sobrarem eu farei passar pelo fogo. Eu os purificarei como se purifica a prata e os refinarei como se refina o ouro. Aí eles orarão

Leia mais

da quando me chama de palito de fósforo e ri de um jeito tão irritante que me deixa louco da vida, com vontade de inventar apelidos horripilantes

da quando me chama de palito de fósforo e ri de um jeito tão irritante que me deixa louco da vida, com vontade de inventar apelidos horripilantes Chiquinho MIOLO 3/8/07 9:34 AM Page 14 Meu nome é Chiquinho Meu pai é alto e magro e se chama Chico. Meu avô é baixo e gordo e se chama Francisco. Eu me chamo Chiquinho e ainda não sei como sou. Já andei

Leia mais

ONDJAKI. A BICICLETA QUe TINHA BIGODES. estórias sem luz elétrica. Livros do Dia e da Noite

ONDJAKI. A BICICLETA QUe TINHA BIGODES. estórias sem luz elétrica. Livros do Dia e da Noite ONDJAKI A BICICLETA QUe TINHA BIGODES estórias sem luz elétrica Livros do Dia e da Noite Na minha rua vive o tio Rui, que é escritor e inventa estórias e poemas que até chegam a outros países muito internacionais.

Leia mais

Valorıze-se, organıze-se! Cláudio Ramos

Valorıze-se, organıze-se! Cláudio Ramos Valorıze-se, organıze-se! Cláudio Ramos Índice 8 A felicidade pode estar na valorização? Pode, digo eu! 11 1. CASA 13 COMPRAS E POUPANÇA 15 DECORAÇÃO 29 2. ROUPA 40 GUARDA-ROUPA BÁSICO: O Que Todas as

Leia mais

EU VIM PARA SERVIR? Autor: Tiago Ferro Pavan

EU VIM PARA SERVIR? Autor: Tiago Ferro Pavan EU VIM PARA SERVIR? Autor: Tiago Ferro Pavan (Entra um jovem em cena e se depara com um cartaz da campanha da fraternidade (2015). O jovem lê o lema em voz alta): JOVEM: (Lendo) Eu vim para servir! JOVEM:

Leia mais

O ENSINO DE GEOGRAFIA: ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA

O ENSINO DE GEOGRAFIA: ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA O ENSINO DE GEOGRAFIA: ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA Adriana Patrocinio Pereira. ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA A CONSTRUÇÃO DA LATERALIDADE O banho de papel. Atividade desenvolvida na EMEF Profª Claudete da

Leia mais