Arte egípcia é ligada ao espírito. Arte grega é ligada à inteligência.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Arte egípcia é ligada ao espírito. Arte grega é ligada à inteligência."

Transcrição

1 A ARTE GREGA

2 Arte egípcia é ligada ao espírito. Arte grega é ligada à inteligência.

3 A FORMAS ASTÍSTICAS Desde 1550 a.c. até 30 a.c. os gregos criaram variadas formas de artes, desde as mais simples até as verdadeiramente monumentais, assim como os templos, estátuas em tamanhos reais, etc. Artemis representada como senhora dos animais.

4 As mais importantes formas artísticas: 1. Escultura 2. Cerâmica 3. Arquitetura

5 A cronologia da História da Arte Grega é dividida em 4 períodos: 1. Geométrico (IX a.c. e VIII a.c.) 2. Arcaico (VII e VI a.c.) 3. Clássico (V e IV a.c.) 4. Helenístico (do século III ao I a.c.)

6 PERÍODO GEOMÉTRICO Restringiu-se a decoração de variados utensílios Material artístico escasso

7 PERÍODO ARCAICO Fase de Orientalização As cidades-estados que começavam a se formar naquela época, sofreram influência da Mesopotâmia e do Egito.

8 Pintura e Escultura no Período Arcaico A influência oriental, vinda principalmente através da importação de têxteis e em metal, começa a substituir o estilo geométrico do período anterior. Pinturas feitas sobre potes Corinto: principal centro de fabricação de potes e vasos.

9 Formas humanas começam a ser mais valorizadas Escultura monumental grega começou a surgir no Período Arcaico Os gregos inseriram seu próprio estilo Século VI a.c. ascensão de uma maior naturalismo

10 A arquitetura grega se desenvolveu durante o período Arcaico, paralelamente ao desenvolvimento das esculturas monumentais. No séc.v a.c., a arte jônica e a dórica se encontraram e se combinaram na Ática.

11 Zeus (ou Poseidon) de Artemisio (detalhe), c ac, alt. 209 cm., Museu Arqueológico Nacional, Atenas Lady de Auxerre, Koré, detalhe, c ac Guerreiro moribundo, figura do templo de Aphaia, Aegina, c a.c.

12 PERÍODO CLÁSSICO Houve o apogeu das artes gregas A arte grega no Período Clássico pode ser considerada uma das mais grandiosas de todos os tempos, sendo apenas superada pela arte do Período Helenístico

13 Pintura e Escultura do Período Clássico Foram basicamente o crescente interesse dos artistas na representação naturalista da figura humana e a utilização de formas idealizadas de homens e mulheres em movimento. Na escultura esses princípios podem ser observados com toda a nitidez: estátuas de homens e deuses em diferentes poses, atletas em pleno movimento e mulheres com vestes esvoaçantes, soltas ao vento, enfeitam templos e sepulturas.

14 A tríade eleusina: Deméter, Perséfone e Triptólemo. Relevo de mármore pentélico, Santuário de Deméter e Koré em Elêusis. Data: -440/-430. Atenas, National Archaeological Museum. Foto: "Marsyas", Miron, c 450 ac, Discobolos, cópia romana, alt cm, Museo Nazionale Romano, Roma

15 Procissão Pan-Atenaica (fig , seção XLII), c ac Deusa correndo (Ártemis ou Hera). c ac

16 PERÍODO HELENÍSTICO Monumentos e outras grandes obras de arte em espaços públicos ainda tinham lugar; o interesse dos cidadãos particulares pela arte, porém, criou um mercado novo e sem precedentes para a arte grega.

17 Embora calcados em modelos clássicos, os artistas helenísticos procuraram representar as emoções humanas e colocar traços cada vez mais realistas e menos idealizados em suas obras chegando, às vezes, até a caricatura. Essas novas tendências são bem marcadas nas estátuas, relevos e grupos escultórios colossais; o interesse pelo nu feminino e pelos retratos aumentou consideravelmente.

18 Afrodite de Melos (Vênus de Milo), c ac Vitória alada de Samotrácia, 190 ac, mármore, alt. 328 cm, encontrada na ilha de Rhodes, Louvre Hagesandros, Athenodoros e Polidoros de Rhodes, Laocoon e seus filhos, c ac, mármore, alt 242 cm, Museu Pio Clementino, Roma

19 AS ORDENS ARQUITETÔNICAS

20 As Ordens Arquitetônicas Os Gregos inventaram três modelos de criação arquitetônica, chamados ordens. As três ordens gregas são: Dórica Jônica Coríntia Cada ordem possuía elementos decorativos adequados a ela. Esses elementos decorativos eram baseados em formas e elementos da natureza, construído de forma racionalizada pela geometria, podendo ser executados em relevos, pintados em afresco ou coloridos com pequenas pedras formando o mosaico.

21 ORDEM DÓRICA Os mais importantes templos da antiga Grécia foram os da ordem dórica. Esses templos eram em geral baixos e maciços. As grossas colunas que lhes davam sustentação não dispunham de base, e o fuste tinha forma acanelada. O capitel, muito simples, terminava numa moldura convexa a um entablamento (sistema de cornijas) formado por uma arquitrave (parte inferior) e um friso de tríglifos (decoração acanelada) entreados por métopas.

22 Paternon Santuário de Afaya em Aegina.

23 A Ordem Dórica foi a primeira e a mais simples das ordens arquitetônicas. Produzia um aspecto robusto e representava a nobreza. O estilo Dórico vem em 1º lugar por representar os primeiros povos a dominar a Grécia. O Fuste ( parte principal da coluna), repousa diretamente sobre o embasamento; O Capitel (acabamento no alto da coluna), é simples; A arquitrave (parte que assenta sobre os capitéis) é larga, maciça, sem rebuscamentos. As colunas tem sulcos de cima a baixo (caneluras). No topo, o equino (peça redonda), para impedir a penetração de água das chuvas. Sobre o equino, o ábaco (peça plana), para distribuir por igual o peso da arquitrave e, sobre esta, apoiadas, as pontas das vigas de madeira do teto, esculpidas com três sulcos (tríglifo). As métopas são as peças decoradas ou simples para preencher o vão. Por final, a cornija (beiral do teto), decorado com peças de cerâmica ao longo das extremidades (acrotério). O equino junto com o ábaco recebe o nome de capitel.

24 As ordens arquitetônicas gregas dividem-se em três partes principais: o entablamento, a coluna e o embasamento

25 Ordem dórica Nas colunas, os materiais usados para as paredes, à princípio, era o adobe e para as colunas, a madeira. A partir do séc. VII a C. (período arcaico), foram substituídos pela pedra e pelo mármore. A Característica mais notável na forma dórica é a curvatura das linhas, que dão aparência de retas, mas na realidade apresentam uma pequena curvatura, eliminando a impressão de divergência das numerosas colunas. Entre os monumentos mais conservados na ordem dórica, destacamos o Partenon.

26 Os mais importantes templos da antiga Grécia foram os da ordem dórica

27 ORDEM JÔNICA Posterior à ordem dórica, a ordem jônica desenvolveu-se a partir do sec.v a.c. na região ocupada pelos Jônios a partir de 1700 a.c. na região de Atenas, atualmente compreendida pela Turquia. Em comparação com a ordem dórica, a divisão fundamental da fachada de um templo jônico era a mesma de um templo dórico. A plataforma, também escalonada, diferenciavase pelo estereóbato dotados de frisos rebaixados inferiores.

28 ORDEM JÔNICA O Capitel introduz também uma novidade: as volutas com elementos decorativos de inspiração orgânica (vegetais ou penteados das mulheres gregas).

29 Características da ordem Jônica: Menos definida do que a dórica. Recebe uma marcante influência oriental, com a adoção de motivos orgânicos no capitel das colunas. Colunas mais delgadas e mais graciosas. As colunas são também mais detalhadas que as dóricas, e recebem um novo elemento, a base, chamada de plinto. Receberam em suas colunas, o estriado com número maior de caneluras.. Base tripla. Capitel em voluta.

30 ORDEM CORÍNTIA A Ordem Coríntia é uma ordem jônica, no sentido de uma maior valorização da ornamentação (final do séc.iv ac.) O nome relativo à Corinto, cidade rival econômica e cultural de Atenas, caracterizada pelo luxo e pelo alto padrão de vida de seus habitantes. A diferença mais marcante da ordem coríntia para a jônica é o capitel das colunas, muito mais elaborado. Tinha a forma básica de um sino invertido, adornado por folhas e brotos de acanto (planta da região). A altura das colunas correspondia a onze vezes o diâmetro, enquanto as jônicas tinham altura de nove vezes o diâmetro.

31 Características da Ordem Coríntia A ordem coríntia era imponente. Empregava maior verticalização. Sua decoração era mais numerosa e requintada, refletindo a suntuosidade. A beleza Clássica, é serena, calma, equilibrada e sem excessos. É voltada para a simplicidade, clareza,equilíbrio, ordem, harmonizando as formas e proporções.

32 Ordens Dórica, Jônica e Coríntia

33 Cariátides Dentro da ordem jônica, existiu uma variante no desenho das colunas, as chamadas cariátides, que eram colunas em forma de mulheres, em homenágem às jovens da região de Cária, na Grécia asiática, que foram escravizadas como parte de um acordo feito com os Persas. O templo de Erecteion, de estilo Jônico, apresenta uma tribuna anexa sustentada por cariátides.

34 TÉCNICAS CONSTRUTIVAS

35 Na construção de templos e edifícios públicos, os arquitetos gregos não usavam material aglutinante para unir as pedras de que se faziam as colunas:estas eram apenas superpostas, mas, apesar dos poucos meios disponíveis para o corte e polimento, se encaixavam com tal precisão que entre uma e outra não há como inserir uma agulha. Os gregos não usavam o arco. Por isso para produzirem efeito, dependiam dos fortes contrastes entre luz e sombra das superfícies horizontais e verticais.

36 Período Geométrico No período geométrico, as casas são de plano irregular e os templos têm planta de vários tamanhos: A: heraion de Argos, c B: templo de Apolo em Prínias, Creta, -625/600. C: segundo templo de Hera em Samos, c D: templo de Apolo em Thermon, c

37 Modelo de templo em terracota do heraion de Argos. O plano do heraion argivo representa, provavelmente, o mais antigo templo dedicado a Hera em Argos. Com exceção das duas colunas diante do pórtico, a planta se assemelha à de uma simples residência.

38 Desenho da reconstrução conjetural do primeiro templo de Hera akraia em Peracora, perto de Corinto. O templo de Hera é um templo períptero (cercado por uma fileira de colunas:o peristilo). O recinto onde ficava a estátua cultual, o naos, é bem alongado.

39 Os materiais de construção preferidos eram o tijolo cru e a madeira, com alguma utilização da pedra. A partir do séc. VI a.c. a utilização de pedra, sobretudo mármore, no templo tornou-se cada vez mais freqüente. Relevos escultóricos passaram a adornar as construções, com motivos florais e figurativos, como no templo de Prínias.

40 Relevos escultórios no templo de Frisos de guerreiros nus à cavalo, armados com escudo e lança. Prínias Figuras esculpidas preenchiam o frontão de cada extremidade da construção, evocava a história de um deus ou herói do lugar, apresentando cenas de ação.

41 Período Arcaico Os capitéis tornaram-se mais elegantes e a ação escultórica dos frontões passou a integrar-se melhor na estrutura arquitetônica. A cor foi amplamente utilizada para vivificar o ornamento em pedra.

42 O Templo O templo obedecia um plano em que se sucedem um pórtico de acesso, a câmara principal com a imagem da divindade e, com frequência, um aposento aos fundos. Uma colunata (peristilo) circunda o conjunto, coberto por um telhado reclinado. Duas filas de colunas dividem, as vezes, a cella numa nave central e duas alas laterais

43

44 Tipos de Templos Segundo número de colunas na fachada Tetrástilo: 4 colunas na fachada; Pentastilo: 5 colunas na fachada; Hexástilo: 6 colunas na fachada; Octastilo ou octostilo: 8 colunas na fachada; Decástilo: 10 colunas na fachada; Dodecástilo:12 colunas na fachada.

45 Segundo número de filas de colunas Monóptero: 1 fila de colunas; Díptero: 2 filas de colunas; Pseudodíptero: similar ao díptero, mas em que as 2 filas de colunas não envolvem todo o templo (por exemplo a fila de colunas interior está embebida nas paredes do naos.).

46 Segundo a distribuição de colunas Períptero: completamente rodeado de colunas. Pseudoperíptero: quando uma fila ou mais de colunas está embebida nas paredes do naos. Prostilo: o templo só tem colunas na fachada. Anfiprostilo: o templo apresenta colunas nas fachadas principal e posterior.

47 Período Clássico Toda a arquitetura clássica caracteriza-se por um senso absoluto de organicidade e equilíbrio, subordinando-se suas proporções à ordem matemática.

48 Período Helenístico Os pórticos multiplicaram-se e as residências são de proporções modestas, mas a partir do séc.iii a.c. tornaram-se luxuosas, as peças são dispostas em torno de um pátio central com peristilo dórico, e decoração em pintura, estuque e mosaico.

1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino

1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino 1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino Contrapondo-se a Egípcia vida pósmortem. Arte grega fundamenta-se na inteligência Os governantes não eram deuses, mas seres mortais Usavam a razão e o senso de

Leia mais

A arquitectura era para os gregos a ciência do número, do ritmo e da harmonia

A arquitectura era para os gregos a ciência do número, do ritmo e da harmonia 1 ARQUITECTURA A arquitectura era para os gregos a ciência do número, do ritmo e da harmonia A arquitectura é considerada uma das mais bela e importante arquitectura da humanidade que influenciou e inspirou

Leia mais

ARTE NA GRÉCIA: Arcaico, Clássico e Helenístico. Professora: Grasiela Morais.

ARTE NA GRÉCIA: Arcaico, Clássico e Helenístico. Professora: Grasiela Morais. ARTE NA GRÉCIA: Arcaico, Clássico e Helenístico. Professora: Grasiela Morais. ARTE NA GRÉCIA: Arcaico, Clássico e Helenístico. A arte e a arquitetura gregas de 750 a. C. até o surgimento dos romanos tiveram

Leia mais

Arte 1º. Ano do Ensino Médio. Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico).

Arte 1º. Ano do Ensino Médio. Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico). Arte 1º. Ano do Ensino Médio 1º. Trimestre - Conteúdo Avaliativo: Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico). Períodos Artísticos: Pré-História/Idade Antiga

Leia mais

A arte na Grécia. Capítulo 3

A arte na Grécia. Capítulo 3 A arte na Grécia Capítulo 3 Por volta do século X a. C, os habitantes da Grécia continental e das ilhas do mar Egeu formavam pequenas comunidades, distantes umas das outras, e falavam diversos dialetos.

Leia mais

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO Aula 3.2-2 1. A Anunciação é uma das obras mais conhecidas de Leonardo da Vinci. Feita por volta do ano de 1472, ela retrata uma das cenas bíblicas mais famosas de todos os tempos. Escreva nas linhas abaixo

Leia mais

ARTE PROTO-GREGA, GREGA E HELENÍSTICA

ARTE PROTO-GREGA, GREGA E HELENÍSTICA ARTE PROTO-GREGA, GREGA E HELENÍSTICA Arte Proto-Grega A arte Proto-Grega também é conhecida como Creto-Micênica. Na Ilha de Creta, no Mar Egeu, desenvolveu-se uma civilização que deixou como principal

Leia mais

Arte Pré Histórica Bisão da Gruta de Altamira Bisão da Gruta de Altamira Réplica Museu Arqueológico Nacional da Espanha Espanha

Arte Pré Histórica Bisão da Gruta de Altamira Bisão da Gruta de Altamira Réplica Museu Arqueológico Nacional da Espanha Espanha Estes textos são produzidos sob patrocínio do Departamento Cultural da Clínica Naturale.Direitos são reservados. A publicação e redistribuição de qualquer conteúdo é proibida sem prévio consentimento.

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Aula 4. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Aula 4. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS ARTES 1º semestre / 2012 Aula 4 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com 1 ANTIGUIDADE OCIDENTAL ARTE ANTIGA: ROMANA 2 Roma Antiga Extensão máxima território

Leia mais

Arte da Grécia Antiga

Arte da Grécia Antiga Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes História e Cultura das Artes Ano Lectivo 2007/08 - Módulo 1 A Cultura da Ágora Arte da Grécia Antiga Vaso grego, 500-490 a.c., Louvre, Paris. Introdução

Leia mais

Arte Romana. 1º Ano Artes. Professor Juventino 2015

Arte Romana. 1º Ano Artes. Professor Juventino 2015 Arte Romana 1º Ano Artes Professor Juventino 2015 Arte Romana A soberania do Império Romano, sem paralelos na história, estendia-se da Espanha ao sul da Rússia, da Inglaterra ao Egito e em seu apogeu absorveu

Leia mais

neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura

neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura A arquitectura neoclássica De acordo com os ideais iluministas, os arquitectos neoclássicos responderam às necessidades do seu tempo com originalidade e engenho,

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br Porque construir? Necessidade de se

Leia mais

MÓDULO 02. Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção. arquiteto@renatopaldes.arq.br

MÓDULO 02. Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção. arquiteto@renatopaldes.arq.br MÓDULO 02 Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção arquiteto@renatopaldes.arq.br Uso da Pedra Primeiras manifestações Stonehenge 3.300 AC. Antigo Egito Encontrados blocos

Leia mais

Antiguidade Clássica: Grécia

Antiguidade Clássica: Grécia Antiguidade Clássica: Grécia Localização Localização Localização Período Creto-Micênico (XX a. C. XII a. C) Pinturas no palácio de Cnossos em Micenas Período Creto-Micênico (XX a. C. XII a. C) Escrita

Leia mais

ARTE PRÉ-COLOMBIANA: nas artes, a arquitetura e a escultura foram dominantes. A pintura e o desenho foram relativamente apagados.

ARTE PRÉ-COLOMBIANA: nas artes, a arquitetura e a escultura foram dominantes. A pintura e o desenho foram relativamente apagados. ARTE PRÉ-COLOMBIANA: nas artes, a arquitetura e a escultura foram dominantes. A pintura e o desenho foram relativamente apagados. Três principais civilizações: Maias; Astecas; Incas. Civilização Maia:

Leia mais

1 substituição do teto de madeira por abóbadas. 2 grande espessura das paredes,

1 substituição do teto de madeira por abóbadas. 2 grande espessura das paredes, Arte românica é o nome dado ao estilo artístico vigente na Europa entre os séculos XI e XIII. O estilo é visto principalmente nas igrejas católicas construídas após a expansão do cristianismo pela Europa

Leia mais

Antiguidade Ocidental (Arte Grega)

Antiguidade Ocidental (Arte Grega) Antiguidade Ocidental (Arte Grega) PERÍODOS ARCAÍCO E CLÁSSICO CIVILIZAÇÃO GREGA - SURGIMENTO No séc. XX a.c., os povos indo-europeus dominaram a região de ilhas correspondentes ao território grego ; Como

Leia mais

Coleguium -3ºEM 1ª etapa

Coleguium -3ºEM 1ª etapa Coleguium -3ºEM 1ª etapa CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA: - Desenvolvida às margens do Nilo, na África; - Organização social complexa e rica em realizações culturais; - Escrita bem estruturada; Hieróglifos na parede

Leia mais

GRÉCIA. História da Arte Denise Dalle Vedove

GRÉCIA. História da Arte Denise Dalle Vedove GRÉCIA História da Arte Denise Dalle Vedove O EGEU Se navegarmos o delta do Nilo e cruzarmos o Mediterrâneo em direção noroeste, nosso primeiro relance da Europa será a extremidade oriental de Creta. Mais

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL CESÁRIO COIMBRA

ESCOLA ESTADUAL CESÁRIO COIMBRA ESCOLA ESTADUAL CESÁRIO COIMBRA No dia dois de Dezembro de 1.910, foi assinado contrato entre a câmara municipal e o senhor Francisco Leonardo Cerávolo, para a construção do prédio do grupo escolar. Aos

Leia mais

Antiguidade século IV. Arte Bizantina

Antiguidade século IV. Arte Bizantina Antiguidade século IV Arte Bizantina Na Antiguidade, além da arte Egípcia e Grega, também encontram-se a Romana, Paleocristã e Bizantina... Enquanto os romanos desenvolviam uma arte colossal e espalhavam

Leia mais

Os gregos tinham um clima instável. O meio de comunicação privilegiado dos gregos era o mar, como tal, faziam muito comercio.

Os gregos tinham um clima instável. O meio de comunicação privilegiado dos gregos era o mar, como tal, faziam muito comercio. ATENAS *Cidade-estado: É um território independente, com população própria, com uma forma de governo, deve ser auto-suficiente (ideal de autarcia), com leis próprias, e com um sistema religioso organizado.

Leia mais

ARTE PRÉ-HISTÓRICA. IDADE DOS METAISaproximadamente 5.000 a 3.500 a.c. aparecimento de metalurgia; invenção da roda;

ARTE PRÉ-HISTÓRICA. IDADE DOS METAISaproximadamente 5.000 a 3.500 a.c. aparecimento de metalurgia; invenção da roda; ARTE PRÉ-HISTÓRICA PALEOLÍTICO INFERIOR aproximadamente 5.000.000 a 25.000 a.c.; controle do fogo; e instrumentos de pedra e pedra lascada, madeira e ossos: facas, machados. PALEOLÍTICO SUPERIOR instrumentos

Leia mais

ARTE NO EGITO ANTIGO

ARTE NO EGITO ANTIGO ARTE NO EGITO ANTIGO Ao longo do rio Nilo e principalmente na região norte - o Delta - ; e na região sul dos rios Eufrates e Tigre, desenvolveram-se as primeiras civilizações. No Egito desenvolveu-se um

Leia mais

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves História da Arquitetura 2008 O Concurso O Grand Palais começou a ser construído em 1897 para abrigar a Exposição Universal de 1900, envolvendo um complexo processo

Leia mais

SETE MILÊNIOS EM SETE MINUTOS Sob a luneta arquitetônica

SETE MILÊNIOS EM SETE MINUTOS Sob a luneta arquitetônica SETE MILÊNIOS EM SETE MINUTOS Sob a luneta arquitetônica Prof. Marco Pádua O período conhecido como pré-história, ou seja, sem registro dos acontecimentos, situa-se a partir de 8.000 a.c. Chamado de Neolítico

Leia mais

Arte Cristã Primitiva

Arte Cristã Primitiva Arte Cristã Primitiva 1º Ano 1º Bimestre 2015 A clandestinidade Dois Momentos 1º - Clandestino e perseguidos pelos romanos 2 - Aceitação da religião cristã Os primeiros cristãos de origem humilde, reuniam-se

Leia mais

despertar da arte grega

despertar da arte grega 2 O despertar da arte grega A cultura grega, ao contrário da tradição de outras civilizações antigas, valorizava extremamente o homem e, por esse motivo, até mesmo os deuses passaram a ser representados

Leia mais

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL DISCIPLINA: ARTE PROFESSORA: Cristiana de Souza DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 6º ANO TURMA: ALUNO (A): RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL Nº: 01.

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA Agenda A história da Engenharia ; As sete maravilhas do mundo antigo; Mesopotâmia A Mesopotâmia nome grego que significa "entre rios" (meso - pótamos) era localizada no Oriente Médio, delimitado entre

Leia mais

Introdução. Localização

Introdução. Localização Introdução A civilização grega surgiu entre os mares Egeu, Jônico e Mediterrâneo, por volta de 2000 AC. Formou-se após a migração de tribos nómadas de origem indo-europeia, como, por exemplo, aqueus, jônios,

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 6 o ano Unidade 6 5 Unidade 6 Nome: Data: 1. Observe o mapa e responda às questões. A GRÉCIA NO SÉCULO VIII A.C. MAR JÔNICO ILÍRIA ÉPIRO ETÓLIA MACEDÔNIA TESSÁLIA CALCÍDIA

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO TEXTO O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização européia que se desenvolveu entre 1300 e 1650. Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram nesse

Leia mais

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I União Educacional do Norte Faculdade Uninorte Professora: Edinete Oliveira Arquiteta e Urbanista Tema: A ignorância da Arquitetura & As várias idades do

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012 Aula 5 26/03/2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012 Aula 5 26/03/2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS S 1º semestre / 2012 Aula 5 26/03/2012 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com IDADE MÉDIA Idade Antiga (Antiguidade) Idade Média (Era Medieval) c ESCRITA

Leia mais

Locais a Visitar na Vila de Almodôvar

Locais a Visitar na Vila de Almodôvar Locais a Visitar na Vila de Almodôvar Igreja Matriz de Almodôvar A matriz é o monumento mais visitado do Concelho de Almodôvar e é dedicada a Santo Ildefonso, sendo que D. Dinis doou-a à Ordem de Santiago,

Leia mais

ARTE PALEOCRISTÃ PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS. Arte Paleocristã Arte Bizantina Arte Islâmica - ESPIRITUALIDADE

ARTE PALEOCRISTÃ PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS. Arte Paleocristã Arte Bizantina Arte Islâmica - ESPIRITUALIDADE Arte Paleocristã Arte Bizantina Arte Islâmica ARTE PALEOCRISTÃ ARTE PALEOCRISTÃ Também chamada de Arte das Catacumbas, desenvolveu-se dentro do Império Romano, quando surgiram os primeiros núcleos cristãos.

Leia mais

A arte no Egito. ~1ll!DI Visão frontal e visão. A arquitetura. o mais antigo documento egípcio é esse pedaço de estela

A arte no Egito. ~1ll!DI Visão frontal e visão. A arquitetura. o mais antigo documento egípcio é esse pedaço de estela 14 Ca ítulo 2 A arte no Egito civilizações da Antiguidade e nos deixou uma produção cultural riquíssima. OEgito Temosdesenvolveu informações uma detalhadas das principais sobre essa cultura graças à sua

Leia mais

História da Arte - Linha do Tempo

História da Arte - Linha do Tempo História da Arte - Linha do Tempo PRÉ- HISTÓRIA (1000000 A 3600 a.c.) Primeiras manifestações artísticas. Pinturas e gravuras encontradas nas paredes das cavernas. Sangue de animais, saliva, fragmentos

Leia mais

Na mitologia grega, Tirésias foi sucessivamente homem e mulher. Segundo a mitologia grega, Tirésias era um profeta de Tebas que ficou cego ao ver a

Na mitologia grega, Tirésias foi sucessivamente homem e mulher. Segundo a mitologia grega, Tirésias era um profeta de Tebas que ficou cego ao ver a Na mitologia grega, Tirésias foi sucessivamente homem e mulher. Segundo a mitologia grega, Tirésias era um profeta de Tebas que ficou cego ao ver a nudez de Atena. O Mito conta que ao ir orar sobre um

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS ARTES 1º semestre / 2012 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com 1 Pré História PRÉ-HIST HISTÓRIA 2 Pré História PALEOLÍTICO (35mil anos atrás) Datam

Leia mais

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de História da Cultura e das Artes 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 724/1.ª Fase 14 Páginas Duração da Prova:

Leia mais

Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Artes Visuais

Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Artes Visuais Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Campus São Cristóvão II Coordenador pedagógico de Disciplina: Shannon Botelho 7º ano. TURMA: NOME: nº ARTE PÁLEO-CRISTÃ OU DAS CATACUMBAS Surgiu com os primeiros

Leia mais

A ARTE NA GRÉCIA. Não devia ser somente parecida com o modelo, mas devia ser um objeto belo em si mesmo. EVOLUÇÃO DA ESCULTURA:

A ARTE NA GRÉCIA. Não devia ser somente parecida com o modelo, mas devia ser um objeto belo em si mesmo. EVOLUÇÃO DA ESCULTURA: ARTES / 3º ANO Professor: MÍLTON COELHO Características gerais: Sofreram influência dos Egípcios e do Oriente Próximo, copiando o ato de pintar e esculpir, que mais tarde iriam superar. Convicção de que

Leia mais

História da Arte. Exercícios de Sala de Aula

História da Arte. Exercícios de Sala de Aula História da Arte Exercícios de Sala de Aula A arte é um conjunto de procedimentos que são utilizados para realizar obras, e no qual aplicamos nossos conhecimentos. Apresenta-se sob variadas formas como:

Leia mais

Os Gregos no século V a.c.

Os Gregos no século V a.c. Os Gregos no século V a.c. Localização temporal A Grécia tem um passado muito remoto. O período que vamos estudar é o período clássico ou civilização clássica: 482 a.c até 323 a.c. Localização espacial

Leia mais

Sumário A História da Arte... 2

Sumário A História da Arte... 2 Sumário A História da Arte... 2 Arte Pré-Histórica... 2 A Arte do Paleolítico Superior... 3 A Arte do Neolítico... 4 Arte no Egito... 7 A Arte na Grécia... 12 A Arte na Roma... 17 Referências Bibliográficas...

Leia mais

De Creta a Micenas. As Origens do Mundo Grego

De Creta a Micenas. As Origens do Mundo Grego De Creta a Micenas As Origens do Mundo Grego 1 O início da História Entre os séculos XX a.c. e XVI a.c., floresceu em Creta, a maior ilha do Mediterrâneo, uma brilhante civilização, que influenciou a desenvolvida

Leia mais

Nome: nº. Data: / / Trabalho de recuperação 1º EM Arte Prof. Denise ARTE GREGA. QUESTÃO 01 Sobre a arte feita na Grécia antiga marque a alternativa

Nome: nº. Data: / / Trabalho de recuperação 1º EM Arte Prof. Denise ARTE GREGA. QUESTÃO 01 Sobre a arte feita na Grécia antiga marque a alternativa 1 Nome: nº Data: / / Trabalho de recuperação 1º EM Arte Prof. Denise ARTE GREGA QUESTÃO 01 Sobre a arte feita na Grécia antiga marque a alternativa correta: a- ( ) Os gregos não produziram pinturas. b-

Leia mais

Arte na antiguidade: Roma. Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr. http://www.mural-2.com

Arte na antiguidade: Roma. Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr. http://www.mural-2.com Arte na antiguidade: Roma Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr. http://www.mural-2.com INFLUÊNCIAS: arte etrusca - voltada para a expressão da arte vivida (destaque para o uso de arcos e abóbadas nas construções)

Leia mais

MUSEU DO LOUVRE. REVISTA LOUVRE Museus de Arte

MUSEU DO LOUVRE. REVISTA LOUVRE Museus de Arte REVISTALOUVRE MuseusdeArte MUSEU DO LOUVRE O"Castelo do Louvre" foi fundado pelo rei Filipe II em 1190, como uma fortaleza para defender Paris a oeste contra os ataques dos Vikings. No século XIV, o rei

Leia mais

BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX

BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX Campus São Cristóvão II Coordenador pedagógico de disciplina: Shannon Botelho 8º ano. TURMA: NOME: nº BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX O barroco brasileiro desenvolve-se principalmente em Minas Gerais,

Leia mais

Arquitetura: do repertório à prática

Arquitetura: do repertório à prática Arquitetura: do repertório à prática Arquiteto: - tecton, em grego, designava um artífice ligado à construção de objetos por junção de peças; - arqui, prefixo que indica superioridade. Arquitetura: Aurélio:

Leia mais

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Montanhas e costas marítimas; Mar Mediterrâneo, Mar Egeo e Mar Jônico. Costa bastante recortada com 80% de montanhas; Grande numero de Ilhas; Formação

Leia mais

Arquiteto André Luque - Linha Cores Lisas B30 CATÁLOGO COLORMIX

Arquiteto André Luque - Linha Cores Lisas B30 CATÁLOGO COLORMIX CATÁLOGO 2009 Arquiteto André Luque - Linha Cores Lisas B30 CATÁLOGO COLORMIX PASTILHAS DE VIDRO E PORCELANA 04 16 20 28 34 44 48 58 66 76 Linha Cores Lisas Linha Mármore Linha Ouro Linha Dubai Linha Murano

Leia mais

Panorama dos pré-socráticos ao helenismo

Panorama dos pré-socráticos ao helenismo Panorama dos pré-socráticos ao helenismo Heidi Strecker* A filosofia é um saber específico e tem uma história que já dura mais de 2.500 anos. A filosofia nasceu na Grécia antiga - costumamos dizer - com

Leia mais

ORIENTAÇÃO INICIAL DE ARTE ENSINO FUNDAMENTAL

ORIENTAÇÃO INICIAL DE ARTE ENSINO FUNDAMENTAL ORIENTAÇÃO INICIAL DE ARTE ENSINO FUNDAMENTAL Caro aluno (a), seja bem-vindo (a). Você está iniciando uma nova etapa em sua vida: seus estudos. Juntos estaremos, iniciando o curso de ARTE. É importante

Leia mais

ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA HISTÓRIA DA ARTE. Colégio Einstein. A evolução do conhecimento. Aluno (a): 9º ano: A [ ] B [ ] Professor: Lucas Salomão

ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA HISTÓRIA DA ARTE. Colégio Einstein. A evolução do conhecimento. Aluno (a): 9º ano: A [ ] B [ ] Professor: Lucas Salomão HISTÓRIA DA ARTE Aluno (a): Professor: Lucas Salomão Data: / /2015 9º ano: A [ ] B [ ] ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA Há milhares de anos os povos antigos já se manifestavam artisticamente. Embora ainda não conhecessem

Leia mais

sociedade e cultura 1 Roma e suas heranças

sociedade e cultura 1 Roma e suas heranças 4 Arte romana: poder, sociedade e cultura A partir da expansão dos grandes impérios antigos e da circulação dos povos por toda a porção conhecida do mundo naquela época, fica difícil falar em culturas

Leia mais

Arte Românica e Gótica. 6º Ano 2015 Artes Professor Juventino

Arte Românica e Gótica. 6º Ano 2015 Artes Professor Juventino Arte Românica e Gótica 6º Ano 2015 Artes Professor Juventino Arte Românica O estilo românico germinou, desde o final do século X até XIII. Sua denominação foi dada por arqueólogos do século XIX, quando

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO ROMANO

ARQUITETURA E URBANISMO ROMANO ARQUITETURA E URBANISMO ROMANO A tipologia residência O DOMUS A Domus é a residência urbana das famílias abastadas na Roma Antiga, e, portanto, na sua maioria, das patrícias, nome pela qual é denominada

Leia mais

5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL

5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL 57 5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL O conjunto arquitetônico da residência de Antônio de Rezende Costa, que hoje abriga a Escola Estadual Enéas de Oliveira Guimarães foi pelos autores do presente

Leia mais

RENASCIMENTO em Florença. Prof. Dr. Percival Tirapeli

RENASCIMENTO em Florença. Prof. Dr. Percival Tirapeli RENASCIMENTO RENASCIMENTO EM em Florença FLORENÇA E MILÃO Prof. Dr. Percival Tirapeli As cidades medievais eram construídas sobre cumes com muralhas. As cidades renascentistas eram cortadas por rios e

Leia mais

FICHA DE INVENTÁRIO 2.CARACTERIZAÇÃO

FICHA DE INVENTÁRIO 2.CARACTERIZAÇÃO FICHA DE INVENTÁRIO 1.IDENTIFICAÇÃO Designação- Imóvel Local/Endereço- Rua dos Coutinhos, Nº2 a 6 Freguesia- Sé Nova Concelho- Distrito- 2.CARACTERIZAÇÃO Função Origem Habitação Função Actual Habitação

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE Da Pré-história ao Barroco. Professora: Vanessa Oliveira Arte 1ª série Ensino Médio

HISTÓRIA DA ARTE Da Pré-história ao Barroco. Professora: Vanessa Oliveira Arte 1ª série Ensino Médio HISTÓRIA DA ARTE Da Pré-história ao Barroco Professora: Vanessa Oliveira Arte 1ª série Ensino Médio O contexto de uma imagem nos apresenta o cenário geral em que ela foi produzida, sua função e o impacto

Leia mais

CIVILIZAÇÃO MAIA 1000 a.c. a 1500 d.c.

CIVILIZAÇÃO MAIA 1000 a.c. a 1500 d.c. CIVILIZAÇÃO MAIA 1000 a.c. a 1500 d.c. Os espanhóis que em 1519 chegaram à região do atual México, não puderam esconder seu espanto diante do que viram. Naquela época, muitas histórias sobre fantásticas

Leia mais

Antropocentrismo (do grego anthropos, "humano"; e kentron, "centro") é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do

Antropocentrismo (do grego anthropos, humano; e kentron, centro) é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do ARTE GÓTICA A Arte Gótica se desenvolveu na Europa entre os séculos XII e XV e foi uma das mais importantes da Idade Média, junto com a Arte Românica. Ela teve grande influencia do forte Teocentrismo (O

Leia mais

A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a

A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a difusão de variadas formas artísticas inspiradas no mundo

Leia mais

ARTE GÓTICA. História da Arte Profª Denise Dalle Vedove

ARTE GÓTICA. História da Arte Profª Denise Dalle Vedove ARTE GÓTICA História da Arte Profª Denise Dalle Vedove Introdução A Idade Média foi um dos períodos mais longos da história : durou cerca de dez séculos.iniciouse no ano 476, com a ocupação de Roma pelos

Leia mais

RENASCIMENTO ITALIANO

RENASCIMENTO ITALIANO ARTES / 2º ANO PROF.MÍLTON COELHO RENASCIMENTO ITALIANO Contexto histórico O termo significa reviver os ideais greco-romanos; na verdade o Renascimento foi mais amplo, pois aumentou a herança recebida

Leia mais

A designação "Românico" é uma convenção do século XIX e significa "semelhante ao Romano. Termo usado originalmente para a arquitetura se referia à

A designação Românico é uma convenção do século XIX e significa semelhante ao Romano. Termo usado originalmente para a arquitetura se referia à ARTE NA IDADE MÉDIA ARTE ROMÂNICA A designação "Românico" é uma convenção do século XIX e significa "semelhante ao Romano. Termo usado originalmente para a arquitetura se referia à semelhança entre as

Leia mais

PSVS/UFES 2013 HISTÓRIA DA ARTE. Observe a imagem 1 para responder à questão de nº 1. 1ª QUESTÃO

PSVS/UFES 2013 HISTÓRIA DA ARTE. Observe a imagem 1 para responder à questão de nº 1. 1ª QUESTÃO HISTÓRIA DA ARTE Observe a imagem 1 para responder à questão de nº 1. Imagem 1 - Desenho, segundo Badawy. (Fonte: JANSON, H.W. História da Arte. 4. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1989, p. 59).

Leia mais

Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Artes Visuais

Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Artes Visuais Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Campus São Cristóvão II Coordenador Pedagógico de disciplina: Shannon Botelho 6º ano. TURMA 603 NOME: nº ARTE DA PRÉ-HISTÓRIA As primeiras manifestações artísticas

Leia mais

Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2

Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 3ª Etapa 2014 Disciplina: História Professor (a): Rodrigo Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

IDADE MÉDIA ARTE GÓTICA

IDADE MÉDIA ARTE GÓTICA IDADE MÉDIA ARTE GÓTICA A partir do século XII, após as cruzadas, tem início na Europa uma economia fundamentada no comércio. Isso faz com que o centro da vida social se desloque do campo para a cidade

Leia mais

Roteiros Turísticos. [arte colonial]

Roteiros Turísticos. [arte colonial] Roteiros Turísticos [arte colonial] Ouro Preto [Arte Colonial] A Praça Tiradentes é o ponto central da cidade, como se fosse um divisor. A partir dela, podem-se programar as visitas. Como Ouro Preto possui

Leia mais

Grupo I. 1. Observe a Figura 1. 1.1. Selecione a opção correta referente aos autores do projeto de arquitetura do Partenon.

Grupo I. 1. Observe a Figura 1. 1.1. Selecione a opção correta referente aos autores do projeto de arquitetura do Partenon. 824 HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES Prova escrita PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Ano: 2014 2ª fase - Junho 12º ano Duração: 120 min Grupo I 1. Observe a Figura 1. Figura 1 Partenon, Acrópole, Atenas,

Leia mais

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Cidadania Democracia Filosofia Geometria Teatro Período Pré-Homérico (2800 1100 a. C.) povoamento da Grécia. Período Homérico (1100 800 a. C.) poemas

Leia mais

Lincoln Memorial Washington D.C., EUA

Lincoln Memorial Washington D.C., EUA Lincoln Memorial Washington D.C., EUA Lincoln Memorial Abraham Lincoln ocupa um lugar único na história dos Estados Unidos: ele não só salvou a União, como também revigorou o princípio fundador da nação

Leia mais

FRAGMENTOS DA ARTE CLÁSSICA NO ESPELHO DO SÉCULO XIX: UMA ALUSÃO À ARQUITETURA Por Adriana Medeiros (UERJ)

FRAGMENTOS DA ARTE CLÁSSICA NO ESPELHO DO SÉCULO XIX: UMA ALUSÃO À ARQUITETURA Por Adriana Medeiros (UERJ) FRAGMENTOS DA ARTE CLÁSSICA NO ESPELHO DO SÉCULO XIX: UMA ALUSÃO À ARQUITETURA Por Adriana Medeiros (UERJ) RESUMO: O espelho da arte clássica se multiplicou em fragmentos e influenciou a arquitetura grega

Leia mais

História Ilustrada da Arte volume 1. Marcos Faber www.historialivre.com

História Ilustrada da Arte volume 1. Marcos Faber www.historialivre.com História Ilustrada da Arte volume 1 Marcos Faber www.historialivre.com O Renascimento foi um movimento intelectual e cultural que iniciou na Itália, por volta do século XIV, como resultado das relações

Leia mais

Bens roubados no Peru

Bens roubados no Peru Bens roubados no Peru Total: 21 peças Data do desaparecimento: 28 de agosto de 2015 Tipo de bem: Artefatos arqueológicos Acervo ao qual pertence: Museu Arqueológico José Maria Morante Maldonado, Universidade

Leia mais

MUNDO EGEU. Mar. Continental. Ilhas Cíclades. Creta. Civilização Cicládica. Civilização Minoica (Creta)

MUNDO EGEU. Mar. Continental. Ilhas Cíclades. Creta. Civilização Cicládica. Civilização Minoica (Creta) MUNDO EGEU Mar Grécia Continental Creta Egeu Ilhas Cíclades Ásia Menor Civilização Cicládica Civilização Minoica (Creta) Civilização Micénica (Heládica) continente grego Influências Recebidas: Grécia Arcaica

Leia mais

Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura,

Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura, Infinite Cursos. Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura, em geral caracterizado por possuir um

Leia mais

Azulejo Coleção do Museu de Évora

Azulejo Coleção do Museu de Évora Azulejo Coleção do Museu de Évora De facto, é a força cenográfica da arte do Azulejo, a sua disponibilidade para animar espaços arquitetónicos (vejam-se os revestimentos integrais de padronagem do século

Leia mais

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Aluno (a): Série:

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Aluno (a): Série: COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO Aluno (a): Série: Nº. Data: / /2012 Professor(a): Rosilene Ardengui 7º Ano CALIGRAFIA TÉCNICA OU

Leia mais

A PRÉ-HISTÓRIA. Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita.

A PRÉ-HISTÓRIA. Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita. A PRÉ-HISTÓRIA Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita. PERÍODO PALEOLÍTICO OU IDADE DA PEDRA LASCADA No começo de sua trajetória, o homem usou sobretudo a pedra (além do

Leia mais

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Neoclássico França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Definição Neoclássico Movimento cultural dado no século

Leia mais

Chope na Ilha. Rústico aconchego. c a s e. Da Redação A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM

Chope na Ilha. Rústico aconchego. c a s e. Da Redação A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM c a s e Chope na Ilha Da Redação Rústico aconchego A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM da capital paulista, acaba de ganhar uma casa que oferece serviços e ambientes de restaurante, choperia e estar.

Leia mais

A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA. Profº Alexandre Goicochea História

A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA. Profº Alexandre Goicochea História A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA Profº Alexandre Goicochea História ORIGENS O mundo grego antigo ocupava além da Grécia, a parte sul da península Balcânica, as ilhas do mar Egeu, a costa da Ásia Menor, o

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

LEGADOS / CONTRIBUIÇÕES. Democracia Cidadão democracia direta Olimpíadas Ideal de beleza Filosofia História Matemática

LEGADOS / CONTRIBUIÇÕES. Democracia Cidadão democracia direta Olimpíadas Ideal de beleza Filosofia História Matemática LEGADOS / CONTRIBUIÇÕES Democracia Cidadão democracia direta Olimpíadas Ideal de beleza Filosofia História Matemática GEOGRAFIA, ECONOMIA E POLÍTICA Terreno montanhoso Comércio marítimo Cidades-estado

Leia mais

2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi

2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi 30 2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi convidado para projetar o Hotel Imperial em Tóquio, no Japão. A obra deveria

Leia mais

As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império romano.

As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império romano. Trabalho realizado por: Luís Bernardo nº 100 8ºC Gonçalo Baptista nº 275 8ºC Luís Guilherme nº 358 8ºC Miguel Joaquim nº 436 8ºC Índice; Introdução; As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império

Leia mais

MONARQUIA REPÚBLICA IMPÉRIO Governo de reis Governo de senadores Governo de imperadores 753 a.c. 509 a.c. 27 a.c. 476 d.c.

MONARQUIA REPÚBLICA IMPÉRIO Governo de reis Governo de senadores Governo de imperadores 753 a.c. 509 a.c. 27 a.c. 476 d.c. GUIA DE ESTUDO IMPÉRIO ROMANO e.g. ROMA E O SEU IMPÉRIO NOS SÉCULOS I E II 1. Escreve no mapa: Roma, Atenas, Conímbriga, Cartago, HISPÂNIA, ITÁLIA, GÁLIA, EGITO, ÁFRICA, OCEANO ATLÂNTICO, Mar Mediterrâneo,

Leia mais

BARROCO. Pintura. 8º Ano Artes 2º bimestre

BARROCO. Pintura. 8º Ano Artes 2º bimestre 8º Ano Artes 2º bimestre BARROCO A arte barroca desenvolveu-se no século XVII, num período muito importante da história da civilização ocidental, pois nele ocorreram mudança que deram nova feição à Europa

Leia mais

DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Dispõe sobre a atualização do artigo 1º, da Lei da Lei Complementar nº 241 de 24 de Fevereiro de 2015, onde trata da Tabela nº 05, Anexo II - Planta Genérica

Leia mais

A arte da Europa Ocidental no início da Idade Média

A arte da Europa Ocidental no início da Idade Média Natal, RN / /2014 ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 7º D V DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - III 1º trimestre TATIANE A arte da Europa Ocidental no início

Leia mais

Entre o século XI e o início do século XIV houve a retomada do crescimento demográfico na Europa Ocidental. Os dados permitem uma visão mais clara

Entre o século XI e o início do século XIV houve a retomada do crescimento demográfico na Europa Ocidental. Os dados permitem uma visão mais clara ARQUITETURA GÓTICA O período conhecido por Baixa Idade Média, que se estendeu dos séculos X ao XV, foi marcado por profundas transformações na sociedade, as quais conduziram à superação das estruturas

Leia mais