PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS"

Transcrição

1 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 INFORMATIVO TÉCNICO PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS 1/21

2 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 O PRINCIPAL COMPONENTE DE UM SISTEMA HIDRÁULICO É A BOMBA. UM SISTEMA BEM DIMENSIONADO QUE GARANTA A INTEGRIDADE DA MESMA IRÁ PERMITIR QUE O SISTEMA TRABALHE COM O MÁXIMO DE EFICIÊNCIA. UMA MANUTENÇÃO ADEQUADA TAMBÉM CONTRIBUIRÁ PARA QUE SISTEMA CONTINUE OPERANDO SEM PROBLEMAS. POREM NÃO É SEMPRE QUE OS SISTEMAS ESTÃO ADEQUADOS QUANTO A PRESSÕES, VAZÕES, ALIMENTAÇÃO DA BOMBA HIDRÁULICA, ETC., E PRINCIPALMENTE NÃO ESTÁ ADEQUADO AO TIPO DE TRABALHO A SER REALIZADO O OBJETIVO DESTE DOCUMENTO É A AJUDAR A IDENTIFICAR AS PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE CAUSAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS. A FIGURA 01 ILUSTRA A DINÂMICA DO FUNCIONAMENTO DE UMA BOMBA HIDRÁULICA. CONFORME AS ENGRENAGENS GIRAM, O VÃO ENTRE OS DENTES DAS ENGRENAGENS GERAM UM VÁCUO ARRASTANDO DESTA FORMA O ÓLEO, OBSERVE QUE O ÓLEO NÃO PASSA PELO CENTRO DA BOMBA. QUANDO OS DENTES DAS ENGRENAGENS ENGRENAM NOVAMENTE DO OUTRO LADO DA BOMBA, O ÓLEO É FORÇADO A SAIR DA BOMBA. UMA RESISTÊNCIA AO FLUXO DE ÓLEO NA TUBULAÇÃO DE SAÍDA CAUSA UM AUMENTO DE PRESSÃO NO LADO DA SAÍDA DO ÓLEO, ESTA PRESSÃO FORÇA AS ENGRENAGENS CONTRA A ZONA DE SUCÇÃO DA BOMBA. OS DIÂMETROS EXTERNOS DAS ENGRENAGENS SÃO FORÇADOS CONTRA OS SEUS ALOJAMENTOS ISTO EVITA QUE O ÓLEO PASSE DA ZONA DE PRESSÃO PARA A ZONA DE SUCÇÃO, PORÉM UM EXCESSO DE PRESSÃO PODE FORÇAR AS ENGRENAGENS A ARRANCAR MATERIAL E PROVOCAR UMA CONTAMINAÇÃO DE FERRO FUNDIDO QUE É O MATERIAL DO CORPO DA BOMBA. A MARRUCCI TESTA 100% AS SUAS BOMBAS NA PRESSÃO DE TRABALHO GARANTINDO QUE O MATERIAL ARRANCADO DURANTE O AMACIAMENTO SEJA RETIDO NOS FILTROS DE NOSSAS BANCADAS DE TESTES. 2/21

3 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 FIGURA 01 F O R Ç A F O R Ç A 3/21

4 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 O MAIOR CONTRIBUINTE PARA FALHAS DE BOMBAS HIDRÁULICAS É A CONTAMINAÇÃO, ENCONTRADA NOS SISTEMAS HIDRÁULICOS. CONTAMINAÇÃO É QUALQUER SUBSTÂNCIA ENCONTRADA NO ÓLEO HIDRÁULICO QUE NÃO TENHA SIDO ESPECIFICADA PELO FABRICANTE DO MESMO, EXEMPLOS: ÁGUA, AR, PÓ, SUJEIRA, ETC. UM SISTEMA DE LIMPEZA E MANUTENÇÃO PREVENTIVA GARANTE UMA MAIOR DURABILIDADE DOS COMPONENTES HIDRÁULICOS. PARA MELHOR ENTENDIMENTO DAMOS ABAIXO UMA TABELA DE FOLGAS DE ALGUNS COMPONENTES HIDRÁULICOS E O TAMANHO RELATIVO DE ALGUMAS PARTÍCULAS A FIM DE DEMONSTRAR A NECESSIDADE DE MANTER-SE O SISTEMA HIDRÁULICO LIMPO. FOLGA TÍPICA DE COMPONENTES HIDRÁULICOS ROLAMENTOS ,5 µm BOMBA DE PALHETA ,5 µm BOMBA DE ENGRENAGENS ,5 A 20µm ATUADORES LINEARES a 250µm TAMANHO RELATIVO DAS PARTÍCULAS GRÃO DE SAL REFINADO µm CABELO HUMANO µm LIMITE DE VISIBILIDADE µm FARINHA DE TRIGO µm 4/21

5 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 A SEGUIR DAMOS ALGUNS EXEMPLOS DA DINÂMICA DOS DESGASTES POR CONTAMINAÇÕES. 1 - CONTAMINAÇÃO POR OBJETOS ESTRANHOS. PORCAS, PARAFUSOS, ARRUELAS, ESFERAS, PARTES DE MANGUEIRAS E VEDAÇÕES, CAUSA DANOS CONSIDERÁVEIS E MUITAS VEZES A FALHA COMPLETA DA BOMBA É INSTANTÂNEA. FOTO 01 A FOTO 01 MOSTRA AS ENGRENAGENS DE UMA BOMBA DANIFICADA POR OBJETO SÓLIDO DE GRANDES PROPORÇÕES. 5/21

6 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 2 CONTAMINAÇÕES POR PARTÍCULAS GRANDES PARTÍCULAS MUITO GRANDES QUE ULTRAPASSAM AS PEQUENAS FOLGAS DA BOMBA HIDRÁULICA CAUSAM UMA REMOÇÃO DE MATERIAL NAS SUPERFÍCIES PRINCIPALMENTE DO FLANGE DE COMPENSAÇÃO POR SER DE MATERIAL MAIS MACIO COMO MOSTRA A FIGURA 02. OS DANOS NA SUPERFÍCIE DO FLANGE DE COMPENSAÇÃO COMPROMETEM A VEDAÇÃO COM A LATERAL DOS DENTES DAS ENGRENAGENS, RESULTANDO EM PERDA DA EFICIÊNCIA DA BOMBA HIDRÁULICA. NESTE CASO A CONTAMINAÇÃO DO SISTEMA É PROGRESSIVA. OS CONTAMINANTES INICIAIS PROVOCAM DESGASTES NOS COMPONENTES GERANDO NOVOS CONTAMINANTES. FIGURA 02 SENTIDO DE GIRO ENGRENAGEM PARTÍCULA GRANDE FLANGE DE COMPENSAÇÃO O FLANGE DE COMPENSAÇÃO DAS BOMBAS HIDRÁULICAS É UM DOS MELHORES LUGARES PARA VERIFICARMOS A EVIDENCIA DO QUE CONTRIBUI PARA A FALHA DA BOMBA. OS COMPONENTES QUANDO ESTÃO NOVOS, POSSUEM UMA SUPERFÍCIE LISA QUE PERMITE UM FILME DE ÓLEO CONSTANTE ENTRE O FLANGE DE COMPENSAÇÃO E A ENGRENAGEM. QUANDO ESTA SUPERFÍCIE ESTA DANIFICADA, O FILME DE ÓLEO SE QUEBRA DENTRO DA RANHURA, NESTE MOMENTO OCORRE O CONTATO METAL COM METAL, RESULTANDO EM UM AUMENTO DE CALOR. 6/21

7 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 A SUPERFÍCIE DO FLANGE DE COMPENSAÇÃO É UMA ÁREA DE VEDAÇÃO EM CONTATO COM AS ENGRENAGENS, OS DANOS CAUSADOS A ESTA SUPERFÍCIE PODE COMPROMETER ESTA VEDAÇÃO, PERMITINDO QUE O ÓLEO DA ZONA DE PRESSÃO PASSE PARA A ZONA DE SUCÇÃO, DIMINUINDO ASSIM A EFICIÊNCIA VOLUMÉTRICA DA BOMBA. A FOTO 02 MOSTRA UM FLANGE DE COMPENSAÇÃO DA BOMBA COM UMA RANHURA PRODUZIDA POR UMA PARTÍCULA SÓLIDA, DANIFICANDO A FACE DE VEDAÇÃO DO FLANGE COM AS ENGRENAGENS. FOTO 02 7/21

8 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 3 CONTAMINAÇÕES POR PARTÍCULAS PEQUENAS. AS PARTÍCULAS MICROSCÓPICAS COMO POEIRA LEVADAS PELO AR PODEM FICAR ACUMULADAS NO ÓLEO HIDRÁULICO COMPROMETENDO O FILME DE ÓLEO ENTRE OS COMPONENTES DA BOMBA HIDRÁULICA, TAIS COMO ENGRENAGENS, FLANGES DE COMPENSAÇÃO, ETC. CONFORME A PRESSÃO DO SISTEMA SE ELEVA, O FILME DE ÓLEO ENTRE AS PARTES TORNA-SE MAIS FINO, EXPONDO OS COMPONENTES A AÇÃO DOS CONTAMINANTES AUMENTANDO O ATRITO ENTRE AS PARTES, COM INICIO DE DESGASTE MARCADO PELA MUDANÇA NO ACABAMENTO DAS SUPERFÍCIES, TORNANDO-AS COM UM ASPECTO DE JATEADO (SEM BRILHO). A FOTO 03 MOSTRA UMA ENGRENAGEM COM A PISTA DE ROLAMENTO SEM O SEU BRILHO CARACTERÍSTICO DEVIDO AO DESGASTE POR CONTAMINAÇÃO DE PARTÍCULAS FINAS. FOTO 03 8/21

9 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 A FOTO 04 MOSTRA UM FLANGE DE COMPENSAÇÃO COM INICIO DE DESGASTE NA ÁREA DE VEDAÇÃO COM AS ENGRENAGENS, PROVOCADO POR PARTÍCULAS FINAS NO FILME DE ÓLEO. FOTO 04 CONFORME OS DENTES DAS ENGRENAGENS SE ENGRENAM NOVAMENTE NA REGIÃO DE PRESSÃO DA BOMBA, O ÓLEO É EMPURRADO PARA A SAÍDA DA BOMBA, PORÉM UMA PEQUENA QUANTIDADE DE ÓLEO É COMPRIMIDA NO PÉ DO DENTE DA ENGRENAGEM. O FLANGE DE COMPENSAÇÃO POSSUI UM ALIVIO PARA ESCOAR ESTE ÓLEO, A ALTA VELOCIDADE DO ÓLEO PASSANDO POR ESTE ALIVIO CAUSARÁ DANOS, CASO O ÓLEO ESTEJA CONTAMINADO. A FOTO 05 MOSTRA ESTA REGIÃO DO FLANGE DE COMPENSAÇÃO COM INICIO DE DESGASTE PROVOCADO POR ÓLEO CONTAMINADO COM PARTÍCULA FINA. 9/21

10 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 FOTO 05 4 CONTAMINAÇÕES POR CAVITAÇÃO E AERAÇÃO. UM BARULHO EXCESSIVO NO SISTEMA HIDRÁULICO PODE SER CAUSADO PELA PRESENÇA DE AR NO ÓLEO HIDRÁULICO, O AR PODE SER INTRODUZIDO NO SISTEMA DE DUAS MANEIRAS: ATRAVÉS DE CAVITAÇÃO E OU AERAÇÃO. CAVITAÇÃO: A CAVITAÇÃO OCORRE QUANDO O SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DA BOMBA NÃO CONSEGUE MAIS PREENCHER OS ESPAÇOS GERADOS ENTRE OS DENTES DAS ENGRENAGENS DURANTE A ROTAÇÃO DAS MESMAS. O VÁCUO GERADO VAPORIZA UMA PARTE DO ÓLEO CAUSANDO UMA RETIRADA DE AR OU ÁGUA DA SOLUÇÃO. CAVITAÇÃO É A FORMAÇÃO DE BOLHAS DE AR, ÁGUA OU VAPOR NO ÓLEO. AERAÇÃO: AERAÇÃO É UMA FORMA DE CAVITAÇÃO QUE OCORRE QUANDO O AR EXTERNO É SUGADO PARA DENTRO DO SISTEMA HIDRÁULICO. CONFORME AS BOLHAS (CRIADAS PELA CAVITAÇÃO E AERAÇÃO) SÃO TRANSPORTADAS PARA A ÁREA DE PRESSÃO DA BOMBA, O AUMENTO DE PRESSÃO COMPRIME AS BOLHAS FAZENDO COM QUE AS MESMAS ESTOUREM, PRODUZINDO ONDAS INTENSAS QUE SE CHOCAM CONTRA O FLANGE DE COMPENSAÇÃO PROVOCANDO DESGASTES. A CAPACIDADE DE VEDAÇÃO DO FLANGE FICA REDUZIDA RESULTANDO EM BAIXA EFICIÊNCIA DA BOMBA. 10/21

11 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 FIGURA 03 FIGURA 04 BOLHAS DE AR, ÁGUA OU VAPOR DE ÓLEO AS BOLHAS SENDO COMPRIMIDAS DEVIDO O AUMENTO DE PRESSÃO FIGURA 05 AS BOLHAS EXPLODEM DANIFICANDO O FLANGE DE COMPENSAÇÃO A PRESENÇA DE AR TAMBÉM REDUZ A QUANTIDADE DE ÓLEO DIMINUINDO A DISSIPAÇÃO DE CALOR GERADO PELO ATRITO MECÂNICO ENTRE AS PARTES DA BOMBA. OS FLANGES DE COMPENSAÇÃO FICAM DESBALANCEADOS SENDO EMPURRADOS IRREGULARMENTE CONTRA AS ENGRENAGENS, PROVOCADO UM DESGASTE IRREGULAR NA SUPERFÍCIE DE VEDAÇÃO. A PRESENÇA DE AR TAMBÉM CAUSA UM AQUECIMENTO E DESPRENDIMENTO DE MATERIAL NO ALOJAMENTO DAS ENGRENAGENS (CORPO) NA ZONA DE SUCÇÃO. 11/21

12 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 CAUSA E EFEITO DA CAVITAÇÃO E OU AERAÇÃO NO SISTEMA HIDRÁULICO. CAUSAS: CAVITAÇÃO RESTRIÇÃO NA ENTRADA DE ÓLEO. FILTRO DE SUCÇÃO OU SUSPIRO DE ENTRADA OBSTRUÍDO. FILTRO DE SUCÇÃO MUITO PEQUENO. MANGUEIRA OU TUBULAÇÃO DE SUCÇÃO MUITO LONGA. CONEXÃO DE SUCÇÃO DA BOMBA MUITO PEQUENA. RPM DE ACIONAMENTO DA BOMBA MUITO ALTO. ÓLEO MUITO VISCOSO (TEMPO FRIO). AERAÇÃO ENTRADA DE AR NO ÓLEO. NÍVEL BAIXO DE ÓLEO NO RESERVATÓRIO. REDEMOINHO DE ÓLEO PRÓXIMO A LINHA DE SUCÇÃO NO RESERVATÓRIO. MANGUEIRAS DE SUCÇÃO SEM APERTO. RETENTOR DO EIXO DA BOMBA DANIFICADO. DESGASTE NO EIXO DA BOMBA NA ÁREA DE VEDAÇÃO DO RETENTOR. ESPUMA NO ÓLEO DO RESERVATÓRIO. EFEITOS: BARULHO EXCESSIVO NA BOMBA HIDRÁULICA. AQUECIMENTO NA BOMBA E NO SISTEMA HIDRÁULICO. DESGASTE ACELERADO DOS FLANGES DE COMPENSAÇÃO. PERDAS INTERNAS NA BOMBA HIDRÁULICA. PERDA DA EFICIÊNCIA VOLUMÉTRICA DA BOMBA HIDRÁULICA. FALHA NA BOMBA HIDRÁULICA. 12/21

13 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 FOTO 06 A FOTO 06 MOSTRA UM FLANGE DE COMPENSAÇÃO COM EROSÃO PROFUNDA NA ZONA DE SUCÇÃO DEVIDO A CAVITAÇÃO EM ALTO GRAU. FOTO 07 A FOTO 07 MOSTRA UM FLANGE DE COMPENSAÇÃO COM: A) CORROSÃO NA ZONA DE PRESSÃO CAUSADA PELA EXPLOSÃO DAS BOLHAS DE AR, ÁGUA OU VAPOR NO ÓLEO B) EROSÃO PROFUNDA NA ZONA DE SUCÇÃO CAUSADA PELA CAVITAÇÃO. 13/21

14 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 FOTO 08 A FOTO 08 MOSTRA UM CORPO COM SINAIS DE AQUECIMENTO E INÍCIO DE DESPRENDIMENTO DE MATERIAL DEVIDO A CAVITAÇÃO (COLORAÇÃO DIFERENCIADA). A SEGUIR VEJA O QUE O QUE FALTA DE LUBRIFICAÇÃO CAUSADA POR AERAÇÃO E OU CAVITAÇÃO PODEM PROVOCAR NA BOMBA HIDRÁULICA. A FACE DOS DENTES DA ENGRENAGEM ESTÁ COM MICRO TRINCAS PROVOCADA PELO EXCESSO DE AQUECIMENTO, NOTA-SE TAMBÉM UM INICIO DE QUEIMA NA SUPERFÍCIE DE ENGRENAMENTO (INICIO DO FLANCO DOS DENTES), FOTO 09. O FLANGE DE COMPENSAÇÃO COM A FACE DE VEDAÇÃO TOTALMENTE QUEIMADA E COM DESGASTES IRREGULARES DEVIDO AO DESBALANCEAMENTO PROVOCADO PELA AERAÇÃO E OU CAVITAÇÃO, FOTO 10. NESTE MOMENTO O TORQUE PARA GIRAR A BOMBA AUMENTA DRASTICAMENTE E A BOMBA TORNA-SE EXCESSIVAMENTE AQUECIDA. A REMOÇÃO DO MATERIAL DO FLANGE DE COMPENSAÇÃO IRÁ CONTAMINAR O ÓLEO DO SISTEMA HIDRÁULICO. 14/21

15 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 FOTO 09 FOTO /21

16 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 A FOTO 011 MOSTRA A FALTA DE LUBRIFICAÇÃO ENTRE AS PARTES EM UM ESTÁGIO UM POUCO MAIS AVANÇADO, NOTE QUE A QUEIMA NO FLANCO DOS DENTES DAS ENGRENAGENS, SÃO MAIORES QUE O EXEMPLO ANTERIOR. NESTE ESTÁGIO AS VEDAÇÕES DO FLANGE DE COMPENSAÇÃO JÁ ESTÃO COMPROMETIDAS DEVIDO AO AQUECIMENTO EXCESSIVO, RESULTANDO EM PERDA DA EFICIÊNCIA VOLUMÉTRICA DA BOMBA. FOTO /21

17 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 A FOTO 012 MOSTRA OS COMPONENTES DE UMA BOMBA DANIFICADA POR AERAÇÃO E OU CAVITAÇÃO EM UM ESTÁGIO BEM AVANÇADO. NOTEM QUE O AQUECIMENTO EXCESSIVO RESULTOU EM QUEIMA TOTAL DAS VEDAÇÕES DO FLANGE DE COMPENSAÇÃO FOTO /21

18 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 DANOS POR EXCESSO DE PRESSÃO OUTRO FATOR DE GRANDE IMPORTÂNCIA PARA FALHAS DE BOMBAS HIDRÁULICAS É O EXCESSO DE PRESSÃO. A PRESSÃO ACIMA DO LIMITE ESPECIFICADO PARA A BOMBA HIDRÁULICA CRIA UMA FORÇA EXCESSIVA FORÇANDO AS ENGRENAGENS A FLEXÃO ACIMA DO ESPECIFICADO, ESTA FLEXÃO FAZ COM QUE OS DENTES DAS ENGRENAGENS DESGASTEM O LADO DE SUCÇÃO DA BOMBA, FORMANDO UMA TRILHA. UM CORPO DE BOMBA COM DESGASTE NA ZONA DE SUCÇÃO (TRILHA) ACIMA DE 0,15mm DE PROFUNDIDADE PERDERÁ A SUA EFICIÊNCIA VOLUMÉTRICA. A FOTO 13 MOSTRA UM CORPO COM DESGASTE EXCESSIVO (TRILHA) NO LADO DA SUCÇÃO DA BOMBA, EVIDENCIAS DE TRABALHO COM PRESSÕES ACIMA DO ESPECIFICADO FOTO /21

19 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 A PRESSÃO ACIMA DO ESPECIFICADO TAMBÉM PODE ULTRAPASSAR O LIMITE DE RESISTÊNCIA DO CORPO DA BOMBA RESULTANDO EM ROMPIMENTO DO MESMO E FALHA TOTAL DA BOMBA HIDRÁULICA. A FOTO 14 MOSTRA UM CORPO ROMPIDO NO LADO DA SUCÇÃO DA BOMBA DEVIDO AO TRABALHO COM PRESSÕES ACIMA DO ESPECIFICADO. FOTO /21

20 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 A DINÂMICA DE FUNCIONAMENTO DOS FLANGES DE COMPENSAÇÃO FAZ COM QUE OS MESMOS SEJAM COMPRIMIDOS CONTRA AS FACES DAS ENGRENAGENS A UMA PRESSÃO DIRETAMENTE PROPORCIONAL A PRESSÃO DO SISTEMA HIDRÁULICO PARA EVITAR QUE O ÓLEO PASSE DA ZONA DE PRESSÃO (SAÍDA) PARA A ZONA DE SUCÇÃO (ENTRADA), PROPORCIONANDO UMA EFICIÊNCIA ADEQUADA. O TRABALHO COM PRESSÕES ACIMA DO ESPECIFICADO FAZEM COM QUE O FILME DE ÓLEO ENTRE OS FLANGES DE COMPENSAÇÃO E AS ENGRENAGENS SEJA QUEBRADO E OCORRA UM AUMENTO DO ATRITO, ESTA DINÂMICA ASSOCIADA À PRESSÃO NA LATERAL DOS FLANGES RESULTA EM QUEBRA DOS MESMOS. A FOTO 15 MOSTRA O FLANGE DE COMPENSAÇÃO COM ESTA DINÂMICA DE FALHA. FOTO /21

21 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 AS PRINCIPAIS CAUSAS DE EXCESSO DE PRESSÃO EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS SÃO: REGULAGEM INADEQUADA DA VÁLVULA DE ALIVIO. DIMENSIONAMENTO INCORRETO DOS CILINDROS HIDRÁULICOS. EXCESSO DE CARGA OU CARGA ACIMA DO LIMITE ESPECIFICADO. APLICAÇÃO INCORRETA DA BOMBA HIDRÁULICA. MANUTENÇÃO UMA PRÁTICA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA RESULTARÁ EM SISTEMA CONFIÁVEL E EVITARÁ MANUTENÇÕES CORRETIVAS REPETITIVAS. A MELHOR RECOMENDAÇÃO QUE PODEMOS DAR É ATINGIR OU EXCEDERAS ESPECIFICAÇÕES DO FABRICANTE DO EQUIPAMENTO REFERENTE AO INTERVALO DE MANUTENÇÃO DO SISTEMA E SEGUIR AS RECOMENDAÇÕES DELE QUANTO A TROCA DOS COMPONENTES CRÍTICOS DO SISTEMA. OS SISTEMAS NORMALMENTE INCLUEM: ÓLEO HIDRÁULICO MANGUEIRAS CONEXÕES FILTROS BOMBA HIDRÁULICA VÁLVULA DIRECIONAL RESERVATÓRIO CILINDROS, ETC. TENHA ESPECIAL ATENÇÃO AOS FILTROS DO SISTEMA, POIS OS MESMOS GARANTEM UMA VIDA LONGA AOS COMPONENTES. SUBSTITUA O ÓLEO HIDRÁULICO A INTERVALOS ADEQUADOS, O USO EXCESSIVO, TEMPERATURA, ALTAS PRESSÕES, ETC. FAZEM COM QUE O ÓLEO PERCA SUAS PROPRIEDADES E SEUS ADITIVOS E PRINCIPALMENTE A CAPACIDADE DE LUBRIFICAÇÃO DA BOMBA HIDRÁULICA. UMA BOMBA QUANDO FALHA TENDE A ENVIAR AO SISTEMA UMA GRANDE QUANTIDADE DE CONTAMINANTES, NESTE CASO DEVE SER EFETUADA UMA LIMPEZA COMPLETA DO SISTEMA E TROCA DO ÓLEO HIDRÁULICO. 21/21

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE UNP-130408 1 de 6 INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS A vida útil das correntes transportadoras e elevadoras está diretamente ligada aos cuidados com a instalação, lubrificação

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR Parabéns por adquirir sopradores roots Dositec, série Cutes - CR, os quais são o resultado de avançado projeto

Leia mais

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens A UU L AL A Um conjunto de engrenagens cônicas pertencente a uma máquina começou a apresentar ruídos estranhos. O operador da máquina ficou

Leia mais

AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS

AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS 265 34. PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS 34.1. Introdução Para obter uma boa operação de usinagem em retificação, alguns cuidados devem ser

Leia mais

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO Cassetes Os cassetes laminadores são micro cadeiras de laminação, que substituem as fieiras nas máquinas de trefilação. Seu surgimento no

Leia mais

MANUTENÇÃO EM MANCAIS E ROLAMENTOS Atrito É o contato existente entre duas superfícies sólidas que executam movimentos relativos. O atrito provoca calor e desgaste entre as partes móveis. O atrito depende

Leia mais

7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 NX-4 FALCON

7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 NX-4 FALCON NX-4 FALCON 7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 DIAGNOSE DE DEFEITOS 7-3 COMPRESSÃO DO CILINDRO 7-4 REMOÇÃO DA TAMPA DO CABEÇOTE 7-5 DESMONTAGEM DA TAMPA DO 7-6 CABEÇOTE REMOÇÃO DA ÁRVORE DE

Leia mais

DISTRIBUIDORA DE PEÇAS VOLVO SCANIA IVECO. Rolamentos Causas e Soluções

DISTRIBUIDORA DE PEÇAS VOLVO SCANIA IVECO. Rolamentos Causas e Soluções Rolamentos e Oxidação e corrosão A superfície se torna parcial ou totalmente oxidada e ocasionalmente o óxido também se apresenta ao longo das linhas dos passos dos corpos rolantes. Condições inadequadas

Leia mais

Carolina Vilanova. 26/12/13 www.omecanico.com.br/modules/revista.php?action=printout&recid=423. Desmontagem e dicas da caixa VW

Carolina Vilanova. 26/12/13 www.omecanico.com.br/modules/revista.php?action=printout&recid=423. Desmontagem e dicas da caixa VW Desmontagem e dicas da caixa VW Vamos apresentar nessa reportagem as características, dicas de manutenção, desmontagem e montagem da caixa de câmbio MQ200, que em suas várias aplicações, equipa a maioria

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSWV 80 MAX/AD - MSWV 80 MAX/425 - WWV 80 G/425 2 ESTÁGIOS - 175 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSWV 80 MAX/AD - MSWV 80 MAX/425 - WWV 80 G/425 2 ESTÁGIOS - 175 psig CT 2 MSWV 80 MAX/AD MSWV 80 MAX/425 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR MSWV 80 MAX/AD MSWV 80 MAX/425 2 ESTÁGIOS 175 psig SCHULZ: INÍCIO DE FABRICAÇÃO MAIO/20 WAYNE: INÍCIO DE FABRICAÇÃO AGOSTO/20 CARACTERÍSTICAS

Leia mais

Manual de Instruções e Certificado de Garantia

Manual de Instruções e Certificado de Garantia CHAVE CATRACA 1/2" MXT-0511 07 01 05 1100 Manual de Instruções e Certificado de Garantia Identificação da Empresa SIGMA TOOLS Comércio de Máquinas, Equipamentos e Acessórios LTDA Rua Joaquim Lapas Veiga,

Leia mais

PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS

PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS Manual do Operador COMPONENTES e ACESSÓRIOS Tampa do tanque de produtos químicos Bocal Lança Tanque de produtos químicos Vela de ignição Acionador de

Leia mais

5Manutenções no Sistema de

5Manutenções no Sistema de Manutenção Preventiva dos Filtros do Ar A manutenção adequada deve incluir, também, uma inspeção completa dos sistemas. Todas as conexões, as tubulações ou dutos entre o filtro e o motor devem ser mantidos

Leia mais

VARREDEIRA ZE072. Manual de serviço

VARREDEIRA ZE072. Manual de serviço VARREDEIRA ZE072 Manual de serviço A varredeira ZE072 foi desenvolvida para trabalhos na construção civil, de manutenção em estradas, ou locais que necessitem o mesmo sistema de remoção de resíduos. Qualquer

Leia mais

Manual de Instruções e Certificado de Garantia

Manual de Instruções e Certificado de Garantia CHAVE DE IMPACTO 3/4" SGT-0543 07 01 05 4300 Manual de Instruções e Certificado de Garantia Identificação da Empresa SIGMA TOOLS Comércio de Máquinas, Equipamentos e Acessórios LTDA Rua Joaquim Lapas Veiga,

Leia mais

APOSTILA DE MANUTENÇÃO - Compactador RAM 70 (Honda) -

APOSTILA DE MANUTENÇÃO - Compactador RAM 70 (Honda) - APOSTILA DE MANUTENÇÃO 1- OBJETIVO. Apresentar os passos necessários para a manutenção do compactador RAM70 com motor Honda GX120. 2- PASSOS DE DESMONTAGEM / MONTAGEM. Retirar filtro de ar. Retirar mangueira

Leia mais

Galoneira Industrial série ZJ-W562

Galoneira Industrial série ZJ-W562 Galoneira Industrial série ZJ-W562 Instruções de Segurança IMPORTANTE Antes de utilizar sua máquina, leia atentamente todas as instruções desse manual. Ao utilizar a máquina, todos os procedimentos de

Leia mais

EXAUSTOR MUNTERS MANUAL DE INSTALAÇÃO EXAUSTOR MUNTERS REV.00-11/2012-MI0047P

EXAUSTOR MUNTERS MANUAL DE INSTALAÇÃO EXAUSTOR MUNTERS REV.00-11/2012-MI0047P MANUAL DE INSTALAÇÃO EXAUSTOR MUNTERS REV.00-11/2012-MI0047P 0 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 IMPORTANTE... 3 SEGURANÇA... 3 CUIDADOS AO RECEBER O EQUIPAMENTO... 4 1) Instalação dos exaustores... 5 2) Instalação

Leia mais

Preparação de máquina

Preparação de máquina A U A UL LA Preparação de máquina A retificação é um dos processos de usinagem por abrasão. Basicamente, a retificação visa corrigir as irregularidades de superfícies de peças ou materiais submetidos a

Leia mais

MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO

MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO COLHEITA NA AUSTRALIA Hoje nós temos que preocupar não só em aprimorar as MÁQUINAS, mas também os OPERADORES que com elas trabalham. PARTES CONSTITUINTES

Leia mais

rimetal máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário Máquinas para Baterias

rimetal máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário Máquinas para Baterias máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário ÍNDICE INTRODUÇÃO Apresentação Dados Técnicos Cuidados Segurança Limpeza 2 3 4 5 6 MANUTENÇÃO Instruções Manutenção Preventiva REGULAGEM E AJUSTES

Leia mais

Roda CP Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Janeiro / 2002

Roda CP Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Janeiro / 2002 3 Roda CP Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Janeiro / 2002 Substitui: Dezembro/2000 Página 1 de 14 Introdução: As Rodas Scotch-Brite C&P (Cutting & Polishing) são um eficiente e econômico produto

Leia mais

REGULAGEM DAS VÁLVULAS DA CENTRAL HIDRÁULICA

REGULAGEM DAS VÁLVULAS DA CENTRAL HIDRÁULICA REGULAGEM DAS VÁLVULAS DA CENTRAL HIDRÁULICA 3 2 1 4 5 DESCRIÇÃO REGULAGEM 1 VÁLVULA DE FLUXO CONTROLA A VELOCIDADE DE DESCIDA AO ABRIR AUMENTA A VELOCIDADE (ANTI-HORÁRIO) AO FECHAR DIMINUI A VELOCIDADE

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO AGA-TEC Indústria, Comércio e Manutenção Ltda. R: Danilo Valbuza, 703 - Laranjeiras 07700-000 Caieiras / SP - Brasil Tels /Fax: (11) 4441 8353 / 8309 / 8247 / 8502 E-mail: agatecvendas@terra.com.br MANUAL

Leia mais

Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos

Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos Mancal é um suporte de apoio de eixos e rolamentos que são elementos girantes de máquinas. Os mancais classificam-se em duas categorias: mancais de deslizamento mancais

Leia mais

Filtros e Bombas. A Piscina dos seus Sonhos.

Filtros e Bombas. A Piscina dos seus Sonhos. Dúvidas Filtros e Bombas A Piscina dos seus Sonhos. - Filtros Água vazando para o esgoto. Nas opções filtrar e recircular, observo através do visor de retrolavagem que a água continua indo para o esgoto

Leia mais

SEÇÃO 7C Alternadores

SEÇÃO 7C Alternadores SEÇÃO 7C Alternadores Índice da Seção Página ALTERNADORES Tabela nº... Identificação, Descrição dos Sistemas... Teste de Saída de Tensão - Somente CA... 0 Teste de Saída de Tensão - Somente CC... 9 / A...

Leia mais

1. A Função da Vela de Ignição

1. A Função da Vela de Ignição 1. A Função da Vela de Ignição A função da vela de ignição é conduzir a alta voltagem elétrica para o interior da câmara de combustão, convertendo-a em faísca para inflamar a mistura ar/combustível. Apesar

Leia mais

Manual de Usuário. (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000)

Manual de Usuário. (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000) AUTOMATIZADORES PARA PORTAS DE ENROLAR IMPORTAÇÃO E SUPORTE TÉCNICO NA INSTALAÇÃO Manual de Usuário (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000) SAC: 55 + 11 3088

Leia mais

Acumuladores hidráulicos

Acumuladores hidráulicos Tipos de acumuladores Compressão isotérmica e adiabática Aplicações de acumuladores no circuito Volume útil Pré-carga em acumuladores Instalação Segurança Manutenção Acumuladores Hidráulicos de sistemas

Leia mais

Manual de Instruções e Operação Moinhos USI-180

Manual de Instruções e Operação Moinhos USI-180 USIFER A Solução em Moagem Indústria Metalúrgica Ltda. Rua Vêneto, n 969 Bairro Nova Vicenza CEP 95180-000 Farroupilha RS Fones: (54) 3222 5194 Vendas (54) 3261 7356 Fábrica e-mail: usifermoinhos@usifermoinhos.com.br

Leia mais

MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER

MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER 1. INTRODUÇÃO Este Manual de Aplicação do GS-Super demonstra passo a passo o procedimento correto para aplicação do material bem como os cuidados necessários

Leia mais

ÍNDICE INTRODUÇÃO. Obrigado por adquirir produtos Toyama.

ÍNDICE INTRODUÇÃO. Obrigado por adquirir produtos Toyama. INTRODUÇÃO ÍNDICE Obrigado por adquirir produtos Toyama. As aplicações das motobombas Toyama são diversas: Agricultura, indústrias, minas, empresas, construções, comunicação, cabeamento subterrâneo, manutenção

Leia mais

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 Conheça o funcionamento, diagnóstico e reparo do ajustador de freio automático, um componente primordial para segurança, aplicado em veículos pesados. Que a

Leia mais

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Aparelho de Levantamento. Série B200

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Aparelho de Levantamento. Série B200 Manual de Montagem, Operação e Manutenção Aparelho de Levantamento Série B200 Português Índice Página 1 Aplicação e características gerais 1 Aplicação e características gerais 3 1.1 Aplicação 3 1.2 Características

Leia mais

SUSPENSOR PNEUMÁTICO PARA 3º EIXO. Manual de Montagem, Operação e Manutenção

SUSPENSOR PNEUMÁTICO PARA 3º EIXO. Manual de Montagem, Operação e Manutenção Manual de Montagem, Operação e Manutenção SUSPENSOR PNEUMÁTICO PARA 3º EIXO GB E Assembly, operating and maintenance instructions for JOST AIR AXLE LIFTS FOR TAG AXLES Instrucciones de montaje, funcionamiento

Leia mais

Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1. 1. Bombas e Motores

Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1. 1. Bombas e Motores Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1 BOMBAS: 1. Bombas e Motores As bombas hidráulicas são o coração do sistema, sua principal função é converter energia mecânica em hidráulica. São alimentadas

Leia mais

Bicos Automação Análise Técnica. Sistemas. Guia de Tecnologia de Pulverização para Processos Farmacêuticos

Bicos Automação Análise Técnica. Sistemas. Guia de Tecnologia de Pulverização para Processos Farmacêuticos Bicos Automação Análise Técnica Sistemas Guia de Tecnologia de Pulverização para Processos Farmacêuticos Revestimento de Comprimidos com Baixa Manutenção Os maiores desafios no revestimento de comprimidos

Leia mais

Manual de Manutenção 10ª Edição

Manual de Manutenção 10ª Edição Manual de Manutenção 10ª Edição Nosso Freio, Sua Segurança Falar da história da Master é resgatar uma trajetória de sucessos. Em 1986, quando foi fundada a partir de uma joint-venture entre Randon e Rockwell

Leia mais

MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO

MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 INTRODUÇÃO... 2 SIMBOLOGIA UTILIZADA... 3 RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA... 4 DESEMBALAGEM... 5 INSTALAÇÃO... 6 FUNCIONAMENTO... 8 INFORMAÇÕES GERAIS DO COMPRESSOR...

Leia mais

INFORMATIVO DE APLICAÇÃO 410.97.54

INFORMATIVO DE APLICAÇÃO 410.97.54 Junho/2015 INFORMATIVO DE APLICAÇÃO 410.97.54 Reparo do Gancho do Regulador 7139 754G AGORA DISPONÍVEL PARA VENDA AVULSA PRODUTO: 410.97.54 PRODUTO: 410.97.54 Alteração: Além da venda no reparo 410.59.19,

Leia mais

Martelete Rotativo. Makita do Brasil Ferramentas Elétricas Ltda. MANUAL DE INSTRUÇÕES HR2445- HR2455

Martelete Rotativo. Makita do Brasil Ferramentas Elétricas Ltda. MANUAL DE INSTRUÇÕES HR2445- HR2455 Martelete Rotativo HR445- HR455 MANUAL DE INSTRUÇÕES Makita do Brasil Ferramentas Elétricas Ltda. Fábrica Rua Makita Brasil, 00 Bairro Alvarengas - S. B. do Campo - SP - CEP: 0985-080 PABX: (0xx) 439-4

Leia mais

ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2. Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento.

ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2. Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento. ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2 Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento. Aviso Importante Certifique-se de verificar o nível de óleo como é descrito a seguir: 1. Nível

Leia mais

GUIA RÁPIDO PARA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

GUIA RÁPIDO PARA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS Suspiro do receptor de leite entupido Retirar filtro do suspiro e efetuar limpeza ORD. CANALIZADA Excesso de formação de espuma no leite Curva do receptor na posição incorreta Manejo inadequado Corrigir

Leia mais

BORRA DE ÓLEO. Qual o motivo da formação da borra?

BORRA DE ÓLEO. Qual o motivo da formação da borra? BORRA DE ÓLEO Uma vez que um grande número de veículos vem apresentando problemas de borra de óleo, acendimento intermitente de luz de óleo no painel, ruído no motor e possível travamento do motor por

Leia mais

2. ORIENTAÇÕES DE SEGURANÇA

2. ORIENTAÇÕES DE SEGURANÇA MANUAL DE INSTRUÇÕES COMPRESSOR DE AR ÍNDICE 1. PREPARAÇÃO 2. ORIENTAÇÕES DE SEGURANÇA 3. PRECAUÇÕES 4. DESCRIÇÃO BREVE 5. VISÃO GERAL E COMPONENTES PRINCIPAIS 6. PRINCIPAIS PARÂMETROS TÉCNICOS 7. VISÃO

Leia mais

MANUAL BICICLETAS. Número do quadro: ... Nome do Proprietário: ... Data da compra:. ...

MANUAL BICICLETAS. Número do quadro: ... Nome do Proprietário: ... Data da compra:. ... MANUAL BICICLETAS Número do quadro:... Nome do Proprietário:... Data da compra:.... 1 MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL LINHA CONVENCIONAL: ADULTOS E JUVENIL ÍNDICE: INTRODUÇÃO Introdução 03 Manual Linha Convencional

Leia mais

Embalagem Breve histórico: Nytron é uma empresa líder no mercado de reposição de polias e tensionadores; Produzindo 306 itens para reposição; Abastece todo mercado nacional,através dos mais importantes

Leia mais

COMPRESSOR MANUAL DO PROPRIETÁRIO DENTAL/MEDICAL OIL-FREE WWW.SCHUSTER.IND.BR PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS

COMPRESSOR MANUAL DO PROPRIETÁRIO DENTAL/MEDICAL OIL-FREE WWW.SCHUSTER.IND.BR PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS COMPRESSOR S45 DENTAL/MEDICAL OIL-FREE MANUAL DO PROPRIETÁRIO COMPRESSOR S45 110V PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS WWW.SCHUSTER.IND.BR 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. INTRODUÇÃO... 3 3. TERMOS DE GARANTIA... 3 4. ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

O que é Integração das Técnicas de Monitoramento?

O que é Integração das Técnicas de Monitoramento? Análise de Vibração + Análise de Óleo O que é Integração das Técnicas de Monitoramento? Programas atuais de monitoramento da gestão das condições de ativos que desejam avançar rumo a uma verdadeira "Manutenção

Leia mais

6 Manutenção de Tratores Agrícolas

6 Manutenção de Tratores Agrícolas 6 Manutenção de Tratores Agrícolas 6.1 Introdução Desenvolvimento tecnológico do país Modernização da agricultura Abertura de novas fronteiras agrícolas Aumento no uso de MIA Aumento da produtividade Maiores

Leia mais

PF-17/PF-17C/PF-22. Manual de Utilização e Instalação. www.dancor.com.br. Atendimento ao Consumidor Tel.: 0800 021 9290. www.dancor.com.

PF-17/PF-17C/PF-22. Manual de Utilização e Instalação. www.dancor.com.br. Atendimento ao Consumidor Tel.: 0800 021 9290. www.dancor.com. www.dancor.com.br Bombas AUTO-ESCORVANTES COM PRÉ-FILTRO PARA PISCINAS PF-17/PF-17C/PF-22 Manual de Utilização e Instalação - Consumidores - Representantes - Revendedores Atendimento ao Consumidor Tel.:

Leia mais

Introdução: Tabela: Medidas de segurança

Introdução: Tabela: Medidas de segurança Introdução: As Biseladoras Internas Merax podem ser utilizadas para biselar e /ou facear paredes de tubos de diâmetro interno de 16 mm à 610 mm em diferentes espessuras (conforme tabela abaixo). Tabela:

Leia mais

Lista Completa de Peças

Lista Completa de Peças Lista Completa de Peças Carta ao Proprietário Parabéns pela escolha!!! Você adquiriu um dos Equipamentos Paletrans para movimentação de carga, desenvolvido com tecnologia mundial, de fácil manutenção e

Leia mais

PERFIL DO TÉCNICO REPARADOR DE TRANSMISSÕES AUTOMÁTICAS. Competências necessárias ao técnico para o desempenho de suas funções.

PERFIL DO TÉCNICO REPARADOR DE TRANSMISSÕES AUTOMÁTICAS. Competências necessárias ao técnico para o desempenho de suas funções. PERFIL DO TÉCNICO REPARADOR DE TRANSMISSÕES AUTOMÁTICAS Competências necessárias ao técnico para o desempenho de suas funções. Primeiro grupo Introdução às transmissões automáticas. 1. Corrigir declarações

Leia mais

Sumário. FS 6209 Manual de Serviços

Sumário. FS 6209 Manual de Serviços FS 6209 Sumário Seção A Visão geral da transmissão FS6209 Transmissão Eaton Synchromesh 9 velocidades Descrição do modelo 1 Identificação da transmissão 1 Descrição Geral 2 Características 2 O Sistema

Leia mais

- -Pressionando essa tecla podemos diminuir os valores a serem ajustados no menu de programação.

- -Pressionando essa tecla podemos diminuir os valores a serem ajustados no menu de programação. Apresentação 1 Display LCD 2 Tecla + (aumentar) 3 Tecla Seleção 4 Tecla (diminuir) 5 Tecla Motor manual 6 Tecla Reset contador 7 Led Indica painel ligado 8 Led resistência ligada 9 Led Prensa ligada 10

Leia mais

TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA

TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA Manual Sobre Segurança e Utilização de equipamentos Hidráulicos de Alta Pressão. Página 1 de 24 DE TORVEL PARA VOCÊ... EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções TRR 3110S NM +55 (16) 33833818 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com.

bambozzi Manual de Instruções TRR 3110S NM +55 (16) 33833818 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com. A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 33833818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

MANUTENÇÃO CENTRADA NA CONFIABILIDADE DE SUBESTAÇÕES

MANUTENÇÃO CENTRADA NA CONFIABILIDADE DE SUBESTAÇÕES Comitê de Estudo B3 Subestações Força Tarefa - Manutenção Centrada na Confiabilidade MANUTENÇÃO CENTRADA NA CONFIABILIDADE DE SUBESTAÇÕES Comutadores de tap INTRODUÇÃO Os comutadores de tap são utilizados

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Página 1 de 9 Informativo nº 9 VENTILADOR DE MESA 30cm VENTNK1200 ASSUNTO: Lançamento. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Alimentação: Cor: Potência do aparelho: Consumo de energia: Característica diferencial: Período

Leia mais

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Quinta-roda JSK 38C JSK 38G

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Quinta-roda JSK 38C JSK 38G Manual de Montagem, Operação e Manutenção Quinta-roda JSK 38C JSK 38G Índice Página 1 Aplicação e modelos 4 1.1 Aplicação 4 1.2 Dimensionamento 4 1.3 Segurança 4 Português 2 Montagem 5 2.1 Especificações

Leia mais

MOTORES ESTACIONÁRIOS GX 120/160/200

MOTORES ESTACIONÁRIOS GX 120/160/200 MOTORES ESTACIONÁRIOS GX 120/160/200 MANUAL DO PROPRIETÁRIO INTRODUÇÃO GX 120/160/200 MANUAL DO PROPRIETÁRIO 1 Aproveitamos a oportunidade para agradecê-lo pela escolha do Motor Estacionário Honda. Desejamos

Leia mais

PROCESSOS BASEADOS EM EXTRUSÃO

PROCESSOS BASEADOS EM EXTRUSÃO PROCESSOS BASEADOS EM EXTRUSÃO EXTRUSÃO DE TUBOS E CANOS Tubos diâmetro inferior a 12,7mm (1/2 in) Materiais mais utilizados: PE e PVC (canos), PA, POM (tubos). corte Extrusora matriz resfriamento/calibração

Leia mais

3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2

3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2 3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3 O teste de compressão fornece informações importantes sobre a condição mecânica

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB Manual de Instruções e Lista de Peças Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB ÍNDICE DETALHES TÉCNICOS, INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA... 01 MONTAGEM MOTOR E ROTAÇÃO DA MÁQUINA... 02 LUBRIFICAÇÃO...

Leia mais

by d Avila, 2004 versão 1.0

by d Avila, 2004 versão 1.0 Versão 1.0 2 by d Avila, 2004 versão 1.0 O autor e o Grupo CB Brasil acreditam que todas as informações aqui apresentadas estão corretas e podem ser utilizadas para qualquer fim legal. Entretanto, não

Leia mais

Aula 6: Lista de Exercícios Tipos de Manutenções Sistemas Hidráulicos Sistemas Pneumáticos

Aula 6: Lista de Exercícios Tipos de Manutenções Sistemas Hidráulicos Sistemas Pneumáticos Aula 6: Lista de Exercícios Tipos de Manutenções Sistemas Hidráulicos Sistemas Pneumáticos Assinale V para as afirmações verdadeiras e F para as falsas. ( ) Garantir a produção normal e a qualidade dos

Leia mais

CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA

CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA *Imagens meramente ilustrativas CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA Modelo V8 Chave de impacto

Leia mais

Seção 12 Conjunto do motor

Seção 12 Conjunto do motor Seção 12 Conjunto do motor Página CONJUNTO DO MOTOR... 164 Instalação do virabrequim... 164 Instale o pistão e a biela... 164 Instalação do eixo de cames... 164 Instalação da bomba de óleo... 165 Instalação

Leia mais

Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA

Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA Rolamento autocompensador de rolos esféricos de alta performance com maior capacidade de carga Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA

Leia mais

Guia de Instalação Pinhão de 18 dentes

Guia de Instalação Pinhão de 18 dentes 1 Guia de Instalação Pinhão de 18 dentes por d Avila, Edson. 2004, versão 1.0. Autorizada reprodução se mantido os créditos do autor 2 O autor acredita que todas as informações aqui apresentadas estão

Leia mais

CSR/Instruções de inspeção para Técnicos

CSR/Instruções de inspeção para Técnicos INSTRUÇÕES DE INSPEÇÃO Carregadeiras sobre rodas CSR/Instruções de inspeção para Técnicos Esta instrução é um recurso técnico informal. Para obter especificações e procedimentos corretos, refira-se sempre

Leia mais

Lubrificação IV. Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança. Sistema selado

Lubrificação IV. Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança. Sistema selado A U A UL LA Lubrificação IV Introdução Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança da caixa de câmbio de um automóvel. Um mecânico verificou que a caixa de câmbio estava com problemas por falta de óleo.

Leia mais

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Mancais De modo geral, os elementos de apoio consistem em acessórios para o bom funcionamento de máquinas. Desde quando o homem passou a

Leia mais

ÍNDICE MANUTENÇÃO PREVENTIVA COMO PEDIR PEÇAS DE REPOSIÇÃO

ÍNDICE MANUTENÇÃO PREVENTIVA COMO PEDIR PEÇAS DE REPOSIÇÃO Este manual ajudará você a familiarizar-se com o seu Transportador de Carga Tracionário BYG. Facilitará também, possíveis manutenções periódicas. Recomendamos uma atenção especial para utilização do equipamento,

Leia mais

A manutenção preventiva é de suma importância para prolongar a vida útil da máquina e suas partes. Abaixo, algumas dicas de manutenção preventiva:

A manutenção preventiva é de suma importância para prolongar a vida útil da máquina e suas partes. Abaixo, algumas dicas de manutenção preventiva: Manutenção Preventiva e Corretiva de Rosqueadeiras Manual de Manutenção: Preventivo / Corretivo Preventivo: Toda máquina exige cuidados e manutenção preventiva. Sugerimos aos nossos clientes que treinem

Leia mais

Manual de instalação, operação e manutenção DOC.IOM.EF.BR, Rev. 3 Fevereiro de 2015. EL-O-Matic Série F Atuadores pneumáticos tipo pinhão e rack

Manual de instalação, operação e manutenção DOC.IOM.EF.BR, Rev. 3 Fevereiro de 2015. EL-O-Matic Série F Atuadores pneumáticos tipo pinhão e rack Manual de instalação, operação e manutenção DOC.IOM.EF.BR, Rev. 3 EL-O-Matic Série F Atuadores pneumáticos tipo pinhão e rack EL Matic TM EL-O-Matic F DOC.IOM.EF.BR Rev. 3 Índice Índice Seção 1: Seção

Leia mais

DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES

DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES simples multiestágio BOMBEAMENTO INSUFICIENTE E NULO VAZÃO OU PRESSÃO NULAS OU INSUFICIENTE VÁLVULA PRESA OU ENTUPIDA ROTOR FURADO, ENTUPIDO OU COM DESGASTE EXECESSIVO

Leia mais

Universidade Paulista Unip

Universidade Paulista Unip Elementos de Produção de Ar Comprimido Compressores Definição Universidade Paulista Unip Compressores são máquinas destinadas a elevar a pressão de um certo volume de ar, admitido nas condições atmosféricas,

Leia mais

Plataforma elevadora PE-1000

Plataforma elevadora PE-1000 Plataforma elevadora PE-1000 MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO ZELOSO DESDE 1956 PREFÁCIO PLATAFORMA ELEVADORA APLICAÇÃO: Este manual contém informações para a operação e manutenção, bem como uma lista ilustrada

Leia mais

Plantadeira de Micro-Trator 1 Linha - Plantio Direto e Convencional Instruções do Operador

Plantadeira de Micro-Trator 1 Linha - Plantio Direto e Convencional Instruções do Operador R Plantadeira de Micro-Trator 1 Linha - Plantio Direto e Convencional Instruções do Operador INDÚSTRIA MECÂNICA KNAPIK LTDA. Rua Prefeito Alfredo Metzler, 480 - CEP 89400-000 - Porto União - SC Site: www.knapik.com.br

Leia mais

Rebitador de Rosca DR7-0312 Manual de Operações www.ldr2.com.br

Rebitador de Rosca DR7-0312 Manual de Operações www.ldr2.com.br Rebitador de Rosca DR7-0312 Manual de Operações www.ldr2.com.br 1. DADOS TÉCNICOS Modelo Medida de bicos para rebite de rosca Força de tração Velocidade Pressão de trabalho Peso líquido DR7-0312 M3 M4

Leia mais

MÁQUINA PARA COSTURAR BOCA DE SACO

MÁQUINA PARA COSTURAR BOCA DE SACO MANUAL DE INSTRUÇÃO MÁQUINA PARA COSTURAR BOCA DE SACO MODELO: SS-26-1W - 1 - MÁQUINA PARA COSTURAR BOCA DE SACO Leia atentamente as instruções antes de iniciar o uso: a) Verificar se a voltagem está correta

Leia mais

CASA DE MÁQUINAS MANUAL DE INSTALAÇÃO

CASA DE MÁQUINAS MANUAL DE INSTALAÇÃO CASA DE MÁQUINAS MANUAL DE INSTALAÇÃO CASA DE MÁQUINAS Item essencial para qualquer tipo de piscina. É nela que ficam acondicionados o Sistema Filtrante (Filtro e Bomba) registros, válvulas, fios e acionadores.

Leia mais

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer MANUAL DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA Finalidade deste Manual Este manual proporciona as informações necessárias para uma correta manutenção dos filtros Metalsinter, contendo também importantes informações

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 01 Bombas São máquinas acionadas que recebem energia mecânica de uma fonte motora (máquina acionadora) e a transformam em energia cinética (movimento),

Leia mais

MOTOR 9-1 MOTOR CONTEÚDO

MOTOR 9-1 MOTOR CONTEÚDO R1 MOTOR 9-1 MOTOR CONTEÚDO página INFORMAÇÕES GERAIS IDENTIFICAÇÃO DO MOTOR...1 TUCHOS HIDRÁULICOS...2 DIAGNOSE E TESTE DIAGNÓSTICO DE MANUTENÇÃO DIESEL DESEMPENHO... 3 DIAGNÓSTICO DE MANUTENÇÃO DIESEL

Leia mais

1 ATUADORES HIDRÁULICOS

1 ATUADORES HIDRÁULICOS 1 ATUADORES HIDRÁULICOS Danniela Rosa Sua função é aplicar ou fazer atuar energia mecânica sobre uma máquina, levando-a a realizar um determinado trabalho. Aliás, o motor elétrico também é um tipo de atuador.

Leia mais

Manual do Operador Compactador de solo TV6DF

Manual do Operador Compactador de solo TV6DF Manual do Operador Compactador de solo TV6DF Produto importado e distribuído por: www.ccmdobrasil.com.br - info@ccmdobrasil.com.br CNPJ: 76.068.311/0001-54 Inclui manual em português e certificado de garantia

Leia mais

MANUAL DE GARANTIA ANÁLISE DE FALHAS EM TURBOS

MANUAL DE GARANTIA ANÁLISE DE FALHAS EM TURBOS ANÁLISE DE FALHAS EM TURBOS ÍNDICE Apresentação Institucional Introdução Causas Mais Comuns de Falhas em Turbos Procedimento de Análise Carcaça e Rotor Compressor Danificação por Contato Erosão por Material

Leia mais

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Índice da seção Página Bielas Montagem da biela no pistão... 4 Verificação Instalação... 7 Remoção Torque... 8 Pistões Montagem do pistão na biela... 4 Verificação do desgaste

Leia mais

Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO

Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO A globalização hoje se estende no mundo em todos os seus setores e mais do que nunca na indústria mundial, seja

Leia mais

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Características Construtivas Tomada de Força VM Contents Generalidades, página 2 Tomada de força montada na caixa de mudanças, página 2 Tomada de

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN

MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN * Foto meramente ilustrativa Manual de Instalação e Funcionamento 2 ÍNDICE 1Instalações 1.1 Esquemas Elétricos 2 Operação 2.1 Formas de Operação do Equipamento

Leia mais

Transmissor de Vazão Mod. RTVG

Transmissor de Vazão Mod. RTVG 1. Introdução O Medidor de vazão tipo turbina é um instrumento de medição de vazão volumétrico. O elemento sensível à vazão é um rotor com um sistema de palhetas fixas, suspenso livremente sobre um eixo

Leia mais

BETONEIRAS. Manual de Instrução MAQTRON IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. www.vencedoramaqtron.com.br

BETONEIRAS. Manual de Instrução MAQTRON IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. www.vencedoramaqtron.com.br Moendas de Cana CANA SHOP Moendas de Cana BETONEIRAS Debulhadores de Milho www.vencedoramaqtron.com.br Batedeiras de Cereais Trilhadeiras Desintegradores Trituradores para milho úmido Ensiladeiras Bombas

Leia mais

TPF-WE-H-BR-TC11AR TPF-WE-H-BR-TC5A

TPF-WE-H-BR-TC11AR TPF-WE-H-BR-TC5A MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO E CERTIFICADO DE GARANTIA TPF-WE-H-BR-TC11AR TPF-WE-H-BR-TC5A 340W 220V Ler atentamente o Manual de Instalação e o Certificado de Garantia antes de instalar

Leia mais

de hidráulica industrial

de hidráulica industrial A UU L AL A Noções de manutenção de hidráulica industrial João, o operador de uma retificadora cilíndrica, percebeu uma certa alteração no desempenho de sua máquina. Após fazer as verificações que conhecia

Leia mais