EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 4

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 4"

Transcrição

1 UNIFEI EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 4 Aula 4 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior ombas Parâmetros importantes: Pressão máxima; Vazão máxima; Faixa de rotação; Rendimento: Rendimento umétrico; Rendimento global; Rendimento mecânico. ombas Rendimento umétrico: Vazão real Q Vazão teórica Q Rendimento hidromecânico: Rendimento total: Q p tot 2π n T t Q D n D p 2π T ombas Variáveis: D : deslocamento da bomba (por rotação); n : rotação do eixo; p : pressão de saída; Q t : vazão teórica (D x n ); Q : vazão real; T t : torque de entrada teórico (D xp / 2π); T : torque de entrada real.

2 Vazão real: Q D [litros / min] ombas [cm 3 /rot] n[rpm] 1000 Potência de acionamento: p[bar] Q[l/min] P[kW] 600 Unidades: 1 [CV] 735 [Watts] 1 [HP] 745 [Watts] 1 [Watt] 1 [N.m/s] tot Exercícios sobre bombas 1. Uma bomba tem um deslocamento umétrico de 100 cm 3 (teórico, por rotação). Ela está fornecendo m 3 /s em 1000 rpm e com 70 bar. O torque medido em seu eixo é de 120 Nm. Calcule: a) Vazão teórica [m 3 /s]. b) Rendimento umétrico [%]. c) Rendimento hidromecânico [%]. d) Rendimento total [%]. e) Torque teórico para operação [Nm]. Considerar: 1 bar 1 kgf/cm 2 1 kgf 10 N m 3 /s 83.55% 90 % 92.84% Nm a) Cálculo da vazão teórica [m 3 /s] Vazão real Vazão teórica Q Q t Q D n b) Cálculo do rendimento umétrico [%] Vazão real Vazão teórica Q Q t Q D n Q t D x n Q t 100 cm 3 /rot x 1000 rot/min Q t cm 3 /min x 1 litro/1000 cm 3 Q t 100 l/min x 1 m 3 /1000 l Q t 0,1 m 3 /min x 1 min/60 s Q t 0, m 3 /s 3 0,0015 cm / s 3 0, cm 0, % / s

3 c) Cálculo do rendimento hidromecânico [%] d) Cálculo do rendimento total [%] D p 2π T cm /rot 70 bar 2π 120 Nm tot Q p 2π n T tot 3 cm bar 9, rot Nm cm kgf 9, rot Nm cm 92,84038 rot m 1kgf / cm 1bar 10 N 1kgf 1m 100 cm 2 tot 0, , tot 0, tot 83,56 % 0, ,84 % D p Tt 2π e) Cálculo do torque teórico [Nm] cm /rot 70 bar 2π 3 cm bar 1kgf /cm Tt 1114, rot 1bar cm kgf 10 N T t 1114, rot 1kgf cm N T t 11140,84601 rot T t 111,41Nm 1m 100 cm 2 Exercícios sobre bombas 2. Uma bomba com deslocamento de 25 cm 3 /rotação é acionada a 1440 rpm por um motor elétrico de 10kW. Se o rendimento global é 85% e o rendimento mecânico é 90%, determine: a) A vazão teórica da bomba [l/min]. 36 l/min b) A vazão fornecida pela bomba [l/min]. 34 l/min c) A pressão máxima que a bomba suporta sem sobrecarregar o motor [bar]. 150 bar

4 Cálculo da vazão teórica Vaz. teórica desloc. da bomba x rotação Q t D x n Q t 25 cm 3 /rot x 1440 rot/min Q t cm 3 /min Q t cm 3 /min x 1 litro/1000 cm 3 Q t 36 l/min Cálculo da vazão real Vaz. real Vaz. Teórica x rend. umétrico Q r Q t x Q r 36 l/min x ( tot / ) Q r 36 l/min x (0.85/0.90) Q r 36 l/min x Q r 34 l/min Cálculo da pressão máxima p[bar] Q[l/min] P[kW] 600 tot P[kW] 600 p[bar] Q [l/min] tot 10[kW] p [bar] 34[l/min] p 150 [bar] Exercícios sobre bombas 3. Em um sistema com pressão de 200 bar uma bomba de engrenagens fornece 15 l/min quando a rotação de acionamento do eixo é de 1430 rpm. A potência real medida na entrada é de 6.8 kw e o rendimento hidromecânico da bomba é de 87%. Calcule o deslocamento teórico da bomba em cm 3 /rot.

5 Onde: Mas: tot Vazão real Vazão teórica Tem-se que: Q Q t Q D n D valor desejado Q 15 l/min n 1430 rpm valor que falta 0.87 tot valor que falta Cálculo do rendimento total p[bar] Q[l /min] P[kW] 600 tot tot tot 0, tot tot Cálculo do rendimento umétrico % tot Q D n D Logo: 15 D 0, ,58687 D D l 0, rot 12,41[cm 3 /rot] 1000 cm 1 l 3 l min min rot Mais bombas hidráulicas

6 omba de pistões axiais/em linha (prato inclinado) omba de pistões axiais omba de pistões axiais omba de pistões axiais O pistão superior já está cheio e não succiona mais (válvula de admissão superior fechada). O pistão inferior já comprimiu todo o óleo (válvula de saída inferior fechada). O pistão superior está comprimindo (válvula de saída superior aberta). O pistão inferior está succionando (válvula de admissão inferior aberta).

7 omba de pistões axiais omba de pistões axiais O pistão superior já comprimiu todo o óleo (válvula de saída superior fechada). O pistão inferior já está cheio e não succiona mais (válvula de admissão inferior fechada). O pistão superior está succionando (válvula de admissão superior aberta). O pistão inferior está comprimindo (válvula de saída inferior aberta). omba de pistões axiais omba de pistões axiais Ranhura da placa de válvulas Pistão avançando (redução de ume) Pistões Saída Entrada Eixo motriz Placa inclinada loco dos cilindros Sapata Pistão recuando (aumento de ume)

8 omba de pistões axiais omba de pistões axiais omba de pistões axiais omba de pistões axiais de eixo inclinado 1 - Carcaça 5 - Pistões 2 - Eixo 6 - hastes 3 - Placa cardânica 7 - Placa de comando 4 - Tambor 8 - Pino central Ângulo 25

9 omba de pistões axiais de eixo inclinado omba de pistões axiais de eixo inclinado JUNTA UNIVERSAL SAÍDA ENTRADA omba de pistões axiais de ume variável omba de pistões axiais de ume variável

10 omba de pistões axiais de eixo inclinado e ume variável omba de pistões axiais de ume variável Ângulo ± Tambor 5 - Pistões 7 - Placa de comando 9 - Parte oscilante da carcaça omba de pistões axiais de ume variável omba de pistões radiais 1 - Carcaça 2 - Eixo excêntrico 3 - Elementos de bombeamento 4 - Êmbolo 5 - Válvula de sucção 6 - Válvula de pressão 1 - Placa de comando lenticular 2 - Êmbolo posicionador 3 - Pivô 4 - Êmbolo de pilotagem 5 - Ajuste de início de regulagem 6 - Limitante do ângulo de variação Ângulo: de 7 a 25

11 omba de pistões radiais omba de pistões radiais 1 - Carcaça 2 - Eixo excêntrico 3 - Elementos de bombeamento 4 - Êmbolo 5 - Válvula de sucção 6 - Válvula de pressão omba de parafuso omba de lóbulos

12 omba de cavidade progressiva Acumuladores Hidráulicos Acumuladores Hidráulicos Objetivo: Manter a pressão em emergências; Manter a pressão em parte do sistema enquanto a bomba supre o restante; Absorver choques de bloqueios súbitos. Acumulador hidráulicos por peso Tipos de carregamento: Por peso; Por mola; Por gás (hidropneumático N seco).

13 Acumulador hidráulicos à mola Acumulador hidráulicos a gás Nitrogênio seco olsa de borracha sintética Acumuladores Hidráulicos Acumuladores Hidráulicos

14 Símbolo do acumulador Golpe de Aríete (Water Hammer) Acumulador por peso Acumulador por mola Acumulador à gás Aríete Aríete

15 Aríete Aríete Aríete (Ram Man) Carneiro Hidráulico

16 Carneiro Hidráulico Sayano-Shushenskoe (Russia) _Hidraulica_Geral/Acidente_-_Usina_Hidroeletrica_-_Russia.pdf Atuadores hidráulicos Atuadores Hidráulicos

17 Atuadores hidráulicos Responsáveis por transformar energia de pressão em energia mecânica. Cilindro hidráulico: atuador linear; Motor hidráulico: atuador rotativo; Oscilador hidráulico: atuador rotativo de giro limitado. Tipos comuns de atuadores Cilindro de ação simples; Cilindro com retorno por mola; Cilindro dupla ação; Cilindro de haste dupla; Cilindro telescópico; Cilindro duplex contínuo (Tandem); Cilindro duplex. Cilindro de ação simples Cilindro de dupla ação Cilindro com retorno por mola

18 Cilindro de haste dupla Cilindro telescópico Cilindro telescópico Cilindro duplex

19 Cilindro duplex Cilindro duplex contínuo (Tandem) Tipos de fixação Fixação articulada com bucha paralela no fundo e na haste. Tipos de fixação Fixação através de olhal com articulação esférica no fundo e na haste.

20 Tipos de fixação Fixação através de flange no cabeçote. Tipos de fixação Fixação através de flange no fundo do cilindro. Tipos de fixação Fixação através de eixo basculante (munhões). Tipos de fixação Fixação por pés.

21 Amortecimento de fim de curso Fluxo livre Fluxo livre Válvula Vedação Ajuste de desaceleração Fluxo restrito atch?vmmypzgh6gok Válvula Vedação Amortecimento de fim de curso Símbolo de atuador linear com amortecimento regulável apenas no recuo. Poderia ter apenas no avanço ou nos dois movimentos (com ou sem regulagem). Fluxo restrito Ajuste de desaceleração

22 Cálculos envendo Atuadores Hidráulicos Atuador hidráulico de dupla ação Atuador hidráulico de dupla ação D embolo D haste A A Área: π Area [cm ] 2 2 [( D [mm]) ( D [mm]) ] 2 embolo 400 haste Quando a vazão do fluido é direcionada para a conexão A ocorre o avanço da haste. A velocidade depende da vazão do fluido e da área do êmbolo.

23 Atuador hidráulico de dupla ação Atuador hidráulico de dupla ação Curso A A Velocidade de deslocamento: 3 Vazão [cm / s] Vazão [l/min] Velocidade [m/ s] Área [cm ] Área [cm ] 6 Tempo [s] Tempo de deslocamento: 3 2 Volume [cm ] Área [cm ] Curso [mm] 6 3 Vazão [cm /s] Vazão[l/min] 1000 A Cálculos básicos Volume de avanço: 2 litros Volume de recuo: 1 litro Vazão da bomba: 1 l/min Curso do atuador: 50 cm Tempo de avanço: 120 segundos Vazão induzida no avanço: 0,5 l/min Velocidade de avanço: 0,25 m/min Tempo de recuo: 60 segundos Vazão induzida no recuo: 2 l/min Velocidade de recuo: 0,5 m/min Exercício Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: Área do pistão (cm 2 ); Volume do atuador (cm 3 ); Pressão do sistema (bar); Vazão real e teórica da bomba (l/min); Deslocamento umétrico da bomba (cm 3 /rot); Rendimento total (%); Potência (CV) e torque do motor elétrico (Nm).

24 Q tot D [litros / min] Vazão real Vazão teórica D p 2π T Q p 2π n T p P[kW] [cm tot 3 Q Q /rot] n[rpm] 1000 t [bar] Q[l /min] 600 Q D n 1 bar 1 kgf/cm2 1 kgf 10 N 1 [CV] 735 [Watts] 1 [HP] 745 [Watts] 1 [Watt] 1 [N.m/s] Exercício Área do pistão: 706,86 cm 2 Volume do atuador: ,67 cm 3 Pressão do sistema: 3,54 bar Vazão real da bomba: 141,4 l/min Vazão teórica da bomba: 153,7 l/min Deslocamento umétrico: 92,6 cm 3 /rot Rendimento total: 81,88 % Potência do acionamento elétrico: 1,39 CV Torque do acionamento elétrico: 5.86 Nm 1) Área do pistão (cm 2 ) Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: Área π raio 2 π (d/2) 2 A π (30/2) 2 A π 15 2 A π 225 A 706, cm 2 A 706,86 cm 2 2) Volume do atuador (cm 3 ) Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: Volume Área curso V 706, cm cm V , cm 3 A ,67 cm 3

25 3) Pressão do sistema (bar) Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: Pressão Força / Área P 2500 kgf / 706, cm 2 P 3, kgf/cm 2 P 3,53 bar 4) Vazão da bomba (l/min) Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: Vazão real Volume / Tempo Vr , cm 3 / 1 min (1 litro/1000 cm 3 ) Vr 141, l/min Vr 141,4 l/min Vazão real / Varão teórica > Vt Vr / Vt 141, / 0,92 153, Vt 153,7 l/min 5) Deslocamento da bomba (cm 3 /rot) Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: Vazão (Deslocamento rotação ) / , (D ,92) / 1000 D (141, ) / (1660 0,92) D , / 1527,2 D 92, cm 3 /rot D 92,6 cm 3 /rot 6) Rendimento total (%) Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: total umétrico hidromecânico total 0,92 0,89 total 0,8188 total 81,9%

26 7) Potência do acion. elétrico (CV) Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: Potência (Pressão Vazão) / (600 total ) Potência (3, , ) / / (600 0,8188) Potência / 491,28 Potência 1, kw (1 CV / 0,735 kw) Potência CV Potência 1,4 CV 8) Torque do acion. elétrico [Nm] Um elevador hidráulico automotivo deve ser capaz de suspender um veículo de 2500 kgf a 2 metros de altura em 1 minuto. O cilindro elevador possui 30 cm de diâmetro. O motor elétrico opera a 1660 rpm. Supondo que o rendimento umétrico de 92% e o hidromecânico de 89%, calcule: (Deslocamento Pressão) / (2 π Torque) Torque (Deslocamento Pressão) / (2 π ) Torque (92, , ) / (2 π 0,89) Torque 327, / 5,592 Torque 59, kgf.cm (1 m / 100 cm) Torque 0, kgf.m (10 N / 1 kgf) Torque 5,9 Nm UNIFEI

Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 03

Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 03 Símbolos UNIFEI Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 03 EME-26 Aula 03 14-09-2008 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Linhas de escoamento do fluido Símbolo das linhas de escoamento Cano Tubo

Leia mais

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 03

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 03 UNIFEI EME610 - Sitema Hidropneumático Hidráulica 03 Válvula de egurança (limitadora de preão) Aula 03 Prof. Joé Hamilton Chave Gorgulho Júnior 1 3 Válvula de egurança (limitadora de preão) Válvula de

Leia mais

Edson Duarte Sistemas Eletropneumáticos Lista Geral

Edson Duarte Sistemas Eletropneumáticos Lista Geral 1) Calcule o volume de ar comprimido necessário para o acionamento de 10 cilindros pneumáticos (modelo A), 4 cilindros pneumáticos com retorno por mola (modelo B) e 2 cilindros sem haste (modelo C), todos

Leia mais

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 5

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 5 tuador elescópico UNIFEI EE610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 5 ula 5 rof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Exercício Um atuador telescópico elevará uma carga de 150 kgf ao ser alimentado por

Leia mais

Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1. 1. Bombas e Motores

Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1. 1. Bombas e Motores Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1 BOMBAS: 1. Bombas e Motores As bombas hidráulicas são o coração do sistema, sua principal função é converter energia mecânica em hidráulica. São alimentadas

Leia mais

SISTEMA ELÉTRICO. Bateria 64 Ah. Giro da lança Esquerda: 50 / Direita: 80. Comprimento do chassi Bitola da esteira Número de roletes

SISTEMA ELÉTRICO. Bateria 64 Ah. Giro da lança Esquerda: 50 / Direita: 80. Comprimento do chassi Bitola da esteira Número de roletes CX80 MIDIESCAVADEIRA MOTOR Modelo Tipo Isuzu AU-4LE2X 4 tempos, turboalimentado, intercooler Cilindros 4 Deslocamento 2,2 l (2.189 cm 3 ) Diâmetro x Curso 85 x 96 mm Injeção de combustível eletrônica Filtro

Leia mais

Capítulo 5 Trabalho e Potência

Capítulo 5 Trabalho e Potência Capítulo 5 Trabalho e Potência Neste capítulo discutiremos conceitos relativos a trabalho e potência. Discutiremos ainda os efeitos do atrito e as perdas de potência causadas por ele. Definiremos rendimento

Leia mais

1 ATUADORES HIDRÁULICOS

1 ATUADORES HIDRÁULICOS 1 ATUADORES HIDRÁULICOS Danniela Rosa Sua função é aplicar ou fazer atuar energia mecânica sobre uma máquina, levando-a a realizar um determinado trabalho. Aliás, o motor elétrico também é um tipo de atuador.

Leia mais

Um macaco hidráulico é necessário para elevar um automóvel de 1000 kgf através do bombeamento manual.

Um macaco hidráulico é necessário para elevar um automóvel de 1000 kgf através do bombeamento manual. Um macaco hidráulico é necessário para elevar um automóvel de 1000 kgf através do bombeamento manual. Com os dados abaixo, calcular a força F1 necessária para elevar o automóvel e quantas vezes o operador

Leia mais

Tecnologia em equilíbrio entre força e movimento

Tecnologia em equilíbrio entre força e movimento Tecnologia em equilíbrio entre força e movimento Parker Hannifin A Parker é a líder global na fabricação de componentes destinados aos mercados de movimento e controle do movimento, dedicada a oferecer

Leia mais

MF 86 HS. Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON

MF 86 HS. Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON MF 86 HS Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON 2 www.massey.com.br 4 tipos de versões e o maior número de vantagens Alavanca de múltipla ação no carregador frontal Plataforma para o operador

Leia mais

TS-300BR. CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m

TS-300BR. CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m TADANO GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N TS-300BR TS-300BR DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m LANÇA 4 seções, 9,8 m - 31,0 m DIMENSÕES GERAIS Comprimento

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS O acoplamento ACRIFLEX AD, consiste em dois flanges simétricos inteiramente usinados, pinos de aço com superfícies retificadas e buchas amortecedoras de borracha nitrílica à prova

Leia mais

Resistência dos Materiais

Resistência dos Materiais Aula 6 Estudo de Torção, Transmissão de Potência e Torque Aula 6 Definição de Torque Torque é o momento que tende a torcer a peça em torno de seu eixo longitudinal. Seu efeito é de interesse principal

Leia mais

de hidráulica industrial

de hidráulica industrial A UU L AL A Noções de manutenção de hidráulica industrial João, o operador de uma retificadora cilíndrica, percebeu uma certa alteração no desempenho de sua máquina. Após fazer as verificações que conhecia

Leia mais

Acumuladores de energia

Acumuladores de energia Acumuladores de energia Aula 4 Prof. Dr. Emílio Carlos Nelli Silva Prof. Dr. Rafael Traldi Moura Definição: Acumuladores de Energia Componente mecânicos simples cuja função básica é armazenar energia hidráulica

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 01 Bombas São máquinas acionadas que recebem energia mecânica de uma fonte motora (máquina acionadora) e a transformam em energia cinética (movimento),

Leia mais

T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda.

T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda. TDB CAMINHÃO - GUINDASTE 30 TONELADAS MÉTRICAS T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda. Rua Doutor Djalma Pinheiro Franco, n 829 Vila Santa Catarina São Paulo SP CEP: 04368-000. Telefone: ( 0xx11 )

Leia mais

Cálculos envolvendo Atuadores Hidráulicos. Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 04. Atuador hidráulico de dupla ação

Cálculos envolvendo Atuadores Hidráulicos. Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 04. Atuador hidráulico de dupla ação UNIFEI Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 04 Cálculos envolvendo tuadores Hidráulicos EME-26 ula 04 21-09-2009 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior tuador hidráulico de dupla ação tuador hidráulico

Leia mais

Velocidade da oscilação. Comprimento do chassi Bitola da esteira Número de roletes. Esteira Lubrificada com graxa

Velocidade da oscilação. Comprimento do chassi Bitola da esteira Número de roletes. Esteira Lubrificada com graxa CX75SR MIDIESCAVADEIRA MOTOR Modelo Tipo Cilindros Isuzu AU-4LE2X 4 tempos, turboalimentado Intercooler 4 cilindros em linha Deslocamento 2,2 L (2.189 m 3 ) Diâmetro/Curso 85 x 96 mm Injeção de combustível

Leia mais

Componentes de um Sistema Hidráulico Parte II. Prof. Gustavo Fernandes de Lima <gustavo.lima@ifrn.edu.br>

Componentes de um Sistema Hidráulico Parte II. Prof. Gustavo Fernandes de Lima <gustavo.lima@ifrn.edu.br> Componentes de um Sistema Hidráulico Parte II Prof. Gustavo Fernandes de Lima Objetivos Identificar os principais componentes de um sistema hidráulico; Conhecer as válvulas direcionais,

Leia mais

Automação Hidráulica

Automação Hidráulica Automação Hidráulica Roteiro n Introdução n Aplicações n Estrutura dos circuitos n Sistemas de atuação hidráulica n Componentes n Exemplo de CNC hidráulico Definição de Sistema hidráulico n Conjunto de

Leia mais

TR-350XL. CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m

TR-350XL. CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m TADANO GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N.º TR-350XL-3-00101/EX-10 TR-350XL DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m LANÇA 4 seções, 9,95 m - 32,0 m DIMENSÕES GERAIS

Leia mais

Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD

Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD Dimensões Máquina básica com carro inferior R 9760 3650 10000 5480 3675 2445 1810 3950 1610 1700 7945 9360 3975 1720 R 6360 1100 6800 620 17380 Peso operacional

Leia mais

Acoplamentos elásticos. eflex. www.aciobras.com.br

Acoplamentos elásticos. eflex. www.aciobras.com.br Acoplamentos elásticos eflex www.aciobras.com.br Os acoplamentos elásticos EFLEX com garras, tipos EA, GA e HA, são utilizados na ligação de eixos rotativos, com desalinhamentos normalmente inevitáveis,

Leia mais

1 Introdução 2 CONCEITOS FUNDAMENTAIS HIDRÁULICA

1 Introdução 2 CONCEITOS FUNDAMENTAIS HIDRÁULICA HIDRÁULICA 1 Introdução 1.1 Histórico: Existem apenas três métodos conhecidos de transmissão de potência na esfera comercial: (1) a mecânica, (2) a elétrica e (3) a fluídica. Naturalmente, a transmissão

Leia mais

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1 4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos ACRIFLEX AG são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência

Leia mais

COMPRESSOR DE AR COMPRIMIDO

COMPRESSOR DE AR COMPRIMIDO Definição: Os compressores podem ser definidos como estruturas mecânicas industriais destinadas a elevar a energia utilizável de ar pelo aumento de sua pressão. Necessita de cuidados para manter sua plena

Leia mais

Fundamentos de Automação. Atuadores e Elementos Finais de Controle

Fundamentos de Automação. Atuadores e Elementos Finais de Controle Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Atuadores

Leia mais

40,7 kw / 54,6 CV a 2.000 rpm 8.330 kg 4.180-4.675 mm DX80R. Gama compacta

40,7 kw / 54,6 CV a 2.000 rpm 8.330 kg 4.180-4.675 mm DX80R. Gama compacta 40,7 kw / 54,6 CV a 2.000 rpm 8.330 kg 4.180-4.675 mm DX80R Gama compacta DOOSAN DX80R Escavadora Hidráulica: um novo modelo com novas funções A nova escavadora hidráulica DX80R oferece valor adicional

Leia mais

Fichas de sistemas de partículas

Fichas de sistemas de partículas Capítulo 3 Fichas de sistemas de partículas 1. (Alonso, pg 247) Um tubo de secção transversal a lança um fluxo de gás contra uma parede com uma velocidade v muito maior que a agitação térmica das moléculas.

Leia mais

Fundamentos de Automação. Hidráulica 01/06/2015. Hidráulica. Hidráulica. Hidráulica. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Fundamentos de Automação. Hidráulica 01/06/2015. Hidráulica. Hidráulica. Hidráulica. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação CURSO

Leia mais

11. Simbologia dos Componentes

11. Simbologia dos Componentes Nº Denominação Aplicação Símbolo 1.0 Geral 1.1. Símbolos Básicos 1.1.1. Linhas.1 Contínua 11. Simbologia dos Componentes.2 Interrompida Longa Linhas de fluxo..3 Interrompida Curta.4 Dupla Interligações

Leia mais

Hidráulica e Pneumática

Hidráulica e Pneumática E Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo MSc. Acumuladores ACUMULADORES HIDRÁULICOS Objetivos da aula Estudar os tipos de acumuladores; Conhecer a simbologia dos acumuladores; Identificar suas

Leia mais

Instruções para uso do peso de bater automático

Instruções para uso do peso de bater automático Este equipamento foi desenvolvido com as finalidades de: 1) Agilizar e otimizar o tempo necessário para os testes de penetração de solo; 2) Melhorar a ergonomia do procedimento, evitando esforços físicos

Leia mais

Sistemas Pneumáticos

Sistemas Pneumáticos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE ENGENHARIAS ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Sistemas Pneumáticos Gilson PORCIÚNCULA wp.ufpel.edu.br/porciuncula Estrutura de um circuito Pneumático

Leia mais

MOVIMENTO CIRCULAR ATIVIDADE 1 Professores: Claudemir C. Alves / Luiz C. R. Montes

MOVIMENTO CIRCULAR ATIVIDADE 1 Professores: Claudemir C. Alves / Luiz C. R. Montes MOVIMENTO CIRCULAR ATIVIDADE 1 Professores: Claudemir C. Alves / Luiz C. R. Montes 1 1- Velocidade Angular (ω) Um ponto material P, descrevendo uma trajetória circular de raio r, apresenta uma variação

Leia mais

Dados Técnicos Perfuratriz LB 24

Dados Técnicos Perfuratriz LB 24 Dados Técnicos Perfuratriz LB 24 Composição e características Cabo de aço Kelly Cabeçote Kelly Haste Kelly Guia auxiliar Cilindro de tensor do cabo de avanço Acionamento de Perfuração Cilindro do mastro

Leia mais

COMPRESSORES. Ruy Alexandre Generoso

COMPRESSORES. Ruy Alexandre Generoso COMPRESSORES Ruy Alexandre Generoso É o componente básico de qualquer sistema pneumático. O ar é comprimido em um sistema pneumático, de forma que possa ser usado para puxar, empurrar, realizar trabalho

Leia mais

Maceradores Trituradores Para Tubulação e Canal de Entrada

Maceradores Trituradores Para Tubulação e Canal de Entrada Maceradores Trituradores Para Tubulação e Canal de Entrada Maceradores Trituradores para as Aplicações Mais Exigentes Os Maceradores Trituradores são projetados para lidar com materiais fibrosos e sólidos

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência a abrasão.

Leia mais

5ª aula Composição do Circuito Pneumático e Atuadores

5ª aula Composição do Circuito Pneumático e Atuadores 5ª aula Composição do Circuito Pneumático e Atuadores 1 1) Elementos de trabalho são os executores das tarefas automatizadas. Cabe aos elementos de trabalho executar as tarefas que o circuito lógico determinar.

Leia mais

Propriedades Físicas do Ar Compressibilidade O ar permite reduzir o seu volume quando sujeito à ação de uma força exterior.

Propriedades Físicas do Ar Compressibilidade O ar permite reduzir o seu volume quando sujeito à ação de uma força exterior. COMPRESSORES DE AR AR COMPRIMIDO O ar comprimido necessita de uma boa preparação para realizar o trabalho proposto: remoção de impurezas, eliminação de umidade para evitar corrosão nos equipamentos, engates

Leia mais

Automação Hidráulica

Automação Hidráulica Automação Hidráulica Definição de Sistema hidráulico Conjunto de elementos físicos associados que, utilizando um fluido como meio de transferência de energia, permite a transmissão e o controle de força

Leia mais

AUC1. Circuitos Eletrohidráulicos e Eletropneumáticos. Parte III 14/02/2015 1

AUC1. Circuitos Eletrohidráulicos e Eletropneumáticos. Parte III 14/02/2015 1 AUC1 Circuitos Eletrohidráulicos e Eletropneumáticos Parte III 14/02/2015 1 Atuadores 14/02/2015 2 Atuador Pneumático Os atuadores pneumáticos, assim como os atuadores hidráulicos, são componentes que

Leia mais

BRITADORES DE CONE 1. DESCRIÇÃO:

BRITADORES DE CONE 1. DESCRIÇÃO: SISTEMA MECÂNICO DE ALÍVIO SISTEMA HIDRÁULICO DE ALÍVIO 1. DESCRIÇÃO: Os britadores de cone Piacentini, são equipamentos robustos que proporcionam alta produtividade, baixo custo operacional e longa vida

Leia mais

PÁS CARREGADEIRAS SL 733 SL 763 HYUNDAI SHANDONG

PÁS CARREGADEIRAS SL 733 SL 763 HYUNDAI SHANDONG PÁS CARREGADEIRAS SL 733 SL 763 HYUNDAI SHANDONG SL 733 GRANDE POTÊNCIA, ALTO DESEMPENHO A carregadeira sobre rodas Hyundai Shandong entrega máxima potência todo o tempo, representando um ganho substancial

Leia mais

Tecnologia Hidráulica Industrial. Transparência M2001-1 Janeiro 2003

Tecnologia Hidráulica Industrial. Transparência M2001-1 Janeiro 2003 Tecnologia Hidráulica Industrial Tecnologia Hidráulica Industrial Transparência M2001-1 Janeiro 2003 1 Índice Lei de Pascal 3 Príncipio Prensa Hidráulica 3 Conservação de Energia 3 Manômetro 4 Reservatórios

Leia mais

Valtra Vol. Linha Média 10/1/09 11:27 AM Page 1. www.valtra.com.br BM 100. Foto meramente ilustrativa. Valtra é uma marca mundial da AGCO.

Valtra Vol. Linha Média 10/1/09 11:27 AM Page 1. www.valtra.com.br BM 100. Foto meramente ilustrativa. Valtra é uma marca mundial da AGCO. Valtra Vol. Linha Média 10/1/09 11:27 AM Page 1 www.valtra.com.br BM 100 Valtra é uma marca mundial da AGCO. Foto meramente ilustrativa. Valtra Vol. Linha Média 10/1/09 11:27 AM Page 2 Características

Leia mais

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX MSN são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido nodular, e um elemento poliuretano alojado entre eles

Leia mais

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice Índice 1.Características Gerais... 2 2.Seleção do Tamanho do Acoplamento... 2 2.1- Dimensionamento dos acoplamentos Henflex HXP para regime de funcionamento contínuo... 2 2.2 Seleção do Acoplamento...

Leia mais

5 Estações elevatórias (EE)

5 Estações elevatórias (EE) 5 Estações elevatórias (EE) Esgotamento por gravidade mais econômico Estudo prévio comparativo outras soluções Todavia, são necessárias EE nos casos de: Terrenos planos e extensos Esgotamento de áreas

Leia mais

MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR

MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR www.mastertec.ind.br 1 ÍNDICE 1. Recursos:... 3 2. Condições de funcionamento:... 3 3. Características técnicas:... 3 4. Características construtivas:... 3 5. Diagrama

Leia mais

1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES

1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES 1 1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES 1.1 - Introdução As correntes fazem parte das transmissões flexíveis, conjuntamente com as correias. Apresentam menor capacidade de absorção de choques em virtude de sua

Leia mais

EPS 617 Bancada de teste Diesel Eficiência e versatilidade

EPS 617 Bancada de teste Diesel Eficiência e versatilidade EPS 617 Bancada de teste Diesel Eficiência e versatilidade Características e vantagens da bancada EPS 617 Acessórios necessários para o uso da bancada. A nova bancada de teste Diesel Bosch EPS 617 apresenta

Leia mais

Motor de Palhetas de Alto Torque Série 37 Folha de Dados Técnicos

Motor de Palhetas de Alto Torque Série 37 Folha de Dados Técnicos Motor de Palhetas de Alto Torque Série 37 Folha de Dados Técnicos RP 10550 Edição: 2012-10 Pressão de funcionamento máximo: 3000 psi (207 bar) Código 61 4500 psi (310 bar) Código 62 Características Seis

Leia mais

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS)

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS) ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX GR são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA)

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA) ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX CR são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre

Leia mais

Atuadores e válvulas

Atuadores e válvulas A UU L AL A Atuadores e válvulas Você já viu nas aulas anteriores que é possível transformar energia elétrica em energia mecânica por meio de uma máquina: o motor elétrico. Na indústria atual, o motor

Leia mais

[ACESSÓRIOS STANDARD] Bancada. Bucha 125 mm x 3 grampos. Ponto fixo CM2. Ponto fixo CM3.

[ACESSÓRIOS STANDARD] Bancada. Bucha 125 mm x 3 grampos. Ponto fixo CM2. Ponto fixo CM3. TORNO PARALELO [CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS] Acabamento de alta precisão. Uma precisão rotação da bucha

Leia mais

Sistemas de Recalque Bombas Hidráulicas

Sistemas de Recalque Bombas Hidráulicas CUSO: ENENAIA CIVIL DISCIPLINA: IDÁULICA EAL POFESSO(ES): ALEXANDE MACOS FEIE DA COSTA E SILVA PEÍODO LETIVO: 2011 - JANEIO A JUNO TUMA(S): ECI 5 NA; ECI 5 NB; ECI 5 NC PEÍODO DE AULA: 07/02/2011 A 30/06/2011

Leia mais

Linha Basculante. Descrição do Produto

Linha Basculante. Descrição do Produto Descrição do Produto A linha BV Rossi foi desenvolvida para portões basculantes e traz a comodidade de ser instalado em ambos os lados do portão, evitando mexer na estrutura original para a fixação. Sua

Leia mais

Ar comprimido: energia na forma de pressão

Ar comprimido: energia na forma de pressão Ar comprimido: energia na forma de pressão Transformação de energia eléctrica em pressão; resulta da compressão do ar ambiente, cuja composição é uma mistura de oxigénio ( 23,2 %(m/m)), nitrogénio ( 75,5

Leia mais

Caminhões basculantes. Design PGRT

Caminhões basculantes. Design PGRT Informações gerais sobre caminhões basculantes Informações gerais sobre caminhões basculantes Os caminhões basculantes são considerados como uma carroceria sujeita à torção. Os caminhões basculantes são

Leia mais

CAPITULO 2. Potência e pressões médias de um motor de combustão. Eng. Julio Cesar Lodetti

CAPITULO 2. Potência e pressões médias de um motor de combustão. Eng. Julio Cesar Lodetti CAPITULO 2 Potência e pressões médias de um motor de combustão Eng. Julio Cesar Lodetti Definição de Potência e rendimento A potência, é por definição função do torque fornecido sobre o virabrequim, e

Leia mais

Acumuladores hidráulicos

Acumuladores hidráulicos Tipos de acumuladores Compressão isotérmica e adiabática Aplicações de acumuladores no circuito Volume útil Pré-carga em acumuladores Instalação Segurança Manutenção Acumuladores Hidráulicos de sistemas

Leia mais

TRATOR DE ESTEIRAS D51EX-22 POTÊNCIA LÍQUIDA. 130 HP (97 kw) @ 2.200 rpm PESO OPERACIONAL. D51EX-22: 14.000 kg

TRATOR DE ESTEIRAS D51EX-22 POTÊNCIA LÍQUIDA. 130 HP (97 kw) @ 2.200 rpm PESO OPERACIONAL. D51EX-22: 14.000 kg POTÊNCIA LÍQUIDA 130 HP (97 kw) @ 2.200 rpm PESO OPERACIONAL : 14.000 kg D 51 O modelo ilustrado pode incluir equipamentos opcionais TRATOR DE ESTEIRAS T R A T O R D E PANORÂMICA Visibilidade total Dianteira

Leia mais

Válvula redutora de pressão. EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 6

Válvula redutora de pressão. EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 6 UNIFEI EE610 - Sistemas Hidropneumáticos Hidráulica 6 Válvula redutora de pressão O objetivo da válvula de redutora de pressão é fazer com que a pressão em uma parte do sistema seja mantida em um determinado

Leia mais

Bombas e Estações Elevatórias

Bombas e Estações Elevatórias Bombas e Estações Elevatórias Estações Elevatórias Escoamentos por gravidade possibilitam economia de energia, facilidade de operação, manutenção e segurança No entanto, não são possíveis sempre: Cidades

Leia mais

Carregadeira LW300K. Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg

Carregadeira LW300K. Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg Carregadeira LW300K Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg Qualidade, confiabilidade e força, aliada ao baixo consumo de combustível. A Pá-carregadeira LW300K

Leia mais

FATEC CAMPUS POMPEIA MECÂNICA APLICADA PRESSÃO, TORQUE, POTÊNCIA E FORÇA CENTRÍFUGA. PROF MSc RUI CASARIN

FATEC CAMPUS POMPEIA MECÂNICA APLICADA PRESSÃO, TORQUE, POTÊNCIA E FORÇA CENTRÍFUGA. PROF MSc RUI CASARIN FATEC CAMPUS POMPEIA MECÂNICA APLICADA PRESSÃO, TORQUE, POTÊNCIA E FORÇA CENTRÍFUGA. PROF MSc RUI CASARIN PRESSÃO Definida como sendo a distribuição das forças atuantes num corpo, através da área que a

Leia mais

SJS Bombas Submersíveis

SJS Bombas Submersíveis SJS Bombas Submersíveis Principais aplicações Os modelos de bombas Sulzer SJS representam a mais avançada tecnologia em projeto de bombas submersíveis, destinadas principalmente a atender os requisitos

Leia mais

PÁ CARREGADEIRA 12B. Potência. Peso operacional. Capacidade da caçamba 1,5 m a 3 2,3 m 3 (2,0 jd a 3 3,0 jd 3 )

PÁ CARREGADEIRA 12B. Potência. Peso operacional. Capacidade da caçamba 1,5 m a 3 2,3 m 3 (2,0 jd a 3 3,0 jd 3 ) PÁ CARREGADEIRA 12B Potência 123 hp (92 kw) Peso operacional 10.037 kg Capacidade da caçamba 1,5 m a 3 2,3 m 3 (2,0 jd a 3 3,0 jd 3 ) Capacidade da caçamba-padrão 1,91 m 3 (2,5 jd 3 ) 12B A New Holland

Leia mais

Truck Crane TKA-420N TKA-420N TRUCK CRANE

Truck Crane TKA-420N TKA-420N TRUCK CRANE Truck Crane TKA-420N TKA-420N TRUCK CRANE DESTAQUES DO NOVO GUINDASTE TKA-420N Moderna e confortável cabina de comando, com amplo campo de visão e fácil acesso aos controles do guindaste. Possui ventilação,

Leia mais

Automatismos Industriais

Automatismos Industriais Automatismos Industriais Introdução à Pneumática Nos actuais sistemas de automação a pneumática é um elemento muito importante pois está presente num vasto numero de aplicações, seja como sistema totalmente

Leia mais

TRATOR DE ESTEIRA D170

TRATOR DE ESTEIRA D170 TRATOR DE ESTEIRA D170 Potência líquida no volante Peso operacional 170 hp (127 kw) 16.580 kg a 19.130 kg CAPACIDADE DA LÂMINA Angle dozer (SAE J1265) 3,2 m 3 D170 A New Holland é reconhecida em todo o

Leia mais

Potência Líquida no volante. 90 hp (68 kw) Peso operacional. 9.400 kg a 10.300 kg Capacidade da Lâmina (SAE J1265) 1,8 m 3

Potência Líquida no volante. 90 hp (68 kw) Peso operacional. 9.400 kg a 10.300 kg Capacidade da Lâmina (SAE J1265) 1,8 m 3 Potência Líquida no volante Peso operacional 90 hp (68 kw) 9.400 kg a 10.300 kg Capacidade da Lâmina (SAE J1265) 1,8 m 3 D A New Holland é reconhecida em todo o mundo pelas inovações tecnológicas, eficiência

Leia mais

Acionamento de palhetas giratórias, Série RAK Ângulo de rotação: 30-270 Acionamento de palhetas giratórias, com efeito duplo Tipo de eixo: unilateral

Acionamento de palhetas giratórias, Série RAK Ângulo de rotação: 30-270 Acionamento de palhetas giratórias, com efeito duplo Tipo de eixo: unilateral Acionamentos giratórios Acionamento de palhetas giratórias 1 Pressão de operação mín/máx Veja a tabela abaixo Temperatura ambiente min./máx. Veja a tabela abaixo Temperatura de produto mín/máx. - C / +60

Leia mais

Catálogo de Produtos 2015

Catálogo de Produtos 2015 CATÁLOGO DE PRODUTOS 2015 A CSM, fundada em 1979, destaca-se na fabricação de máquinas, equipamentos e sistemas para construção civil e movimentação de materiais. Investe continuamente em processos, desenvolvimento

Leia mais

A Enquip é uma empresa de engenharia, genuinamente brasileira, que desenvolve e fabrica soluções especiais para movimentação de cargas e sistemas de

A Enquip é uma empresa de engenharia, genuinamente brasileira, que desenvolve e fabrica soluções especiais para movimentação de cargas e sistemas de A Enquip é uma empresa de engenharia, genuinamente brasileira, que desenvolve e fabrica soluções especiais para movimentação de cargas e sistemas de amarração, atendendo as indústrias petrolíferas, navais,

Leia mais

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br INTRODUÇÃO: Nem sempre as unidades geradoras

Leia mais

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial Prof. Daniel Hasse Robótica Industrial Aula 02 - Robôs e seus Periféricos Tipos de Sistemas de Controle Volume de Trabalho Dinâmica e Precisão dos Movimentos Sistemas de Acionamentos Garras Tipos de Sistemas

Leia mais

De início, recordemos que o trabalho mecânico é sempre composto dos dois fatores

De início, recordemos que o trabalho mecânico é sempre composto dos dois fatores CAPÍTULO 11 - POTÊNCIA E RENDIMENTO A energia mecânica desenvolvida por um motor é medida com precisão num banco de testes. É igualmente possível calcular esta energia com uma certa aproximação tendo em

Leia mais

Compressores. www.iesa.com.br 2

Compressores. www.iesa.com.br 2 www.iesa.com.br 1 Compressores A pneumática utiliza o ar como fonte de energia para o acionamento de seus automatismos. Esse ar necessita de determinadas condições apropriadas para sua utilização. São

Leia mais

TS-300BR. ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) 4 seções, 10,0 m ~ 32,2 m DIMENSÕES GERAIS

TS-300BR. ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) 4 seções, 10,0 m ~ 32,2 m DIMENSÕES GERAIS TDB GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N TS-300BR-1(VM6x4) TS-300BR ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m LANÇA 4 seções, 10,0

Leia mais

Transmissões de Potência

Transmissões de Potência Transmissões de Potência PMR 2201 Transmissões O emprego de transmissões torna-se necessário para compatibilizar a velocidade angular ou conjugado da máquina motriz com a necessidade da máquina acionada,

Leia mais

Capítulo 5 Bombas. exterior; (exemplos: turbinas, motores hidráulicos, rodas d água);

Capítulo 5 Bombas. exterior; (exemplos: turbinas, motores hidráulicos, rodas d água); Capítulo 5 Bombas 1. Máquinas Hidráulicas trabalham fornecendo, retirando ou modificando a energia do líquido em escoamento; 2. Classificação: 2.1 Máquinas operatrizes introduzem no líquido a energia externa;

Leia mais

MANIPULADORES TELESCÓPICOS TURBO

MANIPULADORES TELESCÓPICOS TURBO MANIPULADORES TELESCÓPICOS TURBO VISIBILIDADE PERFEITA EM TODAS AS DIREÇÕES EXCELENTE ESTABILIDADE E CAPACIDADE DE MANOBRA MODERNO MOTOR CNH TIER 3A QUE CUMPRE COM AS NORMAS EUROPEIAS 97/68/CE LM1445 LM1745

Leia mais

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão Pulverizadores costais manuais Prof.: Brandão PULVERIZADORES COSTAIS Operação Manutenção Regulagem da pulverização PJH O QUE É UM PULVERIZADOR COSTAL MANUAL? - Os pulverizadores Costais Manuais são equipamentos

Leia mais

Automação Pneumática. DIDACTIC Automação Pneumática 1

Automação Pneumática. DIDACTIC Automação Pneumática 1 Automação Pneumática DIDACTIC Automação Pneumática 1 Comparação qualitativa: força, velocidade e precisão Mecânica Boa força Ótimas velocidades Ótima precisão Hidráulica Ótima força Baixas velocidades

Leia mais

TRATOR DE ESTEIRA 7D. 9.400 kg a 10.150 kg. Potência líquida no volante. 90 hp (67 kw) Peso operacional. CAPACIDADE DA LÂMINA (SAE J1265) 1,8 m 3

TRATOR DE ESTEIRA 7D. 9.400 kg a 10.150 kg. Potência líquida no volante. 90 hp (67 kw) Peso operacional. CAPACIDADE DA LÂMINA (SAE J1265) 1,8 m 3 TRATOR DE ESTEIRA 7D Potência líquida no volante Peso operacional 90 hp (67 kw) 9.400 kg a 10.150 kg CAPACIDADE DA LÂMINA (SAE J1265) 1,8 m 3 7D A New Holland é reconhecida em todo o mundo pelas inovações

Leia mais

Operação: Máquinas Térmicas I Prof. Eduardo Loureiro Motores de combustão por compressão (DIESEL).

Operação: Máquinas Térmicas I Prof. Eduardo Loureiro Motores de combustão por compressão (DIESEL). Máquinas Térmicas I Prof. Eduardo Loureiro Motores de combustão por compressão (DIESEL). Operação: Nos motores de ignição por compressão, apenas ar é induzido para dentro do cilindro no tempo de admissão.

Leia mais

ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA Luiz Atilio Padovan Prof. Eng. Agrônomo EVOLUÇÃO DA MECANIZAÇÃO 1 TREM DE FORÇA SISTEMA MECÂNICO Diferencial Motor Câmbio Embreagem FUNCIONAMENTO DO MOTOR Motor

Leia mais

B90B B95B B110B. Potência Bruta (SAE J1995) 94 hp (70 kw) 100 hp (75 kw) 100 hp (75 kw)

B90B B95B B110B. Potência Bruta (SAE J1995) 94 hp (70 kw) 100 hp (75 kw) 100 hp (75 kw) B90B B95B B110B Potência Bruta (SAE J1995) 94 hp (70 kw) 100 hp (75 kw) 100 hp (75 kw) Peso operacional De 6.630 kg a 7.200 kg De 6.630 kg a 7.200 kg De 6.630 kg a 7.200 kg Profundidade de escavação De

Leia mais

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2015 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Uma mola comprimida por uma deformação x está em contato com um corpo de massa m, que se encontra

Leia mais

Síntese final do curso

Síntese final do curso Síntese final do curso O objetivo do curso foi estudar o projeto de uma instalação de bombeamento básica, ou seja, aquela que apresentava uma entrada e uma saída. As etapas que constituem este tipo de

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE MOTORES COM CARGA ACIONADA

DIMENSIONAMENTO DE MOTORES COM CARGA ACIONADA Eletricidade Industrial Fatec Mogi Mirim Prof. Gerson R. Luqueta DIMENSIONAMENTO DE MOTORES COM CARGA ACIONADA Para dimensionamento necessitamos conhecer: Conjugado requerido pela carga Rotação requerida

Leia mais

Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS

Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS 8.1 - Motores de Corrente Contínua 8.2 - Motores de Corrente Alternada 8.3 - Motores Especiais 8.4 - Exercícios Propostos Na natureza a energia se encontra distribuída sob

Leia mais

Tamanho máx. da partícula 50 µm. Pressão para definir as forças de pistão 6,3 bar

Tamanho máx. da partícula 50 µm. Pressão para definir as forças de pistão 6,3 bar Cilindro de bielas de Cilindro de guia Ø - mm com efeito duplo mancal esférico Amortecimento: hidráulico, com ajuste fixo com 1 Temperatura ambiente min./máx. +0 C / +65 C Fluido Ar comprimido Tamanho

Leia mais

PNEUMÁTICA SENAI CETEMP

PNEUMÁTICA SENAI CETEMP PNEUMÁTICA SENAI CETEMP PNEUMÁTICA É um sistema que torna possível a utilização do ar para geração de energia mecânica. Exemplos Exemplos Comparação Energia Hidráulica Elétrica Pneumática Transmissão

Leia mais