Leituras. Consertar para Oferecer. Pequenos Gestos, Grandes Causas. Março 2012 #41

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Leituras. Consertar para Oferecer. Pequenos Gestos, Grandes Causas. Março 2012 #41"

Transcrição

1 Março 2012 #41 Leituras E S C O L A P R O F I S S I O N A L C I O R Consertar para Oferecer Pequenos Gestos, Grandes Causas

2 SUMÁRIO Leituras E S C O L A P R O F I S S I O N A L C I O R Março 2012 #41 FICHA TÉCNICA Parceria Solidária e Amiga do Ambiente P. 05 Estágios no Estrangeiro 04 Linhas Mestras 05 Em Foco TÍTULO Leituras CIOR PROPRIEDADE Arte Africana Semana Cultural CIOR Recebe D. Manuel Linda P. 09 P. 16 P. 20 P. 14 P. 19 P. 06 Organização das Emergências Mini-PAP s de Energias Renováveis Tendências da Energia Fotovoltaica P Livre-Trânsito 34 Saberes Descobertos 36 Daily English 40 InternaCIORizando 41 Entretanto Sabias Que 41 Bem Escrever 41 Máquina do Tempo 42 Raiz Quadrada 42 Cartoons 42 Cooperativa de Ensino de Vila Nova de Famalicão, C.R.L. (Escola Profissional CIOR) DIRECTORA Carla Oliveira RECOLHA DE INFORMAÇÃO / IMAGEM / FOTOGRAFIA Arcélio Sampaio Cristina Ferreira REVISÃO DE PROVAS Andreia Araújo Carla Susana Azevedo Joaquim Meneses DESIGN GRÁFICO E PAGINAÇÃO Pedro Veloso DATA DE PUBLICAÇÃO Março de 2012 NÚMERO 41 Testemunhos de Ex-Alunos Curiosidades P. 33 P. 28 Corrida Amigável de Kartcross P. 31 Anedotas Check-List Entre Capas 44 Banda Larga 44 Última Fila 45 PERIODICIDADE Quadrimestral TIRAGEM 1300 Exemplares INÍCIO DE PUBLICAÇÃO 1998 DISTRIBUIÇÃO Gratuita E o Óscar Vai Para... P. 45 Novas Oportunidades Que Futuro? P. 35 Hot Point Em Alta/Em Baixa 50 ADN MORADA Rua Amélia Rey Colaço, 106 Apartado V. N. de Famalicão GPS: lat: lon: Tel: Fax: (In)Confidências 50 DEPÓSITO LEGAL /09 Bilhete de Identidade 51 [ 2 ]

3 Editorial Ensinaram-nos a falar, a andar, a atravessar a rua. Sabemos ler, escrever, contar. Inventaram a televisão, o frigorífico, o motor, o fogo, a internet Hoje, a medicina, a cirurgia, a ciência fazem milagres e melhoram a nossa qualidade de vida. A esperança de vida é maior do que há cinquenta anos. O ser humano foi, paulatinamente, contornando os obstáculos, arranjando soluções para os problemas, foi criando, inventado, descobrindo, dominando. Aprendemos os nomes das ferramentas, a diagnosticar problemas, a propor soluções, a reparar o mal. Cada escola, cada oficina, cada fábrica, cada laboratório ensina, constrói, inventa, cria. E assim nos vamos perpetuando, recebendo, acrescentando, transmitindo, empurrando conhecimento, arte, ciência, técnica, a compreensão e domínio da realidade. E assim se faz (e tantas vezes se desfaz, se destrói!) a humanidade. Esta passagem de testemunhos dá-se em diferentes contextos, com diferentes atores. Primeiro a família, depois a escola, os amigos, os professores, os técnicos, os chefes, os mestres. Nesta escola, também investimos na formação de cidadãos solidários. Para isso, atualmente, estamos a receber e a consertar eletrodomésticos, graciosamente, para depois serem entregues a famílias carenciados do nosso concelho. Na capa deste Leituras, destacamos esta atividade à qual nos entregamos com o nosso saber fazer e com o nosso ser solidário. Pequenos gestos, grandes causas. Quer em Portugal quer no estrangeiro, este ano em Itália, Alemanha, Espanha e Áustria, a CIOR tem encontrado excelentes parcerias (oficinas, associações, creches, Jardins, escolas, fábricas ) que permitem aos jovens terem formação em contexto de trabalho, e assim adquirirem novas competências. Deparam-se-lhes novos desafios: contacto com outra realidade, com o mundo empresarial, relacionamento com os outros colaboradores, a interiorização de novas regras específicas de cada organização. E se aplaudimos o acolhimento por parte das empresas, felicitamos também a dedicação e profissionalismo de todos os tutores que diariamente acompanham os nossos alunos. A estes, estudantes e aprendizes, exige-se disponibilidade, curiosidade, humildade e muita vontade de saber, de aprender. O contacto com novas organizações de trabalho, novas culturas, nova língua, novos padrões culturais, devem constituir momentos de uma aprendizagem variada e, ao mesmo tempo, momentos de gratidão, não só para quem se disponibilizou a receber, como também deitou pés ao caminho na procura de diferentes locais de estágio. É aqui que cabe a palavra gratidão, palavra pouco usada e bastante banida do dia a dia. E os alunos devem exatamente estar agradecidos: à direção e ao corpo docente que procuraram e lhes proporcionaram estas oportunidades; às entidades acolhedoras que disponibilizam as suas instalações, equipamentos, recursos humanos; aos tutores pela abnegação e competência; e finalmente, aos professores acompanhantes pela proximidade na sua formação. Perante estas condições, a responsabilidade dos alunos aumenta e falhar é menos tolerado. Aproveitem! CR SIdIC Foi implementado um novo sistema de identificação na nossa escola, o Sistema de Identificação Interno da CIOR. Pretende-se proporcionar algum controlo de acesso à nossa escola. Agora, quem não tiver TAG, não entra A segurança é um bem essencial! Continua a renovação da CIOR Mais e mais paredes pintadas, mais e mais apelativa fica a nossa escola. De trincha em punho, o Sr. Carneiro está imparável. Para além das pinturas, vão sendo feitas pequenas obras de melhoria e manutenção da escola, de forma a termos mais e melhores condições. Estamos consigo! Parlamento dos Jovens À semelhança dos anos anteriores, a nossa escola inscreveuse no programa do Parlamento dos Jovens, uma iniciativa da Assembleia da República. Força deputados da CIOR! Antecâmara Estágios Alemanha e Áustria Neste momento, e até ao dia 23 de março, dez alunos realizam a sua formação em contexto real de trabalho em Liepzig, Alemanha, e cinco alunos em Viena, Áustria. A avaliar pelas fotos, filmes e comentários no facebook, bem como pelas notícias que vamos recebendo por e telefone, estão a viver uma das melhores etapas das suas vidas. Ficamos felizes com a vossa felicidade CNO da CIOR de pedra e cal A rede de Centros Novas Oportunidades da região ficou reduzida a quatro centros, uma vez que duas candidaturas não obtiveram aprovação: a ADRAVE e a Escola Secundária Camilo Castelo Branco. Por seu turno O CITEVE decidiu não apresentar candidatura. Vamos manter o nosso excelente trabalho! Vida Nova para os monstros No âmbito do projeto Energia com Vida, a nossa escola associou-se à Câmara Municipal de Famalicão, no sentido de dar nova vida a eletrodomésticos avariados. De uma forma geral, estes monstros são recolhidos, a CIOR conserta-os para serem doados a famílias desfavorecidas. O projeto visa dar a oportunidade de agir com sentido, em função de valores, objetivos e metas humanitárias. Foi-nos lançado o desafio e nós agimos! estagiar na CIOR Muitas são as caras A que recebemos nas nossas instalações. A Elisabete Mesquita é uma delas. Na qualidade de estagiária irá, certamente, ser uma maisvalia para os serviços administrativos da nossa escola. Também ela adquirirá competência connosco, uma parceria que beneficia todos! Bem-vinda CR [ 3 ]

4 LINHAS MESTRAS [ 4 ] Reformas Educativas Sempre que ouvimos anunciar novos modelos, novos programas, novos estatutos dos alunos; novos modelos de avaliação, de gestão; reformas, contenção e otimização de recursos, enfim de novas políticas, ficamos timoratos e receosos. Nos últimos anos, o discurso de quem pode e manda, ao leme dos assuntos da formação e da educação, e não obstante algumas medidas meritórias e uma ou outra ação benfazeja, soa a incerteza e perturba aprioristicamente o êxito de novas políticas educativas. Sempre que ouvimos anunciar novos modelos, novos programas, novos estatutos dos alunos; novos modelos de avaliação, de gestão; reformas, contenção e otimização de recursos, enfim de novas políticas, ficamos timoratos e receosos. Como se pode pedir a um pasteleiro que faça melhor, com menos? Subtraindo 100 gramas à farinha, e, em vez de seis ovos de galinha gorda e farta, coloque, na massa, três amostras de ovo de delgado e famélico galináceo? Seguidamente, num passo mágico de retórica, e invocando-se a criatividade, o empreendedorismo, a proficiência, a eficácia, a ideia gerada na incubadora, o marketing arrojado, transformamos um simpático pudim flan, num apetecível abade de priscos! Nos últimos onze anos, e a contar já com este, tivemos oito ministros da educação e não sabemos quantos secretários de estado, não imaginamos quantos diretores regionais e técnicos, e fazedores de programas, e de modalidades de formação, e de desenhos curriculares, e de elaboração de estudo; políticas educativas entusiastas e massificadas, criação e expansão de centros de formação, incremento da formação inicial, contínua, profissional Dos últimos anos, fomos recentemente informados, pelo estudo da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), Equidade e Qualidade em Educação, de que mais de metade dos portugueses com idades entre os AD. & J.P 25 e os 34 anos não completaram o ensino secundário; e no universo das pessoas entre os 25 os 64 anos, somos líderes, pela negativa, visto que 70 % da população não completou o 12º ano. Portugal está no grupo de países com maiores desigualdades, em termos de rendimento disponível das famílias; a taxa de desemprego atingiu recentemente novos máximos; os nossos licenciados têm que emigrar; há cada vez mais alunos a desistirem, sobretudo por dificuldades económicas: não têm dinheiro para o passe, para a refeição, para a visita de estudo Entretanto, lê-se na imprensa que a revisão curricular proposta pelo governo não foi feita a olhar para o orçamento mas para conseguir um melhor ensino, reduzindo-se a carga horária em vários anos; que fecharam (ão) centros novas oportunidades, que vão ser otimizados os Neste período de transição, importa que o governo adote políticas assertivas, estruturantes que permitam o desenvolvimento de um ensino sério, exigente e credível, de que todos nos orgulhemos agora e para sempre. recursos humanos e físicos, que vêm aí os mega- -agrupamentos, que vão fechar cursos profissionais, que são reduzidos os subsídios e o financiamento, por curso, nos cursos profissionais, como resultado da desistência de alunos Sabemos que a formação inicial e ao longo da vida são fundamentais para o desenvolvimento económico, social e cultural de um povo, para o progresso de um país. O ensino profissional tem sido um modelo de sucesso (replicado no ensino público, ainda pouco consistente), que, entre muitos outros pressupostos, corresponde às expetativas dos alunos que privilegiam um plano curricular equilibrado, incidindo na componente prática, e assente num sistema modular. Um ensino que responde às necessidades do tecido económico e social local e regional, com parceiros nacionais e estrangeiros, e em que os alunos desenvolvem a formação em contexto real de trabalho e se preparam para o mundo do trabalho, nas próprias empresas. Neste período de transição, importa que o governo adote políticas assertivas, estruturantes que permitam o desenvolvimento de um ensino sério, exigente e credível, de que todos nos orgulhemos agora e para sempre. Sabemos, da nossa experiência, que a melhor forma de ensinar é pelo exemplo, e que este, o exemplo, vem de cima!

5 EM FOCO Parceria Solidária e Amiga do Ambiente Entre a nossa Escola e o Município de V.N. de Famalicão está a ser ultimado um protocolo, no sentido da promoção e cooperação operacional, educacional e de solidariedade. Em linhas gerais através deste protocolo, será promovida e executada uma Campanha de Recolha de Monstros Hospital de Monstros traduzida na reparação de aparelhos elétricos e eletrónicos passiveis de serem reparados, numa lógica de custo/benefício. Após a recuperação dos aparelhos, feita pelos alunos dos cursos específicos da CIOR, num contexto de aprendizagem prática e oficinal, os aparelhos reparados serão entregues a famílias carenciadas do município. Este protocolo tem a duração de um ano e demonstra, para além de uma parceria institucional amiga do ambiente, o aproveitamento dos recursos técnicos e humanos de uma escola, aliados à causa da solidariedade. A turma EL18 está com as mangas arregaçadas neste projeto. Em simultâneo, este ano, pela primeira vez, a CIOR concorreu ao projeto Energia com Vida, cujos objetivos e linhas de ação são semelhantes. Estes projetos são muito vantajosos, porque os alunos aprendem praticando; cuidamos do ambiente e melhoramos a qualidade de vida das famílias a quem são entregues os eletrodomésticos recuperados, e assim também se educa para a cidadania. A CIOR recebe eletrodomésticos para reparar, por isso, caso tenha algum avariado e esquecido, lá por casa, traga-o. Ele irá servir para alguém. Pequenos gestos, grandes causas. Tiago Sousa, EL18 [ 5 ]

6 Em Foco Berufspraktikum in Österreich (Estágio na Áustria) Cinco alunos do curso Técnico de Eletrónica Automação e Comando, EL17, estão em Viena, na Áustria, a realizar a sua formação em contexto real de trabalho. Viena, capital da Áustria, é grande e linda! Em cada esquina da cidade, encontramos monumentos grandiosos cheios de história. Esta cidade é muito bem organizada. Nós utilizamos os transportes públicos todos os dias e pudemos confirmar essa organização: há elétricos e metro praticamente de minuto a minuto e, por vezes, com diferença de segundos. As pessoas aqui são um pouco mais frias e distantes. Em Portugal estamos habituados a pessoas calorosas e simpáticas, sempre prontas a ajudar. Notamos esta diferença todos os dias no atendimento ao balcão, por exemplo, nos cafés, supermercados e outros. No trânsito, quando alguém falha um pisca ouve-se logo buzinadelas. Podemos afirmar com certeza que o povo Português é um povo que, por defeito, fala alto (e nós confirmamos isso) porque já não é a primeira vez que estamos no McDonald s e só se ouviam os portugueses, grupos assim como nós. Sobre o trabalho que realizamos nos locais de estágio, deixamos aqui os nossos testemunhos: Pedro Osório: O meu estágio é sobre processamento de imagens no Photoshop. Basicamente reconstruo livros antigos. Apesar de este estágio ser uma vertente diferente daquela que eu estava à espera, está a ser uma experiência inovadora e interessante. Armando e Rúben Gil: O nosso estágio engloba vários tipos de trabalhos, desde produção, a testes e a programação. Nós trabalhamos mais com a parte de programação e está a ser uma experiência excitante para nós, tanto a nível cultural como a nível de trabalho. Luís Meireles e Fábio Fonseca: No nosso estágio, fundamentalmente, fazemos edição de fotografias e outros trabalhos, em particular no Microsoft Excel. Trabalhamos a partir de casa, mas também nos esforçamos como os outros nossos colegas, que têm que se deslocar para as empresas. Armando, Fábio, Luís Meireles, Pedro Osório e Rúben Gil, EL17 [ 6 ]

7 Berufspraktikum in Deutschland (Estágio na Alemanha) Estamos em Leipzig, Alemanha, no âmbito do projeto de mobilidade europeia/estágios intitulado Go For IT - Get Opportunities for Initial Training in Europe. Chegamos no dia 1 de fevereiro e só regressaremos a 23 de março. Temos vivido uma experiência fantástica! O acolhimento foi bastante agradável (alojamento, ambiente, setores de trabalho, etc). Estão a ser, até agora, muito produtivos os estágios e temos passeado muito ao fim de semana. Surgiu a oportunidade, proporcionada pela Vitalis GmbH (entidade intermediária e que nos dá apoio aqui na Alemanha) de visitarmos Berlim, durante o fim de semana. Berlim, capital da Alemanha, fica a aproximadamente 200 km de Leipzig, cidade onde estamos alojados. Foi extraordinário, aproveitámos ao máximo e tivemos momentos muito marcantes. Visitámos monumentos em honra dos judeus, partes do muro de Berlim, construções modernas (posteriores ao ano 2000), outras mais antigas (do tempo da 2ª guerra mundial) onde ainda eram visíveis as marcas das balas, fomos à Mercedes Benz (visita que todos gostamos muito), enfim, percorremos os locais fundamentais de Berlim, em 2 dias, e com direito a guia. Em casa tem corrido tudo bem: temo-nos organizado quer na preparação das refeições quer nas limpezas das diferentes partes da casa. De salientar que todos sentimos mais responsabilidades em cumprir com as nossas obrigações e em tomar conta dos nossos colegas. Vamos às compras ao supermercado, pomos a nossa roupa a lavar, depois a secar e até passamos a ferro, confecionamos as refeições e, claro, redigimos sempre os relatórios do nosso estágio. O trabalho realizado nos locais de estágio superou as nossas espectativas. Não podia ser melhor, temos o privilégio de partilhar conhecimentos com o nosso tutor de estágio, isto é, as atividades não são do tipo eu mando e tu fazes, há mesmo partilha de igual para igual. Temos oportunidade de demonstrar o que sabemos fazer na prática. O nosso horário é bastante folgado comparado com o dos nossos colegas do curso de Mecatrónica Automóvel MA1, trabalhamos menos 2h, tivemos sorte! O nosso tutor de estágio procura sempre explicar-nos, da melhor maneira, os trabalhos a efetuar e isso é de louvar, porque é preciso ter alguma paciência. Tudo é explicado em inglês e nem sempre entendemos à primeira! Tem sido uma experiência inesquecível e que vai contribuir, em muito, para o nosso sucesso profissional e pessoal! Gostaríamos de agradecer à Escola Profissional CIOR e à Vitalis GmbH por esta oportunidade que premeia os alunos que mais se esforçam, desde o início do curso. Também agradecemos a todos os professores da CIOR que nos prepararam muito bem para esta aventura. Por fim, agradecemos aos nossos encarregados de educação por todo o esforço que fizeram para estarmos aqui. Até breve! Eduardo, Hélder, José Américo, Luís Moreira e Samuel, IE12 [ 7 ]

8 Em Foco Tirocino in Italia (Estágio em Itália) Arrivederci Italia, Ciao Portogallo Uma importante etapa das nossas vidas chegou ao fim. Agradecemos à escola a oportunidade única que nos proporcionou. Além da possibilidade de conhecer uma cidade histórica, pudemos também assimilar uma nova cultura, aprendendo diferentes costumes e adquirindo novos conhecimentos. Aliado a isto, está a fantástica gastronomia: uma enorme variedade de massas, a tão conceituada pizza e outras iguarias, tudo nos surpreendeu de forma positiva. Falando agora do principal objetivo da viagem a Itália, a Formação em Contexto de Trabalho, (porque isto não foi uma vida boémia, fomos também para trabalhar!) a opinião de todos foi a melhor possível. Correu tudo pelo melhor e adorámos o trabalho que fizemos. De certa forma, é impossível transmitir por palavras todo o nosso agrado e satisfação, após a passagem por esta experiência. Neste sentido, gostávamos de agradecer, mais uma vez, a todas as entidades envolvidas neste processo, em especial a esta instituição de ensino que nos recompensou pelo esforço exercido, durante estes quase três anos. Esta é a prova de que realmente A CIOR ALIADA AO TRABALHO COMPENSA! Grazie mille per tutto. Adriana, Helena Pontes, Rita, Rui, Sara e Tiago, ASC 8 [ 8 ]

9 José Flores Henrique Arte Africana A Minha História José flores é o meu nome, sou oriundo de África mais concretamente da terra das lindas praias em Moçambique, estou cá a estudar graças às relações bilaterais entre Portugal e África. Em África, frequentei o nível básico de instalações elétricas e cá estou a frequentar o curso profissional de Energias Renováveis (nível IV). Estar longe da família está a ser uma experiência nova. Não foi difícil de me adaptar aos novos colegas da escola, uma vez que em África tive uma disciplina cujo nome era Área Integral. Nela aprendi a adaptar-me a novas pessoas e como comportar- -me com elas portanto, as dinâmicas com os colegas estão a correr bem. Gosto de estar em Portugal, mas também tenho saudade de África! Durante os meus tempos livres ocupo-me em diversas atividades extra escolares: faço voluntariado na comunidade, participo em formações para jovens no meu concelho, participo em concursos relacionados com o meu curso, representando a minha escola, participo em concursos de artes plásticas e pinto telas nos tempos livres. Gosto tanto de pintar! Quando não pinto não me sinto bem. Participei no concurso FAMARTE 2012 onde expus três obras, pintadas nos tempos livres, e consegui conquistar o quarto lugar neste concurso. Em fevereiro, fiz a minha primeira exposição individual, no Museu Soledade Malvar, composta por 10 obras. O gosto de desenhar e de pintar surgiu muito cedo, aos 7 anos. Na primária, já fazia desenhos e até fabricava as minhas tintas com as flores das acácias e com folhas de diferentes plantas. Com essas tintas pintava os desenhos feitos em papel. Depois comecei a pintar t-shirts, em seguida fiz pinturas em muralhas e mais tarde em telas. Tenho de salientar o gosto que tenho pela CIOR, é uma boa Escola! Não podemos ver a CIOR de fora, só quem a conhece por dentro consegue saber como é verdadeiramente a CIOR! A arte africana tem vários cheiros, várias cores dispersas e unidas A cor fala, canta, os traços transmitem factos do quotidiano da sociedade, é ela que unifica os planos. Na pintura que faço a forma humana é, muitas vezes, representada com distorções, com corpos alongados ou proporções exageradas. Esta aparência deliberada é refletida como um todo, belo e adorado, para criar uma nova ordem de Sobre a Pintura expressão artística e sentimento do que deve ser o mundo da arte. Quem gosta da natureza gosta da arte, porque arte é a cópia da natureza. O pincel, as tintas, a paleta e a natureza são os alimentos que enchem o estado de espírito do artista, deixando-o satisfeito. Para ele, nada mais que transmitir as vivências da sociedade. José Flores, ER5 [ 9 ]

10 Em Foco Ainda Ecos do Natal A CIOR espalhou Natal - dia de ser bom. Na última semana de aulas, crianças, jovens e idosos, de diferentes instituições do concelho, assistiram a espetáculos levados à cena pela turma de Animação Sociocultural, ASC9, com o apoio da turma ASC10. O ginásio da escola foi o palco e, por ele, foram desfilando músicas, dramatizações, acrobacias, humor, muito humor. Momentos alegres, felizes que tornaram a vida dos presentes mais risonha, mais leve. E se uns vieram até à escola, outros foram presenteados com a visita de uma vasta equipa de alunos da turma ASC 10 que levaram mensagens de Boas Festas a diferentes instituições: escolas, associações, empresas, câmara municipal, jornais... E para a onda natalícia ficar completa, professores e funcionários trocaram entre si sentimentos de Natal, com um convívio/jantar, criando uma teia de solidariedade, de fraternidade, de paz... CR [ 10 ]

11 Fevereiro Fevereiro - mês dos namorados e do carnaval. Assinalámos as datas com elaboração de máscaras de carnaval e muitos corações, do tamanho do mundo. Alunos e professores, com o espírito amoroso e divertido, entregaram-se a estas datas. Máscaras e Corações decoraram a biblioteca para que todos pudessem partilhar os sentimentos. O Correio do Amor visitou a escola e diz-se que houve corações partidos Mas por pouco tempo, já que logo de seguida, no carnaval reanimaram. CR No âmbito da disciplina de POF, procedemos à montagem de quadros elétricos. Foi um projeto que consideramos muito proveitoso porque nos permitiu aplicar de forma direta as competências adquiridas ao longo do módulo seis. Os objetivos foram, sem dúvida, superados e acreditamos que são estas atividades que nos motivam a fazer mais e melhor e nos preparam para o ingresso no mundo do trabalho. Competências Adquiridas ER5 [ 11 ]

12 Em Foco Estágio na CIOR Eu sou a Isabel Maria Gomes Mesquita, natural de V.N. de Famalicão, residente no mesmo concelho e encontro-me a realizar um estágio de 210 horas, na Escola Profissional CIOR, no âmbito da minha formação em contexto de trabalho. Este estágio refere-se à finalização do meu curso Técnico de Apoio à Gestão, nível IV, administrado pelo IEFP de Braga, em V.N. de Famalicão. O curso teve início em 15 de março de 2011 e termina em 30 de março de 2012, com um total de 1450 horas e destina-se a pessoas desempregadas, com o 12º ano de escolaridade, com experiência profissional em gestão e administração. Uma vez que a CIOR é uma entidade que facilita e integra estágios deste carácter, entendi ser um local adequado ao meu estágio, uma vez que certamente me iria permitir adquirir conhecimentos numa dinâmica diferente ao que estava habituada, dado que toda a minha atividade profissional, ao longo de 18 anos, se centrou na indústria. Como considero que todas as experiências profissionais são válidas e quanto mais diversificadas forem melhor, penso que fiz uma escolha acertada. O estágio está a desenvolver-se nos departamentos da Qualidade e Formação ao lado da Dra. Nilza Jardim e centra-se na organização de processos técnicos pedagógicos de formações e revisão de procedimentos da qualidade, passando ainda pela biblioteca e recursos humanos. Considero a CIOR uma Escola organizada, dotada de meios técnicos e humanos excelentes, com pessoas muito simpáticas, que me acolheram de uma forma muito humana e profissional. Penso que de uma forma geral, estes conhecimentos práticos que a CIOR me está a proporcionar, servirão essencialmente para melhorar e atualizar as minhas competências profissionais, que certamente ser-me- -ão muito úteis no futuro a nível profissional. Isabel Mesquita, formanda estagiária FCT À semelhança dos anos anteriores, a nossa escola inscreveu-se no programa do Parlamento dos Jovens, uma iniciativa da Assembleia da República. Assim, no dia 18 de janeiro, em Assembleia Escolar, os alunos debateram e refletiram sobre um conjunto de medidas relativas ao tema proposto: Redes Sociais: Participação e Cidadania. Foi determinado o Projeto de Recomendação que representou a Escola na Sessão Distrital, realizada a 13 de março, e foram eleitos os seguintes deputados: Carlos Rodrigues (MA2) Tiago Sousa (EL18) Foi eleito como deputado suplente o aluno: Álvaro Silva (MA2) Segue-se o Projeto de Recomendação da CIOR: As competências de informação e comunicação constituem-se como ferramentas ao longo da vida, como tal, a literacia informática deve estar presentes de uma forma transversal e ligada a necessidades e resolução de problemas da vida real. Consideramos que se forem implementadas ações de formação sobre as redes sociais junto das populações mais desfavorecidas, bem como integrar no currículo formativo dos jovens alunos, poderemos contribuir, de forma gradual, para a utilização desta preciosa ferramenta no exercício da cidadania. Medida 1: Que seja criado um projeto com ações de sensibilização sobre as redes sociais, a ser implementado pelas autarquias, destinado a pessoas com baixa literacia informática. Medida 2: Que seja incluído o tema das redes sociais no currículo da disciplina de TIC. Carla Saldanha, professora Carlos Tiago Álvaro [ 12 ]

13 CIOR Inventiva Projetos em Curso em Energias Renováveis Prémio FIP A nossa escola teve a ousadia de se candidatar ao prémio FIP, promovido pela Fundação Ilídio Pinho, com dois projetos: Primeiro projeto: O Sol como fonte de energia para a rega de campos agrícolas Face à atual situação de Portugal e às contingências resultantes da crise financeira global, importa otimizar os nossos recursos numa perspetiva de redução dos custos de produção dos bens de consumo prioritários. A mudança de política, com o convite ao regresso à agricultura, reforça a convicção de que a utilização do Sol como fonte de energia primária será uma aposta ganha. O atual projeto envolve o estudo e a conceção de um sistema de rega, gota a gota, através de uma bomba elétrica alimentada por painéis fotovoltaicos. O funcionamento da bomba ocorrerá nos períodos de maior insolação e a água proveniente da bombagem será armazenada num tanque a uma cota superior. A rega deverá ser feita, por gravidade, durante os períodos mais convenientes. Numa primeira fase o sistema será ajustado para a rega de produtos hortícolas. O sistema terá claras vantagens nos casos em que o ramal para o fornecimento de energia elétrica fique dispendioso, sem esquecer que os custos imputados à rega dependerão unicamente dos custos de investimento do sistema que, pela sua simplicidade, será rapidamente amortizado. O projeto envolve a construção de um modelo funcional a escala reduzida que servirá para efetuar testes de funcionamento e posterior extrapolação dos dados para um modelo real. Dada a imediata aplicação do sistema a casos reais, serão estabelecidas parcerias com empresas interessadas na sua comercialização. Todas as peças e acessórios necessários à construção do modelo serão elaborados na escola, utilizando materiais convencionais, salvo os equipamentos/materiais elétricos e de comando que serão adquiridos no mercado. O projeto envolverá alunos do 11º e do 12º anos e funcionará como extensão aos programas curriculares com um cariz eminentemente prático, permitindo que os alunos sejam envolvidos num trabalho propiciador de novas experiências que demonstrem a aplicabilidade a situações reais dos conceitos e ferramentas ministrados em sala de aula. Deste modo pretende-se que os alunos apreciem e valorizem o conhecimento e o método científico nas suas actividades futuras. O modelo funcional envolverá a construção mecânica das peças essenciais ao seu funcionamento e incorporará equipamentos de fácil aquisição, no mercado, como a bomba elétrica e o seu controlador de nível de água, bem como o painel fotovoltaico. O dimensionamento ocorrerá em contexto de sala de aula teórica e os ensaios experimentais em laboratório de eletricidade. A montagem deverá ser seguida e monitorizada de molde a permitir tirar conclusões sobre a viabilidade do projeto. Entre outros prevê-se elaborar diagramas de irradiação solar do local, registo das horas de insolação e da disponibilidade energética diária com recurso a equipamento de registo específico. A partir destes dados será possível estimar a capacidade de bombagem média diária. Segundo projeto: Navegar ao Sol Consiste num estudo e conceção de um barco amigo do ambiente movido a energia fotovoltaica, com motor elétrico, e portanto silencioso, adequado ao transporte de passageiros em viagens de lazer que gostem de usufruir do contacto com a natureza, em lagoas ou albufeiras pertencentes a áreas protegidas. Pretende-se captar o interesse de autarquias na vizinhança dessas zonas e de operadores turísticos por forma a que os passeios náuticos interfiram o menos possível com o ambiente das referidas áreas e em total compatibilidade com a vida animal que as carateriza. O projeto envolve a construção de um modelo funcional a escala reduzida que servirá para efetuar testes de funcionamento e posterior extrapolação dos dados para um modelo real. Poderão ainda vir a ser estabelecidas parcerias com empresas interessadas na sua comercialização. O projeto envolverá alunos dos 10º, 11º e do 12º anos e funcionará como extensão aos programas curriculares, com um cariz eminentemente prático, permitindo que os alunos sejam envolvidos num trabalho propiciador de novas experiências que demonstrem a aplicabilidade a situações reais dos conceitos e ferramentas ministrados em sala de aula. Deste modo, pretende-se, também, que os alunos apreciem e valorizem o conhecimento e o método científico nas suas atividades futuras. O modelo funcional envolverá a construção mecânica das peças essenciais ao seu [ 13 ]

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO. Revisão: 02. Data: 26/01/2015. Pág.: 1/ 08

PROJETO EDUCATIVO. Revisão: 02. Data: 26/01/2015. Pág.: 1/ 08 PROJETO EDUCATIVO Revisão: 02 Data: 26/01/2015 Pág.: 1/ 08 Uma Escola com Identidade FINALIDADES E PRINCIPIOS GERAIS O projeto educativo de uma Escola Profissional mais do que um referencial de ação, nos

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

1º Trabalho Listas de Discussão

1º Trabalho Listas de Discussão 1º Trabalho Listas de Discussão Catarina Santos Meios Computacionais no Ensino 05-03-2013 Índice Introdução... 3 Resumo e análise da mensagem da lista Matemática no secundário... 4 Resumo e análise da

Leia mais

Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago

Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago Isabel Hormigo (Ministério da Educação e Ciência, Lisboa) Setúbal, 7 de fevereiro de 2014 Ciclos de estudos e duração Idade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

Enercoutim investe 18 milhões na plataforma de demonstração de energia solar em Martim Longo

Enercoutim investe 18 milhões na plataforma de demonstração de energia solar em Martim Longo Enercoutim investe 18 milhões na plataforma de demonstração de energia solar em Martim Longo Por Elisabete Rodrigues 17 de Maio de 2013 09:05 Comentar A plataforma de demonstração de energia solar que

Leia mais

Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues)

Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues) Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues) 9.º Ano!!!!!!! E agora? F Cursos (áreas) Científico- Humanísticos

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

Editor Direção-Geral de Educação Direção de Serviços de Educação Especial e de Apoios Socioeducativos

Editor Direção-Geral de Educação Direção de Serviços de Educação Especial e de Apoios Socioeducativos Ficha Técnica Titulo À DESCOBERTA Editor Direção-Geral de Educação Direção de Serviços de Educação Especial e de Apoios Socioeducativos Conceção Direção de Serviços de Educação Especial e de Apoios Socioeducativos

Leia mais

Curso de Formação Complementar. Apresentação

Curso de Formação Complementar. Apresentação Curso de Formação Complementar I Apresentação O curso de Formação Complementar destina-se a jovens titulares de cursos de Tipo 2, Tipo 3 ou outros cursos de qualificação inicial de nível 2, que pretendam

Leia mais

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações:

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações: Nr Área Recomendação Valido Abstenh o-me C/6 E/7 F/7 Voluntariado Aproveitar espaços sem utilização para fazer jardins, espaços para convívio e locais de desporto para a população. Promover a limpeza dos

Leia mais

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Apresentação dos seguintes projectos: 1) Câmara de Lobos.

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015/2016 PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015-2016 POR UM AGRUPAMENTO DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA JI Fojo EB 1/JI Major David Neto EB 2,3 Prof. José Buísel E.S. Manuel Teixeira Gomes

Leia mais

Física e Química A. Relatório da actividade prático laboratorial. Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1.

Física e Química A. Relatório da actividade prático laboratorial. Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1. Física e Química A Relatório da actividade prático laboratorial Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1.2 Vila real, 26 de Abril de 2009 Índice Sumário...3 Introdução

Leia mais

Energia Solar Fotovoltaica

Energia Solar Fotovoltaica Energia Solar Fotovoltaica A perceção dos problemas da energia nunca foi tão grande como nos nossos dias. Atualmente, é ponto assente que o crescimento do consumo de energia, verificado durante muitos

Leia mais

Manual. Coordenador / Diretor de Curso. Ano letivo 2012/2013

Manual. Coordenador / Diretor de Curso. Ano letivo 2012/2013 Manual do Coordenador / Diretor de Curso Ano letivo 2012/2013 Índice Índice... 1 Atribuições do Coordenador/Diretor de Curso... 2 Horários... 4 Alteração de Horários... 5 Arquivo de Documentação... 5 C1

Leia mais

Visão. Missão. Valores. Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto

Visão. Missão. Valores. Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto Missão A Escola Profissional de Tecnologia tem como missão prestar serviços educativos de excelência aos seus alunos, qualificando-os para o exercício profissional e para o prosseguimento de estudos, no

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave

NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave Sistema de Aprendizagem Com uma vasta experiência nesta modalidade de formação, a Sol do Ave tem vindo a desenvolver

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA Nome: Juliana Malacarne de Pinho No. USP 7166759 Curso ECA: Jornalismo Dados do Intercâmbio Universidade: Universidade NOVA de Lisboa Curso: Comunicação Social Período:

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT Desde já, agradecemos a sua participação nesta nova etapa do Projecto de Tutoria a Estudantes ERASMUS versão OUT. Com este inquérito, pretendemos

Leia mais

RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL

RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL 1. Dia da atividade 19 de Abril 2. Objetivos / Acções 2.1 Promoção de uma mobilidade mais sustentável, apelando aos alunos que, nesse dia, caso

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

atuarte jovens ativos na inclusão pela arte

atuarte jovens ativos na inclusão pela arte 2 Os TUB possuem um autocarro convertido num teatro que é um excelente recurso para levar aos bairros da periferia da cidade (Enguardas, Santa Tecla, Andorinhas, Parretas ou outros), oficinas de artes

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Revelar curiosidade e desejo de saber; Explorar situações de descoberta e exploração do mundo físico; Compreender mundo exterior mais próximo e do

Leia mais

Exmo. Presidente do município da Murtosa, Joaquim Santos Baptista; - na sua pessoa uma saudação aos eleitos presentes e a esta hospitaleira terra!

Exmo. Presidente do município da Murtosa, Joaquim Santos Baptista; - na sua pessoa uma saudação aos eleitos presentes e a esta hospitaleira terra! Exmo. Presidente do município da Murtosa, Joaquim Santos Baptista; - na sua pessoa uma saudação aos eleitos presentes e a esta hospitaleira terra! 1 Exmo. Diretor-Geral da Educação, em representação do

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto

Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto Missão A Escola Profissional de Tecnologia tem como missão prestar serviços educativos de excelência aos seus alunos, qualificando-os para o exercício profissional e para o prosseguimento de estudos, no

Leia mais

Escola Profissional de Pedagogia Social (EPPS)

Escola Profissional de Pedagogia Social (EPPS) Escola Profissional de Pedagogia Social (EPPS) Relatório de Actividades do ano letivo 2014/15 A Escola Profissional de Pedagogia Social (EPPS), tutelada pela API e apoiada pelo Ministério da Educação,

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S C T e S P Cursos Técnicos Superiores Profissionais GESTÃO ADMINISTRATIVA DE RECURSOS HUMANOS GESTÃO COMERCIAL E DE MARKETING ORGANIZAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 Biblioteca Escolar GIL VICENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA GIL VICENTE EB1 CASTELO BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 As atividades constantes do presente

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR ANNA PAULA SILVA (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS), ELIANE FERREIRA PINTO (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS). Resumo A reciclagem tem como principal foco a conscientização

Leia mais

PROGRAMA ECO-ESCOLAS

PROGRAMA ECO-ESCOLAS PROGRAMA ECO-ESCOLAS Programa de Educação Ambiental e/ou Educação para o Desenvolvimento Sustentável PLANO DE AÇÃO 2014/2015 O Eco-Escolas é um Programa internacional, coordenado em Portugal pela Associação

Leia mais

O acesso a uma plataforma online "recheada" de propostas de atividades meticulosamente concebidas é uma outra das mais-valias deste projeto.

O acesso a uma plataforma online recheada de propostas de atividades meticulosamente concebidas é uma outra das mais-valias deste projeto. CARTAS Caros colegas, um professor não é apenas aquele que ensina, mas também o que se deixa aprender. E ainda há tanto para aprender... Com o NPP e metas curriculares, urge adquirirmos ferramentas para

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

Capítulo 9 Emprego. 9.1 Introdução

Capítulo 9 Emprego. 9.1 Introdução Capítulo 9 Emprego 9.1 Introdução Hoje em dia, as redes sociais são as grandes responsáveis pelas contratações de emprego. Muitos dos responsáveis por recrutamento e recursos humanos das empresas avaliam

Leia mais

Apresentação do Projeto

Apresentação do Projeto (imagem provisória) Apresentação do Projeto Associação Recreativo Cultural INTRODUÇÃO Havendo inúmeros estudos onde as Artes na Educação são apresentadas como um fator essencial no desenvolvimento social,

Leia mais

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos 1.º Congresso Nacional da Ordem dos Psicólogos 18 a 21 abril 2012 Luísa Ribeiro Trigo*,

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

Perguntas frequentes. 20142015 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde

Perguntas frequentes. 20142015 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde Perguntas frequentes 20142015 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde lista de perguntas Projeto SOBE Trabalhar no projeto Saúde Oral, Bibliotecas Escolares (SOBE)

Leia mais

Plano de Atividades 2015

Plano de Atividades 2015 Plano de Atividades 2015 ÍNDICE Introdução 1. Princípios orientadores do Plano Plurianual. Desempenho e qualidade da Educação. Aprendizagens, equidade e coesão social. Conhecimento, inovação e cultura

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO. Projeto do. CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO. Projeto do. CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto do CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz Uma ação educativa de abertura para a comunidade Ano letivo 2014/2015 Índice 1. Introdução

Leia mais

Geração Segura promove Geração Futura

Geração Segura promove Geração Futura ENTRONCAMENTO Geração Segura promove Geração Futura Introdução As autarquias são, cada vez mais, agentes fundamentais na implementação de uma política de segurança rodoviária a nível local. O seu papel

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014 I Apresentação O BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME DE VIANA DO CASTELO, continuou em 2014 a sua política interna para fazer mais, com menos, prestando um serviço público, contratualizado

Leia mais

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO PREÂMBULO O projecto Estarreja COMpartilha surge da necessidade que se tem verificado, na sociedade actual, da falta de actividades e práticas de cidadania. Traduz-se numa relação solidária para com o

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

PREÂMBULO. Artigo 1.º - Enquadramento

PREÂMBULO. Artigo 1.º - Enquadramento 2014 [REGULAMENTO] PREÂMBULO Considerando a conjuntura nacional em que se vive, torna-se vital incentivar e apoiar a economia local. Num período em que a oferta de emprego é muito baixa, o autoemprego

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES Inovação e Qualidade Plano de Ação Estratégico - 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES PROJECTO DE INTERVENÇÃO PLANO DE ACÇÃO ESTRATÉGICO 2012/2013 Escola de Oportunidades e de Futuro Telmo

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR MÊS Setembro TEMA Adaptação das Crianças PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR ACTIVIDADES PEDAGÓGICAS

Leia mais

Capítulo III Atividades Extracurriculares

Capítulo III Atividades Extracurriculares Capítulo III Atividades Extracurriculares III.1. Resumo das Atividades Em todos os anos letivos é desenvolvido, na Escola, um Plano Anual de Atividades. Nele vigoram várias propostas que o Conselho Executivo,

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Samora Correia 2011/2012

Agrupamento de Escolas de Samora Correia 2011/2012 Plano Anual de Actividades Jardins de Infância Organização do Ambiente Educativo e espaços comuns. (de 4 a 09-09-2011) Cada educadora prepara a sua sala Organizar o Ambiente Educativo educadoras. Observação

Leia mais

Perguntas frequentes. 20152016 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde

Perguntas frequentes. 20152016 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde Perguntas frequentes 20152016 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde lista de perguntas Projeto SOBE Trabalhar no projeto Saúde Oral, Bibliotecas Escolares (SOBE)

Leia mais

ORGANOGRAMA DO SISTEMA EDUCATIVO - ANGOLA (reforma educativa - fase de transição. ão) 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª

ORGANOGRAMA DO SISTEMA EDUCATIVO - ANGOLA (reforma educativa - fase de transição. ão) 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª Prosseguimento de estudos 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª 9ª Classe (Transição) Mercado de trabalho Formação Média-Técnica Mercado de trabalho Ensino Ensino Secundário (1º Ciclo)

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 Preparado para mais um Serralves em Festa? É já nos dias 2 e 3 de Junho que se realiza mais uma edição do Serralves

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas Levante da Maia 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas

Leia mais

Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com

Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com Cidade de Guimarães Faixas Etárias do Concelho 65 ou mais 24-64 anos 15-24 anos 0-14 anos 0 20000 40000 60000 80000 100000 População do Concelho 159.576

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

CATÁLOGO DE ATIVIDADES

CATÁLOGO DE ATIVIDADES 2015 CATÁLOGO DE ATIVIDADES 2 1 1 Fotografia da Capa: Architectural Concepts By Roman Vlasov com Wendy F. Strange In 3dfirstaid Visual Architecture INTRODUÇÃO A SENTIDO DIRECTO desenvolve, de forma sistemática,

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

Agrupamento de Escolas. Dr. Jorge Augusto Correia Tavira

Agrupamento de Escolas. Dr. Jorge Augusto Correia Tavira Agrupamento de Escolas Dr. Jorge Augusto Correia Tavira Oferta Educativa Ano Letivo 2015/2016 Cursos Vocacionais Básico Cursos Científico Humanísticos Cursos Profissionais Cursos Vocacionais Secundário

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

Um percurso formativo Fátima Fonseca (*)

Um percurso formativo Fátima Fonseca (*) 1 Um percurso formativo Fátima Fonseca (*) Este trabalho prende-se com o estudo que fizemos na formação na área das Competências Interpessoais, sendo que o grande objectivo é o de sermos capazes, nas nossas

Leia mais

5ª Edição do Projeto "Energia com vida"

5ª Edição do Projeto Energia com vida 5ª Edição do Projeto "Energia com vida" Maria Isabel Junceiro Agrupamento de Escolas de Marvão No presente ano letivo 2014-15, quatro turmas do Agrupamento de Escolas do Concelho de Marvão (8º e 9º anos),

Leia mais

21 Mandamentos do Grandes Ideias

21 Mandamentos do Grandes Ideias 21 Mandamentos do Grandes Ideias 21 Mandamentos do Grandes Ideias Ideias simples mas que fazem toda a diferença na motivação dos nossos alunos!! 1. Conhecer os alunos e fazê-los sentirem-se amados pela

Leia mais

Quadro jurídico no sistema educativo português

Quadro jurídico no sistema educativo português I Simpósio Luso-Alemão sobre a Qualificação Profissional em Portugal - Oportunidades e Desafios Isilda Costa Fernandes SANA Lisboa Hotel, Av. Fontes Pereira de Melo 8, Lisboa 24 de novembro 2014 Contexto

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

VOLUNTARIADO !!!!! O Festival. Guia de Inscrição. Perfis. Requisitos. Áreas de Ação

VOLUNTARIADO !!!!! O Festival. Guia de Inscrição. Perfis. Requisitos. Áreas de Ação VOLUNTARIADO Guia de Inscrição Perfis Sentido de Responsabilidade Capacidade de Comunicação Paciente Amável Sentido Prático Capacidade de Comunicação Versátil Motivado Mentalidade Prática Dinamico Desembaraçado

Leia mais

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!!

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!! Combate as alterações climáticas Reduz a tua pegada e muda o mundo!! O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que

Leia mais

O SEU PARCEIRO DE ENERGIA SOLAR PRODUZA A SUA PRÓPRIA ENERGIA LIMPA E MELHORE O SEU FUTURO

O SEU PARCEIRO DE ENERGIA SOLAR PRODUZA A SUA PRÓPRIA ENERGIA LIMPA E MELHORE O SEU FUTURO O SEU PARCEIRO DE ENERGIA SOLAR PRODUZA A SUA PRÓPRIA ENERGIA LIMPA E MELHORE O SEU FUTURO Escolha o melhor parceiro LÍDER DE MERCADO COM MAIS DE 50 ANOS DE EXPERIÊNCIA Em 31 de março de 2013, gerimos

Leia mais

Cimeira do Fórum Índia África

Cimeira do Fórum Índia África REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU Presidência da República Cimeira do Fórum Índia África Intervenção de Sua Excelência Senhor José Mário Vaz Presidente da República Nova Delhi, 29 de Outubro de 2015 Excelência,

Leia mais

Plano de Atividades AAJUDE - 2016

Plano de Atividades AAJUDE - 2016 Plano de Atividades AAJUDE - 2016 AAJUDE.16.007.1 Página 1 de 13 Índice PLANO DE ATIVIDADES - AAJUDE / 2016 1. Introdução 2. Enquadramento i. Apresentação ii. Princípios e áreas de intervenção iii. Missão

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Outubro de 2015 Índice 1. Introdução... 3 2. Caraterização do Estudo... 4 3. Resultado Global dos Cursos de Lisboa

Leia mais

> MENSAGEM DE BOAS VINDAS

> MENSAGEM DE BOAS VINDAS > MENSAGEM DE BOAS VINDAS A (DPE), da (DREQP), inicia, com o primeiro número desta Newsletter, um novo ciclo de comunicação e aproximação ao público em geral e, de forma particular, aos seus parceiros

Leia mais

SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA

SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO

Leia mais

Relatório da visita da Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação ao Porto, nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2013

Relatório da visita da Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação ao Porto, nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2013 Relatório da visita da Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação ao Porto, nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2013 20 de fevereiro de 2013 Índice 1 Objetivo da visita... 3 2 Delegação... 3 3 Visita

Leia mais

Donauer Solar SyStemS o Seu parceiro certo.

Donauer Solar SyStemS o Seu parceiro certo. Donauer Solar Systems Solar Fotovoltaico Solar Térmico E-Mobility www.donauer.eu Donauer Solar SyStemS o Seu parceiro certo. 2 3 o Sol É a nossa inspiração. Tudo começa quando nos levantamos. Acendemos

Leia mais

Portugal está quase lá ENTREVISTA

Portugal está quase lá ENTREVISTA Pág: 12 Área: 19,00 x 26,00 cm² Corte: 1 de 6 ENTREVISTA DeF Portugal está quase lá Não somos os melhores na produtividade, na riqueza, na organização empresarial, na capacidade de confiarmos uns nos outros,

Leia mais

Projeto Twendela kumwe 1

Projeto Twendela kumwe 1 Avaliação Intercalar Ano 1 Janeiro 2011 - Janeiro 2012 Projeto Twendela kumwe 1 - Capacitação Institucional da Cáritas de Angola - SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INTERCALAR - ANO 1 [01 DE JANEIRO

Leia mais

PO AÇORES 2020 FEDER FSE

PO AÇORES 2020 FEDER FSE Apresentação pública PO AÇORES 2020 FEDER FSE Anfiteatro C -Universidade dos Açores -Ponta Delgada 04 de marçode 2015 PO AÇORES 2020 UM CAMINHO LONGO, DIVERSAS ETAPAS A definição das grandes linhas de

Leia mais

Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês

Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês Criar ambientes de partilha; Proporcionar momentos de incentivo à leitura e ao relevo das ilustrações; Facilitar e promover a criatividade e imaginação;

Leia mais

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas ENQUADRAMENTO DO CURSO As escolas são estabelecimentos aos quais está confiada uma missão de serviço público, que consiste em dotar todos e cada um dos

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012 1. Pela 12 ª vez relatamos atividades e prestamos contas. Este é dos actos mais nobres de um eleito, mostrar o que fez, como geriu o dinheiro dos cidadãos, dar transparência à governação. Constitui um

Leia mais

Projeto Viva a Alameda

Projeto Viva a Alameda Projeto Viva a Alameda Janeiro 2012 I. Enquadramento a. Política de Cidades o instrumento PRU b. Sessões Temáticas II. A PRU de Oliveira do Bairro a. Visão b. Prioridades Estratégicas c. Área de Intervenção

Leia mais

Introdução. a cultura científica e tecnológica.

Introdução. a cultura científica e tecnológica. Introdução A cultura científica e tecnológica é cada vez mais reconhecida como uma condição estratégica para o desenvolvimento de uma cidadania ativa, traduzindo-se numa sociedade mais qualificada e no

Leia mais

IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO

IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO Título do projeto: Pensar Global, Agir Global Oito objetivos de Desenvolvimento para o Milénio, Oito Caminhos para mudar o Mundo Localização detalhada da ação (país, província,

Leia mais

Conselho Municipal de Educação de Vila Velha de Ródão

Conselho Municipal de Educação de Vila Velha de Ródão MUNICÍPIO DE VILA VELHA DE RÓDÃO CÂ1VLARA MUNICIPAL Conselho Municipal de Educação de Vila Velha de Ródão ACTA N~ 42 Aos dez dias do mês de Setembro do ano de dois mil e catorze, pelas catorze horas, reuniu

Leia mais