GRÉCIA. História da Arte Denise Dalle Vedove

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GRÉCIA. História da Arte Denise Dalle Vedove"

Transcrição

1 GRÉCIA História da Arte Denise Dalle Vedove

2 O EGEU Se navegarmos o delta do Nilo e cruzarmos o Mediterrâneo em direção noroeste, nosso primeiro relance da Europa será a extremidade oriental de Creta. Mais além, encontramos um pequeno grupo de ilhas dispersas, as Cidades, e, um pouco mais adiante, o continente grego voltado para a costa da Ásia Menor, localizado do outro lado do mar Egeu. Para os arqueólogos, Egeu não é apenas um termo geográfico; adotaram-no para designar as civilizações que floresceram nessa área durante o terceiro e segundos milênios a.c., antes do desenvolvimento da civilização grega propriamente dita. Existem três, intimamente

3 Relacionadas, embora distintas entre si: a de Creta, chamada minóica devido ao lendário rei cretense Minos; a das pequenas ilhas ao norte de Creta (Cicladense), e a do continente grego (heládica). Cada uma delas foi, por sua vez, dividida em três fases: Antiga, Média e Recente, que correspondem, de forma muito aproximada, ao Antigo, Médio e Novo Impérios do Egito. Os remanescentes mais importantes e as maiores realizações artísticas datam da última parte da Fase Média e da Fase Recente.

4 Arte Cicladense O povo que habitava as Ilhas Cíclades entre cerca de 2600 e 1100 a.c. quase não deixou vestígios, além de seus modestos túmulos de pedra. As coisas que enterravam junto com os seus mortos são admiráveis em apenas um aspecto: incluem um grande número de ídolos de mármore, de um tipo particularmente interessante. Quase todos representam a figura de um nu feminino em pé, com os braços cruzados à altura do tórax, supostamente a deusa-mãe da fertilidade, que já conhecemos na Ásia Menor e do antigo Oriente Próximo, cuja linhagem remonta ao Paleolítico. Também compartilham uma forma característica

5 que, à primeira vista, faz lembrar as qualidades angulosas e abstratas de escultura primitiva: o formato sem relevos e cuneiforme do corpo, o pescoço e em forma de coluna e o escudo oval e inclinado do rosto, onde o único traço marcante é o nariz alongado e em forma de crista.

6 Ídolo cicládico, de Amorgos

7

8

9

10

11

12 Arte Minóica A arte minóica é sem dúvida a mais rica, bem como a mais estranha, do mundo egeu. O caráter da arte minóica, que é alegre, até mesmo brincalhão, e cheio de movimento rítmico apareceu e desapareceu tão abruptamente que seu destino deve ter sido determinado por forças externas sobre as quais, pouco ou nada sabemos. A primeira dessas mudanças inesperadas ocorreu por volta de 2000 a.c., quando os cretenses criaram não apenas o seu próprio sistema de escrita, mas também uma civilização urbana, centrada em vários grandes palácios. Pelo menos três deles, Cnosso (Palácio de Minos), Festo e Mália.

13

14 * As paredes de seus palácios eram decoradas com pinturas, onde constava guerreiros, cenas de caça e desfiles de carros.

15

16 Além das cores aplicadas sobre elementos arquitetônicos, as colunas possuem uma forma peculiar de fuste, pois iniciam estreitos junto à base e vão se alargando à medida que atingem o capitel.

17

18 Muito da decoração seguia cenas da natureza que mostravam animais e pássaros em meio a uma vegetação luxuriante. A vida marinha (como pode ser visto no afresco com o peixe e o golfinho) era também um dos temas favoritos da pintura minóica.

19

20

21

22

23

24

25

26

27 O Afresco do toureiro, o maior e mais dinâmico dos murais minóicos até hoje recuperados. O que vemos não é uma tourada, mas um jogo ritual em que os participantes saltam sobre as costas do animal. Dois dos atletas de cintura esbelta são mulheres, diferenciadas pela cor da pele mais clara. O touro era um animal sagrado. Cenas como essa ainda ecoam na lenda grega dos jovens e virgens sacrificados ao Minotauro.

28

29

30

31 A técnica na pintura mostra uma influência egípcia, decorrente das relações comerciais. As convenções estilísticas têm certa similitude: olhos de frente em uma cabeça de perfil, ancas ainda mais estreitas e ombros ainda mais largos. As cores possuem convenções simples: o homem é vermelho e a mulher branca.

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44 Arte Micênica O período da arte micênica inicia-se por volta de 1400 a.c., época em que se acredita ter sido destruído o palácio de Cnossos, chegando ao fim por volta de 1100 a.c., quando da invasão dórica da Grécia. ( Dórica relativo ao Dórios, povos provenientes da região danubiana, que se instalaram na Grécia, na região do Peloponeso, fundando a cidade de Esparta).

45 Máscara do guerreiro barbado, conhecida como "máscara de Agamemnon ", ouro, a.c.

46 Entretanto, começaram subitamente a enterrar seus mortos em túmulos em forma de túneis profundos e, um pouco mais tarde, em câmaras cônicas de pedra, conhecida como túmulos em forma de colméia.

47

48

49

50

51

52 Arquitetura A arquitetura demonstra as maiores características dos micênicos, um povo de guerreiros. Suas principais construções são as muralhas e o tholos. Os aqueus eram povos guerreiros e agressivos. Sua realidade era muito diferente da cretense. Seus palácios, ao contrário dos cretenses, eram fortalezas construídas verticalmente.

53 O tholos é uma tumba dedicada às sepulturas reais. O tholos é construído escavando-se uma colina e dispondo grandes pedras em círculos concêntricos e sobrepostos formando um ambiente em forma de cone que é totalmente fechado e coberto de terra, reconstruindo a colina originária. Um corredor, entre duas paredes de pedra, conduz à tumba. No interior, num pequeno cômodo escavado junto ao grande vão com a cúpula, era colocado o sarcófago real.

54 As muralhas das cidades pertencem à última fase de sua história, quando aumentaram as ameaças externas. As muralhas de Tirinto e Micenas tinham uma espessura entre seis e oito metros. Em Micenas o ingresso era feito através da Porta dos Leões. A Porta dos Leões é um bastião construído com quatro rochas maciças que formam uma soleira, umbrais e arquitrave. Da porta parte uma escadaria que alcança o palácio real, construído em terraços escavados na rocha.

55

56 Uma dessas fortalezas foi considerada pelos gregos como obra dos Cíclopes e possuia dois leões esculpidos na entrada. A monumentalidade dessa entrada, chamada "PORTA DOS LEÕES", sugere os valores principais desta civilização: * A Força e a Agressividade.

57

58 Escultura A escultura não se desenvolveu muito, e a grande estatuária foi totalmente ausente. O marfim era muito usado. Algumas estatuetas de marfim, entre as quais o famoso grupo com duas mulheres e um menino encontrado em Micenas são os exemplos mais importantes.

59

60

61

62 A civilização micênica imitou muito de longe a arte cretense, mas a sua arquitetura apresentou traços próprios: * Construções longas e retangulares; * Caráter de monumentalidade com tom militar nas suas construções com cidades amuralhadas.

63

64

65

66

67

68

69 Pintura Os afrescos micênicos, embora tenham um estilo bastante semelhante ao dos cretenses mostram algumas diferenças como a presença da figura de guerreiros e heróis e cenas de caça, além das figuras femininas.

70

71

72

73

74

75

76

77

78 Espadas e vasos micênicos

79

80

81

82

83

84 Acrópole de Atenas.

85 A Grécia antiga foi uma civilização que se desenvolveu na região da atual Grécia, na península Balcânica e nas ilhas vizinhas. O florescimento dessa civilização manifestou-se na expansão de suas cidades, e na exuberância e força de sua cultura. Terra onde nasceu a Filosofia e a democracia, podemos nos reportar à Grécia não apenas por sua circunscrição geográfica, mas também por sua maneira específica de pensar a beleza e a ética. O ideário artístico grego é de imprescindível compreensão, pois parece proporcionar um padrão estético ou gosto grego sobre o que é belo, que nos influencia até hoje.

86 A Grécia Antiga alcançou um notável desenvolvimento artístico e cultural. A arte grega é uma arte antropocêntrica ( que considera o homem como o centro ou a medida do universo, sendo-lhe por isso destinadas todas as coisas), exprimindo valores de equilíbrio, harmonia, ordem, proporção e medida, sendo empenhada em exaltar a beleza e o calor da vida humana, não o mundo além-túmulo. Nessa arte, é condenado o mistério. Os artistas gregos não estavam sujeitos às limitações impostas pelos sacerdotes e reis, como na

87 maioria das civilizações orientais, e tiraram suas idéias da filosofia racionalista (referente a racionalismo; método de observar as coisas baseado exclusivamente na razão, considerada como única autoridade quanto à maneiraded pensar e/ou de agir.) e humanista ( partidário do humanismo; doutrina ou atitude que se situa expressamente numa perspectiva antropocêntrica.) dominante.

88 Santuário de Delfos

89

90 A arte grega não estava voltada somente para a estética ( beleza física ou plástica; na filosofia, o estudo racional do belo.), pois tinha como meta prioritária o orgulho do povo por sua cidade. Desta forma, a arte era também uma expressão da vida política dos cidadãos. A busca do equilíbrio, a forma de pensar e filosofar e a valorização do humanismo foram, de certa forma, a fonte de toda cultura ocidental.

91 A arte grega deve seus procedimentos iniciais à influência egípcia, estando essas duas expressões artísticas ligadas também pela arte minóica ou cretense. No breve período de reinado de Aknaton, ou Amenófis IV, da 18ª dinastia houve um hiato em que rígidos cânones foram rompidos e a cultura egípcia abriu-se para a influência externa. Parte dessa influência foi advinda da elegante arte minóica, que também compõe as bases da arte grega. Para estudar essa arte, à qual devemos toda a história da arte ocidental subsequente,

92 Costumamos dividi-la em sete fases. Dessas, as mais importantes são a Geométrica, a Arcaica, a Clássica e a Helênica. Nas descrições abaixo, estão destacadas: - Proto história. É quando a arte grega sofre influência clara da arte Cicládica (das ilhas Ciclades), de a.c; da arte cretense, cerca de a.c, e da micênica, entre a.c. - Medievo helênico, ( a.c.) Nele, a produção artística, empobrecida pelo desaparecimento dos palácios-cidades, conduziu

93 a uma nova maneira de pensar a cerâmica e a modelagem, no que foi impulsionada pelo surgimento dos núcleos urbanos e do comércio. - Geométrica ( cerca de a.c.). Primeira fase marcante da arte grega, quando se pensa e ressurgimento da escultura e sua variação de suportes. Tanto essa nova escultura quanto a arquitetura eram marcadas pelo rigor geométrico. A esse período corresponde um sistema de ornamentação pictórica presente sobretudo em utilitários, como vasos e ânforas, que tinham motivos abstratos.

94

95

96

97

98

99

100

101

102

103 - Orientalizante ( a.c.). Uma extensão da arte geométrica dada pelo contato com as culturas do Oriente mediterrâneo, Anatólio e Mesopotâmico. Dá início ao que conhece por Magna Grécia, com o despertar de um pensamento estético helênico ( referente a Heleno, nome atribuído aos gregos na Antiguidade Clássica). - Arcaica (cerca de a.c.) é fortemente marcado pelos modelos da escultura egípcia e da pintura ornamental minóica.

104 Desse momento, provém os exemplos dos Kouros ( figuras masculinas nuas feitas em pedra) estatuas celebrativas de atletas vencedores de jogos ou de guerreiros mortos. As figuras eram totalmente simétricas e retratadas em posição estática frontal. Apresentavam os cabelos geometrizados, os braços estendidos ao lado do corpo, as mãos fechadas, um pé à frente do outro e o abdome definido; os lábios esboçam um leve sorriso, que é denominado sorriso arcaico.

105

106

107

108 A escultura feminina era chamada Korí e quando tinha a função de coluna na arquitetura recebia o nome de cariátide.

109

110

111

112

113 As cariátides no pórtico do templo em homenagem a Atena e Poseidon.

114

115

116

117 - Período Severo Em linhas gerais esta fase se caracteriza por u m progressivo incremento no dinamismo das figuras, os braços ganham em liberdade, o torso se flexibiliza e há maior detalhamento e suavização da anatomia. O modelado da cabeça se harmoniza com o do corpo, os detalhes são reduzidos a um mínimo com ênfase nos traços anatômicos principais, o sorriso arcaico tende a ser substituído por uma expressão séria e distante, e aparecem representações mais verossímeis da velhice.

118 Nesta fase é formulado o chamado perfil grego, unindo a testa e o nariz em uma linha retilínea, e o bronze começa a se tornar um material de uso frequente. Indicativo dos progressos do período é o Efeso de Kritios, dos primeiros exemplos a mostrar uma sugestão de contraposto, um movimento nas ancas que surge quando a figura se apóia em uma das pernas enquanto a outra se encontra em repouso.

119 Jovem de Krítios, estátua encontrada entre os escombros persas na Acrópole, que deve ter sido feita pouco antes de 480ª.C. Esta figura, o primeiro belo nu na arte, pertence a um um do mundo quadrangular e frontal, com o peso do corpo distribuído de forma desigual sobre as pernas rígidas. O jovem parece dar novos rumos à escultura grega, que parte em busca de um ideal de beleza humana e divina, baseada na natureza mas disciplinada pela perfeição da simetria, proporções e equilíbrio.

120 Efeso, Kritios

121 Poseidon ( Zeus?) Bronze de Artemizion A estabilidade em meio à ação é magnificamente obtida no bronze Poseidon ou Zeus, uma estátua em tamanho maior que o natural, a postura é a de um atleta, é um gesto que impõe respeito e revela o poder do deus. Aqui, o arremesso de uma arma é um atributo divino e não um gesto de guerra.

122 Versões diferentes do Doríforo

123 Bronzes de Riaci

124 Apolo de Olímpia

125 - Período Clássico ( a.c.) Iniciada e encerrada com grandes acontecimentos para a história da cultura grega, a guerra do Poleponeso e a morte de Alexandre, o grande, eese momento da história grega traz os exemplos máximos da arte e da arquitetura. Além do Parthenon, a sedimentação do período clássico traz os corpos humanos representados de forma a revelar os contornos da estrutura interna ( a visão dos ossos da costela sob a pela, por exemplo), a delicadeza do caimento dos panos (chamados panejament) sobre a pele, e

126 Também a expressão contida e elegante com a qual nos acostumamos a categorizar a beleza clássica. Uma obra do período clássico grego dificilmente mostrará rostos e corpos com defeito, distorcidos ou pouco proporcionais. Ao contrário, a preocupação era atingir a perfeição e o equilíbrio, ou seja, é uma arte idealista. Os artistas conseguiram retratar o corpo humano em posições variadas, superando totalmente a imobilidade do período arcaico e exibindo o corpo humano em proporções perfeitas e movimentos inéditos na arte.

127 Leocarés Apolo de Belvedere

128 Fídias- Dionísio

129 Pintura e Cerâmica A pintura era muito utilizada em cerâmica, com uma forte decoração linear ou de figuras geometrizadas, notando-se a ausência de paisagens. Seus temas eram os feitos dos deuses e semideuses e amores olímpicos. Encontram-se também jogos atléticos, de funerais e de carros de corrida, destacando-se pela liberdade de inspiração, observações anatômicas, combinando de uma forma engenhosa as quatro cores clássicas: preto, amarelo, branco e vermelho.

130 Dentre os maiores representantes da pintura grega destacam-se Zeuxis e Apeles. A indústria de cerâmica, que teve seus principais centros em Atenas e Corinto, funcionou sob a pressão das exigências dos mercados internos e externos comportando uma grande variedade de objetos utilizados como recipientes de vinho, azeite, mel e perfumes. As proporções dos vasos eram calculadas com o mesmo requinte que as do Parthenon, não sendo sua qualidade artística a técnica, mas sim a forma, perfil puro e elegante dado a um material maleável.

131

132

133

134

135

136

137

138

139

140 Arquitetura Dos edifícios da arquitetura grega, os Templos foram os mais importantes. Apesar de toda a sua excelência artística, são uma das formas estruturais mais simples, não concebidos para receber multidões. Os cultos eram realizados na parte externa, muito mais importante do que o interior, cujo acesso era exclusivo aos sacerdotes e onde era colocada a estátua do deus protetor da cidade. Os templos eram construídos sobre uma plataforma de dois ou três degraus, denominada

141 estereóbato, que junto às colunas formam a parte sustentadora, determinando a ordem arquitetônica. Apesar da ordem dórica ser a mais popular, fazendo uso de uma coluna mais pesada e fortemente estriada, destaca-se também a ordem jônica, que possui colunas mais delgadas, com ligeiro estriamento. No séc. V a.c. surgiu o estilo corintio, mais ornamentado, na procura de enriquecer a ordem jônica. O ápice da arquitetura grega, deu-se após as guerras Médicas, quando Péricles convocou o escultor Fídias para a reconstrução de Atenas,

142 destruída pelos Persas. Um dos mais belos monumentos construídos foi a Acrópole, destacando-se o Parthenon; o Erectheion, dedicado a Erecteus, rei mítico de Atenas que, possuia o pórtico das Cariátides, com o teto sustentado por seis estátuas de jovens, em vez de colunas; e o Templo de Atena Nikê, deusa alada da vitória que representava a guerra dos gregos contra os persas.

143

144

145

146

147

148

149

150

151

152

153

154

155

156 - Período Helenístico ( a.c.). O período conhecido como Helênico é aquele de difusão do gosto dos gregos por todo o mundo dominado, primeiro pelos macedônios e depois pelos romanos. No Helenístico vemos uma tendência à teatralidade exacerbada na escultura grega representativa. A dramaticidade se manifesta por todo o corpo ( nas faces, nas mãos), como se devesse nos convencer de suas ações e de seus pensamentos.

157 Laocoonte e seus filhos

158 Esse período finda-se ao tempo da ascenção do imperador Augusto em Roma e da miscigenação das linguagens. Pensa-se numa extinção da grande arte grega, mas essa já se encontrava há muito dispersa pelo mundo, desde que a própria elite ateniense fora deslocada para o Egito ptolomaico, sobretudo para Alexandria.

159 Míron. O discóbolo, 450 a.c

160 As figuras apresentavam além do movimento, emoção. É desse período a obra Lacoonte e seus filhos (Antiphantes e Thymbraeus), a escultura representa uma cena dramática baseada na história mitológica da Guerra de Tróia, que relata a luta entre gregos e troianos, na qual gregos presenteiam os troianos com um enorme cavalo como reconhecimento de sua vitória. Porém, dentro do cavalo há um exército de gregos que invadem e dominam a cidade, vencendo finalmente o duradouro combate. Lacoonte, que era um sacerdote troiano, avisou seu povo para

161 não aceitar o cavalo oferecido pelos gregos, porém, os deuses que desejavam a destruição de Tróia, ao perceberem que Lacoonte poderia atrapalhar o plano, enviaram duas serpentes para matar o sacerdote e seus dois filhos. Entre as esculturas mais famosas estão: A Vênus de Milo, Vitória de Samotrácia e Apolo de Belvedere.

162 Vênus de Milo séc. II a.c. Museu do Louvre

163 Cópia romana da Afrodite de Cápua, de Lisipo. O original grego data do século IV a.c. Altura: 2,10m. Museu Arqueológico Nacional, Nápoles

164 Vênus para os romanos, e Afrodite para os gregos, são os nomes atribuídos à deusa do amor. A Vênus de Milo foi encontrada em 1820 na ilha de Melos na Grécia. Diferentemente das cariátides que serviam como colunas, tinham uma postura rígida e trajavam vestidos essa escultura apresenta um movimento suave conferido pela sua postura, em que o peso do corpo está apoiado na perna direita, a cintura torcida e o ombro esquerdo levantado. Seu corpo é coberto por um tecido do quadril para baixo, exibindo metade do corpo em uma pose sensual.

165

166

167

168

169 A escultura Vitória de Samotrácia foi encontrada em 1863 na ilha de mesmo nome e acredita-se que era a decoração da proa de uma embarcação.ela representa Atena Nike, que é a deusa da vitória. Mesmo sem a cabeça, a obra surpreende pela beleza das formas, pelo drapeado da roupa e a leveza das asas.

170 A deusa da vitória que acabou de pousar na proa de um navio de guerra; suas grandes asas têm uma grande abertura, e ela ainda se mantém parcialmente no ar graças ao forte vento contrário. Não se trata simplesmente uma relação entre a estátua e o espaço que o escultor imaginou-a ocupando, mas sim de uma interdependência mais ativa do que tudo o que já vimos antes. A Vitória faz jus à sua fama de obra máxima da escultura helenística.

171 Leocarés Apolo de Belvedere

172

173

174 Apolo é uma escultura de mármore de 2,5 m de altura e representa o deus da beleza e juventude no momento em que lança uma flecha para matar a serpente Píton. A obra foi encontrada faltando parte dos dois braços, mas foi restaurada durante o Renascimento. O cuidado com as proporções humanas em todas as esculturas revela o ideal grego de perfeição e beleza. A maioria das obras gregas foi perdida, as que chegaram até nós são cópias romanas feitas a partir dor originais.

175 Gaulês moribundo

176 Uma antiga cópia em mármore de uma das várias estátuas de bronze destinadas por Àtalo I, de Pérgamo, pouco antes de 200 a.c., à comemoração de sua vitória sobre os invasores gauleses. O colar de ouro no pescoço é outro traço característico celta. Po r outro lado entretanto, o gaulês compartilha a nudez heróica dos guerreiros gregos, e se sua agonia parece infinitamente mais realista, tem também uma dignidade considerável. Eles sabiam morrer, por mais bárbaros que fossem, é o pensamento que a estátua nos passa. Incapaz de mover as pernas, o gaulês coloca toda a sua força debilitada nos braços, como se tenteasse evitar que algum peso extraordinário e invisível o esmagasse contra o solo.

177 Relevo Funerário

178 Mercúrio

179 Augusto Pio Clementino

180 Kratera Derveni

181 Velha bêbada, 190 a.c.

182 Diana caçadora

183

184 Escravo afiando faca

185 Fauno Barberini

186 O rapto - Gianbologna

187 Afrodite dormindo

188

189 Com as conquistas de Alexandre Magno, houve grandes transformações no mundo grego. A arquitetura, pintura e escultura gregas nada ganharam, uma vez que os artistas helenísticos desprezaram a noção de equilíbrio e harmonia, traços marcantes da arte helênica, preocupando-se em dominar um realismo exagerado e sensacionalista. Na arquitetura, a suavidade dos templos gregos cedeu lugar à construção de suntuosos palácios e casas espaçosas e confortáveis, bem como edifícios burocráticos que simbolizavam a riqueza e o poder, refletindo o sentimento individualista do período. Um exemplo desse exagero é o farol de alexandria com 120 metros de altura, tendo no topo oito colunas para sustentar a luz.

190

191 Resquícios do farol de Alexandria

192

193

194

195 Os escultores da época helenística julgavam-se na obrigação de exprimir a ação e o movimento, forçando dessa forma a atenção do expectador, em um caráter quase teatral, mostrando-se estravagante, sentimental e algumas vezes até grotesca. A pintura conheceu durante a fase helenística um período de grande prosperidade. Os pintores dessa época deram preferência a temas trágicos e emocionantes: descreveram uma tensão chegada ao espírito de morbidez. Seu maior nome foi Apeles.

196

Arte 1º. Ano do Ensino Médio. Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico).

Arte 1º. Ano do Ensino Médio. Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico). Arte 1º. Ano do Ensino Médio 1º. Trimestre - Conteúdo Avaliativo: Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico). Períodos Artísticos: Pré-História/Idade Antiga

Leia mais

A arte na Grécia. Capítulo 3

A arte na Grécia. Capítulo 3 A arte na Grécia Capítulo 3 Por volta do século X a. C, os habitantes da Grécia continental e das ilhas do mar Egeu formavam pequenas comunidades, distantes umas das outras, e falavam diversos dialetos.

Leia mais

ARTE PROTO-GREGA, GREGA E HELENÍSTICA

ARTE PROTO-GREGA, GREGA E HELENÍSTICA ARTE PROTO-GREGA, GREGA E HELENÍSTICA Arte Proto-Grega A arte Proto-Grega também é conhecida como Creto-Micênica. Na Ilha de Creta, no Mar Egeu, desenvolveu-se uma civilização que deixou como principal

Leia mais

1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino

1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino 1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino Contrapondo-se a Egípcia vida pósmortem. Arte grega fundamenta-se na inteligência Os governantes não eram deuses, mas seres mortais Usavam a razão e o senso de

Leia mais

De Creta a Micenas. As Origens do Mundo Grego

De Creta a Micenas. As Origens do Mundo Grego De Creta a Micenas As Origens do Mundo Grego 1 O início da História Entre os séculos XX a.c. e XVI a.c., floresceu em Creta, a maior ilha do Mediterrâneo, uma brilhante civilização, que influenciou a desenvolvida

Leia mais

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO Aula 3.2-2 1. A Anunciação é uma das obras mais conhecidas de Leonardo da Vinci. Feita por volta do ano de 1472, ela retrata uma das cenas bíblicas mais famosas de todos os tempos. Escreva nas linhas abaixo

Leia mais

Antiguidade Clássica: Grécia

Antiguidade Clássica: Grécia Antiguidade Clássica: Grécia Localização Localização Localização Período Creto-Micênico (XX a. C. XII a. C) Pinturas no palácio de Cnossos em Micenas Período Creto-Micênico (XX a. C. XII a. C) Escrita

Leia mais

A arquitectura era para os gregos a ciência do número, do ritmo e da harmonia

A arquitectura era para os gregos a ciência do número, do ritmo e da harmonia 1 ARQUITECTURA A arquitectura era para os gregos a ciência do número, do ritmo e da harmonia A arquitectura é considerada uma das mais bela e importante arquitectura da humanidade que influenciou e inspirou

Leia mais

ARTE NA GRÉCIA: Arcaico, Clássico e Helenístico. Professora: Grasiela Morais.

ARTE NA GRÉCIA: Arcaico, Clássico e Helenístico. Professora: Grasiela Morais. ARTE NA GRÉCIA: Arcaico, Clássico e Helenístico. Professora: Grasiela Morais. ARTE NA GRÉCIA: Arcaico, Clássico e Helenístico. A arte e a arquitetura gregas de 750 a. C. até o surgimento dos romanos tiveram

Leia mais

Arte Pré Histórica Bisão da Gruta de Altamira Bisão da Gruta de Altamira Réplica Museu Arqueológico Nacional da Espanha Espanha

Arte Pré Histórica Bisão da Gruta de Altamira Bisão da Gruta de Altamira Réplica Museu Arqueológico Nacional da Espanha Espanha Estes textos são produzidos sob patrocínio do Departamento Cultural da Clínica Naturale.Direitos são reservados. A publicação e redistribuição de qualquer conteúdo é proibida sem prévio consentimento.

Leia mais

Coleguium -3ºEM 1ª etapa

Coleguium -3ºEM 1ª etapa Coleguium -3ºEM 1ª etapa CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA: - Desenvolvida às margens do Nilo, na África; - Organização social complexa e rica em realizações culturais; - Escrita bem estruturada; Hieróglifos na parede

Leia mais

A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA. Profº Alexandre Goicochea História

A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA. Profº Alexandre Goicochea História A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA Profº Alexandre Goicochea História ORIGENS O mundo grego antigo ocupava além da Grécia, a parte sul da península Balcânica, as ilhas do mar Egeu, a costa da Ásia Menor, o

Leia mais

MUNDO EGEU. Mar. Continental. Ilhas Cíclades. Creta. Civilização Cicládica. Civilização Minoica (Creta)

MUNDO EGEU. Mar. Continental. Ilhas Cíclades. Creta. Civilização Cicládica. Civilização Minoica (Creta) MUNDO EGEU Mar Grécia Continental Creta Egeu Ilhas Cíclades Ásia Menor Civilização Cicládica Civilização Minoica (Creta) Civilização Micénica (Heládica) continente grego Influências Recebidas: Grécia Arcaica

Leia mais

Arte da Grécia Antiga

Arte da Grécia Antiga Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes História e Cultura das Artes Ano Lectivo 2007/08 - Módulo 1 A Cultura da Ágora Arte da Grécia Antiga Vaso grego, 500-490 a.c., Louvre, Paris. Introdução

Leia mais

CIVILIZAÇÕES DA ANTIGUIDADE OCIDENTAL GRÉCIA ROMA

CIVILIZAÇÕES DA ANTIGUIDADE OCIDENTAL GRÉCIA ROMA CIVILIZAÇÕES DA ANTIGUIDADE OCIDENTAL GRÉCIA ROMA Atualmente Grécia = capital ATENAS Idioma = Grego Forma de Governo = República Helênica Península Peni = quase Ínsula = ilha Península é uma porção de

Leia mais

História da Arte. Exercícios de Sala de Aula

História da Arte. Exercícios de Sala de Aula História da Arte Exercícios de Sala de Aula A arte é um conjunto de procedimentos que são utilizados para realizar obras, e no qual aplicamos nossos conhecimentos. Apresenta-se sob variadas formas como:

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 6 o ano Unidade 6 5 Unidade 6 Nome: Data: 1. Observe o mapa e responda às questões. A GRÉCIA NO SÉCULO VIII A.C. MAR JÔNICO ILÍRIA ÉPIRO ETÓLIA MACEDÔNIA TESSÁLIA CALCÍDIA

Leia mais

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Montanhas e costas marítimas; Mar Mediterrâneo, Mar Egeo e Mar Jônico. Costa bastante recortada com 80% de montanhas; Grande numero de Ilhas; Formação

Leia mais

História da Arte - Linha do Tempo

História da Arte - Linha do Tempo História da Arte - Linha do Tempo PRÉ- HISTÓRIA (1000000 A 3600 a.c.) Primeiras manifestações artísticas. Pinturas e gravuras encontradas nas paredes das cavernas. Sangue de animais, saliva, fragmentos

Leia mais

Panorama dos pré-socráticos ao helenismo

Panorama dos pré-socráticos ao helenismo Panorama dos pré-socráticos ao helenismo Heidi Strecker* A filosofia é um saber específico e tem uma história que já dura mais de 2.500 anos. A filosofia nasceu na Grécia antiga - costumamos dizer - com

Leia mais

A História da Grécia Antiga se estende do século XX a.c. até o século II a.c. quando a região foi conquistada pelos romanos.

A História da Grécia Antiga se estende do século XX a.c. até o século II a.c. quando a região foi conquistada pelos romanos. HISTÓRIA ANTIGA Grécia I - formação Situada no sul da Europa (Península balcânica), numa região de relevo acidentado e um arquipélago no Mar Egeu, a Grécia foi palco de uma civilização que se desenvolveu

Leia mais

LEGADOS / CONTRIBUIÇÕES. Democracia Cidadão democracia direta Olimpíadas Ideal de beleza Filosofia História Matemática

LEGADOS / CONTRIBUIÇÕES. Democracia Cidadão democracia direta Olimpíadas Ideal de beleza Filosofia História Matemática LEGADOS / CONTRIBUIÇÕES Democracia Cidadão democracia direta Olimpíadas Ideal de beleza Filosofia História Matemática GEOGRAFIA, ECONOMIA E POLÍTICA Terreno montanhoso Comércio marítimo Cidades-estado

Leia mais

ALEXA X NDR D E, E O G RANDE D

ALEXA X NDR D E, E O G RANDE D ALEXANDRE, O GRANDE A Macedônia é um país nos Balcãs, leste da Europa, que faz fronteira com a Grécia, Sérvia,Albânia e Bulgária. Foi anexada à Iugoslávia e no século XX, tornou-se independente LOCALIZAÇÃO

Leia mais

CURSO DE HISTÓRIA GRÉCIA ANTIGA. Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG

CURSO DE HISTÓRIA GRÉCIA ANTIGA. Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG CURSO DE HISTÓRIA GRÉCIA ANTIGA Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG LOCALIZAÇÃO E POVOAMENTO A Grécia antiga localizava-se em sua maior parte do sudeste da Europa

Leia mais

ARTE PRÉ-HISTÓRICA. IDADE DOS METAISaproximadamente 5.000 a 3.500 a.c. aparecimento de metalurgia; invenção da roda;

ARTE PRÉ-HISTÓRICA. IDADE DOS METAISaproximadamente 5.000 a 3.500 a.c. aparecimento de metalurgia; invenção da roda; ARTE PRÉ-HISTÓRICA PALEOLÍTICO INFERIOR aproximadamente 5.000.000 a 25.000 a.c.; controle do fogo; e instrumentos de pedra e pedra lascada, madeira e ossos: facas, machados. PALEOLÍTICO SUPERIOR instrumentos

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Aula 4. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Aula 4. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS ARTES 1º semestre / 2012 Aula 4 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com 1 ANTIGUIDADE OCIDENTAL ARTE ANTIGA: ROMANA 2 Roma Antiga Extensão máxima território

Leia mais

HISTÓRIA GERAL. Profª. Maria Auxiliadora

HISTÓRIA GERAL. Profª. Maria Auxiliadora HISTÓRIA GERAL Profª. Maria Auxiliadora GRÉCIA Península Balcânica Relevo acidentado e recortado Características Gerais Grécia Período Pré-Homérico -séc. XX a.c. XII a. C. Formação do povo grego pelasgos

Leia mais

despertar da arte grega

despertar da arte grega 2 O despertar da arte grega A cultura grega, ao contrário da tradição de outras civilizações antigas, valorizava extremamente o homem e, por esse motivo, até mesmo os deuses passaram a ser representados

Leia mais

CAPÍTULO: 5 AULAS: 9, 10, 11 e 12 GRÉCIA ANTIGA

CAPÍTULO: 5 AULAS: 9, 10, 11 e 12 GRÉCIA ANTIGA CAPÍTULO: 5 AULAS: 9, 10, 11 e 12 GRÉCIA ANTIGA INTRODUÇÃO Período: 2000 a.c. 146 a.c. Região: Península Balcânica: Solo pobre e montanhoso. Várias ilhas. Uso da navegação. ORIGENS Ilha de Creta. Vida

Leia mais

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Cidadania Democracia Filosofia Geometria Teatro Período Pré-Homérico (2800 1100 a. C.) povoamento da Grécia. Período Homérico (1100 800 a. C.) poemas

Leia mais

Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Artes Visuais

Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Artes Visuais Colégio Pedro II Departamento de Desenho e Campus São Cristóvão II Coordenador pedagógico de Disciplina: Shannon Botelho 7º ano. TURMA: NOME: nº ARTE PÁLEO-CRISTÃ OU DAS CATACUMBAS Surgiu com os primeiros

Leia mais

AULA DE HISTÓRIA GRÉCIA ANTIGA 14/09/2009 GRÉCIA. Localização Península Balcânica sudeste da Europa Território Relevo Acidentado 80% montanhoso

AULA DE HISTÓRIA GRÉCIA ANTIGA 14/09/2009 GRÉCIA. Localização Península Balcânica sudeste da Europa Território Relevo Acidentado 80% montanhoso AULA DE HISTÓRIA GRÉCIA ANTIGA GRÉCIA Localização Península Balcânica sudeste da Europa Território Relevo Acidentado 80% montanhoso ASPECTOS GEOGRÁFICOS Povos invasores formada por muitas ilhas a maior

Leia mais

Nome: nº. Data: / / Trabalho de recuperação 1º EM Arte Prof. Denise ARTE GREGA. QUESTÃO 01 Sobre a arte feita na Grécia antiga marque a alternativa

Nome: nº. Data: / / Trabalho de recuperação 1º EM Arte Prof. Denise ARTE GREGA. QUESTÃO 01 Sobre a arte feita na Grécia antiga marque a alternativa 1 Nome: nº Data: / / Trabalho de recuperação 1º EM Arte Prof. Denise ARTE GREGA QUESTÃO 01 Sobre a arte feita na Grécia antiga marque a alternativa correta: a- ( ) Os gregos não produziram pinturas. b-

Leia mais

Civilização Egéia antes de 1600 a.c. Grécia Micênicac. 1600-1200 a.c. Idade das Trevasc. 1200-800 a.c. Grécia Antiga776-323 a.c.

Civilização Egéia antes de 1600 a.c. Grécia Micênicac. 1600-1200 a.c. Idade das Trevasc. 1200-800 a.c. Grécia Antiga776-323 a.c. Civilização Egéia antes de 1600 a.c. Grécia Micênicac. 1600-1200 a.c. Idade das Trevasc. 1200-800 a.c. Grécia Antiga776-323 a.c. Período Helenístico323 a.c.-146 a.c. Período Greco-Romano146 a.c.-330 AD

Leia mais

Antiguidade século IV. Arte Bizantina

Antiguidade século IV. Arte Bizantina Antiguidade século IV Arte Bizantina Na Antiguidade, além da arte Egípcia e Grega, também encontram-se a Romana, Paleocristã e Bizantina... Enquanto os romanos desenvolviam uma arte colossal e espalhavam

Leia mais

Grécia Antiga II. Cronologia

Grécia Antiga II. Cronologia Grécia Antiga II Cronologia Grécia - Cronologia Período pré-homérico (séc. XX- XII a.c) Migrações dos povos formadores da Grécia Período Homérico (séc. XII- VIII a.c) Genos (comunidades políticas) se estruturam,

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

1. (1,0) APONTE o nome da região em que foi desenvolvida a civilização grega.

1. (1,0) APONTE o nome da região em que foi desenvolvida a civilização grega. PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA. TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.

Leia mais

Introdução. Localização

Introdução. Localização Introdução A civilização grega surgiu entre os mares Egeu, Jônico e Mediterrâneo, por volta de 2000 AC. Formou-se após a migração de tribos nómadas de origem indo-europeia, como, por exemplo, aqueus, jônios,

Leia mais

ANTIGUIDADE CLÁSSICA GRÉCIA

ANTIGUIDADE CLÁSSICA GRÉCIA ANTIGUIDADE CLÁSSICA GRÉCIA 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Território acidentado; Desenvolvimento do comércio e navegação; Descentralização política (Cidade-Estado); Modo de produção escravista; Contribuições

Leia mais

A CIDADE-ESTADO ESTADO GREGA ORIGEM DAS PÓLIS GREGAS Causas geomorfológicas A Grécia apresenta as seguintes características: - Território muito montanhoso; na Antiguidade, as montanhas estavam cobertas

Leia mais

Arte egípcia é ligada ao espírito. Arte grega é ligada à inteligência.

Arte egípcia é ligada ao espírito. Arte grega é ligada à inteligência. A ARTE GREGA Arte egípcia é ligada ao espírito. Arte grega é ligada à inteligência. A FORMAS ASTÍSTICAS Desde 1550 a.c. até 30 a.c. os gregos criaram variadas formas de artes, desde as mais simples até

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ IFPR ASSIS CHATEAUBRIAND GRUPO DE PESQUISAS FILOSOFIA, CIÊNCIA E TECNOLOGIAS IF-SOPHIA ASSIS CHATEAUBRIAND

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ IFPR ASSIS CHATEAUBRIAND GRUPO DE PESQUISAS FILOSOFIA, CIÊNCIA E TECNOLOGIAS IF-SOPHIA ASSIS CHATEAUBRIAND INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ IFPR ASSIS CHATEAUBRIAND GRUPO DE PESQUISAS FILOSOFIA, CIÊNCIA E TECNOLOGIAS IF-SOPHIA ASSIS CHATEAUBRIAND ECONOMIA, SOCIEDADE E RELIGIÃO NA GRÉCIA ANTIGA: O HOMEM GREGO Prof.

Leia mais

PARNAMIRIM - RN. 6º ano Professores: Ricardo Gomes Verbena Ribeiro

PARNAMIRIM - RN. 6º ano Professores: Ricardo Gomes Verbena Ribeiro PARNAMIRIM - RN 6º ano Professores: Ricardo Gomes Verbena Ribeiro 1. CONTEXTO / INTRODUÇÃO Como vimos anteriormente, a Grécia, nada mais é do que o berço da cultura Ocidental, e como tal, nos deixou como

Leia mais

Arte da Pré-História

Arte da Pré-História ALUNO(A) Nº SÉRIE: 6º. Ano TURMA: DATA: / /2013 Profª Ana Lúcia Leal - DISCIPLINA: ARTE Ficha de Aula - III Trimestre Arte da Pré-História As primeiras expressões artísticas As mais antigas figuras feitas

Leia mais

ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA HISTÓRIA DA ARTE. Colégio Einstein. A evolução do conhecimento. Aluno (a): 9º ano: A [ ] B [ ] Professor: Lucas Salomão

ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA HISTÓRIA DA ARTE. Colégio Einstein. A evolução do conhecimento. Aluno (a): 9º ano: A [ ] B [ ] Professor: Lucas Salomão HISTÓRIA DA ARTE Aluno (a): Professor: Lucas Salomão Data: / /2015 9º ano: A [ ] B [ ] ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA Há milhares de anos os povos antigos já se manifestavam artisticamente. Embora ainda não conhecessem

Leia mais

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA PARA O HISTORIADOR GREGO HERÓDOTO: O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO DÁDIVA = PRESENTE SIGNIFICADO = Sem as cheias do Nilo, o Egito seria um grande deserto PARA O HISTORIADOR FRANCÊS JEAN

Leia mais

GRUPO IV 2 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO IV 2 o BIMESTRE PROVA A A GERAÇÃO DO CONHECIMENTO Transformando conhecimentos em valores www.geracaococ.com.br Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: MANHÃ Data: 12/5/2010 PROVA GRUPO GRUPO IV 2 o BIMESTRE PROVA

Leia mais

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA DESAFIO DO DIA. Conteúdo: A civilização cretense Os primeiros povos gregos

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA DESAFIO DO DIA. Conteúdo: A civilização cretense Os primeiros povos gregos CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA Conteúdo: A civilização cretense Os primeiros povos gregos CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA Habilidades: Compreender o processo de formação da civilização grega.

Leia mais

ARTE PRÉ-HISTÓRICA. IDADE DOS METAISaproximadamente 5.000 a 3.500 a.c. aparecimento de metalurgia; invenção da roda;

ARTE PRÉ-HISTÓRICA. IDADE DOS METAISaproximadamente 5.000 a 3.500 a.c. aparecimento de metalurgia; invenção da roda; ARTE PRÉ-HISTÓRICA PALEOLÍTICO INFERIOR aproximadamente 5.000.000 a 25.000 a.c.; controle do fogo; e instrumentos de pedra e pedra lascada, madeira e ossos: facas, machados. PALEOLÍTICO SUPERIOR instrumentos

Leia mais

As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império romano.

As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império romano. Trabalho realizado por: Luís Bernardo nº 100 8ºC Gonçalo Baptista nº 275 8ºC Luís Guilherme nº 358 8ºC Miguel Joaquim nº 436 8ºC Índice; Introdução; As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império

Leia mais

ARTE NO EGITO ANTIGO

ARTE NO EGITO ANTIGO ARTE NO EGITO ANTIGO Ao longo do rio Nilo e principalmente na região norte - o Delta - ; e na região sul dos rios Eufrates e Tigre, desenvolveram-se as primeiras civilizações. No Egito desenvolveu-se um

Leia mais

Idade Antiga GRÉCIA: Dicotomia corpo e mente;

Idade Antiga GRÉCIA: Dicotomia corpo e mente; GRÉCIA ANTIGA Idade Antiga GRÉCIA: Dicotomia corpo e mente; Diferentes classes sociais; Escravos (produção); Aristocratas (representação mostra de superioridade e desenvolvimento para outros povos artes,

Leia mais

Profª. Flores. Grécia

Profª. Flores. Grécia Profª. Flores Grécia LOCALIZAÇÃO : localiza-se em sua maior parte no sudeste da Europa. Abrangia três importantes regiões: na Grécia Continental: situada ao sul da península Balcânica; na Grécia Insular:

Leia mais

Grécia Antiga. Profº Paulo Henrique

Grécia Antiga. Profº Paulo Henrique Grécia Antiga Profº Paulo Henrique Periodização Período pré-homérico (2800 1100 a.c.): povoamento da Grécia. Período homérico (1100 800 a.c): poemas Ilíada e Odisséia. Período arcaico (800 500 a.c) : formação

Leia mais

Sumário A História da Arte... 2

Sumário A História da Arte... 2 Sumário A História da Arte... 2 Arte Pré-Histórica... 2 A Arte do Paleolítico Superior... 3 A Arte do Neolítico... 4 Arte no Egito... 7 A Arte na Grécia... 12 A Arte na Roma... 17 Referências Bibliográficas...

Leia mais

SÉRIE 10: Cenários. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Coliseu construído entre 70 e 80 a.c. Roma, Itália.

SÉRIE 10: Cenários. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Coliseu construído entre 70 e 80 a.c. Roma, Itália. Esta ficha é parte integrante dos materiais de Arteteca:lendo imagens, do Programa Endesa Brasil de Educação e Cultura (PRONAC 09-7945). 41 para olhar pensar, imaginar... e fazer The Bridgeman Art Library

Leia mais

A GRÉCIA ANTIGA passo a passo

A GRÉCIA ANTIGA passo a passo A GRÉCIA ANTIGA passo a passo ÉRIC DARS e ÉRIC TEYSSIER Ilustrações de Vincent Caut Tradução de Julia da Rosa Simões Copyright do texto 2011 by Éric Dars e Éric Teyssier Copyright das ilustrações 2011

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS ARTES 1º semestre / 2012 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com 1 Pré História PRÉ-HIST HISTÓRIA 2 Pré História PALEOLÍTICO (35mil anos atrás) Datam

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA Agenda A história da Engenharia ; As sete maravilhas do mundo antigo; Mesopotâmia A Mesopotâmia nome grego que significa "entre rios" (meso - pótamos) era localizada no Oriente Médio, delimitado entre

Leia mais

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL DISCIPLINA: ARTE PROFESSORA: Cristiana de Souza DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 6º ANO TURMA: ALUNO (A): RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL Nº: 01.

Leia mais

BARROCO. Pintura. 8º Ano Artes 2º bimestre

BARROCO. Pintura. 8º Ano Artes 2º bimestre 8º Ano Artes 2º bimestre BARROCO A arte barroca desenvolveu-se no século XVII, num período muito importante da história da civilização ocidental, pois nele ocorreram mudança que deram nova feição à Europa

Leia mais

UNICAMP ANTIGUIDADE CLÁSSICA HISTÓRIA GEAL

UNICAMP ANTIGUIDADE CLÁSSICA HISTÓRIA GEAL 1. (Unicamp 94) "Os deuses, quaisquer que tenham sido as suas origens longínquas, nada mais são do que seres humanos, maiores, mais fortes, mais belos, eternamente jovens; adquiriram não só a forma humana,

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO TEXTO O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização européia que se desenvolveu entre 1300 e 1650. Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram nesse

Leia mais

A história da Grécia é comumente dividida em 5 períodos:

A história da Grécia é comumente dividida em 5 períodos: A história da Grécia é comumente dividida em 5 períodos: Pré-homérico ocupação dos povos formadores. Homérico formação do genos (base familiar) - Ilíada e Odisseia. Arcaico formação da polis. Clássico

Leia mais

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo Século XIX na Europa as inovações na arte { Predomínio do neoclassicismo ou academicismo ANTIGUIDADE CLÁSSICA IDADE MÉDIA NEOCLASSICISMO OU ACADEMICISMO ROMANTISMO RENASCIMENTO BARROCO ROCOCÓ NEOCLÁSSICO

Leia mais

A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a

A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a A descoberta de novos continentes, a visão antropocêntrica do mundo, a invenção da bússola e da imprensa, a afirmação dos estados nacionais; a difusão de variadas formas artísticas inspiradas no mundo

Leia mais

ARTE PRÉ-COLOMBIANA: nas artes, a arquitetura e a escultura foram dominantes. A pintura e o desenho foram relativamente apagados.

ARTE PRÉ-COLOMBIANA: nas artes, a arquitetura e a escultura foram dominantes. A pintura e o desenho foram relativamente apagados. ARTE PRÉ-COLOMBIANA: nas artes, a arquitetura e a escultura foram dominantes. A pintura e o desenho foram relativamente apagados. Três principais civilizações: Maias; Astecas; Incas. Civilização Maia:

Leia mais

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I União Educacional do Norte Faculdade Uninorte Professora: Edinete Oliveira Arquiteta e Urbanista Tema: A ignorância da Arquitetura & As várias idades do

Leia mais

Antiguidade Ocidental (Arte Grega)

Antiguidade Ocidental (Arte Grega) Antiguidade Ocidental (Arte Grega) PERÍODOS ARCAÍCO E CLÁSSICO CIVILIZAÇÃO GREGA - SURGIMENTO No séc. XX a.c., os povos indo-europeus dominaram a região de ilhas correspondentes ao território grego ; Como

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE HISTÓRIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: 26/03/2011 Nota: Professora: Élida Valor da Prova: 40 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura

neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura A arquitectura neoclássica De acordo com os ideais iluministas, os arquitectos neoclássicos responderam às necessidades do seu tempo com originalidade e engenho,

Leia mais

Os gregos tinham um clima instável. O meio de comunicação privilegiado dos gregos era o mar, como tal, faziam muito comercio.

Os gregos tinham um clima instável. O meio de comunicação privilegiado dos gregos era o mar, como tal, faziam muito comercio. ATENAS *Cidade-estado: É um território independente, com população própria, com uma forma de governo, deve ser auto-suficiente (ideal de autarcia), com leis próprias, e com um sistema religioso organizado.

Leia mais

Lista de Recuperação de Arte 6º ANO

Lista de Recuperação de Arte 6º ANO 1 Nome: nº Data: / /2012 ano bimestre Profa.: Denise Lista de Recuperação de Arte 6º ANO Nota: 1) A arte fez parte da vida do homem desde a pré-história ( período anterior ao surgimento da escrita ) que

Leia mais

GABARITO EXERCÍCIOS HISTÓRIA DA ARTE. Exercício de aula

GABARITO EXERCÍCIOS HISTÓRIA DA ARTE. Exercício de aula GABARITO EXERCÍCIOS HISTÓRIA DA ARTE CONCEITO DE ARTE Exercício de aula Leia os fragmentos abaixo. A arte é uma forma de linguagem, uma forma de expressão utilizada pelo homem desde os tempos mais remotos

Leia mais

Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2

Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 3ª Etapa 2014 Disciplina: História Professor (a): Rodrigo Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Antropocentrismo (do grego anthropos, "humano"; e kentron, "centro") é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do

Antropocentrismo (do grego anthropos, humano; e kentron, centro) é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do ARTE GÓTICA A Arte Gótica se desenvolveu na Europa entre os séculos XII e XV e foi uma das mais importantes da Idade Média, junto com a Arte Românica. Ela teve grande influencia do forte Teocentrismo (O

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 6 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. Observe a imagem. SHUTTERSTOCK Margem do rio Nilo no Egito Nas civilizações da Antiguidade, a presença dos rios é importante

Leia mais

Lista de Exercícios:

Lista de Exercícios: PROFESSOR(A): Ero AVALIAÇÃO RECUPERAÇÃO DATA DA REALIZAÇÃO ROTEIRO DA AVALIAÇÃO 2ª ETAPA AVALIAÇÃO RECUPERAÇÃO DISCIPLINA: HISTÓRIA ANO: 6º CONTÉUDOS ABORDADOS Cap. 4: o mundo grego todos os temas Cap

Leia mais

1 substituição do teto de madeira por abóbadas. 2 grande espessura das paredes,

1 substituição do teto de madeira por abóbadas. 2 grande espessura das paredes, Arte românica é o nome dado ao estilo artístico vigente na Europa entre os séculos XI e XIII. O estilo é visto principalmente nas igrejas católicas construídas após a expansão do cristianismo pela Europa

Leia mais

Localização Geográfica. -Sul da Europa, na Península Balcânica, junto ao mar Mediterrâneo.

Localização Geográfica. -Sul da Europa, na Península Balcânica, junto ao mar Mediterrâneo. O Mundo Grego - I Localização Geográfica -Sul da Europa, na Península Balcânica, junto ao mar Mediterrâneo. Povoamento -Arianos ou indo-europeus (aqueus, jônios, eólios e dórios). -Invasão dos Dórios (armas

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL 5 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP ROTEIRO DA UNIDADE 05 FINALIDADE: Com esta UE você terminará de estudar

Leia mais

FLORENÇA. Data do Sec. I a. C.

FLORENÇA. Data do Sec. I a. C. FLORENÇA Data do Sec. I a. C. Cópia do Sec. XIX Pianta della Catena A cidade nasce da política, da observação do que existe, dos levantamentos feitos e da meditação na realidade a cidade não nasce, vai-se

Leia mais

A partir da leitura do texto abaixo responda as questões 2 e 3: A SOCIEDADE EGIPCIA

A partir da leitura do texto abaixo responda as questões 2 e 3: A SOCIEDADE EGIPCIA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS SÉRIE/ANO:

Leia mais

PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO?

PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO? PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO? Homero foi um poeta épico da Grécia Antiga, ao qual tradicionalmente se atribui a autoria dos poemas épicos Ilíada e Odisseia. Poemas épicos = são

Leia mais

R.: R.: R.: R.: R.: R.: R.:

R.: R.: R.: R.: R.: R.: R.: PROFESSOR: EQUIPE DE HISTÓRIA BANCO DE QUESTÕES - HISTÓRIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== 01- Como o relevo

Leia mais

MATÉRIA História. c) Sócrates ( ) Responsável pela sistematização da lógica, organização racional do pensamento e da argumentação.

MATÉRIA História. c) Sócrates ( ) Responsável pela sistematização da lógica, organização racional do pensamento e da argumentação. Valores eternos. TD Recuperação TOTAL DE ESCORES ALUNO(A) ESCORES OBTIDOS MATÉRIA História ANO/TURMA SEMESTRE DATA 6º 2º Dez/13 PROFESSOR(A) Magela Silva VISTO DOS PAIS/RESPONSÁVEIS Eles formaram uma incrível

Leia mais

Esparta: A Sociedade da Guerra

Esparta: A Sociedade da Guerra Esparta: A Sociedade da Guerra Esparta se constituiu como uma pólis guerreira. Seu exército foi um dos mais eficientes do mundo grego 1 Localização» Lendas do século V a.c. relatam que descendentes de

Leia mais

HISTÓRIA REVISAO 1 REVISAO 2. Vídeo - Moisés Príncipe do Egito.

HISTÓRIA REVISAO 1 REVISAO 2. Vídeo - Moisés Príncipe do Egito. Vídeo - Moisés Príncipe do Egito. Os hebreus Foram os primeiros povos monoteístas da história. Seus reis mais famosos foram Davi e Salomão. A Bíblia é uma fonte importante para o conhecimento sobre a história

Leia mais

Lista de exercícios para pra final de História. 5ª série

Lista de exercícios para pra final de História. 5ª série Lista de exer PROVÍNCIA BRASILEIRA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS FILHAS DA CARIDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO COLÉGIO VICENTINO SÃO JOSÉ Rua Pe. José Joaquim Goral, 182 Abranches Curitiba Fone (041) 3355-2200

Leia mais

ARTE SIMBÓLICA. Neide Miele. A arte egípcia é denominada Simbólica.

ARTE SIMBÓLICA. Neide Miele. A arte egípcia é denominada Simbólica. ARTE SIMBÓLICA Neide Miele A arte egípcia é denominada Simbólica. As imagens pintadas ou esculpidas são representações repletas de significados que ajudam a expressar conceitos, descrever situações e estabelecer

Leia mais

- Transição da Idade Média para Idade Moderna

- Transição da Idade Média para Idade Moderna Renascimento - Transição da Idade Média para Idade Moderna - Movimento que começou na Itália por volta do século XV devido ao grande desenvolvimento econômico das cidades italianas (Genova, Veneza, Milão,

Leia mais

A arte reflete a vida

A arte reflete a vida A arte reflete a vida A arte é uma constante na vida. Ela faz parte da história de todos nós. Aquele general autoritário, aquele padre severo, aquela mulher bondosa e aquela criança endiabrada são todos

Leia mais

MONARQUIA REPÚBLICA IMPÉRIO Governo de reis Governo de senadores Governo de imperadores 753 a.c. 509 a.c. 27 a.c. 476 d.c.

MONARQUIA REPÚBLICA IMPÉRIO Governo de reis Governo de senadores Governo de imperadores 753 a.c. 509 a.c. 27 a.c. 476 d.c. GUIA DE ESTUDO IMPÉRIO ROMANO e.g. ROMA E O SEU IMPÉRIO NOS SÉCULOS I E II 1. Escreve no mapa: Roma, Atenas, Conímbriga, Cartago, HISPÂNIA, ITÁLIA, GÁLIA, EGITO, ÁFRICA, OCEANO ATLÂNTICO, Mar Mediterrâneo,

Leia mais

Arte na antiguidade: Roma. Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr. http://www.mural-2.com

Arte na antiguidade: Roma. Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr. http://www.mural-2.com Arte na antiguidade: Roma Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr. http://www.mural-2.com INFLUÊNCIAS: arte etrusca - voltada para a expressão da arte vivida (destaque para o uso de arcos e abóbadas nas construções)

Leia mais

ALUNO: - ANO - TURMA - DATA \ \ 201. Ficha de Aula de Arte I Trimestre

ALUNO: - ANO - TURMA - DATA \ \ 201. Ficha de Aula de Arte I Trimestre ALUNO: Nº - ANO - TURMA - DATA \ \ 201 Profª Ana Lúcia Leal Ficha de Aula de Arte I Trimestre Arte no Antigo Egito Uma das principais civilizações da Antiguidade foi a que se desenvolveu no Egito. Era

Leia mais

ATENAS, OLÍMPIA, SANTORINI E CRETA-10 dias/9 noites

ATENAS, OLÍMPIA, SANTORINI E CRETA-10 dias/9 noites ATENAS, OLÍMPIA, SANTORINI E CRETA-10 dias/9 noites Roteiro dia a dia proposta 1º Dia ATENAS Chegada ao aeroporto, recepção e transfer ao hotel. Depois do almoço, sairemos para o passeio panorâmico pela

Leia mais

Barroco. www.roginei.com.br

Barroco. www.roginei.com.br Barroco As origens da palavra são incertas. Talvez venha do português barroco ou do espanhol berrueco, que significa pérola de formato irregular. O Juízo Final (1536-1541) afresco de Michelangelo Capela

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

MÓDULO 02. Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção. arquiteto@renatopaldes.arq.br

MÓDULO 02. Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção. arquiteto@renatopaldes.arq.br MÓDULO 02 Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção arquiteto@renatopaldes.arq.br Uso da Pedra Primeiras manifestações Stonehenge 3.300 AC. Antigo Egito Encontrados blocos

Leia mais