Modelagem Facial Foto-Realista

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Modelagem Facial Foto-Realista"

Transcrição

1 Marco Antonio de Azevedo Van Marc Motion Design Como modelar uma face humana foto-realista, 3D, a partir do software 3ds Max/Maya para utilização em mídias de alta-definição. Objetivos de aprendizado da sessão Nesta palestra você irá: Conhecer as etapas de uma produção de uma modelagem facial foto-realista Conhecer e entender as principais técnicas de modelagem tradicional A importância da fotografia na modelagem proposta A importância de um estudo anatômico para a modelagem Conhecer a técnica de modelagem vértice-a-vértice, seus benefícios, problemas e soluções Sobre o Palestrante No mercado da CG a mais de 14 anos possui larga experiência em produção de vídeo, finalização, composição e modelagem e animação 3D tendo trabalhado durante 11 anos na RBS TV, emissora de TV afiliada Rede Globo como Produtor Gráfico e Diretor de Arte. Leciona sobre o conteúdo do software 3ds Max desde 2001, tendo trabalhado junto a um Centro de Treinamento Autorizado Autodesk no passado e mais recentemente abriu seu próprio ATC em Florianópolis nos segmentos de M&E e AEC. Tem dedicado seus estudos, desde a graduação em modelagem facial humana foto-realista e assim segue junto à Universidade Federal de Santa Catarina aprimorando sua pesquisa na área. Contato

2 Modelagem Facial 3D Foto-Realista A modelagem facial 3D tem sido um assunto amplamente abordado e discutido em fóruns, revistas, congressos, eventos, etc. no meio da CG. Apesar disso, quando o foco é fotorealismo, a busca pela perfeição vai mais além e, muitas vezes, o processo se torna penoso para o artista. Alcançar a forma exata da face de uma pessoa, se utilizando da modelagem tradicional, não é uma tarefa fácil. É fato que nos dias de hoje existem muitos recursos tecnológicos para se conseguir certa precisão e uma melhor definição de malha 3D. O digitalizador 3D (scanner 3D), as múltiplas fotografias estereoscópicas apresentadas na SIGGRAPH em 2010, o projeto PhotoFly da Autodesk que se utiliza de fotos comuns para gerar um objeto 3D, entre muitos outros sistemas existentes no mercado, podem gerar uma malha 3D significativamente fiel ao objeto real captado. O que ocorre nesses processos é que normalmente os dados gerados por esses dispositivos são de forma automática e não produzem uma malha própria para o uso em animação ou mídias de alta definição em função de suas características aleatórias ou densas demais, da malha 3D. Uma opção interessante seria fazer a re-topologia da malha gerada por dados de um sistema digitalizador 3D no Autodesk MudBox por exemplo, mas ainda assim, por vezes esses processos são caros ou inacessíveis para muitos porque dependem de outros equipamentos e não somente softwares. Por outro lado, na modelagem tradicional, utilizando-se de softwares como o Autodesk 3ds Max e o Autodesk Maya, é consenso entre os autores a utilização de fotos nos imageplanes ou em backgrounds como referência para a modelagem. Nesse caso, é comum o artista fazer adaptações na face do modelo fotográfico, a partir de softwares de edição e manipulação 2

3 de imagens digitais, para se adequar à sua modelagem ou, de alguma forma, facilitar o processo. O resultado acaba sendo muitas vezes foto-real, porém diferente do objeto real, ou seja, a modelagem ficou até boa, mas não corresponde exatamente à face da pessoa que foi utilizada como referência da modelagem. Nessa sessão do AU Brasil 2011, Modelagem Facial 3D Foto-Realista, será apresentada uma técnica de modelagem facial, se utilizando da modelagem tradicional, onde o foco é o realismo e a identificação com o modelo real. Também serão mostradas, de modo breve, outras técnicas de modelagens auxiliares, utilizadas conjuntamente e algumas novidades da ferramenta Graphite Modeling do Autodesk 3ds Max. Tipos de Modelagens Tradicionais Na modelagem tradicional, fotos de frente e de lado da face de uma pessoa, são colocadas nos respectivos backgrounds do software como no Autodesk 3ds Max e imageplanes no Autodesk Maya para a referência de modelagem e a partir daí dá-se início ao processo de modelagem propriamente dito. Outras fotos podem ser utilizadas como texturas e referência de animação. É relativamente comum encontrar, nos tutoriais disponíveis em sites e livros do meio da CG, técnicas como: o o o o Extrusão de arestas: o artista, geralmente a partir de um plano, faz sucessivas extrusões das arestas para formar o modelo. Box Modeling: possivelmente a modelagem mais conhecida e utilizada atualmente, parte de uma geometria primitiva, normalmente um Box para construir o modelo. Modelagem por SP-lines : linhas de splines são utilizadas como ancoragem de uma malha 3D a ser adicionada por modificadores. NURBS Modeling: modelagem a partir de superfícies e curvas NURBS. Entre outras. As etapas seguintes de um processo de modelagem estão relacionadas com a texturização, mapeamento e renderização. Freqüentemente tem se usado os fantásticos recursos do Autodesk MudBox para criação de um normal map mais realista ou mesmo uma malha rica em detalhes. Fotos também são utilizadas para ajudar esculpir a malha no MudBox e, principalmente, elas são usadas diretamente nas texturas da pele e no material SSS (subsurface scattering). Sistemas de renderização como o mentalray e o iray proporcionam shaders, luzes e uma ambientação realista, conferindo ao final trabalho uma imagem de alta definição com uma aparência muito próxima ao que se obtém em excelentes imagens fotográficas, isto é, o foto-realismo. 3

4 A Fotografia e Preparação das Imagens A modelagem proposta nessa sessão do AU Brasil 2011 não tem a intenção de ser chamada de a melhor ou a mais eficiente até porque seria muito difícil se medir um tipo de performance como essa onde a habilidade e experiência do artista definem, muitas vezes, questões de desempenho. O objetivo é propor um método pouco usual de modelagem destacando-se os pontos positivos, os negativos e os benefícios da ferramenta Graphite Modeling do software Autodesk 3ds Max quando aplicadas a essa técnica que está sendo chamada originalmente de vertex-to-vertex modeling ou modelagem vértice-a-vértice. Para tanto, foram utilizados os estudos feitos pelo autor, em nível de Mestrado, junto à Universidade Federal de Santa Catarina e, a seguir, bem como na sessão do AU Brasil 2011, será descrito parte do estudo. Usando o método de modelagem tradicional, a primeira etapa é obter as fotos, de frente e de lado do modelo da face. É importante observar que os backgrounds ou as image-planes funcionam como épuras de projeções ortográficas (projeções perpendiculares às respectivas vistas de projeção) onde, na modelagem, se faz o processo inverso ao da geometria descritiva, ou seja, o modelo é efetivamente construído a partir das fotos. Isso significa que, a rigor, as fotos deveriam estar em projeções ortográficas também. Se falando de fotos, é preciso subtrair, portanto, as distorções óticas causadas pelas lentes. O estudo mostrou que as lentes Tele-Photo ou somente Tele (teleobjetivas), normalmente utilizadas para fotografar paisagens longínquas em ambiente abertos ou também como lente Macro para fotografar insetos e outros animais pequenos sem perturbá-los, à distância, eram as lentes próprias para a fotografia de referência da modelagem. Para este ensaio específico foi utilizada uma câmera Canon EOS 5D Mark II com a teleobjetiva Canon EF mm f/4-5.6 IS USM a 300mm, ISO 100 e 21 Mpixel. Foi observado que lentes acima de 55mm já começam a ter um grau de distorção menor. Outra preocupação era a posição da modelo, em relação à câmera. As fotos de frente e de lado precisavam estar na mesma altura, numa diferença precisa de 90 graus de giro horizontal, sem rotação vertical ou horizontal da cabeça nas respectivas posições. 4

5 Figura 1: Foto de making off do ensaio fotográfico. Tendo em vista que o objetivo era reproduzir uma face humana em 3D, nos preocupamos também em reproduzir as condições de visualização dessa face no 3D. Foi então filmado e documentado todo o processo e também foram feitas medidas da distância da câmera até o ponto focal da modelo, das alturas e etc. para determinar a posição da câmera 3D. Alguns aparatos de referência de posição para a cabeça foram utilizados. Tudo para que o que era visto na foto, também pudesse ser reproduzido e visto no 3D. Outras fotos a 45 graus foram utilizadas como referência extra e acabaram sendo de extrema importância para o resultado final. Fotos para referência de expressões faciais e fotos para texturas foram captadas em outros ensaios. Para as fotos de textura foi utilizada uma câmera Canon EOS 7D com uma lente de menor zoom. Figura 2: Essa imagem mostra as 4 fotos selecionadas para a modelagem. A modelo está nos seus respectivos ângulos para referência. As linhas azuis são guias de posição. A precisão das imagens foi quase perfeita e poucos foram os ajustes no Adobe Photoshop. 5

6 Breve Estudo Anatômico Figura 3: As fotos posicionadas no background do Autodesk 3ds Max São utilizadas fotos dos dois lados porque uma pessoa, por mais que pareça, não possui uma simetria exata bilateralmente. Após configurar as fotos em background no 3ds Max, um breve estudo da anatomia e das expressões é recomendado. Visando uma possível utilização em animação, o objetivo nessa parte do processo é estabelecer as linhas de expressão facial, onde o artista precisará maior resolução de malha para poder gerar tais linhas no 3D. É importante verificar o sentido em que correm essas linhas para se estabelecer uma conexão direta entre foto e a malha 3D. Para tanto, foram utilizadas algumas fotos para referência de expressões também. Jason Osipa, no seu livro intitulado Facial Modeling And Animation Done Right Stop Staring, propõe que as linhas da malha serão as linhas de expressões no 3D e também separa a modelagem em partes menores, como a testa, a máscara dos olhos, nariz e a boca, orelhas, entre outras para depois conectá-las. A Figura 4, abaixo, mostra em preto as linhas de expressão com setas indicativas do movimento executado para tal. Em vermelho, as áreas a serem modeladas de forma independente. 6

7 Figura 4: Fotos enfatizando as expressões faciais e as áreas de modelagem. A Modelagem Vértice-a-Vértice A modelagem vértice-a-vértice tem início com uma geometria primitiva plane. A partir dele, são excluídos todos os polígonos e se trabalha apenas com a criação e posicionamento de vértices. Tendo como referência precisa as fotos de fundo, fica fácil posicionar cada vértice. Iniciando-se pelo olho, rapidamente se obtém uma forma inicial, mesmo que apenas com vértices. Já é possível ver seus contornos. De início o trabalho aparenta ser penoso, mas algumas questões são importantes de serem consideradas: - Diferentemente do Box modeling, nesse processo a artista já pode ir definindo o grau de resolução ou densidade da malha para cada área do modelo 3D. Em teoria, após o posicionamento e fechamento da malha, o modelo praticamente está pronto. Apenas ajustes da forma em pontos-cegos se fazem necessários; - O fechamento da malha se dá utilizando se as ferramentas do Graphite Modeling de fechamento rápido. No geral as ferramentas do Graphite Modeling, são excelentes para essa modelagem. Figura 5: detalhe da modelagem. - Dado o cuidado com a etapa de fotografia, não se faz necessário o recurso de camera match, que cria 7

8 uma câmera virtual a partir da foto, pois os dados já foram colhidos, é só passar esses dados para a câmera 3D e pronto, a câmera já está criada; - Também não se faz necessário o uso de softwares adicionais para conferência das dimensões da forma nos pontos-cegos, pois já se têm fotos controladas para essa referência, basta posicionar ou criar uma nova câmera 3D numa nova posição cujos dados estão relacionados a alguma foto específica e ajustar a malha conforme a foto de referência. - A modelo gerado possui maior precisão e identificação com o modelo real. Figura 6: Avanços na modelagem da máscara do olho. Fatores negativos em relação aos outros tipos de modelagens e soluções encontradas: - Demanda um ensaio fotográfico mais apurado, algumas vezes mais custoso e trabalhado, gerando custos para a produção. A solução está relacionada com o conhecimento técnico de fotografia e disponibilidade dos equipamentos por parte do artista ou produtor das fotos. Em geral o custo de um ensaio como esse não é alto quando se sabe o que quer da foto. - O tempo de produção, incluindo a modelagem, pode se tornar demasiado em certas circunstâncias. A solução está relacionada com o conhecimento técnico e experiência do artista. Estabelecer padrões e critérios pode facilitar o processo. - A dificuldade em estabelecer algumas posições iniciais de alguns vértices pode ser um problema que pode levar a um retrabalho em algumas partes e conseqüentemente há um 8

9 tempo maior de modelagem. Para esse caso, a prática levará a um conhecimento maior de localização dos pontos e otimização da malha. - A malha gerada ocasionalmente pode ficar com rugas ou depressões, isto é, pode não ficar limpa e uniforme tendo em vista que cada ponto foi colocado manualmente. Em geral essas depressões e rugas na malha estão presentes no modelo real e são benéficos para um maior realismo. É preciso identificar e selecionar o que está em conformidade com o modelo real e o que precisa ser retirado como um defeito na modelagem. Neste último caso as ferramentas do Graphite Modeling são de enorme importância e normalmente conseguem solucionar muito satisfatoriamente a totalidade dos problemas, de forma bastante rápida. Figura 7: Quatro vistas do 3ds Max. As duas vistas inferiores são de câmeras do 3ds Max nas posições da câmera original com o efeito de clipping planes ativo e animado para conferir cada área do rosto. Nessa sessão do AU Brasil 2011 você verá algumas ferramentas do Graphite Modeling para fechar, ajustar e corrigir a malhar 3D. Concluída a modelagem, ajustes finais nas proporções são realizados com base nas demais fotos de outros ângulos. Fotos captadas a 45 graus normalmente complementam bem esta etapa (Figura 7). A textura é de extrema importância e também tem base nas fotos. Uma orientação UVW é gerada a partir do UVW Unwrap e o fluxo de trabalho 3ds Max > MudBox > 3ds Max para se extrair os mapas de displace, bump e normal complementam o acabamento. Uma série de mapas é gerada para dar cor, semelhança à pele, saliências, brilho, etc. 9

10 Figura 8: Seqüência de mapas utilizados no modelo. Utilizando o renderizador mental Ray junto com o shader subsurface scattering fast skin+displacement, é possível obter bons resultados com uma configuração de render predefinida e luzes fotométricas. Conclusão A técnica apresentada facilita a modelagem cujo resultado esperado demanda precisão da forma. A forma orgânica da face torna a modelagem especialmente mais difícil e trabalhosa para qualquer das técnicas empregadas, porém a modelagem vértice-a-vértice pode contribuir com aspectos de precisão principalmente em áreas de maior detalhamento e forma mais complexa. Figura 9: Alguns Renderings finais e um print screen da viewport no centro. 10

11 Figura 10: Render Final 11

12 Figura 11: Testes de Rendering alterando sutilmente os níveis de branco do Overall Diffuse Map. Nota do Autor Algumas bibliografias são sugeridas para complementar seu estudo sobre modelagem facial foto-real. Abaixo o autor lista algumas delas 12

13 Bibliografias [1] DERAKHSHANI, Dariush; DERAKHSHANI, Randi L. Autodesk 3ds Max 2012 Essentials ed. Sybex, Compyrigth Junho 2011 by Wiley Publishing Inc., Indianapolis, Indiana. Publicado simultaneamente no Canadá. ISBN: [2] FEDOR, Paul. et. al. CREATIVE ESSENCE THE FACE ed. Ballistic Publishing. First Edition published in Australia 2007 by Ballistic publishing. Limited Edition Collector s edition ISBN: [3] d artiste CHARACTER MODELING ed. Ballistic Publishing. First Edition published in Australia 2005 by Ballistic publishing. Limited Edition Collector s edition ISBN: [4] AZEVEDO, Marco Antonio de. ANÁLISE DE MODELAGEM 3D VIRTUAL DE PERSONAGEM FOTO-REALISTA Marco Antonio de Azevedo Florianópolis Ix, 108p. Trabalho de Conclusão de Curso Sistema Barddal de ensino. Faculdades Barddal de Artes Aplicadas Curso de Design Programação Visual. [5] OSIPA, Jason Facial Modeling and Animation Done Rigth STOP STARING Second Edition ed. Sybex, Compyrigth 2007 by Wiley Publishing Inc., Indianapolis, Indiana. Publicado simultaneamente no Canadá. ISBN-13: [6] CG SOCIETY web site: 13

MODELANDO COM SPLINES E PATCHES, E NÃO POLÍGONOS

MODELANDO COM SPLINES E PATCHES, E NÃO POLÍGONOS T utorial por David Oilveira Figuras 1A e 1B Animation Master Parte 2 Modelando Personagens Orgânicos no AM Figura 2 MODELANDO COM SPLINES E PATCHES, E NÃO POLÍGONOS Um dos pontos diferenciais do Animation

Leia mais

Tópico: A Terceira Dimensão (Conceitos Básicos)

Tópico: A Terceira Dimensão (Conceitos Básicos) Tópico: A Terceira Dimensão (Conceitos Básicos) Computação gráfica tridimensional Modelagem tridimensional Elaboração de imagens tridimensionais Realidade virtual Formatos tridimensionais: DXF, padrão

Leia mais

Modelagem e escultura de personagens com Mudbox, Maya e 3dsmax

Modelagem e escultura de personagens com Mudbox, Maya e 3dsmax Modelagem e escultura de personagens com Mudbox, Maya e 3dsmax Saulo Veltri Area Z - Animação, 3d e games Senac São Paulo - Unidade São José do Rio Preto Desenvolvimento de personagens para games e animações

Leia mais

Multidisciplinar - Criação de Cenários 3D para Games utilizando os produtos da Autodesk

Multidisciplinar - Criação de Cenários 3D para Games utilizando os produtos da Autodesk Multidisciplinar - Criação de Cenários 3D para Games utilizando os produtos da Autodesk Luis Leonardo Baratella Revenda Tecgraf Campinas/Santos Especialista em Multimídia Paulo Henrique Giungi Galvão Revenda

Leia mais

Tutorial Blender. por Luis Carlos Retondaro (yudeen) yudeen@gmail.com http://www.retondaro.pro.br

Tutorial Blender. por Luis Carlos Retondaro (yudeen) yudeen@gmail.com http://www.retondaro.pro.br Tutorial Blender por Luis Carlos Retondaro (yudeen) yudeen@gmail.com http://www.retondaro.pro.br Modelagem de cabeça estilo cartoon para animação (box modelling) Este tutorial foi adaptado de um vídeo

Leia mais

formação em design de produto 3d:

formação em design de produto 3d: formação em design de produto 3d: O treinamento de Design de Produto 3D da Imagine School, com duração de 40 semanas (média de 1 ano), ensinará o aluno a projetar os mais variados tipos de produtos. Durante

Leia mais

Apostila 01 Conceitos de Modelagem.

Apostila 01 Conceitos de Modelagem. Apostila 01 Conceitos de Modelagem. 1- Conceitos Basicos O Autodesk 3ds Max é um programa de modelagem tridimensional que permite renderização de imagens e animações. Sendo usado em produção de filmes

Leia mais

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL F PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL Carga Horária: 96 horas/aulas Módulo 01: Desenho de observação DESCRIÇÃO: Neste módulo o você irá praticar sua percepção de linhas e formas, bem como a relação entre

Leia mais

Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30

Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30 Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30 EMBARGO: 12 de fevereiro de 2014, 04:00 (UCT) Este documento explica as novas tecnologias que não se encontram nos modelos

Leia mais

Processo de criação de personagens virtuais utilizando digitalização tridimensional

Processo de criação de personagens virtuais utilizando digitalização tridimensional Processo de criação de personagens virtuais utilizando digitalização tridimensional Process of creating virtual characters using three-dimensional scanning Bülow, Gustavo, Programa de Pós Graduação em

Leia mais

Prof. Marcelo Henrique dos Santos

Prof. Marcelo Henrique dos Santos POR QUE ESTUDAR COMPUTAÇÃO GRÁFICA? Quem quiser trabalhar em áreas afins: Entretenimento Jogos e filmes Visualização Simulação de fenômenos físicos Arte computadorizada Educação e treinamento Processamento

Leia mais

O uso da Computação Gráfica (CG) para Design e Marketing Automotivo Frederico Laguna PSA Peugeot Citroen América Latina

O uso da Computação Gráfica (CG) para Design e Marketing Automotivo Frederico Laguna PSA Peugeot Citroen América Latina O uso da Computação Gráfica (CG) para Design e Marketing Automotivo Frederico Laguna PSA Peugeot Citroen América Latina A crescente competição entre as principais montadoras mundiais e a incessante expectativa

Leia mais

Modelando um Rinoceronte no Max

Modelando um Rinoceronte no Max tutorial por Fabio S. D'A. Forti Modelando um Rinoceronte no Max F ora o bom conhecimento técnico do software utilizado, o mais importante quando vamos modelar, texturizar ou animar alguma coisa que existe

Leia mais

Introdução a Modelagem 3D com Blender 3D

Introdução a Modelagem 3D com Blender 3D Introdução a Modelagem 3D com Blender 3D Thiago H. B. de Oliveira 1, Gabriel de França Pereira e Silva 1 1 Unidade Acadêmica de Garanhuns, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Av. Bom Pastor,

Leia mais

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Professora Andréia Freitas 2012 7 semestre Aula 02 (1)AZEVEDO, Eduardo. Computação Gráfica, Rio de Janeiro: Campus, 2005 (*0) (2) MENEZES, Marco Antonio

Leia mais

Integração Laser Scanner - BIM

Integração Laser Scanner - BIM Fernando Cesar Ribeiro Toppar Engenharia de Levantamentos Marcelo Nepomuceno Uso da nuvem de pontos geradas em levantamentos por Laser Scanner para modelagem de geometria e informações para construção

Leia mais

Criação e Design de Personagens

Criação e Design de Personagens Criação e Design de Personagens Prof. Luis Carlos Retondaro Universidade Estácio de Sá Unidade 2: Design de Personagens Categorias de design Concepção estética e representação gráfica Analisando as proporções

Leia mais

Criar trabalhos realistas com o preenchimento de malha

Criar trabalhos realistas com o preenchimento de malha Criar trabalhos realistas com o preenchimento de malha Ariel Garaza Díaz Nascido em Montevidéu, Uruguai, Ariel vive e trabalha em Madri, Espanha. Ele é designer profissional desde 1980 e usuário de softwares

Leia mais

Fotos necessárias para a confecção da estatueta. Rosto

Fotos necessárias para a confecção da estatueta. Rosto Fotos necessárias para a confecção da estatueta Todo o trabalho é referenciado em fotos, ou seja, não nos responsabilizamos por material fotográfico que confecção, para isto criamos este guia, para atender

Leia mais

Esse treinamento capacita o aluno a criar maquetes eletrônicas com alto nível de realismo.

Esse treinamento capacita o aluno a criar maquetes eletrônicas com alto nível de realismo. Formação em MAQUETE ELETRÔNICA 3d: Uma das áreas mais crescentes é o da construção civil, cada vez mais exigindo fidelidade nas apresentações dos projetos arquitetônicos. No treinamento de Maquete 3D o

Leia mais

Ptex e outras ferramentas para modelagem de animação

Ptex e outras ferramentas para modelagem de animação Ptex e outras ferramentas para modelagem de animação Savyo Nóbrega (savyo@dsc.ufcg.edu.br) Agenda Motivação Conceitos Gerais Modelagem Matemática Mapeamento de texturas Softwares e ferramentas para modelagem

Leia mais

Utilidades do 3dsMax na Arquitetura

Utilidades do 3dsMax na Arquitetura 3ds- Max 2009 Autodesk Utilidades do 3dsMax na Arquitetura ARQUITETURA PERSPECTIVAS INTERNAS & EXTERNAS Índice Autocad e 3ds Max são amigos...01 Autocad e 3ds Max são amigos II...02 Melhore a experiência

Leia mais

Visualização Automotiva

Visualização Automotiva Caetano Brasil Loucomotion Descrição Na primeira parte será apresentada a evolução de 20 anos de trabalho com o 3ds Max, do 3D Studio versão DOS ao 3ds Max atual, com exemplos da evolução e do nível realista

Leia mais

A EXPERIÊNCIA MAIS RÁPIDA E FÁCIL DE DIGITALIZAÇÃO 3D

A EXPERIÊNCIA MAIS RÁPIDA E FÁCIL DE DIGITALIZAÇÃO 3D A EXPERIÊNCIA MAIS RÁPIDA E FÁCIL DE DIGITALIZAÇÃO 3D Creaform apresenta o Go!SCAN 3D TM, uma linha simples de scanners 3D portáteis que permite que pessoas de diversas áreas capturem facilmente formas

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É?

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA SUMÁRIO O que é COMPUTAÇÃO GRÁFICA Áreas relacionadas

Leia mais

CÂMERAS. fotográficas

CÂMERAS. fotográficas CÂMERAS fotográficas Quanto ao suporte: Digital Analógico Como classificar e diferenciar os tipos de Câmeras? Quanto a automação: Automáticas Semi-automáticas Auto e manual Quanto ao visor: Visor direto

Leia mais

O PaperPort 12 Special Edition (SE) possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos.

O PaperPort 12 Special Edition (SE) possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos. Bem-vindo! O Nuance PaperPort é um pacote de aplicativos para gerenciamento de documentos da área de trabalho que ajuda o usuário a digitalizar, organizar, acessar, compartilhar e gerenciar documentos

Leia mais

Formação em Pintura Digital. (enfoque em Concept Art) PINTURA DIGITAL 1

Formação em Pintura Digital. (enfoque em Concept Art) PINTURA DIGITAL 1 1 Formação em Pintura Digital (enfoque em Concept Art) Com o rápido e crescente desenvolvimento do mercado da computação gráfi ca, cada vez mais exigente, um profi ssional que possui um diferencial na

Leia mais

O que é CG?? Soraia Raupp Musse

O que é CG?? Soraia Raupp Musse O que é CG?? Soraia Raupp Musse Processamento Gráfico Modelagem Multimídia RV Usuário Visão Modelos Gráfico Tempo Animação Vídeo Imagens Processamento de Imagens O que NÃO é CG?? Processamento de Imagens

Leia mais

NOVA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA BÁSICA

NOVA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA BÁSICA NOVA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA BÁSICA Jocelise J. Jacques 1, Gabriela Z. Azevedo 2, José L. F. Aymone 3 e Fábio G. Teixeira 4 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Departamento

Leia mais

9 PROJEÇÕES ORTOGONAIS. 9.1 Introdução

9 PROJEÇÕES ORTOGONAIS. 9.1 Introdução 9 PROJEÇÕES ORTOGONAIS 57 9.1 Introdução Tanto o desenho em perspectivas como o desenho através de vista se valem da projeção para fazer suas representações. A diferença é que no desenho em perspectiva

Leia mais

Geomática Aplicada à Engenharia Civil. 1 Fotogrametria

Geomática Aplicada à Engenharia Civil. 1 Fotogrametria Geomática Aplicada à Engenharia Civil 1 Fotogrametria Conceitos 2 Segundo Wolf (1983), a Fotogrametria pode ser definida como sendo a arte, a ciência e a tecnologia de se obter informações confiáveis de

Leia mais

Experiência do uso de REVIT em Projeto de Estrutura

Experiência do uso de REVIT em Projeto de Estrutura REVIT em Projeto de Estrutura Angelo Ricardo Rech REFE engenharia Descrição do processo de implantação e treinamento no uso do Revit Structure, e relato das vantagens alcançadas no uso diário profissional.

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CÓDIGO UNIDADE 042 CÓD. CURSO CURSO 42501 JORNALISMO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CH SEM CH TOTAL SEM/ANO 121.3107.5 TRATAMENTO DE IMAGEM 1ª 02 34 1º/2011 PROFESSOR (A) THIAGO PEREIRA DA COSTA / FERNANDO

Leia mais

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS 2 O que é Software Aplicativo? SOFTWARES APLICATIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Software que realiza tarefa útil específica Suítes de aplicativos Softwares empresariais Softwares

Leia mais

Criar trabalhos realistas com o preenchimento de malha

Criar trabalhos realistas com o preenchimento de malha Criar trabalhos realistas com o preenchimento de malha Ariel Garaza Díaz Sobre o autor Ariel mora e trabalha em Montevidéu, Uruguai. Tornou-se um designer profissional em 1980 e usa o software Corel desde

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1... 3 Apresentação do Photoshop... 3 Barra de Menus... 3 Barra de Opções... 3 Barra de Ferramentas...4

Leia mais

Computação Gráfica 3D Studio Max 2008.1 www.damasceno.info Prof.: Luiz Gonzaga Damasceno

Computação Gráfica 3D Studio Max 2008.1 www.damasceno.info Prof.: Luiz Gonzaga Damasceno 12 Animação 12.1 - Criando Animação O 3Ds Max prevê uma série de maneiras diferentes para criar animação, e um conjunto de ferramentas para a gestão e edição de animação. Com o 3Ds Max, você pode criar

Leia mais

WORKING PAPERS AVATAR EXPRESS: CREATE, EDIT, ANIMATE

WORKING PAPERS AVATAR EXPRESS: CREATE, EDIT, ANIMATE WORKING PAPERS AVATAR EXPRESS: CREATE, EDIT, ANIMATE Resumo Nos dias de hoje a forma como comunicamos e interagimos com o mundo passa, muitas vezes, por ecrãs. Televisão, computadores, telemóveis e tablets

Leia mais

Projeto de Adaptação dos personagens Menino Caranguejo e Caranga

Projeto de Adaptação dos personagens Menino Caranguejo e Caranga Projeto de Adaptação dos personagens Menino Caranguejo e Caranga Esse projeto começa com a necessidade da pessoa que está escrevendo esse artigo, Lucas Cavaler, de fazer um Trabalho de Conclusão de Estágio

Leia mais

6º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS

6º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS 6º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS TÍTULO DO TRABALHO: Estudo da utilização de softwares alternativos para visualização e modelagem de poços petrolíferos. AUTORES:

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil TOPOGRAFIA II. Profa. Adriana Goulart dos Santos

Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil TOPOGRAFIA II. Profa. Adriana Goulart dos Santos Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil TOPOGRAFIA II Profa. Adriana Goulart dos Santos Aerofotogrametria Fotogrametria é a ciência aplicada que se propõe a registrar,

Leia mais

Utilizando a ferramenta Suites Workflow do Autodesk Revit 2013 para exportar para o Autodesk 3ds Max Design

Utilizando a ferramenta Suites Workflow do Autodesk Revit 2013 para exportar para o Autodesk 3ds Max Design Utilizando a ferramenta Suites Workflow do Autodesk Revit 2013 para exportar para o Autodesk 3ds Max Design Mauricio Antonini Brasoftware Informática AV6041-V O Autodesk Revit 2013 possui uma nova ferramenta

Leia mais

NAPNE / RENAPI. Google SketchUp 8

NAPNE / RENAPI. Google SketchUp 8 NAPNE / RENAPI Google SketchUp 8 Agosto de 2011 Sumário 1 Introdução... 4 2 Requisitos básicos... 4 3 Itens... 4 3.1 Assista os tutoriais em vídeo... 5 3.2 Leia dicas e truques... 6 3.3 Visite a Central

Leia mais

Visão Computacional e Realidade Aumentada. Trabalho 3 Reconstrução 3D. Pedro Sampaio Vieira. Prof. Marcelo Gattass

Visão Computacional e Realidade Aumentada. Trabalho 3 Reconstrução 3D. Pedro Sampaio Vieira. Prof. Marcelo Gattass Visão Computacional e Realidade Aumentada Trabalho 3 Reconstrução 3D Pedro Sampaio Vieira Prof. Marcelo Gattass 1 Introdução Reconstrução tridimensional é um assunto muito estudado na área de visão computacional.

Leia mais

Comparação de capacidades no Creo Parametric 3.0

Comparação de capacidades no Creo Parametric 3.0 Comparação de capacidades no Creo O Creo Parametric oferece ferramentas de modelação potentes, confiáveis e fáceis de usar que aceleram o processo de desenvolvimento do produto. O software permite modelar

Leia mais

A primeira coisa que se precisa definir é a lógica que rege os sistemas de captura, e essa pode ser descrita em linhas gerais por:

A primeira coisa que se precisa definir é a lógica que rege os sistemas de captura, e essa pode ser descrita em linhas gerais por: 4 Tecnologias A ideia da construção de Digital Human Models não caminha em separado das diversas tecnologias que englobam tal construção. Porém, para um melhor entendimento, serão descritas a seguir as

Leia mais

Manual de instruções da unidade da impressora

Manual de instruções da unidade da impressora Manual de instruções da unidade da impressora Para Windows 7 DS-RX1 Ver.1.01 Em relação aos direitos autorais Os direitos autorais para o Manual de Instruções da Unidade da Impressora DS-RX1, a Unidade

Leia mais

Manual Técnico Bragal Oil e Gás. Óculos de Segurança com Grau

Manual Técnico Bragal Oil e Gás. Óculos de Segurança com Grau Manual Técnico Bragal Oil e Gás Óculos de Segurança com Grau Apresentação: A necessidade do uso de lentes corretivas, por profissionais que trabalham com óculos de segurança, é uma aplicação de 15% da

Leia mais

Processo de projetos em BIM: Vasari, Revit, Shared Coordinates, Design Options e 3ds Max

Processo de projetos em BIM: Vasari, Revit, Shared Coordinates, Design Options e 3ds Max Processo de projetos em BIM: Vasari, Revit, Shared Coordinates, Ivo Mainardi Aflalo & Gasperini Arquitetos A sessão irá apresentar um modelo de processo projetual, partindo de massas inseridas no Vasari,

Leia mais

O USO DE SOFTWARES PARA O TRATAMENTO DE IMAGENS: APLICAÇÕES NA PROPAGANDA IMPRESSA

O USO DE SOFTWARES PARA O TRATAMENTO DE IMAGENS: APLICAÇÕES NA PROPAGANDA IMPRESSA O USO DE SOFTWARES PARA O TRATAMENTO DE IMAGENS: APLICAÇÕES NA PROPAGANDA IMPRESSA Orientação: Prof. Ms. Sílvio Carvalho Neto Acadêmicos: Lívia Rocha Portugal, Ana Paula de Almeida, Roberta Guidoni Moreira

Leia mais

OpenGL. Uma Abordagem Prática e Objetiva. Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour. Novatec Editora

OpenGL. Uma Abordagem Prática e Objetiva. Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour. Novatec Editora OpenGL Uma Abordagem Prática e Objetiva Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour Novatec Editora Capítulo 1 Introdução A Computação Gráfica é uma área da Ciência da Computação que se dedica ao estudo e ao desenvolvimento

Leia mais

Algumas perguntas antes de tudo...

Algumas perguntas antes de tudo... Conteúdo do Curso Configuração básica do 3D Studio MAX A interface gráfica Criação de objetos tridimensionais básicos - formas primitivas Criação de objetos tridimensionais por operações booleanas Controle

Leia mais

CURSO ONLINE CORELDRAW ILUSTRAÇÃO DIGITAL PLANO DE CURSO

CURSO ONLINE CORELDRAW ILUSTRAÇÃO DIGITAL PLANO DE CURSO CURSO ONLINE CORELDRAW ILUSTRAÇÃO DIGITAL PLANO DE CURSO Objetivo: O Curso EAD - CorelDRAW - Ilustração digita tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a criação de desenhos, logotipos

Leia mais

SOLUÇÃO DE DIGITALIZ AÇÃO 3D PAR A AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA TUBUL AÇÃO!

SOLUÇÃO DE DIGITALIZ AÇÃO 3D PAR A AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA TUBUL AÇÃO! SOLUÇÕES NDT SOLUÇÃO DE DIGITALIZ AÇÃO 3D PAR A AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA TUBUL AÇÃO! CONFORMIDADE COM OS CÓDIGO S Os operadores da tubulação e as empresas que prestam serviços de testes não destrutivos

Leia mais

Go!SCAN 3D: DIGITALIZAÇÃO 3D RÁPIDA E FÁCIL

Go!SCAN 3D: DIGITALIZAÇÃO 3D RÁPIDA E FÁCIL Go!SCAN 3D: DIGITALIZAÇÃO 3D RÁPIDA E FÁCIL SOLUÇÕES PORTÁTEIS EM MEDIÇÃO 3D The statue is part of the heritage of the Fabrique Saint-Augustin (Saint-Augustin-de-Desmaures) A Creaform apresenta o Go!SCAN

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O MATERIAL UTILIZADO NA OBTENÇÃO E NA ANÁLISE DOS VÍDEOS

INFORMAÇÕES SOBRE O MATERIAL UTILIZADO NA OBTENÇÃO E NA ANÁLISE DOS VÍDEOS INFORMAÇÕES SOBRE O MATERIAL UTILIZADO NA OBTENÇÃO E NA ANÁLISE DOS VÍDEOS 1 Material utilizado 1.1 Tracker: um programa de análise de imagens Para a execução da proposta foi utilizado o programa livre

Leia mais

Medição a Laser Remota Exata e Modelagem 3D no. Smartphone com Spike da IKEGPS

Medição a Laser Remota Exata e Modelagem 3D no. Smartphone com Spike da IKEGPS Apresentando: Spike. Capture. Meça. Modele. Compartilhe. Medição a Laser Remota Exata e Modelagem 3D no Smartphone com Spike da IKEGPS Spike é o primeiro acessório a laser exato para smartphones, capacitando-lhe

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica

Desenho Técnico. Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Desenho Técnico Assunto: Aula 3 - Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Professor: Emerson Gonçalves Coelho Aluno(A): Data: / / Turma: Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Quando olhamos para

Leia mais

O USO DA REALIDADE VIRTUAL NO ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA

O USO DA REALIDADE VIRTUAL NO ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA O USO DA REALIDADE VIRTUAL NO ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA Fábio Gonçalves Teixeira fabio@orion.ufrgs.br Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Expressão Gráfica da Faculdade de Arquitetura

Leia mais

SCANNERS 3D PORTÁTEIS PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS

SCANNERS 3D PORTÁTEIS PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS SOLUÇÕES EM METROLOGIA SCANNERS 3D PORTÁTEIS PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS SOLUÇÕES PORTÁTEIS EM MEDIÇÃO 3D Handyscan 3D TM é sinônimo dos scanners 3D portáteis mais precisos do mercado. Sabemos como você

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME Nenhuma informação do TUTORIAL DO PHOTO- SHOP CS 8.0 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha. Programador: Roberto Oliveira

Leia mais

Iniciação à Fotografia Prof. Gust avo L. Pozza

Iniciação à Fotografia Prof. Gust avo L. Pozza Iniciação à Fotografia Prof. Gust avo L. Pozza Câm ara Escura Tipos de Câmeras A Câmera Básica Componentes comuns em todas as câmeras Visor Objetiva Plano do filme Diafragma Obturador Mecanismos de foco

Leia mais

Oficina de fotografia e tratamento de imagem. Facilitadora: Camila Silva Aula: 05

Oficina de fotografia e tratamento de imagem. Facilitadora: Camila Silva Aula: 05 Oficina de fotografia e tratamento de imagem Facilitadora: Camila Silva Aula: 05 Objetivas É uma lente óptica ou conjunto de lentes usada em conjunto com um corpo de câmera e um mecanismo para reproduzir

Leia mais

Crie um sofá em 3D no AutoCad 13 ou 14

Crie um sofá em 3D no AutoCad 13 ou 14 Crie um sofá em 3D no AutoCad 13 ou 14 Leitores pediram mais detalhes nas explicações e nos comandos e estão sendo atendidos 0 modelo escolhido para essa edição foi um sofá de três lugares. Atendendo a

Leia mais

Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes

Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes 1 Índice Introdução............................................... 3 Conexão do software ao Computador de Desempenho Wattbike tela padrão Polar e edição

Leia mais

Mesa Holográfica Programa Bem Estar TV GLOBO

Mesa Holográfica Programa Bem Estar TV GLOBO Vinicius Oppido PUSHSTART Studio Ricardo Benassi TV GLOBO Apresentação do projeto da Mesa Holográfica do programa Bem Estar da TV Globo, que permite a manipulação de modelos 3D em tempo real pelos apresentadores

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS DIGITAIS 3D Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS DIGITAIS 3D Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS DIGITAIS 3D Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Design 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular TECNOLOGIAS

Leia mais

Pipeline de Visualização Câmara Virtual

Pipeline de Visualização Câmara Virtual Pipeline de Visualização Câmara Virtual Edward Angel, Cap. 5 Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010 1 Na última aula... Transformações Geométricas Composição de Transformações Deformação

Leia mais

O aluno também terá conhecimento para poder ingressar em produtoras de vídeo e agências de publicidade.

O aluno também terá conhecimento para poder ingressar em produtoras de vídeo e agências de publicidade. Formação em game art 3d: Como uma das áreas mais crescentes e rentáveis da atualidade, a indústria de games precisa cada vez mais de profissionais qualificados para suprir suas necessidades. O treinamento

Leia mais

ESTUDANDO A FOTOGRAFIA POR UMA ABORDAGEM ETNOMATEMÁTICA

ESTUDANDO A FOTOGRAFIA POR UMA ABORDAGEM ETNOMATEMÁTICA ISSN 2316-7785 ESTUDANDO A FOTOGRAFIA POR UMA ABORDAGEM ETNOMATEMÁTICA Luciane Bichet Luz UFPEL lbichet615@hotmail.com Amanda Prank UFPEL amandaprank@ymail.com RESUMO Esta pesquisa busca relacionar a Matemática

Leia mais

2- Quais são as características da computação gráfica?

2- Quais são as características da computação gráfica? QUESTÕES DE REVISÃO PARA A PROVA - COMPUTAÇÃO GRÁFICA 2014 1- Defina computação gráfica? A computação gráfica é a área da computação destinada à geração de imagens em geral em forma de representação de

Leia mais

SCANNERS 3D portáteis PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS

SCANNERS 3D portáteis PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS SCANNERS 3D portáteis PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS Handyscan 3D TM é sinônimo dos scanners 3D portáteis mais precisos do mercado. Sabemos como você leva o seu trabalho a sério, então desenvolvemos uma linha

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE. Tutorial SweetHome3D

Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE. Tutorial SweetHome3D Universidade Federal do Rio de Janeiro NCE/PGTIAE Tutorial SweetHome3D Trabalho apresentado ao Prof. Carlo na Disciplina de Software Livre no curso Pós Graduação em Tecnologia da Informação Aplicada a

Leia mais

Design de Produto 3D

Design de Produto 3D 1 Design de Produto 3D Formação em O treinamento de Design de Produtos 3D tem a duração de 06 meses e prepara o aluno com os conhecimentos necessários ao desenvolvimento de produtos 3D com alto nível de

Leia mais

Disciplina: Aerofotogrametria e Tratamento de imagem

Disciplina: Aerofotogrametria e Tratamento de imagem Disciplina: Aerofotogrametria e Tratamento de imagem Professor: Msc. Diego Alves de Oliveira Outubro de 2013 Oliveira Características das câmaras aerofotográficas Formato de seus negativos; Distância focal

Leia mais

Escolha da Objectiva. Quais as principais características das objectivas que servem de base para a escolha das suas lentes?

Escolha da Objectiva. Quais as principais características das objectivas que servem de base para a escolha das suas lentes? Escolha da Objectiva Quais as principais características das objectivas que servem de base para a escolha das suas lentes? As lentes, também conhecidas como objectivas, são a parte mais importante do seu

Leia mais

DE JOIAS. Guia de Melhores Práticas FOTOGRAFIA. Domine a Técnica de Fotografia de Anéis em Apenas 4 Passos EDIÇÃO Nº 11 GRÁTIS

DE JOIAS. Guia de Melhores Práticas FOTOGRAFIA. Domine a Técnica de Fotografia de Anéis em Apenas 4 Passos EDIÇÃO Nº 11 GRÁTIS FOTOGRAFIA EDIÇÃO Nº 11 GRÁTIS DE JOIAS SOLUÇÕES PARA IMAGENS DE PRODUTO QUE CONQUISTARAM OS LÍDERES DO COMÉRCIO ELETRÔNICO Guia de Melhores Práticas Domine a Técnica de Fotografia de Anéis em Apenas 4

Leia mais

Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan. Extrusão pelo caminho em torno do círculo com diâmetro 2mm.

Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan. Extrusão pelo caminho em torno do círculo com diâmetro 2mm. Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan Tutorial 9 Solid Works Modelar uma bússola com os perfis abaixo e efetuar a montagem conforme as indicações. 2,5 6 b -Base 0 5,5 8,5 3,5 a -Fundo R 8,5 R3,6 4

Leia mais

Projetos funcionais em 3D

Projetos funcionais em 3D Eng. Marcelo Monteiro Missato Planservi Engenharia Eng. Walter Luis Guimaraes Nieyama Planservi Engenharia Engenharia Civil, Estrutural e Obras de Grande Porte Objetivo de aprendizado Ao final desta palestra

Leia mais

Motion Graphics 2D. Imagine School. Curso de. Módulo 01 - Introdução & Conceitos Básicos

Motion Graphics 2D. Imagine School. Curso de. Módulo 01 - Introdução & Conceitos Básicos Curso de Motion Graphics 2D Imagine School O Curso de Motion Graphics 2D da Imagine School é dividido em módulos, totalizando 40 semanas (01 ano) e somando 140 horas presenciais no seu currículo. Durante

Leia mais

Tutorial do programa

Tutorial do programa 1 Tutorial do programa I. Guia Rápido 1. Clique no produto. 2. Clique na pasta de imagens. 3. Clique em preenchimento auto. 4. Verificar pedido. 5. Finalizar pedido. 6. Fazer pagamento / Entrega. 7. Fazer

Leia mais

Prof. Ivo Brites Aula 16 Universidade de Cuiabá Faculdade de Engenharias e Computação 4º e 5º Semestre

Prof. Ivo Brites Aula 16 Universidade de Cuiabá Faculdade de Engenharias e Computação 4º e 5º Semestre EXPRESSÃO GRÁFICA II Prof. Ivo Brites Aula 16 Universidade de Cuiabá Faculdade de Engenharias e Computação 4º e 5º Semestre 2 Visualizando com a câmera Visualizar com a câmera permite que se cria uma cena

Leia mais

O que há de novo no PaperPort 12? O PaperPort 12 possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos.

O que há de novo no PaperPort 12? O PaperPort 12 possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos. Bem-vindo! O Nuance PaperPort é um pacote de aplicativos para gerenciamento de documentos da área de trabalho que ajuda o usuário a digitalizar, organizar, acessar, compartilhar e gerenciar documentos

Leia mais

O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO

O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Marly de Menezes Gonçalves, Doutoranda em Arquitetura pela FAU/USP FASM - Faculdade Santa Marcelina professora do

Leia mais

Textura e Iluminação para Maquete Eletrônica com Mental Ray

Textura e Iluminação para Maquete Eletrônica com Mental Ray Textura e Iluminação para Maquete Eletrônica com Mental Ray Marcos Paulo (kiko) Cadritech 5 Sessão Dicas e Truques Trabalhando com o Mental Ray Ao final desta palestra você terá condições de: Editor de

Leia mais

Oficina Photoshop CS5 Avançado. Objetivos

Oficina Photoshop CS5 Avançado. Objetivos Oficina Photoshop CS5 Avançado Objetivos Capacitar o aluno a criar ilustrações, logotipos, embalagens ou plantas utilizando tecnologia vetorial de precisão e manipular objetos modificando sua estrutura

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área Tecnológica: Metalurgia

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

Gerenciamento Total da Informação

Gerenciamento Total da Informação SnapScan SV600 Digitalize o que quiser com facilidade Você pode digitalizar jornais, revistas ou livros diretamente sem cortar ou danificá-los. Digitaliza desde cartões de visita até documentos no formato

Leia mais

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Aula 02 Componentes de um GIS (SIE, ou SIG) Ideias dependem de pessoas. Pessoas trazem o conhecimento para uma equipe, que engendra ideias.

Leia mais

Modelação de mãos, face, cabelo e roupas complementar e tão importante quanto a modelação do corpo Fundamental para garantir expressividade Mãos

Modelação de mãos, face, cabelo e roupas complementar e tão importante quanto a modelação do corpo Fundamental para garantir expressividade Mãos Modelação de mãos, face, cabelo e roupas complementar e tão importante quanto a modelação do corpo Fundamental para garantir expressividade Mãos Importante para grande quantidade de movimentos Fundamental

Leia mais

Soluções Autodesk Transferência de Tecnologias

Soluções Autodesk Transferência de Tecnologias SP I PR I DF Soluções Autodesk Transferência de Tecnologias Parcerias tecnológicas, treinamentos e licenciamentos Soluções Autodesk na ENG Revit 2011 - o software para projetos de edificações para agora

Leia mais

ScanTo3D. www.istsistemas.com.br

ScanTo3D. www.istsistemas.com.br ScanTo3D www.istsistemas.com.br O ScanTo3D do SolidWorks permite abrir dados escaneados por qualquer scanner (arquivos de malha ou nuvem de pontos) ou dados de curva de software matemáticos, preparar os

Leia mais

APOSTILA V DAC. Ferramentas Importantes

APOSTILA V DAC. Ferramentas Importantes APOSTILA V DAC Ferramentas Importantes FERRAMENTAS IMPORTANTES PARA A EXECUÇÃO DE UM DESENHO A importância do ZOOM A sintaxe do comando ZOOM permite selecionar um dos diferentes tipos de zoom, conforme

Leia mais

Soluções Autodesk Transferência de Tecnologias. Parcerias tecnológicas, treinamentos e licenciamentos

Soluções Autodesk Transferência de Tecnologias. Parcerias tecnológicas, treinamentos e licenciamentos Soluções Autodesk Transferência de Tecnologias Parcerias tecnológicas, treinamentos e licenciamentos Soluções Autodesk na ENG AutoCAD 2010 - o software AutoCAD para arquitetos. Criação, coordenação e colaboração

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÓFONA DE HUMANIDADES E TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, ARTES. Diploma: Diploma de 1º Ciclo Total ECTS: 6

UNIVERSIDADE LUSÓFONA DE HUMANIDADES E TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, ARTES. Diploma: Diploma de 1º Ciclo Total ECTS: 6 EISI-2312 UNIVERSIDADE LUSÓFONA DE HUMANIDADES E TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, ARTES E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO Curso: CINEMA, VÍDEO E COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA Diploma: Diploma de

Leia mais

MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL. Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades.

MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL. Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades. MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades. Porque o Microscópio Especular da Eyetec chama-se Vorocell? Vorocell é uma homenagem ao pesquisador

Leia mais

Cópia. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424

Cópia. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424 Cópia Este capítulo inclui: Cópia básica na página 3-2 Ajustando as opções de cópia na página 3-4 Configuração básica na página 3-5 Ajustes de imagem na página 3-9 Ajustes de posicionamento de imagem na

Leia mais