LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA - GEOGRAFIA - HISTÓRIA - LÍNGUA ESTRANGEIRA - REDAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA - GEOGRAFIA - HISTÓRIA - LÍNGUA ESTRANGEIRA - REDAÇÃO"

Transcrição

1 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO DISTRITO FEDERAL Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde Escola Superior de Ciências da Saúde Janeiro de 2008 LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA - GEOGRAFIA - HISTÓRIA - LÍNGUA ESTRANGEIRA - REDAÇÃO INSTRUÇÕES GERAIS O candidato receberá do fiscal: Um caderno de questões contendo 50 (cinqüenta) questões objetivas de múltipla escolha para a Prova Objetiva e o tema para desenvolvimento da Redação; Um cartão de respostas personalizado para a Prova Objetiva; Um caderno de resposta para a Redação personalizado, contendo folha de resposta e folha de rascunho. Ao ser autorizado o início da prova, verifique, no caderno de questões, se a numeração das questões e a paginação estão corretas. Você dispõe de 4 (quatro) horas para fazer a Prova Objetiva e a Redação. Faça-as com tranqüilidade, mas controle o seu tempo. Este tempo inclui a marcação do cartão de respostas e a transcrição para a folha de resposta. Não será permitido ao candidato copiar seus assinalamentos feitos no cartão de respostas ou na folha de resposta ou na folha de rascunho. Ao candidato somente será permitido levar seu caderno de questões da Prova Objetiva vinte minutos antes do horário previsto para término de realização da prova, desde que permaneça em sala até este momento. Somente após decorrida 1(uma) hora do início da prova, o candidato poderá entregar seu cartão de respostas e seu caderno de resposta para a Redação e retirar-se da sala de prova. Após o término da prova, entregue obrigatoriamente ao fiscal o cartão de respostas devidamente assinado e o caderno de resposta para a Redação, contendo a folha de resposta e a folha de rascunho. Os 3 (três) últimos candidatos de cada sala só poderão ser liberados juntos. Se você precisar de algum esclarecimento, solicite a presença do responsável pelo local. INSTRUÇÕES PROVA OBJETIVA Verifique se os seus dados pessoais estão corretos no cartão de respostas. Solicite ao fiscal para efetuar as correções na Ata da Prova. Leia atentamente cada questão e assinale no cartão de respostas a alternativa que mais adequadamente a responde. O cartão de respostas NÃO pode ser dobrado, amassado, rasurado, manchado ou conter qualquer registro fora dos locais destinados às respostas. A maneira correta de assinalar a alternativa no cartão de respostas é cobrindo, fortemente, com caneta esferográfica azul ou preta, o espaço a ela correspondente, conforme o exemplo a seguir: A C D E INSTRUÇÕES - PROVA DE REDAÇÃO Verifique se os seus dados pessoais estão corretos no caderno de resposta para a Redação. Solicite ao fiscal para efetuar as correções na Ata da Prova. Efetue a desidentificação do caderno de resposta para a Redação destacando a parte onde estão contidos os seus dados. Somente será objeto de correção da redação o que estiver contido na folha de resposta. NÃO será considerado o que estiver contido na folha de rascunho. A folha de resposta NÃO pode ser dobrada, amassada, manchada, rasgada ou conter qualquer forma de identificação do candidato. Use somente caneta esferográfica azul ou preta. Cronograma Previsto (Cronograma completo no endereço Atividade Data Local Divulgação do gabarito Interposição de recursos contra o gabarito 07/01 08 e 09/01 Fax.: (21) Divulgação do resultado do julgamento dos recursos contra o gabarito 16/01 Divulgação do resultado final da Prova Objetiva 16/01 Realização

2 2

3 Os textos desta prova abordam, literal ou metaforicamente, diversos elementos que se relacionam a estados de saúde, física ou mental. Leia-os atentamente para responder às questões que se lhes seguem. TEXTO I Frontal com fanta (fragmento) (Jorge Furtado) Eu não me lembro muito bem se tinha 13 ou 14 anos na primeira vez em que fiquei invisível. [...]. É muito provável que eu já tivesse ficado invisível muitas vezes antes, tenho certeza que sim. Quando a minha mãe e o meu pai discutiam, quando ele gritou que ela é que quis ter filho e agora não gosta de ficar com as crianças e só quer viajar, quando ela bebia e andava quase nua pela casa, quando o meu pai mudava a televisão de canal pouco antes do fim do filme que eu estava assistindo havia mais de uma hora, é claro que eu estava invisível, só que não percebia. [...] Meu irmão mais velho vai chegar no próximo fim de semana [...]. Ele vem com a namorada e vai dormir no meu quarto, eu vou dormir com a minha irmã, no chão do quarto dela. [Minha mãe e minha irmã] falaram todo o tempo, decidindo o que ia acontecer comigo, sem me ver. Comi frango com arroz e legumes e fui ao banheiro. Abri o armário dos remédios, peguei um remédio da minha mãe, frontal. Li a bula. Componente ativo: alprazolam. Indicado no tratamento de estados de ansiedade. Seu mecanismo de ação é desconhecido. Talvez fosse isso, ansiedade se cura com remédio. Não é recomendado a pacientes psicóticos. Os sintomas da ansiedade são: tensão, medo, aflição, agonia, intranqüilidade, dificuldades de concentração, irritabilidade, insônia e ou hiperatividade. Os sintomas da ansiedade sou eu. Peguei o vidro e fui para o meu quarto. Tomei dois, devia ter pegado água, não é bom ter tomado remédio com fanta. Deitei e dormi. Acordei, era outra pessoa. E continuava invisível. 1 - A alternativa abaixo que melhor descreve o problema do narrador do Texto I é a seguinte: (A)doença incurável, cujos sintomas são tensão, medo, aflição, agonia, dificuldades de concentração, irritabilidade, insônia e hiperatividade; (B) sensação de estar invisível, devida ao fato de as pessoas, em diversos episódios, agirem como se ele não estivesse presente; (C) sensação de euforia, cuja característica principal se relaciona a freqüentes mudanças de humor, o que provoca a sensação de estar invisível; (D)sensação de estar invisível, devida ao fato de sofrer de ansiedade, o que se resolveu com a ingestão de frontal com fanta; (E) problema de relacionamento familiar, devido aos sintomas de síndrome do pânico, o que gerava a sensação de estar sempre invisível aos olhos de seus familiares. 2 - O desfecho do texto I apresenta: (A)uma absurda contradição, já que, se o narrador, quando acordou, era outra pessoa, ele não poderia continuar invisível, como antes; (B) uma ironia, já que se trata da desconstrução do valor eufemístico da forma vocabular invisível ; (C) uma ironia, já que a expressão metafórica acordar outra pessoa significa apenas que a noite de sono o revitalizara; (D)uma prosopopéia, tendo em vista que um ser invisível não poderia acordar, nem muito menos ser outra pessoa; (E) uma aparente contradição, já que acordar e ser invisível não constituem realidades opostas, configurando entradas para o mesmo campo semântico. 3 - A alternativa que descreve adequadamente as estruturas que se iniciam pela conjunção quando, no primeiro parágrafo do texto I, é a seguinte: (A)orações coordenadas sindéticas alternativas que se ligam à oração coordenada assindética tenho certeza que sim ; (B) orações subordinadas adverbiais que se relacionam à oração principal é claro que eu estava invisível ; (C) orações subordinadas adverbiais que se relacionam à oração principal Tenho certeza que sim ; (D)frases nominais que não se relacionam a qualquer outra oração; (E) orações subordinadas adjetivas que se relacionam à oração principal é claro que eu estava invisível. 3

4 TEXTO II A doença (Manoel de Barros) Nunca morei longe do meu país. Entretanto padeço de lonjuras. Desde criança minha mãe portava essa doença. Ela que me transmitiu. Depois meu pai foi trabalhar num lugar que dava essa doença nas pessoas. Era um lugar sem nome nem vizinhos. Diziam que ali era a unha do dedão do pé do fim do mundo. A gente crescia sem ter outra casa ao lado. No lugar só constavam pássaros, árvores, o rio e os seus peixes. Havia cavalos sem freios dentro dos matos cheios de borboletas nas costas. O resto era só distância. A distância seria uma coisa vazia que a gente portava no olho E que meu pai chamava exílio. 4 - A respeito da doença de que trata o título do poema de Manoel de Barros, não é correto afirmar que: (A) a doença é de natureza conotativa, e está relacionada à sensação de distância experimentada pelo eu-lírico; (B) a doença é de natureza conotativa, visto que é apenas uma transposição do valor referencial do vocábulo doença para o campo figurado; (C) a doença é de natureza denotativa, e pode ser localizada no campo dos transtornos mentais; (D)a doença a que se refere o texto é denominada lonjuras ; (E) alguns itens lexicais empregados no texto colaboram para a construção da temática relacionada à doença. 5 - O campo semântico relacionado à doença é construído pelo emprego dos seguintes vocábulos: (A)pessoas, doença, transmitiu, portavam; (B) padeço, borboletas, exílio, transmitiu; (C) pessoas, pé, costas, olho; (D)padeço, doença, transmitiu, portavam; (E) padeço, doença, transmitiu, constavam. 6 - A respeito da estrutura (...) lugar que dava essa doença nas pessoas, pode-se afirmar que: (A) a estrutura está de acordo com o padrão culto gramatical, visto que o pronome relativo que, que retoma lugar, é o sujeito do verbo dar ; (B) a estrutura está de acordo com o padrão culto gramatical, já que o verbo dar assume o valor de distribuir e tem, como objeto direto, a expressão adjetiva essa doença ; (C) a estrutura padrão culta correspondente é lugar em que dava essa doença nas pessoas, tendo em vista que essa doença é complemento do verbo dar, que tem valor de oferecer ; (D) a estrutura padrão culta correspondente é lugar o qual dava essa doença nas pessoas ; e essa doença é sujeito do verbo dar, que tem valor de acometer ; (E) a estrutura padrão culta correspondente é lugar em que dava essa doença nas pessoas ; essa doença é sujeito do verbo dar, que tem valor de acometer. 4

5 TEXTO III Fora de si (Arnaldo Antunes) Eu fico louco Eu fico fora de si Eu fica assim Eu fica fora de mim Eu fico um pouco Depois eu saio daqui Eu vai embora Eu fico fora de si Eu fico oco Eu fica bem assim Eu fico sem ninguém em mim 7 - Uma leitura do poema de Arnaldo Antunes em que se articulam os níveis da forma e do conteúdo leva-nos à seguinte observação: (A)o poema apresenta deslocamento e esvaziamento do eu, perspectiva que corresponde, no nível da forma, a uma subversão no uso de recursos gramaticais; (B) o poema fala da loucura e, por isso, traz, para o nível da forma, a desconstrução sintática e fonológica típica da fala psicótica; (C) o poema faz ver o quanto a linguagem poética não pode superar os limites impostos pela língua; (D)o poema traz deslocamentos físicos e existenciais angustiantes, que repercutem numa espécie de linguagem onde a lógica é rompida pela dor; (E) o poema trata do vazio existencial do homem moderno, o que, no nível da forma, se reflete nas diversas frases esvaziadas de sentido, nas quais só restam a angústia e a dor. 8 - Os recursos gramaticais que colaboram para a expressão do deslocamento/esvaziamento do eu no texto III são os seguintes: (A)ausência de concordância de pessoa 1ª e 3ª nos domínios verbal e pronominal; (B) ausência de concordância verbal e utilização de pronomes átonos no lugar de tônicos; (C) adjetivos que expressam loucura e pronomes de 3ª pessoa; (D)ausência de concordância na 2ª conjugação verbal e uso de pronomes possessivos; (E) ausência de concordância de pessoa 1ª e 3ª e produtividade da ênclise. 9 - Quanto aos procedimentos estilísticos empregados por Arnaldo Antunes em seu poema, pode-se destacar: (A)repetição de palavras (anáfora), metáforas e personificação; (B) rimas, exploração expressiva do desvio sintático e redondilhas; (C) exploração rítmica e redondilhas; (D)repetição de palavras (anáfora) e rimas; (E) exploração de imagens em uma estrutura mínima e ausência de ritmo A respeito do comportamento sintático-semântico dos diversos usos do verbo ficar no poema Fora de si, pode-se afirmar que: (A)na maioria dos empregos, o verbo ficar funciona como verbo intransitivo com o valor de permanecer, enquanto, no verso 5, atua como verbo de ligação com o valor de tornar-se; (B) na maioria dos empregos, o verbo ficar funciona como verbo de ligação com o valor de permanecer, enquanto, no verso 5, atua como verbo intransitivo com o valor de tornar-se; (C) na maioria dos empregos, o verbo ficar funciona como verbo transitivo direto, enquanto, no verso 5, funciona como verbo intransitivo, tendo nos dois casos o valor de permanecer; (D)na maioria dos empregos, o verbo ficar funciona como verbo transitivo direto, enquanto, no verso 5, atua como verbo intransitivo, tendo nos dois casos o valor de ser; (E) na maioria dos empregos, o verbo ficar funciona como verbo de ligação com o valor de tornar-se, enquanto, no verso 5, atua como verbo intransitivo com o valor de permanecer. 5

6 TEXTO IV Claramente: o mais prático dos sóis, o sol de um comprimido de aspirina: de emprego fácil, portátil e barato, compacto de sol na lápide sucinta. Principalmente porque, sol artificial, que nada limita a funcionar de dia, que a noite não expulsa, cada noite, sol imune às leis de meteorologia, a toda hora em que se necessita dele levanta e vem (sempre um claro dia): acende, para secar a aniagem da alma, quará-la, em linhos de um meio-dia. Num monumento à aspirina (João Cabral de Melo Neto) Convergem: a aparência e os efeitos da lente do comprimido de aspirina: o acabamento esmerado desse cristal, polido a esmeril e repolido a lima, prefigura o clima onde ele faz viver e o cartesiano de tudo nesse clima. De outro lado, porque lente interna, de uso interno, por detrás da retina, não serve exclusivamente para o olho a lente, ou o comprimido de aspirina: ela reenfoca o corpo inteiro, o borroso de ao redor, e o reafina Sobre o poema de João Cabral de Melo Neto, pode-se afirmar que: (A) apresenta uma dimensão metalingüística, porque vislumbra em seu objeto-tema os valores que guiam sua escrita e toda a poética do autor, como o acabamento esmerado, a forma sucinta e o pensamento cartesiano ; (B) remete diretamente a dois temas centrais da poética do autor: Recife e Sevilha, cidades que encerram valores como a racionalidade e a construção, expressos pela solaridade da aspirina ; (C) nega a saúde artificial que se conquista através da aspirina e, conseqüentemente, combate a idéia de uma poesia baseada apenas na aparência questão central em toda a poética de João Cabral de Melo Neto; (D) retoma o drama barroco claro/escuro, mantendo-se na tensão entre estes pólos, e a poesia, nesse sentido, assemelhase à aspirina, que, inutilmente, tenta expulsar a noite com seu sol portátil ; (E) nega a linguagem poética convencional, eloqüente e apegada a uma visão cientificista do real, cujo exemplo mais acabado seria a poética de Augusto do Anjos Quanto ao título do poema de João Cabral, pode-se afirmar que: (A) nega o ideal modernista, que buscava valorizar as coisas simples e cotidianas; (B) constitui uma homenagem à poesia romântica, voltada para a valorização da natureza; (C) nega os valores da poesia voltada para a natureza, ao propor a imagem de um sol artificial ; (D)faz uma crítica à poesia que homenageia seres e coisas sem importância, como a aspirina ; (E) desmonta as expectativas de homenagem a seres, coisas e fatos de grande valor histórico e/ou social O poema Num monumento à aspirina apresenta reiteradamente o sinal de pontuação dois pontos. A respeito do uso desse sinal no texto, pode-se afirmar que: (A) está empregado em desacordo com a escrita padrão por estar reaplicado dentro do mesmo período, o que acarreta um valor antitético; (B) reaplicado dentro do mesmo período, nos primeiros versos de cada estrofe, traz um efeito de inclusão de idéias e assume certo valor explicativo, ao desdobrar o conteúdo anterior; (C) não assume qualquer valor explicativo, já que constitui um recurso meramente estilístico, muito recorrente na obra de João Cabral de Melo Neto; (D) reaplicado dentro do mesmo período, nos primeiros versos de cada estrofe, indica uma enumeração de elementos, introduzindo uma seqüência de metáforas; (E) reaplicado dentro do mesmo período, nos primeiros versos de cada estrofe, traz um efeito de enumeração de elementos e assume valor conotativo, ao desdobrar o conteúdo anterior. 6

7 14 - A respeito dos elementos que compõem a estrutura do período que se inicia no 5º verso do poema, pode-se afirmar que: (A)os pronomes relativos que empregados nos versos 6 e 7 referem-se ao sol de que trata o poema e exercem o papel de sujeito; (B) o período é constituído de uma oração explicativa que, por sua vez, contém três orações substantivas encaixadas; (C) o sujeito dos verbos levanta e vem (verso 10), que não está explícito, tem por referência o sol de um comprimido de aspirina ; (D)os pronomes relativos que empregados nos versos 6 e 7 referem-se ao dia e exercem o papel de objeto direto; (E) o sujeito dos verbos levanta e vem (verso 10) está explícito ( sol artificial ). TEXTO V Dor, saúde dos seres que se fanam, Riqueza da alma, psíquico tesouro, Alegria das glândulas do choro De onde todas as lágrimas emanam... És suprema! Os meus átomos se ufanam De pertencer-te, oh! Dor, ancoradouro Dos desgraçados, sol do cérebro, ouro De que as próprias desgraças se engalanam! Hino à dor (Augusto dos Anjos) Sou teu amante! Ardo em teu corpo abstrato. Com os corpúsculos mágicos do tato Prendo a orquestra de chamas que executas... E, assim, sem convulsão que me alvoroce, Minha maior ventura é estar de posse De tuas claridades absolutas! 15 - Quanto aos termos técnico-científicos usados no poema de Augusto dos Anjos, pode-se afirmar que: (A)apontam uma visão cientificista da vida e sugerem que a própria poesia tendo em vista a dolorosa existência humana pode ser reduzida a um fenômeno biológico; (B) emprestam ao poema uma perspectiva naturalista que exclui o homem de qualquer dimensão cósmica; (C) embora sejam tradicionalmente prosaicos, no poema ajudam a exprimir uma totalidade física, química, biológica em que a dor se confunde com a existência humana; (D)demonstram entusiasmo com a explicação cientificista da existência, daí resultando um otimismo que acaba por converter a poesia numa espécie de ufanismo eloqüente; (E) sugerem a falência da linguagem científica como explicação única da existência humana Uma interpretação da imagem claridades absolutas, no último verso do poema de Augusto dos Anjos, leva-nos à seguinte consideração: (A)surge como prêmio final, ou seja, como uma metáfora da morte; (B) sugere a estreiteza do universo interior do sujeito poético, em oposição à amplidão da dor; (C) é uma metáfora que aponta o ideal clássico de poesia, segundo o qual esta resultaria da compreensão racional do universo; (D)aponta uma espécie de lucidez embutida na própria dor, tendo em vista que esta leva a um entendimento radical da verdade humana; (E) é uma paródia da poesia soturna do romantismo, sobretudo a da primeira geração Quanto à posição de Augusto dos Anjos no quadro histórico da poesia brasileira, é correto afirmar que: (A)tendo em vista a linguagem original do poeta, sua postura existencial e seu pendor para a dessacralização da poesia, não é possível inseri-lo simplesmente na estética pré-modernista, sendo mais correto entendê-lo como um poeta modernista; (B) a simples inserção histórica do poeta nos quadros do Parnasianismo ou do Simbolismo parece inadequada, visto que sua procura pelo infinito na matéria e a frustração de não encontrá-lo no que é efêmero empresta à sua poética dimensão mais propriamente romântica; (C) considerando que sua poesia está voltada para os temas da miséria da carne e da putrefação e que sua linguagem é baseada no materialismo evolucionista, pode-se dizer que o poeta está inteiramente integrado à escola naturalista; (D)se a postura existencial do poeta o aproxima da frieza parnasiana e do ideal de observação positiva preconizado pelo cientificismo naturalista, o impulso de fundar uma literatura brasileira aproxima-o da literatura pré-modernista; (E) não basta considerar os temas da miséria da carne e da putrefação e a linguagem baseada no materialismo evolucionista; é preciso ter em conta a poesia amorosa de Augusto dos Anjos, que o situa numa perspectiva romântica. 7

8 18 - Ao comparar os poemas de João Cabral de Melo Neto e de Augusto dos Anjos, identifica-se a seguinte semelhança: (A) linguagem original, vocabulário exótico, rebuscado, científico, que acentua o caráter angustiante do pessimismo cósmico; (B) linguagem desmetaforizada, o que cristaliza o desejo de superação da dor por meio da ciência; (C) imagens e metáforas em que a própria poesia é questionada como instrumento de superação da dor; (D) paródia dos ideais parnasianos de distanciamento e descrição objetiva, com conseqüente superação da dor por meio da subjetividade; (E) vocabulário e imagens que, na tradição literária, de modo geral, são despidos de qualquer valor poético Os poemas de João Cabral de Melo Neto e de Augusto do Anjos apresentam imagens ligadas à claridade. Com relação ao uso dessas imagens nos dois textos, analise as afirmativas a seguir: I. Enquanto o poema de Cabral faz o elogio de uma luz artificial, que vence a dor, o de Augusto dos Anjos faz o elogio de uma luz que emana da própria dor. II. Enquanto no poema de Cabral a claridade é uma metáfora da natureza humana, no de Augusto dos Anjos ela é material, real. III. Enquanto no poema de Cabral a claridade é material, real, no de Augusto dos Anjos a luz é uma metáfora da natureza humana. IV. Enquanto no poema de Cabral a luz está ligada ao fim da dor, no de Augusto dos Anjos a luz está na própria dor. V. Enquanto o poema de João Cabral fala de uma dor objetiva, concreta, o de Augusto dos Anjos fala de uma dor abstrata, sem qualquer conotação física. Assinale a alternativa correta: (A) apenas a afirmativa III está correta; (B) as afirmativas I, II e IV estão corretas; (C) apenas as afirmativas I e IV estão corretas; (D) apenas as afirmativas I e III estão corretas; (E) apenas as afirmativas II e IV estão corretas A respeito do diálogo que se estabelece no poema de Augusto dos Anjos, pode-se afirmar que: (A) o eu-lírico se dirige ao leitor, já que, além do uso de pronomes e verbos na 2ª pessoa do singular, a função exercida pela palavra dor no primeiro verso jamais poderia ser a de vocativo; (B) o eu-lírico se dirige à dor, o que pode ser comprovado pela presença de adjetivo feminino, de pronomes e verbos na 2ª pessoa do singular procedimentos que não possibilitam atribuir a função de vocativo à palavra dor no primeiro verso do poema; (C) o eu-lírico se dirige à dor, o que pode ser comprovado pela presença de adjetivo feminino, de pronomes e verbos na 2ª pessoa do singular procedimentos que possibilitam atribuir a função de vocativo à palavra dor no primeiro verso do poema; (D)o eu-lírico se dirige à própria dor, o que pode ser comprovado pela presença de adjetivo feminino, de pronomes e verbos na 2ª pessoa do plural procedimentos que possibilitam atribuir a função de vocativo à palavra dor no primeiro verso do poema; (E) o eu-lírico se dirige à própria dor, o que pode ser comprovado pela presença de adjetivo masculino, de pronomes e verbos na 2ª pessoa do singular. 8

9 GEOGRAFIA 21 - O conceito de Divisão Internacional do Trabalho (DIT) é complexo e dinâmico. Seu uso como forma de classificar o conjunto de países do mundo vai além da especialização econômica de cada país na produção e comercialização de determinados produtos no mercado internacional. Levando em conta a complexidade e o dinamismo do conceito de DIT não é correto afirmar que: (A) muda com as diferentes fases do capitalismo; (B) expressa a desigual remuneração do trabalho; (C) inclui os diferentes níveis tecnológicos dos países; (D) classifica os países quanto à capacidade produtiva; (E) apresenta os diferentes índices de desenvolvimento humano Observe o mapa a seguir. capitais cidades fundadas até 1960 cidades fundadas entre 1961 e 1990 Extraído de Gonçalves, C. W. P. Amazônia, Amazônias. São Paulo: Contexto, Com o auxílio do mapa, analise as afirmativas a seguir. I. O padrão de distribuição das cidades mostra que a ocupação após 1960 não segue as condições culturais e ecológicas previamente existentes na região. II. O novo padrão de organização do espaço geográfico que se instala a partir dos anos sessenta tem nas rodovias seu eixo de estruturação. III. A principal via de penetração na Amazônia, antes dos sessenta, era os grandes rios e o sentido da mobilidade das pessoas e dos bens era muito espraiado. IV. As cidades mais antigas e as mais novas compõem uma estrutura nodal de transportes que conecta as rodovias às hidrovias. Estão corretas as afirmativas: (A)I e II, apenas; (B) III e IV, apenas; (C) I, II e III, apenas; (D)I, II e IV, apenas; (E) I, II, III e IV. 9

10 23 - A humanidade tem a capacidade de tornar o desenvolvimento sustentável de garantir que ele atenda às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações de atender às suas próprias necessidades. O conceito de desenvolvimento sustentável implica limites não limites absolutos, mas limitações impostas pelo atual estado da tecnologia e organização social sobre recursos ambientais e pela capacidade da biosfera de absorver os efeitos das atividades humanas. Mas tecnologia e organização social podem ser administradas e aperfeiçoadas para abrir caminho para uma nova era de crescimento econômico. A comissão acredita que a pobreza generalizada já não é inevitável [...]. Relatório final (Our Common Future ) da Comissão Mundial para o Ambiente e Desenvolvimento. Com o auxílio do texto, indique a alternativa que não apresenta um dos objetivos críticos propostos pelo relatório para as políticas de desenvolvimento sustentável: (A) fundir ambiente e economia nos processos de tomada de decisão; (B) mudar o sistema sócio-econômico mundialmente dominante; (C) atender às necessidades de empregos, alimentos, energia, água, saneamento; (D)conservar e ampliar a base de recursos; (E) reorientar a tecnologia e administrar o risco Observe o mapa das Regiões Metropolitanas e Aglomerações Urbanas não Metropolitanas. Com o auxílio do mapa, analise as afirmativas a seguir: I. As regiões metropolitanas de iniciativa federal foram organizadas em torno de capitais estaduais enquanto as de iniciativa estadual compreendem uma gama variada de situações. II. A recente criação de regiões metropolitanas tem sido criticada porque elas não preencheriam os critérios específicos de metrópole, como a magnitude da população aglomerada, o grau de densidade demográfica e a extensão da área urbanizada. RMs de iniciativa federal RMs de iniciativa estadual aglomerações urbanas não metropolitanas acima de 10 milhões de hab. >= 1 milhão e < 4 milhões de hab. abaixo de 1 milhão de hab. III. As regiões metropolitanas centradas em cidades não capitais sinalizam posições urbanas específicas, como a da Baixada Santista e a de Campinas, ou estimulam a valorização regional, como a de Londrina/Maringá. Extraído de Davidovich, Fany. A volta da Metrópole no Brasil. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo Está correto o que se afirma em: (A)I, apenas; (B) II, apenas; (C) I e III, apenas; (D)II e III, apenas; (E) I, II e III. 10

11 25 - Entre os anos 30 e os anos 70 do século passado, o Brasil passou de uma economia agro-exportadora para uma economia urbano-industrial. Nessa passagem: (A)o modo de vida urbano ultrapassou as estruturas espaciais da cidade invadindo o campo e dando-lhe novos conteúdos; (B) a relação entre o campo e a cidade manteve a população relativa do primeiro em relação ao segundo; (C) as inovações tecnológicas permitiram a expansão da área cultivada, a elevação de produtividade e o aumento dos empregos agrícolas; (D)a modernização do campo rompeu com a tradicional estrutura fundiária resultando numa distribuição de terras mais equilibrada; (E) a saturação do mercado interno estimulou o setor agrícola a ampliar a produção voltada para a exportação Segundo levantamento da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal), o número de pobres na América Latina é o menor dos últimos 17 anos. Brasil, Argentina e Venezuela estão entre os países que registraram maiores avanços. O Globo 16/11/2007 Embora esse quadro seja estimulante, os países da América Latina ainda se ressentem, em tempos de uma economia mundialmente integrada: (A)das persistentes altas nos índices de natalidade; (B) da ausência de programas de transferência de renda; (C) do persistente desequilíbrio na formação do capital humano; (D)da resistência à implementação de regimes políticos democráticos; (E) do fechamento dos mercados ao comércio internacional O grande deslocamento de pessoas que ocorre na atual fase da globalização coloca massas populacionais estranhas em contato com sociedades já estruturadas. Estas por sua vez têm que lidar com personagens de outras culturas e línguas distintas. Oliva, J., Giansanti, R. Espaço e modernidade: temas de geografia do Brasil. São Paulo: Atual As grandes migrações são uma resposta e representam, na maior parte dos casos, uma queda no valor individual [do migrante]. Milton Santos A partir dos textos, é correto afirmar que a queda no valor individual do migrante resulta, entre outros, dos seguintes fatores, exceto: (A)da aceleração do processo de alienação do espaço de origem; (B) do reconhecimento do direito de intervir no lugar de destino; (C) da ruptura cultural com todas as suas seqüelas e todos os seus reflexos; (D)do abandono da rede de relações longamente tecidas através de gerações; (E) da entrada em outra arena de competições cujas regras ainda tem que aprender Os domínios morfoclimáticos indicados no mapa estão corretamente descritos, com exceção de um. Assinale-o: (A)1 domínio das terras baixas florestadas equatoriais, com planícies de inundação labirínticas e ou meândricas e morros baixos nas áreas cristalinas adjacentes; (B) 2 domínio dos chapadões tropicais interiores com cerrados e florestas-galerias, com planaltos sedimentares com vertentes de rampas suaves; (C) 3 domínio de depressões interplanálticas semi-áridas revestidas por diferentes tipos de caatingas, com fraca decomposição das rochas; (D)4 domínio dos mares de morros tropicais-atlânticas florestadas, com fortíssima e generalizada decomposição das rochas; (E) 5 domínio das coxilhas subtropicais com pradarias mistas, com extensos planaltos e solos superpostos contínuos. Extraido de Oliva, J., Giansanti, R. Temas da Geografia do Brasil. São Paulo: Atual,

12 29 - A foto mostra a baía de Tóquio em imagem feita pelo satélite Spot. Sobre a área da baía de Tóquio e seu entorno avalie as afirmativas a seguir: I - A baía possui um perfil retilínio devido aos aterros para a construção de polders industriais e ilhas flutuantes. II - A localização industrial nas proximidades da lâmina dágua facilita a circulação de matérias primas e bens finais. III - No entorno da baía, a megalópole, coração da potência japonesa, tem um dos mais altos valores por unidade do solo urbano. Estão corretas as afirmativas: (A)I, apenas; (B)II, apenas; (C) III, apenas; (D)II e III, apenas; (E) I, II e III A onda de neoliberalismo associada à Terceira Revolução Industrial tem pressionado a favor da modernização da máquina do Estado. Embora a proposta de menos Estado na economia, ou o Estado com a mão leve nas regras do mercado, os grupos econômicos não dispensam a outra mão do Estado, de modo firme e pesadamente, na aquiescência de incentivos, de subsídios, de proteção às transações econômicas e de apoio maciço aos meios que impulsionam a revolução técnico-científica [...]. Souza Neto, J.A.. Stal, Eva. Dinâmicas territoriais em espaços globalizados. São Paulo: Annablume, Assinale a alternativa que não apresenta uma forma em que o Estado ainda se faz muito presente na economia brasileira. A relação a seguir apresenta diferentes formas de atuação do Estado brasileiro na área econômica, com exceção de uma. Assinale-a: (A) empresário nos setores de alta tecnologia; (B) agente de diferentes incentivos fiscais; (C) responsável pelas políticas cambial e monetária; (D) legislador em relação ao mercado de trabalho; (E) facilitador dos investimentos internacionais. 12

13 HISTÓRIA 31 - O comércio e a guerra não eram evidentemente as únicas atividades externas do Estado absolutista no Ocidente. O seu outro grande esforço era investir na diplomacia. Esta foi uma das grandes invenções institucionais da época inaugurada na área miniatural da Itália do século XV, institucionalizada aí com a Paz de Lodi e adotada na Espanha, França, Inglaterra, Alemanha e em toda a Europa, durante o século XVI.. (Anderson, Perry. Linhagens do Estado absolutista) Assinale a opção que melhor apresenta as grandes questões da diplomacia européia durante o surgimento dos Estados Modernos no século XVI: (A)as questões religiosas fruto da expansão das Reformas Religiosas as disputas territoriais; (B) o nacionalismo xenófobo conflitos entre Estados católicos e protestantes; (C) expansão do islamismo na Península Ibérica as disputas coloniais; (D)a fragmentação política da península italiana sistema bipolar de poder; (E) a Paz Armada fim dos Impérios coloniais Homens de fortuna feita em açúcar e negros devem ter sido todos aqueles moradores ricos de fazenda de raiz de que nos fala Gabriel Soares: os mais de cem moradores da Bahia do século XVI que tinham cada ano de mil cruzados até cinco mil de renda (...). Vida opulenta e até espaventosa, a daqueles colonos portugueses que, dispondo de capitais para se estabeleceram com engenhos, conseguiram prosperar no Brasil, logo nos primeiros tempos à custa do açúcar e do negro (Freyre, Gilberto. Casa Grande e Senzala). Sobre a vida social na América Portuguesa, é possível afirmar que: I. A sociedade colonial se organizava a partir da divisão entre homens livres e escravos destituídos de direitos. II. As hierarquias sociais eram determinadas por critérios como a origem familiar, a ocupação e a religião. III. À Igreja Católica cabia o papel de zelar pela boa conduta dos súditos do Rei, daí a política de estímulo ao casamento e o combate ao concubinato. IV. Ao criar as escolas de ler e escrever, os seminários e os colégios, a Igreja Católica teve um papel central na formação intelectual e cultural das elites coloniais. As afirmativas corretas são: (A)I, II e III, apenas; (B) I, II e IV, apenas; (C) I, III e IV, apenas; (D)II, III e IV, apenas; (E) I, II,III e IV Para muitos historiadores, as décadas de 1830 e 1840 devem ser vistas como de fundamental importância para a história das instituições políticas brasileiras, devido à aprovação de medidas que passaram a ter forte impacto na configuração do Estado Imperial. No conjunto dessas medidas pode-se destacar: I. A criação da Guarda Nacional, cuja função foi o de combater, no âmbito municipal, qualquer ameaça à ordem pública. II. A adoção da Lei Interpretativa do Ato Adicional, cujo objetivo foi o de reforçar a autoridade central. III. A formação de um governo de gabinete, com o objetivo de promover maior equilíbrio político-partidário. IV. A suspensão definitiva do Poder Moderador e o estabelecimento de um sistema baseado no equilíbrio entre os poderes. As afirmativas corretas são: (A)I, II e III, apenas; (B) I, II e IV, apenas; (C) I, III e IV, apenas; (D)II, III e IV, apenas; (E) I, II, III e IV. 13

14 34 - O anarquista imagina uma sociedade na qual as relações mútuas seriam regidas não por leis ou por autoridades auto-impostas ou eleitas, mas por mútuas concordâncias de todos os seus interesses e pela soma de usos e costumes sociais não imobilizados por leis, pela rotina ou por superstições mas em contínuo desenvolvimento, sofrendo constantes reajustes para que pudessem satisfazer as exigências sempre crescentes de uma vida livre, estimulada pelos progressos da ciência, por novos inventos e pela evolução ininterrupta de ideais cada vez mais elevados. Não haveria, portanto, autoridades para governá-la. Nenhum homem governaria outro homem; nem cristalização nem imobilidade, mas contínua evolução tal como a que vemos na Natureza. (Woodcock, George. História das idéias e movimentos anarquistas) A partir da leitura do documento anarquista é correto afirmar que: (A) defende o regime constitucional, fundamento para a construção de uma sociedade democrática; (B) há uma defesa da hierarquização social, uma vez que a sociedade é composta de indivíduos dotados de diferentes capacidades produtivas; (C) propõe um estado proletário capaz de garantir uma evolução harmoniosa rumo à igualdade social; (D) defende uma sociedade sem estado, fundada na liberdade humana e em sua evolução harmoniosa; (E) propõe uma república positivista, fundada no conhecimento científico e nas leis do progresso humano Nessa Alemanha, não há como desmenti-lo, predominava sobretudo o sentimento de enlevo, entusiasmo histórico, alegria de pôr-se em marcha, dispensa dos afazeres cotidianos, libertação de uma generalizada inércia, que assim não podia continuar. Em quase todos se impunham a jubilosa esperança no futuro, o apelo ao dever e à virilidade, em suma, a sensação de presenciar-se uma festividade heróica. (Mann, Thomas. Doutor Fausto) A partir da leitura do texto do romancista alemão, podemos afirmar que às vésperas da Primeira Guerra Mundial: (A) a sociedade alemã demonstrava uma forte apatia diante da possibilidade da guerra; (B) havia uma forte rejeição da sociedade alemã à participação do país em uma guerra; (C) os ideais nacionais mobilizaram entusiasticamente a sociedade em favor da participação do país na guerra; (D)predominava um sentimento derrotista e de profundo pessimismo em relação ao poderio militar germânico; (E) havia uma fé inabalável na capacidade do governo alemão em negociar a paz Em março de 1922, durante o governo do presidente Epitácio Pessoa, um grupo de militantes fundou o Partido Comunista do Brasil Seção Brasileira da Internacional Comunista. Sobre as diversas fases da história do PCB, é possível afirmar que: I. Em fins da década de 1920, o partido, ao lado de divulgar o seu ideário junto aos sindicatos, adotou uma política de lançar candidatos a cargos legislativos. II. Durante a chamada Era Vargas ( ), o PCB teve importante participação na criação da Aliança Nacional Libertadora (ANL), além de comandar, em 1935, um levante contra o governo federal. III. No período 1945/1964, o partido pôde atuar na legalidade, razão pela qual teve condições de formar grandes bancadas no Senado Federal e na Câmara dos Deputados. IV. Durante os governos militares ( ), a história do PCB foi marcada pela clandestinidade, pelas dissidências internas que resultaram na formação de novas organizações e pelas lutas contra o regime. As afirmativas corretas são: (A)I, II e III, apenas; (B) I, II e IV, apenas; (C) I, III e IV, apenas; (D)II, III e IV, apenas; (E) I, II, III e IV. 14

15 37 - Vocês querem que nossa pátria socialista seja derrotada e perca a independência? Se não querem isso, precisam acabar com o atraso no menor tempo possível e construir nossa economia socialista num verdadeiro ritmo bolchevique [..] Estamos cinqüenta ou cem anos atrás dos países desenvolvidos. Temos de alcançá-los em dez anos. Ou fazemos isso ou falimos. ( Stálin, 1931) Para superar o atraso e garantir a modernização da economia soviética, Stálin propunha uma economia: (A) vinculada ao mercado internacional, visto que a URSS precisaria dos aportes financeiros externos para viabilizar a industrialização; (B) fundamentada no livre mercado, visto que viabilizaria um aumento da produtividade industrial; (C) centralizada e estatizada, pois viabilizaria uma política de industrialização em curto período de tempo; (D)vinculada à tradição agro-exportadora do mundo rural russo; (E) fundamentada na concepção de socialismo de mercado, cujo objetivo é garantir um equilíbrio entre livre mercado e Estado regulador Mas foi, sem dúvida, em Belgrado (1961), na I Conferência dos Países Não-Alinhados, que se registraram claras influências de Bandung, formando-se em torno da bandeira de luta da autodeterminação a mais poderosa coalizão de Estados do então chamado Terceiro Mundo, unindo países dependentes, capitalistas ou socialistas da África, Ásia, América Latina e Europa e promovendo a cooperação nos fóruns mundiais, em especial nas Nações Unidas. Hernandez, Leila Leite. A África na sala de aula: visita à História contemporânea. Assinale a opção que melhor apresenta os objetivos políticos aprovados na Conferência de Bandung (1955): (A)apoio ao uso de armas nucleares contra os estados imperialistas e defesa dos regimes socialistas; (B) combate ao racismo e cooperação com os países afro-asiáticos em luta contra o colonialismo; (C) apoio aos regimes islâmicos e condenação aos regimes autoritários; (D)condenação da ONU e apoio à política terceiro mundista da França; (E) estreitar as relações diplomáticas com os países socialistas e criar uma força militar intervencionista, sob a autoridade da ONU O povo quer que se amplie a democracia, quer que se ponha fim aos privilégios de uma minoria; que a propriedade da terra seja acessível a todos; que a todos seja facilitado participar da vida política do país, através do voto, podendo votar e ser votado; (...) que seja assegurada a representação de todas as correntes políticas, sem quaisquer discriminações, ideológicas e religiosas. (Discurso do presidente João Goulart no Comício das Reformas, 13 de março de 1964). João Goulart, em seu pronunciamento, advoga a necessidade da adoção urgente de medidas para levar adiante as chamadas Reformas de Base. Com base no documento acima, é possível afirmar que o presidente, naquele contexto, defendia: I. O imediato fechamento do Congresso Nacional e a implantação de uma República Populista. II. A adoção de medidas para fins de reforma agrária. III. A extensão do voto ao analfabeto. IV. A livre organização partidária. As afirmativas corretas são: (A)I, II e III, apenas; (B) I, II e IV, apenas; (C) I, III e IV, apenas; (D)II, III e IV, apenas; (E) I, II, III e IV. 15

16 40 - Em janeiro de 1985, grandes multidões saíram às ruas de Brasília e de outras capitais brasileiras para comemorar a eleição de Tancredo Neves para a presidência da República pelo Colégio Eleitoral. Foi o desfecho de um longo processo de lutas de amplos setores da sociedade brasileira em prol do restabelecimento de um regime democrático no país. Foram etapas desse processo: I. A expressiva votação obtida pelo Movimento Democrático Brasileiro nas eleições legislativas de II. A campanha pela anistia ampla, geral e irrestrita em fins dos anos 70. III. A vitória de candidatos oposicionistas nas eleições diretas para o governo dos estados em IV. A campanha pelas eleições diretas para a presidência da República em As afirmativas corretas são: (A) I, II e III,apenas; (B) I, II e IV, apenas; (C) I, III e IV, apenas; (D) II, III e IV, apenas; (E) I, II, III e IV. TEXTO I INGLÊS LEIA O TEXTO I E RESPONDA ÀS QUESTÕES 41 A 43: Although the aging of the population is a common trend in many developing countries, the distinctiveness in Brazil is the speed with which it has occurred. The effects are already evident in the epidemiological profile of the population and in health care demands. Nevertheless, it is only recently that this new population profile has been taken into consideration by social and health policymakers. The issue is not yet well understood and strategies to deal with it are still in their infancy. Moreover, the epidemiological characteristics vary considerably between the various regions of the country: for example, life expectancy on the North is still about 55 years. The epidemiological profile of the Brazilian population has also gone through major changes and is now more complex than ever, including both chronic diseases and a persistence of diseases associated with poverty and social inequality. Infectious and parasitic diseases no longer feature among the main causes of mortality in the country as a whole, but are still important in the poorest regions. On the other hand, deaths from external causes are rising, reflecting a major problem of violence in urban areas and in areas of intense conflict over possession of land De acordo com o texto, o que impressiona no Brasil é: (A) o fato de o país ser uma nação em desenvolvimento; (B) o detalhamento do perfil epidemiológico da nação; (C) a reação tímida da polícia nas áreas de conflito; (D) a rapidez do envelhecimento da população; (E) a crescente demanda por estudos epidemiológicos A palavra sublinhada em a common trend (linha1) significa: (A) tabu; (B) teoria; (C) transformação; (D) temática; (E) tendência. (http://www.idrc.ca/en/ev do_topic.html, retrieved on November 19 th, 2007) 16

17 43 - Nevertheless em Nevertheless, it is only recently that this new population profile has been taken into consideration (linha 3) pode ser substituído por: (A) So; (B) Indeed; (C) However; (D) Just; (E) Moreover. TEXTO II LEIA O TEXTO II E RESPONDA ÀS QUESTÕES 44 A 47: The newspaper of The Johns Hopkins University September 17, 2007 Vol. 37 No. 3 Nearly 30 years after Nobel laureate Linus Pauling famously and controversially suggested that vitamin C supplements can prevent cancer, a team of Johns Hopkins scientists has shown that in mice at least, vitamin C and potentially other antioxidants can indeed inhibit the growth of some tumors, just not in the manner suggested by years of investigation. The conventional wisdom of how antioxidants such as vitamin C help prevent cancer growth is that they grab up volatile oxygen free radical molecules and prevent the damage they are known to do to our delicate DNA. The Johns Hopkins study, led by Chi Dang, professor of medicine and oncology and the Johns Hopkins Family Professor in Oncology Research, unexpectedly found that the antioxidants actual role may be to destabilize a tumor s ability to grow under oxygen-starved conditions. The researchers work is detailed in the September issue of Cancer Cell. The potential anticancer benefits of antioxidants have been the driving force for many clinical and preclinical studies, Dang said. By uncovering the mechanism behind antioxidants, we are now better suited to maximize their therapeutic use. Once again, he said, this work demonstrates the irreplaceable value of letting researchers follow their scientific noses wherever it leads them. The authors do caution that while vitamin C is still essential for good health, this study is preliminary and people should not rush out and buy bulk supplies of antioxidants as a means of cancer prevention No primeiro parágrafo, o autor informa que a vitamina C: (A) tem efeitos altamente nocivos para o ser humano; (B) não inibe, jamais, o desenvolvimento de câncer; (C) pode atuar de forma diversa do que foi sugerido antes; (D) desencadeia o aparecimento de tumores em ratos; (E) é certamente o único anti-oxidante que previne o câncer A citação da fala do pesquisador no penúltimo parágrafo faz referência: (A) ao custo do investimento; (B) à necessidade de mudança; (C) à profundidade do estudo; (D) ao rigor da investigação; (E) ao respeito à liberdade Ao final do texto, o autor faz: (A) uma advertência; (B) uma indagação; (C) uma repreensão; (D) um elogio; (E) uma recapitulação. 17 (http://www.jhu.edu/~gazette/2007/17sep07/17bigc.html)

18 47 - Em The potential anticancer benefits of antioxidants have been the driving force (linha 9), a expressão sublinhada significa: (A) garantia; (B) peso; (C) capacidade; (D) estímulo; (E) controle. TEXT III Disease Intervention READ TEXT III AND ANSWERS QUESTIONS 48 TO 50: Explorations into the function of each human gene a major challenge extending far into the 21st century will shed light on how faulty genes play a role in disease causation. With this knowledge, commercial efforts are shifting away from diagnostics and toward developing a new generation of therapeutics based on genes. Drug design is being revolutionized as researchers create new classes of medicines based on a reasoned approach to the use of information on gene sequence and protein structure function rather than the traditional trial-and-error method. Drugs targeted to specific sites in the body promise to have fewer side effects than many of today s medicines. The potential for using genes themselves to treat disease gene therapy is the most exciting application of DNA science. It has captured the imaginations of the public and the biomedical community for good reason. This rapidly developing field holds great potential for treating or even curing genetic and acquired diseases, using normal genes to replace or supplement a defective gene or to bolster immunity to disease (e.g., by adding a gene that suppresses tumor growth) The research reported in this text: (A) has been concluded; (B) will resume shortly; (C) is still ongoing; (D) will begin next century; (E) has obviously failed. 49 According to the text, disease can be caused by: (A) imperfect genes; (B) infectious germs; (C) intolerable grief; (D) inconsequent gestation; (E) incandescent gases. 50 If you bolster immunity to disease (line 11), you: (A) study it; (B) strengthen it; (C) decrease it; (D) undermine it; (E) test it. (http://www.ornl.gov/sci/techresources/human_genome/medicine/medicine.shtml) 18

19 ELPAIS.com Cultura ESPANHOL TRAS LEER EL TEXTO, CONTESTE LAS SIGUIENTES CUESTIONES. ED. IMPRESA El bosnio Adis Smajic, dos días después de su accidente en 1996 (arriba izquierda), y durante su proceso de recuperación entre 1996 y 2007, en las imágenes de la derecha.- gervasio sánchez REPORTAJE La vida de Adis, en el objetivo Gervasio Sánchez retrata la tragedia de los mutilados en Vidas minadas. Diez años BEATRIZ PORTINARI - Madrid - 25/11/2007 Adis Smajic tenía 13 años cuando vio aquella mina antipersona semienterrada entre las ruinas de Sarajevo, el 18 de marzo de En ese momento pensó que alguien podría resultar herido y decidió retirarla con todo el cuidado que puede tener un niño. De repente, clic. La explosión le arrancó el brazo derecho y el ojo izquierdo, además de desfigurarle el rostro por la 5 metralla. Cuando llegó al hospital, los médicos que le escuchaban decir yo sólo quería quitar la mina del suelo pensaron que no sobreviviría. Dos días después se convirtió en el joven sin rostro inmortalizado por el fotoperiodista Gervasio Sánchez (Córdoba, 1959), recién llegado a Sarajevo para cubrir el final de la guerra. El primer minuto que vi a Adis en la cama del hospital, luchando entre la vida y la muerte, fue tremendo. Aunque ya había tratado el problema de las minas en Angola y Camboya desde 1995, aquel instante cambió mi perspectiva como informador, sobre lo que 10 estábamos haciendo allí, recuerda Sánchez. Los periodistas vamos a los conflictos y nos marchamos cuando se supone que termina la guerra o dicen los políticos que termina, pero en realidad las consecuencias en la posguerra son mucho peores. Aquella imagen en el hospital de Sarajevo hizo que el fotógrafo regresara una y otra vez durante la siguiente década para retratar el espíritu de superación de jóvenes como Adis y otros 11 mutilados desde Camboya a Colombia, pasando por Afganistán, Irak o Mozambique. A través de su cámara ha recogido la evolución de las vidas entre prótesis, quirófanos y 15 rutina familiar, que se mostrarán desde el próximo martes hasta el 27 de enero en la exposición Vidas minadas. Diez años, en el Instituto Cervantes de Madrid. Responsabilidad política Creo que cuanto más capaces seamos de acercar a la gente el dolor de las minas antipersona, con nombres y apellidos, más posibilidades hay de que el público se cabree y decida presionar al Gobierno, afirma el reportero, que se toma cada historia 20 como un asunto personal. Aunque no se considera un activista, su fotografía de denuncia consiste en poner rostro a las cifras: víctimas en los últimos ocho años y cerca de nuevos accidentes anuales a causa de munición sin explotar. Mientras tanto, España sigue manteniendo la producción de bombas de racimo, que tienen los mismos efectos que las minas cuando caen a tierra y no explosionan. Lo más irónico es que el actual Gobierno, que tanto habla sobre Alianza de Civilizaciones y derechos humanos, no cierra las cuatro empresas subvencionadas que producen bombas de racimo. Es 25 cierto que destina más fondos que el Gobierno anterior a labores de desminado y ayudas a víctimas, pero es un esfuerzo muy cínico porque al mismo tiempo ha duplicado el volumen de producción de armas, denuncia Sánchez. 19

20 El proyecto Vidas minadas incluye un documental y la publicación de un libro con el mismo título por la editorial Blume, que se venderá acompañado de una colección de 365 retratos de mutilados, diferentes tipos de minas y prótesis caseras fabricadas con materiales imposibles como bambú, cuero, carcasa de un proyectil o incluso botellas recortadas de cocacola. Los beneficios se destinarán a la ayuda a víctimas mutiladas. Se trata de un trabajo global que cuenta con la 30 colaboración de Intermón Oxfam, Manos Unidas, Médicos Sin Fronteras y la compañía DKV Seguros, que ha financiado las operaciones de las víctimas en España. Adis ha pasado más de 30 veces por quirófano -siete en manos de los mejores cirujanos de Barcelona- para recuperar la sonrisa y seguir adelante con su vida, los partidos de fútbol con sus amigos, la música de su grupo de hip-hop y su 35 reciente boda, el pasado miércoles, con Naida Vreto. Ambos acompañarán el próximo martes al fotógrafo que retrató su historia en la apertura de la exposición de Madrid, junto a otros supervivientes, como la mozambiqueña Sofia Elface Fumo, el salvadoreño Manuel Orellana y el camboyano Sokheurm Man. En el libro también se incluyen rostros nuevos, del Kurdistán iraquí y Colombia, que quizá dentro de unos años protagonice la continuación de la serie fotográfica. Seguiré haciendo estas fotos a pesar de que siempre quedas un poco preñado de tanto dolor. Ya que no somos capaces 40 de terminar con las guerras, al menos con mi trabajo intento denunciar la doble moral política, afirma el reportero La noticia de El País.com informa sobre la: (A) labor de los reporteros de guerra en el mundo; (B) recién creada fundación para víctimas de minas; (C) exposición de un fotoperiodista en Madrid sobre mutilados; (D) actuación de Smajic como fotoperiodista en Vidas Minadas ; (E) importancia de los que trabajan con el fotoperiodismo de guerra actualmente Según Sánchez, lo cínico en la actitud del actual gobierno respecto a las minas es: (A) mantener la producción de bombas; (B) incrementar la producción de armas; (C) destinar fondos a labores de desminado; (D) financiar la fabricación de prótesis caseras; (E) fomentar programas de ayuda a las víctimas de minas El objetivo del trabajo de Sánchez al mostrar la historia de personajes como Smajic es: (A) poner de relieve las cifras de los mutilados por minas; (B) denunciar los desmanes de los políticos camboyanos; (C) presentar un informe a los gobiernos de países en guerra; (D) provocarles dolor a las personas que no han padecido guerras; (E) ofrecer un estudio sobre la evolución de la vida de las víctimas de minas cuanto más capaces seamos de acercar a la gente el dolor de las minas antipersonales (l. 18). La forma subrayada se relaciona a los: (A) políticos; (B) médicos; (C) mutilados; (D) gobiernos; (E) periodistas De los eventos que componen el proyecto referido en el texto hay: (A) una exposición de materiales bélicos y un libro; (B) un documental y un libro titulado Vidas Minadas; (C) una oficina de prótesis y un largometraje sobre Smajic; (D) una exposición de fotos y una oficina de minas caseras; (E) un documental sobre el proyecto y una colección de fotos. 20

LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA - GEOGRAFIA - HISTÓRIA - LÍNGUA ESTRANGEIRA - REDAÇÃO

LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA - GEOGRAFIA - HISTÓRIA - LÍNGUA ESTRANGEIRA - REDAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO DISTRITO FEDERAL Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde Escola Superior de Ciências da Saúde Janeiro de 2008 LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA - GEOGRAFIA

Leia mais

CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele

CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número e invariáveis [isto, isso, aquilo]. Eles assinalam a posição

Leia mais

Caderno de Aprendizagem

Caderno de Aprendizagem Caderno de Aprendizagem Módulo IV Unidade 3 Nome tutor data de entrega / / Governo Federal Ministério da Educação Secretaria de Educação a Distância Módulo IV Unidade 3 3 LINGUAGENS E CÓDIGOS Leia o poema

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

Trabalhar as regiões

Trabalhar as regiões A U A UL LA Trabalhar as regiões Nesta aula, vamos aprender como a organi- zação espacial das atividades econômicas contribui para diferenciar o espaço geográfico em regiões. Vamos verificar que a integração

Leia mais

Diverso é o mundo, e ainda bem.

Diverso é o mundo, e ainda bem. LPLB ME 2 O CONCURSO VESTIBULAR/2001 PÁG. 23 LPLB Questões de 51 a 63 Diverso é o mundo, e ainda bem. (Adaptado de TOLEDO, Roberto Pompeu de. Revista VEJA. São Paulo: Abril, 28 de março de 2001.) PÁG.

Leia mais

Processo Seletivo 2016-1 Vestibular de Acesso aos Cursos ENGENHARIA CADERNO: 1 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES AGENDA

Processo Seletivo 2016-1 Vestibular de Acesso aos Cursos ENGENHARIA CADERNO: 1 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES AGENDA ENGENHARIA Processo Seletivo 2016-1 Vestibular de Acesso aos Cursos LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES CADERNO: 1 AGENDA 1 - A duração da prova é de 3 (três) horas, já incluído o tempo de preenchimento do

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

02/12/2004. Discurso do Presidente da República

02/12/2004. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de entrega do Prêmio Finep e sanção da Lei de Inovação de Incentivo à Pesquisa Tecnológica Palácio do Planalto, 02 de dezembro de 2004 Meus companheiros ministros,

Leia mais

Município D 8.902 545 6,12 Município E 231.977 3.544 1,53 Município F 93.655 1.280 1,37

Município D 8.902 545 6,12 Município E 231.977 3.544 1,53 Município F 93.655 1.280 1,37 01 - Os problemas ambientais estão na ordem do dia dos debates científicos, das agendas políticas, da mídia e das relações econômicas. Até muito recentemente, ao se falar de meio ambiente, as instituições

Leia mais

Processo Seletivo 2016-1 Vestibular de Acesso aos Cursos ENGEMHARIA CADERNO: 2 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES AGENDA

Processo Seletivo 2016-1 Vestibular de Acesso aos Cursos ENGEMHARIA CADERNO: 2 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES AGENDA ENGEMHARIA Processo Seletivo 2016-1 Vestibular de Acesso aos Cursos LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES CADERNO: 2 AGENDA 1 - A duração da prova é de 3 (três) horas, já incluído o tempo de preenchimento do

Leia mais

CURSO História. Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo.

CURSO História. Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. PROCESSO SELETIVO 2004/1 HISTÓRIA CURSO História Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. 1. 2. 3. 4. Este caderno de prova contém dez questões, que deverão

Leia mais

A regra geral de concordância verbal é bastante simples: o verbo concorda com o núcleo (ou os núcleos) do sujeito. Desse modo, temos:

A regra geral de concordância verbal é bastante simples: o verbo concorda com o núcleo (ou os núcleos) do sujeito. Desse modo, temos: Concordância Na aula de hoje, estudaremos os principais tipos e ocorrências de itens relacionados à concordância verbal cobrados nos vestibulares do país. Nesse sentido, é válido lembrar que serão observadas

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 6ª série/7 ano TURMA: TURNO: DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia Roteiro e lista de Recuperação

Leia mais

REVISÃO NOVAFAP-FACID(geografia-Hugo)

REVISÃO NOVAFAP-FACID(geografia-Hugo) REVISÃO NOVAFAP-FACID(geografia-Hugo) 1. (Ufu) Na década de 1960, o geógrafo Aziz Nacib Ab'Saber reuniu as principais características do relevo e do clima das regiões brasileiras para formar, com os demais

Leia mais

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número: este, esse, aquele. Existem três invariáveis:

Leia mais

DIPLOMACIA Introdução

DIPLOMACIA Introdução DIPLOMACIA Introdução Ao longo dos tempos, o pensamento político e o pensamento jurídico sempre foram o reflexo das relações entre os homens, os povos, os Estados e as Nações. Foram se operando constantemente

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA 2015

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA 2015 ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA 2015 Nome: Nº 7º ano Data: / /2015 Professor: Nota: (valor: 2,0) A - Introdução Neste ano, sua pontuação foi inferior a 60,0 pontos e você não assimilou os conteúdos

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social O tempo e a espera Ministro fala de projetos em andamento e ações do governo para a área educacional Entrevista do ministro publicada na Revista Educação no dia 26 de maio de 2004. Tarso Genro é considerado

Leia mais

Gabarito oficial preliminar: História

Gabarito oficial preliminar: História 1) Questão 1 Segundo José Bonifácio, o fim do tráfico de escravos significaria uma ameaça à existência do governo porque Geraria uma crise econômica decorrente da diminuição da mão de obra disponível,

Leia mais

No entanto, a efetividade desses dispositivos constitucionais está longe de alcançar sua plenitude.

No entanto, a efetividade desses dispositivos constitucionais está longe de alcançar sua plenitude. A MULHER NA ATIVIDADE AGRÍCOLA A Constituição Federal brasileira estabelece no caput do art. 5º, I, que homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações e reconhece no dispositivo 7º a igualdade de

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

Geografia. Textos complementares

Geografia. Textos complementares Geografia Ficha 2 Geografia 2 os anos Silvia ago/09 Nome: Nº: Turma: Queridos alunos, bom retorno. Segue um conjunto de atividades que têm por objetivo encaminhar as discussões iniciadas em nossas aulas

Leia mais

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional CIÊNCIAS HUMANAS (HISTÓRIA/ATUALIDADES/GEOGRAFIA) O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional das sociedades através dos tempos, observando os fatores econômico, histórico,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO VESTIBULAR/2015

CONCURSO PÚBLICO VESTIBULAR/2015 ESCOLA DE GOVERNO PROFESSOR PAULO NEVES DE CARVALHO FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Governo de Minas Gerais CONCURSO PÚBLICO VESTIBULAR/2015 2ª ETAPA Provas abertas: Matemática, História e Redação em Língua Portuguesa.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 17 Discurso no encerramento do Fórum

Leia mais

Ejemplos de ítems y tareas

Ejemplos de ítems y tareas Ejemplos de ítems y tareas Tipo de Item: Emparejamiento Componente: Comprensión Lectora Você vai conhecer Mariana e seus amigos. Leia a informação de cada um deles e coloque ao lado do nome o número da

Leia mais

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político Jairnilson Paim - define o SUS como um sistema que tem como característica básica o fato de ter sido criado a partir de um movimento

Leia mais

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão.

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão. CRISE DO ESCRAVISMO A Dinamarca foi o primeiro país Europeu a abolir o tráfico de escravos em 1792. A Grã-Bretanha veio a seguir, abolindo em 1807 e os Estados Unidos em 1808. O Brasil foi o último país

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca r f Considerei particularmente oportuno

Leia mais

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 9 ano Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE Análise de textos poéticos Texto 1 Um homem também chora Um homem também

Leia mais

Resumo e análise da obra: A Educação Pela Pedra - João Cabral de Melo Neto

Resumo e análise da obra: A Educação Pela Pedra - João Cabral de Melo Neto Resumo e análise da obra: A Educação Pela Pedra - João Cabral de Melo Neto A obra Publicado em 1965, A Educação Pela Pedra, de João Cabral de Melo Neto, reúne os traços determinantes da poesia de João

Leia mais

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Roteiro de Estudos 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Professor: Eduardo O que devo saber: Globalização, comércio mundial e blocos econômicos. O Comércio Global. O protecionismo. O comércio

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno.

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno. 1. ASPECTOS GERAIS Comércio é um conceito que possui como significado prático, trocas, venda e compra de determinado produto. No início do desenvolvimento econômico, o comércio era efetuado através da

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA 2011/HIST8ANOEXE2-PARC-1ºTRI-I AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE

Leia mais

DADOS. Histórico de lutas

DADOS. Histórico de lutas MULHERES O partido Solidariedade estabeleceu políticas participativas da mulher. Isso se traduz pela criação da Secretaria Nacional da Mulher e por oferecer a esta Secretaria completa autonomia. Acreditamos

Leia mais

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento.

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento. DISCURSO DE POSSE Boa Noite a todos! Cumprimento o ex-diretor presidente Sebastião Calais, o Prefeito Leris Braga, o vice-prefeito Alcemir Moreira, o presidente da Câmara de Vereadores Juarez Camilo, o

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

EXEMPLOS DE QUESTÕES DA PROVA DE NIVELAMENTO DE PORTUGUÊS PRODUÇÃO DE TEXTO

EXEMPLOS DE QUESTÕES DA PROVA DE NIVELAMENTO DE PORTUGUÊS PRODUÇÃO DE TEXTO EXEMPLOS DE QUESTÕES DA PROVA DE NIVELAMENTO DE PORTUGUÊS PRODUÇÃO DE TEXTO QUESTÕES QUE ENVOLVEM CONHECIMENTO RELATIVO À NORMA CULTA DA LÍNGUA (CONCORDÂNCIA VERBAL, REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL, PONTUAÇÃO,

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. OBS: EM NEGRITO OS ENUNCIADOS, EM AZUL AS

Leia mais

Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros. (textos e fotos Maurício Pestana)

Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros. (textos e fotos Maurício Pestana) Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros (textos e fotos Maurício Pestana) Responsável pelo parecer do Conselho Nacional de Educação que instituiu, há alguns anos, a obrigatoridade do ensino

Leia mais

O continente africano

O continente africano O continente africano ATIVIDADES Questão 04 Observe o mapa 2 MAPA 2 Continente Africano Fonte: . A região do Sahel, representada

Leia mais

Enem, fantasias e verdades. Rommel Fernandes

Enem, fantasias e verdades. Rommel Fernandes 2014 Enem, fantasias e verdades. Rommel Fernandes Enem, fantasias e verdades. 3 Eu sou Rommel Fernandes, Diretor de Ensino do Bernoulli, e vou expor um tema interessantíssimo, que envolve o Enem. O exame

Leia mais

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4 ANEXO 4 RELATÓRIO PRELIMINAR DO CEED AO CONSELHO DE DEFESA SUL- AMERICANO SOBRE OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA OS CONCEITOS DE SEGURANÇA E DEFESA NA REGIÃO SUL- AMERICANA O é uma instância de conhecimento

Leia mais

MAHATMA GANDHI. Cronologia

MAHATMA GANDHI. Cronologia Cronologia 1869 Data de nascimento de Gandhi 1888 1891 Estudou direito em Londres 1893 1914 Período em que viveu na África do Sul 1920 Lutou pelo boicote aos produtos ingleses 1930 Campanhas de desobediência

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

FUNDAMENTAL II: RECUPERAÇÃO 1º SEMESTRE 2015 9º ANO

FUNDAMENTAL II: RECUPERAÇÃO 1º SEMESTRE 2015 9º ANO FUNDAMENTAL II: RECUPERAÇÃO 1º SEMESTRE 2015 9º ANO Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Turma : 901/902 Prof. :NETINHA GRUPO 1 1. ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO Leia com atenção Páginas: 21,22 Tarefas propostas Páginas:

Leia mais

Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1. Marina Silva 2

Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1. Marina Silva 2 Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1 Boa tarde a todos e a todas! Marina Silva 2 Quero dizer que é motivo de muita satisfação participar de eventos como esse porque estamos aqui para

Leia mais

Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas. Nível Fundamental Incompleto. Águas e Esgoto. 22.01.2012 - Tarde

Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas. Nível Fundamental Incompleto. Águas e Esgoto. 22.01.2012 - Tarde Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas Nível Fundamental Incompleto Águas e Esgoto 22.01.2012 - Tarde LÍNGUA PORTUGUESA AJUDANTE / AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS / OPERADOR DE BOMBAS 22.01

Leia mais

Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo

Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo A UA UL LA MÓDULO 7 Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo Nesta aula O café foi o principal produto de exportação durante a República Velha. Os cafeicultores detinham o controle da

Leia mais

Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33)

Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33) Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33) Edgard: A idéia [desta entrevista] é a gente comentar dez características da globalização e seus reflexos em Salvador. Meu nome é Edgard Porto,

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia PRIMEIRA QUESTÃO A) É importante que o candidato ressalte o fato de que, na ilha, a princípio, tudo é eletivo : cabe aos indivíduos escolher os seus papéis. Esta liberdade da constituição do sujeito deve

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Guerra fria (o espaço mundial)

Guerra fria (o espaço mundial) Guerra fria (o espaço mundial) Com a queda dos impérios coloniais, duas grandes potências se originavam deixando o mundo com uma nova ordem tanto na parte política quanto na econômica, era os Estados Unidos

Leia mais

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações.

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações. PRONUNCIAMENTO DO MINISTRO EDUARDO CAMPOS NA SOLENIDADE DE INSTALAÇÃO DA III ASSEMBLÉIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE PARLAMENTARES PARA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (IPAIT), NA CÂMARA DOS DEPUTADOS,

Leia mais

PROVA GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010

PROVA GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010 PROVA GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010 PROF. FERNANDO NOME N o 8 o ANO A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

Teste de Habilidade Específica - THE

Teste de Habilidade Específica - THE LEIA COM ATENÇÃO 1. Só abra este caderno após ler todas as instruções e quando for autorizado pelos fiscais da sala. 2. Preencha os dados pessoais. 3. Autorizado o inicio da prova, verifique se este caderno

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Letras. Objetivo. Aspectos das Conexões Sintáticas. Prof a. Dr a. Leda Szabo

Letras. Objetivo. Aspectos das Conexões Sintáticas. Prof a. Dr a. Leda Szabo Letras Prof a. Dr a. Leda Szabo Aspectos das Conexões Sintáticas Objetivo Diferenciar o objeto de estudo da análise de base sintática do objeto de estudo da análise do discurso. Compreender a diferença

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

CONTEÚDO DA 1ª AVALIAÇÃO BIMESTRAL 2014. Disciplina: Redação Poema(forma e estrutura) Narrativa em prosa poética (momentos e elementos)

CONTEÚDO DA 1ª AVALIAÇÃO BIMESTRAL 2014. Disciplina: Redação Poema(forma e estrutura) Narrativa em prosa poética (momentos e elementos) Série: 6º Ano CESEP- CENTRO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS DO PARÁ COORDENAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTLA/2º CICLO CONTEÚDO DA 1ª AVALIAÇÃO BIMESTRAL 2014 Disciplina: Português Variedades linguísticas(formal e informal)

Leia mais

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta.

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta. Tipos de Discurso (exercícios para fixação de conteúdo, bem como material de consulta e estudo). 1. Transforme a fala abaixo em um discurso indireto. Para tal, imagine que há, na cena, um narrador que

Leia mais

Os Caminhos do Festival Música Nova

Os Caminhos do Festival Música Nova Os Caminhos do Festival Música Nova por Antônio Eduardo Santos RESUMO Um movimento por uma música revolucionária, nova, em oposição ao academismo dominante, teve nascimento em São Paulo, no começo dos

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DE AVALIAÇÕES DE MAIO / 2010 6º ANO MATUTINO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DE AVALIAÇÕES DE MAIO / 2010 6º ANO MATUTINO São Luís (MA),19/05/2010. 6º ANO MATUTINO História A civilização mesopotâmica Planos do desenho, p.38 42; Perspectiva; Renascimento, p. 45 46; Imagens 3D / Encher, p.48 51. Sistema operacional, p.12; Conceitos

Leia mais

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim.

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim. INTRODUÇÃO LIVRO: ECONOMIA E SOCIEDADE DIEGO FIGUEIREDO DIAS Olá, meu caro acadêmico! Bem- vindo ao livro de Economia e Sociedade. Esse livro foi organizado especialmente para você e é por isso que eu

Leia mais

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares CADERNO DE PROVA 2.ª FASE Nome do candidato Nome do curso / Turno Local de oferta do curso N.º de inscrição Assinatura do candidato Coordenação de Exames Vestibulares I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM ATENÇÃO

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS 7.PROJETO PEDAGÓGICO 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA EMENTA: Conceitos Fundamentais; Principais Escolas do Pensamento; Sistema Econômico; Noções de Microeconomia; Noções de Macroeconomia;

Leia mais

A EVOLUÇÃO DA ESCRITA

A EVOLUÇÃO DA ESCRITA A EVOLUÇÃO DA ESCRITA Percebemos a partir da observação das imagens exibidas no vídeo A EVOLUÇÃO DA ESCRITA que o homem sempre buscou muitas formas de transmitir pensamentos. O texto é uma das formas mais

Leia mais

Prova Escrita de Espanhol

Prova Escrita de Espanhol EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de de julho Prova Escrita de Espanhol 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Iniciação bienal Prova 47/1.ª Fase Critérios de Classificação 6 Páginas

Leia mais

Carnaval 2014. A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível

Carnaval 2014. A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível Carnaval 2014 A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível Nesta noite vamos fazer uma viagem! Vamos voltar a um tempo que nos fez e ainda nos faz feliz, porque afinal como

Leia mais

Processo Seletivo 2015-1 RV Vestibular de Acesso aos Cursos ENGENHARIA

Processo Seletivo 2015-1 RV Vestibular de Acesso aos Cursos ENGENHARIA Processo Seletivo 2015-1 RV Vestibular de Acesso aos Cursos ENGENHARIA LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES 1 - A duração da prova é de 3 horas, já incluído o tempo de preenchimento do cartão de respostas e

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração PROVA DE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 1º Semestre / 2010 - P2 - TIPO 1 DADOS DO ALUNO: Nome: Assinatura INSTRUÇÕES:

Leia mais

Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais

Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais Seminário Internacional sobre Governabilidade Democrática e Igualdade de Gênero CEPAL - Santiago do Chile 1-2 de dezembro de 2004 Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais Gostaria inicialmente

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

www.ree.org.br Sobre as curas espirituais IEEWFM, 7 de maio de 2013

www.ree.org.br Sobre as curas espirituais IEEWFM, 7 de maio de 2013 Sobre as curas espirituais IEEWFM, 7 de maio de 2013 O diálogo a seguir envolve dois assuntos de grande interesse geral: a proteção oferecida pelos espíritos frente às diferentes situações a que somos

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Modo: indicativo O modo indicativo expressa um fato de maneira definida, real, no presente, passado ou futuro, na frase afirmativa, negativa ou interrogativa. Presente Presente Passado (=Pretérito) Pretérito

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

Nome: N.º: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs

Nome: N.º: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões 1 e 2. PLANETA sustentável QUANTO SE GASTA DE ÁGUA

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

Homocistinúria Clássica

Homocistinúria Clássica Homocistinúria Clássica Texto: Ida Vanessa D. Schwartz Ilustrações: Matheus Wilke Serviço de Genética Médica/HCPA, Departamento de Genética /UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil Esta publicação é destinada

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS 11) China, Japão e Índia são três dos principais países asiáticos. Sobre sua História, cultura e relações com o Ocidente, analise as afirmações a seguir. l A China passou por um forte processo de modernização

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C CONTEÚDOS DO EXAME Líderes religiosos, Motivação e Liderança Convivência com o grupo; Amizade e sentido de grupo Os projetos Solidários; O que é um projeto? Olhares sobre

Leia mais

5º Ano O amor é paciente. (I Coríntios 13:4 a)

5º Ano O amor é paciente. (I Coríntios 13:4 a) 5º Ano O amor é paciente. (I Coríntios 13:4 a) Roteiro Semanal de Atividades de Casa (06 a 10 de Maio 013) Desafio! 1) Agora, temos um desafio com formas geométricas. Observe. ) Complete a sequência seguindo

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

Planejamento Anual. Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015. Professor(s): Júlio

Planejamento Anual. Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015. Professor(s): Júlio Planejamento Anual Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015 Professor(s): Júlio APRESENTAÇÃO: Percebemos ser de fundamental importância que o aluno da 2 Ano do Ensino Fundamental possua

Leia mais

DESAFIO PORTUGAL 2020

DESAFIO PORTUGAL 2020 DESAFIO PORTUGAL 2020 Estratégia Europa 2020: oportunidades para os sectores da economia portuguesa Olinda Sequeira 1. Estratégia Europa 2020 2. Portugal 2020 3. Oportunidades e desafios para a economia

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO TEXTO I

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO TEXTO I TEXTO I Igualdade de Gênero no Enfrentamento à Violência Contra a Mulher As desigualdades são sentidas de formas diferentes pelas pessoas dependendo do seu envolvimento com a questão. As mulheres sentem

Leia mais

Curso FIC Espanhol Intermediário

Curso FIC Espanhol Intermediário Curso FIC Espanhol Intermediário Descrição do Curso O Curso tem como objetivo o desenvolvimento de habilidades intermediárias de compreensão, conversação, leitura e escrita da língua espanhola, com o intuito

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG T exto dissertativo: ponto de vista acerca de um tema Profa. Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com.br Algumas perguntas O quê? Por quê? Para quê?

Leia mais

Concordância Nominal

Concordância Nominal Concordância Nominal Concordância Nominal Regra Geral O artigo, o pronome, o numeral e o adjetivo devem concordar em gênero e número com o substantivo ao qual se referem. Ex.: Os nossos dois brinquedos

Leia mais

03. Resposta: E. Página 552 02.

03. Resposta: E. Página 552 02. Orações coordenadas Página 550 a) O aquecimento excessivo do planeta é um fato incontestável [1], por isso muitos países já implantaram programas de redução de poluentes [2], mas / porém / no entanto o

Leia mais

Comunicar PAPA. Jornal. Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano. Administração Pública. www.governo.cv

Comunicar PAPA. Jornal. Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano. Administração Pública. www.governo.cv Jornal Comunicar Administração Pública Governo de Cabo Verde Edição Gratuita Mensal nº18 Setembro de 2010 Edição Especial www.governo.cv www.governo.cv PAPA Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano

Leia mais

BRASIL E ESTADOS UNIDOS: relações comerciais e linguístico-culturais

BRASIL E ESTADOS UNIDOS: relações comerciais e linguístico-culturais BRASIL E ESTADOS UNIDOS: relações comerciais e linguístico-culturais Autor(a): João Corcino Neto Coautor(es): Suzana Ferreira Paulino Email: jcn1807iop@gmail.com Introdução As relações comerciais entre

Leia mais

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

Aula 9 PROCESSOS MIGRATÓRIOS

Aula 9 PROCESSOS MIGRATÓRIOS PROCESSOS MIGRATÓRIOS Aula 9 METAS Inserir o aluno em um dos temas centrais da análise da Geografia da População: a questão migratória; analisar as causas, motivações e conseqüências do deslocamento populacional

Leia mais

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre 01-O homo sapiens moderno espécie que pertencemos se constitui por meio do grupo, ou seja, sociedade. Qual das características abaixo é essencial para

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs. História Oficina de História

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs. História Oficina de História Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs História Oficina de História 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para ser uma ferramenta

Leia mais