DIREITO PENAL QUESTÕES DE CONCURSOS CRIMES EM ESPÉCIE E LEIS ESPECIAIS PROFESSSOR JOERBERTH NUNES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO PENAL QUESTÕES DE CONCURSOS CRIMES EM ESPÉCIE E LEIS ESPECIAIS PROFESSSOR JOERBERTH NUNES"

Transcrição

1 DIREITO PENAL QUESTÕES DE CONCURSOS CRIMES EM ESPÉCIE E LEIS ESPECIAIS PROFESSSOR JOERBERTH NUNES 01. Assinale a alternativa correta : A) O crime de homicídio privilegiado é aquele cometido mediante motivo fútil. B) O crime de furto é um crime formal. C) O furto de uso não constitui crime. D) O crime de injúria não admite, seja o caso que for, o perdão judicial. 02. Marque a alternativa correta sobre o crimes contra o patrimônio : A) O crime de extorsão mediante sequestro é um crime formal. B) O crime de receptação imprópria é um crime material. C) O crime de estelionato é um crime formal. D) O crime de apropriação indébita é aquele em que o agente dolosamente engana a vítima e, assim, obtém uma indevida vantagem econômica. 03. Segundo o Código Penal, A) O crime de roubo tem como causa de aumento de pena quando praticado com uso de arma de brinquedo. B) O crime de dano não admite a forma culposa. C) o crime de latrocínio consuma-se com a efetiva subtração de bens da vítima. D) o crime de incêndio somente tem previsão dolosa. 04. Pode-se afirmar que : A) no crime de falsificação de documento público, tem-se uma falsidade material. B) o crime de uso de documento público falso é crime contra a Administração Pública. C) o crime de falsificação de documento público somente por ser praticado por funcionário público. D) a advocacia administrativa não é crime funcional. 05. Assinale a alternativa que contém somente crimes funcionais :

2 A) peculato e tráfico de influência B) concussão e corrupção passiva C) concussão e corrupção ativa D) exploração de prestígio e usurpação de função pública 06. Constitui conduta criminosa : A) emitir cheque pré-datado, sabendo-o sem provisão de fundos. B) destruir culposamente a vidraça de prédio pertencente ao departamento de polícia civil. C) deixar o pai de prover, sem justa causa, a instrução primária do filho em idade escolar. D) cometer adultério 07. Pode-se afirmar que : A) o crime de furto não admite tentativa; B) a conduta de influir para que alguém de boa fé adquira um produto proveniente de crime é denominado crime de receptação. C) o crime de estelionato não admite tentativa. D) o crime de extorsão ocorre quando o agente, sem o uso de violência ou grave ameaça, com intuito de obter para si ou para outrem indevida vantagem econômica, constrange a vítima a fazer, tolerar que se faça ou a deixar de fazer alguma coisa. 08. A conduta de o agente dolosamente enganar alguém e, desta forma, aproveitando-se desta fraude, vem a subtrair um bem da vítima denomina-se crime de : A) receptação B) apropriação indébita C) estelionato D) furto qualificado pela fraude 09. O filho de dezoito anos de idade que subtrai a quantia de R$ 5.000,00 da bolsa de sua mãe para si : A) está isento de pena

3 B) poderá receber o perdão judicial C) poderá ter pena reduzida de 1 (um) a 2/3 (dois terços). D) comete o crime de furto qualificado e tem como causa de aumento de pena o fato de ter praticado o crime contra ascendente. 10. O crime de estupro : A) é um crime próprio. B) admite arrependimento posterior. C) é um crime plurissubjetivo. D) possui qualificadora caso haja a morte da vítima. 11. O ato de receber, como garantia de dívida, abusando da situação de alguém, documento que pode dar causa a procedimento criminal contra a vítima, constitui crime de A) fraude na entrega de coisa. B) estelionato. C) fraude no comércio. D) extorsão indireta. E) furto qualificado pela fraude. 12. Relativamente aos crimes contra o patrimônio, analise as afirmativas a seguir: I. No crime de furto, se o criminoso é primário, e a coisa furtada é de pequeno valor, o juiz pode substituir a pena de reclusão pela de detenção. II. Considera-se qualificado o dano praticado com violência à pessoa ou grave ameaça, com emprego de substância inflamável ou explosiva (se o fato não constitui crime mais grave), contra o patrimônio da União, Estado, Município, empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de economia mista ou ainda por motivo egoístico ou com prejuízo considerável para a vítima. III. É isento de pena quem comete qualquer dos crimes contra o patrimônio em prejuízo do cônjuge, na constância da sociedade conjugal, desde que não haja emprego de grave ameaça ou violência à pessoa ou que a vítima não seja idosa com idade igual ou superior a 60 anos. Assinale A) se somente a afirmativa I estiver correta. B) se somente a afirmativa II estiver correta.

4 C) se somente a afirmativa III estiver correta. D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. E) se todas as afirmativas estiverem corretas. 13. Durante o movimento grevista, três empregados filiados ao sindicato da categoria profissional praticaram as seguintes condutas: o primeiro, fez uma ligação clandestina, por meio de um fio, entre o poste de energia da rua e o carro de som do sindicato, parado na calçada do portão de entrada da empresa, propiciando o funcionamento contínuo do equipamento e dos altofalantes; o segundo, escalou o muro lateral do estabelecimento, passou por cima da cerca elétrica e, em seguida, retirou e se apropriou da câmera de filmagem instalada na parede interna, levando-a consigo na mochila; o terceiro, que estava trabalhando normalmente, dirigiu-se, de forma sorrateira, ao setor administrativo da empresa, abriu o arquivo das pastas de contratos e cheques de clientes e os rasgou. Os crimes cometidos pelos três empregados foram, respectivamente: A) furto; furto qualificado e dano; B) apropriação indébita; roubo e estelionato; C) furto qualificado; roubo e estelionato; D) apropriação indébita; furto qualificado e dano qualificado; E) nenhuma das respostas é correta. 14. Há previsão legal de escusa absolutória nos delitos patrimoniais desde que seja cometido contra cônjuge, na constância da sociedade conjugal, A) ascendente, excluídos os crimes de roubo ou de extorsão, ou, em geral, quando haja emprego de violência ou grave ameaça somente contra a pessoa. B) ascendente, descendente, excluídos os crimes de roubo ou de extorsão, ou, em geral, quando haja emprego de violência ou grave ameaça somente contra a pessoa. C) ascendente, excluídos os crimes de roubo ou de extorsão, ou, em geral, quando haja emprego de violência ou grave ameaça contra a pessoa e ao estranho que participa do crime. D) ascendente, descendente, excluídos os crimes de roubo, extorsão e latrocínio. E) ascendente, descendente, excluídos os crimes de roubo ou de extorsão, ou, em geral, quando haja emprego de violência ou grave ameaça contra a pessoa e ao estranho que participa do crime. 15. João, com intenção de matar, agrediu José a golpes de faca, ferindo-o no abdome. Atendido por terceiros, José foi levado a um hospital. Quando estava sendo medicado, ocorreu um incêndio no hospital e José morreu queimado. Nesse caso, João responderá por

5 A) lesões corporais leves. B) lesões corporais graves. C) homicídio doloso. D) tentativa de homicídio. E) homicídio culposo 16. Antonio e sua mulher Antonia resolveram, sob juramento, morrer na mesma ocasião. Antonio, com o propósito de livrar-se da esposa, finge que morreu. Antonia, fiel ao juramento assumido, suicida-se. Nesse caso, Antonio responderá por A) auxílio ao suicídio culposo. B) homicídio doloso. C) homicídio culposo. D) induzimento ao suicídio. E) tentativa de homicídio. 17. "A", desafeto de "B"(taxista), com o intuito de prejudicar a imagem deste, confecciona e expõe em rua movimentada um "outdoor" com a seguinte frase: "Cuidado! 'B' é ladrão". Considerando os fatos descritos e a disciplina legal dos crimes contra a honra, é correto afirmar que: I - O crime cometido por "A, na conduta acima descrita, admite exceção da verdade. II - Na difamação é sempre cabível a exceção da verdade. III - Não há previsão legal de crime de injúria qualificada. IV - A ofensa contra servidor público, no exercício de suas funções, é tipificada como crime de injúria. V - Na injúria não se admite a exceção da verdade, salvo se o ofendido é

6 servidor público e a ofensa se deu em razão da função. Assinale a alternativa correta: A) Há apenas uma proposição correta B) Há apenas duas proposições corretas C) Há apenas três proposições corre D) Todas as proposições estão corretas E) Todas as proposições estão incorretas 18. Maria da Silva, esposa do Promotor de Justiça Substituto José da Silva, mantém um caso extraconjugal com o serventuário do Tribunal de Justiça Manoel de Souza. Passado algum tempo, Maria decide separar-se de José da Silva, contando a ele o motivo da separação. Inconformado com a decisão de sua esposa, José da Silva decide matá-la, razão pela qual dispara três vezes contra sua cabeça. Todavia, logo depois dos disparos, José da Silva coloca Maria da Silva em seu carro e conduz o veículo até o hospital municipal. No trajeto, José da Silva imprime ao veículo velocidade bem acima da permitida e "fura" uma barreira policial, tudo para chegar rapidamente ao hospital. Graças ao pouco tempo decorrido entre os disparos e a chegada ao hospital, os médicos puderam salvar a vida de Maria da Silva. Maria sofreu perigo de vida, atestado por médicos e pelos peritos do Instituto Médico Legal, mas recuperouse perfeitamente vinte e nove dias após os fatos. Qual crime praticou José da Silva? A) Tentativa de homicídio. B) Nenhum crime, pois agiu em legítima defesa. C) Lesão corporal grave. D) Lesão corporal leve. E) Lesão corporal seguida de morte. 19. Relativamente aos crimes contra a pessoa, o Código Penal dispõe de um capítulo específico sobre os crimes contra a honra, cujos tipos penais previstos são a calúnia, a difamação e a injúria. A respeito desse tema, assinale a alternativa correta. A) No crime de difamação, exige-se que o agente tenha consciência da falsidade da imputação. B) A exceção da verdade, na injúria, somente se admite se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções. C) A calúnia protege a honra subjetiva, enquanto a difamação e a injúria protegem a honra objetiva. D) Não constituem calúnia, difamação ou injúria a ofensa irrogada em juízo, na

7 discussão da causa, pela parte ou por seu procurador. E) Na calúnia, não se admite a exceção da verdade se, do crime imputado, embora de ação pública, o ofendido foi absolvido por sentença irrecorrível. 20. Assinale a alternativa correta. A) o crime de falsificação de documento público é um crime próprio. B) o crime de falsidade ideológica é uma falsidade material. C) o crime de moeda falsa não admite a forma privilegiada. D) o fato de alguém alterar dolosamente, modificando os termos de um testamento particular feito por terceiro, a fim de beneficiar-se dos bens, sendo que não constara como beneficiário, comete o crime de falsificação de documento particular. 21. Carlos, com dezoito anos à época do fato, na companhia do amigo Paulo, com vinte e dois anos por ocasião do fato, furtaram R$ 300,00 (trezentos reais) da carteira do avô de Carlos, seu Romeu, o qual contava, no dia do furto, em 07/08/07, com 61 anos de idade. Sobre a responsabilização penal dos autores do fato, é correto afirmar: A) Carlos responderá pelo delito de furto qualificado, assim como seu amigo Paulo, sendo que não haverá isenção de pena para qualquer um dos agentes. B) Haverá isenção de pena quanto a Carlos, por se tratar de descendente da vítima, circunstância que alcançará o amigo Paulo. C) Carlos ficará isento de pena, mas tal circunstância não alcançará o amigo Paulo. D) A responsabilização penal de ambos os agentes dependerá de representação da vítima. E) A responsabilização penal de Carlos dependerá de queixa-crime e a de Paulo de representação da vítima. 22. No tocante aos crimes contra o patrimônio, é possível afirmar que A) é admissível o arrependimento posterior no crime de extorsão. B) não haverá receptação se inimputável o autor do crime de que proveio a coisa.

8 C) a pena privativa de liberdade por roubo simples pode ser substituída por restritiva de direitos. D) a pena de reclusão, no crime de apropriação indébita, pode ser substituída pela de detenção ou reduzida de um a dois terços, se o agente é primário e a coisa apropriada for de pequeno valor. E) o dano culposo admite a suspensão condicional do processo. 23. Tício agrediu Paulus a golpes de faca para subtrair-lhe dinheiro que trazia nos bolsos da calça. Face à aproximação de terceiros, Tício fugiu do local sem nada roubar, sendo que Paulus veio a falecer em conseqüência das lesões recebidas. Nesse caso, de acordo com a orientação jurisprudencial dominante, Tício responderá por A) homicídio qualificado. B) tentativa de furto em concurso formal com homicídio qualificado. C) latrocínio consumado. D) tentativa de roubo em concurso formal com homicídio qualificado. E) latrocínio tentado. 24. O crime de uso de documento falso A) é de ação penal pública condicionada. B) admite a suspensão condicional do processo se a falsificação for de documento particular. C) admite tentativa, pois não se trata de crime instantâneo. D) ocorre mesmo quando o agente é forçado pela autoridade a exibir o documento, segundo pacífico entendimento jurisprudencial. E) permite a transação na modalidade culposa. 25. João alterou documento verdadeiro emanado de entidade paraestatal. João responderá por crime de A) falsificação de documento público. B) falsificação de documento particular. C) falsidade ideológica. D) falsificação de selo ou sinal público. E) supressão de documento.

9 26. Pedro, policial rodoviário federal, solicitou a Maria, caminhoneira catarinense, determinada quantia em dinheiro como colaboração para não multá-la por um defeito nos faróis do seu veículo, porém Maria não aceitou a proposta. Nesse caso, Pedro responderá por A) corrupção passiva consumada. B) tentativa de concussão. C) tentativa de corrupção passiva. D) corrupção ativa consumada. 27. Pedro, funcionário público, deixou de praticar ato de ofício, com infração de dever funcional, cedendo à influência de Daniele, sua namorada. Nessa situação hipotética, a conduta de Pedro se amolda ao tipo de crime, previsto no Código Penal, de A) prevaricação. B) concussão. C) tráfico de influência. D) corrupção passiva. 28. Pedro, estagiário contratado pela Caixa Econômica Federal, substituindo funcionário do caixa do banco, atendeu diversos clientes que procuravam efetuar pagamento de carnês, lançando carimbo de pago e a própria rubrica no verso dos bilhetes. Ao término do expediente, apropriou-se dos valores pagos, deixando de lançá-los no sistema informatizado de controle do banco. Há, neste caso, crime de A) Peculato. B) Furto qualificado pelo emprego de fraude. C) Estelionato. D) Apropriação indébita. 29. Quem, na qualidade de funcionário público, exige tributo ou contribuição social que sabe ou deveria saber indevido, pratica: A) concussão; B) prevaricação; C) excesso de exação; D) corrupção ativa. 30. Tício, funcionário público, negligentemente, esquece a janela da repartição

10 onde trabalha aberta. Mévio, seu colega de trabalho, aproveita-se para subtrair equipamentos da referida repartição. Pode-se concluir que: A) Tício e Mévio responderão por peculato furto, em concurso; B) somente Mévio responderá por peculato, crime que só admite a forma dolosa; C) Tício responderá por peculato culposo; D) Tício e Mévio responderão por peculato culposo; E) Tício responderá por prevaricação e Mévio por peculato. 31. NÃO constitui crime contra a administração da justiça: A) favorecimento real. B) patrocínio infiel. C) denunciação caluniosa. D) exploração de prestígio. E) desobediência. 32. Observe as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA: I - Para a tipificação do crime de falso testemunho ou falsa perícia é irrelevante que o falso tenha influído na decisão da causa. II - No crime de falso testemunho há extinção da punibilidade se, antes da sentença no processo em que ocorreu o ilícito, o agente se retrata ou relata a verdade. III - Trair, na qualidade de advogado ou procurador, o dever profissional, prejudicando interesse, cujo patrocínio, em juízo, lhe é confiado tipifica o crime de tergiversação. IV - Um amigo do proprietário da empresa X, ré em ação trabalhista, promete dinheiro à testemunha para fazer afirmação falsa em favor da empresa perante juiz do trabalho. A conduta do amigo do proprietário da ré não configura o crime de corrupção ativa de testemunha, porque o amigo não é parte no processo. A) apenas uma das assertivas está correta; B) apenas duas das assertivas estão corretas; C) apenas três das assertivas estão corretas; D) todas as assertivas estão corretas; E) não respondida. 33. Provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe a ocorrência de crime ou de contravenção que sabe não se ter verificado, configura o crime de:

11 A) denunciação caluniosa; B) auto-acusação falsa; C) comunicação falsa de crime ou de contravenção; D) falso testemunho ou falsa perícia; E) não respondida. 34. Julgue os itens que se seguem com relação aos crimes contra a vida, contra o patrimônio e contra a administração pública. A premeditação, apesar de não ser considerada qualificadora do delito de homicídio, pode ser levada em consideração para agravar a pena, funcionando como circunstância judicial. Considere a seguinte situação hipotética. Ana subtraiu maliciosamente determinada peça de roupa de alto valor de uma amiga, com a intenção tão só de utilizá-la em uma festa de casamento. Após o evento, Ana, tendo atingido seu objetivo, devolveu a vestimenta. Nessa situação, Ana não responderá pelo delito de furto, uma vez que o CP não tipifica a figura do furto de uso. Na hipótese de peculato culposo, a reparação do dano, se precedente à sentença irrecorrível, extingue a punibilidade. 35. De acordo com a Lei de Execução Penal, incumbe à Defensoria Pública requerer a detração e a remição da pena. A respeito desses dois institutos é correto afirmar: A) O preso impossibilitado de prosseguir no trabalho, por acidente, continuará a beneficiar-se com a remição. B) Pelo instituto da remição, o período de prisão provi- sória por fato que resultou a condenação executada deve ser considerado no cômputo do cumprimento da pena imposta pela sentença. C) A detração consiste na possibilidade de o apenado diminuir parte do tempo de execução da pena pelo trabalho, sendo que a contagem do tempo para tal fim será feita à razão de 1 (um) dia de pena por D) O tempo remido não é computado para a concessão do indulto, somente para o deferimento do livramento condicional. E) O condenado que for punido por falta grave perderá o direito ao tempo detraído, começando o novo período a partir da data da infração disciplinar. 36. A respeito da Lei n /06, é correto afirmar:

12 A) Há previsão de delito culposo no rol de crimes. B) Na hipótese do delito previsto no caput do art. 33, o indivíduo primário, com bons antecedentes, que não se dedique às atividades criminosas nem integre organização criminosa, poderá ter sua pena reduzida, desde que confesse a autoria delitiva, de um sexto a dois terços. C) O condenado pelo delito previsto no art. 28 não poderá receber pena privativa de liberdade, salvo se reincidente e demonstrar resistência ao tratamento contra dependência química. (D) O delito de associação para o tráfico consignado no art. 35 exige a mesma quantidade de agentes prevista para o crime de quadrilha ou bando disposto no art. 288 do Código Penal. E) O agente que em única ocasião oferece gratuitamente para um amigo vinte pedras de substância conhecida como crack, ainda que com única intenção de juntos consumirem, responde pelo crime previsto no caput do art. 33, delito equiparado a hediondo. 37. Com base na Lei Maria da Penha, assinale a opção correta. A) A competência para o processo e julgamento dos crimes decorrentes de violência doméstica é determinada pelo domicílio ou pela residência da ofendida. B) Para a concessão de medida protetiva de urgência prevista a lei, o juiz deverá colher prévia manifestação do MP, sob pena de nulidade absoluta do ato. C) Para os efeitos da lei, configura violência doméstica e familiar contra a mulher a ação que, baseada no gênero, lhe cause morte, lesão, sofrimento físico ou sexual, não estando inserido em tal conceito o dano moral, que deverá ser pleiteado, caso existente, na vara cível comum. D) É desnecessário, para que se aplique a Lei Maria da Penha, que o agressor coabite ou tenha coabitado com a ofendida, desde que comprovado que houve a violência doméstica e familiar e que havia entre eles relação íntima de afeto. 38. Considere que Júlio, usuário de droga, tenha oferecido pela primeira vez, durante uma festa, a seu amigo Roberto, sem intuito de lucro, pequena quantidade de maconha para consumirem juntos. Nessa situação hipotética, Júlio

13 A) deverá ser submetido à pena privativa de liberdade, diversa e mais branda que a prevista abstratamente para o traficante de drogas. B) praticou conduta atípica, dada a descriminalização do uso de substância entorpecente. C) praticou conduta típica, entretanto, como a lei em vigor despenalizou a conduta, ele deve ser apenas submetido a admoestação verbal. D) praticou tráfico ilícito de entorpecentes e, de acordo com a legislação em vigor, a pena abstratamente cominada será a mesma do traficante regular de drogas. 39. É INCORRETO afirmar que: A) a empresa privada que nega emprego em razão de discriminação racial praticada por seus administradores está sujeita, como efeito da condenação destes, à suspensão do funcionamento por prazo não superior a três meses, sendo que tal efeito não é automático, devendo ser declaradamente motivado na sentença; B) o instituto da retratação, previsto no Código Penal, tem aplicação nos crimes de calúnia e difamação; C) sempre constituirá o crime previsto na lei que dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência e sua tegração social a negativa de emprego ou trabalho a alguém por motivo derivado de sua deficiência; D) é crime de abuso de autoridade, o atentado aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional; E) não respondida. 40. Julgue as seguintes proposições. I. Segundo entendimento predominante do STF, não se admite progressão de regime prisional em crime de tortura. II. Como efeito automático, a condenação por crime de tortura implica perda do cargo público e na interdição para seu exercício pelo dobro do prazo da pena aplicada. III. A tortura é crime próprio, apenas podendo ser praticada por agentes públicos. IV. O início do cumprimento da pena por crime previsto na Lei n /97 se dá sempre no regime fechado.

14 Está(ão) CORRETA(S) A) I. B) II. C) I e III. D) II e IV. E) I, II, III e IV. 41. José da Silva dirigia seu automóvel em velocidade acima da permitida e de forma imprudente. Ao passar por um cruzamento, José não percebe que o sinal estava vermelho e atropela Maria de Souza, que vem a sofrer uma fratura exposta na perna direita e fica mais de 30 dias impossibilitada de desenvolver suas ocupações habituais. A fim de socorrer a vítima, José da Silva para o carro, sai do veículo e retira Maria do meio da via. Contudo, ao ver um grupo de pessoas vociferando e gritando "assassino!", "pega!" e "lincha!", José retorna para seu veículo e se evade do local, sendo parado alguns metros adiante por uma patrulha de policiais militares que o levam preso em flagrante à Delegacia de Polícia. Com base no relato acima, analise as afirmativas a seguir: I. Segundo a lei 9.503/97 (Código Nacional de Trânsito), José não poderia ser preso em flagrante porque prestou socorro à vítima e só não permaneceu no local porque corria risco pessoal. II. José praticou o crime de lesão corporal culposa grave na direção de veículo automotor. III. José praticou o crime do art. 305, da Lei 9.503/97 (Afastar-se o condutor do veículo do local do acidente, para fugir à responsabilidade penal ou civil que lhe possa ser atribuída). Assinale: A) se somente a afirmativa I estiver correta. B) se somente a afirmativa II estiver correta. C) se somente a afirmativa III estiver correta D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

15 42. Divulgar, sem autorização devida, por qualquer meio de comunicação, o nome de criança ou adolescente envolvido em procedimento policial a que se atribua ato infracional não é conduta criminosa, mas mera infração administrativa. CERTO Relativamente ao Estatuto do Idoso (Lei nº /2003), analise as afirmativas a seguir: I. O Estatuto do Idoso é destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 65 (sessenta e cinco) anos. II. Os crimes definidos no Estatuto do Idoso são de ação penal pública incondicionada, não se lhes aplicando os arts. 181 e 182 do Código Penal. III. Aos crimes previstos no Estatuto do Idoso, cuja pena máxima privativa de liberdade não ultrapasse 2 (dois) anos, aplica-se o procedimento previsto na Lei nº 9.099, de 26 de setembro de 1995, e, subsidiariamente, no que couber, as disposições do Código Penal e do Código de Processo Penal. Assinale: A) se somente a afirmativa I estiver correta. B) se somente a afirmativa II estiver correta. C) se somente a afirmativa III estiver correta. D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. E) se todas as afirmativas estiverem corretas. 43. A respeito do crime organizado e com base na legislação respectiva, assinale a opção correta. A) O réu pode apelar em liberdade, se for primário e portador de bons antecedentes. B) Os condenados por crime decorrente de organização criminosa iniciam o cumprimento da pena em regime fechado. C) O civilmente identificado não deve ser submetido a identificação criminal. D) O participante de organização criminosa tem sua pena reduzida em um a dois terços, ainda que sua colaboração não tenha sido espontânea. E) Não se concede liberdade provisória, com ou sem fiança, a qualquer participante de organização criminosa. 44. Em relação aos crimes previstos no Estatuto do Desarmamento (Lei n /2003), é INCORRETO afirmar que será

16 A) punido o comércio ilegal de arma de fogo, acessório ou munição. B) punida a omissão de cautela. C) punida a posse irregular de arma de fogo de uso permitido. D) punida a posse ou porte legal de arma de fogo de uso restrito. E) punido o porte ilegal de arma de fogo de uso permitido. GABARITO 1-C 2-A 3-B 4-A 5-B 6-C 7-B 8-D 9-A 10-D 11-D 12-E 13-A 14-E 15-D 16-D 17-E 18-C 19-E 20-E 21-A 22-D 23-C 24-B 25-A

17 26-A 27-D 28-A 29-C 30-C 31-E 32-B 33-C 34-CERTA/CERTA/CERTA 35-A 36-A 37-D 38-A 39-C 40-A 41-A 42-B 43-B 44-D

Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990

Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990 Sumário Prefácio... 11 Apresentação dos autores... 13 Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990 1. Para entender a lei... 26 2. Aspectos gerais... 28 2.1 Fundamento constitucional... 28 2.2 A Lei dos

Leia mais

Questões relevantes Parte Especial CP

Questões relevantes Parte Especial CP Direito Penal 1ª Fase OAB/FGV Aula 5 Professor Sandro Caldeira Questões relevantes Parte Especial CP Crimes contra a honra Crimes contra o patrimônio; Crimes contra a dignidade sexual; Crimes praticados

Leia mais

Aulão Polícia Civil Direito Penal Questões Emerson Castelo Branco

Aulão Polícia Civil Direito Penal Questões Emerson Castelo Branco Aulão Polícia Civil Direito Penal Questões Emerson Castelo Branco 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1-Fundação Pública Federal contrata o técnico de informática

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará Cacildo Baptista Palhares Júnior: advogado em Araçatuba (SP) Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará 21. Para formação do nexo de causalidade, no

Leia mais

Questões relevantes Parte Especial CP

Questões relevantes Parte Especial CP Direito Penal 2ª Fase OAB/FGV Aula 07 Professor Sandro Caldeira Questões relevantes Parte Especial CP Crimes contra a vida; ; Homicídio simples Art. 121 CP. Matar alguém: Pena - reclusão, de seis a vinte

Leia mais

CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:

CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: COMENTÁRIOS DA PROVA Questões da prova de Oficial de Justiça PJ-H/2014 Questão 48 (art. 325) Questão 47 (art. 312 parágrafo segundo) QUESTÃO 48 - GABARITO: D QUESTÃO 47 - GABARITO: C CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Exercícios da lei 9.455/97 - lei de tortura. Prof. Wilson Torres

Exercícios da lei 9.455/97 - lei de tortura. Prof. Wilson Torres Exercícios da lei 9.455/97 - lei de tortura. Prof. Wilson Torres 01- A prática da tortura, o tráfico ilícito de entorpecentes, o terrorismo e os crimes definidos como hediondos podem ser imputados, com

Leia mais

TIPO 1 TIPO 2 TIPO 3 TIPO 4 59 60 61 64 60 61 60 63 61 62 59 62 62 59 64 59 63 64 63 61 64 63 62 60 65 66 67 68

TIPO 1 TIPO 2 TIPO 3 TIPO 4 59 60 61 64 60 61 60 63 61 62 59 62 62 59 64 59 63 64 63 61 64 63 62 60 65 66 67 68 Tabela de Correspondência de Questões: XIII EXAME UNIFICADO OAB 1ª. ETAPA TIPO 1 TIPO 2 TIPO 3 TIPO 4 59 60 61 64 60 61 60 63 61 62 59 62 62 59 64 59 63 64 63 61 64 63 62 60 65 66 67 68 PROVA TIPO 1 Questão

Leia mais

1. CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

1. CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Crimes Contra a Administração Pública 1. CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Crimes contra a Administração Pública impedem a progressão de regime sem a reparação do dano. A reparação

Leia mais

RETA FINAL DEFENSORIA PÚBLICA RJ Disciplina: Direito Penal Tema: Exercícios Parte Especial Profa.: Elisa Pitaro Data: 05/07/2007

RETA FINAL DEFENSORIA PÚBLICA RJ Disciplina: Direito Penal Tema: Exercícios Parte Especial Profa.: Elisa Pitaro Data: 05/07/2007 EXERCÍCIOS DE DIREITO PENAL PARTE ESPECIAL 1. "A" desfere um golpe de faca em "B", com o objetivo de matá-lo. No entanto, "B" sofre apenas lesões corporais leves, sendo transportado para o hospital em

Leia mais

Aulão Polícia Civil Direito Penal Questões Emerson Castelo Branco

Aulão Polícia Civil Direito Penal Questões Emerson Castelo Branco Aulão Polícia Civil Direito Penal Questões Emerson Castelo Branco 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. Maria da Silva, esposa do Promotor de Justiça Substituto

Leia mais

ALTERAÇÃO NO CÓDIGO PENAL: O DELITO DE FAVORECIMENTO DA PROSTITUIÇÃO OU DE OUTRA FORMA DE EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA OU ADOLESCENTE OU DE VULNERÁVEL

ALTERAÇÃO NO CÓDIGO PENAL: O DELITO DE FAVORECIMENTO DA PROSTITUIÇÃO OU DE OUTRA FORMA DE EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA OU ADOLESCENTE OU DE VULNERÁVEL ALTERAÇÃO NO CÓDIGO PENAL: O DELITO DE FAVORECIMENTO DA PROSTITUIÇÃO OU DE OUTRA FORMA DE EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA OU ADOLESCENTE OU DE VULNERÁVEL. Nomen juris: a Lei nº 12.978/2014 alterou o nome

Leia mais

QUESTÕES PARA RESOLUÇÃO DIREITO PENAL PROF. JOERBERTH PINTO NUNES

QUESTÕES PARA RESOLUÇÃO DIREITO PENAL PROF. JOERBERTH PINTO NUNES QUESTÕES PARA RESOLUÇÃO DIREITO PENAL PROF. JOERBERTH PINTO NUNES 01. Funcionário público da fiscalização em transportes, no exercício da sua função, que adverte um amigo seu de uma fiscalização itinerante

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2015 Disciplina: Direito Penal III Departamento III Direito Penal e Direito Processo Penal Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual 4º ano Docente Responsável: Gustavo

Leia mais

CRIMES DE TORTURA (9.455/97)

CRIMES DE TORTURA (9.455/97) CRIMES DE TORTURA (9.455/97) TORTURA FÍSICA MENTAL Art. 1º Constitui crime de tortura: I - constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental: a) tortura-persecutória

Leia mais

OAB 139º - 1ª Fase Regular Modulo II Disciplina: Direito Penal Professor Patrícia Vanzolini Data: 31/07/2009

OAB 139º - 1ª Fase Regular Modulo II Disciplina: Direito Penal Professor Patrícia Vanzolini Data: 31/07/2009 9ª Aula: Parte Especial: Homicídio, Infanticídio, Participação no Suicídio, Aborto e Lesão Corporal. 1. HOMICIDIO 1. Homicídio simples: Caput pena de 6 a 20 anos de reclusão. É crime hediondo? Não, salvo

Leia mais

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Í N D I C E Código Disciplina Página DIR 05-00188 Direito Penal I 2 DIR 05-00361 Direito Penal II 3 DIR 05-00528 Direito Penal III 4 DIR 0-00684 Direito Penal IV 5 DIR 05-07407

Leia mais

Direito Penal Dr. Caio Paiva Aprovado no Concurso para Defensor Público Federal

Direito Penal Dr. Caio Paiva Aprovado no Concurso para Defensor Público Federal Direito Penal Dr. Caio Paiva Aprovado no Concurso para Defensor Público Federal Escola Brasileira de Ensino Jurídico na Internet (EBEJI). Todos os direitos reservados. 1 Direito Penal Parte Especial do

Leia mais

Questões de Processo Penal

Questões de Processo Penal Questões de Processo Penal 1º) As Contravenções Penais (previstas na LCP) são punidas com: a) ( ) Prisão Simples; b) ( ) Reclusão; c) ( ) Detenção; d) ( ) Não existe punição para essa espécie de infração

Leia mais

SUMÁRIO. Parte 1. Capítulo 3 Prisão em flagrante... 21

SUMÁRIO. Parte 1. Capítulo 3 Prisão em flagrante... 21 SUMÁRIO Parte 1 Aspectos gerais da atividade policial Capítulo 1 Distinção entre a Polícia Militar, a Polícia Civil, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e a Guarda Municipal...3 Capítulo 2

Leia mais

COMENTÁRIOS DAS PROVAS DE DIREITO PENAL DO TRE PB Autor: Dicler Forestieri Ferreira

COMENTÁRIOS DAS PROVAS DE DIREITO PENAL DO TRE PB Autor: Dicler Forestieri Ferreira Saudações aos amigos concurseiros que realizaram a prova do TRE PB. Analisei as questões de Direito Penal (área judiciária e área administrativa) e estou disponibilizando o comentário das mesmas. Na minha

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Gilberto, quando primário, apesar de portador de maus antecedentes, praticou um crime de roubo simples, pois, quando tinha 20 anos de idade, subtraiu de Renata, mediante

Leia mais

LFG MAPS. Teoria Geral do Delito 05 questões

LFG MAPS. Teoria Geral do Delito 05 questões Teoria Geral do Delito 05 questões 1 - ( Prova: CESPE - 2009 - Polícia Federal - Agente Federal da Polícia Federal / Direito Penal / Tipicidade; Teoria Geral do Delito; Conceito de crime; Crime impossível;

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2011

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2011 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2011 Disciplina: Direito Penal IV Departamento III Penal e Processo Penal Docente Responsável: Mauro Augusto de Souza Mello Junior Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo:

Leia mais

1 CLASSIFICAÇÃO DOS CRIMES

1 CLASSIFICAÇÃO DOS CRIMES DIREITO PENAL Classificação dos Crimes RESUMO DA AULA 1 CLASSIFICAÇÃO DOS CRIMES; 2 QUESTÕES COMENTADAS. INTRODUÇÃO 1 CLASSIFICAÇÃO DOS CRIMES O CRIME PODE SER VISTO POR INÚMEROS ÂNGULOS E, DEPENDENDO

Leia mais

LEIS PENAIS ESPECIAIS

LEIS PENAIS ESPECIAIS LEIS PENAIS ESPECIAIS LEI MARIA DA PENHA Lei 11.340/06 Protege a mulher a violência doméstica e familiar LEI MARIA DA PENHA A violência doméstica não é somente a violência física Abrange qualquer agressão

Leia mais

ATIVIDADE POLICIAL: ASPECTOS PENAIS, PROCESSUAIS PENAIS, ADMINISTRATIVOS E CONSTITUCIONAIS 5ª EDIÇÃO

ATIVIDADE POLICIAL: ASPECTOS PENAIS, PROCESSUAIS PENAIS, ADMINISTRATIVOS E CONSTITUCIONAIS 5ª EDIÇÃO ATIVIDADE POLICIAL: ASPECTOS PENAIS, PROCESSUAIS PENAIS, ADMINISTRATIVOS E CONSTITUCIONAIS 5ª EDIÇÃO SUMÁRIO Parte 1 ASPECTOS GERAIS DA ATIVIDADE POLICIAL Capítulo 1 Distinção entre a Política Militar,

Leia mais

LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990

LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990 LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: LEI DOS CRIMES HEDIONDOS Dispõe sobre os crimes hediondos, nos termos do art. 5º, inciso XLIII, da Constituição Federal, e determina outras

Leia mais

Proposta de Razão Recursal

Proposta de Razão Recursal Concurso: Banca examinadora: Proposta de Razão Recursal Oficial Escrevente FAURGS Questões recorríveis: 46, 47, 48, 49 e 52 Professor: Davi André Costa Silva Objeto de recurso Questão Motivo 46 Objeto

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL Jerusa, atrasada para importante compromisso profissional, dirige seu carro bastante preocupada, mas respeitando os limites de velocidade. Em uma via de mão dupla,

Leia mais

Doutrina - Omissão de Notificação da Doença

Doutrina - Omissão de Notificação da Doença Doutrina - Omissão de Notificação da Doença Omissão de Notificação da Doença DIREITO PENAL - Omissão de Notificação de Doença CP. Art. 269. Deixar o médico de denunciar à autoridade pública doença cuja

Leia mais

DIREITO PENAL ÍNDICE. CAPÍTULO 03... 34 Concurso de Crimes... 34 Concurso Material...34 Concurso Formal...34 Crime Continuado...35

DIREITO PENAL ÍNDICE. CAPÍTULO 03... 34 Concurso de Crimes... 34 Concurso Material...34 Concurso Formal...34 Crime Continuado...35 DIREITO PENAL ÍNDICE CAPÍTULO 01... 7 Introdução ao Direito Penal e Aplicação da Lei Penal... 7 Introdução ao Estudo do Direito Penal...7 Teoria do Crime...8 Princípio da Legalidade (Anterioridade - Reserva

Leia mais

DIREITO PENAL Denunciação caluniosa Comunicação falsa de crime ou de contravenção Auto-acusação falsa Falso testemunho ou falsa perícia

DIREITO PENAL Denunciação caluniosa Comunicação falsa de crime ou de contravenção Auto-acusação falsa Falso testemunho ou falsa perícia Crimes contra a Administração da Justiça e Denunciação caluniosa Art. 339. Dar causa à instauração de investigação policial, de processo judicial, instauração de investigação administrativa, inquérito

Leia mais

Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11.

Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11. Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11. Ricardo Henrique Araújo Pinheiro. A breve crítica que faremos neste

Leia mais

1. Em relação aos crimes contra a violência doméstica, analise as afirmações e em seguida assinale a alternativa correta.

1. Em relação aos crimes contra a violência doméstica, analise as afirmações e em seguida assinale a alternativa correta. 1. Em relação aos crimes contra a violência doméstica, analise as afirmações e em seguida assinale a alternativa correta. I. Por expressa determinação legal não se aplicam aos crimes praticados com violência

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Mariano Pereira, brasileiro, solteiro, nascido em 20/1/1987, foi denunciado pela prática de infração prevista no art. 157, 2.º, incisos I e II,

Leia mais

Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ

Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ Em atendimento à determinação do Exmo. Sr. Secretário de Segurança, foi elaborado um modelo de adequação do sistema de agregação dos títulos

Leia mais

LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS

LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS ALESSANDRO CABRAL E SILVA COELHO - alessandrocoelho@jcbranco.adv.br JOSÉ CARLOS BRANCO JUNIOR - jcbrancoj@jcbranco.adv.br Palavras-chave: crime único Resumo O presente

Leia mais

ENUNCIADOS. Suspensão Condicional do Processo. Lei Maria da Penha e Contravenções Penais

ENUNCIADOS. Suspensão Condicional do Processo. Lei Maria da Penha e Contravenções Penais ENUNCIADOS Suspensão Condicional do Processo Enunciado nº 01 (001/2011): Nos casos de crimes de violência doméstica e familiar contra a mulher não se aplica a suspensão condicional do processo. (Aprovado

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL ENUNCIADO Gilberto, quando primário, apesar de portador de maus antecedentes, praticou um crime de roubo simples, pois, quando tinha 20 anos de idade, subtraiu de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Aspectos penais em tópicos sintéticos: QUEM É O FUNCIONÁRIO PÚBLICO OU EQUIPARADO?

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Aspectos penais em tópicos sintéticos: QUEM É O FUNCIONÁRIO PÚBLICO OU EQUIPARADO? Do que trata? * Crimes contra a administração pública, cometidos por funcionário público. QUEM É O FUNCIONÁRIO PÚBLICO OU EQUIPARADO? Considera-se funcionário público, para os efeitos penais (Conforme

Leia mais

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade TEORIA GERAL DO CRIME FATO TÍPICO Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Resultado Nexo de causalidade Tipicidade RESULTADO Não basta existir uma conduta. Para que se configure o crime é necessário

Leia mais

Direito Penal. Furto art. 155/156 do CP. Furto art. 155/156 do CP. Professor Rafael Machado

Direito Penal. Furto art. 155/156 do CP. Furto art. 155/156 do CP. Professor Rafael Machado Direito Penal Professor Rafael Machado A Furto art. 155/156 do CP. Conceito: Subtração de coisa alheia móvel para si ou para outrem sem a prática de violência ou grave ameaça ou qualquer espécie de constragimento

Leia mais

PARTE I O DIREITO DA VÍTIMA OU OFENDIDO EM FASE A CONSEQUÊNCIA DA PRÁTICA DO DELITO CAPÍTULO I DOS DIREITOS HUMANOS

PARTE I O DIREITO DA VÍTIMA OU OFENDIDO EM FASE A CONSEQUÊNCIA DA PRÁTICA DO DELITO CAPÍTULO I DOS DIREITOS HUMANOS PARTE I O DIREITO DA VÍTIMA OU OFENDIDO EM FASE A CONSEQUÊNCIA DA PRÁTICA DO DELITO CAPÍTULO I DOS DIREITOS HUMANOS 1, Os Direitos Humanos...,...,...,... 01 2. Comentários sobre Alguns Artigos da Declaração

Leia mais

CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS

CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS Os Juizados Especiais foram criados para atender; de uma forma rápida e simples, problemas cujas soluções podem ser buscadas por qualquer cidadão. Antes deles,

Leia mais

TIPOS DE CRIMES E SEUS TOTAIS CONSTANTES NOS INQUÉRITOS POLICIAIS DISTRIBUÍDOS JANEIRO DE 2009

TIPOS DE CRIMES E SEUS TOTAIS CONSTANTES NOS INQUÉRITOS POLICIAIS DISTRIBUÍDOS JANEIRO DE 2009 JANEIRO DE 2009 Crimes contra a vida Homicídio Simples 8 2 Crimes contra a vida Homicídio Qualificado 23 3 Crimes contra a Honra Difamação 4 Crimes contra a Honra Injúria 3 5 Crimes contra a liberdade

Leia mais

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 8ª ª-

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 8ª ª- DIREITO PENAL IV LEGISLAÇÃO ESPECIAL 8ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Direito penal IV 2 EXTORSÃO Art. 158 - Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, e com o intuito de obter

Leia mais

Elementos de. Direito PENAL MILITAR PARTE ESPECIAL *** ~. ~n ED,ITORA. \t3j.i. METODO

Elementos de. Direito PENAL MILITAR PARTE ESPECIAL *** ~. ~n ED,ITORA. \t3j.i. METODO - Elementos de Direito PENAL MILITAR PARTE ESPECIAL 36882 - *** ~. ~n ED,ITORA \t3j.i. METODO SUMÁRIO Introdução..................... 1 - Algumas considerações acerca de segurança nacional, segurança interna,

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 Suponha se que Maria estivesse conduzindo o seu veículo quando sofreu um acidente de trânsito causado por um ônibus da concessionária do serviço público

Leia mais

DIREITO PENAL ÍNDICE DE DIREITO PENAL Danilo D. Oyan. Aula 01 HOMICÍDIO (artigo 121 do C.P.)

DIREITO PENAL ÍNDICE DE DIREITO PENAL Danilo D. Oyan. Aula 01 HOMICÍDIO (artigo 121 do C.P.) DIREITO PENAL ÍNDICE DE DIREITO PENAL Danilo D. Oyan Aula 01 HOMICÍDIO (artigo 121 do C.P.) 1. HOMICÍDIO SIMPLES ART. 121 CAPUT DO C.P. 1.1. Homicídio Simples: 1.1.1. Objeto jurídico (bem jurídico tutelado):

Leia mais

GABARITO SIMULADO WEB 1

GABARITO SIMULADO WEB 1 GABARITO SIMULADO WEB 1 PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL No dia 10 de outubro de 2014, Caio, na condução de um ônibus, que fazia a linha Centro Capão Redondo, agindo com imprudência, realizou manobra

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS DEFENSORIA PÚBLICA CORREGEDORIA GERAL RELATÓRIO ANUAL DAS AÇÕES AJUIZADAS DA DEFENSORIA PÚBLICA - ANO/2013.

ESTADO DO TOCANTINS DEFENSORIA PÚBLICA CORREGEDORIA GERAL RELATÓRIO ANUAL DAS AÇÕES AJUIZADAS DA DEFENSORIA PÚBLICA - ANO/2013. ESTADO DO TOCANTINS DEFENSORIA PÚBLICA CORREGEDORIA GERAL RELATÓRIO ANUAL DAS AÇÕES AJUIZADAS DA DEFENSORIA PÚBLICA - ANO/2013. O relatório abaixo informa as ações judiciais executadas pela Defensoria

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ DOS CRIMES CONTRA A FÉ PÚBLICA O título reservado aos crimes contra a fé pública divide-se em quatro capítulos, com as seguintes epígrafes: Da moeda falsa, Da falsidade de títulos e outros papéis públicos,

Leia mais

LEIS PENAIS ESPECIAIS

LEIS PENAIS ESPECIAIS LEIS PENAIS ESPECIAIS Prof. Marcel Figueiredo Gonçalves Especialista em Direito Penal e Direito Processual Penal (PUC-SP) Mestre em Ciências Jurídico-Criminais (Universidade de Lisboa) www.cienciacriminal.com

Leia mais

COMENTÁRIOS DA PROVA DE DIREITO PENAL ANALISTA PROCESUAL MPU 2004

COMENTÁRIOS DA PROVA DE DIREITO PENAL ANALISTA PROCESUAL MPU 2004 COMENTÁRIOS DA PROVA DE DIREITO PENAL ANALISTA PROCESUAL MPU 2004 01- Podemos afirmar que a culpabilidade é excluída quando a) o crime é praticado em obediência à ordem, manifestamente legal, de superior

Leia mais

Apologia de crime ou criminoso

Apologia de crime ou criminoso 1. CRIMES CONTRA A PAZ PÚBLICA O iter criminis é dividido em três fases: cogitação, preparação e execução. O ponto que inicia a execução é aquele no qual se atinge o núcleo do tipo, saindo da esfera do

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Da Sra. Soraya Santos)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Da Sra. Soraya Santos) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Da Sra. Soraya Santos) Torna mais rigorosa a punição dos crimes contra a honra cometidos mediantes disponibilização de conteúdo na internet ou que ensejarem

Leia mais

Sumário. Coleção Sinopses para Concursos... 25 Guia de leitura da Coleção... 27

Sumário. Coleção Sinopses para Concursos... 25 Guia de leitura da Coleção... 27 Sumário Coleção Sinopses para Concursos... 25 Guia de leitura da Coleção... 27 Capítulo I DOS CRIMES CONTRA A PESSOA... 29 1. DOS CRIMES CONTRA A VIDA... 33 1.1 HOMICÍDIO... 33 1. Bem jurídico... 34 2.

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 25/05/2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV Procedimento Sumaríssimo (Lei 9.099/95) - Estabelece a possibilidade de conciliação civil,

Leia mais

DIREITO PENAL APLICAÇÃO DA LEI PENAL

DIREITO PENAL APLICAÇÃO DA LEI PENAL DIREITO PENAL APLICAÇÃO DA LEI PENAL Súmula 711: A Lei penal mais grave aplica-se ao crime continuado ou ao crime permanente, se a sua vigência é anterior à cessação da continuidade ou da permanência.

Leia mais

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 8ª ª-

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 8ª ª- DIREITO PENAL IV LEGISLAÇÃO ESPECIAL 8ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Direito penal Iv 2 ROUBO 3 - Roubo Qualificado/Latrocínio 3º Se da violência resulta lesão corporal grave, a pena é de

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o EMENTA 1- DOS CRIMES CONTRA A FAMÍLIA 2 - Dos crimes contra o estado de filiação 3 - Dos crimes contra a assistência familiar 4 - Dos crimes contra o pátrio poder, tutela e curatela 5 - DOS CRIMES CONTRA

Leia mais

DIREITO PENAL DO TRABALHO

DIREITO PENAL DO TRABALHO DIREITO PENAL DO TRABALHO ÍNDICE Prefácio à 1º Edição Nota à 4º Edição Nota à 3º Edição Nota à 2º Edição 1. CONCEITOS PENAIS APLICÁVEIS AO DIREITO DO TRABALHO 1.1. DoIo 1.1.1. Conceito de dolo 1.1.2. Teorias

Leia mais

Manual de Prática Penal

Manual de Prática Penal Felipe Novaes Rodrigo Bello Manual de Prática Penal 2. a edição revista, atualizada e ampliada Coordenação Vauledir Ribeiro Santos *** ~ SÃO PAULO ~ A EDITORA MÉTODO se responsabiliza pelos vícios do produto

Leia mais

1. Crimes contra Administração Pública: Conceito de Funcionário Público para fins penais art. 327 1, CP: (É diferente do art. 5º 2 da Lei 4898/65)

1. Crimes contra Administração Pública: Conceito de Funcionário Público para fins penais art. 327 1, CP: (É diferente do art. 5º 2 da Lei 4898/65) 1 PONTO 1: Crimes contra Administração Pública PONTO 2: Introdução aos crimes em espécie PONTO 3: Crimes em espécie 1. Crimes contra Administração Pública: Conceito de Funcionário Público para fins penais

Leia mais

LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97

LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97 LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97 DUDH Artigo 5º Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante. ART. 5º DA CF Inciso III Ninguém será submetido à tortura nem

Leia mais

TRATE E ADMINISTRE CON SEXO E $. ADMINISTRE Crimes contra a administração. CON Contrabando de armas e munições

TRATE E ADMINISTRE CON SEXO E $. ADMINISTRE Crimes contra a administração. CON Contrabando de armas e munições BIZUZÃO FINAL DO VALENTE Prof. Lúcio Valente 1. MEMORIZE OS CRIMES ANTECEDENTES DA LAVAGEM DE DINHEIRO: Como se trata uma mulher? TRATE E ADMINISTRE CON SEXO E $. TRA Tráfico de drogas TE Terrorismo ADMINISTRE

Leia mais

Súmulas em matéria penal e processual penal.

Súmulas em matéria penal e processual penal. Vinculantes (penal e processual penal): Súmula Vinculante 5 A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição. Súmula Vinculante 9 O disposto no artigo

Leia mais

Art. 316 CONCUSSÃO. 3. ELEMENTO DO TIPO 3.1. Ação nuclear. Objeto material. Elemento normativo do tipo

Art. 316 CONCUSSÃO. 3. ELEMENTO DO TIPO 3.1. Ação nuclear. Objeto material. Elemento normativo do tipo Art. 316 CONCUSSÃO 1. CONCEITO Reza o artigo 316, caput, do Código Penal: Exigir, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função, ou antes, de assumi-la, mas em razão dela, vantagem

Leia mais

PONTO 1: Crimes contra o Patrimônio 1. CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO. Vítima deve fazer, deixar de fazer ou tolerar que se faça alguma coisa.

PONTO 1: Crimes contra o Patrimônio 1. CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO. Vítima deve fazer, deixar de fazer ou tolerar que se faça alguma coisa. 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Crimes contra o Patrimônio 1.1 EXTORSÃO 1. CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO Violência ou grave ameaça: a ameaça pode ser contra a integridade física ou contra objetos materiais da vítima.

Leia mais

PARTE ESPECIAL TÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A VIDA

PARTE ESPECIAL TÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A VIDA Homicídio simples Art 121. Matar alguém: PARTE ESPECIAL TÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A VIDA Pena - reclusão, de seis a vinte anos. Caso de diminuição de pena 1º Se o

Leia mais

Índice Geral. Índice Sistemático do Código Penal. Tábua de Abreviaturas. Código Penal Decreto-lei 2.848, de 7 de dezembro de 1940

Índice Geral. Índice Sistemático do Código Penal. Tábua de Abreviaturas. Código Penal Decreto-lei 2.848, de 7 de dezembro de 1940 Índice Geral Índice Sistemático do Código Penal Tábua de Abreviaturas Código Penal Decreto-lei 2.848, de 7 de dezembro de 1940 Referências Bibliográficas Apêndice Índice Alfabético-Remissivo Obras do Autor

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS CRIMES Patricia Smania Garcia 1 (Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio)

CLASSIFICAÇÃO DOS CRIMES Patricia Smania Garcia 1 (Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio) CLASSIFICAÇÃO DOS CRIMES Patricia Smania Garcia 1 (Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio) RESUMO Há várias classificações para os crimes, ora se referindo à gravidade do fato, ora à forma de

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO DE PENAS PRIVATIVAS DE LIBERDADE EM PENAS RESTRITIVAS DE DIREITOS

SUBSTITUIÇÃO DE PENAS PRIVATIVAS DE LIBERDADE EM PENAS RESTRITIVAS DE DIREITOS SUBSTITUIÇÃO DE PENAS PRIVATIVAS DE LIBERDADE EM PENAS RESTRITIVAS DE DIREITOS BARBOSA, Lenires Terezinha de Oliveira Toledo1 JARDIM, Edeveraldo Alessandro da Silva2 NASCIMENTO, Rogerio3 SILVA, Cristiane

Leia mais

TRABALHO CARTILHA DO REEDUCANDO

TRABALHO CARTILHA DO REEDUCANDO TRABALHO VOLTA AO CRIME CARTILHA DO REEDUCANDO CARTILHA DO REEDUCANDO ÍNDICE Introdução...5 Deveres...6 Direitos...7 Disciplina...10 Sanções...11 Formulário para Habeas Corpus...12 Petição Simplificada...13

Leia mais

Direito Penal Dr. Davi André

Direito Penal Dr. Davi André 1 Crimes Hediondos 1. É considerado hediondo, dentre outros, o crime de a) falsificação de documento público. b) roubo. c) latrocínio. d) corrupção ativa. e) concussão. 2. No que concerne aos crimes hediondos,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ TÍTULO XI DOS CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Capítulo I Dos Crimes Praticados por Funcionário Público contra a Administração em Geral Peculato Art. 312. Apropriar-se o funcionário público de dinheiro,

Leia mais

Lei Maria da Penha. Pelo fim da violência. ulher. contra a

Lei Maria da Penha. Pelo fim da violência. ulher. contra a Lei Maria da Penha Pelo fim da violência ulher contra a Ligação gratuita, 24 horas, para informações sobre a Lei Maria da Penha e os serviços para o atendimento às mulheres em situação de violência. Lei

Leia mais

BATERIA DE EXERCÍCIOS-LEI MARIA DA PENA

BATERIA DE EXERCÍCIOS-LEI MARIA DA PENA CURSO PREPARATÓRIO EAP-/2013- TODOS OS ALUNOS EXERCÍCIOS LEI MARIA DA PENHA- TODAS AS TURMAS- 31/01/14 PROFESSOR WILSON- BATERIA DE EXERCÍCIOS-LEI MARIA DA PENA 01- De acordo com a lei 11.340/06 conhecida

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA ÍNDICE

LÍNGUA PORTUGUESA ÍNDICE LÍNGUA PORTUGUESA ÍNDICE CAPÍTULO 01... 11 Níveis de Análise da Língua... 11 Morfologia - 10 Classes de Palavras... 11 Artigo...11 Adjetivo...12 Advérbio...15 Conjunção...15 Interjeição...17 Numeral...17

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: DECRETO-LEI N o 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: (...) TÍTULO XI DOS CRIMES CONTRA A

Leia mais

Autor: Marcos Espínola Advogado Criminalista

Autor: Marcos Espínola Advogado Criminalista Autor: Marcos Espínola Advogado Criminalista 1 SUMÁRIO DEDICATÓRIAS E AGRADECIMENTOS 02 CARTA DE APRESENTAÇÃO 03 O QUE SERIA O SOFRIMENTO FÍSICO? 04 E O SOFRIMENTO MENTAL? 04 TORTURA-PROVA 05 TORTURA

Leia mais

Assim, o bem jurídico tutelado é o meio ambiente natural, cultural, artificial e do trabalho, englobáveis na expressão BEM AMBIENTAL.

Assim, o bem jurídico tutelado é o meio ambiente natural, cultural, artificial e do trabalho, englobáveis na expressão BEM AMBIENTAL. ASPECTOS DA TUTELA PENAL DO AMBIENTE 1. Introdução Como conseqüência da consciência ambiental, o legislador brasileiro não só previu a proteção administrativa do meio ambiente e a denominada tutela civil

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA Índice 1. Competência...3 1.1. Critérios Objetivos... 3 1.1.1. Critérios Subjetivos... 4 1.1.2. Competência Territorial... 4 2. Dos Processos...4

Leia mais

Outras causas de Absolvição

Outras causas de Absolvição Direito Penal 2ª Fase OAB/FGV Aula 06 Professor Sandro Caldeira a) Furto de uso Fundamentação: Caracterização de furto de furto de uso, sendo o comportamento do agente atípico em virtude da ausência de

Leia mais

ALTERAÇÕES A TIPOS PENAIS

ALTERAÇÕES A TIPOS PENAIS ALTERAÇÕES A TIPOS PENAIS COMO É HOJE VERSÃO DO PL ANTERIOR SUBSTITUTIVO APRESENTADO em 22 de setembro de 2015 Art. 141 - As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes

Leia mais

SUPERVENIÊNCIA DE CAUSA INDEPENDENTE CAUSAS INDEPENDENTES

SUPERVENIÊNCIA DE CAUSA INDEPENDENTE CAUSAS INDEPENDENTES RETA FINAL MINISTÉRIO PÚBLICO DE SP Direito Penal André Estefam Data: 1º/09/2012 Aula 2 RESUMO SUMÁRIO 1) Relação de Causalidade (continuação) 2) Superveniência de Causa Independente 3) Relevância Penal

Leia mais

Lição 5. Crimes contra a administração pública

Lição 5. Crimes contra a administração pública Lição 5. Crimes contra a administração pública 5.1. CRIMES PRATICADOS POR FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS PECULATO Artigo 312 - Apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel,

Leia mais

TÍTULO II DOS CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO CAPÍTULO I DO FURTO

TÍTULO II DOS CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO CAPÍTULO I DO FURTO TÍTULO II DOS CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO CAPÍTULO I DO FURTO Furto Art. 155 - Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel: Pena - reclusão, de um a quatro anos, e multa. 1º - A pena aumenta-se

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Daniel, nascido em 02 de abril de 1990, é filho de Rita, empregada doméstica que trabalha na residência da família Souza. Ao tomar conhecimento, por meio de sua mãe,

Leia mais

Pesquisa por : Assunto da Denuncia TOTAL 2000 ASSUNTO DA DENUNCIA

Pesquisa por : Assunto da Denuncia TOTAL 2000 ASSUNTO DA DENUNCIA Pesquisa por : Assunto da Denuncia TOTAL 2000 ASSUNTO DA DENUNCIA TRAFICO DE ENTORPECENTE 3.721 27,48% PORTE DE ENTORPECENTE 3.721 27,48% HOMICIDIO 764 5,64% ROUBO DE VEICULO 367 2,71% DESORDEM 338 2,50%

Leia mais

TEMA: CRIME CONSUMADO E CRIME TENTADO CRIME CONSUMADO

TEMA: CRIME CONSUMADO E CRIME TENTADO CRIME CONSUMADO TEMA: CRIME CONSUMADO E CRIME TENTADO CRIME CONSUMADO Significado: Terminar, acabar. Importância: Termo inicial da prescrição e na competência territorial (não esquecer da teria da ubiqüidade quanto ao

Leia mais

Capítulo I INQUÉRITO POLICIAL E AÇÃO PENAL Seção I REQUERIMENTO DE INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITO POLICIAL (OU NOTITIA CRIMINIS )

Capítulo I INQUÉRITO POLICIAL E AÇÃO PENAL Seção I REQUERIMENTO DE INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITO POLICIAL (OU NOTITIA CRIMINIS ) Manual de Prática Penal Sumário Manual de Prática Penal Capítulo I INQUÉRITO POLICIAL E AÇÃO PENAL Seção I REQUERIMENTO DE INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITO POLICIAL (OU NOTITIA CRIMINIS ) Fundamento Legal... 33

Leia mais

PLANO DE RESPOSTA DA PROVA DISSERTATIVA PARA O CARGO DE DELEGADO

PLANO DE RESPOSTA DA PROVA DISSERTATIVA PARA O CARGO DE DELEGADO PLANO DE RESPOSTA DA PROVA DISSERTATIVA PARA O CARGO DE DELEGADO PEÇA D E S P A C H O 1. Autue-se o Auto de Prisão em Flagrante; 2. Dê-se o recibo de preso ao condutor; 3. Autue-se o Auto de Apresentação

Leia mais

Tropa de Elite Polícia Civil Legislação Penal Especial CBT - Parte Especial Liana Ximenes

Tropa de Elite Polícia Civil Legislação Penal Especial CBT - Parte Especial Liana Ximenes Tropa de Elite Polícia Civil Legislação Penal Especial CBT - Parte Especial Liana Ximenes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. CTB- Parte Especial Art. 302. Praticar

Leia mais

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 1 PROCESSO PENAL PROCESSO PENAL PONTO 1: Princípios dos Juizados Especiais Criminais PONTO 2: Objetivos PONTO 3: Competência PONTO 4: Fase Policial PONTO 5: Fase Judicial PONTO 6: Recursos PONTO 7: Atos

Leia mais

Falsificação de documento particular. Falsidade ideológica

Falsificação de documento particular. Falsidade ideológica 1. DA FALSIDADE DOCUMENTAL Documento Público: é aquele elaborado por funcionário publico no exercício de suas funções e nos limites das suas atribuições. Falsificação de documento particular Art. 298 -

Leia mais

Direito Administrativo Crimes contra a Administração Pública

Direito Administrativo Crimes contra a Administração Pública 1 de 6 14/02/2015 21:13 Curtir Compartilhar 6 mil Tweet Seguir 91.4Mil seguidores PROGRAMA DO CONCURSO Direito Administrativo Crimes contra a Administração Pública Peculato TÍTULO XI DOS CRIMES CONTRA

Leia mais

1. Objetividade jurídica: é a incolumidade física e a saúde da pessoa.

1. Objetividade jurídica: é a incolumidade física e a saúde da pessoa. Perigo de contágio venéreo Art. 130 - Expor alguém, por meio de relações sexuais ou qualquer ato libidinoso, a contágio de moléstia venérea, de que sabe ou deve saber que está contaminado: Pena - detenção,

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 199. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada. 1º As instituições

Leia mais